Estão corretas: (A) I, II e IV (B) II e III (C) II e IV (D) III e V (E) I, III e V

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estão corretas: (A) I, II e IV (B) II e III (C) II e IV (D) III e V (E) I, III e V"

Transcrição

1 FUNDAÇÃO VISCONDE DE CAIRU FACULDADE VISCONDE DE CAIRU CURSO: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS PROF.: AFONSO CELSO M. MADEIRA DISCIPLINA: COMPUTAÇÃO GRÁFICA (TACOG) 4º SEMESTRE GABARITO Segundo a ISO (International Organization for Standardzation), a definição de computação gráfica é: um conjunto de ferramentas e técnicas para converter dados para ou de um dispositivo gráfico através do computador. AZEVEDO, Eduardo; CONCI, Aura. Computação gráfica: geração de imagens. Rio de Janeiro: Campus, Com base na definição citada, analise as seguintes afirmativas: I - O dispositivo gráfico referido é o monitor. II - A Computação Gráfica é a área da Ciência da Computação que estuda a geração, armazenamento, manipulação e interpretação de imagens por meio de computadores. III - Considera-se que o início da Computação Gráfica se deu no início da década de 80. IV - Dentre as ferramentas referidas, temos o hardware e o software gráfico. V - Dentre as técnicas, temos os scanners, monitores e impressoras. Estão corretas: (A) I, II e IV (B) II e III (C) II e IV (D) III e V (E) I, III e V Sobre pixel, pode-se dizer que: I - Seu tamanho depende da configuração da resolução da tela. II - É a unidade padrão de informações gráficas para todos os dispositivos de saída. III - Seu tamanho é fixo e depende do tamanho do dispositivo de saída. IV - Representa uma unidade que pode ser controlada individualmente e contém informações sobre cores e brilho. V - Suas dimensões são dadas em dpi. Estão corretas: (A) I, II e IV (B) II e III (C) II, IV e V (D) I e IV (E) III e IV Os sistemas de cores aditivas são usados em monitores de vídeo e TV, enquanto que os sistemas de cores subtrativas são usados em impressões e pinturas. No modelo de cores aditivas RGB, os componentes R, G e B são as quantidades de luz vermelha, verde e azul que uma cor tem e são medidos em valores que variam de 0 a 255. No modelo subtrativo CMYK, por sua vez, os componentes C M Y e K são quantidades de tinta ciano (C), magenta (M), amarelo (Y) e preto (K) que uma cor contém e são medidos em porcentagem de 0 a 100. De acordo com o exposto, nos sistema RGB, I - o branco e o preto podem ser obtidos por mais de uma maneira. II - suas cores secundárias são as primárias do modelo subtrativo CMYK. III - as cores primárias são obtidas através de misturas das outras. IV - o branco é gerado pela ausência de cor e o preto é a mistura de todas as cores. V - o branco é a mistura de todas as cores e o preto é gerado pela ausência de cor. Estão corretas: (A) I, II e V (B) II, III e IV (C) II e V (D) III e V (E) II e IV

2 [...] considera-se que o início da Computação Gráfica, como hoje a conhecemos, se deu no início da década de 60, no Massachussets Institute of Technology nos Estados Unidos, com o sistema Sketchpad, desenvolvido por Ivan Sutherland em sua tese de doutorado. GOMES, Luiz Velho Jonas de Miranda. Computação Gráfica e Estilos Visuais. Disponível em: <http://www.visgraf.impa.br>. A Computação Gráfica como hoje a conhecemos pode ser definida como: (A) a representação de uma imagem em região discreta limitada através de um conjunto de valores inteiros que representam cada um de seus pontos. (B) conjunto de ferramentas e técnicas para criação de animações digitais. (C) a área da Ciência da Computação que estuda a geração, armazenamento, manipulação e interpretação de imagens por meio de computadores. (D) técnicas para se perceber melhor a profundidade em imagens bidimensionais. (E) a representação visual de objetos em computadores. O desenho de um sólido bidimensional apresenta duas etapas principais: o traçado do contorno, que mantém as propriedades geométricas do objeto e o preenchimento de sua área. São características de cada uma delas, respectivamente: (A) Cor e espessura. (B) Linha e cor. (C) Espessura e traço. (D) Traço e cor. (E) Preenchimento e textura. Preencha a coluna da direita conforme os critérios à esquerda: (A) Imagem vetorial Vantagem (B) Imagem vetorial Desvantagem (C) Imagem matricial Vantagem (D) Imagem matricial Desvantagem (E) Nenhuma das anteriores ( C ) ( D ) ( B ) ( A ) ( D ) ( C ) ( A ) ( B ) ( A ) ( C ) - Fácil armazenamento e leitura. - Imagens podem ser muito grandes. - Quando alterados, têm reconstrução mais lenta. - Facilidade de manipulação. - Dificuldade em realizar operações de escala. - Valores de pixels podem ser alterados individualmente ou em grupo. - Facilidade de alteração. - Requer dispositivos de saída específicos para ter bons resultados. - Facilidade de armazenamento dos elementos geométricos. - Fácil tradução para dispositivos baseados em pontos. Existem diversas definições de Computação Gráfica. [...]. A primeira definição é a tirada da tradução do termo em inglês Computer Graphics. Graphics: Disciplina que trata de todas as teorias, métodos e técnicas de representação, cálculos e visualização de gráficos. Computer: por computador. Em Computer Graphics, o substantivo é Graphics e o adjetivo é Computer, mas na tradução para português, há uma inversão: Computação é o substantivo e Gráfica o adjetivo. Alpha Channel. Computação Gráfica e suas definições. Disponível em <http://www.alphachannel.net.br/blog/2009/07/computacaografica-e-suas-definicoes>. Acesso em 22 mar Dentre as outras definições a que o texto acima se refere, pode-se dizer que: I - é o conjunto de técnicas e métodos utilizados para conversão de dados em representação gráfica através de um dispositivo de computador. II - são métodos e técnicas para conversão de dados em dispositivos gráficos.

