Prefácio, xxi Nota à 3a edição, xxv Nota à 2a edição, xxvii Introdução, xxxi

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prefácio, xxi Nota à 3a edição, xxv Nota à 2a edição, xxvii Introdução, xxxi"

Transcrição

1 Prefácio, xxi Nota à 3a edição, xxv Nota à 2a edição, xxvii Introdução, xxxi 1 O Direito Econômico, 1 1 Direito Econômico, Os três mitos do Direito Econômico, O primeiro mito - Direito Econômico como perversão, O segundo mito - Direito Econômico como solução, O terceiro mito - Direito Econômico como um fenômeno da década de 1930, 11 2 Diferenças entre Direito Econômico e outras disciplinas jurídicas, Direito Econômico e Direito Comercial (Empresarial), Direito Econômico e Direito Administrativo, Direito Econômico e Direito Civil, Direito Econômico e Direito Constitucional, Direito Econômico e Direito Tributário, Direito Econômico e Direito Financeiro, 25 3 Direito Econômico como ramo jurídico ou como método, 26 4 Direito Econômico: uma definição convencionalista, 28 5 Normas de Direito Econômico, Normas de competência, Normas instrumentais, 33 6 O Direito Econômico como disciplina universitária, Análise econômica do Direito, 41 2 Transformações do Estado Contemporâneo, 43 1 A passagem do Estado-Nação para o Estado de relações supranacionais, Primeira fase - Estado-Nação, Crise econômica e autoritarismo político após 1929, Repercussões do Tratado de Versalhes, Segunda fase - Estado e as instituições intergovernamentais, Terceira fase - Estado e as instituições supranacionais, Conclusão, 57 3 Direito Econômico e Globalização, 58 1 Primeiras considerações, 58 2 Globalização e liberalização, 59 3 Globalização e formação de blocos econômicos, 71 4 Liberalização e formação de blocos econômicos, 72 5 Globalização e nacionalismo, 74 6 Blocos econômicos e nacionalismo, 76 7 Crise do Liberalismo no século XXI e seus efeitos, 78 4 O Direito Econômico no Brasil, 81 1 Notas metodológicas, Interesse público e iniciativa privada, Periodização da regulação econômica no Brasil, O Direito Econômico brasileiro a partir de 1500, 83 2 Regulação patrimonialista ( ), 84

2 2.1 Política econômica do extrativismo, Da feitoria ao Governo-Geral, Feitorias, Donatarias, Governo-Geral, O engenho e a política econômica, Política comercial monopolística, A política do bandeirismo, Administração pública patrimonialista, Dominação comercial inglesa e a reação de Pombal, O Vice-Reinado, A Corte portuguesa no Brasil, Instrumentos de regulação patrimonialista, O Primeiro Reinado, A Constituição do Império, Regulação desconcentrada, O Segundo Reinado, Papel do Estado na economia do Império, Política econômica escravagista, Política monetária, Política industrial, Serviços públicos, Setor ferroviário, Outros serviços, O Judiciário e as políticas econômicas do Império, O Conselho de Estado Imperial e o liberalismo econômico, A República Velha ( ), O Encilhamento, A Constituição Republicana de 1891, O Convênio de Taubaté, O impacto da Primeira Guerra Mundial, Serviços públicos, Política monetária, Regulação Concentrada ( ), A era Vargas, Intervencionismo estatal, A Constituição de 1934, O Estado Novo ( ), A Constituição de 1937, O corporativismo econômico, Política de preços e abastecimento, Serviços públicos, O Código de Águas, Direito concorrencial, Legislação social, Política monetária, Período Dutra, A Constituição de 1946, Política de preços, O segundo período de Vargas, 149

3 4.3.1 Política de preços, Política monetária, Serviços públicos, O petróleo, Período Kubitschek, Período Jânio Quadros-João Goulart, Política de preços e abastecimento, Direito concorrencial, Serviços públicos, O período do regime militar, Comércio exterior, Política monetária, Política habitacional, A Constituição de 1967, Serviços públicos, Políticas salariais, Política de preços, Política tecnológica, A transição para a democracia, Planos de estabilização econômica, Plano Cruzado, Plano Bresser, Plano Verão, Plano Collor, Plano Real, Crise do Estado como regulador da economia, Período contemporâneo, Plano diretor da reforma do aparelho de Estado, Política pública de desestatização, Agências reguladoras, Política de preços administrados, Preços de medicamentos, Preços de anuidades escolares, Retribuições pecuniárias a Planos de Saúde, Preços de combustíveis, O Direito Econômico e os Tribunais, Notas introdutórias, Limites às políticas públicas econômicas, Serviços postais, Controle judicial da política de desestatização, Competência municipal, Prestação positiva dos tribunais, Efetivação judicial de normas programáticas, Garantia de salário-mínimo digno, O Direito e a pressão dos fatos econômicos, A questão da fonte normativa, Racionalidade econômica versus positividade jurídica, Processo de desconstitucionalização, Utilitarismo jurídico, 224

4 6 Novos Instrumentos de Regulação Econômica, Agências reguladoras, Inovações das agências reguladoras, Independência das agências reguladoras, Distinção entre a autorregulação e a autonomia regulatória, Regime jurídico das agências reguladoras, Controle dos atos das agências reguladoras, Agências executivas, O Terceiro Setor, Organizações Sociais (OS), Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), Organizações Civis de Recursos Hídricos, Fundações de Apoio a Universidades Públicas, Notas sobre o Contrato de Gestão no Direito Brasileiro, Parcerias Público-Privadas (PPP), Serviços abrangidos pelas PPP, Caráter federal ou nacional da Lei das PPP, Programa de Incentivo à Implementação de Projetos de Interesse Social (PIPS), Direito Concorrencial, Origens do Direito Concorrencial, Normas estruturais e normas de ajuste, Liberdade de iniciativa e liberdade de concorrência, Abrangência do direito concorrencial no Brasil, Tutela constitucional da concorrência, Regulação concorrencial e atuação dos órgãos antitruste, Alterações promovidas pela Lei no /11, Alterações institucionais do Cade, Tribunal Administrativo de Defesa Econômica, Superintendência-Geral do Cade, Departamento de Estudos Econômicos, Procuradoria Federal Especializada junto ao Cade, Ministério Público Federal perante o Cade, Gestão Administrativa, Orçamentária e Financeira do Cade, Alterações materiais, Disposições Gerais sobre infrações à Ordem Econômica, Infrações, Penas, Prescrição e direito de ação, Alterações processuais, Disposições gerais, Processo Administrativo no controle de Atos de Concentração Econômica, Inquérito administrativo e procedimento preparatório, Processo administrativo por infrações à ordem econômica, Medida preventiva, Compromisso de cessação, Programa de leniência, Atos de concentração, Acordo em Controle de Concentrações - ACC, 299

5 5.5 Outras disposições, Questões teóricas pós reforma legislativa, Controle de conduta, Compromisso de cessação de prática, Instrumentos de consensualidade dirigida, O Cade e a globalização, Serviços públicos e defesa da concorrência, Serviços públicos e o Estado demiurgo, Formas de regulação pela concorrência, A competição nos serviços públicos como mecanismo de controle, Controle prévio às privatizações, Controle a posteriori das concessões e privatizações, A autonomia do Cade, Papel do Cade no programa de desestatização, Papel do Cade em relação às políticas públicas, Funções jurídicas não excludentes, Controle de acesso ao mercado e controle da concorrência, Atividades Econômicas e Serviço Público, Notas introdutórias, Serviço público em sentido amplo e em sentido estrito, Posição da doutrina nacional, Definições convencionalistas de serviços públicos, Definições essencialistas de serviço público, Tratamento constitucional dos serviços públicos, Inexistência de um conceito jurídico de serviço público na atual Constituição, Regime jurídico do serviço público, Análise jurídica do art. 175 da CF, Regime de direito público, Concessões e permissões de serviço público, As leis de concessão em vigor no Brasil, Características gerais dos regimes de concessão e permissão, Todo serviço público é delegável, É necessária prévia autorização legislativa para conceder ou permitir serviços públicos?, Regulação pela competição, Serviços públicos estaduais e municipais, A distinção entre serviços públicos e atividades econômicas desempenhadas pelo Estado, A distinção entre atividades econômicas em sentido estrito e serviços públicos, Regulação constitucional das atividades econômicas, Classificação das atividades do Estado, Funções públicas, Serviços públicos em sentido estrito, Atividades econômicas desempenhadas pelo Estado, Conclusões parciais, Os serviços públicos acabaram?, Serviços públicos na União Europeia, Serviços de interesse econômico geral, Diretivas europeias, 388

6 12.3 Setor de gás, Regras de acesso ao mercado, Condições para o desempenho da atividade, Acesso à infraestrutura, Setor elétrico, Regras de acesso ao mercado, Condições para o desempenho da atividade, Regras de acesso à infraestrutura, Setor de transporte ferroviário, Acesso ao mercado, Acesso à infraestrutura, Condições para o desempenho da atividade, Serviço postal, Serviços reservados e não reservados, Regras de acesso ao mercado, Condições para o desempenho da atividade, Direito italiano, Serviços de energia elétrica e gás canalizado, Transporte ferroviário, Serviço postal, Telecomunicações, Direito espanhol, Energia elétrica, Serviços de gás canalizado, Transportes, Serviço postal, Telecomunicações, Direito alemão, Energia elétrica, Serviços de gás canalizado, Transporte ferroviário, Serviço postal, Direito britânico, Energia elétrica, Serviços de gás canalizado, Transporte ferroviário, Serviço postal, Direito francês, Serviços de energia elétrica e gás canalizado, Transporte ferroviário, Serviço postal, Análise comparativa dos diversos sistemas regulatórios, Direito Econômico e Instituições Internacionais, Organização Mundial do Comércio (OMC), Breve histórico da OMC, Funções, Órgãos, Resolução de conflitos, Soluções e problemas do livre comércio mundial, 424

7 1.6 As negociações da Rodada de Doha, OMC e liberalização, Produtos Manufaturados e Produtos Agrícolas, Protecionismo agrícola nos países desenvolvidos, Acordo sobre Agricultura da Rodada Uruguai, Decisões em matéria agrícola, Fundo Monetário Internacional (FMI), Pequeno histórico do FMI, Funções, Órgãos, Banco Mundial, ONU, Declarações, Instituições e programas, O Sistema Generalizado de Preferências (SGP), Direito Econômico e Blocos Econômicos, Estágios de Integração Econômica, O papel da CEPAL na formação de blocos econômicos na América Latina, ALADI, Mercosul, Pequeno histórico da evolução do Mercosul, O Tratado de Assunção, O Protocolo de Ouro Preto, Órgãos do Mercosul, Sistema de tomada de decisões, Sistema de solução de controvérsias do Mercosul, O Fundo para a Convergência Estrutural e Fortalecimento Institucional do Mercosul (FOCEM), Pacto Andino e Comunidade Andina, ALCA - Área de Livre Comércio das Américas, Problemas recorrentes na formação de blocos econômicos na América Latina, Requisitos para o desenvolvimento de um Direito Público Comunitário no Mercosul, União Europeia, Pequeno histórico da evolução da União Europeia, A Constituição europeia, O Tratado de Lisboa, Órgãos da União Europeia, Parlamento Europeu, Conselho Europeu, Conselho, Comissão Europeia, Corte de Justiça da União Europeia, Banco Central Europeu e Sistema Europeu de Bancos Centrais, Políticas econômicas comunitárias, O fim da arquitetura em três pilares da União Europeia, Livre movimentação de bens, pessoas, serviços e capitais entre os Estadosmembros, Livre movimentação de bens, 494

8 Livre circulação de pessoas e livre prestação de serviços, Livre circulação de capitais, Aproximação das leis dos Estados-membros, Política de concorrência, Tarifa externa comum - união aduaneira, Traços característicos do direito comunitário, Princípio da integração, Efeito direto, aplicabilidade direta e primazia, Efeito direto, Aplicabilidade direta, Primazia, Princípio da aplicação uniforme, Princípio da subsidiariedade, Competências, Políticas econômicas comunitárias em especial, Política monetária, Política de coesão social, Política Agrícola Comum (PAC), Política de proteção aos consumidores, Funções da Corte de Justiça da União Europeia, 513 Bibliografia, 515 Índice alfabético remissivo, 529

1.8.1. Escola norte-americana 1.8.2. Escola europeia 1.8.3. Escola brasileira 1.9. Listagem de exercícios

1.8.1. Escola norte-americana 1.8.2. Escola europeia 1.8.3. Escola brasileira 1.9. Listagem de exercícios Índice Sistemático Introdução 1. Da política 2. Do direito 3. Direito público e direito privado 4. Direito objetivo, subjetivo e potestativo 5. Direito econômico 6. Objeto do direito econômico 7. Características

Leia mais

DIPLOMACIA E CHANCELARIA CONCURSOS DA. 2 a EDIÇÃO COMENTADAS. 1 a FASE 1.200 QUESTÕES NOS. Renan Flumian Coordenador da obra

DIPLOMACIA E CHANCELARIA CONCURSOS DA. 2 a EDIÇÃO COMENTADAS. 1 a FASE 1.200 QUESTÕES NOS. Renan Flumian Coordenador da obra 2 a EDIÇÃO Renan Flumian Coordenador da obra NOS CONCURSOS DA DIPLOMACIA E CHANCELARIA 1 a FASE 1.200 QUESTÕES COMENTADAS Wander Garcia coordenador da coleção SUMÁRIO SUMÁRIO COMO USAR O LIVRO? 15 01.

Leia mais

Noções de Direito Internacional Privado Aula 01-2º Bimestre - 2015/B

Noções de Direito Internacional Privado Aula 01-2º Bimestre - 2015/B # Noções Introdutórias Noções de Direito Internacional Privado Aula 01-2º Bimestre - 2015/B Direito Internacional O direito internacional privado é o ramo do Direito, que visa regular os conflitos de leis

Leia mais

Mercosul: Antecedentes e desenvolvimentos recentes

Mercosul: Antecedentes e desenvolvimentos recentes Mercosul: Antecedentes e desenvolvimentos recentes O Mercosul, processo de integração que reúne Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, surgiu com a assinatura, em 26 de março de 1991, do "Tratado de Assunção

Leia mais

Índice. Índice Sistemático 7 TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA 15 TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA 43 TRATADO DE LISBOA 159

Índice. Índice Sistemático 7 TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA 15 TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA 43 TRATADO DE LISBOA 159 5 Índice Índice Sistemático 7 TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA 15 TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA 43 TRATADO DE LISBOA 159 S 163 ANEXO QUADROS DE CORRESPONDÊNCIA A QUE SE REFERE O ARTIGO 5.º DO

Leia mais

SUMÁRIO. Introdução... PRIMEIRA PARTE A ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E o ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO

SUMÁRIO. Introdução... PRIMEIRA PARTE A ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E o ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO SUMÁRIO Abreviaturas... Nota à 2 1 edição... xix xxi Prefácio....................................... xxiii Introdução.................................... 1 PRIMEIRA PARTE A ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E

Leia mais

PARTE I As Finanças Públicas e o Papel do Estado

PARTE I As Finanças Públicas e o Papel do Estado Índice v Prefácio... xix Apresentação da 1ª edição... xxii Agradecimentos... xxiv Nota dos autores à 4ª edição... xxiv Os autores... xxvii PARTE I As Finanças Públicas e o Papel do Estado 1 Economia e

Leia mais

Ementário do curso de

Ementário do curso de Introdução ao Estudo de I Fase: I Carga Horária: 60 h/a Créditos: 04 A sociedade. e ordem jurídica. Conceito de justiça. e moral. Fontes do. Positivo. objetivo e subjetivo. Público e Privado. Capacidade

Leia mais

Prefácio à 21a edição, xxvii Prefácio à 20a edição, xxix Prefácio à 19a edição, xxxi Prefácio à 1a edição, xxxiii PARTE I - DIREITO FINANCEIRO, 1

Prefácio à 21a edição, xxvii Prefácio à 20a edição, xxix Prefácio à 19a edição, xxxi Prefácio à 1a edição, xxxiii PARTE I - DIREITO FINANCEIRO, 1 Prefácio à 21a edição, xxvii Prefácio à 20a edição, xxix Prefácio à 19a edição, xxxi Prefácio à 1a edição, xxxiii PARTE I - DIREITO FINANCEIRO, 1 1 INTRODUÇÃO, 3 1.1 Conceito de atividade financeira do

Leia mais

LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÃO PREVISTA NAS CONCLUSÕES DE GRUPOS DE TRABALHO DA SUBCOMISSÃO COMERCIAL MERCOSUL UNIÃO EUROPÉIA

LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÃO PREVISTA NAS CONCLUSÕES DE GRUPOS DE TRABALHO DA SUBCOMISSÃO COMERCIAL MERCOSUL UNIÃO EUROPÉIA MERCOSUL/GMC/RES Nº 16/97 LEVANTAMENTO DE INFORMAÇÃO PREVISTA NAS CONCLUSÕES DE GRUPOS DE TRABALHO DA SUBCOMISSÃO COMERCIAL MERCOSUL UNIÃO EUROPÉIA TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de

Leia mais

O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO E A ECONOMIA DE MERCADO. Antônio Fernando Guimarães Pinheiro

O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO E A ECONOMIA DE MERCADO. Antônio Fernando Guimarães Pinheiro O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO E A ECONOMIA DE MERCADO Antônio Fernando Guimarães Pinheiro INTRODUÇÃO O Estado de direito veio consagrar o processo de afirmação dos direitos humanos que constitui um dos

Leia mais

Subsídios para produtos agrícolas na União Européia

Subsídios para produtos agrícolas na União Européia Artigo apresentado no I ENCONTRO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS ENET promovido pelo Instituto de Direito Tributário de Londrina de 30/08 a 02/09/06 (Selecionado pela Comissão Organizadora). Subsídios para produtos

Leia mais

SUMÁRIO INTRODUÇÃO... PRIMEIRA PARTE: A ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO

SUMÁRIO INTRODUÇÃO... PRIMEIRA PARTE: A ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO SUMÁRIO INTRODUÇÃO... PRIMEIRA PARTE: A ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO Capítulo I As transformações do Estado e a organização administrativa moderna 1.1. Estado Liberal, Estado

Leia mais

CURRÍCULO DO PROGRAMA DE MESTRADO. I ATIVIDADE COMUM INTRODUTÓRIA OBRIGATÓRIA (01 Crédito)

CURRÍCULO DO PROGRAMA DE MESTRADO. I ATIVIDADE COMUM INTRODUTÓRIA OBRIGATÓRIA (01 Crédito) CURRÍCULO DO PROGRAMA DE MESTRADO I ATIVIDADE COMUM INTRODUTÓRIA OBRIGATÓRIA (01 Crédito) Código Atividade Créditos Equivalente DIR-3111 Seminário de Integração 01 II - DISCIPLINAS COMUNS OBRIGATÓRIAS

Leia mais

Interação Operacional entre Agências Reguladoras e Órgãos de Defesa da Concorrência

Interação Operacional entre Agências Reguladoras e Órgãos de Defesa da Concorrência Interação Operacional entre Agências Reguladoras e Órgãos de Defesa da Concorrência Maria Paula Dallari Bucci (DF) Palestra proferida no I Fórum Brasileiro sobre Agências Reguladoras, Brasília, 6 de abril

Leia mais

Agências Executivas. A referida qualificação se dará mediante decreto do Poder Executivo. Agências Reguladoras

Agências Executivas. A referida qualificação se dará mediante decreto do Poder Executivo. Agências Reguladoras Agências Executivas A Lei nº 9.649/98 autorizou o Poder Executivo a qualificar, como agência executiva aquela autarquia ou fundação pública que celebre contrato de gestão com o Poder Público. A referida

Leia mais

SUMÁRIO. CAPiTULO I-INTRODUÇÃO. NOÇÕES GERAIS

SUMÁRIO. CAPiTULO I-INTRODUÇÃO. NOÇÕES GERAIS SUMÁRIO CAPiTULO I-INTRODUÇÃO. NOÇÕES GERAIS 1. A sociedade internacional. Conceito. caracteres 23 2. Direito Internacional. Conceito. caracteres 27 3. Esboço histórico 31 4. Fundamentos, autores. nomenclatura

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE LAJEDO

PREFEITURA MUNICIPAL DE LAJEDO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS NO QUADRO PERMANENTE DA PREFEITURA MUNICIPAL DE LAJEDO RETIFICAÇÃO 01 DO EDITAL Nº 01/2009 A Prefeitura Municipal de Lajedo, Estado de Pernambuco, torna

Leia mais

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 2º Ano Blocos Econômicos. Prof. Claudimar Fontinele

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 2º Ano Blocos Econômicos. Prof. Claudimar Fontinele Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 2º Ano Blocos Econômicos Prof. Claudimar Fontinele O mundo sofreu importantes transformações durante o século XX. O pós-segunda Guerra foi

Leia mais

Cronograma 1ª Fase XVI Exame OAB 90 dias

Cronograma 1ª Fase XVI Exame OAB 90 dias Cronograma 1ª Fase VI Exame OAB 90 dias Entenda a Matemática para sua Aprovação A prova de 1ª Fase do Exame de Ordem possui 80 questões objetivas que abrangem as 17 matérias contempladas no edital. Apesar

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO E FISCAL ANO LECTIVO 2005/2006 PROGRAMA

DIREITO FINANCEIRO E FISCAL ANO LECTIVO 2005/2006 PROGRAMA DIREITO FINANCEIRO E FISCAL ANO LECTIVO 2005/2006 PROGRAMA Introdução I. Aspectos gerais 1. As Finanças Públicas. Questões de ordem geral 2. Fixação de terminologia (Direito Financeiro, Economia Pública,

Leia mais

Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE

Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE Aplicação do Direito da Concorrência Europeu na UE Manuel Sebastião Brasília 21 de Maio de 2009 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. MODERNIZAÇÃO DAS REGRAS ARTIGOS 81 e 82 3. O CONTROLO DE CONCENTRAÇÕES 4. CONCLUSÕES

Leia mais

Sumário. Prefácio... 1 Introdução...,... Primeira parte Fundamentos do Direito Ambiental Constitucional

Sumário. Prefácio... 1 Introdução...,... Primeira parte Fundamentos do Direito Ambiental Constitucional Sumário Prefácio... 1 Introdução...,... 7 Curriculum dos autores 9 Primeira parte Fundamentos do Direito Ambiental Constitucional I. Noções gerais em matéria ambiental... 17 1.1. Conceito de Direito Ambiental

Leia mais

XI CONGRESSO ESTADUAL DE MAGISTRADOS Montevideo Uruguai Setembro/2015

XI CONGRESSO ESTADUAL DE MAGISTRADOS Montevideo Uruguai Setembro/2015 XI CONGRESSO ESTADUAL DE MAGISTRADOS Montevideo Uruguai Setembro/2015 PROPONENTE: Marlene Marlei de Souza, 1º Juizado da 4ª Vara Cível do Foro Central TESE 1: O CONTROLE DE CONVENCIONALIDADE NO ORDENAMENTO

Leia mais

LEGITIMIDADE ATIVA das ASSOCIAÇÕES de SERVIDORES:

LEGITIMIDADE ATIVA das ASSOCIAÇÕES de SERVIDORES: LEGITIMIDADE ATIVA das ASSOCIAÇÕES de SERVIDORES: Representação ou Substituição?? ROGERIO FAVRETO XXV Convenção Nacional da ANFIP Maceió/AL, 24 de maio de 2015 ABORDAGEM Previsão constitucional Debate

Leia mais

UMA EUROPA DE SUCESSO

UMA EUROPA DE SUCESSO UMA EUROPA DE SUCESSO Em 2014, num momento em que nos encontramos num ponto crucial da história do nosso continente, vamos ter a oportunidade de modelar o futuro da Europa. As escolhas que fizer nestas

Leia mais

MARCELO DE SIQUEIRA FREITAS Procurador-Geral Federal

MARCELO DE SIQUEIRA FREITAS Procurador-Geral Federal ADVOCACIA-GERAL DA UNIÃO PROCURADORIA-GERAL FEDERAL CONCURSO PÚBLICO PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA E PROVIMENTO DE CARGOS DE PROCURADOR FEDERAL DE 2ª CATEGORIA EDITAL Nº 24, DE 16 DE MAIO DE 2014

Leia mais

ELEIÇÕES 2008 A RELAÇÃO ENTRE VEREADORES, ADMINISTRAÇÕES PETISTAS E O MOVIMENTO SINDICAL SUGESTÕES

ELEIÇÕES 2008 A RELAÇÃO ENTRE VEREADORES, ADMINISTRAÇÕES PETISTAS E O MOVIMENTO SINDICAL SUGESTÕES ELEIÇÕES 2008 A RELAÇÃO ENTRE VEREADORES, ADMINISTRAÇÕES PETISTAS E O MOVIMENTO SINDICAL 1) INTRODUÇÃO SUGESTÕES Ao longo dos seus vinte e oito anos e com a experiência de centenas de administrações que

Leia mais

Nota sobre o objeto e o objetivo do livro. Nota sobre a forma de utilização do livro

Nota sobre o objeto e o objetivo do livro. Nota sobre a forma de utilização do livro Nota sobre o objeto e o objetivo do livro Nota sobre a forma de utilização do livro 1 Leitura ativa, xxv 2 Ensino participativo, xxvii 3 Utilização da bibliografia, xxviii Introdução - O que é "processo

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO DISTRITO FEDERAL DOAÇÃO DE LIVROS

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO DISTRITO FEDERAL DOAÇÃO DE LIVROS MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO DISTRITO FEDERAL DOAÇÃO DE LIVROS Conforme dispõe a Instrução Normativa MPF/SG/SA nº 001/1993, os bens classificados como IRRECUPERÁVEIS poderão

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO-SENSU: ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO PÚBLICA (modalidade à distância).

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO-SENSU: ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO PÚBLICA (modalidade à distância). C A P E S FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR CAPES DIRETORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA UAB UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA CURSO

Leia mais

regulamentadores dos negócios internacionais

regulamentadores dos negócios internacionais 1.1 Operações e órgãos regulamentadores dos negócios internacionais DISCIPLINA: Negócios Internacionais FONTES: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo:

Leia mais

HISTÓRIA. Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses da Coluna B, de cima para baixo.

HISTÓRIA. Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses da Coluna B, de cima para baixo. HISTÓRIA 37 Associe as civilizações da Antigüidade Oriental, listadas na Coluna A, às características políticas que as identificam, indicadas na Coluna B. 1 2 3 4 COLUNA A Mesopotâmica Fenícia Egípcia

Leia mais

GEOGRAFIA - 3 o ANO MÓDULO 12 O BRASIL NEOLIBERAL E OS DESAFIOS PARA O SÉCULO XXI

GEOGRAFIA - 3 o ANO MÓDULO 12 O BRASIL NEOLIBERAL E OS DESAFIOS PARA O SÉCULO XXI GEOGRAFIA - 3 o ANO MÓDULO 12 O BRASIL NEOLIBERAL E OS DESAFIOS PARA O SÉCULO XXI Como pode cair no enem A desconcentração industrial verificada no Brasil, na última década, decorre, entre outros fatores,

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO N 3431

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO N 3431 RESOLUÇÃO N 3431 O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Complementar Estadual n 85, de 27 de dezembro de 1999, tendo em vista o contido

Leia mais

MUNICÍPIO DO CABO DE SANTO AGOSTINHO - PE RELAÇÃO DOS PROGRAMAS VIGENTES NO EXERCÍCIO 2015 PLANO PLURIANUAL E ORÇAMENTO 2015

MUNICÍPIO DO CABO DE SANTO AGOSTINHO - PE RELAÇÃO DOS PROGRAMAS VIGENTES NO EXERCÍCIO 2015 PLANO PLURIANUAL E ORÇAMENTO 2015 CódigoDenominação 1001 1002 1003 1004 1005 1006 1007 1008 1009 1011 1012 Objetivo 1013 PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS DA PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO Promover o desenvolvimento pessoal e

Leia mais

Província de Cabinda

Província de Cabinda Província de Cabinda Conselho de Ministros Decreto-Lei n.º 1/07 De 2 de Janeiro Considerando a necessidade da aprovação do Estatuto Especial para a Província de Cabinda estabelecido nos termos do Memorando

Leia mais

Conferência sobre Administração Executiva para a América Latina e Caribe

Conferência sobre Administração Executiva para a América Latina e Caribe Conferência sobre Administração Executiva para a América Latina e Caribe Setor Público e Setor Privado: o que devem fazer para trabalhar na mesma Direção? Fernando Antonio Brito Fialho Diretor-Geral da

Leia mais

Módulo I. DISCIPLINA Estado, Direito e Cidadania, em perspectiva comparada. DISCIPLINA Introdução aos Estudos sobre Segurança Pública

Módulo I. DISCIPLINA Estado, Direito e Cidadania, em perspectiva comparada. DISCIPLINA Introdução aos Estudos sobre Segurança Pública Módulo I Estado, Direito e Cidadania, em perspectiva comparada Ementa: Liberalismo, individualismo e cidadania na Europa Ocidental dos séculos XVII- XIX. Mecanismos de repressão e de controle da emergente

Leia mais

Instituições do Direito Público e Privado

Instituições do Direito Público e Privado Instituições do Direito Público e Privado Professora conteudista: Cristiane Nagai Sumário Instituições do Direito Público e Privado Unidade I 1 INTRODUÇÃO AO DIREITO...1 1.1 Conceitos gerais de direito...2

Leia mais

Aula 9.1 Conteúdo: Tentativas de união na América Latina; Criação do Mercosul. FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES

Aula 9.1 Conteúdo: Tentativas de união na América Latina; Criação do Mercosul. FORTALECENDO SABERES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 9.1 Conteúdo: Tentativas de união na América Latina; Criação do Mercosul. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Habilidade:

Leia mais

Direito da Economia Programa

Direito da Economia Programa Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa Licenciatura em Direito 2011/2012 Direito da Economia Programa Aulas 1/2-20 de Setembro Apresentação do programa, bibliografia, métodos de ensino e aprendizagem

Leia mais

LEI ORDINÁRIA N º Dispõe sobre a reorganização administrativa da Administração Pública Municipal de Iguatemi e dá outras providências O PREFEITO MUNICIPAL DE IGUATEMI Estado de Mato Grosso do Sul Excelentíssimo

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO. Valores

SUMÁRIO EXECUTIVO. Valores SUMÁRIO EXECUTIVO O Plano Estratégico da Província de Inhambane para o período 2011-2020 (PEP II) é parte integrante do processo provincial de planificação do Governo, com a finalidade de promover o desenvolvimento

Leia mais

CONCURSOS 2010 DIREITO INTERNACIONAL E COMUNITÁRIO

CONCURSOS 2010 DIREITO INTERNACIONAL E COMUNITÁRIO CONCURSOS 2010 DIREITO INTERNACIONAL E COMUNITÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 21ª REGIÃO 1. Sobre a Organização Internacional do Trabalho, é correto afirmar: a) foi criada em consequência da segunda

Leia mais

DESCENTRALIZAÇÃO, PARTICIPAÇÃO E GESTÃO DEMOCRÁTICA NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA: PRIMEIROS ACHADOS

DESCENTRALIZAÇÃO, PARTICIPAÇÃO E GESTÃO DEMOCRÁTICA NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA: PRIMEIROS ACHADOS DESCENTRALIZAÇÃO, PARTICIPAÇÃO E GESTÃO DEMOCRÁTICA NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA: PRIMEIROS ACHADOS Mikeully Meire de Andrade Machado 1 Suziane Araújo Diógenes 2 José Eudes Baima Bezerra 3 1 INTRODUÇÃO O presente

Leia mais

LIVRO: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, CONCESSÕES E TERCEIRO SETOR EDITORA: LUMEN JURIS EDIÇÃO: 2ªED., 2011 SUMÁRIO

LIVRO: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, CONCESSÕES E TERCEIRO SETOR EDITORA: LUMEN JURIS EDIÇÃO: 2ªED., 2011 SUMÁRIO LIVRO: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, CONCESSÕES E TERCEIRO SETOR EDITORA: LUMEN JURIS EDIÇÃO: 2ªED., 2011 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... PRIMEIRA PARTE: A ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO Capítulo

Leia mais

GEOGRAFIA GERAL A NOVA ORDEM MUNDIAL

GEOGRAFIA GERAL A NOVA ORDEM MUNDIAL IETAV System www.concursosecursos.com.br GEOGRAFIA GERAL A NOVA ORDEM MUNDIAL Liberalismo Econômico Teses criadas no século XVIII para combater o mercantilismo que já não atendia às novas necessidades

Leia mais

Estado, Governo e Mercado. I Objetivo

Estado, Governo e Mercado. I Objetivo Disciplina 1 Estado, Governo e Mercado I Objetivo Essa disciplina enfoca as complexas relações entre Estado, governo e mercado nas sociedades capitalistas contemporâneas. Partindo das duas matrizes teóricas

Leia mais

INFORMAÇÕES DOS ESTADOS-MEMBROS

INFORMAÇÕES DOS ESTADOS-MEMBROS C 390/10 PT Jornal Oficial da União Europeia 24.11.2015 INFORMAÇÕES DOS ESTADOS-MEMBROS Primeira atualização das informações referidas no artigo 76. o do Regulamento (UE) n. o 1215/2012 do Parlamento Europeu

Leia mais

Medeiros, Nóbrega & França. Portfólio

Medeiros, Nóbrega & França. Portfólio Medeiros, Nóbrega & França Indíce apresentação missão áreas de atuação Apresentação Medeiros, Nóbrega & França: Escritório de Advocacia com infraestrutura sólida e constituída por advogados especializados,

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL DO CONTROLE DA CONSTITUCIONALIDADE

DIREITO PROCESSUAL DO CONTROLE DA CONSTITUCIONALIDADE DIREITO PROCESSUAL DO CONTROLE DA CONSTITUCIONALIDADE SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...7 CAPÍTULO I JUSTIFICATIVA, ASPECTOS HISTÓRICOS E SISTEMAS EXISTENTES DE CONTROLE DA CONSTITUCIONALIDADE...19 1. Justificativa

Leia mais

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO-SENSU: ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO EM SAÚDE. (modalidade à distância).

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO-SENSU: ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO EM SAÚDE. (modalidade à distância). C A P E S FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR CAPES DIRETORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA UAB UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA CURSO

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal da Integração Latino-Americana Pró-Reitoria de Graduação

Ministério da Educação Universidade Federal da Integração Latino-Americana Pró-Reitoria de Graduação Ministério da Educação Universidade Federal da Integração Latino-Americana Pró-Reitoria de Graduação MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS E INTEGRAÇÃO COMPONENTES CURRICULARES PRÉ-REQUISITOS

Leia mais

Cronograma 1ª Fase XVI Exame OAB 60 dias

Cronograma 1ª Fase XVI Exame OAB 60 dias Cronograma 1ª Fase VI Exame OAB 60 dias Entenda a Matemática para sua Aprovação A prova de 1ª Fase do Exame de Ordem possui 80 questões objetivas que abrangem as 17 matérias contempladas no edital. Apesar

Leia mais

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 1. Contexto Roteiro 2. Por que é preciso desenvolvimento de capacidades no setor

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL

DIREITO PROCESSUAL PENAL DIREITO PROCESSUAL PENAL Objectivos, métodos de trabalho, programa e bibliografia Ano lectivo de 2015-2016 (1.º Ciclo, 1.º Semestre) Regente: Frederico de Lacerda da Costa Pinto OBJECTIVOS 1. Conhecer

Leia mais

2. Objeto de avaliação

2. Objeto de avaliação Disciplina DIREITO Código - 329 2014/2015 Informação - Prova de Equivalência à Frequência Direito Código da Prova 329/2015 12.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho, com a redação

Leia mais

Conteúdo Básico Comum (CBC) de HISTÓRIA do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano Exames Supletivos/2015

Conteúdo Básico Comum (CBC) de HISTÓRIA do Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano Exames Supletivos/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO ENSINO MÉDIO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Conteúdo

Leia mais

SEGURIDADE SOCIAL DIREITO PREVIDENCIÁRIO SEGURIDADE SOCIAL SEGURIDADE SOCIAL SEGURIDADE SOCIAL PREVIDÊNCIA SOCIAL. Prof. Eduardo Tanaka CONCEITUAÇÃO

SEGURIDADE SOCIAL DIREITO PREVIDENCIÁRIO SEGURIDADE SOCIAL SEGURIDADE SOCIAL SEGURIDADE SOCIAL PREVIDÊNCIA SOCIAL. Prof. Eduardo Tanaka CONCEITUAÇÃO DIREITO PREVIDENCIÁRIO Prof. Eduardo Tanaka CONCEITUAÇÃO 1 2 Conceituação: A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a

Leia mais

DECLARAÇÃO CONJUNTA SOBRE OS RESULTADOS DAS CONVERSAÇÕES OFICIAIS ENTRE O PRESIDENTE DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL, LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA, E O PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO DA RÚSSIA, VLADIMIR V. PUTIN

Leia mais

Prestação de Contas de Projetos Sociais Principais Problemas e Cuidados na Execução. Geovani Ferreira de Oliveira TCU

Prestação de Contas de Projetos Sociais Principais Problemas e Cuidados na Execução. Geovani Ferreira de Oliveira TCU Prestação de Contas de Projetos Sociais Principais Problemas e Cuidados na Execução Geovani Ferreira de Oliveira TCU Definições de Projeto O que é projeto? De acordo com o PMI (2008, p.5), um projeto é

Leia mais

AVII 8º ANO Globalização Qual é a mais próxima da realidade? Como será o futuro? Escola do futuro de 1910 Cidade-prédio de 1895 A era das redes aumentou ou diminuiu o tamanho do mundo?

Leia mais

O IMPÉRIO E AS PRIMEIRAS TENTATIVAS DE ORGANIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO NACIONAL - (1822-1889) Maria Isabel Moura Nascimento

O IMPÉRIO E AS PRIMEIRAS TENTATIVAS DE ORGANIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO NACIONAL - (1822-1889) Maria Isabel Moura Nascimento O IMPÉRIO E AS PRIMEIRAS TENTATIVAS DE ORGANIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO NACIONAL - (1822-1889) Maria Isabel Moura Nascimento Publicado em Navegando na História da Educação Brasileira: http://www.histedbr.fae.unicamp.br/navegando/index.html

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: DIREITO BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 5 (CINCO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 05 (CINCO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO = 08 (OITO)

Leia mais

Ciclo de Palestras Regulação: entre o Público e o Privado

Ciclo de Palestras Regulação: entre o Público e o Privado Ciclo de Palestras Regulação: entre o Público e o Privado Interfaces Regulatórias e Análise de Casos dos Setores de Energia, Telecomunicações e Gás Natural Myller Kairo Coelho de Mesquita Brasília, 9 de

Leia mais

Uma Lei em Favor do Brasil

Uma Lei em Favor do Brasil Uma Lei em Favor do Brasil O ambiente desfavorável aos negócios Hostil às MPE Alta Carga Tributária Burocracia Ineficaz Elevada Informalidade Concorrência Predatória Baixa Competitividade Empreendedorismo

Leia mais

Societário e Mercado de Capitais

Societário e Mercado de Capitais APRESENTAÇÃO Nossos Profissionais Formado por profissionais altamente qualificados para prestar serviços jurídicos em diversas áreas do direito a clientes brasileiros e estrangeiros, com pessoalidade,

Leia mais

EIXO 2 ECONOMIA E DESENVOLVIMENTO

EIXO 2 ECONOMIA E DESENVOLVIMENTO EIXO 2 ECONOMIA E DESENVOLVIMENTO Disciplina: D2.1 Economia Brasileira (24h) (Aula 1 Fase desenvolvimentista 1930/80 e os planos de estabilização nos anos 1980 a 1990) Professora: Maria Abadia Alves 23

Leia mais

Como pensa a Cesgranrio?

Como pensa a Cesgranrio? AÇÃO CIVIL PÚBLICA antecipação de tutela coisa julgada competência direitos indisponíveis inquérito civil legitimidade ativa legitimidade ativa da Defensoria Pública legitimidade ativa da União e dos Estados,

Leia mais

INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA PROCESSO SELETIVO 2015/2016

INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA PROCESSO SELETIVO 2015/2016 INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA POLÍTICA PROCESSO SELETIVO 2015/2016 RELAÇÃO DOS CANDIDATOS INSCRITOS PARA O PROCESSO SELETIVO 2015/2016 MESTRADO EM CIÊNCIA

Leia mais

HISTÓRIA - 6º AO 9º ANO

HISTÓRIA - 6º AO 9º ANO A FORMAÇÃO DO CURRÍCULO DA REDE O solicitou-nos uma base para colocar em discussão com os professores de história da rede de São Roque. O ponto de partida foi a grade curricular formulada em 2008 pelos

Leia mais

Globalização financeira

Globalização financeira Globalização financeira Reinaldo Gonçalves reinaldogoncalves1@gmail.com 1 Sumário 1. Definição 2. Causas 3. Conseqüências 4. Globalização financeira: determinantes específicos 5. Riscos financeiros: taxonomia

Leia mais

A COMUNIDADE EUROPEIA (a seguir designada por "a Comunidade"), O REINO DA BÉLGICA, A REPÚBLICA CHECA, O REINO DA DINAMARCA,

A COMUNIDADE EUROPEIA (a seguir designada por a Comunidade), O REINO DA BÉLGICA, A REPÚBLICA CHECA, O REINO DA DINAMARCA, ACORDO DE COOPERAÇÃO RELATIVO A UM SISTEMA MUNDIAL DE NAVEGAÇÃO POR SATÉLITE (GNSS) PARA UTILIZAÇÃO CIVIL ENTRE A COMUNIDADE EUROPEIA E OS SEUS ESTADOS-MEMBROS, POR UM LADO, E O REINO DE MARROCOS, POR

Leia mais

UNIDADE: FACULDADE DE DIREITO DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS

UNIDADE: FACULDADE DE DIREITO DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS ÍNDICE Código Disciplina Página DIR 02-07411 Direito Constitucional I 2 DIR 02-07417 Direito Constitucional II 3 DIR 02-00609 Direito Constitucional III 4 DIR 02-00759 Direito

Leia mais

Contratos de Transferência de Tecnologia

Contratos de Transferência de Tecnologia Contratos de Transferência de Tecnologia Karin Klempp, LL.M. 8 de abril de 2010 O que é Tecnologia? Conjunto de conhecimentos, especialmente princípios científicos, que se aplicam a um determinado ramo

Leia mais

SEMANA FIESP CIESP DE MEIO AMBIENTE. A Política de Desenvolvimento Produtivo e a Produção Sustentável. São Paulo, 04 de junho de 2008

SEMANA FIESP CIESP DE MEIO AMBIENTE. A Política de Desenvolvimento Produtivo e a Produção Sustentável. São Paulo, 04 de junho de 2008 SEMANA FIESP CIESP DE MEIO AMBIENTE A Política de Desenvolvimento Produtivo e a Produção Sustentável São Paulo, 04 de junho de 2008 SUSTENTABILIDADE X DEMANDAS DO CRESCIMENTO ECONÔMICO 2 Matriz Energética

Leia mais

A política externa do governo Lula: entre a ideologia e o pragmatismo

A política externa do governo Lula: entre a ideologia e o pragmatismo A política externa do governo Lula: entre a ideologia e o pragmatismo Análise Desenvolvimento Daniel Peluso Rodrigues da Silva 15 de Abril de 2010 A política externa do governo Lula: entre a ideologia

Leia mais

A ASSOCIAÇÃO DAS NAÇÕES DO SUDESTE ASIÁTICO E SEU AMBIENTE DE NEGÓCIOS

A ASSOCIAÇÃO DAS NAÇÕES DO SUDESTE ASIÁTICO E SEU AMBIENTE DE NEGÓCIOS www.observatorioasiapacifico.org A ASSOCIAÇÃO DAS NAÇÕES DO SUDESTE ASIÁTICO E SEU AMBIENTE DE NEGÓCIOS Ignacio Bartesaghi 1 O debate na América Latina costuma focar-se no sucesso ou no fracasso dos processos

Leia mais

POLÍTICAS SOCIAIS NO BRASIL. Profa. Lenaura Lobato Universidade Federal Fluminense

POLÍTICAS SOCIAIS NO BRASIL. Profa. Lenaura Lobato Universidade Federal Fluminense POLÍTICAS SOCIAIS NO BRASIL Profa. Lenaura Lobato Universidade Federal Fluminense DÉCADA DE 20 1as. leis acidentes de trabalho - 1919 velhice, invalidez e morte - 1923 Código de menores - 1927 Departamento

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA NÚCLEO DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROJETO BRASIL 3 TEMPOS 50 TEMAS ESTRATÉGICOS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA NÚCLEO DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROJETO BRASIL 3 TEMPOS 50 TEMAS ESTRATÉGICOS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA NÚCLEO DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROJETO BRASIL 3 TEMPOS 50 TEMAS ESTRATÉGICOS O SISTEMA DE IDENTIFICAÇÃO DE ALTERNATIVAS DE FUTURO 1. Apresentação Baseado na fundamentação conceitual

Leia mais

Ministério da Administração do Território

Ministério da Administração do Território Ministério da Administração do Território Decreto Lei n.º 16/99 de 22 de Outubro Havendo necessidade de se reestruturar o estatuto orgânico do Ministério da Administração do território no quadro da reorganização

Leia mais

LEI N 21.156, DE 17 DE JANEIRO DE 2014. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DA AGRICULTURA FAMILIAR.

LEI N 21.156, DE 17 DE JANEIRO DE 2014. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DA AGRICULTURA FAMILIAR. LEI N 21.156, DE 17 DE JANEIRO DE 2014. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DA AGRICULTURA FAMILIAR. (PUBLICAÇÃO - MINAS GERAIS DIÁRIO DO EXECUTIVO - 18/01/2014 PÁG. 2 e 03)

Leia mais

EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. D 3.3 Fundamentos do Direito Público (20h) Professores: Juliana Bonacorsi de Palma e Rodrigo Pagani de Souza

EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. D 3.3 Fundamentos do Direito Público (20h) Professores: Juliana Bonacorsi de Palma e Rodrigo Pagani de Souza EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA D 3.3 Fundamentos do Direito Público (20h) Professores: Juliana Bonacorsi de Palma e Rodrigo Pagani de Souza 29 e 30 de setembro, 01, 05, 06 e 07 de outubro de 2011 ENAP Escola

Leia mais

Governo Aberto e Participação Social. Neide A. D. De Sordi

Governo Aberto e Participação Social. Neide A. D. De Sordi Governo Aberto e Participação Social Neide A. D. De Sordi O Direito de Acesso à Informação Pública Direito fundamental relacionado ao desenvolvimento, à governabilidade, ao combate à corrupção e ainda

Leia mais

Análise Comparativa à Filosofia, à Ideologia e aos Princípios de Atuação das Associações Sindicais e Patronais

Análise Comparativa à Filosofia, à Ideologia e aos Princípios de Atuação das Associações Sindicais e Patronais Estudo 2015 Análise Comparativa à Filosofia, à Ideologia e aos Princípios de Atuação das Associações Sindicais e Patronais OPBPL Novembro de 2009 e Março de 2015 http://opbpl.cies.iscte-iul.pt O OPBPL

Leia mais

IV REUNIÃO ORDINÁRIA DO FORO CONSULTIVO DE MUNICÍPIOS, ESTADOS FEDERADOS, PROVÍNCIAS E DEPARTAMENTOS

IV REUNIÃO ORDINÁRIA DO FORO CONSULTIVO DE MUNICÍPIOS, ESTADOS FEDERADOS, PROVÍNCIAS E DEPARTAMENTOS MERCOSUL/FCCR /ATA N 02/08 IV REUNIÃO ORDINÁRIA DO FORO CONSULTIVO DE MUNICÍPIOS, ESTADOS FEDERADOS, PROVÍNCIAS E DEPARTAMENTOS Realizou-se em Costa do Sauípe- Bahia, República Federativa do Brasil, na

Leia mais

Marco Legal para Negócios Sustentáveis no Brasil

Marco Legal para Negócios Sustentáveis no Brasil Marco Legal para Negócios Sustentáveis no Brasil Vinicius Diniz Vizzotto, LL.M Mestrando em Direito Internacional Econômico Universidade Federal do Rio Grande do Sul Fórum Fundo Vale 08 de maio de 2012

Leia mais

X Legislatura Número: 24 III Sessão Legislativa (2013/2014) Quarta-feira, 05 de fevereiro de 2014. Suplemento

X Legislatura Número: 24 III Sessão Legislativa (2013/2014) Quarta-feira, 05 de fevereiro de 2014. Suplemento Região Autónoma da Madeira Assembleia Legislativa X Legislatura Número: 24 III Sessão Legislativa (2013/2014) Quarta-feira, 05 de fevereiro de 2014 Suplemento Sumário Decreto: - Define a titularidade de

Leia mais

Carteira de projetos prioritários para 2014. Propostas a serem entregues aos presidenciáveis. Mapa Estratégico DA INDÚSTRIA 2013-2022

Carteira de projetos prioritários para 2014. Propostas a serem entregues aos presidenciáveis. Mapa Estratégico DA INDÚSTRIA 2013-2022 Carteira de projetos prioritários para 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis Mapa Estratégico da Indústria 2013-2022 OBS: AJUSTAR TAMANHO DA LOMBADA COM O CÁLCULO FINAL DO MIOLO. Mapa Estratégico

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL VIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Com fundamento na recente Lei n. 1.234, do Estado Y, que exclui as entidades de direito privado da Administração Pública do dever de licitar, o banco X (empresa pública

Leia mais

Novos Tempos - Novas Oportunidades - Novo Negócios

Novos Tempos - Novas Oportunidades - Novo Negócios Novos Tempos - Novas Oportunidades - Novo Negócios O que é a Câmara? Câmara de Comércio do Mercosul e União Latino América 01 A Câmara de Comércio do Mercosul e União Latino América (CCM-ULA) é uma Instituição

Leia mais

O DIREITO FUNDAMENTAL À RAZOÁVEL DURAÇÃO DO PROCESSO. Editora Brasília Jurídica. Brasília, 2006

O DIREITO FUNDAMENTAL À RAZOÁVEL DURAÇÃO DO PROCESSO. Editora Brasília Jurídica. Brasília, 2006 SAMUEL MIRANDA ARRUDA Doutor em Ciências Jurídico-Políticas pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e Mestre em Direito Público pela UFC. Bacharel em Direito e em Engenharia Civil. Professor

Leia mais

Política de Recursos Humanos e Prevenção de Riscos Laborais

Política de Recursos Humanos e Prevenção de Riscos Laborais LIVRO DE POLÍTICAS ÍNDICE Lista de políticas: SUSTENTABILIDADE E INOVAÇÃO Política de Sustentabilidade Política de Inovação ÂMBITO ECONÔMICO E DE BOA GOVERNANÇA Política de Anticorrupção Política de Antitruste

Leia mais

GEOGRAFIA DO BRASIL AULA GRATUITA

GEOGRAFIA DO BRASIL AULA GRATUITA GEOGRAFIA DO BRASIL AULA GRATUITA O Brasil e as Nações Unidas As Nações Unidas (ONU), organização intergovernamental e política fundada em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, têm como objetivos principais

Leia mais

Ementário do curso de

Ementário do curso de Introdução ao Estudo de I Ementário do curso de A sociedade. e ordem jurídica. Conceito de justiça. e moral. Fontes do. Positivo. objetivo e subjetivo. Público e Privado. Capacidade das pessoas. Filosofia

Leia mais

ESPAÇO RURAL ALIMENTOS PARA OS BRASILEIROS E PARA O MUNDO

ESPAÇO RURAL ALIMENTOS PARA OS BRASILEIROS E PARA O MUNDO ESPAÇO RURAL ALIMENTOS PARA OS BRASILEIROS E PARA O MUNDO Introdução O modelo de desenvolvimento rural nos últimos tempos, baseado na modernização agrícola conservou muitas das características históricas

Leia mais

CAMEX- CÂMARA DE COMÉRCIO EXTERIOR

CAMEX- CÂMARA DE COMÉRCIO EXTERIOR CAMEX- CÂMARA DE COMÉRCIO EXTERIOR Anita Pereira ANDRADE 1 Carlos Augusto P. ANDRADE 2 Fellipe Oliveira ULIAM³ RESUMO: O presente trabalho aborda como tema central a Câmara de Comercio Exterior, bem como

Leia mais

URUGUAI. Aprovações 590 1,396 Risco soberano 590 1,395 Risco privado 0 1 Desembolsos 377 623 Risco soberano 377 623 Risco privado 0 0

URUGUAI. Aprovações 590 1,396 Risco soberano 590 1,395 Risco privado 0 1 Desembolsos 377 623 Risco soberano 377 623 Risco privado 0 0 URUGUAI O Programa de Investimento Público em Infraestrutura Rodoviária do Uruguai prevê obras de reconstrução e reabilitação de rodovias das redes primárias e secundárias do país, além de obras de manutenção

Leia mais