PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL"

Transcrição

1 F PIXEL - DO DESENHO À PINTURA DIGITAL Carga Horária: 96 horas/aulas Módulo 01: Desenho de observação DESCRIÇÃO: Neste módulo o você irá praticar sua percepção de linhas e formas, bem como a relação entre elas, a fim de se equipar com as habilidades para que possa desenhar exatamente o que está observando, qualquer que seja o tema. Em outras palavras, neste módulo é muito marcante o estudo do desenho como expressão bidimensional: aqui ainda não nos preocuparemos com os volumes como formas tridimensionais. Introdução DESCRIÇÃO: Bate papo sobre o curso, materiais, algumas práticas recomendadas no estudo do desenho e dicas rápidas sobre o uso do lápis e exercícios para começar a soltar o traço. - Estrutura do curso - Materiais de desenho - O uso do sketchbook - O lápis - Exercícios de aquecimento Técnicas de mensuração e cálculo de proporções DESCRIÇÃO: Iniciaremos aqui o estudo sobre como percebemos imagens e como podemos usar certas técnicas para ver e captar o que realmente se apresenta a nossa frente, nos permitindo realizar desenhos mais proporcionais. - Imagem real e imagem percebida - Aferição de medidas - Aferições - A forma e o tamanho do papel - Formas positivas e espaços negativos

2 Estruturação do esboço DESCRIÇÃO: Um desenho não começa pelos detalhes finais e nesta aula vamos tratar justamente deste assunto. Veremos duas técnicas para a primeira etapa na realização de um desenho. - Estruturação livre - Estruturação por módulos Desenho gestual DESCRIÇÃO: Um dos mais importantes exercícios para captação de formas e linhas é o desenho gestual, justamente por precisarmos resolver a imagem em termos de proporção e movimento, principal objetivo desta modalidade de desenho, em um espaço muito curto de tempo, geralmente 1 ou 2 minutos. - Desenho gestual Módulo 02: Desenho de volume DESCRIÇÃO: Neste módulo o você vai aprender a enxergar o volume das formas que o cerca, estudando técnicas de visualização volumétrica aplicadas em objetos e na figura humana. Além disso, por ser um estudo dos volumes, faremos uma breve introdução á perspectiva. O espaço tridimensional DESCRIÇÃO: Primeira abordagem sobre as características da tridimensionalidade e como podemos compreendê-la usando sólidos geométricos simples. Também veremos, de forma sucinta, as duas formas mais comuns de perspectiva. - Os eixos do espaço tridimensional - Perspectiva cilíndrica e perspectiva cônica Sólidos geométricos DESCRIÇÃO: Assimilar como cada sólido geométrico primitivo funciona no espaço tridimensional é fundamental para a representação volumétrica de objetos. Nesta aula faremos um estudo de cada um deles. - Sólidos geométricos: cubo e paralelepípedo - Sólidos geométricos: cilindro, cone, esfera e formas orgânicas Estruturação volumétrica DESCRIÇÃO: Tendo uma compreensão de como as formas se manifestam no plano tridimensional, agora passaremos à associação dessas formas com objetos e com a figura humana, passo importantíssimo para melhorar as capacidades de representação daquilo que é imaginado, ou seja, para aprimorar a capacidade do aluno de trabalhar com o desenho de criação. - Volumetria de objetos - Volumetria da figura humana

3 Módulo 03: Luz e sombra DESCRIÇÃO: Trabalharemos duas abordagens do processo de iluminação no desenho: num primeiro momento vamos estudar visualizando áreas de luz e sombra como formas. No segundo estágio, aplicaremos os conceitos de volumetria para auxiliar na compreensão de como a luz se comporta sobre diversos tipos de superfícies. Valores tonais DESCRIÇÃO: Trabalhando com gradações de cinza. - Criando escalas tonais Iluminação por visualização de formas DESCRIÇÃO: Praticando a percepção de áreas iluminadas e sombreadas como formas (silhuetas) e das várias nuances de transição entre elas. - Usando o conceito de silhuetas no sombreamento Iluminação por visualização volumétrica DESCRIÇÃO: A partir da compreensão dos volumes, vamos trabalhar com uma abordagem mais lógica do funcionamento da luz sobre objetos. - Comportamento da luz - Usando a malha volumétrica no sombreamento Módulo 04: Perspectiva DESCRIÇÃO: Estudaremos com mais detalhes as técnicas de perspectiva para criar cenários e objetos, sempre associadas com o entendimento dos volumes. Perspectiva de 1 ponto de fuga ou perspectiva paralela DESCRIÇÃO: Compreendendo a perspectiva de um ponto de fuga, também chamada de perspectiva paralela, para reproduzir e criar estruturas tridimensionais. - Perspectiva paralela: a técnica - Perspectiva paralela: estudando com fotografias - Perspectiva paralela: criando uma cena com um ponto de fuga Perspectiva de 2 pontos de fuga ou perspectiva oblíqua DESCRIÇÃO: Compreendendo a perspectiva de dois ponto de fuga, também chamada de perspectiva oblíqua, para reproduzir e criar estruturas tridimensionais. - Perspectiva oblíqua: a técnica - Perspectiva oblíqua: estudando com fotografias - Perspectiva oblíqua: criando uma cena com dois pontos de fuga

4 Perspectiva de 3 pontos de fuga ou perspectiva aérea DESCRIÇÃO: Compreendendo a perspectiva de três ponto de fuga, também chamada de perspectiva aérea, para reproduzir e criar estruturas tridimensionais. - Perspectiva aérea: a técnica - Perspectiva aérea: estudando com fotografias - Perspectiva aérea: criando uma cena com três pontos de fuga Módulo 05: Figura humana - proporções básicas DESCRIÇÃO: Primeiro estágio de estudo da figura humana: vamos explorar de maneira sintetizada a estrutura interna do corpo, por meio de um esqueleto simplificado e de formas tridimensionais básicas, passando depois para a construção proporcional e comparada do corpo masculino e feminino. Esqueleto simplificado DESCRIÇÃO: Compreendendo a figura humana de dentro para fora, com o uso do esqueleto simplificado e das formas tridimensionais básicas. - Formas tridimensionais básicas da figura humana - Esqueleto simplificado O corpo masculino DESCRIÇÃO: Construção do corpo masculino em três posições chave e suas particularidades. - Corpo masculino de frente - Corpo masculino de costas - Corpo masculino de perfil O corpo feminino DESCRIÇÃO: Construção do corpo feminino em três posições chave e suas particularidades. - Corpo feminino de frente - Corpo feminino de costas - Corpo feminino de perfil Módulo 06: Anatomia simplificada do corpo humano DESCRIÇÃO: Analisaremos nessa etapa cada parte do corpo separadamente, nos atendo a alguns detalhes de construção e musculatura. Vamos compreender o funcionamento de cada parte do corpo, seus movimentos e limites mais um passo importante no processo que possibilita ao estudante recriar aquilo que está em sua mente.

