Capítulo 15. O acordo com os investidores: valoração, estrutura e negociação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Capítulo 15. O acordo com os investidores: valoração, estrutura e negociação"

Transcrição

1 Capítulo 5 O acordo com os investidores: valoração, estrutura e negociação

2 Estudo de Caso Lightwave Technology, Inc. Perguntas de preparação. Como preparação de uma IPO, os cofundadores deveriam ter mais uma rodada de financiamento ponte? Por quê?. Como você estruturaria e analisaria esta rodada, e por quê? 3. O que Kinson e Weiss deveriam fazer para que sua empresa crescesse? 4. Como a empresa deveria avaliar e decidir sobre a busca de uma IPO desta vez? Como foi o planejamento e a administração desse processo? O sucesso dos diodos emissores de luz (LEDs) está em sua longevidade (os LEDs duram dez vezes mais que as lâmpadas incandescentes), eficiência de energia, durabilidade, baixos custos de manutenção e tamanho compacto. A substituição das lâmpadas convencionais pelas de LED, só nos Estados Unidos, trará benefícios energéticos de até $ 00 bilhões no ano de 05, economizando 0 gigawatts por ano. LightEmitting Diodes 00; cúpula estratégica para iluminação de LEDs No verão de 003, os empreendedores experientes George Kinson e Dr. Schyler Weiss estavam avaliando mais uma vez se buscavam uma oferta pública inicial (IPO) para sua jovem e dinâmica empresa de iluminação, a Lightwave Technology. A primeira vez eles que consideraram tal saída foi em 00, exatamente antes do estouro da bolha da internet. Nos meses posteriores à dramática reviravolta no mercado de capitais, os sócios foram forçados a implementar um plano de reestruturação para reorganizar suas operações. Além de uma amortização dolorosa, a retração econômica subsequente contrariou os esforços da empresa em tomar vantagem de sua posição de liderança neste mercado em desenvolvimento. Apesar disso, sua recuperação foi bem-sucedida em grande parte devido às capacidades únicas e exclusivas da Lightwave. Em apenas alguns anos, a empresa voltou a tomar o rumo certo. Devido ao fato de o mercado de IPO em 003 ainda estar muito tranquilo e ninguém arriscar supor quando ele se recuperaria, Kinson teve que imaginar se seria melhor continuar como uma empresa privada até que tivesse atingido números melhores, bem como dominância em um número de segmentos chave do mercado de iluminação. Por outro lado, uma IPO bem-sucedida forneceria capital e notoriedade no setor que poderia ter um impacto significativo na sua capacidade de fazê-lo. Produtos tradicionais de iluminação A lâmpada foi uma das mais importantes invenções do final do século XIX. Ela revolucionou a maneira com que as pessoas viviam, trabalhavam e realizavam seus negócios. Várias melhorias para a invenção original de Thomas Edison, incluindo os filamentos dúcteis de tungstênio e tubos fluorescentes, tinham modificado o setor de iluminação, mas o padrão de lâmpadas de rosca ainda era o foco. O mercado de iluminação foi dividido em dois segmentos: lâmpadas (os bulbos e tubos) e as instalações (os plásticos, metais e as armações de vidro para a lâmpada). Em 00, o setor de iluminação Este estudo de caso é parte integrante do livro Criação de novos negócios, de DORNELAS, J. C. A; TIMMONS, J.; SPI- NELLI, S. Está autorizada a sua utilização e distribuição desde que citada a fonte: <www.elsevier.com.br/josedornelas>.

3 Capítulo 5 O acordo com os investidores: valoração, estrutura e negociação 3 representou um mercado de $ 79 bilhões: $ 7 bilhões em lâmpadas e $ 6 bilhões em instalações. Mais de /3 deste mercado envolvia iluminação interna, com lâmpadas, e a iluminação externa era o segundo maior segmento. Em 00, os Estados Unidos representaram 6% do mercado mundial. O setor de iluminação foi dominado por um pequeno grupo de multinacionais já estabelecidas. Os principais participantes da iluminação comercial eram a General Electric Lighting, a Philips Lighting e OSRAM Sylvania Inc., que juntas controlavam 90% ou mais do mercado de lâmpadas dos Estados Unidos e forneciam 60% das lâmpadas do mercado mundial. 3 Cada um dos grandes produtores tinha uma ampla gama de produtos de uso residencial e comercial e estava envolvido no setor de pesquisa e desenvolvimento dos novos produtos, modificando a tradicional tecnologia de iluminação já existente. Iluminação de estado sólido Os diodos de emissão de luz (LEDs) pequenos semicondutores encerrados em material epóxi que emitem luz quando carregados eletricamente estão no mercado desde a década de 960. Pela variação de estrutura do semicondutor, ou banda proibida, o nível de energia do LED mudou para produzir uma luz colorida, normalmente vermelha ou verde (veja a Figura ). As primeiras aplicações práticas de iluminação desses LEDs eram relógios digitais e indicadores de aparelhos como vídeocassetes, microondas e aparelhos de som. Como uma iluminação de estado sólido (SSL), os LEDs demonstraram eficiências teóricas quânticas (isto é, volume de luz gerada por unidade de entrada elétrica) de 60% a 70%. O legado das lâmpadas incandescentes e fluorescentes tinha estancado entre 5% e 0%, respectivamente. 4 O saldo da eletricidade usado pelas lâmpadas típicas era convertido em calor, que limitava sua vida útil pela degradação dos elementos ativos da fonte de luz. As eficiências da energia SSL eram especialmente agudas no que diz respeito à iluminação colorida. Ao contrário dos acessórios tradicionais em que a luz passa por um filtro colorido, a SSL gerava cores diretamente da emissão em si. Os filtros coloridos poderiam sobrecarregar o resultado luminoso das lâmpadas padrão em no máximo 70% ou 80%. FIGURA Como um LED emite luz colorida ETAPA 3: À medida que a carga continua, a luz é emitida. A cor da luz é produto do comprimento de onda da luz, que é determinado pelo gap de energia. SEMICONDUTOR LUZ COLORIDA ETAPA : Os elétrons fluem para uma região p do semicondutor e se combinam com cargas positivas. p n FONTE DE ENERGIA ELÉTRICA ETAPA : Uma fonte de energia elétrica conectada a um semicondutor (LED) libera elétrons que fluem através do semicondutor. Freedonia Group, Inc. (<www.freedoniagroup.com>). 3 P. Thurk, Solid State Lighting: The Case for Reinventing the Light Bulb, no cumprimento dos requisitos do Programa Kauffman Fellows, jul. 00, p P. Thurk, Solid State Lighting: The Case for Reinventing the Light Bulb, artigo em cumprimento dos requisitos do Programa Kauffman Fellows, jul. 00, pp. 4-5.

4 4 Criação de Novos Negócios A radiação ultravioleta (UV) das luzes comuns poderia danificar ou descolorir muitos produtos e materiais e mostraram causar doenças dermatológicas e oftalmológicas em humanos. Os LEDs usados para iluminação emitiram todas as luzes na parte visível do espectro de cor e por isso praticamente não produziram radiação UV. Em vez de queimar, como as lâmpadas incandescentes, a SSL se esvai com o tempo. Esse atributo juntamente com vida útil mais longa, formatos flexíveis, baixa emissão de UV e intenso contraste de cor começou a estimular o design criativo em uma série de empresas varejistas, arquitetônicas e industriais. Por exemplo, o pouco aquecimento, menor tempo para ligar e os pequenos tamanhos da SSL atraíram fabricantes de automóveis, que utilizavam a tecnologia para freios, faróis e luzes do console. Ideias disruptivas George Kinson e Dr. Schyler Weiss se conheceram enquanto frequentavam a Universidade Carnegie Mellon, no começo da década de 990. Kinson franco e confiante era um engenheiro pesquisador no Centro de Robótica de Campo da universidade e cursava Administração Industrial. Como aluno da faculdade, em 993, ele conseguiu duas graduações em engenharia elétrica e da computação e em belas artes. Weiss era a metade mais reservada da dupla. Ele tirou o diploma de graduação, de mestrado e Ph.D em engenharia elétrica e da computação, na Carnegie Mellon. Sua tese de Ph.D envolvia circuitos elétricos digitais de baixo consumo de energia. No começo da década de 990, Weiss e Kinson fizeram muitas experiências com LEDs como uma forma de passatempo foi o suficiente para concluir que essa tecnologia era o futuro da iluminação. Especificamente, eles anteciparam o advento de um LED azul cor que eles sabiam que seria digitalmente misturada com os matizes de vermelho e verde existentes para criar um espectro completo de cores. Em 994, a dupla divergiu. Kinson havia ajudado a fundar o que se tornaria um bem-sucedido portal de títulos on-line e Weiss aberto a Weiz Solutions, desenvolvedor de um pacote de software de aquisição de dados de espectrometria. Apesar de suas buscas distintas, quando um grupo japonês anunciou, em 996, que havia criado o cobiçado LED azul, Kinson se lembrou que ele e o amigo estavam mais do que prontos para o próximo passo: Sempre imaginamos que o desenvolvimento de um diodo emissor de luz azul modificaria a maneira com que as pessoas usavam os LEDs. Então aconteceu que aquele diodo criado tinha um LED azul muito brilhante e isto trouxe uma grande mudança muito rapidamente. Percebemos que esta nova tecnologia de alta intensidade era perfeita para iluminação e tínhamos feito pesquisas suficientes sobre este setor chato, antigo e complacente para saber o quão morosa seria a reação para qualquer tipo de tecnologia perturbadora. 5 Eles ofereciam uma mercadoria latão, vidro e gás e não uma tecnologia. Embora percebêssemos que tínhamos uma grande oportunidade, queríamos nos mexer rapidamente. Os engenheiros começaram a trabalhar imediatamente para desenvolver uma paleta digital para misturar as primárias. No processo, eles se tornaram pioneiros em um novo setor industrial: tecnologias de iluminação semicondutoras inteligentes. Na primavera de 997, Kinson largou seu emprego na empresa de informações on-line e, com a ajuda de Weiss, começou a desenvolver o modelo de negócio, criando um plano de negócios e aperfeiçoando seu protótipo inicial para o que seria seu novo empreendimento. Lightwave Technology, Inc. Durante o verão de 997, Kinson usou as economias e cartões de crédito para financiar o desenvolvimento inicial da empresa. Depois acumular $ em dívidas no cartão de crédito e ver suas economias se reduzirem a $ 6, ele constituiu a Lightwave no verão de 997 e deu entrada no processo de patente de seu misturador de cores. Ao unir os LEDs vermelho, verde e azul a um microprocessador que controlava a combinação e a intensidade dessas cores, a luz poderia, com um dispositivo muito pequeno, expandir largamente as capacidades de produção de cor da iluminação convencional. Na verdade, cada fio de LEDs ligado a um microprocessador poderia gerar até 4 bits de cor (6,7 milhões de cores) e inúmeros efeitos dramáticos, como desbota- 5 Tecnologia disruptiva foi uma ideia desenvolvida por Clayton Christensen da Faculdade de Administração de Harvard. Nesse livro, The Innovator s dilema, Christensen definiu a tecnologia disruptiva como uma inovação que interrompeu as trajetórias do desempenho e resultou no fracasso das empresas líderes do setor.

5 Capítulo 5 O acordo com os investidores: valoração, estrutura e negociação 5 mento e efeito estroboscópico. Eles usaram o primeiro protótipo bem-sucedido para garantir mais financiamento e construir outros protótipos adicionais. Acreditando que sua empresa cresceria em torno das demandas e da imaginação de uma variedade de clientes em setores que variavam da arquitetura ao entretenimento, eles decidiram dar um passo ousado para demonstrar suas novas capacidades em um dos principais fóruns de iluminação do mundo. Afirmação A Exposição Internacional de Iluminação, em Las Vegas, era onde muitas empresas de iluminação estreavam seus novos produtos. A pequena equipe da Lightwave abriu um estande e imediatamente se tornou o assunto da feira tanto por seus produtos inovadores e coloridos quanto por suas personalidades joviais e presunçosas. Kinson disse que a feira era uma afirmação de que eles tinham descoberto um meio de reinventar o mercado de iluminação: Schyler e eu, acompanhados de quatro alunos do MIT Sloan School, fomos para esta feira de negócios com duas mochilas cheias de protótipos. Pela primeira vez iríamos mostrá-los em público e aí ganharíamos o Prêmio de Iluminação Arquitetônica do ano premiação máxima do setor. Essa é uma excelente confirmação de um setor em que a tecnologia de iluminação por semicondutores inteligentes era uma oportunidade significativa. Como os empreendedores suspeitavam, as novas capacidades de iluminação da Lightwave tinham apelo imediato especialmente no mercado do varejo. O resultado e a adaptabilidade de coloração tinham extensas aplicações, já que o minúsculo sistema microprocessador Lightwave poderia substituir as configurações da iluminação existente, que muitas vezes precisava de inúmeros bulbos de filtro colorido, bem como grandes controles mecânicos. Além da variedade expandida da cor e da estética, a tecnologia da Lightwave tinha benefícios funcionais sobre a tecnologia de iluminação convencional. Menos dispersão de calor e ausência de emissões UV geradas pelos LEDs significavam que a SSL poderia ser usada em muitas aplicações onde as luzes convencionais não seriam empregadas, como vitrines e próximas a roupas e artesanato. Como os produtos Lightwave poderiam ser criados para complementar as tecnologias existentes, eles seriam usados junto com os produtos de iluminação convencional. A equipe também visualizou benefícios significativos do ponto de vista econômico e ambiental a partir da expansão das tecnologias de LED. Enquanto os produtos de iluminação colorida convencionais tinham uma vida útil média de centenas ou milhares de horas, a vida da fonte dos LEDs era estimada em aproximadamente horas (o equivalente a 4 horas por dia por mais de anos). A SSL tinha potencial para produzir economia significativa de energia, uma vez que a iluminação é um grande consumidor de energia (aproximadamente 0% do orçamento de $ trilhão gasto anualmente em eletricidade 6 ). Acreditava-se que para a iluminação branca tradicional de residências, hospitais, empresas e afins, os ganhos de se trocar para SSL levaria a uma economia global anual de mais de $ 00 bilhões nos gastos com energia, e à redução nas emissões de carbono de 00 milhões de toneladas. Além disso, os ganhos aliviariam a necessidade de um orçamento de $ 50 bilhões na construção de uma nova usina elétrica. 7 A eficiência da tecnologia também estava atraindo vários usuários institucionais. A Califórnia, por exemplo, já havia começado a oferecer subsídios de até 50% do preço de compra para os municípios que convertessem os sinais de trânsito para alternativas SSL. O estado também estava oferecendo pacotes de subsídios que chegariam a totalizar até 00% do preço de compra para empresas que trocassem o letreiro de neon por SSL. Embora o segmento SSL fosse uma pequena parte do mercado total de iluminação, todo o segmento de LED teve um aumento de % se comparado aos sete anos anteriores para quase $,3 bilhões em 999. Iluminação de letreiros que inclui a hospedagem de aplicações tais como vitrines externas coloridas, sinais de rodovias e de trânsito contribuíram para um aumento no setor de LED de 3%, ou aproximadamente $ 530 milhões. Mais especificamente, o mercado de iluminação de vitrines externas de LED colorido cresceu quase 78% ao ano em 995, para quase $ 50 milhões em Bergh, Craford, Duggal, e Haitz, The Promisse and Challenge of Solid-State Lighting, Physics Today, dez. 00, pp Tsao, Nelson, Haitz, Kish (Hewlett-Packard), The Case for a National Research Program on Semiconductor Lightin, apresentado no fórum de 999 da Optoelectronics Industry Development Association em Washington DC, 6 out. 999.

6 6 Criação de Novos Negócios GRÁFICO Lei de Haitz: aumento da saída de luz do LED/redução do custo 00,000 0,000 Saída de luz / pacote (lúmens), % CAGR 0 diminuição/década 0 aumento/década +35% CAGR Custo/lúmen ($/lúmen) Fonte: Roland Haitz & Lumileds. Fluxo vermelho Vermelho $/lúmen Fluxo branco (projetado) Branco $/ Exposição lúmen Exposição (fluxo vermelho) (vermelho $/lúmen) Aplicativos de vitrine em equipamentos de comunicação eram o segundo maior setor, com % do mercado, seguidos de perto pelas telas de computador e equipamentos de escritório com %. O restante do mercado estava dividido entre os aplicativos do consumidor com 5%, visores automotivos e iluminação com %, e instrumentação industrial com 8%. 8 Deste total, LEDs de alto brilho cruciais para o setor iluminação tinham um tamanho de mercado de $ 680 milhões em 999 (um crescimento de quase 500% de 995, quando este era de $ 0 milhões). O referido número foi projetado para continuar a crescer até quase $,75 bilhão em Apesar de todas as provas e progressos em pesquisa e desenvolvimento que estavam sendo feitos na virada do século, especialistas do setor de iluminação demoraram muito a abraçar o uso dos LEDs com fins profissionais. Kinson explicou que enquanto ainda havia dificuldades para superar, ele tinha certeza de que avanços na tecnologia SSL forçariam as empresas de iluminação a redefinir a forma com a qual faziam negócios: Tal como outras tecnologias perturbadoras, os LEDs estão alcançando o mercado de surpresa e por isso são frequentemente desacreditados devido às métricas tradicionais que se aplicam ao velho mercado, no nosso caso, intensidade de iluminação e preço. Mas o que é fascinante é que enquanto a tradicional tecnologia latão, gás e vidro não apresenta crescimento intenso, a Lei de Haitz (veja o Gráfico ) demonstra que os LEDs aumentam absurdamente em intensidade e longevidade enquanto os custos de produção se reduzem rapidamente. Obviamente, o preço baixo e o brilho ainda não se fazem presentes para o mercado de luz branca, mas isso ainda virá. Portanto, todos que trabalham com iluminação, ou que a usam em suas empresas, precisam observar o que está acontecendo. Se não fizerem a mudança, serão passados para trás. Pioneirismo Após o sucesso na convenção de iluminação, Kinson encerrou um financiamento em torno de $ de 8 Strategies Unlimited, Previsão e revisão de mercado de LED, fev Ibid.

7 Capítulo 5 O acordo com os investidores: valoração, estrutura e negociação 7 investidores anjos. Porém, não foi uma tarefa fácil. Para encerrar a rodada, Kinson falou com mais de 50 futuros investidores e ligou 35 vezes para o diretor de um fabricante de itens de iluminação líder de mercado antes de obter uma resposta. Kinson observou que é preciso ter persistência e não aceitar um não como resposta; continue a sorrir e a telefonar. Levantar recursos é uma arte. Os sócios alugaram um espaço em frente ao apartamento de Kinson. Tendo a autossuficiência como norteador de seus passos, Kinson construiu o primeiro servidor da empresa em um computador usando a plataforma Linux. O servidor de , o site, o domínio e a rede do escritório eram todos rodados em um computador de mesa com conexão discada. Em janeiro de 998, eles contrataram o primeiro funcionário, Daniel Murdock, como vice-presidente de finanças. Como pioneiros na tecnologia SSL de total espectro têm intenção de obter considerável liderança nos participantes estabelecidos no setor, a Lightwave patenteou de maneira agressiva sua tecnologia e aplicações. Os sócios acreditavam que sua revolucionária tecnologia e forte carteira de propriedade intelectual tinham um mercado amplo e oportunidades de licenciamento em grande número de mercados (veja o Quadro 3). Kinson comentou este aspecto de sua missão: Uma de nossas estratégias primárias era dar entrada em toda propriedade intelectual que pudéssemos, porque percebemos que este seria um imenso mercado no futuro. Nós planejamos ter uma reserva de patentes para proteger nossos interesses no mercado e algumas delas serão aplicáveis no desenvolvimento do segmento de luz branca. O cabedal de propriedade intelectual será provavelmente a característica mais forte de nossa empresa. A Lightwave mandou seu primeiro pedido em setembro de 998. A empresa teve uma grande onda de crescimento nos dois anos seguintes, e se mudou para um escritório maior no centro de Boston, aumentando o número de funcionários para mais de 75. Eles continuaram a desenvolver novos produtos e aplicações para diversos mercados a um ritmo frenético. Em maio de 000, a empresa abriu um escritório de vendas europeu em Londres, Inglaterra e em dezembro do mesmo ano estabeleceu uma joint venture com um distribuidor japonês em Tóquio. Os parceiros do canal de vendas do empreendimento incluem distribuidores dos produtos de iluminação e representantes dos fabricantes, bem como os fabricantes dos equipamentos originais (OEMs). Os esforços de marketing envolveram atualizações dos analistas do setor, conferências da área, feiras comerciais, promoções na internet, artigos, mala direta eletrônica, propaganda impressa e reuniões. O departamento de marketing também forneceu uma série de solicitações dos clientes, precificação e análise de posicionamento para oferta de novos produtos e dos já existentes. Além disso, eles produziram extenso material para distribuição para potenciais clientes, incluindo materiais de apresentação, perfis de clientes, catálogos dos produtos, cronogramas, guia do usuário, relatórios técnicos resumidos (white papers) e comunicados à imprensa. Determinada a se manter flexível e enxuta, a empresa terceirizava toda sua produção e não tinha planos para desenvolver uma capacidade de produção no futuro. A equipe criou contratos de fornecimento com inúmeros fabricantes de LED, o que lhe permitiu adquirir LEDs a um preço acessível e pequenos prazos de execução. Os produtos finais e os sistemas de controle foram produzidos por empresas nos Estados Unidos e na China, sendo que esta fornecia maior quantidade de itens a um preço mais baixo. Kinson nunca parou de levantar capital de investimento para financiar esses esforços e no começo de 00 a Lightwave tinha garantido mais de $ 3 milhões em quatro rodadas de financiamento de negócios. 0 QUADRO 3 Mercados alvo (retirado do Memorando de Venda da Lightwave) Os mercados para os nossos sistemas de iluminação incluem os mercados tradicionais para iluminação com troca de cor tais como cinemas e outros locais de entretenimento. No entanto, existem muitas aplicações para esta tecnologia nos inúmeros mercados adicionais. Nossos sistemas de iluminação foram instalados em milhares de locais para usuários finais no mundo todo, em aplicações tais como as seguintes: Arquitetura comercial e cívica Nossos sistemas de iluminação são usados para diferenciar e acentuar os elementos arquitetônicos em uma ampla variedade de escritórios corporativos, espaços públicos, pontes, monumentos, fontes, instalações do governo, igrejas, escolas, universidades e hospitais. 0 Série A $ por ações; série B $ por ações; série C $ por ações; e série D $ por ações.

8 8 Criação de Novos Negócios Hospitalidade Hotéis, cassinos, navios de cruzeiro, restaurantes, bares e boates adicionam elementos de entretenimento para suas propriedades para atrair e reter clientes. A iluminação dinâmica é uma ferramenta eficaz porque muitos dos negócios deste setor ganham a vida à noite. Merchandising e varejo Os varejistas que disputam a atenção do cliente agregam o entretenimento como experiência de compras pelo uso da iluminação dinâmica em todo o design da loja, em programas de propaganda visual e nas vitrines. Entretenimento, eventos e produção teatral Teatros, salas de concerto, parques de diversão, ambientes temáticos e produtores performances ao vivo e eventos, fazem uso maciço de iluminação teatral dramática e adoram a dinâmica aprimorada que a iluminação agrega ao desenho do set, iluminação de palco e vitrines temáticas. Produção de TV Programas de televisão em estúdio, programas de jogos e de entrevistas usam iluminação dinâmica para dar mais empolgação, glamour e identidade ao palco e iluminação de preenchimento. Sinalização eletrônica e identidade corporativa Designers e fabricantes de sinalização e pontos de compra usam iluminação dinâmica em projetos com vitrines com iluminação superior e traseira, sinais de vidro, sinais interiores ou exteriores e letreiros. Arquitetura residencial Iluminação especial e direcional são usadas em projetos residenciais para aplicações tais como abóbadas, gabinetes, sob balcões, cenários e home theaters. Exposições, vitrines e museus Iluminação dinâmica é usada em estandes de feiras comerciais e em vitrines de museus para destacar determinadas áreas ou dar impacto e entretenimento ao que é mostrado. Seu sucesso não tinha passado despercebido no setor. Os principais personagens do setor de iluminação tinham claramente começado a reavaliar as possibilidades da tecnologia de LED. Desde 999, vários empreendimentos foram criados entre grandes empresas tradicionais de iluminação e jovens empresas de tecnologia avançada de LED. A Philips Lighting se uniu com a Agilent Technologies para formar uma empresa de iluminação sólida chamada LumiLeds. De maneira análoga, a GE Lighting criou a GELcore com a empresa de semicondutores EMCORE e a OSRAM estava trabalhando com LEDs em uma subsidiária da Siemens na Alemanha. Além disso, os pesquisadores da Agilent e da Sandia National Laboratories em Albuquerque, Novo México, faziam pressão no governo federal para a obtenção de $ 500 milhões em um programa nacional de pesquisas de 0 anos sobre iluminação de semicondutores. Kinson e sua equipe sentiram que dentro dessas táticas competitivas dos participantes multinacionais, uma IPO seria sua melhor estratégia. Eles pensaram e perceberam que abrir o capital melhoraria sua exposição internacional e traria uma significativa base de capital para apoiar a rápida adoção de seus produtos em uma ampla gama de setores industriais. Certos de que era o momento mais propício, eles planejaram a oferta pública para o verão de 00. Recuo Mesmo antes dos ataques terroristas de setembro de 00, já era dolorosamente evidente que os mercados de capitais estavam se abrandando. O grande boom da Internet tinha terminado e a Lightwave, como muitas outras empresas, teve que adiar indefinidamente suas aspirações para uma IPO. Nos meses seguintes ao de setembro, a empresa lutava contra as drásticas quedas nos pedidos e uma falta de interesse por conta da recessão dos clientes em potencial na busca por projetos novos e criativos. A empresa foi forçada a demitir funcionários e a abandonar uma grande parte de arrendamento operacional não cancelável em suas novas instalações em Boston.

9 Capítulo 5 O acordo com os investidores: valoração, estrutura e negociação 9 Apesar do débito de reestruturação de aproximadamente $ 3,9 milhões naquele ano e das esperanças frustradas para a oferta pública, a Lightwave continuou a fazer progressos em seus principais mercados de arquitetura e entretenimento. No verão de 003, a empresa já tinha se estabilizado e parecia que a Lightwave conseguiria o ponto de equilíbrio do fluxo de caixa no ano vindouro (veja as Tabelas 4 a 6). TABELA 4 Demonstração de resultados Projeções internas da empresa Receitas Sistemas de iluminação OEM e licenciamento Receitas totais Custos de receita Sistemas de iluminação OEM e licenciamento Custos totais de receita Lucro bruto Despesas operacionais Vendas e marketing Pesquisa e desenvolvimento Administrativo e geral Reestruturação Despesas operacionais totais Rendimento Operacional (perda) ( ) ( ) ( ) Juros de rendimento (despesa), líquido Patrimônio nos ganhos da joint venture (Japão) Lucro líquido (perda) (4.68.4) ( ) (76.966) TABELA 5 Demonstrativo de fluxo de caixa Fluxo de caixa das atividades operacionais Perda líquida (4.68.4) ( ) (76.966) Ajustes para conciliar a perda líquida para caixa das atividades operacionais: Depreciação e amortização Remuneração baseada no estoque Cancelamento das melhorias de arrendamento relativas à reestruturação Patrimônio nos ganhos da joint venture (Japão) (4.45) (85.3) (3.350) Mudanças nos ativos circulantes e responsabilidades Contas a receber (899.9) Estoque ( ) ( ) Despesas pré-pagas e outros ativos circulantes (44.56) (6.983) (3.44) Fundos cativos (6.07) Contas a pagar ( ) (475.90) (4.50) Gastos acumulados.58.7 ( ) Receita diferida

10 0 Criação de Novos Negócios Reestruturação acumulada (.45) (385.49) Fluxo de caixa das atividades operacionais ( ) ( ) ( ) Fluxo de caixa das atividades de investimento Investimento em joint venture (Japão) (65.60) Aquisição de propriedades e equipamentos ( ) (467.8) (59.97) Fluxo de caixa das atividades de investimento ( ) (467.8) (59.97) Fluxo de caixa das atividades de financiamento Pagamentos de acordo com notas promissórias a pagar dos equipamentos e linha de crédito ( ) ( ) (00.000) Empréstimos sobre linha de crédito Receita do exercício das opções de estoque Receitas da emissão resgatáveis preferivelmente conversíveis; livre de custos de emissão Fluxo de caixa das atividades de financiamento (86.945) Efeito das mudanças na taxa de câmbio no capital 3.79 Aumento (diminuição) no caixa e equivalentes ( ) (.00.9) Caixa e equivalente: começo do ano Caixa e equivalente: fim do ano TABELA 6 Balanços patrimoniais Ativo Ativo corrente Caixa e equivalente Fundos cativos Contas a receber Provisão para devedores duvidosos ( ) (70.000) Contas a receber das partes relacionadas Estoque Despesas pré-pagas e outros ativos circulantes Ativo corrente total Propriedades e equipamentos: em custos Computadores Móveis e utensílios Ferramentas Melhorias na propriedade arrendada Menos: depreciação e acúmulo amortizado ( ) ( ) Propriedades e equipamentos: líquido Investimento em joint venture Caixa restrito: porção de longo prazo Ativo total Passivo e patrimônio do acionistas (deficiência) Passivo corrente Porção atual da promissória dos equipamentos Contas a pagar Contas a pagar à parte relacionada.566 Gastos acumulados Remuneração acumulada Reestruturação acumulada

11 Capítulo 5 O acordo com os investidores: valoração, estrutura e negociação Garantia acumulada Receita diferida Passivo corrente total: Reestruturação acumulada Ação preferencial conversível resgatável Patrimônio dos acionistas (deficiência) Ação comum $ 0,00 por valor; autorizado ações; emitidas e pendentes e ações em 00 e 00, respectivamente ( ações pro forma) Capital integralizado adicional Outra receita abrangente acumulada Déficit acumulado ( ) ( ) Patrimônio total dos acionistas (deficiência) ( ) ( ) Passivo e patrimônio dos acionistas Tempo crucial Com a recessão aparentemente perdendo o ritmo, a atmosfera na Lightwave Technology estava impregnada de possibilidades. Como pioneiros de uma tecnologia evidentemente disruptiva, Kinson, Weiss e sua equipe estavam em posição de influenciar o curso de todo o setor de iluminação no próximo século. A questão era como posicionar melhor a sua empresa para o próximo empurrão. Este estudo de caso foi preparado por Carl Hedberg sob supervisão do Professor Jeffry A. Timmons. Copyright Jeffry A. Timmons, 005. Todos os direitos reservados.

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

GE Iluminação. Lâmpadas Eletrônicas. Integradas e Não Integradas. imagination at work

GE Iluminação. Lâmpadas Eletrônicas. Integradas e Não Integradas. imagination at work GE Iluminação Lâmpadas Eletrônicas Integradas e Não Integradas imagination at work Economiza até % de energia* s e s Utilize as lâmpadas da GE para decorar seus ambientes. As lâmpadas Fluorescentes Compactas

Leia mais

Soluções de Output LRS

Soluções de Output LRS Soluções de Output LRS Enormes economias de custo estão aguardando L O G O A B A I X O D A S U P E R F Í C I E Organizações de todos os tamanhos enfrentam um desafio singular: reduzir dramaticamente os

Leia mais

DIFERENCIAIS SERVIÇOS. 1. Desenvolvimento De Sites Personalizados

DIFERENCIAIS SERVIÇOS. 1. Desenvolvimento De Sites Personalizados DIFERENCIAIS Acredito que o desenvolvimento de soluções para Internet não é um trabalho qualquer, deve-se ter certa experiência e conhecimento na área para projetar sistemas que diferenciem você de seu

Leia mais

Iluminação pública. Capítulo VIII. Iluminação pública e urbana. O mundo digital

Iluminação pública. Capítulo VIII. Iluminação pública e urbana. O mundo digital 32 Led pra cá, Led pra lá... muito boa essa discussão, no entanto, o que muitas vezes deixamos de lembrar que o Led sem a eletrônica não é nada. Desde a mais simples aplicação até a mais complexa, a eletrônica

Leia mais

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO L2 0 0 6 R E L AT Ó R I O A N U A EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO Prêmio de Seguros Participação no Mercado (em %) Mercado 74,2% Fonte: Susep e ANS Base: Nov/2006 Bradesco 25,8%

Leia mais

ANÁLISE DA VIABILIDADE DE ILUMINAÇÃO À LED S EM RESIDÊNCIAS. Rodrigo Evandro da Mota, Tiago Augusto da Silva, José Ricardo Abalde Guede

ANÁLISE DA VIABILIDADE DE ILUMINAÇÃO À LED S EM RESIDÊNCIAS. Rodrigo Evandro da Mota, Tiago Augusto da Silva, José Ricardo Abalde Guede ANÁLISE DA VIABILIDADE DE ILUMINAÇÃO À LED S EM RESIDÊNCIAS. Rodrigo Evandro da Mota, Tiago Augusto da Silva, José Ricardo Abalde Guede FEAU/UNIVAP, Avenida Shisima Hifumi 2911, São José dos Campos - SP

Leia mais

ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas

ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas ANEXO 1: Formato Recomendado de Planos de Negócios - Deve ter entre 30 e 50 páginas 1) Resumo Executivo Descrição dos negócios e da empresa Qual é a ideia de negócio e como a empresa se chamará? Segmento

Leia mais

Apresentação para Representantes. www.puro3d.com.br

Apresentação para Representantes. www.puro3d.com.br Apresentação para Representantes www.puro3d.com.br Puro 3D - Resumo Somos focados em desenvolver Games, Vídeos, Sites, Maquete Virtual, Transmídia, Produtos, Protótipos 3D, Design e Comerciais para Empresas

Leia mais

Investigação e Desenvolvimento

Investigação e Desenvolvimento Investigação e Desenvolvimento Título: Lâmpadas LED vs Lâmpadas Normais. Caso de estudo (trabalho de investigação realizado no âmbito da disciplina de proteção ambiental) Autor: SAj António Coelho (Curso

Leia mais

ILUMINAÇÃO NA ARQUITETURA. Prof. Arq. Minéia Johann Scherer

ILUMINAÇÃO NA ARQUITETURA. Prof. Arq. Minéia Johann Scherer ILUMINAÇÃO NA ARQUITETURA Prof. Arq. Minéia Johann Scherer LÂMPADAS A VAPOR DE MERCÚRIO São lâmpadas de descarga à alta pressão. Há no interior da lâmpada um tubo de descarga de quartzo que suporta altas

Leia mais

Apresentação Investidores

Apresentação Investidores Apresentação Investidores Abril de 2011 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros.tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia, e envolve riscos

Leia mais

Capítulo 11. A necessidade de recursos para o novo negócio

Capítulo 11. A necessidade de recursos para o novo negócio A necessidade de recursos para o novo negócio 1 2 Criação de Novos Negócios Estudo de Caso Quick Lube Franchise Corporation (QLFC) 1 Perguntas de preparação 1. Que motivos a QLFC teria para entrar com

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CAPÍTULO 33 Este Capítulo é parte integrante do Livro Contabilidade Básica - Finalmente Você Vai Entender a Contabilidade. 33.1 CONCEITOS A demonstração dos fluxos de caixa evidencia as modificações ocorridas

Leia mais

Apresentação dos Resultados 2T06

Apresentação dos Resultados 2T06 Apresentação dos Resultados 2T06 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014.

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014. Resultados 3T14_ Novembro de 2014. Disclaimer Esta apresentação pode conter declarações baseadas em estimativas a respeito dos prospectos e objetivos futuros de crescimento da base de assinantes, um detalhamento

Leia mais

O futuro da iluminação.

O futuro da iluminação. www.osram.com.br O futuro da iluminação. PORTFÓLIO COMPLETO! LampLEDs para iluminação geral e iluminação de efeito. www.osram.com.br O futuro da iluminação. Para a OSRAM, especialista em iluminação, os

Leia mais

ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DA TROCA DE SOLUÇÕES CONVENCIONAIS POR LÂMPADAS LEDs

ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DA TROCA DE SOLUÇÕES CONVENCIONAIS POR LÂMPADAS LEDs UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DA TROCA DE SOLUÇÕES CONVENCIONAIS POR LÂMPADAS LEDs NOME: Ivan

Leia mais

Soluções de iluminação LED

Soluções de iluminação LED Soluções de iluminação LED SOLUÇÕES DE ILUMINAÇÃO LED 2 LED SOLUTIONS 3 anos Benefícios das lâmpadas : O que a oferece a você: Economia de energia de até 85% comparando-se com as lâmpadas incandescentes

Leia mais

Plano Aula 10 24/10/2011. - Exercício de Desenvolvimento Pessoal - Vantagem Competitiva Liderança em Custos

Plano Aula 10 24/10/2011. - Exercício de Desenvolvimento Pessoal - Vantagem Competitiva Liderança em Custos Plano Aula 10 24/10/2011 - Exercício de Desenvolvimento Pessoal - Vantagem Competitiva Liderança em Custos 1 Exercício de Desenvolvimento Pessoal O objetivo deste exercício é praticar os conceitos de Controle

Leia mais

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Project & Portfolio Management SaaS

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Project & Portfolio Management SaaS CUSTOMER SUCCESS STORY Junho 2014 Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Project & Portfolio Management SaaS PERFIL DO CLIENTE Empresa: Renova Energia Indústria: Energia Funcionários:

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

ANÁLISE ECONÔMICA DA SUBSTITUIÇÃO DE LÂMPADAS FLUORESCENTES POR TECNOLOGIA LED EM UMA EMPRESA DE MANUTENÇÃO DE MÁQUINAS

ANÁLISE ECONÔMICA DA SUBSTITUIÇÃO DE LÂMPADAS FLUORESCENTES POR TECNOLOGIA LED EM UMA EMPRESA DE MANUTENÇÃO DE MÁQUINAS ANÁLISE ECONÔMICA DA SUBSTITUIÇÃO DE LÂMPADAS FLUORESCENTES POR TECNOLOGIA LED EM UMA EMPRESA DE MANUTENÇÃO DE MÁQUINAS Thiago de Carvalho Sousa (UVV) thiagocs01@hotmail.com Lucca de Carvalho De Biase

Leia mais

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM CUSTOMER SUCCESS STORY Maio 2014 Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM PERFIL DO CLIENTE Empresa: Renova Energia Indústria: Energia Funcionários: 182 (2012) Faturamento:

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 é uma competição interna da Laureate International

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS BÁSICAS

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS BÁSICAS 110 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS BÁSICAS CAPITAL ORDINÁRIO BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO 2006 2005 Caixa e investimentos Caixa................................................. $ 276 $ 223 Investimentos Carteira

Leia mais

Fontes Artificiais de Luz: Características e Novas Tecnologias

Fontes Artificiais de Luz: Características e Novas Tecnologias 1 Encontro Nacional de Iluminação de Monumentos e Conjuntos Urbanos Protegidos Fonte Schréder Mercado Municipal de São Paulo Projeto: Franco & Fortes Lighting Design Senzi Consultoria Luminotécnica Fontes

Leia mais

Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico

Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico Guaiaquil tira proveito da IoE para oferecer à população os benefícios da telemedicina e do governo eletrônico RESUMO EXECUTIVO Objetivo Melhorar a vida dos moradores e ajudálos a serem bem-sucedidos na

Leia mais

Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio.

Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio. Com bom planejamento, empresário começa negócio sem dinheiro próprio. Plano de negócios estruturado ajuda na hora de conseguir financiamento. Veja dicas de especialistas e saiba itens que precisam constar

Leia mais

APRESENTAÇÃO APIMEC. Março de 2015. Copyright Cielo Todos os direitos reservados

APRESENTAÇÃO APIMEC. Março de 2015. Copyright Cielo Todos os direitos reservados APRESENTAÇÃO APIMEC Março de 2015 Copyright Cielo Todos os direitos reservados A COMPANHIA FAZ DECLARAÇÕES SOBRE EVENTOS FUTUROS QUE ESTÃO SUJEITAS A RISCOS E INCERTEZAS Tais declarações têm como base

Leia mais

RÁDIO E TV TÉCNICO EM ATUAÇÃO NO MERCADO

RÁDIO E TV TÉCNICO EM ATUAÇÃO NO MERCADO O CEET - Centro Estadual de Educação Técnica Vasco Coutinho é uma Instituição de Ensino criada e mantida pelo Governo do Estado do Espírito Santo e transferido através da lei n 9.971/12, para Secretaria

Leia mais

Transcrição da Teleconferência Resultados 2T14 em português TOTVS (TOTS3 BZ) 31 de julho de 2014

Transcrição da Teleconferência Resultados 2T14 em português TOTVS (TOTS3 BZ) 31 de julho de 2014 Operadora: Bom dia. Sejam bem-vindos à teleconferência da TOTVS referente aos resultados do 2T14. Estão presentes os senhores Alexandre Mafra, Vice-Presidente Executivo e Financeiro e Vice-Presidente de

Leia mais

Apresentação dos Resultados 3T06

Apresentação dos Resultados 3T06 Apresentação dos Resultados 3T06 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

COMO ENTENDER O VALOR EMPRESARIAL DOS SISTEMAS E COMO GERENCIAR A MUDANÇA

COMO ENTENDER O VALOR EMPRESARIAL DOS SISTEMAS E COMO GERENCIAR A MUDANÇA COMO ENTENDER O VALOR EMPRESARIAL DOS SISTEMAS E COMO GERENCIAR A MUDANÇA 1 OBJETIVOS 1. Como nossa empresa pode medir os benefícios de nossos sistemas de informação? Quais modelos deveríamos usar para

Leia mais

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza edwin@engenharia-puro.com.br www.engenharia-puro.com.br/edwin Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos ... lembrando Uma cadeia de suprimentos consiste em todas

Leia mais

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 São Paulo, 25 de fevereiro de 2005 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia hoje seus

Leia mais

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS Uma empresa sem vendas simplesmente não existe, e se você quer ter sucesso com uma loja você deve obrigatoriamente focar nas vendas. Pensando nisso começo este material com

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

A codificação a laser é a solução correta para necessidades simples de codificação?

A codificação a laser é a solução correta para necessidades simples de codificação? Nota técnica Principais fatores a se considerar ao selecionar uma codificadora a laser A codificação a laser é a solução correta para necessidades simples de codificação? Equipamento Fluidos Treinamento

Leia mais

O Projeto EuroDisney. O Projeto EuroDisney. O Projeto EuroDisney. 1ª Etapa (1992) 2ª Etapa (2011)

O Projeto EuroDisney. O Projeto EuroDisney. O Projeto EuroDisney. 1ª Etapa (1992) 2ª Etapa (2011) O Projeto EuroDisney Maior parque temático da Europa Área de 2.000 hectares a 32 quilômetros de Paris 17 milhões de pessoas num raio de 2 horas 100 milhões num raio de 6 horas Investimento: 4 bilhões de

Leia mais

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR KOTLER, 2006 AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR. OS CANAIS AFETAM TODAS AS OUTRAS DECISÕES DE MARKETING Desenhando a estratégia

Leia mais

MUDANÇAS NO GERADOR DE DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS

MUDANÇAS NO GERADOR DE DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS MUDANÇAS NO GERADOR DE DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS Visando a redução de riscos nos investimentos internacionais, além de ter mais facilidade de comunicação internacional no mundo dos negócios, com o uso de

Leia mais

Sua hora chegou Dê um grande salto REGULAMENTO

Sua hora chegou Dê um grande salto REGULAMENTO Sua hora chegou Dê um grande salto REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo (plano de negócios) James McGuire 2014 Prêmio de Empreendedorismo (plano de negócios) James McGuire 2014 Regulamento - Estudantes

Leia mais

P A R T E I I A n á l i s e G e r e n c i a l 159

P A R T E I I A n á l i s e G e r e n c i a l 159 P A R T E I I A n á l i s e G e r e n c i a l 159 C A P Í T U L O 1 4 Empresas de serviços Pergunta aos consultores e aposto que, para a maioria, a primeira afirmação do cliente é: Nossa empresa é diferente.

Leia mais

Resultados do 2T08. Destaques. Relações com Investidores

Resultados do 2T08. Destaques. Relações com Investidores Resultados do 2T08 Uberlândia MG, Agosto de 2008 A CTBC Companhia de Telecomunicações do Brasil Central S.A, empresa integrada de telecomunicações com um portfólio completo de serviços, divulga seus resultados

Leia mais

INDICADORES DE MERCADO

INDICADORES DE MERCADO INDICADORES DE MERCADO SUMÁRIO EXECUTIVO Nessa edição dos Indicadores de Mercado, desenvolvido pelo Comitê de Marketing do IAB Brasil, são apresentados os dados consolidados do primeiro semestre de 2007,

Leia mais

Unidade II ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Unidade II ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Unidade II DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC) 3 INTRODUÇÃO 1 2 A demonstração dos fluxos de caixa (DFC), a partir de 01/01/08, passou a ser uma demonstração obrigatória, conforme estabeleceu a lei

Leia mais

Indicadores. COMITÊ DE MARKETING Outubro/2007

Indicadores. COMITÊ DE MARKETING Outubro/2007 Indicadores COMITÊ DE MARKETING Outubro/2007 Introdução Comprovando as projeções otimistas da entidade o número de usuários residenciais de internet passou de 20 milhões. Diversos fatores contribuíram

Leia mais

Suporte Técnico. A ZRCR Informática presta suporte técnico, via telefone, e-mail ou Skype diretamente aos usuários do E-GESTAOBELEZA

Suporte Técnico. A ZRCR Informática presta suporte técnico, via telefone, e-mail ou Skype diretamente aos usuários do E-GESTAOBELEZA Suporte Técnico A ZRCR Informática presta suporte técnico, via telefone, e-mail ou Skype diretamente aos usuários do E-GESTAOBELEZA Horário de Atendimento De segunda-feira à sexta-feira das 09:00 ás 19:00

Leia mais

Relações com Investidores ÁUDIO CONFERÊNCIA 1T13. Abril 2013

Relações com Investidores ÁUDIO CONFERÊNCIA 1T13. Abril 2013 Relações com Investidores ÁUDIO CONFERÊNCIA Abril 2013 1T13 Estratégia RESIDENCIAL Convergência de serviços com crescimento de Banda Larga e TV Paga MOBILIDADE PESSOAL Crescimento do pós e rentabilização

Leia mais

INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 1.1

INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 1.1 1.0 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 1.1 1.2 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Qual o objetivo das empresas para a administração financeira? Maximizar valor de mercado da empresa; Aumentar a riqueza dos acionistas.

Leia mais

MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO A QGEP Participações iniciou o ano de 2011 com uma sólida posição financeira. Concluímos com sucesso a nossa oferta pública inicial de ações em fevereiro, com uma captação líquida

Leia mais

A GP no mercado imobiliário

A GP no mercado imobiliário A GP no mercado imobiliário A experiência singular acumulada pela GP Investments em diferentes segmentos do setor imobiliário confere importante diferencial competitivo para a Companhia capturar novas

Leia mais

Visão. O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada. do Desenvolvimento. nº 96 29 jul 2011

Visão. O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada. do Desenvolvimento. nº 96 29 jul 2011 Visão do Desenvolvimento nº 96 29 jul 2011 O papel anticíclico do BNDES e sua contribuição para conter a demanda agregada Por Fernando Puga e Gilberto Borça Jr. Economistas da APE BNDES vem auxiliando

Leia mais

www.asbled.com.br EMPRESA ASBLed nasceu para ser uma empresa inovadora e especializada em iluminação utilizando a tecnologia LED.

www.asbled.com.br EMPRESA ASBLed nasceu para ser uma empresa inovadora e especializada em iluminação utilizando a tecnologia LED. EMPRESA ASBLed nasceu para ser uma empresa inovadora e especializada em iluminação utilizando a tecnologia LED. Nossa missão é fornecer soluções em iluminação LED, aliando economia à sustentabilidade.

Leia mais

APIMEC 1T10. 27 de maio 2010

APIMEC 1T10. 27 de maio 2010 APIMEC 1T10 27 de maio 2010 Aviso Importante O material que segue é uma apresentação de informações gerais de Multiplus S.A. ( Multiplus" ou "Companhia") na data desta apresentação. Este material foi preparado

Leia mais

BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA

BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA Por meio de um investimento estratégico de até R$314,7 milhões, a BNDESPAR ingressa no capital social da Renova Energia. Parceria de Longo Prazo A

Leia mais

Earnings Release 1T15

Earnings Release 1T15 Santo André, 05 de maio de 2015: A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. (BM&FBOVESPA: CVCB3), maior operadora de turismo das Américas, informa aos seus acionistas e demais participantes do mercado

Leia mais

Nosso Planeta Mobile: Brasil

Nosso Planeta Mobile: Brasil Nosso Planeta Mobile: Brasil Como entender o usuário de celular Maio de 2013 1 Resumo executivo Os smartphones se tornaram indispensáveis para nosso cotidiano. A difusão dos smartphones atinge 26 % da

Leia mais

Professor Ventura Ensina Tecnologia

Professor Ventura Ensina Tecnologia Professor Ventura Ensina Tecnologia Experimento PV001 Maquete com Instalação Elétrica Ensino Fundamental Direitos Reservados = Newton C. Braga 1 Maquete com Instalação Elétrica Você gostaria de aprender

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

Controle Financeiro. 7 dicas poderosas para um controle financeiro eficaz. Emerson Machado Salvalagio. www.guiadomicroempreendedor.com.

Controle Financeiro. 7 dicas poderosas para um controle financeiro eficaz. Emerson Machado Salvalagio. www.guiadomicroempreendedor.com. Controle Financeiro 7 dicas poderosas para um controle financeiro eficaz Emerson Machado Salvalagio Quando abrimos uma empresa e montamos nosso próprio negócio ou quando nos formalizamos, após algum tempo

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Apresentação de Resultados 1T11 17 de Maio de 2011

Apresentação de Resultados 1T11 17 de Maio de 2011 Apresentação de Resultados 1T11 17 de Maio de 2011 Relações com Investidores Agenda 1. Destaques 2. Evolução das Receitas e Custos Hardware Software Serviços 3. Despesas e Margens 4. Investimentos e Caixa

Leia mais

Lâmpadas LED. Rua Joaquim Galvão, 198 CEP. 05627-010 - SP. Telefone: 55 (11) 3501-2886 Fax: 55 (11) 2338-1050

Lâmpadas LED. Rua Joaquim Galvão, 198 CEP. 05627-010 - SP. Telefone: 55 (11) 3501-2886 Fax: 55 (11) 2338-1050 Lâmpadas LED Lâmpadas LED da Technosol Modernidade e simplicidade numa infindável variedade Está à procura de cor e ambiente? Anseia acentuar os seus espaços favoritos e imagens? Deseja decorar a sua casa

Leia mais

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 49% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 35% MARGEM DE EBITDA ATINGIU 29% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 3T06. As demonstrações financeiras

Leia mais

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA

FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Unidade II FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Objetivos Ampliar a visão sobre os conceitos de Gestão Financeira; Conhecer modelos de estrutura financeira e seus resultados; Conhecer

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DA QUALIDADE Profa. Adriana Roseli Wünsch Takahashi

GESTÃO ESTRATÉGICA DA QUALIDADE Profa. Adriana Roseli Wünsch Takahashi UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA QUALIDADE GESTÃO ESTRATÉGICA DA QUALIDADE Profa. Adriana Roseli Wünsch Takahashi MARÇO/2010

Leia mais

COMO CALCULAR E ANALISAR A CAPACIDADE DE

COMO CALCULAR E ANALISAR A CAPACIDADE DE COMO CALCULAR E ANALISAR A CAPACIDADE DE! Como calcular o fluxo de caixa! Qual a fórmula para determinar a capacidade de pagamento! Como analisar a liquidez Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br)

Leia mais

Resultados 2005 Resultados 2005

Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 2005 Resultados 1T06 Bovespa: RSID3 NYSE (ADR): RSR2Y Receita Líquida alcança R$ 85,2 milhões VGV totaliza R$ 94,3 milhões Vendas contratadas crescem 63% São Paulo, 11 de maio

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br @ribeirord Pesquisa e Propagação do conhecimento: Através da Web, é possível

Leia mais

Divulgação de Resultados do 4T10

Divulgação de Resultados do 4T10 Divulgação de Resultados do 4T10 23 de fevereiro de 2011 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros.tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia,

Leia mais

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 Desempenho Em ambiente de queda da atividade na indústria automobilística, a Iochpe-Maxion apresentou um crescimento de 8,4% nas vendas no terceiro

Leia mais

COMO ENTENDER O VALOR EMPRESARIAL DOS SISTEMAS E COMO GERENCIAR A MUDANÇA

COMO ENTENDER O VALOR EMPRESARIAL DOS SISTEMAS E COMO GERENCIAR A MUDANÇA Capítulo 13 COMO ENTENDER O VALOR EMPRESARIAL DOS SISTEMAS E COMO GERENCIAR A MUDANÇA 13.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Como nossa empresa pode medir os benefícios de nossos sistemas de informação?

Leia mais

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04 Práticas de Gestão Editorial Geovanne. 02 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) Como faço isso? Acesse online: 03 e 04 www. No inicio da década de 90 os

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016.

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016. RELEASE DE RESULTADOS Relações com Investidores Marcelo Moojen Epperlein Diretor-Presidente e de Relações com Investidores (55 11) 3175-2900 ri@brinsurance.com.br Ana Carolina Pires Bastos Relações com

Leia mais

NCR CONNECTIONS. CxBanking

NCR CONNECTIONS. CxBanking CxBanking NCR CONNECTIONS Nossa soluc a o multicanal permite aos bancos implementar rapidamente servic os empresariais personalizados em canais fi sicos e digitais. Um guia de soluções da NCR Visão geral

Leia mais

Esta é a XL Catlin Cinco maneiras pelas quais vamos turbinar seu negócio.

Esta é a XL Catlin Cinco maneiras pelas quais vamos turbinar seu negócio. Esta é a XL Catlin Cinco maneiras pelas quais vamos turbinar seu negócio. Separadas, XL e Catlin eram duas empresas fortes e inovadoras. Juntas, somos ainda mais fortes. Conteúdo Conheça a XL Catlin Pessoas

Leia mais

CAPÍTULO 2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS, IMPOSTOS, e FLUXO DE CAIXA. CONCEITOS PARA REVISÃO

CAPÍTULO 2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS, IMPOSTOS, e FLUXO DE CAIXA. CONCEITOS PARA REVISÃO Bertolo Administração Financeira & Análise de Investimentos 6 CAPÍTULO 2 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS, IMPOSTOS, e FLUXO DE CAIXA. CONCEITOS PARA REVISÃO No capítulo anterior determinamos que a meta mais

Leia mais

Cloud Computing. Um Caminho Sem Volta. George Randolph CEO Ipsense

Cloud Computing. Um Caminho Sem Volta. George Randolph CEO Ipsense Cloud Computing Um Caminho Sem Volta George Randolph CEO Ipsense 1 Introdução O tema Cloud Computing ou Computação em Nuvem é cada vez mais comum não só entre profissionais da área de TI mas entre a grande

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

Autoatendimento Digital. Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas.

Autoatendimento Digital. Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas. Autoatendimento Digital Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas. Oferece aos clientes as repostas que buscam, e a você,

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

EMBRATEL ENTREVISTA: Pietro Delai IDC Brasil DATA CENTER VIRTUAL - DCV

EMBRATEL ENTREVISTA: Pietro Delai IDC Brasil DATA CENTER VIRTUAL - DCV EMBRATEL ENTREVISTA: Pietro Delai IDC Brasil DATA CENTER VIRTUAL - DCV DATA CENTER VIRTUAL - DCV Em entrevista, Pietro Delai, Gerente de Pesquisa e Consultoria da IDC Brasil relata os principais avanços

Leia mais

Prof. Dr. José Dornelas www.josedornelas.com. Manual do Professor

Prof. Dr. José Dornelas www.josedornelas.com. Manual do Professor Prof. Dr. José Dornelas www.josedornelas.com Manual do Professor Manual do professor Este manual deve ser usado em conjunto com o vídeo do autor disponível no site da editora: www.campus.com.br Maiores

Leia mais

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS!

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! 4 Introdução 5 Conheça seu público 5 Crie uma identidade para sua empresa 6 Construa um site responsivo 6 Seja direto, mas personalize o máximo possível

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA, CONTABILIDADE E SECRETARIADO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA, CONTABILIDADE E SECRETARIADO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIA, CONTABILIDADE E SECRETARIADO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Orçamento Empresarial Copyright Pereira, F. I. Prof. Isidro

Leia mais

REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS UNINORTE LAUREATE INTERNATIONAL UNIVERSITIES PRÊMIO DE EMPREENDEDORISMO JAMES McGUIRE EDITAL DE SELEÇÃO REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1. O Prêmio James McGuire de Empreendedorismo é uma competição

Leia mais

CAPÍTULO 3 PROTOCOLO DE KIOTO

CAPÍTULO 3 PROTOCOLO DE KIOTO CAPÍTULO 3 PROTOCOLO DE KIOTO Medidas estão sendo tomadas... Serão suficientes? Estaremos, nós, seres pensantes, usando nossa casa, com consciência? O Protocolo de Kioto é um acordo internacional, proposto

Leia mais

A EMPRESA. Criando um futuro com a iluminação OSRAM

A EMPRESA. Criando um futuro com a iluminação OSRAM A EMPRESA Criando um futuro com a iluminação OSRAM A EMPRESA O mercado de iluminação está passando por um período de transformações tecnológicas, com os LEDs e os OLEDs, apresentando novas possibilidades

Leia mais

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio Plano de Negócios Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa Modelo de Planejamento prévio Fraiburgo, 2015 Plano de Negócios Um plano de negócios é uma descrição do negócio

Leia mais

Compreendendo a dimensão de seu negócio digital

Compreendendo a dimensão de seu negócio digital Compreendendo a dimensão de seu negócio digital Copyright 2015 por Paulo Gomes Publicado originalmente por TBI All New, São Luís MA, Brasil. Editora responsável: TBI All New Capa: TBIAllNew Todos os direitos

Leia mais

TV por Assinatura. Telefonia Fixa. Banda Larga. Respeito

TV por Assinatura. Telefonia Fixa. Banda Larga. Respeito Banda Larga TV por Assinatura Telefonia Fixa Respeito APIMEC RIO Rio de Janeiro, 22 de Novembro de 2013 A GVT é uma empresa autorizada pela Anatel a prestar serviços em todo o país A GVT tem licença STFC

Leia mais

Unidade II RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS

Unidade II RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS Unidade II 2 TENDÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS 2.1 Gestão de compras 1 A gestão de compras assume papel estratégico na Era da competição global, devido ao volume de recursos envolvidos no processo,

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

SAP Customer Success Story Turismo Hotel Urbano. Hotel Urbano automatiza controle financeiro e internaliza contabilidade com SAP Business One

SAP Customer Success Story Turismo Hotel Urbano. Hotel Urbano automatiza controle financeiro e internaliza contabilidade com SAP Business One Hotel Urbano automatiza controle financeiro e internaliza contabilidade com SAP Business One Geral Executiva Nome da Hotel Urbano Indústria Turismo Produtos e Serviços Comercialização online de pacotes

Leia mais

2015 Manual de Parceiro de Varejo. Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos.

2015 Manual de Parceiro de Varejo. Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos. 2015 Manual de Parceiro de Varejo Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos. Prêmios reais, a partir de agora Bem-vindo ao Intel Technology Provider O Intel Technology Provider é um programa

Leia mais

DIMETRA IP Compact. uma solução TETRA completa e compacta

DIMETRA IP Compact. uma solução TETRA completa e compacta DIMETRA IP Compact uma solução TETRA completa e compacta MOTOROLA - SEU PARCEIRO DE TECNOLOGIA CONFIÁVEL E ATUANTE Uma herança que dá orgulho As soluções TETRA da Motorola alavancam mais de 75 anos de

Leia mais