CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À CONSULTA PÚBLICA N. 34/2015 NOME DA INSTITUIÇÃO: FUNDAÇÃO PROCON-SP AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À CONSULTA PÚBLICA N. 34/2015 NOME DA INSTITUIÇÃO: FUNDAÇÃO PROCON-SP AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL"

Transcrição

1 CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À CONSULTA PÚBLICA N. 34/2015 NOME DA INSTITUIÇÃO: FUNDAÇÃO PROCON-SP AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: Consulta Pública n. 034/2015 Processo n / EMENTA: Situação atual das informações apresentadas na fatura de energia elétrica e discussão de possíveis aprimoramentos. PREÂMBULO No intento de contribuir efetivamente com a proposta, apresentamos sugestões que visam alcançar um horizonte mais harmônico com os preceitos constitucionais e consumeristas estabelecidos, sem perder o viés social do tema, especialmente considerando que o fornecimento 1

2 de energia elétrica é serviço essencial e deve sempre ser objeto de melhorias, seja no fornecimento da energia em si como na prestação de informações e atendimento às demandas dos consumidores. Contribuições: PERGUNTA CONTRIBUIÇÃO 1 - Como se qualifica a quantidade de informações apresentadas na fatura de energia: Os consumidores têm direito a obtenção de toda e qualquer informações de seu interesse, nesse sentido, entendemos que as informações constantes na conta de energia elétrica e, destinadas aos consumidores não podem ser suprimidas. Ademais, é importante que o consumidor tenha em mãos todos os dados da fatura, de modo a minimizar a necessidade de contato com a distribuidora. Vale lembrar que o direito à informação sobre os produtos e serviços colocados no mercado de consumo é assegurado pelo artigo 6º inciso III, do Código de Proteção e Defesa do Consumidor CDC. 2

3 2- Caso considerada excessiva, que informações poderiam ser retiradas e/ou simplificadas? As informações relativas aos tributos poderiam ser simplificadas, inclusive por força da Lei Federal nº /12, que obriga os prestadores de serviços a demonstrarem em documento fiscal a totalidade dos tributos federais, estaduais e municipais. Outro ponto a ser melhorado diz respeito ao detalhamento das contas, principalmente sobre o custo dos KWH, que poderia ser apresentado por faixa de consumo a exemplo das faturas da Cia Energética do Rio Grande do Norte Cosern que descrimina em conta as tarifas aplicadas e, campo exclusivo com o custo do KWH por faixa de consumo. 3. Caso considerada insuficiente, que informações adicionais deveriam ser obrigatórias? Existem informações que não são disponibilizadas na fatura a exemplo da realização da leitura estimada, não sendo o consumidor informado de quando ela ocorre e o porquê não foi realizada a leitura real, já que isso implica em uma possível elevação do valor da conta quando da regularização da leitura. Por outro lado, em que pese algumas distribuidoras informarem na fatura a leitura estimada, essa informação não é ostensiva, passando desapercebida pelo consumidor, além disso, essas faturas não informam o motivo da leitura estimada. Desta forma, entendemos que essa informação deve ser inserida na conta de energia de 3

4 forma ostensiva, permitindo a sua imediata identificação por parte do consumidor, preferencialmente no campo reservado às informações importantes e em fonte maior. Observa-se ainda que, nem todas as concessionárias informam nas contas de energia os dados relativos aos indicadores de qualidade, ou seja, as horas que o cliente ficou sem energia; vezes que o cliente ficou sem energia e máximo de horas contínuas que o cliente ficou sem energia, sendo um dado importante para que o consumidor final possa avaliar o serviço prestado. 4- Quais são as lacunas e eventuais conflitos da regulamentação da ANEEL quanto ao que deve ser apresentado na fatura? A falta de clareza e padronização (campos, termos e layout) observada na análise de contas de várias concessionárias, demonstra a necessidade de uma regulamentação mais detalhada, não só sobre quais informações devem constar na fatura, mas como essas devem ser dispostas nas contas de energia. Outra questão a ser objeto de regulação versa sobre a ausência de informações nas contas de energia, de algumas distribuidoras, a respeito dos indicadores de qualidade, dado esse essencial para avaliação da prestação do serviço por parte dos consumidores. 4

5 5. As descrições dos itens de fatura são claras para todos os consumidores ou há necessidade de padronizá-las, incluindo os termos e abreviações a serem utilizados? A padronização dos dados, assim como a forma de apresentação das contas de energia elétrica, pode contribuir para dar mais efetividade a informação transmitida ao consumidor, tornando as faturas de serviço mais simples, de forma que o consumidor ao mudar de cidade ou estado, mudando de distribuidora de energia, não tenha dificuldade com os dados apresentados na conta de energia. Quanto as abreviações, essas deveriam vir acompanhadas das descrições, possibilitando uma maior compreensão por parte dos consumidores. Por fim, vale ressaltar que o artigo 31, da Lei Federal nº 8 078/90 CDC determina que a oferta e apresentação de produtos ou serviços devem assegurar informações corretas, claras, precisas, ostensivas e em língua portuguesa, sobre suas características, qualidade, quantidade, composição, preço, ente outros dados. 6- O tratamento dispensado as pessoas com Embora existam várias legislações versando sobre esse assunto, inclusive o recente necessidades especiais garante a Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei /2015), ainda vislumbramos a necessidade acessibilidade aos serviços? Esse aspecto de legislação específica por parte da Aneel, determinando a garantia de acessibilidade deveria ser regulamentado pela ANEEL? para toda e qualquer tipo de deficiência. 5