5 Cabeça DESCRIÇÃO: Compreendendo a forma da cabeça, como ela se movimento, os eixos de alinhamento de cada elemento da face e a construção desses elementos (olhos, nariz, boca, orelhas). - Construção - proporções da cabeça humana: frente - proporções da cabeça humana: ¾ - proporções da cabeça humana: perfil - Olhos - Nariz - Boca - Orelhas Torso DESCRIÇÃO: A musculatura simplificada e as linhas básicas de movimento do torso. - Torso Membros superiores DESCRIÇÃO: Movimentos e principais massas do braço e mãos. - Mãos - Braços Membros inferiores DESCRIÇÃO: Movimentos e principais massas da perna e pé. - Pés - Pernas Módulo 07: Photoshop para pintura digital DESCRIÇÃO: Introdução à pintura digital para situar o aluno e contextualizá-lo do ambiente no qual estará trabalhando. O aluno irá se familiarizar com o software e com a mesa digitalizadora, iniciando o processo de assimilação do workflow da pintura digital, manipulando camadas, pincéis e ajustando configurações básicas. A imagem digital -Gráficos digitais e modos de cor - Tamanho e resolução de imagens e formatos de arquivos Principais ferramentas e organização da área de trabalho - As principais ferramentas - Organizando a área de trabalho

6 Configurações básica de pincéis - Pincéis: configurações básicas Layers - Camadas: conceito e comandos básicos de edição - Usando camadas para separar a imagem em planos - Usando camadas para iluminação (clipping mask) - Captura e mistura de cores Módulo 08: Fundamentos básicos da pintura - forma e aresta Neste módulo trabalharemos com a pintura de observação, levando o aluno a treinar o olhar para perceber manchas de tons e como essas manchas se fundem entre si, assumindo um variado grau de intensidade nessa interação. Basicamente trata-se de praticar a percepção tonal, para tanto, pintaremos somente em tons de cinza nessa etapa. Forma (como silhueta e como manchas de cor) Aresta (arestas duras, firmes, suaves e perdidas) Módulo 09: Fundamentos básicos da pintura - cor Nesta etapa vamos adicionar um elemento primordial para a expressão visual da pintura: as cores. Vamos estudar as características que a compõe, as harmonias cromáticas usando o círculo de cores e os simbolismos e reações emocionais e psicológicas associadas às principais cores. Cor - O espectro de cores - Matiz, saturação e luminosidade ou valor Sensação térmica: cores quentes e frias Círculo cromático: cores primárias, secundárias, terciárias Harmonia cromática: acromática, monocromática, complementares, análogas, triádica, tetrádica Simbolismos e associações psicológicas das cores Luz e efeitos cromáticos

7 Módulo 10: Processo de criação e projeto final A compreensão do processo de criação de uma imagem revela muito sobre a importância das etapas que o compõe. Como um projeto, passaremos por vários estágios desde a ideia até a finalização da pintura, tendo como ponto de partida dois estudos de caso: o primeiro de uma ilustração autoral e o segundo de uma ilustração comercial. A importância do processo no desenho e na pintura - Desenho e pintura como uma construção por etapas Estudo do processo de criação de um trabalho comercial Estudo do processo de criação de um trabalho autoral Projeto final

Personagens no Autodesk Sketchbook Pro

Personagens no Autodesk Sketchbook Pro Personagens no Autodesk Sketchbook Pro Humberto Thimoteo da Cunha Descrição da Classe: Uma demonstração de como desenhar, pintar e dar vida aos personagens utilizando o Sketchbook Pro, demonstrando os

Leia mais

Aprenda a Desenhar do Zero

Aprenda a Desenhar do Zero Aprenda a Desenhar do Zero Apresentação Desenho Artístico Como nós sabemos, o desenho foi a primeira forma de comunicação que se tem conhecimento. Antes mesmo da escrita, e até da fala, o desenho já era

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»DESIGN GRÁFICO (PERFIL 02) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»DESIGN GRÁFICO (PERFIL 02) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»DESIGN GRÁFICO (PERFIL 02) «21. No ensino do desenho de observação, qual o maior motivo de principiantes sentirem dificuldades em desenhar rostos humanos? a) Porque rostos humanos

Leia mais

PLANO DE AULA: ÓTICA

PLANO DE AULA: ÓTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Educação Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência PIBID/UFPR Projeto Interdisciplinar Pedagogia e Matemática PLANO DE AULA: ÓTICA 1 Tema: Ótica Aline

Leia mais

Copyright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total deste ebook só é permitida através de autorização por escrito de

Copyright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total deste ebook só é permitida através de autorização por escrito de 1 O objetivo desta primeira aula é passar a você iniciante alguns esclarecimentos sobre a arte de desenhar, prepará-lo para iniciar nas próximas aulas e mostrar uma parte das muitas dicas que virão. (Mateus

Leia mais

ROTAS DE APRENDIZAGEM 2015-2016 ED. VISUAL 7.º Ano

ROTAS DE APRENDIZAGEM 2015-2016 ED. VISUAL 7.º Ano Professora: Elisabete Mesquita_mesquita.beta@gmail.com Projeto 1: ILUSTRAR E DECORAR A CAPA INDIVIDUAL DO ESTUDANTE Objetivo Geral: desenhar o teu nome, seguindo as regras do desenho das letras e recorrendo

Leia mais

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de 1 Nesta aula você aprenderá a diferenciar um desenhista de um ilustrador e ainda iniciará com os primeiros exercícios de desenho. (Mateus Machado) O DESENHISTA E O ILUSTRADOR Ainda que não sejam profissionais

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnico em Programação de

Leia mais

Mariângela Assumpção de Castro Chang Kuo Rodrigues

Mariângela Assumpção de Castro Chang Kuo Rodrigues Mariângela Assumpção de Castro Chang Kuo Rodrigues 1 APRESENTAÇÃO A ideia deste caderno de atividades surgiu de um trabalho de pesquisa realizado para dissertação do Mestrado Profissional em Educação Matemática,

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES. Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof.

COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES. Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. COMPUTAÇÃO GRÁFICA CORES Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA CORES EM COMPUTAÇÃO GRÁFICA O uso de cores permite melhorar

Leia mais

Cores em Computação Gráfica

Cores em Computação Gráfica Cores em Computação Gráfica Uso de cores permite melhorar a legibilidade da informação, possibilita gerar imagens realistas, focar atenção do observador, passar emoções e muito mais. Colorimetria Conjunto

Leia mais

Formação em Pintura Digital. (enfoque em Concept Art) PINTURA DIGITAL 1

Formação em Pintura Digital. (enfoque em Concept Art) PINTURA DIGITAL 1 1 Formação em Pintura Digital (enfoque em Concept Art) Com o rápido e crescente desenvolvimento do mercado da computação gráfi ca, cada vez mais exigente, um profi ssional que possui um diferencial na

Leia mais

Desenho Técnico. Desenho Projetivo e Perspectiva Isométrica

Desenho Técnico. Desenho Projetivo e Perspectiva Isométrica Desenho Técnico Assunto: Aula 3 - Desenho Projetivo e Perspectiva Isométrica Professor: Emerson Gonçalves Coelho Aluno(A): Data: / / Turma: Desenho Projetivo e Perspectiva Isométrica Quando olhamos para

Leia mais

O ENSINO DE DESENHO DE MODA: uma experiência de monitoria MARIA DE FATIMA SILVA E ISA MARIA MEIRA ROCHA DE LIMA

O ENSINO DE DESENHO DE MODA: uma experiência de monitoria MARIA DE FATIMA SILVA E ISA MARIA MEIRA ROCHA DE LIMA 1 O ENSINO DE DESENHO DE MODA: uma experiência de monitoria MARIA DE FATIMA SILVA E ISA MARIA MEIRA ROCHA DE LIMA INTRODUÇÃO Este artigo relata a experiência de monitora em Desenho de Moda, no Curso Superior

Leia mais

Processos de análise. DESENHO A 12º ANO E S Campos de Melo

Processos de análise. DESENHO A 12º ANO E S Campos de Melo Processos de análise DESENHO A 12º ANO E S Campos de Melo Estudos da figura humana Pablo Picasso, Painter and knitting Model, 1927. Proporções e cânones; Tipologias canónicas; A representação gráfica da

Leia mais

em nosso primeiro projeto, veremos como utilizar as ferramentas do software gráfico para criar nossas pinturas

em nosso primeiro projeto, veremos como utilizar as ferramentas do software gráfico para criar nossas pinturas formação em pintura digital: A pintura digital abre as possibilidades para que artistas e desenhistas possam mostrar seu talento. Com a transição para o meio digital, os artistas clássicos se especializam

Leia mais

A MANEIRA MAIS FÁCIL E EFICAZ DE APRENDER A DESENHAR E PINTAR

A MANEIRA MAIS FÁCIL E EFICAZ DE APRENDER A DESENHAR E PINTAR A MANEIRA MAIS FÁCIL E EFICAZ DE APRENDER A DESENHAR E PINTAR PRÓXIMAS ENTREGAS ENTREGA FASCÍCULO DVD CAIXA DE ÓLEO PVP 2 2 2 um tubo e um pincel 4,95 3 3 3 caixa arquivadora 9,95 4 4 paleta 4,95 5 5 4

Leia mais

Exercício 1: Ajustes rápidos em retrato

Exercício 1: Ajustes rápidos em retrato UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ - UNOCHAPECÓ CURSO SUPERIOR BACHARELADO EM DESIGN DE MODA ILUSTRAÇÃO I PROFESSORA GISELE DOS SANTOS Exercício 1: Ajustes rápidos em retrato Figura 01: Foto

Leia mais

TUTORIAL: Criando e animando sprites no Inkscape

TUTORIAL: Criando e animando sprites no Inkscape TUTORIAL: Criando e animando sprites no Inkscape Pra quem não sabe, o Inkscape é um programa de desenho vetorial, assim como o Illustrator da Adobe, porém é software livre. Atualmente encontra-se na versão

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO 514502 INTRODUÇÃO AO DESIGN Conceituação e história do desenvolvimento do Design e sua influência nas sociedades contemporâneas no

Leia mais

Técnicas de Exposição de Produtos CONCEITO DE EXPOSIÇÃO DE PRODUTOS A idéia básica: Mostrar ou destacar alguma coisa. Mostrar também significa: Comunicar O produto deve atrair, seduzir, mexer com os sentidos

Leia mais

Arquitetura e Urbanismo

Arquitetura e Urbanismo Aptidão Arquitetura e Urbanismo APTIDÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO 1. INTRODUÇÃO Considerando que o trabalho do arquiteto é na verdade a articulação de inúmeras variáveis que se materializam e se configuram

Leia mais

PADRÃO PLÁSTICO TOM.

