Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1 EMPREGADO DOMÉSTICO INOVAÇÕES LEGISLATIVAS DA LEI COMPLEMENTAR 150 CAPÍTULO I PRINCIPAIS EVOLUÇÕES LEGISLATIVAS A categoria dos empregados domésticos tem como principais regulamentações legislativas, por primeiro, a Lei de 11 de dezembro de 1972, regulamentada pelo Decreto /73. Referida lei teve como principais destaques, o fato de ter conceituado o empregador e o empregado doméstico, atribuindo à referida categoria alguns direitos, dentre os quais cita-se, a integração à previdência social e férias. Após isto, a Constituição Federal vigente, promulgada em 1988, quando foi tratar no seu artigo 7º. sobre direitos dos trabalhadores, fez aplicar à categoria dos domésticos alguns direitos previstos para a categoria dos empregados celetistas. Em referida ocasião, CF, foi ampliado à categoria dos domésticos as salário mínimo, irredutibilidade do salário, 13º. Salário, repouso semanal remunerado, férias com 1/3 de acréscimo, licença gestante, licença paternidade, aviso prévio proporcional ao tempo de serviço, aposentadoria. Pois bem, após longo período, no ano de 2013, veio nova alteração na CF, feita através da Emenda Constitucional nº 72. Referida EC ampliou aos domésticos mais alguns direitos previstos na CF, que antes se aplicava somente àqueles empregados celetistas, todavia, quase que a integralidade destes direitos ampliados em 2012, dependiam de regulamentação para sua completa e perfeita aplicação.

2 Estes direitos estendidos pela EC nº. 72, referidos acima, são: Garantia de salário mínimo para quem ganha salário variável Proteção conta retenção dolosa do salário Jornada de trabalho de 08 horas diárias e 44 horas semanais Horas extras com 50% Redução de riscos contra acidentes Reconhecimento das convenções coletivas Proibição dos salários discriminatórios Proibição de admissão discriminatória Proibição de trabalho noturno, insalubre e perigoso ao menor de idade Proteção contra despedida arbitrária Seguro desemprego FGTS Adicional noturno Salário família Assistência gratuita a filhos de até 05 anos de idade Seguro contra acidente de trabalho Cabe aqui citar momento histórico ocorrido em 2013, já que quando da ampliação dos direitos aqui referidos houve grande movimentação política no Congresso Nacional, ampla divulgação pela imprensa, sendo que tal alteração legislativa foi lida nos meios populares e pela imprensa como a mudança de vida dos empregados domésticos, como se a vida destes operários fossem se dividir em dois momentos, um antes e outro depois da alteração legislativa. Aqueles mais poéticos ou políticos chegavam a dizer que com a EC de 2013, os últimos escravos estavam sendo retirados da senzala. Um verdadeiro exagero ao meu ver.

3 E o tempo revela muito, por primeiro, porque a regulamentação necessária desde 2013 somente veio à luz agora em 2015, e se fosse tão caótica a situação dos domésticos como diziam os demagogos, não teria se demorado tanto tempo. Em segundo, porque o tempo decorrido demonstrou que a vida destes trabalhadores não mudou da água para o vinho, como não mudará agora, embora evidentemente, melhorará em termos de amparo legislativo. Agora, a última evolução legislativa foi a publicação da Lei Complementar nº 150, no Diário Oficial da União do dia 02 de Junho de 2015, que para surpresa de muitos, não apenas regulamentou aqueles últimos direitos ampliados aos domésticos, como passou a reger integralmente a matéria, inclusive revogando a Lei nº 5.859/72. CAPÍTULO II ALTERAÇÕES E INOVAÇÕES DA LEI COMPLEMENTAR 150 Considerando então que a categoria dos empregados domésticos passou a ser regulamentada pela Lei Complementar nº 150/, vamos verificar doravante como ficaram os direitos e deveres dos sujeitos desta relação jurídica. Conceituação: A lei complementar fez importante papel em definir de uma vez por todas que o empregado doméstico assim se caracteriza quando trabalhar por mais de 02 dias por semana para o empregador, acabando com as incertezas que pairavam sobre o tema, quando confrontados com os diaristas, ficando então definido agora que estes últimos são aqueles que laboram por 01 ou 02 dias por semana.

4 Trabalhado do menor: A nova legislação veda o trabalho do menor de 18 anos nos serviços domésticos, em acatamento ao disposto na Convenção 182 da OIT, da qual o Brasil é país membro. Horário de trabalho: Foi fixado o limite de 08 horas de trabalho diário e 44 horas semanais, igualando tais trabalhadores ao de outras categorias gerais. Eventuais horas extras deverão ser remuneradas com um acréscimo de 50% em relação ao preço da hora normal. Compensação de horas de trabalho: De forma inteligente a legislação possibilitou a instituição do regime de compensação de horas, desde que por acordo escrito entre as partes, ocasião em que o excesso de horas de um dia poderá ser compensado pela diminuição de outro. Neste regime, numa redação um tanto confusa, a interpretação que se pode fazer é que poderá ser levada ao regime de compensação de horas mensal, até 40 horas, ou seja, as primeiras 40 horas extras mensais podem fazer parte de um regime de compensação, dentro do próprio mês. Se não compensadas tais 40 horas extras mensais, mas apenas parte delas, o que sobrepujar deverá ser pago como hora extra. Em relação as outras horas extras que superarem as primeiras 40 horas mensais, poderá ser compensado no período máximo de 01 ano. Acredita-se que neste particular, em virtude da falta de clareza do texto, ainda teremos que aguardar uma consolidação da jurisprudência.

