PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PDTI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PDTI 2011-2012"

Transcrição

1 HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PDTI CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS BRASÍLIA, 17 DE DEZEMBRO DE

2 DIRETOR HFA Brigadeiro Médico JOSÉ MARIA LINS CALHEIROS CHEFE CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS Capitão-de-Fragata (T) JOÃO GONÇALVES FESTAS COORDENADOR DA EQUIPE DE ELABORAÇÃO DO PDTI 2º Tenente HELIO CABRAL SANT ANA EQUIPE DE ELABORAÇÃO DO PDTI Suboficial JORGE VIANA JUNIOR 3º Sargento WILLIAM ROCHA DE FREITAS FERRAZ 3º Sargento SEVERINO FERREIRA DA SILVA NETO Cabo ALEXANDRE LUIZ REZENDE ORTEGA DE BARROS SC RENATO SALES RIBEIRO DE FREITAS SC ALINE FALCÃO GARAY MENEZES SC DANIELA AGUIAR DE CARVALHO FREITAS SC RENATO DOMINGOS ARANTES COLABORAÇÃO Comitê de Tecnologia da Informação - criado pelo Diretor através da Portaria nº 525 de 15 de Dezembro de 2010, formado por: Presidente Sr Diretor do Hospital das Forças Armadas Vice-presidente Sr Vice-Diretor do Hospital das Forças Armadas Membros Chefe do Departamento de Administração Chefe do Departamento de Medicina Chefe do Departamento de Ensino e Pesquisa Chefe de Divisão de Engenharia Chefe do Centro de Processamento de Dados 2

3 SUMÁRIO TERMOS E ABREVIAÇÕES INTRODUÇÃO FINALIDADE ALINHAMENTO ESTRATÉGICO ABRANGÊNCIA VALIDADE E REVISÃO EQUIPE DE ELABORAÇÃO CRONOGRAMA DE ELABORAÇÃO DO PDTI DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA PRINCÍPIOS E DIRETRIZES METODOLOGIA APLICADA NA ELABORAÇÃO DO PDTI ESTRUTURA ORGANIZACIONAL ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO MINISTÉRIO DA DEFESA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS CPD DO HFA MISSÃO DO CPD VISÃO DO CPD ANÁLISE SWOT DA TI ORGANIZACIONAL FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO INVENTÁRIO DAS NECESSIDADES PLANO DE METAS E DE AÇÕES PLANO DE GESTÃO DE PESSOAS PLANO DE INVESTIMENTOS PLANO DE GESTÃO DE RISCOS CONCLUSÃO ANEXO I - DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO ATUAL...I ANEXO II - INVENTÁRIO... III ANEXO III - CATÁLOGO DE SOFTWARE... IV ANEXO IV - DIAGNÓSTICO DE PESSOAL... V ANEXO V - PLANO DE INVESTIMENTO EM SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS E PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA DE TI... VII ANEXO VI - SITUAÇÃO DE GOVERNANÇA E GESTÃO DE TI DO ÓRGÃO... XII 3

4 TERMOS E ABREVIAÇÕES No quadro abaixo constam os termos, convenções e abreviações mencionados no decorrer deste documento. CATIR CPD CTI EqPDTI GCPDTI HFA MD MPOG PDTI PPA SLTI TCU TIC TERMO DESCRIÇÃO Portal das Comunidades Virtuais do Governo Federal Centro de Processamento de Dados Comitê de TI Equipe de Elaboração do PDTI Grupo Consultor em Elaboração e Monitoramento de PDTI, SLTI/MP Hospital das Forças Armadas Ministério da Defesa Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Plano Diretor de Tecnologia da Informação Plano Plurianual Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Tribunal de Contas da União Tecnologia da Informação e Comunicação 4

5 1. INTRODUÇÃO 1.1 FINALIDADE A prestação de um bom serviço, que atenda às expectativas e necessidades dos cidadãos, é dever de toda instituição pública. O negócio do Hospital das Forças Armadas é prestar assistência à saúde dos seus pacientes, e esse é o foco para qualquer departamento do hospital. O objetivo da governança em tecnologia da informação é assegurar que as ações de TI estejam alinhadas com o negócio da organização, agregando valor. A área de TI é responsável por gerenciar o conjunto de recursos tecnológicos e computacionais para geração e uso da informação, não se restringindo a equipamentos (hardware), programas (software) e comunicação de dados. Essa área é também responsável por tecnologias relativas ao planejamento de informática, ao desenvolvimento de sistemas, ao suporte ao software, aos processos de produção e operação, ao suporte de hardware, etc. O processo de aquisição de qualquer recurso tecnológico e computacional em uma organização deve passar pelo setor de TI. Esse deve ter um planejamento estratégico sempre alinhado às necessidades precípuas da organização (Acórdão 2023/08 TCU). Essa prática possui respaldo em leis, normas e acórdãos. A Instrução Normativa nº 04/2008- SLTI exige que a instituição, para efetuar contratações, as façam precedidas de planejamento, elaborado em harmonia com o Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI, alinhado à estratégia do órgão. O Plano Diretor de Tecnologia da Informação é um instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação que visa a atender às necessidades de informação do órgão para um determinado período. Estabelece diretrizes para a orientação nos processos de organização das atividades relacionadas à Tecnologia da Informação (TI), fornecendo uma visão do ambiente atual de Tecnologia da Informação e propondo ações que possam aperfeiçoar esses processos. Portanto, além da necessidade de manter a conformidade legal, e dos benefícios em incrementar a gestão e governança de TI, a construção do PDTI do Hospital das Forças Armadas é motivada por centralizar as decisões na área de TI. Atualmente, muitas das decisões de TI são tomadas de forma isolada, por diferentes motivos e pessoas dentro da estrutura. Logo, é primordial inserir, o planejamento estratégico e tático integrado ao ambiente de TI. A metodologia aplicada para elaboração do PDTI foi dividida em etapas. A primeira foi uma análise bibliográfica, estudando a legislação pertinente, procurando boas práticas na Governança em TI, fazendo uma busca documental interna e conhecendo, por meio de questionários e entrevistas, a instituição como um todo. Em um segundo momento, foram levantadas as necessidades, considerando aquelas geradas pelo próprio setor de TI, e as necessidades gerais do hospital. Por último, foi realizada a consolidação da minuta do PDTI e envio para validação, aprovação e publicação. O documento do PDTI/HFA foi balizado pelo Plano Estratégico 2009/2013 do Hospital das Forças Armadas, pelo PDTI disponibilizado pelo Ministério da Defesa, pelo Guia Prático de PDTI disponibilizado pela SLTI/MP, pelo Modelo de Referência de PDTI 2010 da SLTI, pelos PDTIs disponibilizados no portal CATIR e pelo auxílio direto do Grupo de Consultores em Elaboração e Monitoramento de PDTI, da SLTI/MP. 5

6 1.2 ALINHAMENTO ESTRATÉGICO O Hospital das Forças Armadas tem como competência máxima prestar assistência hospitalar aos militares das Forças Armadas e seus dependentes, à Presidência da República e a segmentos da sociedade devidamente autorizados e desenvolver o ensino e a pesquisa como pressupostos de um padrão de excelência. Compete também ao Hospital das Forças Armadas: Prestar assistência médica global, incluindo prevenção, tratamento ambulatorial e de hospitalização, recuperação, reabilitação e assistência médico-social, aos militares da ativa, reserva e reformados e seus dependentes; Dar apoio às organizações militares de saúde sediadas nas áreas Centro-Oeste e Norte do País; Cooperar com as autoridades civis e militares no que disser respeito à saúde pública, às calamidades públicas e a outras emergências; Promover, incentivar e realizar pesquisas na área médica e executar programas de ensino para pessoal técnico de níveis superior e médio; Manter intercâmbio técnico-científico com entidades civis e militares no campo de saúde, sediados no País e no exterior; Buscar aderir aos padrões do governo e às boas práticas. Os objetivos primários da instituição estão descritos no artigo terceiro de seu regimento interno. Esse artigo mostra que o negócio desta organização, ou seja, sua área fim, é atender pacientes, como segue a transcrição: Art. 3º - 0 HFA tem por objetivo: I - prestar assistência médica global, incluindo prevenção, tratamento ambulatorial e de hospitalização, recuperação, reabilitação e assistência médico-social, aos militares da ativa, reserva e reformados e seus dependentes. II - Dar apoio às organizações militares de saúde sediadas nas áreas Centro- Oeste e Norte do País. III -Cooperar com as autoridades civis e militares no que disser respeito à saúde pública, às calamidades públicas e a outras emergências. Para o bom funcionamento da área fim, existem áreas responsáveis pela vitalidade da instituição, como os setores de contas, financeiro, almoxarifado e pessoal. A área de TI está incorporada à instituição, também para compor esse suporte para o sucesso da área fim, e é representada pelo Centro de Processamento de Dados. O CPD é subordinado diretamente ao Diretor e chefiado por Oficial de uma das Forças Singulares ou por civil. O CPD deve ditar regras gerais sobre sua área de atuação, centralizando as atividades e decisões na área de TI, dando suporte as decisões da Direção do Hospital. Para isso, faz-se necessário o desenvolvimento de um plano que direcione essas atividades, não só visando o ambiente atual, como também cenários futuros. 6

7 1.3 ABRANGÊNCIA O PDTI do HFA alcança todos os departamentos, setores e atividades componentes do regimento interno do HFA, incluindo assessorias, subsecretarias, coordenações, que demandam serviços e suporte de TIC diretamente ao CPD. Portanto, toda e qualquer contratação que envolva Tecnologia da Informação e Comunicação deverá ser precedida de planejamento, elaborada em harmonia com este PDTI e alinhada aos planos de negócio do HFA. Assim, todo processo de aquisição, seja serviço ou compra, de qualquer área do hospital área fim ou área meio - que envolva a área de TI, deverá ser imediatamente comunicada ao CPD para que este avalie e dê parecer técnico. 1.4 VALIDADE E REVISÃO A vigência do PDTI do HFA é de 2 anos, abrangendo os anos de 2011 e O PDTI deverá ser revisado ao final de cada ano de sua vigência para avaliar possíveis alterações surgidas ao longo da validade. Além disso, poderá ser revisado, durante o período de validade, para manter o alinhamento com os planos de negócio do Hospital e com o orçamento anual. As revisões são de responsabilidade da Equipe de Elaboração e Coordenação do PDTI, detalhada na seção EQUIPE DE ELABORAÇÃO Em consonância com a Instrução Normativa nº 04, participou do processo de desenvolvimento do PDTI , a Equipe de elaboração do PDTI do CPD, e para a tarefa de validação e aprovação, o Comitê de Tecnologia da Informação. O Comitê de TI é formado pelos titulares das unidades envolvidas: Departamento de Medicina, da Administração, de Medicina, Planejamento, Centro de Processamento de Dados e um representante do Departamento de Tecnologia da Informação do Ministério da Defesa. É responsável pelo alinhamento dos investimentos de TI com os objetivos do órgão e por apoiar a priorização de projetos a serem atendidos, bem como validar e aprovar o Plano Diretor de Tecnologia da Informação, conforme definição por Portaria do Diretor. A EqPDTI é formada por servidores civis e militares ligados diretamente a área de TI, possuindo um coordenador e um substituto. As seguintes competências estão contempladas nos perfis: gerência de projetos, conhecimento do negócio organizacional, conhecimento da TI organizacional, domínio de comunicação e negociação. A EqPDTI é responsável pela elaboração, revisão anual e coordenação do PDTI. Também lhes competem decisões para oferecer ao Comitê de TI documentos já refinados e que valorizem a decisão do Comitê. 1.6 CRONOGRAMA DE ELABORAÇÃO DO PDTI A figura abaixo demonstra as atividades que foram executadas durante o período de elaboração do PDTI do HFA. As atividades foram agrupadas em fases, conforme o modelo proposto pela SLTI/MP. Além das atividades desenvolvidas, é possível visualizar a duração de cada atividade, com data de início e término, bem como o responsável por sua execução. 7

8 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA Os documentos de referência identificados têm como objetivo a organização e a aquisição de informações e conhecimentos relacionados ao PDTI-HFA, bem como manutenção da conformidade às atuais normas. As seguintes referências foram consideradas para a elaboração do PDTI: Acórdão 786/06 TCU (Modelo de contratação); Acórdão 667/06 TCU; Acórdão 116/06 TCU; Acórdão 2023/05 TCU (Governança em TI); Acórdão 828/07 TCU; Acórdão 1014/07; Acórdão 2471/08 TCU; Acórdão 371/08 TCU (Levantamento de Gastos em TI); Acórdão 1094/04 TCU; Acórdão 1603/08 TCU; Decreto-Lei 200/1967; Decreto nº 2.271/1997 (consta nos princípios e diretrizes); Instrução Normativa n 04/2008-SLTI; Modelo de aquisição MPS. BR; Modelo CMMI; 8

9 Regimento Interno do HFA; Plano de Diretrizes da Tecnologia da Informação do Ministério da Defesa (PDTI/MD); Programa de Ação da Secretaria de Organização Institucional (SEORI) do Hospital das Forças (PAS); Modelo de Referência de Plano Diretor de Tecnologia da Informação (SLTI); Estratégia Geral de TI 2010 SLTI/ MP. Entre as referências citadas, os principais alinhamentos foram realizados por meio do Modelo de Referência de Plano Diretor de Tecnologia da Informação (SLTI), da Estratégia Geral de TI 2010 SLTI/ MP, do Programa de Ação da Secretaria de Organização Institucional (SEORI) do Hospital das Forças (PAS), do Plano de Diretrizes da Tecnologia da Informação do Ministério da Defesa (PDTI/MD), do Regimento Interno do HFA. 9

10 3. PRINCÍPIOS E DIRETRIZES A partir dos documentos de referência identificados, elaborou-se um quadro contendo as principais diretrizes seguidas no PDTI: Id. Referências Origem REF - 1 REF - 2 REF - 3 Deve-se maximizar a terceirização de tarefas executivas, para dedicar o quadro permanente à gestão e governança da TI organizacional, limitado à maturidade do mercado, interesse público e segurança institucional/nacional. Toda contratação de serviços deve visar ao atendimento de objetivos de negócio, o que será avaliado por meio de mensuração e avaliação de resultados. O pagamento de serviços contratados deve, sempre que possível, ser definido em função de resultados objetivamente mensurados. Decreto-lei nº 200/1967, art. 10, 7º e 8º Decreto nº 2.271/1997 Decreto nº 2.271/1997 Ac786/2006-P Ac1603/2008-P Instrução Normativa SLTI/MP nº 04/2008 Decreto nº 2.271/1997 Ac786/2006-P Ac1603/2008-P Instrução Normativa SLTI/MP nº 04/2008 REF - 4 A maioria dos bens e serviços de TI atende a padrões de desempenho e qualidade que podem ser objetivamente definidos por meio de especificações que são usuais no mercado, cabendo obrigatoriamente a licitação por pregão. Ac2471/2008-P Nota Técnica Sefti/TCU nº 2 REF - 5 Todos os serviços e processos de TI críticos para a organização devem ser monitorados (planejados, organizados, documentados, implementados, medidos, acompanhados, avaliados e melhorados) COBIT, Ac1603/2008-P ITIL REF - 6 REF - 7 REF - 8 REF - 9 Deve ser alinhado a base regimental do Hospital das Forças Armadas como instituição: com os objetivos, estrutura, funcionamento e competências. Deve ser alinhado a estrutura do Ministério da Defesa, na qual o HFA esta inserido. Deve seguir as medidas, gastos e objetivos estabelecidos no planejamento plurianual do Governo Federal Deve seguir as diretrizes orçamentárias das instituições ligadas ao Ministério da Defesa. Regimento Interno do HFA Regimento Interno do Ministério da Defesa Plano Plurianual Plano de Ação da Secretaria de Organização Institucional do Ministério da Defesa Além disso, ressalta-se a necessidade de alinhar as demandas de TI a uma unidade centralizada CPD -, sensibilizando as áreas sobre a importância da centralização da área TI na instituição e vinculando essa centralização às ações de trabalho. Também, o hospital almeja desenvolver projetos com o objetivo de mudar a cultura organizacional para o uso e aderência do software livre. No presente PDTI as necessidades supridas permitirão que certas ferramentas proprietárias deixem de ser usadas, consistindo, portanto, na primeira ação para apoiar a mudança desejada. 10

11 4. METODOLOGIA APLICADA NA ELABORAÇÃO DO PDTI O documento do PDTI/HFA foi guiado pelo modelo de PDTI disponibilizado pelo Ministério da Defesa e pela metodologia proposta pela SLTI/MP, por meio do Modelo de Referência do Plano Diretor de Tecnologia da Informação Procedeu-se à análise da legislação pertinente, procurando boas práticas na Governança em TI, e realizou-se uma busca documental interna. Para condução dos trabalhos, adotou-se a formação de dois grupos: O Comitê de TI, responsável pela priorização das necessidades conforme o orçamento de TI, avaliação, validação e aprovação do PDTI do HFA; A Equipe de Elaboração de PDTI, responsável pelo levantamento e elaboração documental. Para identificação das necessidades foi feito, pela EqPDTI, um levantamento geral do hospital, para que se pudesse realizar uma análise crítica dessas necessidades e, assim, ter uma visão da situação atual da organização. Como resultado deste trabalho houve a depuração para necessidades mais específicas, de acordo com as demandas de TI do HFA. 11

12 Com esse levantamento foi possível produzir o inventário de hardware, redes, software e sistemas, o qual possibilitará a elaboração de um portfólio de software, catálogos de serviços de TI e catálogos de software. Essas etapas receberam uma análise cuidadosa, já que os riscos de não se identificar uma necessidade impactam o hospital financeira e operacionalmente. 12

13 5. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL 5.1 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO MINISTÉRIO DA DEFESA 13

14 5.2 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO HOSPITAL DAS FORÇAS ARMADAS 5.3 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO CENTRO DE PROCESSAMENTO DE DADOS CPD DO HFA Não há um diagrama oficial de representação da estrutura organizacional do CPD. Utilizou-se a representação abaixo com o intuito de facilitar o entendimento, para fins de consecução do PDTI. As funções e atividades desenvolvidas pelos setores do Centro de Processamento de Dados do HFA são: 14

15 Administração: Gerenciamento de contas de usuários, gerenciamento de serviços de infraestrutura de rede, gerenciamento e monitoria de serviços de TI (Servidor de Arquivos, impressão, portal de intranet, antivírus, virtualização e backup). Projetos: Desenvolvimento de projetos de TI, governança de TI, planejamento e aquisição de equipamentos e serviços de TI, elaboração e revisão anual do Plano Diretor de Tecnologia de Informação e elaboração e revisão da política de segurança da informação e comunicação do HFA. Bando de Dados: Gerenciamento, manutenção e tunning de sistemas de gerenciamento de banco de dados e aplicação hospitalar e elaboração e execução de rotinas de backup dessas soluções. Suporte: Padronização, suporte e manutenção de equipamentos, softwares e impressoras, controle de ordens de serviço, atendimento aos servidores do HFA e inventário do parque informático do HFA. Infraestrutura de Redes: Gerenciamento dos passivos e ativos de rede, controle de ordens de serviço, planejamento e manutenção do cabeamento de rede. Aplicativos: Levantamento de requisitos, desenvolvimento, monitoramento e manutenção de aplicativos cliente-servidor e web, elaboração e atualização de portfólio e catálogos de aplicativos e manutenção dos manuais dos aplicativos. 6. MISSÃO DO CPD Conforme diretrizes apontadas no Regimento Interno do HFA, é missão do CPD: Assessoramento ao Diretor da instituição; Desenvolvimento de atividades que permitam levantamentos estatísticos das áreas financeiras, administrativa, documentação hospitalar e medico hospitalar; Implantação de sistemas que facilitem a execução das atividades fim e meio da organização; Desenvolvimento de atividades de modernização do parque de tecnologia. 7. VISÃO DO CPD Ser excelência no atendimento e serviços de TI para o HFA, bem como no planejamento de investimentos de TI, visando implementar a otimização da prestação dos serviços, de forma racional e alinhada aos objetivos estratégicos da organização. 8. ANÁLISE SWOT DA TI ORGANIZACIONAL A área de Tecnologia de Informação em qualquer instituição apresenta elementos críticos que podem ser eliminados ou atenuados. Para isso, são necessárias soluções de gerenciamento, de modernização da área e aplicação de melhores práticas direcionadas ao governo. A visão da realidade da organização, foi obtida a partir do levantamento da situação atual, o qual compôs a fotografia da instituição. Assim, identificou-se a dimensão do trabalho a ser desenvolvido, os processos de negócio, os processos de TI, os recursos humanos de TI, a infraestrutura e a comunidade usuária. 15

16 No HFA, para realizar essa análise, foi escolhida a técnica SWOT, buscando os pontos fracos, fortes, ameaças e oportunidades, analisando a instituição, porém com foco na situação da área de TI. Entre os pontos fracos e ameaças buscou-se o que é necessário resolver. Entre os pontos fracos e oportunidades buscou-se o que é necessário melhorar. Entre os pontos fortes e ameaças buscou-se o que será mantido. Entre os pontos fortes e oportunidades buscou-se o que é necessário investir. PONTOS FRACOS PONTOS FORTES AMEAÇAS Não estar de acordo com a legislação pertinente; Faltam servidores especialistas para área de TI; Faltam investimentos direcionados para a área de TI; Faltam Políticas de Segurança da Informação e Comunicação; Faltam normas para otimização dos serviços de TI. Estrutura física; Localização geográfica; OPORTUNIDADES Desenvolvimento de um PDTI alinhado às expectativas do negócio; Planejamento em longo prazo das necessidades de aquisição para a TI; Centralização das atividades de TI; Novos profissionais da área meio para apoiar atividades de planejamento; Consolidação do PMO e Gestão de TI orientado a serviços e portfólio; Vinculação direta à direção no organograma do HFA; Visão de fator estratégico da atual direção para a TI. 9. FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO Constituem fatores críticos para o sucesso do PDTI do HFA: Alinhamento do planejamento da TI com o planejamento organizacional. Comprometimento dos integrantes das equipes internas do CPD com o planejamento da TI Posicionamento do CPD como assessoria da Direção do Hospital. Consolidação do escritório de projetos buscando centralizar a criação, coordenação e desenvolvimento de projetos de TI. Desenvolvimento de políticas, planos e processos, com foco na continuidade dos serviços de TI, segurança de informação, utilização dos recursos de TI e otimização dos serviços prestados para o Hospital. 16

17 10. INVENTÁRIO DAS NECESSIDADES As necessidades foram identificadas com base na análise da situação atual da TI do hospital. Essa situação é apresentada no Anexo I, organizada nos grupos: infraestrutura de acesso à internet, rede interna, servidores, armazenamento, sistemas, plataforma de banco de dados, dados do suporte, dados de atendimento e segurança da informação. Como necessidade primária foi diagnosticada a latência pela centralização das atividades de TI. Para isso, a equipe de projetos e desenvolvimento do CPD está somando esforços para o mapeamento das necessidades e requisitos (de software, de hardware, de pessoal, de ambiente) do HFA. Id Necessidades Desenvolvimento de sistemas informatizados de apoio. Provimento de sistema de administração hospitalar. Provimento, operação e manutenção da infraestrutura de redes. Provimento, operação e manutenção das estações de trabalho. Provimento, operação e manutenção dos servidores. Provimento, operação e manutenção de solução de armazenamento e backup. Requisitan te de serviço Todas as unidades Todas as unidades CPD Todas as unidades CPD Todas as unidades. Situação Atual Alguns dos sistemas presentes no HFA foram adquiridos externamente, através de licitações. Outros foram desenvolvidos pela instituição. Existe grande retrabalho devido os sistemas serem isolados, tendo assim, que o servidor repassar as informações de um sistema para o outro. A infraestrutura de redes precisa suportar a demanda crescente existente no HFA e a aquisição do Sistema de Gestão Hospitalar. Alguns equipamentos são obsoletos e não abrangem toda demanda. Os servidores que existem são insuficientes e não suportarão a aquisição do Sistema de gestão a ser adquirido em Há uma demanda crescente de dados hoje no HFA,, onde a solução de armazenamento precisa de ampliação.. Prazo 2 anos, para as ações definidas 2 anos, considerando todo o processo de aquisição e implantação. 2 anos, para as ações definidas. 2 anos, para as ações definidas 2 anos, para as ações definidas 2 anos, para as ações definidas 7 Provimento de serviço de impressão. Todas as unidades Existem impressoras de diversas marcas dificultando a manutenção e suporte. 2 anos 8 Provimento e manutenção da infraestrutura elétrica e de refrigeração. CPD 9 Treinamento de pessoal. CPD A refrigeração atual da sala dos servidores não atende a demanda de energia térmica dissipada tendo como consequência o risco de danificação dos equipamentos e a descontinuidade das atividades nos sistemas. Os recursos humanos do CPD são compostos por civis (analistas e técnicos) da área administrativa e militar. Sendo assim, muitos não possuem conhecimento técnico na área de TI. 2 anos 2 anos 17

18 10 Aprimoramento Governança de TI. da Todas as unidades Os setores possuem independência para gerir e adquirir soluções de TI. 2 anos 11 Criação da Política de segurança da Informação e uso de recursos de TI. Todas as unidades Em elaboração de minuta. 2 anos 12 Licenciamento dos softwares do parque informático Todas as unidades Presentes em vários setores com a licença a ser expirada no período de 2011 a anos, depende das datas que expiram as licenças anteriores. 11. PLANO DE METAS E DE AÇÕES O planejamento das ações identificou, para cada necessidade elencada no Diagnóstico de Necessidades, a prioridade, as metas e as ações necessárias para alcançá-las. A seguinte categorização foi utilizada: Necessidade é toda e qualquer necessidade que a Área de TI precise atender, seja para satisfazer demandas externas, seja para melhorar a gestão e os processos da própria Área de TI. Prioridade é um número de 0 a n, no qual n é o número total de necessidades identificadas. Quanto menor o número, maior será a importância de atender a necessidade. Meta é o valor da necessidade a se alcançar em determinado prazo. Ações atividades ou projetos a serem executados para alcançar as metas estabelecidas. Id identificação da ação. Necessidade: 1 Prioridade Aquisição/Desenvolvimento de sistemas informatizados de apoio. 7 Metas Ações Id. Realizar o levantamento das necessidades para o desenvolvimento do sistema. 1.1 Levantar Requisitos do Sistema. 1.2 Definir a equipe do projeto. 1.3 Implantar sistema de protocolo do Definir a tecnologia a ser utilizada. 1.4 HFA GEDHFA. Adquirir/Construir o sistema. 1.5 Prover a integração com o banco de dados do HFA. 1.6 Prover a manutenção e suporte do sistema. 1.7 Prover a orientação aos usuários. 1.8 Implantar interface de inclusão no sistema de CONVÊNIOS SARAM. Realizar o levantamento das necessidades para o desenvolvimento do sistema. 1.9 Levantar Requisitos do Sistema Definir a equipe do projeto Definir a tecnologia a ser utilizada Construir o sistema

19 Implantar sistema de controle de atendimentos da emergência EMERGÊNCIA. Implantar sistema de controle de vacinas VAC. Implantar sistema de controle de pessoal militar PMIL. Implantar sistema de pessoal civil SISPEC. Prover a integração com o banco de dados do HFA Prover a manutenção e suporte do sistema Prover a orientação aos usuários Realizar o levantamento das necessidades para o desenvolvimento do sistema Levantar Requisitos do Sistema Definir a equipe do projeto Definir a tecnologia a ser utilizada Construir o sistema Prover a integração com o banco de dados do HFA Prover a manutenção e suporte do sistema Prover a orientação aos usuários Realizar o levantamento das necessidades para o desenvolvimento do sistema Levantar Requisitos do Sistema Analisar a viabilidade de contratação para o projeto Definir a equipe do projeto Definir a tecnologia a ser utilizada Construir o sistema Prover a integração com o banco de dados do HFA Prover a manutenção e suporte do sistema Prover a orientação aos usuários Realizar o levantamento das necessidades para o desenvolvimento do sistema Levantar Requisitos do Sistema Definir a equipe do projeto Definir a tecnologia a ser utilizada Construir o sistema Prover a integração com o banco de dados do HFA Prover a manutenção e suporte do sistema Prover a orientação aos usuários Realizar o levantamento das necessidades para o desenvolvimento do sistema Levantar Requisitos do Sistema Definir a equipe do projeto Definir a tecnologia a ser utilizada Construir o sistema Prover a integração com o banco de dados do HFA Prover a manutenção e suporte do sistema Prover a orientação aos usuários Necessidade: 2 Prioridade Provimento de sistema de administração hospitalar. 1 Metas Ações Id. Implantar sistema de Realizar o levantamento das necessidades para o administração hospitalar. desenvolvimento do sistema

20 Levantar Requisitos do Sistema. 2.2 Analisar a viabilidade de contratação para o projeto. 2.3 Definir a equipe do projeto. 2.4 Definir a tecnologia a ser utilizada. 2.5 Adquirir o sistema Customizar o sistema para área meio e área fim. 2.6 Prover a integração com sistemas legados. 2.7 Prover a manutenção e suporte do sistema. 2.8 Prover a orientação aos usuários. 2.9 Necessidade: 3 Prioridade Provimento, operação e manutenção da infraestrutura de redes. 4 Meta Ações Id. Elaborar o inventário dos ativos de rede. 3.1 Levantar as necessidades para aquisição de ativos de rede. 3.2 Renovar a infraestrutura de rede (LAN, WAN, WIRELESS). Analisar soluções de mercado. 3.3 Levantar riscos e impactos. 3.4 Elaborar estratégia de provimento. 3.5 Adquirir novos equipamentos. 3.6 Instalar novo cabeamento. 3.7 Contratar serviço de suporte e manutenção de infraestrutura de redes. 3.8 Reestruturar rede 3.9 Operar rede 24X7 Contratar serviço de operação de rede Necessidade: 4 Prioridade Provimento, operação e manutenção das estações de trabalho. 6 Meta Ações Id. Atualizar inventário das estações de trabalho e servidores. 4.1 Analisar, justificar, fundamentar a necessidade de aquisição. 4.2 Levantar e especificar requisitos e quantidades das estações de trabalho e servidores. 4.3 Realizar a análise de mercado. 4.4 Elaborar a estratégia de aquisição. 4.5 Renovar o parque computacional Realizar aquisição. 4.6 de estações de trabalho. Levantar riscos e impactos. 4.7 Elaborar a estratégia de recebimento, distribuição e montagem. 4.8 Levantar e analisar as atuais demandas. 4.9 Distribuir as estações de trabalho Instalar os novos servidores Contratar serviço de suporte e manutenção de

DIRETOR HFA Gen Bgd Med TÚLIO FONSECA CHEBLI. CHEFE DA ASSESSORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Cel R1 EB DÉLFINSON CÉSAR DA COSTA

DIRETOR HFA Gen Bgd Med TÚLIO FONSECA CHEBLI. CHEFE DA ASSESSORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Cel R1 EB DÉLFINSON CÉSAR DA COSTA HFA PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ASSESSORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO BRASÍLIA, DE DE 2014. 2015/2016 1 DIRETOR HFA Gen Bgd Med TÚLIO FONSECA CHEBLI CHEFE DA ASSESSORIA DE TECNOLOGIA DA

Leia mais

Modelo de Referência 2011-2012

Modelo de Referência 2011-2012 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação - SLTI Modelo de Referência 2011-2012 Plano Diretor de Tecnologia de Informação Ministério do Planejamento,

Leia mais

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL 1 SUMÁRIO DIAGNÓSTICO GERAL...3 1. PREMISSAS...3 2. CHECKLIST...4 3. ITENS NÃO PREVISTOS NO MODELO DE REFERÊNCIA...11 4. GLOSSÁRIO...13 2 DIAGNÓSTICO GERAL Este diagnóstico é

Leia mais

Modelo de Referência. Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010

Modelo de Referência. Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010 Modelo de Referência Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010 Versão 1.0 Premissas do modelo 1. Este modelo foi extraído do material didático do curso Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia

Leia mais

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG Forplad Regional Sudeste 22 de Maio de 2013 Erasmo Evangelista de Oliveira erasmo@dgti.ufla.br Diretor de

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PERÍODO 2012 A 2016 MANAUS/AM VERSÃO 1.0 1 Equipe de Elaboração João Luiz Cavalcante Ferreira Representante da Carlos Tiago Garantizado Representante

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 13/06/2014 14:08:02 Endereço IP: 177.1.81.29 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETI) Secretaria de Tecnologia da Informação Florianópolis, março de 2010. Apresentação A informatização crescente vem impactando diretamente

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI Plano de Trabalho Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Leia mais

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica...

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica... 1 de 1 19/4/212 17:17 EGTI 211/212 - Autodiagnostico 21 Imprimir Identificação 1. Qual a identificação do órgão? AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS 2. Qual o âmbito de preenchimento do formulário?

Leia mais

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e PDTI - Definição Instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação que visa atender às necessidades tecnológicas e de informação de um órgão ou entidade

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 12/06/2014 13:58:56 Endereço IP: 200.252.42.196 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Avaliação dos Resultados do Planejamento de TI anterior

Avaliação dos Resultados do Planejamento de TI anterior Avaliação dos Resultados do Planejamento de TI anterior O PDTI 2014 / 2015 contém um conjunto de necessidades, que se desdobram em metas e ações. As necessidades elencadas naquele documento foram agrupadas

Leia mais

Diretoria de Informática TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Brivaldo Marinho - Consultor. Versão 1.0

Diretoria de Informática TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Brivaldo Marinho - Consultor. Versão 1.0 TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Brivaldo Marinho - Consultor Versão 1.0 CONTROLE DA DOCUMENTAÇÃO Elaboração Consultor Aprovação Diretoria de Informática Referência do Produto

Leia mais

Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2012 2015 Controle de Revisão Ver. Natureza Data Elaborador Revisor

Leia mais

Planejamento Estratégico da Tecnologia da Informação (PETI)

Planejamento Estratégico da Tecnologia da Informação (PETI) 00 dd/mm/aaaa 1/15 ORIGEM Instituto Federal da Bahia Comitê de Tecnologia da Informação ABRANGÊNCIA Este da Informação abrange todo o IFBA. SUMÁRIO 1. Escopo 2. Documentos de referência 3. Metodologia

Leia mais

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. Regulamenta as atribuições e responsabilidades da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicações do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Plano Diretor de Tecnologia de Informação 2012-2013 Reitor

Leia mais

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 29 de setembro de 2009 PLANO DE TRABALHO - PDTI O presente Plano de Trabalho objetiva o nivelamento do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima aos requisitos de tecnologia da informação

Leia mais

Governança de TI no Governo. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto

Governança de TI no Governo. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto Governança de TI no Governo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto Agenda Agenda Contexto SISP IN SLTI 04/2008 EGTI Planejamento

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO BIÊNIO 2014/2015 DSI/CGU-PR Publicação - Internet Sumário 1. RESULTADOS

Leia mais

PJe-Processo Judicial Eletrônico. Gestão 2013/2015. Ministro Carlos Alberto Reis de Paula

PJe-Processo Judicial Eletrônico. Gestão 2013/2015. Ministro Carlos Alberto Reis de Paula PJe-Processo Judicial Eletrônico Gestão 2013/2015. Ministro Carlos Alberto Reis de Paula Agenda 1 O PJe no Brasil 2 Desafios 3 4 Ações Estruturantes Próximos Passos Os números do PJe no Brasil Número de

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho

Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho Versão 1.0 Superintendência da Gestão Técnica da Informação SGI Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Índice INTRODUÇÃO... 3 FINALIDADE...

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 06/06/2014 18:22:39 Endereço IP: 189.9.1.20 1. Liderança da alta administração 1.1. Com relação

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Pelotas Tecnologia da Informação

Ministério da Educação Universidade Federal de Pelotas Tecnologia da Informação Ministério da Educação Universidade Federal de Pelotas Tecnologia da Informação Relatório de Gestão 2011/2012 Centro de Gerenciamento de Informações e Concursos - CGIC Introdução A principal finalidade

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 08/08/2014 19:53:40 Endereço IP: 150.164.72.183 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Reestrutura as unidades vinculadas à Secretaria de Tecnologia da Informação SETIN do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia mais

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA Capítulo I - DA

Leia mais

PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA Outubro de 2014

PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA Outubro de 2014 PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA Outubro de 2014 DIVISÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - DTI PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA - 1 SUMÁRIO 1. OBJETIVOS 2. CENÁRIO ATUAL DE TI 2.1. AVALIAÇÃO E DIAGNÓSTICO DO CENÁRIO

Leia mais

Minuta Relatório de resultados do PDTI anterior

Minuta Relatório de resultados do PDTI anterior RELATÓRIO DE RESULTADOS DO PDTI ANTERIOR Outubro de 2011 Elaborado pelo Grupo de Trabalho Intersetorial para elaboração do Plano Diretor de Tecnologia de Informação PDTI, nos termos da Portaria nº 4551,

Leia mais

DGTEC 2.013 2014 2015 2016 2017 2018 Total Geral

DGTEC 2.013 2014 2015 2016 2017 2018 Total Geral CUSTEIO NOVA AÇÃO - POR CLIENTE - FORNECEDOR /PROGRAMA AÇÃO DESCRIÇÃO JUSTIFICATIVA Aquisição de 650 e-tokens Aquisição de 650 e-tokens A, visando cumprir os atos, normas e o procedimentos do processo

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia

Plano Diretor de Tecnologia Governo Federal Ministério da Cultura Fundação Cultural Palmares Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação 2013 2015 Brasília DF 2013 Presidenta da República Dilma Vana Rousseff Ministério

Leia mais

Dados de Identificação. Dirigente máximo da instituição. Nome/Sigla da instituição pública. Nome do dirigente máximo. Nome/Cargo do dirigente de TI

Dados de Identificação. Dirigente máximo da instituição. Nome/Sigla da instituição pública. Nome do dirigente máximo. Nome/Cargo do dirigente de TI Dados de Identificação Dirigente máximo da instituição Nome/Sigla da instituição pública Nome do dirigente máximo Nome/Cargo do dirigente de TI Endereço do setor de TI 1 Apresentação O Tribunal de Contas

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

-- Modelo de Referência de Plano Diretor de Tecnologia da Informação -- 2008-2009

-- Modelo de Referência de Plano Diretor de Tecnologia da Informação -- 2008-2009 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação -- Modelo de Referência de Plano Diretor de Tecnologia da Informação -- 2008-2009 --- Brasília, outubro

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TRIÊNIO /2015 DSI/CGU-PR Publicação - Internet 1 Sumário 1. RESULTADOS

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

Necessidade: Readequação do data Center do bloco B Campus Santo André:

Necessidade: Readequação do data Center do bloco B Campus Santo André: Relatório de Resultados do Planejamento de TI 2012/2013 Introdução O objetivo deste relatório é avaliar os resultados alcançados a partir da realização dos projetos e ações do PDTI anterior (2012 2013).

Leia mais

Plano de Trabalho Solução de Certificação Digital Emissão de Certificados e-cpf

Plano de Trabalho Solução de Certificação Digital Emissão de Certificados e-cpf Plano de Trabalho Solução de Certificação Digital Emissão de Certificados e-cpf Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Ibama Janeiro de 2013 1/5 Sumário 1 Introdução...3

Leia mais

Ângela F. Brodbeck. Ana Maria Rizzo Silva

Ângela F. Brodbeck. Ana Maria Rizzo Silva Alinhamento Estratégico entre TI e Negócio Alinhamento entre Ações Estratégicas, Processos e iniciativas de Tecnologia de Informação Novembro, 2013 Ângela F. Brodbeck Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

Departamento de Tecnologia da Informação

Departamento de Tecnologia da Informação Departamento de Tecnologia da Informação Objetivos O DTI é o departamento responsável por toda a arquitetura tecnológica do CRF- SP, ou seja, compreende todo o conjunto de hardware/software necessário

Leia mais

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV Certificação ISO/IEC 27001 SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação A Experiência da DATAPREV DATAPREV Quem somos? Empresa pública vinculada ao Ministério da Previdência Social, com personalidade

Leia mais

Programa de Reestruturação Organizacional Elaboração e Implantação do Portal de Governança de TI da TERRACAP FASE IV

Programa de Reestruturação Organizacional Elaboração e Implantação do Portal de Governança de TI da TERRACAP FASE IV P D T I Plano Diretor de Tecnologia da Informação Programa de Reestruturação Organizacional Elaboração e Implantação do Portal de Governança de TI da TERRACAP FASE IV EQUIPE DE ELABORAÇÃO Plano Diretor

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006.

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. DEFINE a Política de Informática do Estado do Amazonas. O PRESIDENTE DO COMITÊ ESTADUAL DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Plano Diretor de Tecnologia da Informação MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2015/2016 Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2015-2016 Brasília- DF MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 016/2012/01 Contrato por Produto Nacional. Número e Título do Projeto: BRA/03/034 Programa de Revitalização da Conab

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 016/2012/01 Contrato por Produto Nacional. Número e Título do Projeto: BRA/03/034 Programa de Revitalização da Conab TERMO DE REFERÊNCIA Nº 016/2012/01 Contrato por Produto Nacional Número e Título do Projeto: BRA/03/034 Programa de Revitalização da Conab 1. Função no Projeto: Consultor por Produto 2. Nosso Número: 3.

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Institui o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação no âmbito do Poder Judiciário. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA Coordenação-Geral de Administração e Tecnologia da Informação Coordenação

Leia mais

Planejamento Estratégico de. Tecnologia da Informação

Planejamento Estratégico de. Tecnologia da Informação Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2012-2014 Coordenadoria de Tecnologia da Informação Pró-reitoria de Planejamento Universidade

Leia mais

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI Objetivos Assegurar que os esforços despendidos na área de informática sejam consistentes com as estratégias, políticas e objetivos da organização como um todo; Proporcionar uma estrutura de serviços na

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados

Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados E77p Espírito Santo. Tribunal de Contas do Estado. Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados / Tribunal de Contas do Estado. Vitória/ES: TCEES, 2015. 13p. 1.Tribunal

Leia mais

ANEXO II PERFIL DOS TÉCNICOS E ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER

ANEXO II PERFIL DOS TÉCNICOS E ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PERFIL DOS TÉCNICOS E ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1. FORMAÇÃO, CONHECIMENTO E HABILIDADES EXIGIDAS 1.1. PERFIL DE TÉCNICO EM INFORMÁTICA: 1.1.1.DESCRIÇÃO DO PERFIL: O profissional desempenhará

Leia mais

Orientações para contratação de SIGAD e serviços correlatos

Orientações para contratação de SIGAD e serviços correlatos Conselho Nacional de Arquivos Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos Orientação Técnica n.º 1 Abril / 2011 Orientações para contratação de SIGAD e serviços correlatos Este documento tem por objetivo

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 017/2014

SUMÁRIO EXECUTIVO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 017/2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA EMPRESA BRASIL DE COMUNICAÇÃO AUDITORIA INTERNA SUMÁRIO EXECUTIVO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 017/2014 Tema: EXAME DAS ATIVIDADES DE TI SOB A RESPONSABILIDADE DA SUCOM. Tipo de Auditoria:

Leia mais

Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação

Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação Emerson de Melo Brasília Novembro/2011 Principais Modelos de Referência para Auditoria de TI Como focar no negócio da Instituição

Leia mais

PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação

PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 1 PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2011-2015 Revisão 1-2012 Coordenação Geral de Tecnologia da Informação 2 Controle de Revisão Rev. Natureza da Revisão Data Elaborador Revisor 001 Versão

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI (2013-2015) - UFPel

Planejamento Estratégico de TI (2013-2015) - UFPel Planejamento Estratégico de TI (2013-2015) - UFPel 1 Missão Prover soluções de TI, com qualidade, à comunidade da UFPel. 2 Visão Ser referência em governança de TI para a comunidade da UFPel até 2015.

Leia mais

ANTAQ Secretaria de Tecnologia da Informação. Plano de Trabalho. Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação

ANTAQ Secretaria de Tecnologia da Informação. Plano de Trabalho. Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação ANTAQ Secretaria de Tecnologia da Informação Plano de Trabalho Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação Histórico de Versões Data Versão Descrição Autor 14/07/2011 1.0 Criação do documento

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC

Planejamento Estratégico de TIC Planejamento Estratégico de TIC Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe 2010 a 2014 Versão 1.1 Sumário 2 Mapa Estratégico O mapa estratégico tem como premissa de mostrar a representação visual o Plano

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS DA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DE CANOAS CANOASTEC Institui o Plano de Desenvolvimento de Recursos Humanos criando o Quadro

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2012-2015

Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2012-2015 Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2012-2015 Fundação Nacional do Índio Diretoria de Administração e Gestão Coordenação de Gestão em Tecnologia da Informação Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Leia mais

Relatório de Gestão DGTI

Relatório de Gestão DGTI Relatório de Gestão DGTI 1.Contextualização Histórico Administrativa Com o projeto de expansão do Governo Federal que criou os Institutos Federais em todo o Brasil, o antigo Centro Federal de Educação

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

CTI Coordenadoria de Tecnologia da Informação

CTI Coordenadoria de Tecnologia da Informação Coordenadoria de Tecnologia da Informação Estrutura CTI Infraestrutura e Telecomunicações Suporte Técnico CTI Contratos Desenvolvimento de Sistemas 2 0 0 7 equipe técnica insuficiente. equipamentos obsoletos.

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 4 OBJETIVOS 5 PROGRAMAS EDUCACIONAIS 6 CONSTRUÇÃO DO PLANO ANUAL DE EDUCAÇÃO 7 CONCEITOS BÁSICOS 8 CATÁLOGO DE CURSOS 2010 9

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 4 OBJETIVOS 5 PROGRAMAS EDUCACIONAIS 6 CONSTRUÇÃO DO PLANO ANUAL DE EDUCAÇÃO 7 CONCEITOS BÁSICOS 8 CATÁLOGO DE CURSOS 2010 9 1 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 4 OBJETIVOS 5 PROGRAMAS EDUCACIONAIS 6 CONSTRUÇÃO DO PLANO ANUAL DE EDUCAÇÃO 7 CONCEITOS BÁSICOS 8 CATÁLOGO DE CURSOS 2010 9 PROGRAMA EDUCACIONAL DIREITO 9 Atualização em Direito

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEMGESP Nº 004/2013 01, de 12.06.13

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEMGESP Nº 004/2013 01, de 12.06.13 INSTRUÇÃO NORMATIVA SEMGESP Nº 004/2013 01, de 12.06.13 Dispõe sobre os procedimentos de gestão da Tecnologia da Informação. O Prefeito Municipal e o Secretário Municipal de Gestão e Planejamento, no exercício

Leia mais

ANEXO I. Colegiado Gestor e de Governança

ANEXO I. Colegiado Gestor e de Governança ANEXO I CENTRO DE SERVIÇOS COMPARTILHADOS DO CAU Política de Governança e de Gestão da Tecnologia da Informação do Centro de Serviço Compartilhado do Conselho de Arquitetura e Urbanismo Colegiado Gestor

Leia mais

O PDTI como ferramenta de Gestão da TI

O PDTI como ferramenta de Gestão da TI O PDTI como ferramenta de Gestão da TI Fernando Pires Barbosa, Gustavo Chiapinotto, Sérgio João Limberger, Marcelo Lopes Kroth, Fernando Bordin da Rocha, Giana Lucca Kroth, Lucia Madruga, Henrique Pereira,

Leia mais

Lista de Exercícios - COBIT 5

Lista de Exercícios - COBIT 5 Lista de Exercícios - COBIT 5 1. O COBIT 5 possui: a) 3 volumes, 7 habilitadores, 5 princípios b) 3 volumes, 5 habilitadores, 7 princípios c) 5 volumes, 7 habilitadores, 5 princípios d) 5 volumes, 5 habilitadores,

Leia mais

Missão dada pelo Prefeito

Missão dada pelo Prefeito Paradigmas AÇÕES SETOR PÚBLICO Direcionadas de acordo com o que é determinado ou autorizado por lei SETOR PRIVADO Direcionadas de acordo com o que não é proibido por lei PESSOAS Instabilidade da Gerência

Leia mais

PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação

PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 1 PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2011-2015 Coordenação Geral de Tecnologia da Informação 2 Controle de Revisão Rev. Natureza da Revisão Data Elaborador Revisor 001 Versão inicial 18/07/11

Leia mais

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Hospital de Clínicas de Porto Alegre Ministério da Educação Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

Inventário de Necessidades de TI - PDTI 2016 2017

Inventário de Necessidades de TI - PDTI 2016 2017 Inventário de Necessidades de TI - PDTI 2016 2017 1. Comunicação Institucional a. Portal UFABC b. Aplicativos para Smartfone c. Eventos d. WEB TV e. Portal do Aluno f. Portal do Professor g. Páginas de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº 022/2015 CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM 09 DE OUTUBRO DE 2015 Dispõe sobre o

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa Esta iniciativa tem como finalidade reorganizar a área de Tecnologia da Informação TI do TJMG, sob o ponto de vista de gestão e infraestrutura, baseados em sua estrutura

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE GRADUAÇÃO EM BIBLIOTECONOMIA ALINE CRISTINA DE FREITAS ANA CLÁUDIA ZANDAVALLE CAMILA RIBEIRO VALERIM FERNANDO DA COSTA PEREIRA

Leia mais

VANTAGENS E DIFERENCIAIS

VANTAGENS E DIFERENCIAIS A Treinar é uma escola com tradição na área de cursos de Informática, Tecnologia, Desenvolvimento Profissional e Educação à Distância. Oferece cursos do nível básico ao avançado, visando à formação completa

Leia mais

Proposta de Criação de Escritório de Governança de TIC do Centro de Computação Eletrônica da UFPR

Proposta de Criação de Escritório de Governança de TIC do Centro de Computação Eletrônica da UFPR Proposta de Criação de Escritório de Governança de TIC do Centro de Computação Eletrônica da UFPR PRA Pró-Reitoria de Administração Curitiba, setembro de 2014 Equipe de Elaboração da Proposta Amarílio

Leia mais

PROCESSOS DE PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO DE PROJETOS

PROCESSOS DE PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO DE PROJETOS 1 Ficha Técnica Proposto por: Presidente Des. Cássio Rodolfo Sbarzi Guedes Vice-Presidente Des. Marcos Alaor Diniz Grangeia Corregedor-Geral da Justiça Des. Paulo Kiyochi Mori Coordenação Juiz Francisco

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2011/2012 COORDENAÇÃO-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS

Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2011/2012 COORDENAÇÃO-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2011/2012 COORDENAÇÃO-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS Unidade Seccional de Tecnologia da Informação Fevereiro de 2011 PDTI CADE 2011/2012 Página 2 de 108 PLANO

Leia mais

Portfólio de Projetos de TIC do TRT24. Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região Coordenadoria de Tecnologia da Informação e Comunicações

Portfólio de Projetos de TIC do TRT24. Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região Coordenadoria de Tecnologia da Informação e Comunicações Portfólio de Projetos de TIC do TRT24 Tribunal Regional do Trabalho da 24ª Região e Comunicações Julho/2015 Sumário Apresentação... 3 Mapa estratégico de TIC 2015-2020... 4 Identificar as demandas... 5

Leia mais

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC Incentivar a inovação em processos funcionais Aprendizagem e conhecimento Adotar práticas de gestão participativa para garantir maior envolvimento e adoção de soluções de TI e processos funcionais. Promover

Leia mais

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA 1 APRESENTAÇÃO Este conjunto de diretrizes foi elaborado para orientar a aquisição de equipamentos

Leia mais

AURINA SANTANA Reitora Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia

AURINA SANTANA Reitora Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia 00 dd/mm/aaaa 1/19 ORIGEM Instituto Federal da Bahia Comitê de Tecnologia da Informação CAMPO DE APLICAÇÃO Este Plano Diretor de Tecnologia da Informação se aplica no âmbito do IFBA. SUMÁRIO 01. Introdução

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 001/2012/03 Contrato por Produto Nacional. Número e Título do Projeto: BRA/03/034 Programa de Revitalização da Conab

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 001/2012/03 Contrato por Produto Nacional. Número e Título do Projeto: BRA/03/034 Programa de Revitalização da Conab TERMO DE REFERÊNCIA Nº 001/2012/03 Contrato por Produto Nacional Número e Título do Projeto: BRA/03/034 Programa de Revitalização da Conab 1. Função no Projeto: Consultor por Produto 2. Nosso Número: 3.

Leia mais

A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment

A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment Cláudio Muniz Machado Cavalcanti claudio.cavalcanti@planejamento.gov.br

Leia mais

Seminário online IBGP: Análise de ambiente e Elaboração de PDTI. Diana L. N. dos Santos, MSc., PMP diana@x25.com.br

Seminário online IBGP: Análise de ambiente e Elaboração de PDTI. Diana L. N. dos Santos, MSc., PMP diana@x25.com.br Seminário online IBGP: Análise de ambiente e Elaboração de PDTI Diana L. N. dos Santos, MSc., PMP diana@x25.com.br Agenda Definição e Benefícios Normativos IN04, Resoluções CNJ e CNMP Acórdãos TCU Panorama

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO PARÁ MPCM CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2015 DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO 1 / 5 ANEXO 03 INFORMAÇÕES DOS CARGOS 1. CARGOS DE NÍVEL MÉDIO Cargo 01 Técnico em Administração Realizar atividades que envolvam a aplicação das

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre RESOLUÇÃO Nº. 05, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2012

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre RESOLUÇÃO Nº. 05, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2012 RESOLUÇÃO Nº. 05, DE 27 DE FEVEREIRO DE 2012 DISPÕE SOBRE O PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ACRE IFAC. O CONSELHO SUPERIOR (CS) DO INSTITUTO

Leia mais