TRANSTORNOS ESPECÍFICOS DO DESENVOLVIMENTO DA FALA E DA LINGUAGEM F80.0 DISLALIA (ARTICULAÇÃO; COMUNICAÇÃO FONOLÓGICA; FUNCIONAL ARTICULAÇÃO)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TRANSTORNOS ESPECÍFICOS DO DESENVOLVIMENTO DA FALA E DA LINGUAGEM F80.0 DISLALIA (ARTICULAÇÃO; COMUNICAÇÃO FONOLÓGICA; FUNCIONAL ARTICULAÇÃO)"

Transcrição

1 27/12/2007 ANEXO 49 TABELA da CLASSIFICAÇÃO ESTATÍSTICA INTERNACIONAL DE DOENÇAS E PROBLEMAS RELACIONADOS À SAÚDE FONOAUDIOLÓGICA CID 10 /OMS /1997 6ª VERSÃO 2008 CÓDIGO F80 DESCRIÇÃO TRANSTORNOS ESPECÍFICOS DO DESENVOLVIMENTO DA FALA E DA LINGUAGEM F80.0 DISLALIA (ARTICULAÇÃO; COMUNICAÇÃO FONOLÓGICA; FUNCIONAL ARTICULAÇÃO) F80.1 F80.2 F80.8 F80.9 F81 TRANSTORNOS DO DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM DA CRIANÇA: EXPRESSIVO RECEPTIVO TRANSTORNOS DE DESENVOLVIMENTO DA FALA OU DA LINGUAGEM: OUTROS NÃO ESPECIF TRANSTORNOS ESPECÍFICOS DO DESENVOLVIMENTO DAS HABILIDADES ESCOLARES F81.0 TRANSTORNO ESPECÍFICO DE LEITURA F81.1 TRANSTORNO ESPECÍFICO DA SOLETRAÇÃO E DA ESCRITA F81.2 TRANSTORNO ESPECÍFICO DA HABILIDADE EM ARITMÉTICA F81.3 TRANSTORNO MISTO DE HABILIDADES ESCOLARES F81.8 TRANSTORNO DE DESENVOLVIMENTO DA ESCRITA F81.9 INCAPACIDADE OU TRANSTORNO NA AQUISIÇÃO DE CONHECIMENTO OU APRENDIZAGEM F82 TRANSTORNO ESPECÍFICO DE DESENVOLVIMENTO MOTOR (criança desajeitada, transtorno na aquisição da coordenação, desenvolvimento do tipo dispraxia) F83 F84 TRANSTORNOS ESPECÍFICOS MISTOS DO DESENVOLVIMENTO (Transtorno do desenvolvimento da fala, linguagem, habilidades escolares, funções motoras e cognitivas se superpondo) TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTO (alterações qualitativas das interações sociais, recíprocas e modalidade de comunicação com repertório de interesse e atividades restrito, estereotipado e repetitivo) F84.0 AUTISMO INFANTIL F84.1 F70 F79 F90 AUTISMO ATÍPICO (psicose infantil atípica, retardo mental com característica autista) OBS: RETARDO MENTAL COM TRANSTORNO DE FALA RETARDO MENTAL NÃO ESPECIFICADO COM TRANSTORNO DE FALA TRANSTORNOS HIPERCIMÉTICOS (déficit cognitivo, atraso no desenvolvimento da motricidade e linguagem) F90.0 DISTURBIO SIMPLES DA ATIVIDADE E ATENÇAO ASSOCIADO A HIPERCINESIA F90.1 TRANSTORNO HIPERCINÉTICO DE CONDUTA F90.8 OUTROS TRANSTORNOS HIPERCINÉTICOS F90.9 TRANSTORNO HIPERCINÉTICO, NÃO ESPECIFICADO (INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA) F94.0 MUTISMO SELETIVO F98.5 DISFEMIA F98.6 LINGUAGEM PRECIPITADA 1

2 G51.0 PARALISIA DE BELL H61.2 PERDA DA AUDIÇÃO POR CERUMEM IMPACTADO H83.3 SURDEZ INDUZIDA POR RUÍDO H90 SURDEZ CONGÊNITA NEUROSSENSORIAL (perda da audição causando transtorno na fala) H90.0 PERDA DA AUDIÇÃO BILATERAL POR PROBLEMA DE CONDUÇÃO H90.1 H90.2 PERDA DA AUDIÇÃO UNILATERAL POR TRANSTORNO DE CONDUÇÃO SEM RESTRIÇÃO DE AUDIÇÃO CONTRALATERAL PERDA NÃO ESPECIFICADA DE AUDIÇÃO DEVIDO A TRANSTORNO DE CONDUÇÃO SURDEZ DE CONDUÇÃO H90.3 PERDA DA AUDIÇÃO BILATERAL NEUROSSENSORIAL H90.4 PERDA DA AUDIÇÃO UNILATERAL NEUROSSENSORIAL SEM RESTRIÇÃO DE AUDIÇÃO CONTRALATERAL H90.5 PERDA DA AUDIÇÃO NEUROSSENSORIAL NÃO ESPECIFICADA H90.6 SURDEZ MISTA BILATERAL H90.7 SURDEZ MISTA UNILATERAL H90.8 PERDA DE AUDIÇÃO MISTA, NÃO ESPECIFICADA H91 OUTRAS PERDAS DE AUDIÇÃO CAUSANDO ALTERAÇÃO NA FALA H91.1 PRESBIACUSIA H91.2 PERDA DE AUDIÇÃO SÚBITA, IDIOPÁTICA H91.3 SURDO - MUDEZ H91.8 OUTRAS PERDAS DE AUDIÇÃO ESPECIFICADAS ( NCOP) (FADIGA AUDITIVA) H91.9 PERDA NÃO ESPECIFICADA DE AUDIÇÃO (ALTA E BAIXA FREQÜÊNCIA) H93.0 SURDEZ DEVIDA A ISQUEMIA TRANSITÓRIA H93.2 PERCEPÇÃO AUDITIVA ANORMAL (ALTERAÇÃO DE LIMIAR, COMPROMETIMENTO DA DISCRIMINAÇÃO AUDITIVA) F44.6 SURDEZ EMOCIONAL K07 K07.0 K07.1 K07.2 ANOMALIAS DENTOFACIAIS ANOMALIAS DE TRATAMENTO DA MANDÍBULA (Macrognatismo mandibular e maxilar) (Micrognatismo mandibular e maxilar) ANOMALIAS DA RELAÇÃO ENTRE MANDÍBULA COM A BASE DO CRÂNIO (assimetria da mandíbula, prognatismo, retrognatismo) ANOMALIAS DA RELAÇÃO ENTRE AS ARCADAS DENTARIAS (disto oclusão; mésio oclusão) (mordida aberta/cruzada, sobremordida excessiva overjet ) K07.3 ANOMALIAS DA POSIÇÃO DOS DENTES K07.4 MÁ OCLUSÃO NÃO ESPECIFICADA 2

3 K07.5 ANORMALIDADES DENTOFACIAIS FUNCIONAIS ( F45.8 ) DEGLUTIÇÃO ANORMAL, HÁBITOS VISIOSOS, RESPIRAÇÃO BUCAL. EXCLUI BRUXISMO ( F45.8 ) RANGER DENTES SOE K07.6 TRANSTORNO DA ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR K07.8 OUTRAS ANOMALIAS DENTOFACIAIS K07.9 ANOMALIAS DENTOFACIAL, SEM OUTRA ESPECIFICAÇÃO K14.0 GLOSSITE (abscesso, ulceração traumática) K14.1 LÍNGUA GEOGRÁFICA K14.3 LINGUA SABURROSA K14.5 LÍNGUA ESCROTAL / FISSURADA K14.8 LINGUA (atrofia / hipertrofia) Q38.1 LINGUA PRESA Q38.3 LÍNGUA BÍFIDA K14.9 DOENÇA DA LÍNGUA SEM OUTRA ESPECIFICAÇÃO P92.1 REGURGITAÇÃO E RUMINAÇÃO P92.2 ALIMENTAÇÃO VAGAROSA DO RECÉM NATO P92.5 DIFICULDADE NEONATAL NA AMAMENTAÇÃO NO PEITO P92.8 OUTROS PROBLEMAS DE ALIMENTAÇÃO DO RECÉM NATO P92.9 PROBLEMA NÃO ESPECIFICADO DE ALIMENTAÇÃO DO RECÉM NATO F98.2 TRANSTORNO DE ALIMENTAÇÃO NA INFÂNCIA (RECUSA E SELETIVIDADE) F50.9 TRANSTORNO DE ALIMENTAÇÃO NÃO ESPECIFICADO R63.3 DIFICULDADE E MAUS HÁBITOS ALIMENTARES K21 REFLUXO GASTROESOFÁGICO Q35 FENDA PALATINA Q35.0 FENDA BILATERAL PALATO DURO Q35.1 FENDA UNILATERAL PALATO DURO Q35.2 FENDA BILATERAL PALATO MOLE Q35.3 FENDA UNILATERAL PALATO MOLE Q35.4 FENDA BILATERAL DOS PALATOS DURO E MOLE Q35.5 FENDA UNILATERAL DOS PALATOS DURO E MOLE Q35.6 FENDA MEDIANA DO PALATO Q35.7 FENDA ÚVULA Q35.8 FENDA PALATINA NÃO ESPECIFICADA BILATERAL Q35.9 FENDA PALATINA NÃO ESPECIFICADA Q36 FENDA LABIAL 3

