ANNA CHRISTINA ULLRICH BECK

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANNA CHRISTINA ULLRICH BECK"

Transcrição

1 ANNA CHRISTINA ULLRICH BECK ANÁLISE DOS ASPECTOS ERGONÔMICOS QUE ENVOLVEM A ATIVIDADE PROFISSSIONAL DE CAMAREIRA, AUXILIAR DE COZINHA E COZINHEIRA NO HOTEL JARDIM EUROPA EM IJUÍ - RS Produção técnico-científica apresentada como requisito parcial para a obtenção do título de Bacharel em Turismo e Hotelaria, na Universidade do Vale do Itajaí, Centro de Ciências Sociais Aplicadas Comunicação, Turismo e Lazer, Campus Balneário Camboriú. Orientadora: Profª Célia Denise Uller, MSc Balneário Camboriú - SC 2008

2 UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ Curso de Turismo e Hotelaria José Roberto Provesi Reitor Mário César dos Santos Vice-Reitor Valdir Cechinel Filho Pró-Reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão Amândia Maria de Borba Pró-Reitora de Ensino Mércio Jacobsen Secretário Executivo Carlos Alberto Tomelin Diretor do Centro de Ciências Sociais Aplicadas- Comunicação, Turismo e Lazer Sílvia Regina Cabral Coordenadora do Curso de Turismo e Hotelaria Arno Minella Responsável de Estágio

3 ANNA CHRISTINA ULLRICH BECK Análise dos Aspectos Ergonômicos que envolvem a atividade profissional de Camareira, Auxiliar de Cozinha e Cozinheira no Hotel Jardim Europa em Ijuí-RS. Esta Produção Técnico-Científica foi julgada adequada para obtenção do título de Bacharel em Turismo e Hotelaria e aprovada pelo Curso de Turismo e Hotelaria da Universidade do Vale do Itajaí UNIVALI, Centro de Ciências Sociais Aplicadas: Comunicação, Turismo e Lazer. Área de Concentração: Ciências Sociais Aplicadas Sub-Área: Turismo e Hotelaria Balneário Camboriú, 03 de julho de Prof a MSc Célia Denise Uller UNIVALI Balneário Camboriú Orientadora Prof a MSc Sílvia Regina Cabral UNIVALI Balneário Camboriú Membro Prof a MSc Mirian Terezinha Pinheiro UNIVALI Balneário Camboriú Membro Prof a Dra Regina Célia Linhares Hostins UNIVALI Balneário Camboriú Membro

4 AGRADECIMENTOS Agradeço principalmente à minha Família, Derli, Eliane e Annelise, pela oportunidade de estudar e constante incentivo. Às Famílias Ullrich e Fengler que tão bem me receberam durante o Estágio. À Família Bernardinis, que tantas vezes me levou no aeroporto, me buscou na rodoviária, me ajudou com as malas... E também a todos os amigos que compartilharam das minhas alegrias e ansiedades durante esses cinco anos. Muito Obrigada!

5 LISTA DE GRÁFICOS Gráfico 01: Função desempenhada no Hotel Jardim Europa... Gráfico 02: Tempo que desempenha a função no Hotel Jardim Europa... Gráfico 03: Faixa etária das profissionais que desempenham as funções estudadas... Gráfico 04: Grau de escolaridade... Gráfico 05: Distância de casa até o Hotel Jardim Europa... Gráfico 06: Deslocamento de casa até o Hotel Jardim Europa... Gráfico 07: Tempo de deslocamento de casa até o Hotel Jardim Europa... Gráfico 08: Jornada de trabalho... Gráfico 09: Sensação física após um dia de trabalho... Gráfico 10: Parte do corpo onde sente maior desconforto... Gráfico 11: Atenção à postura durante o trabalho... Gráfico 12: EPI Equipamentos de Proteção Individual que Hotel fornece... Gráfico 13: EPI Equipamentos de Proteção Individual que realmente usa... Gráfico 14: Sentimento com relação à vida pessoal e profissional... Gráfico 15: Desejo de benefícios oferecidos pela empresa

6 LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura 01: Limpeza pesada do exaustor Figura 02: Limpeza pesada do exaustor Figura 03: Limpeza pesada da fritadeira grande Figura 04: Limpeza pesada da fritadeira grande Figura 05: Transporte de louça limpa Figura 06: Transporte do óleo utilizado na fritadeira grande Figura 07: Transporte de lixo Figura 08: Transporte de óleo vegetal com carrinho auxiliar Figura 09: Trabalho na bancada Cozinha Figura 10: Trabalho na bancada Cozinha Figura 11: Higienização louça café da manhã Copa de Higienização de Louças Figura 12: Higienização louça café da manhã Copa de Higienização de Louças Figura 13: Limpeza prateleiras Copa Figura 14: Troca de lixo Figura 15: Limpeza diária do piso da Cozinha Figura 16: Transporte de roupa suja Figura 17: Transporte de roupa suja Figura 18: Transporte de carrinho Figura 19: Limpeza leve do mini-bar Figura 20: Higienização do box do banheiro Figura 21: Arrumação da cama UH Semi-luxo Figura 22: Arrumação da cama UH Semi-luxo Figura 23: Limpeza de vidros Figura 24: Limpeza do filtro do condicionador de ar... 68

7 RESUMO O presente estudo, intitulado Análise dos Aspectos Ergonômicos que envolvem a atividade profissional de Camareira, Auxiliar de Cozinha e Cozinheira no Hotel Jardim Europa em Ijuí-RS, trata-se de um Relatório de Pesquisa elaborado a partir dos aspectos positivos e limitantes observados no empreendimento, em especial nos setores de governança e alimentos e bebidas, durante a prática de Estágio Supervisionado. Os objetivos propostos visavam levantar conceitos teóricos sobre Ergonomia, identificar os principais Aspectos Ergonômicos que envolvem as funções citadas anteriormente e propor formas de melhoria na qualidade de vida das funcionárias. A pesquisa, aplicada durante o mês de fevereiro de 2008, tem caráter teórico-empírico e abordagem quali-quantitativa, o que possibilitou uma investigação abrangente. A partir desta, verificou-se que os Aspectos Ergonômicos no Hotel Jardim Europa são favoráveis, no que tange à adequação das condições de trabalho às capacidades e realidades do trabalhador. Sugere-se, apenas, um programa de orientação ergonômica que esclareça sobre questões relacionadas à saúde da mulher, segurança no trabalho e qualidade de vida. Palavras-chave: Aspectos Ergonômicos; Camareira; Auxiliar de Cozinha; Cozinheira.

8 SUMÁRIO PARTE I PRODUÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA DE ESTÁGIO 1 INTRODUÇÃO... 2 OBJETIVOS Objetivo Geral Objetivos Específicos... 3 ASPECTOS METODOLÓGICOS... 4 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA... 5 ANÁLISE DOS RESULTADOS Análise dos Registros Fotográficos Atividade Profissional de Auxiliar de Cozinha e Cozinheira Atividade Profissional de Camareira... 6 CONSIDERAÇÕES FINAIS... REFERÊNCIAS... APÊNDICES... Apêndice A Questionário de Pesquisa... Apêndice B Termo de Consentimento Livre e Esclarecido... Apêndice C Roteiro de Entrevista com Gerente Geral

9 PARTE I PRODUÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA DE ESTÁGIO

10 1 INTRODUÇÃO A profissionalização da atividade turística e a valorização do trabalhador como ser humano apresentam-se como de suma importância para qualificação dos serviços, em especial no setor de hotelaria, onde pessoas servem pessoas. A abordagem sobre os aspectos ergonômicos que envolvem as funções operacionais de um hotel demonstra a preocupação com a busca da qualidade de vida do trabalhador o que reflete diretamente na qualidade do serviço prestado ao cliente e ao hóspede. O Hotel Jardim Europa localiza-se na região noroeste do Estado do Rio Grande do Sul no município de Ijuí-RS. É uma empresa de pequeno porte (67 UH s) e classifica-se como hotel de lazer durante a temporada de verão, entre os meses de dezembro a fevereiro, e de negócios, atendendo também a eventos, durante os demais meses do ano. A administração é familiar e como o hotel atua no mercado há 25 anos está em busca de um processo de inovação, através da abertura de novas unidades habitacionais e da contratação de pessoal especializado para as funções de atendimento. Já para as funções operacionais, a política de contratação do setor de Recursos Humanos é a de dar preferência aos profissionais que residem próximo ao Hotel, contribuindo para o desenvolvimento das localidades do entorno. Diante desse cenário, foi observado durante o Estágio Supervisionado que o afastamento do trabalho por motivo de saúde era freqüente entre as pessoas que desempenhavam a função de Camareira, Auxiliar de Cozinha e Cozinheira no Hotel Jardim Europa. Percebeu-se, assim, a importância de desenvolver um Relatório de Pesquisa que permitisse propor formas de melhoria na qualidade de vida dos funcionários. Para tal foram analisados os aspectos ergonômicos que envolvem a atividade profissional de Camareira, Auxiliar de Cozinha e Cozinheira no Hotel Jardim Europa, considerando-se que Ergonomia é o estudo da adaptação do trabalho ao homem, não se referindo somente ao ambiente físico, mas também aos aspectos organizacionais, à programação e ao controle da atividade de forma a produzir os resultados desejados (IIDA, 2003). Com base nessa afirmação tornou-se

11 pertinente levantar conceitos teóricos sobre Ergonomia no que se refere à adequação das condições de trabalho às capacidades e realidades do trabalhador, identificar através da aplicação de questionários e de registros fotográficos os aspectos ergonômicos que envolvem as funções citadas anteriormente e, após análise dos resultados, propor formas de melhoria na qualidade de vida das funcionárias a fim de evitar o afastamento por motivos de saúde, já que a ausência de um colaborador sobrecarrega os demais e desestabiliza a rotina normal de trabalho. Dul e Weerdmeester (2000) contribuem com essa visão ao apontar que a Ergonomia se aplica ao projeto de equipamentos e à configuração de tarefas, com o objetivo de melhorar a segurança, a saúde e a eficiência no trabalho e é isso que se pretende alcançar. Os autores mencionam ainda que muitas situações de trabalho, e mesmo da vida cotidiana, apresentam riscos à saúde. Dores musculares ou problemas de coluna assim como quadros de estresse são uma causa importante de absenteísmo e até de incapacitação ao trabalho. Mas a aplicação dos conceitos da Ergonomia pode colaborar para reduzir estes problemas ao adequar o uso de equipamentos, sistemas e tarefas. Rio e Pires (2001) têm uma concepção que vem de encontro com a busca pela inovação e melhoria da qualidade de vida do trabalhador. Os autores citam que: a ergonomia é muito importante para que o trabalho seja fonte de saúde e produtividade para pessoas e organizações. (...) Isso é tanto mais importante quanto mais acirradas são as circunstâncias de competitividade no mercado e maiores são as exigências de desempenho como tem ocorrido no contexto histórico atual (p. 17) Por isso o Relatório de Pesquisa intitulado Análise dos Aspectos Ergonômicos que envolvem a atividade profissional de Camareira, Auxiliar de Cozinha e Cozinheira no Hotel Jardim Europa em Ijuí-RS pretende colaborar com a pesquisa em áreas tão novas e interdisciplinares como são a Ergonomia e a Hotelaria. Apresenta-se, a seguir, os Objetivos Geral e Específicos que norteiam as etapas da pesquisa, os Aspectos Metodológicos que descrevem os métodos escolhidos, a Fundamentação Teórica que busca na literatura e periódicos especializados os conceitos e posições sobre Ergonomia, a Análise dos Resultados que se encontra subdivida em Análise dos Registros Fotográficos

12 referente às posturas no trabalho das Auxiliares de Cozinha, Cozinheiras e Camareiras e as Considerações Finais que compilam todas as informações levantadas e indica possíveis soluções aos problemas encontrados.

13 2 OBJETIVOS 2.1 Objetivo Geral Analisar os Aspectos Ergonômicos que envolvem a atividade profissional de Camareira, Auxiliar de Cozinha e Cozinheira no Hotel Jardim Europa em Ijuí-RS. 2.2 Objetivos Específicos Levantar conceitos teóricos sobre Ergonomia no que se refere à adequação das condições de trabalho às capacidades e realidades do trabalhador; identificar os principais Aspectos Ergonômicos que envolvem a atividade profissional de Camareira, Auxiliar de Cozinha e Cozinheira no Hotel Jardim Europa em Ijuí-RS; propor formas de melhoria na qualidade de vida das funcionárias que desempenham as funções de Camareira, Auxiliar de Cozinha e Cozinheira no Hotel Jardim Europa em Ijuí-RS.

14 3 ASPECTOS METODOLÓGICOS Esta pesquisa tem por objetivo analisar os Aspectos Ergonômicos que envolvem a atividade profissional de Camareira, Auxiliar de Cozinha, e Cozinheira no Hotel Jardim Europa em Ijuí- RS. A motivação pela escolha do tema deveu-se ao fato observado durante o Estágio Supervisionado de que o afastamento do trabalho por motivo de saúde é freqüente entre as pessoas que desempenham a função de Camareira, Auxiliar de Cozinha e Cozinheira no Hotel Jardim Europa. Para comprovar as observações e fazer uma investigação mais aprofundada optou-se por aplicar uma pesquisa com as funções relacionadas acima. A pesquisa foi realizada em fevereiro de 2008 e tem caráter teórico-empírico com abordagem quali-quantitativa. Goldenberg (2000) ressalta que a Metodologia não é limitada, fixa, mas utilizada de acordo com o problema que se quer pesquisar, apontando os caminhos possíveis. Bianchi (2002) observa ainda a importância de delimitar corretamente o tema da pesquisa para que seu desenvolvimento seja viável e seus resultados aplicáveis. Dentro do tema abordado, delimitou-se a investigação para o espaço do Hotel e especificamente os setores de Governança e Alimentos e Bebidas A&B. Demo (1995) define a pesquisa teórica como dedicada a formular quadros de referência, estudar teorias e aperfeiçoar conceitos enquanto a pesquisa empírica dedica-se a codificar a face mensurável da realidade. A primeira é essencial para o embasamento científico e a segunda ganha importância ao se partir da premissa de que somente se melhora o que se pode medir. Por isso a prática de avaliar a satisfação das profissionais, verificar questões como o posicionamento em relação ao posto de trabalho, ao ambiente, às formas de organização do trabalho é uma ferramenta bastante válida para detectar a percepção dos funcionários sobre os aspectos gerais e ergonômicos que interferem na qualidade de vida e por conseqüência na qualidade do serviço prestado.

15 A abordagem qualitativa prioriza o aprofundamento da compreensão de um grupo social, de uma organização, instituição ou trajetória. A quantitativa preocupa-se com a representatividade numérica dos aspectos relacionados ao objeto de pesquisa. Geralmente, elas se complementam. Segundo Goldenberg (2000) a diferenciação entre uma e outra se deve a concepção de que o método utilizado pelas ciências sociais visa à compreensão e interpretação das experiências pessoais dentro do contexto onde foram vivenciadas, ao contrário das ciências naturais, que busca generalizações e a descoberta de regularidades. Conforme Neves (1996) a pesquisa qualitativa compreende um conjunto de diferentes técnicas interpretativas que visam descrever e decodificar os componentes de um sistema complexo de significados. As principais características que da abordagem qualitativa são: o ambiente natural como fonte direta de dados e o pesquisador como instrumento fundamental; o caráter descritivo; o significado que as pessoas dão às coisas e à sua vida como preocupação do investigador e enfoque indutivo (NEVES, 1996, p. 1). A abordagem quantitativa utiliza técnicas estatísticas com objetivo de mensurar e permitir o teste de hipóteses. Sua principal vantagem é que seus dados numéricos podem ser comparados ao longo do tempo, permitindo elaborar um histórico sobre determinada informação (IBOPE, 2008). Para esta pesquisa os instrumentos de pesquisa utilizados foram questionário, entrevista semiestruturada, registro fotográfico e observação participativa. Tem-se que a escolha pelas diferentes técnicas de coleta de dados será a forma de o pesquisador sistematizar o processo de localização, registro e tratamento das informações necessárias para a investigação e posterior análise (LIMA, 2004). Optou-se por mais de um tipo de instrumento de coleta de dados para não limitar a análise. Lima (2004, p. 29) afirma que em pesquisas acadêmicas tem sido freqüente o uso combinado de recursos metodológicos típicos dos métodos quantitativos e qualitativos. Goldenberg (2000, p. 50) ratifica a importância dessa abordagem ampla ao considerar que enquanto os métodos

16 quantitativos supõem uma população de objetos comparáveis, os métodos qualitativos enfatizam as particularidades de um fenômeno em termos de seu significado para o grupo humano pesquisado. O questionário atende, geralmente, a duas funções principais: de descrever as características e medir determinadas variáveis de um grupo social. Sua estrutura não é fixa, pois pode incluir o número e o tipo de perguntas que o pesquisador considerar adequado, conforme a complexidade das informações a serem coletadas. De qualquer forma, classifica-se um questionário de acordo com o tipo de pergunta (aberta, fechada ou ambas) e com o modo de aplicação do instrumento (contato direto ou via correio) (RICHARDSON, 1999). No caso desta pesquisa, optou-se por formular perguntas tanto fechadas quanto abertas porque a pesquisadora estava familiarizada com o grupo, o que permitiu antecipar algumas respostas e buscava, ao mesmo tempo, aprofundamento em relação a algumas questões específicas. A aplicação foi através de contato direto a fim de explicar e discutir os objetivos da pesquisa e sanar as dúvidas que pudessem surgir durante o preenchimento do questionário (APÊNDICE A). Foram aplicados dezessete questionários considerando-se o total de vinte e uma profissionais que desempenham a função de Camareira, Auxiliar de Cozinha ou Cozinheira. Duas Camareiras não responderam devido ao afastamento do trabalho por motivo de saúde, uma Cozinheira encontrava-se no período de férias e outra em licença maternidade. Foi solicitada a assinatura das participantes no Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (APÊNDICE B) a fim de explicitar os objetivos da pesquisa, o assunto abordado, bem como a importância de sua colaboração, já que a pesquisa teve unicamente cunho acadêmico, havendo sigilo das informações fornecidas. A entrevista estruturada ou padronizada caracteriza-se por perguntas previamente elaboradas e caracteriza a abordagem qualitativa. Exige contato direto entre pesquisador e objeto de pesquisa sendo que as perguntas previamente elaboradas devem servir como um roteiro, para que não se

17 perca o foco no assunto em questão, mas não podem ser inflexíveis. A escolha por realizar uma entrevista pressupõe que o entrevistador não conhece bem a população que será entrevistada, por isso relatos sobre fatos e opiniões serão apenas estimulados, orientados de maneira a se obter a informação desejada (RICHARDSON, 1999). No Hotel Jardim Europa, foi entrevistado o Gerente Geral do empreendimento a fim de verificar quais eram os principais motivos de afastamento por motivo de saúde e se a empresa considerava pertinente a realização da pesquisa para análise dos Aspectos Ergonômicos que envolvem a atividade profissional de Camareira, Auxiliar de Cozinha e Cozinheira. O roteiro da entrevista encontra-se disposto no Apêndice C. Considera-se ainda a observação como ferramenta imprescindível no processo de pesquisa científica, pois o pesquisador deve ter um olhar crítico diante das situações cotidianas. Como método qualitativo de investigação há a observação não-participante, em que o pesquisador é um espectador dos fatos e a participante, em que ele participa ativamente do cotidiano do universo pesquisado. (RICHARDSOM, 1999). O autor acrescenta que a observação participante é recomendada especialmente para estudos de grupos e comunidades. O observador participante tem mais condições de compreender os hábitos, atitudes, interesses, relações pessoais (1999, p. 261). A prática do Estágio Supervisionado possibilita a observação participante porque o pesquisador, no caso o acadêmico, torna-se um membro do grupo, mesmo que por pouco tempo. A possibilidade de visualizar os fatos no momento em que ocorrem é muito importante, pois permite perceber detalhes muitas vezes desconsiderados. O registro fotográfico vem para demonstrar as situações observadas e analisar a posição no posto de trabalho do ponto de vista da Ergonomia. O Hotel Jardim Europa já foi tema de outras pesquisas decorrentes da prática de Estágio Supervisionado, mas em outras áreas do conhecimento. Foram produzidas as pesquisas intituladas "O Processo Administrativo no Hotel Jardim Europa" de 2002 e "Gestão do Conhecimento e Aprendizagem Organizacional: uma análise da implantação das Boas Práticas de Fabricação num Restaurante de Ijuí-RS" de 2003 para o Curso de Administração de Empresas da

18 Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul UNIJUÍ. Também serviu como estudo de caso para elaboração da Dissertação de Mestrado intitulada "Modelo de Gestão Ambiental na Atividade Hoteleira" de 2002 para o Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Catarina UFSC. Isso demonstra que a empresa é aberta à pesquisa, mas direciona o estudo para funções operacionais, analisadas sob a ótica da Ergonomia, pela primeira vez. Na forma de Relatório de Pesquisa a análise dos resultados desta pesquisa pretende atingir os objetivos propostos que são levantar conceitos teóricos sobre Ergonomia no que se refere à adequação das condições de trabalho às capacidades e realidades do trabalhador após identificar os aspectos ergonômicos que envolvem a atividade profissional de Camareira, Auxiliar de Cozinha e Cozinheira no Hotel Jardim Europa em Ijuí-RS. Outro aspecto importante é que, ao final da estruturação do Relatório de Pesquisa, se possa propor formas de melhoria na qualidade de vida das funcionárias, pois mais que a formação acadêmica busca-se desenvolver a capacidade de gestão.