5 Dos intervalos do empregado morador: A lei foi sábia ao regular o intervalo do trabalho do empregado doméstico, ficou definido que o tempo de repouso, as horas não trabalhadas, os feriados e os domingos livres, do empregado que mora no local de trabalho, mas que nele permaneça, não será computado como horário de trabalho. Trabalho em domingos e feriados: O trabalho realizado em tais dias, desde que não compensados, serão pagos em dobro. Jornada especial: De maneira inteligente, o legislador instituiu a chamada jornada 12x36, onde o empregado pode trabalhar 12 horas por dia (observado o intervalo para repouso e alimentação), descanso depois por 36 horas, desde que celebrado por contrato escrito. Serviços em viagem: Foi regulamentado o serviço do empregado quando em viagem acompanhando o empregador. Esta situação deve estar prevista em contrato escrito, e possibilita se computar apenas as horas efetivamente laboradas, que poderão ser futuramente compensadas por folgas em outros dias. Este serviço realizado em viagens, será remunerado com um acréscimo de 25% em relação a hora normal, que, todavia, também por acordo escrito, poderá ser convertido, com o acréscimo, em banco de horas. Intervalo para refeição e descanso: Deverá haver um intervalo para refeição e descanso de 01 a 02 horas, admitindo-se a redução para 30 minutos, por acordo escrito entre empregado e empregador.

6 No caso do empregado morador, o intervalo poderá ser dividido em 02 períodos, desde que cada um deles não seja inferior a 01 hora, até o limite de 04 horas ao dia. Registro dos horários em cartão de ponto: O controle da jornada de trabalho e intervalos deve ser feito por meio idôneo, seja manualmente, mecanicamente ou eletronicamente. Do horário e adicional noturno: Tal como ocorre na CLT, ficou definido que o labor feito entre as 22 horas de um dia e as 05 horas do dia seguinte é considerado noturno, e deve ser remunerado com o adicional noturno de no mínimo 20% em relação a hora diurna. Intervalo interjornada: Entre um dia de trabalho e outro, deve ser respeitado um intervalo de pelo menos 11 horas. Descanso semanal remunerado: É garantido o descanso semanal preferencialmente aos domingos, além dos feriados. Contrato a prazo determinado: Foi instituído o contrato de experiência para o empregado doméstico, nos mesmos moldes do empregado celetista. Foi instituído ainda, o contrato a prazo determinado de até 02 anos, para atender necessidade transitória e para substituição temporária de empregado doméstico.

7 Nesta modalidade contratual, por ocasião da rescisão contratual, não é devido o aviso prévio. Anotações em CTPS: O empregador é obrigado a anotar a CTPS do empregado no prazo de 48 horas após o início do contrato, devendo inclusive anotar eventual contrato a prazo determinado. Férias anuais e sua divisão: As férias foram mantidas na base de 30 dias por ano, remuneradas com 1/3 de acréscimo, a cada 12 meses de trabalho. Ocorre ainda, em relação a tal tema, duas novidades, a primeira, é que a critério do empregador, poderá ser fracionada em dois períodos, desde que um deles não seja inferior a 14 dias. A segunda novidade, é que o sistema de abono pecuniário das férias previsto na CLT, foi estendido ao doméstico, logo, o empregado pode requerer ao empregador, 30 dias antes do vencimento das férias, que 1/3 desta seja indenizado. O empregado morador pode permanecer no imóvel durante as férias. Descontos permitidos e proibidos: Não é permitido o desconto por fornecimento de alimentação, vestuário, higiene, moradia, transporte, hospedagem e alimentação em caso de viagem com o empregador. É permitido o desconto de adiantamento salarial, e por contrato escrito, valores referente a plano de saúde, seguro, previdência privada, não podendo ultrapassar a dedução 20% do salário.

8 Se a moradia ocupada pelo empregado for em local diverso daquele onde presta serviço, poderá haver o desconto pelo fornecimento da mesma, porém, com previsão em contrato escrito. Vale transporte: O vale transporte já era direito inerente aos domésticos,mas agora com a novidade de que pode ser concedido pelo empregador em pecúnia. FGTS: O FGTS é garantido ao empregado doméstico, aliás, é um dos principais anseios da categoria, mas ainda, para virar realidade, teremos que esperar mais um pouco, é que a lei em comento aduz que sua obrigação se dará somente quando regulamentado pelo Conselho Curador do FGTS. O que já ficou definido quanto ao FGTS, é que a multa rescisória de 40% sobre o saldo do FGTS, para o caso de despedida, será efetuada mês a mês, junto com o depósito mensal do próprio FGTS. 13º Salário: O 13º. Salário permanece com a regulamentação anterior, nos termos da lei 4.090/62. Aviso prévio: Tal como ocorre com os empregados celetistas, o aviso prévio do empregado doméstico é de 30 dias para ao primeiro ano de serviço, acrescidos de mais 03 dias por ano laborado, até o limite de 90 dias.

9 Aplica-se durante o aviso prévio concedido pelo empregador, a redução de 02 horas na jornada de trabalho, ou ainda, por opção, 07 dias de corridos de faltas. Licença maternidade e estabilidade gestante: A doméstica gestante tem direito a licença maternidade por 120 dias, sem prejuízo do salário e emprego. Além disto, é estável, até o 5º. mês após o parto. Seguro desemprego: É garantido o seguro desemprego de 01 salário mínimo ao doméstico demitido, por até 03 meses. Da dispensa por justa causa e rescisão indireta: Muito se questionava se as modalidades de dispensa por justa causa e rescisão indireta previstas na CLT se aplicavam aos domésticos, mas agora com a nova lei complementar isto ficou pacificado, aplicando-se a tal categoria integralmente os dispositivos celetistas nela repetido. Do salário família: Foi estendido ao doméstico o direito ao salário família, por filho menor de 14 anos de idade. Atualmente a cota do salário família é de: Para quem ganha até R$725,02 o valor de R$37,18 por filho. Para quem ganha de R$725,02 até R$1.089,72, o valor de R$26,20 por filho. O valor pago pelo empregador é depois por ele compensado com a contribuição previdenciária por ele devida.

10 Do simples doméstico: Em 120 dias após a publicação da LC 150, ou seja, em 01 de outubro de 2015, deverá sair regulamentação do SIMPLES doméstico, que será um sistema de recolhimento das contribuições previdenciárias e fiscal unificado e simplificado. O que já se sabe sobre isto, é que o doméstico pagará sua contribuição previdenciária na alíquota de 8% a 11% do seu salário; O empregador, pagará 8%, mais 0,8% de contribuição previdenciária; e mais 8% e 3,2% de FGTS. Em linhas gerais são estas as alterações e inovações trazidas pela LC 150, um marco para a categoria dos empregados domésticos. Renato de Souza Sant Ana Advogado e Sócio Administrador de Sant Anna e Sant Ana Advogados Associados Avenida 13, 919, Centro, Barretos SP. Barretos, 28/07/15

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Digite o título aqui INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Lei Complementar nº 150, de 1º de junho de 2015 -

Leia mais

Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico.

Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico. RESUMO INFORMATIVO SOBRE TRABALHO DOMÉSTICO Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico. Lei Complementar n. 150/2015 Jul 2015 Este resumo informativo

Leia mais

CARTILHA SOBRE A EMENDA CONSTITUCIONAL DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

CARTILHA SOBRE A EMENDA CONSTITUCIONAL DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS 2 de abril de 2013 CARTILHA SOBRE A EMENDA CONSTITUCIONAL DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Hoje foi promulgada uma Emenda Constitucional que amplia os direitos trabalhistas dos empregados domésticos. Alguns direitos

Leia mais

Trabalho Doméstico: as mudanças e os impactos da nova lei. Zilma Aparecida da Silva Ribeiro Abril de 2013

Trabalho Doméstico: as mudanças e os impactos da nova lei. Zilma Aparecida da Silva Ribeiro Abril de 2013 Trabalho Doméstico: as mudanças e os impactos da nova lei Zilma Aparecida da Silva Ribeiro Abril de 2013 Legislação Aplicável * LEI Nº 5.859, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1972 * CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 7º, PARÁGRAFO

Leia mais

TRABALHADORES DOMÉSTICOS

TRABALHADORES DOMÉSTICOS Trabalho realizado pela advogada dra. Marília Nascimento Minicucci, do escritório do conselheiro prof. Cássio de Mesquita Barros Júnior TRABALHADORES DOMÉSTICOS Foi publicado, no Diário Oficial da União

Leia mais

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo).

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo). 02/06/2015 07h40 - Atualizado em 02/06/2015 13h01 Regulamentação dos direitos das domésticas é publicada Trabalhadoras terão adicional noturno, seguro-desemprego e mais 5 direitos. Emenda constitucional

Leia mais

O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS

O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS Linha de pesquisa: Gestão Empresarial João Paulo dos Santos Ribeiro

Leia mais

Departamento pessoal do Empregador doméstico PEC 66/2012 EC 72 /2013

Departamento pessoal do Empregador doméstico PEC 66/2012 EC 72 /2013 Departamento pessoal do Empregador doméstico PEC 66/2012 EC 72 /2013 A PEC n 66 de 2012 Veio com O OBJETIVO de alterar a redação do parágrafo único do art. 7º da Constituição Federal para estabelecer a

Leia mais

CÁLCULOS TRABALHISTAS

CÁLCULOS TRABALHISTAS CÁLCULOS TRABALHISTAS Remuneração - Salário acrescido da média das variáveis (exemplo: comissões) dos últimos 12 meses. - Média: soma das 6 maiores parcelas variáveis mês a mês, divididas por 6, dentro

Leia mais

RELAÇÃO DE EMPREGO DOMÉSTICO

RELAÇÃO DE EMPREGO DOMÉSTICO RELAÇÃO DE EMPREGO DOMÉSTICO FELIPE VASCONCELLOS CAVALCANTE Universidade Federal de Goiás UFG Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional e Recursos Humanos Departamento de Desenvolvimento de Recursos

Leia mais

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO A NOVA REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO Sara Costa Benevides 1 Advogada Sócia de Homero Costa Advogados Lorena Efigênia da Cruz Silva Estagiária de Homero Costa Advogados INTRODUÇÃO No Diário Oficial

Leia mais

PONTO CERTO OAB por ISADORA ATHAYDE E THIAGO ATHAYDE

PONTO CERTO OAB por ISADORA ATHAYDE E THIAGO ATHAYDE PONTO CERTO OAB por ISADORA ATHAYDE E THIAGO ATHAYDE O nosso item do edital de hoje será: EMPREGADO DOMÉSTICO Algo que devemos atentar de início é ao fato de não aplicarmos a CLT ao empregado doméstico,

Leia mais

Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original)

Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original) Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original) Proposição Originária: PEC 478/2010 PODER LEGISLATIVO Título EMC 72 de 02/04/2013 - EMENDA CONSTITUCIONAL Data 02/04/2013 Ementa

Leia mais

INFORMATIVO AS ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A EMPREGADOS DOMÉSTICOS. Flavio Aldred Ramacciotti W W W. M F R A. C O M. B R

INFORMATIVO AS ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A EMPREGADOS DOMÉSTICOS. Flavio Aldred Ramacciotti W W W. M F R A. C O M. B R INFORMATIVO AS ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A EMPREGADOS DOMÉSTICOS Flavio Aldred Ramacciotti W W W. M F R A. C O M. B R ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 OS NOVOS DIREITOS... 4 DIREITOS DE EFICÁCIA IMEDIATA...

Leia mais

Direitos do Empregado Doméstico

Direitos do Empregado Doméstico Direitos do Empregado Doméstico Com a aprovação da Emenda Constitucional n 72, que ocorreu em 02/04/2013, o empregado doméstico passou a ter novos direitos. Alguns deles independem de regulamentação e,

Leia mais

2 - Quais são os direitos que entraram em vigor imediatamente após a publicação da Emenda Constitucional n.º 72, de 2013?

2 - Quais são os direitos que entraram em vigor imediatamente após a publicação da Emenda Constitucional n.º 72, de 2013? TRABALHADOR DOMÉSTICO 1 - Quem pode ser considerado trabalhador doméstico? Resposta: É considerado trabalhador doméstico aquele que presta serviços de natureza contínua e de finalidade não lucrativa à

Leia mais

CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM A PEC DAS DOMÉSTICAS

CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM A PEC DAS DOMÉSTICAS DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DO EMPREGADOR DOMÉSTICO = MENOS DEMISSÕES E MAIS FORMALIDADE Dê seu voto em www.domesticalegal.org.br CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM

Leia mais

Auxiliar Jurídico. Módulo IV. Aula 01

Auxiliar Jurídico. Módulo IV. Aula 01 Auxiliar Jurídico Módulo IV Aula 01 1 CÁLCULOS TRABALHISTAS Neste módulo você irá aprender a realizar os cálculos de verbas rescisórias e Liquidação de Sentença. I. VERBAS RESCISÓRIAS Podemos entender

Leia mais

ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa

ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA Alexandre Corrêa ATUALIZAÇÃ ÇÃO O TRABALHISTA PROGRAMA EMPREGADO DOMÉSTICO (Aspectos Legais) EMPREGADO DOMÉSTICO A Lei 5859/72 regulamentada pelo Decreto 71885/73 tornou reconhecida

Leia mais

AS MUDANÇAS NO ESTATUTO JURÍDICO DOS DOMÉSTICOS EC 72/13 Gáudio R. de Paula e José Gervásio Meireles

AS MUDANÇAS NO ESTATUTO JURÍDICO DOS DOMÉSTICOS EC 72/13 Gáudio R. de Paula e José Gervásio Meireles AS MUDANÇAS NO ESTATUTO JURÍDICO DOS DOMÉSTICOS EC 72/13 Gáudio R. de Paula e José Gervásio Meireles A aprovação do projeto de Emenda Constitucional 66/2012, e a subsequente edição da EC 72/13, relativo

Leia mais

NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS LC 150/2015

NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS LC 150/2015 Prof. Antonio Daud Jr NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS LC 150/2015 SUMÁRIO PÁGINA 1. Introdução 02 2. Desenvolvimento 03 2.1. Quem é considerado empregado doméstico? 03 2.2. Contrato por prazo determinado

Leia mais

TRABALHADOR DOMÉSTICO

TRABALHADOR DOMÉSTICO TRABALHADOR DOMÉSTICO Guia SESI-FIEMG dos Direitos e Deveres do Trabalhador Doméstico Edição 1.0 Outubro de 2015 1 SUMÁRIO O EMPREGADO DOMÉSTICO... 3 DIREITOS DO EMPREGADO DOMÉSTICO... 3 PRINCIPAIS PONTOS

Leia mais

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO Índice 1. Outros Tipos de Contratos de Trabalho...3 1.1. Trabalho Rural... 3 1.2. Estagiário... 4 1.3. Trabalho Temporário... 5 1.4.

Leia mais

CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO

CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO Projeto Legalize sua doméstica e pague menos INSS = Informalidade ZERO CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO Realização Jornal Diario de Pernambuco

Leia mais

PRIMEIROS APONTAMENTOS SOBRE A LEI COMPLEMENTAR 150/2015: A NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

PRIMEIROS APONTAMENTOS SOBRE A LEI COMPLEMENTAR 150/2015: A NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS PRIMEIROS APONTAMENTOS SOBRE A LEI COMPLEMENTAR 150/2015: A NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Karime Antunes de Souza Advogada em São Paulo karime@silvaribeiro.com.br Aprovada recentemente, a Lei Complementar

Leia mais

Direito Constitucional. Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda

Direito Constitucional. Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda Direito Constitucional Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda Direitos fundamentais de segunda geração Surgimento: necessidade de intervenção estatal em

Leia mais

A seguir apresentamos:

A seguir apresentamos: O Senado Federal aprovou em 26/03, em segundo turno, por unanimidade, a Proposta de Emenda à Constituição n 478/2010 (PEC das Domésticas). A promulgação ocorreu pelo Congresso Nacional nesta terça feira

Leia mais

Empregado Doméstico. Hilário Corrêa Assessoria Empresarial www.hilariocorrea.com.br. Lei 150/2015 Novas determinações Legais. Contratação.

Empregado Doméstico. Hilário Corrêa Assessoria Empresarial www.hilariocorrea.com.br. Lei 150/2015 Novas determinações Legais. Contratação. 2015 Contratação Empregado Doméstico Lei 150/2015 Novas determinações Legais Jornada de Trabalho Hora Extra Adicional Noturno Férias Décimo terceiro INSS FGTS Aviso Prévio Rescisão Seguro Desemprego Hilário

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências Evento Descrição INSS FGTS IRRF Abonos de qualquer natureza Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho -

Leia mais

Empregados Domésticos

Empregados Domésticos Empregados Domésticos O que está valendo hoje? Dos direitos em vigor, destacamos: Salário mínimo: O salário mínimo nacional atual é de R$ 678,00. Há Estados em que existem leis estaduais garantindo um

Leia mais

Lição 11. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS

Lição 11. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS Lição 11. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS (Lei nº 8.036, de 11/5/90, e Decreto nº 99.684, de 8/11/90). 11.1. CONSIDERAÇÕES GERAIS O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é uma conta

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS Abonos de qualquer natureza Evento Descrição INSS FGTS IRRF Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença

Leia mais

NOVA LEI DAS DOMESTICAS

NOVA LEI DAS DOMESTICAS NOVA LEI DAS DOMESTICAS DEVERES DAS DOMÉSTICAS Se a doméstica trabalhar menos que o contrato, posso descontar do salário? O desconto é linear? Independentemente de trabalhar menos, ela recebe o mesmo valor

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/2006 SESCOOP SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO, que celebram de um lado, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo SESCOOP NACIONAL - CNPJ N.º 03.087.543/0001-86,

Leia mais

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS 11. DIREITOS NA HORA DA DEMISSÃO É de fundamental importância saber quais os direitos dos trabalhadores na hora da rescisão do contrato de trabalho. Devese ter especial atenção no caso de demissões sem

Leia mais

NOVOS DIREITOS DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

NOVOS DIREITOS DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS NOVOS DIREITOS DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS novos direitos.indd 1 novos direitos.indd 2 NOVOS DIREITOS DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS LEI COMPLEMENTAR Nº 150/2015 novos direitos.indd 3 9 introdução 10 caracterização

Leia mais

Empregado Doméstico Normatização da Profissão

Empregado Doméstico Normatização da Profissão Empregado Doméstico Normatização da Profissão 3 DE JUNHO DE 2015 CONTSUL A Lei complementar nº150, publicada no DOU de 02.06.2015, dispôs sobre o trabalho doméstico no que tange ao contrato de trabalho,

Leia mais

EMPREGADO DOMÉSTICO (Aspectos Legais)

EMPREGADO DOMÉSTICO (Aspectos Legais) Le f is c L e g i s l a c a o F i s c a l CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Empregado doméstico, direitos e deveres Leto Horongozo Corá RESUMO O empregado doméstico figurado pela Lei 5.859/78, não se caracterizando como trabalhador rural e nem urbano, pois

Leia mais

Férias Proporcionais Até 5 faltas 6 a 14 faltas 15 a 23 faltas 24 a 32 faltas

Férias Proporcionais Até 5 faltas 6 a 14 faltas 15 a 23 faltas 24 a 32 faltas FÉRIAS ASPECTOS GERAIS Férias é o período de descanso anual, que deve ser concedido ao empregado após o exercício de atividades por um ano, ou seja, por um período de 12 meses, período este denominado

Leia mais

Trabalhador Domestico

Trabalhador Domestico Trabalhador Domestico Trabalhador Domestico 3 Brasília/DF - 2013 Trabalhador Domestico Considera-se trabalhador doméstico aquele maior de 18 anos que presta serviços de natureza contínua (frequente,

Leia mais

Professor André Vieira. Direitos Sociais. Curso de Oficial de Justiça de 1º Instância 1

Professor André Vieira. Direitos Sociais. Curso de Oficial de Justiça de 1º Instância 1 Direitos Sociais 01. NÃO é considerado um direito social, expressamente previsto na Constituição Federal Brasileira de 1988, a: a) Segurança; b) Educação; c) Livre concorrência; d) Saúde. 02. Os que percebem

Leia mais

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Qual é o prazo para pagamento dos salários dos empregados? R: O pagamento deve ser realizado até o 5º dia útil do mês seguinte. Esta deve ser a data em que deve

Leia mais

JORNADA DE TRABALHO SINDIREPA LUCIANA CHARBEL GERÊNCIA DE RELAÇÕES TRABALHISTAS 20 DE JUNHO DE 2013

JORNADA DE TRABALHO SINDIREPA LUCIANA CHARBEL GERÊNCIA DE RELAÇÕES TRABALHISTAS 20 DE JUNHO DE 2013 JORNADA DE TRABALHO SINDIREPA LUCIANA CHARBEL GERÊNCIA DE RELAÇÕES TRABALHISTAS 20 DE JUNHO DE 2013 DURAÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO DIÁRIA: 8 HORAS SEMANAL: 44 HORAS MENSAL: 220 HORAS INTERVALOS PARA DESCANSO

Leia mais

Férias Coletivas: AULA 7: terço constitucional

Férias Coletivas: AULA 7: terço constitucional AULA 7: Férias Coletivas: ART. 7º, XVII, CRFB gozo de férias anuais remuneradas com, pelo menos, ⅓ a + do que o salário normal. FÉRIAS = SALÁRIO + ⅓ terço constitucional férias coletivas art. 139 a 141

Leia mais

PARTE I ROTINAS TRABALHISTAS

PARTE I ROTINAS TRABALHISTAS PARTE I ROTINAS TRABALHISTAS Capítulo 1 Recrutamento... 3 1.1 Possíveis ocorrências de recrutamento... 4 1.1.1 Ampliação do quadro de pessoal... 4 1.1.2 Desligamento de empregado... 5 1.1.3 Promoção...

Leia mais

CARTILHA TRABALHADOR DOMÉSTICO. Perguntas e Respostas TRABALHADOR DOMÉSTICO. 1 - Quem pode ser considerado trabalhador doméstico?

CARTILHA TRABALHADOR DOMÉSTICO. Perguntas e Respostas TRABALHADOR DOMÉSTICO. 1 - Quem pode ser considerado trabalhador doméstico? FICHA CATALOGRÁFICA CARTILHA TRABALHADOR DOMÉSTICO - Considera-se trabalhador doméstico aquele maior de 18 anos que presta serviços de natureza contínua (frequente, constante) e de finalidade não-lucrativa

Leia mais

Pessoa ou família que admite a seu serviço empregado doméstico (Decreto nº 71.885/1973, art. 3º, II).

Pessoa ou família que admite a seu serviço empregado doméstico (Decreto nº 71.885/1973, art. 3º, II). FONTE: www.iobonlineregulatorio.com.br EMPREGADO DOMÉSTICO: Considera-se doméstico o empregado que presta serviços de natureza contínua e de finalidade não lucrativa a pessoa ou família, no âmbito residencial

Leia mais

Introdução ao Direito do Trabalho. Capítulo 4. Princípios do Direito do Trabalho. Capítulo 2. Fontes do Direito do Trabalho

Introdução ao Direito do Trabalho. Capítulo 4. Princípios do Direito do Trabalho. Capítulo 2. Fontes do Direito do Trabalho Sumário Capítulo 1 Introdução ao Direito do Trabalho 1.1. Conceito e denominação 1.2. Característica 1.3. Divisão 1.4. Natureza 1.5. Autonomia 1.6. Evolução no Brasil Capítulo 2 Princípios do Direito do

Leia mais

TÓPICOS ABORDADOS. Departamento Jurídico

TÓPICOS ABORDADOS. Departamento Jurídico TÓPICOS ABORDADOS 1) JORNADA DE TRABALHO 2) HORAS NOTURNAS E ADICIONAL 3) TREINAMENTO PARA USO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS 4) CARTÃO DE PONTO 5) REFEIÇÃO 1. JORNADA DE TRABALHO A) LIMITE DIÁRIO E SEMANAL

Leia mais

Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB

Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB AULA 10: Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB Amparo legal: art. 7º, II da CRFB. * urbanos e rurais: Lei nº 7.998/90, Lei nº 8.900/94 e Resolução do CODEFAT 467/05. * domésticos: artigo 6º-A da Lei

Leia mais

Cartilha Mentorear. PEC Proposta de Emenda à Constituição

Cartilha Mentorear. PEC Proposta de Emenda à Constituição Cartilha Mentorear Empregada Doméstica e Categorias Associadas na Nova Lei conhecida como PEC das Domésticas PEC Proposta de Emenda à Constituição PEC 478/2010 na Câmara dos Deputados Federais PEC 66/2012

Leia mais

Cálculos Trabalhistas e Previdenciários

Cálculos Trabalhistas e Previdenciários CURSO Cálculos Trabalhistas e Previdenciários Orientador Rogério Andrade Henriques Advogado; especialista em Direito do Trabalho e Previdenciário; instrutor de cursos empresariais na Área Trabalhista e

Leia mais

Direitos do(a) Empregado(a) Doméstico(a)

Direitos do(a) Empregado(a) Doméstico(a) Direitos do(a) Empregado(a) Doméstico(a) Carteira de Trabalho e Previdência Social, devidamente anotada Devidamente anotada, especificando- se as condições do contrato de trabalho (data de admissão, salário

Leia mais

O trabalhador pode começar a trabalhar sem dispor de CTPS? Não. O empregado não poderá ser admitido se não dispuser de CTPS.

O trabalhador pode começar a trabalhar sem dispor de CTPS? Não. O empregado não poderá ser admitido se não dispuser de CTPS. Direitos básicos dos Profissionais de Educação Física PERGUNTAS E RESPOSTAS CTPS Para que serve a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS)? A CTPS serve como meio de prova: a ) da relação de emprego;

Leia mais

Trabalho Temporário (Lei nº 6.019, de 3/1/74, e Decreto nº 73.841, de 13/3/74);

Trabalho Temporário (Lei nº 6.019, de 3/1/74, e Decreto nº 73.841, de 13/3/74); Lição 3. Contratos Especiais de Trabalho Trabalho Rural (Lei nº 5.889, de 8/6/73, e Decreto nº 73.626, de 12/2/74); Trabalho Doméstico (Lei nº 5.859, de 11/12/72, e Decreto nº 71.885, de 9/3/73); Trabalho

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR. a.1) normal: 06 horas por dia e 30 horas por semana 224, caput e 226 CLT

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR. a.1) normal: 06 horas por dia e 30 horas por semana 224, caput e 226 CLT TURMA EXTENSIVA SEMANAL Prof. Otavio Calvet Data: 09.11.2009 Aula nº 31 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Contratos de Trabalho Especiais: I. Bancário a) Duração do trabalho - art. 224 CLT a.1) normal: 06 horas

Leia mais

Tabela Prática de Verbas que compõem a Base de Cálculo para incidência de INSS, FGTS e IRRF

Tabela Prática de Verbas que compõem a Base de Cálculo para incidência de INSS, FGTS e IRRF Tabela Prática de Verbas que compõem a Base de Cálculo para incidência de INSS, FGTS e IRRF Discriminação INSS Fundamento legal FGTS Fundamento legal IRRF Fundamento legal Abono de férias - pecuniário

Leia mais

NOME: MATRÍCULA: CURSO: SEMESTRE: UNIDADE: ENTREGA / / - PRAZO LIMITE AV1. 1ª ATIVIDADE:

NOME: MATRÍCULA: CURSO: SEMESTRE: UNIDADE: ENTREGA / / - PRAZO LIMITE AV1. 1ª ATIVIDADE: MATRÍCULA: CURSO: SEMESTRE: UNIDADE: ENTREGA / / - PRAZO LIMITE AV1. 1ª ATIVIDADE: Pesquisar um tema referente a matéria na biblioteca e redigir um artigo nos termos da ABNT. Obs.: tema livre; obrigatória

Leia mais

HORAS EXTRAS E SEUS REFLEXOS TRABALHISTAS

HORAS EXTRAS E SEUS REFLEXOS TRABALHISTAS CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE ASSUNTOÁBEIS DE PORTO ALEERIO PALESTRA HORAS

Leia mais

Empregados domésticos. Mudanças decorrentes da Emenda Constitucional nº 72.

Empregados domésticos. Mudanças decorrentes da Emenda Constitucional nº 72. Empregados domésticos. Mudanças decorrentes da Emenda Constitucional nº 72. Empregado doméstico, como bem conceitua Volia Bomfim Cassar, 1 é toda pessoa física que trabalha de forma pessoal, subordinada,

Leia mais

Menor Aprendiz Perguntas Frequentes

Menor Aprendiz Perguntas Frequentes Menor Aprendiz Perguntas Frequentes A aprendizagem é regulada pela CLT e passou por um processo de modernização com a promulgação das Leis nºs. 11.180/2005, 10.097/2008 e 11.788/2008. O Estatuto da Criança

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Férias

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Férias pág.: 1/6 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos para programação, concessão e pagamento de férias aos empregados da COPASA MG. 2 Referências Para aplicação desta norma poderá ser necessário

Leia mais

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INSS FGTS IR

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INSS FGTS IR Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INCIDÊNCIAS RUBRICAS INSS FGTS IR de qualquer natureza, salvo o de férias Sim. Art. 28, I, Lei nº e 1º, art. 457 da CLT Abono pecuniário de férias Arts. 28, 9º, e, 6

Leia mais

Outubro/2015. Rio de Janeiro - RJ

Outubro/2015. Rio de Janeiro - RJ Outubro/2015 Rio de Janeiro - RJ TOTAL DE EMPREGADOS* 6.423.000 EMPREGADOS FORMAIS 1.314.000 EMPREGADOS INFORMAIS 5.109.000 CONTRIBUINTES PARA PREVIDENCIA 2.618.000 MULHERES 5.950.000 Segundo dados da

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Página 1 de 6 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG004008/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR057851/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.008943/2011-67 DATA

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002716/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/11/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064091/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.006426/2015-78 DATA DO

Leia mais

13º SALARIO Posteriormente, a Constituição Federal de 1988, em seu art. 7º,

13º SALARIO Posteriormente, a Constituição Federal de 1988, em seu art. 7º, 13º SALARIO Trabalhadores beneficiados Farão jus ao recebimento do 13º salário os seguintes trabalhadores: a) empregado - a pessoa física que presta serviços de natureza urbana ou rural à empresa, em caráter

Leia mais

Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1. 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4.

Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1. 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4. Parte I - Direito do trabalho - parte geral, 1 1 Evolução histórica, 3 1 Evolução mundial, 3 2 Evolução no Brasil, 4 2 Denominação, 6 3 Conceito e divisão da matéria, 8 4 Posição enciclopédica, 9 5 Fontes,

Leia mais

EXMO. JUIZ DO TRABALHO DA VARA DO TRABALHO DE

EXMO. JUIZ DO TRABALHO DA VARA DO TRABALHO DE EXMO. JUIZ DO TRABALHO DA VARA DO TRABALHO DE José, nacionalidade, estado civil, profissão, RG, CPF, CTPS, PIS, residente e domiciliado na, vem, respeitosamente, perante V. Exa., por meio de seu advogado,

Leia mais

15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA

15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA 15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA 15.1 - Integram a remuneração para fins de cálculos dos valores devidos à Previdência Social e a serem recolhidos para o FGTS, dentre outras, as seguintes parcelas:

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA

PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA CAMPINAS JANEIRO/2014 1 PAUTA DE REIVINDICAÇÃO CLÁUSULA 1ª - PISO SALARIAL Fica estipulado

Leia mais

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 -

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 - ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL INTRODUÇÃO... 008 DISPOSIÇÕES GERAIS... 009 Conceito de empregador... 009 Conceito de empregado... 009 Direitos do empregado... 010 ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO TRABALHO...

Leia mais

Gilson Fernando Ferreira de Menezes ASPECTOS PREVIDENCIÁRIOS NA CONCESSÃO DE SALÁRIOS INDIRETOS E BENEFÍCIOS

Gilson Fernando Ferreira de Menezes ASPECTOS PREVIDENCIÁRIOS NA CONCESSÃO DE SALÁRIOS INDIRETOS E BENEFÍCIOS Gilson Fernando Ferreira de Menezes ASPECTOS PREVIDENCIÁRIOS NA CONCESSÃO DE SALÁRIOS INDIRETOS E BENEFÍCIOS Tributo Conceito Corresponde à toda prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo valor

Leia mais

O Futuro do emprego Doméstico PROJETOS DE LEI LEGALIZE SUA DOMÉSTICA E PAGUE MENOS INSS

O Futuro do emprego Doméstico PROJETOS DE LEI LEGALIZE SUA DOMÉSTICA E PAGUE MENOS INSS PROJETOS DE LEI LEGALIZE SUA DOMÉSTICA E PAGUE MENOS INSS 1 1 Formalização de 2 milhões de empregados domésticos nos próximos 12 dias. 2 Erradicar o Trabalho Infantil Adolescente de 410 mil crianças e

Leia mais

RELAÇÕES DE TRABALHO LATO SENSU

RELAÇÕES DE TRABALHO LATO SENSU RELAÇÕES DE TRABALHO LATO SENSU O trabalhador temporário é pessoa física contratada por empresa de trabalho temporário, para prestar serviços pessoalmente e mediante salário e subordinação, a empresa tomadora

Leia mais

01. CTPS - CARTEIRA DE TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL

01. CTPS - CARTEIRA DE TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL 01. CTPS - CARTEIRA DE TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL Trata-se de um documento básico e indispensável do trabalhador, que todo empregador deve exigir no ato da admissão, para proceder às anotações referentes

Leia mais

SEESS - SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE DE CONTAGEM, BETIM E REGIÃO. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015

SEESS - SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE DE CONTAGEM, BETIM E REGIÃO. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 SEESS - SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE DE CONTAGEM, BETIM E REGIÃO. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 Entre o SEES - SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG000363/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR002753/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.000337/2015-27 DATA DO

Leia mais

TÓPICO (em ordem alfabética) PÁGINA Nº

TÓPICO (em ordem alfabética) PÁGINA Nº ÍNDICE DO MANUAL DE ROTINAS TRABALHISTAS TÓPICO (em ordem alfabética) PÁGINA Nº INTRODUÇÃO 6 SIGLAS UTILIZADAS 7 ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL E GERÊNCIA DE REC HUMANOS 8 ABANDONO DE EMPREGO 19 ACIDENTE NO

Leia mais

DEPARTAMENTO PESSOAL

DEPARTAMENTO PESSOAL DEPARTAMENTO PESSOAL DÚVIDAS MAIS FREQUENTES 1 1. Documentos necessários para admissão Para o processo de admissão, o novo funcionário deverá apresentar a relação de documentos abaixo: *Carteira de Trabalho

Leia mais

NÚCLEO PREPARATÓRIO DE EXAME DE ORDEM

NÚCLEO PREPARATÓRIO DE EXAME DE ORDEM ENDEREÇAMENTO E QUALIFICAÇÃO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA... VARA DO TRABALHO DE... A, estado civil..., profissão..., portador do RG nº..., inscrito no CPF nº..., portador da CTPS..., série...,

Leia mais

DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR

DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR DIREITOS E DEVERES:TRABALHADOR E EMPREGADOR Por intermédio destas informações, o SITRIVESCH tem por finalidade informar o trabalhador de seus direitos/deveres. Importante destacar que o não cumprimento

Leia mais

GT Grupo de Estudos e Pesquisas em Espaço. Trabalho, Inovação e Sustentabilidade. Modalidade da apresentação: Comunicação oral

GT Grupo de Estudos e Pesquisas em Espaço. Trabalho, Inovação e Sustentabilidade. Modalidade da apresentação: Comunicação oral GT Grupo de Estudos e Pesquisas em Espaço. Trabalho, Inovação e Sustentabilidade. Modalidade da apresentação: Comunicação oral Emprego Doméstico: Evolução ou Precarização? (2004-2014) Resumo: O presente

Leia mais

TRABALHADOR HORISTA. Dr. Leslie Magro

TRABALHADOR HORISTA. Dr. Leslie Magro TRABALHADOR HORISTA Dr. Leslie Magro 1. DEFINIÇÃO O trabalhador horista é aquele que recebe o salário mensalmente, porém determinado pelo valor-hora. O trabalhador horista tem todos os direitos e obrigações

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 10 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC001530/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR022315/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.004377/2013-77 DATA

Leia mais

Renato Silva de Assis Supervisor Técnico da Paraíba

Renato Silva de Assis Supervisor Técnico da Paraíba Renato Silva de Assis Supervisor Técnico da Paraíba Análise do Projeto de Lei que dispõe sobre os planos de custeio e de benefícios do regime próprio de previdência social do Estado da Paraíba No dia 20

Leia mais

ASPECTOS TRABALHISTAS DA LEI COMPLEMENTAR Nº 150/2015 (REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO) COMPARATIVO E NOTAS INICIAIS RICARDO RESENDE

ASPECTOS TRABALHISTAS DA LEI COMPLEMENTAR Nº 150/2015 (REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO) COMPARATIVO E NOTAS INICIAIS RICARDO RESENDE REGULAMENTAÇÃO ANTIGA MANTIDA É vedada a contratação de menor de 18 (dezoito) anos para desempenho de trabalho doméstico, de acordo com a Convenção n o 182, de 1999, da Organização Internacional do Trabalho

Leia mais

EMPREGADO DOMÉSTICO 1. INTRODUÇÃO

EMPREGADO DOMÉSTICO 1. INTRODUÇÃO EMPREGADO DOMÉSTICO 1. INTRODUÇÃO Antes de entrar na temática acima, mister se faz ressaltar que este trabalho é uma compilação de robusto e conclusivo trabalho elaborado pela renomada equipe COAD, in

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 Que fazem na forma abaixo, de um lado, o SINDICATO DAS SANTAS CASAS E ENTIDADES FILANTRÓPICAS DO ESTADO DA BAHIA - SINDIFIBA, CNPJ n 96.777.958/0001-62 sito à Rua

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 1/5 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ENTIDADES CULTURAIS, RECREATIVAS, DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, DE ORIENTAÇÃO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, NO ESTADO DO PARANÁ SENALBA/PR, CNPJ 75.992.446/0001-49,

Leia mais

Da Abrangência. Da Vigência. Formas de Pagamento do Salário. Da Redução de Carga Horária

Da Abrangência. Da Vigência. Formas de Pagamento do Salário. Da Redução de Carga Horária CONVENÇÃO COLETIVA DE CONDIÇÕES DE TRABALHO E REAJUSTAMENTO SALARIAL, que celebram entre o SINPROR - SINDICATO DOS PROFESSORES EM ESTABELECIMENTOS PRIVADOS DE ENSINO DE ANÁPOLIS E REGIÃO Rua Arinesto de

Leia mais

Os novos direitos dos empregados domésticos: análise da Emenda Constitucional n o 72/2013

Os novos direitos dos empregados domésticos: análise da Emenda Constitucional n o 72/2013 Os novos direitos dos empregados domésticos: análise da Emenda Constitucional n o 72/2013 SériE Atualização Legislativa Os novos direitos dos empregados domésticos: análise da Emenda Constitucional n

Leia mais

Novembro/2015. Rio de Janeiro - RJ

Novembro/2015. Rio de Janeiro - RJ Novembro/2015 Rio de Janeiro - RJ TOTAL DE EMPREGADOS* 6.423.000 EMPREGADOS FORMAIS 1.314.000 EMPREGADOS INFORMAIS 5.109.000 CONTRIBUINTES PARA PREVIDENCIA 2.618.000 MULHERES 5.950.000 Segundo dados da

Leia mais

Folha responde a 70 dúvidas de leitores sobre a PEC das domésticas

Folha responde a 70 dúvidas de leitores sobre a PEC das domésticas Folha responde a 70 dúvidas de leitores sobre a PEC das domésticas Os trabalhadores domésticos vão ganhar mais direitos com a promulgação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que garante a eles o

Leia mais

Tabela de incidência Tributária

Tabela de incidência Tributária Tabela de incidência Tributária INCIDÊNCIAS RUBRICAS INSS FGTS IR de qualquer natureza, salvo o de férias Sim. Art. 28, I, Lei nº e 1º, art. 457 da CLT Abono pecuniário de férias Não. Arts. 28, 9º, e,

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO SUSCITANTE: SINDICATO DOS PSICÓLOGOS NO ESTADO DE SÃO PAULO - SINPSI-SP, Entidade Sindical Profissional, com registro no MTb sob nº012.228.026.60-5 e inscrita no CNPJ/MF

Leia mais

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INSS FGTS IR

Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INSS FGTS IR Tabela de Incidência INSS/FGTS/IRRF INCIDÊNCIAS RUBRICAS INSS FGTS IR de qualquer natureza, salvo o de férias Sim. Art. 28, I, Lei nº e 1º, art. 457 da CLT Abono pecuniário de férias Arts. 28, 9º, e, 6

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PR003439/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/08/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR046249/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46212.012779/2015 14 DATA DO

Leia mais