Contratos de trabalho por tempo determinado, previstos na CLT

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Contratos de trabalho por tempo determinado, previstos na CLT"

Transcrição

1 Contratos de trabalho por tempo determinado, previstos na CLT O contrato de trabalho por prazo determinado é aquele cuja duração dependa de termo prefixado ou da execução de serviços específicos ou ainda da realização de certo acontecimento passível de previsão aproximada. (Artigo 443, parágrafo 1º da CLT) Excluído o contrato de aprendizagem, que não é bem um contrato de trabalho, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) confere validade a três hipóteses de contratação por prazo determinado: de serviço cuja natureza ou transitoriedade justifique a predeterminação do prazo, de atividades empresariais de caráter transitório e de contrato de experiência. O contrato por prazo determinado só será válido quando se tratar (Artigo 443, parágrafo 2º da CLT, incluído pelo Decreto-lei nº 229, de ): a) de serviço cuja natureza ou transitoriedade justifique a predeterminação do prazo; b) de atividades empresariais de caráter transitório; c) de contrato de experiência O contrato de experiência, também chamado contrato de prova, não serve para contratações demandadas por eventos como a Copa do Mundo da FIFA, pois sua finalidade é permitir que o empregador teste as aptidões do trabalhador para um serviço que se quer contínuo, bem como possibilitar que o trabalhador também avalie o que esse serviço vai exigir dele. Por outro lado, a Copa do Mundo da FIFA no Brasil pode proporcionar serviço transitório, efêmero (alínea a, acima), como, por exemplo, o serviço de intérprete ou tradutor de língua estrangeira, necessitado por hotéis ou restaurantes que não estejam habituados a receber clientes de outras nacionalidades. Também a atividade empresarial de caráter transitório (alínea b, supra), como acontece com os parques temáticos que funcionam apenas nos períodos de férias, pode existir durante a Copa do Mundo, se a empresa, exemplificativamente, desloca-se de sua sede acompanhando grandes eventos que acontecem pelo país ou pelo mundo, contratando os trabalhadores para seu mister onde os eventos acontecem. Outra possibilidade é de a empresa ampliar, apenas durante a copa, os serviços que oferece, e, mais outra, é a de criação da empresa para funcionar exclusivamente durante o torneio maior de futebol. São assegurados ao trabalhador contratado por prazo determinado: - Salário mínimo legal ou piso salarial da categoria, conforme o cargo exercido, caso assegurado em convenção ou acordo coletivo de trabalho, assegurada a isonomia salarial; - Jornada de 8 horas, com pagamento das horas extras, não excedentes de duas por dia, com o acréscimo de 50% ou outro percentual mais elevado, se previsto em Convenção

2 Coletiva de Trabalho ou Acordo Coletivo de Trabalho (incisos XIII e XVI do artigo 7º da CF); - 13º salário proporcional (inciso VIII do artigo 7º da CF); - Férias proporcionais (inciso XVII do artigo 7º da CF); - Repouso semanal remunerado (inciso XV do artigo 7º da CF); - Adicional por trabalho noturno (inciso IX do artigo 7º da CF); - Seguro contra acidente do trabalho (inciso XXVIII do artigo da CF); - Proteção previdenciária - FGTS, garantido pela Lei 8036/90, com direito a saque do respectivo saldo depois de findo o contrato (inciso III do artigo 7º da CF) - Adicional por trabalho insalubre (inciso XXIII do artigo 7º da CF) - Adicional por trabalho em condições de periculosidade (inciso XXIII do artigo 7º da CF) - Licença à gestante (inciso XVIII, art. 7º, da CF); - Licença-paternidade (artigo 7º, Inciso XIX da CF) - Indenização pela rescisão antes do prazo fixado (artigo 480 da CLT) Como os contratos por prazo determinado já têm seu término previamente estipulado pelas partes, o trabalhador não tem direito a: -Aviso prévio -Multa de 40% do FGTS - Seguro-desemprego Proibições no trabalho por prazo determinado: - Prestação de trabalho noturno, perigoso ou insalubre por menores de 18 anos e de qualquer trabalho por menores de 16 anos (inciso XXXIII, art. 7º da Constituição Federal), além das outras, previstas na CLT e na Constituição Federal.

