Carteira de projetos prioritários para Propostas a serem entregues aos presidenciáveis. Mapa Estratégico DA INDÚSTRIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Carteira de projetos prioritários para 2014. Propostas a serem entregues aos presidenciáveis. Mapa Estratégico DA INDÚSTRIA 2013-2022"

Transcrição

1 Carteira de projetos prioritários para 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis Mapa Estratégico da Indústria OBS: AJUSTAR TAMANHO DA LOMBADA COM O CÁLCULO FINAL DO MIOLO. Mapa Estratégico DA INDÚSTRIA

2

3 Carteira de projetos prioritários para 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis Mapa Estratégico da Indústria OBS: AJUSTAR TAMANHO DA LOMBADA COM O CÁLCULO FINAL DO MIOLO. Mapa Estratégico DA INDÚSTRIA Fevereiro de 2014

4

5 Conteúdo EDUCAÇÃO 9 1. Educação para o mundo do trabalho Recursos humanos para inovação: engenheiros e tecnólogos 12 AMBIENTE MACROECONÔMICO Melhoria da gestão fiscal Agenda para a previdência 16 EFICIÊNCIA DO ESTADO Melhoria do processo orçamentário Governança para a competitividade da indústria brasileira Custo do atraso das obras de infraestrutura* Aperfeiçoamento e fortalecimento das agências reguladoras* 22 SEGURANÇA JURÍDICA E BUROCRACIA Regulação e fiscalização Desburocratização dos procedimentos de comércio exterior* Desburocratização dos procedimentos relativos a trabalho e previdência social* Desburocratização dos procedimentos de pagamento de tributos* Aperfeiçoamento do sistema de licenciamento ambiental Aprimoramento da relação fisco-contribuinte 30 DESENVOLVIMENTO DE MERCADOS Agenda de acordos de comércio Agenda de redução do custo dos serviços para a indústria Agendas bilaterais Investimentos brasileiros no exterior Desburocratização dos procedimentos de comércio exterior* Reforma institucional do comércio exterior Agenda setorial para a política industrial Agenda bioeconomia Agenda de desenvolvimento regional 41

6 RELAÇÕES DE TRABALHO Modernização trabalhista Valorização da negociação coletiva Terceirização Desburocratização dos procedimentos relativos a trabalho e previdência social* Mensuração e redução do custo do trabalho 49 FINANCIAMENTO Desenvolvimento do mercado de títulos privados Agenda de financiamento à inovação* 54 INFRAESTRUTURA Aperfeiçoamento e fortalecimento das agências reguladoras* Agenda do setor elétrico Agenda de portos Agenda de saneamento Agenda de concessões Custo do atraso das obras de infraestrutura* Matriz energética Eixos logísticos Gás natural 65 TRIBUTAÇÃO Desburocratização dos procedimentos de pagamento de tributos* Redução da cumulatividade e simplificação do sistema tributário Estratégia tributária Custo tributário do investimento Aperfeiçoamento do SIMPLES Nacional 73 INOVAÇÃO E PRODUTIVIDADE Modernização do marco legal da inovação Governança para as políticas de inovação Agenda de financiamento à inovação* Agenda de propriedade intelectual 80

7 DIAGRAMA DO MAPA ESTRATÉGICO DA INDÚSTRIA competitividade com sustentabilidade ambiente macroeconômico Estabilidade e previsibilidade Taxa de investimento eficiência do estado inovação e produtividade RELAÇÕES DE TRABALHO Modernização das relações de trabalho Custo do trabalho Ambiente institucional e estrutura de incentivos à inovação Serviços tecnológicos Gestão empresarial FINANCIAMENTO Financiamento bancário Mercado de capitais Micro, pequenas e médias empresas desenvolvimento de mercados Acesso a mercados Internacionalização Cadeias produtivas globais Políticas setoriais Desenvolvimento regional segurança jurídica E Burocracia Gestão do gasto público INFRAESTRUTURA TRIBUTAÇÃO Logística de transportes Energia Telecomunicações Saneamento Carga tributária Desoneração de investimentos e exportações Simplificação e transparência Previsibilidade das normas Agilidade do Judiciário Desburocratização Licenciamento ambiental educação Educação básica Educação profissional Formação de engenheiros e tecnólogos

8

9 Educação

10

11 1. Educação para o mundo do trabalho Educação básica e educação profissional Elaborar recomendações para aumentar a qualidade da educação básica, com foco na preparação do estudante para o mundo do trabalho e, consequentemente, elevar a produtividade da mão de obra e a competitividade da indústria brasileira. Agenda com recomendações para aumentar a qualidade da educação básica voltada para o mundo do trabalho. Maio 2014 Gerência Executiva de Estudos e Prospectiva Diretoria de Educação e Tecnologia DIRET Gerente Executivo: Luiz Antonio Caruso fone:

12 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 2. Recursos humanos para inovação: engenheiros e tecnólogos Formação de engenheiros e tecnólogos Elaborar propostas de modernização dos currículos de engenharia, com o objetivo de reduzir a evasão, otimizar o aprendizado e direcionar os cursos para a formação de engenheiros qualificados para o mercado de trabalho atual. Como consequência, espera-se o aumento da oferta de engenheiros, com uma formação mais aplicada e aderente às expectativas da indústria, resultando em mais inovação e aumento da competitividade brasileira. Proposta de reestruturação dos currículos dos cursos de engenharias. Abril 2014 Gerência de Promoção da Inovação Diretoria de Inovação Gerente: Luis Gustavo Delmont fone:

13 Ambiente macroeconômico 13

14

15 3. Melhoria da gestão fiscal Estabilidade e previsibilidade Aumentar a previsibilidade e a estabilidade macroeconômica do país, por meio da revisão das regras fiscais, com o objetivo de estimular o investimento. Avaliar as regras fiscais vigentes com base nas melhores práticas internacionais, em especial do Reino Unido e dos países da Zona do Euro, e propor melhorias ao sistema brasileiro. Diagnóstico sobre as regras fiscais do Brasil e recomendações de melhoria. Maio 2014 Gerência Executiva de Política Econômica (PEC) Diretoria de Políticas e Estratégia Gerente Executivo: Flávio Castelo Branco fone:

16 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 4. Agenda para a previdência Estabilidade e previsibilidade Contribuir para a revisão do sistema previdenciário, visando à sua sustentabilidade e a consequente redução do déficit fiscal, com efeitos positivos sobre o peso dos tributos pagos pelas empresas e sua competitividade. Identificar os pontos prioritários de mudanças com vistas a elaborar estratégia de ação. Agenda com recomendações de aperfeiçoamento e estratégia de ação para viabilizar a reforma do sistema previdenciário. Maio 2014 Gerência Executiva de Política Econômica (PEC) Diretoria de Políticas e Estratégia Gerente Executivo: Flávio Castelo Branco fone:

17 Eficiência do Estado 17

18

19 5. Melhoria do processo orçamentário Gestão do gasto público Avaliar o processo de construção do orçamento do governo brasileiro com o objetivo de identificar oportunidades de aperfeiçoamento visando maior eficiência no emprego dos recursos públicos, em especial do destinado a investimento. A referência é a experiência do Reino Unido. Diagnóstico do processo de elaboração e execução do orçamento público no Brasil e recomendações para seu aperfeiçoamento. Maio 2014 Gerência Executiva de Política Econômica (PEC) Diretoria de Políticas e Estratégia Gerente Executivo: Flávio Castelo Branco fone:

20 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 6. Governança para a competitividade da indústria brasileira Gestão do gasto público Contribuir para o aumento da eficiência do Estado na gestão de ações para o aumento da competitividade. Identificar os principais elementos de um modelo de governança e gestão que concorra para uma melhor coordenação das iniciativas e ações do governo na área de competitividade, com base no exame de experiências nacionais e internacionais. Proposta de diretrizes para a construção de um modelo de governança e gestão, sobretudo para as ações da agenda de competitividade. Junho 2014 Gerência Executiva de Pesquisa e Competitividade (GPC) Diretoria de Políticas e Estratégia Gerente Executivo: Renato da Fonseca fone:

21 7. Custo do atraso das obras de infraestrutura* Gestão do gasto público Aumentar o investimento em infraestrutura no Brasil e sua eficiência com base na redução dos atrasos das obras e dos custos decorrentes. Identificar as razões e os custos dos atrasos nas obras de infraestrutura e elaborar recomendações com vistas à redução dos atrasos e ao aumento da eficiência do investimento público em infraestrutura. Estudo com a mensuração do custo do atraso de seis obras selecionadas de diferentes setores e regiões do Brasil, identificação das razões do atraso e recomendações para a melhoria na execução e gestão das obras de infraestrutura. Março 2014 Gerência Executiva de Infraestrutura Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executivo: Wagner Cardoso fone: * Este projeto também atende aos temas prioritários Logística de transportes, Energia e Saneamento do fator-chave Infraestrutura. 21

22 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 8. Aperfeiçoamento e fortalecimento das agências reguladoras* Logística de transportes, Energia e Telecomunicações Fortalecer e aumentar a eficiência das agências reguladoras. Elaborar recomendações para o aperfeiçoamento e o fortalecimento da eficiência das agências reguladoras federais. Recomendações para o fortalecimento e aumento da eficiência das agências reguladoras federais. Fevereiro 2014 Gerência Executiva de Infraestrutura Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executivo: Wagner Cardoso fone: * Este projeto também atende aos temas prioritários Logística de transportes, Energia e Telecomunicações do fator-chave Infraestrutura. 22

23 Segurança jurídica e burocracia 23

24

25 9. Regulação e fiscalização Previsibilidade das normas Avaliar as práticas de fiscalização no Brasil, em comparação com as práticas internacionais, com o objetivo de melhorar a relação entre as empresas e os órgãos e agências governamentais de fiscalização e regulação, privilegiando a fiscalização orientadora ao invés da punitiva, dar mais transparência, estabilidade e previsibilidade ao processo e reduzir a insegurança jurídica. Diagnóstico das práticas brasileiras de fiscalização nas áreas tributária, de meio ambiente e de relações do trabalho comparadas a práticas internacionais e um conjunto de recomendações de procedimentos a serem adotados pelos órgãos e agências brasileiras. Maio 2014 Gerência Executiva de Relacionamento com o Poder Executivo (COEX) Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executivo: Pablo Silva Cesário fone:

26 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 10. Desburocratização dos procedimentos de comércio exterior Desburocratização e Previsibilidade das normas Elaborar propostas de aperfeiçoamento da legislação e dos procedimentos de comércio exterior do Brasil com o objetivo de melhorar o ambiente de negócios e o acesso aos mercados externos. As propostas terão como foco a simplificação dos procedimentos para estimular o comércio exterior brasileiro, reduzir os custos da integração das empresas às cadeias globais de valor e, consequentemente, aumentar a participação do Brasil na produção mundial de manufaturados. Conjunto de propostas de novas redações das normas legais, infralegais e administrativas referentes ao comércio exterior, com redução da burocracia. Abril 2014 Gerência Executiva de Comércio Exterior (COMEX) Diretoria de Desenvolvimento Industrial Gerente Executivo: Diego Zancan Bonomo fone: * Este projeto também atende aos temas prioritários Acesso a mercados e Cadeias produtivas globais do fator-chave Desenvolvimento de Mercados. 26

27 11. Desburocratização dos procedimentos relativos a trabalho e previdência social* Desburocratização e Previsibilidade das normas Elaborar propostas de simplificação das normas legais e procedimentos relativos às relações de trabalho e à previdência social, com o objetivo de reduzir os custos com o excesso de burocracia e aumentar a segurança jurídica. Conjunto de recomendações de novas redações das normas legais, com redução da burocracia na legislação e procedimentos relativos às relações de trabalho e previdência social. Abril 2014 Gerência Executiva de Relações do Trabalho (RT) Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executiva: Sylvia Lorena T. Sousa fone: * Este projeto também atende aos temas prioritários Modernização das relações de trabalho e Custo do trabalho do fator-chave Relações de Trabalho. 27

28 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 12. Desburocratização dos procedimentos de pagamento de tributos* Desburocratização e Previsibilidade das normas Elaborar propostas com o objetivo de simplificar os procedimentos para pagamento de tributos e aumentar a segurança jurídica, contribuindo para a melhoria do ambiente de negócios no Brasil. Conjunto de propostas de novas redações das normas legais referentes a pagamentos de tributos, com redução da burocracia. Junho 2014 Gerência Executiva de Política Econômica (PEC) Diretoria de Políticas e Estratégia Gerente Executivo: Flávio Castelo Branco fone: * Este projeto também atende ao tema prioritário Carga tributária do fator-chave Tributação. 28

29 13. Aperfeiçoamento do sistema de licenciamento ambiental Licenciamento ambiental Aperfeiçoar o sistema de licenciamento ambiental brasileiro, de forma a torná-lo mais ágil e eficiente e reduzir a insegurança jurídica. Será realizada uma avaliação da situação atual e serão elaboradas propostas por meio da identificação dos principais problemas relacionados ao processo. Agenda de diretrizes para o aperfeiçoamento do licenciamento ambiental no Brasil e um conjunto de propostas normativas. Março 2014 Gerência Executiva de Meio Ambiente e Sustentabilidade (GEMAS) Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executivo: Shelley Carneiro fone:

30 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 14. Aprimoramento da relação fisco-contribuinte Previsibilidade das normas Aumentar a transparência e previsibilidade na elaboração das normas e redução dos riscos, da insegurança jurídica e dos custos dos negócios, por meio do aperfeiçoamento dos canais de comunicação entre o contribuinte e o Poder Executivo federal, de modo a permitir uma participação mais efetiva do contribuinte no processo de elaboração de normas tributárias. Estudo que demonstre a importância da participação do setor privado na discussão e na elaboração de normas federais sobre tributação e recomendações de aperfeiçoamento do processo de comunicação fisco-contribuinte. Maio 2014 Gerência Executiva Jurídica Diretoria Jurídica Gerente Executivo: Cássio Augusto Borges fone:

31 Desenvolvimento de mercados 31

32

33 15. Agenda de acordos de comércio Acesso a mercados Elaborar propostas de diretrizes para as negociações de acordos comerciais, com o objetivo de aumentar o acesso das empresas brasileiras a mercados externos importantes. Agenda com recomendações e diretrizes para a celebração de acordos regionais e multilaterais pelo Brasil. Abril 2014 Gerência Executiva de Negociações Internacionais (NegInt) Diretoria de Desenvolvimento Industrial Gerente Executiva: Soraya Rosar fone:

34 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 16. Agenda de redução do custo dos serviços para a indústria Acesso a mercados e Internacionalização Elaborar um estudo destacando a importância dos serviços para a competitividade da indústria brasileira e propostas com vistas à redução da carga tributária sobre as importações de serviços. Estudo sobre a importância dos serviços para a competitividade da indústria brasileira e recomendações para a redução da carga tributária incidente sobre as importações de serviços. Março 2014 Gerência Executiva de Negociações Internacionais (NegInt) Diretoria de Desenvolvimento Industrial Gerente Executiva: Soraya Rosar fone:

35 17. Agendas bilaterais Acesso a mercados Aprofundar as relações comerciais e de investimento entre o Brasil e parceiros comerciais relevantes e estratégicos, de modo a aumentar o acesso das empresas brasileiras aos mercados externos. Identificar relações bilaterais importantes e desenvolver agendas com diretrizes para o aprofundamento dessas relações. Conjunto de agendas de negociações bilaterais para países ou grupos de países identificados como importantes e/ou estratégicos para o aumento das exportações e dos investimentos brasileiros. Abril 2014 Gerência Executiva de Comércio Exterior (COMEX) Diretoria de Desenvolvimento Industrial Gerente Executivo: Diego Zancan Bonomo fone:

36 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 18. Investimentos brasileiros no exterior Internacionalização Elaborar estudos e recomendações com o intuito de aumentar a presença internacional das empresas brasileiras e, consequentemente, aumentar a competitividade da indústria em decorrência do maior acesso a novas tecnologias, mercados e fonte de financiamento. Agenda com recomendações para apoiar e facilitar os investimentos brasileiros no exterior. Março 2014 Gerência Executiva de Negociações Internacionais (NegInt) Diretoria de Desenvolvimento Industrial Gerente Executiva: Soraya Rosar fone:

37 10. Desburocratização dos procedimentos de comércio exterior* Desburocratização e Previsibilidade das normas Elaborar propostas de aperfeiçoamento da legislação e dos procedimentos de comércio exterior do Brasil com o objetivo de melhorar o ambiente de negócios e o acesso aos mercados externos. As propostas terão como foco a simplificação dos procedimentos para estimular o comércio exterior brasileiro, reduzir os custos da integração das empresas às cadeias globais de valor e, consequentemente, aumentar a participação do Brasil na produção mundial de manufaturados. Conjunto de propostas de novas redações das normas legais, infralegais e administrativas referentes ao comércio exterior, com redução da burocracia. Abril 2014 Gerência Executiva de Comércio Exterior (COMEX) Diretoria de Desenvolvimento Industrial Gerente Executivo: Diego Zancan Bonomo fone: * Este projeto também atende ao tema prioritário Desburocratização do fator-chave Segurança jurídica e burocracia. 37

38 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 19. Reforma institucional do comércio exterior Acesso a mercados Ampliar a eficiência e eficácia das ações de regulação e apoio ao comércio exterior. Avaliação dos procedimentos e aparatos institucionais de tomada de decisão do governo federal em matéria de comércio exterior e de oferta de serviços públicos relacionados às atividades de exportação e importação. Elaborar proposta de aperfeiçoamento da gestão e do aparato institucional. Agenda com recomendações para o aperfeiçoamento do aparato institucional e da governança relativos ao comércio exterior brasileiro. Abril 2014 Gerência Executiva de Comércio Exterior (COMEX) Diretoria de Desenvolvimento Industrial Gerente Executivo: Diego Zancan Bonomo fone:

39 20. Agenda setorial para a política industrial Políticas setoriais Consolidar as demandas setoriais e elaborar diretrizes e propostas de ações e políticas para aproveitar as oportunidades de desenvolvimento de setores específicos e apoiar a condução da política industrial brasileira. Agenda com recomendações, ações e políticas prioritárias para setores específicos, sobretudo para os contemplados pelo Plano Brasil Maior. Maio 2014 Gerência Executiva de Política Industrial (GEPI) Diretoria de Desenvolvimento Industrial Gerente Executivo: João Emílio P. Gonçalves fone:

40 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 21. Agenda bioeconomia Políticas setoriais Apoiar o desenvolvimento dos setores ligados à Bioeconomia. Elaborar uma agenda para a Bioeconomia, nos segmentos da biotecnologia industrial, do setor primário e da saúde humana. A agenda será pautada pelo respeito à sustentabilidade e com vistas à promoção do desenvolvimento científico e tecnológico e da competitividade da indústria nacional frente ao mercado global. Agenda de propostas para o desenvolvimento da bioeconomia no Brasil. Fevereiro 2014 Gerência Executiva de Política Industrial (GEPI) Diretoria de Desenvolvimento Industrial Gerente Executivo: João Emílio P. Gonçalves fone:

41 22. Agenda de desenvolvimento regional Desenvolvimento regional Estimular o desenvolvimento das regiões menos desenvolvidas do Brasil e a redução da desigualdade econômica e social. Avaliação das desigualdades regionais e elaboração de uma agenda com recomendações para o crescimento da indústria nas regiões menos desenvolvidas e redução das desigualdades. Estudo sobre as desigualdades regionais e agenda com recomendações para sua redução, ou seja, para o crescimento econômico das regiões menos desenvolvidas. Maio 2014 Gerência Executiva de Política Econômica (PEC) Diretoria de Políticas e Estratégia Gerente Executivo: Flávio Castelo Branco fone:

42

43 Relações de trabalho 43

44

45 23. Modernização trabalhista Modernização das relações de trabalho Elaborar propostas de modernização das relações do trabalho, com o objetivo de reestruturar e simplificar o tratamento de temas trabalhistas, reduzir custos diretos e indiretos e insegurança jurídica, sem redução de direitos dos trabalhadores. Conjunto de recomendações, com novas redações de normas legais, visando à modernização trabalhista, com redução de custos e da insegurança jurídica. Abril 2014: relação e descrição de temas e recomendações, e a indicação de propostas legais existentes a ser apoiadas, em sendo o caso. Setembro 2014: propostas de lei em relação aos temas em que ainda não há propostas de textos legais a serem apoiadas. Gerência Executiva de Relações do Trabalho (RT) Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executiva: Sylvia Lorena T. Sousa fone:

46 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 24. Valorização da negociação coletiva Modernização das relações de trabalho Estimular a modernização das relações de trabalho através da valorização e reconhecimento da negociação coletiva. Desenvolver um estudo mostrando as vantagens da negociação coletiva, bem como sua importância para estimular o emprego e o aumento da produtividade do trabalho. Elaborar proposta legislativa que garanta o reconhecimento da negociação coletiva, o afastamento da ultratividade das normas coletivas e a redução da insegurança jurídica. Estudo sobre a importância da negociação coletiva e proposta legislativa para seu reconhecimento e valorização. Abril 2014: Estudo Setembro 2014: Proposta legislativa Gerência Executiva de Relações do Trabalho (RT) Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executiva: Sylvia Lorena T. Sousa fone:

47 25. Terceirização Modernização das relações de trabalho Defender a importância e a necessidade da regulamentação da terceirização como prevista no PL Elaboração de estudos sobre a realidade produtiva que envolve a terceirização e sua importância para o aumento da competitividade da indústria brasileira e da geração de empregos. Estudo que mostra a importância da terceirização para a competitividade dos setores econômicos e suporte ao PL Abril 2014 Gerência Executiva de Relações do Trabalho (RT) Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executiva: Sylvia Lorena T. Sousa fone:

48 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 11. Desburocratização dos procedimentos relativos a trabalho e previdência social* Desburocratização e Previsibilidade das normas Elaborar propostas de simplificação das normas legais e procedimentos relativos às relações de trabalho e à previdência social, com o objetivo de reduzir os custos com o excesso de burocracia e aumentar a segurança jurídica. Conjunto de recomendações de novas redações das normas legais, com redução da burocracia na legislação e procedimentos relativos às relações de trabalho e previdência social. Abril 2014 Gerência Executiva de Relações do Trabalho (RT) Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executiva: Sylvia Lorena T. Sousa fone: * Este projeto também atende aos temas prioritários Desburocratização e Previsibilidade das normas do fator-chave Segurança jurídica e burocracia. 48

49 26. Mensuração e redução do custo do trabalho Custo do trabalho Examinar a situação do custo do trabalho no Brasil, tendo como referência experiências internacionais, com o intuito de definir propostas para a redução do custo no Brasil. Estudo comparativo do custo do trabalho no Brasil e em países selecionados. Visão geral: Junho 2014 Comparações internacionais: Agosto 2014 Gerência Executiva de Relações do Trabalho (RT) Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executiva: Sylvia Lorena T. Sousa fone:

50

51 Financiamento 51

52

53 27. Desenvolvimento do mercado de títulos privados Mercado de capitais Ampliar a capacidade de investimento das empresas por meio do estímulo ao mercado de capitais. Desenvolver diagnóstico, identificar oportunidades de melhoria e elaborar propostas de aperfeiçoamento das normas regulatórias brasileiras com o objetivo de estimular o mercado de debêntures brasileiro. A comparação internacional se dará com base na experiência do Reino Unido. Diagnóstico do mercado de debêntures no Brasil e propostas de aperfeiçoamento das normas regulatórias. Abril 2014 Gerência Executiva de Política Econômica (PEC) Diretoria de Políticas e Estratégia Gerente Executivo: Flávio Castelo Branco fone:

54 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 28. Agenda de financiamento à inovação* Financiamento bancário Elaborar propostas para ampliar os recursos financeiros voltados para a inovação. Desenvolver estudo de avaliação do sistema brasileiro de financiamento para a inovação e elaborar recomendações para seu aperfeiçoamento. Documento com diagnóstico e recomendações para o aperfeiçoamento do sistema brasileiro de financiamento para a inovação. Abril 2014 Gerência de Promoção da Inovação Diretoria de Inovação Gerente: Luis Gustavo Delmont fone: * Este projeto também atende ao tema prioritário Ambiente institucional e de incentivos à inovação do fator-chave Inovação e produtividade. 54

55 Infraestrutura 55

56

57 8. Aperfeiçoamento e fortalecimento das agências reguladoras* Logística de transportes, Energia e Telecomunicações Fortalecer e aumentar a eficiência das agências reguladoras. Elaborar recomendações para o aperfeiçoamento e o fortalecimento da eficiência das agências reguladoras federais. Recomendações para o fortalecimento e aumento da eficiência das agências reguladoras federais. Fevereiro 2014 Gerência Executiva de Infraestrutura Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executivo: Wagner Cardoso fone: * Este projeto também atende ao tema prioritário Gestão do gasto público do fator-chave Eficiência do Estado. 57

58 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 29. Agenda do setor elétrico Energia Desenvolver diagnóstico do sistema elétrico brasileiro posterior à Lei /2013 e elaborar recomendações com o objetivo de amentar a eficiência do sistema elétrico brasileiro. Agenda com recomendações para o aumento da eficiência do setor elétrico. Abril 2014 Gerência Executiva de Infraestrutura Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executivo: Wagner Cardoso fone:

59 30. Agenda de portos Logística de transportes Estimular o aumento da oferta portuária brasileira, bem como a eficiência do setor de forma a eliminar os gargalos e reduzir os custos para a indústria, com aumento de sua competitividade. Avaliar o novo marco legal do setor portuário brasileiro, identificar oportunidades de aperfeiçoamento e elaborar recomendações para o aumento da eficiência dos portos. Agenda com recomendações para o aumento da eficiência dos portos brasileiros. Março 2014 Gerência Executiva de Infraestrutura Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executivo: Wagner Cardoso fone:

60 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 31. Agenda de saneamento Saneamento Elaborar recomendações com o intuito de estimular o crescimento da oferta e a modernização dos serviços de saneamento básico com vistas à universalização. Identificar as oportunidades para os setores envolvidos no processo como, por exemplo, construção, siderurgia, química, minerais não metálicos (cimento), entre outros. Agenda com recomendações para a universalização dos serviços de saneamento. Março 2014 Gerência Executiva de Infraestrutura Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executivo: Wagner Cardoso fone:

61 32. Agenda de concessões Logística de transportes e energia Avaliar os programas de concessões do governo federal, identificar oportunidades de melhorias e elaborar recomendações, com o objetivo de aumentar a oferta de infraestrutura no Brasil. Diagnóstico dos programas federais de concessões e recomendações para o aumento da participação do setor privado. Março 2014 Gerência Executiva de Infraestrutura Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executivo: Wagner Cardoso fone:

62 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 7. Custo do atraso das obras de infraestrutura* Gestão do gasto público Aumentar o investimento em infraestrutura no Brasil e sua eficiência com base na redução dos atrasos das obras e dos custos decorrentes. Identificar as razões e os custos dos atrasos nas obras de infraestrutura e elaborar recomendações com vistas à redução dos atrasos e ao aumento da eficiência do investimento público em infraestrutura. Estudo com a mensuração do custo do atraso de seis obras selecionadas de diferentes setores e regiões do Brasil, identificação das razões do atraso e recomendações para a melhoria na execução e gestão das obras de infraestrutura. Março 2014 Gerência-Executiva de Infraestrutura Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executivo: Wagner Cardoso fone: * Este projeto também atende ao tema prioritário Gestão do gasto público do fator-chave Eficiência do Estado. 62

63 33. Matriz energética Energia Elaborar recomendações com o objetivo de aumentar a segurança da matriz energética brasileira, por meio da identificação de oportunidades de modernização e diversificação. Agenda com recomendações para a diversificação da matriz energética, tendo como foco a segurança do setor energético e a competitividade da indústria nacional. Abril 2014 Gerência Executiva de Infraestrutura Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executivo: Wagner Cardoso fone:

64 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 34. Eixos logísticos Logística de transportes Reduzir os custos de transporte de cargas no Brasil, por meio da integração dos eixos logísticos. Identificar os projetos logísticos prioritários para a competitividade da indústria, por meio da consolidação dos projetos Norte, Sul, Centro-Oeste e Nordeste Competitivo. Agenda com recomendações para a integração dos eixos logísticos de transporte de carga. Março 2014 Gerência Executiva de Infraestrutura Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executivo: Wagner Cardoso fone:

65 35. Gás natural Energia Aumentar a participação do gás natural na matriz energética brasileira. Desenvolver estudos para identificar oportunidades e elaborar recomendações para aumentar a oferta de gás natural com segurança e a preços competitivos. Agenda com recomendações para o fornecimento competitivo de gás natural para a indústria brasileira. Abril 2014 Gerência Executiva de Infraestrutura Diretoria de Relações Institucionais Gerente Executivo: Wagner Cardoso fone:

66

67 Tributação 67

68

69 12. Desburocratização dos procedimentos de pagamento de tributos* Desburocratização e Previsibilidade das normas Elaborar propostas com o objetivo de simplificar os procedimentos para pagamento de tributos e aumentar a segurança jurídica, contribuindo para a melhoria do ambiente de negócios no Brasil. Conjunto de propostas de novas redações das normas legais referentes a pagamentos de tributos, com redução da burocracia. Junho 2014 Gerência Executiva de Política Econômica (PEC) Diretoria de Políticas e Estratégia Gerente Executivo: Flávio Castelo Branco fone: * Este projeto também atende ao tema prioritário Desburocratização do fator-chave Segurança jurídica e burocracia. 69

70 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 36. Redução da cumulatividade e simplificação do sistema tributário Carga tributária, Simplificação e transparência e Desoneração de investimentos e exportações Reduzir a cumulatividade e a complexidade do sistema tributário brasileiro, aumentando a transparência e reduzindo a insegurança jurídica. Avaliar o sistema brasileiro de tributação sobre o consumo e circulação de bens e serviços e elaborar recomendações para o redesenho do sistema tributário brasileiro. A referência é a experiência da União Europeia. Estudo comparativo da tributação e conjunto de recomendações para o redesenho da tributação sobre consumo e circulação de bens e serviços. Maio 2014 Gerência Executiva de Política Econômica (PEC) Diretoria de Políticas e Estratégia Gerente Executivo: Flávio Castelo Branco fone:

71 37. Estratégia tributária Carga tributária, Simplificação e transparência e Desoneração de investimentos e exportações Desenvolver estratégia visando à reforma do sistema tributário brasileiro e identificar pontos prioritários de mudanças para aumentar a competitividade dos produtos brasileiros. Estratégia de ação para viabilizar a reforma do sistema tributário. Maio 2014 Gerência Executiva de Política Econômica (PEC) Diretoria de Políticas e Estratégia Gerente Executivo: Flávio Castelo Branco fone:

72 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 38. Custo tributário do investimento Desoneração de investimentos e exportações Identificar os efeitos da tributação no custo do investimento e mensuração do impacto, com base em um estudo comparativo entre o Brasil e países selecionados. Elaboração de propostas com o objetivo de eliminar o aumento do custo dos investimentos provocado pela tributação. Estudo comparativo sobre os efeitos da tributação no custo do investimento e recomendações de mudanças na tributação para a desoneração do investimento. Março 2014 Gerência Executiva de Política Econômica (PEC) Diretoria de Políticas e Estratégia Gerente Executivo: Flávio Castelo Branco fone:

73 39. Aperfeiçoamento do SIMPLES Nacional Simplificação e transparência Manter o regime tributário simplificado para as micro e pequenas empresas sem desestimular o crescimento. Elaborar propostas de aperfeiçoamento do SIMPLES Nacional com o intuito de evitar o desestímulo ao crescimento da empresa causado pelo aumento mais do que proporcional da carga tributária à medida que o faturamento aumenta. Conjunto de recomendações de alteração da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas (LC 123/2006) visando ao aperfeiçoamento do SIMPLES Nacional. Abril 2014 Gerência Executiva de Política Industrial (GEPI) Diretoria de Desenvolvimento Industrial Gerente Executivo: João Emílio P. Gonçalves fone:

74

75 Inovação e produtividade 75

76

77 40. Modernização do marco legal da inovação Ambiente institucional e de incentivos à inovação Modernizar o marco legal de inovação com o objetivo de estimular o investimento privado em inovação. Avaliar o marco legal atual, identificar entraves e propor medidas de aprimoramento que promovam um ambiente que estimule a inovação, reduzindo a insegurança jurídica e adequando os instrumentos legais às diferentes necessidades e estratégias de inovação das empresas. Conjunto de recomendações de modernização do marco legal de inovação. Abril 2014 Gerência de Promoção da Inovação Diretoria de Inovação Gerente: Luis Gustavo Delmont fone:

78 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 41. Governança para as políticas de inovação Ambiente institucional e de incentivos à inovação Propor um novo modelo de governança que fortaleça a articulação entre os diversos órgãos e agências de governo e o setor privado nas definições das políticas de inovação do Brasil. Realizar um estudo comparativo com países selecionados para identificar os principais elementos de um modelo de governança e gestão que concorra para uma melhor coordenação das iniciativas e ações do governo. Recomendações para a construção de um novo modelo de governança para as políticas de inovação. Abril 2014 Gerência de Promoção da Inovação Diretoria de Inovação Gerente: Luis Gustavo Delmont fone:

79 28. Agenda de financiamento à inovação* Financiamento bancário Elaborar propostas para ampliar os recursos financeiros voltados para a inovação. Desenvolver estudo de avaliação do sistema brasileiro de financiamento para a inovação e elaborar recomendações para seu aperfeiçoamento. Documento com diagnóstico e recomendações para o aperfeiçoamento do sistema brasileiro de financiamento para a inovação. Abril 2014 Gerência de Promoção da Inovação Diretoria de Inovação Gerente: Luis Gustavo Delmont fone: * Este projeto também atende ao tema prioritário Financiamento bancário do fator-chave Financiamento. 79

80 CARTEIRA DE PROJETOS PRIORITÁTIOS PARA 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis 42. Agenda de propriedade intelectual Ambiente institucional e de incentivos à inovação Promover um ambiente institucional que agilize e simplifique o processo de concessão de patentes e estimule a inovação. Demonstrar que um sistema de propriedade intelectual é central para o esforço inovador das empresas e identificar e propor as mudanças do sistema brasileiro que garantam a segurança jurídica e estimulem o investimento em inovação. Propostas de modernização do sistema de propriedade intelectual para a garantia de segurança jurídica aos investimentos. Abril 2014 Gerência Executiva de Política Industrial (GEPI) Diretoria de Desenvolvimento Industrial Gerente Executivo: João Emílio P. Gonçalves fone:

81

82

O Mapa Estratégico da Indústria 2013-2022 I Seminário O Comércio Exterior e a Indústria Centro Internacional de Negócios (CIN) - PR 24 de outubro de

O Mapa Estratégico da Indústria 2013-2022 I Seminário O Comércio Exterior e a Indústria Centro Internacional de Negócios (CIN) - PR 24 de outubro de O Mapa Estratégico da Indústria 2013-2022 I Seminário O Comércio Exterior e a Indústria Centro Internacional de Negócios (CIN) - PR 24 de outubro de 2013 FIEP Curitiba, SP Roteiro 1 2 3 4 A CONSTRUÇÃO

Leia mais

Apresentação Comissão de Assuntos Econômicos CAE/ Senado Federal. Foco Educação

Apresentação Comissão de Assuntos Econômicos CAE/ Senado Federal. Foco Educação Apresentação Comissão de Assuntos Econômicos CAE/ Senado Federal Foco Educação Brasília, 18 de junho de 2013 Uma visão de futuro: Mapa Estratégico da Indústria COMPETITIVIDADE COM SUSTENTABILIDADE AMBIENTE

Leia mais

2. QUATRO CENÁRIOS PARA O RIO GRANDE DO NORTE

2. QUATRO CENÁRIOS PARA O RIO GRANDE DO NORTE 2. QUATRO CENÁRIOS PARA O RIO GRANDE DO NORTE 35 1 Este capítulo apresenta uma síntese de quatro cenários prospectivos elaborados pelo Mais RN. O documento completo, contendo o detalhamento dessa construção,

Leia mais

Diretrizes da Agenda Setorial do Setor de Energias Renováveis: Biocombustíveis

Diretrizes da Agenda Setorial do Setor de Energias Renováveis: Biocombustíveis SENADO FEDERAL Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Diretrizes da Agenda Setorial do Setor de Energias Renováveis: Bioetanol Biodiesel Biocombustíveis Brasília, 28 de novembro de 2012 Foco e Prioridades

Leia mais

Uma Lei em Favor do Brasil

Uma Lei em Favor do Brasil Uma Lei em Favor do Brasil O ambiente desfavorável aos negócios Hostil às MPE Alta Carga Tributária Burocracia Ineficaz Elevada Informalidade Concorrência Predatória Baixa Competitividade Empreendedorismo

Leia mais

Desafios da Indústria e da Política de Desenvolvimento Produtivo

Desafios da Indústria e da Política de Desenvolvimento Produtivo Desafios da Indústria e da Política de Desenvolvimento Produtivo Josué Gomes da Silva IEDI Seminário Internacional: A Hora e a Vez da Política de Desenvolvimento Produtivo BNDES / CNI CEPAL / OCDE 22/09/2009

Leia mais

Ministério da Fazenda. Reforma Tributária. Seminário Internacional sobre o Projeto de Reforma Tributária. Brasília Março de 2009

Ministério da Fazenda. Reforma Tributária. Seminário Internacional sobre o Projeto de Reforma Tributária. Brasília Março de 2009 Reforma Tributária Seminário Internacional sobre o Projeto de Reforma Tributária Brasília Março de 2009 1 O PROJETO DE REFORMA TRIBUTÁRIA RIA 2 Objetivos da Reforma Tributária ria A proposta de Reforma

Leia mais

PORTARIA Nº 185, DE 12 DE JULHO DE 2012

PORTARIA Nº 185, DE 12 DE JULHO DE 2012 PORTARIA Nº 185, DE 12 DE JULHO DE 2012 Torna públicas as teses e diretrizes para a elaboração de uma Política Nacional de Empreendedorismo e Negócios PNEN, e dá outras providências. O MINISTRO DO DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

Presidente da FINEP. Diretores da FINEP. Chefe de Gabinete da Presidência. Presidente da República. Vice-Presidente da República

Presidente da FINEP. Diretores da FINEP. Chefe de Gabinete da Presidência. Presidente da República. Vice-Presidente da República POLÍTICA OPERACIONAL 2012-2014 Presidente da República Dilma Vana Rousseff Vice-Presidente da República Michel Temer Ministro de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação Marco Antonio Raupp Secretário

Leia mais

CNI apresenta aos presidenciáveis propostas para promover o desenvolvimento

CNI apresenta aos presidenciáveis propostas para promover o desenvolvimento 28/07/2014 - ELEIÇÕES 2014 CNI apresenta aos presidenciáveis propostas para promover o desenvolvimento Os 42 estudos com sugestões em dez áreas decisivas para promover a competitividade pautarão o Diálogo

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DO MAPA

GESTÃO ESTRATÉGICA DO MAPA GESTÃO ESTRATÉGICA DO MAPA Apresentação Geral Brasília, Setembro de 2006 1 AGENDA ORIGEM E OBJETIVOS DA GESTÃO ESTRATÉGICA NO MAPA PARTICIPANTES DO PROCESSO DE CONSTRUÇÃO FASES E CRONOGRAMA DO PROJETO

Leia mais

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL ROTAS DE INTEGRAÇÃO NACIONAL

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL ROTAS DE INTEGRAÇÃO NACIONAL MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA ROTAS DE INTEGRAÇÃO NACIONAL O presente documento tem por objetivo

Leia mais

Perspectivas para o Desenvolvimento do Nordeste. Sergio Duarte de Castro Secretário de Desenvolvimento Regional

Perspectivas para o Desenvolvimento do Nordeste. Sergio Duarte de Castro Secretário de Desenvolvimento Regional Perspectivas para o Desenvolvimento do Nordeste Sergio Duarte de Castro Secretário de Desenvolvimento Regional RJ 20/02/2013 Trajetória Recente => Oportunidades Polos Dinâmicos, Decisões de Investimento

Leia mais

Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras

Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras dezembro 2012 Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras 5 I. O público-alvo

Leia mais

FORUM NACIONAL DE EDUCAÇÃO

FORUM NACIONAL DE EDUCAÇÃO FORUM NACIONAL DE EDUCAÇÃO Educação Profissional e Tecnológica Sergio Moreira BRASIL ÍNDICE GLOBAL DE COMPETITIVIDADE 2013/2014 Ranking Global de Competitividade BRICS: 2006 a 2013 Brasil ficou em 56º

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente Atratividade do Brasil: avanços e desafios Fórum de Atratividade BRAiN Brasil São Paulo, 03 de junho de 2011 Luciano Coutinho Presidente O Brasil ingressa em um novo ciclo de desenvolvimento A economia

Leia mais

Planejamento, Desenvolvimento e Políticas Públicas

Planejamento, Desenvolvimento e Políticas Públicas Planejamento, Desenvolvimento e Políticas Públicas MÁRCIO GIMENE DE OLIVEIRA Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Salvador, 6 de agosto de 2014 ABOP Slide 1 PLANEJAMENTO: cálculo que precede

Leia mais

PBM. Agenda Setorial Bens de Capital

PBM. Agenda Setorial Bens de Capital PBM Agenda Setorial Bens de Capital São Paulo, 16 de janeiro de 2013 Objetivos Objetivos: Aumentar o Consumo Aparente de BK, com Redução Simultânea do Coeficiente de Importação Aumentar as Exportações

Leia mais

Desenvolvimento de Mercado

Desenvolvimento de Mercado Desenvolvimento de Mercado DESENVOLVIMENTO DE MERCADO Frente aos importantes temas abordados pelo Fórum Temático de Desenvolvimento de Mercado, da Agenda 2020, destaca-se o seu objetivo principal de fomentar

Leia mais

2011/2014. Medidas. Agendas Estratégicas Setoriais. medidas em destaque. Estímulos ao Investimento e à Inovação Comércio Exterior

2011/2014. Medidas. Agendas Estratégicas Setoriais. medidas em destaque. Estímulos ao Investimento e à Inovação Comércio Exterior Medidas Estímulos ao Investimento e à Inovação Comércio Exterior Plano Competitividade Brasil Exportadora Maior Financiamento à Exportação 2011/2014 Defesa Comercial Defesa da Indústria e do Mercado Interno

Leia mais

PAC Programa de Aceleração do Crescimento. Retomada do planejamento no país. Marcel Olivi

PAC Programa de Aceleração do Crescimento. Retomada do planejamento no país. Marcel Olivi PAC Programa de Aceleração do Crescimento Retomada do planejamento no país Marcel Olivi PAC PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO Lançado em 22/01/2007 o programa é constituído por Medidas de estímulo

Leia mais

FINEP UMA AGÊNCIA DE INOVAÇÃO. Vânia Damiani. Departamento de Instituições de Pesquisa Área de Institutos Tecnológicos e de Pesquisa

FINEP UMA AGÊNCIA DE INOVAÇÃO. Vânia Damiani. Departamento de Instituições de Pesquisa Área de Institutos Tecnológicos e de Pesquisa FINEP UMA AGÊNCIA DE INOVAÇÃO Vânia Damiani Departamento de Instituições de Pesquisa Área de Institutos Tecnológicos e de Pesquisa A Missão da FINEP Promover o desenvolvimento econômico e social do Brasil

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil 1º WORKSHOP PLATAFORMAS TECNOLÓGICAS FPSO Automação e Instrumentação

Leia mais

PMAI PROGRAMA MUNICIPAL DE ATRAÇÃO DE INVESTIMENTOS

PMAI PROGRAMA MUNICIPAL DE ATRAÇÃO DE INVESTIMENTOS PMAI PROGRAMA MUNICIPAL DE ATRAÇÃO DE INVESTIMENTOS Projeto de Desenvolvimento entre a Agência Paraná de Desenvolvimento e as Prefeituras Municipais AGÊNCIA PARANÁ DE DESENVOLVIMENTO Projetos de Desenvolvimento

Leia mais

POLÍTICA DE PROMOÇÃO E COOPERAÇÃO EM PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEIS NO MERCOSUL

POLÍTICA DE PROMOÇÃO E COOPERAÇÃO EM PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEIS NO MERCOSUL MERCOSUL/CMC/DEC. N 26/07 POLÍTICA DE PROMOÇÃO E COOPERAÇÃO EM PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEIS NO MERCOSUL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, as Decisões N 02/01, 03/02,

Leia mais

Planejamento Estratégico da UNICAMP PLANES/UNICAMP

Planejamento Estratégico da UNICAMP PLANES/UNICAMP Planejamento Estratégico da UNICAMP PLANES/UNICAMP Abril/2012 Apresentação O Planejamento Estratégico (PLANES) da UNICAMP é um processo acadêmico/administrativo dinâmico cujo objetivo central é de ampliar

Leia mais

A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015

A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015 A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015 1 A Situação Industrial A etapa muito negativa que a indústria brasileira está atravessando vem desde a crise mundial. A produção

Leia mais

Acrescido o Anexo Único pelo Decreto n 1.349/15, efeitos a partir de 26.08.15. ANEXO ÚNICO

Acrescido o Anexo Único pelo Decreto n 1.349/15, efeitos a partir de 26.08.15. ANEXO ÚNICO Decreto nº 2.489/06 Acrescido o Anexo Único pelo Decreto n 1.349/15, efeitos a partir de 26.08.15. ANEXO ÚNICO I - CRITÉRIOS PARA DEFINIÇÃO DO BENEFÍCIO O benefício fiscal será definido em função do enquadramento

Leia mais

Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas: direito do povo brasileiro

Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas: direito do povo brasileiro Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas: direito do povo brasileiro Objetivos da 15ª. Reafirmar, impulsionar e efetivar os princípios e diretrizes do SUS- saúde como DH Mobilizar e estabelecer

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PROPRIEDADE INTELECTUAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 06/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PROPRIEDADE INTELECTUAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 06/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PROPRIEDADE INTELECTUAL TERMO DE REFERÊNCIA Nº 06/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais) Fone:

Leia mais

Iniciativa Nacional de Inovação em Biotecnologia

Iniciativa Nacional de Inovação em Biotecnologia Iniciativa Nacional de Inovação em Biotecnologia Visão Atual e 2021 3º CB APL 29 de novembro de 2007. Brasília - DF 1 CONTEXTO Fórum de Competitividade de Biotecnologia: Política de Desenvolvimento da

Leia mais

SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Indicadores CNI SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Indústria da construção aprofunda deterioração A indústria da construção continua a se deteriorar. O índice de nível de atividade e o número de empregados

Leia mais

Construção de um Sistema Nacional de Conhecimento e Inovação (SNCI)

Construção de um Sistema Nacional de Conhecimento e Inovação (SNCI) Construção de um Sistema Nacional de Conhecimento e Inovação (SNCI) A VISÃO DA INDÚSTRIA AUDIÊNCIA PÚBLICA SENADO FEDERAL Rafael Lucchesi Diretor de Educação e Tecnologia da CNI Diretor Geral do SENAI/DN

Leia mais

1ª GESTÃO DILMA. Menor rigor fiscal. Metas de inflação em prazo mais longo (menor velocidade de ajuste), maior expansão de crédito

1ª GESTÃO DILMA. Menor rigor fiscal. Metas de inflação em prazo mais longo (menor velocidade de ajuste), maior expansão de crédito 1ª GESTÃO DILMA Menor rigor fiscal Metas de inflação em prazo mais longo (menor velocidade de ajuste), maior expansão de crédito Controles diretos de preços (gasolina e energia, por exemplo) e desonerações

Leia mais

Sumário 1 APRESENTAÇÃO...3 2 LINHAS GERAIS...4. 2.1. Diretrizes Básicas... 4 2.3. Objetivos... 4 2.4. Público-Alvo... 4

Sumário 1 APRESENTAÇÃO...3 2 LINHAS GERAIS...4. 2.1. Diretrizes Básicas... 4 2.3. Objetivos... 4 2.4. Público-Alvo... 4 Planejamento Estratégico do Sindicato Caderno de Orientações para Outubro de 2008 Sumário 1 APRESENTAÇÃO...3 2 LINHAS GERAIS...4 2.1. Diretrizes Básicas... 4 2.3. Objetivos... 4 2.4. Público-Alvo... 4

Leia mais

Política de Eficiência Energética

Política de Eficiência Energética Política de Eficiência Energética março 2010 Política de Eficiência Energética Política de Eficiência Energética 5 I. O público-alvo O Público-alvo ao qual se destina esta Política de Eficiência Energética

Leia mais

FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO

FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO Apresentação Esse relatório trata do Financiamento do Desenvolvimento Regional formulado pelo Ministério da Integração Nacional-MI, como contribuição à reflexão do tema

Leia mais

A A Mineração e o Novo Cenário Socioeconômico Painel 3: A Infraestrutura no Brasil e a Expansão da Produção dos Bens Minerais José de Freitas Mascarenhas Vice-Presidente e Presidente do Coinfra (CNI) Belo

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (do Sr. Juscelino Rezende Filho)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (do Sr. Juscelino Rezende Filho) PROJETO DE LEI Nº, DE 2015 (do Sr. Juscelino Rezende Filho) Institui a Política Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Setor Farmacêutico. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º A Política

Leia mais

O papel anticíclico dos investimentos públicos e as perspectivas econômicas

O papel anticíclico dos investimentos públicos e as perspectivas econômicas O papel anticíclico dos investimentos públicos e as perspectivas econômicas Luciano Coutinho Rio de Janeiro, 14 de julho de 2009 Limitação da política monetária após crises financeiras Processos de desalavancagem

Leia mais

ACORDO ECONÔMICO ENTRE A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O REINO DA ESPANHA, INTEGRANTE DO TRATADO GERAL DE COOPERAÇÃO E AMIZADE BRASIL-ESPANHA

ACORDO ECONÔMICO ENTRE A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O REINO DA ESPANHA, INTEGRANTE DO TRATADO GERAL DE COOPERAÇÃO E AMIZADE BRASIL-ESPANHA ACORDO ECONÔMICO ENTRE A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O REINO DA ESPANHA, INTEGRANTE DO TRATADO GERAL DE COOPERAÇÃO E AMIZADE BRASIL-ESPANHA A República Federativa do Brasil e O Reino da Espanha, (doravante

Leia mais

Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores de Petróleo e Gás/BNDES

Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores de Petróleo e Gás/BNDES Oportunidades e Desafios da Agenda de Competitividade para Construção de uma Política Industrial na Área de Petróleo: Propostas para um Novo Ciclo de Desenvolvimento Industrial Carlos Soligo Camerini Desenvolvimento

Leia mais

MINHA CASA, MINHA VIDA 2 Novas metas, maiores desafios

MINHA CASA, MINHA VIDA 2 Novas metas, maiores desafios MINHA CASA, MINHA VIDA 2 Novas metas, maiores desafios Desafios do PMCMV Sustentabilidade, Perenidade e Imagem O sucesso do PMCMV depende da produção de moradias bem localizadas, servidas de infraestrutura,

Leia mais

Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica

Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica Painel: A CADEIA PRODUTIVA - desenvolvimento da indústria do petróleo e gás no Brasil e o desenvolvimento da indústria de equipamentos e ferramentas

Leia mais

Estratégia tributária: caminhos para avançar a reforma

Estratégia tributária: caminhos para avançar a reforma Estratégia tributária: caminhos para avançar a reforma 2 PROPOSTAS DA INDÚSTRIA Estratégia tributária: caminhos para avançar a reforma CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA CNI PRESIDENTE Robson Braga de

Leia mais

Saneamento: oportunidades e ações para a universalização

Saneamento: oportunidades e ações para a universalização Saneamento: oportunidades e ações para a universalização Rodrigo Sarmento Garcia Especialista de Políticas e Indústria Gerência Executiva de Infraestrutura Brasília, 03 de outubro de 2014 Sumário da apresentação:

Leia mais

PROGRAMA DE GOVERNO DA FRENTE POPULAR A FAVOR DO AMAPÁ PROPOSTAS PARA O AMAPÁ CONTINUAR AVANÇANDO

PROGRAMA DE GOVERNO DA FRENTE POPULAR A FAVOR DO AMAPÁ PROPOSTAS PARA O AMAPÁ CONTINUAR AVANÇANDO PROGRAMA DE GOVERNO DA FRENTE POPULAR A FAVOR DO AMAPÁ PROPOSTAS PARA O AMAPÁ CONTINUAR AVANÇANDO MACAPÁ-AP JULHO DE 2014 ÍNDICE APRESENTAÇÃO 1 INTRODUÇÃO 2 DIRETRIZES 3 PRINCÍPIOS 4 OBJETIVOS ESTRATÉGICOS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 14A/2011

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 14A/2011 SELEÇÃO DE EMPRESA PARA MINISTRAR CURSO DE PRÉ-INCUBAÇÃO PARA PROJETOS DE BASE TECNOLÓGICA NO ÂMBITO DA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ (INCTEC-SA) TERMO DE REFERÊNCIA Nº 14A/2011 Contatos Luiz Augusto

Leia mais

Prospecção de demanda de trabalhadores para a infraestrutura

Prospecção de demanda de trabalhadores para a infraestrutura 1 Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base Prospecção de demanda de trabalhadores para a infraestrutura Colóquio Tendências e Desafios da Formação de Trabalhadores para o Desenvolvimento

Leia mais

OFICINA: MONITORAMENTO DO PAC

OFICINA: MONITORAMENTO DO PAC OFICINA: MONITORAMENTO DO PAC Maurício Muniz SEPAC Secretaria do Programa de Aceleração do Crescimento Brasília, 29 de janeiro de 2013 OBJETIVO DA OFICINA Apresentar o modelo de monitoramento do PAC no

Leia mais

Copa do Mundo 2014: Oportunidades para o Brasil e para a iniciativa privada

Copa do Mundo 2014: Oportunidades para o Brasil e para a iniciativa privada BRA-MEB001-100209-0 Copa do Mundo 2014: Oportunidades para o Brasil e para a iniciativa privada São Paulo, 9 de março de 2010 0 BRA-MEB001-100209-1 O que o Brasil quer com uma Copa do Mundo FIFA Mobilizar

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil 1º Workshop Platec Barcos de Apoio Offshore - Equipamentos de Propulsão,

Leia mais

Plataforma Ambiental para o Brasil

Plataforma Ambiental para o Brasil Histórico 1989 - Plataforma Ambiental Mínima para Candidatos à Presidência 1990 - Plataforma Ambiental Mínima para os Candidatos ao Governo do Estado de São Paulo 1998 - Plataforma Ambiental Mínima para

Leia mais

Extensão Universitária: Mapeamento das Instituições que Fomentam Recursos para Extensão Universitária RESUMO

Extensão Universitária: Mapeamento das Instituições que Fomentam Recursos para Extensão Universitária RESUMO Extensão Universitária: Mapeamento das Instituições que Fomentam Recursos para Extensão Universitária SILVA, Valdir Ricardo Honorato da (discente bolsista) SOUTO, Geane de Luna (Técnico orientador) RESUMO

Leia mais

Planejamento do CBN 2008. Política Nacional de Normalização. Processo de produção de normas. Antecedentes. Objetivo. Propor a

Planejamento do CBN 2008. Política Nacional de Normalização. Processo de produção de normas. Antecedentes. Objetivo. Propor a Objetivo Planejamento do CBN 2008 Propor a Política Nacional de Normalização. Processo de produção de normas Antecedentes Normas nacionais devem ser: necessárias e demandadas utilizadas acordadas o mais

Leia mais

REQUERIMENTO N o, DE 2015

REQUERIMENTO N o, DE 2015 REQUERIMENTO N o, DE 2015 (Da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio) Requer a criação e constituição de Comissão Especial destinada a proferir parecer ao Projeto de Lei Complementar

Leia mais

Desenvolvimento Regional para a Integração Nacional. Nova Política Nacional de Desenvolvimento Regional PNDR II

Desenvolvimento Regional para a Integração Nacional. Nova Política Nacional de Desenvolvimento Regional PNDR II Desenvolvimento Regional para a Integração Nacional Nova Política Nacional de Desenvolvimento Regional PNDR II Profundas desigualdades sociais e regionais e grande diversidade Área N: 45,3% CO: 18,8% NE:

Leia mais

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014 Logística, Supply Chain e Infraestrutura Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura Autores Paulo Tarso Vilela de Resende Paulo Renato de Sousa Bolsistas Fapemig

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação FINEP 2012-2014: investir mais e melhor em Inovação Agenda O Desafio da Inovação A FINEP Instrumentos de Apoio (Reembolsável, Não Reembolsável, Fundos) Números

Leia mais

FAPERJ CNPQ. EDITAL MCT/CNPq Nº066/2010 Objetivo:

FAPERJ CNPQ. EDITAL MCT/CNPq Nº066/2010 Objetivo: FAPERJ EDITAL FAPERJ Nº22/2010-PROGRAMA APOIO AO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO REGIONAL NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO-2010 Apoiar o desenvolvimento científico e tecnológico no Estado do Rio de

Leia mais

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO. Resumo Executivo - Pesquisa

PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO. Resumo Executivo - Pesquisa PERFIL DOS FABRICANTES DE ESTRUTURAS DE AÇO Resumo Executivo - Pesquisa 1 Apresentação O CBCA Centro Brasileiro da Construção em Aço, no ano em que completa 10 anos de atividades, e a ABCEM Associação

Leia mais

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA. D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC)

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA. D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC) EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA D 4.7 Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (20h) (Aula 3: Monitoramento do PAC) Professor: Pedro Antônio Bertone Ataíde 23 a 27 de março

Leia mais

Carga Tributária e seus Efeitos na Economia

Carga Tributária e seus Efeitos na Economia Carga Tributária e seus Efeitos na Economia Jorge Lins Freire Presidente da Federação das Indústrias do Estado da Bahia Congresso do Conselho de Contribuintes do Ministério da Fazenda Brasília, 14 de setembro

Leia mais

Comentários ao relatório Uma década para Portugal promovido pelo PS

Comentários ao relatório Uma década para Portugal promovido pelo PS Comentários ao relatório Uma década para Portugal promovido pelo PS Ao definir uma estratégia de crescimento económico sustentado, centrada em propostas políticas concretas, o relatório Uma década para

Leia mais

Estudo sobre Empreendedorismo e Criação de Emprego em Meio Urbano e Fiscalidade Urbana - Apresentação de resultados 13 /Novembro/2012

Estudo sobre Empreendedorismo e Criação de Emprego em Meio Urbano e Fiscalidade Urbana - Apresentação de resultados 13 /Novembro/2012 Estudos de Fundamentação do Parecer de Iniciativa Competitividade das Cidades, Coesão Social e Ordenamento do Território Estudo sobre Empreendedorismo e Criação de Emprego em Meio Urbano e Fiscalidade

Leia mais

Agenda de Políticas para Inovação. Brasília, 14 de fevereiro de 2013

Agenda de Políticas para Inovação. Brasília, 14 de fevereiro de 2013 Agenda de Políticas para Inovação Brasília, 14 de fevereiro de 2013 Recursos Humanos para Inovação Horácio Lafer Piva - Klabin A Agenda Promover uma mudança no ensino brasileiro com direcionamento claro

Leia mais

Inovação e Comércio Exterior Luiz Fernando Furlan

Inovação e Comércio Exterior Luiz Fernando Furlan Inovação e Comércio Exterior Luiz Fernando Furlan Introdução Esta apresentação tem como objetivo sinalizar a importância de uma efetiva articulação entre a política de comércio exterior e a política tecnológica,

Leia mais

China: novos rumos, mais oportunidades

China: novos rumos, mais oportunidades China: novos rumos, mais oportunidades Brasil pode investir em diversas áreas, como tecnologia, exploração espacial e infraestrutura 10 KPMG Business Magazine A China continua a ter na Europa o principal

Leia mais

DECRETO Nº 1.211, DE 3 DE AGOSTO DE 1994.

DECRETO Nº 1.211, DE 3 DE AGOSTO DE 1994. DECRETO Nº 1.211, DE 3 DE AGOSTO DE 1994. Promulga o Tratado Geral de Cooperação e Amizade e o Acordo Econômico Integrante do Tratado Geral de Cooperação e Amizade, entre a República Federativa do Brasil

Leia mais

FORTALECIMENTO DO CONTROLE INTERNO

FORTALECIMENTO DO CONTROLE INTERNO FORTALECIMENTO DO CONTROLE INTERNO O Brasil vive momento determinante do seu futuro, em que a sociedade exige novos paradigmas nas relações comerciais entre o poder público e atores privados. Esse cenário

Leia mais

Planejamento estratégico 2016-2019

Planejamento estratégico 2016-2019 Planejamento estratégico 2016-2019 Fortalecer as instituições e a qualidade dos serviços públicos para fortalecer a democracia e a competitividade. www.agendapublica.org.br 2 GOVERNANÇA PARA UM FUTURO

Leia mais

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 INOVAR É FAZER Manifesto da MEI ao Fortalecimento da Inovação no Brasil Para nós empresários Inovar é Fazer diferente, Inovar

Leia mais

GESPÚBLICA. Brasília ǀ 25 de Setembro de 2012

GESPÚBLICA. Brasília ǀ 25 de Setembro de 2012 GESPÚBLICA Brasília ǀ 25 de Setembro de 2012 Resultados Decisões Estratégicas Informações / Análises O PROCESSO DE GESTÃO ESTRATÉGICA Ideologia Organizacional Missão, Visão,Valores Análise do Ambiente

Leia mais

I WORKSHOP DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UESC:

I WORKSHOP DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UESC: Boletim 03/2011 I WORKSHOP DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UESC: http://www.uesc.br/nucleos/nit/index.php?item=conteudo_projetos.php Visite nosso blog: / Editais / FAPESB Edital 022/2010 Apoio a Pesquisa

Leia mais

MUNICÍPIO DO CABO DE SANTO AGOSTINHO - PE RELAÇÃO DOS PROGRAMAS VIGENTES NO EXERCÍCIO 2015 PLANO PLURIANUAL E ORÇAMENTO 2015

MUNICÍPIO DO CABO DE SANTO AGOSTINHO - PE RELAÇÃO DOS PROGRAMAS VIGENTES NO EXERCÍCIO 2015 PLANO PLURIANUAL E ORÇAMENTO 2015 CódigoDenominação 1001 1002 1003 1004 1005 1006 1007 1008 1009 1011 1012 Objetivo 1013 PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS DA PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO Promover o desenvolvimento pessoal e

Leia mais

O BNDES e os Investimentos Sociais de

O BNDES e os Investimentos Sociais de INVESTIMENTOS SOCIAIS DE EMPRES O BNDES e os Investimentos Sociais de Empresas Angela Regina P. Macedo Departamento de Operações Sociais Área de Inclusão Social Out/2007 OBJETIVO INVESTIMENTOS SOCIAIS

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO EDITAL 016/2010 - PROJETO BRA/06/032 CÓDIGO: ALTO IMPACTO O Projeto BRA/06/032 comunica que

Leia mais

POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S.

POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S. POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S. Souza e Silva ** Nos últimos anos, tem crescido a expectativa em torno de uma possível

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SAÚDE PÚBLICA PANORAMA DO SANEAMENTO BÁSICO NO PAÍS

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SAÚDE PÚBLICA PANORAMA DO SANEAMENTO BÁSICO NO PAÍS MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE SAÚDE PÚBLICA PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO 2007-2010 INFRA-ESTRUTURA SOCIAL E URBANA SANEAMENTO PANORAMA DO SANEAMENTO

Leia mais

Avaliação do Fomento à Inovação no Brasil

Avaliação do Fomento à Inovação no Brasil Avaliação do Fomento à Inovação no Brasil Pedro Wongtschowski Grupo Ultra Reunião do Comitê de Líderes da MEI 02 de Outubro Apesar do aumento dos recursos para P&D no Brasil, há concentração no Ensino

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2013-2017 COOPERATIVISMO: QUEM MOVIMENTA SÃO AS PESSOAS

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2013-2017 COOPERATIVISMO: QUEM MOVIMENTA SÃO AS PESSOAS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2013-2017 COOPERATIVISMO: QUEM MOVIMENTA SÃO AS PESSOAS MENSAGEM DO PRESIDENTE O cooperativismo vive seu momento de maior evidência. O Ano Internacional das Cooperativas, instituído

Leia mais

Avaliação do Plano de Desenvolvimento Produtivo Departamento de Competitividade e Tecnologia DECOMTEC / FIESP

Avaliação do Plano de Desenvolvimento Produtivo Departamento de Competitividade e Tecnologia DECOMTEC / FIESP I WORSHOP SETORIAL DE AVALIAÇÃO DA POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO Avaliação do Plano de Desenvolvimento Produtivo Departamento de Competitividade e Tecnologia DECOMTEC / FIESP OUTUBRO / 2009 1 I..

Leia mais

11. ESTIMATIVA DE VALOR DO PORTFÓLIO DE OPORTU- NIDADES DE INVESTIMENTO NO RN - QUANTIFICAÇÃO IN- DICATIVA 2016-2035

11. ESTIMATIVA DE VALOR DO PORTFÓLIO DE OPORTU- NIDADES DE INVESTIMENTO NO RN - QUANTIFICAÇÃO IN- DICATIVA 2016-2035 11. ESTIMATIVA DE VALOR DO PORTFÓLIO DE OPORTU- NIDADES DE INVESTIMENTO NO RN - QUANTIFICAÇÃO IN- DICATIVA 2016-2035 217 218 A partir da escolha do melhor cenário Um Pacto pelo Mais RN o Mais RN definiu

Leia mais

Relatório de Gestão 2006

Relatório de Gestão 2006 Relatório de Gestão 2006 1. PROGRAMA:- Ciência, Tecnologia e Inovação para a Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior (PITCE) - ( 1388 ). 1.1.OBJETIVOS: 1.1.1.Objetivo Geral: Desenvolver

Leia mais

1º Congresso da Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde - I CIMES Painel: Fomento, Preços, Compras e Encomendas

1º Congresso da Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde - I CIMES Painel: Fomento, Preços, Compras e Encomendas 1º Congresso da Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde - I CIMES Painel: Fomento, Preços, Compras e Encomendas São Paulo, 10 de abril de 2012 Ranking Produção científica & Inovação Produção Científica

Leia mais

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA

A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA Seminário Internacional sobre Cidades Inteligentes, Cidades do Futuro Comissão de Desenvolvimento Urbano CDU Câmara dos Deputados A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE MOBILIDADE URBANA RENATO BOARETO Brasília 06

Leia mais

NOTA INFORMATIVA. O acompanhamento e a monitorização técnica da execução do Compromisso cabe ao Instituto da Construção e do Imobiliário (InCI).

NOTA INFORMATIVA. O acompanhamento e a monitorização técnica da execução do Compromisso cabe ao Instituto da Construção e do Imobiliário (InCI). NOTA INFORMATIVA Execução do Compromisso para a Competitividade Sustentável do Sector da Construção e do Imobiliário, celebrado entre o Governo e a CPCI Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário,

Leia mais

SETORIAIS VISÃO GERAL

SETORIAIS VISÃO GERAL MCT FUNDOS SETORIAIS VISÃO GERAL Financiamento de Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil RECURSOS GOVERNAMENTAIS IMPOSTOS e TAXAÇÃO SISTEMA DE CT&I Universidades Centros de Pesquisas Empresas do Governo

Leia mais

Internacionalização. Países lusófonos - Survey. Janeiro de 2015

Internacionalização. Países lusófonos - Survey. Janeiro de 2015 Internacionalização Países lusófonos - Survey Janeiro de 2015 1 Índice 1. Iniciativa Lusofonia Económica 2. Survey Caracterização das empresas participantes 3. Empresas não exportadoras 4. Empresas exportadoras

Leia mais

CONTRATOS PÚBLICOS BASE JURÍDICA OBJETIVOS RESULTADOS

CONTRATOS PÚBLICOS BASE JURÍDICA OBJETIVOS RESULTADOS CONTRATOS PÚBLICOS As entidades públicas celebram contratos para assegurar o fornecimento de obras e a prestação de serviços. Estes contratos, concluídos mediante remuneração com um ou mais operadores,

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL METALMECANICO GRANDE ABC

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL METALMECANICO GRANDE ABC ARRANJO PRODUTIVO LOCAL METALMECANICO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2010 SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA GESTÃO FINANCEIRA EM CUSTOS E FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA. Contatos Luiz Augusto Gonçalves de

Leia mais

POLÍTICA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO

POLÍTICA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO REITORIA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO POLÍTICA

Leia mais

e Visualização Uma Contribuição do Nordeste para o País no Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Formação e Capacitação de RH para o Setor

e Visualização Uma Contribuição do Nordeste para o País no Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Formação e Capacitação de RH para o Setor Laboratório rio de Computação Científica e Visualização Uma Contribuição do Nordeste para o País no Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Formação e Capacitação de RH para o Setor Prof. Eduardo Setton

Leia mais

Ambiente de Negócios e Reformas Institucionais no Brasil

Ambiente de Negócios e Reformas Institucionais no Brasil Ambiente de Negócios e Reformas Institucionais no Brasil Fernando Veloso IBRE/FGV Book Launch of Surmounting the Middle Income Trap: The Main Issues for Brazil (IBRE/FGV e ILAS/CASS) Beijing, 6 de Maio

Leia mais

O BNDES E A INOVAÇÃO

O BNDES E A INOVAÇÃO O BNDES E A INOVAÇÃO LUCIANO COUTINHO PRESIDENTE DO BNDES FÓRUM NACIONAL - INAE 17 de Maio de 2007 1 Onde Estamos A indústria de transformação precisa voltar a funcionar como motor propulsor da economia

Leia mais

CARTA DO CONTRIBUINTE BRASILEIRO OS TRIBUTOS COMO INSTRUMENTO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL

CARTA DO CONTRIBUINTE BRASILEIRO OS TRIBUTOS COMO INSTRUMENTO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL CARTA DO CONTRIBUINTE BRASILEIRO OS TRIBUTOS COMO INSTRUMENTO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL Recomendações para a construção de um sistema tributário mais justo, que aumente a competitividade do

Leia mais

PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014

PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014 PROPOSTAS DA INDÚSTRIA PARA AS ELEIÇÕES 2014 Propostas para os candidatos Desde as eleições de 1994, a CNI apresenta à sociedade e aos candidatos sugestões para melhorar o desempenho da economia. Propostas

Leia mais

Brasil-China: Uma Agenda de

Brasil-China: Uma Agenda de Brasil-China: Uma Agenda de Colaboração Jorge Arbache BNDES Palácio do Itamaraty, Rio de Janeiro, 17 de junho de 2011 1 China Principal parceiro comercial do Brasil Um dos principais investidores estrangeiros

Leia mais

COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA

COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA COMISSÃO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA PROJETO DE LEI N o 560, DE 2015 Dispõe sobre critério para a concessão de bolsas pelas agências federais de fomento à pesquisa. Autor: Deputado

Leia mais

LEI DE INOVAÇÃO Regulamentação e Medidas Tributárias Favoráveis às atividades de Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação nas Empresas

LEI DE INOVAÇÃO Regulamentação e Medidas Tributárias Favoráveis às atividades de Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação nas Empresas LEI DE INOVAÇÃO Regulamentação e Medidas Tributárias Favoráveis às atividades de Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação nas Empresas 8 REPICT Encontro de Propriedade Intelectual e Comercialização

Leia mais