PADRÃO PLÁSTICO TOM. PADRÃO PLÁSTICO TOM. Os princípios de dinâmica de um padrão tonal são muito parecidos com o que vimos em relação aos da linha. Ao colocarmos algumas pinceladas de preto sobre um campo, eles articulam uma

Leia mais

Conhecendo um pouco de matrizes e determinantes

Conhecendo um pouco de matrizes e determinantes Módulo 3 Unidade 29 Conhecendo um pouco de matrizes e determinantes Para início de conversa... Frequentemente em jornais, revistas e também na Internet encontramos informações numéricas organizadas na

Leia mais

Design Web - Percepção. Elisa Maria Pivetta

Design Web - Percepção. Elisa Maria Pivetta Design Web - Percepção Elisa Maria Pivetta GESTALT Percepção Visual Elisa Maria Pivetta Percepção visual No sentido da psicologia e das ciências cognitivas é uma de várias formas de percepção associadas

Leia mais

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de 1 No início do nível intermediário, falamos brevemente sobre a perspectiva e a aplicação de alguns dos seus elementos, como o ponto de fuga, a linha de horizonte e a relação dos objetos com o olho do observador.

Leia mais

Composição fotográfica

Composição fotográfica 3. Uso de diagonais 4. Regra dos terços 5. O Ponto Dourado Composição fotográfica 15 dicas para ter imagens com harmonia e proporção. Este tutorial vai ajudá-lo a usar melhor uma câmera fotográfica, compacta

Leia mais

IBM1018 Física Básica II FFCLRP USP Prof. Antônio Roque Aula 4

IBM1018 Física Básica II FFCLRP USP Prof. Antônio Roque Aula 4 Lei de Gauss Considere uma distribuição arbitrária de cargas ou um corpo carregado no espaço. Imagine agora uma superfície fechada qualquer envolvendo essa distribuição ou corpo. A superfície é imaginária,

Leia mais

DO ABSTRATO AO CONCRETO: UTILIZANDO CANUDINHOS PARA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS GEOMÉTRICOS

DO ABSTRATO AO CONCRETO: UTILIZANDO CANUDINHOS PARA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS GEOMÉTRICOS 1 DO ABSTRATO AO CONCRETO: UTILIZANDO CANUDINHOS PARA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS GEOMÉTRICOS Andréa de Jesus Santos- UFES (andrea20santos@hotmail.com) Alex Almeida de Souza- UEFS (alexalmeida2012@live.com)

Leia mais

Informática Aplicada a Radiologia

Informática Aplicada a Radiologia Informática Aplicada a Radiologia Apostila: Imagem Digital parte I Prof. Rubens Freire Rosa Imagem na forma digital A representação de Imagens na forma digital nos permite capturar, armazenar e processar

Leia mais

Prof. Marcelo Henrique dos Santos

Prof. Marcelo Henrique dos Santos POR QUE ESTUDAR COMPUTAÇÃO GRÁFICA? Quem quiser trabalhar em áreas afins: Entretenimento Jogos e filmes Visualização Simulação de fenômenos físicos Arte computadorizada Educação e treinamento Processamento

Leia mais

Copyright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total deste ebook só é permitida através de autorização por escrito de

Copyright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total deste ebook só é permitida através de autorização por escrito de 1 Se quereres dar aos seus desenhos mais realismo, profundidade, volume e proporção, você deve conhecer as regras da perspectiva. Desde o mais simples até o mais complexo desenho necessitam de uma boa

Leia mais

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5

A cor e o computador. Teoria e Tecnologia da Cor. Unidade VII Pág. 1 /5 A cor e o computador Introdução A formação da imagem num Computador depende de dois factores: do Hardware, componentes físicas que processam a imagem e nos permitem vê-la, e do Software, aplicações que

Leia mais

Caderno de Respostas

Caderno de Respostas Caderno de Respostas DESENHO TÉCNICO BÁSICO Prof. Dr.Roberto Alcarria do Nascimento Ms. Luís Renato do Nascimento CAPÍTULO 1: ELEMENTOS BÁSICOS DO DESENHO TÉCNICO 1. A figura ilustra um cubo ao lado de

Leia mais

Figuras geométricas. Se olhar ao seu redor, você verá que os objetos. Nossa aula. Figuras geométricas elementares

Figuras geométricas. Se olhar ao seu redor, você verá que os objetos. Nossa aula. Figuras geométricas elementares A UU L AL A Figuras geométricas Se olhar ao seu redor, você verá que os objetos têm forma, tamanho e outras características próprias. As figuras geométricas foram criadas a partir da observação das formas

Leia mais

Questão 1 / Tarefa 1. Questão 1 / Tarefa 2. Questão 1 / Tarefa 3. Questão

Questão 1 / Tarefa 1. Questão 1 / Tarefa 2. Questão 1 / Tarefa 3. Questão Neste teste, a resolução da questão 1 exige a audição de uma sequência de três músicas que serão executadas sem interrupção: uma vez, no início do teste; uma vez, dez minutos após o término da primeira

Leia mais

Fotografia digital. Aspectos técnicos

Fotografia digital. Aspectos técnicos Fotografia digital Aspectos técnicos Captura CCD (Charge Coupled Device) CMOS (Complementary Metal OxideSemiconductor) Conversão de luz em cargas elétricas Equilíbrio entre abertura do diafragma e velocidade

Leia mais

1.ª CERTIFICAÇÃO DE HABILIDADE ESPECÍFICA DE 2010 Prova de Habilidades Específicas

1.ª CERTIFICAÇÃO DE HABILIDADE ESPECÍFICA DE 2010 Prova de Habilidades Específicas Universidade de Brasília sala n.º máscara 1.ª CERTIFICAÇÃO DE HABILIDADE ESPECÍFICA DE 2010 Prova de Habilidades Específicas Arquitetura e Urbanismo Gráfica e Teste L E I A C O M A T E N Ç Ã O A S I N

Leia mais

Realizado por: Nuno Barros nº27283 Filipe Gonçalves nº27285 Ângelo Sousa nº28158 André Martins nº28531

Realizado por: Nuno Barros nº27283 Filipe Gonçalves nº27285 Ângelo Sousa nº28158 André Martins nº28531 Realizado por: Nuno Barros nº27283 Filipe Gonçalves nº27285 Ângelo Sousa nº28158 André Martins nº28531 Também conhecido por digitalizador Scanner é um periférico de entrada Leitura de textos e imagens