19 4 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA A grande alavanca da atividade turística e conseqüentemente da hotelaria moderna vem sendo a evolução tecnológica que proporcionou melhores condições de segurança e comodidade nos transportes, maior rapidez e eficiência na comunicação, além de diversificação da demanda. Por isso os hotéis têm priorizado o conforto, as soluções informatizadas e acima de tudo a satisfação do hóspede. Para melhor entendimento das fases de desenvolvimento da hotelaria moderna no Brasil traçou-se um breve panorama. Segundo Andrade (2002) o fator que mais contribuiu para o início do crescimento da hotelaria nacional foi a chegada da Família Real Portuguesa no ano de 1808, início do Século XIX. Devido ao aumento no fluxo de estrangeiros e à abertura dos portos, a demanda por alojamentos cresceu consideravelmente. Apesar disso, os cem anos seguintes, em média, não apresentaram nenhuma novidade. Somente a partir do ano de 1904 é que surgiu a primeira lei de incentivo para implantação de hotéis na cidade do Rio de Janeiro, especificamente. Assim, em 1922, surgiram os hotéis Glória e Capacabana Palace, que têm reconhecimento até hoje pela suntuosidade e qualidade. Duarte (1996) descreve o histórico da hotelaria brasileira de forma semelhante, mas acrescenta alguns fatos curiosos, a saber: em 1885, foi editado o Almanaque da Província de São Paulo, precursor dos guias turísticos atuais. Ressalta ainda que a troca da mão-de-obra escrava pela de imigrantes europeus, juntamente com o desenvolvimento da cafeicultura, diversificaram as atividades comerciais e industriais e impulsionaram novos negócios como a hotelaria profissional. Na década de 30, iniciou-se a implantação de grandes hotéis nas capitais e estâncias minerais. O principal atrativo eram os cassinos, que após 1946 foram proibidos, provocando o fechamento de alguns empreendimentos e a adaptação de outros (ANDRADE, 2002).

20 A partir de 1966, foram criados a Embratur e o Fungetur (Fundo Geral de Turismo), responsáveis por iniciar uma nova etapa na hotelaria brasileira. Mudanças nas leis de zoneamento das principais cidades e capitais favoreceram a implantação de novos hotéis, sendo que incentivos fiscais contribuíram muito com o segmento de hotéis de luxo, classificados como cinco estrelas na época. Atualmente, a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) está vinculada ao Ministério do Turismo e tem trabalhado no fomento da atividade turística, bem como na divulgação internacional dos destinos brasileiros (CÂNDIDO; VIEIRA, 2003). Já na década de 70, as redes hoteleiras internacionais se instalaram no Brasil, inaugurando uma nova fase no que diz respeito a padrões de serviço e preços. Essa concorrência, naquele momento, desleal, exigiu uma virada nas formas de administração da hotelaria nacional (ANDRADE, 2002). Diante dessa perspectiva, o ato de hospedar tornou-se gradualmente o negócio do setor hoteleiro atual. Os componentes básicos, porém, permaneceram: um quarto agradável e asseado, comida saborosa e nutritiva e funcionários cordiais e sinceros quando dizem: - Estamos a seu dispor. Rutherford (2004) contribui definindo hospitalidade como: a recepção cordial e generosa e o entretenimento de hóspedes ou estranhos, social ou comercialmente. [...] Independentemente das razões pelas quais as pessoas vão para uma casa longe dos seus lares, há a certeza de que elas precisarão de cuidados. Elas precisarão de um lugar limpo e confortável para dormir ou descansar, serviço de alimentação, espaço para socializar, e encontrar outras pessoas, acesso ao comércio e segurança. (2004, p. 120) Para compreensão do conceito de hotel baseou-se no Regulamento Geral dos Meios de Hospedagem (2002) utilizado pela EMBRATUR - Instituto Brasileiro de Turismo, que estabelece: Meio de hospedagem e de turismo é o estabelecimento que satisfaz cumulativamente as seguintes condições: é licenciado pelas autoridades competentes para prestar serviço de hospedagem; é administrado ou explorado comercialmente por empresa hoteleira que adota, no relacionamento com os hóspedes, contrato de hospedagem, com as características definidas pelo Regulamento mencionado e pelas demais legislações aplicáveis; [...] Deverão ainda oferecer aos hóspedes, no mínimo: alojamento, para uso temporário do hóspede, Unidades Habitacionais (UH) para esta finalidade e

21 serviços mínimos necessários como: recepção ou portaria que atenda e controle permanentemente as entradas e saídas; guarda bagagem e objetos de uso pessoal dos hóspedes em local apropriado; conservação, arrumação e limpeza das instalações e dos equipamentos. Assim, um hotel oferece basicamente alojamento, alimentação e entretenimento. Para operacionalizar estes serviços os setores principais são recepção e reservas, governança, alimentos e bebidas, recreação e eventos e administrativo. Como em qualquer empresa, um setor é interdependente ao outro e grandes estruturas podem necessitar de um departamento específico para marketing e vendas, recursos humanos, contabilidade, almoxarifado, segurança. Ismail (2004) enfatiza que os setores devem estar sincronizados para que o hotel possa maximizar a eficiência; suas relações são simbióticas, ou seja, os envolvidos agem ativamente para gerar vantagens mútuas. O serviço de hospedagem, ponto-de-venda de alimentos e bebidas e áreas para convenções e eventos são consideradas fontes de receita, que se bem geridas, são capazes de garantir uma operação bem-sucedida e lucrativa. O setor de recepção promove o primeiro contato direto do hóspede com o hotel e sua aparência e sensação de hospitalidade influenciarão na concepção da imagem do hotel como um todo. É o local onde se registram os hóspedes, se retiram as chaves, correspondência ou recados, se obtêm informações e se quitam as despesas feitas durante a hospedagem (TORRE, 2001). Também conhecido como Front Desk, o setor de recepção tem um papel interno muito importante, pois controla o fluxo de entrada e saída de hóspedes e clientes, além de processar diversas informações que serão o ponto de partida para operação dos outros setores (ISMAIL, 2004). A partir da taxa de ocupação, por exemplo, poderá ser definida desde a quantidade de alimentos a ser produzida pela cozinha, até o fluxo de serviço do setor de governança. Conforme Rutherford (2004) os profissionais do setor de recepção devem apresentar determinados pré-requisitos, pois são a interface do hotel com seus hóspedes. Boa aparência, boa dicção e capacidade de comunicação em todos os níveis, pró-atividade, conhecimentos em

22 informática e línguas, além de desprendimento para trabalhar quando a maioria das pessoas está de folga. O setor de reservas, em hotéis de pequeno e médio porte, localiza-se geralmente anexo à recepção ou, no caso de grandes hotéis de rede, tem espaço próprio e é denominada central de reservas. A principal meta do setor deve ser a venda antecipada de hospedagem de forma que, quando necessário, se tracem estratégias para elevar a média de ocupação em determinada época. Trabalha de forma articulada com a recepção prevendo a chegada ou saída de um determinado número de hóspedes para aquele dia (CASTELLI, 2001). Uma habilidade do profissional de reservas é, sem dúvida, a organização, pois fica responsável pelo mapa de ocupação e deve evitar problemas como overbooking 1 ou reserva diferente do solicitado, além de atenção a detalhes, pois durante a conversa com o cliente pode detectar alguma preferência e no momento da hospedagem surpreender com um agrado. A respeito dessa característica Lamprecht e Ricci dão o seguinte exemplo: Suponha que determinado hóspede identifique como uma necessidade específica a localização de uma loja na cidade. Que tal o cliente ser surpreendido, após alguns minutos de sua acomodação no apartamento, com uma cópia do mapa da cidade identificando-lhe a localização exata da loja e ainda algumas sugestões de como chegar até lá. (1997, p. 7) Seguindo o entendimento sobre os serviços mínimos necessários em um hotel, é o setor de governança o responsável por manter as Unidades Habitacionais UH s, áreas sociais e de serviço do empreendimento organizadas e limpas. Pode englobar o serviço da governanta, camareiras, auxiliares de serviços gerais, jardineiros, no caso de haver áreas externas amplas e auxiliares de lavanderia, quando não se opta pela terceirização. O ponto crucial para que sua operacionalização seja eficiente é a comunicação com os demais setores. Martin destaca essa importância: A coordenação entre a governança e o front office requer respeito e compreensão do gerente de cada departamento pelas responsabilidades do outro. Além disso, a 1 Overbooking: palavra inglesa que traduzida significa excesso de reservas, resultando na falta de lugares para todos os clientes que adquiriram o serviço (TURISMO VISÃO E AÇÃO. GLOSSÁRIO, 2000).

O PAPEL DA ERGONOMIA NO DESIGN DE INTERIORES

O PAPEL DA ERGONOMIA NO DESIGN DE INTERIORES O PAPEL DA ERGONOMIA NO DESIGN DE INTERIORES Este artigo busca destacar a importância da aplicabilidade das técnicas ergonômicas no que se refere ao design de interiores. A ergonomia será apresentada como

Leia mais

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso III Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí II Jornada Científica 9 a 23 de Outubro de 200 Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso Sablina

Leia mais

O turismo e os recursos humanos

O turismo e os recursos humanos Introdução O turismo e os recursos humanos Belíssimas praias, dunas, cachoeiras, cavernas, montanhas, florestas, falésias, rios, lagos, manguezais etc.: sem dúvida, o principal destaque do Brasil no setor

Leia mais

PLANEJAMENTO DE ESCALA DE TRABALHO NO SETOR DE GOVERNANÇA

PLANEJAMENTO DE ESCALA DE TRABALHO NO SETOR DE GOVERNANÇA PLANEJAMENTO DE ESCALA DE TRABALHO NO SETOR DE GOVERNANÇA Adevair Aparecido Dutra Junior 1 Universidade Estadual do Oeste do Paraná UNIOESTE Resumo: O objetivo deste artigo é contribuir para a compreensão

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER PESQUISA DA OFERTA DOS MEIOS DE HOSPEDAGEM NO MUNICÍPIO DE ITAPEMA Janeiro UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

A Segurança consiste na responsabilidade de saber e agir da maneira correta.

A Segurança consiste na responsabilidade de saber e agir da maneira correta. Segurança do Trabalho É o conjunto de medidas que versam sobre condições específicas de instalações do estabelecimento e de suas máquinas visando à garantia do trabalhador contra riscos ambientais e de

Leia mais

A importância da Ergonomia Voltada aos servidores Públicos

A importância da Ergonomia Voltada aos servidores Públicos A importância da Ergonomia Voltada aos servidores Públicos Fisioterapeuta: Adriana Lopes de Oliveira CREFITO 3281-LTT-F GO Ergonomia ERGONOMIA - palavra de origem grega, onde: ERGO = trabalho e NOMOS

Leia mais

3 ORIGENS E CONCEITUAÇÃO DA ERGONOMIA

3 ORIGENS E CONCEITUAÇÃO DA ERGONOMIA De acordo com dados da Ergonomics Research Society, Inglaterra, a Ergonomia é o estudo do relacionamento entre o homem e o seu trabalho, equipamento e ambiente, e particularmente a aplicação dos conhecimentos

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS LUIZ PAULO RONCHI FREITAS

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS LUIZ PAULO RONCHI FREITAS 0 UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS LUIZ PAULO RONCHI FREITAS AS FUNÇÕES DA CONTROLADORIA E O PERFIL DO CONTROLLER NAS EMPRESAS INTEGRANTES DOS PRINCIPAIS

Leia mais

Uso de Equipamentos de Informática e Telecomunicações

Uso de Equipamentos de Informática e Telecomunicações O SETOR SERVIÇOS DO ESTADO DO ACRE Estrutura Características Setoriais e Regionais A Paer pesquisou as unidades locais, com mais de 20 pessoas ocupadas, do setor serviços do, constatando a presença de

Leia mais

Qualidade de vida no Trabalho

Qualidade de vida no Trabalho Qualidade de Vida no Trabalho Introdução É quase consenso que as empresas estejam cada vez mais apostando em modelos de gestão voltados para as pessoas, tentando tornar-se as empresas mais humanizadas,

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

cada fator e seus componentes.

cada fator e seus componentes. 5 CONCLUSÃO Conforme mencionado nas seções anteriores, o objetivo deste trabalho foi o de identificar quais são os fatores críticos de sucesso na gestão de um hospital privado e propor um modelo de gestão

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Novembro 2014

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Novembro 2014 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Novembro 2014 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EM EMPRESAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL DE MÉDIO PORTE NO BRASIL. Elisabete Maria de Freitas Arquiteta

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

O IMPACTO DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL NO AUMENTO DA FLEXIBILIDADE

O IMPACTO DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL NO AUMENTO DA FLEXIBILIDADE O IMPACTO DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL NO AUMENTO DA FLEXIBILIDADE UM ESTUDO QUANTO À APLICABILLIDADE DO PROGRAMA PARA COLETORES DE LIXO DO MUNICÍPIO DE NITERÓI ALESSANDRA ABREU LOUBACK, RAFAEL GRIFFO

Leia mais

TÍTULO: ESTUDO DE RACIONALIZAÇAO DOS PROCESSOS DA GOVERNANÇA HOTELEIRA

TÍTULO: ESTUDO DE RACIONALIZAÇAO DOS PROCESSOS DA GOVERNANÇA HOTELEIRA TÍTULO: ESTUDO DE RACIONALIZAÇAO DOS PROCESSOS DA GOVERNANÇA HOTELEIRA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DO INSTITUTO MAUÁ DE

Leia mais

Prof. Gustavo Suriani de Campos Meireles, M.Sc.

Prof. Gustavo Suriani de Campos Meireles, M.Sc. Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso de Graduação em Engenharia de Produção ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção Prof. Gustavo Suriani de Campos Meireles,

Leia mais

COMPORTAMENTO SEGURO

COMPORTAMENTO SEGURO COMPORTAMENTO SEGURO A experiência demonstra que não é suficiente trabalhar somente com estratégias para se conseguir um ambiente de trabalho seguro. O ideal é que se estabeleça a combinação de estratégias

Leia mais

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS Nadia Al-Bdywoui (nadia_alb@hotmail.com) Cássia Ribeiro Sola (cassiaribs@yahoo.com.br) Resumo: Com a constante

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

HOUSEKEEPING A PARTIR DO 5S. Introdução. Para que serve?

HOUSEKEEPING A PARTIR DO 5S. Introdução. Para que serve? HOUSEKEEPING A PARTIR DO 5S Introdução Basicamente consiste na determinação de organizar o local de trabalho, mantêlo arrumado e em ordem, limpo, mantendo as condições padronizadas e a disciplina necessárias

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SECRETARIA DOS ÓRGÃOS COLEGIADOS DELIBERAÇÃO Nº 042, DE 11 DE MAIO DE 2011 O DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO, tendo em vista a decisão tomada em sua 297ª Reunião Ordinária, realizada em 11 de maio de 2011, e considerando

Leia mais

6. Considerações finais

6. Considerações finais 84 6. Considerações finais Nesta dissertação, encontram-se registros de mudanças sociais que influenciaram as vidas de homens e mulheres a partir da chegada das novas tecnologias. Partiu-se da Revolução

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: SERVIÇO

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da

Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Universidade de Brasília Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciência da Informação e Documentação Departamento de Ciência da Informação e Documentação Disciplina: Planejamento e Gestão

Leia mais

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS PROJETO PEDAGÓGICO I OBJETIVOS

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA RELAÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O SETOR DE HOSPITALIDADE: um estudo de caso aplicável ao curso Técnico de Hospedagem Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco Autores: ANNARA

Leia mais

PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS

PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS AVANÇADO DE ARACATI PROJETO Pró-INFRA/CAMPUS IMPLEMENTAÇÃO DE SOLUÇÃO PARA AUTOMATIZAR O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE UTILIZANDO A LINGUAGEM C#.NET

Leia mais

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA ABRAMGE-RS Dr. Francisco Santa Helena Presidente da ABRAMGE-RS Sistema ABRAMGE 3.36 milhões de internações; 281.1 milhões de exames e procedimentos ambulatoriais; 16.8

Leia mais

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS 1 FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS MAURICIO SEBASTIÃO DE BARROS 1 RESUMO Este artigo tem como objetivo apresentar as atuais

Leia mais

GUIA DO PROTOCOLO SALDANHA PARA AUDITORIA DO PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO AUDITIVA

GUIA DO PROTOCOLO SALDANHA PARA AUDITORIA DO PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO AUDITIVA GUIA DO PROTOCOLO SALDANHA PARA AUDITORIA DO PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO AUDITIVA Odilon Machado de Saldanha Júnior Belo Horizonte 2009 2 GUIA DO PROTOCOLO SALDANHA PARA AUDITORIA DO PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO

Leia mais

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 01. Conceitualmente, recrutamento é: (A) Um conjunto de técnicas e procedimentos

Leia mais

Melhor Prática vencedora: Monitoramento (Capital) Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo

Melhor Prática vencedora: Monitoramento (Capital) Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo 1 Melhor Prática vencedora: Monitoramento (Capital) Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo DESTINO: São Paulo/SP INSTITUIÇÃO PROMOTORA: São Paulo Turismo S/A RESPONSÁVEL: Tasso Gadzanis Luiz Sales

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS - FAN CEUNSP SALTO /SP CURSO DE TECNOLOGIA EM MARKETING TRABALHO INTERDISCIPLINAR

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS - FAN CEUNSP SALTO /SP CURSO DE TECNOLOGIA EM MARKETING TRABALHO INTERDISCIPLINAR APRESENTAÇÃO DO TI O Trabalho Interdisciplinar é um projeto desenvolvido ao longo dos dois primeiros bimestres do curso. Os alunos tem a oportunidade de visualizar a unidade da estrutura curricular do

Leia mais

A SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais, e

A SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais, e PORTARIA SSST Nº 11, de 13/10/1994 "Publica a minuta do Projeto de Reformulação da Norma Regulamentadora nº 9 - Riscos Ambientais com o seguinte título: Programa de Proteção a Riscos Ambientais". A SECRETARIA

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO COMO AS MUDANÇAS NAS ORGANIZAÇÕES ESTÃO IMPACTANDO A ÁREA DE RECURSOS HUMANOS Paola Moreno Giglioti Administração

Leia mais

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa.

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa. DIREITO DOS CLIENTES O que esperar de sua empresa de Executive Search Uma pesquisa de executivos envolve um processo complexo que requer um investimento substancial do seu tempo e recursos. Quando você

Leia mais

Programa 5S s UDESC/CCT/GQL

Programa 5S s UDESC/CCT/GQL Programa 5S s UDESC/CCT/GQL Prof. Alan Schmitt 1 Estágios de LIMPEZA Limpeza pode ser entendida como inspeção, para encontrar e eliminar problemas que possam se apresentar Limpeza Geral Limpar tudo Varrer

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres

Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres 2 Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres Ana Paula Bueno de Moraes Oliveira Graduada em Serviço Social Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUC Campinas Especialista

Leia mais

TURISMO E INCLUSÃO SOCIAL: um estudo da acessibilidade nos meios de hospedagem em Balneário Camboriú 1

TURISMO E INCLUSÃO SOCIAL: um estudo da acessibilidade nos meios de hospedagem em Balneário Camboriú 1 TURISMO E INCLUSÃO SOCIAL: um estudo da acessibilidade nos meios de hospedagem em Balneário Camboriú 1 Amanda Fantatto de Melo 2 ; Priscilla Gomes Welter 3 ; Sônia R. de S. Fernandes 4 INTRODUÇÃO O turismo

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS COMUNICAÇÃO, TURISMO E LAZER PESQUISA DA OFERTA DOS MEIOS DE HOSPEDAGEM NO MUNICÍPIO DE LUIS ALVES Janeiro 2013 UNIVERSIDADE DO VALE

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Márcia de Matos, Acadêmica Ana Regina de Aguiar Dutra, Dra. INTRODUÇÃO

Márcia de Matos, Acadêmica Ana Regina de Aguiar Dutra, Dra. INTRODUÇÃO PROJETO DE UMA FERRAMENTA PARA A COLETA E TRANSPORTE DE LIXO A SER UTILIZADA PELOS GARIS NOS MORROS DE FLORIANÓPOLIS, A PARTIR DAS METODOLOGIAS ERGONÔMICAS E DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO. Márcia de Matos,

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

DISCUSSÕES SOBRE ERGONOMIA E CONFORTO TÉRMICO EM RELAÇÃO AO VESTUÁRIO. Maristela Gomes de Camargo

DISCUSSÕES SOBRE ERGONOMIA E CONFORTO TÉRMICO EM RELAÇÃO AO VESTUÁRIO. Maristela Gomes de Camargo DISCUSSÕES SOBRE ERGONOMIA E CONFORTO TÉRMICO EM RELAÇÃO AO VESTUÁRIO Maristela Gomes de Camargo Resumo: Este estudo discute os aspectos de usabilidade e ergonomia relacionados ao conforto térmico; e o

Leia mais

P Ú B L I C O I N T E R N O

P Ú B L I C O I N T E R N O Apresentação O Banrisul valoriza seus colaboradores por entender que estes são a essência do negócio. A promoção da qualidade de vida e da segurança dos funcionários é uma prática constante que comprova

Leia mais

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions ISO 9001 Relatórios A importância do risco em gestao da qualidade Abordando a mudança BSI Group BSI/UK/532/SC/1114/en/BLD Contexto e resumo da revisão da ISO 9001:2015 Como uma Norma internacional, a ISO

Leia mais

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO)

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) Objeto, princípios e campo de aplicação 35.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece princípios e requisitos para gestão da segurança

Leia mais

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO Autoria: Elaine Emar Ribeiro César Fonte: Critérios Compromisso com a Excelência e Rumo à Excelência

Leia mais

PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO

PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO ESPÍRITO SANTO FACASTELO Faculdade De Castelo Curso de Administração Disciplina: Qualidade e Produtividade PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO 1 Profa.: Sharinna

Leia mais

5.1 Nome da iniciativa ou Projeto. Academia Popular da Pessoa idosa. 5.2 Caracterização da Situação Anterior

5.1 Nome da iniciativa ou Projeto. Academia Popular da Pessoa idosa. 5.2 Caracterização da Situação Anterior 5.1 Nome da iniciativa ou Projeto Academia Popular da Pessoa idosa 5.2 Caracterização da Situação Anterior O envelhecimento é uma realidade da maioria das sociedades. No Brasil, estima-se que exista, atualmente,

Leia mais

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS.

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS. ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS 40 Relatório de Gestão 2014 B lanço Soci l ESF Estratégia de Saúde da Família Relatório de Gestão 2014 41 GESTÃO DE PESSOAS Gestão de Pessoas Com o

Leia mais

Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7.

Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7. Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7.5, 7.5.1, 7.5.2, 7.6, 7.6.1, 7.6.2 Exercícios 7 Competência

Leia mais

MMX - Controladas e Coligadas

MMX - Controladas e Coligadas POLITICA CORPORATIVA PC. 1.16.01 Política de Meio Ambiente Emissão: 02/10/06 1 Objetivo: Estabelecer diretrizes visando proteger os recursos naturais e o meio ambiente em todas das unidades operacionais.

Leia mais

Estratégia de negócio, segmentação e posicionamento Prof. Dr. Raul Amaral

Estratégia de negócio, segmentação e posicionamento Prof. Dr. Raul Amaral Estratégia de negócio, segmentação e posicionamento Prof. Dr. Raul Amaral Estratégia de negócio, estratégias de segmentação e posicionamento. Análise do potencial de demanda. Definição da missão. liderança.

Leia mais

GRADUAÇÃO HOTELARIA BACHARELADO. NOTA MÁXIMA NO MEC Ministério da Educação

GRADUAÇÃO HOTELARIA BACHARELADO. NOTA MÁXIMA NO MEC Ministério da Educação NOTA MÁXIMA NO MEC Ministério da Educação TITULAÇÃO: Bacharel em Hotelaria CARGA HORÁRIA: 3.104 horas DURAÇÃO: 2 anos DIFERENCIAL 2 ANOS A Castelli ESH propõe-se a ofertar o Curso de Graduação em Hotelaria,

Leia mais

Para a citação deste material como referência, favor seguir conforme abaixo:

Para a citação deste material como referência, favor seguir conforme abaixo: Para a citação deste material como referência, favor seguir conforme abaixo: ALVARELI, Luciani Vieira Gomes. Novo roteiro para elaboração do projeto de trabalho de graduação. Cruzeiro: Centro Paula Souza,

Leia mais

PROJETO INTERDISCIPLINAR DO MÓDULO DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES ( PIMAT ): ESTUDO DE CASO TURISMO E HOTELARIA / SÃO JOSÉ

PROJETO INTERDISCIPLINAR DO MÓDULO DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES ( PIMAT ): ESTUDO DE CASO TURISMO E HOTELARIA / SÃO JOSÉ PROJETO INTERDISCIPLINAR DO MÓDULO DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES ( PIMAT ): ESTUDO DE CASO TURISMO E HOTELARIA / SÃO JOSÉ Fabiano Ceretta 1 Resumo: O projeto interdisciplinar do módulo de Agências

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS

CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS CAPÍTULO VI - AVALIAÇÃO DE RISCOS, PROCESSOS DECISÓRIOS E GERENCIAMENTO DE RISCOS VI.1. Introdução A avaliação de riscos inclui um amplo espectro de disciplinas e perspectivas que vão desde as preocupações

Leia mais

AVALIACÃO DO SISTEMA DE RECURSOS HUMANOS DE UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO (UAN) DO MUNICÍPIO DE CAÇAPAVA DO SUL RS 1

AVALIACÃO DO SISTEMA DE RECURSOS HUMANOS DE UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO (UAN) DO MUNICÍPIO DE CAÇAPAVA DO SUL RS 1 AVALIACÃO DO SISTEMA DE RECURSOS HUMANOS DE UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO (UAN) DO MUNICÍPIO DE CAÇAPAVA DO SUL RS 1 DELEVATI, M. 3 ; ROSA, I. 2 ; ORSOLIN, G. 2 ; PAVÃO, T.² 1 Trabalho desenvolvido

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000

Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000 2 Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000 Para a gestão da qualidade na realização do produto a ISO 9001: 2000 estabelece requisitos de gestão que dependem da liderança da direção, do envolvimento

Leia mais

CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL

CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL CONTROLADORIA NO SUPORTE A GESTÃO EMPRESARIAL Cristiane de Oliveira 1 Letícia Santos Lima 2 Resumo O objetivo desse estudo consiste em apresentar uma base conceitual em que se fundamenta a Controladoria.

Leia mais

Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório

Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório Recursos Humanos Coordenação de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório Introdução No dia 04 de Agosto de 2011, durante a reunião de Planejamento, todos os

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL UTILIZANDO O MÉTODO SURVEY, COM OS COLABORADORES DE UMA EMPRESA DO RAMO DA CONTRUÇÃO CIVIL

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL UTILIZANDO O MÉTODO SURVEY, COM OS COLABORADORES DE UMA EMPRESA DO RAMO DA CONTRUÇÃO CIVIL PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL UTILIZANDO O MÉTODO SURVEY, COM OS COLABORADORES DE UMA EMPRESA DO RAMO DA CONTRUÇÃO CIVIL Julia Ferreira de Moraes (EEL-USP) moraes.julia@hotmail.com Everton Azevedo Schirmer

Leia mais

PLANO DE TRABALHO IDOSO

PLANO DE TRABALHO IDOSO PLANO DE TRABALHO IDOSO Telefone: (44) 3220-5750 E-mail: centrosesportivos@maringa.pr.gov.br EQUIPE ORGANIZADORA SECRETARIO MUNICIPAL DE ESPORTES E LAZER Francisco Favoto DIRETOR DE ESPORTES E LAZER Afonso

Leia mais

EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER?

EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER? EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER? Anderson Katsumi Miyatake Emerson Oliveira de Almeida Rafaela Schauble Escobar Tellis Bruno Tardin Camila Braga INTRODUÇÃO O empreendedorismo é um tema bastante

Leia mais

Lançado em Junho 2013. Lançamento Oficial em 12/09/2013 (SP)

Lançado em Junho 2013. Lançamento Oficial em 12/09/2013 (SP) Lançado em Junho 2013 Lançamento Oficial em 12/09/2013 (SP) A Falha não é uma Opção Quem não conhece a história corre o risco de repetí-la JWB Engenharia e Consultoria S/C Ltda JWB Engenharia Empresa nacional

Leia mais

ISO 9001:2008. Alterações e Adições da nova versão

ISO 9001:2008. Alterações e Adições da nova versão ISO 9001:2008 Alterações e Adições da nova versão Notas sobe esta apresentação Esta apresentação contém as principais alterações e adições promovidas pela edição 2008 da norma de sistema de gestão mais

Leia mais

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427 7.1 Introdução O processo de monitoramento e avaliação constitui um instrumento para assegurar a interação entre o planejamento e a execução, possibilitando a correção de desvios e a retroalimentação permanente

Leia mais

P Ú B L I C O I N T E R N O

P Ú B L I C O I N T E R N O Apresentação O Banrisul valoriza seus colaboradores por entender que estes são a essência do negócio. A promoção da qualidade de vida e da segurança dos funcionários é uma prática constante que comprova

Leia mais

A QUALIFICAÇÃO DO TURISMO PARA O DESENVOLVIMENTO TURISTICO NOS CAMPOS GERAIS DO PARANÁ. Área: TURISMO

A QUALIFICAÇÃO DO TURISMO PARA O DESENVOLVIMENTO TURISTICO NOS CAMPOS GERAIS DO PARANÁ. Área: TURISMO A QUALIFICAÇÃO DO TURISMO PARA O DESENVOLVIMENTO TURISTICO NOS CAMPOS GERAIS DO PARANÁ Área: TURISMO SOUZA Janaína Terezinha de MASCARENHAS, Rubia Gisele Tramontin Resumo A atividade turística está ligada

Leia mais

7 CONCLUSÕES A presente dissertação teve como objetivo identificar e compreender o processo de concepção, implantação e a dinâmica de funcionamento do trabalho em grupos na produção, utilizando, para isso,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM. Adelita Eneide Fiuza. Gustavo Costa de Oliveira

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM. Adelita Eneide Fiuza. Gustavo Costa de Oliveira UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM Adelita Eneide Fiuza Gustavo Costa de Oliveira RELATÓRIO FINAL DO ESTÁGIO CURRICULAR II NA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE VILA GAÚCHA Porto Alegre

Leia mais

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM É COM GRANDE PRAZER QUE GOSTARÍAMOS DE OFICIALIZAR A PARTICIPAÇÃO DE PAUL HARMON NO 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE BPM!! No ano passado discutimos Gestão

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS APRESENTAÇÃO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS Breve histórico da instituição seguido de diagnóstico e indicadores sobre a temática abrangida pelo projeto, especialmente dados que permitam análise da

Leia mais

Informações sobre o Curso de Administração

Informações sobre o Curso de Administração Objetivo Geral do Curso: Informações sobre o Curso de Administração Prover a sociedade de profissional dotado de senso crítico e comportamento ético-profissional qualificado. Um Administrador criativo,

Leia mais

Capítulo 6 Resolução de problemas com sistemas de informação

Capítulo 6 Resolução de problemas com sistemas de informação Capítulo 6 Resolução de problemas com sistemas de informação RESUMO DO CAPÍTULO Este capítulo trata do processo de resolução de problemas empresariais, pensamento crítico e etapas do processo de tomada

Leia mais

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga 2º Semestre / 2011 O Processo Unificado dos autores Ivar Jacobson, Grady Booch e James

Leia mais

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA Prof. Gustavo Nascimento Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA A liderança e seus conceitos Liderança é a capacidade de influenciar um grupo para que as metas sejam alcançadas Stephen Robbins A definição de liderança

Leia mais

ERGONOMIA, QUALIDADE e Segurança do Trabalho: Estratégia Competitiva para Produtividade da Empresa.

ERGONOMIA, QUALIDADE e Segurança do Trabalho: Estratégia Competitiva para Produtividade da Empresa. ERGONOMIA, QUALIDADE e Segurança do Trabalho: Estratégia Competitiva para Produtividade da Empresa. 1. INTRODUÇÃO Prof. Carlos Maurício Duque dos Santos Mestre e Doutorando em Ergonomia pela Escola Politécnica

Leia mais

Planejamento Organização Direção Controle. Termos chaves Planejamento processo de determinar os objetivos e metas organizacionais e como realiza-los.

Planejamento Organização Direção Controle. Termos chaves Planejamento processo de determinar os objetivos e metas organizacionais e como realiza-los. Decorrência da Teoria Neoclássica Processo Administrativo. A Teoria Neoclássica é também denominada Escola Operacional ou Escola do Processo Administrativo, pela sua concepção da Administração como um

Leia mais

FIGURA 1: Capacidade de processos e maturidade Fonte: McCormack et al., 2003, 47p. Maturidade SCM Foco SCM. Inter-organizacional. Alta.

FIGURA 1: Capacidade de processos e maturidade Fonte: McCormack et al., 2003, 47p. Maturidade SCM Foco SCM. Inter-organizacional. Alta. Pesquisa IMAM/CEPEAD descreve os níveis de maturidade dos logísticos de empresas associadas Marcos Paulo Valadares de Oliveira e Dr. Marcelo Bronzo Ladeira O Grupo IMAM, em conjunto com o Centro de Pós-Graduação

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais