GUIA INFORMATIVO PEC DAS DOMÉSTICAS. Emenda Constitucional nº 72, de 2 de abril de 2013.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GUIA INFORMATIVO PEC DAS DOMÉSTICAS. Emenda Constitucional nº 72, de 2 de abril de 2013."

Transcrição

1 1 GUIA INFORMATIVO PEC DAS DOMÉSTICAS Emenda Constitucional nº 72, de 2 de abril de Altera a redação do parágrafo único do art. 7º da Constituição Federal para estabelecer a igualdade de direitos trabalhistas entre os trabalhadores domésticos e os demais trabalhadores urbanos e rurais. O Congresso Nacional promulgou no dia , A Emenda Constitucional foi publicada nesta quarta feira, dia 03 de abril de 2013, no Diário Oficial da União.

2 2 Índice Itens Assuntos Fls. 01 Apresentação Plano denominado Proteção e Legalização do Empregador(a) Doméstico(a) Introdução - Emenda Constitucional nº 72, de 2 de abril de Da Publicação Direitos previstos e já aprovados PEC das Domesticas Quem pode ser considerado empregado(a) domestico(a)? Como distinguir um trabalho doméstico de outro trabalho? Quais atividades que podem integrar o trabalho doméstico? Exemplos de atividades que integram a categoria dos Empregados Domésticos Redação dada a Emenda Constitucional 72/ Emenda Constitucional No Como o Texto era antes - Texto constitucional antigo que foi alterado pela PEC das Domésticas Como ficou? Onde este parágrafo vai ser introduzido na Constituição da Republica Federativa do Brasil? Esta é a nova redação dada ao texto Como ficou o texto constitucional após redação dada ao novo parágrafo único do artigo 7 10 Examinamos à Constituição 10 Constituição da Republica Federativa do Brasil Artigo Novos direitos começam a valer quando? Direitos do(a) Empregado(a) Doméstico(a) antes da Emenda Constitucional Relembrando o que foi conquistado com a Emenda Constitucional 72/ Como Empregador Domestico o que devo fazer de imediato? Sugerimos as seguintes providências para o Empregador Doméstico Perguntas e Respostas As principais dúvidas dos Empregadores sobre o tema Outras Perguntas Fontes pesquisadas 24 Perguntas e Respostas As principais dúvidas dos Empregadores sobre o tema N Perguntas Fls. 01 Qual a punição para quem não cumprir a PEC após a promulgação? Quais são os direitos que devem ser cumpridos de imediato, e que já estão em vigor? Quais são os novos direitos previstos na Emenda Constitucional, que precisarão de regulamentação para 17 passar a valer? 04 Quais são os direitos que os domésticos já tinham mesmo antes da PEC? Como será feito o controle da jornada de trabalho? Quais direitos terão os empregados que já trabalham há muitos anos em uma residência e forem 17 mandados embora? 07 Qual procedimento a ser adotado no caso dos domésticos que trabalham menos que 8 horas diárias e 18 menos que 44 horas semanais. 08 Há um máximo de horas extras permitido por lei ao dia? 18

3 3 N Perguntas Fls. 09 Muda algo em relação a folgas semanais? Como é o período de descanso? Quanto ao pagamento do FGTS será obrigatório de imediato? De quanto é o recolhimento? O pagamento obrigatório de FGTS será retroativo à data de admissão? Ou à data do inicio da vigência da 18 PEC? 12 Pode-se trocar uma folga por semana por duas e adicionar às 4 horas da jornada aos 5 dias trabalhados, 18 cumprindo-se aproximadamente 8 horas e 40 minutos ao dia? 13 No período noturno, como fica o intervalo para refeição se o contratado começa a trabalhar a partir das 19 22h? 14 Como será o pagamento de adicional noturno? Como se calcula o valor do adicional noturno? Há diferença no cálculo de hora extra e adicional noturno 19 nos finais de semana ou feriados? 16 Quais as recomendações para estar legalizado e gerar transparência nas relações de trabalho com o 19 empregado domestico? 17 Como Empregador Domestico devo me preocupar neste momento com os demais benefícios? Como 19 auxilio creche? Seguro desemprego? Indenização em caso de despedida sem justa causa? 18 Quanto vai custar a mais para O EMPREGADOR DOMESTICO? Os domésticos já têm direito ao seguro desemprego atualmente, mesmo antes da PEC? Quanto às DIARISTAS, foram contempladas com algum direito novo? Como se estabelecerá o salário de uma diarista? 20 Outras Perguntas. N Pergunta Fls. 22 Tenho um motorista e uma faxineira, ambos trabalham 44 horas semanais. O salário do motorista é 20 mais alto, pois, como as funções são diferentes, uma requer habilitação e responsabilidade diferente da outra, que, por sua vez, tem outras qualificações para o cargo. É legal, neste caso, pagar salários diferentes? 23 É possível dar ao funcionário duas horas de intervalo para refeição? Nesse período, ele pode 21 permanecer dentro da residência ou tem que sair? 24 Como fica o caso da doméstica que dorme no trabalho? O período em que ela está dormindo conta 21 como adicional noturno? 25 Podem ser descontados os 6% relativos ao vale-transporte? Como ficará o trabalho de caseiro que reside na chácara? O patrão pode exigir que o funcionário abra 21 uma microempresa de prestação de serviços? A moradia pode ser cobrada? 27 Cuidadoras de idosos deverão seguir as mesmas regras? Sou cozinheira, cuido da cozinha, compras, feira etc.-- e durmo no trabalho (chego na segunda-feira e 21 vou embora no sábado). Levanto às 6h e geralmente termino o serviço da cozinha às 23h. Fui contratada para café da manhã e jantar, mas faço almoço para mim e para a doméstica que faz o serviço da casa. Às vezes também cozinho para a filha do patrão. Fico à disposição dos patrões por cerca de 17 horas por dia. Tenho direito a hora extra? Como fica o meu caso? 29 Tenho uma empregada com registro em carteira para trabalhar 12 horas diárias, seis dias por semana, 22 com salário de R$ Pela nova legislação, poderia reduzir o trabalho para 44 horas semanais, reduzindo o salário proporcionalmente para R$ 917,40? Nesse caso, qualquer trabalho a mais seria considerado hora extra. 30 Quem já paga valor bem acima do salário mínimo registrado em carteira poderá fazer alguma espécie de 22 ajuste desse valor para baixo e transformar parte do salário atual em hora extra? 31 Uma babá que dorme no local do emprego e atende a criança durante a noite deverá receber hora extra? E se a mãe cuidar da criança à noite? 22

4 4 32 Tenho duas cuidadoras de idosos trabalhando em minha casa, cuidando de minha mãe. Cada uma delas 22 trabalha uma semana e folga na outra semana. Elas dormem na minha casa, no mesmo quarto que minha mãe e, muitas vezes, têm que acordar para atender minha mãe que é doente. Ou seja, podem passar a noite inteira dormindo ou acordadas, o que raramente acontece. Porém, apesar de estarem dormindo, se minha mãe acorda e necessita de cuidados, elas estarão à disposição dela. Como fica esta situação? Tenho que pagar hora extra e adicional noturno? 33 Se uma empregada doméstica trabalha 3 dias semanais, ou seja, 24 horas por semana, com a 22 carteira assinada com o salário mínimo, ela terá direito ao FGTS e férias de 30 dias e outros direitos de um empregado com 44 horas semanais? 34 É possível que o trabalhador cumpra uma jornada mista, parte diurna e parte noturna? Um empregador que paga R$ por mês, mas só registra na carteira R$ 1.200, pode considerar a 23 diferença como pagamento de hora extra? 36 O empregador pode descontar do salário um valor referente à moradia e à alimentação quando o 23 empregado mora no emprego? 37 Uniforme, vale-transporte, assistência médica e seguro de vida e de acidente pessoal contam como 23 salário? 38 Se uma empregada for demitida, ela pode ser recontratada depois por um salário menor? Há prazo de 23 carência para a recontratação? 39 O que é considerado justa causa para demissão? "Ineficiência" pode ser considerada para a justa causa? O que é considerado justa causa para demissão? "Ineficiência" pode ser considerada para a justa causa? Hoje pago a parte do INSS da minha doméstica, por opção minha. Posso passar a descontar dela o valor, uma vez que pagarei obrigatoriamente os 8% do FGTS? Apresentação A Mr.RH, é uma empresa moderna, dinâmica, que propõe soluções adequadas e objetivas com uso de procedimentos corretos, para o cumprimento das exigências legais da rotina trabalhista, proporcionando serviços de alta qualidade e com exatidão. Atuamos no mercado de processamento de dados decorrentes de rotinas trabalhistas, entre outros, com uso de tecnologia avançada e elevado padrão técnico operacional. Nosso objetivo é a satisfação do cliente, através da excelência do bom atendimento, com qualidade. Este GUIA INFORMATIVO é resultado de uma coletânea de informações vinculadas na mídia sobre o tema e tem apenas o objetivo de esclarecimento para o leitor interessado.

5 5 02. Plano denominado Proteção e Legalização do Empregador(a) Doméstico(a) Refere-se ao conjunto de serviços a serem prestados pela Mr.RH, focados na PROTEÇÃO E LEGALIZAÇÃO DO EMPREGADOR(A) DOMÉSTICO(A). Em síntese oferecemos serviços de apoio na administração das rotinas trabalhistas de seu(s) empregados(as) domésticos(as), na forma da lei, de acordo com um dos planos de serviços escolhido para atender a sua necessidade. Nosso trabalho preventivo e de inclusão social se opõe à informalidade da relação de trabalho que expõe tanto o(a) empregador(a) como o(a) empregado(a) a sérios riscos e transtornos desnecessários, como o de uma eventual reclamação trabalhista ou ainda um fato mais grave. 03. Introdução Emenda Constitucional nº 72, de 2 de abril de O Congresso Nacional promulgou no dia 02 de abril de 2013, a proposta de emenda à Constituição conhecida como PEC das Domésticas, que iguala os direitos dos trabalhadores domésticos aos dos demais trabalhadores urbanos e rurais. Para dezenas de senadores que discursaram no Plenário durante a votação da PEC 66/2012, na última terça (26 de abril de 2013), que terminou com 66 votos a favor e nenhum contra, a Emenda Constitucional é um momento histórico que determina o fim de um resquício escravagista. Segundo os Congressistas, a aprovação desta PEC vem quitar uma antiga dívida social que o país tinha com mais de 7,7 milhões de trabalhadores e trabalhadoras, retirando-os das relações regidas pela servidão.

6 6 04. Da Publicação. A Emenda Constitucional foi publicada nesta quarta feira, dia 03 de abril de 2013, no Diário Oficial da União, e em decorrência, 09 (nove) direitos entrarão em vigor a partir da publicação da lei, os outros direitos, vigência somente a partir da regulamentação, que deverá ocorrer nos próximos meses. 4.1 Direitos Previstos e já aprovados PEC das Domésticas 01 Indenização em caso de despedida sem justa causa; Dependente de Regulamentação 02 Seguro Desemprego; Dependente de Regulamentação 03 FGTS Fundo de Garantia por Tempo de Serviço; Dependente de Regulamentação 04 Garantia de Salário Mínimo, para quem recebe remuneração variável; Vigência imediata 05 Adicional Noturno; Dependente de Regulamentação 06 Proteção do Salário, sendo crime a retenção dolosa de salário; Vigência imediata 07 Salário Família; Dependente de Regulamentação 08 Jornada de trabalho de 8 horas diárias e 44 semanais; Vigência imediata 09 Hora Extra; Vigência imediata 10 Observância de normas de higiene, saúde e segurança do trabalho; Vigência imediata 11 Auxilio creche e pré-escola para filhos e dependentes menores de 5 anos Dependente de Regulamentação 12 Reconhecimento dos acordos e convenções coletivas; Vigência imediata 13 Seguro contra acidente do trabalho, Dependente de Regulamentação 14 Proibição de discriminação de salário, de função e de critério de admissão; Vigência imediata 15 Proibição de discriminação em relação à pessoa com deficiência; Vigência imediata 16 Proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre, para menores de 16 anos Vigência imediata

7 7 05. Quem pode ser considerado empregado(a) domestico(a)? Por definição legal, considera-se empregado(a) doméstico(a) aquele(a) maior de 16 anos que presta serviços de natureza contínua (frequente, constante) e de finalidade não lucrativa à pessoa ou à família, no âmbito residencial destas. 5.1 Como distinguir um trabalho doméstico de outro trabalho? O fundamental elemento diferenciador do emprego doméstico é o caráter não econômico da atividade (não possuir finalidade lucrativa), e ser exercida no âmbito residencial do(a) empregador(a). O empregado doméstico é contratado para trabalhar para uma pessoa física ou família, em um ambiente residencial e familiar. 5.2 Quais atividades que podem integrar o trabalho doméstico? A lista de atividades que podem integrar a categoria é muito grande de acordo com o CBO - Código Brasileiro de Ocupações, apenas para conhecimento destacamos as seguintes atividades: 5.3. Exemplo de atividades que integram a categoria dos Empregados Domésticos. Acompanhante de Idoso Arrumadeira Babá Caseiro Caseiro de Chácara * Caseiro de Sitio * Cozinheira(o) Cuidador de Criança Dama de Companhia Enfermeira(o) Empregada Doméstica Faxineira(o) Garçom * Governanta Jardineiro Lavadeira Mordomo Motorista Particular Passadeira de Roupas Vigia Piloto Particular Assistente Assuntos Domésticos (*) quando a chácara, estância ou sítio ou local onde exerce a sua atividade não possui finalidade lucrativa.

8 8 06.Redação dada a Emenda Constitucional 72/ Como o Texto era antes Texto constitucional antigo que foi alterado pela PEC das Domésticas Parágrafo único. São assegurados à categoria dos trabalhadores domésticos os direitos previstos nos incisos IV, VI, VIII, XV, XVII, XVIII, XIX, XXI e XXIV, bem como a sua integração à previdência social Reproduzimos abaixo o texto publicado no Diário Oficial da União, no dia 03 de abril de Emenda Constitucional No-72 Altera a redação do parágrafo único do art. 7º da Constituição Federal para estabelecer a igualdade de direitos trabalhistas entre os trabalhadores domésticos e os demais trabalhadores urbanos e rurais. As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos termos do 3º do art. 60 da Constituição Federal, promulgam a seguinte Emenda ao texto constitucional: Artigo único. O parágrafo único do art. 7º da Constituição Federal passa a vigorar com a seguinte redação:

9 9 "Art. 7º... Parágrafo único. São assegurados à categoria dos trabalhadores domésticos os direitos previstos nos incisos IV, VI, VII, VIII, X, XIII, XV, XVI, XVII, XVIII, XIX, XXI, XXII, XXIV, XXVI, XXX, XXXI e XXXIII e, atendidas as condições estabelecidas em lei e observada a simplificação do cumprimento das obrigações tributárias, principais e acessórias, decorrentes da relação de trabalho e suas peculiaridades, os previstos nos incisos I, II, III, IX, XII, XXV e XXVIII, bem como a sua integração à previdência social." (NR) Brasília, em 2 de abril de Mesa da Câmara dos Deputados Mesa do Senado Federal Deputado HENRIQUE EDUARDO ALVES Senador RENAN CALHEIROS Presidente Presidente Deputado ANDRÉ VARGAS Senador JORGE VIANA 1º Vice-Presidente 1º Vice-Presidente Deputado FÁBIO FARIA Senador ROMERO JUCÁ 2º Vice-Presidente 2º Vice-Presidente Deputado SIMÃO SESSIM Senador FLEXA RIBEIRO 2º Secretário 1º Secretário Deputado MAURÍCIO QUINTELLA LESSA Senadora ANGELA PORTELA 3º Secretário 2ª Secretária Deputado ANTONIO CARLOS BIFFI Senador CIRO NOGUEIRA 4º Secretário 3º Secretário Senador JOÃO VICENTE CLAUDINO 4º Secretário 07. Como ficou? Onde este parágrafo vai ser introduzido na Constituição? Esta é a nova redação dada ao Texto Parágrafo único. São assegurados à categoria dos trabalhadores domésticos os direitos previstos nos incisos IV, VI, VII, VIII, X, XIII, XV, XVI, XVII, XVIII, XIX, XXI, XXII, XXIV, XXVI, XXX, XXXI e XXXIII e, atendidas as condições estabelecidas em lei e observada a simplificação do cumprimento das obrigações tributárias, principais e acessórias, decorrentes da relação de trabalho e suas peculiaridades, os previstos nos incisos I, II, III, IX, XII, XXV e XXVIII, bem como a sua integração à previdência social." (NR)

10 Como ficou o texto constitucional após redação dada ao novo parágrafo único do artigo 7 em decorrência da Emenda Constitucional 72/13. Examinamos à Constituição: Constituição da Republica Federativa do Brasil Título II Dos Direitos e Garantias Fundamentais Capítulo II Dos Direitos Sociais Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social: I - relação de emprego protegida contra despedida arbitrária ou sem justa causa, nos termos de lei complementar, que preverá indenização compensatória, dentre outros direitos; II - seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário; III - fundo de garantia do tempo de serviço; IV - salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender às suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo, sendo vedada sua vinculação para qualquer fim; V - piso salarial proporcional à extensão e à complexidade do trabalho; VI - irredutibilidade do salário, salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo; VII - garantia de salário, nunca inferior ao mínimo, para os que percebem remuneração variável; VIII - décimo terceiro salário com base na remuneração integral ou no valor da aposentadoria; IX - remuneração do trabalho noturno superior à do diurno; X - proteção do salário na forma da lei, constituindo crime sua retenção dolosa; XI - participação nos lucros, ou resultados, desvinculada da remuneração, e, excepcionalmente, participação na gestão da empresa, conforme definido em lei;

11 11 XII - salário-família pago em razão do dependente do trabalhador de baixa renda nos termos da lei; XIII - duração do trabalho normal não superior a oito horas diárias e quarenta e quatro semanais, facultada a compensação de horários e a redução da jornada, mediante acordo ou convenção coletiva de trabalho; XIV - jornada de seis horas para o trabalho realizado em turnos ininterruptos de revezamento, salvo negociação coletiva; XV - repouso semanal remunerado, preferencialmente aos domingos; XVI - remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em cinquenta por cento à do normal; XVII - gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, um terço a mais do que o salário normal; XVIII - licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do salário, com a duração de cento e vinte dias; XIX - licença-paternidade, nos termos fixados em lei; XX - proteção do mercado de trabalho da mulher, mediante incentivos específicos, nos termos da lei; XXI - aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, sendo no mínimo de trinta dias, nos termos da lei; XXII - redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, higiene e segurança; XXIII - adicional de remuneração para as atividades penosas, insalubres ou perigosas, na forma da lei; XXIV - aposentadoria; XXV - assistência gratuita aos filhos e dependentes desde o nascimento até 5 (cinco) anos de idade em creches e pré-escolas; XXVI - reconhecimento das convenções e acordos coletivos de trabalho; XXVII - proteção em face da automação, na forma da lei; XXVIII - seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, sem excluir a indenização a que este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa; XXIX - ação, quanto aos créditos resultantes das relações de trabalho, com prazo prescricional de cinco anos para os trabalhadores urbanos e rurais, até o limite de dois anos após a extinção do contrato de trabalho; a) (Revogada). b) (Revogada). XXX - proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de admissão por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil; XXXI - proibição de qualquer discriminação no tocante a salário e critérios de admissão do trabalhador portador de deficiência;

12 12 XXXII - proibição de distinção entre trabalho manual, técnico e intelectual ou entre os profissionais respectivos; XXXIII - proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de dezoito e de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos, salvo na condição de aprendiz, a partir de quatorze anos; XXXIV - igualdade de direitos entre o trabalhador com vínculo empregatício permanente e o trabalhador avulso. Parágrafo único. São assegurados à categoria dos trabalhadores domésticos os direitos previstos nos incisos IV, VI, VIII, XV, XVII, XVIII, XIX, XXI e XXIV, bem como a sua integração à previdência social. Parágrafo único. São assegurados à categoria dos trabalhadores domésticos os direitos previstos nos incisos IV, VI, VII, VIII, X, XIII, XV, XVI, XVII, XVIII, XIX, XXI, XXII, XXIV, XXVI, XXX, XXXI e XXXIII e, atendidas as condições estabelecidas em lei e observada a simplificação do cumprimento das obrigações tributárias, principais e acessórias, decorrentes da relação de trabalho e suas peculiaridades, os previstos nos incisos I, II, III, IX, XII, XXV e XXVIII, bem como a sua integração à previdência social. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 72, de 2013). 09. Novos direitos começam a valer quando? Em síntese, com a emenda constitucional 72 de 03 de abril de 2013, já publicada, foram assegurados à categoria dos empregados domésticos a equiparação com os direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, alguns dos direitos adquiridos terão aplicação imediata, outros, depende de regulamentação legal e especifica para cada caso. 9.1 Direitos do(a) Empregado(a) Doméstico(a) antes da Emenda Constitucional 72. Vale lembrar que a categoria já possuía direitos reconhecidos legalmente senão vejamos: Texto reproduzido do Manual TRABALHO DOMESTICO Direitos e Deveres - Ministério do

13 13 Trabalho e Emprego 3ª Edição janeiro Edição e Distribuição: Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT). 01. Carteira de Trabalho e Previdência Social, devidamente anotada. 02. Salário mínimo fixado em lei. 03. Irredutibilidade salarial º (décimo terceiro) salário. 05. Repouso semanal remunerado, preferencialmente aos domingos. 06. Feriados civis e religiosos. 07. Férias de 30 (trinta) dias remuneradas. 08. Férias proporcionais, no término do contrato de trabalho. 09. Estabilidade no emprego em razão da gravidez. 10. Licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do salário. 11. Licença-paternidade de 5 dias corridos. 12. Auxílio-doença pago pelo INSS. 13. Aviso prévio de, no mínimo, 30 dias. 14. Aposentadoria. 15. Integração à Previdência Social. 16. Vale-Transporte. 17. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), benefício opcional. 18. Seguro-Desemprego concedido, exclusivamente, ao (à) empregado(a) incluído(a) no FGTS. 9.2 Relembrando o que foi conquistado com a Emenda Constitucional 72/ Indenização em caso de despedida sem justa causa; 02. Seguro Desemprego; 03. FGTS Fundo de Garantia por Tempo de Serviço; (Beneficio Obrigatório) 04. Garantia de Salário Mínimo, para quem recebe remuneração variável; 05. Adicional Noturno; 06. Proteção do Salário, sendo crime a retenção dolosa de salário; 07. Salário Família; 08. Jornada de trabalho de 8 horas diárias e 44 semanais; 09. Hora Extra; 10. Observância e cumprimento de normas de higiene, saúde e segurança do trabalho;

14 Auxilio creche e pré-escola para filhos e dependentes menores de 5 anos; 12. Reconhecimento dos acordos e convenções coletivas; 13. Seguro contra acidente do trabalho; 14. Proibição de discriminação de salário, de função e de critério de admissão; 15. Proibição de discriminação em relação à pessoa com deficiência; 16. Proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre, para menores de 16 anos; Finalizando esta parte expositiva, concluímos reportando às palavras proferidas por dezenas de senadores que discursaram no Plenário durante a votação da PEC 66/2012, na última terça 26 de abril de 2013: a Emenda Constitucional é a reparação de uma injustiça histórica e a garantia de tratamento igualitário para os empregados domésticos. 10. Como Empregador Doméstico o que devo fazer de imediato? De acordo com o preceito constitucional conhecido como: Principio da legalidade - Ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei (artigo 5º, inciso II, da Constituição Federal), no caso em questão, em síntese, conforme exposto neste trabalho, visualizamos a seguinte situação hoje, : a. Direitos decorrentes da PEC (EC72), que tem aplicação imediata; (Empregador Doméstico deve passar a cumprir de imediato). *vide fls. 06 tabela 4.1. b. Direitos decorrentes da PEC (EC72), que não tem aplicação imediata pois dependem de regulamentação e normatização da matéria; (empregador não esta obrigado a cumprir de imediato). *vide fls. 06 tabela 4.1. c. Direitos existentes para a categoria dos empregados domésticos, anterior à PEC (alguns de cumprimento opcional). (direitos que provavelmente já vinham sendo cumpridos, ainda que alguns eram opcionais). *vide fls. 12 tabela 9.1.

15 Sugerimos as seguintes providências para o Empregador Doméstico: Sempre contrate empregado de acordo com as normas legais vigentes e cumpra as rotinas trabalhistas, fiscais e previdenciárias no prazo. De imediato sugerimos a regularização do contrato de trabalho com o(a) seu(ua) empregado(a) doméstico(a), no caso de informalidade. Neste caso, o contrato de trabalho deve ser providenciado devendo constar no mínimo, os requisitos básicos exigidos por lei, e por consequência, as devidas anotações na CTPS do(a) empregado(a); Todavia se a relação de emprego está devidamente regularizada por um contrato escrito, será necessario adequa-lo às novas regras introduzidas pela EC72, caso não o esteja. Esta formalização poderá ser feita de imediato, através de um adendo contratual que aperfeiçoe o contrato anterior, ou se preferir, aguarde uma norma regulamentadora do Ministerio do Trabalho a respeito; De imediato: Adequar na forma da lei e estabelecer um contrôle de jornada de trabalho, de preferência por escrito, (sugerimos uma folha diária de ponto). *A Mr.RH possui um modelo padronizado, será disponíbilizada no site. Pagamentos de salários, e outras verbas, sempre mediante recibo devidamente assinado, contendo descrições das verbas pagas, de forma inequívocas. Cumprir rotinas tributarias, previdenciarias e trabalhistas, no prazo legal; Lembramos que alguns direitos decorrentes da PEC dos Domésticos, como Horas Extras, Adicional Noturno, entre outros, ainda dependerá de regulamentação de procedimentos

16 16 Para sua aplicabilidade, nada impede porem, que estes, sejam pagos por ora, por equiparação às normas vigentes para outras categorias profissionais. Contrate, se julgar necessário, um serviço de assessoria e apoio ao cumprimento das rotinas trabalhistas, fiscais e previdenciárias, decorrentes da relação de emprego, ficando despreocupado(a) nesta parte, evitando surpresas desagradáveis. 11. Perguntas e Respostas Apresentaremos nesta segunda parte deste trabalho, uma coletânea de perguntas e respostas, contendo as principais duvidas dos Empregadores(as) e também dos Empregados Domésticos(as), objetivando melhor esclarecimento do assunto. As principais dúvidas sobre o tema 1) Qual a punição para quem não cumprir a PEC após a promulgação? A punição é a mesma relativa aos demais empregados. O empregador pode se sujeitar a ações trabalhistas e o juiz do trabalho pode determinar que o Ministério do Trabalho proceda fiscalização para autuá-lo. O valor da multa dependerá da infração dos direitos, o que também depende de regulamentação. 2) Quais são os direitos que devem ser cumpridos de imediato, e que já estão em vigor? O pagamento mensal não inferior que um salário mínimo vigente na sua região para a categoria dos Empregados Domésticos, inclusive a quem recebe remuneração variável; reconhecimento de acordos e convenções coletivas dos trabalhadores; (atenção aos acordos salariais do Sindicato da categoria e ao piso salarial da categoria vigente na sua região); jornada de trabalho de 8 horas diárias, totalizando 44 horas semanais; pagamento de horas-extras; observação, respeito e cumprimento das normas de higiene, saúde e segurança do trabalho; proibição do trabalho noturno, perigoso ou insalubre ao trabalhador menor de 16 anos; proibição da discriminação de diferenças de salários, de exercício de funções e de critério de admissão por motivos de sexo, idade, cor ou estado civil ou para portador de deficiência; com a proteção do salário, o pagamento é garantido por lei (sendo crime a retenção dolosa de salário).

17 17 3) Quais são os novos direitos previstos na Emenda Constitucional, que precisarão de regulamentação para passar a valer? Indenização em caso de despedida sem justa causa; Seguro Desemprego; Obrigatoriedade do recolhimento do FGTS Fundo de Garantia por Tempo de Serviço; Adicional Noturno; Salário Família; Auxilio creche e pré-escola para filhos e dependentes menores de 5 anos; Seguro contra acidente do trabalho 4) Quais são os direitos que os domésticos já tinham mesmo antes da PEC? Carteira de Trabalho e Previdência Social, devidamente anotada; Salário mínimo fixado em lei; Irredutibilidade salarial; 13º (décimo terceiro) salário; Repouso semanal remunerado, preferencialmente aos domingos; Feriados civis e religiosos; Férias de 30 (trinta) dias remuneradas; Férias proporcionais, no término do contrato de trabalho; Estabilidade no emprego em razão da gravidez; Licença à gestante, sem prejuízo do emprego e do salário; Licença-paternidade de 5 dias corridos; Auxílio-doença pago pelo INSS; Aviso prévio de, no mínimo, 30 dias; Aposentadoria; Integração à Previdência Social; Vale-Transporte; Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), benefício opcional; Seguro-Desemprego concedido, exclusivamente, ao (à) empregado(a) incluído(a) no FGTS; 5) Como será feito o controle da jornada de trabalho? A jornada de trabalho diária é de 8 horas com intervalo de refeição de no mínimo 1 hora e não superior a 2 horas, e totalizando uma jornada semanal de 44 horas. Importante: A jornada estabelece apenas as horas de trabalho. O período destinado a descanso para repouso e alimentação de intervalo de almoço não é incluído e deve ser contado à parte. a remuneração prevista por hora extra é de, no mínimo, 50% a mais da hora normal. A melhor sugestão para o controle das horas trabalhadas é adoção de uma folha de controle de ponto. O empregado deve anotar, diariamente, a hora de entrada e de saída do trabalho, além do período de intervalo de almoço realizado. A folha de controle de ponto deve ser assinada todos os dias, pelo empregado e vistada pelo empregador. (O controle de ponto com equipamento somente é obrigatório para mais de 10 funcionários). 6) Quais direitos terão os empregados que já trabalham há muitos anos em uma residência e forem mandados embora? Com relação aos novos direitos dos empregados domésticos previstos pela PEC (saiba aqui quais são), eles só terão validade a partir da promulgação (e alguns ainda dependerão de regulamentação). As novas mudanças aprovadas não são retroativas ao tempo trabalhado anteriormente à PEC. Contudo, mesmo antes da PEC, já eram previstos aos domésticos os seguintes direitos: receber, ao menos, um salário mínimo ao mês; integração à Previdência Social (por meio do recolhimento do INSS); um dia de repouso remunerado (folga) por semana, preferencialmente aos domingos;

18 18 férias anuais remuneradas; 13ª salário; aposentadoria; irredutibilidade dos salários (o salário não pode ser reduzido, a não ser que isso seja acordado em convenções ou acordos coletivos) e licença gestante e licença-paternidade e aviso prévio, além de carteira de trabalho (CTPS) assinada. 7) Qual procedimento a ser adotado no caso dos domésticos que trabalham menos que 8 horas diárias e menos que 44 horas semanais. Não existe impedimento algum, devendo neste caso, a jornada menor estar especificada no contrato. O horário trabalhado que exceder o horário descrito na carteira devera ser pago como hora extra. O valor da hora será calculado com base no salário mínimo ou piso regional da categoria vigente e poderá pagar um salário proporcional. (Exemplo citado pelo advogado Paulo Salvador Ribeiro Perrotti, ao portal G1: levando em conta o salário mínimo federal de R$ 678. Esse valor dividido por 176 horas mensais dá R$ 3,85 por hora. Se o doméstico for trabalhar 22 horas semanais, o salário deverá ser de, no mínimo R$ 339). O empregador se preferir poderá registrar em contrato a jornada de 8 horas diárias e 44 horas semanais e dispensar o doméstico mais cedo, sem descontar do seu salário e exigir o cumprimento das 8 horas diárias quando precisar e da mesma forma pagar horas extra sobre o que exceder o horário descrito na carteira. 8) Há um máximo de horas extras permitido por lei ao dia? Sim. O funcionário só pode fazer duas horas extras ao dia, no máximo, além da jornada de 8 horas diárias. Em casos de exceção (uma festa, por exemplo), o empregador pode solicitar mais que esse limite de horas extras, mas é preciso respeitar o descanso mínimo de 11 horas para que o funcionário retorne ao trabalho após a saída nesse dia. 9) Muda algo em relação a folgas semanais? Como é o período de descanso? Pela CLT, o trabalhador tem direito a um período de descanso de, no mínimo, 11 horas entre cada jornada de trabalho. O descanso semanal é de 24 horas seguidas. Ainda segundo a CLT, o trabalhador tem direito a uma hora de descanso por dia se a jornada diária for maior que seis horas. Se a jornada diária for de até seis horas, o descanso deverá ser de 15 minutos após quatro horas de trabalho. Os intervalos não contam como hora trabalhada. 10) Quanto ao pagamento do FGTS será obrigatório de imediato? De quanto é o recolhimento? Não. O deposito obrigatório de FGTS para a categoria dos domésticos somente passara a ser exigido apenas após regulamentação legal. Hoje, o depósito é opcional. Ele corresponde a 8% do salário e deve ser pago integralmente pelo empregador. Em caso de demissão sem justa causa, o empregador também é obrigado a pagar 40% sobre o montante de todos os depósitos realizados durante a vigência do contrato, devidamente atualizados, na conta vinculada do empregado. 11) O pagamento obrigatório de FGTS será retroativo à data de admissão? Ou à data do inicio da vigência da PEC? Não, o depósito não será retroativo. A obrigatoriedade passará a valer apenas após a data da regulamentação, de acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego. 12) Pode-se trocar uma folga por semana por duas e adicionar as 4 horas da jornada aos 5 dias trabalhados, cumprindose aproximadamente 8 horas e 40 minutos ao dia?

19 19 Da forma como ficou determina na Emenda Constitucional, a jornada máxima de trabalho por dia é de 8 horas, prevendo pagamento de hora extra no que ultrapassar o limite. Entendemos sim, que é possível. O objetivo da lei em questão é proteger o trabalhador e não criar entraves prejudiciais, devendo ser feito um acordo prévio entre as partes. Por ora o comentário com cautela é este: Pode haver compensação de horas dentro de uma mesma semana quando a jornada não ultrapassar 44 horas semanais nem 8 horas diárias, desde que haja concordância do empregado. Em alguns casos de convenção coletiva (acordo feito com o sindicato dos trabalhadores), existe a permissão de extensão da jornada diária para até 10 horas, mas isso não se aplica, ao menos por enquanto, à categoria dos domésticos. 13) No período noturno, como fica o intervalo para refeição se o contratado começa a trabalhar a partir das 22h? Da mesma forma: jornada até 6 horas com intervalo de 15 minutos e superior a 6 horas, com intervalo de, no mínimo, 1 hora. As partes devem convencionar quando o descanso ocorrerá. 14) Como será o pagamento de adicional noturno? Dependera das orientações que vai disciplinar a matéria, não sendo possível responder agora. Quanto a legislação, atual e aplicável as demais categorias profissionais, prevê que o trabalho noturno, nas atividades urbanas, é o realizado entre 22h e 5h. 15) Como se calcula o valor do adicional noturno? Há diferença no cálculo de hora extra e adicional noturno nos finais de semana ou feriados? O adicional noturno é de 20% sobre o valor da hora normal e vale para o trabalho realizado das 22h às 5h. A hora noturna também é computada com quantidade reduzida, ou seja, a hora noturna equivale a 52 minutos e 30 e não 60 minutos, o que caracteriza outro acréscimo. No domingo e em feriados, a legislação, tanto federal quanto CLT, estipula acréscimo de 100%, em vez dos 50%, da hora extra. Mas como o tema depende de regulamentação, vai depender do que o Ministério entender como trabalho sobrejornada. Algumas categorias, como a dos comerciários, podem trabalhar no domingo e folgar na semana, e isso não é entendido como hora extra. 16) Quais as recomendações para estar legalizado e gerar transparência nas relações de trabalho com o empregado domestico? Que o contrato de trabalho entre o empregador e o empregado seja feito preferencialmente por escrito e com duas vias no mínimo. Que seja feito dentro dos requisitos legais, contendo as informações básicas e necessárias, como: horário de trabalho, cargo, salário entre outros. Que seja implantado um controle de horário transparente para ambas as partes. Que os encargos legais sejam devidamente recolhidos na forma da lei. (os existentes hoje e os que hão de vir após regulamentação). Que os pagamentos de salários e demais verbas sejam efetuados no prazo e mediante recibo. Que sejam cumpridas as obrigações e os deveres de cada parte contratante. 17) Como Empregador Domestico devo me preocupar neste momento com os demais benefícios? Como auxilio creche? Seguro desemprego? Indenização em caso de despedida sem justa causa?

20 20 Não. Entendemos que não é o momento desta preocupação até porque ainda não é certo que o patrão terá que desembolsar o benefício. Para o consultor legislativo Senado Eduardo Modena, é possível que o governo arque com essa despesa para não inviabilizar a contratação dos domésticos. 18) Quanto vai custar a mais para O EMPREGADOR DOMESTICO? Os cálculos simulados com base nos direitos do trabalhador urbano indicam sim um aumento das despesas para o empregador. Existem projeções diversas e especulativas de diversas maneiras, que indicam desembolso ao empregador de 10% a 45%) Quanto ao valor real ainda não é possível ser calculado pela falta de regulamentação de diversas matérias. 19) Os domésticos já têm direito ao seguro desemprego atualmente, mesmo antes da PEC? Somente se o patrão optou recolher o FGTS do empregado que era opcional. A exigência legal para receber o seguro desemprego, que deve ter ocorrido pelo menos 15 meses de recolhimento nos últimos 24 meses contados da dispensa sem justa causa. O funcionário não pode, ainda, estar em gozo de qualquer benefício previdenciário de prestação continuada (excetuados auxílio-acidente e pensão por morte e nem possuir renda própria de qualquer natureza). Porque depende de regulamentação então? Antes da PEC e ate regulamentação da matéria especifica, o domestico tem a garantia de apenas três parcelas do seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário. Todo trabalhador urbano e rural demitido sem justa causa tem direito de 05 parcelas. 20) Quanto às DIARISTAS, foram contempladas com algum direito novo? Nenhum direito novo, se a diarista trabalha duas vezes por semana no mesmo local. Diaristas são aqueles profissionais que vão à residência de uma família prestar algum tipo de serviço uma ou duas vezes por semana. Em algumas decisões, a Justiça do trabalho tem entendido que o funcionário passa a ser empregado doméstico quando o serviço é prestado em caráter contínuo, mais de duas vezes por semana, e pode ser caracterizado o vínculo empregatício, neste caso sim. 21) Como se estabelecerá o salário de uma diarista? A nova lei se aplica apenas a trabalhadores com vínculo empregatício, que existe quando a frequência de trabalho é superior a dois dias por semana. Portanto, as diaristas não estão enquadradas. Outras Perguntas. 22) Tenho um motorista e uma faxineira, ambos trabalham 44 horas semanais. O salário do motorista é mais alto, pois, como as funções são diferentes, uma requer habilitação e responsabilidade diferente da outra, que, por sua vez, tem outras qualificações para o cargo. É legal, neste caso, pagar salários diferentes?

21 21 A equiparação salarial prevista na lei diz respeito a trabalhos idênticos, de igual valor e igual produtividade. A alteração da lei não quer dizer que os salários do motorista e da faxineira precisam ser igualados, mas prevê que ambos precisam ganhar pelo menos o salário mínimo. 23) É possível dar ao funcionário duas horas de intervalo para refeição? Nesse período, ele pode permanecer dentro da residência ou tem que sair? É possível conceder duas horas de intervalo, a legislação autoriza. Esse intervalo independe se o funcionário fica dentro da casa ou sai dela. O que não pode acontecer é o empregador usar a força de trabalho na hora do intervalo. 24) Como fica o caso da doméstica que dorme no trabalho? O período em que ela está dormindo conta como adicional noturno? O período de sono não conta. O que conta é o trabalho efetivo. Cabe ao empregador manter o controle dessa jornada 25) Podem ser descontados os 6% relativos ao vale-transporte? Sim, é previsto o desconto de até 6% do salário contratado por causa do benefício de vale-transporte. O valor, contudo, é limitado ao total de vale-transporte recebido (ou seja, não pode ser superior ao valor do benefício, apenas inferior). 26) Como ficará o trabalho de caseiro que reside na chácara? O patrão pode exigir que o funcionário abra uma microempresa de prestação de serviços? A moradia pode ser cobrada? Não se poderá exigir a abertura de empresa, pois o funcionário exerce um trabalho pessoal. Nesse caso, a abertura de uma empresa seria uma fraude a legislação. A questão também dependerá de regulamentação, mas o caseiro terá que ter jornada estipulada, o restante será entendido como descanso, pois ele não fica, de fato, 24 horas trabalhando. 27) Cuidadoras de idosos deverão seguir as mesmas regras? Sim. Elas valem para todo trabalhador atrelado ao serviço de uma residência, independente da nomenclatura. 28) Sou cozinheira, cuido da cozinha, compras, feira etc-- e durmo no trabalho (chego na segunda-feira e vou embora no sábado). Levanto às 6h e geralmente termino o serviço da cozinha às 23h. Fui contratada para café da manhã e jantar, mas faço almoço para mim e para a doméstica que faz o serviço da casa. Às vezes também cozinho para a filha do patrão. Fico à disposição dos patrões por cerca de 17 horas por dia. Tenho direito a hora extra? Como fica o meu caso? O empregador precisa fazer um registro que preveja uma jornada que não ultrapasse 8 horas diárias e 44 horas semanais. O que ultrapassar é hora extra e precisará ser pago como tal. As horas extras, pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), estão limitadas a 2 por dia. Mais do que isso seria possível só por acordo coletivo (entre sindicatos patronal e dos empregados) aceito pelo Ministério do Trabalho. O artigo 59 da CLT permite que o empregado trabalhe 2 horas a mais, mas o compensa através de acordo individual. O que deve ser uma exceção. Quem fica à disposição tem outra modalidade de hora extra.

22 22 29) Tenho uma empregada com registro em carteira para trabalhar 12 horas diárias, seis dias por semana, com salário de R$ Pela nova legislação, poderia reduzir o trabalho para 44 horas semanais, reduzindo o salário proporcionalmente para R$ 917,40? Nesse caso, qualquer trabalho a mais seria considerado hora extra. A redução do valor do salário é proibida pela Constituição e pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). No caso citado, a jornada deverá ser adaptada para 44 horas, mas o salário não poderá ser diminuído. Ou seja, a empregada vai trabalhar menos horas, mas ganhando o mesmo valor. E se a empregada ultrapassar a jornada máxima de 44 horas semanais, o que exceder vai ser pago como hora extra além do salário atual. 30) Quem já paga valor bem acima do salário mínimo registrado em carteira poderá fazer alguma espécie de ajuste desse valor para baixo e transformar parte do salário atual em hora extra? Não. Essa medida é vedada pela Constituição. Se o empregador fizer isso, poderá ser alvo de uma reclamação trabalhista. 31) Uma babá que dorme no local do emprego e atende a criança durante a noite deverá receber hora extra? E se a mãe cuidar da criança à noite? Caso atenda durante a noite, a babá deve receber hora extra pelo trabalho noturno, que, inclusive, será mais cara que a hora extra diurna (pelo adicional noturno), a menos que tenha uma jornada que comece mais tarde (nesse caso, o adicional noturno continua valendo sobre o valor da hora regular). O mesmo não acontece se a mãe cuidar do bebê. 32) Tenho duas cuidadoras de idosos trabalhando em minha casa, cuidando de minha mãe. Cada uma delas trabalha uma semana e folga na outra semana. Elas dormem na minha casa, no mesmo quarto que minha mãe e, muitas vezes, têm que acordar para atender minha mãe que é doente. Ou seja, podem passar a noite inteira dormindo ou acordadas, o que raramente acontece. Porém, apesar de estarem dormindo, se minha mãe acorda e necessita de cuidados, elas estarão à disposição dela. Como fica esta situação? Tenho que pagar hora extra e adicional noturno? Sim, pois, embora a necessidade de trabalho não seja contínua, o cuidador tem que estar disponível também à noite. 33) Se uma empregada doméstica trabalha 3 dias semanais, ou seja 24 horas por semana, com a carteira assinada com o salário mínimo, ela terá direito ao FGTS e férias de 30 dias e outros direitos de um empregado com 44 horas semanais? Sim, pois passa a haver vínculo empregatício quando a jornada do trabalhador é superior a 2 dias por semana. Se o contrato já estiver assinado, não será possível redução do salário ainda que a jornada de trabalho seja inferior à de 44 horas semanais, pois a Constituição e a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) proíbem redução salarial. Se for uma contratação nova, é possível fazer um contrato de menos horas, com salário proporcional --desde que não seja inferior ao salário mínimo estabelecido. 34) É possível que o trabalhador cumpra uma jornada mista, parte diurna e parte noturna? Sim. Nesse caso, é preciso observar as especificidades de remuneração de horas diurnas e noturnas. A hora noturna vale para trabalho das 22h às 5h, tem valor 20% maior que o da hora diurna normal e vale 52 minutos e 30 segundos, em vez de 60 minutos. Essa diferenciação é feita para dar uma compensação ao funcionário com jornada noturna, considerada mais penosa.

23 23 35) Um empregador que paga R$ por mês, mas só registra na carteira R$ 1.200, pode considerar a diferença como pagamento de hora extra? Não. O que pode se fazer é pagar os R$ e fazer o cálculo das horas que ultrapassam a jornada, que passam a ser pagas como hora extra. 36) O empregador pode descontar do salário um valor referente à moradia e à alimentação quando o empregado mora no emprego? Não pode. 37) Uniforme, vale-transporte, assistência médica e seguro de vida e de acidente pessoal contam como salário? Não. Pela proposta, vestuários, equipamentos e outros acessórios fornecidos aos empregados e usados no local de trabalho não podem ser considerados salários. O mesmo vale para os demais benefícios. Mas quanto ao valetransporte, até 6% do valor que é gasto com o salário pode ser descontado. 38) Se uma empregada for demitida, ela pode ser recontratada depois por um salário menor? Há prazo de carência para a recontratação? Não. O que pode acontecer é o empregado demitido hoje voltar, no mínimo, seis meses após a demissão. Haverá necessidade, inclusive, de enquadrá-lo em outra função. 39) O que é considerado justa causa para demissão? "Ineficiência" pode ser considerado para a justa causa? A regra da justa causa não muda muito com a aprovação da PEC -vale para abandono de emprego, insubordinação, lesão à honra, ofensas contra o empregador etc. No caso da empregada, o mau serviço pode sim gerar justa causa. Mas deve ser observada a gradação da pena. Se o empregado nunca foi advertido, tem um histórico bom, e no primeiro problema é demitido, ocorre um desequilíbrio. A justa causa deve ser a pena máxima. 40) A que o trabalhador tem direito na demissão por justa causa? Segundo o Ministério do Trabalho, apenas ao saldo de salário e à indenização das férias não gozadas, acrescidas do terço constitucional. Ele perde o direito de sacar o dinheiro do FGTS e não recebe a multa de 40% sobre o saldo do Fundo de Garantia. Se optar por pedir demissão, o empregado tem o direito de receber o saldo de salário, a indenização das férias integrais não gozadas e proporcionais, acrescidas do terço constitucional e ao 13º salário proporcional. 41) Hoje pago a parte do INSS da minha doméstica, por opção minha. Posso passar a descontar dela o valor, uma vez que pagarei obrigatoriamente os 8% do FGTS? Não há relação entre as duas coisas. O INSS sempre foi obrigatório. O empregador deve arcar com 12%, e a doméstica, 8%. O que muda é que o empregador também é obrigado a recolher o pagamento do Fundo de Garantia.

24 Fontes pesquisadas: https://www.google.com.br.

Trabalho Doméstico: as mudanças e os impactos da nova lei. Zilma Aparecida da Silva Ribeiro Abril de 2013

Trabalho Doméstico: as mudanças e os impactos da nova lei. Zilma Aparecida da Silva Ribeiro Abril de 2013 Trabalho Doméstico: as mudanças e os impactos da nova lei Zilma Aparecida da Silva Ribeiro Abril de 2013 Legislação Aplicável * LEI Nº 5.859, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1972 * CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 7º, PARÁGRAFO

Leia mais

NOVA LEI DAS DOMESTICAS

NOVA LEI DAS DOMESTICAS NOVA LEI DAS DOMESTICAS DEVERES DAS DOMÉSTICAS Se a doméstica trabalhar menos que o contrato, posso descontar do salário? O desconto é linear? Independentemente de trabalhar menos, ela recebe o mesmo valor

Leia mais

Direito Constitucional. Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda

Direito Constitucional. Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda Direito Constitucional Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda Direitos fundamentais de segunda geração Surgimento: necessidade de intervenção estatal em

Leia mais

GUIA INFORMATIVO PEC DAS DOMÉSTICAS. Emenda Constitucional nº 72, de 2 de abril de 2013.

GUIA INFORMATIVO PEC DAS DOMÉSTICAS. Emenda Constitucional nº 72, de 2 de abril de 2013. 1 GUIA INFORMATIVO PEC DAS DOMÉSTICAS Emenda Constitucional nº 72, de 2 de abril de 2013. Altera a redação do parágrafo único do art. 7º da Constituição Federal para estabelecer a igualdade de direitos

Leia mais

DOS DIREITOS DOS TRABALHADORES URBANOS E RURAIS. art. 7º da Constituição Federal

DOS DIREITOS DOS TRABALHADORES URBANOS E RURAIS. art. 7º da Constituição Federal DOS DIREITOS DOS TRABALHADORES URBANOS E RURAIS art. 7º da Constituição Federal ASPECTOS GERAIS 1) Os direitos trabalhistas previstos no art. 7º da CF, abrangem os trabalhadores urbanos e rurais; 2) A

Leia mais

Folha responde a 70 dúvidas de leitores sobre a PEC das domésticas

Folha responde a 70 dúvidas de leitores sobre a PEC das domésticas Folha responde a 70 dúvidas de leitores sobre a PEC das domésticas Os trabalhadores domésticos vão ganhar mais direitos com a promulgação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que garante a eles o

Leia mais

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo).

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo). 02/06/2015 07h40 - Atualizado em 02/06/2015 13h01 Regulamentação dos direitos das domésticas é publicada Trabalhadoras terão adicional noturno, seguro-desemprego e mais 5 direitos. Emenda constitucional

Leia mais

RELAÇÃO DE EMPREGO DOMÉSTICO

RELAÇÃO DE EMPREGO DOMÉSTICO RELAÇÃO DE EMPREGO DOMÉSTICO FELIPE VASCONCELLOS CAVALCANTE Universidade Federal de Goiás UFG Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional e Recursos Humanos Departamento de Desenvolvimento de Recursos

Leia mais

AS MUDANÇAS NO ESTATUTO JURÍDICO DOS DOMÉSTICOS EC 72/13 Gáudio R. de Paula e José Gervásio Meireles

AS MUDANÇAS NO ESTATUTO JURÍDICO DOS DOMÉSTICOS EC 72/13 Gáudio R. de Paula e José Gervásio Meireles AS MUDANÇAS NO ESTATUTO JURÍDICO DOS DOMÉSTICOS EC 72/13 Gáudio R. de Paula e José Gervásio Meireles A aprovação do projeto de Emenda Constitucional 66/2012, e a subsequente edição da EC 72/13, relativo

Leia mais

O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS

O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS Linha de pesquisa: Gestão Empresarial João Paulo dos Santos Ribeiro

Leia mais

Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original)

Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original) Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original) Proposição Originária: PEC 478/2010 PODER LEGISLATIVO Título EMC 72 de 02/04/2013 - EMENDA CONSTITUCIONAL Data 02/04/2013 Ementa

Leia mais

Departamento pessoal do Empregador doméstico PEC 66/2012 EC 72 /2013

Departamento pessoal do Empregador doméstico PEC 66/2012 EC 72 /2013 Departamento pessoal do Empregador doméstico PEC 66/2012 EC 72 /2013 A PEC n 66 de 2012 Veio com O OBJETIVO de alterar a redação do parágrafo único do art. 7º da Constituição Federal para estabelecer a

Leia mais

INFORMATIVO AS ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A EMPREGADOS DOMÉSTICOS. Flavio Aldred Ramacciotti W W W. M F R A. C O M. B R

INFORMATIVO AS ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A EMPREGADOS DOMÉSTICOS. Flavio Aldred Ramacciotti W W W. M F R A. C O M. B R INFORMATIVO AS ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A EMPREGADOS DOMÉSTICOS Flavio Aldred Ramacciotti W W W. M F R A. C O M. B R ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 OS NOVOS DIREITOS... 4 DIREITOS DE EFICÁCIA IMEDIATA...

Leia mais

CARTILHA SOBRE A EMENDA CONSTITUCIONAL DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

CARTILHA SOBRE A EMENDA CONSTITUCIONAL DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS 2 de abril de 2013 CARTILHA SOBRE A EMENDA CONSTITUCIONAL DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Hoje foi promulgada uma Emenda Constitucional que amplia os direitos trabalhistas dos empregados domésticos. Alguns direitos

Leia mais

Trabalhador Domestico

Trabalhador Domestico Trabalhador Domestico Trabalhador Domestico 3 Brasília/DF - 2013 Trabalhador Domestico Considera-se trabalhador doméstico aquele maior de 18 anos que presta serviços de natureza contínua (frequente,

Leia mais

PONTO CERTO OAB por ISADORA ATHAYDE E THIAGO ATHAYDE

PONTO CERTO OAB por ISADORA ATHAYDE E THIAGO ATHAYDE PONTO CERTO OAB por ISADORA ATHAYDE E THIAGO ATHAYDE O nosso item do edital de hoje será: EMPREGADO DOMÉSTICO Algo que devemos atentar de início é ao fato de não aplicarmos a CLT ao empregado doméstico,

Leia mais

2 - Quais são os direitos que entraram em vigor imediatamente após a publicação da Emenda Constitucional n.º 72, de 2013?

2 - Quais são os direitos que entraram em vigor imediatamente após a publicação da Emenda Constitucional n.º 72, de 2013? TRABALHADOR DOMÉSTICO 1 - Quem pode ser considerado trabalhador doméstico? Resposta: É considerado trabalhador doméstico aquele que presta serviços de natureza contínua e de finalidade não lucrativa à

Leia mais

CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM A PEC DAS DOMÉSTICAS

CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM A PEC DAS DOMÉSTICAS DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DO EMPREGADOR DOMÉSTICO = MENOS DEMISSÕES E MAIS FORMALIDADE Dê seu voto em www.domesticalegal.org.br CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM

Leia mais

CARTILHA TRABALHADOR DOMÉSTICO. Perguntas e Respostas TRABALHADOR DOMÉSTICO. 1 - Quem pode ser considerado trabalhador doméstico?

CARTILHA TRABALHADOR DOMÉSTICO. Perguntas e Respostas TRABALHADOR DOMÉSTICO. 1 - Quem pode ser considerado trabalhador doméstico? FICHA CATALOGRÁFICA CARTILHA TRABALHADOR DOMÉSTICO - Considera-se trabalhador doméstico aquele maior de 18 anos que presta serviços de natureza contínua (frequente, constante) e de finalidade não-lucrativa

Leia mais

Direitos do Empregado Doméstico

Direitos do Empregado Doméstico Direitos do Empregado Doméstico Com a aprovação da Emenda Constitucional n 72, que ocorreu em 02/04/2013, o empregado doméstico passou a ter novos direitos. Alguns deles independem de regulamentação e,

Leia mais

Professor André Vieira. Direitos Sociais. Curso de Oficial de Justiça de 1º Instância 1

Professor André Vieira. Direitos Sociais. Curso de Oficial de Justiça de 1º Instância 1 Direitos Sociais 01. NÃO é considerado um direito social, expressamente previsto na Constituição Federal Brasileira de 1988, a: a) Segurança; b) Educação; c) Livre concorrência; d) Saúde. 02. Os que percebem

Leia mais

Empregados domésticos. Mudanças decorrentes da Emenda Constitucional nº 72.

Empregados domésticos. Mudanças decorrentes da Emenda Constitucional nº 72. Empregados domésticos. Mudanças decorrentes da Emenda Constitucional nº 72. Empregado doméstico, como bem conceitua Volia Bomfim Cassar, 1 é toda pessoa física que trabalha de forma pessoal, subordinada,

Leia mais

CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO

CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO Projeto Legalize sua doméstica e pague menos INSS = Informalidade ZERO CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO Realização Jornal Diario de Pernambuco

Leia mais

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Digite o título aqui INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Lei Complementar nº 150, de 1º de junho de 2015 -

Leia mais

TRABALHADORES DOMÉSTICOS

TRABALHADORES DOMÉSTICOS Trabalho realizado pela advogada dra. Marília Nascimento Minicucci, do escritório do conselheiro prof. Cássio de Mesquita Barros Júnior TRABALHADORES DOMÉSTICOS Foi publicado, no Diário Oficial da União

Leia mais

ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa

ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA Alexandre Corrêa ATUALIZAÇÃ ÇÃO O TRABALHISTA PROGRAMA EMPREGADO DOMÉSTICO (Aspectos Legais) EMPREGADO DOMÉSTICO A Lei 5859/72 regulamentada pelo Decreto 71885/73 tornou reconhecida

Leia mais

Pessoa ou família que admite a seu serviço empregado doméstico (Decreto nº 71.885/1973, art. 3º, II).

Pessoa ou família que admite a seu serviço empregado doméstico (Decreto nº 71.885/1973, art. 3º, II). FONTE: www.iobonlineregulatorio.com.br EMPREGADO DOMÉSTICO: Considera-se doméstico o empregado que presta serviços de natureza contínua e de finalidade não lucrativa a pessoa ou família, no âmbito residencial

Leia mais

Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB

Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB AULA 10: Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB Amparo legal: art. 7º, II da CRFB. * urbanos e rurais: Lei nº 7.998/90, Lei nº 8.900/94 e Resolução do CODEFAT 467/05. * domésticos: artigo 6º-A da Lei

Leia mais

EMPREGADO DOMÉSTICO (Aspectos Legais)

EMPREGADO DOMÉSTICO (Aspectos Legais) Le f is c L e g i s l a c a o F i s c a l CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE

Leia mais

Produção: Fundação Republicana Brasileira Diagramação: Joshua Fillip

Produção: Fundação Republicana Brasileira Diagramação: Joshua Fillip Produção: Fundação Republicana Brasileira Diagramação: Joshua Fillip Uma produção da Fundação Republicana Brasileira 2013 O Congresso Nacional promulgou, no dia 2 de abril, a Proposta de Emenda à Constituição

Leia mais

Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico.

Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico. RESUMO INFORMATIVO SOBRE TRABALHO DOMÉSTICO Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico. Lei Complementar n. 150/2015 Jul 2015 Este resumo informativo

Leia mais

Empregados Domésticos

Empregados Domésticos Empregados Domésticos O que está valendo hoje? Dos direitos em vigor, destacamos: Salário mínimo: O salário mínimo nacional atual é de R$ 678,00. Há Estados em que existem leis estaduais garantindo um

Leia mais

DIREITOS DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS

DIREITOS DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DIREITOS DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS SAIBA QUEM SÃO OS TRABALHADORES BENEFICIADOS COM A APROVAÇÃO DA CHAMADA PEC DAS DOMÉSTICAS Todos os trabalhadores contratados para trabalhar para uma pessoa física

Leia mais

EMPREGADO DOMÉSTICO INOVAÇÕES LEGISLATIVAS DA LEI COMPLEMENTAR 150 CAPÍTULO I PRINCIPAIS EVOLUÇÕES LEGISLATIVAS A categoria dos empregados domésticos tem como principais regulamentações legislativas, por

Leia mais

Cartilha Mentorear. PEC Proposta de Emenda à Constituição

Cartilha Mentorear. PEC Proposta de Emenda à Constituição Cartilha Mentorear Empregada Doméstica e Categorias Associadas na Nova Lei conhecida como PEC das Domésticas PEC Proposta de Emenda à Constituição PEC 478/2010 na Câmara dos Deputados Federais PEC 66/2012

Leia mais

ORIGEM: Consultoria Legislativa TIPO DE TRABALHO: INFORMAÇÃO FIQUE POR DENTRO ASSUNTO: Trabalho Doméstico

ORIGEM: Consultoria Legislativa TIPO DE TRABALHO: INFORMAÇÃO FIQUE POR DENTRO ASSUNTO: Trabalho Doméstico DIRETORIA LEGISLATIVA CONSULTORIA LEGISLATIVA ORIGEM: Consultoria Legislativa TIPO DE TRABALHO: INFORMAÇÃO FIQUE POR DENTRO ASSUNTO: Trabalho Doméstico CONSULTORA: Beatriz Rezende Marques Costa DATA: abril

Leia mais

15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA

15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA 15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA 15.1 - Integram a remuneração para fins de cálculos dos valores devidos à Previdência Social e a serem recolhidos para o FGTS, dentre outras, as seguintes parcelas:

Leia mais

A seguir apresentamos:

A seguir apresentamos: O Senado Federal aprovou em 26/03, em segundo turno, por unanimidade, a Proposta de Emenda à Constituição n 478/2010 (PEC das Domésticas). A promulgação ocorreu pelo Congresso Nacional nesta terça feira

Leia mais

Relações do Direito do Trabalho com outros Ramos do Direito. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Relações do Direito do Trabalho com outros Ramos do Direito. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Relações do Direito do Trabalho com outros Ramos do Direito Introdução Para fins didáticos o estudo do Direito deve ser feito de forma fragmentada, pois tal separação não existe. "O Direito é único e não

Leia mais

TRABALHADOR DOMÉSTICO

TRABALHADOR DOMÉSTICO TRABALHADOR DOMÉSTICO Guia SESI-FIEMG dos Direitos e Deveres do Trabalhador Doméstico Edição 1.0 Outubro de 2015 1 SUMÁRIO O EMPREGADO DOMÉSTICO... 3 DIREITOS DO EMPREGADO DOMÉSTICO... 3 PRINCIPAIS PONTOS

Leia mais

Direitos do(a) Empregado(a) Doméstico(a)

Direitos do(a) Empregado(a) Doméstico(a) Direitos do(a) Empregado(a) Doméstico(a) Carteira de Trabalho e Previdência Social, devidamente anotada Devidamente anotada, especificando- se as condições do contrato de trabalho (data de admissão, salário

Leia mais

Empregado Doméstico Normatização da Profissão

Empregado Doméstico Normatização da Profissão Empregado Doméstico Normatização da Profissão 3 DE JUNHO DE 2015 CONTSUL A Lei complementar nº150, publicada no DOU de 02.06.2015, dispôs sobre o trabalho doméstico no que tange ao contrato de trabalho,

Leia mais

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO Índice 1. Outros Tipos de Contratos de Trabalho...3 1.1. Trabalho Rural... 3 1.2. Estagiário... 4 1.3. Trabalho Temporário... 5 1.4.

Leia mais

Tabela Prática de Verbas que compõem a Base de Cálculo para incidência de INSS, FGTS e IRRF

Tabela Prática de Verbas que compõem a Base de Cálculo para incidência de INSS, FGTS e IRRF Tabela Prática de Verbas que compõem a Base de Cálculo para incidência de INSS, FGTS e IRRF Discriminação INSS Fundamento legal FGTS Fundamento legal IRRF Fundamento legal Abono de férias - pecuniário

Leia mais

Questões fundamentadas Art. 6º ao 11 da CF

Questões fundamentadas Art. 6º ao 11 da CF 1 Para adquirir a apostila de 200 Questões Fundamentadas Dos Direitos Sociais Art. 6º a 11 da CF acesse o site: www.odiferencialconcursos.com.br ESSA APOSTILA SERÁ ATUALIZADA ATÉ A DATA DO ENVIO. S U M

Leia mais

DEPARTAMENTO PESSOAL

DEPARTAMENTO PESSOAL DEPARTAMENTO PESSOAL DÚVIDAS MAIS FREQUENTES 1 1. Documentos necessários para admissão Para o processo de admissão, o novo funcionário deverá apresentar a relação de documentos abaixo: *Carteira de Trabalho

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DE DIREITO CONSTITUCIONAL EMENDA CONSTITUCIONAL N. 72/2013 DOS DIREITOS SOCIAIS 1. INTRODUÇÃO 2. ENUMERAÇÃO DOS DIREITOS SOCIAIS

ATUALIZAÇÃO DE DIREITO CONSTITUCIONAL EMENDA CONSTITUCIONAL N. 72/2013 DOS DIREITOS SOCIAIS 1. INTRODUÇÃO 2. ENUMERAÇÃO DOS DIREITOS SOCIAIS Atualização - 1 ATUALIZAÇÃO DE DIREITO CONSTITUCIONAL EMENDA CONSTITUCIONAL N. 72/2013 DOS DIREITOS SOCIAIS 1. INTRODUÇÃO Os direitos sociais são direitos coletivos, passíveis de supressão ou alteração

Leia mais

Os novos direitos dos empregados domésticos: análise da Emenda Constitucional n o 72/2013

Os novos direitos dos empregados domésticos: análise da Emenda Constitucional n o 72/2013 Os novos direitos dos empregados domésticos: análise da Emenda Constitucional n o 72/2013 SériE Atualização Legislativa Os novos direitos dos empregados domésticos: análise da Emenda Constitucional n

Leia mais

5 MILHÕES LEGAIS EM 2010 WWW.DOMESTICALEGAL.ORG.BR/VOTE SÓ FALTAM OS DEPUTADOS FEDERAIS, O PRESIDENTE LULA E VOCÊ!

5 MILHÕES LEGAIS EM 2010 WWW.DOMESTICALEGAL.ORG.BR/VOTE SÓ FALTAM OS DEPUTADOS FEDERAIS, O PRESIDENTE LULA E VOCÊ! CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA OS SENADORES APROVARAM 5 MILHÕES DE DOMÉSTICAS LEGAIS EM 2010 Sem carteira assinada Com carteira assinada 4.8 milhões de domésticas

Leia mais

CAPÍTULO I - VIGÊNCIA E ABRANGÊNCIA CAPÍTULO II - REMUNERAÇÃO E PAGAMENTO

CAPÍTULO I - VIGÊNCIA E ABRANGÊNCIA CAPÍTULO II - REMUNERAÇÃO E PAGAMENTO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, QUE ENTRE SI FAZEM, DE UM LADO O SINDICATO DOS CONDUTORES DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS E TRABALHADORES EM TRANSPORTES DE CARGAS EM GERAL E PASSAGEIROS NO MUNICÍPIO DO RIO DE

Leia mais

13º SALARIO Posteriormente, a Constituição Federal de 1988, em seu art. 7º,

13º SALARIO Posteriormente, a Constituição Federal de 1988, em seu art. 7º, 13º SALARIO Trabalhadores beneficiados Farão jus ao recebimento do 13º salário os seguintes trabalhadores: a) empregado - a pessoa física que presta serviços de natureza urbana ou rural à empresa, em caráter

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 1/5 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ENTIDADES CULTURAIS, RECREATIVAS, DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, DE ORIENTAÇÃO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, NO ESTADO DO PARANÁ SENALBA/PR, CNPJ 75.992.446/0001-49,

Leia mais

PRIMEIROS APONTAMENTOS SOBRE A LEI COMPLEMENTAR 150/2015: A NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

PRIMEIROS APONTAMENTOS SOBRE A LEI COMPLEMENTAR 150/2015: A NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS PRIMEIROS APONTAMENTOS SOBRE A LEI COMPLEMENTAR 150/2015: A NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Karime Antunes de Souza Advogada em São Paulo karime@silvaribeiro.com.br Aprovada recentemente, a Lei Complementar

Leia mais

Férias Proporcionais Até 5 faltas 6 a 14 faltas 15 a 23 faltas 24 a 32 faltas

Férias Proporcionais Até 5 faltas 6 a 14 faltas 15 a 23 faltas 24 a 32 faltas FÉRIAS ASPECTOS GERAIS Férias é o período de descanso anual, que deve ser concedido ao empregado após o exercício de atividades por um ano, ou seja, por um período de 12 meses, período este denominado

Leia mais

PROFESSORA: Déborah Paiva. Prova: (FCC TST Analista Judiciário 2012)

PROFESSORA: Déborah Paiva. Prova: (FCC TST Analista Judiciário 2012) Direito do Trabalho: 41. A descaracterização de uma pactuada relação civil de prestação de serviços, desde que no cumprimento do contrato se verifiquem os elementos fáticos e jurídicos da relação de emprego,

Leia mais

Contratos de trabalho por tempo determinado, previstos na CLT

Contratos de trabalho por tempo determinado, previstos na CLT Contratos de trabalho por tempo determinado, previstos na CLT O contrato de trabalho por prazo determinado é aquele cuja duração dependa de termo prefixado ou da execução de serviços específicos ou ainda

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Remuneração in natura - Cesta Básica 25/08/15

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Remuneração in natura - Cesta Básica 25/08/15 Parecer Consultoria Tributária Segmentos Remuneração in natura - Cesta Básica 25/08/15 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria...

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Fetquim)

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Fetquim) PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Fetquim) CLÁUSULAS PARA DISCUSSÃO CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência da presente Convenção Coletiva de Trabalho no período de 1º

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 Termo de CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO que entre si fazem, o Sindicato dos Empregados em Edifícios e em Empresas de Compra, Venda Locação e Administração de Imóveis

Leia mais

O Futuro do emprego Doméstico PROJETOS DE LEI LEGALIZE SUA DOMÉSTICA E PAGUE MENOS INSS

O Futuro do emprego Doméstico PROJETOS DE LEI LEGALIZE SUA DOMÉSTICA E PAGUE MENOS INSS PROJETOS DE LEI LEGALIZE SUA DOMÉSTICA E PAGUE MENOS INSS 1 1 Formalização de 2 milhões de empregados domésticos nos próximos 12 dias. 2 Erradicar o Trabalho Infantil Adolescente de 410 mil crianças e

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Federação)

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Federação) PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Federação) CLÁUSULAS PARA DISCUSSÃO CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência da presente Convenção Coletiva de Trabalho no período de 1º

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Empregado doméstico, direitos e deveres Leto Horongozo Corá RESUMO O empregado doméstico figurado pela Lei 5.859/78, não se caracterizando como trabalhador rural e nem urbano, pois

Leia mais

Auxiliar Jurídico. Módulo IV. Aula 01

Auxiliar Jurídico. Módulo IV. Aula 01 Auxiliar Jurídico Módulo IV Aula 01 1 CÁLCULOS TRABALHISTAS Neste módulo você irá aprender a realizar os cálculos de verbas rescisórias e Liquidação de Sentença. I. VERBAS RESCISÓRIAS Podemos entender

Leia mais

Menor Aprendiz Perguntas Frequentes

Menor Aprendiz Perguntas Frequentes Menor Aprendiz Perguntas Frequentes A aprendizagem é regulada pela CLT e passou por um processo de modernização com a promulgação das Leis nºs. 11.180/2005, 10.097/2008 e 11.788/2008. O Estatuto da Criança

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA

PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA CAMPINAS JANEIRO/2014 1 PAUTA DE REIVINDICAÇÃO CLÁUSULA 1ª - PISO SALARIAL Fica estipulado

Leia mais

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS 11. DIREITOS NA HORA DA DEMISSÃO É de fundamental importância saber quais os direitos dos trabalhadores na hora da rescisão do contrato de trabalho. Devese ter especial atenção no caso de demissões sem

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Férias

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Férias pág.: 1/6 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos para programação, concessão e pagamento de férias aos empregados da COPASA MG. 2 Referências Para aplicação desta norma poderá ser necessário

Leia mais

EMPREGADO E EMPREGADOR

EMPREGADO E EMPREGADOR EMPREGADO E EMPREGADOR Empregado É toda pessoa física que presta serviços de natureza não eventual, a um empregador, sob sua dependência e mediante salário. São necessários cinco requisitos para se verificar

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG002058/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR018377/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.004510/2012-13 DATA DO

Leia mais

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2014/2015 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVICO SOCIAL DO DISTRITO FEDERAL

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2014/2015 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVICO SOCIAL DO DISTRITO FEDERAL PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2014/2015 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVICO SOCIAL DO DISTRITO FEDERAL O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ENTIDADES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

GT Grupo de Estudos e Pesquisas em Espaço. Trabalho, Inovação e Sustentabilidade. Modalidade da apresentação: Comunicação oral

GT Grupo de Estudos e Pesquisas em Espaço. Trabalho, Inovação e Sustentabilidade. Modalidade da apresentação: Comunicação oral GT Grupo de Estudos e Pesquisas em Espaço. Trabalho, Inovação e Sustentabilidade. Modalidade da apresentação: Comunicação oral Emprego Doméstico: Evolução ou Precarização? (2004-2014) Resumo: O presente

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE COMPENSAÇÃO DE HORÁRIO ATRAVÉS DE BANCO DE HORAS

ACORDO COLETIVO DE COMPENSAÇÃO DE HORÁRIO ATRAVÉS DE BANCO DE HORAS ACORDO COLETIVO DE COMPENSAÇÃO DE HORÁRIO ATRAVÉS DE BANCO DE HORAS Pelo presente termo de Acordo Coletivo de Trabalho, e de acordo com a convenção Coletiva de Trabalho conforme cláusulas específicas celebraram

Leia mais

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 -

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 - ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL INTRODUÇÃO... 008 DISPOSIÇÕES GERAIS... 009 Conceito de empregador... 009 Conceito de empregado... 009 Direitos do empregado... 010 ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO TRABALHO...

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS Abonos de qualquer natureza Evento Descrição INSS FGTS IRRF Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença

Leia mais

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte?

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? 1 Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? A MP 664 de dezembro de 2014 previu uma carência de 24 meses para a obtenção do benefício pensão por morte. Depois de muita discussão no Congresso

Leia mais

NOME: MATRÍCULA: CURSO: SEMESTRE: UNIDADE: ENTREGA / / - PRAZO LIMITE AV1. 1ª ATIVIDADE:

NOME: MATRÍCULA: CURSO: SEMESTRE: UNIDADE: ENTREGA / / - PRAZO LIMITE AV1. 1ª ATIVIDADE: MATRÍCULA: CURSO: SEMESTRE: UNIDADE: ENTREGA / / - PRAZO LIMITE AV1. 1ª ATIVIDADE: Pesquisar um tema referente a matéria na biblioteca e redigir um artigo nos termos da ABNT. Obs.: tema livre; obrigatória

Leia mais

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO A NOVA REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO Sara Costa Benevides 1 Advogada Sócia de Homero Costa Advogados Lorena Efigênia da Cruz Silva Estagiária de Homero Costa Advogados INTRODUÇÃO No Diário Oficial

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências Evento Descrição INSS FGTS IRRF Abonos de qualquer natureza Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho -

Leia mais

Secretaria de Políticas Públicas de Emprego Departamento de Emprego e Salário Coordenação-Geral do Seguro-Desemprego, do Abono Salarial e

Secretaria de Políticas Públicas de Emprego Departamento de Emprego e Salário Coordenação-Geral do Seguro-Desemprego, do Abono Salarial e Secretaria de Políticas Públicas de Emprego Departamento de Emprego e Salário Coordenação-Geral do Seguro-Desemprego, do Abono Salarial e Identificação Profissional NOVAS REGRAS DO SEGURO-DESEMPREGO E

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002716/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/11/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064091/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.006426/2015-78 DATA DO

Leia mais

SEGURO-DESEMPREGO - NOVOS VALORES - MARÇO/2011. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 09/03/2011.

SEGURO-DESEMPREGO - NOVOS VALORES - MARÇO/2011. Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 09/03/2011. SEGURO-DESEMPREGO - NOVOS VALORES - MARÇO/2011 Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 09/03/2011. Sumário: 1 - Introdução 2 - Requisitos 3 - Comprovação 4 - Parcelas 4.1 - Parcelas Adicionais

Leia mais

Disciplina: Direito e Processo do Trabalho 4º Semestre - 2011 Professor Donizete Aparecido Gaeta Resumo de Aula. 15º Ponto Aviso Prévio.

Disciplina: Direito e Processo do Trabalho 4º Semestre - 2011 Professor Donizete Aparecido Gaeta Resumo de Aula. 15º Ponto Aviso Prévio. Aviso Prévio 1. Conceito 2. Cabimento 3. Prazo 4. Início da contagem do prazo 5. Ausência do aviso prévio 6. Anotação na CTPS da data do encerramento do contrato de trabalho 7. Renúncia do período de aviso

Leia mais

Férias Individuais e Coletivas; Período Aquisitivo e Concessivo; Remuneração; Abono; Efeitos na Rescisão Contratual

Férias Individuais e Coletivas; Período Aquisitivo e Concessivo; Remuneração; Abono; Efeitos na Rescisão Contratual Lição 6. Férias Férias Individuais e Coletivas; Período Aquisitivo e Concessivo; Remuneração; Abono; Efeitos na Rescisão Contratual 6.1. FÉRIAS INDIVIDUAIS: arts. 129 a 138 da CLT. As férias correspondem

Leia mais

JORNADA DE TRABALHO SINDIREPA LUCIANA CHARBEL GERÊNCIA DE RELAÇÕES TRABALHISTAS 20 DE JUNHO DE 2013

JORNADA DE TRABALHO SINDIREPA LUCIANA CHARBEL GERÊNCIA DE RELAÇÕES TRABALHISTAS 20 DE JUNHO DE 2013 JORNADA DE TRABALHO SINDIREPA LUCIANA CHARBEL GERÊNCIA DE RELAÇÕES TRABALHISTAS 20 DE JUNHO DE 2013 DURAÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO DIÁRIA: 8 HORAS SEMANAL: 44 HORAS MENSAL: 220 HORAS INTERVALOS PARA DESCANSO

Leia mais

Proteção ao Trabalhador Menor

Proteção ao Trabalhador Menor Proteção ao Trabalhador Menor O trabalhador menor ganhou proteção legal para o desempenho de suas atividades, razão que lhe assiste por se encontrar num processo de amadurecimento físico, mental, moral,

Leia mais

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005/2006 PELO PRESENTE INSTRUMENTO DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO DE UM LADO O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE RÁDIODIFUSÃO DO ESTADO DO PARANÁ, A SEGUIR DENOMINADO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2009 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000433/2008 DATA DE REGISTRO NO MTE: 14/10/2008 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR015947/2008 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.032963/2008-13 DATA DO

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO. O Art. 8º da CLT autoriza expressamente a aplicação dos princípios: 1.3. Presentação da condição mais benéfica: Súmula 51 TST

DIREITO DO TRABALHO. O Art. 8º da CLT autoriza expressamente a aplicação dos princípios: 1.3. Presentação da condição mais benéfica: Súmula 51 TST 1 DIREITO DO TRABALHO PONTO 1: Princípios de Direito do Trabalho PONTO 2: Relação de Emprego e Relação de Trabalho PONTO 3: Litisconsórcio passivo facultativo 1. PRINCÍPIOS DE 1. Proteção: Esse princípio

Leia mais

Lição 11. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS

Lição 11. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS Lição 11. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS (Lei nº 8.036, de 11/5/90, e Decreto nº 99.684, de 8/11/90). 11.1. CONSIDERAÇÕES GERAIS O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é uma conta

Leia mais

NÚCLEO PREPARATÓRIO DE EXAME DE ORDEM

NÚCLEO PREPARATÓRIO DE EXAME DE ORDEM ENDEREÇAMENTO E QUALIFICAÇÃO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA... VARA DO TRABALHO DE... A, estado civil..., profissão..., portador do RG nº..., inscrito no CPF nº..., portador da CTPS..., série...,

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 6 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG004008/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR057851/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.008943/2011-67 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2001 IEL/DF - INSTITUTO EUVALDO LODI SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2001 IEL/DF - INSTITUTO EUVALDO LODI SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2001 IEL/DF - INSTITUTO EUVALDO LODI SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO QUE ENTRE SI, CELEBRAM O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ENTIDADES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E DE FORMAÇÃO

Leia mais

Principais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho

Principais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho SINPEFESP-(empregados)-SINDELIVRE-(patronal) Principais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho 2014/2015. VIGÊNCIA E DATA-BASE As cláusulas e condições da presente Convenção Coletiva de Trabalho que

Leia mais

GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS

GRATIFICAÇÕES, ADICIONAIS, AUXÍLIOS E OUTROS ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG001902/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR019390/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46236.000751/2012-13 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029594/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 21/05/2015 ÀS 15:50 SINDICATO DOS EMP NO COM DE CONSELHEIRO LAFAIETE, CNPJ n. 19.721.463/0001-70,

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002511/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053502/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.005004/2012-32 DATA

Leia mais