METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO"

Transcrição

1 METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MÓDULO V Profª. Patrícia S. Mascarenhas (Org.) Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 0

2 METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MÓDULO V Profª. Patrícia S. Mascarenhas (Org.) Mestranda em Administração Graduanda em Educação a Distância Especialista em Educação Sócio Ambiental Graduada em Ciências Contábeis ATENÇÃO! Este módulo está disponível apenas como base para estudos deste curso. Não é permitida qualquer forma de comercialização do mesmo. Os créditos de autoria dos conteúdos deste material são dados aos seus respectivos autores citados nas Referências Consultadas. Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 1

3 Caro (a) aluno(a), O Instituto Pró Saber tem o interesse contínuo em proporcionar um ensino de qualidade, com estratégias de acesso aos saberes que conduzem ao conhecimento. Todos os projetos são fortemente comprometidos com o progresso educacional para o desempenho do aluno-profissional permissivo à busca do crescimento intelectual. Através do conhecimento, homens e mulheres se comunicam, têm acesso à informação, expressam opiniões, constroem visão de mundo, produzem cultura, é desejo desta Instituição, garantir a todos os alunos, o direito às informações necessárias para o exercício de suas variadas funções. Expressamos nossa satisfação em apresentar o seu novo material de estudo, totalmente reformulado e empenhado na facilitação de um construto melhor para os respaldos teóricos e práticos exigidos ao longo do curso. Dispensem tempo específico para a leitura deste material, produzido com muita dedicação pelos Doutores, Mestres e Especialistas que compõem a equipe docente do Instituto Pró Saber. Leia com atenção os conteúdos aqui abordados, pois eles nortearão o princípio de suas ideias, que se iniciam com um intenso processo de reflexão, análise e síntese dos saberes. Desejamos sucesso nesta caminhada e esperamos, mais uma vez, alcançar o equilíbrio e contribuição profícua no processo de conhecimento de todos! Atenciosamente, Setor Pedagógico Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 2

4 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO CONHECIMENTO E SEUS NÍVEIS O QUE É CONHECIMENTO? TIPOS DE CONHECIMENTOS CONHECIMENTO EMPÍRICO CONHECIMENTO FILOSÓFICO CONHECIMENTO TEOLÓGICO CONHECIMENTO CIENTÍFICO CIÊNCIA CARACTERÍSTICAS DA CIÊNCIA DIVISÃO DA CIÊNCIA ASPECTOS LÓGICOS DA CIÊNCIA CLASSIFICAÇÃO DAS CIÊNCIAS MÉTODO CIENTÍFICO MÉTODO CIENTÍFICO E CIÊNCIA MÉTODO DEDUTIVO MÉTODO INDUTIVO PROJETO DE PESQUISA O QUE OBSERVAR EM PESQUISA TIPOS DE PESQUISA PESQUISA EXPLORATÓRIA/ BIBLIOGRÁFICA PESQUISA DESCRITIVA PESQUISA EXPERIMENTAL FASES DA PESQUISA QUANTO À ESCOLHA DO TEMA Definição do Problema Justificativa do Tema HIPÓTESE DE PESQUISA OBJETIVO DE PESQUISA ESTUDOS QUANTITATIVOS ESTUDOS QUALITATIVOS MÉTODO DE COLETA DE DADOS Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 3

5 6.7 FORMULÁRIO DE COLETA DE DAOS AMOSTRAGEM DE PESQUISA Amostragem Probabilística Amostragem Não-Probabilística ELABORAÇÃO DOS DADOS ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS DADOS RELATÓRIO DE PESQUISA ARTIGO CIENTÍFICO MONOGRAFIA ESTRUTURA DA MONOGRAFIA Elementos Pré-Textuais Elementos Textuais Elementos Pós-Textuais DETALHANDO OS ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS ELEMENTOS TEXTUAIS Introdução Desenvolvimento Conclusão REFERÊNCIAS APÊNDICE ANEXO CITAÇÕES DIRETAS E INDIRETAS FORMATO DO TRABALHO ACADÊMICO TRABALHOS ACADÊMICOS FICHAMENTO RESUMO RESENHA RECOMENDAÇÕES PARA EVITAR O PLÁGIO REFERÊNCIAS Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 4

6 1. INTRODUÇÃO Este material não tem a pretensão de abranger todas as questões envolvidas em Metodologia Científica. Nosso objetivo, ao apresentar a disciplina Metodologia Científica é, antes de tudo, estimular os alunos para que busquem motivações em seus novos conhecimentos e que possa encontrar respostas às suas dúvidas. Pensando desta forma, podemos dizer que o conhecimento reside na busca e aquisição de informação para a solução de problemas experienciais e vivenciais. Desse modo, o método científico é fundamental como forma de obter conhecimento. É o método que distinguirá os tipos de conhecimentos que o ser humano se apropria. Nesse compasso, concordamos com Aristóteles (1999), que viveu entre 384 e 322 a.c., quando diz "[...] aprender é o maior dos prazeres, não só para o filósofo, mas também para o resto da humanidade [...]" Em linguagem direta, podemos dizer que esta disciplina, Metodologia Científica, tem como objetivo principal, ensinar o caminho e os procedimentos para que se atinjam os melhores resultados nos estudos (pesquisa). Esse caminho poderá ser árduo e doloroso para aqueles (as) que não tiverem disciplina e objetividade. Porém, com seriedade, respeito e obediência às regras e procedimentos do trabalho científico, os objetivos encontrarão enorme possibilidades para o sucesso. Em suma, os melhores resultados de uma pesquisa, ocorrem, quando, geralmente, esses resultados são frutos de uma pesquisa, e onde são utilizados os procedimentos metodológicos, e onde haja fidedignidade e obediências às regras cientificas! Por fim, mesmo sabendo que nunca conheceremos a verdade absoluta, e que muitas vezes a interpretação de verdades gera erros, podemos dizer que é através da ciência, e, portanto, utilizando seus procedimentos metodológicos que nos aproximaremos dela com mais correção. Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 5

7 2 CONHECIMENTO E SEUS NÍVEIS 2.1 O QUE É CONHECIMENTO? Pode-se dizer que conhecimento é a tomada de consciência de um mundo vivido pelo homem, isto é, consciência de si a partir do mundo perceptível e intelectivo do ser pensante. Podemos dizer, também, que o conhecimento é agente transformador da realidade. Quando perguntamos o que é conhecimento, podemos dizer que é uma relação que se estabelece entre o sujeito que conhece e o objeto conhecido, ou seja, só conheço quando me relaciono com o objeto conhecido. Em outras palavras, no processo de conhecimento o individuo se apropria daquilo que conhece (BARROS; LEHFELD, 1990). 2.2 TIPOS DE CONHECIMENTOS Pelo conhecimento o homem penetra as diversas áreas da realidade para dela tomar posse. Assim podemos dizer que conhecer é incorporar um conceito novo, sobre um fato ou fenômeno qualquer. Agora também pode-se dizer que há várias formas de se obter o conhecimento, e que esse conhecimento apresenta níveis e estruturas diferentes em sua própria constituição. Cada nível de estrutura do conhecimento tem a sua complexidade, umas mais, outras menos, porém devemos considerar sempre as relações existentes entre o objeto conhecido e o conhecedor deste objeto. Finalizando, pode-se dizer que por sermos os únicos seres capazes de aplicar o que aprendemos, acabamos por criar sistemas de símbolos, como a linguagem, para registrar nossas próprias experiências e passar para outros seres humanos. O conhecimento, de modo mais direto, pode ser visto como uma só designação, porém, tende-se a separá-los em: Conhecimento Empírico, Conhecimento Filosófico, Conhecimento Teológico e Conhecimento Científico. Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 6

8 2.3 CONHECIMENTO EMPÍRICO O conhecimento empírico, também chamado popular ou de senso comum, tem como característica fundamental ser superficial por acontecer através de informações ou experiências casuais. Além disso, o conhecimento empírico é ametódico e assistemático, ou seja, sem método e sem nenhum rigor organizativo das experiências próprias e das ideias. Desse modo, o conhecimento empírico acaba sendo resultado de suposições e de experiências pessoais, sem levar em consideração aspectos da verificação e do rigor sistemático. Podemos dizer que outro aspecto do conhecimento empírico, é pelo fato de ser inexato, e, uma vez que não pode ser verificável, pode comprometer o próprio objeto deste conhecimento. 2.4 CONHECIMENTO FILOSÓFICO Para falar do conhecimento filosófico, é preciso que pensar na ideia de conhecimento filosófico a partir de conceitos subjetivos, isto é, o conhecimento especulativo que produz uma busca constante do sentido das coisas e do mundo. Segundo Trujillo, conhecimento filosófico só pode ser valorativo, pois seu ponto de partida consiste em hipóteses, que não poderão ser submetidas à observação. Por outro lado, essas hipóteses filosóficas baseiam-se na experiência, o que nos leva a dizer que esse conhecimento emerge da experiência e não da experimentação, por isso o conhecimento filosófico é não verificável, já que seus anunciados das hipóteses filosóficas, ao contrario do que ocorre da ciência, não podem ser confirmadas nem refutadas. (TRUJILLO, 1994). 2.5 CONHECIMENTO TEOLÓGICO O conhecimento teológico, isto é, o religioso, é conhecimento que se revela através da fé divina ou crença religiosa. Esse tipo de conhecimento exige a autoridade divina, de forma direta ou indireta. Pode-se dizer também que, o conhecimento religioso não pode ser confirmado ou negado, como por exemplo, ocorre no conhecimento científico. Esse tipo de conhecimento depende da formação moral e das crenças de cada indivíduo. O conhecimento religioso ou teológico apoia-se em doutrinas que contêm proposições sagradas, ou seja, proposições valorativas, por terem sido reveladas pelo sobrenatural, ou melhor, o inspiracional e, por essa razão, as verdades produzidas por este tipo de conhecimento são consideradas infalíveis e indiscutíveis (exatas). Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 7

9 2.6 CONHECIMENTO CIENTÍFICO O conhecimento científico, diferentemente do conhecimento empírico, se destaca por buscar as causas e a leis dos fenômenos existentes. Este tipo de conhecimento se caracteriza especialmente por ter um procedimento metódico em suas investigações. O conhecimento científico é:... o aperfeiçoamento do conhecimento comum e ordinário e é obtido através de um procedimento metódico; o qual mobiliza explicações rigorosas e ou plausíveis sobre o que se afirma sobre um objeto da realidade. (GALLIANO, 1999, p. 21).Sendo assim, o conhecimento científico, além de ater-se aos fatos, é: racional e objetivo, factual, analítico, verificável, organizado, sistemático, explicativo, constrói e aplica leis e depende de investigações metódicas. Em suma, o conhecimento científico é o que é produzido pela investigação científica. Surge não apenas da necessidade de encontrar soluções para problemas de ordem prática da vida diária, mas também se caracteriza por ser um conhecimento ordinário, o que possibilita fornecer explicações sistemáticas e podem ser testadas e criticadas através de provas empíricas. (KOCHE, 1994). 3 CIÊNCIA Etimologicamente, o termo ciência provém do verbo em latim Scire que significa aprender, conhecer. Essa definição etimológica, entretanto, não é suficiente para diferenciar ciência de outras atividades, também, envolvidas com o aprendizado e o conhecimento. Seguindo a orientação de Marconi e Lakatos, ciência pode ser entendida em duas acepções: na primeira, isto é, no sentido mais geral, ciência pode ser entendida apenas como o significado do conhecimento. Na segunda, não se refere a um conhecimento qualquer, trata-se de um conhecimento que se notabiliza pela investigação do estudo da natureza, direcionado à descoberta da verdade. Tal investigação é normalmente metódica, ou de acordo com o método científico um processo de avaliar o conhecimento empírico (MARCONI; LAKATOS, 2007). Em suma, podemos dizer que Ciência é o conhecimento ou um sistema de conhecimentos que são obtidos de leis gerais e são testadas através de métodos científicos. As áreas da ciência podem ser classificadas em duas grandes dimensões: pura (o desenvolvimento de teorias) versus aplicada (a aplicação de teorias às necessidades humanas); ou natural (o estudo do mundo natural) versus Social (o estudo do comportamento humano e da sociedade). Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 8

10 3.1 CARACTERÍSTICAS DA CIÊNCIA Seguindo os enunciados de Ruiz (1998, p ) as características da ciência se descrevem por meio de: a) Conhecimento pelas causas: a ciência se caracteriza por demonstrar as razões os enunciados, relacionando o fenômeno às suas causas; b) Profundidade e generalidade de suas conclusões: a ciência exprime suas conclusões em enunciados gerais que traduzem a relação constante do binômio causa efeito; generalizando o porquê atinge a constituição intima e a causa comum a todos os fenômenos da mesma espécie, conferindo à ciência a prerrogativa de fazer prognósticos seguros; c) Finalidade teórica e prática: temos que, da pesquisa fundamental e da descoberta da verdade decorrem inúmeras consequências práticas; d) Objeto formal: é a maneira peculiar, o aspecto ou o ângulo sob o qual a ciência atinge seu objeto material (realidades físicas), como experimental das causas reais próximas (evidência dos fatos e não das ideias); e) Método e controle: é uma investigação rigorosamente metódica e controlada, derivando-se daí a razão da confiança nas conclusões científicas; exatidão: a ciência pode demonstrar, por via de experimentação ou evidência dos fatos objetivos, observáveis e controláveis, o mérito dos seus enunciados. f) Aspecto social: a ciência é uma instituição social, que tem os cientistas como membros de uma sociedade universal, para a procura da verdade e melhoria das condições de vida da humanidade. 3.2 DIVISÃO DA CIÊNCIA Quando fala-se de ciência pode-se, também, dizer, segundo Oliveira (1998), que a ciência se divide em ciências formais e ciências factuais. As ciências formais se preocupam com enunciados, ou seja, com as ideias que constituem a busca do conhecimento, que consistem em relações entre símbolos, ou seja, são prescritas em sistemas de registros ou documentação. Sua fundamentação metodológica, que visa demonstrar seus teoremas rigorosamente, se concretiza Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 9

11 através do emprego da lógica. Enfim, pode-se dizer que as ciências formais são constituídas pela lógica formal, ou seja, são racionais, sistemáticas e verificáveis. As ciências factuais (materiais ou empíricas), por sua vez, preocupam-se com os processos e as coisas e, portanto, precisam mais da experimentação e da observação do que da simples conjectura. 3.3 ASPECTOS LÓGICOS DA CIÊNCIA Quando se referem aos aspectos lógicos da ciência, estamos condicionando-a sempre a uma observação racional e controlada dos fatos, isto porque a ciência, através de seus procedimentos e operações, busca segundo Ander-Egg, algo que permita a observação racional e controlada dos fatos investigados. Desse modo permitem a interpretação e explicação adequada dos fenômenos, bem como contribuem para a verificação dos fenômenos, positivados pela experimentação ou pela observação. E, por fim, ainda segundo Ander-Egg, os aspectos lógicos da ciência fundamentam os princípios da generalização ou estabelecimento dos princípios a e das leis. Assim, podemos dizer que a ciência é resultado da acumulação do conhecimento científico, que se caracteriza pelo conhecimento racional, sistemático, exato, verificável e falível (ANDER-EGG, 1998, p.15). 3.4 CLASSIFICAÇÃO DAS CIÊNCIAS Sabe-se que não existe apenas uma linguagem que permita classificar a ciência. Essa por sua vez apresenta utiliza-se de campos diferentes para classificar os seus estudos. Segundo Mário Bunge, há na ciência as seguintes classificações e ramos de estudos: Ciências Formais ou Puras = Sintetizam e explicam os fatos descobertos sobre o universo e seus habitantes. (Fazem parte a Filosofia Lógica e a Matemática); Ciências Factuais ou Aplicadas = Utilizam-se de fatos e de princípios científicos para fazer coisas úteis aos homens. (Fazem parte as Ciências Naturais e a Sociais) As Ciências Naturais estão dividas no campo da Física, Química e Biologia, que, por sua vez, subdividem-se em: Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 10

12 a) Campo da Física: Física Nuclear, Mineralogia, Logística Militar, Petrografia, Geologia, Computação, Engenharia, Astronomia; b) Campo da Química: Química Orgânica, Química Inorgânica, Físico-Químico, Farmácia e Bioquímica; c) Campo da Biologia: Botânica, Medicina, Zoologia, Veterinária, Agricultura, Tec. Alimentos, Enfermagem; d) Campo das Ciências Sociais: Sociologia, Psicologia Social, Antropologia Cultural, Geografia, Direito, Administração, Comunicação Social, Economia, História; e) Ainda sobre parte dos ramos da ciência, Oliveira (1998) diz que a geologia, meteorologia, oceanografia, e astronomia também são agrupadas como geociências. 4 MÉTODO CIENTÍFICO A palavra método designa, em seu sentido mais geral, a ordem que se deve impor aos diferentes processos necessários para atingir um fim dado ou um resultado desejado. Nas ciências entende-se por método o conjunto de processos que o espírito humano deve empregar na investigação e demonstração da verdade. (CERVO; BERVIAN, 1993, p. 23). Não há ciência sem a utilização do método científico. Mas o inverso não é necessariamente verdade! Ainda pode-se utilizar a ideia de Bunge (1980), quando diz que método é um procedimento regular, explícito e passível de ser repetido para conseguir-se alguma coisa, seja material ou conceitual. Desse modo pode-se conceber que método é o conjunto coerente de procedimentos racionais ou prático-racionais que orienta o pensamento para serem alcançados conhecimentos válidos. 4.1 MÉTODO CIENTÍFICO E CIÊNCIA Todas as ciências caracterizam-se pela utilização de métodos científicos. Em contrapartida, nem todos os ramos de estudo que empregam esses métodos são ciências. Dessas afirmações, podemos concluir que a utilização de métodos científicos não é da alçada exclusiva da ciência, mas não há ciências sem o emprego de métodos científicos. (MARCONI; LAKATOS, 2007, p. 44). Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 11

13 Como a ciência se manifesta por meio de procedimentos, conclui-se que o método científico é um conjunto de regras básicas para um cientista desenvolver uma experiência, a fim de produzir conhecimento, bem como corrigir e integrar conhecimentos pré-existentes. É baseado em juntar evidências observáveis, empíricas, e mensuráveis, baseadas no uso da razão. E, ainda que, os procedimentos, que são utilizados nas ciências possam variar de uma área da ciência para outra, consegue-se determinar certos elementos que diferenciam o método científico de outros métodos. Primeiramente os pesquisadores propõem hipóteses para explicar certos fenômenos, e então desenvolvem experimentos que testam essas previsões. Então teorias são formuladas, juntando-se hipóteses de uma certa área, em uma estrutura coerente de conhecimento. Isto ajuda na formulação de novas hipóteses, bem como coloca as hipóteses em um conjunto de conhecimento maior. Outra faceta do método é que o processo precisa ser objetivo, para que o cientista seja imparcial na interpretação dos resultados. Além disso, há, também, a expectativa básica do método: todo o procedimento precisa ser documentado, tanto os dados, quanto os procedimentos, para que outros cientistas possam analisar e reproduzir o processo. Isso, também, permite que se utilizem métodos de estatística para verificar a confiabilidade dos resultados. 4.2 MÉTODO DEDUTIVO A dedução é a argumentação que torna explícitas verdades particulares contidas em verdades universais. O ponto de partida é o antecedente, que afirma uma verdade universal, e o ponto de chegada é o conseqüente, que afirma uma verdade menos geral ou particular contida implicitamente no primeiro. O processo dedutivo leva o pesquisador do conhecido ao desconhecido com pouca margem de erro, mas, por outro lado, é de alcance limitado, pois a conclusão não pode possuir conteúdos que excedam o das premissas. Duas regras gerais são apontadas quanto à validade das conclusões do processo dedutivo: Da verdade do antecedente segue-se a verdade do consequente. Por exemplo: todos os animais respiram. Ora, o mosquito é animal. Logo, o mosquito respira. Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 12

14 Da falsidade do antecedente pode seguir-se a falsidade ou veracidade do consequente. Por exemplo: todos os animais são quadrúpedes. Ora, o cisne é animal. Logo, o cisne é quadrúpede (consequente falso). Ou então: toda árvore é racional. Ora, Gilberto é arvore. Logo, Gilberto é racional (Consequente verdadeira). A dedução organiza e especifica o conhecimento que já se tem, mas não é geradora de conhecimentos novos. Ela tem como ponto de partida o plano do inteligível, ou seja, da verdade geral, já estabelecida. Vejamos os exemplos de Marconi e Lakatos (2007) que destacam as diferenças entre o argumento dedutivo e o indutivo: Exemplo 1 (Dedutivo) Todo mamífero tem um coração. Ora, todos os cães são mamíferos. Logo, todos os cães têm um coração. Exemplo 2 (Indutivo) Todos os cães que foram observados tinham um coração Logo, todos os cães têm um coração. Em referência aos dois exemplos, Marconi e Lakatos (2007, p. 63) argumentam que: [...] no exemplo dedutivo, para que a conclusão todos os cães tem um coração fosse falsa, uma das ou as duas premissas teriam de ser falsas: ou nem todos os cães são mamíferos ou nem todos os mamíferos têm um coração. Por outro lado, no argumento indutivo é possível que a premissa seja verdadeira a conclusão seja falsa: o fato de não ter, até o presente, encontrado um cão sem coração, não é garantia de que todos os cães tenham um coração. 4.3 MÉTODO INDUTIVO Na indução o caminho é o contrário ao da dedução, isto é, a cadeia de raciocínio estabelece conexões ascendentes, do particular para o geral. Neste caso, as constatações particulares é que levam às teorias e leis gerais. Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 13

15 Exemplo de raciocínio indutivo: O calor dilata o ferro; particular; O calor dilata o bronze; particular; O calor dilata o cobre; particular; Logo o calor dilata todos os metais geral, universal. Nota-se que o método indutivo confunde-se com o experimental, que compreende as seguintes etapas: - observação manifestações da realidade, espontâneas ou provocadas; - hipótese tentativa de explicação; - experimentação observa a reação de causa-efeito, imaginada na etapa anterior; - comparação classificação, análise e crítica dos dados recolhido; - abstração verificação dos pontos conforme o descompasso dos dados obtidos; - generalização consiste em estender a outros casos, da mesma espécie, um conceito obtido com base nos dados observados. 5 PROJETO DE PESQUISA Seguindo a orientação de Ender-Egg (1998, p.28), a pesquisa é um procedimento reflexivo sistemático, controlado e crítico que permite descobrir novos fatos ou dados, relações ou leis, em qualquer campo de conhecimento. Esse conceito nos leva a entender que uma pesquisa requer do seu investigador, além de um procedimento formal, que este permita realizar a coleta dos dados, a medida e a análise dos mesmos. A pesquisa, portanto, é uma atividade que se volta a soluções de problemas, através do emprego dos processos científicos. (CERVO; BERVIAN, 1993). Resumindo, toda pesquisa parte de um problema e, com o uso do método científico, busca uma resposta ou solução para o problema apresentado. Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 14

16 5.1 O QUE OBSERVAR EM PESQUISA Cada objeto de investigação requer um procedimento para sua realização, sob os mais diversificados aspectos e dimensões. Isto por saber que não existem regras fechadas que devem compor um projeto de pesquisa, uma vez que, conforme o objeto de estudo, utiliza-se procedimentos e instrumentos direcionados para a busca do seu melhor resultado. Algumas questões são relevantes quanto à natureza da pesquisa, pois tornam fundamentais as buscas de respostas. Segundo Rummel (1992, p. 3), há dois significados para ela: a primeira, em sentido amplo, engloba todas as investigações especializadas e completas. O segundo, em sentido restrito, abrange os vários tipos de estudos e de investigações mais aprofundados. Independente do melhor modelo de pesquisa para a busca de soluções deve-se observar: a- o que pesquisar; b- por que se deseja fazer a pesquisa; c- como pesquisar; d- com quais recursos; e- em que período. 5.2 TIPOS DE PESQUISA Ao abordar tipos de pesquisa, podemos perceber que sua classificação varia de autor para autor, porém, sem ampliar essa discussão, podemos dizer que há três tipos de pesquisas: Exploratória ou Bibliográfica, Descritiva, que pode ser estudo descritivo estatístico (quantitativo) ou estudo descritivo de caso (qualitativo), e a Pesquisa Experimental. Cada tipo de pesquisa tem designações de acordo com o objeto de estudo ou com o público-alvo que se quer pesquisar. Cada tipo de pesquisa é concebido, de acordo com os objetivos e hipóteses, levantados pelo pesquisador, para descrever a realidade de suas investigações. Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 15

17 5.3 PESQUISA EXPLORATÓRIA/ BIBLIOGRÁFICA A principal característica da Pesquisa Exploratória ou Bibliográfica é sua informalidade, flexibilidade e criatividade. Esse tipo de pesquisa é o primeiro contato com a situação a ser pesquisada. A Pesquisa Exploratória é o primeiro passo para o pesquisador conhecer o objeto de estudo. Esse contato, geralmente, se faz necessário, principalmente, quando o pesquisador não tem dados suficientes para levantamento de hipótese ou definição do problema e objetivos da pesquisa. A Pesquisa Exploratória trabalha com dados secundários, isto é, material que já foi publicado, e que se encontra disponível, em um ou vários canais de divulgação. Constitui, portanto, a primeira fase para o início de um projeto de pesquisa. Supondo que um pesquisador queira saber qual a taxa de mortalidade infantil no Estado de São Paulo, entre os anos de 2000 a 2005, sua primeira atitude será buscar tais informações em revistas especializadas, jornais, publicações diversas, órgãos públicos, pesquisas e casos realizados, etc. Esse exemplo demonstra os passos que devem ser tomados, caso o pesquisador queira se inteirar do objeto de sua pesquisa, caso contrário, padecerá por falta de informações preliminares para o desenvolvimento de seu estudo. Pode-se dizer que a grande vantagem deste tipo de pesquisa, refere-se à facilidade de acesso às informações, o que pode facilitar o desenvolvimento da própria pesquisa, uma vez que as informações coletadas, já foram trabalhadas por terceiros. Porém, a Pesquisa Exploratória pode, em muitos casos, limitar o desenvolvimento da pesquisa, uma vez que não aprofunda mais o que já foi feito pelas pesquisas anteriores. Isto quer dizer que, se o pesquisador quiser ir mais fundo, no objeto de sua pesquisa, deverá partir para outro tipo de pesquisa. 5.4 PESQUISA DESCRITIVA A Pesquisa Descritiva tem como principal característica o aprofundamento do objeto de estudo, pois ela observa, registra, analisa e correlaciona fatos ou fenômenos a serem manipulados, isto é, procura a descrição das características de determinadas populações ou Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 16

18 fenômenos. Uma de suas características está na utilização de técnicas padronizadas de coleta de dados, tais como o questionário e a observação sistemática. A Pesquisa Descritiva procura descrever a realidade dos objetos de estudo, a partir de dados primários, diferentemente, das pesquisas exploratórias. Esses dados, no caso, da pesquisa descrita, podem ser obtidos, originalmente, a partir de entrevistas pessoais ou de discussão em grupo, relacionando e confirmando as hipóteses levantadas na definição do problema da pesquisa (SAMARA; BARROS, 2002, p. 30). Destacam-se, também, na Pesquisa Descritiva, as questões que buscam responder o quem, o que, quanto, como, onde, quando e por que pesquisar, além de procurar descrever características de grupos idade, sexo, procedência etc. Também, são pesquisas descritivas aquelas que visam descobrir a existência de associações entre variáveis, como, por exemplo, as pesquisas eleitorais que indicam a relação entre o candidato e a escolaridade dos eleitores. 5.5 PESQUISA EXPERIMENTAL A Pesquisa Experimental, comumente utilizada nas ciências naturais, tem por característica a manipulação das variáveis, relacionadas com o objeto de estudo. Neste tipo de pesquisa, [...] a manipulação das variáveis proporciona o estudo da relação entre causas e efeitos de um determinado fenômeno. Diferentemente da pesquisa descritiva que busca [...] classificar, explicar e interpretar os fenômenos, a Pesquisa Experimental pretende dizer de que modo e quais as causas que produzem o fenômeno. (CERVO; BERVIAN, 1993, p.58). Desse modo, pode-se dizer que a Pesquisa Experimental, partindo da coleta de dados, permite conclusões claras e diferenciadas a respeito de uma hipótese que envolve relações de causa e efeito. (WESTFALL, 1999). Segundo o autor, na Pesquisa Experimental, o pesquisador deve criar uma situação artificial para que possa obter os dados particulares de que necessita e possa medi-los com precisão. As experiências são artificiais no sentido de que são criadas com o objetivo de testar. (WESTFALL, 1999, p. 96). Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 17

19 Porém, como bem frisa Cervo e Bervian (1983), é conveniente, apesar da utilização da pesquisa experimental, ocorrer, em geral, em laboratório, que este tipo de pesquisa não se identificar com a lei de laboratório, assim como a pesquisa descritiva não é sinônimo de pesquisa de campo. Os termos de campo e de laboratório indicam apenas o contexto onde elas se realizam. (WESTFALL, 1999, p.59). 6 FASES DA PESQUISA A pesquisa necessita utilizar-se de fases para que o seu processo de construção tenha maior sucesso, assim, podemos dizer que as etapas de um projeto de pesquisa manchem uma ordem de acontecimentos e interdependência nas suas definições para que, de forma lógica, venha trazer resultados consistentes e úteis. Pode-se dizer que as principais etapas de um projeto de pesquisa são: a- Tema b- Problema da pesquisa c- Justificativa da pesquisa d- Hipótese da pesquisa e- Objetivos da pesquisa f- Tipos de pesquisa g- Método de pesquisa h- Métodos de coleta de dados i- Formulário para coleta de dados j- Tipos de Amostragem k- Trabalho de campo l- Tabulação da pesquisa m- Análise dos resultados n- Elaboração do relatório de pesquisa o- Analise geral da pesquisa Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 18

20 6.1 QUANTO À ESCOLHA DO TEMA A escolha de um tema de pesquisa é mais fácil do que podemos imaginar. Por essa razão, é necessário observarmos algumas regras importantes. Em primeiro lugar, o tema de uma pesquisa deve sempre responder ao interesse do pesquisador, assim como responder se o desenvolvimento e a realização do tema proposto são possíveis. Os temas, de um modo geral, segundo Barros e Lehfeld (2007), são definidos em razão: a- Da observação do cotidiano; b- Da vida profissional; c- De programas de pesquisa; d- De contato e relacionamento com especialistas; e- Do feedback de pesquisas já realizadas; f- Do estudo de literatura especializada. Outra questão que deve ser colocada, ao se escolher um tema, é a sua delimitação, isto é, definir o tempo, o local, o espaço e o tamanho do objeto que se pretende pesquisar. Um bom tema de pesquisa deve despertar interesse, tanto pela importância do assunto, quanto pela possibilidade de realização e aprofundamento do mesmo. É necessário construir um objeto de pesquisa, ou seja, selecionar uma fração da realidade a partir do referencial teórico-metodológico escolhido. (BARRETO; HONORATO, 1998, p. 62). É fundamental que o tema esteja vinculado a uma área de conhecimento com a qual a pessoa já tenha alguma intimidade intelectual, sobre a qual já tenha alguma leitura específica e que, de alguma forma, esteja vinculada à carreira profissional que esteja planejando para um futuro próximo. (BARRETO; HONORATO, 1998, p. 62). O tema de pesquisa é, na verdade, uma área de interesse a ser abordada. É uma primeira delimitação, ainda ampla Definição do Problema A definição do problema de uma pesquisa, segundo Samara e Barros (2002, p.12), representa a parte mais importante do projeto, pois todo projeto de pesquisa deve partir de uma Este módulo deverá ser utilizado apenas como base para estudos. Os créditos da autoria dos conteúdos aqui apresentados são dados aos seus respectivos autores. 19

COMO DESENVOLVER UMA PESQUISA E COMO ELABORAR UM PROJETO DE PESQUISA?

COMO DESENVOLVER UMA PESQUISA E COMO ELABORAR UM PROJETO DE PESQUISA? COMO DESENVOLVER UMA PESQUISA E COMO ELABORAR UM PROJETO DE PESQUISA? Conhecimento: Conhecimento: nada mais é que a apreensão da realidade, de forma real ou imaginada. Entendendo realidade como aquilo

Leia mais

PESQUISA QUANTITATIVA e QUALITATIVA

PESQUISA QUANTITATIVA e QUALITATIVA universidade de Santa Cruz do Sul Faculdade de Serviço Social Pesquisa em Serviço Social I I PESQUISA QUANTITATIVA e QUALITATIVA BIBLIOGRAFIA: MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de

Leia mais

Projeto de Graduação 1 Prof. Fabiano Dorça. Metodologia Científica

Projeto de Graduação 1 Prof. Fabiano Dorça. Metodologia Científica Projeto de Graduação 1 Prof. Fabiano Dorça Metodologia Científica Metodologia Científica Conjunto de abordagens, técnicas e processos utilizados pela ciência para formular e resolver problemas de aquisição

Leia mais

As pesquisas podem ser agrupadas de acordo com diferentes critérios e nomenclaturas. Por exemplo, elas podem ser classificadas de acordo com:

As pesquisas podem ser agrupadas de acordo com diferentes critérios e nomenclaturas. Por exemplo, elas podem ser classificadas de acordo com: 1 Metodologia da Pesquisa Científica Aula 4: Tipos de pesquisa Podemos classificar os vários tipos de pesquisa em função das diferentes maneiras pelo qual interpretamos os resultados alcançados. Essa diversidade

Leia mais

Metodologia Científica Aula 1. Prof.ª Ma. Ana Paula Diniz E-mail: anapauladinizb@hotmail.com

Metodologia Científica Aula 1. Prof.ª Ma. Ana Paula Diniz E-mail: anapauladinizb@hotmail.com Metodologia Científica Aula 1 Prof.ª Ma. Ana Paula Diniz E-mail: anapauladinizb@hotmail.com Bibliografia: http://pesquisaemeducacaoufrgs.pbworks. com/w/file/fetch/64878127/willian%20cost a%20rodrigues_metodologia_cientifica

Leia mais

TÉCNICAS PARA COLETA DE DADOS

TÉCNICAS PARA COLETA DE DADOS AULA 7 TÉCNICAS PARA COLETA DE DADOS Classificação das pesquisas científicas Classificação das pesquisas científicas: quanto a natureza Básica: Procura o progresso científico; Procura a ampliação dos conhecimentos

Leia mais

Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior INTRODUÇÃO O que é pesquisa? Pesquisar significa, de forma bem simples, procurar respostas para indagações propostas. INTRODUÇÃO Minayo (1993, p. 23), vendo por

Leia mais

Aimportância do levantamento de informações e pesquisa na publicidade

Aimportância do levantamento de informações e pesquisa na publicidade Aimportância do levantamento de informações e pesquisa na publicidade UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 07.04.11 Agenda: A importância do levantamento

Leia mais

Metodologia Científica

Metodologia Científica Metodologia Científica Prof. William Costa Rodrigues FAETEC/IST Paracambi 2007 Metodologia Científica: Conceitos e Definições É um conjunto de abordagens, técnicas e processos utilizados pela ciência para

Leia mais

INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA

INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA INSTITUTO LONG TAO METODOLOGIA CIENTÍFICA Profa. Ms. Rose Romano Caveiro CONCEITO E DEFINIÇÃO É um conjunto de abordagens, técnicas e processos utilizados pela ciência para formular e resolver problemas

Leia mais

Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ

Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ Metodologia da Pesquisa Cientifica Metodologia Como se procederá a pesquisa? Caminhos para se

Leia mais

A PESQUISA E SUAS CLASSIFICAÇÕES

A PESQUISA E SUAS CLASSIFICAÇÕES 1/6 A PESQUISA E SUAS CLASSIFICAÇÕES Definir o que é pesquisa; mostrar as formas clássicas de classificação das pesquisas; identificar as etapas de um planejamento de pesquisa. INTRODUÇÃO O que é pesquisa?

Leia mais

As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R

As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R INTRODUÇÃO A pesquisa é um procedimento reflexivo e crítico de busca de respostas para problemas ainda não solucionados. O

Leia mais

Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa

Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa Estrutura de um projeto de pesquisa: 1. TEMA E TÍTULO DO PROJETO 2. DELIMITAÇÃO DO PROBLEMA 3. INTRODUÇÃO 4. RELEVÂNCIA E JUSTIFICATIVA 5. OBJETIVOS

Leia mais

Manual para Elaboração de Trabalhos Acadêmicos

Manual para Elaboração de Trabalhos Acadêmicos 15 2. METODOLOGIA CIENTÍFICA Metodologia científica é a disciplina que estuda os caminhos do saber, aonde método significa caminho, logia estudo e ciência saber. De forma simplificada, então, a metodologia

Leia mais

METODOLOGIA CIENTÍFICA

METODOLOGIA CIENTÍFICA EQE040 METODOLOGIA CIENTÍFICA www.liviajatoba.com/eqe040 Professora Livia Jatobá liviajatoba@eq.ufrj.br Aula 04: Desenvolvendo o problema científico. Metodologia e fases da pesquisa. 6 de abril de 2015

Leia mais

Técnicas e Instrumentos Utilizados na Pesquisa Científica Cavalcanti

Técnicas e Instrumentos Utilizados na Pesquisa Científica Cavalcanti Técnicas e Instrumentos Utilizados na Pesquisa Científica Técnicas de Pesquisa Técnica: Conjunto de preceitos ou processos de que se serve uma ciência. Toda ciência utiliza inúmeras técnicas na obtenção

Leia mais

Metodologia do Trabalho Científico

Metodologia do Trabalho Científico Metodologia do Trabalho Científico Diretrizes para elaboração de projetos de pesquisa, monografias, dissertações, teses Cassandra Ribeiro O. Silva, Dr.Eng. METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA Porque escrever

Leia mais

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica)

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) GRUPO PAIDÉIA FE/UNICAMP Linha: Episteduc Coordenador: Prof. Dr. Silvio Sánchez Gamboa Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) Os projetos de pesquisa se caracterizam

Leia mais

Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação

Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Conhecimento e Ciência: tipos de conhecimentos Professora: Sueli Andrade Disciplina: Metodologia do Trabalho Científico Ciência e Conhecimento

Leia mais

Pesquisa Científica e Método. Profa. Dra. Lívia Perasol Bedin

Pesquisa Científica e Método. Profa. Dra. Lívia Perasol Bedin Pesquisa Científica e Método Profa. Dra. Lívia Perasol Bedin A Pesquisa e o Metodo Cientifico Definir modelos de pesquisa Método, entre outras coisas, significa caminho para chegar a um fim ou pelo qual

Leia mais

Métodos e técnicas de pesquisa. Alessandra Martins Coelho

Métodos e técnicas de pesquisa. Alessandra Martins Coelho Métodos e técnicas de pesquisa Alessandra Martins Coelho Método de Pesquisa Metodologia é o estudo dos métodos. O método consiste na seqüência de passos necessários para demonstrar que o objetivo proposto

Leia mais

A Computação e as Classificações da Ciência

A Computação e as Classificações da Ciência A Computação e as Classificações da Ciência Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Classificações da Ciência A Computação

Leia mais

Conceito de pesquisa

Conceito de pesquisa Conceito de pesquisa A pesquisa e uma atividade voltada para a solução de problemas, através do emprego de procedimentos científicos. Seus elementos são: 1. Problema ou dúvida 2. Metodo científico 3. Resposta

Leia mais

A pesquisa e suas classificações FACULDADE DE COSTA RICA Prof.ª NELIZE A. VARGAS. nelizevargas@hotmail.com O que é pesquisa? MINAYO (l993,p.23), vendo por um prisma mais filósofico, considera a pesquisa

Leia mais

Índice. Grupo 6.3 - Módulo 13

Índice. Grupo 6.3 - Módulo 13 GRUPO 6.3 MÓDULO 13 Índice 1. Definição dos Instrumentos de Pesquisa...3 2. Critérios para Elaboração e Realização da Entrevista...3 3. A Internet como Ferramenta de Pesquisa...4 4. Coleta e Seleção de

Leia mais

RESUMO RESENHA E RIO. LIP - Profa. KATIUSCIA

RESUMO RESENHA E RIO. LIP - Profa. KATIUSCIA RESUMO RESENHA E RELATÓRIO RIO LIP - Profa. KATIUSCIA QUANDO SE FALA EM PESQUISA, TRABALHO, O QUE VOCÊ PENSA??? Grupo de 4 pessoas Tempo: alguns dias para a elaboração 15 minutos apresentação (cada grupo)

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA CAMINHOS PARA O ENSINO

FORMAÇÃO CONTINUADA CAMINHOS PARA O ENSINO FORMAÇÃO CONTINUADA CAMINHOS PARA O ENSINO SUPERIOR PLANO DE ENSINO E ESTRATÉGIAS Profª Msc. Clara Maria Furtado PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO CURRÍCULO ORGANIZAÇÃO CURRICULAR PLANEJAMENTO DO CURSO OBJETIVOS

Leia mais

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo:

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo: 3 METODOLOGIA Apresenta-se a seguir a descrição da metodologia utilizada neste trabalho com o objetivo de expor os caminhos que foram percorridos não só no levantamento dos dados do estudo como também

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS E SUBPROJETOS DE PESQUISA

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS E SUBPROJETOS DE PESQUISA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS E SUBPROJETOS DE PESQUISA O projeto deve, OBRIGATORIAMENTE, ser elaborado pelo Coordenador do Projeto (titulação mínima Mestre PBIC/UniEVANGÉLICA; titulação mínima Doutor

Leia mais

INSTITUTO FLORENCE DE ENSINO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM (TÍTULO DO PROJETO) Acadêmico: Orientador:

INSTITUTO FLORENCE DE ENSINO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM (TÍTULO DO PROJETO) Acadêmico: Orientador: INSTITUTO FLORENCE DE ENSINO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM (TÍTULO DO PROJETO) Acadêmico: Orientador: São Luis 2015 (TÍTULO DO PROJETO) (NOME DO ALUNO) Projeto de Pesquisa do Programa

Leia mais

Pesquisa e método científicos

Pesquisa e método científicos Pesquisa e método científicos Cláudia Dias e Denise Fernandes Brasília, março 2000. Resumo Apresenta conceitos de ciência, pesquisa e método científicos e traça paralelos entre conhecimento científico

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE O CONTEÚDO DO PROJETO

ORIENTAÇÕES SOBRE O CONTEÚDO DO PROJETO ORIENTAÇÕES SOBRE O CONTEÚDO DO PROJETO ESCOLHA DO TEMA - Seja cauteloso na escolha do tema a ser investigado. Opte por um tema inserido no conteúdo programático da disciplina pela qual teve a maior aptidão

Leia mais

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugerimos, para elaborar a monografia de TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), que o aluno leia atentamente essas instruções. Fundamentalmente,

Leia mais

FLUXOGRAMA DA PESQUISA

FLUXOGRAMA DA PESQUISA FLUXOGRAMA DA PESQUISA Desde a preparação até a apresentação de um relatório de pesquisa estão envolvidas diferentes etapas. Algumas delas são concomitantes; outras são interpostas. O fluxo que ora se

Leia mais

UNIVERSIDADE IGUAÇU FACUDADE DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

UNIVERSIDADE IGUAÇU FACUDADE DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS UNIVERSIDADE IGUAÇU FACUDADE DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE MONOGRAFIA FILOMENA MARIA RATES SOARES VITOR TENÓRIO NOVA

Leia mais

Técnicas de coleta de dados e instrumentos de pesquisa

Técnicas de coleta de dados e instrumentos de pesquisa Técnicas de coleta de dados e instrumentos de pesquisa O que é técnica? O que é instrumento? Tipos de técnicas e instrumentos de pesquisa Entrevista Questionários Observação 1. ENTREVISTA Encontro entre

Leia mais

1 ROTEIRO PARA PROJETO DE PESQUISA

1 ROTEIRO PARA PROJETO DE PESQUISA Roteiro para projeto de pesquisa Gildenir Carolino Santos, 2005. 1 ROTEIRO PARA PROJETO DE PESQUISA Antes de passar para a construção ou montagem de um projeto de pesquisa, é importante saber que esse

Leia mais

Ajuda ao SciEn-Produção 1. 1. O Artigo Científico da Pesquisa Experimental

Ajuda ao SciEn-Produção 1. 1. O Artigo Científico da Pesquisa Experimental Ajuda ao SciEn-Produção 1 Este texto de ajuda contém três partes: a parte 1 indica em linhas gerais o que deve ser esclarecido em cada uma das seções da estrutura de um artigo cientifico relatando uma

Leia mais

Resenha sobre o capítulo II Concepção e Organização da pesquisa do livro Metodologia da Pesquisa-ação

Resenha sobre o capítulo II Concepção e Organização da pesquisa do livro Metodologia da Pesquisa-ação Resenha sobre o capítulo II Concepção e Organização da pesquisa do livro Metodologia da Pesquisa-ação Felipe Schadt 1 O presente capítulo 2 é parte integrante do livro Metodologia da Pesquisa-ação, do

Leia mais

COMO FORMATAR MONOGRAFIA E TCC

COMO FORMATAR MONOGRAFIA E TCC TEXTO COMPLEMENTAR AULA 2 (15/08/2011) CURSO: Serviço Social DISCIPLINA: ORIENTAÇÕES DE TCC II - 8º Período - Turma 2008 PROFESSORA: Eva Ferreira de Carvalho Caro acadêmico, na Aula 2, você estudará Áreas

Leia mais

Na introdução o aluno deverá explicar o assunto que deseja desenvolver. Situar o tema dentro do contexto geral da sua área de trabalho

Na introdução o aluno deverá explicar o assunto que deseja desenvolver. Situar o tema dentro do contexto geral da sua área de trabalho PROJETO DE PESQUISA INTRODUÇÃO (O QUE É O TEMA?) Na introdução o aluno deverá explicar o assunto que deseja desenvolver. Desenvolver genericamente o tema Anunciar a idéia básica Delimitar o foco da pesquisa

Leia mais

Métodos qualitativos:

Métodos qualitativos: Métodos AULA 11 qualitativos: Pesquisa-Ação Quando iniciou-se a pesquisa-ação? Para Susman e Evered (1978), o termo pesquisa-ação foi introduzido por Kurt Lewin em 1946 para denotar uma abordagem pioneira

Leia mais

Índice. 1. A Pesquisa Quantitativa...3 2. A Produção Científica nas Diversas Áreas do Conhecimento...3

Índice. 1. A Pesquisa Quantitativa...3 2. A Produção Científica nas Diversas Áreas do Conhecimento...3 GRUPO 6.3 MÓDULO 17 Índice 1. A Pesquisa Quantitativa...3 2. A Produção Científica nas Diversas Áreas do Conhecimento...3 2.1. A Produção Científica... 3 2.2. Divulgação Científica... 3 2.3. Comunicação

Leia mais

3 METODOLOGIA DA PESQUISA

3 METODOLOGIA DA PESQUISA 43 3 METODOLOGIA DA PESQUISA Medeiros (2005) esclarece que a pesquisa científica tem por objetivo maior contribuir para o desenvolvimento humano. Para isso, conta com métodos adequados que devem ser planejados

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS FACULDADE LUTERANA SÃO MARCOS

NORMAS TÉCNICAS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS FACULDADE LUTERANA SÃO MARCOS NORMAS TÉCNICAS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS FACULDADE LUTERANA SÃO MARCOS Núcleo Docente Estruturante Prof. Álvaro Antônio Dal Molin Flores Prof. Carlos André Junqueira Prof. Cilane da Rosa

Leia mais

COLETA DE DADOS PROFA. ENIMAR JERÔNIMO WENDHAUSEN

COLETA DE DADOS PROFA. ENIMAR JERÔNIMO WENDHAUSEN COLETA DE DADOS PROFA. ENIMAR JERÔNIMO WENDHAUSEN Objetivo da aula Conhecer os instrumentos de coleta de dados, suas vantagens e limitações. Caminhos Para a Obtenção de Dados Pesquisa em ciências sociais

Leia mais

Apresentação... 19 Prefácio da primeira edição... 21 Prefácio da segunda edição... 27 Introdução... 33

Apresentação... 19 Prefácio da primeira edição... 21 Prefácio da segunda edição... 27 Introdução... 33 Sumário Apresentação... 19 Prefácio da primeira edição... 21 Prefácio da segunda edição... 27 Introdução... 33 Capítulo I CIÊNCIA, CONHECIMENTOS E PESQUISA CIENTÍFICA... 37 1. Conceito de ciência e tipos

Leia mais

PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA

PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA O que é o Projeto de Intervenção Pedagógica? O significado de projeto encontrado comumente nos dicionários da Língua Portuguesa está associado a plano de realizar,

Leia mais

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA - CEUA

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA - CEUA ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA - CEUA Estrutura do Projeto de Pesquisa CAPA FOLHA DE ROSTO SUMÁRIO 1. RESUMO 2. PROBLEMA DE PESQUISA OU INTRODUÇÃO 3. REFERENCIAL TEÓRICO (REVISÃO DE

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA: passo a passo

PROJETO DE PESQUISA: passo a passo UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PROFª MSC. RITA LÍRIO DE OLIVEIRA PROJETO DE PESQUISA: passo a passo ILHÉUS - BAHIA 2013 PROFª MSC. RITA LÍRIO DE OLIVEIRA PROJETO DE PESQUISA: passo a passo Módulo

Leia mais

Aquisição de aptidões para realizar investigação científica. Valoriza-se a pesquisa em detrimento da assimilação acrítica.

Aquisição de aptidões para realizar investigação científica. Valoriza-se a pesquisa em detrimento da assimilação acrítica. Azevedo, C. et al. (1996) Metodologia científica. Porto: s/ed. (pp.15-28) Aquisição de aptidões para realizar investigação científica. Valoriza-se a pesquisa em detrimento da assimilação acrítica. Aprender

Leia mais

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA 1. Escolha do tema 2. Formulação do problema 3. Justificativa 4. Determinação dos objetivos 5. Referencial teórico 6. Referências 1 Escolha do Tema 1. Escolha do Tema Nesta

Leia mais

METODOLOGIA CIENTÍFICA PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA CITAÇÕES NO TEXTO REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ESTRUTURA MONOGRAFIA

METODOLOGIA CIENTÍFICA PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA CITAÇÕES NO TEXTO REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ESTRUTURA MONOGRAFIA METODOLOGIA CIENTÍFICA PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA CITAÇÕES NO TEXTO REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ESTRUTURA MONOGRAFIA 1 METODOLOGIA CIENTÍFICA ELABORANDO PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA 2 Abordagem Sistêmica

Leia mais

3 Metodologia. 3.1. Introdução

3 Metodologia. 3.1. Introdução 3 Metodologia 3.1. Introdução Este capítulo é dedicado à forma de desenvolvimento da pesquisa. Visa permitir, através da exposição detalhada dos passos seguidos quando da formulação e desenvolvimento do

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO FINCK, Silvia Christina Madrid (UEPG) 1 TAQUES, Marcelo José (UEPG) 2 Considerações iniciais Sabemos

Leia mais

Etapas da Introdução do Projeto de Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ

Etapas da Introdução do Projeto de Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ Etapas da Introdução do Projeto de Pesquisa Científica Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ A Pesquisa: Conceitos e Definições O que é pesquisa? Pesquisar, significa, de forma

Leia mais

Aula 8 ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA. Weverton Santos de Jesus João Paulo Mendonça Lima

Aula 8 ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA. Weverton Santos de Jesus João Paulo Mendonça Lima Aula 8 ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA META Apresentar e descrever a construção de um projeto de pesquisa e seus elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais; OBJETIVOS Ao fi nal desta aula, o aluno

Leia mais

O TRABALHO DE MONOGRAFIA

O TRABALHO DE MONOGRAFIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Módulo VI-a 27 a 29 de janeiro de 2011 O TRABALHO DE MONOGRAFIA PRINCÍPIO PARA O CONHECIMENTO E A FORMAÇÃO PROFISSIONAL Prof. Ms. Adriana Fernandes

Leia mais

PLANO DE ENSINO E ESTRATÉGIAS

PLANO DE ENSINO E ESTRATÉGIAS PLANO DE ENSINO E ESTRATÉGIAS Profª. Msc. Clara Maria Furtado claramaria@terra.com.br clara@unifebe.edu.br PLANEJAMENTO Representa uma organização de ações em direção a objetivos bem definidos, dos recursos

Leia mais

Metodologia Científica. Metodologia Científica

Metodologia Científica. Metodologia Científica Metodologia Científica Metodologia Científica Seqüência da Apresentação Introdução Tipos de pesquisa Tipos de fontes de dados Pesquisa na área de Informática Projeto de pesquisa Metodologia Formato de

Leia mais

Tópicos Abordados. Pesquisa de Mercado. Aula 1. Contextualização

Tópicos Abordados. Pesquisa de Mercado. Aula 1. Contextualização Pesquisa de Mercado Aula 1 Prof. Me. Ricieri Garbelini Tópicos Abordados 1. Identificação do problema ou situação 2. Construção de hipóteses ou determinação dos objetivos 3. Tipos de pesquisa 4. Métodos

Leia mais

XI Encontro de Iniciação à Docência

XI Encontro de Iniciação à Docência 4CCAEDHMT01-P A IMPORTÂNCIA EPISTEMOLÓGICA DA METODOLOGIA DE PESQUISA NAS CIÊNCIAS SOCIAIS Ozilma Freire dos Santos (1) Deyve Redyson (3). Centro de Ciências Aplicadas e Educação/Departamento de Hotelaria/MONITORIA

Leia mais

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral

Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral III Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação PUCRS Reflexões sobre as dificuldades na aprendizagem de Cálculo Diferencial e Integral Marcelo Cavasotto, Prof.ª Dra. Ruth Portanova (orientadora) Mestrado em Educação

Leia mais

Suas atividades terão como horizonte a escola, de modo particular, a escola em que você atua!

Suas atividades terão como horizonte a escola, de modo particular, a escola em que você atua! PROJETO-INTERVENÇÃO O curso de formação de gestores escolares que estamos realizando orientase por dois eixos básicos: a) a educação compreendida como direito social a ser suprido pelo Estado; b) a gestão

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA CONSTRUÇÃO DE PROJETOS CIENTÍFICOS

PROCEDIMENTOS PARA CONSTRUÇÃO DE PROJETOS CIENTÍFICOS PROCEDIMENTOS PARA CONSTRUÇÃO DE PROJETOS CIENTÍFICOS Procedimentos para utilização na disciplina de Prática Profissional I Este documento é parte integrante das Normas Técnicas para Elaboração de Trabalhos

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE COMO DEVE SER FEITO O TCC DENTRO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

ORIENTAÇÃO SOBRE COMO DEVE SER FEITO O TCC DENTRO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ORIENTAÇÃO SOBRE COMO DEVE SER FEITO O TCC DENTRO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Ministrantes: Anita Maria da Rocha Fernandes César Albenes Zeferino Maria Cristina Kumm Pontes Rafael Luiz Cancian Itajaí,

Leia mais

MBA em Gestão Estratégica

MBA em Gestão Estratégica MBA em Gestão Estratégica Disciplina Extra Metodologia Científica Profa. Dra. Sonia Valle W. B. Oliveira Parte 1-23/03/2012 Parte 2-30/03/2012 1 Aula Extra Parte 2 Metodologia Científica 2 Agenda Dados

Leia mais

2. TRABALHOS ACADÊMICOS, DISSERTAÇÕES E TESES

2. TRABALHOS ACADÊMICOS, DISSERTAÇÕES E TESES 1. PROJETO DE PESQUISA O projeto de pesquisa surge como proposta da solução de um problema, ou seja, da identificação de uma necessidade a ser satisfeita. É o resultado do planejamento para a solução do

Leia mais

Utilize o roteiro abaixo como mapa para elaboração do projeto. Organizado o conjunto, amplie as partes que requerem detalhamento.

Utilize o roteiro abaixo como mapa para elaboração do projeto. Organizado o conjunto, amplie as partes que requerem detalhamento. Utilize o roteiro abaixo como mapa para elaboração do projeto. Organizado o conjunto, amplie as partes que requerem detalhamento. ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA Título provisório (uma expressão

Leia mais

METODOLOGIA DE PESQUISA CIENTÍFICA

METODOLOGIA DE PESQUISA CIENTÍFICA METODOLOGIA DE PESQUISA CIENTÍFICA APLICADA À EDUCAÇÃO Araguaina TO 12 e 13 DEZEMBRO de 2014 Prof. Dr. Kleber Abreu Sousa 1 Ementa: O caráter do conhecimento. A questão do método Científico de Pesquisa.

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Metodologia e Introdução à Pesquisa Prof. Ricardo Bicalho Redes de Computadores Ciência e Método Científico AULA 3 1 AGENDA PORQUE ESTUDAR METODOLOGIA ENSINO SUPERIOR E PESQUISA ELEMENTOS

Leia mais

Preparação do Trabalho de Pesquisa

Preparação do Trabalho de Pesquisa Preparação do Trabalho de Pesquisa Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Pesquisa Bibliográfica Etapas do Trabalho de Pesquisa

Leia mais

MATRIZ ANALÍTICA (Projeto de Pesquisa)

MATRIZ ANALÍTICA (Projeto de Pesquisa) MATRIZ ANALÍTICA (Projeto de Pesquisa) 1 Projetos Projeto é um plano, uma projeção, um olhar que se debruça sobre o que está por vir, uma carta de intenções, a proposição de um esquema, de um roteiro que

Leia mais

CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO OSWALDO CRUZ

CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO OSWALDO CRUZ Introdução Quando se pretende elaborar um trabalho acadêmico e sua respectiva comunicação científica, é necessário que se faça inicialmente um planejamento, no qual devem constar os itens que permitirão

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA. Antonio Joaquim Severino 1. Um projeto de bem elaborado desempenha várias funções:

PROJETO DE PESQUISA. Antonio Joaquim Severino 1. Um projeto de bem elaborado desempenha várias funções: PROJETO DE PESQUISA Antonio Joaquim Severino 1 Um projeto de bem elaborado desempenha várias funções: 1. Define e planeja para o próprio orientando o caminho a ser seguido no desenvolvimento do trabalho

Leia mais

MÉTODO CIENTÍFICO. BENEFÍCIOS DO MÉTODO: execução de atividade de forma mais segura, mais econômica e mais perfeita;

MÉTODO CIENTÍFICO. BENEFÍCIOS DO MÉTODO: execução de atividade de forma mais segura, mais econômica e mais perfeita; MÉTODO CIENTÍFICO CONCEITO: palavra de origem grega, significa o conjunto de etapas e processos a serem vencidos ordenadamente na investigação da verdade; IMPORTÃNCIA DO MÉTODO: pode validar ou invalidar

Leia mais

PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS

PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS PROPOSTA DE UMA METODOLOGIA PARA ELABORAR PROJETO DE ENSINO INTEGRANDO RECURSOS TECNOLÓGICOS Fortaleza Ce Agosto 2009 Liádina Camargo Lima Universidade de Fortaleza liadina@unifor.br Categoria C Métodos

Leia mais

Tópicos Abordados. Pesquisa de Mercado. Aula 2. Contextualização. Qualitativa X Quantitativa. Instrumentalização. 1. Diferença entre qualitativa

Tópicos Abordados. Pesquisa de Mercado. Aula 2. Contextualização. Qualitativa X Quantitativa. Instrumentalização. 1. Diferença entre qualitativa Tópicos Abordados Pesquisa de Mercado Aula 2 Prof. Me. Ricieri Garbelini 1. Diferença entre qualitativa e quantitativa 2. Dados X informação 3. Tipos de coleta 4. Classificação dos dados 5. Amostragem

Leia mais

PLANO DE DISCIPLINA. Faculdade Internacional do Delta Curso: Serviço Social. Período: 1º/2014 1. UNIDADE TEMÁTICA:

PLANO DE DISCIPLINA. Faculdade Internacional do Delta Curso: Serviço Social. Período: 1º/2014 1. UNIDADE TEMÁTICA: PLANO DE DISCIPLINA Faculdade Internacional do Delta Curso: Serviço Social Coordenação: Naiara Magalhães Professor (a): Adriana Barros Disciplina: Pesquisa Social I Carga horária: 60h Período: 1º/2014

Leia mais

Estratégias de Pesquisa

Estratégias de Pesquisa Estratégias de Pesquisa Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Survey Design e Criação Estudo de Caso Pesquisa Ação Experimento

Leia mais

ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA: TEMA, PROBLEMATIZAÇÃO, OBJETIVOS, JUSTIFICATIVA E REFERENCIAL TEÓRICO

ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA: TEMA, PROBLEMATIZAÇÃO, OBJETIVOS, JUSTIFICATIVA E REFERENCIAL TEÓRICO ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA: TEMA, PROBLEMATIZAÇÃO, OBJETIVOS, JUSTIFICATIVA E REFERENCIAL TEÓRICO PROF. ME. RAFAEL HENRIQUE SANTIN Este texto tem a finalidade de apresentar algumas diretrizes para

Leia mais

Pesquisa de Mercado e Opinião

Pesquisa de Mercado e Opinião Pesquisa de Mercado e Opinião MATTAR Prof. Ms. Alexandre Augusto Giorgio 1 NATUREZA DAS VARIÁVEIS ESTUDADAS 2 NATUREZA DO RELACIONAMENTO ENTRE VARIÁVEIS ESTUDADAS 3 OBJETIVO E GRAU EM QUE O PROBLEMA DE

Leia mais

O projeto de pesquisa e seus componentes

O projeto de pesquisa e seus componentes O projeto de pesquisa e seus componentes Leitura: Pesquisa científica componentes de um projeto de pesquisa Bibliografia: Livros de metodologia científica Sugestões :Vergara; Lakatos e Gil. Além disso,

Leia mais

O PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA E SUA APLICAÇÃO

O PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA E SUA APLICAÇÃO O PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA E SUA APLICAÇÃO Objetivos: Apresentar a estrutura básica de um projeto de pesquisa com vistas a sua elaboração FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU GESTÃO DA COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA

Leia mais

O que é a estatística?

O que é a estatística? Elementos de Estatística Prof. Dr. Clécio da Silva Ferreira Departamento de Estatística - UFJF O que é a estatística? Para muitos, a estatística não passa de conjuntos de tabelas de dados numéricos. Os

Leia mais

14 --------- Como redigir o projeto de pesquisa? 14. 1.2 Identificação

14 --------- Como redigir o projeto de pesquisa? 14. 1.2 Identificação 14 --------- Como redigir o projeto de pesquisa? 14. 1.2 Identificação Nesta primeira parte são apresentados os dados essenciais à identificação do projeto, quais sejam: a) título e subtítulo (se houver);

Leia mais

:: Cuidados na Elaboração de uma Redação Científica

:: Cuidados na Elaboração de uma Redação Científica :: Cuidados na Elaboração de uma Redação Científica José Mauricio Santos Pinheiro em 21/04/2005 Os princípios indispensáveis à redação científica podem ser resumidos em quatro pontos fundamentais: clareza,

Leia mais

Metodologia Científica. César de Paula Diego Vilela Elisane Silva Fabrício Aranda Wesley Sato

Metodologia Científica. César de Paula Diego Vilela Elisane Silva Fabrício Aranda Wesley Sato Metodologia Científica César de Paula Diego Vilela Elisane Silva Fabrício Aranda Wesley Sato Metodologia Científica Introdução Métodos Introdução Metodologia científica é a forma como se conduz uma pesquisa,

Leia mais

A Busca pela Construção do Conhecimento e a Transformação das Realidades

A Busca pela Construção do Conhecimento e a Transformação das Realidades A Busca pela Construção do Conhecimento e a Transformação das Realidades Como vimos na unidade anterior, é próprio do homem buscar e produzir conhecimento para tentar melhorar sua realidade. Portanto,

Leia mais

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9

PR 2 PROCEDIMENTO. Auditoria Interna. Revisão - 2 Página: 1 de 9 Página: 1 de 9 1. OBJETIVO Estabelecer sistemática de funcionamento e aplicação das Auditorias Internas da Qualidade, fornecendo diretrizes para instruir, planejar, executar e documentar as mesmas. Este

Leia mais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA Matemática Aplicada às Ciências Sociais Ensino Regular Curso Geral de Ciências Sociais e Humanas 10º Ano Planificação 2014/2015 Índice Finalidades... 2 Objectivos e competências

Leia mais

O que você deverá saber. Ao final do estudo do Tópico 3 você deverá:

O que você deverá saber. Ao final do estudo do Tópico 3 você deverá: Tópico 3 Relatórios Técnico-científicos n. O que você deverá saber Ao final do estudo do Tópico 3 você deverá: - saber identificar os elementos que compõem a estrutura de um relatório técnico-científico;

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA - MG NOME COMPLETO TÍTULO DO PROJETO: SUBTÍTULO DO PROJETO (SE HOUVER)

FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA - MG NOME COMPLETO TÍTULO DO PROJETO: SUBTÍTULO DO PROJETO (SE HOUVER) FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA - MG NOME COMPLETO TÍTULO DO PROJETO: SUBTÍTULO DO PROJETO (SE HOUVER) UBERLÂNDIA 2013 NOME COMPLETO TÍTULO DO PROJETO: subtítulo do projeto (se houver) Projeto de Pesquisa

Leia mais

PESQUISA QUALITATIVA

PESQUISA QUALITATIVA PESQUISA QUALITATIVA CONHECIMENTO É o processo pelo qual as pessoas intuem, apreendem e depois expressam. Qualquer ser humano que apreende o mundo (pensa) e exterioriza, produz conhecimento. PESQUISA É

Leia mais

Etapas de um Projeto de Pesquisa. Robledo Lima Gil

Etapas de um Projeto de Pesquisa. Robledo Lima Gil Etapas de um Projeto de Pesquisa Robledo Lima Gil Etapas... Escolha do tema Formulação do problema 1) Introdução; 2) Revisão de literatura (Referenciais teóricos); 3) Justificativa; 4) Objetivos (geral

Leia mais

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO José da Silva de Lima¹; José Rodolfo Neves da Silva²; Renally Gonçalves da Silva³; Alessandro Frederico da Silveira

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU DISCIPLINA DE MONOGRAFIA JURÍDICA

FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU DISCIPLINA DE MONOGRAFIA JURÍDICA FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU DISCIPLINA DE MONOGRAFIA JURÍDICA Texto de Apoio Instrucional Nº. 1 PROJETO DE PESQUISA NA ÁREA JURÍDICA: UM ROTEIRO BÁSICO Bauru 2009 FIB MJ O Projeto de Pesquisa: Orientações

Leia mais

PROJETO DE PEQUISA CURSO: BACHAREL EM TEOLOGIA

PROJETO DE PEQUISA CURSO: BACHAREL EM TEOLOGIA PROJETO DE PEQUISA CURSO: BACHAREL EM TEOLOGIA Aluno : Período : Professor : Proposta para Orientação 1ª Opção : 2ª Opção : 3ª Opção : Aprovado em / / Assinatura Professor 1. AREA : Área do conhecimento

Leia mais

Métodos qualitativos: Estudo de Caso

Métodos qualitativos: Estudo de Caso Métodos AULA 10 qualitativos: Estudo de Caso Por que o estudo de caso? Ele vem sendo considerado um dos mais importantes métodos de pesquisa na gestão de operações, particularmente no desenvolvimento de

Leia mais