6 Assim, em que pese algumas concessionárias possuírem serviço específico para deficientes auditivos e de fala, sendo o prefixo 0800 para atendimento gratuito, divulgado nas páginas eletrônicas das empresas, inclusive postos de atendimento físico para portadores de deficiência visual, onde acredita-se existir atendimento preferencial como faculta as leis vigentes, não há por parte das empresas anúncio da possibilidade de recebimento das faturas em braile ou fonte ampliada, de forma a possibilitar aos deficientes visuais a conferência e controle de suas faturas. Importante ressaltar que as mudanças sugeridas visam possibilitar maior autonomia, independência, qualidade de vida e inclusão social dessa parcela da população, devendo ser assegurado o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais pela pessoa com deficiência. 7. A forma como as faturas são enviadas aos Importante que todas as informações relacionadas aos dados dos consumidores sejam consumidores compromete o sigilo de inseridas na parte interna das contas, sendo as mesmas lacradas, de forma que os dados informações privadas (por exemplo, pela não possam ser visualizados por terceiros. exposição do número completo do CPF e Contudo, considerando que algumas distribuidoras já efetuam a entrega no momento da 6

7 eventuais faturas anteriores em débito)? leitura, sendo a conta entregue aberta, sugerimos a criação de mecanismo que possibilite o fechamento dessas contas, de forma que as mesmas sejam entregues lacradas. Por outro lado, é importante observar que as contas de consumo são normalmente utilizadas como comprovante de endereço dos consumidores, sendo para alguns a única forma de comprovação de endereço, razão pela qual sugerimos que seja facultado ao consumidor solicitar a exclusão do número do CPF da sua conta de energia, caso entenda que essas informações não devam ser expostas na respectiva fatura de energia. No tocante as informações de débitos, entendemos que possibilitam ao consumidor um controle mais efetivo das contas em atraso, nesse sentido, a supressão dessa informação pode trazer prejuízos ao consumidor. 9. O que seria necessário para a fatura mensal impressa ser substituída de forma ampla por uma fatura eletrônica? A substituição de forma ampla pode implicar em transgressão ao direito de informação do consumidor e infração ao artigo 6º, inciso III do CDC, considerando que nem todos os consumidores tem acesso aos meios eletrônicos ou familiaridade com essa ferramenta. Nesse sentido, não vislumbramos essa possibilidade, sendo inclusive prematura a intenção 7

8 de substituição da fatura física pela eletrônica de forma ampla. Todavia, entendemos não existir óbice para tornar facultativa a sua substituição, desta forma, os consumidores que desejarem a fatura eletrônica podem solicitá-la à distribuidora, sem custo adicional, sendo assegurado o retorno a opção de envio da fatura por meio físico, sem que isso acarrete qualquer tipo de cobrança ou empecilho. 10.Quais meios de pagamento deveriam ser obrigatoriamente disponibilizados aos consumidores? Deve ser disponibilizado aos consumidores todos os meios de pagamento disponível no mercado de consumidor, dentre eles pagamento em todas as redes bancárias, por meios dos caixas presenciais, terminais de autoatendimento, atendimento telefônico e internet, além disso deve haver a possibilidade de pagamento em todos os correspondentes bancários, rede de lotéricas e postos de atendimento as distribuidoras. Ressaltamos que, restringir ou tornar obrigatório um tipo específico de pagamento não traz benefício aos consumidores, já que se busca a maior quantidade possível de meios de pagamento para facilitar essa operação por parte do usuário. Atualmente no Estado de São Paulo se verifica o direcionamento do consumidor aos meios de pagamento não presenciais (débito automático e caixa eletrônico), em decorrência do 8

9 cancelamento/revisão de contrato entre as concessionárias de energia elétrica e as instituições bancárias em prejuízo dos consumidores, sendo essa uma oportunidade para revisão desse procedimento. 11- Quais informações relacionadas às interrupções do fornecimento sofridas pelo consumidor devem constar na fatura? E quais informações suplementares relacionadas às interrupções devem estar disponíveis aos consumidores por outros meios? Partindo do princípio que o serviço considerado essencial deve ser contínuo (art. 22 da lei 8.078/90) a informação ao cliente que porventura tenha o serviço interrompido deve ser imediata e com indicação de solução imediata e indenização previsível nos casos de prejuízo ao patrimônio. No tocante as informações da fatura, na hipótese de interrupção programada, essa pode ser utilizada como meio de comunicação prévia, desde que acha destaque e ostensividade da informação e inserida no campo avisos importantes. Contudo, não sendo previsível a interrupção do serviço, as empresas devem disponibilizar as informações relativas as interrupções sofridas em todos os seus canais de comunicação. Quanto as interrupções ocorridas nos respectivos períodos, deve ser informado aos consumidores um histórico do dia e hora das interrupções, o que visa possibilitar um 9

10 controle mais efetivo das interrupções. 10

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À CONSULTA PÚBLICA Nº 006/2015

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À CONSULTA PÚBLICA Nº 006/2015 MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À CONSULTA PÚBLICA Nº 006/2015 NOME DA INSTITUIÇÃO: AES Brasil AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: Consulta Pública 006/2015 de 15/06/2015.

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES À CONSULTA PÚBLICA CP Nº 006/2015

CONTRIBUIÇÕES À CONSULTA PÚBLICA CP Nº 006/2015 CONTRIBUIÇÕES À CONSULTA PÚBLICA CP Nº 006/2015 Situação atual das informações apresentadas na fatura de energia elétrica e discutir possíveis aprimoramentos da regulamentação. Rio de Janeiro Setembro/2015

Leia mais

Contribuição Eletropaulo Metropolitana S/A Expositor Antoninho Borghi

Contribuição Eletropaulo Metropolitana S/A Expositor Antoninho Borghi Audiência Pública ANEEL 027/2003 Estabelece as condições de atendimento por meio de Central de Teleatendimento (CTA) das concessionárias ou permissionárias, critérios de classificação de serviços e metas

Leia mais

Não Aceita 4. Contribuições Recebidas Contribuição: ABRADEE Justificativa Avaliação ANEEL: Parcialmente Aceita Art. 1º

Não Aceita 4. Contribuições Recebidas Contribuição: ABRADEE Justificativa Avaliação ANEEL: Parcialmente Aceita Art. 1º COMPLEMENTO AO Anexo I da Nota Técnica n o Nota Técnica no 077/2015-SRM-SRD-SRG-SGT-SFF-SCG/ANEEL de 08/05/2015 (Análise de contribuições que não constaram do RAC Minuta de Resolução, Anexo I da NT 08/05/2015)

Leia mais

Projeto de Lei n.º 013/2015

Projeto de Lei n.º 013/2015 [ Página n.º 1 ] ESTABELECE NORMAS DE ATENDIMENTO AO PÚBLICO E ADEQUAÇÃO DE AMBIENTES DE ESTABELECIMENTOS BANCÁRIOS NO ÂMBITO DO MUNICÍPIO DE CASTANHEIRA-MT, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A PREFEITA MUNICIPAL

Leia mais

REGULAMENTO BANCO DE PREÇOS

REGULAMENTO BANCO DE PREÇOS REGULAMENTO BANCO DE PREÇOS O BANCO DO BRASIL S.A., sociedade de economia mista, com sede em Brasília, Distrito Federal, sito no SBS, Quadra 4, Lote 32, Bloco C, inscrito no CNPJ sob o n.º 00.000.000/0001-91,

Leia mais

INFORMATIVO : TRANSPORTE AÉREO

INFORMATIVO : TRANSPORTE AÉREO INFORMATIVO : TRANSPORTE AÉREO DIREITO À INFORMAÇÃO: INFORMAÇÃO CLARA E PRECISA: CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR Art. 6º São direitos básicos do consumidor: III - a informação adequada e clara sobre os

Leia mais

NORMA SOBRE REGISTRO DE INTENÇÃO DE DOAÇÃO A INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA, UTILIZANDO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES

NORMA SOBRE REGISTRO DE INTENÇÃO DE DOAÇÃO A INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA, UTILIZANDO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES NORMA SOBRE REGISTRO DE INTENÇÃO DE DOAÇÃO A INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA, UTILIZANDO SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES 1 - DO OBJETIVO 1.1. Esta Norma tem por objetivo estabelecer condições para prestação

Leia mais

Manual de Utilização DDA Débito Direto Autorizado

Manual de Utilização DDA Débito Direto Autorizado Manual de Utilização DDA Débito Direto Autorizado Índice Apresentação Conceito Funcionamento Operacionalização Perguntas e Respostas Glossário Apresentação Pelo sistema DDA desenvolvido pelo Banco Santander

Leia mais

Sumário Executivo do Contrato dos Cartões de Crédito Private Label Híbrido

Sumário Executivo do Contrato dos Cartões de Crédito Private Label Híbrido BANCO DO BRASIL S.A. Sumário Executivo do Contrato dos Cartões de Crédito Private Label Híbrido Conceito e Características do Cartão de Crédito O cartão de crédito Private Label Híbrido, de uso doméstico

Leia mais

25 2010, 3.919, 2011, 15% 1) O

25 2010, 3.919, 2011, 15% 1) O O uso do cartão vem crescendo ao longo dos anos, acompanhando o aumento da renda e os avanços em geral conquistados pela sociedade brasileira. Facilidade, segurança e ampliação das possibilidades de compras

Leia mais

A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A. S u b m ó d u l o 10. 2

A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A. S u b m ó d u l o 10. 2 A G Ê N C I A N A C I O N A L D E E N E R G I A E L É T R I C A Módulo 10: Ordem e Condições de Realização dos Processos Tarifários e Requisitos de Informações e Obrigações Periódicas S u b m ó d u l o

Leia mais

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 42 / 2009

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 42 / 2009 MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 42 / 2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: CHARTIS BRASIL SEGUROS S.A. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: LEILÃO Nº 06/2009,

Leia mais

CP 013/14 Sistemas Subterrâneos. Questões para as distribuidoras

CP 013/14 Sistemas Subterrâneos. Questões para as distribuidoras CP 013/14 Sistemas Subterrâneos Questões para as distribuidoras 1) Observa-se a necessidade de planejamento/operacionalização de atividades entre diversos agentes (distribuidoras, concessionárias de outros

Leia mais

Regulação de Saneamento e Energia no Estado de São Paulo

Regulação de Saneamento e Energia no Estado de São Paulo Encontro Temático Estadual - CEPAM Regulação de Saneamento e Energia no Estado de São Paulo Paulo Fernando Cunha Albuquerque Superintendente de Assuntos Energéticos 16/04/2013 A ARSESP é uma Agência multi

Leia mais

SAC: Fale com quem resolve

SAC: Fale com quem resolve SAC: Fale com quem resolve A Febraban e a sociedade DECRETO 6523/08: UM NOVO CENÁRIO PARA OS SACs NOS BANCOS O setor bancário está cada vez mais consciente de seu papel na sociedade e deseja assumi-lo

Leia mais

São Paulo, 04 de Maio de 2015 Ofício SINOG 022/2015

São Paulo, 04 de Maio de 2015 Ofício SINOG 022/2015 São Paulo, 04 de Maio de 2015 Ofício SINOG 022/2015 À Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos - DIPRO Gerente-Geral de Estrutura e Operação dos Produtos

Leia mais

TARIFAS BANCÁRIAS. Para abrir uma conta, os bancos exigem um depósito inicial, que varia conforme a instituição.

TARIFAS BANCÁRIAS. Para abrir uma conta, os bancos exigem um depósito inicial, que varia conforme a instituição. TARIFAS BANCÁRIAS A utilização de bancos é praticamente indispensável aos cidadãos. Contas e impostos, salários e seguros-desemprego são exemplos de transferência de dinheiro normalmente intermediada por

Leia mais

Bancarização no Brasil

Bancarização no Brasil Bancarização no Brasil 18 de setembro de 2009 1 Bancarização Mensagem inicial O índice de bancarização no Brasil ainda é muito baixo, com grande potencial a ser explorado Felaban (Federação Latino-Americana

Leia mais

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº /200X

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº /200X MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº /200X NOME DA INSTITUIÇÃO: CELESC DISTRIBUIÇÃO S/A AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: CONSULTA PÚBLICA Nº 019/2014

Leia mais

VII CIERTEC TÍTULO DO TRABALHO: COBRANÇA UTILIZANDO CÓDIGO DE BARRAS: CARTA E SMS TORPEDO

VII CIERTEC TÍTULO DO TRABALHO: COBRANÇA UTILIZANDO CÓDIGO DE BARRAS: CARTA E SMS TORPEDO TÍTULO DO TRABALHO: COBRANÇA UTILIZANDO CÓDIGO DE BARRAS: CARTA E SMS TORPEDO Tema: Gestão Comercial - Comunicação com clientes Autores: ADRIANO GONÇALVES DE SOUZA JÚNIOR LUIZ CLÁUDIO TEIXEIRA NUNES BRUNO

Leia mais

Novo Medidor Eletrônico

Novo Medidor Eletrônico Novo Medidor Eletrônico Neste material, você encontra todas as informações sobre o novo equipamento que vai medir o consumo de energia elétrica da sua instalação. bandeirante Instalação do medidor eletrônico

Leia mais

INFORMATIVO SAC SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR

INFORMATIVO SAC SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR 2013 INFORMATIVO SAC SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR Realização: O QUE É O SAC? SAC é o serviço de atendimento ao consumidor realizado por telefone pelas prestadoras de serviços regulados, ou seja,

Leia mais

Novas regras de faturação. (DL n.º197/2012 de 24 de agosto)

Novas regras de faturação. (DL n.º197/2012 de 24 de agosto) 1 Novas regras de faturação (DL n.º197/2012 de 24 de agosto) Este diploma introduz alterações às regras de faturação em matéria de imposto sobre o valor acrescentado, em vigor a partir de 1 de janeiro

Leia mais

Ambiente de Pagamentos

Ambiente de Pagamentos GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃOTRIBUTÁRIA DIRETORIA DE INFORMAÇÕES Ambiente de Pagamentos Manual do Contribuinte Versão 26/09/2011 Índice Analítico 1.

Leia mais

O site www.grey.com é operado e de propriedade do Grupo Grey.

O site www.grey.com é operado e de propriedade do Grupo Grey. Termos e Condições O site www.grey.com é operado e de propriedade do Grupo Grey. Ao acessar este site, você concorda em cumprir estes termos e condições. Leia atentamente. CASO NÃO CONCORDE EM CUMPRIR

Leia mais

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA FUNDAÇÃO DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS Resultados dos estudos sobre a redução de taxas de juros praticadas por bancos públicos e privados. Orientações aos consumidores. Face aos diversos anúncios de redução de juros veiculados na mídia a partir

Leia mais

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 039/2010

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 039/2010 MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 039/2010 NOME DA INSTITUIÇÃO: AES Sul Distribuidora Gaúcha de Energia S.A. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO:

Leia mais

Bairro Cidade CEP UF. Agência Nome da Agência Operação Conta Dígito. Bairro Cidade CEP UF. Bairro Cidade CEP UF

Bairro Cidade CEP UF. Agência Nome da Agência Operação Conta Dígito. Bairro Cidade CEP UF. Bairro Cidade CEP UF SACADO ELETRÔNICO ADESÃO EXCLUSÃO Nome ou Razão Social Agência Nome da Agência Operação Conta Dígito AGREGADOS Nome ou Razão Social (I) Nome ou Razão Social (II) 1 Pelo presente instrumento, a CAIXA ECONÔMICA

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À CONSULTA PÚBLICA Nº 15/2013

CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À CONSULTA PÚBLICA Nº 15/2013 CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À CONSULTA PÚBLICA Nº 15/2013 NOME DA INSTITUIÇÃO: COPEL DISTRIBUIÇÃO S.A. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: CONSULTA PÚBLICA Nº 15/2013 EMENTA (Caso exista):

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA ANEEL nº 006/2015 Regulamentação da Conta Centralizadora dos Recursos de Bandeiras Tarifárias

AUDIÊNCIA PÚBLICA ANEEL nº 006/2015 Regulamentação da Conta Centralizadora dos Recursos de Bandeiras Tarifárias AUDIÊNCIA PÚBLICA ANEEL nº 006/2015 Regulamentação da Conta Centralizadora dos Recursos de Bandeiras Tarifárias Contribuição da AES Brasil à AP 006/2015, relativa à Conta Centralizadora dos Recursos de

Leia mais

Detalhamento do Plano

Detalhamento do Plano A. Empresa: S/A PLANO ALTERNATIVO LOCAL (Região II exceto os Setores 20, 22 e 25 do PGO) B. Nome do Plano: Plano Alternativo de Serviço Nº 146 C. Identificação para a Anatel: Plano Alternativo de Serviço

Leia mais

ParanáBanco. REGULAMENTO DE USO DO NETBANKING PARANÁ BANCO Atualizado em 16/09/2015

ParanáBanco. REGULAMENTO DE USO DO NETBANKING PARANÁ BANCO Atualizado em 16/09/2015 O Cliente, pela assinatura física e/ou eletrônica do Termo de Adesão e Uso do NetBanking Paraná Banco, adere ao presente Regulamento, definido conforme os seguintes termos e condições: 1. Regras de uso

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e. Prefeitura Municipal de Tupãssi

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e. Prefeitura Municipal de Tupãssi NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e Prefeitura Municipal de Tupãssi PERGUNTAS E RESPOSTAS O QUE É A NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e? R NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e) é um documento

Leia mais

NORMATIVO SARB 003/2008 1. CONCEITO

NORMATIVO SARB 003/2008 1. CONCEITO O Conselho de Auto-Regulação Bancária, com base no art. 1 (b), do Código de Auto-Regulação Bancária, sanciona as regras abaixo dispostas, formalizando preceitos comuns a todas as signatárias da auto-regulação

Leia mais

PROJETO DE LEI 4330 DISCUSSÃO ACERCA DA TERCEIRIZAÇÃO

PROJETO DE LEI 4330 DISCUSSÃO ACERCA DA TERCEIRIZAÇÃO PROJETO DE LEI 4330 DISCUSSÃO ACERCA DA TERCEIRIZAÇÃO Análise acerca das últimas discussões sobre o Projeto de Lei 4330, que regula o contrato de prestação de serviços terceirizados e as relações de trabalho

Leia mais

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Versão 1.0 29/09/2015 Alterações em relação à versão anterior Não se aplica Simples Doméstico esocial 1. O que é o SIMPLES Doméstico? Vivemos um momento

Leia mais

ECF - Equipamento Emissor de Cupom Fiscal

ECF - Equipamento Emissor de Cupom Fiscal ECF - Equipamento Emissor de Cupom Fiscal INTRODUÇÃO Um dos objetivos do uso de equipamento Emissor de Cupom Fiscal - ECF é a automação comercial. O ECF é, sem dúvida, um instrumento importante nesse processo.

Leia mais

Ficha Cadastral/Proposta de abertura de conta de depósito Pessoa Física

Ficha Cadastral/Proposta de abertura de conta de depósito Pessoa Física Ficha Cadastral/Proposta de abertura de conta de depósito Pessoa Física Identificação do cliente Nome completo (sem abreviações) Sexo Endereço Residencial M Nº F Bairro Cidade UF CEP País Telefone E-mail

Leia mais

CONVÊNIOS EXECUÇÃO PRESTAÇÃO DE CONTAS

CONVÊNIOS EXECUÇÃO PRESTAÇÃO DE CONTAS CONVÊNIOS EXECUÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS CONTA BANCÁRIA ESPECÍFICA O convenente deverá manter os recursos repassados na conta específica, somente sendo permitidos saques para pagamento das despesas relativas

Leia mais

Carta de Serviços aos Cidadãos

Carta de Serviços aos Cidadãos Carta de Serviços aos Cidadãos Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul: a cada dia mais próximo da comunidade www.tre-jus.br O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul é um órgão do Poder

Leia mais

ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 10/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: SKY BRASIL SERVIÇOS LTDA.

ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 10/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: SKY BRASIL SERVIÇOS LTDA. ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 10/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: SKY BRASIL SERVIÇOS LTDA. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: (Resolução nº, de de de 2009

Leia mais

TARIFAS BANCÁRIAS VOCÊ VALORIZA CADA CENTAVO DO SEU DINHEIRO. E A CAIXA TAMBÉM.

TARIFAS BANCÁRIAS VOCÊ VALORIZA CADA CENTAVO DO SEU DINHEIRO. E A CAIXA TAMBÉM. TARIFAS BANCÁRIAS VOCÊ VALORIZA CADA CENTAVO DO SEU DINHEIRO. E A CAIXA TAMBÉM. Por norma do Conselho Monetário Nacional (CMN), foram padronizados os Serviços Prioritários e os serviços isentos para Pessoa

Leia mais

São Paulo, 30 de abril de 2015. ABR.029/15 SIN.006/15

São Paulo, 30 de abril de 2015. ABR.029/15 SIN.006/15 São Paulo, 30 de abril de 2015. ABR.029/15 SIN.006/15 Ao Sr. Rafael Pedreira Vinhas Gerente-Geral de Estrutura e Operação dos Produtos GGEOP Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos DIPRO Agência

Leia mais

Cartão BRB Pré-Pago. Como adquirir

Cartão BRB Pré-Pago. Como adquirir Cartão BRB Pré-Pago O Cartão BRB Pré-Pago facilita a sua vida e da sua família. Com ele você tem mais controle dos seus castos, paga pequenas despesas do dia a dia, usa em vários lugares do País e pode

Leia mais

DECRETO Nº 659 DE 26 DE MAIO DE 2014. O PREFEITO MUNICIPAL DE TUPANDI, no uso de suas atribuições legais, D E C R E T A

DECRETO Nº 659 DE 26 DE MAIO DE 2014. O PREFEITO MUNICIPAL DE TUPANDI, no uso de suas atribuições legais, D E C R E T A DECRETO Nº 659 DE 26 DE MAIO DE 2014. REGULAMENTA A LEI MUNICIPAL N.º 1.209, DE 02 DE MAIO DE 2014, QUE INSTITUI A NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS, A DECLARAÇÃO ELETRÔNICA DE SERVIÇOS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

Brasília, 27 de maio de 2013.

Brasília, 27 de maio de 2013. NOTA TÉCNICA N o 20 /2013 Brasília, 27 de maio de 2013. ÁREA: Desenvolvimento Social TÍTULO: Fundo para Infância e Adolescência (FIA) REFERÊNCIAS: Lei Federal n o 4.320, de 17 de março de 1964 Constituição

Leia mais

ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM MARÇO/2011

ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM MARÇO/2011 CONTROLE DE VERSÃO EILD PADRÃO BRASIL TELECOM S.A. ALTERAÇÕES DA MINUTA REVISADA EM MARÇO/2011 1. Alterações realizadas no corpo do contrato: Alteradas as qualificações da CONTRATADA e CONTRATANTE O Anexo

Leia mais

Manual da DEVEC. Declaração do Valor de Aquisição da Energia Elétrica em Ambiente de Contratação Livre

Manual da DEVEC. Declaração do Valor de Aquisição da Energia Elétrica em Ambiente de Contratação Livre Manual da DEVEC Declaração do Valor de Aquisição da Energia Elétrica em Ambiente de Contratação Livre Versão 11/01/2010 ÍNDICE 1. Avisos importantes...03 2. Objetivo do Sistema...03 3. Usuários do Sistema...04

Leia mais

IRPF IR2013. Chegou a hora de declarar o. Especial

IRPF IR2013. Chegou a hora de declarar o. Especial Boletim Informativo dirigido a participantes de planos de previdência da Bradesco Vida e Previdência Março de 2013 Especial IRPF 2013 Chegou a hora de declarar o IR2013 >> Fique por dentro >> Onde informar

Leia mais

Agora todas as Unimeds vão falar uma só língua. Unimed do Brasil Federação São Paulo Portal Unimed

Agora todas as Unimeds vão falar uma só língua. Unimed do Brasil Federação São Paulo Portal Unimed Agora todas as Unimeds vão falar uma só língua. Unimed do Brasil Federação São Paulo Portal Unimed Folheto perguntas e respostas (15X15)cm.indd 1 9/25/08 4:38:13 PM E as primeiras palavras são inovação,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CONSELHO DE GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 040, DE 18 MAIO DE 2011.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CONSELHO DE GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 040, DE 18 MAIO DE 2011. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CONSELHO DE GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 040, DE 18 MAIO DE 2011. Dispõe sobre critérios e procedimentos para o oferecimento do benefício de isenção de taxa de inscrição para

Leia mais

Atualizado em 10/09/2015

Atualizado em 10/09/2015 Atualizado em 10/09/2015 O Cartão BB Pesquisa é um produto oferecido pelo Banco do Brasil para facilitar o dia a dia dos pesquisadores. Destina-se ao pagamento de bens, serviços e demais despesas autorizadas.

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INTERNET Pelo presente Instrumento Particular o BANCO MÁXIMA S/A, com sede na cidade de Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, na Avenida Atlântica, 1130, 12º andar

Leia mais

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 12/2015

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 12/2015 MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 12/2015 NOME DA INSTITUIÇÃO: INEE Instituto Nacional de Eficiência Energética AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL Portaria n o

Leia mais

ÂMBITO E FINALIDADE SERVIÇO DE EMPRÉSTIMO DE VALORES MOBILIÁRIOS

ÂMBITO E FINALIDADE SERVIÇO DE EMPRÉSTIMO DE VALORES MOBILIÁRIOS Dispõe sobre empréstimo de valores mobiliários por entidades de compensação e liquidação de operações com valores mobiliários, altera as Instruções CVM nºs 40, de 7 de novembro de 1984 e 310, de 9 de julho

Leia mais

INTENÇÃO DE CONTRATAÇÃO ISGH / 2013 - OPME

INTENÇÃO DE CONTRATAÇÃO ISGH / 2013 - OPME INTENÇÃO DE CONTRATAÇÃO ISGH / 2013 - OPME O Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar/ISGH, Organização Social administradora do Hospital Regional do Cariri HRC E do Hospital Regional Norte -HRN, está realizando

Leia mais

Programa de Educação Tutorial - PET MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O CUSTEIO PET

Programa de Educação Tutorial - PET MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O CUSTEIO PET MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE O CUSTEIO PET LEGISLAÇÃO Lei nº11.180/2005 O professor tutor, de acordo com o 1º do art. 12 da Lei n o 11.180/2005, receberá semestralmente um montante de recursos equivalente

Leia mais

Detalhamento do Plano

Detalhamento do Plano PLANO ALTERNATIVO LOCAL PLANO Nº 032 A. Empresa: OI (TELEMAR NORTE LESTE S.A.), autorizatária do Serviço Telefônico Fixo Comutado na Modalidade Local, na Região III e no Setor 3 da Região 1 do Plano Geral

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA 060/2015

AUDIÊNCIA PÚBLICA 060/2015 AUDIÊNCIA PÚBLICA 060/2015 APRIMORAMENTO DA REN Nº 532, DE 14/01/2013, QUE DISCIPLINA A CONSTITUIÇÃO DE GARANTIAS PELAS CONCESSIONÁRIAS, PERMISSIONÁRIAS E AUTORIZADAS DE GERAÇÃO, TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

XV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

XV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA XV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE COBRANÇA DE TERCEIROS E DOAÇÕES, ATRAVÉS DA CONTA DE ENERGIA ELÉTRICA HEITOR LUIZ BREDA CELESC CENTRAIS ELÉTRICAS DE SANTA

Leia mais

As distribuidoras de energia elétrica e o ISS

As distribuidoras de energia elétrica e o ISS As distribuidoras de energia elétrica e o ISS Introdução Como se sabe, a produção, a importação, a circulação, a distribuição ou o consumo de energia elétrica podem provocar a incidência do ICMS, exceto

Leia mais

Decreto Nº1601 de 19 de Agosto de 2009 DECRETA:

Decreto Nº1601 de 19 de Agosto de 2009 DECRETA: Decreto Nº1601 de 19 de Agosto de 2009 Av. Presidente Vargas, 3.215 Vila Maria INSTITUI O GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DO ISSQN, A ESCRITURAÇÃO ECONÔMICO- FISCAL E A EMISSÃO DE GUIA DE RECOLHIMENTO POR MEIOS

Leia mais

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior REGULAMENTO DE ACÚMULO DE PONTOS NO PROGRAMA BRADESCO COM TRANSFERÊNCIA PARA O PROGRAMA FIDELIDADE

Leia mais

RELATÓRIO DE FOMENTO 2008

RELATÓRIO DE FOMENTO 2008 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação RELATÓRIO DE FOMENTO 2008 MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE Dados do Formulário sobre os investimentos das

Leia mais

ProChefe REGULAMENTO DE AQUISIÇÃO E USO DO SOFTWARE

ProChefe REGULAMENTO DE AQUISIÇÃO E USO DO SOFTWARE REGULAMENTO DE AQUISIÇÃO E USO DO SOFTWARE REGULAMENTO DE AQUISIÇÃO E USO DO SOFTWARE A PRO2001 LTDA, inscrita no CNPJ sob n 03.674.344/0001-74, com sede na cidade de Americana, cede por locação de licenças,

Leia mais

Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito Instituto HSBC Solidariedade

Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito Instituto HSBC Solidariedade Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito Instituto HSBC Solidariedade Leia estas informações importantes para aproveitar todas as vantagens do seu novo cartão de crédito. Resumo do Contrato de seu

Leia mais

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado)

PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº DE 2014 (Do Sr. Luiz Fernando Machado) Propõe que a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle com o auxílio do Tribunal de Contas da União e do Ministério Público

Leia mais

O Enade. é realizado. estudante. Lei nº. 10.861, de. é obrigatório: O Enade. O Enade. Objetivo. nível de. atualização. A prova. será trienal.

O Enade. é realizado. estudante. Lei nº. 10.861, de. é obrigatório: O Enade. O Enade. Objetivo. nível de. atualização. A prova. será trienal. ENADE Exame Nacional de Desempenh ho de Estudantes O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), que integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), tem o objetivo de aferir

Leia mais

Após consumo do pacote, velocidade é reduzida para 100kbps. 5 Mbps *

Após consumo do pacote, velocidade é reduzida para 100kbps. 5 Mbps * TIM CELULAR S/A CNPJ: 04.206.050/0001-80 - Insc.Estadual: 116.049.102.113 AV. GIOVANNI GRONCHI, NO. 7143, VILA ANDRADE SÃO PAULO (SP) - CEP: 05.724-006 --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Acessibilidade e inclusão social para os cidadãos surdos e deficientes auditivos

Acessibilidade e inclusão social para os cidadãos surdos e deficientes auditivos Acessibilidade e inclusão social para os cidadãos surdos e deficientes auditivos No Brasil há necessidade de conscientização e cumprimento de Decretos e Leis para a promover acessibilidade e inclusão social

Leia mais

CONTRATO SITE EXPRESS

CONTRATO SITE EXPRESS CONTRATO SITE EXPRESS De um lado, M&T Logística e Tecnologia Ltda, sediada na cidade de Belo Horizonte/MG na, denominada CONTRATADA e de outro lado, pessoa física ou jurídica, neste denominada CONTRATANTE,

Leia mais

Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito do HSBC

Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito do HSBC Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito do HSBC Leia estas informações importantes para aproveitar todas as vantagens do seu novo cartão de crédito. Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito do

Leia mais

MANUAL FATURAMENTO SERVIÇOS MÉDICOS/CONTAS MÉDICAS

MANUAL FATURAMENTO SERVIÇOS MÉDICOS/CONTAS MÉDICAS MANUAL FATURAMENTO SERVIÇOS MÉDICOS/CONTAS MÉDICAS ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. INFORMAÇÕES REGULAMENTARES:...3 3. ACESSO AO SISTEMA...3 4. INCLUSÃO DE USUÁRIOS...4 5. FATURAMENTO ELETRÔNICO...5 6. GUIA

Leia mais

Contribuições AP 048/2012 Pré-pagamento eletrônico Pós-pagamento eletrônico

Contribuições AP 048/2012 Pré-pagamento eletrônico Pós-pagamento eletrônico AES Eletropaulo AES Sul AES Tietê AES Uruguaiana Contribuições AP 048/2012 Pré-pagamento eletrônico Pós-pagamento eletrônico Agosto 2012 Artigo 3º Da implantação e abrangência A Distribuidora pode oferecer

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos DUB-ICMS do Rio de Janeiro

Parecer Consultoria Tributária Segmentos DUB-ICMS do Rio de Janeiro DUB-ICMS do Rio de Janeiro 27/12/2013 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares...

Leia mais

Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC)

Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) Contrato de Adesão CONTRATO DE PRESTAÇÃO DO SERVIÇO TELEFÔNICO FIXO COMUTADO (STFC) O texto deste Contrato foi submetido à aprovação da Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL, estando sujeito a

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO E ADESÃO AO SISTEMA DE EMISSÃO E RESERVA DE BILHETE AÉREO

TERMO DE COMPROMISSO E ADESÃO AO SISTEMA DE EMISSÃO E RESERVA DE BILHETE AÉREO TERMO DE COMPROMISSO E ADESÃO AO SISTEMA DE EMISSÃO E RESERVA DE BILHETE AÉREO STEEL SERVIÇOS EM VIAGENS E TURISMO LTDA, estabelecida a Avenida Presidente Vargas no 2121 sala 906 9o andar em Ribeirão Preto

Leia mais

TERMO DE USO TERMOS DE USO DO CLIENTE

TERMO DE USO TERMOS DE USO DO CLIENTE TERMO DE USO TERMOS DE USO DO CLIENTE A) APLICABILIDADE 1. Os presentes termos de uso são aplicáveis aos Usuários da INTERNET POOL COMÉRCIO ELETRONICO LTDA, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 09.491.113/0001-01,

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS Prefeitura Municipal de Pirenópolis DECRETO N 2.492714. Gabinete DE 31 DE 01 DE 2014.

ESTADO DE GOIÁS Prefeitura Municipal de Pirenópolis DECRETO N 2.492714. Gabinete DE 31 DE 01 DE 2014. DECRETO N 2.492714. DE 31 DE 01 DE 2014. "INSTITUI O GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DO ISSQN, A ESCRITURAÇÃO ECONÔMICO- FISCAL E A EMISSÃO DE GUIA DE RECOLHI MENTO POR MEIOS ELETRÔNICOS, RELATI VÁS AO ISSQN

Leia mais

REGULAMENTO DO SERVIÇO DE MENSAGEM BRADESCO

REGULAMENTO DO SERVIÇO DE MENSAGEM BRADESCO REGULAMENTO DO SERVIÇO DE MENSAGEM BRADESCO O Banco Bradesco S.A., com sede na Cidade de Osasco, Estado de São Paulo, à Cidade de Deus, s/nº, inscrito no CNPJ sob o nº 60.746.948/0001/12, disponibilizará

Leia mais

05) Um mesmo assinante poderá ter em casa o acesso normal do STFC e o AICE? - O assinante poderá ter somente um AICE e poderá ter outro plano.

05) Um mesmo assinante poderá ter em casa o acesso normal do STFC e o AICE? - O assinante poderá ter somente um AICE e poderá ter outro plano. 01) O que é AICE? Significa Acesso Individual Classe Especial. É um Plano básico e com regulamentação própria (Regulamentado pela Resolução Nº 586, da ANATEL, de 05 de abril de 2012). Modalidade de telefonia

Leia mais

1º Seminário Suitability. 27 de Abril de 2015 São Paulo SP

1º Seminário Suitability. 27 de Abril de 2015 São Paulo SP 1º Seminário Suitability 27 de Abril de 2015 São Paulo SP Suitability em Operações Bancárias 27.04.2015 Contexto Normativo Resolução CMN nº 4.283/2013 Alteração do texto do art. 1º da Resolução CMN nº

Leia mais

% em sua dívida! Aproveite, pague à vista ou em parcelas.

% em sua dívida! Aproveite, pague à vista ou em parcelas. São Paulo, 30 de JANEIRO de 2014 Prezado(a) JEFERSON BATISTA DA SILVA, temos uma ótima oportunidade para você. Pague à vista Pague 48 Parcelas de R$ 82,60 R$ 2.223,95 Ou (*) cada. (*) Este é o valor para

Leia mais

ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11

ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11 MANUAL DE USO DO SISTEMA GOVERNO DIGITAL ÍNDICE ANALÍTICO: 1.0. CADASTRO DE CONTABILISTAS... 4 1.1. Primeiro Acesso... 4 1.2. Visão Geral... 11 2.0. SOLICITAÇÕES DE AIDF E AUTORIZAÇÃO DE EMISSÃO DE NOTA

Leia mais

DIRETRIZES PARA PUBLICIDADE E DIVULGAÇÃO DE MATERIAL TÉCNICO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO VERSÃO: 26/08/2011

DIRETRIZES PARA PUBLICIDADE E DIVULGAÇÃO DE MATERIAL TÉCNICO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO VERSÃO: 26/08/2011 DIRETRIZES PARA PUBLICIDADE E DIVULGAÇÃO DE MATERIAL TÉCNICO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO VERSÃO: 26/08/2011 05425-070 SP Brasil 20031-170 RJ Brasil CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DOS FUNDOS DE

Leia mais

COIFFEUR BRASIL. Termo e Condições de Uso v.1. Publicação dia 03 de Junho de 2015.

COIFFEUR BRASIL. Termo e Condições de Uso v.1. Publicação dia 03 de Junho de 2015. COIFFEUR BRASIL Termo e Condições de Uso v.1 Publicação dia 03 de Junho de 2015. Qualquer pessoa que se utilize dos serviços denominados Coiffeur Brasil (registrada sob CNPJ 20.402.266/0001 78 e localizada

Leia mais

Procedimentos e Controles Internos - Distribuição de Fundos de Investimento Imobiliários. RB Capital DTVM

Procedimentos e Controles Internos - Distribuição de Fundos de Investimento Imobiliários. RB Capital DTVM Procedimentos e Controles Internos - Distribuição de Fundos de Investimento Imobiliários RB Capital DTVM Junho 2011 Objetivo Este instrumento normativo contém os procedimentos e controles internos da RB

Leia mais

TERMO DE ADESÃO AO GEAP-REFERÊNCIA

TERMO DE ADESÃO AO GEAP-REFERÊNCIA (uso da GEAP) 1. DADOS PESSOAIS DO TITULAR Nome Data de Nasc. / / Nome da mãe RG nº Órgão expedidor Data de Emissão / / CPF Sexo: Masc. Fem. PIS/PASEP CNS Estado Civil Declaração de nascido vivo nº Endereço

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 010/2009.

CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 010/2009. CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 010/2009. NOME DA INSTITUIÇÃO: COPEL DISTRIBUIÇÃO S.A. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 010/2009 : Contribuições de 12/03/2009

Leia mais

QUALICORP ADMINISTRADORA DE BENEFÍCIOS S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014

QUALICORP ADMINISTRADORA DE BENEFÍCIOS S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 QUALICORP ADMINISTRADORA DE BENEFÍCIOS S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores Debenturistas,

Leia mais

MANUAL DO CLIENTE. 2014 versão l. (Direitos reservados)

MANUAL DO CLIENTE. 2014 versão l. (Direitos reservados) MANUAL DO CLIENTE 2014 versão l (Direitos reservados) 1 Anotações: 2 MANUAL DO CLIENTE Número do Manual: Cliente: CNPJ: Recebido em: / / Entregue por: Caro cliente Este manual tem a finalidade de instruí-lo

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL GE Distributed Power Jose Renato Bruzadin Sales Manager Brazil T +55 11 2504-8829 M+55 11 99196-4809 Jose.bruzadini@ge.com São Paulo, 11 de Julho de 2014 NOME DA INSTITUIÇÃO: GE Distributed Power AGÊNCIA

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 016/2013

NOTA TÉCNICA Nº 016/2013 NOTA TÉCNICA Nº 016/2013 Brasília, 3 de maio de 2013. ÁREA: Educação TÍTULO: Prestação de contas na Educação. REFERÊNCIA(S): Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 Lei Complementar nº 101,

Leia mais

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS DA CEG 1.º PARTES a) CEG: COMPANHIA DISTRIBUIDORA DE

Leia mais

TESOURARIA. Âmbito. Avisos a Clientes Proposta e emissão de avisos de débitos em atraso de clientes.

TESOURARIA. Âmbito. Avisos a Clientes Proposta e emissão de avisos de débitos em atraso de clientes. Página1 TESOURARIA Âmbito Recibos O módulo de recibos do Multi permite associar os valores recebidos de terceiros aos documentos regularizados, registar os meios de liquidação e emitir o Recibo. O recibo

Leia mais

Termos de Uso - Contrato

Termos de Uso - Contrato Termos de Uso - Contrato 1. TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS PARA COMPRA DE CURSO ONLINE NO SITE WWW.ALEMÃOONLINE.COM.BR 1.1. A contratada (nome fantasia) FCD., inscrita no CNPJ 22.030.123/00001-08, localizada

Leia mais

6º Congresso de Meios Eletrônicos de Pagamento (CMEP) Relações com o Consumidor: O que já foi feito e o que precisa ser feito

6º Congresso de Meios Eletrônicos de Pagamento (CMEP) Relações com o Consumidor: O que já foi feito e o que precisa ser feito 6º Congresso de Meios Eletrônicos de Pagamento (CMEP) Relações com o Consumidor: O que já foi feito e o que precisa ser feito São Paulo, 30.9.2011 Anselmo Pereira Araujo Netto Departamento de Normas do

Leia mais

O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS?

O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS? O QUE É O SITE MUNÍCIPIOS? Apresentação Histórico Estratégia de comunicação e políticas para promoção do municipalismo forte e atuante A atuação da Confederação Nacional de Municípios na comunicação pública

Leia mais