Fitoterapia e a prática do Nutricionista. Nutricionista Jacira Santos CRN

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fitoterapia e a prática do Nutricionista. Nutricionista Jacira Santos CRN-2 0091"

Transcrição

1 Fitoterapia e a prática do Nutricionista Nutricionista Jacira Santos CRN

2 Nutrição Clínica Anos 70 Dietoterapia Hospitalar Anos 80 Dietoterapia em Consultório Anos 90 Fitoquímicos isolados e fitoterápicos CFN/Res. 360// Prescrição de Suplementos Nutricionais Vitaminas, minerais, proteínas e aminoácidos, lipídios e ácidos graxos, carboidratos e fibras isolados ou associados entre si.

3 Nutricionista: Um educador Consultórios - Ambulatórios Personal Dieter - Escolas Geriatrias Creches Academias UANs - Ambientes Gastronômicos

4 Produtos derivados de alimentos, plantas e ervas aromáticas Alimentos funcionais - fitoquímicos Fitoquímicos isolados Nutracêuticos Fitoterápicos

5 Nutricionista: Prescritor Mídia/Indústria farmacêutica divulgam efeitos curativos dos fitoquímicos, princípios bio-ativos dos alimentos. Estímulo a cultura da CURA!!! Estímulo ao consumo!!!! Tendência ao biológico natural ALOPATIZAÇÃO DO NATURALISMO Em prejuízo da consciência da prevenção e estímulo do auto cuidado

6 Plantas Medicinas e Fitoterápicos no Brasil 2002 Recomendação OMS de uso de conhecimentos de Medicinas Tradicionais Anvisa RDC 86 16/03/ IN Medicamentos Fitoterápicos de Registro simplificado Política de Plantas Medicinais e Fitoterápicos Programa Nacional de Plantas Medicinais e fitoterápicos Marco regulatório

7 Plantas Medicinas e Fitoterápicos no Brasil 2008 IN No. 5 11/12/2008 Nova Lista de Medicamentos Fitoterápicos 2009 PNPIC RDC nº 10 de 9/03/ notificação de drogas vegetais junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) definições e padronização de medidas de referência.

8 PNPIC Princípios orientadores Ampliação de opções terapêutica SUS Uso sustentável da biodiversidade Valorização e preservação do conhecimento de comunidades de povos tradicionais Fortalecimento da Agricultura Familiar Geração de emprego e renda Desenvolvimento tecnológico e industrial

9 Fitoterapia na Prática do Nutricionista Resolução 402/ Regulamenta a prescrição de fitoterápicos pelo Nutricionista de plantas in natura frescas ou como droga vegetal em suas diferentes formas farmacêuticas. GT composto por Nutricionistas com especialização em. fitoterapia e farmácia Em revisão - Consulta pública com os Nutricionistas (Maio 2012).

10 Fitoterapia phyton - plantas therapeia - tratamento Método de tratamento caracterizado pela utilização de plantas medicinais em suas diferentes preparações, sem a utilização de substâncias ativas isoladas, ainda que de origem vegetal.

11 Planta medicinal Espécie vegetal cultivada ou não, utilizada com propósitos terapêuticos. - Planta fresca: coletada no momento do uso - Droga vegetal ou planta seca: secagem desinfecção estabilização moagem

12 Derivado de droga vegetal Produto de extração da planta medicinal in natura ou da droga vegetal, podendo ocorrer na forma de extrato, tintura, alcoolatura, óleos, ceras e outros.

13 Fitoterápico Anvisa: antes medicamento fitoterápico Produto final embalado e rotulado obtido de planta medicinal ou de seus derivados, exceto substâncias isoladas, com registro em órgãos federais competentes, finalidade profilática, curativa ou paliativa. Ex.: xaropes, cápsulas... * Podem conter adjuvantes farmacêuticos permitidos na legislação vigente.

14 Fitoterapia na Prática do Nutricionista Estratégia complementar a prescrição dietéticas e que tenha indicações de uso relacionada ao diagnóstico nutricional com segurança quanto efeitos colaterais e as interações com alimentos, medicamentos ou outros fitoterápicos.

15 Terapia Alimentar Fitoterapia Horizonte Clínico Dietoterapia/Terapia Alimentar alimentos fitoquímicos ervas aromáticas especiarias bebidas tônicos xaropes fibras Novo Objeto de trabalho Fitoterapia

16 O Nutricionista que adota a Fitoterapia deve acompanhar as publicações da ANVISA e outros órgãos oficiais que tratam deste tema, e atualizarem-se com a relação de drogas vegetais notificadas e a lista de medicamentos fitoterápicos de registro simplificado

17 Interações fitoterápico x alimentos fitoterápico x medicamento

18 O que prescrever Lista de Medicamentos Fitoterápicos IN no. 5 de 11/12/2008 Nomenclatura botânica nome popular - parte de uso padronização/marcador derivado de droga vegetal indicação e ação terapêutica dose diária restrição de uso. O Nutricionista não pode prescrever os fitoterápicos assinalados como de venda sob prescrição médica

19 O que prescrever alcachofra alcaçuz alho aloe/babosa boldo calêndula camomila cáscara sagrada castanha da india centela asiática erva-doce espinheira santa eucalipto ginseng guaco guaraná hamamelis hortelã maracujá melissa polígala sabugueiro salgueiro branco sene

20 INFUSÃO 2,5 a 5% das plantas secas 5 a 10% das plantas frescas 5 a10ml/kg dia 3 a 4 x INFUSO 95 partes de água / 5 partes da planta Espera-se de 5 a 10 minutos, sendo esta forma ideal para as folhas, flores e ramos finos

21 DECOCTO Ervas em fogo brando por 15 a 20 minutos. 150 partes de água /10 partes da planta 2 minutos = flores e folhas 7 minutos = raízes e caules Exemplo: COGUMELO DO SOL (agaricus blazei Muril) Princípios extraídos por infusão e decocto

22 MACERAÇÃO - TINTURA É uma preparação líquida que requer longa imersão Água, vinho, vinagre: de 30 mim a vários dias; Para qualquer parte da planta Temperatura ambiente Chás: malva - boldo

23 Código de Ética do Nutricionista Artigo 5º, inciso IV: o dever do nutricionista de utilizar todos os recursos disponíveis de diagnóstico e tratamento nutricionais ao seu alcance, em favor de indivíduos e coletividade sob sua responsabilidade profissional

24 Obrigada pela atenção!

RESOLUÇÃO CFN N 525/2013

RESOLUÇÃO CFN N 525/2013 Página 1 de 7 RESOLUÇÃO CFN N 525/2013 Regulamenta a prática da fitoterapia pelo nutricionista, atribuindo-lhe competência para, nas modalidades que especifica, prescrever plantas medicinais, drogas vegetais

Leia mais

PARECER CRN-3 PRESCRIÇÃO DE SUPLEMENTOS NUTRICIONAIS

PARECER CRN-3 PRESCRIÇÃO DE SUPLEMENTOS NUTRICIONAIS PARECER CRN-3 PRESCRIÇÃO DE SUPLEMENTOS NUTRICIONAIS INTRODUÇÃO O Conselho Regional de Nutricionistas da 3º Região, no cumprimento de suas atribuições de orientar e disciplinar a prática profissional dos

Leia mais

Marcos regulatórios para plantas medicinais e fitoterápicos

Marcos regulatórios para plantas medicinais e fitoterápicos Marcos regulatórios para plantas medicinais e fitoterápicos GMEFH/GGMED/ANVISA Prêmio Inovação na Gestão Pública Federal 2006/2007 Medicamentos fitoterápicos Fitoterápicos São medicamentos obtidos empregando-se

Leia mais

PLANTAS MEDICINAIS CULTIVADAS EM HORTAS COMUNITARIAS NA

PLANTAS MEDICINAIS CULTIVADAS EM HORTAS COMUNITARIAS NA PLANTAS MEDICINAIS CULTIVADAS EM HORTAS COMUNITARIAS NA ZONA NORTE DE TERESINA Francisco Ivan da Silva 1 *, Eurípedes Siqueira Neto 2, Jackson Araújo Lima 3, Miguel de Castro Silva 4, Teodorico Cavalcante

Leia mais

Anvisa - Alimentos - Informes Técnicos

Anvisa - Alimentos - Informes Técnicos Página 1 de 7 English Español Institucional Anvisa Publica Serviços Áreas de Atuação Legislação Buscar Informes Técnicos Informe Técnico nº. 36, de 27 de junho de 2008 Orientações sobre a declaração da

Leia mais

RESOLUÇÃO RDC Nº 59, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014. Dispõe sobre os nomes dos medicamentos, seus complementos e a formação de famílias de medicamentos.

RESOLUÇÃO RDC Nº 59, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014. Dispõe sobre os nomes dos medicamentos, seus complementos e a formação de famílias de medicamentos. RESOLUÇÃO RDC Nº 59, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014 Dispõe sobre os nomes dos medicamentos, seus complementos e a formação de famílias de medicamentos. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância

Leia mais

Perspectivas legais de alegações de propriedades funcionais e ou de saúde

Perspectivas legais de alegações de propriedades funcionais e ou de saúde Perspectivas legais de alegações de propriedades funcionais e ou de saúde 4º Simpósio de Segurança Alimentar Gramado/RS, 29 e 30/05/2012 Antonia Maria de Aquino GPESP/GGALI/ANVISA Missão da Anvisa Promover

Leia mais

Parecer COREN-SP nº 028/2010 - CT PRCI n 102.273 Tickets nº 303.549 e 342.505 Revisão e atualização em Julho de 2014

Parecer COREN-SP nº 028/2010 - CT PRCI n 102.273 Tickets nº 303.549 e 342.505 Revisão e atualização em Julho de 2014 Parecer COREN-SP nº 028/2010 - CT PRCI n 102.273 Tickets nº 303.549 e 342.505 Revisão e atualização em Julho de 2014 Ementa: Fitoterapia. Legalidade da prescrição de fitoterápicos por Enfermeiro. Prescrição

Leia mais

O ensino da Fitoterapia nos cursos de graduação da área de saúde

O ensino da Fitoterapia nos cursos de graduação da área de saúde O ensino da Fitoterapia nos cursos de graduação da área de saúde Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares DIRETRIZ PMF 3: Formação e educação permanente dos profissionais de saúde em

Leia mais

2. Conforme exigido no Anexo II, item 1.4 do edital os produtos devem atender às Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e emprego.

2. Conforme exigido no Anexo II, item 1.4 do edital os produtos devem atender às Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e emprego. Ilmo. Sr. Dr. Pregoeiro SESI/BA Pregão Eletrônico 20/2012 Objeto: Razões de Recurso IMUNOSUL DISTRIBUIDORA DE VACINAS E PRODUTOS MÉDICOS HOSPITALARES LTDA, já qualificada, em face do Pregão Presencial

Leia mais

Fitoterapia e a Prática do Nutricionista. Nutricionista Jacira Santos

Fitoterapia e a Prática do Nutricionista. Nutricionista Jacira Santos Fitoterapia e a Prática do Nutricionista Nutricionista Jacira Santos Nutrição Clínca Anos 70 Dietoterapia Hospitalar Anos 80 Dietoterapia em Consultório Anos 90/2000 Regulamentação de prescrição de suplementos

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA

CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA Coordenaçăo: Profª. MS. Mara Rosana dos Santos E-mail: nutricao@immes.com.br Telefone (96)3223-4244 ramal: 211 Ser Nutricionista É atuar em todas

Leia mais

Amostra grátis de remédios: ANVISA regula a produção e dispensação

Amostra grátis de remédios: ANVISA regula a produção e dispensação Amostra grátis de remédios: ANVISA regula a produção e dispensação Profª Dra Roseli Calil / DEC Enfº Adilton D. Leite / SADP A ANVISA, através da RDC (RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA da Agência Nacional

Leia mais

FUNDAMENTOS E HISTÓRIA DA NUTRIÇÃO. Profª Omara Machado Araujo de Oliveira

FUNDAMENTOS E HISTÓRIA DA NUTRIÇÃO. Profª Omara Machado Araujo de Oliveira FUNDAMENTOS E HISTÓRIA DA NUTRIÇÃO Profª Omara Machado Araujo de Oliveira Nutricionista (UFF) Mestre em Saúde Coletiva (UFF) Pós-Graduada em Nutrição Clínica ( UFF) ATRIBUIÇÕES LEGAIS E ESPECÍFICAS DO

Leia mais

Prescrição Farmacêutica. Aspectos técnicos e legais

Prescrição Farmacêutica. Aspectos técnicos e legais Bem Vindos! Prescrição Farmacêutica Aspectos técnicos e legais Quem sou? Prof. Dr José Henrique Gialongo Gonçales Bomfim Farmacêutico Bioquímico 1998 Mestre em Toxicologia USP 2003 Doutor em Farmacologia

Leia mais

Art. 1 Esta Resolução possui o objetivo de estabelecer os requisitos mínimos para o registro de medicamentos fitoterápicos.

Art. 1 Esta Resolução possui o objetivo de estabelecer os requisitos mínimos para o registro de medicamentos fitoterápicos. RESOLUÇÃO ANVISA Nº 14, DE 31 DE MARÇO DE 2010 Dispõe sobre o registro de medicamentos fitoterápicos. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere

Leia mais

Principais modificações nas normas para registro de medicamentos fitoterápicos

Principais modificações nas normas para registro de medicamentos fitoterápicos Principais modificações nas normas para registro de medicamentos fitoterápicos Workshop sobre novas normas de fitoterápicos COFID/GTFAR/GGMED/ANVISA Brasília, 31/05/10 Quem somos PNPMF MS FIOCRUZ MAPA

Leia mais

RESOLUÇÃO-RDC N o - 14, DE 31 DE MARÇO DE 2010 DOU Nº 63, 5 de abril de 2010

RESOLUÇÃO-RDC N o - 14, DE 31 DE MARÇO DE 2010 DOU Nº 63, 5 de abril de 2010 RESOLUÇÃO-RDC N o - 14, DE 31 DE MARÇO DE 2010 DOU Nº 63, 5 de abril de 2010 Dispõe sobre o registro de medicamentos fitoterápicos. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no

Leia mais

23 anos UMA EXPERIÊNCIA A SER COMPARTILHADA

23 anos UMA EXPERIÊNCIA A SER COMPARTILHADA Hospital de Medicina Alternativa 23 anos UMA EXPERIÊNCIA A SER COMPARTILHADA 1986 - Projeto de Fitoterapia CONVÊNIO - Secretaria de Estado da Saúde - GO - Ministério da Saúde - Instituto Brasileiro de

Leia mais

Consulta Pública n. 72, de 14 de julho de 2010. Estabelece os critérios de aceitabilidade de nomes comerciais de medicamentos.

Consulta Pública n. 72, de 14 de julho de 2010. Estabelece os critérios de aceitabilidade de nomes comerciais de medicamentos. Consulta Pública n. 72, de 14 de julho de 2010. Estabelece os critérios de aceitabilidade de nomes comerciais de medicamentos. Versão Consolidada n. 07, de 27 de maio de 2013. Para Audiência Pública Resolução

Leia mais

RESOLUÇÃO N 02, DE 07 DE JANEIRO DE 2002

RESOLUÇÃO N 02, DE 07 DE JANEIRO DE 2002 RESOLUÇÃO N 02, DE 07 DE JANEIRO DE 2002 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária no uso da atribuição que lhe confere o art. 11 inciso IV do Regulamento da ANVISA aprovado pelo

Leia mais

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA ÂNGELA MENDONÇA LIGA DE DIABETES A intervenção nutricional pode melhorar o controle glicêmico. Redução de 1.0 a 2.0% nos níveis de hemoglobina

Leia mais

ROTULAGEM DE ALIMENTOS

ROTULAGEM DE ALIMENTOS ROTULAGEM DE ALIMENTOS A rotulagem de alimentos apresenta uma importância muito relevante hoje para o consumidor, pois através da mesma, conseguimos repassar muitas informações aos mesmos, tais como prazo

Leia mais

FORMAS DE PREPARAÇÕES E USO DAS PLANTAS MEDICINAIS

FORMAS DE PREPARAÇÕES E USO DAS PLANTAS MEDICINAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE FISIOLOGIA E PATOLOGIA NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS HOMEOPÁTICAS E FITOTERÁPICAS FORMAS DE PREPARAÇÕES E USO DAS PLANTAS MEDICINAIS

Leia mais

FARMACOGNOSIA. Matéria-Prima Vegetal 2011.1

FARMACOGNOSIA. Matéria-Prima Vegetal 2011.1 FARMACOGNOSIA Matéria-Prima Vegetal 2011.1 O que é farmacognosia? A palavra Farmacognosia vem de dois vocábulos gregos e quer dizer Pharmakon droga e fármaco gnosis conhecimento. Farmacognosia é uma ciência

Leia mais

Tendências no mercado da nutrição

Tendências no mercado da nutrição Parceiros Tendências no mercado da nutrição Apresentação: Nut. Juliana Tolêdo de Faria Graduada em Nutrição FANUT/UFG Esp. Nutrição em Saúde Pública FANUT/UFG Esp. Atividade Física e suas Bases Nutricionais

Leia mais

Biotecnologia como Geração de Conhecimentos e Benefícios Ampliados. Foco:- Redes Fito e a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos

Biotecnologia como Geração de Conhecimentos e Benefícios Ampliados. Foco:- Redes Fito e a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos Biotecnologia como Geração de Conhecimentos e Benefícios Ampliados Foco:- Redes Fito e a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos Wanderli Pedro Tadei tadei@inpa.gov.br CENÁRIOS ATUAIS DA

Leia mais

Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos

Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos Atores envolvidos Movimentos Sociais Agricultura Familiar Governos Universidades Comunidade Científica em Geral Parceiros Internacionais,

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. PARECER COREN-SP 014/2012 CT PRCI n 99.072/2012 e Ticket nº 279.315

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. PARECER COREN-SP 014/2012 CT PRCI n 99.072/2012 e Ticket nº 279.315 PARECER COREN-SP 014/2012 CT PRCI n 99.072/2012 e Ticket nº 279.315 Assunto: Administração de Oxigênio medicinal, sem prescrição médica, por meio de cateter nasal em situação de emergência. 1. Do fato

Leia mais

PROCESSOS EXTRATIVOS. Profa. Dra. Wânia Vianna 1s/2014

PROCESSOS EXTRATIVOS. Profa. Dra. Wânia Vianna 1s/2014 PROCESSOS EXTRATIVOS Profa. Dra. Wânia Vianna 1s/2014 Extração Sólido- Liquida sólido------------ líquido Solução extrativa. É a que resulta da dissolução parcial de uma droga de composição heterogênea,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 586 DE 29 DE AGOSTO DE 2013 PREÂMBULO

RESOLUÇÃO Nº 586 DE 29 DE AGOSTO DE 2013 PREÂMBULO RESOLUÇÃO Nº 586 DE 29 DE AGOSTO DE 2013 Ementa: Regula a prescrição farmacêutica e dá outras providências. PREÂMBULO No mundo contemporâneo, os modelos de assistência à saúde passam por profundas e sensíveis

Leia mais

EXTRAÇÃO SIMPLIFICADA DOS PRINCÍPIOS ATIVOS DO CAPIM LIMÃO, Cymbopogon citratus

EXTRAÇÃO SIMPLIFICADA DOS PRINCÍPIOS ATIVOS DO CAPIM LIMÃO, Cymbopogon citratus EXTRAÇÃO SIMPLIFICADA DOS PRINCÍPIOS ATIVOS DO CAPIM LIMÃO, Cymbopogon citratus KEMPES, Neyla Ferreira; ALVES, Weslley de Oliveira; CAMARGO, Caroline Feresin; SANCHES,Matheus Silva; VIDOTO, Alex; SILVA,

Leia mais

Regulamentac a o para plantas medicinais e fitotera picos na sau de 1

Regulamentac a o para plantas medicinais e fitotera picos na sau de 1 Regulamentac a o para plantas medicinais e fitotera picos na sau de 1 Ana Ceci lia Bezerra Carvalho Edmundo Machado Netto 1 Introduc a o Produtos obtidos de plantas medicinais possuem diversas definicoes

Leia mais

revoga: Resolução nº 14 de junho de 1978 Resolução nº 15 de abril de 1978 RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 268, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005.

revoga: Resolução nº 14 de junho de 1978 Resolução nº 15 de abril de 1978 RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 268, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. título: Resolução RDC nº 268, de 22 de setembro de 2005 ementa não oficial: Aprova o "REGULAMENTO TÉCNICO PARA PRODUTOS PROTÉICOS DE ORIGEM VEGETAL". publicação: D.O.U. - Diário Oficial da União; Poder

Leia mais

http://e-legis.anvisa.gov.br/leisref/public/showact.php?id=10230&word=

http://e-legis.anvisa.gov.br/leisref/public/showact.php?id=10230&word= Página 1 de 8 Legislaçã o em Vigilância Sanitária Página Inicial Pesquisa Complementar Estat ísticas do site Normas Consolidadas Publica ções de Hoje Gloss título: Resolução RDC nº 48, de 16 de março de

Leia mais

ENSINANDO SOBRE PLANTAS MEDICINAIS NA ESCOLA

ENSINANDO SOBRE PLANTAS MEDICINAIS NA ESCOLA ENSINANDO SOBRE PLANTAS MEDICINAIS NA ESCOLA MARIA DAS GRAÇAS LINS BRANDÃO JULIANA MORAIS AMARAL DE ALMEIDA ENSINANDO SOBRE PLANTAS MEDICINAIS NA ESCOLA Colaboradores Darly Gomes Soares Gustavo Pereira

Leia mais

FACIDER FACULDADE DE COLIDER. FACIDER atualizado 2014/1 FARMACIA, BACHARELADO ESTUDOS FORMATIVOS Página 1

FACIDER FACULDADE DE COLIDER. FACIDER atualizado 2014/1 FARMACIA, BACHARELADO ESTUDOS FORMATIVOS Página 1 Portaria Credenciamento IES: Portaria 1658 D.O.U. 25/07/01. Portaria Autorização Administração : Portaria 1658 D.O.U. 25/07/01 Portaria Reconhecimento Administração : Portaria 3.519 D.O.U.14/10/05. Portaria

Leia mais

b) preparado contendo laranja (fruta) e banana (fruta) corresponde a um ingrediente característico;

b) preparado contendo laranja (fruta) e banana (fruta) corresponde a um ingrediente característico; MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 17, DE 19 DE JUNHO DE 2013 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária REGISTRO DE MEDICAMENTOS

Agência Nacional de Vigilância Sanitária REGISTRO DE MEDICAMENTOS REGISTRO DE MEDICAMENTOS GERÊNCIA GERAL DE MEDICAMENTOS - SETORES A Gerência Geral de Medicamentos está em fase de reestruturação, portanto as divisões setoriais são provisórias; Gerência de Pesquisas,

Leia mais

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade I: BRASILEIRA 0 Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA O Guia Alimentar é um instrumento que define as diretrizes alimentares a serem utilizadas

Leia mais

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS 3. CURSO DE NUTRIÇÃO Área de atuação De acordo com a RESOLUÇÃO

Leia mais

Aula 7: Controle Sanitário (Lei 5991/73) Profa. Camila Barbosa de Carvalho

Aula 7: Controle Sanitário (Lei 5991/73) Profa. Camila Barbosa de Carvalho Aula 7: Controle Sanitário (Lei 5991/73) Profa. Camila Barbosa de Carvalho Lei 5991/73 Dispõe sobre o controle sanitário do comércio de drogas, medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos, e dá outras

Leia mais

RESOLUÇÃO-ANVISA Nº 263, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005

RESOLUÇÃO-ANVISA Nº 263, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 Resolução nº 263/2005 23/09/2005 RESOLUÇÃO-ANVISA Nº 263, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 DOU 23.09.2005 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere

Leia mais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais Alexandre Sylvio Vieira da Costa 1 1.Engenheiro Agrônomo. Professor Universidade Vale do Rio Doce/Coordenador Adjunto da Câmara

Leia mais

REGISTRO DE PRODUTOS NO BRASIL: AVANÇOS E DESAFIOS

REGISTRO DE PRODUTOS NO BRASIL: AVANÇOS E DESAFIOS Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação REGISTRO DE PRODUTOS NO BRASIL: AVANÇOS E DESAFIOS I Reunião Anual da Vigilância Sanitária de Alimentos 15 a 17 de maio/2007 João Pessoa Amanda Poldi

Leia mais

Multivitamínicos Minerais. Regulamentação no Brasil

Multivitamínicos Minerais. Regulamentação no Brasil Multivitamínicos Minerais Regulamentação no Brasil Workshop sobre Estratégia de Fortificação Caseira no Brasil 29 e 30 de setembro Brasília (DF) Regulamentação Suplementos vitamínicos e ou minerais (Alimentos)

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.813, DE 22 DE JUNHO DE 2006. Aprova a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos e dá outras providências.

Leia mais

Profa Tânia Maria Leite da Silveira

Profa Tânia Maria Leite da Silveira Profa Tânia Maria Leite da Silveira Como o consumidor adquire informações sobre os alimentos? Conhecimento da família Educação Mídia Publicidade Rotulagem Importância da rotulagem Informações corretas

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCB UFV NUTRIÇÃO. COORDENADOR DO CURSO DE NUTRIÇÃO Gilberto Paixão Rosado gilberto@ufv.br

Currículos dos Cursos do CCB UFV NUTRIÇÃO. COORDENADOR DO CURSO DE NUTRIÇÃO Gilberto Paixão Rosado gilberto@ufv.br 88 NUTRIÇÃO COORDENADOR DO CURSO DE NUTRIÇÃO Gilberto Paixão Rosado gilberto@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2002 89 Bacharelado ATUAÇÃO O Nutricionista é um profissional de saúde, legal e tecnicamente

Leia mais

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. EMENDAS DE PLENÁRIO AO PROJETO DE LEI Nº 4.385, DE 1994. (Do Senado Federal)

COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. EMENDAS DE PLENÁRIO AO PROJETO DE LEI Nº 4.385, DE 1994. (Do Senado Federal) COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR EMENDAS DE PLENÁRIO AO PROJETO DE LEI Nº 4.385, DE 1994. (Do Senado Federal) Dá nova redação ao artigo 15 da Lei nº 5.991, de 17 de dezembro de 1973, que dispõe sobre o

Leia mais

ASSUNTO: PRESCRIÇÃO DE FITOTERÁPICOS DE VENDA LIVRE CORRELACIONADOS ÀS CONSULTA

ASSUNTO: PRESCRIÇÃO DE FITOTERÁPICOS DE VENDA LIVRE CORRELACIONADOS ÀS CONSULTA PARECER ASSUNTO: PRESCRIÇÃO DE FITOTERÁPICOS DE VENDA LIVRE CORRELACIONADOS ÀS ÁREAS DE ATUAÇÃO DO FONOAUDIÓLOGO. CONSULTA A Comissão de Orientação e Fiscalização do CREFONO 6 encaminhou, à Comissão de

Leia mais

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 269, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005.

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 269, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 269, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o art. 11 inciso IV do

Leia mais

LEI Nº 6.583, DE 20 DE OUTUBRO DE 1978

LEI Nº 6.583, DE 20 DE OUTUBRO DE 1978 LEI Nº 6.583, DE 20 DE OUTUBRO DE 1978 Cria os Conselhos Federal e Regionais de Nutricionistas, regula o seu funcionamento, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso

Leia mais

REGULAÇÃO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES

REGULAÇÃO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES REGULAÇÃO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES X REUNIÃO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE ALIMENTOS Stefani Faro de Novaes Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária 24 e 25 de novembro de 2014 Rio de Janeiro -

Leia mais

INTERAÇÃO DAS ENGENHARIAS COM O ENSINO MÉDIO: ENGENHARIAS EM PRÁTICA OFICINA SOBRE ROTULAGEM E LEGISLAÇÃO DE ALIMENTOS

INTERAÇÃO DAS ENGENHARIAS COM O ENSINO MÉDIO: ENGENHARIAS EM PRÁTICA OFICINA SOBRE ROTULAGEM E LEGISLAÇÃO DE ALIMENTOS 9. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Programação para 2011

Programação para 2011 Visadoc Assessoria em Vigilância Sanitária e Regulatória Curso de Assuntos Regulatórios e Registro de Produtos - Aplicados à Vigilância Sanitária Por que participar? O Curso de Assuntos Regulatórios e

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR BACHARELADO EM NUTRIÇÃO

MATRIZ CURRICULAR BACHARELADO EM NUTRIÇÃO MATRIZ CURRICULAR BACHARELADO EM PRIMEIRO PERÍODO / 1 O ANO CIÊNCIAS SOCIAIS, HUMANAS E CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Sociologia, Antropologia e Filosofia 2-40 Iniciação à Pesquisa em Nutrição 2-40 Leitura

Leia mais

Os profissionais de enfermagem que participam e atuam na Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional, serão os previstos na Lei 7.498/86.

Os profissionais de enfermagem que participam e atuam na Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional, serão os previstos na Lei 7.498/86. Regulamento da Terapia Nutricional 1. DEFINIÇÕES: Terapia Nutricional (TN): Conjunto de procedimentos terapêuticos para manutenção ou recuperação do estado nutricional do usuário por meio da Nutrição Parenteral

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 555 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 555 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 555 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011 Ementa: Regulamenta o registro, a guarda e o manuseio de informações resultantes da prática da assistência farmacêutica nos serviços de saúde. O Conselho Federal

Leia mais

TÍTULO: A UTILIZAÇÃO DE PLANTAS MEDICINAIS NO AUXILIO DO TRATAMENTO DO DIABETES TIPO 2

TÍTULO: A UTILIZAÇÃO DE PLANTAS MEDICINAIS NO AUXILIO DO TRATAMENTO DO DIABETES TIPO 2 TÍTULO: A UTILIZAÇÃO DE PLANTAS MEDICINAIS NO AUXILIO DO TRATAMENTO DO DIABETES TIPO 2 CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS

Leia mais

sinta a beleza... . Ativos na Pele. Concentração Máxima QUEM SOMOS COMPRIMIDOS de colágeno Suplemento de Vitamina C www.sunflower.com.

sinta a beleza... . Ativos na Pele. Concentração Máxima QUEM SOMOS COMPRIMIDOS de colágeno Suplemento de Vitamina C www.sunflower.com. QUEM SOMOS A Sunflower é uma indústria brasileira com mais de 15 anos de experiência no desenvolvimento, produção e comercialização de alimentos funcionais, nutracêuticos e suplementos alimentares. Consolidada

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO PROMOÇÃO A SAÚDE [ ] ASSISTÊNCIA A SAÚDE [ ]

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO PROMOÇÃO A SAÚDE [ ] ASSISTÊNCIA A SAÚDE [ ] CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO UF ROTEIRO DE VISITA TÉCNICA DATA DA VISITA SAÚDE COLETIVA - ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE PROMOÇÃO A SAÚDE [ ] ASSISTÊNCIA A

Leia mais

TEMA: Dieta enteral de soja para paciente portadora de doença de Alzheimer e de adenocarcinoma gástrico.

TEMA: Dieta enteral de soja para paciente portadora de doença de Alzheimer e de adenocarcinoma gástrico. Nota Técnica Processo n º Solicitante: Dra. Daniele Viana da Silva Juíza da Comarca de Ervália - Mg Data: 07/12/2012 Medicamento/ Dieta Material Procedimento Cobertura x TEMA: Dieta enteral de soja para

Leia mais

OIT COP 12, COP- MOP 7, COP-MOP

OIT COP 12, COP- MOP 7, COP-MOP Protocolo Comunitário de Raizeiras do Cerrado direito consuetudinário da medicina tradicional por raizeiras no Brasil; E a experiência brasileira sobre consulta e consentimento prévio e informado da CDB

Leia mais

ESTRATÉGIA PARA A CONSERVAÇÃO DOS RECURSOS GENÉTICOS DE PLANTAS MEDICINAIS EM CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA-PA

ESTRATÉGIA PARA A CONSERVAÇÃO DOS RECURSOS GENÉTICOS DE PLANTAS MEDICINAIS EM CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA-PA ESTRATÉGIA PARA A CONSERVAÇÃO DOS RECURSOS GENÉTICOS DE PLANTAS MEDICINAIS EM CONCEIÇÃO DO ARAGUAIA-PA Iane Brito Tavares (1) Eng.ª Ambiental, M. Sc. Produção Vegetal/Professora do curso de Tecnologia

Leia mais

LEI Nº 8.234, DE 17 DE SETEMBRO DE 1991

LEI Nº 8.234, DE 17 DE SETEMBRO DE 1991 LEI Nº 8.234, DE 17 DE SETEMBRO DE 1991 Regulamenta a profissão de Nutricionista e determina outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

prorrogada(o) por:resolução RDC nº 182, de 03 de outubro de 2006

prorrogada(o) por:resolução RDC nº 182, de 03 de outubro de 2006 título: Resolução RDC nº 269, de 22 de setembro de 2005 ementa não oficial: O "REGULAMENTO TÉCNICO SOBRE A INGESTÃO DIÁRIA RECOMENDADA (IDR) DE PROTEÍNA, VITAMINAS E MINERAIS". publicação: ANVISA - Agência

Leia mais

Manipulação caseira de fitoterápicos. Módulo 5 Farm. Ms. Ana Cimbleris Alkmim

Manipulação caseira de fitoterápicos. Módulo 5 Farm. Ms. Ana Cimbleris Alkmim Manipulação caseira de fitoterápicos Módulo 5 Farm. Ms. Ana Cimbleris Alkmim Recomendações gerais Uso de plantas provenientes de modismos deve ser evitado. Duvide sempre das plantas tidas como milagrosas.

Leia mais

Ivo Bucaresky CONBRAFARMA. Diretor ANVISA. Agosto de 2015

Ivo Bucaresky CONBRAFARMA. Diretor ANVISA. Agosto de 2015 Ivo Bucaresky Diretor ANVISA CONBRAFARMA Agosto de 2015 1 PROGRAMA DE MELHORIA DO PROCESSO DE REGULAMENTAÇÃO Diretrizes: Fortalecimento da capacidade institucional para gestão em regulação Melhoria da

Leia mais

Nutrição. tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º. Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista

Nutrição. tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º. Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista A Enfermagem e o Serviço de Nutrição e Dietética tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista 1 A enfermagem e o Serviço

Leia mais

NUTRIÇÃO CLÍNICA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS. Nutricionista Entrevistado(a)

NUTRIÇÃO CLÍNICA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS. Nutricionista Entrevistado(a) CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS CONSELHO REGIONAL DE NUTRICIONISTAS - ª REGIÃO UF ROTEIRO DE VISITA TÉCNICA DATA DA VISITA ITA NUTRIÇÃO CLÍNICA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS Nº DA VISITA

Leia mais

Desafios para a Comunicação Efetiva em Farmacovigilância no Brasil

Desafios para a Comunicação Efetiva em Farmacovigilância no Brasil IX Encontro Internacional de Farmacovigilância das Américas Painel: Comunicação do Risco em Farmacovigilância: o que fazer para a informação chegar a quem interessa? Desafios para a Comunicação Efetiva

Leia mais

Uso de dados de composição de alimentos (incluindo limitações)

Uso de dados de composição de alimentos (incluindo limitações) Uso de dados de composição de alimentos (incluindo limitações) FAO Os slides foram traduzidos para o Português pela Unidade de Tradução da FAO e revisados/revistos por Deborah Markowicz Bastos, Luisa Oliveira

Leia mais

O Nutricionista nas Políticas Públicas: atuação no Sistema Único de Saúde

O Nutricionista nas Políticas Públicas: atuação no Sistema Único de Saúde O Nutricionista nas Políticas Públicas: atuação no Sistema Único de Saúde Patrícia Constante Jaime CGAN/DAB/SAS/MS Encontro sobre Qualidade na Formação e Exercício Profissional do Nutricionista Brasília,

Leia mais

PLANTAS MEDICINAIS, AROMÁTICAS E CONDIMENTARES. Camila Azevedo

PLANTAS MEDICINAIS, AROMÁTICAS E CONDIMENTARES. Camila Azevedo UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA BACHARELADO EM AGROECOLOGIA COMPONENTE: PRODUÇÃO AGROECOLÓGICA DE PLANTAS MEDICINAIS AROMÁTICAS E CONDIMENTARES PLANTAS MEDICINAIS, AROMÁTICAS E CONDIMENTARES Camila Azevedo

Leia mais

Experiência em Práticas Integrativas da Secretaria de Saúde do Distrito Federal

Experiência em Práticas Integrativas da Secretaria de Saúde do Distrito Federal NÚCLEO DE MEDICINA NATURAL E TERAPÊUTICAS DE INTEGRAÇÃO PLANEJAMENTO E PESQUISA PRÁTICAS INTEGRATIVAS DE SAÚDE MEDICINA HOMEOPÁTICA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA MEDICINA E TERAPIAS ANTROPOSÓFICAS ACUPUNTURA

Leia mais

NOTÍCIAS DO CFF Plenário do CFF aprova prescrição farmacêutica Data: 30/08/2013 De acordo com o texto da proposta, o farmacêutico poderá realizar a prescrição de medicamentos e produtos com finalidade

Leia mais

INSTITUTO DE MEDICINA INTEGRAL PROFº FERNANDO FIGUEIRA - IMIP

INSTITUTO DE MEDICINA INTEGRAL PROFº FERNANDO FIGUEIRA - IMIP INSTITUTO DE MEDICINA INTEGRAL PROFº FERNANDO FIGUEIRA - IMIP Complexo Hospitalar - Hospital Filantrópico - Área 69.000 m² - 10 prédios - 1.143 leitos - 101 leitos de UTI NHE (VEH / GRSH / CCIH) COMISSÕES

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE NUTRIÇÃO, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente documento

Leia mais

Regulação de Alimentos GARANTIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL. CamPo E Na CidAde 5ª Conferência Nacional de. Segurança Alimentar e Nutricional

Regulação de Alimentos GARANTIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL. CamPo E Na CidAde 5ª Conferência Nacional de. Segurança Alimentar e Nutricional Regulação de Alimentos GARANTIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL ComIda de VerDadE no CamPo E Na CidAde 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional Texto elaborado pelo Grupo de Trabalho

Leia mais

Seminário Estadual: Da Planta Medicinal ao Fitoterápico Em defesa da Vida ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA_RS 31 DE MAIO DE 2010

Seminário Estadual: Da Planta Medicinal ao Fitoterápico Em defesa da Vida ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA_RS 31 DE MAIO DE 2010 Seminário Estadual: Da Planta Medicinal ao Fitoterápico Em defesa da Vida ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA_RS 31 DE MAIO DE 2010 Alma-Ata 1978 CF 1988 PNAF 2004 Proposta PNPMF 2001 CEME 1982 PNM 1998 CNAF 2005 OMS

Leia mais

AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE NAS ILPI

AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE NAS ILPI AÇÕES DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE NAS ILPI Sylvia Elisabeth Sanner - Nutricionista PMSP SMS - CRSSul STS Santo Amaro/Cidade Ademar SUVIS Santo Amaro/Cidade Ademar Vigilância Sanitária VIGILÂNCIA SANITÁRIA Divide-se

Leia mais

Recursos Genéticos brasileiros. Derly José Henriques da Silva Professor do Departamento de Fitotecnia Universidade Federal de Viçosa

Recursos Genéticos brasileiros. Derly José Henriques da Silva Professor do Departamento de Fitotecnia Universidade Federal de Viçosa Recursos Genéticos brasileiros Derly José Henriques da Silva Professor do Departamento de Fitotecnia Universidade Federal de Viçosa Acesso aos recursos genéticos (antes da CDB ECO - RIO 1992) recursos

Leia mais

ROTULAGEM DE ALIMENTOS

ROTULAGEM DE ALIMENTOS ROTULAGEM DE ALIMENTOS Profª Ana Paula F. Bernardes Silva A QUEM COMPETE MINISTÉRIO DA SAÚDE: Produtos de origem animal; Vegetais e cereais (grãos) in natura; Bebidas e vinagre; Mel. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA:

Leia mais

Manual de Rotulagem de Alimentos

Manual de Rotulagem de Alimentos Manual de Rotulagem de Alimentos Agosto 2013 Programa Mesa Brasil Sesc O Mesa Brasil Sesc é um programa de segurança alimentar e nutricional sustentável, que redistribui alimentos excedentes próprios para

Leia mais

Maria Augusta Soares. 15-16 de Dezembro 2010

Maria Augusta Soares. 15-16 de Dezembro 2010 Maria Augusta Soares F ld d de Faculdade d Farmácia F á da d Universidade U d d de d Lisboa L b 15-16 de Dezembro 2010 Panorama Farmacêutico em Portugal Ensino em Ciências i Farmacêuticas Pré graduado

Leia mais

ISSN: 2236-0123 Saúde em Foco, Edição nº: 07, Mês / Ano: 09/2013, Páginas: 29-34

ISSN: 2236-0123 Saúde em Foco, Edição nº: 07, Mês / Ano: 09/2013, Páginas: 29-34 ISSN: 2236-0123 Saúde em Foco, Edição nº: 07, Mês / Ano: 09/2013, Páginas: 29-34 AVALIAÇÃO DA ROTULAGEM DE BARRAS DE CEREAIS COM RELAÇÃO À ADEQUADA CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO TEOR DE FIBRAS ALIMENTARES Karime

Leia mais

Genéricos - Guia Básico. Autor: Cesar Roberto CRF-RJ: 7461

Genéricos - Guia Básico. Autor: Cesar Roberto CRF-RJ: 7461 Autor: Cesar Roberto CRF-RJ: 7461 Versão 3.00 2001 Introdução: Este guia visa a orientar o profissional farmacêutico sobre os genéricos, e como este deve proceder na hora de aviar uma receita nesta nova

Leia mais

NUTRIÇÃO. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC

NUTRIÇÃO. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC NUTRIÇÃO Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: NUTRIÇÃO Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo Base legal da Mantenedora

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DA SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DA SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DA SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA PROGRAMA NACIONAL DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERAPIA: Conhecer/fazer

Leia mais

O USO DE PLANTAS MEDICINAIS NA PERCEPÇÃO DOS ESTUDANTES, DA ESCOLA ESTADUAL MARISA MARIANO, DE BARRA DO GARÇAS-MT

O USO DE PLANTAS MEDICINAIS NA PERCEPÇÃO DOS ESTUDANTES, DA ESCOLA ESTADUAL MARISA MARIANO, DE BARRA DO GARÇAS-MT 1 O USO DE PLANTAS MEDICINAIS NA PERCEPÇÃO DOS ESTUDANTES, DA ESCOLA ESTADUAL MARISA MARIANO, DE BARRA DO GARÇAS-MT Cleides da Silva Nascimento¹ Heverson Rodrigues Claro¹ Jaqueline Patrícia de Lima¹ Marcos

Leia mais

18/2/2013. Profª Drª Alessandra Camillo S. C. Branco PRESCRIÇÃO OU RECEITA MÉDICA TIPOS DE RECEITAS PRESCRIÇÃO OU RECEITA MÉDICA TIPOS DE RECEITAS

18/2/2013. Profª Drª Alessandra Camillo S. C. Branco PRESCRIÇÃO OU RECEITA MÉDICA TIPOS DE RECEITAS PRESCRIÇÃO OU RECEITA MÉDICA TIPOS DE RECEITAS PRESCRIÇÃO MÉDICA Profª Drª Alessandra Camillo S. C. Branco PRESCRIÇÃO OU RECÉITA MÉDICA CONCEITO Solicitação escrita, com instruções detalhadas, sobre o medicamento a ser dado ao paciente: Quantidade

Leia mais

CARTA DE SÃO PAULO 5º CONGRESSO BRASILEIRO SOBRE O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS E A SEGURANÇA DO PACIENTE

CARTA DE SÃO PAULO 5º CONGRESSO BRASILEIRO SOBRE O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS E A SEGURANÇA DO PACIENTE CARTA DE SÃO PAULO 5º CONGRESSO BRASILEIRO SOBRE O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS E A SEGURANÇA DO PACIENTE A realização do I Congresso Brasileiro sobre o Uso Racional de Medicamentos

Leia mais

MÉTODOS DE EXTRAÇÃO E FRACIONAMENTO DE EXTRATOS VEGETAIS

MÉTODOS DE EXTRAÇÃO E FRACIONAMENTO DE EXTRATOS VEGETAIS Thaila Miyake MÉTODOS DE EXTRAÇÃO E FRACIONAMENTO DE EXTRATOS VEGETAIS As plantas medicinais são os principais componentes da medicina tradicional. A utilização de plantas para o tratamento de doenças

Leia mais

ANEXO III REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES POR CARGO/FUNÇÃO

ANEXO III REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES POR CARGO/FUNÇÃO ANEXO III REQUISITOS E ATRIBUIÇÕES POR CARGO/FUNÇÃO ANALISTA EM SAÚDE/ ASSISTENTE SOCIAL PLANTONISTA REQUISITOS: Certificado ou Declaração de conclusão do Curso de Serviço Social, registrado no MEC; E

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS

PROGRAMA NACIONAL DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos PROGRAMA NACIONAL DE PLANTAS MEDICINAIS E FITOTERÁPICOS Brasília DF 2007 Lista de siglas ANPPS ANVISA APEX ATER ATS BNDES BPA

Leia mais