TRABALHADORES DOMÉSTICOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TRABALHADORES DOMÉSTICOS"

Transcrição

1 Trabalho realizado pela advogada dra. Marília Nascimento Minicucci, do escritório do conselheiro prof. Cássio de Mesquita Barros Júnior TRABALHADORES DOMÉSTICOS Foi publicado, no Diário Oficial da União do dia , a emenda constitucional que regulamenta novos direitos dos trabalhadores domésticos e, por conseguinte, novas obrigações aos seus empregadores. Assim, faz-se necessário aos empregadores domésticos tomarem conhecimento de tal regulamentação, a fim de que não sejam autuados pelo Ministério do Trabalho e Emprego, nem sofram reclamações trabalhistas desnecessárias. Dentre as novidades que mais podem causar dúvidas ao empregador doméstico está o SIMPLES DOMÉSTICO, que será obrigatório passados 120 dias da publicação da referida emenda, englobando os seguintes valores: (i) 8% a 11% de contribuição previdenciária, a cargo do segurado empregado doméstico; 8% de contribuição patronal previdenciária para a seguridade social, a cargo do empregador doméstico; 0,8% de contribuição social para financiamento do seguro contra acidentes do trabalho; 8% de recolhimento para o FGTS; 3,2%, a fim de garantir a indenização ao empregado doméstico em caso de rescisão contratual que não se dê por sua vontade ou culpa (tratando-se esta de indenização específica, não cabendo aos domésticos a multa de 40% sobre os depósitos do FTS); e imposto sobre a renda retido na fonte. Quanto à indenização em caso de rescisão contratual, tratada acima, nas hipóteses de dispensa por justa causa; de pedido do empregado; de término do contrato de trabalho por prazo determinado; de aposentadoria; e de falecimento do empregado doméstico, os valores previstos serão movimentados pelo empregador. Já na hipótese de culpa recíproca, metade dos valores previstos no caput será movimentada pelo empregado, enquanto a outra metade será movimentada pelo empregador.

2 Cabe esclarecer que a emenda também dá aos domésticos o direito ao saláriofamília, pago pela Previdência Social, no valor de R$37,18, por filho de até 14 anos incompletos ou inválidos, caso o sua renda seja de até R$ 725,02, caindo para R$26,20 por filho, nos casos em que os domésticos ganhem acima desse valor, até R$ 1.089,72. Ainda, caberá aos domésticos o seguro desemprego, de até três meses, e seguro contra acidente de trabalho, conforme as regras da previdência. Ademais, quanto ao FGTS, vale destacar que este depende de regulamentação pelo Conselho Curador do FGTS e pelo agente operador do fundo, momento a partir do qual será obrigatório. No que diz respeito ao salário, há que se pagar, ao menos, um salário mínimo ao mês, inclusive para os casos de trabalhadores que laboram apenas por meio período (25 horas na semana com, no máximo, seis horas diárias, mediante acordo escrito para aumentar no até uma hora ao dia). Com relação à contratação, é permitido que se faça por prazo determinado (até noventa dias), a título de experiência ou substituição transitória de outro empregado afastado, com contrato suspenso ou interrompido. No tocante à jornada de trabalho, será necessária sua anotação, por qualquer meio idôneo, pelo próprio empregado, ou com sua ratificação das anotações, sendo certo que não poderá ultrapassar oito horas diárias e quarenta e quatro horas semanais, em princípio, cabendo, em caso de acordo formal, o regime de doze horas de trabalho para trinta e seis de descanso. Quanto às horas extras, as mesmas poderão ser compensadas, com a redução da jornada em outro dia, conquanto tal compensação seja feita dentro de um ano, sob pena de pagamento das horas extras com base no último salário do empregado doméstico. Ademais, havendo horas extras acima de quarenta, as primeiras quarenta deverão ser pagas.

3 Ainda, no tocante à jornada de trabalho, a lei fez menção ao caso dos empregados domésticos que residem no mesmo local em que trabalham, deixando claro que apenas serão computadas as horas efetivamente trabalhadas, de modo que mesmo os domésticos que durmam com crianças, idosos ou deficientes não terão tal período computado como se de trabalho fosse. Do mesmo modo, em caso de viagens com o empregador, que poderão ocorrer mediante previsão em contrato, apenas deverão ser computadas as horas efetivamente trabalhadas pelo empregado doméstico, as quais deverão ser remuneradas com um acréscimo de 25% da hora normal, cabendo, alternativamente, cômputo no banco de horas. No que diz respeito ao intervalo para refeição e descanso, este deverá ser de uma hora, cabendo sua redução para 30 minutos, mediante acordo, por escrito, assinado pelo empregador e pelo empregado. Ainda, caso o empregado resida no local de trabalho, seu descanso poderá ser desmembrado em dois períodos, desde que cada um deles tenha, no mínimo, uma hora, obedecendo-se o limite de quatro horas diárias, sendo vedada sua anotação prévia. Além disso, caberá ao empregado doméstico, quando em serviço entre às dez da noite e às cinco da manhã, receber adicional noturno, de 20%, considerando-se, ainda, a hora reduzida de cinquenta e dois minutos e meio. Do mesmo modo, não folgando o doméstico em domingos e/ou feriados, terá direito ao pagamento em dobro de tais dias trabalhados. Com relação à segurança do trabalhador doméstico, ficou estabelecido que devem ser obedecidas as normas de higiene, saúde e segurança aplicáveis aos demais empregados. Para a regulamentação de direitos dos empregados domésticos, além daqueles estabelecidos na emenda constitucional, também serão de observância obrigatória as convenções coletivas da categoria. Dessa feita, o pagamento do auxílio-creche e

4 pré-escola dependerá de convenção ou acordo coletivo entre sindicatos de patrões e empregados. No tocante às férias, elas serão de trinta dias, cabendo o pagamento de mais um terço, sendo que, a critério do empregador, poderão ser fracionadas em dois períodos, um dos quais de, no mínimo, quatorze dias, sendo faculdade do empregado vender um terço de suas férias e também gozá-las na casa do empregador, se lá residir. Estabeleceu-se que é vedado ao empregador doméstico efetuar descontos no salário do empregado por fornecimento de alimentação, vestuário, higiene ou moradia, bem como por despesas com transporte, hospedagem e alimentação em caso de acompanhamento em viagem. Contudo, ao empregador foi dado o direito de efetuar descontos no salário do empregado em caso de adiantamento salarial e, mediante acordo escrito entre as partes, para a inclusão do empregado em planos de assistência médicohospitalar e odontológica, de seguro e de previdência privada, não podendo a dedução ultrapassar 20% (vinte por cento) do salário. Caso o empregado não resida no mesmo local que o empregador, conquanto acordado expressamente com o empregado, poderá ser descontado suas despesas com moradia. Estabeleceu-se, ainda, que o fornecimento de moradia ao empregado doméstico na própria residência ou em morada anexa, de qualquer natureza, não gera ao empregado qualquer direito de posse ou de propriedade sobre a referida moradia. De acordo com a emenda, aos empregados domésticos se aplicam a Lei 605/49, acerca do descanso semanal remunerado; a Lei 4090/62 e a Lei 4749/65, sobre o 13º salário; e a Lei 7418/85, que regulamenta o valetransporte, sendo certo, quanto a este último, que é facultado ao empregador, mediante recibo, dar ao empregado o valor das passagens e efetuar o desconto de 6% de sua cota-parte.

5 Apesar de não ser um direito novo, cabe lembrar que a empregada doméstica gestante tem direito à licença-maternidade de cento e vinte dias, sem prejuízo do emprego e do salário. Outra novidade da emenda constitucional foi, no rol de justas-causas do empregado, estabelecer-se a submissão a maus tratos de idoso, de enfermo, de pessoa com deficiência ou de criança sob cuidado direto ou indireto do empregado. Por fim, vale lembrar que será possível a verificação, pelo Auditor-Fiscal do Trabalho, do cumprimento das normas que regem o trabalho do empregado doméstico, no âmbito do domicílio do empregador, mediante prévio agendamento e entendimentos entre a fiscalização e o empregador, sendo certo que a fiscalização deverá ter natureza prioritariamente orientadora, cabendo autuações obedecendo-se o critério da dupla visita, ou seja, a primeira terá fins de orientação para, apenas em casos de não adequação, ser o empregador autuado. São Paulo, 17 de junho de Dra. Marília Nascimento Minicucci Mesquita Barros Advogados

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Digite o título aqui INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Lei Complementar nº 150, de 1º de junho de 2015 -

Leia mais

Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico.

Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico. RESUMO INFORMATIVO SOBRE TRABALHO DOMÉSTICO Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico. Lei Complementar n. 150/2015 Jul 2015 Este resumo informativo

Leia mais

EMPREGADO DOMÉSTICO INOVAÇÕES LEGISLATIVAS DA LEI COMPLEMENTAR 150 CAPÍTULO I PRINCIPAIS EVOLUÇÕES LEGISLATIVAS A categoria dos empregados domésticos tem como principais regulamentações legislativas, por

Leia mais

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO A NOVA REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO Sara Costa Benevides 1 Advogada Sócia de Homero Costa Advogados Lorena Efigênia da Cruz Silva Estagiária de Homero Costa Advogados INTRODUÇÃO No Diário Oficial

Leia mais

CARTILHA SOBRE A EMENDA CONSTITUCIONAL DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

CARTILHA SOBRE A EMENDA CONSTITUCIONAL DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS 2 de abril de 2013 CARTILHA SOBRE A EMENDA CONSTITUCIONAL DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Hoje foi promulgada uma Emenda Constitucional que amplia os direitos trabalhistas dos empregados domésticos. Alguns direitos

Leia mais

NOVA LEI DAS DOMESTICAS

NOVA LEI DAS DOMESTICAS NOVA LEI DAS DOMESTICAS DEVERES DAS DOMÉSTICAS Se a doméstica trabalhar menos que o contrato, posso descontar do salário? O desconto é linear? Independentemente de trabalhar menos, ela recebe o mesmo valor

Leia mais

Departamento pessoal do Empregador doméstico PEC 66/2012 EC 72 /2013

Departamento pessoal do Empregador doméstico PEC 66/2012 EC 72 /2013 Departamento pessoal do Empregador doméstico PEC 66/2012 EC 72 /2013 A PEC n 66 de 2012 Veio com O OBJETIVO de alterar a redação do parágrafo único do art. 7º da Constituição Federal para estabelecer a

Leia mais

NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS LC 150/2015

NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS LC 150/2015 Prof. Antonio Daud Jr NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS LC 150/2015 SUMÁRIO PÁGINA 1. Introdução 02 2. Desenvolvimento 03 2.1. Quem é considerado empregado doméstico? 03 2.2. Contrato por prazo determinado

Leia mais

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo).

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo). 02/06/2015 07h40 - Atualizado em 02/06/2015 13h01 Regulamentação dos direitos das domésticas é publicada Trabalhadoras terão adicional noturno, seguro-desemprego e mais 5 direitos. Emenda constitucional

Leia mais

NOVOS DIREITOS DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

NOVOS DIREITOS DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS NOVOS DIREITOS DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS novos direitos.indd 1 novos direitos.indd 2 NOVOS DIREITOS DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS LEI COMPLEMENTAR Nº 150/2015 novos direitos.indd 3 9 introdução 10 caracterização

Leia mais

Empregado Doméstico. Hilário Corrêa Assessoria Empresarial www.hilariocorrea.com.br. Lei 150/2015 Novas determinações Legais. Contratação.

Empregado Doméstico. Hilário Corrêa Assessoria Empresarial www.hilariocorrea.com.br. Lei 150/2015 Novas determinações Legais. Contratação. 2015 Contratação Empregado Doméstico Lei 150/2015 Novas determinações Legais Jornada de Trabalho Hora Extra Adicional Noturno Férias Décimo terceiro INSS FGTS Aviso Prévio Rescisão Seguro Desemprego Hilário

Leia mais

O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS

O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS Linha de pesquisa: Gestão Empresarial João Paulo dos Santos Ribeiro

Leia mais

Folha responde a 70 dúvidas de leitores sobre a PEC das domésticas

Folha responde a 70 dúvidas de leitores sobre a PEC das domésticas Folha responde a 70 dúvidas de leitores sobre a PEC das domésticas Os trabalhadores domésticos vão ganhar mais direitos com a promulgação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que garante a eles o

Leia mais

Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original)

Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original) Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original) Proposição Originária: PEC 478/2010 PODER LEGISLATIVO Título EMC 72 de 02/04/2013 - EMENDA CONSTITUCIONAL Data 02/04/2013 Ementa

Leia mais

PRIMEIROS APONTAMENTOS SOBRE A LEI COMPLEMENTAR 150/2015: A NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

PRIMEIROS APONTAMENTOS SOBRE A LEI COMPLEMENTAR 150/2015: A NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS PRIMEIROS APONTAMENTOS SOBRE A LEI COMPLEMENTAR 150/2015: A NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Karime Antunes de Souza Advogada em São Paulo karime@silvaribeiro.com.br Aprovada recentemente, a Lei Complementar

Leia mais

A seguir apresentamos:

A seguir apresentamos: O Senado Federal aprovou em 26/03, em segundo turno, por unanimidade, a Proposta de Emenda à Constituição n 478/2010 (PEC das Domésticas). A promulgação ocorreu pelo Congresso Nacional nesta terça feira

Leia mais

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005/2006 PELO PRESENTE INSTRUMENTO DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO DE UM LADO O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE RÁDIODIFUSÃO DO ESTADO DO PARANÁ, A SEGUIR DENOMINADO

Leia mais

PONTO CERTO OAB por ISADORA ATHAYDE E THIAGO ATHAYDE

PONTO CERTO OAB por ISADORA ATHAYDE E THIAGO ATHAYDE PONTO CERTO OAB por ISADORA ATHAYDE E THIAGO ATHAYDE O nosso item do edital de hoje será: EMPREGADO DOMÉSTICO Algo que devemos atentar de início é ao fato de não aplicarmos a CLT ao empregado doméstico,

Leia mais

INFORMATIVO AS ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A EMPREGADOS DOMÉSTICOS. Flavio Aldred Ramacciotti W W W. M F R A. C O M. B R

INFORMATIVO AS ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A EMPREGADOS DOMÉSTICOS. Flavio Aldred Ramacciotti W W W. M F R A. C O M. B R INFORMATIVO AS ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A EMPREGADOS DOMÉSTICOS Flavio Aldred Ramacciotti W W W. M F R A. C O M. B R ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 OS NOVOS DIREITOS... 4 DIREITOS DE EFICÁCIA IMEDIATA...

Leia mais

ASPECTOS TRABALHISTAS DA LEI COMPLEMENTAR Nº 150/2015 (REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO) COMPARATIVO E NOTAS INICIAIS RICARDO RESENDE

ASPECTOS TRABALHISTAS DA LEI COMPLEMENTAR Nº 150/2015 (REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO) COMPARATIVO E NOTAS INICIAIS RICARDO RESENDE REGULAMENTAÇÃO ANTIGA MANTIDA É vedada a contratação de menor de 18 (dezoito) anos para desempenho de trabalho doméstico, de acordo com a Convenção n o 182, de 1999, da Organização Internacional do Trabalho

Leia mais

Lei Complementar n. 150, de 1º de Junho de 2015

Lei Complementar n. 150, de 1º de Junho de 2015 Atualização - 1 Atualização sobre Contrato de Trabalho Doméstico Lei Complementar n. 150, de 1º de Junho de 2015 Dispõe sobre o contrato de trabalho doméstico; altera as Leis n. 8.212, de 24 de julho de

Leia mais

Direitos do Empregado Doméstico

Direitos do Empregado Doméstico Direitos do Empregado Doméstico Com a aprovação da Emenda Constitucional n 72, que ocorreu em 02/04/2013, o empregado doméstico passou a ter novos direitos. Alguns deles independem de regulamentação e,

Leia mais

Cartilha Mentorear. PEC Proposta de Emenda à Constituição

Cartilha Mentorear. PEC Proposta de Emenda à Constituição Cartilha Mentorear Empregada Doméstica e Categorias Associadas na Nova Lei conhecida como PEC das Domésticas PEC Proposta de Emenda à Constituição PEC 478/2010 na Câmara dos Deputados Federais PEC 66/2012

Leia mais

Empregado Doméstico Normatização da Profissão

Empregado Doméstico Normatização da Profissão Empregado Doméstico Normatização da Profissão 3 DE JUNHO DE 2015 CONTSUL A Lei complementar nº150, publicada no DOU de 02.06.2015, dispôs sobre o trabalho doméstico no que tange ao contrato de trabalho,

Leia mais

TRABALHADOR DOMÉSTICO

TRABALHADOR DOMÉSTICO TRABALHADOR DOMÉSTICO Guia SESI-FIEMG dos Direitos e Deveres do Trabalhador Doméstico Edição 1.0 Outubro de 2015 1 SUMÁRIO O EMPREGADO DOMÉSTICO... 3 DIREITOS DO EMPREGADO DOMÉSTICO... 3 PRINCIPAIS PONTOS

Leia mais

DIREITOS DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS

DIREITOS DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DIREITOS DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS SAIBA QUEM SÃO OS TRABALHADORES BENEFICIADOS COM A APROVAÇÃO DA CHAMADA PEC DAS DOMÉSTICAS Todos os trabalhadores contratados para trabalhar para uma pessoa física

Leia mais

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 -

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 - ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL INTRODUÇÃO... 008 DISPOSIÇÕES GERAIS... 009 Conceito de empregador... 009 Conceito de empregado... 009 Direitos do empregado... 010 ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO TRABALHO...

Leia mais

RELAÇÃO DE EMPREGO DOMÉSTICO

RELAÇÃO DE EMPREGO DOMÉSTICO RELAÇÃO DE EMPREGO DOMÉSTICO FELIPE VASCONCELLOS CAVALCANTE Universidade Federal de Goiás UFG Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional e Recursos Humanos Departamento de Desenvolvimento de Recursos

Leia mais

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Qual é o prazo para pagamento dos salários dos empregados? R: O pagamento deve ser realizado até o 5º dia útil do mês seguinte. Esta deve ser a data em que deve

Leia mais

DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR

DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR Por intermédio destas informações, o SITRIVESCH tem por finalidade informar o trabalhador de seus direitos/deveres. Importante destacar que o não cumprimento

Leia mais

Férias Proporcionais Até 5 faltas 6 a 14 faltas 15 a 23 faltas 24 a 32 faltas

Férias Proporcionais Até 5 faltas 6 a 14 faltas 15 a 23 faltas 24 a 32 faltas FÉRIAS ASPECTOS GERAIS Férias é o período de descanso anual, que deve ser concedido ao empregado após o exercício de atividades por um ano, ou seja, por um período de 12 meses, período este denominado

Leia mais

2 - Quais são os direitos que entraram em vigor imediatamente após a publicação da Emenda Constitucional n.º 72, de 2013?

2 - Quais são os direitos que entraram em vigor imediatamente após a publicação da Emenda Constitucional n.º 72, de 2013? TRABALHADOR DOMÉSTICO 1 - Quem pode ser considerado trabalhador doméstico? Resposta: É considerado trabalhador doméstico aquele que presta serviços de natureza contínua e de finalidade não lucrativa à

Leia mais

TÓPICOS ABORDADOS. Departamento Jurídico

TÓPICOS ABORDADOS. Departamento Jurídico TÓPICOS ABORDADOS 1) JORNADA DE TRABALHO 2) HORAS NOTURNAS E ADICIONAL 3) TREINAMENTO PARA USO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS 4) CARTÃO DE PONTO 5) REFEIÇÃO 1. JORNADA DE TRABALHO A) LIMITE DIÁRIO E SEMANAL

Leia mais

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte?

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? 1 Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? A MP 664 de dezembro de 2014 previu uma carência de 24 meses para a obtenção do benefício pensão por morte. Depois de muita discussão no Congresso

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA

PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA CAMPINAS JANEIRO/2014 1 PAUTA DE REIVINDICAÇÃO CLÁUSULA 1ª - PISO SALARIAL Fica estipulado

Leia mais

Filiada à. Lei Complementar Nº 150, de 14 de Junho de 2015 Atos do Poder Legislativo

Filiada à. Lei Complementar Nº 150, de 14 de Junho de 2015 Atos do Poder Legislativo LEI COMPLEMENTAR Nº 150, DE 1º DE JUNHO DE 2015 Dispõe sobre o contrato de trabalho doméstico; altera as Leis no 8.212, de 24 de julho de 1991, no 8.213, de 24 de julho de 1991, e no 11.196, de 21 de novembro

Leia mais

SÍNTESE DO PLP 302/2013 (PLS 224/2013) SUBEMENDA SUBSTITUTIVA GLOBAL DE PLENÁRIO COMENTÁRIOS CAPÍTULO I

SÍNTESE DO PLP 302/2013 (PLS 224/2013) SUBEMENDA SUBSTITUTIVA GLOBAL DE PLENÁRIO COMENTÁRIOS CAPÍTULO I SÍNTESE DO PLP 302/2013 (PLS 224/2013) SUBEMENDA SUBSTITUTIVA GLOBAL DE PLENÁRIO COMENTÁRIOS CAPÍTULO I DO CONTRATO DE TRABALHO DOMÉSTICO Capítulo I Do Contrato de Trabalho Doméstico Art. 1º Ao empregado

Leia mais

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now.

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CELEBRADA ENTRE O SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE CONGONHAS E A FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES NO COMÉRCIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS, CONFORME AS SEGUINTES CLÁUSULAS E CONDIÇÕES:

Leia mais

Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB

Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB AULA 10: Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB Amparo legal: art. 7º, II da CRFB. * urbanos e rurais: Lei nº 7.998/90, Lei nº 8.900/94 e Resolução do CODEFAT 467/05. * domésticos: artigo 6º-A da Lei

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS Abonos de qualquer natureza Evento Descrição INSS FGTS IRRF Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença

Leia mais

Portal Nacional de Direito do Trabalho www.pndt.com.br. Lei Complementar nº 150/2015 Contrato de Trabalho Doméstico

Portal Nacional de Direito do Trabalho www.pndt.com.br. Lei Complementar nº 150/2015 Contrato de Trabalho Doméstico Portal Nacional de Direito do Trabalho www.pndt.com.br Lei Complementar nº 150/2015 Contrato de Trabalho Doméstico DOU de 02/06/2015 (nº 103, Seção 1, pág. 1) LEI COMPLEMENTAR Nº 150, DE 1º DE JUNHO DE

Leia mais

ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa

ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA Alexandre Corrêa ATUALIZAÇÃ ÇÃO O TRABALHISTA PROGRAMA EMPREGADO DOMÉSTICO (Aspectos Legais) EMPREGADO DOMÉSTICO A Lei 5859/72 regulamentada pelo Decreto 71885/73 tornou reconhecida

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI COMPLEMENTAR Nº 150, DE 1º DE JUNHO DE 2015 Mensagem de veto Dispõe sobre o contrato de trabalho doméstico; altera as Leis n o

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002716/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/11/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064091/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.006426/2015-78 DATA DO

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG000363/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR002753/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.000337/2015-27 DATA DO

Leia mais

Ofício nº 1.680 (SF) Brasília, em 17 de julho de 2013.

Ofício nº 1.680 (SF) Brasília, em 17 de julho de 2013. Ofício nº 1.680 (SF) Brasília, em 17 de julho de 2013. A Sua Excelência o Senhor Deputado Marcio Bittar Primeiro-Secretário da Câmara dos Deputados Assunto: Projeto de Lei do Senado à revisão. Senhor Primeiro-Secretário,

Leia mais

CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM A PEC DAS DOMÉSTICAS

CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM A PEC DAS DOMÉSTICAS DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DO EMPREGADOR DOMÉSTICO = MENOS DEMISSÕES E MAIS FORMALIDADE Dê seu voto em www.domesticalegal.org.br CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO, que celebram de um lado, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo SESCOOP NACIONAL - CNPJ N.º 03.087.543/0001-86,

Leia mais

Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1. 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4.

Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1. 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4. Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4 2 Denominação, 6 3 Conceito e divisão da matéria, 8 4 Posição enciclopédica, 9 5 Fontes,

Leia mais

Parágrafo 1º- Os salários superiores a R$1.500,00 ( hum mil e quinhentos reais ) serão reajustados com o índice de 8% ( oito por cento )

Parágrafo 1º- Os salários superiores a R$1.500,00 ( hum mil e quinhentos reais ) serão reajustados com o índice de 8% ( oito por cento ) CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, CELEBRADA ENTRE O SINDICATO DE HOTÉIS, RESTAURANTE, BARES E SIMILARES DE POÇOS DE CALDAS, SITO À RUA ARAGUAIA, Nº143, JARDIM DOS ESTADOS, CNPJ: 23.655.376/0001-30, TELEFONE

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000954/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029028/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009096/2013-50 DATA DO

Leia mais

1º Rol de negociação 2013 a 2014

1º Rol de negociação 2013 a 2014 1º Rol de negociação 2013 a 2014 Celebram entre si o SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE MATERIAIS PLÁSTICOS E SIMILARES DE CHAPECÓ E REGIÃO OESTE DE SANTA CATARINA com CNPJ Nº 80.623.929/0001-06,

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG002058/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR018377/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.004510/2012-13 DATA DO

Leia mais

ACORDO COLETIVO. Parágrafo 5º - As horas serão remuneradas com base no salário do mês de seu efetivo pagamento.

ACORDO COLETIVO. Parágrafo 5º - As horas serão remuneradas com base no salário do mês de seu efetivo pagamento. ACORDO COLETIVO Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Juiz de Fora, registro sindical nº. 10.610, inscrito no CNPJ sob nº. 20.453.643/0001-06, sito a rua Halfeld, 805/603 Juiz de Fora MG 36010-000,

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013 COMPLEMENTAR. Capítulo I Do Contrato de Trabalho Doméstico

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013 COMPLEMENTAR. Capítulo I Do Contrato de Trabalho Doméstico SENADO FEDERAL Gabinete do Senador ROMERO JUCÁ PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013 COMPLEMENTAR Dispõe sobre o contrato de trabalho doméstico. Regulamenta a Emenda Constitucional nº 72, de 2013, a indenização

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências Evento Descrição INSS FGTS IRRF Abonos de qualquer natureza Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho -

Leia mais

AS MUDANÇAS NO ESTATUTO JURÍDICO DOS DOMÉSTICOS EC 72/13 Gáudio R. de Paula e José Gervásio Meireles

AS MUDANÇAS NO ESTATUTO JURÍDICO DOS DOMÉSTICOS EC 72/13 Gáudio R. de Paula e José Gervásio Meireles AS MUDANÇAS NO ESTATUTO JURÍDICO DOS DOMÉSTICOS EC 72/13 Gáudio R. de Paula e José Gervásio Meireles A aprovação do projeto de Emenda Constitucional 66/2012, e a subsequente edição da EC 72/13, relativo

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/1993 SESI/DR SERVIÇO SOCIAL DA INDUSTRIA SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/1993 SESI/DR SERVIÇO SOCIAL DA INDUSTRIA SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/1993 SESI/DR SERVIÇO SOCIAL DA INDUSTRIA SINDAF/DF PRIMEIRO TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CELEBRADA EM 30 DE AGOSTO DE 1993. ENTRE O SINDICATO DOS EMPREGADOS

Leia mais

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO Índice 1. Outros Tipos de Contratos de Trabalho...3 1.1. Trabalho Rural... 3 1.2. Estagiário... 4 1.3. Trabalho Temporário... 5 1.4.

Leia mais

Trabalho Doméstico: as mudanças e os impactos da nova lei. Zilma Aparecida da Silva Ribeiro Abril de 2013

Trabalho Doméstico: as mudanças e os impactos da nova lei. Zilma Aparecida da Silva Ribeiro Abril de 2013 Trabalho Doméstico: as mudanças e os impactos da nova lei Zilma Aparecida da Silva Ribeiro Abril de 2013 Legislação Aplicável * LEI Nº 5.859, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1972 * CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 7º, PARÁGRAFO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 Termo de CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO que entre si fazem, o Sindicato dos Empregados em Edifícios e em Empresas de Compra, Venda Locação e Administração de Imóveis

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR003439/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR046249/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.012779/2015 14 DATA DO

Leia mais

Recursos Humanos Patrícia Ramos Palmieri. A elaboração da folha de pagamento. Folha de Pagamento. Folha de Pagamento

Recursos Humanos Patrícia Ramos Palmieri. A elaboração da folha de pagamento. Folha de Pagamento. Folha de Pagamento Recursos Humanos Patrícia Ramos Palmieri A elaboração da folha de pagamento A é o documento que contabiliza os valores que o empregado tem direito de receber e os descontos que ele pode sofrer. Obs. Sua

Leia mais

A seguir, na íntegra, o teor das cláusulas que foram mantidas pelo acórdão:

A seguir, na íntegra, o teor das cláusulas que foram mantidas pelo acórdão: CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 01.07.2007 A 30.06.2009 (conforme decisão judicial em dissídio coletivo acórdão TRT 24ª Região no processo nº. 179/2007-000-24-00-9-DC.0 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO entre

Leia mais

CÁLCULOS TRABALHISTAS

CÁLCULOS TRABALHISTAS CÁLCULOS TRABALHISTAS Remuneração - Salário acrescido da média das variáveis (exemplo: comissões) dos últimos 12 meses. - Média: soma das 6 maiores parcelas variáveis mês a mês, divididas por 6, dentro

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO O SINDICATO DOS AEROVIÁRIOS DO AMAZONAS DE UM LADO, E, DE OUTRO LADO, O SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS DE TÁXI AÉREO - SNETA, TÊM, ENTRE SI, JUSTA E CONTRATADA A SEGUINTE

Leia mais

15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA

15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA 15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA 15.1 - Integram a remuneração para fins de cálculos dos valores devidos à Previdência Social e a serem recolhidos para o FGTS, dentre outras, as seguintes parcelas:

Leia mais

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS 11. DIREITOS NA HORA DA DEMISSÃO É de fundamental importância saber quais os direitos dos trabalhadores na hora da rescisão do contrato de trabalho. Devese ter especial atenção no caso de demissões sem

Leia mais

Direito Constitucional. Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda

Direito Constitucional. Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda Direito Constitucional Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda Direitos fundamentais de segunda geração Surgimento: necessidade de intervenção estatal em

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 POR ESTE INSTRUMENTO, QUE ENTRE SI CELEBRAM, POR SEUS RESPECTIVOS REPRESENTANTES LEGAIS, DE UM LADO A ARCELORMITTAL CARIACICA, INSCRITA NO CNPJ/MF SOB O Nº 17.469.701/0053-06

Leia mais

RELAÇÕES DE TRABALHO LATO SENSU

RELAÇÕES DE TRABALHO LATO SENSU RELAÇÕES DE TRABALHO LATO SENSU O trabalhador temporário é pessoa física contratada por empresa de trabalho temporário, para prestar serviços pessoalmente e mediante salário e subordinação, a empresa tomadora

Leia mais

PAUTA DA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 CLÁUSULAS ECONÔMICAS

PAUTA DA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 CLÁUSULAS ECONÔMICAS PAUTA DA CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 CLÁUSULAS ECONÔMICAS Cláusula 01 - ABRANGÊNCIA A presente Convenção Coletiva de Trabalho abrangerá todas as Empregadoras e Empregados das categorias econômica

Leia mais

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2014/2015 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVICO SOCIAL DO DISTRITO FEDERAL

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2014/2015 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVICO SOCIAL DO DISTRITO FEDERAL PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2014/2015 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVICO SOCIAL DO DISTRITO FEDERAL O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ENTIDADES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 Suscitante: Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo, com sede à Rua Rondinha, 72/78, Chácara Inglesa, São Paulo, S.P, CEP: 04140-010, inscrito no CNPJ/MF

Leia mais

CIRCULAR DA CONSTRUÇÃO CIVIL 2.010

CIRCULAR DA CONSTRUÇÃO CIVIL 2.010 CIRCULAR DA CONSTRUÇÃO CIVIL 2.010 ATENÇÃO: ESTA CIRCULAR É APENAS UM INFORMATIVO DO SINDICATO PARA AS EMPRESAS E TRABALHADORES, E NÃO TERÁ VALIDADE PARA PROCESSOS TRABALHISTAS OU DE QUALQUER OUTRA NATUREZA.

Leia mais

EMPREGADOS DE REPRESENTANTES COMERCIAIS E EM EMPRESAS DE REPRESENTAÇÃO COMERCIAL

EMPREGADOS DE REPRESENTANTES COMERCIAIS E EM EMPRESAS DE REPRESENTAÇÃO COMERCIAL EMPREGADOS DE REPRESENTANTES COMERCIAIS E EM EMPRESAS DE REPRESENTAÇÃO COMERCIAL Entre as partes, de um lado, representando a Categoria Profissional, o SINDICATO DOS EMPREGADOS DE AGENTES AUTONOMOS DO

Leia mais

Internet: www.eaa.org.br E-mail: sindicato@eaa.org.br CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2.016 I 2.017

Internet: www.eaa.org.br E-mail: sindicato@eaa.org.br CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2.016 I 2.017 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2.016 I 2.017 SINDICATO DOS EMPREGADOS DE AG'"ENTES AUTÔNOMOS DO COMÉRCIO E EM EMPRESAS DE ASSESSORAMENTO, PERíCIAS, INFORMAÇÕES E PESQUISAS E DE EMPRESAS DE SERViÇOS CONT

Leia mais

EXMO. SR. DR. JUIZ PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA SEGUNDA REGIÃO.

EXMO. SR. DR. JUIZ PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA SEGUNDA REGIÃO. EXMO. SR. DR. JUIZ PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA SEGUNDA REGIÃO. Processo TRT/SP no20308200600002004 O SINDICATO DOS CONTABILISTAS DE SÃO PAULO, Suscitante, e o SINDICATO DAS EMPRESAS

Leia mais

CLÁUSULA 1 A. - ATUALIZAÇÃO SALARIAL CLÁUSULA 2 A. SALÁRIO NORMATIVO CLÁUSULA 3 A. - SALÁRIO ADMISSIONAL CLÁUSULA 5 A. - ADICIONAL DE INSALUBRIDADE

CLÁUSULA 1 A. - ATUALIZAÇÃO SALARIAL CLÁUSULA 2 A. SALÁRIO NORMATIVO CLÁUSULA 3 A. - SALÁRIO ADMISSIONAL CLÁUSULA 5 A. - ADICIONAL DE INSALUBRIDADE CONVENÇÃO COLETIVA COM VIGÊNCIA A PARTIR DE 01 DE ABRIL DE 2007 FEITA ENTRE O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM INSTITUIÇOES BENEFICENTES, RELIGIOSAS E FILANTRÓPICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E O SINDICATO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 1/5 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ENTIDADES CULTURAIS, RECREATIVAS, DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, DE ORIENTAÇÃO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, NO ESTADO DO PARANÁ SENALBA/PR, CNPJ 75.992.446/0001-49,

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Federação)

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Federação) PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Federação) CLÁUSULAS PARA DISCUSSÃO CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência da presente Convenção Coletiva de Trabalho no período de 1º

Leia mais

13º SALARIO Posteriormente, a Constituição Federal de 1988, em seu art. 7º,

13º SALARIO Posteriormente, a Constituição Federal de 1988, em seu art. 7º, 13º SALARIO Trabalhadores beneficiados Farão jus ao recebimento do 13º salário os seguintes trabalhadores: a) empregado - a pessoa física que presta serviços de natureza urbana ou rural à empresa, em caráter

Leia mais

DISSÍDIO COLETIVO PROCESSO TRT/SP Nº 20280200500002004

DISSÍDIO COLETIVO PROCESSO TRT/SP Nº 20280200500002004 DISSÍDIO COLETIVO PROCESSO TRT/SP Nº 20280200500002004 PELO PRESENTE INSTRUMENTO E NA MELHOR FORMA DE DIREITO, DE UM LADO O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM CASAS DE DIVERSÕES DE SÃO PAULO E REGIÃO, ENTIDADE

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029594/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 21/05/2015 ÀS 15:50 SINDICATO DOS EMP NO COM DE CONSELHEIRO LAFAIETE, CNPJ n. 19.721.463/0001-70,

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Fetquim)

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Fetquim) PAUTA DE REIVINDICAÇÕES PATRONAL 2015 (Fetquim) CLÁUSULAS PARA DISCUSSÃO CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência da presente Convenção Coletiva de Trabalho no período de 1º

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000953/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/06/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR029282/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009097/2013-02 DATA DO

Leia mais

FÉRIAS INDIVIDUAIS. Neste fascículo de Uma entrevista com o Advogado, apresentamos algumas respostas aos questionamentos sobre férias individuais.

FÉRIAS INDIVIDUAIS. Neste fascículo de Uma entrevista com o Advogado, apresentamos algumas respostas aos questionamentos sobre férias individuais. FÉRIAS INDIVIDUAIS Neste fascículo de Uma entrevista com o Advogado, apresentamos algumas respostas aos questionamentos sobre férias individuais. 1) Quem tem direito a férias individuais? Todos os empregados

Leia mais

CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO

CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO Projeto Legalize sua doméstica e pague menos INSS = Informalidade ZERO CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO Realização Jornal Diario de Pernambuco

Leia mais

- CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL -

- CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL - - CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL - Copyright -Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada destes materiais, no todo ou em parte, constitui violação do direitos autorais. (Lei nº 9.610). 4.

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR034439/2012 SINDICATO DOS FARMACEUTICOS DO ESTADO DE M GROSSO DO SU, CNPJ n. 15.939.572/0001-08, neste ato representado(a) por seu Presidente,

Leia mais

Professor André Vieira. Direitos Sociais. Curso de Oficial de Justiça de 1º Instância 1

Professor André Vieira. Direitos Sociais. Curso de Oficial de Justiça de 1º Instância 1 Direitos Sociais 01. NÃO é considerado um direito social, expressamente previsto na Constituição Federal Brasileira de 1988, a: a) Segurança; b) Educação; c) Livre concorrência; d) Saúde. 02. Os que percebem

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO SUSCITANTE: SINDICATO DOS PSICÓLOGOS NO ESTADO DE SÃO PAULO - SINPSI-SP, Entidade Sindical Profissional, com registro no MTb sob nº012.228.026.60-5 e inscrita no CNPJ/MF

Leia mais

Parágrafo Único -- Não serão compensados os aumentos decorrentes de promoção, transferência, equiparação salarial e término de aprendizagem.

Parágrafo Único -- Não serão compensados os aumentos decorrentes de promoção, transferência, equiparação salarial e término de aprendizagem. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CELEBRADA ENTRE O SINDIMVET SINDICATO DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS DO ESTADO DE SÃO PAULO e SINPAVET SINDICATO PATRONAL DOS MÉDICOS VETERINÁRIOS DO ESTADO DE SÀO PAULO PERÍODO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001069/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/07/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR034655/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.009004/2011-70 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 1 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO SUSCITANTE: SINDICATO DOS TRABALHADORES EM ESTABELECIMENTOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE DE SANTOS, entidade sindical profissional, registrada no Ministério do Trabalho processo

Leia mais

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SESC-AR/DF

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SESC-AR/DF PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SESC-AR/DF CLÁUSULA PRIMEIRA VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência do presente Acordo Coletivo de Trabalho no período

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 10 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC001530/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR022315/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.004377/2013-77 DATA

Leia mais

TERMO ADITIVO À CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO PARA OS SUPERMERCADOS REFERENTE AO PERÍODO NATALINO ANO 2013/2014

TERMO ADITIVO À CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO PARA OS SUPERMERCADOS REFERENTE AO PERÍODO NATALINO ANO 2013/2014 TERMO ADITIVO À CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO PARA OS SUPERMERCADOS REFERENTE AO PERÍODO NATALINO ANO 2013/2014 Por este instrumento e na melhor forma de direito, de um lado o SINCOMERCIÁRIOS SINDICATO

Leia mais