3 III - é a área da ciência da computação que estuda a criação, manipulação e interpretação de modelos e imagens de objetos utilizando o computador. IV - é um conjunto de hardwares e softwares para a criação de programas gráficos em computador. V - é um conjunto de softwares e técnicas para converter dados de planilhas em gráficos através do computador. Estão corretas: (A) I e III (B) II e IV (C) I e V (D) IV e V (E) III e IV As aplicações da computação gráfica vão desde a criação de interfaces para softwares até o desenvolvimento de jogos e animações 3D. A animação, portanto, é umas das áreas derivadas da computação gráfica e estuda as modificações de superfícies que se alteram ou se deformam com o passar do tempo. Poderíamos dizer que está relacionada diretamente à mecânica computacional, pois seu objeto de estudo está em movimento constante. Recentemente, a simulação física se tornou mais popular, na medida em que os computadores se tornaram mais potentes. Essa simulação é atualmente utilizada em filmes de ação e ficção, possibilitando maior realismo a cenas cujo teor a capacidade humana não alcance. InfoSoftware. Computação Gráfica: aplicações e recursos usados em seu desenvolvimento. Disponível em <http://www.infosoftware.com.br/tecnologia/computacao-grafica-aplicacoes-e-recursos-usadosem-seu-desenvolvimento>. Acesso em 16 abr Com base no texto acima, analise as seguintes afirmativas: I - O texto cita todas as aplicações da computação gráfica. II - Animações 3D são criadas em softwares como o Blender 3D. III - A criação de interfaces para softwares é feita em softwares de desenho como o Gimp. Estão corretas: (A) I e II (B) I e III (C) II e III (D) II e III (E) I, II e III Imagens digitais podem ser unidimensionais, bidimensionais ou tridimensionais. Podem ser binárias, monocromáticas, multibandas ou coloridas, quanto ao conteúdo de cada um de seus pontos. Também podem ser vetoriais ou matriciais quanto à forma de descrição. AZEVEDO, Eduardo; CONCI, Aura; LETA, Fabiana. Computação gráfica vol. 2: teoria e prática. Rio de Janeiro: Elsevier, ª reimpressão. p.3. I - São exemplos de imagens bidimensionais o ponto e o segmento de reta. II - Imagens binárias possuem apenas pontos brancos ou pretos. III - Os pontos citados no texto são chamados de pixels. IV - Imagens vetoriais utilizam como elementos básicos pontos, linhas e curvas. V - Imagens matriciais referem-se apenas às imagens impressas em antigas impressoras. Estão corretas: (A) I, II e III (B) II, III e IV (C) II, III e V (D) I, III e V (E) I, II e IV Um modelo de cor é um sistema utilizado para organizar e definir cores conforme um conjunto de propriedades básicas que são reprodutíveis. Uma das formas mais eficientes de descrever a cor usa os elementos matiz, saturação e intensidade. AZEVEDO, Eduardo; CONCI, Aura; LETA, Fabiana. Computação gráfica vol. 2: teoria e prática. Rio de Janeiro: Elsevier, ª reimpressão. p.36.

4 I - O matiz determina a cor propriamente dita, permitindo se distinguir o verde do azul, por exemplo. II - A saturação é a quantidade de pixels da mesma cor saturando determinada área da imagem. III - A intensidade também chamada de valor (value), brilho (brightness) ou luminosidade (lightness) determina a intensidade de luz que uma superfície tem a capacidade de refletir ou uma fonte luminosa de emitir. IV - A saturação é a intensidade de um dado matiz, que permite diferenciar o azul-claro do azulmarinho, por exemplo. V - A matiz é uma tabela que armazena números e permite a criação de variáveis de memória. Estão corretas: (A) I, II e III (B) I, III e V (C) I, III e IV (D) I, II e III (E) III, IV e V Quanto à representação, os sistemas [de cores] podem ser reflexivos ou emissivos. No primeiro, encontram-se sistemas que não emitem energia luminosa; utilizam luz proveniente de uma outra fonte. Os emissivos são fontes de energia radiante que produzem diretamente a informação de cor. [...] As cores primárias são aquelas que não podem ser produzidas a partir da mistura de outras cores e, se elas forem misturadas entre si em proporções variáveis, produzem todas as demais cores. As cores primárias de fontes emissoras da luz são o vermelho, o verde e o azul. E as cores primárias dos pigmentos são o amarelo, o magenta e o ciano [...]. As cores complementares das fontes emissoras ou luzes são as que, misturadas às primárias, produzem a luz branca. As luzes complementares são representadas pelos pares: vermelho-ciano, amarelo-azul e verde-magenta. AZEVEDO, Eduardo; CONCI, Aura; LETA, Fabiana. Computação gráfica vol. 2: teoria e prática. Rio de Janeiro: Elsevier, ª reimpressão. p.38. I - Impressoras utilizam o sistema reflexivo de cores, enquanto monitores usam o sistema emissivo. II - Por refletir a luz, o RGB é um exemplo de sistema de cor reflexivo. III - As cores primárias do sistema CMY são as secundárias do sistema RGB e vice-versa. IV - A mistura em proporções iguais das cores primárias no sistema CMY gera a cor branca. V - A mistura em proporções iguais das cores primárias no sistema RGB gera a cor preta. Estão corretas: (A) I, II e III (B) II e IV (C) I, III e IV (D) II, III e V (E) I e III A imagem digital pode ser exibida nos monitores, projetores, óculos de realidade virtual, revistas, jornais, outdoors e muitos outros dispositivos. Também pode ser gerada de diversas maneiras, como por câmeras digitais (de vídeo, de fotografia ou de cinema), scanners, programas de computação gráfica ou placas de vídeo e programas que convertem a imagem analógica em digital. Existem, no entanto, penas dois caminhos para construir e gerar a imagem digital. E eles fornecem como saída a imagem do tipo raster ou a vetorial. [...] A imagem raster é formada como um mosaico de pixels, que podem ter diversos formatos, mas são, em geral, quadrados ou retangulares. [...] A imagem vetorial não perde qualidade quando é ampliada porque todos os seus dados são recalculados e exibidos enquanto o seu tamanho é alterado. GOMIDE, João Victor Boechat. Imagem digital aplicada: uma abordagem para estudantes e profissionais. São Paulo: Elsevier, pp I - O pixel é um elemento existente apenas na imagem raster. II - No contexto, raster significa matricial. III - Quanto menor o pixel, maior a resolução de tela e melhor a qualidade da imagem.

5 IV - O pixel tem tamanho fixo e não pode ser alterado. V - É uma vantagem da representação vetorial não perder qualidade quando a imagem é redimensionada. Estão corretas: (A) I, II e III (B) I, III e V (C) II, III e IV (D) II, III e V (E) II e V Editores de imagem ou programas de tratamento de imagens digitais são aplicativos ou ferramentas que permitem manipular imagens digitais (salvar, retocar, modificar, recortar, pintar, desenhar, colar, aplicar filtros etc.). Os MATRICIAIS geram pinturas digitais, ilustrações, editam ou retocam fotografias; os VETORIAIS criam ilustrações por meio de cálculos matemáticos (vetores) que podem ser modificados, tendo por base objetos e curvas, aos quais se pode manipular contorno e preenchimento. Os TRIDIMENSIONAIS manipulam imagens em três dimensões como sólidos simples (cubos, esferas, cilindros, prismas, pirâmides etc.) e permitem criação de animações. Sabendo disso, cite dois exemplos de cada tipo citado no texto. Imagens digitais podem ter diferentes formatos, com extensões como BMP, TIF, JPG, PCX, GIF, PSD etc. A escolha depende da finalidade e do programa a ser usado. Enquanto alguns formatos podem ser comprimidos sem perda de qualidade, outros permitem alto grau de compressão, mas com perdas proporcionais: quanto maior a compressão, maior a perda de qualidade. Cite dois formatos MATRICIAIS e dois formatos VETORIAIS de imagem. Existem três grandes áreas em Computação Gráfica: Síntese de Imagens, Processamento de Imagens e Análise de imagens [...]. Alpha Channel. Computação Gráfica e suas definições. Disponível em <http://www.alphachannel.net.br>. Descreva, resumidamente, cada uma das três áreas citadas no texto acima. Diversos tipos de softwares gráficos estão à disposição da Computação Gráfica. Dentre os softwares utilizados em síntese e processamento digital de imagens, cite dois usados para criação de imagens vetoriais, dois para tratamento de imagens digitais e dois para modelagem 3D. CorelDraw, Adobe Illustrator / Adobe Photoshop, GIMP / Maya, Blender 3D Basicamente, imagens só existem após serem adquiridas ou geradas. Cite um tipo de cada caso. Foto, filme / Pintura, desenho Primitivas gráficas são utilizadas para a criação de objetos que comporão uma imagem. Desenhe duas primitivas gráficas com seus nomes. Ponto, segmento de reta, polilinha, polígono, arco de elipse

6 Considere um monitor LCD widescreen de 20 com resolução HD. Pergunta-se: a) É adequado usar a resolução de 1024x768 pixels? Justifique sua resposta? b) Qual o seu aspect ratio? Justifique sua resposta? c) 20 é a medida de quê? d) É possível usar a resolução de 1920x1080 pixels? Justifique sua resposta? e) Imagens com resolução de 300 DPIs são exibidas com que densidade máxima de pixels? NÃO CONTEMPLADOS: - Frame-buffer - Dispositivos gráficos de entrada - Dispositivos gráficos de saída

COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É?

COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É? COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É? Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA SUMÁRIO O que é COMPUTAÇÃO GRÁFICA Áreas relacionadas

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA REPRESENTAÇÃO DE IMAGENS

COMPUTAÇÃO GRÁFICA REPRESENTAÇÃO DE IMAGENS COMPUTAÇÃO GRÁFICA REPRESENTAÇÃO DE IMAGENS Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA ARQUITETURA GRÁFICA Frame-buffer

Leia mais

Representação de Imagens

Representação de Imagens Representação de Imagens Primitivas Gráficas As primitivas gráficas são os elementos básicos que formam um desenho. Exemplos: Ponto, segmento, polilinha, polígono, arco de elipse, etc. Primitivas já definidas

Leia mais

Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica

Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica Ciências da Computação Disciplina:Computação Gráfica Professora Andréia Freitas 2012 7 semestre Aula 02 (1)AZEVEDO, Eduardo. Computação Gráfica, Rio de Janeiro: Campus, 2005 (*0) (2) MENEZES, Marco Antonio

Leia mais

UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA.

UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA. UM POUCO DE COMPUTAÇÃO GRÁFICA. Imagem digital é a representação de uma imagem bidimensional usando números binários codificados de modo a permitir seu armazenamento, transferência, impressão ou reprodução,

Leia mais

Prof. Marcelo Henrique dos Santos

Prof. Marcelo Henrique dos Santos POR QUE ESTUDAR COMPUTAÇÃO GRÁFICA? Quem quiser trabalhar em áreas afins: Entretenimento Jogos e filmes Visualização Simulação de fenômenos físicos Arte computadorizada Educação e treinamento Processamento

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES. Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof.

COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES. Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA CORES EM COMPUTAÇÃO GRÁFICA O uso de cores permite melhorar

Leia mais

11/06/2013. O que é Software Aplicativo? Suítes de Software. Adquirindo Software SOFTWARES APLICATIVOS

11/06/2013. O que é Software Aplicativo? Suítes de Software. Adquirindo Software SOFTWARES APLICATIVOS 2 O que é Software Aplicativo? SOFTWARES APLICATIVOS Introdução à Microinformática Prof. João Paulo Lima Software que realiza tarefa útil específica Suítes de aplicativos Softwares empresariais Softwares

Leia mais

Fotografia Digital. Aula 1

Fotografia Digital. Aula 1 Fotografia Digital Aula 1 FOTOGRAFIA DIGITAL Tema da aula: A Fotografia 2 A FOTOGRAFIA A palavra Fotografia vem do grego φως [fós] ("luz"), e γραφις [grafis] ("estilo", "pincel") ou γραφη grafê, e significa

Leia mais

CorelDRAW 11 1. UM PROGRAMA DE DESIGN

CorelDRAW 11 1. UM PROGRAMA DE DESIGN CorelDRAW 11 1. UM PROGRAMA DE DESIGN Com o Corel você vai trabalhar com um dos aplicativos mais usados no campo do design e da auto-edição, já que permite operar com dois tipos de gráficos (vetoriais

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 3)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 3) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 3) Introdução A possibilidade de utilizarmos imagens, gráficos, desenhos e textos artísticos

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) 1 Classificação da imagem Em relação à sua origem pode-se classificar uma imagem,

Leia mais

Figura 1: Formato matricial de uma imagem retangular. Figura 2: Ampliação dos pixels de uma imagem

Figura 1: Formato matricial de uma imagem retangular. Figura 2: Ampliação dos pixels de uma imagem Universidade Federal de Santa Maria - UFSM Departamento de Eletrônica e Computação - DELC Introdução à Informática Prof. Cesar Tadeu Pozzer Julho de 2006 Imagens Uma imagem é representada por uma matriz

Leia mais

19/11/2015. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático.

19/11/2015. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. Prof. Reginaldo Brito Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA Joseph-Nicéphore Niepce * França, (1765-1833) James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. 1826,

Leia mais

Imagem digital. Unidade 3

Imagem digital. Unidade 3 Imagem digital Unidade 3 Objectivos Reconhecer o potencial comunicativo/ expressivo das imagens; Reconhecer as potencialidades narrativas de uma imagem; A criação de sentido nas associações de imagens

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA #01 TÓPICOS DESENVOLVIDOS NESTE MÓDULO

COMPUTAÇÃO GRÁFICA #01 TÓPICOS DESENVOLVIDOS NESTE MÓDULO COMPUTAÇÃO GRÁFICA #01 TÓPICOS DESENVOLVIDOS NESTE MÓDULO Que é Computação Gráfica Quais as Áreas da Computação Gráfica Dimensões 2D e 3D Primitivas Gráficas Imagem Matricial e Imagem Vetorial Rasterização

Leia mais

ferramentas da imagem digital

ferramentas da imagem digital ferramentas da imagem digital illustrator X photoshop aplicativo ilustração vetorial aplicativo imagem digital 02. 16 imagem vetorial X imagem de rastreio imagem vetorial traduz a imagem recorrendo a instrumentos

Leia mais

Cores em Computação Gráfica

Cores em Computação Gráfica Cores em Computação Gráfica Uso de cores permite melhorar a legibilidade da informação, possibilita gerar imagens realistas, focar atenção do observador, passar emoções e muito mais. Colorimetria Conjunto

Leia mais

Alguns métodos utilizados

Alguns métodos utilizados Alguns métodos utilizados TIF Algumas pessoas exportam o trabalho feito no Corel em formato TIF,que é um procedimento comum para impressão em jornais e publicações impressas. Para exportar desta forma

Leia mais

Livro texto (Programa do Livro texto - PLT) AZEVEDO, Eduardo; CONCI, Aura. Computação Gráfica: teoria e prática. 1.ed. Rio de Janeiro: CAMPUS, 2003.

Livro texto (Programa do Livro texto - PLT) AZEVEDO, Eduardo; CONCI, Aura. Computação Gráfica: teoria e prática. 1.ed. Rio de Janeiro: CAMPUS, 2003. Computação Gráfica Apresentação da disciplina Introdução a Computação Gráfica Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com http://www.bolinhabolinha.com Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com

Leia mais

2- Quais são as características da computação gráfica?

2- Quais são as características da computação gráfica? QUESTÕES DE REVISÃO PARA A PROVA - COMPUTAÇÃO GRÁFICA 2014 1- Defina computação gráfica? A computação gráfica é a área da computação destinada à geração de imagens em geral em forma de representação de

Leia mais

Câmera Digital. Autor: Darllene Negri Nicioli

Câmera Digital. Autor: Darllene Negri Nicioli Câmera Digital Autor: Darllene Negri Nicioli 2 OBJETIVO Têm como objetivo este trabalho mostrar o princípio de funcionamento geral de uma câmera digital até as vantagens e desvantagens do produto final,

Leia mais

Desenho e Apresentação de Imagens por Computador

Desenho e Apresentação de Imagens por Computador Desenho e Apresentação de Imagens por Computador Conteúdo s: Aspetos genéricos sobre o trabalho com imagens computacionais. Imagens computacionais e programas que criam ou manipulam esse tipo de imagens.

Leia mais

PUBLICIDADE & PROPAGANDA PRODUÇÃO GRÁFICA

PUBLICIDADE & PROPAGANDA PRODUÇÃO GRÁFICA PRODUÇÃO GRÁFICA PUBLICIDADE & PROPAGANDA Prova Semestral --> 50% da nota final. Sistema de avaliação Atividades em laboratório --> 25% da nota final Exercícios de práticos feitos nos Laboratórios de informática.

Leia mais

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Disciplina:FERRAMENTAS E TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO WEB. Professora Andréia Freitas

TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Disciplina:FERRAMENTAS E TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO WEB. Professora Andréia Freitas TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET Disciplina:FERRAMENTAS E TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO WEB Professora Andréia Freitas 2012 3 semestre Aula 03 MEMORIA, F. Design para a Internet. 1ª Edição. Rio de Janeiro:

Leia mais

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA Editores vetoriais são frequentemente contrastadas com editores de bitmap, e as suas capacidades se complementam. Eles são melhores para leiaute

Leia mais

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5 A cor e o computador Introdução A formação da imagem num Computador depende de dois factores: do Hardware, componentes físicas que processam a imagem e nos permitem vê-la, e do Software, aplicações que

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Formatos de Imagens

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Formatos de Imagens IntroduçãoàTecnologiaWeb HTML HyperTextMarkupLanguage XHTML extensiblehypertextmarkuplanguage FormatosdeImagens ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger FormatosdeImagens Índice 1 FORMATOS

Leia mais

Pág 31. UC Introdução a Informática Docente: André Luiz Silva de Moraes 1º sem Redes de Computadores. 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress

Pág 31. UC Introdução a Informática Docente: André Luiz Silva de Moraes 1º sem Redes de Computadores. 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress O pacote BrOffice é um pacote de escritório muito similar ao já conhecido Microsoft Office e ao longo do tempo vem evoluindo e cada vez mais ampliando as possibilidades

Leia mais

Apresentação do Projeto Gráfico

Apresentação do Projeto Gráfico Arte-final Arquivo feito no computador utilizando softwares específicos que permitem a produção de um fotolito para impressão gráfica. Programas Utilizados para a Produção de Arte-final. Dependendo das

Leia mais

Técnicas de Cartografia Digital

Técnicas de Cartografia Digital Técnicas de Cartografia Digital Maria Cecília Bonato Brandalize 2011 Aula 8 1. Vetoriais 2. Matriciais 3. Vantagens e Desvantagens 1. Vetoriais 2. Matriciais 3. Vantagens e Desvantagens Como são representados

Leia mais

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo)

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) 1 Índice Aula 1... 3 Apresentação do Photoshop... 3 Barra de Menus... 3 Barra de Opções... 3 Barra de Ferramentas...4

Leia mais

Multimídia. Hardware/Software para Multimídia (Parte I) Sistemas Multimídia. Tópico. Hardware e Software para Multimídia

Multimídia. Hardware/Software para Multimídia (Parte I) Sistemas Multimídia. Tópico. Hardware e Software para Multimídia Multimídia Hardware/Software para Multimídia (Parte I) Sistemas Multimídia Tópico Hardware e Hardware para Multimídia Com a popularização dos sistemas multimídia foi criado o padrão MPC (PC Multimídia)

Leia mais

Quais as diferenças entre os formatos de imagem PNG, JPG, GIF, SVG e BMP?

Quais as diferenças entre os formatos de imagem PNG, JPG, GIF, SVG e BMP? Quais as diferenças entre os formatos de imagem PNG, JPG, GIF, SVG e BMP? 66.393 Visualizações Por Daniele Starck Disponível em: www.tecmundo.com.br/imagem/5866 quais as diferencas entre os formatos de

Leia mais

ETI - Edição e tratamento de imagens digitais

ETI - Edição e tratamento de imagens digitais Curso Técnico em Multimídia ETI - Edição e tratamento de imagens digitais 2 Fundamentos "Conserva o modelo das sãs palavras que de mim tens ouvido, na fé e no amor que há em Cristo Jesus." 2 Timóteo 1:13

Leia mais

Imagem digital - 1. A natureza da imagem fotográfica. A natureza da imagem fotográfica

Imagem digital - 1. A natureza da imagem fotográfica. A natureza da imagem fotográfica A natureza da imagem fotográfica PRODUÇÃO GRÁFICA 2 Imagem digital - 1 Antes do desenvolvimento das câmeras digitais, tínhamos a fotografia convencional, registrada em papel ou filme, através de um processo

Leia mais

Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso

Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso Aula 02 Componentes de um GIS (SIE, ou SIG) Ideias dependem de pessoas. Pessoas trazem o conhecimento para uma equipe, que engendra ideias.

Leia mais

Conceitos do Photoshop. Bitmap image Formatos de arquivos Memória Escalas de cores

Conceitos do Photoshop. Bitmap image Formatos de arquivos Memória Escalas de cores Conceitos do Photoshop Bitmap image Formatos de arquivos Memória Escalas de cores Bitmap Image Conceito de pixel Imagem bitmap x imagem vetorial Pixel x bits Resolução de tela e imagem 72 pixel/inch 300

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA EDIÇÃO DE IMAGENS DIGITAIS

COMPUTAÇÃO GRÁFICA EDIÇÃO DE IMAGENS DIGITAIS COMPUTAÇÃO GRÁFICA EDIÇÃO DE IMAGENS DIGITAIS Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA EDIÇÃO DE IMAGENS POWER POINT Criar

Leia mais

Atividade: matrizes e imagens digitais

Atividade: matrizes e imagens digitais Atividade: matrizes e imagens digitais Aluno(a): Turma: Professor(a): Parte 01 MÓDULO: MATRIZES E IMAGENS BINÁRIAS 1 2 3 4 5 6 7 8 Indique, na tabela abaixo, as respostas dos 8 desafios do Jogo dos Índices

Leia mais

Utilização do Sistema Multimédia. 2. Formatos de ficheiros 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens. 2. Formatos de ficheiros

Utilização do Sistema Multimédia. 2. Formatos de ficheiros 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens. 2. Formatos de ficheiros Utilização do Sistema Multimédia 2.1. Compressão 2.2. Formatos mais comuns 2.3 Captura de imagens 2.1. Compressão Formatos com e sem compressão Técnicas de compressão (reduzem tamanho) de 2 tipos: Compressão

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. 1 Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Nº de Inscrição Nome PROVA DE CONHECIMENTOS

Leia mais

CMs - Gestão de cor. josé gomes ferreira

CMs - Gestão de cor. josé gomes ferreira josé gomes ferreira CMs - Gestão de cor APRESENTAÇÃO A Gestão de Cor da captura à impressão! Conhecer e compreender a teoria da cor para a gestão de cor. A Luz e a sua natureza, os espaços de cor, etc.

Leia mais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais

Thales Trigo. Formatos de arquivos digitais Esse artigo sobre Formatos de Arquivos Digitais é parte da Tese de Doutoramento do autor apresentada para a obtenção do titulo de Doutor em Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da USP. Thales Trigo

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO

COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO COMPUTAÇÃO GRÁFICA RESOLUÇÃO Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA RESOLUÇÃO Associada à quantidade e a qualidade de

Leia mais

Porque as. cores mudam?

Porque as. cores mudam? Porque as cores mudam? O que são cores? As cores não existem materialmente. Não possuem corpo, peso e etc. As cores correspondem à interpretação que nosso cérebro dá a certo tipo de radiação eletro-magnética

Leia mais

Imagens Digitais Tratamento de Imagens

Imagens Digitais Tratamento de Imagens Imagens Digitais Imagens de Bitmap Bitmap = Mapa de Bits ou Imagens Raster São as imagens formadas por pixels em oposição às imagens vetoriais. Imagens de Bitmap Imagem de bitmap Imagem vetorial Imagens

Leia mais

Computação Gráfica - 03

Computação Gráfica - 03 Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Computação Computação Gráfica - 03 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti www.twitter.com/jorgecav

Leia mais

Informática Aplicada a Radiologia

Informática Aplicada a Radiologia Informática Aplicada a Radiologia Apostila: Imagem Digital parte I Prof. Rubens Freire Rosa Imagem na forma digital A representação de Imagens na forma digital nos permite capturar, armazenar e processar

Leia mais

Sistemas Multimédia. Ano lectivo 2006-2007. Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens

Sistemas Multimédia. Ano lectivo 2006-2007. Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens Sistemas Multimédia Ano lectivo 2006-2007 Aula 9 Representações de dados para gráficos e imagens Sumário Gráficos e imagens bitmap Tipos de dados para gráficos e imagens Imagens de 1-bit Imagens de gray-level

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Processamento de Imagem Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Visão Computacional Não existe um consenso entre os autores sobre o correto escopo do processamento de imagens, a

Leia mais

TRATAMENTO DE IMAGENS. Elisa Maria Pivetta

TRATAMENTO DE IMAGENS. Elisa Maria Pivetta TRATAMENTO DE IMAGENS Elisa Maria Pivetta CATEGORIAS DE IMAGENS Distinguem-se geralmente duas grandes: Bitmap (ou raster) - trata-se de imagens "pixelizadas", ou seja, um conjunto de pontos (pixéis) contidos

Leia mais

Imagem e Gráficos. vetorial ou raster?

Imagem e Gráficos. vetorial ou raster? http://computacaografica.ic.uff.br/conteudocap1.html Imagem e Gráficos vetorial ou raster? UFF Computação Visual tem pelo menos 3 grades divisões: CG ou SI, AI e OI Diferença entre as áreas relacionadas

Leia mais

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão

Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão Fotografia Digital Obtenção da Imagem e Impressão 1 Diferenças entre o CCD e o Filme: O filme como já vimos, é uma película de poliéster, coberta em um dos lados por uma gelatina de origem animal com partículas

Leia mais

Frederico Damasceno Bortoloti. Adaptado de: Claudio Esperança Paulo Roma Cavalcanti

Frederico Damasceno Bortoloti. Adaptado de: Claudio Esperança Paulo Roma Cavalcanti Fundamentos de Representação Gráfica Frederico Damasceno Bortoloti Adaptado de: Claudio Esperança Paulo Roma Cavalcanti Estrutura do Curso Avaliação através de Prova Estudo / Seminário Nota parcial NP

Leia mais

Protótipo tipo de um Ambiente para Processamento de Imagens Raster 2D

Protótipo tipo de um Ambiente para Processamento de Imagens Raster 2D Protótipo tipo de um Ambiente para Processamento de Imagens Raster 2D Adriana Fornazari Prof. Dalton Solano dos Reis Orientador Roteiro Introdução Ambientes de processamento de imagens Arquivos gráficos

Leia mais

Guia de qualidade de cores

Guia de qualidade de cores Página 1 de 5 Guia de qualidade de cores O Guia de qualidade de cores ajuda você a entender como as operações disponíveis na impressora podem ser usadas para ajustar e personalizar a saída colorida. Menu

Leia mais

Fotografia digital. Aspectos técnicos

Fotografia digital. Aspectos técnicos Fotografia digital Aspectos técnicos Captura CCD (Charge Coupled Device) CMOS (Complementary Metal OxideSemiconductor) Conversão de luz em cargas elétricas Equilíbrio entre abertura do diafragma e velocidade

Leia mais

Manipulação Digital de Imagens Recursos Básicos de Tratamento

Manipulação Digital de Imagens Recursos Básicos de Tratamento Manipulação Digital de Imagens Recursos Básicos de Tratamento 1 Antes de mais nada, é extremamente necessário lembrar que para tratar uma imagem é necessário que o monitor de seu computador esteja calibrado

Leia mais

OpenGL. Uma Abordagem Prática e Objetiva. Marcelo Cohen Isabel Harb Manssour. Novatec Editora

OpenGL. Uma Abordagem Prática e Objetiva. Marcelo Cohen Isabel Harb Manssour. Novatec Editora OpenGL Uma Abordagem Prática e Objetiva Marcelo Cohen Isabel Harb Manssour Novatec Editora Capítulo 1 Introdução A Computação Gráfica é uma área da Ciência da Computação que se dedica ao estudo e ao desenvolvimento

Leia mais

Sistemas e Conteúdos Multimédia. 4.1. Imagem. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt

Sistemas e Conteúdos Multimédia. 4.1. Imagem. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Sistemas e Conteúdos Multimédia 4.1. Imagem Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Cores O que é a cor? Distribuição espectral do sinal de excitação. Função da reflectância e da iluminação

Leia mais

Fiery Color Server SERVER & CONTROLLER SOLUTIONS. Glossário

Fiery Color Server SERVER & CONTROLLER SOLUTIONS. Glossário Fiery Color Server SERVER & CONTROLLER SOLUTIONS Glossário 2004 Electronics for Imaging, Inc. As informações nesta publicação estão cobertas pelos termos das Avisos de caráter legal deste produto. 45044849

Leia mais

Tipos de cores. Entendendo as cores. Imprimindo. Usando cores. Manuseio de papel. Manutenção. Solucionando problemas. Administração.

Tipos de cores. Entendendo as cores. Imprimindo. Usando cores. Manuseio de papel. Manutenção. Solucionando problemas. Administração. Sua impressora permite que você se comunique em cores. As cores chamam a atenção, indicam respeito e agregam valor ao material ou às informações impressas. O uso de cor aumenta o público leitor e faz com

Leia mais

FORMATOS DE ARQUIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS NATIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS GENÉRICOS. Produção Gráfica 2 A R Q U I V O S D I G I T A I S -

FORMATOS DE ARQUIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS NATIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS GENÉRICOS. Produção Gráfica 2 A R Q U I V O S D I G I T A I S - Produção Gráfica 2 FORMATOS DE ARQUIVOS A R Q U I V O S D I G I T A I S - FORMATOS DE ARQUIVOS PARA IMAGEM BITMAPEADAS Uma imagem bitmapeada, uma ilustração vetorial ou um texto são armazenados no computador

Leia mais

Guia de Estudo Criação de Apresentações Microsoft PowerPoint

Guia de Estudo Criação de Apresentações Microsoft PowerPoint Tecnologias da Informação e Comunicação Guia de Estudo Criação de Apresentações Microsoft PowerPoint Aspectos genéricos sobre o trabalho com imagens computacionais Imagens computacionais e programas que

Leia mais

PHOTOSHOP. Menus. Caixa de Ferramentas:

PHOTOSHOP. Menus. Caixa de Ferramentas: PHOTOSHOP Universidade de Caxias do Sul O Photoshop 5.0 é um programa grande e complexo, é o mais usado e preferido pelos especialistas em editoração e computação gráfica para linha PC. Outros programas

Leia mais

Dispositivos de Entrada e Saída

Dispositivos de Entrada e Saída Dispositivos de Entrada e Saída Prof. Márcio Bueno {cgtarde,cgnoite}@marciobueno.com Fonte: Material do Prof. Robson Pequeno de Sousa e do Prof. Robson Lins Dispositivos de Entrada Teclado, Mouse, Trackball,

Leia mais

Aula 2 Aquisição de Imagens

Aula 2 Aquisição de Imagens Processamento Digital de Imagens Aula 2 Aquisição de Imagens Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira mvieira@sc.usp.br EESC/USP Fundamentos de Imagens Digitais Ocorre a formação de uma imagem quando

Leia mais

Sistema de Cores. Guillermo Cámara-Chávez

Sistema de Cores. Guillermo Cámara-Chávez Sistema de Cores Guillermo Cámara-Chávez Conceitos Motivação - poderoso descritor de característica que simplifica identificação e extração de objetos da cena; - humanos podem distinguir milhares de tonalidades

Leia mais

TEORIA DA COR E DA IMAGEM COM PHOTOSHOP

TEORIA DA COR E DA IMAGEM COM PHOTOSHOP TEORIA DA COR E DA IMAGEM COM PHOTOSHOP Docente: Bruno Duarte Fev 2010 O que é uma imagem digital? Uma imagem diz-se digital quando existe um ficheiro em computador que guarda a informação gráfica desta

Leia mais

Teoria da Cor TI. Elisa Maria Pivetta

Teoria da Cor TI. Elisa Maria Pivetta Teoria da Cor TI Elisa Maria Pivetta A percepção da cor é um processo complexo, resultante da recepção da luz pelo olho e da interpretação desta pelo cérebro. O que de fato determina a cor de um objeto

Leia mais

Interface Homem-Computador

Interface Homem-Computador Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão Interface Homem-Computador Aula: Percepção Visual e de Cores - Parte I Professor: M.Sc. Flávio Barros flathbarros@gmail.com Conteúdo Percepção Visual e de

Leia mais

Prof. Responsável Wagner Santos C. de Jesus

Prof. Responsável Wagner Santos C. de Jesus Universidade do Vale do Paraíba Colégio Técnico Antônio Teixeira Fernandes Disciplina Desenho Técnico Aplicado a Segurança do Trabalho Material III-Bimestre Introdução e Conceito de CAD e Ferramentas,Primitivas

Leia mais

Luz e Cor. Sistemas Gráficos/ Computação Gráfica e Interfaces FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO

Luz e Cor. Sistemas Gráficos/ Computação Gráfica e Interfaces FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO Luz e Cor Sistemas Gráficos/ Computação Gráfica e Interfaces 1 Luz Cromática Em termos perceptivos avaliamos a luz cromática pelas seguintes quantidades: 1. Matiz (Hue): distingue entre as várias cores

Leia mais

Unidade I - Fundamentos I.1 Introdução à Computação Gráfica

Unidade I - Fundamentos I.1 Introdução à Computação Gráfica Unidade I - Fundamentos I.1 Introdução à Computação Gráfica I.1.1 Introdução Começou com Exibição de informação para plotters Telas de tubos de raios catódicos (CRT) Tem se desenvolvido Criação, armazenamento

Leia mais

PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL

PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL F PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL Carga Horária: 96 horas/aulas Módulo 01: Desenho de observação DESCRIÇÃO: Neste módulo o você irá praticar sua percepção de linhas e formas, bem como a relação entre

Leia mais

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Índice 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED.... 1 2. História do Flash... 4 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED. É importante, antes de iniciarmos

Leia mais

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE GED. MÁJORY MIRANDA majory.oliv@ufpe.br. VILDEANE BORBA vildeane.borba@gmail.com

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE GED. MÁJORY MIRANDA majory.oliv@ufpe.br. VILDEANE BORBA vildeane.borba@gmail.com UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO CURSO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS GED MÁJORY MIRANDA majory.oliv@ufpe.br

Leia mais

Seleção Retangular Esta é uma das ferramentas mais usadas. A seleção será indicada pelas linhas tracejadas que fazem a figura de um retângulo.

Seleção Retangular Esta é uma das ferramentas mais usadas. A seleção será indicada pelas linhas tracejadas que fazem a figura de um retângulo. O que é o Gimp? O GIMP é um editor de imagens e fotografias. Seus usos incluem criar gráficos e logotipos, redimensionar fotos, alterar cores, combinar imagens utilizando o paradigma de camadas, remover

Leia mais

Enquadramento e Conceitos Fundamentais

Enquadramento e Conceitos Fundamentais Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica Enquadramento e Conceitos Fundamentais Edward Angel, Cap. 1 Questão 9, exame de 29/06/11 [0.5v] Identifique e descreva os três

Leia mais

Conteúdo 2 - Conceitos básicos de produção gráfica. professor Rafael Hoffmann

Conteúdo 2 - Conceitos básicos de produção gráfica. professor Rafael Hoffmann Conteúdo 2 - Conceitos básicos de produção gráfica professor Rafael Hoffmann Cor Modelos cromáticos - Síntese aditiva/cor-luz Isaac Newton foi o responsável pelo desenvolvimento da teoria das cores. Em

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B PLANIFICAÇÕES SECUNDÁRIO PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B 12º ANO DE ESCOLARIDADE CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Introdução à Programação Introdução Linguagens naturais e formais Algoritmos

Leia mais

2 Editoração Eletrônica

2 Editoração Eletrônica 8 2 Editoração Eletrônica A década de 80 foi um marco na história da computação. Foi quando a maioria dos esforços dos desenvolvedores, tanto de equipamentos, quanto de programas, foram direcionados para

Leia mais

O que é CG?? Soraia Raupp Musse

O que é CG?? Soraia Raupp Musse O que é CG?? Soraia Raupp Musse Processamento Gráfico Modelagem Multimídia RV Usuário Visão Modelos Gráfico Tempo Animação Vídeo Imagens Processamento de Imagens O que NÃO é CG?? Processamento de Imagens

Leia mais

Computação Gráfica. Dispositivos de Visualização. Profa. Carolina Watanabe

Computação Gráfica. Dispositivos de Visualização. Profa. Carolina Watanabe Computação Gráfica Dispositivos de Visualização Profa. Carolina Watanabe Material elaborado pela Profa. Marcela X. Ribeiro, UFSCar, Atualizado pela Profa. Carolina Watanabe, UNIR 1 Dispositivos de Visualização/Exibição

Leia mais

Fundamentos. da Cor. Claudio Dreher de Araujo Número de matrícula: 0519503-9 Curso: Design (420) Teoria da Luz e Cor - EGR5110

Fundamentos. da Cor. Claudio Dreher de Araujo Número de matrícula: 0519503-9 Curso: Design (420) Teoria da Luz e Cor - EGR5110 Fundamentos da Cor Aluno: Claudio Dreher de Araujo Número de matrícula: 0519503-9 Curso: Design (420) Turma: 0195A Disciplina: Teoria da Luz e Cor - EGR5110 Professora: Berenice Gonçalves Data de entrega:

Leia mais

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS

UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS UFGD FCA PROF. OMAR DANIEL BLOCO 4 PROCESSAMENTO DE IMAGENS Executar as principais técnicas utilizadas em processamento de imagens, como contraste, leitura de pixels, transformação IHS, operações aritméticas

Leia mais

Atualização: JULHO/2011

Atualização: JULHO/2011 Uso do logo Teuto Pfizer Este material também é conhecido por manual da marca Teuto Pfizer. Ele é destinado a profissionais de comunicação, agências de publicidade, fornecedores e usuários em geral que

Leia mais

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Aplicações Informáticas B 12.º Ano de Escolaridade Prova 703/1.ª Fase 11 Páginas Duração da Prova: 120 minutos.

Leia mais

7 Introdução ao uso do LibreOffice Impress

7 Introdução ao uso do LibreOffice Impress Introdução a Informática - 1º semestre AULA 04 Prof. André Moraes Objetivos desta aula: Criar apresentações básicas com uso do LibreOffice Impress; o Manipular a estrutura de tópicos para a digitação de

Leia mais

Considerações gerais sobre arquivos abertos e fechados

Considerações gerais sobre arquivos abertos e fechados Considerações gerais sobre arquivos abertos e fechados Este tutorial tem por finalidade esclarecer algumas dúvidas sobre arquivos abertos e arquivos fechados. Leia e entenda um pouco mais sobre PDF, diferenças

Leia mais

Oficina de Manipulação e Edição de Fotografia e Imagem Digital GIMP

Oficina de Manipulação e Edição de Fotografia e Imagem Digital GIMP Oficina de Manipulação e Edição de Fotografia e Imagem Digital GIMP O que é o GIMP É um programa de criação e edição de imagens. Foi criado como uma alternativa livre ao Photoshop, ou seja, é um software

Leia mais

HARDWARE GRÁFICO. Adair Santa Catarina Curso de Ciência da Computação Unioeste Campus de Cascavel PR

HARDWARE GRÁFICO. Adair Santa Catarina Curso de Ciência da Computação Unioeste Campus de Cascavel PR HARDWARE GRÁFICO Adair Santa Catarina Curso de Ciência da Computação Unioeste Campus de Cascavel PR Mar/2012 Introdução Características do hardware Funcionalidades do hardware gráfico Influência da área

Leia mais

Representação Binária de Dados

Representação Binária de Dados Universidade Federal de Santa Maria - UFSM Departamento de Eletrônica e Computação - DELC Introdução à Informática Prof. Cesar Tadeu Pozzer Janeiro de 2006 Representação Binária de Dados O computador utiliza

Leia mais

Guilherme Lima. Designer Gráfico

Guilherme Lima. Designer Gráfico Guilherme Lima Designer Gráfico TEORIA DAS CORES A teoria A Teoria das Cores afirma que a cor é um fenômeno físico relacionado a existência da luz, ou seja, se a luz não existisse, não existiriam cores.

Leia mais

FECHAMENTO DE ARQUIVO PARA IMPRESSÃO DIGITAL

FECHAMENTO DE ARQUIVO PARA IMPRESSÃO DIGITAL FECHAMENTO DE ARQUIVO PARA IMPRESSÃO DIGITAL GERENCIAMENTO DE COR CONFORME ISO 12647-2:2004 Buscando qualidade, agilidade e fidelidade nas cores dos materiais impressos aos nossos clientes, a Dinâmica

Leia mais

Referência de cores Fiery

Referência de cores Fiery 2014 Electronics For Imaging. As informações nesta publicação estão cobertas pelos termos dos Avisos de caráter legal deste produto. 11 de junho de 2014 Conteúdo 3 Conteúdo Introdução à referência de cores

Leia mais

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada

AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens. 5.1 Importando Grades e Imagens Interface Simplificada 5.1 AULA 5 Manipulando Dados Matriciais: Grades e Imagens Nessa aula serão apresentadas algumas funcionalidades do TerraView relativas a manipulação de dados matriciais. Como dados matriciais são entendidas

Leia mais

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas ESCOLA PROFISSIONAL VASCONCELLOS LEBRE Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas LIGADORES DE VIDEO: VGA, DVI, S-VIDEO E COMPONENTE VIDEO José Vitor Nogueira Santos FT2-0749 Mealhada, 2009 Introdução

Leia mais

a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. Dezembro de 2009

a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. Dezembro de 2009 16 a marca bematech Tudo o que você precisa para usar a marca. 17 Marca Dinâmica e evolutiva, a marca Bematech é formada pelo símbolo e logotipo. Suas elipses simbolizam a essência de uma empresa empreendedora.

Leia mais