Leia mais

Prova Prática de Desenho A

Prova Prática de Desenho A EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 9/, de de julho Prova Prática de Desenho A.º Ano de Escolaridade Prova 706/.ª Fase Critérios de Classificação 7 Páginas COTAÇÕES GRUPO I Representação

Leia mais

Gestalt do Objeto. Teoria Geral da Gestalt. Fundamentado Cientificamente na

Gestalt do Objeto. Teoria Geral da Gestalt. Fundamentado Cientificamente na Gestalt do Objeto Sistema de Leitura Visual da Forma Teoria Geral da Gestalt Fundamentado Cientificamente na Psicologia i da Percepção da Forma Prof. Dr. João Gomes Filho... Setembro. 2006 BIBLIOGRAFIA

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Missão da Fean Formar profissionais competentes e eficientemente preparados para atuar no mercado, aptos a prever, antecipar e intervir positivamente nas mudanças e oportunidades.

Leia mais

Elementos de linguagem: A cor

Elementos de linguagem: A cor Profa Ana Rezende Ago /set 2006 A todo o momento recebemos informações através dos sentidos, da visão, do olfacto,... em cada cem informações que recebemos oitenta são visuais dessas, quarenta são cromáticas,

Leia mais

Plano de aula nº 1. Lição n.º Data/Hora Sala Turma Docente Docente de substituição. Sumário. Elementos e Figuras Geométricas

Plano de aula nº 1. Lição n.º Data/Hora Sala Turma Docente Docente de substituição. Sumário. Elementos e Figuras Geométricas Plano de aula nº 1 Elementos e Figuras Geométricas Reta, semirreta e segmento de reta Plano Ângulo Circunferência, círculo e elipse Polígonos Polígonos convexos e polígonos côncavos Polígonos regulares

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES ATIVIDADES ESTRATÉGIAS. Apresentação. Teste Diagnóstico prova teórico-prática

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES ATIVIDADES ESTRATÉGIAS. Apresentação. Teste Diagnóstico prova teórico-prática ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES º C.E.B. DISCIPLINA: EDUCAÇÃO VISUAL ANO: 9º ANO LETIVO 0/0 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS AULAS PREVISTAS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO

Leia mais

O segredo do retoque de pele

O segredo do retoque de pele O segredo do retoque de pele Dia após dia a fama do Photoshop aumenta, graças, principalmente, aos seus milagres nos retoques de pele. O mundo inteiro discute se é correto editar a textura da pele de modelos

Leia mais

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo)

OURO MODERNO www.ouromoderno.com.br. Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) Designer Gráfico APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) 1 Índice Aula 1... 3 Apresentação do Photoshop... 3 Barra de Menus... 3 Barra de Opções... 3 Barra de Ferramentas...4

Leia mais

Prova Prática de Desenho A

Prova Prática de Desenho A EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 7/0, de 6 de março Prova Prática de Desenho A.º Ano de Escolaridade Prova 706/.ª Fase Critérios de Classificação 7 Páginas COTAÇÕES GRUPO I Representação

Leia mais

1- Fonte Primária 2- Fonte Secundária. 3- Fonte Puntiforme 4- Fonte Extensa

1- Fonte Primária 2- Fonte Secundária. 3- Fonte Puntiforme 4- Fonte Extensa Setor 3210 ÓPTICA GEOMÉTRICA Prof. Calil A Óptica estuda a energia denominada luz. 1- Quando nos preocupamos em estudar os defeitos da visão e como curá-los, estamos estudando a Óptica Fisiológica. Estudar

Leia mais

Desde os tempos antigos, o homem tem buscado meios de transmitir conhecimento para contemporâneas e futuras gerações. Muito antes da descoberta

Desde os tempos antigos, o homem tem buscado meios de transmitir conhecimento para contemporâneas e futuras gerações. Muito antes da descoberta 1 Introdução 1.1 Ilustrações Desde os tempos antigos, o homem tem buscado meios de transmitir conhecimento para contemporâneas e futuras gerações. Muito antes da descoberta da escrita, já se utilizavam

Leia mais

[CURSO DE FÉRIAS FIREWORKS] JULHO / 2011

[CURSO DE FÉRIAS FIREWORKS] JULHO / 2011 Conteúdo 1. OBJETIVO DO FIREWORKS... 2 1.1 - Diferença entre imagem Vetorial e Bitmap... 2 1.2 - Formato de Arquivos... 3 2. AMBIENTE DO FIREWORKS... 3 2.1 - INICIANDO UM PROJETO... 4 3. DESENHANDO NO

Leia mais

9 PROJEÇÕES ORTOGONAIS. 9.1 Introdução

9 PROJEÇÕES ORTOGONAIS. 9.1 Introdução 9 PROJEÇÕES ORTOGONAIS 57 9.1 Introdução Tanto o desenho em perspectivas como o desenho através de vista se valem da projeção para fazer suas representações. A diferença é que no desenho em perspectiva

Leia mais

Seleção Retangular Esta é uma das ferramentas mais usadas. A seleção será indicada pelas linhas tracejadas que fazem a figura de um retângulo.

Seleção Retangular Esta é uma das ferramentas mais usadas. A seleção será indicada pelas linhas tracejadas que fazem a figura de um retângulo. O que é o Gimp? O GIMP é um editor de imagens e fotografias. Seus usos incluem criar gráficos e logotipos, redimensionar fotos, alterar cores, combinar imagens utilizando o paradigma de camadas, remover

Leia mais

OBJETIVOS: ARTES VISUAIS EDUCAÇÃO INFANTIL PRÉ II DATA: PERÍODO:

OBJETIVOS: ARTES VISUAIS EDUCAÇÃO INFANTIL PRÉ II DATA: PERÍODO: ARTES VISUAIS EDUCAÇÃO INFANTIL PRÉ II DATA: PERÍODO: CONTEÚDO: Gênero: Retrato /Fotografia Técnica: Pintura óleo sobre tela Elementos formais: cor e luz Os recursos formais de representação: figuração

Leia mais

Perspectiva isométrica de modelos com elementos diversos

Perspectiva isométrica de modelos com elementos diversos Perspectiva isométrica de modelos com elementos diversos Introdução Algumas peças apresentam partes arredondadas, elementos arredondados ou furos, como mostram os exemplos abaixo: parte arredondada furo

Leia mais

Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso

Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso Geoprocessamento e Cartografia Prof. MSc. Alexander Sergio Evaso Aula 02 Componentes de um GIS (SIE, ou SIG) Ideias dependem de pessoas. Pessoas trazem o conhecimento para uma equipe, que engendra ideias.

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE DESIGN GRÁFICO. Planificação anual

CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE DESIGN GRÁFICO. Planificação anual Agrupamento de Escolas Júlio Dantas 1515 ESCOLA SECUNDÁRIA JÚLIO DANTAS LAGOS (00312) CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE DESIGN GRÁFICO Disciplina: sign Gráfico - 10ºH Professores: Mara Taquelim, Rui Calmeiro.

Leia mais

Tutorial - Vetorizando uma fotografia

Tutorial - Vetorizando uma fotografia Tutorial - Vetorizando uma fotografia Thiago Santos 02-2013 Vetorizando uma fotografia Meu nome é Thiago Santos e vou mostrar a vocês como vetorizar uma fotografia. O processo não é muito complicado, mas

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É?

COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É? COMPUTAÇÃO GRÁFICA O QUE É? Curso: Tecnológico em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: COMPUTAÇÃO GRÁFICA 4º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA SUMÁRIO O que é COMPUTAÇÃO GRÁFICA Áreas relacionadas

Leia mais

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira PROCESSAMENTO DE IMAGENS Engenharia de Computação

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira PROCESSAMENTO DE IMAGENS Engenharia de Computação AULA 01 INTRODUÇÃO Eduardo Camargo de Siqueira PROCESSAMENTO DE IMAGENS Engenharia de Computação INTRODUÇÃO Processamento Digital de Imagens refere-se ao processamento imagens por meio de um computador

Leia mais

PLANOS DE TRABALHO MATEMÁTICA 2º ANO

PLANOS DE TRABALHO MATEMÁTICA 2º ANO PLANOS DE TRABALHO MATEMÁTICA 2º ANO Adriana da Silva Santi Coordenação Pedagógica de Matemática Piraquara Março/2014 PLANO DE TRABALHO - 2º ANO CONTEÚDOS OBJETIVOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Geometria: -

Leia mais

Desenho e Projeto de tubulação Industrial

Desenho e Projeto de tubulação Industrial Desenho e Projeto de tubulação Industrial Módulo I Aula 08 1. PROJEÇÃO ORTOGONAL Projeção ortogonal é a maneira que o profissional recebe o desenho em industrias, 1 onde irá reproduzi-lo em sua totalidade,

Leia mais

Cores Introdução. As cores como fenômenos físicos e químicos. 48 Capítulo 4

Cores Introdução. As cores como fenômenos físicos e químicos. 48 Capítulo 4 Cores Introdução O ser vivo é conectado ao meio ambiente por meio das sensações sonoras, luminosas, gustativas, táteis e olfativas. Portanto, a falta de qualquer um dos órgãos dos sentidos nos traz sérios

Leia mais

Interface Homem-Computador

Interface Homem-Computador Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão Interface Homem-Computador Aula: Percepção Visual e de Cores - Parte I Professor: M.Sc. Flávio Barros flathbarros@gmail.com Conteúdo Percepção Visual e de

Leia mais

O retrato através da História da Arte

O retrato através da História da Arte ós na ala de Aula - Arte 6º ao 9º ano - unidade 5 Inicie sua aula observando retratos conhecidos da História da Arte e, em seguida, converse com os alunos sobre os retratos na História. Pergunte a eles

Leia mais

C A P Í T U L O 1 4. M a u r i c i o A l v e s M o r e i r a I n s t i t u t o N a c i o n a l d e P e s q u i s a s E s p a c i a i s

C A P Í T U L O 1 4. M a u r i c i o A l v e s M o r e i r a I n s t i t u t o N a c i o n a l d e P e s q u i s a s E s p a c i a i s C A P Í T U L O 1 4 I N F O R M A Ç Õ E S Ú T E I S P A R A A U X I L I A R A I N T E R P R E T A Ç Ã O V I S U A L D E I M A G E N S D E S A T É L I T E S M a u r i c i o A l v e s M o r e i r a I n s

Leia mais

Projeções: leitura recomendada. Aulas 3, 4 e 10 da apostila Telecurso 2000

Projeções: leitura recomendada. Aulas 3, 4 e 10 da apostila Telecurso 2000 Projeções Projeções: leitura recomendada Aulas 3, 4 e 10 da apostila Telecurso 2000 Projeções: conceitos A projeção transforma pontos 3D (X, Y, Z) em 2D (xi,yi) Projeções: conceitos Raios de projeção emanam

Leia mais

Objetivos. Apresentar as superfícies regradas e superfícies de revolução. Analisar as propriedades que caracterizam as superfícies regradas e

Objetivos. Apresentar as superfícies regradas e superfícies de revolução. Analisar as propriedades que caracterizam as superfícies regradas e MÓDULO 2 - AULA 13 Aula 13 Superfícies regradas e de revolução Objetivos Apresentar as superfícies regradas e superfícies de revolução. Analisar as propriedades que caracterizam as superfícies regradas

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Os Conteúdos Programáticos estão enunciados segundo o programa em vigor e as Metas Curriculares definidas pelo ministério da Educação e Ciência.* 1º Período 26/28 aulas previstas

Leia mais

A Turma da Tabuada 3

A Turma da Tabuada 3 A Turma da Tabuada 3 Resumo Aprender brincando e brincando para aprender melhor. É dessa forma que a turma da tabuada nos levará a mais uma grande aventura pelo mundo do espaço e das formas. Na primeira

Leia mais

P R O G R A M A. M ó d u l o d e G e o m e t r i a D e s c r i t i v a ( 2 4 h o r a s )

P R O G R A M A. M ó d u l o d e G e o m e t r i a D e s c r i t i v a ( 2 4 h o r a s ) DEPARTAMENTO DE ARTE E DESIGN C U R S O L I V R E 2 0 0 9 P R E P A R A Ç Ã O P A R A A S P R O V A S D E A V A L I A Ç Ã O D E D E S E N H O E G E O M E T R I A D E S C R I T I V A E DE H I S T Ó R I

Leia mais

LUZ E SOMBRA NA ARTE

LUZ E SOMBRA NA ARTE LUZ E SOMBRA NA ARTE A luz e a sombra são elementos fundamentais da linguagem visual. Com elas podemos criar no desenho, na pintura e escultura belíssimos efeitos como o de dilatação do espaço, o de profundidade

Leia mais

INCLUSÃO DIGITAL. 1º Semestre

INCLUSÃO DIGITAL. 1º Semestre INCLUSÃO DIGITAL 1º Semestre Sumário 1. Objetivos...4 2. Cursos oferecidos...4 2.1 Informática Básica...4 2.1.1. Windows...4 2.1.2. Word...4 2.1.3. Excel...4 2.1.4. PowerPoint...4 2.1.5. Internet...4 2.2

Leia mais

Oficina Photoshop CS5 Avançado. Objetivos

Oficina Photoshop CS5 Avançado. Objetivos Oficina Photoshop CS5 Avançado Objetivos Capacitar o aluno a criar ilustrações, logotipos, embalagens ou plantas utilizando tecnologia vetorial de precisão e manipular objetos modificando sua estrutura

Leia mais

ESTEREOSCOPIA. A reconstrução 3-D pode ser realizada em três condições

ESTEREOSCOPIA. A reconstrução 3-D pode ser realizada em três condições ESTEREOSCOPIA RECONSTRUÇÃO 3-D A reconstrução 3-D pode ser realizada em três condições CONHECIMENTO PRÉVIO RECONSTRUÇÃO 3-D A PARTIR DE DUAS VISTAS Parâmetros intrínsecos e Triangulação (coords. absolutas)

Leia mais

PUBLICIDADE & PROPAGANDA PRODUÇÃO GRÁFICA

PUBLICIDADE & PROPAGANDA PRODUÇÃO GRÁFICA PRODUÇÃO GRÁFICA PUBLICIDADE & PROPAGANDA Prova Semestral --> 50% da nota final. Sistema de avaliação Atividades em laboratório --> 25% da nota final Exercícios de práticos feitos nos Laboratórios de informática.

Leia mais

Fotos Analógicas (Processo químico) e Digitais (Processo eletrônico)

Fotos Analógicas (Processo químico) e Digitais (Processo eletrônico) CÂMERA FOTOGRÁFICA Foto analógica Foto digital Fotos Analógicas (Processo químico) e Digitais (Processo eletrônico) O DIAFRAGMA OBJETO DIAFRAGMA EM IRIS OBJETO IRIS RETINA ABERTURA PUPILA LENTE CRISTANILO

Leia mais

1. o Vestibular 2002 PROVA DE HABILIDADES ESPECÍFICAS ARQUITETURA E URBANISMO. Programa de Avaliação Seriada Subprograma 1999 3.

1. o Vestibular 2002 PROVA DE HABILIDADES ESPECÍFICAS ARQUITETURA E URBANISMO. Programa de Avaliação Seriada Subprograma 1999 3. PROVA DE HABILIDADES ESPECÍFICAS 1. o Vestibular 2002 ARQUITETURA E URBANISMO Programa de Avaliação Seriada Subprograma 1999 3. a Etapa SALA N. o DE CONTROLE RESULTADO FINAL NOME INSCRIÇÃO Assinatura:

Leia mais

IBM1018 Física Básica II FFCLRP USP Prof. Antônio Roque Aula 3

IBM1018 Física Básica II FFCLRP USP Prof. Antônio Roque Aula 3 Linhas de Força Mencionamos na aula passada que o físico inglês Michael Faraday (79-867) introduziu o conceito de linha de força para visualizar a interação elétrica entre duas cargas. Para Faraday, as

Leia mais

Imagem digital. Unidade 3

Imagem digital. Unidade 3 Imagem digital Unidade 3 Objectivos Reconhecer o potencial comunicativo/ expressivo das imagens; Reconhecer as potencialidades narrativas de uma imagem; A criação de sentido nas associações de imagens

Leia mais

Interação Humano-Computador Teoria Geral da Gestalt PROFESSORA CINTIA CAETANO

Interação Humano-Computador Teoria Geral da Gestalt PROFESSORA CINTIA CAETANO Interação Humano-Computador Teoria Geral da Gestalt PROFESSORA CINTIA CAETANO Introdução Nossa inteligência pode ser caracterizada pela nossa capacidade de identificar padrões, e o sistema visual é o nosso

Leia mais

Composição fotográfica

Composição fotográfica Composição fotográfica É a seleção e os arranjos agradáveis dos assuntos dentro da área a ser fotografada. Os arranjos são feitos colocando-se figuras ou objetos em determinadas posições. Às vezes, na

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO PROGRAMA PRO-ÍRIS (Controle Clínico e Irisdiagnose)

MANUAL DE UTILIZAÇÃO PROGRAMA PRO-ÍRIS (Controle Clínico e Irisdiagnose) MANUAL DE UTILIZAÇÃO PROGRAMA PRO-ÍRIS (Controle Clínico e Irisdiagnose) O Programa Pró Íris foi desenvolvido pela Castells, visando tornar-se uma valiosa ferramenta auxiliar de ajuda ao profissional da

Leia mais

Representação de Imagens

Representação de Imagens Representação de Imagens Primitivas Gráficas As primitivas gráficas são os elementos básicos que formam um desenho. Exemplos: Ponto, segmento, polilinha, polígono, arco de elipse, etc. Primitivas já definidas

Leia mais

Crie um sofá em 3D no AutoCad 13 ou 14

Crie um sofá em 3D no AutoCad 13 ou 14 Crie um sofá em 3D no AutoCad 13 ou 14 Leitores pediram mais detalhes nas explicações e nos comandos e estão sendo atendidos 0 modelo escolhido para essa edição foi um sofá de três lugares. Atendendo a

Leia mais

vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo

vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo 1. INTRODUÇÃO O curso de Arquitetura e Urbanismo da UNICAMP tem o propósito de preparar o arquiteto para ser um profissional capaz de compreender

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2302N - Bacharelado em Design. Ênfase. Disciplina 0003607B - Desenho de Observação I

Plano de Ensino. Identificação. Câmpus de Bauru. Curso 2302N - Bacharelado em Design. Ênfase. Disciplina 0003607B - Desenho de Observação I Curso 2302N - Bacharelado em Design Ênfase Identificação Disciplina 0003607B - Desenho de Observação I Docente(s) Milton Koji Nakata Unidade Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Departamento Departamento

Leia mais

1. Introdução ao Adobe Illustrator CC. 2.6. Ferramentas de Seleção e Visualização. 1.1. Novidades do Illustrator CC. 3. Desenho. 1.2.

1. Introdução ao Adobe Illustrator CC. 2.6. Ferramentas de Seleção e Visualização. 1.1. Novidades do Illustrator CC. 3. Desenho. 1.2. 1. Introdução ao Adobe Illustrator CC 1.1. Novidades do Illustrator CC 1.2. Abrir o Programa 1.3. Criar um Novo Documento 1.4. Área de Trabalho 1.4.1. Paletas e Painéis 1.4.2. Menus de Contexto 1.4.3.

Leia mais

Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais. Manual de Identidade Gráfica

Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais. Manual de Identidade Gráfica Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais Manual de Identidade Gráfica 1 2 Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais Manual de Identidade Gráfica 4 ÍNDICE Introdução I. Significado I.0 Emblema

Leia mais

Professores Formadores NTE Uruaçu-GO

Professores Formadores NTE Uruaçu-GO Professores Formadores NTE Uruaçu-GO Núcleo de Tecnologia Educacional de Uruaçu NTE - 1 - INTRODUÇÃO O Aplicativo KolourPaint é utilizado para edição de desenhos e construção de conhecimento utilizando

Leia mais

Ementa Introdução aos fundamentos. Estudo e experimentação de técnicas e de instrumentos da computação gráfica aplicados ao design.

Ementa Introdução aos fundamentos. Estudo e experimentação de técnicas e de instrumentos da computação gráfica aplicados ao design. Unidade Universitária Centro de Comunicação e Letras Curso Publicidade e Propaganda 4 495 Eixo Disciplinar Disciplina Introdução à Computação Gráfica Ementa Introdução aos fundamentos. Estudo e experimentação

Leia mais

Sistemas de Informações Hospitalares Imagens Armazenamentos. Prof.: Edson Wanderley

Sistemas de Informações Hospitalares Imagens Armazenamentos. Prof.: Edson Wanderley Sistemas de Informações Hospitalares Imagens Armazenamentos Prof.: Edson Wanderley O que é um Sistema de Informação Hospitalar É um software que tem a finalidade de gerenciar um ou diversos setores de

Leia mais

Nascemos a ver ou aprendemos a ver?

Nascemos a ver ou aprendemos a ver? Nascemos a ver ou aprendemos a ver? A visão é uma função essencialmente aprendida pelos organismos superiores. Podemos dizer que o processo de visão compreende a sensação e a percepção. A sensação consiste

Leia mais

Projeção ortográfica de modelos com elementos paralelos e oblíquos

Projeção ortográfica de modelos com elementos paralelos e oblíquos A U L A Projeção ortográfica de modelos com elementos paralelos e oblíquos Introdução Você já sabe que peças da área da Mecânica têm formas e elementos variados. Algumas apresentam rebaixos, outras rasgos,

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3 WORD 2007 E 2010 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 A série... 3 01 CAPTURAS DE TELA WORD 2010... 3 02 IMAGENS 2007/2010... 5 03 NOTAS DE RODAPÉ... 13 04 NUMERAÇÃO DE PÁGINAS... 15 05 CONTAR PALAVRAS...

Leia mais

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL

MANUAL DE IDENTIDADE VISUAL Sumário Apresentação 3 Logotipo - Versões Cromáticas 4 Diagrama de Construção, Área de Reserva e Redução 5 Convivência com Outras Marcas 6 Patrocínio 7 Aplicações sobre Fundos 8 Aplicações Incorretas 9

Leia mais

MODELANDO COM SPLINES E PATCHES, E NÃO POLÍGONOS

MODELANDO COM SPLINES E PATCHES, E NÃO POLÍGONOS T utorial por David Oilveira Figuras 1A e 1B Animation Master Parte 2 Modelando Personagens Orgânicos no AM Figura 2 MODELANDO COM SPLINES E PATCHES, E NÃO POLÍGONOS Um dos pontos diferenciais do Animation

Leia mais

Entendendo o Astigmatismo. Introdução. Lentes especiais sem astigmatismo MAS450/854. 9 de março de 2003

Entendendo o Astigmatismo. Introdução. Lentes especiais sem astigmatismo MAS450/854. 9 de março de 2003 Entendendo o Astigmatismo MAS450/854 Primavera 2003 9 de março de 2003 Introdução Lentes especiais sem astigmatismo Lentes cilíndricas cruzadas com astigmatismo o Foco horizontal o Foco vertical o Plano

Leia mais

manual de identidade visual instituto fonte

manual de identidade visual instituto fonte manual de identidade visual instituto fonte por quê um manual de identidade visual é importante para o instituto fonte? Por uma razão de sentido. Faz sentido para nós conseguir comunicar, em um conjunto

Leia mais

Manual Técnico Bragal Oil e Gás. Óculos de Segurança com Grau

Manual Técnico Bragal Oil e Gás. Óculos de Segurança com Grau Manual Técnico Bragal Oil e Gás Óculos de Segurança com Grau Apresentação: A necessidade do uso de lentes corretivas, por profissionais que trabalham com óculos de segurança, é uma aplicação de 15% da

Leia mais