ROTULAGEM DE ALIMENTOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ROTULAGEM DE ALIMENTOS"

Transcrição

1 ROTULAGEM DE ALIMENTOS Profª Ana Paula F. Bernardes Silva A QUEM COMPETE MINISTÉRIO DA SAÚDE: Produtos de origem animal; Vegetais e cereais (grãos) in natura; Bebidas e vinagre; Mel. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA: Alimentos para fins especiais; Suplementos de vitaminas e minerais; Aditivos; Embalagens; Demais alimentos. 1

2 A QUEM COMPETE Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (INMETRO); Pesos e Medidas Ministério da Justiça Código de defesa do consumidor ROTULAGEM É toda inscrição, legenda, imagem ou toda matéria descritiva ou gráfica, escrita, impressa, estampada, gravada, gravada em relevo ou litografada ou colada sobre a embalagem de um alimento. 2

3 INFORMAÇÕES DO RÓTULO O que é? Quanto tem? Composição? Origem? Como usar/armazenar? Validade? ITENS OBRIGATÓRIOS Denominação Técnica; Marca; Indicação quantitativa; Lista de Ingredientes; Informação Nutricional; Identificação de fabricante e importador (quando importado); Origem; Prazo de Validade; Registro ANVISA ou MAPA (quando necessário); Dados de conservação; Instrução de uso (quando necessário); Contém ou não contém glúten. 3

4 ITENS OBRIGATÓRIOS CUIDADO 4

5 ROTULAGEM NUTRICIONAL Principais Normas: Resolução RDC nº359/03 Resolução RDC nº360/03 ANVISA ROTULAGEM NUTRICIONAL RDC nº 40/41 Valor Calórico (kcal) Carboidratos Proteínas Gorduras totais Gorduras saturadas Colesterol Fibra alimentar Cálcio Ferro Sódio VD com base em uma dieta de 2500 calorias RDC nº 360/03 Valor Energético (kcal = kj) Carboidratos Proteínas Gorduras totais Gorduras saturadas Gorduras trans Fibra alimentar Sódio VD com base em uma dieta de 2000 calorias 5

6 COMO SABER SE O PRODUTO PRECISA APRESENTAR INFORMAÇÃO NUTRICIONAL Âmbito de Aplicação Todos os alimentos e bebidas produzidos, comercializados e embalados na ausência do cliente e prontos para oferta ao consumidor. 6

7 O QUE É ROTULAGEM NUTRICIONAL Toda inscrição destinada a informar ao consumidor sobre as propriedades nutricionais de um alimento. Compreende: A declaração de valor energético e nutrientes; A declaração de propriedades nutricionais (informação nutricional complementar ou claim nutricional) QUE NUTRIENTES DEVEM SER DECLARADOS Valor energético kcal e kj Carboidratos -gramas Proteínas -gramas Gorduras totais gramas Gorduras saturadas gramas Gorduras trans -gramas Fibra alimentar -gramas Sódio miligramas 7

8 O QUE É PORÇÃO Quantidade média do alimento que deve ser consumida por pessoas sadias,maiores de 36 meses, em cada ocasião de consumo com a finalidade de promover uma alimentação saudável. VALORES DIÁRIOS DE REFERÊNCIA (VD) Valor energético 2000 kcal Carboidratos 300 g Proteínas 75 g Gorduras totais 55 g Gorduras saturadas 22 g Fibra alimentar 25 g Sódio 2400 mg Colesterol 300 mg Cálcio 1000 mg Ferro 14 mg 8

9 MODELO DE ROTULAGEM NUTRICIONAL MODELO DE ROTULAGEM NUTRICIONAL 9

10 O QUE É DECLARAÇÃO DE PROPRIEDADES NUTRICIONAIS? É qualquer representação que afirme, sugira ou implique que um produto possui propriedades nutricionais em relação ao seu valor energético, conteúdo de proteínas, gorduras, carboidratos, fibra alimentar, vitaminas e minerais. INFORMAÇÃO NUTRICIONAL COMPLEMENTAR Conteúdo de Nutrientes: Opcional Exemplos: Rico em Proteínas; Fonte de Fibras; 0% de Gorduras Totais; Zero Açúcar; Alto Teor de Vitaminas; Light Reduzido Teor de Açúcares. 10

11 ATRIBUTOS USADOS PARA AS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES Baixo (light) em... Muito baixo em... Sem adição de... Fonte de... Rico (alto teor)... Reduzido (light) Aumentado Não contém (zero..., sem..., isento de..., free..., no...) Informar sempre se a alegação é referente a valor energético e/ou nutriente. PRODUTOS DIET X LIGHT Os produtos diet e light estão presentes em mais de 35% dos lares brasileiros o número é da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos Dietéticos (Abiad). O consumo só aumenta: de 1998 a 2008, o crescimento foi de 800%. 11

12 Atire o primeiro adoçante quem nunca ficou na dúvida a respeito das diferenças entre DIET e LIGHT. DIFERENÇAS DIET O termo só pode ser aplicado a alimentos destinados a dietas com restrição de nutrientes, como carboidrato, gordura, proteína ou sódio. Um chocolate diet, por exemplo, não contém açúcar. Já uma bebida diet deve possuir um teor de açúcar menor que 0,5g/100ml - esse limite pode ser maior nos refrigerantes dietéticos em que é adicionado suco de fruta. LIGHT O termo light pode ser utilizado em produtos que tenham baixo ou reduzido valor energético ou valor nutricional. Os alimentos light devem ter no máximo 40kcal/100g em produtos sólidos. No caso de bebidas, a proporção é de até 20kcal/100ml ou a redução mínima de 25% em termos de calorias, em comparação com produtos similares convencionais. O produto ao qual o alimento é comparado deve ser indicado no rótulo. 12

13 CONSUMIDORES DIET Os consumidores de produtos diet normalmente apresentam condições metabólicas ou fisiológicas específicas. Precisam de alimentos especialmente formulados, que eliminam ou substituem algum componente como o açúcar (diabéticos), e o sal (hipertensos). LIGHT São pessoas saudáveis que buscam produtos com menos calorias ou com quantidade reduzida de algum nutriente, em comparação com o mesmo alimento em sua fórmula convencional. Esses alimentos são recomendados, por exemplo, em dietas para perder peso. MITOS DIET É comum produtos diet serem associados a emagrecimento, mas muitas vezes o valor energético não é menor do que o de produtos convencionais. Pode até ser maior. O chocolate diet não contém açúcar, mas é gorduroso e calórico mais que o similar não diet. Em outros casos, o nutriente eliminado (sódio ou proteína, por exemplo) pode não interferir na quantidade de calorias. LIGHT Produtos light só ajudam a perder peso caso haja diminuição significativa no teor de algum nutriente energético. Também é importante ressaltar que o consumo em excesso de um produto que contém menos calorias em relação ao original pode encadear a ingestão de uma quantidade igual ou até maior de calorias, comparada ao consumo moderado de algo não-light. 13

