INFORMATIVO AS ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A EMPREGADOS DOMÉSTICOS. Flavio Aldred Ramacciotti W W W. M F R A. C O M. B R

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INFORMATIVO AS ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A EMPREGADOS DOMÉSTICOS. Flavio Aldred Ramacciotti W W W. M F R A. C O M. B R"

Transcrição

1 INFORMATIVO AS ALTERAÇÕES NA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL A EMPREGADOS DOMÉSTICOS Flavio Aldred Ramacciotti W W W. M F R A. C O M. B R

2 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 OS NOVOS DIREITOS... 4 DIREITOS DE EFICÁCIA IMEDIATA... 5 Garantia de salário mínimo... 5 Pagamento do salário em dia... 5 Jornada de trabalho e horas extras... 5 Normas de saúde, higiene e segurança... 8 Convenções e acordos coletivos de trabalho... 9 Proibição de discriminação... 9 Empregados domésticos menores de 18 anos DIREITOS QUE DEPENDERÃO DE REGULAMENTAÇÃO FGTS e seguro-desemprego Trabalho noturno Salário-família Assistência a filhos e dependentes Acidentes de trabalho CONCLUSÃO: COMO SE COMPORTAR

3 INTRODUÇÃO A notícia da ampliação dos direitos dos empregados domésticos tem recebido grande repercussão por conta da aprovação do Projeto de Emenda Constitucional (PEC) nº 66/2009. O Projeto de Emenda Constitucional deu origem à Emenda Constitucional (EC) nº 72, que foi promulgada no último dia 2 de abril e publicada ontem no Diário Oficial da União. A nosso ver, a pior face da nova legislação foi o acirramento de uma relação que deve se basear principalmente na mútua confiança e na cumplicidade. Não há lados antagônicos na relação entre o empregador e o empregado doméstico e, na prática, o dia a dia da relação sofrerá poucos sobressaltos, com aumento do custo menor do que muitos imaginam. Assim, a primeira coisa que o empregador deve fazer é ter uma conversa franca com o seu empregado doméstico, explicando os novos direitos e as novas obrigações, tentando, assim, amainar todos os ânimos. Mais formalismo na relação é recomendável, mas não obrigatório. Seria interessante, portanto, que a partir de agora fossem feitos contratos escritos de trabalho, recibos relativos a todos os pagamentos efetuados, acordos para compensação de jornada, etc. 3

4 OS NOVOS DIREITOS A Emenda Constitucional aprovada na semana passada apenas acresceu alguns direitos que, antes, somente eram devidos aos empregados das empresas (regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho CLT). O artigo 7º da Constituição Federal prevê uma série de direitos aos empregados das empresas (regidos pela CLT), os quais estão listados ao longo dos trinta e seis incisos desse artigo. Os direitos dos empregados domésticos estavam determinados no parágrafo único desse mesmo artigo 7º, elencando, dentre os direitos do empregado (regido pela CLT), aqueles que seriam aplicáveis para os domésticos. A alteração constitucional, portanto, somente acresceu alguns direitos anteriormente não previstos. A redação era a seguinte: Parágrafo único. São assegurados à categoria dos trabalhadores domésticos os direitos previstos nos incisos IV, VI, VIII, XV, XVII, XVIII, XIX, XXI e XXIV, bem como a sua integração à previdência social. A partir da publicação da emenda constitucional, os direitos que serão agora reconhecidos para os domésticos passarão a ser os seguintes: Parágrafo único. São assegurados à categoria dos trabalhadores domésticos os direitos previstos nos incisos IV, VI, VII, VIII, X, XIII, XV, XVI, XVII, XIX, XXI, XXII, XXIV, XXVI, XXX, XXXI e XXXIII e, atendidas as condições estabelecidas em lei e observada a simplificação do cumprimento das obrigações tributárias, principais e acessórias, decorrentes da relação de trabalho e suas peculiaridades, os previstos nos incisos I, II, III, IX, XII, XVIII, XXV e XXVIII, bem como a sua integração à previdência social. (em destaque os direitos acrescidos) 4

5 DIREITOS DE EFICÁCIA IMEDIATA GARANTIA DE SALÁRIO MÍNIMO VII garantia de salário, nunca inferior ao mínimo, para os que percebem remuneração variável Comentário: Na prática, esse novo direito não deve causar grandes transtornos, pois, nas grandes cidades é comum o pagamento de, pelo menos, um salário mínimo para o empregado doméstico. Como agir: Se o empregador pagar menos do que o salário mínimo, terá que aumentar o valor do salário do empregado. Será uma boa oportunidade para negociar com o empregado doméstico para que ele trabalhe 44 horas semanais. Também é possível pagar menos que o salário mínimo, se a jornada semanal for inferior a 44 horas semanais, mas é fundamental que essa condição conste expressamente em contrato de trabalho. PAGAMENTO DO SALÁRIO EM DIA X proteção do salário na forma da lei, constituindo crime sua retenção dolosa Comentário: Em tese, o empregador que fizer retenção dolosa do salário do empregado doméstico poderá ser processado criminalmente. Infelizmente, como a relação com o empregado doméstico é muito pessoal e personalizada ocorrem casos de significativos atrasos no pagamento de salários, o que não se justifica. Como agir: pagar o salário do empregado doméstico em dia. JORNADA DE TRABALHO E HORAS EXTRAS XIII duração do trabalho normal não superior a oito horas diárias e quarenta e quatro semanais, facultada a compensação de horários e a redução da jornada, mediante acordo ou convenção coletiva de trabalho 5

6 XVI remuneração do serviço extraordinário superior, no mínimo, em cinqüenta por cento à do normal Comentário: Talvez esse seja o direito que trará maior controvérsia e preocupação. O empregado doméstico deverá trabalhar 44 horas durante a semana. Ele tem assegurado um descanso semanal remunerado, portanto, essas 44 horas devem ser distribuídas ao longo de seis dias de trabalho. Isso daria uma jornada diária de 7 horas e 20 minutos. Todavia, a distribuição do horário nos dias da semana, normalmente, ocorre da seguinte forma: de 2ª a 6ª, por oito horas diárias e aos sábados, por 04 horas diárias, totalizando a jornada semanal de 44 horas. É possível fazer um acordo (necessariamente escrito e chamado acordo de compensação ) com o empregado doméstico, para que as 04 horas de trabalho do sábado sejam distribuídas ao longo dos dias da semana, de forma que o empregado trabalhará mais do que 08h de 2ª a 6ª e não trabalhará aos sábados. Vale lembrar, ainda, que o intervalo para refeição (mínimo de 1h e máximo de 2h) não é considerado nessa jornada de trabalho. Assim, exemplificativamente, é possível estipular as seguintes jornadas de trabalho: 6

7 Também é possível se determinar que em determinado dia da semana o trabalho se inicie às 08h e em outro dia comece mais tarde ou mais cedo, mas sendo importante ajustar o horário do término da jornada. O mesmo se aplica ao intervalo que pode ser de até 2h. Atenção: Se a jornada de trabalho for de até 06 horas diárias, o intervalo para refeição e descanso poderá ser de 15 minutos. a. Como fazer o controle dessa jornada: Apesar de não haver obrigação legal do empregador com menos de 10 empregados manter qualquer tipo de controle formal de jornada de trabalho (CLT, artigo 74, 2º), por conta de todos os questionamentos que estão sendo feitos, a melhor postura seria ter anotações da jornada. Este controle pode ser feito sem grandes formalidades, sendo, porém, muito importante a correta anotação do início do trabalho, o tempo de intervalo e o término do trabalho. O mais prático seria comprar os cartões de ponto que são vendidos em papelarias, os quais já possuem os espaços para anotação de cada horário. Esta anotação não pode conter rasuras e deve refletir a realidade, ou seja, se o doméstico começou a trabalhar às 08:27h, é esse o horário que deve ser anotado e não 08:30h. b. Como apurar as horas extras? Em primeiro lugar, deve-se estabelecer como será a jornada de trabalho do empregado doméstico, observados os limites de 44 horas semanais ou 08 horas diárias para a semana e 04 horas para os sábados, e a possibilidade de estender essas 08 horas mediante o acordo de compensação. A partir dessa jornada, deve-se verificar, dia a dia, se o empregado extrapolou a jornada de trabalho diária. Se positivo, o que excedeu deve ser pago como hora extra. Para efetuar o cálculo dessa hora extra, inicialmente, deve-se apurar o valor do salário-hora do doméstico, o que é feito dividindo-se o salário mensal por 220 (para os empregados cuja jornada semanal seja de 44 horas). Obtido o valor do salário-hora, temos que acrescer 50% desse valor e, após, multiplicar pelo número de horas extras mensais. 7

8 Exemplo: Para um empregado que tem salário de R$1.500,00 mensais e realizou 10 horas extras no mês, a conta ficará a seguinte: 1.500, = R$6,82 este é o valor do salário-hora 6, % = R$10,23 este é o valor do salário-hora já com o adicional de hora-extra de 50%, ou o valor de 01 hora extra 10,23 x 10 = R$102,30 este é o valor das 10 horas extras c. É possível descontar valores com faltas e atrasos? Sim, é possível para as faltas injustificadas. Se o empregado apresentar atestado médico dispensando-o do trabalho, o empregador é obrigado a aceitar o atestado e não pode fazer qualquer desconto. No caso de faltas, o empregador deve escrever no cartão de ponto falta justificada ou falta. Se a falta for justificada, não haverá desconto, enquanto que, no segundo caso, a falta injustificada poderá ser descontada do salário mensal. Também é possível desconto com relação aos atrasos, o que será observado no próprio cartão de ponto. É importante explicar para o empregado doméstico que faltas e atrasos não justificados podem ensejar o desconto do valor do descanso semanal remunerado (DSR). Isso quer dizer o seguinte: o salário pago de forma mensal já inclui além dos dias efetivamente trabalhados, os dias de descanso (o chamado descanso semanal remunerado). Nos termos do artigo 6º da Lei nº 605/49, não é devida a remuneração do DSR se o empregado não cumprir integralmente a sua jornada ao longo da semana. Para fazer este desconto, todavia, é imprescindível a existência e anotação do cartão de ponto. NORMAS DE SAÚDE, HIGIENE E SEGURANÇA XXII redução dos riscos inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, higiene e segurança 8

9 Comentário: Esta questão precisará de melhores explicações ou alguma lei para regulamentá-la. Existem várias obrigações, procedimentos e documentos que uma empresa precisa adotar com relação à saúde e à segurança de seus empregados, mas não parece razoável se exigir isso tudo do empregador doméstico. Como agir: aguardar futura regulamentação ou explicação do Poder Público quanto a esse direito. CONVENÇÕES E ACORDOS COLETIVOS DE TRABALHO XXVI reconhecimento das convenções e acordos coletivos de trabalho; Comentário: Na prática, haverá o reconhecimento dos sindicatos de empregados domésticos e dos sindicatos dos empregadores domésticos, que serão os personagens que elaborarão as convenções coletivas. Também existirá a possibilidade do empregador negociar com o sindicato dos empregados domésticos algumas condições específicas de trabalho, como por exemplo, a criação de banco de horas. Como agir: aguardar futura regulamentação ou explicação do Poder Público quanto a esse direito. PROIBIÇÃO DE DISCRIMINAÇÃO XXX proibição de diferença de salários, de exercício de funções e de critério de admissão por motivo de sexo, idade, cor ou estado civil; XXXI proibição de qualquer discriminação no tocante a salário e critérios de admissão do trabalhador portador de deficiência; Comentário: Esses incisos vedam qualquer discriminação quanto à contratação, ao serviço e o pagamento de salários para o empregado doméstico, por motivo de sexo, idade, cor, estado civil ou se o doméstico é portador de alguma deficiência. Como agir: não discriminar. 9

10 EMPREGADOS DOMÉSTICOS MENORES DE 18 ANOS XXXIII proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de dezoito e de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos, salvo na condição de aprendiz, a partir de quatorze anos; Comentário: Este inciso proíbe a contratação de qualquer empregado doméstico menor de 14 anos. Como não entendemos possível a contratação de aprendizes pelo empregador doméstico, exceto se forem criados cursos técnicos para empregados domésticos, a rigor, o inciso acabará proibindo a contratação de domésticos menores de 16 anos. Como agir: Contratar domésticos maiores de 18 anos ou, se contratar menor entre 16 e 18 anos, não permitir o trabalho após às 22h. 10

11 DIREITOS QUE DEPENDERÃO DE REGULAMENTAÇÃO FGTS E SEGURO-DESEMPREGO I relação de emprego protegida contra despedida arbitrária ou sem justa causa, nos termos de lei complementar, que preverá indenização compensatória, dentre outros direitos; II seguro desemprego, em caso de desemprego involuntário; III fundo de garantia do tempo de serviço; Comentário: Estes três incisos devem ser entendidos em conjunto. Na prática, assim que for publicada regulamentação sobre a matéria, o recolhimento do FGTS será obrigatório pelo empregador e, em caso de demissão sem justa causa do empregado doméstico, o empregador terá que pagar uma multa no valor de 40% sobre o saldo da conta do FGTS do empregado doméstico. Com o recolhimento mensal do FGTS, o empregado doméstico fará jus ao seguro desemprego, o qual será pago pelo Governo Federal, não importando, assim, o seguro desemprego em aumento de custo ao empregador. O FGTS, sim, importará em um acréscimo no custo do empregador e será calculado em 8% sobre o valor do salário, das horas extras, do 13º salário e das férias gozadas pelos domésticos (valor das férias + 1/3). Deverá ser recolhido mensalmente e, não poderá haver desconto algum do doméstico. Estes recolhimentos ainda serão objeto de regulamentação pelo Poder Público. Como agir: Aguardar futura regulamentação pelo Poder Público. TRABALHO NOTURNO IX remuneração do trabalho noturno superior à do diurno Comentário: Se o trabalho do doméstico ocorrer após às 22h, o valor da hora será maior do que o valor da hora durante o dia de trabalho normal. É nessa situação que 11

12 se encaixarão os empregados domésticos que dormem na residência do empregador (empregadas, babás, acompanhantes, etc.). Em princípio, o trabalho a ser executado também não poderá extrapolar o limite de 44 horas semanais e 08 diárias para 05 dias e 04 horas para os sábados, conforme acima já explicado. Se extrapolar, será devido o pagamento das horas extras. Digo em princípio, pois provavelmente haverá alguma regulamentação do Poder Público sobre este assunto. Como agir: Aguardar futura regulamentação pelo Poder Público. SALÁRIO-FAMÍLIA XII salário-família pago em razão do dependente do trabalhador de baixa renda nos termos da lei; Comentário: O empregado doméstico cujo salário seja de até R$971,78 e tenha filhos de até 14 anos ou algum filho inválido (de qualquer idade) terá direito a receber este benefício, a ser pago pelo empregador. O valor deste benefício, por filho, é atualizado anualmente e em 2013 é de R$31,22 para quem tem salário de até R$608,80 e de R$22,00 para quem tem salário entre R$608, 81 e R$971,78. Como agir: aguardar futura regulamentação pelo Poder Público. ASSISTÊNCIA A FILHOS E DEPENDENTES XXV assistência gratuita aos filhos e dependentes desde o nascimento até 5 (cinco) anos de idade em creches e pré-escolas; Comentário: Em tese, os empregados domésticos que têm filhos de até 05 anos receberão um valor para o custeio das despesas com creche e pré-escola. Como agir: aguardar futura regulamentação pelo Poder Público. 12

13 ACIDENTES DE TRABALHO XXVIII seguro contra acidentes de trabalho, a cargo do empregador, sem excluir a indenização a que este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa; Comentário: Este inciso poderá acarretar duas consequências: (a) dependendo da regulamentação, o empregador poderá que ter que recolher 1% a mais da sua contribuição previdenciária, a título de seguro de acidentes de trabalho (SAT); e (b) se o empregado doméstico sofrer algum acidente de trabalho, o empregador poderá ter que indenizá-lo se ficar provado que incorreu em culpa ou dolo. Como agir: Aguardar futura regulamentação pelo Poder Público. 13

14 CONCLUSÃO: COMO SE COMPORTAR Possivelmente outra grande dúvida prende-se ao que fazer nesse momento em que as alterações começarão a vigorar. Em primeiro lugar, é preciso ter bom senso, como em qualquer relação. Apesar de ter sido gerado um clima de animosidade entre o empregador e o empregado doméstico, este clima não deve prevalecer e todas essas questões devem ser bem conversadas e explicadas. É aconselhável colocar por escrito quais são as condições de trabalho que o empregado doméstico vem desenvolvendo ao longo da relação e adequá-las, se for necessário. Para os empregados domésticos que já trabalham, é desaconselhável alterar as condições do trabalho, como por exemplo, se o doméstico vem trabalhando normalmente por 07 horas diárias, não é por conta dos novos direitos que se poderá exigir trabalho por 08 horas sem alteração do salário. Para os domésticos que serão contratados após a publicação da Emenda Constitucional, é aconselhável decidir e estipular, desde o início, a jornada de trabalho de 44 horas semanais. Em resumo: 1. Assinar a carteira de trabalho e anotar as alterações de salário e períodos de férias; 2. Fazer contrato de trabalho com o empregado doméstico; 3. Fazer recibos de todos os pagamentos efetuados; 4. Comprar cartões de ponto vendidos em papelaria e que serão preenchidos à mão pela empregada, de acordo com os horários efetivamente trabalhados; 5. Caso não pretenda que o trabalho seja feito em sábados, elaborar acordo escrito para que o horário dos sábados seja distribuído (e acrescido) ao trabalho ao longo da semana; e 6. Sempre, sempre mesmo, conversar com o empregado para esclarecer estas questões e resolver os pequenos mal entendidos que poderão surgir. 14

15 RIO DE JANEIRO SÃO PAULO Avenida Almirante Barroso 52-5º Andar Alameda Santos, º, 11º e 12º andares Centro - Rio de Janeiro - RJ CEP: Cerqueira César - São Paulo - SP CEP: Tel.: +55 (21) Tel.: +55 (11) Fax: +55 (21) Fax: +55 (11) W W W. M F R A. C O M. B R 15

AS MUDANÇAS NO ESTATUTO JURÍDICO DOS DOMÉSTICOS EC 72/13 Gáudio R. de Paula e José Gervásio Meireles

AS MUDANÇAS NO ESTATUTO JURÍDICO DOS DOMÉSTICOS EC 72/13 Gáudio R. de Paula e José Gervásio Meireles AS MUDANÇAS NO ESTATUTO JURÍDICO DOS DOMÉSTICOS EC 72/13 Gáudio R. de Paula e José Gervásio Meireles A aprovação do projeto de Emenda Constitucional 66/2012, e a subsequente edição da EC 72/13, relativo

Leia mais

Trabalho Doméstico: as mudanças e os impactos da nova lei. Zilma Aparecida da Silva Ribeiro Abril de 2013

Trabalho Doméstico: as mudanças e os impactos da nova lei. Zilma Aparecida da Silva Ribeiro Abril de 2013 Trabalho Doméstico: as mudanças e os impactos da nova lei Zilma Aparecida da Silva Ribeiro Abril de 2013 Legislação Aplicável * LEI Nº 5.859, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1972 * CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 7º, PARÁGRAFO

Leia mais

Direito Constitucional. Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda

Direito Constitucional. Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda Direito Constitucional Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda Direitos fundamentais de segunda geração Surgimento: necessidade de intervenção estatal em

Leia mais

RELAÇÃO DE EMPREGO DOMÉSTICO

RELAÇÃO DE EMPREGO DOMÉSTICO RELAÇÃO DE EMPREGO DOMÉSTICO FELIPE VASCONCELLOS CAVALCANTE Universidade Federal de Goiás UFG Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional e Recursos Humanos Departamento de Desenvolvimento de Recursos

Leia mais

CARTILHA SOBRE A EMENDA CONSTITUCIONAL DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

CARTILHA SOBRE A EMENDA CONSTITUCIONAL DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS 2 de abril de 2013 CARTILHA SOBRE A EMENDA CONSTITUCIONAL DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Hoje foi promulgada uma Emenda Constitucional que amplia os direitos trabalhistas dos empregados domésticos. Alguns direitos

Leia mais

Trabalhador Domestico

Trabalhador Domestico Trabalhador Domestico Trabalhador Domestico 3 Brasília/DF - 2013 Trabalhador Domestico Considera-se trabalhador doméstico aquele maior de 18 anos que presta serviços de natureza contínua (frequente,

Leia mais

O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS

O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS O IMPACTO NA CONTABILIZAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS COM A ALTERAÇÃO DOS SEUS DIREITOS PELA PEC DAS DOMÉSTICAS Linha de pesquisa: Gestão Empresarial João Paulo dos Santos Ribeiro

Leia mais

CARTILHA TRABALHADOR DOMÉSTICO. Perguntas e Respostas TRABALHADOR DOMÉSTICO. 1 - Quem pode ser considerado trabalhador doméstico?

CARTILHA TRABALHADOR DOMÉSTICO. Perguntas e Respostas TRABALHADOR DOMÉSTICO. 1 - Quem pode ser considerado trabalhador doméstico? FICHA CATALOGRÁFICA CARTILHA TRABALHADOR DOMÉSTICO - Considera-se trabalhador doméstico aquele maior de 18 anos que presta serviços de natureza contínua (frequente, constante) e de finalidade não-lucrativa

Leia mais

DOS DIREITOS DOS TRABALHADORES URBANOS E RURAIS. art. 7º da Constituição Federal

DOS DIREITOS DOS TRABALHADORES URBANOS E RURAIS. art. 7º da Constituição Federal DOS DIREITOS DOS TRABALHADORES URBANOS E RURAIS art. 7º da Constituição Federal ASPECTOS GERAIS 1) Os direitos trabalhistas previstos no art. 7º da CF, abrangem os trabalhadores urbanos e rurais; 2) A

Leia mais

Departamento pessoal do Empregador doméstico PEC 66/2012 EC 72 /2013

Departamento pessoal do Empregador doméstico PEC 66/2012 EC 72 /2013 Departamento pessoal do Empregador doméstico PEC 66/2012 EC 72 /2013 A PEC n 66 de 2012 Veio com O OBJETIVO de alterar a redação do parágrafo único do art. 7º da Constituição Federal para estabelecer a

Leia mais

2 - Quais são os direitos que entraram em vigor imediatamente após a publicação da Emenda Constitucional n.º 72, de 2013?

2 - Quais são os direitos que entraram em vigor imediatamente após a publicação da Emenda Constitucional n.º 72, de 2013? TRABALHADOR DOMÉSTICO 1 - Quem pode ser considerado trabalhador doméstico? Resposta: É considerado trabalhador doméstico aquele que presta serviços de natureza contínua e de finalidade não lucrativa à

Leia mais

PONTO CERTO OAB por ISADORA ATHAYDE E THIAGO ATHAYDE

PONTO CERTO OAB por ISADORA ATHAYDE E THIAGO ATHAYDE PONTO CERTO OAB por ISADORA ATHAYDE E THIAGO ATHAYDE O nosso item do edital de hoje será: EMPREGADO DOMÉSTICO Algo que devemos atentar de início é ao fato de não aplicarmos a CLT ao empregado doméstico,

Leia mais

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo).

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo). 02/06/2015 07h40 - Atualizado em 02/06/2015 13h01 Regulamentação dos direitos das domésticas é publicada Trabalhadoras terão adicional noturno, seguro-desemprego e mais 5 direitos. Emenda constitucional

Leia mais

TRABALHADORES DOMÉSTICOS

TRABALHADORES DOMÉSTICOS Trabalho realizado pela advogada dra. Marília Nascimento Minicucci, do escritório do conselheiro prof. Cássio de Mesquita Barros Júnior TRABALHADORES DOMÉSTICOS Foi publicado, no Diário Oficial da União

Leia mais

EMPREGADO DOMÉSTICO INOVAÇÕES LEGISLATIVAS DA LEI COMPLEMENTAR 150 CAPÍTULO I PRINCIPAIS EVOLUÇÕES LEGISLATIVAS A categoria dos empregados domésticos tem como principais regulamentações legislativas, por

Leia mais

Direitos do Empregado Doméstico

Direitos do Empregado Doméstico Direitos do Empregado Doméstico Com a aprovação da Emenda Constitucional n 72, que ocorreu em 02/04/2013, o empregado doméstico passou a ter novos direitos. Alguns deles independem de regulamentação e,

Leia mais

Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original)

Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original) Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original) Proposição Originária: PEC 478/2010 PODER LEGISLATIVO Título EMC 72 de 02/04/2013 - EMENDA CONSTITUCIONAL Data 02/04/2013 Ementa

Leia mais

Empregados domésticos. Mudanças decorrentes da Emenda Constitucional nº 72.

Empregados domésticos. Mudanças decorrentes da Emenda Constitucional nº 72. Empregados domésticos. Mudanças decorrentes da Emenda Constitucional nº 72. Empregado doméstico, como bem conceitua Volia Bomfim Cassar, 1 é toda pessoa física que trabalha de forma pessoal, subordinada,

Leia mais

DIREITOS DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS

DIREITOS DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DIREITOS DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS SAIBA QUEM SÃO OS TRABALHADORES BENEFICIADOS COM A APROVAÇÃO DA CHAMADA PEC DAS DOMÉSTICAS Todos os trabalhadores contratados para trabalhar para uma pessoa física

Leia mais

A seguir apresentamos:

A seguir apresentamos: O Senado Federal aprovou em 26/03, em segundo turno, por unanimidade, a Proposta de Emenda à Constituição n 478/2010 (PEC das Domésticas). A promulgação ocorreu pelo Congresso Nacional nesta terça feira

Leia mais

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Digite o título aqui INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Lei Complementar nº 150, de 1º de junho de 2015 -

Leia mais

TÓPICOS ABORDADOS. Departamento Jurídico

TÓPICOS ABORDADOS. Departamento Jurídico TÓPICOS ABORDADOS 1) JORNADA DE TRABALHO 2) HORAS NOTURNAS E ADICIONAL 3) TREINAMENTO PARA USO DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS 4) CARTÃO DE PONTO 5) REFEIÇÃO 1. JORNADA DE TRABALHO A) LIMITE DIÁRIO E SEMANAL

Leia mais

ORIGEM: Consultoria Legislativa TIPO DE TRABALHO: INFORMAÇÃO FIQUE POR DENTRO ASSUNTO: Trabalho Doméstico

ORIGEM: Consultoria Legislativa TIPO DE TRABALHO: INFORMAÇÃO FIQUE POR DENTRO ASSUNTO: Trabalho Doméstico DIRETORIA LEGISLATIVA CONSULTORIA LEGISLATIVA ORIGEM: Consultoria Legislativa TIPO DE TRABALHO: INFORMAÇÃO FIQUE POR DENTRO ASSUNTO: Trabalho Doméstico CONSULTORA: Beatriz Rezende Marques Costa DATA: abril

Leia mais

NOVA LEI DAS DOMESTICAS

NOVA LEI DAS DOMESTICAS NOVA LEI DAS DOMESTICAS DEVERES DAS DOMÉSTICAS Se a doméstica trabalhar menos que o contrato, posso descontar do salário? O desconto é linear? Independentemente de trabalhar menos, ela recebe o mesmo valor

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DE DIREITO CONSTITUCIONAL EMENDA CONSTITUCIONAL N. 72/2013 DOS DIREITOS SOCIAIS 1. INTRODUÇÃO 2. ENUMERAÇÃO DOS DIREITOS SOCIAIS

ATUALIZAÇÃO DE DIREITO CONSTITUCIONAL EMENDA CONSTITUCIONAL N. 72/2013 DOS DIREITOS SOCIAIS 1. INTRODUÇÃO 2. ENUMERAÇÃO DOS DIREITOS SOCIAIS Atualização - 1 ATUALIZAÇÃO DE DIREITO CONSTITUCIONAL EMENDA CONSTITUCIONAL N. 72/2013 DOS DIREITOS SOCIAIS 1. INTRODUÇÃO Os direitos sociais são direitos coletivos, passíveis de supressão ou alteração

Leia mais

Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB

Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB AULA 10: Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB Amparo legal: art. 7º, II da CRFB. * urbanos e rurais: Lei nº 7.998/90, Lei nº 8.900/94 e Resolução do CODEFAT 467/05. * domésticos: artigo 6º-A da Lei

Leia mais

Professor André Vieira. Direitos Sociais. Curso de Oficial de Justiça de 1º Instância 1

Professor André Vieira. Direitos Sociais. Curso de Oficial de Justiça de 1º Instância 1 Direitos Sociais 01. NÃO é considerado um direito social, expressamente previsto na Constituição Federal Brasileira de 1988, a: a) Segurança; b) Educação; c) Livre concorrência; d) Saúde. 02. Os que percebem

Leia mais

Relações do Direito do Trabalho com outros Ramos do Direito. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Relações do Direito do Trabalho com outros Ramos do Direito. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Relações do Direito do Trabalho com outros Ramos do Direito Introdução Para fins didáticos o estudo do Direito deve ser feito de forma fragmentada, pois tal separação não existe. "O Direito é único e não

Leia mais

Os novos direitos dos empregados domésticos: análise da Emenda Constitucional n o 72/2013

Os novos direitos dos empregados domésticos: análise da Emenda Constitucional n o 72/2013 Os novos direitos dos empregados domésticos: análise da Emenda Constitucional n o 72/2013 SériE Atualização Legislativa Os novos direitos dos empregados domésticos: análise da Emenda Constitucional n

Leia mais

Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico.

Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico. RESUMO INFORMATIVO SOBRE TRABALHO DOMÉSTICO Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico. Lei Complementar n. 150/2015 Jul 2015 Este resumo informativo

Leia mais

GUIA INFORMATIVO PEC DAS DOMÉSTICAS. Emenda Constitucional nº 72, de 2 de abril de 2013.

GUIA INFORMATIVO PEC DAS DOMÉSTICAS. Emenda Constitucional nº 72, de 2 de abril de 2013. 1 GUIA INFORMATIVO PEC DAS DOMÉSTICAS Emenda Constitucional nº 72, de 2 de abril de 2013. Altera a redação do parágrafo único do art. 7º da Constituição Federal para estabelecer a igualdade de direitos

Leia mais

Empregados Domésticos

Empregados Domésticos Empregados Domésticos O que está valendo hoje? Dos direitos em vigor, destacamos: Salário mínimo: O salário mínimo nacional atual é de R$ 678,00. Há Estados em que existem leis estaduais garantindo um

Leia mais

GUIA INFORMATIVO PEC DAS DOMÉSTICAS. Emenda Constitucional nº 72, de 2 de abril de 2013.

GUIA INFORMATIVO PEC DAS DOMÉSTICAS. Emenda Constitucional nº 72, de 2 de abril de 2013. 1 GUIA INFORMATIVO PEC DAS DOMÉSTICAS Emenda Constitucional nº 72, de 2 de abril de 2013. Altera a redação do parágrafo único do art. 7º da Constituição Federal para estabelecer a igualdade de direitos

Leia mais

Questões fundamentadas Art. 6º ao 11 da CF

Questões fundamentadas Art. 6º ao 11 da CF 1 Para adquirir a apostila de 200 Questões Fundamentadas Dos Direitos Sociais Art. 6º a 11 da CF acesse o site: www.odiferencialconcursos.com.br ESSA APOSTILA SERÁ ATUALIZADA ATÉ A DATA DO ENVIO. S U M

Leia mais

Folha responde a 70 dúvidas de leitores sobre a PEC das domésticas

Folha responde a 70 dúvidas de leitores sobre a PEC das domésticas Folha responde a 70 dúvidas de leitores sobre a PEC das domésticas Os trabalhadores domésticos vão ganhar mais direitos com a promulgação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que garante a eles o

Leia mais

CÁLCULOS TRABALHISTAS

CÁLCULOS TRABALHISTAS CÁLCULOS TRABALHISTAS Remuneração - Salário acrescido da média das variáveis (exemplo: comissões) dos últimos 12 meses. - Média: soma das 6 maiores parcelas variáveis mês a mês, divididas por 6, dentro

Leia mais

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO A NOVA REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO Sara Costa Benevides 1 Advogada Sócia de Homero Costa Advogados Lorena Efigênia da Cruz Silva Estagiária de Homero Costa Advogados INTRODUÇÃO No Diário Oficial

Leia mais

Cartilha Mentorear. PEC Proposta de Emenda à Constituição

Cartilha Mentorear. PEC Proposta de Emenda à Constituição Cartilha Mentorear Empregada Doméstica e Categorias Associadas na Nova Lei conhecida como PEC das Domésticas PEC Proposta de Emenda à Constituição PEC 478/2010 na Câmara dos Deputados Federais PEC 66/2012

Leia mais

DIREITO DO TRABALHO. O Art. 8º da CLT autoriza expressamente a aplicação dos princípios: 1.3. Presentação da condição mais benéfica: Súmula 51 TST

DIREITO DO TRABALHO. O Art. 8º da CLT autoriza expressamente a aplicação dos princípios: 1.3. Presentação da condição mais benéfica: Súmula 51 TST 1 DIREITO DO TRABALHO PONTO 1: Princípios de Direito do Trabalho PONTO 2: Relação de Emprego e Relação de Trabalho PONTO 3: Litisconsórcio passivo facultativo 1. PRINCÍPIOS DE 1. Proteção: Esse princípio

Leia mais

OAB 1ª FASE- EXTENSIVO VESPERTINO Disciplina: Direito do Trabalho Prof. Leone Pereira Data: 08.09.2009 Aula nº 02

OAB 1ª FASE- EXTENSIVO VESPERTINO Disciplina: Direito do Trabalho Prof. Leone Pereira Data: 08.09.2009 Aula nº 02 OAB 1ª FASE- EXTENSIVO VESPERTINO Disciplina: Direito do Trabalho Prof. Leone Pereira Data: 08.09.2009 Aula nº 02 TEMAS TRATADOS EM AULA 1. JORNADA DE TRABALHO (art. 4º, CLT) O instituto tem origem na

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG002058/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 15/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR018377/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.004510/2012-13 DATA DO

Leia mais

HORAS EXTRAS E SEUS REFLEXOS TRABALHISTAS

HORAS EXTRAS E SEUS REFLEXOS TRABALHISTAS CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE ASSUNTOÁBEIS DE PORTO ALEERIO PALESTRA HORAS

Leia mais

15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA

15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA 15 - BASES DE INCIDÊNCIA E NÃO INCIDÊNCIA 15.1 - Integram a remuneração para fins de cálculos dos valores devidos à Previdência Social e a serem recolhidos para o FGTS, dentre outras, as seguintes parcelas:

Leia mais

Proteção ao Trabalhador Menor

Proteção ao Trabalhador Menor Proteção ao Trabalhador Menor O trabalhador menor ganhou proteção legal para o desempenho de suas atividades, razão que lhe assiste por se encontrar num processo de amadurecimento físico, mental, moral,

Leia mais

SEESS - SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE DE CONTAGEM, BETIM E REGIÃO. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015

SEESS - SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE DE CONTAGEM, BETIM E REGIÃO. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 SEESS - SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE DE CONTAGEM, BETIM E REGIÃO. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 Entre o SEES - SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Adicional de Periculosidade sobre horas extras e férias

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Adicional de Periculosidade sobre horas extras e férias Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Adicional de Periculosidade sobre horas extras e férias 21/02/2014 Título do documento Sumário 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise

Leia mais

http://www.lgncontabil.com.br/

http://www.lgncontabil.com.br/ 1. INTRODUÇÃO ADMISSÃO DE EMPREGADOS PROCEDIMENTOS Para cada admissão a empresa deve observar, além dos itens descritos nesta matéria, as normas relativas à Segurança do Trabalho, conforme Portaria MTb

Leia mais

Principais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho

Principais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho SINPEFESP-(empregados)-SINDELIVRE-(patronal) Principais cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho 2014/2015. VIGÊNCIA E DATA-BASE As cláusulas e condições da presente Convenção Coletiva de Trabalho que

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 1/5 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO O SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ENTIDADES CULTURAIS, RECREATIVAS, DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, DE ORIENTAÇÃO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, NO ESTADO DO PARANÁ SENALBA/PR, CNPJ 75.992.446/0001-49,

Leia mais

Contratos de trabalho por tempo determinado, previstos na CLT

Contratos de trabalho por tempo determinado, previstos na CLT Contratos de trabalho por tempo determinado, previstos na CLT O contrato de trabalho por prazo determinado é aquele cuja duração dependa de termo prefixado ou da execução de serviços específicos ou ainda

Leia mais

expert PDF Trial PMEs: Contabilização da Folha de Pagamento Agosto 2014 O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a).

expert PDF Trial PMEs: Contabilização da Folha de Pagamento Agosto 2014 O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a). Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400 - ramal 1529 (núcleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 Higienópolis

Leia mais

Disciplina: Direito e Processo do Trabalho 4º Semestre - 2011 Professor Donizete Aparecido Gaeta Resumo de Aula. 15º Ponto Aviso Prévio.

Disciplina: Direito e Processo do Trabalho 4º Semestre - 2011 Professor Donizete Aparecido Gaeta Resumo de Aula. 15º Ponto Aviso Prévio. Aviso Prévio 1. Conceito 2. Cabimento 3. Prazo 4. Início da contagem do prazo 5. Ausência do aviso prévio 6. Anotação na CTPS da data do encerramento do contrato de trabalho 7. Renúncia do período de aviso

Leia mais

Perguntas Frequentes - Trabalhista

Perguntas Frequentes - Trabalhista Perguntas Frequentes - Trabalhista 01) O empregador poderá descontar do empregado as importâncias correspondentes a danos por eles causados? 1º do art. 462 da CLT prevê a possibilidade de que, em caso

Leia mais

CAPÍTULO I - VIGÊNCIA E ABRANGÊNCIA CAPÍTULO II - REMUNERAÇÃO E PAGAMENTO

CAPÍTULO I - VIGÊNCIA E ABRANGÊNCIA CAPÍTULO II - REMUNERAÇÃO E PAGAMENTO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, QUE ENTRE SI FAZEM, DE UM LADO O SINDICATO DOS CONDUTORES DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS E TRABALHADORES EM TRANSPORTES DE CARGAS EM GERAL E PASSAGEIROS NO MUNICÍPIO DO RIO DE

Leia mais

Anexo 05 CONTRATO DE TRABALHO DE APRENDIZ

Anexo 05 CONTRATO DE TRABALHO DE APRENDIZ Anexo 05 EMPREGADOR: CONTRATO DE TRABALHO DE APRENDIZ MSMT..., pessoa jurídica de direito privado, com endereço na Av./Rua..., nº... Bairro..., cidade..., CEP..., inscrita no C.N.P.J...,, neste ato representada

Leia mais

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS 11. DIREITOS NA HORA DA DEMISSÃO É de fundamental importância saber quais os direitos dos trabalhadores na hora da rescisão do contrato de trabalho. Devese ter especial atenção no caso de demissões sem

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como é efetuado o cálculo das horas extras dos empregados comissionista puro

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como é efetuado o cálculo das horas extras dos empregados comissionista puro Como é efetuado o cálculo das horas extras dos empregados comissionista puro 25/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação...

Leia mais

Recursos Humanos. Cálculos de Folha de Pagamento - Férias e Décimo-Terceiro. Férias - Finalidade. Férias - Direito. Patrícia Ramos Palmieri

Recursos Humanos. Cálculos de Folha de Pagamento - Férias e Décimo-Terceiro. Férias - Finalidade. Férias - Direito. Patrícia Ramos Palmieri Recursos Humanos Patrícia Ramos Palmieri Cálculos de Folha de Pagamento - Férias e Décimo-Terceiro 1 Férias - Finalidade A finalidade básica da concessão das férias é o restabelecimento das forças físicas

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE JORNADA DE TRABALHO

ACORDO COLETIVO DE JORNADA DE TRABALHO ACORDO COLETIVO DE JORNADA DE TRABALHO (2010/2012) QUE ENTRE SI FAZEM, DE UM LADO AS EMPRESAS Telemar Norte Leste S/A - Filial AM, TNL PCS S/A - Filial AM e Brasil Telecom S/A - Filial AM E, DO OUTRO LADO

Leia mais

PROFESSORA: Déborah Paiva. Prova: (FCC TST Analista Judiciário 2012)

PROFESSORA: Déborah Paiva. Prova: (FCC TST Analista Judiciário 2012) Direito do Trabalho: 41. A descaracterização de uma pactuada relação civil de prestação de serviços, desde que no cumprimento do contrato se verifiquem os elementos fáticos e jurídicos da relação de emprego,

Leia mais

Contrato de Aprendizagem

Contrato de Aprendizagem COORDENAÇÃO-GERAL DE NORMAS DE CONTABILIDADE APLICADAS À FEDERAÇÃO - CCONF GERÊNCIA DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE GESTÃO FISCAL - GENOP Contrato de Aprendizagem GRUPO TÉCNICO DE PADRONIZAÇÃO DE RELATÓRIOS

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002716/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/11/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064091/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.006426/2015-78 DATA DO

Leia mais

Módulo Recursos Humanos

Módulo Recursos Humanos Módulo Recursos Humanos Folha de Pagamento Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Recursos Humanos Folha de Pagamento. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA

PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA CAMPINAS JANEIRO/2014 1 PAUTA DE REIVINDICAÇÃO CLÁUSULA 1ª - PISO SALARIAL Fica estipulado

Leia mais

Empregado Doméstico Normatização da Profissão

Empregado Doméstico Normatização da Profissão Empregado Doméstico Normatização da Profissão 3 DE JUNHO DE 2015 CONTSUL A Lei complementar nº150, publicada no DOU de 02.06.2015, dispôs sobre o trabalho doméstico no que tange ao contrato de trabalho,

Leia mais

Contratação e Modelo de Contrato

Contratação e Modelo de Contrato Contratação e Modelo de Contrato Deveres da Empresa Firmar contrato especial de aprendizagem com o adolescente e inscrevê-lo em curso de aprendizagem desenvolvido por uma entidade qualificada de ensino

Leia mais

5. JORNADA DE TRABALHO

5. JORNADA DE TRABALHO 5. JORNADA DE TRABALHO 5.1 DURAÇÃO DA JORNADA A duração normal do trabalho não pode ser superior a oito horas diárias e 44 semanais, sendo facultada a compensação de horários e a redução da jornada, mediante

Leia mais

DEPARTAMENTO PESSOAL

DEPARTAMENTO PESSOAL DEPARTAMENTO PESSOAL DÚVIDAS MAIS FREQUENTES 1 1. Documentos necessários para admissão Para o processo de admissão, o novo funcionário deverá apresentar a relação de documentos abaixo: *Carteira de Trabalho

Leia mais

ACORDO PARA FLEXIBILIZAÇÃO DE JORNADA DE TRABALHO E FÉRIAS COLETIVAS

ACORDO PARA FLEXIBILIZAÇÃO DE JORNADA DE TRABALHO E FÉRIAS COLETIVAS ACORDO PARA FLEXIBILIZAÇÃO DE JORNADA DE TRABALHO E FÉRIAS COLETIVAS Na melhor forma de direito, pelo presente instrumento de conciliação que entre si celebram, de um lado a pessoa jurídica de direito

Leia mais

CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM A PEC DAS DOMÉSTICAS

CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM A PEC DAS DOMÉSTICAS DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DO EMPREGADOR DOMÉSTICO = MENOS DEMISSÕES E MAIS FORMALIDADE Dê seu voto em www.domesticalegal.org.br CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM

Leia mais

Aula Toque de Mestre

Aula Toque de Mestre Aula Toque de Mestre Trabalho Noturno Conceito: Antes de conceituar o trabalho noturno, é importante falar do aspecto desgastante que este tipo de trabalho provoca ao empregado. Sob o ponto de vista biológico,

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2014

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2014 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PE000264/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 08/03/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR005909/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46213.003630/2013-64 DATA DO

Leia mais

ATA DA 4ª REUNIÃO ESPECÍFICA BANCO DE HORAS

ATA DA 4ª REUNIÃO ESPECÍFICA BANCO DE HORAS ATA DA 4ª REUNIÃO ESPECÍFICA BANCO DE HORAS entre o Serviço Federal de Processamento de Dados SERPRO e a FENADADOS LOCAL: Sede da FENADADOS Brasília - DF DATA: 05/12/2014 HORÁRIO: 10h TEMA: Negociação

Leia mais

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE

CLÁUSULA TERCEIRA VALE TRANSPORTE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2005/2006 PELO PRESENTE INSTRUMENTO DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO DE UM LADO O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE RÁDIODIFUSÃO DO ESTADO DO PARANÁ, A SEGUIR DENOMINADO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/1993 SESI/DR SERVIÇO SOCIAL DA INDUSTRIA SINDAF/DF

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/1993 SESI/DR SERVIÇO SOCIAL DA INDUSTRIA SINDAF/DF ACORDO COLETIVO DE TRABALHO/1993 SESI/DR SERVIÇO SOCIAL DA INDUSTRIA SINDAF/DF PRIMEIRO TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CELEBRADA EM 30 DE AGOSTO DE 1993. ENTRE O SINDICATO DOS EMPREGADOS

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MS000124/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 04/05/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR019010/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46312.001862/2011-06 DATA

Leia mais

CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO

CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO Projeto Legalize sua doméstica e pague menos INSS = Informalidade ZERO CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO Realização Jornal Diario de Pernambuco

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO VOTO EM SEPARADO DO DEPUTADO AUGUSTO COUTINHO

COMISSÃO DE TRABALHO, ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO VOTO EM SEPARADO DO DEPUTADO AUGUSTO COUTINHO COMISSÃO DE TRABALHO, ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI N o 4.475, DE 2008. Concede horário especial ao trabalhador estudante. Autor: Dep. Cândido Vacarezza(PT/SP) Relator: Dep. Assis Melo

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2007 / 2008 2008 / 2009. Enfermeiros

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2007 / 2008 2008 / 2009. Enfermeiros CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2007 / 2008 2008 / 2009 Enfermeiros O SINDICATO DOS ENFERMEIROS DO ESTADO DE MINAS GERAIS, CNPJ nº 21.854.005/0001-51, portador de Carta Sindical expedida pelo MTb (cópia

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS SOBRE JORNADA DE TRABALHO

NORMAS E PROCEDIMENTOS SOBRE JORNADA DE TRABALHO NORMAS E PROCEDIMENTOS SOBRE JORNADA DE TRABALHO 1. OBJETIVO O departamento de Recursos Humanos da FECAP pretende com esse manual de normas e procedimentos sobre a jornada de trabalho, informar os seus

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP012425/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 08/10/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR060338/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46263.004405/2014-31 DATA DO

Leia mais

RELAÇÕES DE TRABALHO LATO SENSU

RELAÇÕES DE TRABALHO LATO SENSU RELAÇÕES DE TRABALHO LATO SENSU O trabalhador temporário é pessoa física contratada por empresa de trabalho temporário, para prestar serviços pessoalmente e mediante salário e subordinação, a empresa tomadora

Leia mais

DURAÇÃO DO TRABALHO Prof. Maria Cláudia Felten E-mail: maria.claudia.felten@terra.com.br JORNADA DE TRABALHO - Jornada de trabalho. - Benefícios da jornada de trabalho. - Diferença entre jornada de trabalho

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL 9/2014

PROCESSO SELETIVO EDITAL 9/2014 PROCESSO SELETIVO EDITAL 9/2014 CARGO E UNIDADES: Analista Administrativo Sênior-Pessoal (Natal) Atenção: NÃO ABRA este caderno antes do início da prova. Tempo total para resolução desta prova: 3 (três)

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL Página 1 de 7 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR035541/2014 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 26/06/2014 ÀS 09:55 SIND DAS IND METALURGICAS MEC E DE MAT ELET DE CORUMBA, CNPJ

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Férias

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Férias pág.: 1/6 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos para programação, concessão e pagamento de férias aos empregados da COPASA MG. 2 Referências Para aplicação desta norma poderá ser necessário

Leia mais

VOTO EM SEPARADO DA DEPUTADA ANDRÉIA ZITO

VOTO EM SEPARADO DA DEPUTADA ANDRÉIA ZITO COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 6.708, DE 2009. Acrescenta Capítulo III-A ao Título V da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei nº

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências Evento Descrição INSS FGTS IRRF Abonos de qualquer natureza Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho -

Leia mais

Como é calculado o salário do aprendiz?

Como é calculado o salário do aprendiz? Como é calculado o salário do aprendiz? 1º PASSO - Cálculo da hora nua: Hora nua = salário mínimo / 150 horas (n. de horas/mês) * 150 = 30 horas semanais x 5 semanas Ex.: 424,00 / 150 = 2,826 Salário base

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Calculo Adicionais e Médias para Férias e 13º Salário

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Calculo Adicionais e Médias para Férias e 13º Salário 21/01/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 4 5. Informações Complementares... 5 6. Referências... 5 7.

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MG000363/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/02/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR002753/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46211.000337/2015-27 DATA DO

Leia mais

Produção: Fundação Republicana Brasileira Diagramação: Joshua Fillip

Produção: Fundação Republicana Brasileira Diagramação: Joshua Fillip Produção: Fundação Republicana Brasileira Diagramação: Joshua Fillip Uma produção da Fundação Republicana Brasileira 2013 O Congresso Nacional promulgou, no dia 2 de abril, a Proposta de Emenda à Constituição

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS Abonos de qualquer natureza Evento Descrição INSS FGTS IRRF Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DEPARTAMENTO DE PESSOAL Copia Controlada nº Código: RHP07 V05 Emissão: 30/05/2012 Folha: 1/18 MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS Registro de Ponto Copia Controlada nº Código: RHP07 V05 Emissão: 30/05/2012 Folha: 2/18 1 Conteúdo

Leia mais

NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS LC 150/2015

NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS LC 150/2015 Prof. Antonio Daud Jr NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS LC 150/2015 SUMÁRIO PÁGINA 1. Introdução 02 2. Desenvolvimento 03 2.1. Quem é considerado empregado doméstico? 03 2.2. Contrato por prazo determinado

Leia mais

PRIMEIROS APONTAMENTOS SOBRE A LEI COMPLEMENTAR 150/2015: A NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

PRIMEIROS APONTAMENTOS SOBRE A LEI COMPLEMENTAR 150/2015: A NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS PRIMEIROS APONTAMENTOS SOBRE A LEI COMPLEMENTAR 150/2015: A NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Karime Antunes de Souza Advogada em São Paulo karime@silvaribeiro.com.br Aprovada recentemente, a Lei Complementar

Leia mais

NÚCLEO PREPARATÓRIO DE EXAME DE ORDEM

NÚCLEO PREPARATÓRIO DE EXAME DE ORDEM ENDEREÇAMENTO E QUALIFICAÇÃO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA... VARA DO TRABALHO DE... A, estado civil..., profissão..., portador do RG nº..., inscrito no CPF nº..., portador da CTPS..., série...,

Leia mais