Roteiro de Aula Prática 3º ano Prática 16 Alterações Cromossômicas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Roteiro de Aula Prática 3º ano Prática 16 Alterações Cromossômicas"

Transcrição

1 Roteiro de Aula Prática 3º ano Prática 16 Alterações Cromossômicas Pergunta: Os cromossomos ou o conjunto deles podem ser alterados? Como isso acontece e quais são as consequências? Objetivos: Diferenciar alterações numéricas de alterações estruturais cromossomiais e analisar os casos mais comuns de anomalias numéricas em humanos. I) Introdução Existem dois tipos de aberrações cromossômicas: as estruturais (perda de pedaços ou inversões dos cromossomos) e as numéricas (falta ou excesso de cromossomos nas células). As aberrações cromossômicas numéricas incluem os casos em que há aumento ou diminuição do número do cariótipo normal da espécie humana, enquanto as aberrações cromossômicas estruturais incluem os casos em que um ou mais cromossomos apresentam alterações de sua estrutura. As numéricas são classificadas em dois grandes grupos: Euploidias São alterações que se referem ao conteúdo genômico total do indivíduo, ou seja, todos os seus cromossomos são duplicados (diploidia condição normal) ou todos são triplicados (triploidia) e assim por diante. Aneuploidias Há um aumento ou diminuição de um ou mais pares de cromossomos, mas não de todos, como por exemplo: -Trissomia (três cromossomos homólogos, sendo que o normal é possuir apenas dois); -Monossomia (presença de apenas um cromossomo, não acompanhado de seu homólogo). Já as alterações estruturais ocorrem por modificações no tamanho do cromossomo ou na seqüência dos genes ao longo do filamento. Suponhamos que haja uma ruptura em determinado trecho de um cromossomo e que um pedaço desse cromossomo se solte. Se, depois disso, ele sofrer uma ressoldagem, em posição invertida, ocorrerá uma inversão na sequência de genes. Se o pedaço se deslocar, fixando-se em outro cromossomo homólogo, isto é, que contém genes para as mesmas características, o cromossomo original apresentará uma deleção, enquanto que aquele que recebeu o novo pedaço apresentará uma duplicação na sequência de seus genes. No caso da ligação desse pedaço a um cromossomo não homólogo, ou seja, com diferente sequência gênica, dizemos que houve uma translocação.

2 Um caso de deleção na espécie humana é a falta de um segmento do cromossomo 5 em crianças com má-formação na face e defeitos na laringe (além de deficiência neuromotora e mental). Devido a tal defeito, o choro dessas crianças assemelha-se ao miado de gato, vindo daí o nome de Síndrome do Miado do Gato. II) Materiais Prática 1: base de isopor, canudinhos coloridos, tachinhas e círculos de cartolina. Prática 2: massa de modelar de diferentes cores. Prática 3: computador e apresentação audiovisual. III) Procedimentos Prática 1: 1- Pedir aos alunos que façam duplas. 2- Entregar a cada dupla: 1 base de isopor + canudinhos de cores diferentes + círculos de cartolina. 3- Com o material em mãos, cada dupla deverá montar, na base do isopor, a representação do processo de não-disjunção dos cromossomos na 1ª e na 2ª divisão da meiose, representando as alterações cromossômicas numéricas (figura 1). Cada círculo de cartolina representa uma célula. 4- Representar o cruzamento dos gametas anormais com gametas normais. Pedir para os alunos mostrarem qual tipo de aberração numérica aconteceu em cada indivíduo formado. Figura 1: Alterações cromossômicas numéricas Prática 2: Representação dos cromossomos em massa de modelar. 1- Cada aluno deverá representar os tipos de alterações estruturais descritas na introdução. Moldando o formato de um cromossomo, a massinha de uma só cor representa os cromossomos sem alteração. Juntando com pedaços de massinha de outras cores ou perdendo seus pedaços, serão representados cromossomos estruturalmente alterados.

3 Prática 3: Apresentação em Power Point. 1- Utilizando recursos audiovisuais apresentar fotos dos casos mais comuns de alterações numéricas cromossômicas em humanos, identificando os principais sintomas, onde/como ocorreu o erro genético e a representação do cariótipo. - Síndrome de Down Principais sintomas: língua protusa (para fora da boca), altura abaixo da média, orelhas com implantação baixa, pescoço grosso e adiposo, mãos curtas e largas e olhos oblíquos com uma prega cutânea na pálpebra superior (semelhante a olhos orientais mongolismo) Erro genético: Trissomia do cromossomo 21 células com 3 cromossomos do tipo 21. Cariótipo: 47, XY, +21 (se for homem), 47, XX, +21 (se for mulher). Frequência: a probabilidade chega a 3% quando a mãe possui mais de 45 anos. - Síndrome de Klinefelter Principais sintomas: esterilidade (pouca ou nenhuma produção de espermatozóides), ginecomastia, testículos e características sexuais secundárias pouco desenvolvidas, estatura alta e inteligência abaixo da média. Erro genético: homens com cromossomo X adicional. Cariótipo: 47, XXY. Frequência: um em mil meninos. - Síndrome de Turner Principais sintomas: baixa estatura, órgãos sexuais e caracteres sexuais pouco desenvolvidos, tórax largo em barril, pescoço alado, má formação das orelhas e quase sempre estéril. Erro genético: monossomia do cromossomo X células sem cromatina sexual. Cariótipo: 45, X. Frequência: uma em 5 mil meninas. - Síndrome do poli-x Principais sintomas: inteligência abaixo da média, dificuldade de aprendizagem. As mulheres com 3 cromossomos X têm aspecto normal e altura em geral acima da média. Podem ter fertilidade reduzida. Erro genético: mulheres com cromossomos X extras. Cariótipo: 47, XXX (mais comum); 48, XXXX; 49, XXXXX; etc. Frequência: um em mil nascimentos. - Homens XYY Principais sintomas: estatura acima da média. Suspeita de maior agressividade devido ao elevado nível de testosterona. Erro genético: homens com um cromossomo Y extra.

4 Cariótipo: 47, XYY. Frequência: um em mil homens. IV) Para pensar 1- (PUC-RJ) Na espécie humana, se um óvulo normal for fecundado por um espermatozóide portador de 24 cromossomos, será originado um indivíduo: a) 2n = 46, normal b) 2n = 47, trissômico (resposta certa) c) 2n = 47, triplóide d) 2n = 48, tetrassômico e) 2n = 48, triplóide 2- (UFMT) Quanto às mutações cromossômicas, leia as afirmações abaixo: I As mutações numéricas podem ser classificadas em dois tipos: euploidias e aneuploidias. II Euploidia é quando ocorre perda ou acréscimo de um ou alguns cromossomos. Aneuploidia é quando ocorre perda ou acréscimo de genomas (formando-se células 3n, 4n, e assim por diante). III Euploidia é quando ocorre perda ou acréscimo de genomas. Aneuploidia é quando ocorre perda ou acréscimo de um ou alguns cromossomos. IV A síndrome de Down e a síndrome de Turner são alguns exemplos de aneuploidias. Estão corretas: a) I e II, apenas b) I e III, apenas c) I, II e IV, apenas d) I, III e IV, apenas (resposta certa) e) III e IV, apenas 3- (Unicamp SP) Considere as duas fases da meiose, de um organismo com 2n=6 cromossomos esquematizadas a seguir e responda:

5 a) Que fases estão representadas na figura A e na B? Justifique. A-Anáfase I e B- Anáfase II b) Que tipo de alteração aparece em uma das figuras? Em relação aos cromossomos, como serão as células resultantes de um processo de divisão com essa alteração? Na figura B ocorreu uma não disjunção das cromátides irmãs, indo duas cromátides para o mesmo lado. Essa não disjunção forma um gameta sem um cromossomo e outro com um cromossomo a mais do que os gametas normais. c) Dê um exemplo de anomalia que seja causada por este tipo de alteração na espécie humana, cujo número normal de cromossomos é 2n=46. Síndrome de Down, que é uma trissomia do cromossomo (Unicamp SP) No cariótipo humano abaixo existe uma dada alteração cromossômica. Identifique-a e explique um mecanismo que poderia levar à sua formação, citando três características clínicas decorrentes dessa alteração. Trissomia do cromossomo 21, que causa a Síndrome de Down. Essa alteração pode ser causada pela não disjunção dos cromossomos homólogos na anáfese I ou não disjunção das cromátides irmãs na anáfase II, formando gametas com um cromossomo a mais. Três características clínicas são: língua protusa (para fora da boca), altura abaixo da média e orelhas com implantação baixa. V) Referência -LOPES S. Bio: volume único. Editora Saraiva,1ª ed. São Paulo, 2004.

O NÚCLEO E OS CROMOSSOMOS. Maximiliano Mendes - 2015 http://www.youtube.com/maxaug http://maxaug.blogspot.com

O NÚCLEO E OS CROMOSSOMOS. Maximiliano Mendes - 2015 http://www.youtube.com/maxaug http://maxaug.blogspot.com O NÚCLEO E OS CROMOSSOMOS Maximiliano Mendes - 2015 http://www.youtube.com/maxaug http://maxaug.blogspot.com O NÚCLEO Estrutura presente apenas nas células eucariontes, onde se encontra o DNA genômico

Leia mais

As Mutações. Aumento da biodiversidade

As Mutações. Aumento da biodiversidade As Mutações Aumento da biodiversidade Mutações As mutações são espontâneas e podem ser silenciosas, ou seja, não alterar a proteína ou sua ação. Podem ainda ser letais, quando provocam a morte, ou ainda

Leia mais

Síndromes cromossômicas. Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte.

Síndromes cromossômicas. Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte. Síndromes cromossômicas Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte. Introdução: As anomalias cromossômicas sexuais ocorrem em virtude de meioses atípicas, durante a produção de gametas (espermatozoide e óvulo).

Leia mais

46,XY 46,XX CROMOSSOMOS HUMANOS. 23 pares. Autossomos: 22 pares Cromossomos Sexuais: 1 par. Cada Espécie: Constituição Cromossômica Específica

46,XY 46,XX CROMOSSOMOS HUMANOS. 23 pares. Autossomos: 22 pares Cromossomos Sexuais: 1 par. Cada Espécie: Constituição Cromossômica Específica CROMOSSOMOS HUMANOS 3 pares Autossomos: pares Cromossomos Sexuais: par ( pares a ) ( par XY ) 46,XX 46,XY Cada Espécie: Constituição Cromossômica Específica Número Forma Tamanho Natureza da informação

Leia mais

Exercícios de Anomalias Cromossômicas

Exercícios de Anomalias Cromossômicas Exercícios de Anomalias Cromossômicas 1. Responda esta questão com base na figura abaixo. Nela, A representa uma célula com 2n cromossomos. Os esquemas B e C representam, respectivamente: a) Monossomia

Leia mais

Divisão Celular: Mitose e Meiose

Divisão Celular: Mitose e Meiose 1) Conceitos Prévios Cromossomo: Estrutura que contém uma longa molécula de DNA associada a proteínas histonas, visível ao microscópio óptico em células metafásicas. Cromossomo Condensação Proteína histona

Leia mais

Gametogênese e Aberrações cromossômicas. Profº MSc. Leandro Felício

Gametogênese e Aberrações cromossômicas. Profº MSc. Leandro Felício Gametogênese e Aberrações cromossômicas Profº MSc. Leandro Felício Gametogênese (espermatogênese) EPIDÍDIMO (armazena espermatozóides ) (em corte transversal) Ampliação de um TESTÍCULO Túbulo seminífero

Leia mais

O NÚCLEO CELULAR Descoberto em 1833 pelo pesquisador escocês Robert Brown.

O NÚCLEO CELULAR Descoberto em 1833 pelo pesquisador escocês Robert Brown. O NÚCLEO CELULAR Descoberto em 1833 pelo pesquisador escocês Robert Brown. Ocorrência- células eucariontes; Características - contém o DNA da célula. Funções básicas: regular as reações químicas que ocorrem

Leia mais

Sobre a alteração cromossômica referida no texto, afirma-se que:

Sobre a alteração cromossômica referida no texto, afirma-se que: 01 - (UEPA) Pela primeira vez, cientistas conseguiram identificar uma maneira de neutralizar a alteração genética responsável pela Síndrome de Down. Em um estudo feito com células de cultura, pesquisadores

Leia mais

Assista aos vídeos e descreva os processos que ocorrem durante a meiose

Assista aos vídeos e descreva os processos que ocorrem durante a meiose http://4.bp.blogspot.com/-bl7zu4klob4/udtgfm6ygvi/aaaaaaaaamk/yomlckp4xrm/s1600/slide2.png 1 http://4.bp.blogspot.com/-bl7zu4klob4/udtgfm6ygvi/aaaaaaaaamk/yomlckp4xrm/s1600/slide2.png 2 Possibilita a reprodução

Leia mais

Unidade IV Ser Humano e Saúde. Aula 15.1 Conteúdo: Mutações gênicas e cromossômicas.

Unidade IV Ser Humano e Saúde. Aula 15.1 Conteúdo: Mutações gênicas e cromossômicas. Unidade IV Ser Humano e Saúde. Aula 15.1 Conteúdo: Mutações gênicas e cromossômicas. 2 Habilidade: Conceituar mutações gênicas e cromossômicas, compreendendo como podem influenciar nossas vidas. 3 REVISÃO

Leia mais

Mutações e Aberrações Cromossômicas

Mutações e Aberrações Cromossômicas Mutações e Aberrações Cromossômicas Aula 32, 33 e 34 Aspectos Conceituais e Rotas Metabólicas Prof. Antonio Márcio Teodoro Cordeiro Silva, M.Sc. Mutação Mutações são modificações casuais do material genético,

Leia mais

A presentamos, a seguir, a descrição dos

A presentamos, a seguir, a descrição dos PROPOSTAS PARA DESENVOLVER EM SALA DE AULA NÚMERO 5 JULHO DE 1997 EDITORA MODERNA ANALISANDO CARIÓTIPOS HUMANOS ABERRANTES J. M. Amabis* * e G. R. Martho Este folheto complementa e amplia as atividades

Leia mais

Escola Estadual Dr. Pedro Afonso de Medeiros

Escola Estadual Dr. Pedro Afonso de Medeiros Escola Estadual Dr. Pedro Afonso de Medeiros Professora Amara Maria Pedrosa Silva Aluno(a) nº: Aluno(a) nº: Aluno(a) nº: Série: 3ª Curso Turma: Data: / / Trabalho de Biologia 2ª Unidade QUESTÃO 001 (UFMS)

Leia mais

Unidade 7. Reprodução e hereditariedade

Unidade 7. Reprodução e hereditariedade Unidade 7 Reprodução e hereditariedade O ESTUDO DA HEREDITARIEDADE Teoria da pré-formação ou Progênese: dentro de cada semente (gameta) existiam miniaturas de seres humanos, chamados homúnculos. Gregor

Leia mais

HERANÇA E SEXO. Professora Msc Flávia Martins Agosto 2011

HERANÇA E SEXO. Professora Msc Flávia Martins Agosto 2011 HERANÇA E SEXO Professora Msc Flávia Martins Agosto 2011 1.Determinação cromossômica do sexo A característica mais fundamental da vida é a reprodução (sexuada e assexuada) Produção de gametas (óvulo e

Leia mais

ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS ESTRUURAIS E NUMÉRICAS. Bruna Lima Barbosa

ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS ESTRUURAIS E NUMÉRICAS. Bruna Lima Barbosa ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS ESTRUURAIS E NUMÉRICAS Bruna Lima Barbosa INTRODUÇÃO Os cromossomos podem variar: Tamanho; Posição do centrômero; Quantidade de DNA; Heterocromatina; Número ou posição de bandas

Leia mais

Mutação e Engenharia Genética

Mutação e Engenharia Genética Mutação e Engenharia Genética Aula Genética - 3º. Ano Ensino Médio - Biologia Prof a. Juliana Fabris Lima Garcia Mutações erros não programados que ocorrem durante o processo de autoduplicação do DNA e

Leia mais

São alterações ou modificações súbitas em genes ou cromossomas, podendo acarretar variação hereditária.

São alterações ou modificações súbitas em genes ou cromossomas, podendo acarretar variação hereditária. MUTAÇÕES Mutações São alterações ou modificações súbitas em genes ou cromossomas, podendo acarretar variação hereditária. As mutações podem ser génicas quando alteram a estrutura do DNA ou cromossómicas

Leia mais

Matéria: Biologia Assunto: Moléculas, células e tecidos - Código genético Prof. Enrico Blota

Matéria: Biologia Assunto: Moléculas, células e tecidos - Código genético Prof. Enrico Blota Matéria: Biologia Assunto: Moléculas, células e tecidos - Código genético Prof. Enrico Blota Biologia Moléculas, células e tecidos - Código Genético O núcleo é de fundamental importância para grande parte

Leia mais

Biologia. Mutações e Aconselhamento Genético. Professor Enrico Blota.

Biologia. Mutações e Aconselhamento Genético. Professor Enrico Blota. Biologia Mutações e Aconselhamento Genético Professor Enrico Blota www.acasadoconcurseiro.com.br Biologia MUTAÇÕES Mutação é uma mudança ou alteração no conteúdo genético de uma célula ou de um ser vivo.

Leia mais

GOIÂNIA, / / 2015. PROFESSOR: FreD. ALUNO(a): Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

GOIÂNIA, / / 2015. PROFESSOR: FreD. ALUNO(a): Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: FreD DISCIPLINA: Biologia SÉRIE: 1º ALUNO(a): Lista de Exercícios No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

Leia mais

Cromossomos e Divisão Celular

Cromossomos e Divisão Celular Cromossomos e Divisão Celular Genética Tema: o Cromossomos o Divisão celular: Mitose Meiose Cromossomos 1) Conceitos Prévios Cromossomo: Estrutura que contém uma longa molécula de DNA associada a proteínas

Leia mais

Mutações Cromossômicas Estruturais

Mutações Cromossômicas Estruturais Genética Básica Mutações Cromossômicas Estruturais Aline Intorne Definição: Mudança substancial na estrutura do cromossomo, possivelmente, afetando mais do que um único gene. Segmentos de cromossomos podem

Leia mais

Módulo Núcleo. 2) O esquema a seguir apresenta um experimento realizado com uma alga unicelular.

Módulo Núcleo. 2) O esquema a seguir apresenta um experimento realizado com uma alga unicelular. Módulo Núcleo Exercícios de Aula 1) O envelope nuclear encerra o DNA e define o compartimento nuclear. Assinale a afirmativa INCORRETA sobre o envelope nuclear. a) É formado por duas membranas concêntricas

Leia mais

DOMESTICAÇÃO DE ESPÉCIES CULTIVADAS. Prof. Olayr Modesto Jr.

DOMESTICAÇÃO DE ESPÉCIES CULTIVADAS. Prof. Olayr Modesto Jr. DOMESTICAÇÃO DE ESPÉCIES CULTIVADAS Prof. Olayr Modesto Jr. INTRODUÇÃO A domesticação é um processo evolucionário conduzido pelo homem visando adaptar plantas e animais às necessidades humanas. Plantas

Leia mais

Núcleo Interfásico. Prof. Leandro

Núcleo Interfásico. Prof. Leandro Núcleo Interfásico Prof. Leandro Introdução Intérfase = período em que a célula c não se encontra em divisão (intenso metabolismo). Núcleo = compartimento de células c eucarióticas, delimitado por carioteca,

Leia mais

A FAMÍLIA SILVA E SEUS GENES. Os filhos são diferentes, mas todos são Silva. Saiba como! ALBINO PIGMENTADO PROCEDIMENTO

A FAMÍLIA SILVA E SEUS GENES. Os filhos são diferentes, mas todos são Silva. Saiba como! ALBINO PIGMENTADO PROCEDIMENTO A FAMÍLIA SILVA E SEUS GENES Os filhos são diferentes, mas todos são Silva. Saiba como! ALBINO PIGMENTADO PROCEDIMENTO PROCEDIMENTO PARTE 1 Determinação dos genótipos dos pais 1.1. Observar a aparência

Leia mais

Entendendo a herança genética. Capítulo 5 CSA 2015

Entendendo a herança genética. Capítulo 5 CSA 2015 Entendendo a herança genética Capítulo 5 CSA 2015 Como explicar as semelhanças entre gerações diferentes? Pai e filha Avó e neta Pai e filho Avó, mãe e filha Histórico Acreditava na produção, por todas

Leia mais

16.02. A recombinação genética ocorre em todos os pares de cromossomos das células humanas que estão em meiose.

16.02. A recombinação genética ocorre em todos os pares de cromossomos das células humanas que estão em meiose. BIO 6E aula 16 16.01. A pleiotropia ocorre quando um gene influencia mais de uma característica. Em genes que estão localizados no mesmo par de cromossomos porém distante um do outro, a maioria dos gametas

Leia mais

3º trimestre- LISTA DE EXERCICIOS - Biologia - CESINHA Ensino Médio 1º ano classe: Prof. Cesinha Nome: nº

3º trimestre- LISTA DE EXERCICIOS - Biologia - CESINHA Ensino Médio 1º ano classe: Prof. Cesinha Nome: nº . 3º trimestre- LISTA DE EXERCICIOS - Biologia - CESINHA Ensino Médio 1º ano classe: Prof. Cesinha Nome: nº Valor: 10 Nota:. 1. (Uel 2015) Leia o texto a seguir. Quando se fala em divisão celular, não

Leia mais

O albinismo é uma doença metabólica hereditária, resultado de disfunção gênica na produção de melanina. Para que a doença se manifeste é necessário

O albinismo é uma doença metabólica hereditária, resultado de disfunção gênica na produção de melanina. Para que a doença se manifeste é necessário O albinismo é uma doença metabólica hereditária, resultado de disfunção gênica na produção de melanina. Para que a doença se manifeste é necessário que a mutação esteja em homozigose (doença autossômica

Leia mais

Fundamentos da Evolução

Fundamentos da Evolução Fundamentos da Evolução UNIDADE VIII EVOLUÇÃO CAPÍTULO 24 Aula 02 Teorias evolucionistas Teoria Sintética Fatores evolutivos TEORIA SINTÉTICA DA EVOLUÇÃO Neodarwinismo Século XX Combina seleção natural

Leia mais

-A meiose é um dos processos evolutivamente mais importantes para a diversificação dos seres vivos

-A meiose é um dos processos evolutivamente mais importantes para a diversificação dos seres vivos -A meiose é um dos processos evolutivamente mais importantes para a diversificação dos seres vivos - Sem a meiose não seria possível o surgimento da fecundação sem a duplicação do número de cromossomos

Leia mais

Um estudante de 23 anos, doador de sangue tipo universal, é moreno, tem estatura mediana e pesa 85 kg. Todas as alternativas apresentam

Um estudante de 23 anos, doador de sangue tipo universal, é moreno, tem estatura mediana e pesa 85 kg. Todas as alternativas apresentam Um estudante de 23 anos, doador de sangue tipo universal, é moreno, tem estatura mediana e pesa 85 kg. Todas as alternativas apresentam características hereditárias desse estudante que são influenciadas

Leia mais

CRITÉRIOS E PROPOSTA DE CORRECÇÃO DE PROVA ESCRITA DE AVALIAÇÃO SUMATIVA DE BIOLOGIA

CRITÉRIOS E PROPOSTA DE CORRECÇÃO DE PROVA ESCRITA DE AVALIAÇÃO SUMATIVA DE BIOLOGIA CRITÉRIOS E PROPOSTA DE CORRECÇÃO DE PROVA ESCRITA DE AVALIAÇÃO SUMATIVA DE BIOLOGIA Ano Lectivo: 2006/2007 CRITÉRIOS GERAIS DE CLASSIFICAÇÃO DO TESTE SUMATIVO Todas as respostas deverão ser perfeitamente

Leia mais

Biologia: Genética e Mendel

Biologia: Genética e Mendel Biologia: Genética e Mendel Questão 1 A complexa organização social das formigas pode ser explicada pelas relações de parentesco genético entre os indivíduos da colônia. É geneticamente mais vantajoso

Leia mais

Exercícios de Biologia Cromossomos e Anomalias

Exercícios de Biologia Cromossomos e Anomalias Exercícios de Biologia Cromossomos e Anomalias 1) (Unicamp-2008) A síndrome de Down, também chamada trissomia do cromossomo 21, afeta cerca de 0,2 % dos recém-nascidos. A síndrome é causada pela presença

Leia mais

Áudio. GUIA DO PROFESSOR Síndrome de Down - Parte I

Áudio. GUIA DO PROFESSOR Síndrome de Down - Parte I Síndrome de Down - Parte I Conteúdos: Tempo: Síndrome de Down 5 minutos Objetivos: Auxiliar o aluno na compreensão do que é síndrome de Down Descrição: Produções Relacionadas: Neste programa de Biologia

Leia mais

Mecanismos de Herança

Mecanismos de Herança Mecanismos de Herança Andréa Trevas Maciel Guerra Depto. De Genética Médica FCM - UNICAMP Mecanismo de Herança Conceitos básicos Herança Monogênica Herança mitocondrial Imprinting Autossomos (1 a 22) Autossomos

Leia mais

Aberrações Cromossômicas

Aberrações Cromossômicas Aberrações Cromossômicas adsense1 As aberrações cromossômicas podem ser numéricas ou estruturais e envolver um ou mais autossomos, cromossomos sexuais ou ambos. As aberrações cromossômicas numéricas incluem

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 36 MUTAÇÕES: GENÉTICAS E CROMOSSÔMICAS

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 36 MUTAÇÕES: GENÉTICAS E CROMOSSÔMICAS BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 36 MUTAÇÕES: GENÉTICAS E CROMOSSÔMICAS fita simples do gene da ß-globina normal GTGCACCTGACTCCRGAGGAG --- GTGCACCTGACTCCRGTGGAG --- fita simples do gene da ß-globina mutante única

Leia mais

GENÉTICA DO SEXO - PROFESSOR IVO

GENÉTICA DO SEXO - PROFESSOR IVO GENÉTICA DO SEXO - PROFESSOR IVO 1) FUVEST - O heredograma abaixo mostra homens afetados por uma doença causada por um gene mutado que está localizado no cromossomo X. Considere as afirmações: I. Os indivíduos

Leia mais

03. Em fevereiro deste ano, um grupo de pesquisadores divulgou ao mundo a ovelha Dolly, obtido por meio da técnica de clonagem.

03. Em fevereiro deste ano, um grupo de pesquisadores divulgou ao mundo a ovelha Dolly, obtido por meio da técnica de clonagem. 01. Clones são seres vivos obtidos pelo desenvolvimento de células retiradas de indivíduos já existentes. A clonagem é um processo que vem sendo desenvolvido rapidamente com vários organismos e, em humanos,

Leia mais

Mutações FICHA INFORMATIVA Nº10: MUTAÇÕES O QUE SÃO?

Mutações FICHA INFORMATIVA Nº10: MUTAÇÕES O QUE SÃO? Mutações O QUE SÃO? As mutações são alterações no material genético, que podem ocorrer naturalmente no percurso da síntese proteica mutações espontâneas ou por acção de agentes externos (agentes mutagénicos)

Leia mais

Entendendo a herança genética (capítulo 5) Ana Paula Souto 2012

Entendendo a herança genética (capítulo 5) Ana Paula Souto 2012 Entendendo a herança genética (capítulo 5) Ana Paula Souto 2012 CÂNCER 1) O que é? 2) Como surge? CÂNCER 1) O que é? É o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado

Leia mais

transmissão os fundamentos da hereditariedade da vida ética e EXPERIMENTO manipulação gênica Montagem de cariótipo Aula 2

transmissão os fundamentos da hereditariedade da vida ética e EXPERIMENTO manipulação gênica Montagem de cariótipo Aula 2 transmissão da vida ética e manipulação gênica os fundamentos da hereditariedade EXPERIMENTO Montagem de cariótipo Aula 2 Versão: novembro 11, 2010 4:06 PM 1. Resumo A atividade aqui proposta poderá ser

Leia mais

Anomalias hereditárias

Anomalias hereditárias Cap. 27 As anomalias hereditárias podem ser decorrentes de alterações cromossômicas Sistema de Ensino CNEC Equipe de Biologia Anomalias hereditárias Alterações transmitidas ao longo das gerações através

Leia mais

Gametogênese e Aberrações cromossômicas. Profº Dr. Leandro Felício

Gametogênese e Aberrações cromossômicas. Profº Dr. Leandro Felício Gametogênese e Aberrações cromossômicas Profº Dr. Leandro Felício Gametogênese (espermatogênese) EPIDÍDIMO (armazena espermatozoides) (em corte transversal) Ampliação de um TESTÍCULO Túbulo seminífero

Leia mais

Exercícios de Biologia Cromossomos e Anomalias

Exercícios de Biologia Cromossomos e Anomalias Exercícios de Biologia Cromossomos e Anomalias 1) (Unicamp-2008) A síndrome de Down, também chamada trissomia do cromossomo 21, afeta cerca de 0,2 % dos recém-nascidos. A síndrome é causada pela presença

Leia mais

A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA...

A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA... Atividade extra Fascículo 4 Biologia Unidade 9 Questão 1 A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA. O processo de divisão celular é composto por cinco etapas:

Leia mais

o hemofílico. Meu filho também será?

o hemofílico. Meu filho também será? A U A UL LA Sou hemofílico. Meu filho também será? Nas aulas anteriores, você estudou alguns casos de herança genética, tanto no homem quanto em outros animais. Nesta aula, analisaremos a herança da hemofilia.

Leia mais

Determinação e Herança do Sexo

Determinação e Herança do Sexo Determinação e Herança do Sexo Cromossomos Sexuais Embora diferenças anatomicas e fisiológicas entre homens e mulheres são numerosas, a base cromossômica do sexo é simples. Nos humanos e em outros animais

Leia mais

Núcleo Celular. Biomedicina primeiro semestre de 2012 Profa. Luciana Fontanari Krause

Núcleo Celular. Biomedicina primeiro semestre de 2012 Profa. Luciana Fontanari Krause Núcleo Celular Biomedicina primeiro semestre de 2012 Profa. Luciana Fontanari Krause Núcleo Celular Eucarioto: núcleo delimitado por membrana nuclear (carioteca) Portador dos fatores hereditários e controlador

Leia mais

Fenótipo: Factores ambientais

Fenótipo: Factores ambientais MUTAÇÕES Fenótipo: Factores ambientais Genoma Mutações: são alterações ou modificações súbitas em genes ou cromossomas, podendo provocar uma variação hereditária ou uma mudança no fenótipo. Pode produzir

Leia mais

BATERIA DE EXERCÍCIOS 8º ANO

BATERIA DE EXERCÍCIOS 8º ANO Professor: CRISTINO RÊGO Disciplina: CIÊNCIAS Assunto: FUNDAMENTOS DE GENÉTICA Belém /PA BATERIA DE EXERCÍCIOS 8º ANO 1. (UFMG) Indique a proposição que completa, de forma correta, a afirmativa abaixo:

Leia mais

Divisão Celular: Mitose e Meiose. Profa. MSc. Monyke Lucena

Divisão Celular: Mitose e Meiose. Profa. MSc. Monyke Lucena Profa. MSc. Monyke Lucena 1) Conceitos Prévios Cromossomo: Estrutura que contém uma longa molécula de DNA associada a proteínas histonas, visível ao microscópio óptico em células metafásicas. Cromossomo

Leia mais

Disciplina: Ciências Professor (a): Sueli Costa Ano: 9º Turmas: 91 e 92

Disciplina: Ciências Professor (a): Sueli Costa Ano: 9º Turmas: 91 e 92 Rede de Educação Missionárias Servas do Espírito Santo Colégio Nossa Senhora da Piedade Av. Amaro Cavalcanti, 2591 Encantado Rio de Janeiro / RJ CEP: 20735042 Tel: 2594-5043 Fax: 2269-3409 E-mail: cnsp@terra.com.br

Leia mais

PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA

PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA Conceitos Genética / Genômica Doença genética Hereditariedade Congênito DNA / Gene / Locus / Alelo Homozigoto / Heterozigoto Cromossomos Autossomos Sexuais Dominante / Recessivo

Leia mais

Cromossomos eucarióticos

Cromossomos eucarióticos Cromossomos eucarióticos Cromossomos Eucarióticos Cromossomos eucariótico típico contém 1 a 20 cm de DNA Durante a metáfase da mitose e da meiose este DNA é embalado em um cromossomo com um tamanho de

Leia mais

SÍNDROME DE DOWN. Resumo:

SÍNDROME DE DOWN. Resumo: SÍNDROME DE DOWN * Karina Latorre Castro Damasceno *Márcia Chaves Cunha ** Carla Streit Resumo: A síndrome de Down é uma aneuploidia¹ mais comum em nativivos com uma incidência de aproximadamente 1 entre

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS CNII

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS CNII SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA CIÊNCIAS CNII Título do Podcast Área Segmento Duração Por que você se parece com sua avó? A genética vai ajudá-lo a entender como isso é possível! Ciências Ciências da Natureza

Leia mais

O alelo para a hemoglobina S (cadeia β ) é recessivo. Os indivíduos heterozigóticos (Hb A Hb S ), portadores, são resistentes à malária.

O alelo para a hemoglobina S (cadeia β ) é recessivo. Os indivíduos heterozigóticos (Hb A Hb S ), portadores, são resistentes à malária. Mutação O alelo para a hemoglobina S (cadeia β ) é recessivo. Os indivíduos heterozigóticos (Hb A Hb S ), portadores, são resistentes à malária. Introdução Agentes internos ou externos causam alterações

Leia mais

ANOMALIAS CROMOSSÔMICAS. Profa. Dra. Vanessa Silveira

ANOMALIAS CROMOSSÔMICAS. Profa. Dra. Vanessa Silveira ANOMALIAS CROMOSSÔMICAS Profa. Dra. Vanessa Silveira Citogenética q 1882 Walther Flemming q Kroma: cor Soma: corpo q 1956 Citogenética humana q Número de cromossomos humanos q 1959 Síndrome de Down q Estrutura

Leia mais

AS ANOMALIAS CROMOSSÔMICAS EM HUMANOS

AS ANOMALIAS CROMOSSÔMICAS EM HUMANOS AS ANOMALIAS CROMOSSÔMICAS EM HUMANOS Incidência global de anormalidades cromossômicas em recém-nascidos = 1 em 160 nascimentos. Frequência total de anormalidades cromossômicas em abortos espontâneos =

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 3D

CADERNO DE EXERCÍCIOS 3D CADERNO DE EXERCÍCIOS 3D Ensino Médio Ciências da Natureza II Questão Conteúdo Habilidade da Matriz da EJA/FB 1 Fórmula estrutural de compostos H25 e H26 orgânicos 2 Conceitos em Genética, Doenças H66/

Leia mais

PLANO DE AULA Autores: Ana Paula Farias Waltrick, Stephanie Caroline Schubert

PLANO DE AULA Autores: Ana Paula Farias Waltrick, Stephanie Caroline Schubert PLANO DE AULA Autores: Ana Paula Farias Waltrick, Stephanie Caroline Schubert 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Nível de Ensino: Ensino Médio Ano/Série: 3º ano Disciplina: Biologia Quantidade de aulas: 2 2. TEMA

Leia mais

MATERIAL DIDÁTICO-PEDAGÓGICO SÍNDROME DE DOWN-É NORMAL SER DIFERENTE

MATERIAL DIDÁTICO-PEDAGÓGICO SÍNDROME DE DOWN-É NORMAL SER DIFERENTE MATERIAL DIDÁTICO-PEDAGÓGICO SÍNDROME DE DOWN-É NORMAL SER DIFERENTE Professora PDE: Gisleine Adamis do Carmo Professor orientador: Dr. Wagner José Martins Paiva DISCIPLINA: CIÊNCIAS SECRETARIA DO ESTADO

Leia mais

Roteiro de aula prática 3º ano Prática 3 Primeira Lei de Mendel

Roteiro de aula prática 3º ano Prática 3 Primeira Lei de Mendel Roteiro de aula prática 3º ano Prática 3 Primeira Lei de Mendel Pergunta: Nós herdamos características dos nossos pais? Como isso acontece? Objetivos: Ensinar sobre as leis de transmissão de características

Leia mais

TD de revisão 8º Ano- 4ª etapa- 2015

TD de revisão 8º Ano- 4ª etapa- 2015 TD de revisão 8º Ano- 4ª etapa- 2015 1. Classifique os métodos anticoncepcionais abaixo, relacionando as colunas: (1) Natural ou comportamental (2) De Barreira (3) Hormonal (4)Cirúrgico ( ) Camisinha (M)

Leia mais

Mutações. Escola Secundária Quinta do Marquês. Disciplina: Biologia e Geologia Professor: António Gonçalves Ano letivo: 2013/2014

Mutações. Escola Secundária Quinta do Marquês. Disciplina: Biologia e Geologia Professor: António Gonçalves Ano letivo: 2013/2014 Escola Secundária Quinta do Marquês Mutações Disciplina: Biologia e Geologia Professor: António Gonçalves Ano letivo: 2013/2014 Trabalho realizado por: Bárbara Dória, nº4, 11ºB Definição de mutação As

Leia mais