CONVERSÃO ELETROMECÂNICA DE ENERGIA - lista de exercícios sobre transformadores

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONVERSÃO ELETROMECÂNICA DE ENERGIA - lista de exercícios sobre transformadores antonioflavio@ieee.org"

Transcrição

1 1ª. Questão Considere as seguintes impedâncias e tensões de um transformador cuja potência nominal é S N. Z AT : impedância de dispersão, referida à alta tensão, em ohms; Z BT : impedância de dispersão, referida à baixa tensão, em ohms; V AT : tensão nominal da alta tensão; V BT : tensão nominal da baixa tensão. Sejam z AT e z BT os valores em por unidade das impedâncias de dispersão acima. Verifique qual a relação entre z AT e z BT e tire suas conclusões. Sugestão: para facilitar o equacionamento lembre-se de que Z BT = Z AT V V BT AT 2 2ª. Questão No estudo de um dado sistema, definimos os seguintes valores-base: V S b b = 10 kv = 1 MVA Desejamos exprimir em valores por unidade as seguintes tensões, correntes, potências, impedâncias e admitâncias: 1. V = 12,0 kv 2. V = 13,3 + j6,0 kv 3. I = j 203 A 4. S = j 300 kw e KVAr 5. S = 9,3 MVA 6. Z = 80 + j40 Ω 7. Y = 0,1 - j0,3 Siemens Respostas: 1,2 pu;1,33 + j 0,6 pu;5,13 + j 2,03 pu;0,2 + j 0,3 pu;9,3 pu;0,8 + j 0,4 pu;10,0 - j 30,0 pu 3ª. Questão Um transformador de 48 kva, 2400:240 V, 60 Hertz pode ser ligado como autotransformador, com o objetivo de se conseguir um aumento na potência aparente. Mostre como, a partir de um transformador de dois enrolamentos, isso pode ser conseguido. 4ª. Questão Os valores rateados ou nominais de um transformador são 25 kva, 1200:120 volts. A amplitude da componente fundamental da corrente de excitação, medida no lado de baixa tensão, é 2.0 ampères. A impedância equivalente referida ao lado de alta é 1,5 + j 2,0 ohms. Use os valores nominais do transformador como bases. i) Expresse a aproximação que se dispõe para a corrente de excitação em valores p.u., nos lados de baixa e alta tensão; ii) Expresse a impedância de dispersão em p.u., nos lados de baixa e alta tensão. 5ª. Questão Um transformador de distribuição de 20 kva, 1200:120 V, 60 Hertz, possui os seguintes parâmetros: Z AT(Ω) =0,4+j0,9 Ω Z BT(Ω) =0,0030+j0,0060 Ω A admitância de excitação é (0,3-j2,0)x10-2 siemens no lado de baixa tensão. Adote os valores nominais do transformador como bases. Desenhar o circuito equivalente referido ao lado de alta tensão; Desenhar o circuito equivalente referido ao lado de baixa tensão; O valor eficaz verdadeiro (true rms) da corrente de excitação, medida no lado de baixa tensão, é 5,41 amperes. Expresse essa corrente em p.u.

2 Calcule a corrente de excitação referida ao lado de alta tensão em ampères. Em seguida, calcule seu valor em p.u. Comente os resultados obtidos. 6ª Questão Um transformador monofásico de 5 kva, 60 Hz, 440:110 V e que pode ser considerado ideal está consumindo uma corrente primária de 10 A com fator de potência de 0,9 em avanço. Determine a impedância do circuito de carga conectado aos terminais de baixa tensão. Dica: calcule a impedância vista pelo primário 7ª Questão Seja um transformador monofásico de 2 enrolamentos. Sua potência nominal é de 100 kva e suas tensões nominais de 1000:200 V. Calcule as correntes nominais dos enrolamentos de alta e baixa tensão; Seria possível esse transformador alimentar, sem sobrecarregar seu isolamento uma carga de 200 kva? Considere a conexão como autotransformador com tensão de saída de 1000 V alimentando uma carga de 590 kva. Quais as correntes que fluem nos enrolamentos de alta e baixa tensão, respectivamente? Ainda com a conexão como autotransformador com saída no enrolamento de 1000 V, considere que ocorre um curto-circuito no secundário de 1000 V. Qual será, agora, a tensão sobre os enrolamentos de alta e baixa tensão, respectivamente? 8ª Questão (adaptada do problema 3.4 do Slemon) Em solda elétrica, uma tensão na faixa de 50 a 70 volts geralmente se faz necessária para estabelecer um arco elétrico. Depois que esse arco é estabelecido, deseja-se uma fonte de corrente essencialmente constante, o que pode ser conseguido através de uma indutância elevada no circuito que alimenta a carga. A figura acima mostra um transformador de dois enrolamentos projetado para uso em um soldador elétrico. Para limitar a corrente de carga, o núcleo magnético inclui uma trajetória de baixa relutância (pequeno entreferro) para os fluxos dispersos de primário e secundário. Apresente o circuito equivalente do transformador com valores referidos ao circuito da fonte; Determine a relutância do entreferro e, a partir da relação L=N 2 /R, os valores da indutância L 1g e reatância indutiva X 1g referidos ao circuito primário; Para uma tensão de 60 volts eficazes no enrolamento secundário, determine a tensão da fonte; Para uma tensão da fonte de 100 volts eficazes, 60 hertz, determine a corrente secundária de curto-circuito; 9ª Questão Um transformador de dois enrolamentos cuja potência nominal é S N e cuja relação de espiras é N1/N2=a, quando usado na configuração de autotransformado tem sua potência aumentada para (a+1)*s N ou [(a+1)/a]*s N.. Considere um transformador de dois enrolamentos, 200 kva, 220:110 Volts e que precisa ser utilizado para alimentar cargas cujos valores ultrapassam os kva nominais do mesmo. Deve-se usar a configuração de autotransformador para evitar a sobrecarga. Supondo que a tensão de suprimento da carga é 220 Volts e que a carga representa 70% da capacidade máxima de potência dessa configuração como autotransformador, determine a corrente na carga e na fonte;

3 Supondo que a tensão de suprimento da carga é 110 volts e que a carga consome a potência máxima dessa configuração como autotransformador, determine a corrente na carga e na fonte. Sobre a eficiência de transformadores A eficiência de qualquer sistema é a relação entre a potência de saída e a potência de entrada. O cálculo da eficiência η pode ser feito a partir dos valores médios das energias de saída e entrada, considerando meio período da onda. Mais fácil ainda é observar que a potência de saída é igual à potência de entrada menos as perdas internas, isto é, Psaída η =. P + P + P saída dissipada( Cu) dissipada( ferro) Quando a magnitude e frequência da tensão de suprimento são constantes, o fluxo mútuo no núcleo é senoidal e de amplitude constante. Por isso, as perdas no núcleo são praticamente independentes da corrente de carga. As perdas no cobre, por outro lado, são proporcionais à corrente de carga I 2, ou seja, 2 P cobre = ( I 2 ) R. No transformador mostrado na figura abaixo, a potência de saída é P saída = V I cos( ), 2 2 ϕ onde cos(ϕ) é uma medida da defasagem entre os fasores V 2 e I 2, comumente chamada de fator de potência da carga. Da mesma forma que a regulação de tensão, a eficiência depende do fator de potência. A eficiência é máxima quando o fator de potência é unitário. 10ª Questão (G.R. Slemon, problema 2.20, Electric Machines, p. 169) Um transformador tem uma impedância equivalente de 0,01+j0,05 p.u. A perda na operação em vazio é igual a 0,01 p.u. As bases para as diversas grandezas são os próprios valores nominais ou de placa. (a) Determine a eficiência do transformador quando o mesmo está alimentando a carga nominal, na tensão nominal e com cos(ϕ) igual a 0,8 atrasado. (b) Determine a regulação do transformador para essa condição de operação. Relacione a perda no núcleo p n com a perda em vazio. p n =0,01 pu Para a carga nominal e as bases escolhidas no enunciado, tem-se s=1,0 pu e v=1,0 pu. Agora, calcule a corrente i e as perdas no cobre p c = i 2 r. p c =0,01pu Calcule a potência ativa consumida pela carga ou potência de saída: p=s[cos(ϕ))]

4 Psaída η( %) = x100 P + P + P entrada núcleo 0,8 η(%) = x100 = 97,6% 0,8 + 0,01+ 0,01 Para calcular a regulação, considere o circuito abaixo: cobre v v 2, VAZIO 2, CARGA = v 1 = v 1 v reg(%) = o = 1,0 0 pu o iz = 0,9626 2,02 pu 2, VAZIO v v 2, CARGA 2, CARGA x100 = 3,89%. 11ª Questão [Gray, problema 4.6] A impedância de dispersão de um transformador monofásico de 2000/200 V,10 kva é 8 + j150 Ω referida ao circuito primário. Calcule a variação da tensão nos terminais do secundário quando a corrente indutiva de carga com cos(ϕ)=0,8 é reduzida de seu valor rateado até zero. Considere que a tensão primária de suprimento é mantida constante. [48,2 V] Calcule o valor por unidade da impedância de dispersão do transformador. [z=0,02+j0,375 pu] Nesse transformador, 100 W são dissipados sob a forma de calor no núcleo quando o mesmo é alimentado com tensão e frequência nominais. Determine sua eficiência percentual quando o mesmo está alimentando as diferentes cargas especificadas nas tabelas abaixo. Tabela I Eficiência para carga com cos(ϕ)=1,0 Porcentagem da corrente nominal Eficiência (%) Tabela II Eficiência para carga com cos(ϕ)=0,8 em atraso Porcentagem da corrente nominal Eficiência (%) Partindo dos dados das tabelas I e II, utilize o mesmo par de eixos e esboce as duas curvas que representam a variação da eficiência com a percentagem da carga. 12ª Questão (Fitzgerald, problema 1-17) A alta tensão de um banco trifásico é alimentada em uma tensão de linha de 13,8 kv. No lado de baixa tensão existe uma carga trifásica cujos valores nominais são 1500 kva e tensão de linha de 2,3 kv. Especificar os valores

5 nominais de tensão, corrente e potência aparente de cada um dos transformadores monofásicos que constitui o banco considerando as diferentes formas de ligação elétrica do banco. Ligação da alta Y Y Ligação da baixa Y Y Tensões (kv) Correntes (A) Potência (kva) 8,0/2,3 62,5/ ,8/1,33 36,3/ ,0/1,33 62,5/ ,8/2,3 36,3/ ª. Questão (Slemon, problema 3.25) A figura abaixo mostra um arranjo de dois transformadores que podem ser usados para conexão entre uma carga trifásica e a fonte de alimentação, também trifásica. Suponha que a potência nominal de cada transformador é 10,0 MVA. Determine a carga que esse arranjo pode alimentar sem sobrecarregar qualquer um dos transformadores. Figura Ligação em delta aberto ou v-v. Considere que a carga é equilibrada e ligada em Y. Se a tensão de linha é E l e a tensão ao neutro E AN, tem-se El EAN = ; I AN = I 3 O valor especificado de 10,0 MVA é a potência aparente de cada unidade. No caso, EI = 10MVA. A potência aparente consumida pela fase A da carga é S = E A potência trifásica é, pois, A AN I AN S3φ = 3E AN I AN = 10 3MVA.

6 14ª. Questão (G.R. Slemon, problema 2.14) Um transformador monofásico possui os seguintes valores nominais: 1,5 kva; 220:110 V; 60 Hz. Os ensaios em laboratório produziram os seguintes resultados: i) Ensaio de circuito aberto, excitação no terminal de baixa tensão Vca= 110 V Ica=0,4 A Pca=25,0 W ii) Ensaio de curto-circuito, excitação no terminal de baixa tensão Vcc=8,25 V Icc=13,6 A Pcc=40,0 W iii) Resistência CC dos enrolamentos: R baixa =0,113 Ω R alta =0,413 Ω (a) Determine o circuito equivalente do transformador referido à baixa tensão; (b) Determine a eficiência em plena carga quando o transformador está suprindo uma carga com cos(ϕ)=0,8 indutivo na tensão de 110 V. 15ª. Questão Um gerador de corrente alternada, 60 Hz, pode ser modelado por uma fonte de tensão de 220 V eficazes em série com uma reatância indutiva de 8,0 Ω. Esse gerador alimenta uma carga resistiva de 0,5 Ω através de um transformador ideal. a. Qual deve ser a relação de espiras do transformador para se transferir a máxima potência para a carga? 16ª. Questão Um transformador de dois enrolamentos cuja potência nominal é S N e cuja relação de espiras é N1/N2=a quando usado na configuração de autotransformador, tem sua potência aumentada para (a+1)*s N ou [(a+1)/a]*s N. Considere um transformador de dois enrolamentos, 200 kva, 220:110 volts e que precisa ser utilizado para alimentar cargas cujos valores ultrapassam os kva nominais do mesmo. Deve-se usar a configuração de autotransformador para evitar a sobrecarga. Supondo que a tensão de suprimento da carga é 220 Volts e que a carga representa 80% da capacidade máxima de potência dessa configuração como autotransformador, determine a corrente na carga e na fonte; Supondo que a tensão de suprimento da carga é 110 Volts e que a carga consome a potência máxima dessa configuração como autotransformador, determine a corrente na carga e na fonte. Sobre os transformadores de corrente Os transformadores para medição de altas tensões, conhecidos como TP s, são similares aos transformadores de potência comumente utilizados nos sistemas de transmissão e distribuição de energia. Os transformadores de corrente, conhecidos como TC s, precisam de considerações especiais de projeto e manufatura. A corrente de excitação, por exemplo, deve ser minimizada, pois é a principal causa dos erros de relação e de fase de um TC. O

7 erro de fase de um TC é definido a partir do diagrama fasorial apresentado na Fig. 1. É o ângulo de defasagem β existente entre a corrente primária I 1 e o inverso da corrente secundária I 2. Figura 1 Erro de fase de um TC Os TC s são, na maioria das vezes, transformadores toroidais como o que aparece na Fig. 2. Os TC s de melhor desempenho possuem o núcleo formado por material magnético de alta qualidade. Nos últimos anos, muitos pesquisadores têm comparado o desempenho dos TC s em face da utilização de diferentes materiais no núcleo [1]. As características de dois materiais magnéticos empregados em núcleos de TC s aparecem na Tabela I: a liga nanocristalina, fabricada pela empresa japonesa Hitachi Metals Ltd., e o aço ao silício de grão orientado, fabricado pela empresa brasileira Acesita. TABELA I DADOS COMPARATIVOS MATERIAIS MAGNÉTICOS Composição Fe 73,5Cu 1Nb 3Si 13,5B 9 Nome comercial B s (T) (60 Hz) FINEMET FT-3M F6045G 0,90 Fe-3,2%Si Aço ao silício GO E-004 1,85 µ rmax (60 Hz) (3,0 A.m -1 ) (23,0 A.m -1 ) ρ (µω.m) 1,20 0,47 Figura 2 Protótipo de TC com núcleo toroidal Transformadores de corrente são utilizados para alimentar instrumentos de baixa impedância conectados ao seu secundário: (i) amperímetros; (ii) bobina de corrente de wattímetros; (iii) bobina de corrente de medidores de energia elétrica; (iv) relés de sobrecorrente.

8 A Fig. 3 mostra uma carga conectada à fonte. O primário do TC está em série com a carga; o secundário está conectado a um amperímetro. Figura 3 TC alimentando um amperímetro Se a corrente de carga I c não é conhecida, é possível determiná-la a partir da corrente medida, N2 Ic I m. (1) N1 Em TC s bem projetados, o erro na medição da corrente a partir da equação (1) é tipicamente menor que 1%. Na maioria das vezes, o primário do TC é conectado permanentemente ao circuito principal, onde a corrente pode ser muito alta. A corrente secundária é pequena, tipicamente da ordem de 5,0 A. A tensão secundária é também baixa porque a resistência do instrumento de medição é pequena. É prática comum conectar um dos terminais do instrumento de medição à terra, para aumentar a segurança de quem lida com seus terminais. Exemplo 1 [Electromechanics 2004 J D Edwards] Um transformador de corrente tem 10 espiras em seu primário e 200 espiras no secundário. O secundário é conectado a um amperímetro cuja resistência é de 0,5 Ω. A corrente secundária é 5,0 A. (a) Determine a corrente no primário e a tensão nos terminais do primário do TC. Utilize o modelo de transformador ideal; (b) Se o transformador tem o núcleo toroidal com uma seção transversal de 20 mm x 20 mm e opera na frequência de 50 Hz, determine a máxima densidade de fluxo no núcleo. Discussão (a) A tensão nos terminais secundários é V 2 = RI2 = 0,5 V. A corrente primária é N2 I 1 = I2 = 100A. N1 A tensão nos terminais primários é N1 V 1 = V2 = 125mV. N 2 (b) A densidade de fluxo máxima no núcleo é calculada a partir do valor de pico da tensão primária V 1m. Para a tensão primária, tem-se dφ v1 = N1 = N1ωΦ m cos( ωt) = V1 m cos( ωt). dt O valor máximo da tensão primária é V1 m = N1ω Φm = 2πfN 1ABm. O valor máximo da densidade de fluxo é V1 m Bm = = 0,141 T. π fn A 2 1 Operação com o secundário aberto A manutenção ou remoção do medidor ligado ao secundário do TC requer cuidados especiais. Considere o circuito da figura abaixo. A carga é puramente resistiva e a uma chave está substituindo o medidor.

9 Figura 4 Utilização de chave no secundário Com a chave aberta, a situação é complexa. Para uma tensão da fonte V f de 400 V, seria necessária uma densidade de fluxo de 451 T para se ter V 1 igual a V f. Como o material do núcleo satura em aproximadamente 1,6 T, essa situação não é possível de acontecer. Para desconectar o medidor ligado ao secundário do TC de uma maneira segura pode-se simplesmente colocar a chave liga-desliga em paralelo com o medidor, conforme mostrado na Fig. 5. A chave deve ser fechada antes de desconectar o medidor. Dessa forma, a corrente secundária I 2 continua a fluir através da chave e se evita uma sobretensão no equipamento. Figura 5 Chave em paralelo com o medidor 17ª QUESTÃO Considere um TC com núcleo toroidal. A seção transversal do núcleo é 20 mm x 20 mm e o diâmetro médio é 100 mm. Existem 10 espiras no primário, 200 espiras no secundário e a corrente primária é 89 A eficazes. A frequência de operação é 50 Hz. O material magnético é o aço ao silício, cuja característica de magnetização é apresentada a seguir. Figura 6 Curva B-H do aço ao silício (a) Calcule o valor máximo da intensidade de campo H e o período da forma da onda idealizada, que é alternada e senoidal.

10 (b) Esboce as curvas que representam os valores instantâneos da intensidade de campo H, densidade de fluxo B e da derivada db/dt. Referências [1] B.A. Luciano, R.C.S. Freire, W.B. de Castro, TC com núcleo toroidal, influência do material magnético sobre o ângulo de fase, Eletricidade Moderna, 373: , abril de [2] C.B. Gray, Electrical machines and drive systems, Longman Scientific & Technical, England, pp. 130, 1989.

. analogamente. Np Ns. a = Ns

. analogamente. Np Ns. a = Ns - Transformadores O transformador é um equipamento elétrico formado por bobinas isoladas eletricamente em torno de um núcleo comum. A bobina que recebe energia de uma fonte ca é chamada de primário. A

Leia mais

1 a Lista de Exercícios Exercícios para a Primeira Prova

1 a Lista de Exercícios Exercícios para a Primeira Prova EE.UFMG - ESCOLA DE ENGENHARIA DA UFMG CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA ELE 0 - CIRCUITOS POLIFÁSICOS E MAGNÉTICOS PROF: CLEVER PEREIRA 1 a Lista de Exercícios Exercícios para a Primeira Prova

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 27 PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 QUESTÃO 41 De acordo com a NBR 5410, em algumas situações é recomendada a omissão da proteção contra sobrecargas. Dentre estas situações estão, EXCETO: a) Circuitos de comando.

Leia mais

Transformadores Para Instrumentos. Prof. Carlos Roberto da Silva Filho, M. Eng.

Transformadores Para Instrumentos. Prof. Carlos Roberto da Silva Filho, M. Eng. Transformadores Para Instrumentos Prof. Carlos Roberto da Silva Filho, M. Eng. Sumário 1. Tipos de Transformadores. 2. Transformadores de Corrente - TCs. 3. Transformadores de Potencial TPs. 4. Ligação

Leia mais

Transformadores trifásicos

Transformadores trifásicos Transformadores trifásicos Transformadores trifásicos Transformadores trifásicos Por que precisamos usar transformadores trifásicos Os sistemas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica

Leia mais

Fundamentos de Máquinas Elétricas

Fundamentos de Máquinas Elétricas Universidade Federal do C Engenharia de nstrumentação, utomação e Robótica Fundamentos de Máquinas Elétricas rof. Dr. José Luis zcue uma Regulação de tensão Rendimento Ensaios de curto-circuito e circuito

Leia mais

TERMOS PRINCIPAIS UTILIZADOS EM TRANSFORMADORES

TERMOS PRINCIPAIS UTILIZADOS EM TRANSFORMADORES TRANSFORMADOR MONOFÁSICO: São transformadores que possuem apenas um conjunto de bobinas de Alta e Baixa tensão colocado sobre um núcleo. 1 TRANSFORMADOR TRIFÁSICO: São transformadores que possuem três

Leia mais

Cap.6 Transformadores para Instrumentos. TP Transformador de Potencial. TC Transformador de Corrente

Cap.6 Transformadores para Instrumentos. TP Transformador de Potencial. TC Transformador de Corrente Universidade Federal de Itajubá UNIFEI Cap.6 Transformadores para Instrumentos. TP Transformador de Potencial. TC Transformador de Corrente Prof. Dr. Fernando Nunes Belchior fnbelchior@hotmail.com fnbelchior@unifei.edu.br

Leia mais

Questão 3: Três capacitores são associados em paralelo. Sabendo-se que suas capacitâncias são 50μF,100μF e 200μF, o resultado da associação é:

Questão 3: Três capacitores são associados em paralelo. Sabendo-se que suas capacitâncias são 50μF,100μF e 200μF, o resultado da associação é: Questão 1: A tensão E no circuito abaixo vale: a) 0,5 V b) 1,0 V c) 2,0 V d) 5,0 V e) 10,0 V Questão 2: A resistência equivalente entre os pontos A e B na associação abaixo é de: a) 5 Ohms b) 10 Ohms c)

Leia mais

DESTAQUE: A IMPORTÂNCIA DOS TRANSFORMADORES EM SISTEMAS DE ENERGIA ELÉTRICA

DESTAQUE: A IMPORTÂNCIA DOS TRANSFORMADORES EM SISTEMAS DE ENERGIA ELÉTRICA Capítulo 0 Transformadores DESTAQE: A IMPORTÂNCIA DOS TRANSFORMADORES EM SISTEMAS DE ENERGIA ELÉTRICA Os geradores elétricos, que fornecem tensões relativamente baixas (da ordem de 5 a 5 kv), são ligados

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A respeito de sistemas de distribuição de energia elétrica, julgue os itens a seguir. 4 Ao operar em tensão secundária, um sistema de distribuição de energia elétrica funciona

Leia mais

ET720 Sistemas de Energia Elétrica I. Capítulo 3: Gerador síncrono. Exercícios

ET720 Sistemas de Energia Elétrica I. Capítulo 3: Gerador síncrono. Exercícios ET720 Sistemas de Energia Elétrica I Capítulo 3: Gerador síncrono Exercícios 3.1 Dois geradores síncronos estão montados no mesmo eixo e devem fornecer tensões em 60 Hz e 50 Hz, respectivamente. Determinar

Leia mais

O funcionamento de um transformador baseia-se no fenômeno da mutua indução entre dois circuitos eletricamente isolados, mas magnéticamente

O funcionamento de um transformador baseia-se no fenômeno da mutua indução entre dois circuitos eletricamente isolados, mas magnéticamente TRANSFORMADORES ELETROTÉCNICA Prof. Antonio Sergio O funcionamento de um transformador baseia-se no fenômeno da mutua indução entre dois circuitos eletricamente isolados, mas magnéticamente acoplados.

Leia mais

Finalmente, para adaptar o nível de tensão às necessidades de consumo, são necessários outros transformadores (de distribuição).

Finalmente, para adaptar o nível de tensão às necessidades de consumo, são necessários outros transformadores (de distribuição). TRASFORMADORES TRFÁSCOS van Camargo Março de 007 ) ntrodução e Aspectos Construtivos Os transformadores trifásicos são equipamentos indispensáveis para o funcionamento de um sistema elétrico. O transformador

Leia mais

ÃO AO CURSO LEGENDA WS 01 S 01 ENGENHARIA ELÉTRICA. Valor: 1,0. 1 a QUESTÃO. Tomada de 350 W. Luminária de 250 W monofásica. Interruptor simples

ÃO AO CURSO LEGENDA WS 01 S 01 ENGENHARIA ELÉTRICA. Valor: 1,0. 1 a QUESTÃO. Tomada de 350 W. Luminária de 250 W monofásica. Interruptor simples CONCURSO DE ADMISSÃ ÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES 2009 1 a QUESTÃO Valor: 1,0 3m 02 g 3m 3m 4m 3m e 6m 4m 6m 6m d 4m 4m 02 02 02 4m 02 S g f 4m S S f e 4m c S d WS ab

Leia mais

Auto - Transformador Monofásico

Auto - Transformador Monofásico Auto - Transformador Monofásico Transformação de Tensão Transformação de tensão para várias tensões de entrada: U 2, U 3, U 23 = f (U 1 ) 1.1. - Generalidades A função do transformador é transformar a

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Avaliação do Sistema de Transformação em Subestações e Painéis de Média Tensão - Operação, Manutenção e Ensaios Eng. Marcelo Paulino Subestações

Leia mais

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TEMA DA AULA TRANSFORMADORES DE INSTRUMENTOS PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA MEDIÇÃO DE GRANDEZAS ELÉTRICAS Por que medir grandezas elétricas? Quais grandezas elétricas precisamos medir? Como medir

Leia mais

AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA

AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 1 TRANSFORMADORES DE MEDIDAS

Leia mais

DEPT. DE ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES MÁQUINAS ELÉCTRICAS. Caracterização do Transformador Monofásico em Termos de Circuito Equivalente

DEPT. DE ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES MÁQUINAS ELÉCTRICAS. Caracterização do Transformador Monofásico em Termos de Circuito Equivalente DEPT. DE ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E DE COMPUTADORES MÁQUINAS ELÉCTRICAS Caracterização do Transformador Monofásico em Termos de Circuito Equivalente 1 Primário 220 V c 55 V 55 V 55 V 55 V Secundário Figure

Leia mais

Mestrado Integrado em Engenharia Electrónica Industrial e Computadores 2006/2007 Máquinas Eléctricas - Exercícios

Mestrado Integrado em Engenharia Electrónica Industrial e Computadores 2006/2007 Máquinas Eléctricas - Exercícios Mestrado Integrado em Engenharia Electrónica Industrial e Computadores 2006/2007 Máquinas Eléctricas - Exercícios Nome Nº ATENÇÃO: A justificação clara e concisa das afirmações e cálculos mais relevantes

Leia mais

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TEMA DA AULA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TRANSFORMADORES - PERDAS EM VAZIO Potência absorvida pelo transformador quando alimentado em tensão e frequência nominais,

Leia mais

TRANSFORMADORES ADRIELLE C. SANTANA

TRANSFORMADORES ADRIELLE C. SANTANA TRANSFORMADORES ADRIELLE C. SANTANA Aplicações As três aplicações básicas dos transformadores e que os fazem indispensáveis em diversas aplicações como, sistemas de distribuição de energia elétrica, circuitos

Leia mais

Levantamento da Característica de Magnetização do Gerador de Corrente Contínua

Levantamento da Característica de Magnetização do Gerador de Corrente Contínua Experiência IV Levantamento da Característica de Magnetização do Gerador de Corrente Contínua 1. Introdução A máquina de corrente contínua de fabricação ANEL que será usada nesta experiência é a mostrada

Leia mais

Departamento de Engenharia Elétrica Conversão de Energia I Lista 1

Departamento de Engenharia Elétrica Conversão de Energia I Lista 1 Departamento de Engenharia Elétrica Conversão de Energia I Lista 1 Ex.1) Um circuito magnético como mostrado na figura abaixo, tem dimensões A C = 9 [cm 2 ]; A g = 9 [cm 2 ]; l g = 0,050 [cm]; l C = 30

Leia mais

ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA.

ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA. ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA. TRANSFORMADORES MONOFÁSICOS DE ISOLAÇÃO COM BLINDAGEM APLICAÇÃO Os transformadores monofásicos de isolação com blindagens, magnética e eletrostática, foram desenvolvidos

Leia mais

Substações MT/BT Teoria e exemplos de cálculo das correntes de curto circuito trifásicas

Substações MT/BT Teoria e exemplos de cálculo das correntes de curto circuito trifásicas Substações MT/BT Teoria e exemplos de cálculo das correntes de curto circuito trifásicas Filippe Pereira Dolgoff Engenheiro de Aplicação Produtos e Sistema de Baixa Tensão ABB 1 INTRODUÇÃO Um sistema elétrico

Leia mais

ESTUDO DE PROTEÇÃO METODOLOGIA DE CÁLCULO. SUBESTAÇÕES DE 15kV

ESTUDO DE PROTEÇÃO METODOLOGIA DE CÁLCULO. SUBESTAÇÕES DE 15kV ESTUDO DE PROTEÇÃO METODOLOGA DE CÁLCULO SUBESTAÇÕES DE 5kV Elaborado por Carlos Alberto Oliveira Júnior Maio 26 ÍNDCE. Obtenção dos dados...2.. Documentos necessários...2.2. Dados necessários...2 2. Cálculo

Leia mais

Departamento de Engenharia Elétrica Conversão de Energia I Lista de Exercícios: Máquinas Elétricas de Corrente Contínua Prof. Clodomiro Vila.

Departamento de Engenharia Elétrica Conversão de Energia I Lista de Exercícios: Máquinas Elétricas de Corrente Contínua Prof. Clodomiro Vila. Departamento de Engenharia Elétrica Conversão de Energia I Lista de Exercícios: Máquinas Elétricas de Corrente Contínua Prof. Clodomiro Vila. Ex. 0) Resolver todos os exercícios do Capítulo 7 (Máquinas

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES

CONCURSO DE ADMISSÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES 2014 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 A figura acima apresenta o circuito equivalente monofásico de um motor de indução trifásico

Leia mais

Projeto de pequenos transformadores

Projeto de pequenos transformadores Projeto de pequenos transformadores Um transformador é uma máquina elétrica estática, cuja principal função é transferir energia elétrica de um circuito para outro. Os transformadores podem ser elevadores,

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS PATO BRANCO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CURSO DE TECNOLOGIA EMMANUTENÇÃO INDUSTRIAL

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS PATO BRANCO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CURSO DE TECNOLOGIA EMMANUTENÇÃO INDUSTRIAL UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS PATO BRANCO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CURSO DE TECNOLOGIA EMMANUTENÇÃO INDUSTRIAL Paulo dos Santos CARACTERIZAÇÃO ELÉTRICA DE UM TRANSFORMADOR

Leia mais

Retificadores (ENG - 20301) Lista de Exercícios de Sinais Senoidais

Retificadores (ENG - 20301) Lista de Exercícios de Sinais Senoidais Retificadores (ENG - 20301) Lista de Exercícios de Sinais Senoidais 01) Considerando a figura abaixo, determine: a) Tensão de pico; b) Tensão pico a pico; c) Período; d) Freqüência. 02) Considerando a

Leia mais

Os transformadores em geral apresentam perdas de potência quando estão em funcionamento, estas perdas são no cobre e no ferro.

Os transformadores em geral apresentam perdas de potência quando estão em funcionamento, estas perdas são no cobre e no ferro. Perdas no cobre e no ferro Os transformadores em geral apresentam perdas de potência quando estão em funcionamento, estas perdas são no cobre e no ferro. Perdas no cobre As perdas no cobre ocorrem devido

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Comissão Permanente de Concurso Público CONCURSO PÚBLICO 23 / MAIO / 2010

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Comissão Permanente de Concurso Público CONCURSO PÚBLICO 23 / MAIO / 2010 Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Comissão Permanente de Concurso Público PR CONCURSO PÚBLICO 23 / MAIO / 2010 ÁREA / SUBÁREA: ELETROTÉCNICA GABARITO MÁQUINAS ELÉTRICAS

Leia mais

Trabalho Prático Nº 6.

Trabalho Prático Nº 6. Trabalho Prático Nº 6. Título: Carga Predominantemente Resistiva, Carga Predominantemente Indutiva e Carga Resistiva e Indutiva em paralelo. Objetivo: Este trabalho prático teve como objetivo montar três

Leia mais

Transformador. Índice. Estrutura

Transformador. Índice. Estrutura Transformador Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Um transformador ou trafo é um dispositivo destinado a transmitir energia elétrica ou potência elétrica de um circuito a outro, transformando tensões,

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO CURSO DE FORMAÇÃO

CONCURSO DE ADMISSÃO CURSO DE FORMAÇÃO CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES 20 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 Seja um circuito RLC série alimentado por uma fonte de tensão e sem energia inicialmente armazenada.

Leia mais

Representação em PU P r o f. F l á v i o V a n d e r s o n G o m e s

Representação em PU P r o f. F l á v i o V a n d e r s o n G o m e s UNERDADE FEDERAL DE JU DE FORA Análise de istemas Elétricos de Potência Representação em PU P r o f. F l á v i o a n d e r s o n G o m e s E - m a i l : f l a v i o. g o m e s @ u f j f. e d u. b r E N

Leia mais

Circuitos Elétricos Análise de Potência em CA

Circuitos Elétricos Análise de Potência em CA Introdução Circuitos Elétricos Análise de Potência em CA Alessandro L. Koerich Engenharia de Computação Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) Potência é a quantidade de maior importância em

Leia mais

Laboratório de Conversão Eletromecânica de Energia B

Laboratório de Conversão Eletromecânica de Energia B Laboratório de Conversão Eletromecânica de Energia B Prof a. Katia C. de Almeida 1 Obtenção Experimental dos Parâmetros do Circuito Equivalente do Motor de Indução Monofásico 1.1 Introdução 1.1.1 Motores

Leia mais

RELAÇÕES DE CORRENTE ALTERNADA

RELAÇÕES DE CORRENTE ALTERNADA RELAÇÕES DE CORRENTE ALTERNADA A tensão alternada senoidal é a qual utilizamos em nossos lares, na indústria e no comércio. Dentre as vantagens, destacamos: Facilidade de geração em larga escala; Facilidade

Leia mais

Técnico em Eletrotécnica

Técnico em Eletrotécnica Técnico em Eletrotécnica Caderno de Questões Prova Objetiva 2015 01 Em uma corrente elétrica, o deslocamento dos elétrons para produzir a corrente se deve ao seguinte fator: a) fluxo dos elétrons b) forças

Leia mais

Capítulo 9 TRANSFORMADORES

Capítulo 9 TRANSFORMADORES Capítulo 9 TRANSFORMADORES Esta aula apresenta o princípio de funcionamento dos transformadores com base nas leis de Faraday e Lenz, mostra o papel dos transformadores em um sistema elétrico de corrente

Leia mais

AULA LAB 04 PRINCÍPIOS DE CORRENTE ALTERNADA E TRANSFORMADORES 2 MEDIÇÃO DE VALORES MÉDIO E EFICAZ COM MULTÍMETRO

AULA LAB 04 PRINCÍPIOS DE CORRENTE ALTERNADA E TRANSFORMADORES 2 MEDIÇÃO DE VALORES MÉDIO E EFICAZ COM MULTÍMETRO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETRÔNICA CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA Eletrônica Básica AULA LAB 04 PRINCÍPIOS DE CORRENTE ALTERNADA E TRANSFORMADORES

Leia mais

Prof. Cecil M. Fragoso Março de 1993

Prof. Cecil M. Fragoso Março de 1993 Transformadores Teoria e Projeto Apostila original por Prof. Cecil. Fragoso arço de 993 Reedição por Gabriel Gutierrez P. oares Revisão por anoel B. oares aio de 00 Transformadores - Conceito O transformador

Leia mais

Transformador Monofásico [de Isolamento]

Transformador Monofásico [de Isolamento] Transformador Monofásico [de Isolamento] Determinação do rendimento para a carga nominal Curva característica do rendimento η = f (S 2 ), para vários factores de potência 1 - Informação Geral A potência

Leia mais

Figura 8.1 Representação esquemática de um transformador.

Figura 8.1 Representação esquemática de um transformador. CAPÍTULO 8 TRANSFORMADORES ELÉTRICOS 8.1 CONCEITO O transformador, representado esquematicamente na Figura 8.1, é um aparelho estático que transporta energia elétrica, por indução eletromagnética, do primário

Leia mais

Fatores limítrofes, arranjos e aterramento de geradores

Fatores limítrofes, arranjos e aterramento de geradores 22 Capítulo I Fatores limítrofes, arranjos e aterramento de geradores Por Geraldo Rocha e Paulo Lima* Novo! As retiradas de geradores do sistema de potência devido a curto-circuitos, operação anormal ou

Leia mais

Princípios de Corrente Alternada

Princípios de Corrente Alternada Capítulo 2 Princípios de Corrente Alternada 2.1 Porque corrente alternada? No final do séc. XIX com o crescimento econômico e as novas invenções em máquinas elétricas, foram propostas duas formas de distribuição

Leia mais

3 - Sistemas em Corrente Alternada. 1 Considerações sobre Potência e Energia. Carlos Marcelo Pedroso. 18 de março de 2010

3 - Sistemas em Corrente Alternada. 1 Considerações sobre Potência e Energia. Carlos Marcelo Pedroso. 18 de março de 2010 3 - Sistemas em Corrente Alternada Carlos Marcelo Pedroso 18 de março de 2010 1 Considerações sobre Potência e Energia A potência fornecida a uma carga à qual está aplicada um tensão instantânea u e por

Leia mais

São componentes formados por espiras de fio esmaltado numa forma dentro da qual pode ou não existir um núcleo de material ferroso.

São componentes formados por espiras de fio esmaltado numa forma dentro da qual pode ou não existir um núcleo de material ferroso. Luciano de Abreu São componentes formados por espiras de fio esmaltado numa forma dentro da qual pode ou não existir um núcleo de material ferroso. É um dispositivo elétrico passivo que armazena energia

Leia mais

Transformadores. Gil Marques 2005

Transformadores. Gil Marques 2005 Transformadores Gil Marques 005 Transformadores - Gil Marques 005 Conteúdo Pioneiros Classificação Princípio de funcionamento Circuito equialente Medida dos parâmetros Rendimento Comportamento Valores

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A PROVA:

INSTRUÇÕES PARA A PROVA: CONCUSO PÚBLICO POFESSO / ELETOTÉCNICA GUPO MAGISTÉIO eservado ao CEFET-N 16 de setembro de 007 INSTUÇÕES PAA A POVA: Use apenas caneta esferográfica azul ou preta; Escreva o seu nome completo, o número

Leia mais

Proteção dos transformadores Parte I

Proteção dos transformadores Parte I 26 Capítulo IX Proteção dos transformadores Parte I Por Cláudio Mardegan* Normas e guias Para o desenvolvimento deste capítulo, proteção dos transformadores, as seguintes normas/guias foram consideradas:

Leia mais

LABORATÓRIO INTEGRADO III

LABORATÓRIO INTEGRADO III FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS EXATAS CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA LABORATÓRIO INTEGRADO III Experiência 02: TRANSFORMADORES TRIFÁSICOS - FUNCIONAMENTO Prof. Norberto Augusto Júnior I) OBJETIVOS: Estudar

Leia mais

Aula 8 Análise de circuitos no domínio da frequência e potência em corrente alternada

Aula 8 Análise de circuitos no domínio da frequência e potência em corrente alternada ELETRICIDADE Aula 8 Análise de circuitos no domínio da frequência e potência em corrente alternada Prof. Marcio Kimpara Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Associação de impedâncias As impedâncias

Leia mais

RADIOELETRICIDADE. O candidato deverá acertar, no mínimo: Classe B 50% Classe A 70% TESTE DE AVALIAÇÃO

RADIOELETRICIDADE. O candidato deverá acertar, no mínimo: Classe B 50% Classe A 70% TESTE DE AVALIAÇÃO RADIOELETRICIDADE O candidato deverá acertar, no mínimo: Classe B 50% Classe A 70% TESTE DE AVALIAÇÃO Fonte: ANATEL DEZ/2008 RADIOELETRICIDADE TESTE DE AVALIAÇÃO 635 A maior intensidade do campo magnético

Leia mais

Revisão. Gerador Síncrono Tensão induzida no enrolamento do estator

Revisão. Gerador Síncrono Tensão induzida no enrolamento do estator Revisão Gerador Síncrono Tensão induzida no enrolamento do estator Revisão Motor de Indução Geração do campo girante do estator Revisão Motor de Indução Velocidade de rotação do campo girante do estator

Leia mais

1ª PARTE: INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA ELETROTÉCNICA - IT

1ª PARTE: INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA ELETROTÉCNICA - IT 1ª PARTE: INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA ELETROTÉCNICA - IT SUMÁRIO Grandezas 01 1.1 Classificação das Grandezas 01 1.2 Grandezas Elétricas 01 2 Átomo (Estrutura Atômica) 01 2.1 Divisão do Átomo 01 3 Equilíbrio

Leia mais

Alternadores e Circuitos Polifásicos ADRIELLE DE CARVALHO SANTANA

Alternadores e Circuitos Polifásicos ADRIELLE DE CARVALHO SANTANA Alternadores e Circuitos Polifásicos ADRIELLE DE CARVALHO SANTANA Alternadores Um gerador é qualquer máquina que transforma energia mecânica em elétrica por meio da indução magnética. Um gerador de corrente

Leia mais

Eletrônica Básica - Curso Eletroeletrônica - COTUCA Lista 4 Análise de circuitos a diodos c.a.

Eletrônica Básica - Curso Eletroeletrônica - COTUCA Lista 4 Análise de circuitos a diodos c.a. Eletrônica Básica - Curso Eletroeletrônica - COTUCA Lista 4 Análise de circuitos a diodos c.a. 1. A Figura abaixo apresenta o oscilograma da forma de onda de tensão em um determinado nó de um circuito

Leia mais

Sumário. Transformadores

Sumário. Transformadores Sumário UNIDADE I... 3 A NATUREZA DO MAGNETISMO... 3 CAMPOS MAGNÉTICOS... 3 FLUXO MAGNÉTICO Φ... 3 DENSIDADE DE FLUXO MAGNÉTICO B... 3 PERMEABILIDADE DE MATERIAIS MAGNÉTICOS... 3 ELETROMAGNETISMO... 4

Leia mais

3 Faltas Desbalanceadas

3 Faltas Desbalanceadas UFSM Prof. Ghendy Cardoso Junior 2012 1 3 Faltas Desbalanceadas 3.1 Introdução Neste capítulo são estudados os curtos-circuitos do tipo monofásico, bifásico e bifase-terra. Durante o estudo será utilizado

Leia mais

WEG EQUIPAMENTOS ELÉTRICO S S.A. CENTRO DE TREINAMENTO DE CLIENTES - CTC KIT MEDIDAS ELÉTRICAS MANUAL DO PROFESSOR

WEG EQUIPAMENTOS ELÉTRICO S S.A. CENTRO DE TREINAMENTO DE CLIENTES - CTC KIT MEDIDAS ELÉTRICAS MANUAL DO PROFESSOR WEG EQUIPAMENTOS ELÉTRICO S S.A. CENTRO DE TREINAMENTO DE CLIENTES - CTC KIT MEDIDAS ELÉTRICAS MANUAL DO PROFESSOR CENTRO DE TREINAMENTO DE CLIENTES - CTC MEDIDAS ELÉTRIC AS MANUAL DO PROFESSOR Manual

Leia mais

CÁLCULO DO CURTO CIRCUITO PELO MÉTODO KVA

CÁLCULO DO CURTO CIRCUITO PELO MÉTODO KVA CÁLCULO DO CURTO CIRCUITO PELO MÉTODO KVA Paulo Eduardo Mota Pellegrino Introdução Este método permite calcular os valores de curto circuito em cada ponto do Sistema de energia elétrica (SEE). Enquanto

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA AVALIAÇÃO ECONÔMICA DE TRANSFORMADORES DE DISTRIBUIÇÃO COM BASE NO CARREGAMENTO E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA ALESSANDRA FREITAS

Leia mais

APÊNDICE B. Ensaio da Performance do Protótipo. MATRBDA-HAW560-75kW

APÊNDICE B. Ensaio da Performance do Protótipo. MATRBDA-HAW560-75kW APÊNDICE B Ensaio da Performance do Protótipo MATRBDA-HAW560-75kW 282 LABORATÓRIO DE ENSAIOS ELÉTRICOS - BAIXA TENSÃO WEG MÁQUINAS RELATÓRIO DE ENSAIO DE PROTÓTIPO MATRBDA 560 POTÊNCIA: 75KW / 25KW TENSÃO

Leia mais

ELETRÔNICA DE POTÊNCIA I

ELETRÔNICA DE POTÊNCIA I QUALIDADE DE ENERGIA 1-Introdução ELETRÔNICA DE POTÊNCIA I Desde o princípio do método de transmissão de energia elétrica utilizando CA, ou ondas senoidais, o aparecimento de componentes harmônicas é um

Leia mais

11. Dado o circuito abaixo, determine a capacitância equivalente do circuito, sabendo que:

11. Dado o circuito abaixo, determine a capacitância equivalente do circuito, sabendo que: TÉCNICO EM ELETRICIDADE 4 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 11 A 25 11. Dado o circuito abaixo, determine a capacitância equivalente do circuito, sabendo que: C1 = 300µF C2 = C3 = 300µF C4 = C5 = C6

Leia mais

Conversão de Energia I

Conversão de Energia I Departamento de ngenharia létrica Conversão de nergia I Aula.4 Transformadores Prof. Clodomiro Unsihuay Vila Bibliografia FITZGRALD, A.., KINGSLY Jr. C. UMANS, S. D. Máquinas létricas: com Introdução à

Leia mais

Polaridade e relação em transformadores de potência

Polaridade e relação em transformadores de potência 68 Capítulo V Polaridade e relação em transformadores de potência Por Marcelo Paulino* O objetivo deste capítulo é apresentar os conceitos de polaridade e defasamento angular de transformadores e as metodologias

Leia mais

Circuitos Elétricos Circuitos Magneticamente Acoplados

Circuitos Elétricos Circuitos Magneticamente Acoplados Introdução Circuitos Elétricos Circuitos Magneticamente Acoplados Alessandro L. Koerich Engenharia de Computação Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) Os circuitos que estudamos até o momento

Leia mais

ESTUDO DOS REQUISITOS ESSENCIAIS A ESPECIFICAÇÃO DE TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA EM CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO RODRIGO DA SILVA DELGADO

ESTUDO DOS REQUISITOS ESSENCIAIS A ESPECIFICAÇÃO DE TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA EM CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO RODRIGO DA SILVA DELGADO ESTUDO DOS REQUISITOS ESSENCIAIS A ESPECIFICAÇÃO DE TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA EM CONDIÇÕES NORMAIS DE OPERAÇÃO RODRIGO DA SILVA DELGADO PROJETO SUBMETIDO AO CORPO DOCENTE DO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA

Leia mais

Transformador de Corrente com Núcleo Toroidal de Liga Nanocristalina

Transformador de Corrente com Núcleo Toroidal de Liga Nanocristalina 160 EEE LATN AMERCA TRANSACTONS, VOL. 4, NO. 3, MAY 2006 Transformador de Corrente com Núcleo Toroidal de Liga Nanocristalina Benedito A. Luciano, Member, EEE, Raimundo C. S. Freire, José Gutembergue A.

Leia mais

Nota Técnica 003/2010

Nota Técnica 003/2010 Nota Técnica 003/2010 Produto: Crowbar Aplicação: Acionamento da resistência de descarga em motores síncronos Serão discutidos os tópicos a seguir: 1) Conceito de Motores Síncronos 2) Determinação da Resistência

Leia mais

PROBLEMAS DE MÁQUINAS ELÉCTRICAS

PROBLEMAS DE MÁQUINAS ELÉCTRICAS PROBLEMAS DE MÁQUINAS ELÉCTRICAS 1. Um dinamo octopolar de 600 r.p.m. com enrolamento em série de 300 condutores activos tem um fluxo por pólo de 5x10 6 Maxwell. Calcule a força electromotriz produzida.

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO ENGENHARIA ELÉTRICA

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO ENGENHARIA ELÉTRICA NOTAS DE AULA PROF. LUCIANO VITORIA BARBOZA SUMÁRIO Capítulo 1. Faltas Trifásicas Simétricas... 1 1.1. Introdução... 1 1.. Transitórios

Leia mais

Produtos de Baixa Tensão. Medidores

Produtos de Baixa Tensão. Medidores Produtos de Baixa Tensão Medidores Indicadores analógicos e digitais Indicadores analógicos Voltímetros e amperímetros ferro-móvel Amperímetros e voltímetros True RMS para conexão direta ou através de

Leia mais

MÁQUINAS 1 CAPÍTULO 9

MÁQUINAS 1 CAPÍTULO 9 MÁQUA 1 CAÍTULO 9 TRAFORMADOR O transformador é um componente utilizado para converter o valor da amplitude da tensão de uma corrente alternada. O transformador é uma máquina elétrica que transfere energia

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA CONHECIENTOS ESPECÍFICOS TÉCNICO E ELETROTÉCNICA 26. Analise o circuito a seguir. Considerando que a lâmpada L foi projetada para funcionar numa rede de 120 V, dissipando 60 W, o valor da resistência Rx,

Leia mais

LINHA DE EQUIPAMENTOS DIDÁTICOS PARA ÁREA DE ELETROTÉCNICA: DESCRIÇÃO ETC S

LINHA DE EQUIPAMENTOS DIDÁTICOS PARA ÁREA DE ELETROTÉCNICA: DESCRIÇÃO ETC S EQUACIONAL ELÉTRICA E MECÂNICA LTDA. RUA SECUNDINO DOMINGUES 787, JARDIM INDEPENDÊNCIA, SÃO PAULO, SP TELEFONE (011) 2100-0777 - FAX (011) 2100-0779 - CEP 03223-110 INTERNET: http://www.equacional.com.br

Leia mais

Aula 4 Corrente Alternada e Corrente Contínua

Aula 4 Corrente Alternada e Corrente Contínua FUNDMENTOS DE ENGENHI ELÉTIC PONTIFÍCI UNIVESIDDE CTÓLIC DO IO GNDE DO SUL FCULDDE DE ENGENHI ula 4 Corrente lternada e Corrente Contínua Introdução Corrente lternada e Corrente Contínua Transformadores

Leia mais

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TEMA DA AULA EQUIPAMENTOS ELÉTRICAS DE SUBESTAÇÕES PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TRANSFORMADORES Um transformador (ou trafo) é um dispositivo destinado a transmitir energia elétrica ou potência

Leia mais

TRABALHO LABORATORIAL Nº 3

TRABALHO LABORATORIAL Nº 3 ESCOLA SUPERIOR NÁUTICA INFANTE D. HENRIQUE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MARÍTIMA M422 - SISTEMAS E INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS DE NAVIOS TRABALHO LABORATORIAL Nº 3 ENSAIO DE UMA MÁQUINA ASSÍNCRONA TRIFÁSICA

Leia mais

-Transformadores Corrente de energização - inrush

-Transformadores Corrente de energização - inrush -Transformadores Corrente de energização - inrush Definição Corrente de magnetização (corrente de inrush) durante a energização do transformador Estas correntes aparecem durante a energização do transformador,

Leia mais

Cap.4 - Medição de Tensão e Corrente Cap. 5 - Medidas com Multímetros Analógicos e Digitais

Cap.4 - Medição de Tensão e Corrente Cap. 5 - Medidas com Multímetros Analógicos e Digitais Universidade Federal de Itajubá UNIFEI Cap.4 - Cap. 5 - Medidas com Multímetros Analógicos e Digitais Prof. Dr. Fernando Nunes Belchior fnbelchior@hotmail.com fnbelchior@unifei.edu.br Medição de Tensão

Leia mais

Potência e Fator de Potência. Fernando Soares dos Reis, Dr. Eng.

Potência e Fator de Potência. Fernando Soares dos Reis, Dr. Eng. Potência e Fator de Potência, Dr. Eng. Sumário Introdução; Objetivos; Revisão de Conceitos Fundamentais de Potência C.C. Potência Instantânea; Potência Média ou Ativa; Transferência Máxima de Potência

Leia mais

MODELOS: TRANSFORMADORES DE CORRENTE RH-80 RH-80B(500A) RH-80B(800A) RH-100 RH-40 RH-70 RH-78 RH-90 RH-120

MODELOS: TRANSFORMADORES DE CORRENTE RH-80 RH-80B(500A) RH-80B(800A) RH-100 RH-40 RH-70 RH-78 RH-90 RH-120 TRANSFORMADORES DE CORRENTE MODELOS: RH-80 RH-80B(500A) RH-80B(800A) RH-100 RH-40 RH-70 RH-78 RH-90 RH-120 www.anzo.com.br - contato@anzo.com.br 0 Modelo RH - 80 Os TC s foram desenvolvidos com características

Leia mais

GLOSSÁRIO MÁQUINAS ELÉTRICAS

GLOSSÁRIO MÁQUINAS ELÉTRICAS GLOSSÁRIO MÁQUINAS ELÉTRICAS Motor Elétrico: É um tipo de máquina elétrica que converte energia elétrica em energia mecânica quando um grupo de bobinas que conduz corrente é obrigado a girar por um campo

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Dados do cliente Proprietário: Roney Casagrande CPF: 765.425.990-53 Endereço: Estrada Pinhal da Serra, n 04452, Interior Cidade: Pinhal da Serra RS CEP: 95.390-000 Dados da

Leia mais

Aula 16. Modelagem de Transformador

Aula 16. Modelagem de Transformador Aula 16 Modelagem de Transformador Modelagem Iremos apresentar o modelo do transformador para uso no cálculo de fluxo de potência em redes de alta tensão. Estes modelos descrevem matematicamente o comportamento

Leia mais

EXPERIÊNCIA 8 TRANSFORMADORES, CIRCUITOS EM CORRENTE ALTERNADA E FATOR DE POTÊNCIA

EXPERIÊNCIA 8 TRANSFORMADORES, CIRCUITOS EM CORRENTE ALTERNADA E FATOR DE POTÊNCIA EXPEÊNA 8 ANSFOMADOES, UOS EM OENE AENADA E FAO DE POÊNA 1 NODUÇÃO O transformador é um dispositivo elétrico que permite modificar a amplitude de tensões e correntes onsiste basicamente de duas bobinas

Leia mais

Corrente Alternada Transformadores Retificador de Meia Onda

Corrente Alternada Transformadores Retificador de Meia Onda Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina Departamento de Eletrônica Eletrônica Básica e Projetos Eletrônicos Corrente Alternada Transformadores Retificador de Meia Onda Clóvis Antônio Petry,

Leia mais

Motores de Indução ADRIELLE DE CARVALHO SANTANA

Motores de Indução ADRIELLE DE CARVALHO SANTANA ADRIELLE DE CARVALHO SANTANA Motores CA Os motores CA são classificados em: -> Motores Síncronos; -> Motores Assíncronos (Motor de Indução) O motor de indução é o motor CA mais usado, por causa de sua

Leia mais

EQUACIONAL ELÉTRICA E MECÂNICA LTDA

EQUACIONAL ELÉTRICA E MECÂNICA LTDA ELETROTÉCNICA 1. INTRODUÇÃO : Este texto foi preparado procurando uma exposição na forma mais simples, apenas com a intenção de relembrar alguns conceitos fundamentais da eletricidade e do eletromagnetismo

Leia mais

CARGOS DE CLASSE D TÉCNICO DE ELETRÔNICA E TÉCNICO DE LABORATÓRIO / ÁREA: ELETRÔNICA

CARGOS DE CLASSE D TÉCNICO DE ELETRÔNICA E TÉCNICO DE LABORATÓRIO / ÁREA: ELETRÔNICA 7 CEFET CARGOS DE CLASSE D TÉCNICO DE ELETRÔNICA E TÉCNICO DE LABORATÓRIO LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - O candidato recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com

Leia mais

Espaço SENAI. Missão do Sistema SENAI

Espaço SENAI. Missão do Sistema SENAI Sumário ntrodução 5 ndução 6 Auto-indução 7 ndutores em corrente alternada 14 Fator de qualidade (q) 16 Determinação experimental da indutância de um indutor 16 Associação de indutores 18 Relação de fase

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Engenharia Elétrica. Roteiro para Laboratório de: Transformadores. Aulas Práticas e Ensaios

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Engenharia Elétrica. Roteiro para Laboratório de: Transformadores. Aulas Práticas e Ensaios Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Engenharia Elétrica Roteiro para Laboratório de: Transformadores Aulas Práticas e Ensaios Prof.: Adalton Lima de Aguiar Prof.: José Roberto Camacho Prof.:

Leia mais

Estabilidade Transitória

Estabilidade Transitória Estabilidade Transitória Revisão em janeiro 003. 1 Introdução A geração de energia elétrica dos sistemas de potência é constituída de máquinas síncronas. que operam com uma determinada freqüência. O sistema

Leia mais