3 O Contrato O contrato de trabalho por prazo determinado, como exceção à regra, deve ser escrito, e não poderá ser estipulado por mais de dois anos (Artigo 445 da CLT). Se ele for prorrogado, tácita ou expressamente, por mais de uma vez, passará a vigorar sem determinação de prazo (Artigo 451 da CLT). Se um contrato de trabalho por prazo determinado for sucedido por outro, dentro do prazo de 6 meses, o último será considerado por prazo indeterminado, a não ser que o término do primeiro tenha dependido da execução de serviços especializados ou da realização de certos acontecimentos (artigo 452 da CLT). As partes podem convencionar que o tempo de afastamento em virtude do serviço militar ou de outro encargo público não seja computado no prazo do contrato de trabalho temporário para a respectiva terminação (artigo 472, parágrafo 2º da CLT). Se o empregador, sem justa causa, despede o empregado contratado por prazo determinado, será obrigado a pagar-lhe, a título de indenização, a metade da remuneração à qual teria direito da data da dispensa até o término regular do contrato. E o empregado não poderá desligar-se da empresa, sem justa causa, sob pena de ter de indenizar o empregador os prejuízos que o fato lhe causar. A indenização não poderá exceder àquela a que teria direito o empregado em idênticas condições (artigos 479 e 480 da CLT). Se o contrato contiver cláusula asseguratória do direito recíproco de rescisão antes de expirado o termo ajustado, aplicam-se, caso seja exercido tal direito por qualquer das partes, os princípios que regem a rescisão dos contratos por prazo indeterminado (artigo 481 da CLT). As causas para rescisão antecipada do contrato por parte do empregador são as do artigo 482 da CLT, e as motivadoras de rescisão por parte do trabalhador são as do artigo 483 da CLT.

DIREITO DO TRABALHO ATIVIDADE PENOSA (INSALUBRE OU PERIGOSA):

DIREITO DO TRABALHO ATIVIDADE PENOSA (INSALUBRE OU PERIGOSA): DIREITO DO TRABALHO ATIVIDADE PENOSA (INSALUBRE OU PERIGOSA): É aquela que causa ou provoca incômodo ou sacrifício. A princípio, toda e qualquer atividade industrial é insalubre e perigosa. Serão consideradas

Leia mais

Trabalhador Domestico

Trabalhador Domestico Trabalhador Domestico Trabalhador Domestico 3 Brasília/DF - 2013 Trabalhador Domestico Considera-se trabalhador doméstico aquele maior de 18 anos que presta serviços de natureza contínua (frequente,

Leia mais

Manual da Aprendizagem

Manual da Aprendizagem 1 Manual da Aprendizagem O que é preciso saber para contratar o aprendiz Edição revista e ampliada 2 Presidente da República Dilma Rousseff Ministro do Trabalho e Emprego Manoel Dias Secretário-Executivo

Leia mais

Ministério do Trabalho e Emprego

Ministério do Trabalho e Emprego Manual da Aprendizagem O que é preciso saber para contratar o aprendiz Edição revista e ampliada Presidente da República Dilma Rousseff Ministro do Trabalho e Emprego Carlos Lupi Secretário-Executivo Paulo

Leia mais

Elementos Básicos de DIREITO DO TRABALHO

Elementos Básicos de DIREITO DO TRABALHO Luiz A. A. Pierre Elementos Básicos de DIREITO DO TRABALHO (LEGISLAÇÃO SOCIAL) LIVRO ELETRÔNICO 1 Sumário (Conteúdo Programático) 1. Introdução... 03 2. Direito e Justiça...05 3. Breve Histórico...07 4.

Leia mais

REFLEXOS, REPERCUSSÕES, INCIDÊNCIAS E INTEGRAÇÕES NAS PARCELAS TRABALHISTAS PLEITEADAS NA PETIÇÃO INICIAL E DEFERIDAS NA SENTENÇA

REFLEXOS, REPERCUSSÕES, INCIDÊNCIAS E INTEGRAÇÕES NAS PARCELAS TRABALHISTAS PLEITEADAS NA PETIÇÃO INICIAL E DEFERIDAS NA SENTENÇA 101 REFLEXOS, REPERCUSSÕES, INCIDÊNCIAS E INTEGRAÇÕES NAS PARCELAS TRABALHISTAS PLEITEADAS NA PETIÇÃO INICIAL E DEFERIDAS NA SENTENÇA 1 INTRODUÇÃO Rodrigo Ribeiro Bueno* Os reflexos das parcelas trabalhistas

Leia mais

Manual de Direito do Trabalho Vicente Paulo e Marcelo Alexandrino 17.ª para 18.ª edição NOTA À 18.ª EDIÇÃO

Manual de Direito do Trabalho Vicente Paulo e Marcelo Alexandrino 17.ª para 18.ª edição NOTA À 18.ª EDIÇÃO NOTA À 18.ª EDIÇÃO Nesta edição, registramos as recentes alterações da jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho, veiculadas, especialmente, nas Resoluções TST 193, de 11 de dezembro de 2013, e 194,

Leia mais

Apresenta CLT - CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO. ÍNDICE TÍTULO I Introdução arts. 1 a 12 TÍTULO II Das Normas Gerais de Tutela arts.

Apresenta CLT - CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO. ÍNDICE TÍTULO I Introdução arts. 1 a 12 TÍTULO II Das Normas Gerais de Tutela arts. Apresenta CLT - CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO ÍNDICE TÍTULO I Introdução arts. 1 a 12 TÍTULO II Das Normas Gerais de Tutela arts. 13 a do Trabalho 223 TÍTULO III Das Normas Especiais de Tutela do Trabalho

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO ILMO.SR. Dr. Delegado Regional do Trabalho em Osasco O Sindicato dos Empregados nas Empresas de Refeições Coletivas, Refeições Convênio, Cozinhas Industriais, Restaurantes Industriais e Afins de Osasco,

Leia mais

O PEDIDO DE DEMISSÃO MOTIVADO POR NOVO EMPREGO EXCLUI A OBRIGATORIEDADE DE CUMPRIMENTO DE AVISO PRÉVIO

O PEDIDO DE DEMISSÃO MOTIVADO POR NOVO EMPREGO EXCLUI A OBRIGATORIEDADE DE CUMPRIMENTO DE AVISO PRÉVIO O PEDIDO DE DEMISSÃO MOTIVADO POR NOVO EMPREGO EXCLUI A OBRIGATORIEDADE DE CUMPRIMENTO DE AVISO PRÉVIO José Carlos Batista Auditor Fiscal do Trabalho da SRTE/ES Resumo: Quando um trabalhador é dispensado

Leia mais

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS 11. DIREITOS NA HORA DA DEMISSÃO É de fundamental importância saber quais os direitos dos trabalhadores na hora da rescisão do contrato de trabalho. Devese ter especial atenção no caso de demissões sem

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2006/2007

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2006/2007 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2006/2007 De um lado o SINDEPRESTEM - Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros, Colocação e Administração de Mão-de-Obra e de Trabalho Temporário no Estado

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA 2012/2013 CLÁUSULA PRIMEIRA - DATA BASE. Fica mantido como data-base o dia 1º (primeiro) de maio de cada ano.

CONVENÇÃO COLETIVA 2012/2013 CLÁUSULA PRIMEIRA - DATA BASE. Fica mantido como data-base o dia 1º (primeiro) de maio de cada ano. . DATA-BASE, VIGÊNCIA E ABRANGÊNCIA CONVENÇÃO COLETIVA 2012/2013 CLÁUSULA PRIMEIRA - DATA BASE Fica mantido como data-base o dia 1º (primeiro) de maio de cada ano. CLÁUSULA SEGUNDA - VIGÊNCIA As cláusulas

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 3326/91, DE 04-06-1991 SUMÁRIO

LEI MUNICIPAL Nº 3326/91, DE 04-06-1991 SUMÁRIO LEI MUNICIPAL Nº 3326/91, DE 04-06-1991 "Dispõe sobre o Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos Municipais e dá outras providências" SUMÁRIO TÍTULO I - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES...4 TÍTULO II - DO

Leia mais

CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO

CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO DECRETO-LEI N.º 5.452, DE 1º DE MAIO DE 1943 Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho. O Presidente da República, usando da atribuição que lhe confere o art. 180 da

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR062828/2013 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 14/10/2013 ÀS 10:19 SIND EMP DE EDIF SP ZEL PORT CAB VIG FAX SERV E OUTROS, CNPJ n. 43.070.481/0001-14,

Leia mais

Proteção ao Trabalhador Menor

Proteção ao Trabalhador Menor Proteção ao Trabalhador Menor O trabalhador menor ganhou proteção legal para o desempenho de suas atividades, razão que lhe assiste por se encontrar num processo de amadurecimento físico, mental, moral,

Leia mais

CONTRATO DE TRABALHO (SEM TERMO) MODELO

CONTRATO DE TRABALHO (SEM TERMO) MODELO CONTRATO DE TRABALHO (SEM TERMO) MODELO Observações: 1. O presente modelo de contrato de trabalho destina-se apenas aos contratos de trabalho sem termo, sendo permitido o acréscimo e a eliminação de cláusulas

Leia mais

educação infantil, ensino fundamental e médio, curso técnico e profissionalizante e pré-vestibular 2014/ 2015

educação infantil, ensino fundamental e médio, curso técnico e profissionalizante e pré-vestibular 2014/ 2015 C O N V E N Ç Ã O COL E T I V A D E T R A B A L H O D O S PR O F E S S O R E S educação infantil, ensino fundamental e médio, curso técnico e profissionalizante e pré-vestibular 2014/ 2015 Sindicato dos

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA 2014/2015 1/15 CONVENÇÃO COLETIVA 2014/2015 SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DE BELO HORIZONTE E REGIÃO METROPOLITANA, CNPJ n. 17.220.179/0001-95, neste ato representado por seu Presidente, Sr. JOSÉ CLOVES RODRIGUES

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 Pelo presente instrumento, de um lado, representando a categoria econômica, a FEDERAÇÃO NACIONAL DOS BANCOS - FENABAN o Sindicato dos Bancos nos Estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do

Leia mais

TRABALHO TEMPORÁRIO. Trabalho Temporário assenta numa relação triangular traduzida nos seguintes contratos:

TRABALHO TEMPORÁRIO. Trabalho Temporário assenta numa relação triangular traduzida nos seguintes contratos: TRABALHO TEMPORÁRIO O QUE DIZ A LEI OBSERVAÇÕES Trabalho Temporário assenta numa relação triangular traduzida nos seguintes contratos: Contrato de Trabalho Temporário Celebrados entre Ou uma empresa de

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Page 1 of 25 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP002654/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 13/03/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR005651/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46219.003582/2013-54

Leia mais

LEI Nº 9.615/98 ATUALIZADA ANOTAÇÕES Paulo M. Schmitt 1. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 9.615/98 ATUALIZADA ANOTAÇÕES Paulo M. Schmitt 1. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 9.615/98 ATUALIZADA ANOTAÇÕES Paulo M. Schmitt 1 LEI Nº 9.615, DE 24 DE MARÇO DE 1998. Institui normas gerais sobre desporto e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPOS DOS GOYTACAZES GABINETE DO PREFEITO SUMÁRIO POR ARTIGOS

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPOS DOS GOYTACAZES GABINETE DO PREFEITO SUMÁRIO POR ARTIGOS 1 SUMÁRIO POR ARTIGOS TÍTULO I CAPÍTULO ÚNICO DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 ao 5º Art. 1 ao 5 TÍTULO II CAPÍTULO I PROVIMENTO Art. 6º ao 31 PROVIMENTO VACÂNCIA SEÇÃO I SUBSTITUIÇÃO DISPOSIÇÕES GERAIS

Leia mais

SOBRE A LEI DO ESTÁGIO

SOBRE A LEI DO ESTÁGIO NOVA CARTILHA ESCLARECEDORA SOBRE A LEI DO ESTÁGIO Ministério do Trabalho e Emprego Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Trabalho e Emprego Carlos Lupi Secretário-Executivo André

Leia mais

LEGISLAÇÃO TRABALHISTA

LEGISLAÇÃO TRABALHISTA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA ADMISSÃO DE EMPREGADOS RAIS CAGED PIS/PASEP FGTS CONTRIBUIÇÃO SINDICAL VALE TRANSPORTE PRAZOS PARA PAGAMENTO DE SALÁRIO FÉRIAS DÉCIMO TERCEIRO SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DEMISSÃO

Leia mais

Página 1 de 8 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001874/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR045147/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.013753/2014-44 DATA

Leia mais

7 DA JUSTA CAUSA PARA A DESPEDIDA

7 DA JUSTA CAUSA PARA A DESPEDIDA 7 DA JUSTA CAUSA PARA A DESPEDIDA 7.1 APRESENTAÇÃO O término do contrato de trabalho pode se dar por ato unilateral de uma das partes, ou por ato bilateral, o que caracteriza o consentimento mútuo. Por

Leia mais

Resolução nº 1073, de 10 de outubro de 2001 Texto consolidado com todas as alterações posteriores RESOLUÇÃO Nº 1073, DE 10 DE OUTUBRO DE 2001.

Resolução nº 1073, de 10 de outubro de 2001 Texto consolidado com todas as alterações posteriores RESOLUÇÃO Nº 1073, DE 10 DE OUTUBRO DE 2001. Resolução nº 1073, de 10 de outubro de 2001 Texto consolidado com todas as alterações posteriores RESOLUÇÃO Nº 1073, DE 10 DE OUTUBRO DE 2001. REGULAMENTO ADMINISTRATIVO DA TÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais