ASPECTOS MULTIDISCIPLINARES DA SÍNDROME DO RESPIRADOR BUCAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ASPECTOS MULTIDISCIPLINARES DA SÍNDROME DO RESPIRADOR BUCAL"

Transcrição

1 ASPECTOS MULTIDISCIPLINARES DA SÍNDROME DO RESPIRADOR BUCAL Ayla Martins Lobo* Erida Carvalho de Freitas* Gilberto Hot Rebouças* Olivia Zuccolotto Moreira* Rayan de Andrade Magalhães* Marileny Boechat Frauches Brandão** RESUMO O objetivo deste estudo foi realizar uma revisão da literatura sobre a Síndrome do Respirador Bucal (SRB) destacando sua etiologia, diagnóstico, características gerais, enfatizando seus aspectos multidisciplinares. A síndrome ocorre quando a respiração nasal é substituída pela respiração bucal ou mista, podendo ocasionar um conjunto de alterações no crescimento e desenvolvimento dentofaciais. A etiologia pode estar relacionada a condições obstrutivas, como hipertrofia faríngea ou palatal, hipotonia da musculatura elevadora da mandíbula, desvio do septo nasal, ou não obstrutivas, devido aos hábitos deletérios. Para o diagnóstico deve-se combinar uma cuidadosa anamnese, seguida de um exame clínico minucioso, com atenção especial às possíveis alterações morfológicas congênitas. A SRB é uma condição multifatorial, necessitando, para o êxito de seu tratamento, um diagnóstico precoce, interação e atuação de profissionais especializados de diversas áreas da saúde. Palavras-chave: Síndrome do Respirador Bucal. Equipe Multidisciplinar. Tratamento da Síndrome do Respirador Bucal. * Acadêmicos do 8º Período do Curso de Odontologia da FACS/UNIVALE ** Especialista e Mestre em Odontopediatria. Professora da disciplina de Odontologia Pediátrica I e II do Curso de Odontologia da FACS/UNIVALE.

2 2 INTRODUÇÃO A respiração nasal é fisiológica do ser humano e, para que este processo ocorra, necessita de integridade anatômica e funcional das vias aéreas. A simples obstrução mecânica da passagem de ar pela cavidade nasal, hábitos inadequados e alergias são suficientes para que o indivíduo inicie a respiração bucal no intuito de manter suas funções vitais. A respiração bucal acarreta não somente a alteração da quantidade e qualidade do ar inspirado pelo indivíduo, como também transtornos funcionais e alterações oclusais (OLIVEIRA; MONTEMEZZO, 2002). Conceitua-se como respirador bucal todo indivíduo que, ao realizar o processo de respiração, utiliza-se da boca (LIMA, 2003). A respiração predominantemente bucal afeta as estruturas faciais e a saúde geral do indivíduo (PARANHOS; CRUVINEL, 2003). A síndrome do respirador bucal (SRB) consiste num conjunto de alterações provenientes de adaptações realizadas pelo organismo, na tentativa de compensar a nova forma de respiração adquirida, ou seja, pela boca (LIMA, 2003). De acordo com Ianni Filho; Bertolini; Lopes (2006) a SRB é multifatorial, necessitando, para o êxito de seu tratamento, diagnóstico precoce, interação e atuação de profissionais especializados, conferindo um caráter multidisciplinar. A SRB pode atingir indistintamente bebês, crianças e adultos, e apresenta uma maior concentração em grandes centros urbanos dos países desenvolvidos (VINHA, 2010). Esta síndrome é caracterizada por diversos sintomas, entre eles: ronco noturno, apnéia (falta de ar), rinites, sinusites, bronquites, problemas dentários, como mordida aberta anterior e mordida cruzada posterior, palato estreito e ogival, olheiras, perda de audição e otites, flatulência (gases), alterações de postura, de voz e na fala, comprometendo a qualidade de vida da criança e seu desenvolvimento global. O estresse neste processo de respiração pela boca é tanto que a criança não dorme

3 3 satisfatoriamente, ficando ansiosa, sonolenta, com déficit físico e mental (DURAN; FERRAZ, 2010). Santos; Santos; Santos (2008) destacaram que muitos cirurgião-dentista pode ser o primeiro profissional da área da saúde a ter contato com o portador da SRB, portanto é necessário que o mesmo conheça bem as características da síndrome, a fim de que possa ser inserido no conjunto de profissionais que fazem parte da equipe multidisciplinar para o tratamento da SRB. O objetivo do presente trabalho é realizar uma revisão da literatura sobre a Síndrome do Respirador Bucal, destacando sua etiologia, diagnóstico, características gerais, enfatizando seus aspectos multidisciplinares. REVISÃO DA LITERATURA RESPIRAÇÃO A respiração fisiológica é uma função vital e inata ao ser humano, desenvolvida no nascimento, e que permite a sua sobrevivência (RIBEIRO et al., 2002). Ribeiro et al. (2002); Spinelli; Casanova (2002) afirmaram que o processo de respiração compreende, primariamente, a ventilação pulmonar que consiste da captação do ar atmosférico, podendo ser feita tanto pela boca quanto pelo nariz. O processo da respiração nasal inicia-se com a passagem do ar pelo nariz, onde este vai ser filtrado, aquecido e umidificado, chegando aos pulmões com boa qualidade e protegendo as vias aéreas inferiores, promovendo correto crescimento e desenvolvimento do complexo crânio-facial. Os autores destacaram que a causa mais comum e mais complexa de desvios do crescimento facial está relacionada a interferências na respiração nasal. A impossibilidade de respirar pelo nariz leva o paciente a desenvolver uma respiração bucal, o que pode gerar efeitos adversos no desenvolvimento facial e no posicionamento dentário. Isso porque o desenvolvimento ósseo se encontra em estreita

4 4 relação com uma adequada função. Qualquer modificação no mecanismo funcional da respiração poderá alterar o equilíbrio, levando a desvios e consequentes deformações (SPINELLI; CASANOVA, 2002). Yi et al. (2008) afirmaram que a respiração é a primeira função desenvolvida por ocasião do nascimento, estabelecendo-se como função vital do organismo. O seu desequilíbrio pode causar alterações em diversos órgãos e sistemas. SÍNDROME DO RESPIRADOR BUCAL A respiração bucal, que determina alterações funcionais e anatômicas, pode levar ao acometimento da postura corporal, devido à atuação sinérgica dos músculos e pelo fato de serem organizados em cadeias (VIG et al., 1980). Segundo Aragão (1988); Sartori (2000) a respiração (bucal ao invés de nasal) faz com que o organismo sofra uma série de alterações em vários segmentos e sistemas do organismo. Isto pode trazer sérias consequências, se não revertidas precocemente, pois acometem crianças no período de desenvolvimento, afetando o crescimento crânio facial, e a qualidade do ar que chega aos pulmões. Segundo Lima (2003) a SRB é um conjunto de alterações dentofacial e funcional ao nível corporal, compensando a nova forma de respiração adquirida, ou seja, pela boca. A SRB pode levar a alterações no crescimento e no desenvolvimento dentofacial, principalmente nos primeiros anos de vida, quando se tem um aumento das estruturas faciais e do crânio (IANNI FILHO; BERTOLINI; LOPES, 2006). O respirador bucal é o indivíduo que substitui o padrão correto de respiração nasal por um padrão inadequado, bucal ou misto (OLIVEIRA, 2001). O indivíduo apresenta uma disfunção respiratória associada ou não à obstrução nasal, sendo um fator desencadeante de deformidades dentofacial, postural e respiratória (SILVA, 2007).

5 5 A SRB ocorre quando a respiração nasal é substituída pela respiração bucal. A criança que respira cronicamente pela boca pode desenvolver distúrbios da fala, deformidades da face, má posicionamento dos dentes e postura corporal inadequada (ABREU et al., 2008). Carvalho (1996) classificou os respiradores bucais em: Respirador bucal orgânico: paciente apresenta obstáculos mecânicos que podem ser nasais, retronasais e bucais. Tais obstáculos são diagnosticados clínica e radiograficamente. São exemplos a estenose nasal, a atresia maxilar, o retrognatismo, alteração de tônus, postura e tamanho da língua. Pode-se descrever ainda a ptose lingual ou glossoptose provocada pela atresia mandibular. Respirador bucal funcional: geralmente estes pacientes já foram submetidos à tonsilectomia e também amigdalectomia, mas ainda respiram pela boca, mesmo tendo o trato respiratório superior absolutamente permeável. Fazem quadros catarrais repetitivos, característicos das rinites alérgicas. Respirador bucal neurológico ou impotentes funcionais: pacientes que desencadeiam o quadro alterado de respiração por disfunção neurológica. Muitos desses quadros estão acompanhados de alterações psiquiátricas. Etiologia da Síndrome do Respirador Bucal Desvios no processo fisiológico da respiração nasal são observados frequentemente em crianças e são decorrentes de etiologias variadas que impossibilitam ou dificultam a passagem do ar pela cavidade nasal, favorecendo um modo adaptativo de respiração, a respiração bucal ou buco-nasal, que acarreta diversos problemas à saúde, envolvendo os aspectos fisiológicos, morfológicos e psicossociais (PAIVA et al., 1999). De acordo com Oliveira (2001) os fatores que podem ocasionar a respiração bucal são: problemas orgânicos como sinusites, hipertrofia faríngea ou palatal; hipotonia da musculatura elevadora da mandíbula, devido à alimentação pastosa ou simplesmente postura viciosa.

6 6 Miranda et al. (2002) afirmaram que nos casos de causas não obstrutivas, destacam-se as decorrentes de hábitos deletérios como uso inadequado ou prolongado de mamadeira ou sucção não nutritiva. A causa mais comum da respiração bucal é a obstrução das vias respiratórias. Muitos são os fatores que podem impedir parcial ou totalmente o fluxo normal de ar pelas vias aéreas superiores, como o desvio do septo nasal, hipertrofia de cornetos, rinite alérgica, hipertrofia de amígdalas, hipertrofia de adenóides, atresia de coanas e pólipos nasais (SPINELLI; CASANOVA, 2002). Os quadros obstrutivos estão relacionados à hipertrofia das adenóides e/ou amígdalas, bem como, aos desvios do septo nasal e rinites, podendo manifestar-se de maneira isolada ou associada. As adenóides estão presentes em todas as crianças imunologicamente sadias, desde seu nascimento. Elas atingem um pico de crescimento entre os 4 e 5 anos, e passam por um processo de atrofia que se completa em torno dos 10 anos. Em certos casos, as adenóides podem aumentar de tamanho e obstruir totalmente ou parcialmente a respiração nasal (DISCOLO; DARROW; KOLTAL, 2003; GUERRA, 2006). Segundo Di Francesco et al. (2004); Guerra (2006) dentre as rinites, a alérgica pode ser considerada como uma das mais relevantes para a instalação da SRB crônica no período do crescimento de uma criança, mas também interferindo de modo significativo na saúde geral, na qualidade de vida e no controle da asma. A rinite pode ser definida como um processo inflamatório da mucosa nasal que resulta na obstrução nasal uni ou bilateral, com obstrução intermitente ou persistente a partir da hipertrofia dos cornetos. GODINHO et al. (2006) citado por ABREU et al. (2008) afirmaram que as amígdalas podem aumentar de forma e invadir a nasofaringe ou estender-se inferiormente para a área da hipofaringe. A hipertrofia das adenóides e/ou amígdalas de caráter irredutível está envolvida na fisiopatologia dos casos de obstrução à respiração nasal, otites médias, sinusites e nasofaringites e é considerada a causa primária da

7 7 desordem respiratória relacionada ao sono, deste modo comprometendo o desenvolvimento físico e cognitivo da criança. Os desvios do septo nasal se originam no período pré-natal, no parto ou durante o crescimento. No entanto, ocasionam distúrbios respiratórios, podendo ser sintomático (com obstrução nasal) ou assintomático (sem obstrução nasal) (ABREU et al., 2008). Diagnóstico da Síndrome do Respirador Bucal O diagnóstico da ocorrência de obstrução nasal na infância é eminentemente clínico. Deve-se combinar uma rigorosa e cuidadosa anamnese, seguida de um exame clínico minucioso, com atenção especial às possíveis alterações morfológicas congênitas, destacando-se as atresias das coanas, desvios septais e neoplasias (MOTONAGA et al., 2000). Segundo Jorge; Abrão; Castro (2001) o diagnóstico da SRB pode ser feito através de dois tipos de testes: Teste do espelho: coloca-se um espelho refletor abaixo das narinas da criança e verifica a formação de vapor, decorrente da respiração. Formação de vapor na parte superior do espelho indica respiração nasal e na parte inferior respiração bucal, nas duas partes respiração buco-nasal; Teste da água na boca: onde com um pouco de água e os lábios em contato, a criança permanece sem engolir a água por três minutos. As crianças que não conseguirem permanecer com a água na boca podem ser consideradas como respiradores bucais. Na história do paciente portador de respiração bucal habitualmente tem-se: antecedentes de infecções repetidas de estruturas das vias aéreas superiores, alergias, traumas nasais. Na anamnese citam-se roncos, halitose, sono agitado, irritabilidade, falta de atenção e distúrbios posturais (SPINELLI; CASANOVA, 2002).

8 8 A SRB caracteriza-se por cansaço frequente, sonolência diurna, redução da força muscular (adinamia), baixo apetite, enurese noturna (micção noturna) e até déficit de aprendizado e atenção. É importante comparar achados de sonolência diurna, cefaléia, agitação noturna, enurese, problemas escolares e bruxismo, de acordo com os seguintes diagnósticos: rinite alérgica, hiperplasia adenoideana, hiperplasia adenomigdaliana. Para o diagnóstico de rinite alérgica é necessário que o paciente, além dos sintomas e sinais de história e exame físico característicos, tenha executado teste de hipersensibilidade cutânea positivo (DI FRANCESCO et al., 2004). Ianni Filho; Bertolini; Lopes (2006) asseguraram que como a SRB é de etiologia multifatorial, necessita, para o êxito no seu tratamento, além do diagnóstico precoce, da interação de profissionais especializados, conferindo ao tratamento um caráter multidisciplinar. O diagnóstico da SRB é clínico e cabe ao pediatra, que tem o primeiro contato com a criança, realizar uma anamnese detalhada, valorizando as informações sobre as manifestações clínicas. Os responsáveis quase não relatam espontaneamente distúrbios, como ronco, dormir de boca aberta, babar no travesseiro e coceira no nariz, por julgarem não ser importante (ABREU et al., 2008). O diagnóstico também pode ser realizado através da utilização da telerradiografia em norma frontal (póstero-anterior) que quantifica o aumento transversal da cavidade nasal. A nasofibroscopia tem revolucionado o método de diagnóstico, com a utilização de telescópio flexível, conectado a uma microcâmera e a uma fonte de luz por cabos de fibras ópticas, possibilitando a filmagem e a gravação de imagens obtidas da região bucofaringe e nasogaringe, permitindo uma visualização direta das tonsilas palatinas, cavidades nasais e tonsila faringeana, desta forma tendo uma maior exatidão no diagnóstico (JORGE et al., 2011). Características gerais da Síndrome do Respirador bucal Os pacientes portadores da SRB apresentam algumas alterações e características próprias, tais como:

9 9 Alterações torácicas: tórax estreito, anéis costais salientes, moderada cifose dorsal, musculatura abdominal flácida (SPINELLI; CASANOVA, 2002). Desvios posturais (Figura 1): cabeça projetada para frente; fechamento dos ombros; desequilíbrio da coluna; falta de tônus da musculatura facial (SPINELLI; CASANOVA, 2002; MENEZES; TAVARES; GRAVILLE- GARCIA, 2009). A postura de cada indivíduo é determinada por cadeias musculares, faciais, ligamentos e estruturas ósseas que são interdependentes entre si e estão presentes em todo o organismo. Na postura ideal, há um equilíbrio entre as estruturas de suporte envolvendo uma quantidade mínima de esforço e sobrecarga com uma máxima eficiência do corpo (SILVA et al., 2007). Respirador nasal Respirador bucal Figura 1- Representação esquemática que mostra como o indivíduo se apresenta à medida que se intensifica a respiração bucal. Ele vai perdendo o centro de equilíbrio, o qual se situa cada vez mais anterior. A perda do centro de equilíbrio faz com que se produzam modificações em pontos susceptíveis do corpo, marcados no esquema pelos triângulos. FONTE- Lima, 2003 Alterações psíquicas: incapacidade de atender ou fixar atenção, inaptidão ao trabalho e esportes, sinais de irritação, mau-humor, sonolência, inquietude, desconcentração, agitação, ansiedade, medo, depressão, desconfiança, impulsividade (SPINELLI; CASANOVA, 2002; MENEZES, TAVARES, GRANVILLE-GARCIA, 2009). O perfil das crianças respiradoras bucais mostra fragilidade de personalidade que repercute na escola e na família. À noite as crianças apresentam sono agitado e pela manhã estão cansados devido ao sono que não foi aproveitado de forma eficaz, e não

10 10 querem sair da cama para estudar, ou ir à escola. Na escola tem muito sono, não conseguem se concentrar, e apresentam dificuldades no processo de aprendizagem, com isso, tem baixo rendimento escolar. (SPINELLI; CASANOVA, 2002; MENEZES; TAVARES; GRANVILLE-GARCIA, 2009). Características faciais (Figuras 2 e 3): face alongada e estreita, olhos caídos e inclinados, olheiras profundas, nariz pequeno com a pirâmide óssea excessivamente alargada, sulco naso-labial profundo, desvio do septo, selamento labial inadequado, lábios ressecados, lábio inferior volumoso, hipotônico, invertido, lábio superior curto e uma assimetria facial (SPINELLI; CASANOVA, 2002; MENEZES; TAVARES; GRANVILLE-GARCIA, 2009). FIGURA 2 Paciente respirador bucal, apresentando a boca entreaberta, como o estreitamento das fendas nasais. FONTE- Lima, 2003 Figura 3 Paciente respirador bucal apresentando hipotonia labial, olhos caídos, olheira profunda, rosto fino e alongado. FONTE- Cintra, 2000 Características intra-bucais (Figuras 4 e 5): maxila atrésica e palato ogival, protrusão de dentes ântero-superior, linguoversão de dentes ântero-inferior, muitas vezes apresenta Classe II, divisão 1ª de Angle, desarmonias oclusais, que incluem apinhamento, mordida aberta anterior, protrusão, mordida cruzada posterior, mucosa ressecada, podendo apresentar uma gengivite anterior marginal, palato estreito e ogival

11 11 (SPINELLI; CASANOVA, 2002; MENEZES; TAVARES; GRANVILLE-GARCIA, 2009; DURAN; FERRAZ, 2010). A B C FIGURA 4- Atresia maxilar(a); mordida cruzada posterior(b); mordida aberta anterior(c). FONTE: IanniFilho;Bertolini; Lopes, 2006 FIGURA 5- Classe II 1º divisão de Angle. FONTE- Freitas, 2009 Alterações das funções orais: mastigação ineficiente, levando a engasgos pela falta de coordenação da respiração com a mastigação e problemas digestivos, deglutição atípica, fala imprecisa, com excesso de saliva, sem sonorização, voz rouca e anasalada (COSTA, 1997). Alterações dos órgãos fonoarticulatórios: hipotrofia, hipotonia e hipofunção dos músculos elevadores da mandíbula, hipofunção dos lábios e bochechas, anteriorização da língua e propriocepção bucal alterada (COSTA, 1997; MENEZES; TAVARES; GRANVILLE-GARCIA, 2009). Costa (1997); Oliveira (2001); Abreu et al. (2008) acrescentaram ainda alterações como: sinusites, otites frequentes, olhar cansado, halitose e diminuição do paladar e do olfato, alterações do apetite, sede constante, diminuição da audição, ronco, coceira no nariz e presença de entupimento nasal diário.

12 12 Duran; Ferraz (2010) enfatizaram a presença de ronco noturno, apnéia, rinites, sinusites, bronquites, olheiras, perda de audição e otites, flatulência (gases), alterações de postura, de voz e na fala, criança ansiosa, sonolenta, déficit físico e mental. Alterações na oclusão: mordida aberta anterior, sobremordida profunda, mordida cruzada posterior, maloclusão classe II 1ª divisão de Angle (RIBEIRO et al.; 2002; ANDRADE et al.; 2005; DURAN.; FERRAZ, 2010). Tratamento da Síndrome do Respirador Bucal Segundo Christensen e Fields (1996) a respiração bucal é um assunto complexo, o principal problema está em identificar de maneira confiável os respiradores bucais. Alguns indivíduos parecem sê-lo devido à postura mandibular ou seus lábios incompetentes. É normal que entre os três e seis anos de idade, a criança apresente uma leve incompetência labial. A principal prevenção da SRB é a amamentação, pois esta nutre as necessidades emocionais e propicia o adequado desenvolvimento das estruturas do sistema estomatognático. Durante a amamentação a criança estabelece o padrão correto de respiração, mantém corretamente as estruturas bucais, facilitando a evolução do sugar para o mastigar. Estabelecimento de um bom vedamento labial, além de estímulos para o correto posicionamento mandibular, corrigindo o retrognatismo natural após o nascimento (OLIVEIRA, 2001). Segundo Lima (2003) a amamentação é uma das formas mais simples de prevenir a ocorrência da respiração bucal, proporcionando à criança alimento, proteção e estimulando seu crescimento fisiológico sem transtornos. O tratamento da respiração bucal será melhor quanto mais cedo se intervir, devido aos seus efeitos deletérios durante o processo do crescimento facial. Além de remover a causa direta da respiração bucal, o paciente deve ser submetido a uma reeducação da respiração e à readaptação da musculatura. Devem ser realizados exercícios para fortalecer toda a musculatura perioral, objetivando o vedamento labial, além de

13 13 exercícios que tonifiquem os músculos elevadores da mandíbula. Em geral esses pacientes também apresentam deglutição atípica e posicionamento lingual e labial incorretos, assim torna-se evidente a necessidade de reeducação da deglutição e exercícios de dicção (SPINELLI; CASANOVA, 2002). A atuação multidisciplinar na SRB é de extrema necessidade, pois trata-se de um quadro complexo, onde é necessária a intervenção de vários profissionais especializados (JUSTINIANO, 1996; OLIVEIRA, 2001; SPINELLI; CASANOVA, 2002; SIPOLATTI; DADALTO, 2003; DI FRANCESCO et al., 2004; IANNI FILHO; BERTOLINI; LOPES, 2006; ABREU et al., 2008): Otorrinolaringologia: intervém com o tratamento clínico e/ou cirúrgico, eliminando a obstrução nasofaringeana, e quando a forma craniofacial possibilita o restabelecimento da função respiratória; Odontopediatria: prevenção primária, acompanhando o desenvolvimento dos dentes, correção das desarmonias oclusais, auxílio no posicionamento da língua; Ortodontia/ortopedia facial: importante na prevenção do crescimento facial desfavorável, monitorando o crescimento da face, e corrigindo os problemas de oclusão presentes; Fonoaudiologia: responsável por trabalhar com a função muscular perioral, enfocando os distúrbios de linguagem, voz, audição e motricidade oral. Os problemas de motricidade oral devem ser tratados restabelecendo-se as posturas dos lábios, língua e mandíbula, melhorando a tonicidade da musculatura orofacial e as funções estomatognáticas de deglutição, mastigação e fala, restabelecendo a função respiratória e reensinando o paciente a respirar pela cavidade nasal; Fisioterapia: correção dos distúrbios relacionados à postura. Alergologia: Execução dos testes alérgicos e tratamento das rinites alérgicas. Orientações quanto a condições do quarto da criança (mobiliário, tapetes), uso de aspirador de pó, proibição do fumo dentro de casa e necessidade de execução da higiene nasal da criança;

14 14 Pediatria: primeiro a ter contato com a criança. Pode diagnosticar logo ao nascimento, quando se usa a sonda nasogástrica, podendo verificar atresia parcial ou total das coanas, encontrando um ponto de resistência no procedimento de respiração, incentivo no aleitamento materno, orientação quanto a posição correta ao amamentar, orientação quanto ao uso racional da chupeta; Psicologia: percepção de ansiedade, depressão, impulsividade e do déficit de aprendizado e atenção; Psicopedagogia: percepção de alterações no comportamento da criança no ambiente escolar. De acordo com Lara; Silva (2007) os ortodontistas recebem muitos pacientes para tratamento de maloclusão dentária cuja etiologia está na respiração bucal. Para obtenção de sucesso no tratamento ortodôntico, o ortodontista deve reconhecer os efeitos sobre sua área de atuação e a necessidade de encaminhamento do paciente para o tratamento da etiologia da SRB. O cirurgião-dentista deve atuar diretamente na reabilitação dos respiradores bucais, buscando um entrosamento com outros profissionais para alcançar o objetivo final, que é o equilíbrio entre a forma e a função, sem nunca deixar de visualizar o paciente na sua totalidade (SANTOS; SANTOS; SANTOS, 2008). DISCUSSÃO Como ressaltado por Aragão (1988) e Sartori (2000) a Síndrome do Respirador Bucal ocorre pela substituição da respiração nasal pela bucal ou buco-nasal promovendo no indivíduo uma série de alterações em diversos segmentos e sistemas do organismo, levando a alterações no crescimento e desenvolvimento dentofacial. Podem ocorrer alterações torácicas, desvios posturais, alterações intra-bucais, alterações das funções orais e alterações órgãos fonoarticulatórios. Christensen e Fildes (1996) argumentaram que o problema principal no tratamento da SRB está na identificação de maneira correta dos pacientes portadores da mesma.

15 15 A identificação do paciente portador da SRB envolve vários profissionais de diversas áreas da saúde como pediatra, odontopediatra, ortodontista, fonoaudiólogo, fisioterapeuta, otorrinolaringologista, alergologista, bem como destacado por Justiniano (1996); Oliveira (2001); Spinelli; Casanova, (2002). Em se tratando da SRB o mais adequado seria a prevenção da ocorrência da mesma através de cuidados precoces, como amamentação correta propiciando desenvolvimento harmônico das estruturas do sistema estomatognático de acordo com Oliveira (2001) e Lima (2003). Spinelli; Casanova (2002) ressaltaram que o tratamento será melhor quanto mais cedo se intervir. Uma vez que a SRB é de etiologia multifatorial, Ianni Filho; Bertolini; Lopes (2006) asseguraram que o êxito do tratamento, além do diagnóstico precoce, necessita também da interação de profissionais especializados, conferindo ao tratamento um caráter multidisciplinar. Para Justiniano (1996); Oliveira (2001); Spinelle e Casanova (2002); Sipolatti e Dadalto (2003); Ianni Filho, Bertolini e Lopes (2006) há necessidade de envolvimento de profissionais da área de pediatria, otorrinolaringologia, fonoaudiologia, fisioterapia, alergologia e odontologia. E uma vez que os pacientes com a SRB podem apresentar um quadro de ansiedade, depressão, déficit de atenção, na equipe multidisciplinar, segundo Oliveira (2001) é importante a inclusão do psicólogo e no âmbito escolar o psicopedagogo. Santos; Santos; Santos (2008) asseguraram que o sucesso do tratamento da SRB dependerá do reconhecimento dos efeitos da síndrome sobre a área de atuação de cada profissional e dos encaminhamentos multidisciplinares. CONCLUSÕES Após a revisão da literatura podemos concluir em relação a Síndrome do Respirador Bucal:

16 16 A etiologia multifatorial da SRB pode estar relacionada a condições obstrutivas, como hipertrofia faríngea ou palatal, hipotonia da musculatura elevadora da mandíbula, desvio do septo nasal, ou não obstrutivas, devido aos hábitos deletérios. O diagnóstico deve combinar uma cuidadosa anamnese, seguida de um exame clínico minucioso, com atenção especial às possíveis alterações morfológicas congênitas. Pode ocasionar um conjunto de alterações no crescimento e desenvolvimento dentofacial, além do possível aparecimento de alterações torácicas, desvios posturais, alterações das funções orais e alterações órgãos fonoarticulatórios. Para o êxito de seu tratamento é importante realizar um diagnóstico precoce e promover a atuação e interação de profissionais especializados, conferindo um caráter multidisciplinar ao tratamento. ABSTRACT MULTIDISCIPLINARY ASPECTS OF MOUTH BREATHING SYNDROME The aim of this study was to review the literature about mouth breathing syndrome (MBS) showing the etiology, diagnosis, general characteristics, emphasizing the aspects multidisciplinary. This syndrome occurs when nasal breathing is replaced by mouth breathing or mixed, can cause a number of changes in dentofacial growth and development. The etiology may be related to obstructive conditions, such as adenoid hypertrophy or palate, hypotonia elevator muscle of the jaw, nasal septum deviation, or non-obstructive, due to harmful habits. For the diagnosis must combine a careful medical history, followed by a detailed physical examination with special attention the possible morphological congenital alterations. The mouth breathing syndrome becomes a multifactorial condition, requiring for the success of its treatment, early diagnosis, interaction and performance of skilled health professionals. Key-words: Chronic oral breathing. Multidisciplinary team. Treatment of the chronic oral breathing.

17 17 REFERÊNCIAS ABREU, R. R. et al. Etiologia, manifestações clínicas e alterações presentes nas crianças respiradoras orais. Jornal de Pediatria, Porto Alegre, v. 84, n. 6, p , nov./dez ANDRADE, F. V. de et al. Alterações estruturais de órgãos fonoarticulatorios e más oclusões dentarias em respiradores orais de 6 a 10 anos. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 7, n. 3, p , jul./set ARAGÃO, W. Respirador bucal. Jornal de Pediatria, Rio de Janeiro, v. 8, n. 64, p , agosto CARVALHO, G. D. Síndrome do respirador bucal ou insuficiente nasal. Revista Secretários de Saúde, São Paulo, ano II, n.18, p , julho CHRISTENSEN, J.; FIELDS, H. Hábitos bucais. In: PINKHAM. J. R. Odontopediatria da infância à adolescência. 2. ed. São Paulo: Artes Médicas, p CINTRA, C. F. S. C.; CASTRO, F. F. M.; CINTRA, P. P. V. C. As alterações orofaciais apresentadas em pacientes respiradores bucais. Revista Brasileira de alergia e imunopatologia, v. 23, n. 2, p , março/abril COSTA, C. Fisioterapia Respiratória na correção da respiração bucal. Fisioterapia em movimento, Curitiba, v. 10, n. 1, p , abr./set DI FRANCESCO, R. C. et al. Respiração oral na criança: repercussões diferentes de acordo com o diagnóstico. Rev. Bras. Otorrinolaringologia, São Paulo, v. 70, n. 5, p , set./out DISCOLO, M. C.; DARROW, D. H.; KOLTAL, P. J. Indicações de tonsilectomia decorrentes de causas infecciosas. In. SIH, T. CHINSKI, A.; EAVEY, R. Editors III Manual de otorrinolaringologia pediátrica. São Paulo: Interamerican Association of Pediatric Otorhinolaryngology; p DURAN, A. L.; FERRAZ, M. J. P. C. Qualidade de vida e a respiração bucal. Disponível em < Acesso em: 02 outubro FREITAS, J. C de. Má oclusão classe II, divisão 1, de Angle com discrepância ânteroposterior acentuada. R Dental Press Ortodon Ortop Facial, Maringá, v. 14, n. 2, p. 132, mar./abr GUERRA, A.F.M. Capacidade resolutiva em otorrinolaringologia do médico da atenção primária da rede pública de saúde do município de Belo Horizonte, Brasil f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde: Infectologia e Medicina Tropical) _ Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2006.

18 18 IANNI FILHO, D.; BETOLINI, M. M.; LOPES, M. L. Contribuição multidisciplinar no diagnostico e no tratamento da obstruções da nasofaringe e da respiração bucal. Rev. Clin Ortodon Dental Press, Maringá, v. 4, n. 6, p , dez. 2005/ jan JORGE, E. P.; ABRÃO, J.; CASTRO, A. B. B. A. T. Estudo da resistência nasal em pacientes com má oclusão de classe II divisão 1º de Angle, utilizando a rinomanometria anterior ativa. Rev. Dental Press Ortodon Ortop Max, v. 6, n. 1, p , jan./fev JORGE, E. P. et al. Avaliação do efeito da expansão rápida da maxila na via aérea superior, por meio da nasofibroscopia: descrição da técnica e relato de caso. Rev. Dental Press J Orthold, v. 16, n. 1, p , jan./fev JUSTINIANO, J. P. Respiração bucal. Jornal Brasileiro de Ortodontia e Ortopedia Maxilar, Curitiba, v. 1, n. 1, p , jan./fev LARA, A. M. A. E.; SILVA, M. F. C. Respiração bucal: revisão da literatura. R. Virtual Odontol, v. 4, n. 1, p , LIMA, J. G. de. Síndrome do respirador bucal: abordagem fisioterapêutica f. Trabalho de Conclusão de curso (Graduação em Fisioterapia) _ Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, MENEZES, V. A. M.; TAVARES, R. L. O.; GRAVILLE-GARCIA, A. F. Síndrome da respiração oral: alterações clinicas e comportamentais. Arquivos em Odontologia, v. 45, n. 3, p , julho/setembro MIRANDA, P. P. C. et al. Enfoque multidisciplinar na síndrome do respirador bucal. Revista Paulista de Odontologia, São Paulo, v. 24, n. 3, p , MOTONAGA, S. M.; et al. Respiração bucal: causas e alterações no sistema estomatognático. Rev Bras Otorrinolaringologia, Rio de Janeiro, v. 66, n. 4, p , julho/agosto OLIVEIRA, C. C.; MONTEMEZZO, D. Avaliação postural em crianças respiradoras Bucais f. Trabalho de Conclusão de curso (Graduação em Fisioterapia) _ Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, OLIVEIRA, T. C. Síndrome do respirador bucal: análise fisiopatológica e uma abordagem fisioterapêutica pneumofuncional, Lato & Sensu, Belém, v. 2, n. 4, p. 5, dez PAIVA, J. B. de et al. Identificando o respirador bucal. Revista da APCD, São Paulo, v. 53, n. 4, p , jul./ago PARANHOS, L. R.; CRUVINEL, M. O. B. Respiração bucal: alternativas técnicas em ortodontia e ortopedia facial no auxílio ao tratamento. Jornal Brasileiro de Ortodontia e Ortopedia Facial, Curitiba, v. 8, n. 45, p , maio/jun

19 19 RIBEIRO, F. et al. Respiração oral: alterações oclusais e hábitos orais. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 4, n. 3, p , set./dez SANTOS, H. L.; SANTOS, H. L.; SANTOS, R. P. A importância da visão multidisciplinar no diagnóstico e tratamento de pacientes com a síndrome do respirador bucal. Rev. ABO Nac., v. 16, n. 4, p , agosto/set SARTORI, S. E. Respiração bucal patológica ou adaptada? f. Monografia (Especialização em Fonoaudiologia Motrocidade oral) _ Centro de Especialização em Fonoaudiologia Clínica, Londrina, SILVA, T. L. P. et al. Síndrome do respirador bucal: uma abordagem fisioterapêutica. Rev. Blociên., Taubaté, v. 13, n. 1-2, p , jan./jun SIPOLATTI, K. C.; DADALTO, E. C. V. Síndrome do respirador bucal: a experiência clínica de profissionais da saúde de Vitória ES. Rev. Odontol. da UFES, Vitória, v. 5, n. 2, p , maio/agosto SPINELLI, M. L. M.; CASANOVA, P. C. Respiração Bucal. Medcenter.com Odontologia. Disponível em < Publicado em 18 fevereiro 2002, Acesso em: 02 outubro VIG, P. S.; SHOWFETY, K. J.; PHILLIPS, C. Experimental manipulation of head posture. American Journal Orthodontics, v. 77, n. 3, p , março VINHA, P. P. Síndrome do Respirador Bucal. Boca e Saúde. Disponível em: < Acesso em: 03 maio YI, C. L. et al. The relationship between excursion of the diaphragm and curvatures of the spinal column in mouth breathing children. Jornal de Pediatria, Rio de Janeiro, v. 2, n. 84, p , março Endereço para correspondência: Gilberto Hot Rebouças Rua Eduardo Carlos Pereira, 351 Governador Valadares Minas Gerais CEP Tel.: (33) / (33)

PROBLEMAS DE VOZ EM ALUNOS RESPIRADORES ORAIS: REVISÃO INICIAL DA LITERATURA NACIONAL

PROBLEMAS DE VOZ EM ALUNOS RESPIRADORES ORAIS: REVISÃO INICIAL DA LITERATURA NACIONAL 1 PROBLEMAS DE VOZ EM ALUNOS RESPIRADORES ORAIS: REVISÃO INICIAL DA LITERATURA NACIONAL NISHIMURA, Cintia Megumi KAJIHARA, Olinda Teruko INTRODUÇÃO A respiração é uma função vital que interfere no funcionamento

Leia mais

RESPIRAÇÃO ORAL, APRENDIZAGEM ESCOLAR E DESENVOLVIMENTO INFANTIL

RESPIRAÇÃO ORAL, APRENDIZAGEM ESCOLAR E DESENVOLVIMENTO INFANTIL RESPIRAÇÃO ORAL, APRENDIZAGEM ESCOLAR E DESENVOLVIMENTO INFANTIL KAZAKEVICH, Juliana Godói (UEM) KAJIHARA, Olinda Teruko (Orientadora/UEM) Agência Financiadora CAPES INTRODUÇÃO A respiração nasal, condição

Leia mais

Prefeitura Municipal de Porto Alegre Secretaria Municipal de Saúde Coordenação da Rede de Atenção Primária em Saúde (CGRAPS) Área Técnica de Saúde

Prefeitura Municipal de Porto Alegre Secretaria Municipal de Saúde Coordenação da Rede de Atenção Primária em Saúde (CGRAPS) Área Técnica de Saúde Prefeitura Municipal de Porto Alegre Secretaria Municipal de Saúde Coordenação da Rede de Atenção Primária em Saúde (CGRAPS) Área Técnica de Saúde Bucal HIGIENE BUCAL NA PRIMEIRA INFÂNCIA A finalidade

Leia mais

A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria

A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria The importance of early diagnosis and intervention in the treatment of malocclusion in pediatric dentistry

Leia mais

Palavras-chave: Respiração oral. Problemas de Aprendizagem. Educação.

Palavras-chave: Respiração oral. Problemas de Aprendizagem. Educação. 1 O PROBLEMA DA OBSTRUÇÃO NASAL NA INFÂNCIA Profa Dra Olinda Teruko Kajihara (DTP- UEM) Juliana Godoi Kazakevich (PIC- UEM) Juliana Amazilia Neves (PIC-UEM) RESUMO Doenças que ocorrem na infância, como,

Leia mais

PUCPR - O.R.T.O.D.O.N.T.I.A - GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO F I C H A C L Í N I C A Nome do/a Paciente: Número: 1.0 IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE 1.1 Nome: 1.2 Data de Nascimento: Sexo: F M Idade: 1.3 Peso: Kg

Leia mais

Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada?

Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada? Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual sua importância na Odontologia Integrada? A avaliação da estética facial, bem como sua relação com a comunicação e expressão da emoção, é parte importante no

Leia mais

RESPIRAÇÃO ORAL: UM PROBLEMA A SER ENFRENTADO PELO PROFESSOR NA ATUALIDADE

RESPIRAÇÃO ORAL: UM PROBLEMA A SER ENFRENTADO PELO PROFESSOR NA ATUALIDADE 238 RESPIRAÇÃO ORAL: UM PROBLEMA A SER ENFRENTADO PELO PROFESSOR NA ATUALIDADE Juliana Amazilia Neves (PIC-UEM) julianaamazilia@hotmail.com Juliana Godoi Kazakevich (PIC-UEM) Profa Dra Olinda Teruko Kajihara

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL PARA A IDENTIFICAÇÃO PRECOCE DE CRIANÇAS RESPIRADORAS ORAIS

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL PARA A IDENTIFICAÇÃO PRECOCE DE CRIANÇAS RESPIRADORAS ORAIS A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL PARA A IDENTIFICAÇÃO PRECOCE DE CRIANÇAS RESPIRADORAS ORAIS JULIANA GODOI KAZAKEVICH 1 JULIANA AMAZILIA NEVES 2 OLINDA TERUKO KAJIHARA 3 Introdução A Constituição

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ODONTOLOGIA NO ALEITAMENTO MATERNO

A IMPORTÂNCIA DA ODONTOLOGIA NO ALEITAMENTO MATERNO A IMPORTÂNCIA DA ODONTOLOGIA NO ALEITAMENTO MATERNO FLÁVIA PEDREIRA CIRURGIÃ DENTISTA DO HOSPITAL E MATERNIDADE PÚBLICA DONA REGINA 20 DE FEVEREIRO DE 2014 Se pretendermos que as crianças tenham uma qualidade

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES: NÍVEL DE CONHECIMENTO DOS DOCENTES SOBRE RESPIRAÇÃO ORAL

FORMAÇÃO DE PROFESSORES: NÍVEL DE CONHECIMENTO DOS DOCENTES SOBRE RESPIRAÇÃO ORAL FORMAÇÃO DE PROFESSORES: NÍVEL DE CONHECIMENTO DOS DOCENTES SOBRE RESPIRAÇÃO ORAL Resumo GODOY, Miriam A. B. NRE/PG miriamadalgisa@terra.com.br KAJIHARA, Olinda T. UEM/DTP olindakajihara@hotmail.com Área

Leia mais

Reabilitação cirúrgica dos Fissurados de lábio e palato. M.Sc.Viviane Marques

Reabilitação cirúrgica dos Fissurados de lábio e palato. M.Sc.Viviane Marques Reabilitação cirúrgica dos Fissurados de lábio e palato M.Sc.Viviane Marques DIAGNÓSTICO 1º diagnóstico: Através da ultrasonografia (Entre a 12ª e 14ª semana de gestação). O diagnóstico das fissuras submucosa

Leia mais

SINTOMATOLOGIA DO RESPIRADOR ORAL MOUTH BREATHING SYMPTOMS CHRISTHIANE BLANCO PAULO

SINTOMATOLOGIA DO RESPIRADOR ORAL MOUTH BREATHING SYMPTOMS CHRISTHIANE BLANCO PAULO 1 SINTOMATOLOGIA DO RESPIRADOR ORAL MOUTH BREATHING SYMPTOMS CHRISTHIANE BLANCO PAULO Especialização em Motricidade Oral pelo Centro de Especialização em Fonoaudiologia Clínica (CEFAC) Fonoaudióloga Formada

Leia mais

BRUXISMO EXCÊNTRICO COMO FATOR ETIOLÓGICO DE DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR

BRUXISMO EXCÊNTRICO COMO FATOR ETIOLÓGICO DE DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR BRUXISMO EXCÊNTRICO COMO FATOR ETIOLÓGICO DE DISFUNÇÃO TEMPOROMANDIBULAR Gustavo Dias Gomes da Silva(1); Anna Kássia Tavares Alves Chaves Santiago Ana Isabella Arruda Meira Ribeiro (3); Alcione Barbosa

Leia mais

Fonodialogando. Sucção Digital UM OLHAR DA FONOAUDIOLOGIA. Um hábito que poderá trazer consequências no desenvolvimento da criança

Fonodialogando. Sucção Digital UM OLHAR DA FONOAUDIOLOGIA. Um hábito que poderá trazer consequências no desenvolvimento da criança Fonodialogando Sucção Digital Um hábito que poderá trazer consequências no desenvolvimento da criança UM OLHAR DA FONOAUDIOLOGIA O que é Sucção? Asucção é um reflexo próprio da espécie adquirido na o n

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ATENDIMENTO DE ALUNOS RESPIRADORES ORAIS

A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ATENDIMENTO DE ALUNOS RESPIRADORES ORAIS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ATENDIMENTO DE ALUNOS RESPIRADORES ORAIS JULIANA AMAZILIA NEVES 1 JULIANA GODOI KAZAKEVICH 2 OLINDA TERUKO KAJIHARA 3 Introdução A aprendizagem escolar pode ser prejudicada

Leia mais

Chupeta. O que toda mãe/pai deveria saber antes de oferecer uma para seu bebê. Andreia Stankiewicz. Fonte: comunidadeams.wordpress.

Chupeta. O que toda mãe/pai deveria saber antes de oferecer uma para seu bebê. Andreia Stankiewicz. Fonte: comunidadeams.wordpress. Chupeta O que toda mãe/pai deveria saber antes de oferecer uma para seu bebê Andreia Stankiewicz Fonte: comunidadeams.wordpress.com A oferta da chupeta se difundiu amplamente na sociedade contemporânea.

Leia mais

Breastfeeding and Baby s Oral Cavity healthy development

Breastfeeding and Baby s Oral Cavity healthy development Aleitamento Materno no Desenvolvimento e Formação Saudável da Cavidade Bucal do Bebê Breastfeeding and Baby s Oral Cavity healthy development Marila Rezende Azevedo Helio Gomes da Silva RESUMO É fundamental

Leia mais

MELHORA NO PADRÃO DE TONICIDADE MUSCULAR DE PACIENTES COM SÍNDROME DE DOWN ESTIMULADOS PRECOCEMENTE

MELHORA NO PADRÃO DE TONICIDADE MUSCULAR DE PACIENTES COM SÍNDROME DE DOWN ESTIMULADOS PRECOCEMENTE MELHORA NO PADRÃO DE TONICIDADE MUSCULAR DE PACIENTES COM SÍNDROME DE DOWN ESTIMULADOS PRECOCEMENTE Karla Larissa Vas Estero 1, Lizzie Ramos Moretti 1, Luciana Manzotti de Marchi 2, Maria Paula Jacobucci

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA

ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA SIMPÓSIO APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO EM CRIANÇAS Itapeva São Paulo Brasil ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE

Leia mais

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral PALESTRA A Importância da Saúde Bucal na Saúde Geral A saúde começa pela boca Os dentes são importantes na mastigação dos alimentos, fala, e estética, influenciando diretamente na auto-estima do indivíduo

Leia mais

INSTITUTO MINEIRO DE PÓS-GRADUAÇÃO FUNORTE/SOEBRÁS

INSTITUTO MINEIRO DE PÓS-GRADUAÇÃO FUNORTE/SOEBRÁS INSTITUTO MINEIRO DE PÓS-GRADUAÇÃO FUNORTE/SOEBRÁS RESPIRAÇÃO ORAL E SUAS CONSEQUÊNCIAS UMA REVISÃO DA LITERATURA LETÍCIA DUARTE SOUZA Monografia apresentada ao Programa de Especialização em Ortodontia

Leia mais

CIRURGIAS ORTOGNÁTICAS

CIRURGIAS ORTOGNÁTICAS CIRURGIAS ORTOGNÁTICAS Informações ao paciente Contém: 1. Explicação geral sobre cirurgias ortognáticas, 2. Perguntas e respostas, A cirurgia ortognática, também chamada de ortodontia cirúrgica, é um tipo

Leia mais

DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO OBJETIVOS CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DOS DISTÚRBIOS DO SONO AASM 2006 CARLOS A A VIEGAS UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO OBJETIVOS CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DOS DISTÚRBIOS DO SONO AASM 2006 CARLOS A A VIEGAS UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO CARLOS A A VIEGAS UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA OBJETIVOS Classificação dos distúrbios do sono Classificação dos distúrbios respiratórios do sono Definições: ronco, ravas (rera),

Leia mais

TRANSTORNOS ESPECÍFICOS DO DESENVOLVIMENTO DA FALA E DA LINGUAGEM F80.0 DISLALIA (ARTICULAÇÃO; COMUNICAÇÃO FONOLÓGICA; FUNCIONAL ARTICULAÇÃO)

TRANSTORNOS ESPECÍFICOS DO DESENVOLVIMENTO DA FALA E DA LINGUAGEM F80.0 DISLALIA (ARTICULAÇÃO; COMUNICAÇÃO FONOLÓGICA; FUNCIONAL ARTICULAÇÃO) 27/12/2007 ANEXO 49 TABELA da CLASSIFICAÇÃO ESTATÍSTICA INTERNACIONAL DE DOENÇAS E PROBLEMAS RELACIONADOS À SAÚDE FONOAUDIOLÓGICA CID 10 /OMS /1997 6ª VERSÃO 2008 CÓDIGO F80 DESCRIÇÃO TRANSTORNOS ESPECÍFICOS

Leia mais

RESPOSTAS para FREQUENTES

RESPOSTAS para FREQUENTES RESPOSTAS para PERGUNTAS FREQUENTES NA ÁREA de motricidade orofacial A Motricidade Orofacial á a área da Fonoaudiologia que estuda a musculatura dos lábios, língua, bochechas e face e as funções a elas

Leia mais

O Papel da Hipertrofia Adenotonsilar na Síndrome do Respirador Bucal

O Papel da Hipertrofia Adenotonsilar na Síndrome do Respirador Bucal O Papel da Hipertrofia Adenotonsilar na Síndrome do Respirador Bucal Mesa Redonda Moderador: Paulo L. Pontes Participantes: Ana Tereza Britto, Gabriela D. de Carvalho, Marcos Mocellin e Ricardo Godinho

Leia mais

2. REVISÃO DE LITERATURA 2.1 RESPIRAÇÃO BUCAL

2. REVISÃO DE LITERATURA 2.1 RESPIRAÇÃO BUCAL 17 1. INTRODUÇÃO O padrão de respiração bucal em crianças pode gerar repercussões sistêmicas, levando a consequências negativas na qualidade de vida dos indivíduos devido ao seu impacto pessoal, físico,

Leia mais

Respiração Bucal: Alternativas Técnicas em Ortodontia e Ortopedia Facial no Auxílio ao Tratamento

Respiração Bucal: Alternativas Técnicas em Ortodontia e Ortopedia Facial no Auxílio ao Tratamento REVISÃO DA LITERATURA Respiração Bucal: Alternativas Técnicas em Ortodontia e Ortopedia Facial no Auxílio ao Tratamento Mouth Breathing: Different Techniques in Orthodontics and Facial Orthopaedics to

Leia mais

RESPIRAÇÃO ORAL: UM TEMA QUE PRECISA SER DISCUTIDO PELOS PROFESSORES RESUMO

RESPIRAÇÃO ORAL: UM TEMA QUE PRECISA SER DISCUTIDO PELOS PROFESSORES RESUMO 1 RESPIRAÇÃO ORAL: UM TEMA QUE PRECISA SER DISCUTIDO PELOS PROFESSORES Prof a Dr a Olinda T. Kajihara (UEM/DTP) * Paula Meneguetti Blanco (Bolsista do PIBIC/CNPq-UEM)* Prof a Ms Miriam A. B. Godoy (UEPG/DEMET)*

Leia mais

O Setor de Fonoaudiologia funciona sob a coordenação da Fonoaudióloga Mestra Gerissa Neiva de Moura Santos Cordeiro, conforme programa apresentado a

O Setor de Fonoaudiologia funciona sob a coordenação da Fonoaudióloga Mestra Gerissa Neiva de Moura Santos Cordeiro, conforme programa apresentado a O Setor de Fonoaudiologia funciona sob a coordenação da Fonoaudióloga Mestra Gerissa Neiva de Moura Santos Cordeiro, conforme programa apresentado a seguir. COLÉGIO NOTRE DAME FONOAUDIOLOGIA PREVENTIVA

Leia mais

Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr

Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr Prevenir é o melhor remédio para uma boa saúde, evitando-se as doenças e suas complicações. Problemas respiratórios, por exemplo, podem se tornar

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DA ORTODONTIA E FONOAUDIOLOGIA EM PACIENTES RESPIRADORES BUCAIS

PARTICIPAÇÃO DA ORTODONTIA E FONOAUDIOLOGIA EM PACIENTES RESPIRADORES BUCAIS 1 INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS PARTICIPAÇÃO DA ORTODONTIA E FONOAUDIOLOGIA EM PACIENTES RESPIRADORES BUCAIS MARCOS EUGÊNIO DIAS NUNES Santo André 2011 2 INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIA DA SAÚDE FUNORTE FUNORTE / SOEBRAS MURILLO FERREIRA AUAD

INSTITUTO DE CIÊNCIA DA SAÚDE FUNORTE FUNORTE / SOEBRAS MURILLO FERREIRA AUAD 0 INSTITUTO DE CIÊNCIA DA SAÚDE FUNORTE FUNORTE / SOEBRAS MURILLO FERREIRA AUAD PROBLEMAS ÓSSEOS ESQUELÉTICOS E MUSCULARES RELACIONADOS A RESPIRADORES BUCAIS FLORIANÓPOLIS - 2011 1 MURILLO FERREIRA AUAD

Leia mais

Cirurgia Ortognática Bimaxilar: Relato de Caso

Cirurgia Ortognática Bimaxilar: Relato de Caso Cirurgia Ortognática Bimaxilar: Relato de Caso LUNA, Aníbal H. B.; ALVES, Giorvan Ânderson dos Santos; FIGUEIREDO, Ludmila Silva de; PAIVA, Marcos A. Farias; CAVALCANTI, Raquel Lopes; RESUMO Introdução:

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2 1 AVALIAÇÃO DE PROBLEMAS POSTURAIS EM RESPIRADORAS ORAIS: UM ESTUDO COM ALUNOS DE 5ª SÉRIE Josiane Fujisawa Filus Universidade Adventista de São Paulo (UNASP) Olinda Teruko Kajihara Programa de Pós-graduação

Leia mais

DTM - Aspectos Clínicos: Odontologia e Fisioterapia

DTM - Aspectos Clínicos: Odontologia e Fisioterapia DTM - Aspectos Clínicos: Odontologia e Fisioterapia Uma parcela da população sempre procura os serviços odontológicos pela presença de dores, porém muitas dessas dores não são de origem dentária, mas sim

Leia mais

FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA CETASE

FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA CETASE FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA CETASE CENTRO DE ESTUDOS E TRATAMENTO DAS ALTERAÇÕES FUNCIONAIS DO SISTEMA ESTOMATOGNÁTICO Área de Prótese Fixa e Escultura Dental FICHA CLÍNICA 1 - Dados Pessoais

Leia mais

RESPIRADOR ORAL. Raquel Pitchon dos Reis e Departamento de Alergia e Imunologia da SBP

RESPIRADOR ORAL. Raquel Pitchon dos Reis e Departamento de Alergia e Imunologia da SBP RESPIRADOR ORAL Raquel Pitchon dos Reis e Departamento de Alergia e Imunologia da SBP Especialista em Pediatria Especialista em Alergia e Imunologia Especialista em Alergia e Imunologia Pediátrica Coordenadora

Leia mais

Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso

Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso Caso Clínico Tratamento da má oclusão de Classe II divisão 1 a, através de recursos ortodônticos e ortopédicos faciais (funcionais e mecânicos): relato de caso José Euclides Nascimento* Luciano da Silva

Leia mais

A INTERDISCIPLINARIDADE ENTRE AS ORTODONTIA E ORTOPEDIA FUNCIONAL DOS MAXILARES E A FONOAUDIOLOGIA: EXISTE ESTA RELAÇÃO NOS DIAS DE HOJE?

A INTERDISCIPLINARIDADE ENTRE AS ORTODONTIA E ORTOPEDIA FUNCIONAL DOS MAXILARES E A FONOAUDIOLOGIA: EXISTE ESTA RELAÇÃO NOS DIAS DE HOJE? CEFAC Centro de Especialização em Fonoaudiologia Clínica Motricidade Oral A INTERDISCIPLINARIDADE ENTRE AS ORTODONTIA E ORTOPEDIA FUNCIONAL DOS MAXILARES E A FONOAUDIOLOGIA: EXISTE ESTA RELAÇÃO NOS DIAS

Leia mais

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO 1/8 O inverno chegou e junto com ele maiores problemas com as doenças respiratórias entre outras Isso não ocorre por acaso já que pé nesta estação onde

Leia mais

Cuidando dos ouvidos,

Cuidando dos ouvidos, Tania Sih Ricardo Godinho Cuidando dos ouvidos, nariz e garganta das crianças Guia de orientação São Paulo 2009 2008 Tania Sih, Ricardo Godinho PROJETO GRÁFICO E CAPA: João Baptista da Costa Aguiar ILUSTRAÇÕES:

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/SOEBRAS

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/SOEBRAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/SOEBRAS RESPIRAÇÃO BUCAL SÍNDROME MULTIFATORIAL/TRATAMENTO MULTIDISCIPLINAR JULIANO SEITE TAKATA CUIABÁ 2010 1 INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/SOEBRAS RESPIRAÇÃO

Leia mais

o Ressonar e a Apneia de Sono

o Ressonar e a Apneia de Sono o Ressonar e a Apneia de Sono sintomas diagnóstico tratamento O ressonar apesar de ser comum, fonte de brincadeiras e aceite como normal na população em geral é de facto uma perturbação que não deve ser

Leia mais

SÍNDROME DO RESPIRADOR BUCAL: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES EM DIAGNÓSTICO, PREVENÇÃO E TRATAMENTO

SÍNDROME DO RESPIRADOR BUCAL: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES EM DIAGNÓSTICO, PREVENÇÃO E TRATAMENTO INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE/SOEBRÁS SÍNDROME DO RESPIRADOR BUCAL: ALGUMAS CONSIDERAÇÕES EM DIAGNÓSTICO, PREVENÇÃO E TRATAMENTO RICARDO ÁVILA DE PAIVA CAMPO BELO - MG MAIO / 2011 INSTITUTO DE

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES: INTERFACE ENTRE EDUCAÇÃO E SAÚDE

FORMAÇÃO DE PROFESSORES: INTERFACE ENTRE EDUCAÇÃO E SAÚDE FORMAÇÃO DE PROFESSORES: INTERFACE ENTRE EDUCAÇÃO E SAÚDE Resumo GODOY, Miriam Adalgisa Bedim KAJIHARA, Olinda Teruko Eixo Temático: Formação de Professores e Profissionalização Docente Agência Financiadora:

Leia mais

CEFAC Centro de Especialização em Fonoaudiologia Clínica. Motricidade Oral. Os Efeitos da Respiração Bucal No Sistema Estomatognático

CEFAC Centro de Especialização em Fonoaudiologia Clínica. Motricidade Oral. Os Efeitos da Respiração Bucal No Sistema Estomatognático CEFAC Centro de Especialização em Fonoaudiologia Clínica Motricidade Oral Os Efeitos da Respiração Bucal No Sistema Estomatognático Annita dos Reis Kibrit Monografia de conclusão do Curso de Especialização

Leia mais

Síndrome da respiração oral: alterações clínicas e comportamentais

Síndrome da respiração oral: alterações clínicas e comportamentais Arquivos em Odontologia Volume 45 Nº 03 160 Síndrome da respiração oral: alterações clínicas e comportamentais Mouth breathing syndrome: clinical and behavioral changes Valdenice Aparecida de Menezes 1,2,

Leia mais

INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NO SERVIÇO DE CONTROLE DA DOR OROFACIAL E DEFORMIDADES DENTOFACIAIS DO HULW/UFPB

INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NO SERVIÇO DE CONTROLE DA DOR OROFACIAL E DEFORMIDADES DENTOFACIAIS DO HULW/UFPB INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NO SERVIÇO DE CONTROLE DA DOR OROFACIAL E DEFORMIDADES DENTOFACIAIS DO HULW/UFPB ALVES, Giorvan Ânderson dos santos Alves LOPES SOBRINHO, Paulo Naati LUNA, Anibal Henrique Barbosa

Leia mais

Inter-relação entre a Ortodontia e a Fonoaudiologia na tomada de decisão de tratamento de indivíduos com respiração bucal

Inter-relação entre a Ortodontia e a Fonoaudiologia na tomada de decisão de tratamento de indivíduos com respiração bucal Inter-relação entre a Ortodontia e a Fonoaudiologia na tomada de decisão de tratamento de indivíduos com respiração bucal Rúbia Vezaro Vanz 1, Lilian Rigo 2, Angela Vezaro Vanz 3, Anamaria Estacia 4, Lincoln

Leia mais

Análise das alterações miofuncionais na correção da mordida aberta anterior

Análise das alterações miofuncionais na correção da mordida aberta anterior Caso Clínico Análise das alterações miofuncionais na correção da mordida aberta anterior Joanna A. Binato*, Wagner S. Alviano**, Maria da Conceição A. Ferraz***, Margareth M. G. de Souza**** A mordida

Leia mais

Aleitamento materno Alimentação dos lactentes portadores de fissuras labiopalatais (FLP) M.Sc. Profª Viviane Marques

Aleitamento materno Alimentação dos lactentes portadores de fissuras labiopalatais (FLP) M.Sc. Profª Viviane Marques Aleitamento materno Alimentação dos lactentes portadores de fissuras labiopalatais (FLP) M.Sc. Profª Viviane Marques O fonoaudiólogo deve ter o primeiro contato com o portador de FLP ainda na maternidade

Leia mais

MÁ-OCLUSÃO. Ortodontista: Qualquer desvio de posição do dente em relação ao normal

MÁ-OCLUSÃO. Ortodontista: Qualquer desvio de posição do dente em relação ao normal MÁ-OCLUSÃO Ortodontista: Qualquer desvio de posição do dente em relação ao normal Sanitarista: Inconveniente estético ou funcional de grande magnitude que possa interferir no relacionamento do indivíduo

Leia mais

Educação e Saúde Profa Vânia Vieira Costa

Educação e Saúde Profa Vânia Vieira Costa Educação e Saúde Profa Vânia Vieira Costa Aula IV 15/05/2012 AULA DE HOJE Saúde Bucal Saúde Ocular TDAH Google imagens A boca não apenas como um órgão http://www.fotosearch.com.br/ www.mesarubra.blogger.com.br/boca.jpg

Leia mais

CADEIAS MUSCULARES CADEIAS MUSCULARES CADEIAS MUSCULARES CADEIAS MUSCULARES. Dra. Adriana Tessitore. CADEIAS MUSCULARES aplicada à

CADEIAS MUSCULARES CADEIAS MUSCULARES CADEIAS MUSCULARES CADEIAS MUSCULARES. Dra. Adriana Tessitore. CADEIAS MUSCULARES aplicada à aplicada à 1 MOTRICIDADE OROFACIAL 2 MOTRICIDADE OROFACIAL Motricidade Orofacial é o campo da Fonoaudiologia voltado para o estudo/pesquisa, prevenção, avaliação, diagnóstico, desenvolvimento, habilitação,

Leia mais

O que o fonoaudiólogo pode realizar nas duas áreas novas: Disfagia e Fonoeducacional?

O que o fonoaudiólogo pode realizar nas duas áreas novas: Disfagia e Fonoeducacional? O que o fonoaudiólogo pode realizar nas duas áreas novas: Disfagia e Fonoeducacional? Apresentadoras: Julia Speranza Zabeu Ana Paula Corrêa Orientadora: Profa. Dra. Andrea Cintra Lopes O que é a fonoaudiologia?

Leia mais

Contribuição multidisciplinar no diagnóstico e no tratamento das obstruções da nasofaringe e da respiração bucal

Contribuição multidisciplinar no diagnóstico e no tratamento das obstruções da nasofaringe e da respiração bucal Tratamento Multidisciplinar Contribuição multidisciplinar no diagnóstico e no tratamento das obstruções da nasofaringe e da respiração bucal Daniel Ianni Filho*, Milene Maria Bertolini**, Mônica Lanzellotti

Leia mais

AMAMENTAÇÃO, HÁBITOS ORAIS DELETÉRIOS E ALTERAÇÕES FONOAUDIOLÓGICAS: UM ESTUDO SOBRE SUAS RELAÇÕES

AMAMENTAÇÃO, HÁBITOS ORAIS DELETÉRIOS E ALTERAÇÕES FONOAUDIOLÓGICAS: UM ESTUDO SOBRE SUAS RELAÇÕES 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 AMAMENTAÇÃO, HÁBITOS ORAIS DELETÉRIOS E ALTERAÇÕES FONOAUDIOLÓGICAS: UM ESTUDO SOBRE SUAS RELAÇÕES Francis Farias de Oliveira 1 ; Caroline Maressa Alves

Leia mais

Palavras-chave: Respiração bucal, maloclusão, postura, coluna vertebral. Key-words: Mouth breathing, malocclusion, posture, Artigo Original ABSTRACT

Palavras-chave: Respiração bucal, maloclusão, postura, coluna vertebral. Key-words: Mouth breathing, malocclusion, posture, Artigo Original ABSTRACT Artigo Original Relação da oclusão dentária com a postura de cabeça e coluna cervical em crianças respiradoras orais Relationship between dental occlusion, the head and cervical spine-position in mouth

Leia mais

A MULTIDISCIPLINARIDADE NO TRATAMENTO DA SÍNDROME DO RESPIRADOR BUCAL

A MULTIDISCIPLINARIDADE NO TRATAMENTO DA SÍNDROME DO RESPIRADOR BUCAL 1 INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE - SOEBRÁS A MULTIDISCIPLINARIDADE NO TRATAMENTO DA SÍNDROME DO RESPIRADOR BUCAL SUZI DE MORAIS BRITO Monografia apresentada ao Programa de Especialização em Ortodontia

Leia mais

A VISÃO DO ALUNO DE ODONTOLOGIA DA IMPORTÂNCIA DA MULTIDISCIPLINARIDADE ODONTOLOGIA-FONOAUDIOLOGIA NOS CURSOS DE ODONTOLOGIA

A VISÃO DO ALUNO DE ODONTOLOGIA DA IMPORTÂNCIA DA MULTIDISCIPLINARIDADE ODONTOLOGIA-FONOAUDIOLOGIA NOS CURSOS DE ODONTOLOGIA 49 ISSN 2179-6998 Rev. Ibirapuera, São Paulo, n. 2, p. 49-53, Jul./Dez. 2011 A VISÃO DO ALUNO DE ODONTOLOGIA DA IMPORTÂNCIA DA MULTIDISCIPLINARIDADE ODONTOLOGIA-FONOAUDIOLOGIA NOS CURSOS DE ODONTOLOGIA

Leia mais

INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NO LACTENTE COM DISFAGIA OROFARINGEA NEUROGÊNICA: ESTUDO DE CASO

INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NO LACTENTE COM DISFAGIA OROFARINGEA NEUROGÊNICA: ESTUDO DE CASO ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 INTERVENÇÃO FONOAUDIOLÓGICA NO LACTENTE COM DISFAGIA OROFARINGEA NEUROGÊNICA: ESTUDO DE CASO Aline

Leia mais

BRUXISMO EM CRIANÇAS COM DENTIÇÃO MISTA (A PROPÓSITO DE UM CASO CLÍNICO)

BRUXISMO EM CRIANÇAS COM DENTIÇÃO MISTA (A PROPÓSITO DE UM CASO CLÍNICO) BRUXISMO EM CRIANÇAS COM DENTIÇÃO MISTA (A PROPÓSITO DE UM CASO CLÍNICO) Dissertação apresentada à Universidade Católica Portuguesa Para obtenção do grau de Mestre em Medicina Dentária Por: Carla Sofia

Leia mais

QUALIDADE E SEGURANÇA EM ASSISTÊNCIA DOMICILIAR E HOSPITALAR

QUALIDADE E SEGURANÇA EM ASSISTÊNCIA DOMICILIAR E HOSPITALAR QUALIDADE E SEGURANÇA EM ASSISTÊNCIA DOMICILIAR E HOSPITALAR HOME CARE Ajudar o paciente a resgatar a qualidade de vida em sua própria residência, é o compromisso do NADH. O atendimento personalizado é

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS RESPIRAÇÃO BUCAL: ASPECTOS ORTODÔNTICOS JOSÉ NUNES DE OLIVEIRA NETO ARACAJU-SE 2012 INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRÁS RESPIRAÇÃO BUCAL: ASPECTOS

Leia mais

AVALIAÇÃO DA RADIOGRAFIA PANORÂMICA COMO MEIO DIAGNÓSTICO DA HIPERTROFIA DAS CONCHAS NASAIS

AVALIAÇÃO DA RADIOGRAFIA PANORÂMICA COMO MEIO DIAGNÓSTICO DA HIPERTROFIA DAS CONCHAS NASAIS AVALIAÇÃO DA RADIOGRAFIA AVALIAÇÃO DA RADIOGRAFIA PANORÂMICA COMO MEIO DIAGNÓSTICO DA HIPERTROFIA DAS CONCHAS NASAIS Evaluate the panoramic radiolography a valuable standard diagnosis for nasal hypertrophy

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE ALEITAMENTO MATERNO, MODO RESPIRATÓRIO E POSTURA CORPORAL

RELAÇÃO ENTRE ALEITAMENTO MATERNO, MODO RESPIRATÓRIO E POSTURA CORPORAL ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 RELAÇÃO ENTRE ALEITAMENTO MATERNO, MODO RESPIRATÓRIO E POSTURA CORPORAL Patrícia Tiemi Kikuti Orita

Leia mais

RESPIRADOR ORAL. Profa Dra M Cândida Rizzo. Conceito

RESPIRADOR ORAL. Profa Dra M Cândida Rizzo. Conceito RESPIRADOR ORAL Profa Dra M Cândida Rizzo Conceito O paciente respirador oral caracteriza-se por apresentar um padrão respiratório pela boca, por período não menor que seis meses, podendo ocorrer durante

Leia mais

CUIDADOS DE SAÚDE DESDE O NASCIMENTO ATÉ À ADOLESCENCIA

CUIDADOS DE SAÚDE DESDE O NASCIMENTO ATÉ À ADOLESCENCIA CUIDADOS DE SAÚDE DESDE O NASCIMENTO ATÉ À ADOLESCENCIA A MALO CLINIC cuida da saúde e bem-estar de bebés, crianças e adolescentes. Acreditamos no indivíduo como um todo e por isso mesmo desenvolvemos

Leia mais

Proposta de Ensino à Distância na Prática Interdisciplinar Fonoaudiológica e Odontológica

Proposta de Ensino à Distância na Prática Interdisciplinar Fonoaudiológica e Odontológica Proposta de Ensino à Distância na Prática Interdisciplinar Fonoaudiológica e Odontológica Palavras Chaves: Interdisciplinar, Orofacial, Educação a Distância Autores: Lívia Maria do Prado 5, Eliene Silva

Leia mais

RESPIRAÇÃO BUCAL, SUAS CAUSAS E CONSEQÜÊNCIAS

RESPIRAÇÃO BUCAL, SUAS CAUSAS E CONSEQÜÊNCIAS CEFAC CENTRO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA CLÍNICA MOTRICIDADE ORAL RESPIRAÇÃO BUCAL, SUAS CAUSAS E CONSEQÜÊNCIAS EMÍLIA JOSEFINA GUERRER LONDRINA 2000 RESUMO Esta pesquisa tem como objetivo compreender

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE PAULO CESAR VITORINO PEREIRA

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE PAULO CESAR VITORINO PEREIRA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE PAULO CESAR VITORINO PEREIRA RELAÇÃO DO PADRÃO RESPIRATÓRIO E O TIPO DE MALOCLUSÃO EM UMA AMOSTRA DE PACIENTES BRASILEIROS. São Paulo 2010 PAULO CESAR VITORINO PEREIRA

Leia mais

ALTERAÇÕES RESPIRATÓRIAS RELACIONADAS À POSTURA

ALTERAÇÕES RESPIRATÓRIAS RELACIONADAS À POSTURA ALTERAÇÕES RESPIRATÓRIAS RELACIONADAS À POSTURA Karina de Sousa Assad * Layana de Souza Guimarães ** RESUMO A proposta desse artigo é demonstrar que algumas alterações posturais podem levar a distúrbios

Leia mais

SISTEMA RESPIRATÓRIO

SISTEMA RESPIRATÓRIO ANATOMIA HUMANA I SISTEMA RESPIRATÓRIO Prof. Me. Fabio Milioni Roteiro Sistema Respiratório Conceito Função Divisão Estruturas Nariz Faringe Laringe Traquéia e Brônquios Pulmão Bronquíolos e Alvéolos 1

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ORTODONTIA Data: Nome do Paciente: Orientador(es): Nome do Aluno: QUALIFICAÇÃO Nacionalidade: Naturalidade: Etnia: Gênero: Data Nascimento: IDADE: Anos: Meses: Endereço: Bairro:

Leia mais

FACULDADE CIODONTO ALEXANDRINA F. NOGUEIRA EFEITOS DA EXPANSÃO RÁPIDA DA MAXILA NA RESPIRAÇÃO BUCAL

FACULDADE CIODONTO ALEXANDRINA F. NOGUEIRA EFEITOS DA EXPANSÃO RÁPIDA DA MAXILA NA RESPIRAÇÃO BUCAL FACULDADE CIODONTO ALEXANDRINA F. NOGUEIRA EFEITOS DA EXPANSÃO RÁPIDA DA MAXILA NA RESPIRAÇÃO BUCAL GUARULHOS 2011 FACULDADE CIODONTO ALEXANDRINA F. NOGUEIRA EFEITOS DA EXPANSÃO RÁPIDA DA MAXILA NA RESPIRAÇÃO

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO APARELHO Componentes do aparelho extrabucal 3

APRESENTAÇÃO DO APARELHO Componentes do aparelho extrabucal 3 Série Aparelhos Ortodônticos EXTRABUCAL INTRODUÇÃO A ancoragem extrabucal ainda é um dos recursos mais utilizados e recomendados no tratamento da má oclusão de Classe II, primeira divisão, caracterizada

Leia mais

Sandra Filipa dos Santos Rodrigues

Sandra Filipa dos Santos Rodrigues Sandra Filipa dos Santos Rodrigues Respiração bucal: implicações biológicas, fisiológicas e ortopédicas Universidade Fernando Pessoa Faculdade de Ciências da Saúde Porto, 2014 Sandra Filipa dos Santos

Leia mais

Reginaldo César Zanelato

Reginaldo César Zanelato Reginaldo César Zanelato Nos pacientes portadores da má oclusão de Classe II dentária, além das opções tradicionais de tratamento, como as extrações de pré-molares superiores e a distalização dos primeiros

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu - Daniela Cristina dos Santos Alves O Uso do Spray de Fluorometano no Tratamento Prof. D. Sc.

Leia mais

COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO. Profª Fernanda Toledo

COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO. Profª Fernanda Toledo COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO Profª Fernanda Toledo RECORDAR Qual a função do alimento em nosso corpo? Por quê comer????? Quando nascemos, uma das primeiras atitudes do nosso organismo

Leia mais

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL

BOARD BRASILEIRO DE ORTODONTIA E ORTOPEDIA FACIAL Montagem das Pastas As pastas devem estar organizadas na seguinte ordem: I- Externo Página Título: colocar na capa frontal da pasta (a capa tem um envelope plástico para esta finalidade). BOARD BRASILEIRO

Leia mais

Estes artigos estão publicados no sítio do Consultório de Pediatria do Dr. Paulo Coutinho. http://www.paulocoutinhopediatra.pt

Estes artigos estão publicados no sítio do Consultório de Pediatria do Dr. Paulo Coutinho. http://www.paulocoutinhopediatra.pt Estes artigos estão publicados no sítio do Consultório de Pediatria do Dr. Paulo Coutinho. Pág. 01 A bronquiolite é uma infeção respiratória causada por vírus, ocorrendo em crianças com menos de 2 anos.

Leia mais

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS. Professora: Sabrina Cunha da Fonseca

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS. Professora: Sabrina Cunha da Fonseca DOENÇAS RESPIRATÓRIAS Professora: Sabrina Cunha da Fonseca Os locais de trabalho têm oferecido, cada vez mais, ambientes poluídos por diversos elementos, gasosos e sólidos, presentes no ar como gases e

Leia mais

Placa bacteriana espessa

Placa bacteriana espessa A IMPORTÂNCIA DA SAÚDE BUCAL A saúde bucal é importante porque a maioria das doenças e a própria saúde começam pela boca. Por exemplo, se você não se alimenta bem, não conseguirá ter uma boa saúde bucal,

Leia mais

AMAMENTAÇÃO NATURAL X ARTIFICIAL: ORIENTAÇÕES DADAS ÀS MÃES DE CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN

AMAMENTAÇÃO NATURAL X ARTIFICIAL: ORIENTAÇÕES DADAS ÀS MÃES DE CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN V Mostra Interna de Trabalhos de Iniciação Científica 26 a 29 de outubro de 2010 AMAMENTAÇÃO NATURAL X ARTIFICIAL: ORIENTAÇÕES DADAS ÀS MÃES DE CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN Caroline Maressa Alves Andrean

Leia mais

Distúrbios Miofuncionais Orofaciais na Infância

Distúrbios Miofuncionais Orofaciais na Infância Marchesan IQ. Distúrbios Miofuncionais Orofaciais na Infância. In: Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia, Tratado de Otorrinolaringologia. São Paulo: Roca; 2003. V.3 cap. 54 p.520-33. Distúrbios

Leia mais

Crianças com deformidades na face. Avaliação da via aérea difícil. Valéria B. Melhado Hosp. Beneficência Portuguesa de Santos

Crianças com deformidades na face. Avaliação da via aérea difícil. Valéria B. Melhado Hosp. Beneficência Portuguesa de Santos Crianças com deformidades na face Avaliação da via aérea difícil Valéria B. Melhado Hosp. Beneficência Portuguesa de Santos anomalias anatômicas cavidade oral espaço mandibular anterior maxila articulação

Leia mais

Oxigenoterapia Não invasiva

Oxigenoterapia Não invasiva Oxigenoterapia Não invasiva Definição Consiste na administração de oxigênio numa concentração de pressão superior à encontrada na atmosfera ambiental para corrigir e atenuar deficiência de oxigênio ou

Leia mais

Índice. 1. Definição de Deficiência Motora...3

Índice. 1. Definição de Deficiência Motora...3 GRUPO 5.2 MÓDULO 10 Índice 1. Definição de Deficiência Motora...3 1.1. O Que é uma Deficiência Motora?... 3 1.2. F82 - Transtorno Específico do Desenvolvimento Motor... 4 2 1. DEFINIÇÃO DE DEFICIÊNCIA

Leia mais

Respirar pela boca prejudica o desenvolvimento do rosto

Respirar pela boca prejudica o desenvolvimento do rosto Respirar pela boca prejudica o desenvolvimento do rosto Respirar pela boca pode causar anomalias dentofaciais (ortopédicas e ortodônticas) e distúrbios do sono. Evitar isto é fundamental, tanto na infância

Leia mais

GABRIEL FIGUEIREDO CARACTERÍSTICA DE PORTADORES DA SÍNDROME DO RESPIRADOR ORAL SUBMETIDO À CIRURGIA DE ADENOAMIGDALECTOMIA

GABRIEL FIGUEIREDO CARACTERÍSTICA DE PORTADORES DA SÍNDROME DO RESPIRADOR ORAL SUBMETIDO À CIRURGIA DE ADENOAMIGDALECTOMIA GABRIEL FIGUEIREDO CARACTERÍSTICA DE PORTADORES DA SÍNDROME DO RESPIRADOR ORAL SUBMETIDO À CIRURGIA DE ADENOAMIGDALECTOMIA Tubarão, 2006 GABRIEL FIGUEIREDO CARACTERÍSTICA DE PORTADORES DA SÍNDROME DO RESPIRADOR

Leia mais

Paralisia facial periférica Resumo de diretriz NHG M93 (agosto 2010)

Paralisia facial periférica Resumo de diretriz NHG M93 (agosto 2010) Paralisia facial periférica Resumo de diretriz NHG M93 (agosto 2010) Klomp MA, Striekwold MP, Teunissen H, Verdaasdonk AL traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014 autorização para

Leia mais

ORTODONTIA E FONOAUDIOLOGIA: UMA PRÁTICA NA RESPIRAÇÃO BUCAL

ORTODONTIA E FONOAUDIOLOGIA: UMA PRÁTICA NA RESPIRAÇÃO BUCAL CEFAC CENTRO DE ESPECIALIZAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA CLÍNICA MOTRICIDADE ORAL ORTODONTIA E FONOAUDIOLOGIA: UMA PRÁTICA NA RESPIRAÇÃO BUCAL JULIANA CRUZ KREPSKY Monografia de Conclusão do Curso de Especialização

Leia mais

Vídeo Caseiro para Avaliação da Criança que Ronca

Vídeo Caseiro para Avaliação da Criança que Ronca Vídeo Caseiro para Avaliação da Criança que Ronca Federico Murillo González Giselle, cinco anos de idade, ronca e acorda constantemente à noite, tem respiração bucal durante o dia, precisa interromper

Leia mais

AVALIAÇÃO E TERAPIA DOS PROBLEMAS DA RESPIRAÇÃO

AVALIAÇÃO E TERAPIA DOS PROBLEMAS DA RESPIRAÇÃO 1 AVALIAÇÃO E TERAPIA DOS PROBLEMAS DA RESPIRAÇÃO Irene Queiroz Marchesan A medicina, principalmente na área da otorrinolaringologia, sempre estudou o problema da respiração bucal. Mais recentemente, não

Leia mais

Orientação para interessados em tratamento ortodôntico

Orientação para interessados em tratamento ortodôntico 1 Orientação para interessados em tratamento ortodôntico Dras. Rosana Gerab Tramontina e Ana Carolina Muzete de Paula Ortodontia é a ciência que estuda o crescimento e o desenvolvimento da face e das dentições

Leia mais

Informações de Tratamento

Informações de Tratamento Informações de Tratamento 1. Introdução O tratamento orto-cirúrgico da deformidade dento-facial apresenta tanta complexidade que freqüentemente o paciente se sente perdido no meio de tantas informações.

Leia mais