46,XY 46,XX CROMOSSOMOS HUMANOS. 23 pares. Autossomos: 22 pares Cromossomos Sexuais: 1 par. Cada Espécie: Constituição Cromossômica Específica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "46,XY 46,XX CROMOSSOMOS HUMANOS. 23 pares. Autossomos: 22 pares Cromossomos Sexuais: 1 par. Cada Espécie: Constituição Cromossômica Específica"

Transcrição

1 CROMOSSOMOS HUMANOS 3 pares Autossomos: pares Cromossomos Sexuais: par ( pares a ) ( par XY ) 46,XX 46,XY Cada Espécie: Constituição Cromossômica Específica Número Forma Tamanho Natureza da informação genética CROMOSSOMO X p p = braço curto q q = braço longo 78 Banda Xq8

2 ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS Defeitos congênitos, perdas fetais, infertilidade Estimativa ao nascimento: 0,7% 959: Lejeune e col. Síndrome de Down = trissomia G AUTOSSOMOS CROMOSSOMOS SEXUAIS ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS NUMÉRICAS ESTRUTURAIS ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS NUMÉRICAS CAUSAS NÃO DISJUNÇÃO Não separação dos cromossomos homólogos ou das cromátides irmãs na divisão celular PERDA ANAFÁSICA Perda de um cromossomo durante a divisão celular UNIVERSAL (em todas as células) MOSAICO (presente não em todas as células) ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS NUMÉRICAS ANEUPLOIDIA: ou do nº de cromossomos de um par n - Monossomia 45,X = S. de Turner n + n +, n+3 Trissomia 47,XX,+ = S. de Down 47,XXY = S. de Klinefelter Tetrassomia, Pentassomia (cr.sexuais) EUPLOIDIA: alteraçã ção do nº diplóide de genomas (n) 3n - 3n/n 4n - 4n/n Triploidia Ex: : 69,XYY Tetraploidia Ex: : 9,XXXX/46,XX

3 ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS NUMÉRICAS NOMENCLATURA,, Nº de cromossomos Cr. Sexuais + Cr. Adicional Ex: : 45,X 47,XYY 47,XY,+8 MOSAICO Ex: (barra entre as linhagens celulares) 47,XY,+ / 46,XY [:8] 45,X / 46,XX [:8] ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS NUMÉRICAS Aneuploidias dos Autossomos Trissomia do - S. de Down Trissomia do 8 - S. de Edwards Trissomia do 3 - S. de Patau Retardo mental, Retardo do Crescimento e Múltiplas Anomalias Congênitas ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS NUMÉRICAS Aneuploidias dos Cromossomos Sexuais Síndrome de Turner - (45,X) Síndrome de Klinefelter- (47,XXY) Trissomia do X - (47,XXX) Síndrome 47,XYY

4 Aberração dos Autossomos X Sexuais Aneuploidia dos cromossomos sexuais: mais freqüente (0,% autossomos; 0,3% cromossomos sexuais) Mosaicismo: mais freqüente nas aneuploidias dos cromossomos sexuais Trissomias de autossomos: afetam mais o fenótipo Monossomia X, tetrassomia e pentassomia de cromossomos sexuais: Viáveis Aberração dos Autossomos X Sexuais Retardamento Mental: raro nas de cr. sexuais; freqüente nas trissomias de autossosmos Expectativa de vida: nas aberraçõ ções dos autossomos Estatura: em 47,XXY e 47,XYY Padrões Dismórficos: raros e não n o específicos nos crs. sexuais (exceto S.Turner Turner) Malformaçõ ções Maiores: mais raras nos cr. sexuais (exceto S.Turner - coartaçã ção o da aorta) Infertilidade: mais marcante nos cromossomos sexuais ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS ESTRUTURAIS quebras cromossômicas e reconstituição CAUSAS: anormal Não Balanceado Trissomias e Monossomias parciais Deleção Duplicação Isocromossomo Cromossomo Dicêntrico Balanceado (sem perda nem ganho de material) Inversão Translocação

5 ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS ESTRUTURAIS NOMENCLATURA,, Nº de cr. Cr. Sx. Tipo Alt. (Cr. Cr. ) (Banda Banda ) Ex: : 46,XX, del (5) (p4) 46,XY, t (4;) (p;p3) 46,XY,inv () (q3q) DELEÇÃO Perda de um segmento cromossômico Rearranjo cromossômico não equilibrado MONOSSOMIA PARCIAL RESULTA DE: Quebras casuais e perda do segmento acêntrico Crossing-over over desigual Segregação anormal de translocação equilibrada ou inversão DUPLICAÇÃO Presença de um segmento cromossômico extra Rearranjo cromossômico não equilibrado TRISSOMIA PARCIAL RESULTA DE: Crossing-over over desigual Segregação anormal de equilibrada translocação ou inversão

6 ISOCROMOSSOMO Cromossomo com um braço duplicado e o outro deletado Rearranjo cromossômico não equilibrado MONOSSOMIA DE UM BRAÇO CROMOSSÔMICO RESULTA DE: E TRISSOMIA DO OUTRO Erro na divisão do centrômero na meiose II Translocação entre cromátides irmãs de um mesmo cromossomo, próxima ao centrômero Cromossomos Dicêntricos Fusão de segmentos cromossômicos, extremidade a extremidade, cada um com um centrômero, com perda dos fragmentos acêntricos Tendência de se quebrar na anáfase INVERSÃO Resultado de duas quebras e ressoldagem invertida (80 o ) do segmento entre as quebras Rearranjo cromossômico equilibrado Pode resultar em prole não equilibrada INVERSÃO PERICÊNTRICA (envolve o centrômero) PARACÊNTRICA (não envolve o centrômero)

7 TRANSLOCAÇÃO Resultado de trocas de segmentos cromossômicos Rearranjo cromossômico equilibrado Pode resultar em prole não equilibrada T. RECÍPROCA (entre cr. não homólogos) PRINCIPAIS TIPOS T. ROBERTSONIANA OU FUSÃO CÊNTRICA ( envolve acrocêntricos)

ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS ESTRUURAIS E NUMÉRICAS. Bruna Lima Barbosa

ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS ESTRUURAIS E NUMÉRICAS. Bruna Lima Barbosa ALTERAÇÕES CROMOSSÔMICAS ESTRUURAIS E NUMÉRICAS Bruna Lima Barbosa INTRODUÇÃO Os cromossomos podem variar: Tamanho; Posição do centrômero; Quantidade de DNA; Heterocromatina; Número ou posição de bandas

Leia mais

Roteiro de Aula Prática 3º ano Prática 16 Alterações Cromossômicas

Roteiro de Aula Prática 3º ano Prática 16 Alterações Cromossômicas Roteiro de Aula Prática 3º ano Prática 16 Alterações Cromossômicas Pergunta: Os cromossomos ou o conjunto deles podem ser alterados? Como isso acontece e quais são as consequências? Objetivos: Diferenciar

Leia mais

As Mutações. Aumento da biodiversidade

As Mutações. Aumento da biodiversidade As Mutações Aumento da biodiversidade Mutações As mutações são espontâneas e podem ser silenciosas, ou seja, não alterar a proteína ou sua ação. Podem ainda ser letais, quando provocam a morte, ou ainda

Leia mais

O NÚCLEO E OS CROMOSSOMOS. Maximiliano Mendes - 2015 http://www.youtube.com/maxaug http://maxaug.blogspot.com

O NÚCLEO E OS CROMOSSOMOS. Maximiliano Mendes - 2015 http://www.youtube.com/maxaug http://maxaug.blogspot.com O NÚCLEO E OS CROMOSSOMOS Maximiliano Mendes - 2015 http://www.youtube.com/maxaug http://maxaug.blogspot.com O NÚCLEO Estrutura presente apenas nas células eucariontes, onde se encontra o DNA genômico

Leia mais

O NÚCLEO CELULAR Descoberto em 1833 pelo pesquisador escocês Robert Brown.

O NÚCLEO CELULAR Descoberto em 1833 pelo pesquisador escocês Robert Brown. O NÚCLEO CELULAR Descoberto em 1833 pelo pesquisador escocês Robert Brown. Ocorrência- células eucariontes; Características - contém o DNA da célula. Funções básicas: regular as reações químicas que ocorrem

Leia mais

Exercícios de Anomalias Cromossômicas

Exercícios de Anomalias Cromossômicas Exercícios de Anomalias Cromossômicas 1. Responda esta questão com base na figura abaixo. Nela, A representa uma célula com 2n cromossomos. Os esquemas B e C representam, respectivamente: a) Monossomia

Leia mais

Gametogênese e Aberrações cromossômicas. Profº MSc. Leandro Felício

Gametogênese e Aberrações cromossômicas. Profº MSc. Leandro Felício Gametogênese e Aberrações cromossômicas Profº MSc. Leandro Felício Gametogênese (espermatogênese) EPIDÍDIMO (armazena espermatozóides ) (em corte transversal) Ampliação de um TESTÍCULO Túbulo seminífero

Leia mais

Divisão Celular: Mitose e Meiose

Divisão Celular: Mitose e Meiose 1) Conceitos Prévios Cromossomo: Estrutura que contém uma longa molécula de DNA associada a proteínas histonas, visível ao microscópio óptico em células metafásicas. Cromossomo Condensação Proteína histona

Leia mais

Mutações e Aberrações Cromossômicas

Mutações e Aberrações Cromossômicas Mutações e Aberrações Cromossômicas Aula 32, 33 e 34 Aspectos Conceituais e Rotas Metabólicas Prof. Antonio Márcio Teodoro Cordeiro Silva, M.Sc. Mutação Mutações são modificações casuais do material genético,

Leia mais

Mutações Cromossômicas Estruturais

Mutações Cromossômicas Estruturais Genética Básica Mutações Cromossômicas Estruturais Aline Intorne Definição: Mudança substancial na estrutura do cromossomo, possivelmente, afetando mais do que um único gene. Segmentos de cromossomos podem

Leia mais

Assista aos vídeos e descreva os processos que ocorrem durante a meiose

Assista aos vídeos e descreva os processos que ocorrem durante a meiose http://4.bp.blogspot.com/-bl7zu4klob4/udtgfm6ygvi/aaaaaaaaamk/yomlckp4xrm/s1600/slide2.png 1 http://4.bp.blogspot.com/-bl7zu4klob4/udtgfm6ygvi/aaaaaaaaamk/yomlckp4xrm/s1600/slide2.png 2 Possibilita a reprodução

Leia mais

Aberrações Cromossômicas

Aberrações Cromossômicas Aberrações Cromossômicas adsense1 As aberrações cromossômicas podem ser numéricas ou estruturais e envolver um ou mais autossomos, cromossomos sexuais ou ambos. As aberrações cromossômicas numéricas incluem

Leia mais

PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA

PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA Conceitos Genética / Genômica Doença genética Hereditariedade Congênito DNA / Gene / Locus / Alelo Homozigoto / Heterozigoto Cromossomos Autossomos Sexuais Dominante / Recessivo

Leia mais

Escola Estadual Dr. Pedro Afonso de Medeiros

Escola Estadual Dr. Pedro Afonso de Medeiros Escola Estadual Dr. Pedro Afonso de Medeiros Professora Amara Maria Pedrosa Silva Aluno(a) nº: Aluno(a) nº: Aluno(a) nº: Série: 3ª Curso Turma: Data: / / Trabalho de Biologia 2ª Unidade QUESTÃO 001 (UFMS)

Leia mais

Síndromes cromossômicas. Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte.

Síndromes cromossômicas. Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte. Síndromes cromossômicas Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte. Introdução: As anomalias cromossômicas sexuais ocorrem em virtude de meioses atípicas, durante a produção de gametas (espermatozoide e óvulo).

Leia mais

São alterações ou modificações súbitas em genes ou cromossomas, podendo acarretar variação hereditária.

São alterações ou modificações súbitas em genes ou cromossomas, podendo acarretar variação hereditária. MUTAÇÕES Mutações São alterações ou modificações súbitas em genes ou cromossomas, podendo acarretar variação hereditária. As mutações podem ser génicas quando alteram a estrutura do DNA ou cromossómicas

Leia mais

A presentamos, a seguir, a descrição dos

A presentamos, a seguir, a descrição dos PROPOSTAS PARA DESENVOLVER EM SALA DE AULA NÚMERO 5 JULHO DE 1997 EDITORA MODERNA ANALISANDO CARIÓTIPOS HUMANOS ABERRANTES J. M. Amabis* * e G. R. Martho Este folheto complementa e amplia as atividades

Leia mais

Mutação e Engenharia Genética

Mutação e Engenharia Genética Mutação e Engenharia Genética Aula Genética - 3º. Ano Ensino Médio - Biologia Prof a. Juliana Fabris Lima Garcia Mutações erros não programados que ocorrem durante o processo de autoduplicação do DNA e

Leia mais

Sobre a alteração cromossômica referida no texto, afirma-se que:

Sobre a alteração cromossômica referida no texto, afirma-se que: 01 - (UEPA) Pela primeira vez, cientistas conseguiram identificar uma maneira de neutralizar a alteração genética responsável pela Síndrome de Down. Em um estudo feito com células de cultura, pesquisadores

Leia mais

Cromossomos e Divisão Celular

Cromossomos e Divisão Celular Cromossomos e Divisão Celular Genética Tema: o Cromossomos o Divisão celular: Mitose Meiose Cromossomos 1) Conceitos Prévios Cromossomo: Estrutura que contém uma longa molécula de DNA associada a proteínas

Leia mais

Unidade IV Ser Humano e Saúde. Aula 15.1 Conteúdo: Mutações gênicas e cromossômicas.

Unidade IV Ser Humano e Saúde. Aula 15.1 Conteúdo: Mutações gênicas e cromossômicas. Unidade IV Ser Humano e Saúde. Aula 15.1 Conteúdo: Mutações gênicas e cromossômicas. 2 Habilidade: Conceituar mutações gênicas e cromossômicas, compreendendo como podem influenciar nossas vidas. 3 REVISÃO

Leia mais

MATERIAL DIDÁTICO-PEDAGÓGICO SÍNDROME DE DOWN-É NORMAL SER DIFERENTE

MATERIAL DIDÁTICO-PEDAGÓGICO SÍNDROME DE DOWN-É NORMAL SER DIFERENTE MATERIAL DIDÁTICO-PEDAGÓGICO SÍNDROME DE DOWN-É NORMAL SER DIFERENTE Professora PDE: Gisleine Adamis do Carmo Professor orientador: Dr. Wagner José Martins Paiva DISCIPLINA: CIÊNCIAS SECRETARIA DO ESTADO

Leia mais

DOMESTICAÇÃO DE ESPÉCIES CULTIVADAS. Prof. Olayr Modesto Jr.

DOMESTICAÇÃO DE ESPÉCIES CULTIVADAS. Prof. Olayr Modesto Jr. DOMESTICAÇÃO DE ESPÉCIES CULTIVADAS Prof. Olayr Modesto Jr. INTRODUÇÃO A domesticação é um processo evolucionário conduzido pelo homem visando adaptar plantas e animais às necessidades humanas. Plantas

Leia mais

Matéria: Biologia Assunto: Moléculas, células e tecidos - Código genético Prof. Enrico Blota

Matéria: Biologia Assunto: Moléculas, células e tecidos - Código genético Prof. Enrico Blota Matéria: Biologia Assunto: Moléculas, células e tecidos - Código genético Prof. Enrico Blota Biologia Moléculas, células e tecidos - Código Genético O núcleo é de fundamental importância para grande parte

Leia mais

Alterações cromossômicas - Genética 2015/2

Alterações cromossômicas - Genética 2015/2 Conjunto de todas as informações sobre os cromossomos de uma espécie: número, tamanho, forma e tipos de cromossomos. Ser humano: 46 cromossomos. 23 pares. Mudança na estrutura dos cromossomos pode alterar

Leia mais

Fundamentos da Evolução

Fundamentos da Evolução Fundamentos da Evolução UNIDADE VIII EVOLUÇÃO CAPÍTULO 24 Aula 02 Teorias evolucionistas Teoria Sintética Fatores evolutivos TEORIA SINTÉTICA DA EVOLUÇÃO Neodarwinismo Século XX Combina seleção natural

Leia mais

Mutações FICHA INFORMATIVA Nº10: MUTAÇÕES O QUE SÃO?

Mutações FICHA INFORMATIVA Nº10: MUTAÇÕES O QUE SÃO? Mutações O QUE SÃO? As mutações são alterações no material genético, que podem ocorrer naturalmente no percurso da síntese proteica mutações espontâneas ou por acção de agentes externos (agentes mutagénicos)

Leia mais

O valor de testes pré-natais não invasivos (TPNI). Um suplemente ao livreto do Conselheiro Genético

O valor de testes pré-natais não invasivos (TPNI). Um suplemente ao livreto do Conselheiro Genético O valor de testes pré-natais não invasivos (TPNI). Um suplemente ao livreto do Conselheiro Genético TPNIs usam DNA livre de células. Amostra de sangue materno cfdna materno cfdna fetal TPNIs usam DNA livre

Leia mais

SÍNDROME DE DOWN - É NORMAL SER DIFERENTE

SÍNDROME DE DOWN - É NORMAL SER DIFERENTE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Superintendência da Educação Diretoria de Políticas e Programas Educacionais Programa de Desenvolvimento Educacional GISLEINE ADAMIS DO CARMO SÍNDROME DE DOWN - É NORMAL

Leia mais

ANOMALIAS CROMOSSÔMICAS. Profa. Dra. Vanessa Silveira

ANOMALIAS CROMOSSÔMICAS. Profa. Dra. Vanessa Silveira ANOMALIAS CROMOSSÔMICAS Profa. Dra. Vanessa Silveira Citogenética q 1882 Walther Flemming q Kroma: cor Soma: corpo q 1956 Citogenética humana q Número de cromossomos humanos q 1959 Síndrome de Down q Estrutura

Leia mais

Unidade 7. Reprodução e hereditariedade

Unidade 7. Reprodução e hereditariedade Unidade 7 Reprodução e hereditariedade O ESTUDO DA HEREDITARIEDADE Teoria da pré-formação ou Progênese: dentro de cada semente (gameta) existiam miniaturas de seres humanos, chamados homúnculos. Gregor

Leia mais

SÍNDROME DE DOWN. Resumo:

SÍNDROME DE DOWN. Resumo: SÍNDROME DE DOWN * Karina Latorre Castro Damasceno *Márcia Chaves Cunha ** Carla Streit Resumo: A síndrome de Down é uma aneuploidia¹ mais comum em nativivos com uma incidência de aproximadamente 1 entre

Leia mais

Biologia. Mutações e Aconselhamento Genético. Professor Enrico Blota.

Biologia. Mutações e Aconselhamento Genético. Professor Enrico Blota. Biologia Mutações e Aconselhamento Genético Professor Enrico Blota www.acasadoconcurseiro.com.br Biologia MUTAÇÕES Mutação é uma mudança ou alteração no conteúdo genético de uma célula ou de um ser vivo.

Leia mais

3º trimestre- LISTA DE EXERCICIOS - Biologia - CESINHA Ensino Médio 1º ano classe: Prof. Cesinha Nome: nº

3º trimestre- LISTA DE EXERCICIOS - Biologia - CESINHA Ensino Médio 1º ano classe: Prof. Cesinha Nome: nº . 3º trimestre- LISTA DE EXERCICIOS - Biologia - CESINHA Ensino Médio 1º ano classe: Prof. Cesinha Nome: nº Valor: 10 Nota:. 1. (Uel 2015) Leia o texto a seguir. Quando se fala em divisão celular, não

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 36 MUTAÇÕES: GENÉTICAS E CROMOSSÔMICAS

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 36 MUTAÇÕES: GENÉTICAS E CROMOSSÔMICAS BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 36 MUTAÇÕES: GENÉTICAS E CROMOSSÔMICAS fita simples do gene da ß-globina normal GTGCACCTGACTCCRGAGGAG --- GTGCACCTGACTCCRGTGGAG --- fita simples do gene da ß-globina mutante única

Leia mais

Núcleo Interfásico. Prof. Leandro

Núcleo Interfásico. Prof. Leandro Núcleo Interfásico Prof. Leandro Introdução Intérfase = período em que a célula c não se encontra em divisão (intenso metabolismo). Núcleo = compartimento de células c eucarióticas, delimitado por carioteca,

Leia mais

Cromossomos eucarióticos

Cromossomos eucarióticos Cromossomos eucarióticos Cromossomos Eucarióticos Cromossomos eucariótico típico contém 1 a 20 cm de DNA Durante a metáfase da mitose e da meiose este DNA é embalado em um cromossomo com um tamanho de

Leia mais

O núcleo celular é uma estrutura presente nas células eucarióticas, que contém o DNA da célula. denominado interfase (núcleo interfásico).

O núcleo celular é uma estrutura presente nas células eucarióticas, que contém o DNA da célula. denominado interfase (núcleo interfásico). NÚCLEO E DIVISÃO CELULAR NÚCLEO E DIVISÃO CELULAR O núcleo celular é uma estrutura presente nas células eucarióticas, que contém o DNA da célula. Período em que a célula não se encontra em divisão é denominado

Leia mais

CRITÉRIOS E PROPOSTA DE CORRECÇÃO DE PROVA ESCRITA DE AVALIAÇÃO SUMATIVA DE BIOLOGIA

CRITÉRIOS E PROPOSTA DE CORRECÇÃO DE PROVA ESCRITA DE AVALIAÇÃO SUMATIVA DE BIOLOGIA CRITÉRIOS E PROPOSTA DE CORRECÇÃO DE PROVA ESCRITA DE AVALIAÇÃO SUMATIVA DE BIOLOGIA Ano Lectivo: 2006/2007 CRITÉRIOS GERAIS DE CLASSIFICAÇÃO DO TESTE SUMATIVO Todas as respostas deverão ser perfeitamente

Leia mais

Exercícios de Biologia Cromossomos e Anomalias

Exercícios de Biologia Cromossomos e Anomalias Exercícios de Biologia Cromossomos e Anomalias 1) (Unicamp-2008) A síndrome de Down, também chamada trissomia do cromossomo 21, afeta cerca de 0,2 % dos recém-nascidos. A síndrome é causada pela presença

Leia mais

HERANÇA E SEXO. Professora Msc Flávia Martins Agosto 2011

HERANÇA E SEXO. Professora Msc Flávia Martins Agosto 2011 HERANÇA E SEXO Professora Msc Flávia Martins Agosto 2011 1.Determinação cromossômica do sexo A característica mais fundamental da vida é a reprodução (sexuada e assexuada) Produção de gametas (óvulo e

Leia mais

Médico, este é um canal de comunicação dedicado exclusivamente a você!

Médico, este é um canal de comunicação dedicado exclusivamente a você! CANAL MÉDICO Médico, este é um canal de comunicação dedicado exclusivamente a você! A equipe do canal médico do laboratório Alvaro, é formada por bioquímicos, biomédicos e médicos com grande experiência

Leia mais

EVOLUÇAO CONCEITOS E TEORIAS

EVOLUÇAO CONCEITOS E TEORIAS EVOLUÇAO CONCEITOS E TEORIAS EVOLUÇÃO DEFINIÇÃO: Variação gradual das frequências gênicas e genotípicas de uma população, ao longo das geração, devido a ação de fatores evolutivos, levando a formação de

Leia mais

GOIÂNIA, / / 2015. PROFESSOR: FreD. ALUNO(a): Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

GOIÂNIA, / / 2015. PROFESSOR: FreD. ALUNO(a): Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: FreD DISCIPLINA: Biologia SÉRIE: 1º ALUNO(a): Lista de Exercícios No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

Leia mais

Anomalias hereditárias

Anomalias hereditárias Cap. 27 As anomalias hereditárias podem ser decorrentes de alterações cromossômicas Sistema de Ensino CNEC Equipe de Biologia Anomalias hereditárias Alterações transmitidas ao longo das gerações através

Leia mais

Mecanismos de Herança

Mecanismos de Herança Mecanismos de Herança Andréa Trevas Maciel Guerra Depto. De Genética Médica FCM - UNICAMP Mecanismo de Herança Conceitos básicos Herança Monogênica Herança mitocondrial Imprinting Autossomos (1 a 22) Autossomos

Leia mais

Exercícios de Biologia Cromossomos e Anomalias

Exercícios de Biologia Cromossomos e Anomalias Exercícios de Biologia Cromossomos e Anomalias 1) (Unicamp-2008) A síndrome de Down, também chamada trissomia do cromossomo 21, afeta cerca de 0,2 % dos recém-nascidos. A síndrome é causada pela presença

Leia mais

Fenótipo: Factores ambientais

Fenótipo: Factores ambientais MUTAÇÕES Fenótipo: Factores ambientais Genoma Mutações: são alterações ou modificações súbitas em genes ou cromossomas, podendo provocar uma variação hereditária ou uma mudança no fenótipo. Pode produzir

Leia mais

Alterações cromossômicas estruturais e segregação meiótica: um modelo didático usando massa de modelar

Alterações cromossômicas estruturais e segregação meiótica: um modelo didático usando massa de modelar MATERIAIS DIDÁTICOS Alterações cromossômicas estruturais e segregação meiótica: um modelo didático usando massa de modelar Roberta dos Santos Ribeiro 1, Thiago Magalhães da Silva 2 1 Graduanda do curso

Leia mais

Gametogênese e Aberrações cromossômicas. Profº Dr. Leandro Felício

Gametogênese e Aberrações cromossômicas. Profº Dr. Leandro Felício Gametogênese e Aberrações cromossômicas Profº Dr. Leandro Felício Gametogênese (espermatogênese) EPIDÍDIMO (armazena espermatozoides) (em corte transversal) Ampliação de um TESTÍCULO Túbulo seminífero

Leia mais

NÚCLEO CELULAR. Disciplina: Embriologia e Genética Curso Odontologia Profa Ednilse Leme

NÚCLEO CELULAR. Disciplina: Embriologia e Genética Curso Odontologia Profa Ednilse Leme NÚCLEO CELULAR Disciplina: Embriologia e Genética Curso Odontologia Profa Ednilse Leme A presença do núcleo é a principal característica que distingue a célula eucariótica da procariótica. No núcleo está

Leia mais

O alelo para a hemoglobina S (cadeia β ) é recessivo. Os indivíduos heterozigóticos (Hb A Hb S ), portadores, são resistentes à malária.

O alelo para a hemoglobina S (cadeia β ) é recessivo. Os indivíduos heterozigóticos (Hb A Hb S ), portadores, são resistentes à malária. Mutação O alelo para a hemoglobina S (cadeia β ) é recessivo. Os indivíduos heterozigóticos (Hb A Hb S ), portadores, são resistentes à malária. Introdução Agentes internos ou externos causam alterações

Leia mais

CITOGENÉTICA CROMOSSOMOS

CITOGENÉTICA CROMOSSOMOS CITOGENÉTICA CROMOSSOMOS 1 CROMOSSOMOS Os cromossomos são estruturas filamentosas localizadas no interior do núcleo das células. Os cromossomos contém os genes que são os transmissores das caracterís2cas

Leia mais

A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA...

A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA... Atividade extra Fascículo 4 Biologia Unidade 9 Questão 1 A função básica do ciclo celular das células somáticas é duplicar todo o conteúdo de DNA. O processo de divisão celular é composto por cinco etapas:

Leia mais

03. Em fevereiro deste ano, um grupo de pesquisadores divulgou ao mundo a ovelha Dolly, obtido por meio da técnica de clonagem.

03. Em fevereiro deste ano, um grupo de pesquisadores divulgou ao mundo a ovelha Dolly, obtido por meio da técnica de clonagem. 01. Clones são seres vivos obtidos pelo desenvolvimento de células retiradas de indivíduos já existentes. A clonagem é um processo que vem sendo desenvolvido rapidamente com vários organismos e, em humanos,

Leia mais

BIOLOGIA CADERNO 3 CURSO D/E FRENTE 1 CITOLOGIA. Módulo 11 As Aberrações Cromossô - micas ABERRAÇÕES NÚMERO DE CROMOSSOMOS

BIOLOGIA CADERNO 3 CURSO D/E FRENTE 1 CITOLOGIA. Módulo 11 As Aberrações Cromossô - micas ABERRAÇÕES NÚMERO DE CROMOSSOMOS RESOLUCAO_C3_TAREFAS_BIOLOGIA_DE_2015_Clayton 22/01/15 14:15 Page 1 BIOLOGIA CADERNO 3 CURSO D/E DUPLICAÇÃO: presença de uma parte em duplicata no cromos somo. FRENTE 1 CITOLOGIA Módulo 11 As Aberrações

Leia mais

Cromossomos sexuais. Profa. Dra. Viviane Nogaroto

Cromossomos sexuais. Profa. Dra. Viviane Nogaroto Cromossomos sexuais Cromossomos sexuais desempenham um papel determinante na especificação sexual primária (formação das gônadas) Genes localizados em ambos cromossomos sexuais e autossomos estão envolvidos

Leia mais

Informações gerais sobre a síndrome de Down

Informações gerais sobre a síndrome de Down Informações gerais sobre a síndrome de Down Vanessa Helena Santana Dalla Déa Vicente Paulo Batista Dalla Déa O desenvolvimento humano é um processo contínuo que se inicia quando um gameta feminino (óvulo)

Leia mais

CROMOSSOMOS. Profa. Dra. Viviane Nogaroto

CROMOSSOMOS. Profa. Dra. Viviane Nogaroto CROMOSSOMOS Cromossomos EUCARIOTOS Cada cromossomo carrega um subconjunto de genes que são arranjados linearmente ao longo do DNA Tamanho: -DNA de cromossomo de E. coli: 1.200 µm -DNA de cromossomo humano:

Leia mais

Aberrações cromossômicas numéricas e estruturais

Aberrações cromossômicas numéricas e estruturais Aberrações cromossômicas numéricas e estruturais CAMILA CAMPÊLO DE SOUSA Introdução Variação cromossômica ou cariotípica; Mutações: --vantajosas --desvantajosas --neutras Polimorfismo cromossômico: existência

Leia mais