14 CHOCOLATE DIET No chocolate diet, o açúcar é substituído pelo adoçante. Para preservar a consistência e torná-lo mais palatável, o fabricante muitas vezes adiciona gordura à fórmula, por isso o valor calórico aumenta. Assim, o produto é indicado para os diabéticos, mas não traz vantagem para quem quer perder peso. LIGHT O chocolate light traz a redução de algum nutriente específico ou do valor energético. É preciso consultar a tabela nutricional, na embalagem, para saber se essa redução é conveniente para a dieta do consumidor. Para quem tem alguma restrição alimentar, o chocolate light pode não ser o mais indicado. REFRIGERANTE DIET Nos últimos anos os rótulos de vários refrigerantes foram alterados. O termo diet foi substituído por light. A Coca-Cola Light, por exemplo, é antiga Coca-Cola Diet. A mudança dos componentes edulcorantes (substâncias adoçantes) fez com que as bebidas ficassem mais saborosas. O açúcar continua eliminado da fórmula, por isso apesar do nome o produto ainda é considerado dietético. LIGHT A maioria dos refrigerantes light também pode ser classificada como diet, uma vez que é livre de açúcares. A confusão para os consumidores aumentou com a chegada da Coca- Cola Zero. Sua formulação é quase idêntica à da light, e ela também não possui açúcar. Marketing, que busca atingir públicos diferentes com produtos bastante semelhantes. 14

15 ROTULAGEM DIET É exigência da Anvisa que todo produto diet contenha no rótulo a frase "Consumir preferencialmente sob orientação de nutricionista ou médico". É aconselhado um alerta aos diabéticos quando o alimento contiver glicose, frutose ou sacarose; O aviso "Contém fenilalanina" quando houver adição de aspartame à fórmula. No caso de alimentos que possuem em sua composição trigo, aveia, cevada, centeio e derivados, o rótulo deve conter a advertência Contém Glúten. Caso contrário, Não contém Glúten. LIGHT Não é exigida nenhuma informação em especial no rótulo. ROTULAGEM 15

16 ROTULAGEM QUAIS PRODUTOS ESTÃO DISPENSADOS? Café, erva-mate, chá e outros sem adição de outros ingredientes. Ex: erva-mate com açúcar Alimentos preparados e embalados em restaurantes e estabelecimentos comerciais. Ex: sobremesas Produtos fracionados nos pontos de venda a varejo. Ex: queijos, presuntos e salames Frutas, vegetais e carnes in natura, refrigerados ou congelados Embalagens menores que 100 cm 2 a não se aplica a alimentos para fins especiais e com declarações de propriedades nutricionais. 16

17 QUAIS PRODUTOS ESTÃO DISPENSADOS? Águas minerais e demais águas envasadas; Bebidas alcoólicas; Aditivos alimentares e especiarias; Vinagre; Sal. O QUE NÃO DEVE CONSTAR NO RÓTULO? Expressões que induzam o consumidor a erro ou engano; Figuras ou desenhos que levem a falsa interpretação; Propriedades que não possam ser demonstradas; Indicação terapêutica; Destaque presença de componentes/propriedades intrínsecas a alimentos de igual natureza. Aconselhe seu consumo como estimulante, para melhorara saúde, para prevenir doenças ou com ação curativa. 17

18 EXPRESSÕES ENGANOSAS O mais saboroso... Super vitaminado... O mais nutritivo... O melhor ingrediente % natural ADVERTÊNCIAS DOENÇA CELÍACA: De acordo com a Lei nº 10674, de 16/05/03 TODOS os alimentos industrializados devem conter em seu rótulo obrigatoriamente as seguintes inscrições: Contém glúten ou Não contém glúten de acordo com o caso. 18

19 O QUE É DOENÇA CELÍACA É uma condição inflamatória do intestino delgado, genética que é precipitada pela ingestão do trigo (glúten), causando prejuízo na absorção dos nutrientes, vitaminas, sais minerais e água. ADVERTÊNCIAS IRRADIAÇÃO Resolução RDC\ANVISA nº 21/01: Alimento irradiado:no painel principal, o tamanho das letras não deve ser inferior a um terço da letra de maior tamanho: Ingrediente irradiado: Por exemplo a salsa (tratado por processo de irradiação) Alimento tratado por processo de irradiação. 19

20 IRRADIÇÃO ADVERTÊNCIAS TRANSGÊNICOS Decreto nº 4680 (24/04/2003) Regulamenta o direito à informação, assegurado pela Lei nº 8078 (11/09/1995), a qual obriga informar ao consumidor caso produto contenha ou sejam produzidos a partir de OGM s. Com presença acima do limite de 1% do produto a partir de OGM, o consumidor deverá ser informado da natureza transgênica desse produto. 20

21 ADVERTÊNCIAS TRANSGÊNICOS A rotulagem deve ser feita independente de o gene transgênico poder ou não ser detectado no produto final; A legislação se aplica tanto a alimentos quanto a ingredientes destinados ao consumo humano e animal; Deverá constar em destaque, no painel principal; (nome do produto) transgênico ; contém (nome do ingrediente) transgênico ; produto produzido a partir de (nome) transgênico. TRANGÊNICOS 21

22 Diabetes Melitus ADVERTÊNCIAS Atenção aos alimentos com açúcar em sua composição, sendo ele diet ou light. Os produtos diet destinados para dietas com restrição de CHO, restrição de Gorduras e dietas de ingestão controladas de açúcares, devem conter a seguinte advertência: Diabéticos: contém (especificar o mono e/ou dissacarídeo glicose/ frutose/ sacarose), caso contenham esses açúcares. Pressão Alta ADVERTÊNCIAS Atenção ao conteúdo de Sódio Os produtos diet ou light em Sódio apresentam baixo ou reduzido teor de sódio Devem ser evitados produtos que contenham sacarina e ciclamato de sódio. 22

23 Colesterol Alto ADVERTÊNCIAS Escolha de alimentos baseado no conteúdo de Gorduras Totais, Gorduras Saturadas e Trans. Diet em gorduras (restrição) = 0,5 g de Gordura em 100g de produto. Produtos com baixo colesterol (light) = 20 mg de colesterol em sólidos e 10 mg em líquidos em 100 g ou 100 ml do produto. Triglicerídeo Alto ADVERTÊNCIAS Dar preferência a alimentos com reduzido conteúdo em Gorduras e Açúcares. Alimentos Diet e Light podem ser usados com algumas considerações: Chocolate diet em açúcar não tem este ingrediente, mas em compensação apresenta mais gordura do que os chocolates convencionais. 23

24 OBRIGADA 24

Rotulagem de alimentos embalados. Prof. Ismar Araújo de Moraes Departamento de fisiologia e Farmacologia da UFF Medico Veterinário S/SUBVISA-RIO

Rotulagem de alimentos embalados. Prof. Ismar Araújo de Moraes Departamento de fisiologia e Farmacologia da UFF Medico Veterinário S/SUBVISA-RIO Rotulagem de alimentos embalados Prof. Ismar Araújo de Moraes Departamento de fisiologia e Farmacologia da UFF Medico Veterinário S/SUBVISA-RIO Rotulagem É toda inscrição, legenda, imagem ou toda matéria

Leia mais

Profa Tânia Maria Leite da Silveira

Profa Tânia Maria Leite da Silveira Profa Tânia Maria Leite da Silveira Como o consumidor adquire informações sobre os alimentos? Conhecimento da família Educação Mídia Publicidade Rotulagem Importância da rotulagem Informações corretas

Leia mais

ROTULAGEM DE ALIMENTOS

ROTULAGEM DE ALIMENTOS ROTULAGEM DE ALIMENTOS A rotulagem de alimentos apresenta uma importância muito relevante hoje para o consumidor, pois através da mesma, conseguimos repassar muitas informações aos mesmos, tais como prazo

Leia mais

VI ENEL CAMPINA GRANDE Regulamento Técnico de Rotulagem de Produto de Origem Animal Embalado

VI ENEL CAMPINA GRANDE Regulamento Técnico de Rotulagem de Produto de Origem Animal Embalado MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUPERINTENDÊNCIA FEDERAL DE AGRICULTURA NA PARAÍBA SERVIÇO DE INSPEÇÃO DE PRODUTOS AGROPECUÁRIOS VI ENEL CAMPINA GRANDE Regulamento Técnico de Rotulagem

Leia mais

Alimentos: diet, light, açúcar e adoçantes

Alimentos: diet, light, açúcar e adoçantes Faculdade de Gastronomia AÇÚCAR Alimentos: diet, light, açúcar e adoçantes No singular açúcar, refere-se à sacarose proveniente da cana-de-açúcar e beterraba No plural açúcares diz respeito aos vários

Leia mais

Dispõe sobre o Regulamento Técnico sobre Informação Nutricional Complementar.

Dispõe sobre o Regulamento Técnico sobre Informação Nutricional Complementar. MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO - RDC Nº 54, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2012 Dispõe sobre o Regulamento Técnico sobre Informação Nutricional Complementar.

Leia mais

RESOLUÇÃO - RDC Nº. 18, DE 27 DE ABRIL DE 2010. Dispõe sobre alimentos para atletas.

RESOLUÇÃO - RDC Nº. 18, DE 27 DE ABRIL DE 2010. Dispõe sobre alimentos para atletas. RESOLUÇÃO - RDC Nº. 18, DE 27 DE ABRIL DE 2010. Dispõe sobre alimentos para atletas. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o inciso IV

Leia mais

A ROTULAGEM DE ALIMENTOS PROMOVENDO O CONTROLE SANITÁRIO E A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

A ROTULAGEM DE ALIMENTOS PROMOVENDO O CONTROLE SANITÁRIO E A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Prefeitura Municipal do Natal Secretaria Municipal de Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Setor de Vigilância Sanitária Distrito Sanitário Oeste Núcleo de Vigilância Sanitária A ROTULAGEM DE ALIMENTOS

Leia mais

Palavras-chave Rotulagem de alimentos, consumidores, supermercados, hipermercados

Palavras-chave Rotulagem de alimentos, consumidores, supermercados, hipermercados Avaliação do hábito de leitura pelos consumidores de rótulos de alimentos e bebidas comercializados em supermercados e hipermercados na região metropolitana de Belo Horizonte Marina Celle BRANDÃO 1, Wemerson

Leia mais

Rotulagem Nutricional Obrigatória Manual de Orientação aos Consumidores Educação para o Consumo Saudável

Rotulagem Nutricional Obrigatória Manual de Orientação aos Consumidores Educação para o Consumo Saudável Rotulagem Nutricional Obrigatória Manual de Orientação aos Consumidores Educação para o Consumo Saudável Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária Gerência Geral de Alimentos Universidade

Leia mais

VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO?

VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO? MANUAL DE ORIENTAÇÃO AOS CONSUMIDORES EDUCAÇÃO PARA O CONSUMO SAUDÁVEL VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO? ROTULAGEM NUTRICIONAL OBRIGATÓRIA MANUAL DE ORIENTAÇÃO AOS CONSUMIDORES EDUCAÇÃO PARA O CONSUMO SAUDÁVEL

Leia mais

O QUE É IMPORTANTE SABER NA ROTULAGEM DE ALIMENTOS PARA CRIANÇAS? 27/08/2011. Amanda Poldi

O QUE É IMPORTANTE SABER NA ROTULAGEM DE ALIMENTOS PARA CRIANÇAS? 27/08/2011. Amanda Poldi O QUE É IMPORTANTE SABER NA ROTULAGEM DE ALIMENTOS PARA CRIANÇAS? 27/08/2011 Amanda Poldi CRIANÇA-DEFINIÇÃO LEI 11.265/2006 CRIANÇA: indivíduo até 12 (doze) anos de idade incompletos; CRIANÇA DE PRIMEIRA

Leia mais

ISSN 1516-8247 Maio, 2015. Manual de Rotulagem de Alimentos

ISSN 1516-8247 Maio, 2015. Manual de Rotulagem de Alimentos ISSN 1516-8247 Maio, 2015 119 Manual de Rotulagem de Alimentos ISSN 1516-8247 Maio, 2015 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Agroindústria de Alimentos Ministério da Agricultura, Pecuária

Leia mais

ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária

ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária Perguntas e Respostas sobre Informação Nutricional Complementar (INC) Gerência de Produtos Especiais Gerência Geral de Alimentos www.anvisa.gov.br Brasília/DF

Leia mais

Você sabe o que está comendo?

Você sabe o que está comendo? Você sabe o que está comendo? Manual de orientação aos consumidores Educação para o Consumo Saudável Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa Rotulagem Nutricional Obrigatória Manual de orientação

Leia mais

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 45, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011. (Alterada pela Resolução RDC n 48, de 25 de setembro de 2014.

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 45, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011. (Alterada pela Resolução RDC n 48, de 25 de setembro de 2014. 1 RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 45, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011. (Alterada pela Resolução RDC n 48, de 25 de setembro de 2014.) D.O.U. de 22/09/2011 Dispõe sobre o regulamento técnico para fórmulas

Leia mais

Anvisa - Alimentos - Informes Técnicos

Anvisa - Alimentos - Informes Técnicos Página 1 de 7 English Español Institucional Anvisa Publica Serviços Áreas de Atuação Legislação Buscar Informes Técnicos Informe Técnico nº. 36, de 27 de junho de 2008 Orientações sobre a declaração da

Leia mais

Resolução DC/ANVISA nº 45, de 19.09.2011 - DOU de 21.09.2011

Resolução DC/ANVISA nº 45, de 19.09.2011 - DOU de 21.09.2011 Resolução DC/ANVISA nº 45, de 19.09.2011 - DOU de 21.09.2011 Dispõe sobre o regulamento técnico para fórmulas infantis para lactentes destinadas a necessidades dietoterápicas específicas e fórmulas infantis

Leia mais

O consumidor deve estar atento às informações do rótulo?

O consumidor deve estar atento às informações do rótulo? Os consumidores têm o direito de conhecer as características e a composição nutricional dos alimentos que adquirem. A legislação nacional estabelece algumas normas para registro dessas informações na rotulagem

Leia mais

O manipulador de alimentos tem que conferir todas as informações do rótulo?

O manipulador de alimentos tem que conferir todas as informações do rótulo? Os consumidores têm o direito de conhecer as características e a composição nutricional dos alimentos que adquirem. A legislação nacional estabelece algumas normas para registro dessas informações na rotulagem

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL DE PORÇÕES DE ALIMENTOS EMBALADOS PARA FINS DE ROTULAGEM NUTRICIONAL

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL DE PORÇÕES DE ALIMENTOS EMBALADOS PARA FINS DE ROTULAGEM NUTRICIONAL MERCOSUL/GMC/RES. Nº 47/03 REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL DE PORÇÕES DE ALIMENTOS EMBALADOS PARA FINS DE ROTULAGEM NUTRICIONAL TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, a Decisão

Leia mais

Biologia. 8 o ano. Caderno 2

Biologia. 8 o ano. Caderno 2 Biologia 8 o ano Caderno 2 Módulos 7 e 8 1 A atividade das enzimas no organismo humano varia em função do grau de acidez do meio. Observe o gráfico e responda: Qual curva representa o local da ação da

Leia mais

1.1.1.1. Amostra Grátis. 1.1.1.2. Produtos importados. 1.1.3. Lista de Ingredientes e Ingredientes compostos. 1.1.3.1. Frutas cristalizadas

1.1.1.1. Amostra Grátis. 1.1.1.2. Produtos importados. 1.1.3. Lista de Ingredientes e Ingredientes compostos. 1.1.3.1. Frutas cristalizadas Atualizado: 22 / 01 / 2013 1. Rotulagem de alimentos 1.1. Rotulagem nutricional 1.1.1. Informações obrigatórias 1.1.1.1. Amostra Grátis 1.1.1.2. Produtos importados 1.1.1.3. Glúten 1.1.2. Produtos inacabados

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 44, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 44, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 44, DE 19 DE SETEMBRO DE

Leia mais

Unidade IV Nutrição no diabetes melitus e doenças cardiovasculares NUTRIÇÃO APLICADA À ENFERMAGEM. Profa Dra Milena Baptista Bueno

Unidade IV Nutrição no diabetes melitus e doenças cardiovasculares NUTRIÇÃO APLICADA À ENFERMAGEM. Profa Dra Milena Baptista Bueno Unidade IV Nutrição no diabetes melitus e doenças cardiovasculares NUTRIÇÃO APLICADA À ENFERMAGEM Profa Dra Milena Baptista Bueno Diabetes melitus A dieta adequada para pacientes diabéticos poderá reduzir

Leia mais

Adoçantes e alimentos integrais, diet e light

Adoçantes e alimentos integrais, diet e light Adoçantes e alimentos integrais, diet e light II Jornada de Atualização em Nutrição Pediátrica Vera Regina Mello Dishchekenian NUTRICIONISTA Fatores ambientais que promovem balanço energético positivo

Leia mais

Da nossa família para a sua!

Da nossa família para a sua! Da nossa família para a sua! A letuca começou em 2004 com um sonho e uma receita de família. Fruto do trabalho de um empreendedor que, desde criança, sonhava em mudar, para melhor, a vida das pessoas à

Leia mais

PORTARIA N 29, DE 13 DE JANEIRO DE 1998

PORTARIA N 29, DE 13 DE JANEIRO DE 1998 PORTARIA N 29, DE 13 DE JANEIRO DE 1998 A Secretária de Vigilância Sanitária, do Ministério da Saúde, no uso de suas atribuições legais, considerando a necessidade de constante aperfeiçoamento das ações

Leia mais

Light ou diet? O consumo de produtos diet e light cresceu em grande escala no mercado mundial. É visível

Light ou diet? O consumo de produtos diet e light cresceu em grande escala no mercado mundial. É visível Light ou diet? O consumo de produtos diet e light cresceu em grande escala no mercado mundial. É visível nas prateleiras dos supermercados o quanto de espaço eles ganharam. É comum encontrarmos, hoje,

Leia mais

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje.

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. CENTRO UNIVERSITÁRIO ASSUNÇÃO- Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. Profa. Dra. Valéria Batista O que é vida saudável? O que é vida saudável? Saúde é o estado de complexo bem-estar físico,

Leia mais

Apresentação. O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos

Apresentação. O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos Valor Energético É a energia produzida pelo nosso corpo proveniente dos carboidratos, proteínas e gorduras totais. Na rotulagem

Leia mais

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO PROJETO DE LEI N o 1.350, DE 2007. (Apensos os PL nº 6.389, de 2009, e nº 6.451, de 2009) Autora: Deputada MANUELA D ÁVILA Relator: Deputado

Leia mais

ANÁLISE DOS RÓTULOS DE PRODUTOS CASEIROS DE PANIFICAÇÃO

ANÁLISE DOS RÓTULOS DE PRODUTOS CASEIROS DE PANIFICAÇÃO FACULDADE DE PINDAMONHANGABA TATIANA CRISTINA PEDROSO ANÁLISE DOS RÓTULOS DE PRODUTOS CASEIROS DE PANIFICAÇÃO Pindamonhangaba SP 2012 1 TATIANA CRISTINA PEDROSO ANÁLISE DOS RÓTULOS DE PRODUTOS CASEIROS

Leia mais

a) preparado contendo uva (fruta) correspondente a um ingrediente característico:

a) preparado contendo uva (fruta) correspondente a um ingrediente característico: MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 18, DE 19 DE JUNHO DE 2013 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso das atribuições

Leia mais

Ações das agências de defesa do consumidor para a promoção da alimentação saudável adequada e solidária

Ações das agências de defesa do consumidor para a promoção da alimentação saudável adequada e solidária Ações das agências de defesa do consumidor para a promoção da alimentação saudável adequada e solidária Manuela Dias Nutricionista I Seminário Estadual Rede-SANS Agosto/2012 Águas de Lindóia, SP Agenda:

Leia mais

Nutrientes. E suas funções no organismo humano

Nutrientes. E suas funções no organismo humano Nutrientes E suas funções no organismo humano O corpo humano necessita de uma série de substâncias básicas indispensáveis para a formação de tecidos, para obtenção de energia, para a realização de atividades

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO PROGRAMA DE ANÁLISE DE PRODUTOS: RELATÓRIO

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE. Curso de Tecnologia em Alimentos. Trabalho de Conclusão de Estágio

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE. Curso de Tecnologia em Alimentos. Trabalho de Conclusão de Estágio UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE Curso de Tecnologia em Alimentos Trabalho de Conclusão de Estágio Avaliação da informação nutricional obrigatória apresentada no rótulo de diferentes cortes avícolas

Leia mais

NOTA TÉCNICA SPEIS/VISA nº 02/2015

NOTA TÉCNICA SPEIS/VISA nº 02/2015 Prefeitura Municipal de Salvador- PMS Secretaria Municipal de Saúde- SMS Diretoria de Vigilância á Saúde- DVIS Subcoordenação de Vigilância Sanitária- VISA Setor de Produtos e Serviços de Interesse á Saúde-

Leia mais

ISSN: 2236-0123 Saúde em Foco, Edição nº: 07, Mês / Ano: 09/2013, Páginas: 29-34

ISSN: 2236-0123 Saúde em Foco, Edição nº: 07, Mês / Ano: 09/2013, Páginas: 29-34 ISSN: 2236-0123 Saúde em Foco, Edição nº: 07, Mês / Ano: 09/2013, Páginas: 29-34 AVALIAÇÃO DA ROTULAGEM DE BARRAS DE CEREAIS COM RELAÇÃO À ADEQUADA CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO TEOR DE FIBRAS ALIMENTARES Karime

Leia mais

Valor energético (kcal) Gordura total (g)

Valor energético (kcal) Gordura total (g) TABELA NUTRICIONAL SIGLAS g = gramas mg = miligramas kcal = quilocalorias SANDUÍCHES DE 15 CM Valores dos sanduíches com 6 gramas de gordura ou menos incluem pão 9 grãos, alface, tomate, cebola, pimentão

Leia mais

INFORMAÇÕES PARA REGISTRO DE ESTABELECIMENTO

INFORMAÇÕES PARA REGISTRO DE ESTABELECIMENTO DTB MIAMI CORP. INFORMAÇÕES PARA REGISTRO DE ESTABELECIMENTO Data: (mês/dia/ano) SECTION 1 TIPO DE REGISTO 1a REGISTRO DOMESTICO REGISTRO ESTRANGEIRO 1b REGISTRO INICIAL ATUALIZAÇÃO DE INFORMAÇÕES DE REGISTRO

Leia mais

O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes!

O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes! O que são e para que servem os produtos Diet, Light, Zero e Cia? Tipos de açúcares e adoçantes! Coordenadora e Nutricionista Felícia Bighetti Sarrassini - CRN 10664 * Alimentos Diet: Alimento dietético

Leia mais

Granola Soft. Benefícios

Granola Soft. Benefícios Granola Soft A granola é um mix de cereais, castanhas e frutas secas que contêm vitaminas, proteínas, nutrientes, muitas fibras e outros componentes importantes para o equilíbrio do organismo e para controle

Leia mais

ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária

ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária Perguntas e Respostas sobre Informação Nutricional Complementar Gerência de Produtos Especiais Gerência Geral de Alimentos www.anvisa.gov.br Brasília/DF

Leia mais

Sucos industrializados: melhor substituto aos refrigerantes?

Sucos industrializados: melhor substituto aos refrigerantes? Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UNIRIO Centro de Ciências Biológicas e da Saúde CCBS Escola de Nutrição EN Departamento de Tecnologia de Alimentos DTA PPGAN Programa de Pós-graduação em

Leia mais

Resolução da Diretoria Colegiada - RDC Nº 54, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2012

Resolução da Diretoria Colegiada - RDC Nº 54, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2012 1 Resolução da Diretoria Colegiada - RDC Nº 54, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2012 Dispõe sobre o Regulamento Técnico sobre Informação Nutricional Complementar. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância

Leia mais

Becel Lança bebida láctea

Becel Lança bebida láctea empresas & negócios Becel Lança bebida láctea Becel anuncia seu principal lançamento para o primeiro semestre de 2012 bebida láctea com polpa de frutas, que chega nos sabores Ameixa, Pêssego e Morango.

Leia mais

O Iogurte A ORIGEM DO IOGURTE CARACTERÍSTICAS NUTRICIONAIS DO IOGURTE TIPOS DE IOGURTE VANTAGENS DO IOGURTE COMO CONSUMIR?

O Iogurte A ORIGEM DO IOGURTE CARACTERÍSTICAS NUTRICIONAIS DO IOGURTE TIPOS DE IOGURTE VANTAGENS DO IOGURTE COMO CONSUMIR? O Iogurte A ORIGEM DO IOGURTE CARACTERÍSTICAS NUTRICIONAIS DO IOGURTE TIPOS DE IOGURTE VANTAGENS DO IOGURTE COMO CONSUMIR? ALGUMAS SUGESTÕES CURIOSIDADES: SABIAS QUE A ORIGEM DO IOGURTE No período 10.000

Leia mais

* Rótulos dos Alimentos. Equipe: Divair Doneda, Vanuska Lima, Clevi Rapkiewicz, Júlia S. Prates

* Rótulos dos Alimentos. Equipe: Divair Doneda, Vanuska Lima, Clevi Rapkiewicz, Júlia S. Prates * Rótulos dos Alimentos * A preservação ou conservação refere-se às formas de modificação dos alimentos e das bebidas a fim de que eles se mantenham adequados para consumo humano por mais tempo......,

Leia mais

Manual do Usuário. Peticionamento Eletrônico de Notificação de Alimentos Isentos de Registro Sanitário

Manual do Usuário. Peticionamento Eletrônico de Notificação de Alimentos Isentos de Registro Sanitário Manual do Usuário Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa 2012 Peticionamento eletrônico.indd 1 17/10/2012 11:09:04 Copyright 2012. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. É permitida a reprodução

Leia mais

Legislação em Vigilância Sanitária

Legislação em Vigilância Sanitária Legislação em Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO - RDC Nº 222, DE 05 DE AGOSTO DE 2002 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o art. 11 inciso

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 8º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ Prova elaborada

Leia mais

Marcas e Publicidade e Mercado Ilegal de Produtos de Consumo

Marcas e Publicidade e Mercado Ilegal de Produtos de Consumo Marcas e Publicidade e Mercado Ilegal de Produtos de Consumo Luana Leticia Brazileiro - Sao Paulo, 27/08/2012 O que vem à mente quando se pensa em PepsiCo? 2 Marcas fortes e portfólio completo 19 US$ 1B

Leia mais

Comissão apresenta proposta sobre alegações nutricionais e de saúde para informar melhor os consumidores e harmonizar o mercado

Comissão apresenta proposta sobre alegações nutricionais e de saúde para informar melhor os consumidores e harmonizar o mercado IP/03/1022 Bruxelas, 16 de Julho de 2003 Comissão apresenta proposta sobre alegações nutricionais e de saúde para informar melhor os consumidores e harmonizar o mercado A Comissão Europeia adoptou hoje

Leia mais

TÍTULO: ROTULAGEM NUTRICIONAL: AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE EM ALIMENTOS DIET E LIGHT

TÍTULO: ROTULAGEM NUTRICIONAL: AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE EM ALIMENTOS DIET E LIGHT TÍTULO: ROTULAGEM NUTRICIONAL: AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE EM ALIMENTOS DIET E LIGHT CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES

Leia mais

A alimentação do diabético. Do que se diz...ao que se sabe. Nídia Braz Dezembro 2014

A alimentação do diabético. Do que se diz...ao que se sabe. Nídia Braz Dezembro 2014 + A alimentação do diabético. Do que se diz...ao que se sabe Nídia Braz Dezembro 2014 + Objetivos da intervenção nutricional 2 na diabetes tipo 1 tipo 2 Articular a ingestão de alimentos c o m a administração

Leia mais

Considerando a necessidade de estabelecer a identidade e a qualidade dos produtos de cervejaria destinados ao consumo humano;

Considerando a necessidade de estabelecer a identidade e a qualidade dos produtos de cervejaria destinados ao consumo humano; MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 54, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2001 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA, SUBSTITUTO DO MINISTÉRIO DA

Leia mais

Manual de Rotulagem de Alimentos

Manual de Rotulagem de Alimentos Manual de Rotulagem de Alimentos Agosto 2013 Programa Mesa Brasil Sesc O Mesa Brasil Sesc é um programa de segurança alimentar e nutricional sustentável, que redistribui alimentos excedentes próprios para

Leia mais

EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS

EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS (ALUNOS) Público Alvo: 6ºs E 7ºs ANOS (DISCIPLINA) Área de Conhecimento: MATEMÁTICA e LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSORES: JANAINA ROSEMBERG

Leia mais

Saúde Alimentação. Conceitos corpo saúde nutrição consumo I NTROD U ÇÃO AO M Ó DULO DE S E RV I Ç O S GE R A I S

Saúde Alimentação. Conceitos corpo saúde nutrição consumo I NTROD U ÇÃO AO M Ó DULO DE S E RV I Ç O S GE R A I S I NTROD U ÇÃO AO M Ó DULO DE S E RV I Ç O S GE R A I S Saúde Alimentação Conceitos corpo saúde nutrição consumo ficha4_al_serv_gerais_aprendiz_01a.indd 1 6/4/2011 10:52:23 Saúde : um conceito amplo Há

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 4.316, DE 2012 (Do Sr. Eros Biondini)

PROJETO DE LEI N.º 4.316, DE 2012 (Do Sr. Eros Biondini) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 4.316, DE 2012 (Do Sr. Eros Biondini) Altera a redação do 1º do art. 13 da Lei nº 11.265, de 3 de janeiro de 2006, que regulamenta a comercialização de alimentos

Leia mais

DINÂMICA: TRABALHANDO OS GRUPOS DE ALIMENTOS

DINÂMICA: TRABALHANDO OS GRUPOS DE ALIMENTOS DINÂMICA: TRABALHANDO OS GRUPOS DE ALIMENTOS -GRUPO DOS CEREAIS -GRUPO DA COMIDA -GRUPO DAS FRUTAS -GRUPO DAS GULOSEIMAS -GRUPO DAS HORTALIÇAS -GRUPO DAS SOBREMESAS Assessoria de Apoio à Alimentação Escolar

Leia mais

TABELA NUTRICIONAL 2013. Sabores do Brasil

TABELA NUTRICIONAL 2013. Sabores do Brasil TABELA NUTRICIONAL 0 Sabores do Brasil LEGEAS Pratos Bebidas Refrigerantes Batidas e Coquetéis Sucos Sobremesa AMEOIM PORÇÃO: 0g Kcal / 0Kj 0,,, 0 AMONTOADINHO PORÇÃO: 0g Kcal / Kj 0, 0 0 ARROZ CARRETEIRO

Leia mais

Manter este produto em local fresco, seco e ao abrigo de luz solar.

Manter este produto em local fresco, seco e ao abrigo de luz solar. 1. Descrição T-rex pré-treino promove o desejo e o foco de treinar com mais intensidade, com níveis mais elevados de energia, reduzindo a fadiga durante o treino. Sua fórmula é inovadora entre os alimentos

Leia mais

ALERTA AOS CONSUMIDORES: Fique atento com os suplementos alimentares!

ALERTA AOS CONSUMIDORES: Fique atento com os suplementos alimentares! ALERTA AOS CONSUMIDORES: Fique atento com os suplementos alimentares! Pílula natural para emagrecimento, Quer perder peso agora?, Produto anticatabólico, Promove o ganho de massa muscular, Combate o envelhecimento

Leia mais

Unidade II - A atuação do Nutricionista em Marketing. Unidade I:

Unidade II - A atuação do Nutricionista em Marketing. Unidade I: Unidade II - A atuação do Nutricionista em Marketing Unidade I: 0 Unidade II - A atuação do Nutricionista em Marketing A atuação do Nutricionista em Marketing A Resolução C.F.N. (Conselho Federal de Nutricionistas)

Leia mais

TEMA: Dieta enteral de soja para paciente portadora de doença de Alzheimer e de adenocarcinoma gástrico.

TEMA: Dieta enteral de soja para paciente portadora de doença de Alzheimer e de adenocarcinoma gástrico. Nota Técnica Processo n º Solicitante: Dra. Daniele Viana da Silva Juíza da Comarca de Ervália - Mg Data: 07/12/2012 Medicamento/ Dieta Material Procedimento Cobertura x TEMA: Dieta enteral de soja para

Leia mais

PERFIL SENSORIAL DE REQUEIJÃO À BASE DE SOJA

PERFIL SENSORIAL DE REQUEIJÃO À BASE DE SOJA V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 23 a 26 de outubro de 2007 PERFIL SENSORIAL DE REQUEIJÃO À BASE DE SOJA Marcela Caleffi da Costa Lima¹; Angélica Aparecida Maurício² RESUMO:

Leia mais

LOTES 01- PERECÍVEIS FRIOS

LOTES 01- PERECÍVEIS FRIOS LOTES 0- PERECÍVEIS FRIOS 3 4 5 Lingüiça, do tipo calabresa, resfriada, industrialmente embalada, com SIF, embalagem plástica transparente atóxica não reciclada, contendo informações sobre o fabricante

Leia mais

SHAKEASY. Bases Prontas para Shakes Funcionais

SHAKEASY. Bases Prontas para Shakes Funcionais Informações Técnicas SHAKEASY Bases Prontas para Shakes Funcionais INTRODUÇÃO SHAKEASY representa uma nova geração de shakes funcionais. Um completo e diferenciado substituto parcial de refeições que permite

Leia mais

Médico Pediatra Cursos de Pós-Graduação: Nutrologia / Homeopatia / Saúde Pública Presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Santa

Médico Pediatra Cursos de Pós-Graduação: Nutrologia / Homeopatia / Saúde Pública Presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Santa Médico Pediatra Cursos de Pós-Graduação: Nutrologia / Homeopatia / Saúde Pública Presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Santa Catarina Hipócrates (pai da Medicina, 460 a.c.) 1-

Leia mais

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final Laís Cruz Nutricionista CRN 3 18128 2013 Período de transição entre infância e vida adulta (dos 10 aos 19 anos de idade) Muitas transformações físicas, psicológicas e sociais Acelerado crescimento e desenvolvimento:

Leia mais

10 Alimentos importantes para sua saúde.

10 Alimentos importantes para sua saúde. 10 Alimentos importantes para sua saúde. 10 Alimentos importantes para sua saúde. Os alimentos funcionais geram inúmeros benefícios para o organismo. Como muitas patologias se desenvolvem por deficiência

Leia mais

Regulamentação atual de alimentos contendo probióticos

Regulamentação atual de alimentos contendo probióticos Regulamentação atual de alimentos contendo probióticos Brasília, 30 de novembro de 2015 Competência Lei n. 9782/1999: Art. 8º Incumbe à Agência, respeitada a legislação em vigor, regulamentar, controlar

Leia mais

órgão emissor: ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária alcance do ato: federal - Brasil área de atuação: Alimentos relacionamento(s):

órgão emissor: ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária alcance do ato: federal - Brasil área de atuação: Alimentos relacionamento(s): título: Resolução RDC nº 360, de 23 de dezembro de 2003 ementa não oficial: Aprova Regulamento Técnico sobre Rotulagem Nutricional de Alimentos Embalados, tornando obrigatória a rotulagem nutricional.

Leia mais

RESOLUÇÃO ANVISA RDC Nº 360, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2003

RESOLUÇÃO ANVISA RDC Nº 360, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2003 RESOLUÇÃO ANVISA RDC Nº 360, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2003 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o art. 11 inciso IV do Regulamento da ANVISA

Leia mais

Perguntas & Respostas ABIA sobre gorduras trans

Perguntas & Respostas ABIA sobre gorduras trans Perguntas & Respostas ABIA sobre gorduras trans GRUPO CONSUMIDOR 1) O que são ácidos graxos trans ou gordura trans? Os ácidos graxos ou gorduras trans são um tipo de gordura formada pelo processo de hidrogenação

Leia mais

(Apenso 5.674, de 2013)

(Apenso 5.674, de 2013) COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR PROJETO DE LEI N o 5.469, DE 2013 (Apenso 5.674, de 2013) Dispõe sobre a obrigatoriedade e da especificação de calorias dos alimentos comercializados, em cardápios de restaurantes

Leia mais

Nutrição. O alimento como aliado da sua saúde.

Nutrição. O alimento como aliado da sua saúde. Nutrição O alimento como aliado da sua saúde. alimentação saúdavel Alimentação saúdavel e cuidados nutricionais são importantes em todas as fases da vida e devem ser tratados com distinção em cada período.

Leia mais

PASTA DE ATUM PASTA DE ATUM PASTA DE ATUM COM REQUEIJÃO COM REQUEIJÃO (PÃO TRADICIONAL) (PÃO INTEGRAL) (PÃO TRADICIONAL) (PÃO INTEGRAL) (PÃO BAGUETE)

PASTA DE ATUM PASTA DE ATUM PASTA DE ATUM COM REQUEIJÃO COM REQUEIJÃO (PÃO TRADICIONAL) (PÃO INTEGRAL) (PÃO TRADICIONAL) (PÃO INTEGRAL) (PÃO BAGUETE) SANDUÍCHES PASTA DE FRANGO PASTA DE FRANGO PASTA DE ATUM PASTA DE ATUM PASTA DE ATUM COM REQUEIJÃO COM REQUEIJÃO (PÃO TRADICIONAL) (PÃO INTEGRAL) (PÃO TRADICIONAL) (PÃO INTEGRAL) (PÃO BAGUETE) Porção 1

Leia mais

Regulamentação da Rotulagem de Alimentos Alergênicos. Consulta Pública 29/2014

Regulamentação da Rotulagem de Alimentos Alergênicos. Consulta Pública 29/2014 Regulamentação da Rotulagem de Alimentos Alergênicos Consulta Pública 29/2014 Histórico - contexto regulatório interno Revisão do regulamento de rotulagem geral no MERCOSUL: Solicitada pelo Brasil em 2009

Leia mais

Programa de Rotulagem

Programa de Rotulagem Programa de Rotulagem O rótulo é a identidade do alimento O rótulo identifica o produto, a sua quantidade, a sua origem e o seu responsável. A colocação do rótulo é uma exigência da lei que deve ser cumprida

Leia mais

ANEXO I REGULAMENTO TÉCNICO ACERCA DA EMBALAGEM, ROTULAGEM E PROPAGANDA DE PRODUTOS DESTINADOS À ALIMENTAÇÃO ANIMAL

ANEXO I REGULAMENTO TÉCNICO ACERCA DA EMBALAGEM, ROTULAGEM E PROPAGANDA DE PRODUTOS DESTINADOS À ALIMENTAÇÃO ANIMAL ANEXO I REGULAMENTO TÉCNICO ACERCA DA EMBALAGEM, ROTULAGEM E PROPAGANDA DE PRODUTOS DESTINADOS À ALIMENTAÇÃO ANIMAL CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este Regulamento estabelece normas específicas

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO ALIMENTO

FICHA TÉCNICA DO ALIMENTO FICHA TÉCNICA DO ALIMENTO 1 FICHA TÉCNICA: Como abrir a ficha técnica do alimento? Para inserir Novo alimento clique no botão para abrir ficha. Para Pesquisar Alimentos do banco de dados clique no botão

Leia mais

Instrução Normativa MAPA 15/2009 (D.O.U. 28/05/2009)

Instrução Normativa MAPA 15/2009 (D.O.U. 28/05/2009) Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento BINAGRI - SISLEGIS Instrução Normativa MAPA 15/2009 (D.O.U. 28/05/2009) MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO

Leia mais

ALIMENTAÇÃO NO VERÃO

ALIMENTAÇÃO NO VERÃO ALIMENTAÇÃO NO VERÃO 1 - Quais os alimentos devem ser privilegiados no verão e quais devem ser evitados? Os alimentos que devem ser privilegiados no verão são as frutas, verduras e legumes, pois são ótimas

Leia mais

Alimentação infantil Dicas para emagrecer

Alimentação infantil Dicas para emagrecer Alimentação infantil Dicas para emagrecer 01 Introdução Alimentar-se é fonte de prazer, mas, primeiramente, fonte de energia e nutrientes para o organismo. Quando se fala em dieta ou disciplina alimentar

Leia mais

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA ÂNGELA MENDONÇA LIGA DE DIABETES A intervenção nutricional pode melhorar o controle glicêmico. Redução de 1.0 a 2.0% nos níveis de hemoglobina

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA RESOLUÇÃO-RDC Nº 19, DE 5 DE MAIO DE 2010

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA RESOLUÇÃO-RDC Nº 19, DE 5 DE MAIO DE 2010 AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA RESOLUÇÃO-RDC Nº 19, DE 5 DE MAIO DE 2010 Dispõe sobre a obrigatoriedade das empresas informarem à ANVISA a quantidade de fenilalanina, proteína e umidade de alimentos,

Leia mais

REGISTRO: Isento de Registro no M.S. conforme Resolução RDC n 27/10. CÓDIGO DE BARRAS N : 7898171287947(Frutas vermelhas) 7898171287954(Abacaxi)

REGISTRO: Isento de Registro no M.S. conforme Resolução RDC n 27/10. CÓDIGO DE BARRAS N : 7898171287947(Frutas vermelhas) 7898171287954(Abacaxi) Ficha técnica CHÁ VERDE COM CÓLAGENO, VITAMINA C E POLIDEXTROSE Pó para Preparo de Bebida a Base de Chá Verde, com Colágeno hidrolisado, vitamina C e polidextrose Sabor Abacaxi e frutas vermelhas REGISTRO:

Leia mais

I Encontro sobre produção, tecnologias e estudos de cervejas caseiras e industriais

I Encontro sobre produção, tecnologias e estudos de cervejas caseiras e industriais I Encontro sobre produção, tecnologias e estudos de cervejas caseiras e industriais Palestra Legislação para o Mercado Cervejeiro Eng. e Mestre Cervejeiro Evandro L. Bertollo Piracicaba, 25/04/15 Legislação

Leia mais

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO... 2 SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...12 OUTROS HÁBITOS SAUDÁVEIS...14 ATIVIDADE FÍSICA...14 CUIDADOS

Leia mais

FILIZOLA. Software de Gerenciamento de Balanças. Layout dos arquivos de Importação de cadastros. Versão do Software 1.31 Versão do guia: 1.

FILIZOLA. Software de Gerenciamento de Balanças. Layout dos arquivos de Importação de cadastros. Versão do Software 1.31 Versão do guia: 1. FILIZOLA Software de Gerenciamento de Balanças Layout dos arquivos de Importação de cadastros Versão do Software 1.31 Versão do guia: 1.03 Software de Gerenciamento de Balanças Layout dos arquivos de Importação

Leia mais

DIETA DUKAN 1ª FASE: ATAQUE. Alimentos Permitidos e Primeiros Passos

DIETA DUKAN 1ª FASE: ATAQUE. Alimentos Permitidos e Primeiros Passos DIETA DUKAN 1ª FASE: ATAQUE Alimentos Permitidos e Primeiros Passos ÍNDICE Os Alimentos Autorizados Panqueca Dukan Os Adjuvantes Pode e não pode Conselhos do Dr. Dukan Recomendações para iniciar 03 07

Leia mais

Especialista explica a importância do consumo de frutas e verduras 12/11/2011 TAGS: ALIMENTAÇÃO, COMPORTAMENTO

Especialista explica a importância do consumo de frutas e verduras 12/11/2011 TAGS: ALIMENTAÇÃO, COMPORTAMENTO Especialista explica a importância do consumo de frutas e verduras 12/11/2011 TAGS: ALIMENTAÇÃO, COMPORTAMENTO ricos em cores, aromas e sabores. As frutas e hortaliças (legumes e verduras) são alimentos

Leia mais

Rotulagem de bebidas. Eng. Agr. Tiago de Dokonal Duarte

Rotulagem de bebidas. Eng. Agr. Tiago de Dokonal Duarte Rotulagem de bebidas Eng. Agr. Tiago de Dokonal Duarte Histórico Até o ano de 2009 o MAPA fazia a aprovação prévia dos rótulos de bebidas Rótulos eram aprovados pelo MAPA Dec. 6871/2009 Passada a responsabilidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO E SAÚDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO E SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE NUTRIÇÃO E SAÚDE LABORATÓRIO DE ESTUDO EXPERIMENTAL DOS ALIMENTOS 4. DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO SENSORIAL DE BARRA

Leia mais

Como ler. Quantidade. Denominação do produto. Lista de ingredientes. Durabilidade. Fabricante/ Importador. Junho de 2008

Como ler. Quantidade. Denominação do produto. Lista de ingredientes. Durabilidade. Fabricante/ Importador. Junho de 2008 Como ler Flocos de arroz e de trigo integral, enriquecidos com vitaminas (B1, B2, B3, B6, ácido fólico, B12, C) e ferro Peso líquido: CONSUMIR DE PREFERÊNCIA ANTES DE Junho de 2008 Quantidade Denominação

Leia mais

b) preparado contendo laranja (fruta) e banana (fruta) corresponde a um ingrediente característico;

b) preparado contendo laranja (fruta) e banana (fruta) corresponde a um ingrediente característico; MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 17, DE 19 DE JUNHO DE 2013 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais