Anvisa - Alimentos - Informes Técnicos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Anvisa - Alimentos - Informes Técnicos"

Transcrição

1 Página 1 de 7 English Español Institucional Anvisa Publica Serviços Áreas de Atuação Legislação Buscar Informes Técnicos Informe Técnico nº. 36, de 27 de junho de 2008 Orientações sobre a declaração da informação nutricional em para fins especiais e outras categorias específicas I. Introdução A n. 360/2003 estabelece como obrigatória a declaração da informação nutricional no rótulo de produzidos, comercializados e embalados na ausência do cliente e prontos para serem oferecidos aos consumidores. O item desta Resolução determina que a informação nutricional deve ser expressa por porção, incluindo a medida caseira correspondente, segundo o estabelecido no Regulamento Técnico específico ( n. 359/2003) e em percentual de Valor Diário (%VD). Além disso, de acordo com o item da n. 360/2003, o cálculo do %VD deve ser feito Valores Diários de Referência (VDR) de valor energético e nutrientes de declaração obrigatória e na Ingestão Diária Recomendada (IDR) de vitaminas e minerais Anexo A desta Resolução. Entretanto, o item 5.4 da n. 360/2003 estabelece que os destinados a pessoas com transtornos metabólicos específicos e ou condições fisiológicas particulares podem, por meio de regulamentação, estar isentos de declarar as porções e ou o percentual de Valor Diário. Dessa forma, muitas empresas solicitam orientações sobre como deve ser a declaração de porção e %VD em para fins especiais e certas categorias específicas de. Diante do exposto, verifica-se a necessidade da padronização de procedimentos na declaração de porção e %VD de para fins especiais e de categorias específicas de, como, por exemplo, suplementos vitamínicos e/ou minerais, novos, com alegações de propriedades funcionais e/ou de saúde e substâncias bioativas e probióticos isolados com alegação de propriedades funcional e ou de saúde, com informação nutricional complementar e adicionados de nutrientes essenciais. II. Objetivo Orientar os órgãos de vigilância sanitária e o setor produtivo em relação à declaração de porção e de %VD em para fins especiais e em outras categorias específicas de, a fim de padronizar as informações s rótulos para facilitar o entendimento dos consumidores. III. Procedimentos Os procedimentos para declaração de porção e %VD de para fins especiais e de categorias específicas de devem estar em consonância com o estabelecido na n. 360/2003 e nos itens de rotulagem de cada um dos regulamentos técnicos específicos das categorias em questão. A tabela 1 resume como deve ser feita a declaração da porção e do percentual de Valor Diário no rótulo de para fins especiais e ou outras categorias específicas de (substâncias bioativas e probióticos isolados com alegação

2 Página 2 de 7 de propriedades funcional e ou de saúde, novos, com alegação de propriedade funcional e ou de saúde, suplementos vitamínicos e ou minerais, com informação nutricional complementar e adicionados de nutrientes essenciais). Tabela 1: Orientações quanto a declaração da porção e do percentual de Valor Diário no rótulo de para fins especiais e ou outras categorias específicas de. Categorias de para fins especiais para controle de peso Regulamento Técnico 30/1998 Rotulagem Nutricional Como deve ser feita a declaração dos valores absolutos de valor energético e de nutrientes? Quando houver indicação de preparo com outros ingredientes, deve-se declarar o valor nutricional de cada combinação final. Além disso, deve-se declarar a informação nutricional por 100g/100ml do produto tal como exposto à venda. Como deve ser feita a declaração do %VD 1? para praticantes de atividade física para nutrição enteral 222/1998 Resolução 449/1999 Sem indicação de porção. Deve-se declarar a informação nutricional por 100g/100ml do alimento tal como exposto a venda e, obrigatoriamente, por 100ml do alimento pronto para o consumo, quando for o caso. ser declarado somente para vitaminas e minerais em 100g/100ml do alimento tal como exposto a venda. Adicionalmente, o %VD pode ser declarado em 100ml do alimento pronto para o consumo, conforme instruções de preparo do valores d No caso de para

3 Página 3 de 7 p/ gestantes e nutrizes de transição para lactentes (até 11 meses e 29 dias) e crianças de primeira infância (de 1 ano a 2 anos e 11 meses) à base de cereais para alimentação infantil (até 2 anos e 11 meses) 223/ / /1998 fins especiais indicados especificamente para crianças menores de 10 anos, deve-se utilizar como referência as IDRs da 269/05 para cálculo do %VD das vitaminas e dos minerais. O %VD deve ser declarado para vitaminas e minerais com base nas IDR da 269/05. Opcionalmente, pode ser VD para valor energético, carboidratos, proteínas, gorduras totais e saturadas, fibra alimentar e sódio, com base nas referências para o cálculo de Valor Diário para crianças sítio eletrônico da ANVISA (atualmente em atualização). O %VD deve ser declarado para vitaminas e minerais com base nas IDR da 269/05. Opcionalmente, pode ser VD para valor energético, carboidratos, proteínas, gorduras totais e saturadas, fibra alimentar e sódio, com base nas referências para o cálculo de Valor Diário para

4 Página 4 de 7 Fórmulas infantis para lactentes e de segmento 977/1998 Sem indicação de porção. declarada por 100g/100ml do alimento tal como exposto à venda. Adicionalmente, pode-se declarar a informação nutricional por 100ml e/ou por 100kcal do alimento pronto para o consumo. crianças sítio eletrônico da ANVISA (atualmente em atualização). Sem declaração do % VD. Demais para fins especiais: - com restrição de nutrientes (carboidratos, gorduras, proteínas e sódio) e - para dietas de ingestão controlada de açúcares 29/1998 RDC 359/03. Quando não houver porção de referência ou grupo de alimento de referência na 359/03, declarar a porção indicada pelo Especificidade de para Erros Inatos do Metabolismo: No caso de produtos para erros inatos do metabolismo que não tenham porção de referência na 359/03, a declaração da informação nutricional deverá ser feita por 100g/100ml do alimento tal como exposto a venda ou pela porção individual indicada pelo fabricante (Ex.: saches). No caso de para fins especiais indicados especificamente para crianças menores de 10 anos, deve-se utilizar como referência as IDR da 269/2005 para cálculo do %VD para vitaminas e minerais, de acordo com a faixa etária específica. Opcionalmente, poderá ser VD para valor energético, carboidratos, proteínas, gorduras totais e saturadas, fibra alimentar e sódio, com base nas referências para o cálculo de Valor Diário para crianças sítio eletrônico da ANVISA (atualmente em atualização). No caso

5 Página 5 de 7 Categorias Regulamento específicas de Técnico Substâncias bioativas e probióticos isolados com alagação Alimento com alegações de propriedade funcional e ou de saúde Novos e/ou ingredientes Suplementos vitamínicos e ou minerais adicionados de nutrientes essenciais 3 c/ informação específico de produtos para erros inatos do metabolismo que venham a fazer a informação nutricional por 100g/100ml do alimento tal como exposto a venda, somente deve ser VD para vitaminas e minerais. Rotulagem Nutricional Como deve ser feita a declaração dos valores absolutos de valor energético e de nutrientes? RDC 2/2002 Deve-se declarar a informação nutricional com base na recomendação diária indicada pelo Resolução 19/1999 Resolução 16/ /1998 n. 31/ /1998 RDC 359/03 para convencionais ou com base na recomendação diária indicada pelo fabricante, quando a forma de apresentação for cápsulas, tabletes, comprimidos, pastilhas e similares. 2 RDC 359/03 para convencionais ou com base na recomendação diária indicada pelo fabricante, quando a forma de apresentação for cápsulas, tabletes, comprimidos, pastilhas e similares. 2 nutricional deve ser feita com base na recomendação diária indicada pelo RDC 359/03. Como deve ser feita a declaração do %VD 1?

6 Página 6 de 7 nutricional complementar (INC) 3 IV. Adequação dos rótulos Quando da fiscalização de produtos, caso os órgãos de Vigilância Sanitária identifiquem rótulos que não estejam de acordo com as orientações do item III, as empresas devem ser notificadas para que providenciem as alterações. As empresas devem adequar os rótulos dos seus produtos à medida que forem renovando os estoques de embalagens. Quando notificadas, devem informar ao órgão de Vigilância Sanitária local a previsão para esgotamento das embalagens e adequação às orientações. V. Referências RDC 359/ A coluna de declaração do percentual de Valor Diário sempre deve ser intitulada como %VD, independente de com base nas VDR ou nas IDR, conforme estabelecido no item da n. 360/ Situações diferentes serão avaliadas caso a caso. 3. que se enquadram em qualquer outra categoria, devem seguir orientações específicas. BRASIL. nº. 360, de 23 de dezembro de Regulamento Técnico sobre Rotulagem Nutricional de Embalados. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 dez BRASIL. nº. 359, de 23 de dezembro de Regulamento Técnico de Porções de Embalados para fins de Rotulagem Nutricional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 dez BRASIL. nº. 269, de 22 de setembro de Regulamento Técnico sobre a Ingestão Diária Recomendada (IDR) de proteína, vitaminas e minerais. ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária, 23 set BRASIL. SVS/MS nº 30, de 13 de janeiro de Regulamento Técnico referente a para Controle de Peso. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 16 jan BRASIL. Resolução nº 449, de 09 de setembro de Regulamento Técnico referente a para Nutrição Enteral. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 13 set BRASIL. SVS/MS nº 223, de 24 de março de Regulamento Técnico para Fixação e Qualidade Complementos Alimentares para Gestantes ou Nutrizes. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 25 mar BRASIL. SVS/MS nº 34, de 13 de janeiro de Regulamento Técnico referente a de Transição para Lactentes e Crianças de Primeira Infância. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 16 jan BRASIL. SVS/MS nº 36, de 13 de janeiro de 1998 (Versão Republicada 15/04/1999). Regulamento Técnico referente a à Base de Cereais para Alimentação Infantil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 15 abr BRASIL. SVS/MS nº 977, de 05 de dezembro de 1998 (Versão Republicada 15/04/1999). Regulamento Técnico referente às Fórmulas Infantis para Lactentes e às Fórmulas Infantis de Seguimento. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 15 abr BRASIL. nº 29, de 13 de janeiro de 1998 (Versão Republicada 30/03/1998). Regulamento Técnico referente a para Fins Especiais. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 30 mar BRASIL. SVS/MS nº 31, de 13 de janeiro de Regulamento Técnico referente à Informação Nutricional Complementar (declarações relacionadas ao conteúdo de nutrientes). Diário Oficial da União, Brasília, DF, 16 jan

7 Página 7 de 7 BRASIL. SVS/MS nº 27, de 13 de janeiro de Regulamento Técnico referente a Adicionados de Nutrientes Essenciais. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 16 jan BRASIL. SVS/MS nº 32, de 13 de janeiro de Regulamento Técnico para Suplementos Vitamínicos e ou de Minerais. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 15 jan BRASIL. Resolução nº 19, de 30 de abril de Regulamento Técnico de procedimentos para registro de alimento com alegação de propriedades funcionais e ou de saúde em sua rotulagem. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 03 maio BRASIL. Resolução nº 16, de 30 de abril de Regulamento Técnico de Procedimentos para registro de e ou Novos Ingredientes. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 03 dez BRASIL. nº 2, de 07 de janeiro de Regulamento Técnico de Substâncias Bioativas e Probióticos Isolados com Alegação de Propriedades Funcional e ou de Saúde. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 09 jan Boletins Eletrônicos Consultas Públicas Fórum Informes Técnicos Notícias Voltar Subir Imprimir

PORTARIA N 29, DE 13 DE JANEIRO DE 1998

PORTARIA N 29, DE 13 DE JANEIRO DE 1998 PORTARIA N 29, DE 13 DE JANEIRO DE 1998 A Secretária de Vigilância Sanitária, do Ministério da Saúde, no uso de suas atribuições legais, considerando a necessidade de constante aperfeiçoamento das ações

Leia mais

Profa Tânia Maria Leite da Silveira

Profa Tânia Maria Leite da Silveira Profa Tânia Maria Leite da Silveira Como o consumidor adquire informações sobre os alimentos? Conhecimento da família Educação Mídia Publicidade Rotulagem Importância da rotulagem Informações corretas

Leia mais

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 273, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005.

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 273, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 273, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o art. 11 inciso IV do

Leia mais

ROTULAGEM DE ALIMENTOS

ROTULAGEM DE ALIMENTOS ROTULAGEM DE ALIMENTOS A rotulagem de alimentos apresenta uma importância muito relevante hoje para o consumidor, pois através da mesma, conseguimos repassar muitas informações aos mesmos, tais como prazo

Leia mais

Resolução RDC nº 273, de 22 de setembro de 2005

Resolução RDC nº 273, de 22 de setembro de 2005 Resolução RDC nº 273, de 22 de setembro de 2005 Aprova o "REGULAMENTO TÉCNICO PARA MISTURAS PARA O PREPARO DE ALIMENTOS E ALIMENTOS PRONTOS PARA O CONSUMO". D.O.U. - Diário Oficial da União; Poder Executivo,

Leia mais

Apresentação da CP de revisão e atualização de alimentos para atletas

Apresentação da CP de revisão e atualização de alimentos para atletas Apresentação da CP de revisão e atualização de alimentos para atletas Antônia Maria de Aquino Encontro Nacional de Vigilâncias Sanitárias Fortaleza, 22 e 23 de novembro de 2008 1 Histórico 1997 Grupo de

Leia mais

RESOLUÇÃO N 02, DE 07 DE JANEIRO DE 2002

RESOLUÇÃO N 02, DE 07 DE JANEIRO DE 2002 RESOLUÇÃO N 02, DE 07 DE JANEIRO DE 2002 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária no uso da atribuição que lhe confere o art. 11 inciso IV do Regulamento da ANVISA aprovado pelo

Leia mais

RESOLUÇÃO - RDC Nº. 18, DE 27 DE ABRIL DE 2010. Dispõe sobre alimentos para atletas.

RESOLUÇÃO - RDC Nº. 18, DE 27 DE ABRIL DE 2010. Dispõe sobre alimentos para atletas. RESOLUÇÃO - RDC Nº. 18, DE 27 DE ABRIL DE 2010. Dispõe sobre alimentos para atletas. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o inciso IV

Leia mais

CP60/2008. Proposta de Regulamento Técnico de Alimentos para Atletas. www.anvisa.gov.br. Agência Nacional de Vigilância Sanitária

CP60/2008. Proposta de Regulamento Técnico de Alimentos para Atletas. www.anvisa.gov.br. Agência Nacional de Vigilância Sanitária CP60/2008 Proposta de Regulamento Técnico de Alimentos para Atletas 1 Situação atual Alimentos para fins Especiais Port. 29/98 Alimentos para dietas com restrição de nutrientes Alimentos para ingestão

Leia mais

Perspectivas legais de alegações de propriedades funcionais e ou de saúde

Perspectivas legais de alegações de propriedades funcionais e ou de saúde Perspectivas legais de alegações de propriedades funcionais e ou de saúde 4º Simpósio de Segurança Alimentar Gramado/RS, 29 e 30/05/2012 Antonia Maria de Aquino GPESP/GGALI/ANVISA Missão da Anvisa Promover

Leia mais

O QUE É IMPORTANTE SABER NA ROTULAGEM DE ALIMENTOS PARA CRIANÇAS? 27/08/2011. Amanda Poldi

O QUE É IMPORTANTE SABER NA ROTULAGEM DE ALIMENTOS PARA CRIANÇAS? 27/08/2011. Amanda Poldi O QUE É IMPORTANTE SABER NA ROTULAGEM DE ALIMENTOS PARA CRIANÇAS? 27/08/2011 Amanda Poldi CRIANÇA-DEFINIÇÃO LEI 11.265/2006 CRIANÇA: indivíduo até 12 (doze) anos de idade incompletos; CRIANÇA DE PRIMEIRA

Leia mais

ROTULAGEM DE ALIMENTOS

ROTULAGEM DE ALIMENTOS ROTULAGEM DE ALIMENTOS Profª Ana Paula F. Bernardes Silva A QUEM COMPETE MINISTÉRIO DA SAÚDE: Produtos de origem animal; Vegetais e cereais (grãos) in natura; Bebidas e vinagre; Mel. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA:

Leia mais

Apresentação. O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos

Apresentação. O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos Valor Energético É a energia produzida pelo nosso corpo proveniente dos carboidratos, proteínas e gorduras totais. Na rotulagem

Leia mais

7/3/2014 Alegações de propriedade funcional aprovadas

7/3/2014 Alegações de propriedade funcional aprovadas Contraste normal Alto Contraste Alegações de propriedade funcional aprovadas As alegações horizontais apresentadas a seguir fazem parte de um processo contínuo e dinâmico de reavaliação das alegações aprovadas

Leia mais

1.1.1.1. Amostra Grátis. 1.1.1.2. Produtos importados. 1.1.3. Lista de Ingredientes e Ingredientes compostos. 1.1.3.1. Frutas cristalizadas

1.1.1.1. Amostra Grátis. 1.1.1.2. Produtos importados. 1.1.3. Lista de Ingredientes e Ingredientes compostos. 1.1.3.1. Frutas cristalizadas Atualizado: 22 / 01 / 2013 1. Rotulagem de alimentos 1.1. Rotulagem nutricional 1.1.1. Informações obrigatórias 1.1.1.1. Amostra Grátis 1.1.1.2. Produtos importados 1.1.1.3. Glúten 1.1.2. Produtos inacabados

Leia mais

PARECER CRN-3 PRESCRIÇÃO DE SUPLEMENTOS NUTRICIONAIS

PARECER CRN-3 PRESCRIÇÃO DE SUPLEMENTOS NUTRICIONAIS PARECER CRN-3 PRESCRIÇÃO DE SUPLEMENTOS NUTRICIONAIS INTRODUÇÃO O Conselho Regional de Nutricionistas da 3º Região, no cumprimento de suas atribuições de orientar e disciplinar a prática profissional dos

Leia mais

ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária

ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária Perguntas e Respostas sobre Informação Nutricional Complementar Gerência de Produtos Especiais Gerência Geral de Alimentos www.anvisa.gov.br Brasília/DF

Leia mais

Alimentos com Alegações de Propriedades Funcionais e ou de Saúde, Novos Alimentos/Ingredientes, Substâncias Bioativas e Probióticos

Alimentos com Alegações de Propriedades Funcionais e ou de Saúde, Novos Alimentos/Ingredientes, Substâncias Bioativas e Probióticos FONTE: ANVISA Alimentos com Alegações de Propriedades Funcionais e ou de Saúde, Novos Alimentos/Ingredientes, Substâncias Bioativas e Probióticos IX - Lista de alegações de propriedade funcional aprovadas

Leia mais

ÁCIDOS GRAXOS. Alegação

ÁCIDOS GRAXOS. Alegação DECLARACIONES FUNCIONALES O DE SALUD As alegações horizontais apresentadas a seguir fazem parte de um processo contínuo e dinâmico de reavaliação das alegações aprovadas com base em evidências científicas.

Leia mais

REGISTRO DE PRODUTOS NO BRASIL: AVANÇOS E DESAFIOS

REGISTRO DE PRODUTOS NO BRASIL: AVANÇOS E DESAFIOS Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação REGISTRO DE PRODUTOS NO BRASIL: AVANÇOS E DESAFIOS I Reunião Anual da Vigilância Sanitária de Alimentos 15 a 17 de maio/2007 João Pessoa Amanda Poldi

Leia mais

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 264, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005.

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº 264, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. título: Resolução RDC nº 264, de 22 de setembro de 2005 ementa não oficial: Aprova o "REGULAMENTO TÉCNICO PARA CHOCOLATE E PRODUTOS DE CACAU". publicação: D.O.U. - Diário Oficial da União; Poder Executivo,

Leia mais

Rotulagem de alimentos embalados. Prof. Ismar Araújo de Moraes Departamento de fisiologia e Farmacologia da UFF Medico Veterinário S/SUBVISA-RIO

Rotulagem de alimentos embalados. Prof. Ismar Araújo de Moraes Departamento de fisiologia e Farmacologia da UFF Medico Veterinário S/SUBVISA-RIO Rotulagem de alimentos embalados Prof. Ismar Araújo de Moraes Departamento de fisiologia e Farmacologia da UFF Medico Veterinário S/SUBVISA-RIO Rotulagem É toda inscrição, legenda, imagem ou toda matéria

Leia mais

TEMA: Dieta enteral de soja para paciente portadora de doença de Alzheimer e de adenocarcinoma gástrico.

TEMA: Dieta enteral de soja para paciente portadora de doença de Alzheimer e de adenocarcinoma gástrico. Nota Técnica Processo n º Solicitante: Dra. Daniele Viana da Silva Juíza da Comarca de Ervália - Mg Data: 07/12/2012 Medicamento/ Dieta Material Procedimento Cobertura x TEMA: Dieta enteral de soja para

Leia mais

revoga: Resolução nº 14 de junho de 1978 Resolução nº 15 de abril de 1978 RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 268, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005.

revoga: Resolução nº 14 de junho de 1978 Resolução nº 15 de abril de 1978 RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 268, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. título: Resolução RDC nº 268, de 22 de setembro de 2005 ementa não oficial: Aprova o "REGULAMENTO TÉCNICO PARA PRODUTOS PROTÉICOS DE ORIGEM VEGETAL". publicação: D.O.U. - Diário Oficial da União; Poder

Leia mais

Nutrição. tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º. Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista

Nutrição. tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º. Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista A Enfermagem e o Serviço de Nutrição e Dietética tica (SND) Disciplina:Nutrição para Enfermagem Curso: Enfermagem Semestre: 4º Profa. Dra. Andréia Madruga de Oliveira Nutricionista 1 A enfermagem e o Serviço

Leia mais

órgão emissor: ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária alcance do ato: federal - Brasil área de atuação: Alimentos relacionamento(s):

órgão emissor: ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária alcance do ato: federal - Brasil área de atuação: Alimentos relacionamento(s): título: Resolução RDC nº 360, de 23 de dezembro de 2003 ementa não oficial: Aprova Regulamento Técnico sobre Rotulagem Nutricional de Alimentos Embalados, tornando obrigatória a rotulagem nutricional.

Leia mais

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 269, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005.

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 269, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 269, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o art. 11 inciso IV do

Leia mais

O consumidor deve estar atento às informações do rótulo?

O consumidor deve estar atento às informações do rótulo? Os consumidores têm o direito de conhecer as características e a composição nutricional dos alimentos que adquirem. A legislação nacional estabelece algumas normas para registro dessas informações na rotulagem

Leia mais

Multivitamínicos Minerais. Regulamentação no Brasil

Multivitamínicos Minerais. Regulamentação no Brasil Multivitamínicos Minerais Regulamentação no Brasil Workshop sobre Estratégia de Fortificação Caseira no Brasil 29 e 30 de setembro Brasília (DF) Regulamentação Suplementos vitamínicos e ou minerais (Alimentos)

Leia mais

Manual do Usuário. Peticionamento Eletrônico de Notificação de Alimentos Isentos de Registro Sanitário

Manual do Usuário. Peticionamento Eletrônico de Notificação de Alimentos Isentos de Registro Sanitário Manual do Usuário Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa 2012 Peticionamento eletrônico.indd 1 17/10/2012 11:09:04 Copyright 2012. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. É permitida a reprodução

Leia mais

O manipulador de alimentos tem que conferir todas as informações do rótulo?

O manipulador de alimentos tem que conferir todas as informações do rótulo? Os consumidores têm o direito de conhecer as características e a composição nutricional dos alimentos que adquirem. A legislação nacional estabelece algumas normas para registro dessas informações na rotulagem

Leia mais

RESOLUÇÃO ANVISA RDC Nº 360, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2003

RESOLUÇÃO ANVISA RDC Nº 360, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2003 RESOLUÇÃO ANVISA RDC Nº 360, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2003 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o art. 11 inciso IV do Regulamento da ANVISA

Leia mais

A ROTULAGEM DE ALIMENTOS PROMOVENDO O CONTROLE SANITÁRIO E A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

A ROTULAGEM DE ALIMENTOS PROMOVENDO O CONTROLE SANITÁRIO E A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Prefeitura Municipal do Natal Secretaria Municipal de Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Setor de Vigilância Sanitária Distrito Sanitário Oeste Núcleo de Vigilância Sanitária A ROTULAGEM DE ALIMENTOS

Leia mais

Resolução da Diretoria Colegiada - RDC Nº 54, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2012

Resolução da Diretoria Colegiada - RDC Nº 54, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2012 1 Resolução da Diretoria Colegiada - RDC Nº 54, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2012 Dispõe sobre o Regulamento Técnico sobre Informação Nutricional Complementar. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO PROGRAMA DE ANÁLISE DE PRODUTOS: RELATÓRIO

Leia mais

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 45, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011. (Alterada pela Resolução RDC n 48, de 25 de setembro de 2014.

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 45, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011. (Alterada pela Resolução RDC n 48, de 25 de setembro de 2014. 1 RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 45, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011. (Alterada pela Resolução RDC n 48, de 25 de setembro de 2014.) D.O.U. de 22/09/2011 Dispõe sobre o regulamento técnico para fórmulas

Leia mais

Resolução DC/ANVISA nº 45, de 19.09.2011 - DOU de 21.09.2011

Resolução DC/ANVISA nº 45, de 19.09.2011 - DOU de 21.09.2011 Resolução DC/ANVISA nº 45, de 19.09.2011 - DOU de 21.09.2011 Dispõe sobre o regulamento técnico para fórmulas infantis para lactentes destinadas a necessidades dietoterápicas específicas e fórmulas infantis

Leia mais

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 269, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005.

RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 269, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. RESOLUÇÃO DE DIRETORIA COLEGIADA - RDC Nº. 269, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o art. 11 inciso IV do

Leia mais

prorrogada(o) por:resolução RDC nº 182, de 03 de outubro de 2006

prorrogada(o) por:resolução RDC nº 182, de 03 de outubro de 2006 título: Resolução RDC nº 269, de 22 de setembro de 2005 ementa não oficial: O "REGULAMENTO TÉCNICO SOBRE A INGESTÃO DIÁRIA RECOMENDADA (IDR) DE PROTEÍNA, VITAMINAS E MINERAIS". publicação: ANVISA - Agência

Leia mais

considerando a necessidade de constante aperfeiçoamento das ações de controle sanitário na área de alimentos, visando à saúde da população;

considerando a necessidade de constante aperfeiçoamento das ações de controle sanitário na área de alimentos, visando à saúde da população; RESOLUÇÃO - RDC Nº 40, DE 21 DE MARÇO DE 2001 A Diretoria Coleiada da Aência Nacional de Viilância Sanitária no uso da atribuição que lhe confere o art. 11 inciso IV do Reulamento da ANVISA aprovado pelo

Leia mais

INTERAÇÃO DAS ENGENHARIAS COM O ENSINO MÉDIO: ENGENHARIAS EM PRÁTICA OFICINA SOBRE ROTULAGEM E LEGISLAÇÃO DE ALIMENTOS

INTERAÇÃO DAS ENGENHARIAS COM O ENSINO MÉDIO: ENGENHARIAS EM PRÁTICA OFICINA SOBRE ROTULAGEM E LEGISLAÇÃO DE ALIMENTOS 9. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

ISSN: 2236-0123 Saúde em Foco, Edição nº: 07, Mês / Ano: 09/2013, Páginas: 29-34

ISSN: 2236-0123 Saúde em Foco, Edição nº: 07, Mês / Ano: 09/2013, Páginas: 29-34 ISSN: 2236-0123 Saúde em Foco, Edição nº: 07, Mês / Ano: 09/2013, Páginas: 29-34 AVALIAÇÃO DA ROTULAGEM DE BARRAS DE CEREAIS COM RELAÇÃO À ADEQUADA CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO TEOR DE FIBRAS ALIMENTARES Karime

Leia mais

REGULAÇÃO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES

REGULAÇÃO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES REGULAÇÃO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES X REUNIÃO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE ALIMENTOS Stefani Faro de Novaes Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária 24 e 25 de novembro de 2014 Rio de Janeiro -

Leia mais

INFORME TÉCNICO N. 54/2013 TEOR DE SÓDIO NOS ALIMENTOS PROCESSADOS

INFORME TÉCNICO N. 54/2013 TEOR DE SÓDIO NOS ALIMENTOS PROCESSADOS INFORME TÉCNICO N. 54/2013 TEOR DE SÓDIO NOS ALIMENTOS PROCESSADOS 1.Introdução Em 13 de dezembro de 2011 o Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) assinaram termo de

Leia mais

COMERCIALIZAÇÃO DE GÉNEROS ALIMENTÍCIOS DESTINADOS A UMA ALIMENTAÇÃO ESPECIAL

COMERCIALIZAÇÃO DE GÉNEROS ALIMENTÍCIOS DESTINADOS A UMA ALIMENTAÇÃO ESPECIAL COMERCIALIZAÇÃO DE GÉNEROS ALIMENTÍCIOS DESTINADOS A UMA ALIMENTAÇÃO ESPECIAL Direcção-Geral da Saúde Ministério da Saúde 14 de Outubro 2008 OBJECTIVOS 1. Definição 2. Exemplos de grupos de géneros alimentícios

Leia mais

TÍTULO: ROTULAGEM NUTRICIONAL: AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE EM ALIMENTOS DIET E LIGHT

TÍTULO: ROTULAGEM NUTRICIONAL: AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE EM ALIMENTOS DIET E LIGHT TÍTULO: ROTULAGEM NUTRICIONAL: AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE EM ALIMENTOS DIET E LIGHT CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES

Leia mais

Proposta do Termo de Adesão

Proposta do Termo de Adesão Proposta do Termo de Adesão Informação Nutricional em Fast Food Gerência de Produtos Especiais Gerência-Geral de Alimentos 1. Histórico - Resolução RDC nº 40/01 Tornou obrigatória a Rotulagem Nutricional

Leia mais

VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO?

VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO? VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO? EDUCAÇÃO PARA O CONSUMO SAUDÁVEL MANUAL DE ORIENTAÇÃO AOS CONSUMIDORES Fonte: ANVISA - Aência Nacional de Viilância Sanitária APRESENTAÇÃO Neste manual, vamos conhecer alumas

Leia mais

Comissão apresenta proposta sobre alegações nutricionais e de saúde para informar melhor os consumidores e harmonizar o mercado

Comissão apresenta proposta sobre alegações nutricionais e de saúde para informar melhor os consumidores e harmonizar o mercado IP/03/1022 Bruxelas, 16 de Julho de 2003 Comissão apresenta proposta sobre alegações nutricionais e de saúde para informar melhor os consumidores e harmonizar o mercado A Comissão Europeia adoptou hoje

Leia mais

ALERTA AOS CONSUMIDORES: Fique atento com os suplementos alimentares!

ALERTA AOS CONSUMIDORES: Fique atento com os suplementos alimentares! ALERTA AOS CONSUMIDORES: Fique atento com os suplementos alimentares! Pílula natural para emagrecimento, Quer perder peso agora?, Produto anticatabólico, Promove o ganho de massa muscular, Combate o envelhecimento

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Agência Nacional de Vigilância Sanitária www.anvisa.gov.br Consulta Pública nº 95, de 21 de dezembro de 2009. D.O.U de 22/12/09 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso

Leia mais

Rotulagem Nutricional Obrigatória Manual de Orientação aos Consumidores Educação para o Consumo Saudável

Rotulagem Nutricional Obrigatória Manual de Orientação aos Consumidores Educação para o Consumo Saudável Rotulagem Nutricional Obrigatória Manual de Orientação aos Consumidores Educação para o Consumo Saudável Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária Gerência Geral de Alimentos Universidade

Leia mais

ELABORAÇÃO DE RÓTULOS PARA PRODUTOS DE PANIFICAÇÃO DO MOSTEIRO DA RESSURREIÇÃO

ELABORAÇÃO DE RÓTULOS PARA PRODUTOS DE PANIFICAÇÃO DO MOSTEIRO DA RESSURREIÇÃO 110. ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( X ) TECNOLOGIA ELABORAÇÃO DE RÓTULOS PARA

Leia mais

VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE ROTULAGEM DE ALIMENTOS EMBALADOS

VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE ROTULAGEM DE ALIMENTOS EMBALADOS Curitiba 2008 2 VIGILÂNCIA SANITÁRIA DE ROTULAGEM DE ALIMENTOS EMBALADOS Grupo de trabalho integrado por: Deise Regina B. Mendonça Universidade Federal do Paraná Elizabeth da Cruz Instituto de Saúde do

Leia mais

Proponentes: 4, 5, 7, 8, 9.

Proponentes: 4, 5, 7, 8, 9. Consolidação das contribuições recebidas na Consulta Pública n. 98/2009 - Dispõe sobre o Regulamento Técnico para fórmulas infantis para lactentes e fórmulas infantis de seguimento para lactentes e crianças

Leia mais

Regulação de Alimentos GARANTIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL. CamPo E Na CidAde 5ª Conferência Nacional de. Segurança Alimentar e Nutricional

Regulação de Alimentos GARANTIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL. CamPo E Na CidAde 5ª Conferência Nacional de. Segurança Alimentar e Nutricional Regulação de Alimentos GARANTIA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL ComIda de VerDadE no CamPo E Na CidAde 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional Texto elaborado pelo Grupo de Trabalho

Leia mais

Regulamentação das águas no Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)

Regulamentação das águas no Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) Regulamentação das águas no Brasil (ANVISA) Elisabete Gonçalves Dutra Gerencia Geral de Alimentos LEI Nº 9.782, DE 26 DE JANEIRO DE 1999 Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, cria a Agência Nacional

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA RESOLUÇÃO-RDC Nº 19, DE 5 DE MAIO DE 2010

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA RESOLUÇÃO-RDC Nº 19, DE 5 DE MAIO DE 2010 AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA RESOLUÇÃO-RDC Nº 19, DE 5 DE MAIO DE 2010 Dispõe sobre a obrigatoriedade das empresas informarem à ANVISA a quantidade de fenilalanina, proteína e umidade de alimentos,

Leia mais

ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária

ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária Perguntas e Respostas sobre Informação Nutricional Complementar (INC) Gerência de Produtos Especiais Gerência Geral de Alimentos www.anvisa.gov.br Brasília/DF

Leia mais

SHAKEASY. Bases Prontas para Shakes Funcionais

SHAKEASY. Bases Prontas para Shakes Funcionais Informações Técnicas SHAKEASY Bases Prontas para Shakes Funcionais INTRODUÇÃO SHAKEASY representa uma nova geração de shakes funcionais. Um completo e diferenciado substituto parcial de refeições que permite

Leia mais

VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO?

VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO? MANUAL DE ORIENTAÇÃO AOS CONSUMIDORES EDUCAÇÃO PARA O CONSUMO SAUDÁVEL VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO? ROTULAGEM NUTRICIONAL OBRIGATÓRIA MANUAL DE ORIENTAÇÃO AOS CONSUMIDORES EDUCAÇÃO PARA O CONSUMO SAUDÁVEL

Leia mais

Unidade II - A atuação do Nutricionista em Marketing. Unidade I:

Unidade II - A atuação do Nutricionista em Marketing. Unidade I: Unidade II - A atuação do Nutricionista em Marketing Unidade I: 0 Unidade II - A atuação do Nutricionista em Marketing A atuação do Nutricionista em Marketing A Resolução C.F.N. (Conselho Federal de Nutricionistas)

Leia mais

Regulamentação atual de alimentos contendo probióticos

Regulamentação atual de alimentos contendo probióticos Regulamentação atual de alimentos contendo probióticos Brasília, 30 de novembro de 2015 Competência Lei n. 9782/1999: Art. 8º Incumbe à Agência, respeitada a legislação em vigor, regulamentar, controlar

Leia mais

* Rótulos dos Alimentos. Equipe: Divair Doneda, Vanuska Lima, Clevi Rapkiewicz, Júlia S. Prates

* Rótulos dos Alimentos. Equipe: Divair Doneda, Vanuska Lima, Clevi Rapkiewicz, Júlia S. Prates * Rótulos dos Alimentos * A preservação ou conservação refere-se às formas de modificação dos alimentos e das bebidas a fim de que eles se mantenham adequados para consumo humano por mais tempo......,

Leia mais

ATUAÇÃO DA ANVISA NO CONTROLE SANITÁRIO DE ALIMENTOS Previsões 2014

ATUAÇÃO DA ANVISA NO CONTROLE SANITÁRIO DE ALIMENTOS Previsões 2014 Reunião ILSI São Paulo, 5 de dezembro de 2013 ATUAÇÃO DA ANVISA NO CONTROLE SANITÁRIO DE ALIMENTOS Previsões 2014 William Cesar Latorre Gerente de Inspeção e Controle de Riscos em Alimentos Gerência Geral

Leia mais

Você sabe o que está comendo?

Você sabe o que está comendo? Você sabe o que está comendo? Manual de orientação aos consumidores Educação para o Consumo Saudável Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa Rotulagem Nutricional Obrigatória Manual de orientação

Leia mais

considerando que os regulamentos técnicos da ANVISA de padrões de identidade e qualidade de alimentos devem priorizar os parâmetros sanitários;

considerando que os regulamentos técnicos da ANVISA de padrões de identidade e qualidade de alimentos devem priorizar os parâmetros sanitários; MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO-RDC Nº- 270, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Nº uso

Leia mais

RESOLUÇÃO VISA/SMSA-SUS/BH Nº 002/00

RESOLUÇÃO VISA/SMSA-SUS/BH Nº 002/00 RESOLUÇÃO VISA/SMSA-SUS/BH Nº 002/00 Dispõe sobre Registro e Dispensa da Obrigatoriedade de Registro de Produtos pertinentes à Área de Alimentos no âmbito do Município. A Vigilância Sanitária Municipal,

Leia mais

Questões relevantes levantadas pela Indústria

Questões relevantes levantadas pela Indústria Questões relevantes levantadas pela Indústria Seminário Informação ao Consumidor Novas regras de rotulagem Catarina Dias Sumário O regulamento (UE) 1169/2011 1 O Regulamento (UE) 1169/2011 As razões para

Leia mais

Art. 1º Aprovar o REGULAMENTO TÉCNICO PARA FIXAÇÃO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LEITE EM PÓ MODIFICADO, em anexo.

Art. 1º Aprovar o REGULAMENTO TÉCNICO PARA FIXAÇÃO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE LEITE EM PÓ MODIFICADO, em anexo. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 27, DE 12 DE JUNHO DE 2007 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE ROTULAGEM NUTRICIONAL DE ALIMENTOS EMBALADOS

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE ROTULAGEM NUTRICIONAL DE ALIMENTOS EMBALADOS MERCOSUL/GMC/RES Nº 46/03 REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE ROTULAGEM NUTRICIONAL DE ALIMENTOS EMBALADOS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, a Decisão Nº 20/02 do Conselho

Leia mais

RECOMENDAÇÃO Nº 05/2009

RECOMENDAÇÃO Nº 05/2009 Procedimento Administrativo Tutela Coletiva nº 1.34.030.000124/2009-41 RECOMENDAÇÃO Nº 05/2009 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pelo Procurador da República signatário, no uso de suas atribuições constitucionais

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO PROGRAMA DE ANÁLISE DE PRODUTOS: RELATÓRIO

Leia mais

Informe Técnico n. 67, de 1º de setembro de 2015.

Informe Técnico n. 67, de 1º de setembro de 2015. Informe Técnico n. 67, de 1º de setembro de 2015. Assunto: Orientações sobre os procedimentos para solicitação de alterações na lista de alimentos alergênicos. I. Introdução. A Resolução de Diretoria Colegiada

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL DE PORÇÕES DE ALIMENTOS EMBALADOS PARA FINS DE ROTULAGEM NUTRICIONAL

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL DE PORÇÕES DE ALIMENTOS EMBALADOS PARA FINS DE ROTULAGEM NUTRICIONAL MERCOSUL/GMC/RES. Nº 47/03 REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL DE PORÇÕES DE ALIMENTOS EMBALADOS PARA FINS DE ROTULAGEM NUTRICIONAL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, a Decisão

Leia mais

Ingredientes: Óleo de açaí e vitamina E. Cápsula: gelatina (gelificante) e glicerina (umectante).

Ingredientes: Óleo de açaí e vitamina E. Cápsula: gelatina (gelificante) e glicerina (umectante). Registro no M.S.: 6.5204.0095.001-3 Concentração: 500 mg Apresentação: Embalagem com 1000 cápsulas; Embalagem com 5000 cápsulas; Embalagem pet com 500 cápsulas envelopadas; Refil com 2000 cápsulas envelopadas.

Leia mais

Rotulagem Nutricional Obrigatória

Rotulagem Nutricional Obrigatória Rotulagem Nutricional Obrigatória Manual de Orientação às Indústrias de Alimentos 2 a versão atualizada Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária Gerência Geral de Alimentos Universidade

Leia mais

TEMA 4 IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE PRODUTOS PELA ROTULAGEM: NACIONAIS, IMPORTADOS E ILEGAIS

TEMA 4 IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE PRODUTOS PELA ROTULAGEM: NACIONAIS, IMPORTADOS E ILEGAIS TEMA 4 IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE PRODUTOS PELA ROTULAGEM: NACIONAIS, IMPORTADOS E ILEGAIS CURSO DE CAPACITAÇÃO SOBRE SUPLEMENTOS ALIMENTARES Stefani Faro de Novaes Especialista em Regulação e Vigilância

Leia mais

b) preparado contendo laranja (fruta) e banana (fruta) corresponde a um ingrediente característico;

b) preparado contendo laranja (fruta) e banana (fruta) corresponde a um ingrediente característico; MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 17, DE 19 DE JUNHO DE 2013 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

I. Apresentação. Relatório de análise de contribuições CP n. 93/09 Pag 1 de 10

I. Apresentação. Relatório de análise de contribuições CP n. 93/09 Pag 1 de 10 Consulta Pública n. 93/2009 - Dispõe sobre o regulamento técnico de compostos de nutrientes para alimentos destinados a lactentes e a crianças de primeira infância I. Apresentação Este relatório tem como

Leia mais

Manual de Rotulagem de Alimentos

Manual de Rotulagem de Alimentos Manual de Rotulagem de Alimentos Agosto 2013 Programa Mesa Brasil Sesc O Mesa Brasil Sesc é um programa de segurança alimentar e nutricional sustentável, que redistribui alimentos excedentes próprios para

Leia mais

Marcas e Publicidade e Mercado Ilegal de Produtos de Consumo

Marcas e Publicidade e Mercado Ilegal de Produtos de Consumo Marcas e Publicidade e Mercado Ilegal de Produtos de Consumo Luana Leticia Brazileiro - Sao Paulo, 27/08/2012 O que vem à mente quando se pensa em PepsiCo? 2 Marcas fortes e portfólio completo 19 US$ 1B

Leia mais

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA ÂNGELA MENDONÇA LIGA DE DIABETES A intervenção nutricional pode melhorar o controle glicêmico. Redução de 1.0 a 2.0% nos níveis de hemoglobina

Leia mais

APOIO À AGRICULTURA FAMILIAR DE FEIRA DE SANTANA EM REFRIGERAÇÃO E ROTULAGEM

APOIO À AGRICULTURA FAMILIAR DE FEIRA DE SANTANA EM REFRIGERAÇÃO E ROTULAGEM 830 APOIO À AGRICULTURA FAMILIAR DE FEIRA DE SANTANA EM REFRIGERAÇÃO E ROTULAGEM Witã dos Santos Rocha 1 ; Pablo Rodrigo Fica Piras 2 1. Bolsista PIBEX, Graduando em Engenharia de Alimentos, Universidade

Leia mais

IV - medição e monitoramento da pressão arterial;

IV - medição e monitoramento da pressão arterial; AUTÓGRAFO DO PROJETO DE LEI Nº 086/2014 Dispõe sobre a prestação de serviços farmacêuticos pelas farmácias e drogarias e adota outras providências. A Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina,

Leia mais

NUTRICIUM INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA FICHA DE ESPECIFICAÇÃO SUSTEMIL KIDS MORANGO

NUTRICIUM INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA FICHA DE ESPECIFICAÇÃO SUSTEMIL KIDS MORANGO FICHA DE ESPECIFICAÇÃO SUSTEMIL KIDS MORANGO IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA NOME DA EMPRESA: NUTRICIUM INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA Endereço: Rua Pitangui, n 77 Bairro: Concórdia. Belo Horizonte MG CNPJ. 04.040.657/0001-33

Leia mais

Dispõe sobre o Regulamento Técnico sobre Informação Nutricional Complementar.

Dispõe sobre o Regulamento Técnico sobre Informação Nutricional Complementar. MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO - RDC Nº 54, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2012 Dispõe sobre o Regulamento Técnico sobre Informação Nutricional Complementar.

Leia mais

RESOLUÇÃO-ANVISA Nº 263, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005

RESOLUÇÃO-ANVISA Nº 263, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 Resolução nº 263/2005 23/09/2005 RESOLUÇÃO-ANVISA Nº 263, DE 22 DE SETEMBRO DE 2005 DOU 23.09.2005 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere

Leia mais

Alimentos Funcionais: Regulamentação e desafios para o uso de alegações no Brasil

Alimentos Funcionais: Regulamentação e desafios para o uso de alegações no Brasil Alimentos Funcionais: Regulamentação e desafios para o uso de alegações no Brasil FOODSTAFF Assessoria de Alimentos Ltda. setembro/ 2012 Agenda Alimentos Funcionais e Novos Alimentos O Mercado de Alimentos

Leia mais

ROTULAGEM NUTRICIONAL: VOCÊ

ROTULAGEM NUTRICIONAL: VOCÊ ROTULAGEM NUTRICIONAL: VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO? F. F. Paiva, G. Cavada, E. Helbig, L. R. Borges Flávia Fernandes Paiva Gramado, 2012 Introdução Vida mais corrida Modificações alimentares + Maus hábitos

Leia mais

Legislação Brasileira para Alimentos Funcionais

Legislação Brasileira para Alimentos Funcionais Tecnoláctea & Sorvetes Seminário: Perspectivas e Oportunidades de Mercado no Setor de Lácteos Instituto de Tecnologia de Alimentos ITAL São Paulo Maio- 2009 Legislação Brasileira para Alimentos Funcionais

Leia mais

NOTA TÉCNICA SPEIS/VISA nº 02/2015

NOTA TÉCNICA SPEIS/VISA nº 02/2015 Prefeitura Municipal de Salvador- PMS Secretaria Municipal de Saúde- SMS Diretoria de Vigilância á Saúde- DVIS Subcoordenação de Vigilância Sanitária- VISA Setor de Produtos e Serviços de Interesse á Saúde-

Leia mais

REGISTRO: Isento de Registro no M.S. conforme Resolução RDC n 27/10. CÓDIGO DE BARRAS N : 7898171287947(Frutas vermelhas) 7898171287954(Abacaxi)

REGISTRO: Isento de Registro no M.S. conforme Resolução RDC n 27/10. CÓDIGO DE BARRAS N : 7898171287947(Frutas vermelhas) 7898171287954(Abacaxi) Ficha técnica CHÁ VERDE COM CÓLAGENO, VITAMINA C E POLIDEXTROSE Pó para Preparo de Bebida a Base de Chá Verde, com Colágeno hidrolisado, vitamina C e polidextrose Sabor Abacaxi e frutas vermelhas REGISTRO:

Leia mais

considerando a necessidade de implementar ações que venham contribuir para a melhoria da qualidade da assistência à saúde;

considerando a necessidade de implementar ações que venham contribuir para a melhoria da qualidade da assistência à saúde; Resolução - RDC nº 132, de 29 de maio de 2003 D.O.U de 02/06/2003 Dispõe sobre o registro de medicamentos específicos. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária no uso da atribuição

Leia mais

Fitoterapia e a prática do Nutricionista. Nutricionista Jacira Santos CRN-2 0091

Fitoterapia e a prática do Nutricionista. Nutricionista Jacira Santos CRN-2 0091 Fitoterapia e a prática do Nutricionista Nutricionista Jacira Santos CRN-2 0091 Nutrição Clínica Anos 70 Dietoterapia Hospitalar Anos 80 Dietoterapia em Consultório Anos 90 Fitoquímicos isolados e fitoterápicos

Leia mais

Perguntas e Respostas RDC n 44/2009

Perguntas e Respostas RDC n 44/2009 1_O que estabelece a RDC n 44/2009? Perguntas e Respostas RDC n 44/2009 Estabelece os critérios e condições mínimas para o cumprimento das Boas Práticas Farmacêuticas para o controle sanitário do funcionamento,

Leia mais

2. Conforme exigido no Anexo II, item 1.4 do edital os produtos devem atender às Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e emprego.

2. Conforme exigido no Anexo II, item 1.4 do edital os produtos devem atender às Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e emprego. Ilmo. Sr. Dr. Pregoeiro SESI/BA Pregão Eletrônico 20/2012 Objeto: Razões de Recurso IMUNOSUL DISTRIBUIDORA DE VACINAS E PRODUTOS MÉDICOS HOSPITALARES LTDA, já qualificada, em face do Pregão Presencial

Leia mais

RECEITUÁRIO ED. FEV / MAI - 17 SOLUÇÕES INOVADORAS PARA O SEU NEGÓCIO

RECEITUÁRIO ED. FEV / MAI - 17 SOLUÇÕES INOVADORAS PARA O SEU NEGÓCIO RECEITUÁRIO ED. FEV / MAI - 17 DA SOLUÇÕES INOVADORAS PARA O SEU NEGÓCIO DA SOLUÇÕES INOVADORAS PARA O SEU NEGÓCIO 4 RECEITA IDEAL PARA PÁSCOA! DA SOLUÇÕES INOVADORAS PARA O SEU NEGÓCIO INFORMAÇÃO NUTRICIONAL

Leia mais

ROTULAGEM DE ALIMENTOS. Frederico Ferreira de Barros Almeida

ROTULAGEM DE ALIMENTOS. Frederico Ferreira de Barros Almeida UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E FÍSICA ENGENHARIA DE ALIMENTOS ROTULAGEM DE ALIMENTOS Frederico Ferreira de Barros Almeida Orientador: Prof.: DS. Carlos Stuart Coronel Palma

Leia mais

Valores diários recomendados de nutrientes, vitaminas e minerais.

Valores diários recomendados de nutrientes, vitaminas e minerais. Conteúdo Valores diários recomendados de nutrientes, vitaminas e minerais.... 2 Como ler os rótulos dos alimentos... 5 Dose de produto... 7 Calorias... 7 Quantidade de nutrientes... 8 Explicação da quantificação

Leia mais