> Resultados 2008: aptos para pensar nosso modelo de negócio e aptos para torná-lo realidade

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "> Resultados 2008: aptos para pensar nosso modelo de negócio e aptos para torná-lo realidade"

Transcrição

1 Memória Anual 2008

2 Índice carta do Conselheiro Principais magnitudes Marcos Missão e Valores estratégia e objetivos Governo Corporativo evolução do negócio Relatório de Bolsa nossa equipe nossos clientes inovação Gestão de Riscos contribuição à Sociedade Sedes 82

3 CARTA DO CONSELHEIRO DELEGADO

4 Prezados Acionistas, Como Conselheiro Delegado de Prosegur, tenho novamente o prazer de compartilhar com Vs. Sas., os sucessos, iniciativas e resultados atingidos durante este exercício, meu primeiro ano à frente da companhia. Em 2008, conclui-se nosso Plano 2.000/200, iniciado em 2005, e que cumpriu com êxito o desafio ao qual então nos propusemos: duplicar o tamanho da companhia em termos de vendas e rentabilidade. Com este Plano, crescemos e avançamos como o melhor parceiro, líder em serviços e soluções globais de segurança para nossos clientes. Reflexo disso é: nossa organização focada no cliente; nossa equipe com mais de profissionais, presente em 13 países e a solidez de nossa marca. Este excelente resultado nos permite continuar conduzindo o Grupo Prosegur em direção ao futuro com solidez e esperança. Na atual situação, marcada por incertezas, diminuição da demanda e menor disponibilidade de capital, mesmo que o mercado de segurança não esteja entre os principais afetados, é muito importante que tenhamos assentado bases sólidas que nos ajudarão a continuar avançando com otimismo pela estrada de sucesso que traçamos. > Resultados 2008: aptos para pensar nosso modelo de negócio e aptos para torná-lo realidade Durante 2008 a Companhia aumentou o volume de atividade em todas suas áreas de negócio e a estratégia de combinar crescimento orgânico e inorgânico deu seus frutos: o resultado foi crescimento em todos os mercados nos quais estamos presentes. O faturamento do Grupo Prosegur atingiu 2.051,7 milhões de euros em ,4% a mais que em O lucro líquido aumentou 29,2%, atingindo 127 milhões de euros e o EBITA ficou em 207,1 milhões de euros. As duas grandes áreas do negócio, Segurança Corporativa e Segurança Residencial, aumentaram suas vendas em 11,3% e 12,8%, respectivamente, e a proposta de remuneração aos acionistas com encargo no exercício de 2008, será de 50 milhões de euros. Em 2008 o grupo investiu mais de 100 milhões de euros, a partir de uma sólida estrutura financeira, que nos permite desenvolver projetos com os quais mantemos o nível de prestação que nos exigimos como referência no setor. Memória Anual

5 Presença internacional: ator global de segurança privada Fiéis a nosso compromisso de internacionalização, reforçamos e ampliamos nossa presença fora da Espanha, obtendo mais peso específico na América Latina e no restante da Europa, desenvolvendo um modelo de atendimento global para nossos clientes que foi reconhecido por sua fidelidade, tanto em novas áreas geográficas, como na diversificação de serviços. A América Latina consolidou-se como um pilar de crescimento do Grupo. O desenvolvimento da área de Tecnologia, que complementa a de Vigilância Ativa e a de Logística de Valores e Gestão de Dinheiro, o grande avanço na venda cruzada no Brasil e na Argentina ou a entrada em novos mercados, são exemplos da execução bem-sucedida da estratégia almejada. Na Espanha continuamos nossa aposta em um melhor serviço, na proximidade com o cliente e nossa equipe e em ser referência de mercado em cada área de negócio. Confiamos que este caminho nos permitirá atingir nossos objetivos, em que pese o ambiente econômico no qual teremos que nos mover. Na Europa mantemos nossa liderança em Portugal e seguimos crescendo na França, onde o número de clientes que confiam em nossos serviços aumenta tanto em quantidade quanto em qualidade e importância. Foi especialmente destacável durante este último exercício, o crescimento da Prosegur Tecnologia. Sua equipe, com mais de pessoas, atingiu um aumento das vendas de 35%. Adquirimos Xiden e Giasa, na Argentina; Sheta Indústria Eletrônica, no Brasil. Estas aquisições e o crescimento do negócio orgânico demonstram, claramente, nosso compromisso com a tecnologia e a confiança que nos foi outorgada por nossos clientes. Em Segurança Residencial seguimos a passos firmes em nossa aposta na inovação e na melhoria dos serviços que oferecemos. A aquisição no Chile dos ativos de segurança residencial da Telefónica Asistencia y Seguridad S.A. (telemergência), nos tornou um operador de referência na América Latina. Em cada país nos quais estamos presentes, mantemos de maneira homogênea todas nossas diferenças competitivas-chave, que são: a qualidade nas operações, a excelência no controle do negócio, a aposta na inovação e a adaptação às necessidades específicas do cliente. > Parceiro estratégico dos clientes Nosso desejo de contribuir de uma forma tangível com o progresso da atividade de nossos clientes é hoje uma realidade. Para poder atendê-los melhor, agregando mais valor, nos tornamos seu parceiro, com iniciativas inovadoras concretas, que os ajudam a crescer e a ser mais eficientes. Investimos no desenvolvimento de uma estrutura e operações especializadas para prestar um serviço na medida dos objetivos de negócio de cada um de nossos clientes. Exemplo disso é a criação de uma divisão especializada em serviços de segurança aeroportuária na Espanha, seguindo nossa experiência em outros mercados. Memória Anual

6 Para oferecer excelência a nossos clientes, consideramos vital o compromisso com a formação contínua de nossa equipe e a aposta em um modelo de serviços que garante e mede a satisfação de maneira contínua e objetiva. Nossos centros de competência, dinamizadores do conhecimento e da difusão das melhores práticas desenvolvidas dentro do Grupo, ou a Universidade Prosegur, como ferramenta de transmissão global do conhecimento, são dois bons exemplos deste compromisso. > Preparados para o futuro Sem dúvida 2009 será um ano importante, pleno de desafios, no qual queremos continuar consolidando nossa posição nos mercados onde estamos presentes, promovendo serviços de valor, ficando próximos aos nossos clientes, buscando constantemente novas oportunidades e procurando aumento de rentabilidade. Nossa organização multinacional é uma fortaleza que nos permite aportar soluções globais e obter sinergia em todas as áreas, potencializando e demonstrando assim nossa solidez como Grupo. Para atingir estes objetivos, é fundamental a grande equipe da Prosegur, da qual me sinto especialmente orgulhoso. Estou certo, agora mais do que nunca, que todos trabalharemos com perseverança, compromisso e esforço. Agradeço mais uma vez poder contar com seu apoio e confiança. Christian Gut Revoredo Conselheiro Delegado Memória Anual

7 01 Principais Magnitudes

8 01 Os resultados do Grupo Prosegur neste exercício foram positivos, dando seguimento à tendência do ano anterior. As vendas registraram crescimento de 11,4%, superando milhões de euros. O lucro líquido consolidado aumentou 29,2%, atingindo os 127 milhões de euros. Todas as principais magnitudes da Prosegur registraram em 2008 crescimentos que demonstram a solidez e solvência da estratégia pela Companhia, que se consolida como uma empresa de referência no setor de segurança privada nos países onde está presente. Assim, o resultado operacional (EBITA) atingiu 207,1 milhões de euros, o que significa um crescimento de 27,9% em relação ao ano anterior. Adicionalmente, a Prosegur fez investimentos no valor de quase 102 milhões de euros. Com estes resultados, a Prosegur terminou seu Plano 2000/200 superando as previsões projetadas. A seguir, uma amostra da evolução dos principais números da companhia no último triênio: Faturamento (milhões de euros) Quadro médio de funcionários (em pessoas) , , , Memória Anual

9 01 EBITA (milhões de euros) Lucro líquido consolidado (milhões de euros) , , , , ,6 Rentabilidade do capital (ROE) (%) Cash fow operacional (milhões de euros) , , , , ,8 Investimentos (milhões de euros) ,2 101,9 Prosegur fez investimentos de quase 102 milhões de euros Memória Anual

10 02 MARCOS 2008

11 CONSOLIDAÇÃO 1 DO NOVO MODELO DE NEGÓCIO EM VIGILÂNCIA ATIVA Cada profissional da Prosegur é o pilar no qual se sustenta a filosofia do Grupo. Em 2008, a Vigilância Ativa continuou promovendo novas atuações para consolidar e tornar cada vez mais tangível o novo modelo de negócio, implantado em Suas características principais são a proximidade, a delegação e o trabalho em equipe, algo que durante este exercício caracterizou a atividade diária da área em que se apóia cada vez mais em uma operação tecnológica. Assim o demonstra o investimento feito em tecnologia para dotar os vigilantes de PDA, com aplicações específicas para administrar, registrar e comunicar às centrais operacionais as incidências diárias, bem como de notebooks. Informação que Prosegur comunica on-line ao site do cliente para que saiba o que está acontecendo em sua empresa. > 02 2 RUMO A UMA MAIOR ESPECIALIZAÇÃO A companhia avançou em direção à especialização na segurança aeroportuária; este departamento se encarrega de administrar apenas os clientes deste âmbito, buscando oferecer um serviço de qualidade e um diferencial em relação à concorrência. Fruto destes esforços, em novembro de 2008 foram adjudicados os serviços de segurança, controle de acesso de veículos e controle perimetral do novo Terminal Sul do Aeroporto de El Prat, em Barcelona. 3 MAIS SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM LOGÍSTICA DE VALORES E GESTÃO DE NUMERÁRIO A Prosegur continua ampliando o catálogo de soluções, tanto para clientes bancários como para outros setores. No exercício também implantou sistemas de automação de dinheiro que contam com as tecnologias mais avançadas e as últimas inovações no mercado de segurança. Por exemplo, na área de clientes não bancários, desenvolveu um novo serviço de automação da gestão de arrecadação e abertura de caixas ao mesmo tempo, que, por meio da ferramenta on line, MiProsegur, permite que o cliente possa saber em tempo real os movimentos das máquinas que administram o dinheiro. 12

12 02 4 REFORÇO DO NEGÓCIO DE TECNOLOGIA Coerentemente com a aposta da companhia em tecnologia (Sistemas Eletrônicos e Proteção contra Incêndios), na Argentina Prosegur fez um acordo para a compra da Xiden, empresa de sistemas eletrônicos e integração de soluções de segurança, e adquiriu a empresa de sistemas eletrônicos GIASA. Estas aquisições se enquadram na estratégia da companhia de decididamente desenvolver sua área de tecnologia na Argentina, complementando a aquisição de Fireless (2006), especializada em sistemas de proteção e detecção de incêndios. No Brasil, reforçou sua presença na área de sistemas eletrônicos com a compra da sociedade Setha Indústria Eletrônica, especializada na instalação, manutenção e integração de sistemas eletrônicos de segurança e de comunicação industrial. Na Espanha, seguiu avançando no sistema da venda cruzada para poder oferecer soluções globais de segurança ao cliente. 5 UM NOVO IMPULSO PARA A PROSEGUR ATIVA Sendo consequentes com a importância da Segurança Residencial, a Prosegur adquiriu em outubro a carteira de clientes e outros ativos relacionados com este negócio da Telefónica Asistencia y Seguridad S.A. (telemergência), no Chile. A operação significou um investimento de milhões de pesos chilenos, 18,2 milhões de euros ao câmbio no fechamento da operação e permite aumentar a base de Prosegur Ativa neste país em mais de clientes. A Companhia reforça sua posição na América Latina e ganha peso específico e posicionamento em nível global. 6 FORTALECIMENTO DA EQUIPE Ao longo de 2008, a equipe foi reforçada com o objetivo de lançar-se ao plano definido para o futuro. Esta equipe gestora está encarregada de continuar liderando a transformação da organização, promovendo o crescimento do negócio, redesenhando o conceito de serviços de segurança, fortalecendo o trabalho em equipe, aproximando todas as áreas de negócio em todos os países e buscando oportu- 13

13 02 nidades de expansão internacional. Sempre da perspectiva que o principal ativo da companhia é sua equipe de profissionais. 7 REFORÇO DO CONTROLE INTERNO E BOM GOVERNO A Companhia desenvolveu seu próprio Código Ético e de Conduta, o qual inclui os princípios e padrões básicos para o desenvolvimento das relações do Grupo Prosegur com seus principais grupos de interesse. Também deu andamento, em 2008, a seu próprio Departamento de Auditoria Interna para fortalecer o controle de riscos. 8 CONTRIBUIÇÃO À SOCIEDADE As ações da Fundação Prosegur foram consolidadas, assegurando assim o conteúdo social destas e ressaltando sua contribuição ao desenvolvimento social das sociedades de seu entorno. Programas de reconstrução de escolas infantis e moradias na América Latina ou o apoio à integração de pessoas portadoras de deficiências são algumas das atuações com as quais materializa seu compromisso social. 14

14 03 MISSÃO E VALORES

15 03 O objetivo da Prosegur é ser referência internacional em soluções de segurança privada, comprometida com a qualidade e a inovação que superem as expectativas de seus clientes. Esta Missão se materializa em uma série de valores que definem sua gestão diferenciadora, os quais são compartilhados por seus empregados, reforçando uma cultura que une a equipe. As diversas atividades desenvolvidas pela Prosegur em 2008 incidiram no reforço dos valores que estruturam a Companhia. Algumas ações relacionadas foram: > PROATIVIDADE Tomar a iniciativa e assumir responsabilidades que permitam encontrar as melhores soluções em segurança privada é uma constante no modelo de trabalho da equipe Prosegur. A gestão integral das necessidades do cliente e o desenvolvimento de ferramentas, como o portal MiProsegur, são atuações com as quais a Companhia vai muito mais além no momento de querer atender às necessidades de seus clientes. > CRIAÇÃO DE VALOR O Grupo foca sua gestão na criação de valor para seus clientes, funcionários e acionistas, sem esquecer sua contribuição à sociedade. Os resultados obtidos em 2008 confirmam este princípio e dão sequência à tendência de anos anteriores. Assim, o lucro líquido consolidado cresceu 29,2%, atingindo 127 milhões de euros. > ORIENTAÇÃO AO CLIENTE A orientação ao cliente é absoluta e é considerada a forma mais positiva e eficaz de detectar suas necessidades e desenvolver serviços que o satisfaçam. A figura do interlocutor único com o cliente, para que a comunicação seja transparente e direta, as pesquisas de opinião periódicas e as reuniões pessoais, são iniciativas destinadas a ouvir a voz do cliente e orientar a organização para ele. > TRANSPARÊNCIA Para contar com a confiança e o respeito de seus clientes, funcionários e acionistas, a Prosegur considera fundamental colocar em prática medidas concretas que alimentem sua transparência empresarial. Este ano, o Conselho de Administração aprovou um Código Ético e de Conduta que inclui os princípios e padrões básicos para o desenvolvimento das relações da Prosegur com seus principais grupos de interesse. Em prol dos funcionários, em 2008 começou o desenvolvimento de um novo Portal do 16

16 03 Funcionário, uma ferramenta estratégica para responder às necessidades informativas de todos os funcionários e aumentar sua integração dentro da Companhia. Além disso, dentro da área residencial, foi criada a figura do Defensor do Cliente, um profissional perito no setor que canaliza as sugestões do cliente com um ponto de vista que compatibilize independência e experiência. > EXCELÊNCIA O ativo principal da Prosegur são as pessoas que diariamente prestam serviço sob parâmetros que buscam a excelência e o profissionalismo e que representam a imagem pública e visível da Companhia. Por isso, por intermédio dos Centros de Excelência, são organizados grupos de trabalho que se reúnem periodicamente para compartilhar e transferir as melhores práticas e dar andamento à ações concretas que incidem neste valor, obtendo assim, a produtividade e a inovação que buscam a melhoria contínua das operações e o desenvolvimento de novos produtos para atender ao cliente. > LIDERANÇA Prosegur é a companhia de referência nos países nos quais opera. Esta liderança foi reforçada em 2008 com aquisições realizadas na América Latina. Assim, no Chile, tornou-se a segunda operadora de Segurança Residencial e ganha peso específico na maior parte de seus mercados nas áreas de Logística de Valores e Gestão de Numerário. Neste sentido, destaca-se a aquisição, no começo de 2009, na França, de Valtis; a compra, no México, da Resguardos y Estrategias Especializadas (RYES) e, na Colômbia, a aquisição de até 100% do capital da transportadora de valores, Thomas Greg & Sons. > TRABALHO EM EQUIPE A Prosegur é uma companhia global. A troca de experiência, bagagem e conhecimento entre os diversos países e os profissionais de sua equipe são fundamentais para integrar seus mais de funcionários. Assim, destaca-se a Convenção do Grupo, celebrada em 2008, em Buenos Aires, à qual compareceram pessoas provenientes de todos os países. 17

17 03 > A MARCA A gestão da marca Prosegur como ativo estratégico é cada vez mais importante dentro da estratégia global da companhia. A renovação da marca, Prosegur, finalizada no começo de 2008, atingiu seus objetivos de reconhecimento e diferenciação de seus atributos. Conseguiu-se que a estratégia de marca traga sentido e unidade, não só a seus serviços e produtos, mas também à totalidade da Organização. A companhia motivou sua equipe a participar de diversas atividades, como as Jornadas de Valores, a participação ativa em ações sociais e culturais da Fundação Prosegur e Convenções nacionais e internacionais, para agregar valor à marca entre sua equipe. Além disso, o prestígio da marca e a imagem da Prosegur foram reconhecidos pela revista Actualidad Económica. Dentre as premiações anuais de publicidade, concedeu o Prêmio à Ação Especial a várias publicidades da Companhia, por combinar valentia e originalidade. 18

18 04 ESTRATÉGIA E OBJETIVOS

19 04 Em 2008 foram configurados os resultados do trabalho que o Grupo Prosegur vinha realizando nos últimos anos e, como consequência, foram superados os objetivos do Plano 2.000/200. O ambiente econômico e as incertezas surgidas em todos os setores, caracterizaram 2008 como um ano de grandes desafios. Neste contexto, a Prosegur defrontava-se com o último ano de seu Plano Estratégico, denominado Plano 2.000/200 e, portanto, à consecução de objetivos comprometedores. Adicionalmente, o Grupo tinha o desafio de continuar crescendo e definir as linhas do futuro da Companhia, assentando as primeiras bases do novo Plano > O GRUPO PROSEGUR CUMPRE SEU PLANO ESTRATÉGICO No início de 2005, a Prosegur estabeleceu para si o objetivo de duplicar o tamanho da Companhia, tanto em termos de vendas como de rentabilidade. Assim, foi definido o denominado Plano 2.000/200, cujos principais objetivos estratégicos são atingir um valor de vendas de milhões de euros e um resultado operacional (EBITA) de 200 milhões de euros para Observando os resultados obtidos em 2009, no qual as vendas foram de milhões e o EBITA de 207,1 milhões de euros, pode-se concluir que os objetivos do Plano foram superados com sucesso. > 2008, UM EXERCÍCIO QUE CONSOLIDA UM MODELO DE TRABALHO O valor do negócio em 2008 cresceu 11,4% até superar milhões de euros, sendo o crescimento orgânico* superior a 13%. Por seu lado, o resultado operacional (EBITA) derivado do negócio atingiu o valor de 207,1 milhões de euros, o que representa uma margem sobre vendas superior a 10% e um crescimento de 27,9% em relação ao ano anterior. Está margem torna evidente o valor e a rentabilidade do Grupo e é uma referência para a indústria em nível mundial. O lucro líquido consolidado atingiu 127 milhões de euros, o que significa crescimento de 29,2%. Estes números são os reflexos de importantes ações estratégicas implantadas de maneira satisfatória nos últimos anos. Para adaptar-se tanto ao tamanho do Grupo quanto aos novos desafios, desde 2005, Prosegur alterou a organização de suas atividades. Foram criadas duas divisões de negócio, uma para clientes corporativos e outra para clientes residenciais (Prosegur Ativa) e, dentro de cada uma, foi definida uma organização geográfica. * Eliminando o efeito da taxa de câmbio e das aquisições/desinvestimentos. 20

20 04 Assim, o centro da gestão concentrou-se em cada um dos países, buscando a proximidade com o cliente e a venda cruzada de todos os serviços. Também é importante destacar a aposta nos sistemas eletrônicos de segurança e a proteção contra incêndios que o Grupo realizou, sendo constituída a unidade de negócio da Prosegur Tecnologia que atualmente está presente em todos os países da Europa, além de Argentina e Brasil. A Companhia reforçou continuamente sua presença nos mercados onde está presente, tanto na Europa quanto na América Latina, por meio de importantes investimentos e aquisições corporativas. Esse crescimento teve claros exemplos de sucesso, como é o caso do Brasil. Desde 2005, o Grupo esteve focado no aumento de sua presença por todo o país, em todas as áreas de negócio e, assim, o Brasil já é o segundo país do Grupo em contribuição de vendas. A vocação de crescimento internacional levou o Grupo à abertura de três novos e promissores mercados nos últimos anos. > PARA O FUTURO, O GRUPO ENFRENTA IMPORTANTES DESAFIOS EM UM AMBIENTE MARCADO PELA INCERTEZA Uma vez finalizado o Plano Estratégico, a Companhia já se pôs a trabalhar para definir as linhas estratégicas para o futuro e elaborou um novo Plano para o ano Apesar de os próximos trimestres estarem marcados por condições macroeconômicas instáveis, a Prosegur não abre mão de continuar em seu caminho de crescimento e melhoria de rentabilidade a médio e longo prazo. A nova conjuntura econômica obrigará a redobrar os esforços para atingir esses objetivos. 21

21 04 Em linhas gerais, os principias desafios que o Grupo enfrentará a médio e longo prazos são: a) Consolidar o crescimento: reforçando a presença do Grupo em todos os países onde está presente e com uma aposta clara nos serviços de valor agregado, como a Planificação de Dinheiro, Sistemas Eletrônicos de Segurança, Consultoria ou os serviços de Segurança Residencial. Este crescimento orgânico virá acompanhado pela expansão em novos mercados nos quais o Grupo identifique oportunidades de investimentos, bem como pela aquisição de outras companhias nos mercados atuais. No princípio de 2009 já foram dados os primeiros passos com a aquisição de cinco companhias, conforme detalhado a seguir: Áreas de negócio Companhia País Data de aquisição Atividade Segurança Corporativa Segurança Residencial Setha Brasil Jan Tecnologia: Sistemas Eletrônicos de Segurança Centuria Brasil (estado do Espírito Santo) Jan Prestação de Serviços de Vigilância Giasa Argentina Jan Tecnologia: monitoração de alarmes corporativos (setor bancário) Valtis França Fev Logística de Valores e Gestão de Dinheiro Punta Systems Uruguai Fev Alarmes b) Capturar a rentabilidade do crescimento: buscando a melhoria contínua na qualidade e na prestação de serviços de valor agregado que revertam em benefício tanto para os clientes quanto para a Companhia. Prosegur está focada na busca de rentabilidade em todos e cada um dos mercados onde está presente. c) Aproveitar as vantagens de ser uma Companhia multinacional: combinando o estar próximo ao cliente e a gestão em nível país, com a necessidade de tirar as vantagens de ser uma Companhia multinacional presente em 13 países. Neste sentido, a Companhia lançou várias iniciativas de grande importância e alto impacto em diversas frentes. Destaca-se a aposta feita nos Centros de Excelência, com o objetivo de buscar a excelência nas operações e compartilhar as melhores práticas entre países. Na área de compras, durante 2008, foi feita uma gestão global de fornecedores-chave, com excelentes resultados. Em outras áreas de apoio do Grupo, como Tecnologia da Informação (DTI) ou a Área Financeira, trabalha-se buscando maior qualidade e homogeneidade entre países, o que resulta em uma melhor gestão dessas áreas. 22

22 05 GOVERNO CORPORATIVO

23 05 O Relatório de Governo Corporativo da Prosegur foi elaborado seguindo as recomendações da Comissão Nacional do Mercado de Valores. Seu conteúdo completo está disponível no site da Companhia. > ESTRUTURA DA PROPRIEDADE O capital social da Prosegur Compañía de Seguridad S.A. é de ,40 euros, representado por ações de 0,60 euros de valor nominal, de uma só classe e da mesma série. Todas as ações estão integralmente subscritas e integralizadas e são cotadas nas Bolsas de Madri e Barcelona. Cada ação dá direito a um voto e não existem restrições legais nem estatutárias ao exercício do direito de voto. Também não existem restrições legais à aquisição ou transmissão de participações no capital social. > Acionistas significativos Conforme informação enviada à Comissão Nacional do Mercado de Valores, a relação de acionistas com participação significativa no capital social da Companhia é a seguinte: Sra. Helena Revoredo Delvecchio é titular de ações, representativas de 50,110% dos direitos de voto, por intermédio de Gubel S.L. y Prorevosa, S.A. Corporación Financiera Alba, S.A. é titular de ações, representativas de 10,006% dos direitos de voto, por intermédio de Alba Participaciones, S.A. Sra. Mirta María Giesso Cazenave é titular de ações, representativas de 5,625% dos direitos de voto, 5,318% por intermédio de As Inversiones, S.A. Marathon Asset Management llp, entidade de gestão de fundos de investimentos com ações em nome de seus clientes e poder para exercer os correspondentes direitos de voto, é titular de ações, representativas de 3,018% dos direitos de voto. > Membros do Conselho de Administração com direito de voto Na data do encerramento do exercício, 55,792% do total dos direitos de voto das ações da Companhia está em poder do Conselho de Administração, com o seguinte desmembramento: Sra. Helena Revoredo Delvecchio: 50,110% Sra. Mirta María Giesso Cazenave: 5,625% Sr. Pedro Guerrero Guerrero: 0,057% > Autocarteira Em 31 de dezembro de 2008, o dado de autocarteira da sociedade é de ações diretas, representativas de 2,32% do total sobre o capital social. 24

24 05 > ESTRUTURA DA ADMINISTRAÇÃO O poder de representação da Sociedade compete ao Conselho de Administração de forma colegiada e por decisão majoritária. A ele são atribuídas as mais amplas faculdades para dirigir as atividades da Companhia, sem mais exceções que as daqueles assuntos que são de competência da Assembléia Geral de Acionistas ou que não estão incluídas no objeto social. O Estatuto estabelece um máximo de quinze conselheiros e um mínimo de cinco, que são designados pela Assembléia Geral. Não está estabelecido limite de idade para eles. > O Regulamento do Conselho de Administração estabelece os mecanismos para detectar, determinar e resolver os possíveis conflitos de interesses entre a sociedade e seus conselheiros, diretores ou acionistas significativos. > Composição do Conselho de Administração Presidente: Sra. Helena Revoredo Delvecchio, Conselheira Executiva. Vice-presidente: Sr. Isidro Fernández Barreiro, Conselheiro Dominical, em nome de Corporación Financiera Alba, S.A. Conselheiro Delegado: Sr. Christian Gut Revoredo, Conselheiro Executivo. Vogais: Sra. Mirta María Giesso Cazenave, Conselheira Dominical, em representação de As Inversiones S.A.; Sr. Pedro Guerrero Guerrero, Conselheiro Independente; Sra. Chantal Gut Revoredo, Conselheira Dominical, em representação de Gubel S.L.; Sr. Eduardo Paraja Quirós, Conselheiro Externo; e Sr. Eugenio Ruiz-Gálvez Priego, Conselheiro Independente. Nomeação dos Conselheiros De acordo com o Código Unificado do Bom Governo, serão designados pela Assembléia Geral. Somente em determinadas ocasiões em que for indispensável, por haver ocorrido vagas desde a celebração da Assembléia Geral de Acionistas, procede-se a sua nomeação por cooptação, sendo esta decisão ratificada pela primeira Assembléia Geral celebrada posteriormente. Duração do cargo de Conselheiro Os conselheiros são nomeados por um período de três anos, podendo ser reeleitos uma ou mais vezes por períodos de igual duração. Não obstante, aqueles conselheiros que tiverem a condição de independentes não poderão manter-se no cargo durante prazo superior a doze anos consecutivos, exceto se passarem a ter a condição de conselheiro dominical, executivo ou de outros conselheiros externos. 25

25 05 > Comissões delegadas do Conselho de Administração Comissão Membro Cargo Comissão Executiva Sra. Helena Revoredo Delvecchio Presidente Sr. Isidro Fernández Barreiro Sr. Christian Gut Revoredo Sr. Pedro Guerrero Guerrero Sra. Chantal Gut Revoredo Sr. Eugenio Ruiz-Gálvez Priego Vogais Comitê de Auditoria Sr. Eugenio Ruiz-Gálvez Priego Presidente Sra. Chantal Gut Revoredo Vogais Sr. Isidro Fernández Barreiro Comissão de Nomeações e Remunerações Sr. Pedro Guerrero Guerrero Sr. Isidro Fernández Barreiro Sra. Chantal Gut Revoredo Sra. Helena Revoredo Delvecchio Presidente Vogais > A composição e funções do Conselho de Administração se ajustam às práticas do Bom Governo Corporativo. A composição do Conselho de Administração da Prosegur ajusta-se às práticas do bom governo corporativo universalmente aceitas e mantém a adequada proporção entre conselheiros executivos, dominicais e independentes. Estes últimos foram eleitos entre pessoas de reconhecida solvência, competência e experiência. Para adoção de acordos é exigida a presença pessoal por representação da metade mais um de todos os conselheiros. > MEMBROS DA ALTA DIREÇÃO Os membros da Alta Direção que por sua vez não são conselheiros executivos são: Sr. Santiago García-Arenal López-Doria, Diretor de Prosegur América Latina. Sr. Alejandro Corominas Menéndez, Diretor de Segurança Corporativa Espanha. Sr. Gonzaga Higuero Robles, Diretor de Segurança Corporativa Europa. 26

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Nota de Imprensa Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Presidente mundial do Banco Santander apresenta em São Paulo o Plano Estratégico 2008-2010 para o A integração

Leia mais

Telefonia celular Grupo Telefônica Móviles Resultados Consolidados (milhões de euros)

Telefonia celular Grupo Telefônica Móviles Resultados Consolidados (milhões de euros) Telefonia celular Grupo Telefônica Móviles Resultados Consolidados (milhões de euros) Dezembro Dezembro 2001 2000 % Var. Receitas operacionais 8.411,1 7.401,2 13,6 Trabalhos para imobilizado (1) 128,6

Leia mais

2002 - Serviços para empresas

2002 - Serviços para empresas 2002 - Serviços para empresas Grupo Telefónica Data. Resultados Consolidados 1 (dados em milhões de euros) Janeiro - Dezembro 2002 2001 % Var. Receita por operações 1.731,4 1.849,7 (6,4) Trabalho para

Leia mais

Assim é a Telefónica. Distribuição do EBITDA por países em 2001

Assim é a Telefónica. Distribuição do EBITDA por países em 2001 Assim é a Telefónica A aquisição da Lycos, aliada ao fato de a nova empresa Terra Lycos operar em 43 países, permitiu, por um lado, uma maior penetração nos Estados Unidos e no Canadá. Por outro lado,

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Prezado Cooperado, Em 2012 a economia brasileira apresentou forte desaceleração, tendo uma das mais baixas taxas de crescimento da América Latina, inferior até as pessimistas

Leia mais

Apresentação para Investidores. Março, 2009

Apresentação para Investidores. Março, 2009 Apresentação para Investidores Março, 2009 1 Filosofia Gerdau VISÃO Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que

Leia mais

Relatório Analítico 27 de março de 2012

Relatório Analítico 27 de março de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa TGM A3 Segmento de Atuação Principal Logística Categoria segundo a Liquidez 2 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 29,51 Valor Econômico por Ação (R$) 32,85 Potencial

Leia mais

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental 1 Melhoria do desempenho ambiental implementação do Sistema de Gestão Ambiental A Caixa Geral de Depósitos (CGD) tem implementado

Leia mais

Por que abrir o capital?

Por que abrir o capital? Por que abrir capital? Por que abrir o capital? Vantagens e desafios de abrir o capital Roberto Faldini Fortaleza - Agosto de 2015 - PERFIL ABRASCA Associação Brasileira de Companhias Abertas associação

Leia mais

Nível de seguimento das recomendações de bom governo

Nível de seguimento das recomendações de bom governo Nível de seguimento das recomendações de bom governo 54 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Governo Corporativo 2003 Nível de seguimento das recomendações de bom governo 07.01 TELEFONICA, S.A. A seguir

Leia mais

Acordo de Acionistas. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A.

Acordo de Acionistas. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. Acordo de Acionistas Diretrizes da CPFL de Energia Governança S.A. Corporativa da CPFL Energia S.A. Atual Denominação Social da Draft II Participações S.A. 1 Sumário I Introdução 3 II Estrutura Corporativa

Leia mais

(c) promover, realizar ou orientar a captação, em fontes internas e externas, de recursos a serem aplicados pela Companhia ou pela sua controlada;

(c) promover, realizar ou orientar a captação, em fontes internas e externas, de recursos a serem aplicados pela Companhia ou pela sua controlada; RELATORIO DA ADMINISTRAÇÃO SENHORES ACIONISTAS, Atendendo às disposições legais e estatutárias, a Administração da TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. sociedade anônima de capital aberto, submete à apreciação

Leia mais

C&A aumenta quota de mercado na Europa em 2011

C&A aumenta quota de mercado na Europa em 2011 Comunicado de Imprensa Abril 2012 Empresa cresce e continua a investir C&A aumenta quota de mercado na Europa em 2011 Investimentos em atuais e novas lojas Aposta nas lojas on-line Aumento nas vendas de

Leia mais

SONAE REFORÇA VENDAS E INTERNACIONALIZAÇÃO

SONAE REFORÇA VENDAS E INTERNACIONALIZAÇÃO Maia, 11 de março de 2015 Reforço de posições de liderança em Portugal, internacionalização e compromisso com famílias em 2014 SONAE REFORÇA VENDAS E INTERNACIONALIZAÇÃO 1. PRINCIPAIS DESTAQUES DE 2014:

Leia mais

Quanto vale FINANÇAS. Miguel A. Eiranova é diretor da área de corporate finance da Price Waterhouse, firma que integra a PricewaterhouseCoopers.

Quanto vale FINANÇAS. Miguel A. Eiranova é diretor da área de corporate finance da Price Waterhouse, firma que integra a PricewaterhouseCoopers. Quanto vale O preço de uma empresa, referência fundamental nas negociações de qualquer tentativa de fusão ou aquisição, nunca é aleatório. Ao contrário, sua determinação exige a combinação da análise estratégica

Leia mais

180 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004. Fornecedores

180 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004. Fornecedores 180 Telefónica, S.A. Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 09 Fornecedores Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa 2004 Telefónica, S.A. 181 09/01 Grande número de fornecedores 09/02

Leia mais

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel.

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. Press Release Date 1º de outubro de 2013 Contato Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508 Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. (11) 3674-3760 Pages

Leia mais

Press Release. Voith promove constantes mudanças 2014-12-10

Press Release. Voith promove constantes mudanças 2014-12-10 Press Release Voith promove constantes mudanças 2014-12-10 Reversão da tendência em pedidos recebidos se estabiliza: volume de pedidos aumenta em 7% no ano fiscal de 2013/14 Vendas consolidadas e lucro

Leia mais

INFORMAÇÃO EXIGIDA PELO ARTIGO 116.BIS DA LEI DO MERCADO DE VALORES

INFORMAÇÃO EXIGIDA PELO ARTIGO 116.BIS DA LEI DO MERCADO DE VALORES INFORMAÇÃO EXIGIDA PELO ARTIGO 116.BIS DA LEI DO MERCADO DE VALORES Em cumprimento do previsto no artigo 116.bis da Lei 24/1988, de 28 de julho, do Mercado de Valores, o Conselho de Administração da Telefónica,

Leia mais

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011.

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011. Análise CEPLAN Recife, 17 de agosto de 2011. Temas que serão discutidos na VI Análise Ceplan A economia em 2011: Mundo; Brasil; Nordeste, com destaque para Pernambuco; Informe sobre mão de obra qualificada.

Leia mais

Relatório de Gestão & Contas - Ano 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO. Resende e Fernandes, Construção Civil, Lda.

Relatório de Gestão & Contas - Ano 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO. Resende e Fernandes, Construção Civil, Lda. RELATÓRIO DE GESTÃO Resende e Fernandes, Construção Civil, Lda. 2012 ÍNDICE DESTAQUES... 3 MENSAGEM DO GERENTE... 4 ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO... 5 Economia internacional... 5 Economia Nacional... 5

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS BBVA BOLSA EURO

RELATÓRIO E CONTAS BBVA BOLSA EURO RELATÓRIO E CONTAS BBVA BOLSA EURO 30 JUNHO 20 1 BREVE ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO 1º semestre de 20 No contexto macroeconómico, o mais relevante no primeiro semestre de 20, foi a subida das taxas do

Leia mais

Ficha de informação 1 POR QUE RAZÃO NECESSITA A UE DE UM PLANO DE INVESTIMENTO?

Ficha de informação 1 POR QUE RAZÃO NECESSITA A UE DE UM PLANO DE INVESTIMENTO? Ficha de informação 1 POR QUE RAZÃO NECESSITA A UE DE UM PLANO DE INVESTIMENTO? Desde a crise económica e financeira mundial, a UE sofre de um baixo nível de investimento. São necessários esforços coletivos

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

Resultados do 2T08 PSSA3

Resultados do 2T08 PSSA3 Resultados do PSSA3 Perspectivas Perspectivas para o para segundo 2008 semestre de 2008 A Aumento criação de de empregos 31,6% no formais número até de empregos junho foi o formais maior desde em relação

Leia mais

Telefonia fixa. Negócio de Telefonia Fixa Resultados Consolidados (em milhões de euros)

Telefonia fixa. Negócio de Telefonia Fixa Resultados Consolidados (em milhões de euros) Telefonia fixa Negócio de Telefonia Fixa Resultados Consolidados (em milhões de euros) Telefónica da Espanha Telefónica latino-america 2001 2000 % Var. 2001 2000 % Var. Receitas operacionais 10.220,4 10.182,9

Leia mais

Vida Segura Empresarial Bradesco:

Vida Segura Empresarial Bradesco: PRÊMIO ANSP 2005 Vida Segura Empresarial Bradesco: A democratização do acesso ao Seguro de Vida chega às Micro e Pequenas Empresas. 1 SUMÁRIO 1. Sinopse 3 2. Introdução 4 3. O desafio de ser o pioneiro

Leia mais

Brasilia (DF), 16 de dezembro de 2014.

Brasilia (DF), 16 de dezembro de 2014. Brasilia (DF), 16 de dezembro de 2014. Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil na Comissão de Assuntos Econômicos, no Senado Federal Página 1 de 8 Exmo. Sr. Presidente

Leia mais

Investimentos Florestais: A Alternativa Natural

Investimentos Florestais: A Alternativa Natural Investimentos Florestais: A Alternativa Natural Investimentos Florestais: A Alternativa Natural Atualmente, o mercado financeiro é caracterizado por altos níveis de volatilidade e incerteza- o que não

Leia mais

A locomotiva de concreto

A locomotiva de concreto A locomotiva de concreto 16 KPMG Business Magazine Construção civil supera período de estagnação, mas ainda há gargalos que podem comprometer o ritmo de investimentos A construção civil no Brasil não para

Leia mais

Contato analítico adicional: Marcelo Schwarz, CFA, São Paulo, 55 (11) 3039?7782, marcelo.schwarz@standardandpoors.com

Contato analítico adicional: Marcelo Schwarz, CFA, São Paulo, 55 (11) 3039?7782, marcelo.schwarz@standardandpoors.com Data de Publicação: 26 de junho de 2014 Comunicado à Imprensa Standard & Poor's reafirma ratings 'BB+' na escala global e 'braa' na Escala Nacional Brasil atribuídos à Ampla Energia e Serviços; Rating

Leia mais

O EBITDA no 4T13 foi de 9,6 M, o que corresponde a uma margem EBITDA de 7 %

O EBITDA no 4T13 foi de 9,6 M, o que corresponde a uma margem EBITDA de 7 % DESTAQUES página 3 O total de Proveitos Operacionais foi de 592,9 M, a registar uma subida de 15 % quando comparado com o ano anterior, a refletir um crescimento significativo no volume de negócio das

Leia mais

TELEFÓNICA MÓVILES, S.A.

TELEFÓNICA MÓVILES, S.A. COMUNICAÇÃO DE FATO RELEVANTE TELEFÓNICA MÓVILES, S.A. Madri, 28 de outubro de 2004 Em cumprimento ao disposto no artigo 82 da Lei 24/1988, de 28 de julho, do Mercado de Valores espanhol e disposições

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

Bancos brasileiros prontos para um cenário de crescimento sustentado e queda de juros

Bancos brasileiros prontos para um cenário de crescimento sustentado e queda de juros 1 Bancos brasileiros prontos para um cenário de crescimento sustentado e queda de juros Tomás Awad Analista senior da Itaú Corretora Muito se pergunta sobre como ficariam os bancos num cenário macroeconômico

Leia mais

PORQUE E COMO ABRIR O CAPITAL DE UMA EMPRESA

PORQUE E COMO ABRIR O CAPITAL DE UMA EMPRESA PORQUE E COMO ABRIR O CAPITAL DE UMA EMPRESA! Os custos! As vantagens! Os obstáculos! Os procedimentos Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br) Sócio-Diretor da Cavalcante & Associados, empresa

Leia mais

ROMIPACK SOBRE A SOBRE

ROMIPACK SOBRE A SOBRE Sobre a Romipack 5 01 SOBRE A ROMIPACK A Romipack é uma empresa argentina com mais de 45 anos de presença no mercado, líder na fabricação e comercialização de sacolas de papel em toda a América Latina.

Leia mais

EFICIÊNCIA E EFICÁCIA. E COM OS DIFERENCIAIS INOVAÇÃO E QUALIDADE. ISSO É EVERIS BPO. attitude makes the difference

EFICIÊNCIA E EFICÁCIA. E COM OS DIFERENCIAIS INOVAÇÃO E QUALIDADE. ISSO É EVERIS BPO. attitude makes the difference EFICIÊNCIA E EFICÁCIA. E COM OS DIFERENCIAIS INOVAÇÃO E QUALIDADE. ISSO É EVERIS BPO. attitude makes the difference Consulting, IT & Outsourcing Professional Services everis BPO. Nossa razão de ser: Direcionamos

Leia mais

Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa

Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa Análise XP Fundamentos Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa A Empresa A Senior Solution está presente, há mais de 17 anos, no segmento de Tecnologia da Informação no mercado brasileiro, sendo uma

Leia mais

Estatutos da Caixa Geral de Depósitos

Estatutos da Caixa Geral de Depósitos Estatutos da Caixa Geral de Depósitos Conforme aprovado em Assembleia Geral de 22 de julho de 2011 e posterior alteração pela Deliberação Unânime por Escrito de 27 de junho de 2012. CAPÍTULO I Natureza,

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. Olinda - Pernambuco - Brasil

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. Olinda - Pernambuco - Brasil XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Sistema Otimização de Serviços Comerciais em Apoio à Operação de Corte e Religação

Leia mais

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 1 INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 3. PRIORIDADES ESTRATÉGICAS 3.1 Concretizar o Potencial da Biedronka 3.2 Assegurar o Crescimento de Longo Prazo 1. THE GROUP TODAY 4. EXPLORAR TODO O POTENCIAL

Leia mais

ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA DE ACIONISTAS DA TELEFÓNICA, S.A. - ANO 2009 -

ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA DE ACIONISTAS DA TELEFÓNICA, S.A. - ANO 2009 - ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA DE ACIONISTAS DA TELEFÓNICA, S.A. - ANO 2009 - PROPOSTAS DE DELIBERAÇÕES QUE O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO SUBMETE À DECISÃO DA ASSEMBLÉIA GERAL DE ACIONISTAS 22 / 23 de junho

Leia mais

CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA. 22 de junho de 2015

CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA. 22 de junho de 2015 CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA UMA UNIÃO EUROPEIA MAIS FORTE 22 de junho de 2015 A União Europeia deve contar com um quadro institucional estável e eficaz que lhe permita concentrar-se

Leia mais

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 Desempenho Em ambiente de queda da atividade na indústria automobilística, a Iochpe-Maxion apresentou um crescimento de 8,4% nas vendas no terceiro

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

ativos intangíveis 1 A Telefónica quer basear a sua liderança na vivência dos seus valores... Relatório Anual 2002 Com a sociedade

ativos intangíveis 1 A Telefónica quer basear a sua liderança na vivência dos seus valores... Relatório Anual 2002 Com a sociedade ativos intangíveis 1 A Telefónica quer basear a sua liderança na vivência dos seus valores... Com os nossos acionistas e investidores Transparência Rentabilidade Com os nossos clientes Qualidade Cumprimento

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Fortaleza, 4 de novembro de 2013.

Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, no V Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira Senhoras e senhores, boa tarde a todos.

Leia mais

esta dição agenda Nossas Boletim Nesta Edição Agenda Número 004 1/7 Dezembro/2010 Prezado(a) Acionista,

esta dição agenda Nossas Boletim Nesta Edição Agenda Número 004 1/7 Dezembro/2010 Prezado(a) Acionista, oletim Ações Nossas Dezembro/2010 boletim Número 004 Boletim esta dição Nesta Edição Bate-papo com o presidente: sinergias da integração, expansão geográfica e crescimento da base de clientes Crédito Imobiliário:

Leia mais

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. visão, missão e valores corporativos visão Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma Organização empresarial focada em siderurgia, com a missão de satisfazer

Leia mais

Romi registra lucro líquido de R$ 83 milhões em 2006, o maior resultado de sua história

Romi registra lucro líquido de R$ 83 milhões em 2006, o maior resultado de sua história Resultados do 4 o Trimestre de 2006 Cotações (28/12/06) ROMI3 - R$ 158,00 ROMI4 - R$ 146,50 Valor de Mercado R$ 999,0 milhões Quantidade de Ações Ordinárias: 3.452.589 Preferenciais.: 3.092.882 Total:

Leia mais

São Paulo (SP), 14 de agosto de 2015.

São Paulo (SP), 14 de agosto de 2015. São Paulo (SP), 14 de agosto de 2015. Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, na abertura do X Seminário Anual sobre Riscos, Estabilidade Financeira e Economia Bancária.

Leia mais

Regime Interno da Diretoria da BM&FBOVESPA

Regime Interno da Diretoria da BM&FBOVESPA Regime Interno da Diretoria da BM&FBOVESPA REGIMENTO INTERNO DA DIRETORIA DA BM&FBOVESPA 1. Objeto O presente Regimento Interno ( Regimento ) tem o escopo de disciplinar o funcionamento do Diretoria da

Leia mais

Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV

Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV INVESTIMENTOS Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV Uma questão de suma importância para a consolidação e perenidade de um Fundo de Pensão é a sua saúde financeira, que garante

Leia mais

A visão e estratégia certas

A visão e estratégia certas "Não há dúvidas de que nosso setor está se transformando rapidamente e que a Cisco e a rede estão no centro das principais transições de mercado que estão a caminho. Acreditamos que nossa estratégia de

Leia mais

Earnings Release. Relação com Investidores. Destaques do 2T11. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 2T11

Earnings Release. Relação com Investidores. Destaques do 2T11. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 2T11 Relação com Investidores Luis Eduardo Fischman Diretor de Relações com Investidores (55 21) 3433-5060 ri@brinsurance.com.br Teleconferência de Resultados 2T11 Terça-Feira, 16 de agosto de 2011 Português

Leia mais

A Telefónica é assim. Uma empresa na vanguarda. Relatório Anual 2002

A Telefónica é assim. Uma empresa na vanguarda. Relatório Anual 2002 A Telefónica é assim A Telefónica é a operadora de referência nos mercados de língua espanhola e portuguesa com quase 90 milhões de clientes. Além disso, é a sétima companhia mundial do setor em termos

Leia mais

PROJETO INTERNACIONAL

PROJETO INTERNACIONAL PROJETO INTERNACIONAL EM 10 PASSOS Ubirajara Marques Direitos: Todos os direitos reservados para Center Group International Duração: 1 hora Apresentação: Linguagem simples, para micros e médios empresários

Leia mais

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP Soluções integradas para a Indústria do turismo empresarial THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP A equipa da XYM Hospitality e os seus parceiros possuem vastos conhecimentos sobre a

Leia mais

CVRD: Governança Corporativa e Diretrizes Estratégicas

CVRD: Governança Corporativa e Diretrizes Estratégicas CVRD: Governança Corporativa e Diretrizes Estratégicas Rio de Janeiro, 25 de outubro de 2001 - O Conselho de Administração da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) aprovou um novo modelo de governança e diretrizes

Leia mais

Riscos relacionados ao Santander Brasil e ao setor de Serviços Financeiros Brasileiro

Riscos relacionados ao Santander Brasil e ao setor de Serviços Financeiros Brasileiro Riscos relacionados ao Santander Brasil e ao setor de Serviços Financeiros Brasileiro Estamos expostos aos efeitos das perturbações e volatilidade nos mercados financeiros globais e nas economias nos países

Leia mais

www.inescrm.com.br 1

www.inescrm.com.br 1 www.inescrm.com.br 1 A receita para o sucesso nos tempos de hoje Estimado leitor, Este espaço está especialmente desenhado para que conheçam nossa filosofia, nossa maneira de ver e sentir os negócios.

Leia mais

Net Serviços de Comunicação S.A Apresentação Expomoney

Net Serviços de Comunicação S.A Apresentação Expomoney Net Serviços de Comunicação S.A Apresentação Expomoney Considerações Futuras Eventuais declarações que possam ser feitas durante essa apresentação, relativas às perspectivas de negócios da Companhia, projeções

Leia mais

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS Governança Corporativa se faz com Estruturas O Itaú se orgulha de ser um banco essencialmente colegiado. A Diretoria atua de forma integrada e as decisões são tomadas em conjunto, buscando sempre o consenso

Leia mais

Apresentação de Resultados

Apresentação de Resultados Apresentação 3T08 Apresentação de Resultados José Carlos Aguilera (Diretor Presidente e de RI) Eduardo de Come (Diretor Financeiro) Marcos Leite (Gerente de RI) Destaques do Período Contexto de crise no

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL GOVERNANÇA CORPORATIVA

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL GOVERNANÇA CORPORATIVA 1. INTRODUÇÃO 1.1 A CAIXA A Caixa Econômica Federal é uma instituição financeira sob a forma de empresa pública, vinculada ao Ministério da Fazenda. Instituição integrante do Sistema Financeiro Nacional

Leia mais

Programa de Remuneração Variável 2015

Programa de Remuneração Variável 2015 Programa de Remuneração Variável 2015 APRESENTAÇÃO A Remuneração Variável é parte representativa nas práticas de gestão de pessoas. O modelo tradicional de pagamento através de salário fixo, tornou-se

Leia mais

Seminário "Governança Corporativa: Experiências em Empresas Estatais"

Seminário Governança Corporativa: Experiências em Empresas Estatais Seminário "Governança Corporativa: Experiências em Empresas Estatais" Marco Geovanne Tobias da Silva 17 de maio de 2005 O que é Governança Corporativa? Conjunto de normas de conduta a serem adotadas por

Leia mais

MENSAGEM DO PRESIDENTE

MENSAGEM DO PRESIDENTE Ética para viver Ética para viver MENSAGEM DO PRESIDENTE Caro colaborador, A Bandeirante possui missão, visão e valores definidos. Eles estão discriminados em um documento amplamente difundido dentro e

Leia mais

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL APRESENTAÇÃO A White Martins representa na América do Sul a Praxair, uma das maiores companhias de gases industriais e medicinais do mundo, com operações em

Leia mais

RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015: A COFACE APRESENTA LUCRO DE 66 MILHÕES DE EUROS, APESAR DE UM AUMENTO DE SINISTROS EM PAÍSES EMERGENTES

RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015: A COFACE APRESENTA LUCRO DE 66 MILHÕES DE EUROS, APESAR DE UM AUMENTO DE SINISTROS EM PAÍSES EMERGENTES RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015: A COFACE APRESENTA LUCRO DE 66 MILHÕES DE EUROS, APESAR DE UM AUMENTO DE SINISTROS EM PAÍSES EMERGENTES Crescimento de volume de negócios: + 5.1% a valores e taxas

Leia mais

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP ****

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** Gostaria de começar por agradecer o amável convite da CIP para participarmos nesta conferência sobre um tema determinante para o

Leia mais

ITAUTEC S.A. - GRUPO ITAUTEC RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE MARÇO DE 2010

ITAUTEC S.A. - GRUPO ITAUTEC RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE MARÇO DE 2010 CENÁRIO ITAUTEC S.A. - GRUPO ITAUTEC RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE MARÇO DE 2010 A atividade econômica brasileira apresentou sinais de expansão no primeiro trimestre de 2010, com crescimento da atividade

Leia mais

Comité Latinoamericano de Asuntos Financieros Comitê Latino Americano de Assuntos Financeiros Latin American Shadow Financial Regulatory Committee

Comité Latinoamericano de Asuntos Financieros Comitê Latino Americano de Assuntos Financeiros Latin American Shadow Financial Regulatory Committee Comité Latinoamericano de Asuntos Financieros Comitê Latino Americano de Assuntos Financeiros Latin American Shadow Financial Regulatory Committee Declaração N 8 14 de abril de 2003 Santiago de Chile,

Leia mais

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA HENRIQUE MARINHO MAIO DE 2013 Economia Internacional Atividade Econômica A divulgação dos resultados do crescimento econômico dos

Leia mais

Discurso do Diretor Anthero na Embaixada da Itália. Conferência Itália e Brasil no Contexto Global: Experiência e Modelos de Desenvolvimento

Discurso do Diretor Anthero na Embaixada da Itália. Conferência Itália e Brasil no Contexto Global: Experiência e Modelos de Desenvolvimento Discurso do Diretor Anthero na Embaixada da Itália Conferência Itália e Brasil no Contexto Global: Experiência e Modelos de Desenvolvimento 1. É com grande satisfação que participo, em nome do Presidente

Leia mais

Introdução 02. A Estratégia Corporativa ESPM Brasil 03. A Definição do Negócio 03. Imagem 03. Objetivos Financeiros 04

Introdução 02. A Estratégia Corporativa ESPM Brasil 03. A Definição do Negócio 03. Imagem 03. Objetivos Financeiros 04 ESTUDO DE CASO A construção do BSC na ESPM do Rio de Janeiro Alexandre Mathias Diretor da ESPM do Rio de Janeiro INDICE Introdução 02 A Estratégia Corporativa ESPM Brasil 03 A Definição do Negócio 03 Imagem

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO INTRODUÇÃO SETOR EXTERNO. O Cenário Internacional

SUMÁRIO EXECUTIVO INTRODUÇÃO SETOR EXTERNO. O Cenário Internacional SUMÁRIO EXECUTIVO INTRODUÇÃO Durante 2004, o PIB da América Latina e do Caribe deverá crescer em torno de 4,5%, o que significa um aumento de 3,0% do produto per capita. A recuperação das economias da

Leia mais

Discurso do presidente Alexandre Tombini em evento em comemoração aos 15 anos da revista IstoÉ Dinheiro

Discurso do presidente Alexandre Tombini em evento em comemoração aos 15 anos da revista IstoÉ Dinheiro São Paulo, 19 de junho de 2012. Discurso do presidente Alexandre Tombini em evento em comemoração aos 15 anos da revista IstoÉ Dinheiro Página 1 de 13 Senhoras e Senhores É com grande satisfação que participo

Leia mais

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Brasília, 22 de maio de 2012 1 A situação da economia internacional

Leia mais

Companhia de Gás de São Paulo

Companhia de Gás de São Paulo Companhia de Gás de São Paulo Autora:Tatiana Helena Marques Orientadora: Profa. Ms. Ana Maria Santiago Jorge de Mello Mestre em Administração de Empresas Universidade Presbiteriana Mackenzie Introdução:

Leia mais

2 Histórico de fusões e aquisições e conceitos.

2 Histórico de fusões e aquisições e conceitos. 2 Histórico de fusões e aquisições e conceitos. 2.1. Fusões e aquisições globais Com a globalização e a necessidade de escalas cada vez maiores de operação, as grandes empresas ultrapassaram fronteiras

Leia mais

Fundação Libertas. Nova denominação da entidade. Manual de Governança Corporativa

Fundação Libertas. Nova denominação da entidade. Manual de Governança Corporativa Manual de Governança Corporativa Sumário 1. Definição.... Objetivo... 3. Da Contextualização da PREVIMINAS... 3.1. Arcabouço Legal e Regulatório... 3.. A Identidade da PREVIMINAS... A Filosofia Empresarial

Leia mais

Divulgação de Resultados 2014

Divulgação de Resultados 2014 São Paulo - SP, 10 de Fevereiro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity

Leia mais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais João Carlos Ferraz BNDES 31 de agosto de 2008 Guia Contexto macroeconômico Políticas públicas Perpectivas do investimento

Leia mais

Press-release. Voith consegue superar conjuntura difícil 12/12/2012

Press-release. Voith consegue superar conjuntura difícil 12/12/2012 Press-release Voith consegue superar conjuntura difícil 12/12/2012 Terceiro melhor resultado operacional na história da empresa, apesar de mercado difícil para a Voith Paper Volume de negócios cresceu

Leia mais

Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e Confederação Nacional das. Pronunciamento do Presidente do Banco Central do Brasil, Ministro Alexandre

Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e Confederação Nacional das. Pronunciamento do Presidente do Banco Central do Brasil, Ministro Alexandre São Paulo, 24 de novembro de 2011. Jantar Anual dos Dirigentes de Bancos Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e Confederação Nacional das Instituições Financeiras (CNF) Pronunciamento do Presidente

Leia mais

Discurso do presidente Alexandre Tombini na comemoração dos 30 anos da Associação Brasileira de Bancos Comerciais (ABBC).

Discurso do presidente Alexandre Tombini na comemoração dos 30 anos da Associação Brasileira de Bancos Comerciais (ABBC). São Paulo, 21 de março de 2013. Discurso do presidente Alexandre Tombini na comemoração dos 30 anos da Associação Brasileira de Bancos Comerciais (ABBC). Senhoras e senhores É com grande satisfação que

Leia mais

Ricardo Setubal Diretor de Relações com Investidores

Ricardo Setubal Diretor de Relações com Investidores Ricardo Setubal Diretor de Relações com Investidores Agenda Perfil da Empresa Investimentos Estratégicos Ações Desenvolvidas no Período Desempenho das Áreas Informações Financeiras Consolidadas Governança

Leia mais

Anexo VI Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial (Art. 4 o, 4 o, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000)

Anexo VI Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial (Art. 4 o, 4 o, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000) Anexo VI Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial (Art. 4 o, 4 o, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000) Anexo à Mensagem da Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2015, em cumprimento

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO invepar índice Apresentação Visão, Missão, Valores Objetivos Princípios Básicos Pág. 4 Pág. 6 Pág. 7 Pág. 8 Abrangência / Funcionários Empresas do Grupo Sociedade / Comunidade

Leia mais

Choques Desequilibram a Economia Global

Choques Desequilibram a Economia Global Choques Desequilibram a Economia Global Uma série de choques reduziu o ritmo da recuperação econômica global em 2011. As economias emergentes como um todo se saíram bem melhor do que as economias avançadas,

Leia mais

BANCO ESPIRITO SANTO RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2001

BANCO ESPIRITO SANTO RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2001 BANCO ESPIRITO SANTO RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2001 2 RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2001 ASPECTOS MAIS RELEVANTES: SIGNIFICATIVO CRESCIMENTO DA ACTIVIDADE DESIGNADAMENTE A CAPTAÇÃO DE RECURSOS

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais