Decisão Concedendo Liminar

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Decisão Concedendo Liminar"

Transcrição

1 Processo n ª Vara da Fazenda Pública Decisão Concedendo Liminar O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, por intermédio da Promotoria de Justiça de defesa dos direitos da saúde, ajuizou ação civil pública contra o MUNICÍPIO DE NATAL, aduzindo, em síntese, que no monitoramente das atividades desenvolvidas pela Secretaria Municipal de Saúde encontrou deficiências no controle da tuberculose nesta capital, recomendando providências objetivando solucionar o problema, tanto no tocante ao diagnóstico quanto ao tratamento da doença, porém concluiu haver omissão e deficiência no serviço municipal de saúde nesse particular, causando sequelas e óbitos às pessoas doentes. Na erudita petição inicial de fls. 02/24, acompanhada de vasta documentação que instruiu o Inquérito Civil n 008/2005, o Parquet enfatizou aspectos da patologia da tuberculose e seu tratamento, da situação do atendimento aos pacientes, da ausência de um plano municipal nessa área específica, propugnando antecipação dos efeitos da tutela com medidas judiciais a fim de debelar o problema, além do pleito meritório com o desiderato de resolver a moléstia da tuberculose no Município de Natal. Antes de despachar a tutela liminar notifiquei o Município-réu, por sua Procuradoria Geral, para se pronunciar sobre os fatos narrados na ação, porém este ficou silente e nada respondeu. A cautelar antecipada na situação sob análise será concedida, nos termos do art. 12 da Lei da Ação Civil Pública (Lei n 7.853/1989) e do art. 273 do Código de Processo Civil, quando evidenciados os requisitos da verossimilhança das alegações autorais, do fundado receio de dano irreparável ou de difícil reparação, havendo abuso de direito ou descaso da administração, assim como a urgência da medida judicial. Neste momento preambular não vejo necessidade de adentrar nas particularidades da petição inicial tão bem detalhada pelo Ministério Público autor, inclusive porque o Município-réu não teve o mínimo trabalho de sequer tentar justificar o contrário, deixando transcorrer o prazo para manifestação prévia sem nada esclarecer, tornando à primeira vista, plenamente aceitável a matéria fática que veio alicerçada na vasta relevante documental acostada à exordial. Apenas a título exemplificado, é inadmissível que no período de dez meses e meio (de janeiro a 16 de novembro de 2009), tenham sido internados no Hospital Giselda Trigueiro, nesta Capital, 215 (duzentos e quinze) pacientes com tuberculose pulmonar, residentes em Natal, do total de 335 (trezentos e trinta e cinco) de todos os municípios do Estado, enquanto a cidade de Vitória, capital do Espírito Santo, no mesmo período teve apenas 01 (um) paciente internado com esse tipo de doença (fls. 451/453). Mediante o Ofício n 092, de e anexos (fls. 465/478), a Diretora Geral do Hospital Giselda Trigueiro, da rede pública estadual, especializado no tratamento de doenças infecto-contagiosas, demonstrou "a necessidade da estruturação da Secretaria Municipal de Saúde de Natal e dos outros municípios para realização do diagnóstico da tuberculose, disponibilizando serviços para a realização de exames essenciais como baciloscopia, PPD e radiografia de tórax, pois do contrário não avançaremos no controle da doença de forma eficaz. Atualmente cerca de 70% dos diagnósticos de tuberculose do município de Natal são realizados pelo Hospital Giselda Trigueiro, serviço de referência

2 de nível terciário, dificultando assim ao hospital exercer com maior eficiência a sua missão", esclarecendo "que é competência do nível primário de atenção a busca de pacientes sintomáticos respiratórios, diagnóstico de casos suspeitos e tratamento com esquema básico. Ao nível terciário compete investigação e acompanhamento de pacientes com tuberculose extra-pulmonar, tuberculose multiresistente, tuberculose associada a outras doenças, pacientes em tratamento com esquema básico que evoluam de forma desfavorável, além de outros casos de maior complexidade", oportunidade em que solicitou providências com a finalidade de melhorar o atendimento prestado aos usuários do Sistema Único de Saúde. É incompreensível que uma doença aparentemente extinta ou raramente manifestada, pela negligência, imprudência e/ou imperícia (elementos caracterizadores da culpa objetiva) da Administração pública volte a preocupar a sociedade, lembrando os malefícios provocados no passado. A pretensão do Ministério Público está absolutamente alicerçada na Constituição Federal, que elegeu a saúde como direito fundamental do cidadão e dever do Estado (União, Estados e Municípios), que tem a obrigação de prevenir, proteger e recuperá-lo das doenças, cuja execução deverá ser feita diretamente pelo poder público ou por intermédio de terceiros (CF, arts. 196 e 197), dispondo a Lei n 8.080/1990 sobre o Sistema Único de Saúde. É bom sempre lembrar que a Lei Maior do Brasil assegura o acesso universal e igualitário de todos às ações e serviços de saúde pública, na amplitude dos princípios constitucionais da dignidade da pessoa humana e das garantias fundamentais do direito social à vida e à saúde, tudo isso reforçado pela jurisprudência uniforme dos nossos Tribunais, a seguir exemplificada: "EMENTA: PACIENTES COM ESQUIZOFRENIA PARANÓIDE E DOENÇA MANÍACO-DEPRESSIVA CRÔNICA, COM EPISÓDIOS DE TENTATIVA DE SUICÍDIO - PESSOAS DESTITUÍDAS DE RECURSOS FINANCEIROS - DIREITO À VIDA E À SAÚDE - NECESSIDADE IMPERIOSA DE SE PRESERVAR, POR RAZÕES DE CARÁTER ÉTICO-JURÍDICO, A INTEGRIDADE DESSE DIREITO ESSENCIAL - FORNECIMENTO GRATUITO DE MEDICAMENTOS INDISPENSÁVEIS EM FAVOR DE PESSOAS CARENTES - DEVER CONSTITUCIONAL DO ESTADO (CF, ARTS. 5, "CAPUT", E 196) - PRECEDENTES (STF) - ABUSO DO DIREITO DE RECORRER - IMPOSIÇÃO DE MULTA - RECURSO DE AGRAVO IMPROVIDO. O DIREITO À SAÚDE REPRESENTA CONSEQÜÊNCIA CONSTITUCIONAL INDISSOCIÁVEL DO DIREITO À VIDA. - O direito público subjetivo à saúde representa prerrogativa jurídica indisponível assegurada à generalidade das pessoas pela própria Constituição da República (art. 196). Traduz bem jurídico constitucionalmente tutelado, por cuja integridade deve velar, de maneira responsável, o Poder Público, a quem incumbe formular - e implementar - políticas sociais e econômicas idôneas que visem a garantir, aos cidadãos, o acesso universal e igualitário à assistência farmacêutica e médico-hospitalar. - O direito à saúde - além de qualificar-se como direito fundamental que assiste a todas as pessoas - representa conseqüência constitucional indissociável do direito à vida. O Poder Público, qualquer que seja a esfera institucional de sua atuação no plano da organização federativa brasileira, não pode mostrar-se indiferente ao problema da saúde da população, sob pena de incidir, ainda que por censurável omissão, em grave comportamento inconstitucional. A INTERPRETAÇÃO DA NORMA PROGRAMÁTICA NÃO PODE TRANSFORMÁ-LA EM PROMESSA CONSTITUCIONAL INCONSEQÜENTE. - O caráter programático da regra inscrita no art. 196 da Carta Política - que tem por destinatários todos os entes políticos que compõem, no plano institucional, a organização federativa do Estado brasileiro - não pode converter-se em promessa constitucional inconseqüente, sob pena de o Poder Público,

3 fraudando justas expectativas nele depositadas pela coletividade, substituir, de maneira ilegítima, o cumprimento de seu impostergável dever, por um gesto irresponsável de infidelidade governamental ao que determina a própria Lei Fundamental do Estado. DISTRIBUIÇÃO GRATUITA, A PESSOAS CARENTES, DE MEDICAMENTOS ESSENCIAIS À PRESERVAÇÃO DE SUA VIDA E/OU DE SUA SAÚDE: UM DEVER CONSTITUCIONAL QUE O ESTADO NÃO PODE DEIXAR DE CUMPRIR. - O reconhecimento judicial da validade jurídica de programas de distribuição gratuita de medicamentos a pessoas carentes dá efetividade a preceitos fundamentais da Constituição da República (arts. 5, "caput", e 196) e representa, na concreção do seu alcance, um gesto reverente e solidário de apreço à vida e à saúde das pessoas, especialmente daquelas que nada têm e nada possuem, a não ser a consciência de sua própria humanidade e de sua essencial dignidade. Precedentes do STF. MULTA E EXERCÍCIO ABUSIVO DO DIREITO DE RECORRER. - O abuso do direito de recorrer - por qualificar-se como prática incompatível com o postulado ético-jurídico da lealdade processual - constitui ato de litigância maliciosa repelido pelo ordenamento positivo, especialmente nos casos em que a parte interpõe recurso com intuito evidentemente protelatório, hipótese em que se legitima a imposição de multa. A multa a que se refere o art. 557, 2, do CPC possui função inibitória, pois visa a impedir o exercício abusivo do direito de recorrer e a obstar a indevida utilização do processo como instrumento de retardamento da solução jurisdicional do conflito de interesses. Precedentes." (SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL - RE-AgR / RS - Relator Ministro CELSO DE MELLO - Segunda Turma - DJ de ). "ADMINISTRATIVO - CONTROLE JUDICIAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS - POSSIBILIDADE EM CASOS EXCEPCIONAIS - DIREITO À SAÚDE - FORNECIMENTO DE MEDICAMENTOS - MANIFESTA NECESSIDADE - OBRIGAÇÃO DO PODER PÚBLICO - AUSÊNCIA DE VIOLAÇÃO DO PRINCÍPIO DA SEPARAÇÃO DOS PODERES - NÃO OPONIBILIDADE DA RESERVA DO POSSÍVEL AO MÍNIMO EXISTENCIAL. 1. Não podem os direitos sociais ficar condicionados à boa vontade do Administrador, sendo de fundamental importância que o Judiciário atue como órgão controlador da atividade administrativa. Seria uma distorção pensar que o princípio da separação dos poderes, originalmente concebido com o escopo de garantia dos direitos fundamentais, pudesse ser utilizado justamente como óbice à realização dos direitos sociais, igualmente fundamentais. 2. Tratando-se de direito fundamental, incluso no conceito de mínimo existencial, inexistirá empecilho jurídico para que o Judiciário estabeleça a inclusão de determinada política pública nos planos orçamentários do ente político, mormente quando não houver comprovação objetiva da incapacidade econômico-financeira da pessoa estatal. 3. In casu, não há empecilho jurídico para que a ação, que visa a assegurar o fornecimento de medicamentos, seja dirigida contra o município, tendo em vista a consolidada jurisprudência desta Corte, no sentido de que "o funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS) é de responsabilidade solidária da União, Estados-membros e Municípios, de modo que qualquer dessas entidades têm legitimidade ad causam para figurar no pólo passivo de demanda que objetiva a garantia do acesso à medicação para pessoas desprovidas de recursos financeiros" (REsp /RJ, Rel. Min. Eliana Calmon, Segunda Turma, DJ ). Agravo regimental improvido." (STJ - AgRg no REsp / RS - Relator Ministro HUMBERTO MARTINS - Segunda Turma - DJe de ). "EMENTA: ADMINISTRATIVO - MOLÉSTIA GRAVE - FORNECIMENTO GRATUITO DE MEDICAMENTO - DIREITO À VIDA E À SAÚDE - DEVER DO ESTADO - MATÉRIA FÁTICA DEPENDENTE DE PROVA. 1. Esta Corte tem reconhecido aos portadores de moléstias graves, sem disponibilidade financeira para custear o seu tratamento, o direito de

4 receber gratuitamente do Estado os medicamentos de comprovada necessidade. Precedentes. 2. O direito à percepção de tais medicamentos decorre de garantias previstas na Constituição Federal, que vela pelo direito à vida (art. 5, caput) e à saúde (art. 6), competindo à União, Estados, Distrito Federal e Municípios o seu cuidado (art. 23, II), bem como a organização da seguridade social, garantindo a "universalidade da cobertura e do atendimento" (art. 194, parágrafo único, I). 3. A Carta Magna também dispõe que "A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação" (art. 196), sendo que o "atendimento integral" é uma diretriz constitucional das ações e serviços públicos de saúde (art. 198). 4. O direito assim reconhecido não alcança a possibilidade de escolher o paciente o medicamento que mais se adéqüe ao seu tratamento. 5. In casu, oferecido pelo SUS uma segunda opção de medicamento substitutivo, pleiteia o impetrante fornecimento de medicamento de que não dispõe o SUS, sem descartar em prova circunstanciada a imprestabilidade da opção ofertada. 6. Recurso ordinário improvido." (STJ - RMS / MG - Relatora Ministra ELIANA CALMON - Segunda Turma - DJe de ). "EMENTA: CONSTITUCIONAL. MANDADO DE SEGURANÇA. IMPETRANTE PORTADOR DE CÂNCER DE FÍGADO E ICTERÍCIA OBSTRUTIVA. NECESSIDADE DE COLOCAÇÃO PERCUTÂNEA DE STENT BILIAR. REALIZAÇÃO DE CIRURGIA E FORNECIMENTO DE TRATAMENTO PÓS- CIRÚRGICO. PESSOA SEM RECURSOS FINANCEIROS PARA ARCAR COM OS CUSTOS DECORRENTES. PONDERAÇÃO DE PRINCÍPIOS. PREVALÊNCIA DO PRINCÍPIO DA DIGNIDADE HUMANA. DIREITO À VIDA E À SAÚDE QUE DEVEM SER PRESERVADOS. DEVER CONSTITUCIONAL DO PODER PÚBLICO. SEGURANÇA CONCEDIDA." (TJRN - Mandado de Segurança n Relatora Desembargadora JUDITE NUNES - Tribunal Pleno - DJE de ). "EMENTA: CONSTITUCIONAL. MANDADO DE SEGURANÇA. ASSISTÊNCIA MÉDICA DOMICILIAR DO TIPO HOME CARE. IMPETRANTE PORTADORA DA SÍNDROME LENNOX GAUSTAUT. GRAVÍSSIMO ESTADO DE SAÚDE. RECOMENDAÇÃO DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR SOB PENA DE AGRAVAMENTO DA ENFERMIDADE. RISCO DE MORTE. GARANTIA CONSTITUCIONAL DO ACESSO UNIVERSAL AOS SERVIÇOS DE SAÚDE. DIREITO FUNDAMENTAL DA DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA. DEVER DO ESTADO. SEGURANÇA CONCEDIDA. 1. A assistência à saúde, direito constitucional do cidadão, é dever do Estado, devendo sua execução ser efetivada de forma universal e integral, abrangendo os tratamentos terapêuticos e farmacêuticos, em todos os seu níveis de complexidade, inclusive o atendimento do tipo home care. 2. A internação domiciliar tem a finalidade de oferecer tratamento mais eficiente, com menos riscos de infecções, além de proporcionar ao paciente em estado grave de saúde a proximidade com a familiar, privilegiando o princípio da dignidade da pessoa humana. 3. Não se pode negar o direito líquido e certo da impetrante à assistência médico domiciliar, conforme recomendação médica, máxime quando portadora da Síndrome de Lennox Gastaut, com comprometimento cognitivo e motor severo, atrofia muscular e hipertônica generalizada. 4. Segurança concedida." (TJRN - Mandado de Segurança n Relator Desembargador ARMANDO DA COSTA FERREIRA - Tribunal Pleno - DJE de ). CONCLUSÃO Ante o exposto, defiro liminarmente a tutela antecipada requerida pelo Ministério Público Estadual, para determinar ao MUNICÍPIO DE NATAL, por intermédio da Secretaria Municipal de Saúde, que no prazo de 90 (noventa) dias: a) providencie a coleta do material e os exames laboratoriais de baciloscopia em pelo menos 50%

5 (cinquenta por cento) das unidades de saúde de todos os distritos sanitários da cidade, assegurando com isto o diagnóstico e o acompanhamento efetivos dos casos de tuberculose; b) realize os exames de PPD (prova tuberculínica) e radiológicos (Raio-X do tórax), quando necessário, informando quais os serviços de referência para esses exames aos pacientes suspeitos de tuberculose; c) implante o serviço de atendimento à criança no controle de tuberculose no Centro Clínico Pediátrico do Alecrim, dotando-o dos equipamentos, adequações estruturais e recursos humanos necessários. Objetivando dar efetividade à decisão, aplicando as regras do art. 11 da Lei da Ação Civil Pública e do art. 461, 4 e 5 do Código de Processo Civil, arbitro multa diária no valor de R$ 1.000,00 (mil reais) pessoalmente ao administrador ou servidor que injustificadamente deixar de cumprir alguma das medidas, além da responsabilização administrativa e penal, e de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) para a pessoa jurídica de direito público (Município de Natal), a ser revertida em prol do Fundo Municipal de Saúde e destinada à solução do problema relacionado à tuberculose, notificando-se para tanto, por mandado, a Procuradoria Geral do Município e o senhor Secretário Municipal de Saúde, Thiago Barbosa Trindade. CITE-SE o demandado, na forma da lei, para que possa responder à ação no prazo legal (art. 297, c/c os arts. 188, do CPC). Se a contestação contiver preliminar ou documento novo, o autor será intimado para se manifestar em 10 (dez) dias. Cumpra-se. Publique-se. Natal (RN), 06 de setembro de Luiz Alberto Dantas Filho Juiz de Direito

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da 5ª Região Gabinete do Desembargador Federal Vladimir Souza Carvalho

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da 5ª Região Gabinete do Desembargador Federal Vladimir Souza Carvalho AGTR 95997/SE (2009.05.00.027575-4) AGRTE : UNIÃO AGRDO : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ORIGEM : 3ª Vara Federal de Sergipe (Competente p/ Execuções Penais) RELATOR : DESEMBARGADOR FEDERAL VLADIMIR SOUZA

Leia mais

Prof. Murillo Sapia Gutier

Prof. Murillo Sapia Gutier Prof. Murillo Sapia Gutier Conceito: Completo bem-estar físico, mental e espiritual; Constitucionalização do Direito à Saúde; Higidez como direito fundamental; Valor vida humana: acarreta no direito subjetivo

Leia mais

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA REGISTRADO(A) SOB N i iiiiii mil uni mil nu mil uni mil mi nu *03318229* Vistos, relatados

Leia mais

Nº 70046035176 COMARCA DE VIAMÃO

Nº 70046035176 COMARCA DE VIAMÃO APELAÇÃO CÍVEL. ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE. AÇÃO CIVIL PÚBLICA. INTERNAÇÃO COMPULSÓRIA. TRATAMENTO CONTRA DROGADIÇÃO. OBRIGAÇÃO DO PODER PÚBLICO. O Estado, em todas as suas esferas de poder,

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE ALTA FLORESTA 6ª VARA. Vistos.

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE ALTA FLORESTA 6ª VARA. Vistos. Autos n.º 3022-48.2012.811.0007. Código nº 101526. Ação de Obrigação de Fazer. Vistos. Trata-se de ação nominada Ação Cominatória de Obrigação de Fazer com pedido expresso de tutela de urgência interposta

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES DECISÃO TERMINATIVA ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES REMESSA OFICIAL E APELAÇÃO CÍVEL N 001.2011.011865-8/001-1" Vara da Fazenda Pública da Comarca

Leia mais

PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO ESTADO DE GOIÁS

PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO ESTADO DE GOIÁS 1 de 5 11/03/2014 14:58 DECISÃO SÔNIA BEATRIZ BENÍCIO ajuizou a presente AÇÃO DE OBRIGAÇÃO DE FAZER COM PEDIDO DE ANTECIPAÇÃO DE TUTELA em face de INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES

Leia mais

Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do E gito de A. D. Ferreira

Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do E gito de A. D. Ferreira AG no 200.2011.026369-2/001 1 1 Poder Judiciário do Estado da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do E gito de A. D. Ferreira DECISÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO No 200.2011.026369-2/001

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE FEIRA DE SANTANA - BA : 2007.33.04.016980-0 MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL REQUERIDOS : UNIÃO ESTADO DA BAHIA

PODER JUDICIÁRIO SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE FEIRA DE SANTANA - BA : 2007.33.04.016980-0 MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL REQUERIDOS : UNIÃO ESTADO DA BAHIA '. PODER JUDICIÁRIO SUB - BA FI: cja9 Rubrica: V AÇÃO CIVIL PÚBLICA CLASSE: 7100 PROCESSO : 2007.33.04.016980-0 : REQUERENTE MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL REQUERIDOS : UNIÃO ESTADO DA BAHIA MUNICÍPIO DE FEIRA

Leia mais

REMESSA OFICIAL n. 001.2011.009285-3/001 Campina Grande RELATOR: Aluízio Bezerra Filho, Juiz convocado em substituição ao Exmo. Des.

REMESSA OFICIAL n. 001.2011.009285-3/001 Campina Grande RELATOR: Aluízio Bezerra Filho, Juiz convocado em substituição ao Exmo. Des. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gah. Des. Genésio Gomes Pereira Filho REMESSA OFICIAL n. 001.2011.009285-3/001 Campina Grande RELATOR: Aluízio Bezerra Filho, Juiz convocado em substituição

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho AGRAVO DE INSTRUMENTO N 037.2011.000.844-0/001 RELATOR: Des. Genésio Gomes Pereira Filho. AGRAVANTE: Ministério

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 779.487 RIO DE JANEIRO RELATORA RECTE.(S) PROC.(A/S)(ES) : MIN. CÁRMEN LÚCIA :ESTADO DO RIO DE JANEIRO :PROCURADOR-GERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RECDO.(A/S) :FRANCISCO

Leia mais

SÉTIMA CÂMARA CÍVEL Nº 70046147369 COMARCA DE CAÇAPAVA DO SUL. Vistos, relatados e discutidos os autos.

SÉTIMA CÂMARA CÍVEL Nº 70046147369 COMARCA DE CAÇAPAVA DO SUL. Vistos, relatados e discutidos os autos. AGRAVO INTERNO. DECISÃO MONOCRÁTICA QUE NEGOU SEGUIMENTO AO AGRAVO DE INSTRUMENTO. ECA. DIREITO À VIDA E À SAÚDE. FORNECIMENTO DE FRALDAS DESCARTÁVEIS. SOLIDARIEDADE ENTRE OS ENTES PÚBLICOS. É dever dos

Leia mais

(PROCURADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL) Excelentíssimo Presidente do Supremo Tribunal Federal,

(PROCURADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL) Excelentíssimo Presidente do Supremo Tribunal Federal, A SRA. JANAÍNA BARBIER GONÇALVES (PROCURADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL) Excelentíssimo Presidente do Supremo Tribunal Federal, Ministro Gilmar Mendes, na pessoa de quem cumprimento as demais autoridades

Leia mais

02579887423 MI 4208 MANDADO DE INJUNÇÃO COLETIVO EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

02579887423 MI 4208 MANDADO DE INJUNÇÃO COLETIVO EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL A UNIÃO DOS ADVOGADOS PÚBLICOS FEDERAIS DO BRASIL UNAFE, pessoa jurídica de direito privado, sem fins econômicos, associação civil

Leia mais

AC no 001.2010.024808-5/001 1

AC no 001.2010.024808-5/001 1 1 Poder Judiciário da Paraíba Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves do Egito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL No 001.2010.024808-5/001 - CAMPINA GRANDE RELATOR: Juiz Marcos

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE CUIABÁ - MT VARA ESPECIALIZADA AÇÃO CIVIL PÚBLICA E AÇÃO POPULAR

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE CUIABÁ - MT VARA ESPECIALIZADA AÇÃO CIVIL PÚBLICA E AÇÃO POPULAR ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE CUIABÁ - MT VARA ESPECIALIZADA AÇÃO CIVIL PÚBLICA E AÇÃO POPULAR PROC. Nº. 33906-55.2012.811.0041 Vistos, etc. Trata-se de Ação Civil Pública de Obrigação

Leia mais

Brasília, 12 de setembro de 2000. AGRRE 271.286-8 RS DISTRIBUIÇÃO GRATUITA DE MEDICAMENTOS A PESSOAS CARENTES.

Brasília, 12 de setembro de 2000. AGRRE 271.286-8 RS DISTRIBUIÇÃO GRATUITA DE MEDICAMENTOS A PESSOAS CARENTES. )2( oãdróca atneme682172 RgA-ER 1410 que compõem, no plano institucional, a organização federativa do Estado brasileiro - não pode converter-se em promessa constitucional inconseqüente, sob pena de o Poder

Leia mais

REEXAME NECESSÁRIO - MANDADO DE SEGURANÇA - FORNECIMENTO

REEXAME NECESSÁRIO - MANDADO DE SEGURANÇA - FORNECIMENTO REEXAME NECESSÁRIO Nº 921478-6, DE UMUARAMA - 1ª VARA CÍVEL AUTOR : JOSÉ LAZARO BERNARDO RÉU : DIRETOR DA 12ª REGIONAL DE SAÚDE DE UMUARAMA E ESTADO DO PARANÁ RELATORA : DESª REGINA AFONSO PORTES REEXAME

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL DE 1ª INSTÂNCIA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARÁ 1ª VARA

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL DE 1ª INSTÂNCIA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARÁ 1ª VARA PROCESSO Nº: 2008.39.00.006479-9 CLASSE: 7.100 AÇÃO CIVIL PÚBLICA REQTE.: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL REQDO.: UNIÃO E OUTROS DECISÃO Cuida-se de ação civil pública, com pedido de antecipação de tutela,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL DE 1ª INSTÂNCIA

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL DE 1ª INSTÂNCIA DECISÃO Nº : /2013 PCTT: 90.07.00.04 PROCESSO Nº: 12980-94.2013.4.01.3200 CLASSE : 1100 AÇÃO ORDINÁRIA/TRIBUTÁRIA AUTOR : ESTADO DO AMAZONAS RÉU : CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DO AMAZONAS CRF/AM

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADOR RAIMUNDO NONATO SILVA SANTOS fls. 122 Processo: 0135890-46.2012.8.06.0001 - Apelação Apelante: Sindicato dos Guardas Municipais da Região Metrolitana de Fortaleza - SINDIGUARDAS Apelado: Município de Fortaleza Vistos etc. DECISÃO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE MATO GROSSO. 2ª Vara da Comarca de Alto Araguaia

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE MATO GROSSO. 2ª Vara da Comarca de Alto Araguaia Processo n.º: 2081156942.2013.811.0020 Código nº: 55832 Requerente: FELIPE FERREIRA DA SILVA BRITO Requerido: INSTITUTO NACIONAL DE SEGURIDADE SOCIAL INSS Vistos, Tratase de tratase de ação de prestação

Leia mais

Os argumentos expostos pela banca foram: Não cabe mandado de segurança pelas seguintes razões: 1) É inviável a postulação de perdas e danos.

Os argumentos expostos pela banca foram: Não cabe mandado de segurança pelas seguintes razões: 1) É inviável a postulação de perdas e danos. FUNDAMENTOS PARA O CABIMENTO DE MANDADO DE SEGURANÇA NA PROVA DE 2º FASE DE DIREITO CONSTITUCIONAL DO IX EXAME DA OAB. A sempre justa banca de Direito Constitucional cometeu, ao meu ver, um grande equivoco

Leia mais

Ao Presidente da Federação Nacional dos Médicos - FENAM

Ao Presidente da Federação Nacional dos Médicos - FENAM Parecer Setor Consultivo/LFBA n 015/2008 Brasília, 16 de setembro de 2008. Ao Presidente da Federação Nacional dos Médicos - FENAM M.D. Dr. Paulo de Argollo Mendes 1 - INTRODUÇÃO EMENTA: Fornecimento de

Leia mais

Fornecimento de Medicamentos: Possibilidade de Ressarcimento Requerido ao Ente Federado Designado pelas Normas do SUS

Fornecimento de Medicamentos: Possibilidade de Ressarcimento Requerido ao Ente Federado Designado pelas Normas do SUS 1 Fornecimento de Medicamentos: Possibilidade de Ressarcimento Requerido ao Ente Federado Designado pelas Normas do SUS Mariana Moreira* Este estudo pretende contribuir com os municípios visando à obtenção

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal )1( oãdróca atneme892 RgA-teP Diário da Justiça de 06/11/2006 26/09/2006 SEGUNDA TURMA RELATOR AGRAVANTE(S) AGRAVADO(A/S) : MIN. GILMAR MENDES : BRUNO DINIZ ANTONINI : RELATOR DO HC Nº 20906 DO SUPERIOR

Leia mais

Trabalho de Conclusão do Curso de Direito Sanitário

Trabalho de Conclusão do Curso de Direito Sanitário 201 Trabalho de Conclusão do Curso de Direito Sanitário Débora Maria Barbosa Sarmento 1 Apesar de o homem desde a Antiguidade reconhecer a importância da saúde, o Estado Moderno, na consagração das declarações

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO SENTENÇA. Dispensado, nos termos do art. 38 da Lei n 9.099/95, aplicado ao caso por força do art. 1 da Lei n 10.259/2001.

PODER JUDICIÁRIO SENTENÇA. Dispensado, nos termos do art. 38 da Lei n 9.099/95, aplicado ao caso por força do art. 1 da Lei n 10.259/2001. PODER JUDICIÁRIO INFORMACÕES SOBRE ESTE DOCUMENTO NUM. 17 Nr. do Processo 0524841-19.2013.4.05.8100S Autor Data da Inclusão 26/02/201416:49:41 Réu MARTHA REJANE MELO SILVA (Servidora da 13ª Última alteração

Leia mais

tf) - PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAIBA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS

tf) - PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAIBA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS tf) - PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAIBA GABINETE DO DES. MÁRCIO MURILO DA CUNHA RAMOS AGRAVO DE INSTRUMENTO N 200.2011.007112-9/001 8" Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital. RELATOR:

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS. Vistos, etc.

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS. Vistos, etc. 'a?/) ool -l botr4 PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GAB. DES. ABRAHAM LINCOLN DA CUNHA RAMOS IMPETRANTE ADVOGADOS IMPETRADO MANDADO DIE RELATO!' SEGURANÇA N 200.2008.024236-1/002 : Dr. Alexandre

Leia mais

URGENTE: Tutela de SAÚDE Prescrição de FOSFOETANOLAMINA SINTÉTICA por médica do SUS ÚNICA CHANCE DE SOBREVIVÊNCIA DA AUTORA

URGENTE: Tutela de SAÚDE Prescrição de FOSFOETANOLAMINA SINTÉTICA por médica do SUS ÚNICA CHANCE DE SOBREVIVÊNCIA DA AUTORA EXCELENTÍSSIMO (A) SENHOR(A) JUIZ(ÍZA) FEDERAL DA VARA FEDERAL DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL URGENTE: Tutela de SAÚDE Prescrição de FOSFOETANOLAMINA SINTÉTICA por médica do SUS ÚNICA CHANCE DE

Leia mais

Precedentes jurisdicionais deste Tribunal e do STJ.

Precedentes jurisdicionais deste Tribunal e do STJ. DECISÃO MONOCRÁTICA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA APELAÇÃO CÍVEL N 200.2011.017155-6/001 ORIGEM : 6' Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 1.375.078 - MT (2010/0221460-4) RELATOR AGRAVANTE PROCURADOR AGRAVADO ADVOGADO : MINISTRO LUIZ FUX : ESTADO DE MATO GROSSO : ULINDINEI ARAÚJO BARBOSA E OUTRO(S) : CERÂMICA NOVA

Leia mais

COBERTURA OBRIGATÓRIA PELOS PLANOS DE SAÚDE NOS CASOS DE EMERGÊNCIA, URGÊNCIA E PLANEJAMENTO FAMILIAR

COBERTURA OBRIGATÓRIA PELOS PLANOS DE SAÚDE NOS CASOS DE EMERGÊNCIA, URGÊNCIA E PLANEJAMENTO FAMILIAR Portal Unieducar www.unieducar.org.br e-learning Seminário de Biodireito COBERTURA OBRIGATÓRIA PELOS PLANOS DE SAÚDE NOS CASOS DE EMERGÊNCIA, URGÊNCIA E PLANEJAMENTO FAMILIAR Thales Pontes Batista Advogado,

Leia mais

O DIREITO À SAÚDE. Prof. Msc. Danilo César Siviero Ripoli

O DIREITO À SAÚDE. Prof. Msc. Danilo César Siviero Ripoli O DIREITO À SAÚDE Prof. Msc. Danilo César Siviero Ripoli Previsão : Arts. 196 à 200 da CF. Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que

Leia mais

Afirmando fazer jus ao re 1 bi dos medicamentos pleiteados, requereu a

Afirmando fazer jus ao re 1 bi dos medicamentos pleiteados, requereu a PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA DECISÃO MONOCRÁTICA RECURSO OFICIAL E APELAÇÃO CÍVEL N 001.2011.021744-3/001. ORIGEM : Vara da Fazenda

Leia mais

Tal matéria é expressa pela Constituição Federal em seu art. 8º, IV:

Tal matéria é expressa pela Constituição Federal em seu art. 8º, IV: Parecer sobre Imposto Sindical A contribuição sindical, também denominada imposto sindical, é espécie de contribuição compulsória devida aos sindicatos, federações e confederações para sustentação econômica

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENEVIDES DECISÃO TERMINATIVA

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENEVIDES DECISÃO TERMINATIVA ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENEVIDES DECISÃO TERMINATIVA Remessa Oficial e Apelação Cível n 00(2009.020466-81001 - r Vara da Fazenda Pública de Campina

Leia mais

Poder Judiciário. Estado do Rio de Janeiro Décima Nona Câmara Cível

Poder Judiciário. Estado do Rio de Janeiro Décima Nona Câmara Cível Agravo Nº: 0016500-54.2014.8.19.0000 Agravante: JAQUELINE MOREIRA DA COSTA Agravado: INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE RESENDE RJ - RESENPREVI Juízo de origem: 1ª Vara Cível

Leia mais

Excelentíssimo{a) Senhor(a) Doutor(a) Juiz(a) de Direito do Juizado Especial da Fazenda Pública da Comarca de -MG * '

Excelentíssimo{a) Senhor(a) Doutor(a) Juiz(a) de Direito do Juizado Especial da Fazenda Pública da Comarca de -MG * ' Excelentíssimo{a) Senhor(a) Doutor(a) Juiz(a) de Direito do Juizado Especial da Fazenda Pública da Comarca de -MG OBJETO: ( ) INSUMO DE INTERESSE PARA A SAÚDE HUMANA (exceto cirurgia e transporte) ( )

Leia mais

Assim, em sede de cognição sumária e atendendo apenas ao aspecto da plausibilidade da tese defendida pela Impetrante, aliada aos fatos

Assim, em sede de cognição sumária e atendendo apenas ao aspecto da plausibilidade da tese defendida pela Impetrante, aliada aos fatos JUSTIÇA FEDERAL 72 27ª VARA FEDERAL DO RIO DE JANEIRO PROCESSO nº 0124428-31.2013.4.02.5101 (2013.51.01.124428-1) AUTOR: SINDICATO DAS EMPRESAS DE ENGENHARIA DE MONTAGEM INDUSTRIAL - SINDEMON e seus membros

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL O Estado KWY editou norma determinando a gratuidade dos estacionamentos privados vinculados a estabelecimentos comerciais, como supermercados, hipermercados, shopping

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE 10ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE NATAL

PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE 10ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE NATAL \d \w1215 \h1110 FINCLUDEPICTURE "brasoes\\15.bmp" MERGEFORMAT PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE 10ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE NATAL Processo n. 001.08.020297-8 Ação: Ação Civil Pública Autor: Ministério

Leia mais

Procedimento Administrativo IV 1.30.001.005532/2011-08 RECOMENDAÇÃO MPF/PRRJ/GAB/AMLC N 01/2012

Procedimento Administrativo IV 1.30.001.005532/2011-08 RECOMENDAÇÃO MPF/PRRJ/GAB/AMLC N 01/2012 Procedimento Administrativo IV 1.30.001.005532/2011-08 RECOMENDAÇÃO MPF/PRRJ/GAB/AMLC N 01/2012 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pelos Procuradores da República abaixo firmados, no uso de suas atribuições

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba Gabinete do Desembargador José Ricardo Porto DECISÃO MONOCRÁTICA AGRAVO DE INSTRUMENTO N 200.2011.047193-1/001 Capital. itelator : Desembargador

Leia mais

MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR

MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR MED. CAUT. EM AÇÃO CAUTELAR 1.406-9 SÃO PAULO RELATOR : MIN. GILMAR MENDES REQUERENTE(S) : PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA REQUERIDO(A/S) : UNIÃO ADVOGADO(A/S) : ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO REQUERIDO(A/S) :

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENE VIDES DECISÃO TERMINATIVA Agravo de Instrumento 200.2011.026679-4/001 2 1' Vara Civel da Capital. Relator : Des. Saulo Henriciues

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.190.426 - SP (2010/0068750-3) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO HUMBERTO MARTINS : MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA : JOÃO FERNANDO ALVES

Leia mais

A EFETIVIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA PROTEÇÃO AMBIENTAL

A EFETIVIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA PROTEÇÃO AMBIENTAL A EFETIVIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA PROTEÇÃO AMBIENTAL FERNANDO REVERENDO VIDAL AKAOUI XIV Congresso Brasileiro do Ministério Público de Meio Ambiente - ABRAMPA RESPONSABILIDADE DO ESTADO PELA PROTEÇÃO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL. Autor: Ministério Público do Estado de São Paulo. Réu: Vivo S/a, Claro S/A, Tim Celular S/A e TNL PCS S/A

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL. Autor: Ministério Público do Estado de São Paulo. Réu: Vivo S/a, Claro S/A, Tim Celular S/A e TNL PCS S/A Registro nº /2013 Processo nº 0009617-48.2012.403.6109 Autor: Ministério Público do Estado de São Paulo Réu: Vivo S/a, Claro S/A, Tim Celular S/A e TNL PCS S/A DECISÃO Cuida-se de ação civil pública ajuizada

Leia mais

SÚMULAS E JURISPRUDÊNCIAS COMENTADAS Disciplina: Direito Administrativo Prof.: Fabrício Bolzan Data: 25.05.2010 Aula 02 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

SÚMULAS E JURISPRUDÊNCIAS COMENTADAS Disciplina: Direito Administrativo Prof.: Fabrício Bolzan Data: 25.05.2010 Aula 02 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR SÚMULAS E JURISPRUDÊNCIAS COMENTADAS Disciplina: Direito Administrativo Prof.: Fabrício Bolzan Data: 25.05.2010 Aula 02 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Dispensa imotivada de servidor público em estágio probatório

Leia mais

PARECER 02/0650/2015 MANDADO DE SEGURANÇA N. 383598-59.2014.8.09.0000 (201493835980) GOVERNADOR DO ESTADO DE GOIÁS

PARECER 02/0650/2015 MANDADO DE SEGURANÇA N. 383598-59.2014.8.09.0000 (201493835980) GOVERNADOR DO ESTADO DE GOIÁS PARECER 02/0650/2015 MANDADO DE SEGURANÇA N. 383598-59.2014.8.09.0000 (201493835980) COMARCA IMPETRANTE IMPETRADO ÓRGÃO JULGADOR DESEMBARGADOR RELATOR SUBPROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA PARA ASSUNTOS JURÍDICOS

Leia mais

Princípio da Máxima Efetividade da Norma Constitucional e o Direito à Saúde. Randolpho Martino Júnior

Princípio da Máxima Efetividade da Norma Constitucional e o Direito à Saúde. Randolpho Martino Júnior Princípio da Máxima Efetividade da Norma Constitucional e o Direito à Saúde Randolpho Martino Júnior 1. Histórico do Direito à Saúde 2. O Direito à Saúde na Constituição Federal 3. O Princípio da Máxima

Leia mais

PROCESSO Nº: 0800340-07.2015.4.05.0000 - AGRAVO DE INSTRUMENTO RELATÓRIO

PROCESSO Nº: 0800340-07.2015.4.05.0000 - AGRAVO DE INSTRUMENTO RELATÓRIO RELATÓRIO O DESEMBARGADOR FEDERAL ÉLIO SIQUEIRA (RELATOR CONVOCADO): Agravo de Instrumento manejado em face da decisão que deferiu o pedido de antecipação dos efeitos de tutela, determinando que a União

Leia mais

PRETO. IC. 155/00 Prot. 426/00 Prot. 594.2.383.8/01

PRETO. IC. 155/00 Prot. 426/00 Prot. 594.2.383.8/01 EXMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA PRETO. VARA CÍVEL DE RIBEIRÃO IC. 155/00 Prot. 426/00 Prot. 594.2.383.8/01 O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO, representado pelo Promotor de Justiça da Pessoa

Leia mais

DECISÃO. Relatório. 2. A decisão impugnada tem o teor seguinte:

DECISÃO. Relatório. 2. A decisão impugnada tem o teor seguinte: DECISÃO RECLAMAÇÃO. CONSTITUCIONAL. ALEGADO DESCUMPRIMENTO DA SÚMULA VINCULANTE N. 10 DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL. RECLAMAÇÃO PROCEDENTE. Relatório 1. Reclamação, com pedido de antecipação de tutela, ajuizada

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO. NONA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0047746-68.2014.8.19.0000 Desembargador GILBERTO DUTRA MOREIRA

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO. NONA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0047746-68.2014.8.19.0000 Desembargador GILBERTO DUTRA MOREIRA 1 Agravo de instrumento. Mandado de segurança. Suspensão de exigibilidade de tributo. ICMS. Desembaraço aduaneiro. Contrato de afretamento de embarcação em regime de admissão temporária. REPETRO. Decisão

Leia mais

OS DIREITOS DAS PESSOAS PORTADORAS DE DIABETES MELITUS TIPO I - PREVISÃO LEGAL E CONSTITUCIONAL

OS DIREITOS DAS PESSOAS PORTADORAS DE DIABETES MELITUS TIPO I - PREVISÃO LEGAL E CONSTITUCIONAL OS DIREITOS DAS PESSOAS PORTADORAS DE DIABETES MELITUS TIPO I - PREVISÃO LEGAL E CONSTITUCIONAL Ana Carolina Stefanes Antunes Prof. Gassen Zaki Gebara RESUMO: Os portadores de diabetes tipo I enfrentam

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 781.703 - RS (2005/0152790-8) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO ARNALDO ESTEVES LIMA : UNIÃO : MARCOS ROBERTO SILVA DE ALMEIDA E OUTROS : WALDEMAR MARQUES E OUTRO EMENTA

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVI EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVI EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Edir, pessoa idosa que vive com a ajuda de parentes e amigos, é portadora de grave doença degenerativa, cujo tratamento consta de protocolo clínico e da diretriz

Leia mais

Egrégio Tribunal de Justiça. Colenda Câmara Especial. Eminentes Desembargadores

Egrégio Tribunal de Justiça. Colenda Câmara Especial. Eminentes Desembargadores This is the html version of the file http://www.mp.sp.gov.br/pls/portal/url/item/3f48aca7833481cee040a8c02c017ee8. Google automatically generates html versions of documents as we crawl the web. APELAÇÃO

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - CARLOS SIMÕES FONSECA 11 de dezembro de 2012

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - CARLOS SIMÕES FONSECA 11 de dezembro de 2012 ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DESEMB - CARLOS SIMÕES FONSECA 11 de dezembro de 2012 AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0902402-16.2012.8.08.0000 (048129002084) - SERRA - 4ª VARA

Leia mais

Desembargador SEBASTIÃO COELHO Acórdão Nº 732.640 E M E N T A

Desembargador SEBASTIÃO COELHO Acórdão Nº 732.640 E M E N T A Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Órgão 5ª Turma Cível Processo N. Agravo de Instrumento 20130020148016AGI Agravante(s) SINDICATO DOS ODONTOLOGISTAS DO

Leia mais

PROJETO DE LEI N o, DE 2012 (Do Sr. Romero Rodrigues) O Congresso Nacional decreta:

PROJETO DE LEI N o, DE 2012 (Do Sr. Romero Rodrigues) O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI N o, DE 2012 (Do Sr. Romero Rodrigues) Permite ao terceiro prejudicado intentar ação diretamente contra o segurador. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta Lei faculta ao terceiro prejudicado

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 32.400 - MT (2010/0112028-8) RELATOR : MINISTRO HUMBERTO MARTINS RECORRENTE : HELOISA MARIA MARTINS PEIXOTO ADVOGADO : MARIO MARCIO DE OLIVEIRA RIBEIRO RECORRIDO : DULCINÉIA

Leia mais

Desembaraço aduaneiro, fraude praticada por terceiros e pena de perdimento, análise de uma situação concreta

Desembaraço aduaneiro, fraude praticada por terceiros e pena de perdimento, análise de uma situação concreta Desembaraço aduaneiro, fraude praticada por terceiros e pena de perdimento, análise de uma situação concreta Por Tácio Lacerda Gama Doutor em Direito pela PUC/SP Um caso concreto A União Federal move ação

Leia mais

R E L A T Ó R I O. O Desembargador Federal JOSÉ MARIA LUCENA (Relator):

R E L A T Ó R I O. O Desembargador Federal JOSÉ MARIA LUCENA (Relator): PROCESSO Nº: 0801387-70.2014.4.05.8400 - APELAÇÃO APELADO: MIGUEL PAULO DO NASCIMENTO R E L A T Ó R I O O Desembargador Federal JOSÉ MARIA LUCENA (Relator): Trata-se de apelações e remessa obrigatória

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal MANDADO DE SEGURANÇA 32.833 DISTRITO FEDERAL RELATOR IMPTE.(S) ADV.(A/S) IMPDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. ROBERTO BARROSO :CARLOS RODRIGUES COSTA :LUZIA DO CARMO SOUZA :PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE CONTAS DA

Leia mais

Réu: Movimento dos Trabalhadores Sem Terra - MST. MM. Juiz: com pedido liminar, proposta por Carlos Alberto Macedo Barboza, em

Réu: Movimento dos Trabalhadores Sem Terra - MST. MM. Juiz: com pedido liminar, proposta por Carlos Alberto Macedo Barboza, em Autos nº 0006940-19.2014.8.16.0147 Ação de Reintegração de Posse Vara Cível da Comarca de Rio Branco do Sul/PR Autor: Carlos Alberto Macedo Barboza Réu: Movimento dos Trabalhadores Sem Terra - MST Parecer

Leia mais

Universidade de Brasília (UnB) Faculdade de Direito (FD) Teoria Geral do Processo 2 Turma: A. Professor: Vallisney de Souza Oliveira

Universidade de Brasília (UnB) Faculdade de Direito (FD) Teoria Geral do Processo 2 Turma: A. Professor: Vallisney de Souza Oliveira Universidade de Brasília (UnB) Faculdade de Direito (FD) Teoria Geral do Processo 2 Turma: A Professor: Vallisney de Souza Oliveira Comentários sobre o Princípio da Lealdade Processual em Acórdão do STF

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa

ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa Agravo de Instrumento n 2 073.2012.001287-4 /001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa Agravante: Marina Jacaré Clube Advogado:

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO RELATÓRIO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO RELATÓRIO 8 0 1 0 PODER JUDICIÁRIO RELATÓRIO Trata-se de apelação interposta por RONILSON DE ASSIS FERRARI contra sentença que julgou improcedente o pedido em ação ordinária objetivando a condenação da União ao

Leia mais

02/10/2014 PLENÁRIO :WASHINGTON LUIS SILVA PLÁCIDO

02/10/2014 PLENÁRIO :WASHINGTON LUIS SILVA PLÁCIDO Decisão sobre Repercussão Geral Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 14 02/10/2014 PLENÁRIO REPERCUSSÃO GERAL NO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 823.347 MARANHÃO RELATOR : MIN. GILMAR MENDES RECTE.(S)

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO SEÇÃO JUDICIÁRIA DO DISTRITO FEDERAL PROCESSO N. : 14751-89.2012.4.01.3400 AÇÃO ORDINÁRIA/SERVIÇOS PÚBLICOS CLASSE 1300 AUTOR (A): ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ESPECIALISTAS EM POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO GOVERNAMENTAL RÉ: UNIÃO SENTENÇA TIPO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 31.648 - MT (2010/0037619-1) RELATOR RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO PROCURADOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES : AMAGGI EXPORTAÇÃO E IMPORTAÇÃO LTDA : EUCLIDES RIBEIRO

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 1.218.980 - RS (2009/0152036-0) RELATOR : MINISTRO CASTRO MEIRA EMENTA PROCESSUAL CIVIL E ADMINISTRATIVO. AÇÃO CIVIL PÚBLICA. AGRAVO REGIMENTAL. VIOLAÇÃO DO ART. 535, INCISO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0052654-08.2013.8.19.0000 Agravante: Município de Armação de Búzios Agravado: Lidiany da Silva Mello

Leia mais

Estado da Paraíba Poder Judiciário Gab. do Des. Abraham Lincoln da Cunha Ramos

Estado da Paraíba Poder Judiciário Gab. do Des. Abraham Lincoln da Cunha Ramos Estado da Paraíba Poder Judiciário Gab. do Des. Abraham Lincoln da Cunha Ramos AGRAVO DE INSTRUMENTO n. 200.2008.032.013-4/001 RELATOR AGIWANTIE PROCURADOR(À) AGIUVADO DEFENSORPÚBUCA : Dr. Alexandre Targino

Leia mais

Athayde Filho e outros) Vistos etc.

Athayde Filho e outros) Vistos etc. ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa DECISÃO MONOCRÁTICA APELAÇÃO CÍVEL N2 107.2009.000348-7/001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa Apelante: Município de Lagoa

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO 1ª CÂMARA

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO 1ª CÂMARA Objeto: Aposentadoria Relator: Auditor Renato Sérgio Santiago Melo Responsáveis: Vanderlei Medeiros de Oliveira e outra Interessada: Railda Neri Lira EMENTA: PODER EXECUTIVO MUNICIPAL ADMINISTRAÇÃO INDIRETA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE MATO GROSSO 2º VARA DA COMARCA DE PEIXOTO DE AZEVEDO

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE MATO GROSSO 2º VARA DA COMARCA DE PEIXOTO DE AZEVEDO Autos nº. 2655-49/2007 (CÓD. 33559) Autor MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL Réu MUNICÍPIO DE PEIXOTO DE AZEVEDO Ação de OBRIGAÇÃO DE FAZER 1. RELATÓRIO Vistos etc., Trata-se de ação de obrigação de fazer para

Leia mais

Estado da Paraíba Poder Judiciário Tribunal de Justiça

Estado da Paraíba Poder Judiciário Tribunal de Justiça Estado da Paraíba Poder Judiciário Tribunal de Justiça DECISÃO APELAÇÃO CÍVEL N 200.2001.026206-7/001 CAPITAL RELATOR: Miguel de Britto Lyra filho, Juiz de Direito Convocado, APELANTE: Maria Betânia de

Leia mais

1. Síntese do processado

1. Síntese do processado EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA COMARCA DE SEARA O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA, por seu Promotor de Justiça Substituto em exercício nesta Comarca, apresenta IMPUGNAÇÃO À CONTESTAÇÃO

Leia mais

CONHEÇA A VERDADE SOBRE A EC 50

CONHEÇA A VERDADE SOBRE A EC 50 CONHEÇA A VERDADE SOBRE A Porque os interesses de Goiás e do povo goiano estão acima de interesses pessoais e corporativistas. O que é a /2014? É uma Emenda Constitucional, que disciplina a representação

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal CONFLITO DE COMPETÊNCIA 7.572 DISTRITO FEDERAL RELATORA SUSTE.(S) ADV.(A/S) : MIN. ROSA WEBER :VASP - VIAÇÃO AÉREA SÃO PAULO S/A :MARCUS VINÍCIUS DE ALMEIDA RAMOS :SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA (RECLAMAÇÃO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO ACRE 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Rio Branco. Decisão

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO ACRE 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Rio Branco. Decisão fls. 1 Autos n.º 0708777-72.2013.8.01.0001 Classe Ação Civil Pública Autor Defensoria Pública do Estado do Acre Réu Estado do Acre Decisão Trata-se de Ação Civil Pública, com pedido de tutela antecipada,

Leia mais

Aspectos do Fornecimento de Medicamentos de Alto Custo na Via Judicial. Evandro Régis Eckel Procurador do Estado de Santa Catarina

Aspectos do Fornecimento de Medicamentos de Alto Custo na Via Judicial. Evandro Régis Eckel Procurador do Estado de Santa Catarina Aspectos do Fornecimento de Medicamentos de Alto Custo na Via Judicial Evandro Régis Eckel Procurador do Estado de Santa Catarina SAÚDE COMO DIREITO DE TODOS E DEVER DO ESTADO ART. 196 CF/88 Norma programática

Leia mais

TRANSFUSÃO DE SANGUE CRENÇAS RELIGIOSAS

TRANSFUSÃO DE SANGUE CRENÇAS RELIGIOSAS TRANSFUSÃO DE SANGUE CRENÇAS RELIGIOSAS Banco do Conhecimento/ Jurisprudência/ Pesquisa Selecionada/ Direito Constitucional Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro 0018847-70.2008.8.19.0000 (2008.002.18677)

Leia mais

Sentença Tipo A MANDADO DE SEGURANÇA INDIVIDUAL Impetrante: GUSTAVO BARBOSA DE MIRANDA Impetrado: DELEGADO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM GOIÂNIA/GO

Sentença Tipo A MANDADO DE SEGURANÇA INDIVIDUAL Impetrante: GUSTAVO BARBOSA DE MIRANDA Impetrado: DELEGADO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM GOIÂNIA/GO Sentença Tipo A MANDADO DE SEGURANÇA INDIVIDUAL Impetrante: GUSTAVO BARBOSA DE MIRANDA Impetrado: DELEGADO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL EM GOIÂNIA/GO SENTENÇA Cuida-se de mandado de segurança impetrado

Leia mais

Ementas legitimidade MP

Ementas legitimidade MP s legitimidade MP Processo REsp 701708 / RS ; RECURSO ESPECIAL 2004/0161474-4 Relator(a) Ministro FRANCISCO FALCÃO (1116) Data do Julgamento 14/02/2006 Data da Publicação/Fonte DJ 06.03.2006 p. 195. PROCESSUAL

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça MANDADO DE SEGURANÇA Nº 10.818 - DF (2005/0116531-1) RELATOR : MINISTRO ERICSON MARANHO (DESEMBARGADOR CONVOCADO DO TJ/SP) IMPETRANTE : ADELINO SIMÕES JORGE ADVOGADO : ANNA ANDRÉA SIMÕES JORGE IMPETRADO

Leia mais

INSTRUMENTO 1.362.116-6, DA 4.ª VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA AGRAVANTE

INSTRUMENTO 1.362.116-6, DA 4.ª VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA AGRAVANTE AGRAVO DE INSTRUMENTO 1.362.116-6, DA 4.ª VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA AGRAVANTE: GOOGLE BRASIL INTERNET LTDA. AGRAVADO: ADILAR MARCELO DE LIMA RELATOR ORIGINÁRIO:

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Tutela antecipada e suspensão da exigibildade do crédito tributário Eduardo Munhoz da Cunha* Sumário:1. Introdução. 2. A possibilidade de concessão de tutela antecipada contra a

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO EM MANDADO DE SEGURANÇA Nº 26.044 - MS (2008/0000154-1) RELATORA RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO PROCURADOR : MINISTRA MARIA THEREZA DE ASSIS MOURA : MÁRCIA ARAÚJO LIMA : IGOR NAVARRO RODRIGUES CLAURE

Leia mais

(ambas sem procuração).

(ambas sem procuração). ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa AGRAVO DE INSTRUMENTO N. 001.2009.006097-9 / 001 Relator: Des. José Di Lorenzo Serpa. Agravante: Itatj Seguros S/A. Advogado:

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2011.0000155492 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Agravo de Instrumento nº 0065389-49.2011.8.26.0000, da Comarca de Santa Branca,

Leia mais

Nº 108771/2015 ASJCIV/SAJ/PGR

Nº 108771/2015 ASJCIV/SAJ/PGR Nº 108771/2015 ASJCIV/SAJ/PGR Relatora: Ministra Rosa Weber Impetrante: Airton Galvão Impetrados: Presidente da República e outros MANDADO DE INJUNÇÃO. APOSENTADORIA ESPE- CIAL. SERVIDOR PÚBLICO COM DEFICIÊNCIA.

Leia mais

HIDROCEFALIA. LAUDO MÉDICO QUE COMPROVA A NECESSIDADE DO PROCEDIMENTO. DECISÃO DETERMINA A REALIZAÇÃO, SOB PENA DE MULTA

HIDROCEFALIA. LAUDO MÉDICO QUE COMPROVA A NECESSIDADE DO PROCEDIMENTO. DECISÃO DETERMINA A REALIZAÇÃO, SOB PENA DE MULTA DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0022741-44.2014.8.19.0000 AGRAVANTE: MUNICÍPIO DE ARRAIAL DO CABO AGRAVADO: BRYAN RODRIGUES ALVES PINTO REP/S/MÃE NATALY RODRIGUES ALVES DES. RELATOR:

Leia mais