4 Q36.0 FENDA LABIAL BILATERAL Q36.1 FENDA LABIAL MEDIANA Q36.9 FENDA LABIAL UNILATERAL Q37 FENDA LÁBIO PALATINA Q37.0 FENDA DO PALATO DURO C/ FENDA LABIAL BILATERAL Q37.1 FENDA DO PALATO DURO C/ FENDA LABIAL UNILATERAL Q37.2 FENDA DO PALATO MOLE C/ FENDA LABIAL BILATERAL Q37.3 FENDA DO PALATO MOLE C/ FENDA LABIAL UNILATERAL Q37.4 FENDA DO PALATO DURO E MOLE C/ FENDA LABIAL BILATERAL Q37.5 FENDA DO PALATO DURO E MOLE C/ FENDA LABIAL UNILATERAL Q37.8 FENDA DO PALATO DURO C/ FENDA LABIAL BILATERAL NÃO ESPECIFICADA Q37.9 FENDA DO PALATO C/ FENDA UNILATERAL NÃO ESPECIFICADA R13 DISFAGIA OUTROS SINAIS E SINTOMAS RELATIVOS A FUNÇÃO COGNITIVA R41.1 AMNÉSIA ANTERÓGRADA R41.2 AMNÉSIA RETRÓGRADA R43.0 ANOSMIA R43.1 PAROSMIA DISTÚRBIOS DO OLFATO E PALADAR R43.2 PARAGEUSIA R43.8 DISTÚRBIO MISTO DE OLFATO E PALADAR SINTOMAS E SINAIS RELATIVOS À FALA E À VOZ R47.0 AFASIA E DISFASIA R47.1 ANARTRIA E DISARTRIA R47.8 OUTROS DISTÚRBIOS DA FALA E OS NÃO ESPECIFICADOS R48 R48.0 ALEXIA DISLEXIA E OUTRAS DISFUNÇÕES SIMBÓLICAS NÃO CLASSIFICADAS EM OUTRA PARTE R48.1 AGNOSIA VERBAL / AUDITIVA R48.2 APRAXIA R48.8 ACALCULIA E AGRAFIA R27.8 OUTROS DISTÚRBIOS DA COORDENAÇÃO MOTORAE OS NÃO ESPECIFICADOS G31.0 AFASIA PROGRESSIVA ISOLADA (doença de Pick) R49.0 DISFONIA R49.1 AFONIA DISTÚRBIOS DA VOZ R49.2 HIPER E HIPONASALIDADE R49.8 OUTROS DISTÚRBIOS DA VOZ (mudança vocal) PESSOAS EM CONTATO COM OS SERVIÇOS DE SAÚDE PARA EXAME E INVESTIGAÇÃO Z10.0 EXAME DE SAÚDE OCUPACIONAL Z39.1 ASSISTÊNCIA E EXAME DA MÃE NUTRIZ (supervisão ao aleitamento materno) 4

5 Z50 CUIDADOS ENVOLVENDO O USO DE PROCEDIMENTOS DE REABILITAÇÃO (exclui aconselhamento) Z50.5 REABILITAÇÃO DA LINGUAGEM Z50.9 CUIDADOS ENVOLVENDO O USO NÃO ESPECIFICADO DE PROCEDIMENTO DE REABILITAÇÃO Z71.0 PESSOA QUE CONSULTA NO INTERESSE DE UM TERCEIRO Z71.2 PESSOA QUE CONSULTA PARA EXPLICAÇÃO DE EXAME Z71.9 ACONSELHAMENTO NÃO ESPECIFICADO Z46.1 COLOCAÇÃO E AJUSTAMENTO DE APARELHO AUDITIVO Z01.1 EXAME DOS OUVIDOS E DA AUDIÇÃO Z55.8 TRANSTORNO DE APRENDIZAGEM POR ENSINO INADEQUADO 5

FONOAUDIOLOGIA CID RESUMO ADAPTADO

FONOAUDIOLOGIA CID RESUMO ADAPTADO FONOAUDIOLOGIA CID RESUMO ADAPTADO Código Descrição F.80.0 Dislalia F.80.1/F.80.2 Atraso de Linguagem F.81.0 Dislexia F.81.1 Disortografia F.81.2 Discalculia Infantil F.81.8 Agrafia F.81.9 Dificuldade

Leia mais

GUIA PRÁTICO DE CONSULTA RÁPIDA DA CID-10 PELO FONOAUDIÓLOGO

GUIA PRÁTICO DE CONSULTA RÁPIDA DA CID-10 PELO FONOAUDIÓLOGO APRESENTAÇÃO GUIA PRÁTICO DE CONSULTA RÁPIDA DA CID-10 PELO FONOAUDIÓLOGO A Classificação Internacional de Doenças e de Problemas Relacionados à Saúde, na sua 10a revisão (CID-10), configura-se no documento

Leia mais

GUIA PRÁTICO DE CONSULTA RÁPIDA DA CID-10 PELO FONOAUDIÓLOGO

GUIA PRÁTICO DE CONSULTA RÁPIDA DA CID-10 PELO FONOAUDIÓLOGO Conselhos de Fonoaudiologia GUIA PRÁTICO DE CONSULTA RÁPIDA DA CID-10 PELO FONOAUDIÓLOGO Brasília - DF 2007 Conselhos de Fonoaudiologia - Maio/2007 3 4 Conselhos de Fonoaudiologia - Maio/2007 APRESENTAÇÃO

Leia mais

A Psiquiatria e seu olhar Marcus André Vieira Material preparado com auxílio de Cristiana Maranhão e Luisa Ferreira

A Psiquiatria e seu olhar Marcus André Vieira Material preparado com auxílio de Cristiana Maranhão e Luisa Ferreira A Psiquiatria e seu olhar Marcus André Vieira Material preparado com auxílio de Cristiana Maranhão e Luisa Ferreira Transtornos do Desenvolvimento Psicológico Transtornos do Desenvolvimento Psicológico

Leia mais

IMPACTO DA RN 167 e 211: COMO REDUZIR CUSTOS

IMPACTO DA RN 167 e 211: COMO REDUZIR CUSTOS IMPACTO DA RN 167 e 211: COMO REDUZIR CUSTOS UNIMED CAMPINAS - Área de atuação: Campinas e 12 cidades da região - Habitantes - Campinas: 1.064.669 - Região: 1.108.538 - Total de usuários: 635.280 - Local:

Leia mais

TRANSTORNOS DA FALA E DA LINGUAGEM

TRANSTORNOS DA FALA E DA LINGUAGEM TRANSTORNOS DA FALA E DA LINGUAGEM FONAÇÃO VOCALIZAÇÃO FALA ARTICULAÇÃO LINGUAGEM GRAMÁTICA PRODUÇÃO DE SONS VOCAIS SEM FORMAÇÃO DE PALAVRAS SOM PRODUZIDO PELA VIBRAÇÃO DAS CORDAS VOCAIS,MODIFICADO PELA

Leia mais

TABELA DE HONORÁRIO AMBULATORIAL ANEXO 11.2 EDITAL 0057/2013

TABELA DE HONORÁRIO AMBULATORIAL ANEXO 11.2 EDITAL 0057/2013 TABELA DE HONORÁRIO AMBULATORIAL ANEXO 11.2 EDITAL 0057/2013 Honorário de Psicologia 1010111 8 Sessao de Psicoterapia / Psicologo - (12 ou ate 40 por ano se cumprir diretriz de utilização definida pelo

Leia mais

A importância do registro de procedimentos fonoaudiológicos em prontuários

A importância do registro de procedimentos fonoaudiológicos em prontuários A importância do registro de procedimentos fonoaudiológicos em prontuários Todos os atendimentos e procedimentos fonoaudiológicos devem ser registrados em prontuário, manuscrito ou eletrônico, devendo

Leia mais

. Classificação Internacional de Doenças CID 10 Capítulo XI - Doenças do Aparelho Digestivo (K00-K93)... 1

. Classificação Internacional de Doenças CID 10 Capítulo XI - Doenças do Aparelho Digestivo (K00-K93)... 1 Sumário. Classificação Internacional de Doenças CID 10 Capítulo XI - Doenças do Aparelho Digestivo (K00-K93)... 1 K00. Distúrbios do desenvolvimento e da erupção dos dentes... 1 K01. Dentes inclusos e

Leia mais

Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10

Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10 Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10 K00 - Distúrbios do Desenvolvimento e da Erupção Dos Dentes K00.0 - Anodontia K00.1 - Dentes Supranumerários

Leia mais

Transtornos Globais do Desenvolvimento e Dificuldades de. Curso de Formação Pedagógica Andréa Poletto Sonza Março/2010

Transtornos Globais do Desenvolvimento e Dificuldades de. Curso de Formação Pedagógica Andréa Poletto Sonza Março/2010 Transtornos Globais do Desenvolvimento e Dificuldades de Aprendizagem Curso de Formação Pedagógica Andréa Poletto Sonza Março/2010 Transtornos Globais do Desenvolvimento São consideradas pessoas com TGD

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO ESTATÍSTICA INTERNACIONAL DE DOENÇAS E PROBLEMAS RELACIONADOS À SAÚDE (DÉCIMA REVISÃO - CID-10)

CLASSIFICAÇÃO ESTATÍSTICA INTERNACIONAL DE DOENÇAS E PROBLEMAS RELACIONADOS À SAÚDE (DÉCIMA REVISÃO - CID-10) CLASSIFICAÇÃO ESTATÍSTICA INTERNACIONAL DE DOENÇAS E PROBLEMAS RELACIONADOS À SAÚDE (DÉCIMA REVISÃO - CID-10) DOENÇAS DA CAVIDADE ORAL, DAS GLÂNDULAS SALIVARES E DOS MAXILARES K00 Distúrbios do desenvolvimento

Leia mais

FATORES QUE INFLUENCIAM O ESTADO DE SAÚDE E O CONTATO COM OS SERVIÇOS DE SAUDE (Z00 Z99)

FATORES QUE INFLUENCIAM O ESTADO DE SAÚDE E O CONTATO COM OS SERVIÇOS DE SAUDE (Z00 Z99) FATORES QUE INFLUENCIAM O ESTADO DE SAÚDE E O CONTATO COM OS SERVIÇOS DE SAUDE (Z00 Z99) Guias SP/SADT Protocolo Conduta Indicação Clínica Laudo médico Justificativa Tipos N máximo de sessões Exame geral

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA (Currículo iniciado em 2013)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA (Currículo iniciado em 2013) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE FONOAUDIOLOGIA (Currículo iniciado em 2013) ATENÇÃO À SAÚDE AUDITIVA DO TRABALHADOR 68 h/a 1537/I Audiologia na Saúde do Trabalhador. Perda auditiva de origem ocupacional.

Leia mais

AUTISMO MITOS, REFLEXÕES E ATUALIDADES KLIGIEL V. B. DA ROSA. NEUROPEDIATRA.

AUTISMO MITOS, REFLEXÕES E ATUALIDADES KLIGIEL V. B. DA ROSA. NEUROPEDIATRA. AUTISMO MITOS, REFLEXÕES E ATUALIDADES KLIGIEL V. B. DA ROSA. NEUROPEDIATRA. Conceito É uma patologia vasto quadro clínico com déficits neurocomportamentais e cognitivos e padrões repetitivos de comportamentos

Leia mais

Pediatria do Desenvolvimento e do Comportamento. Faculdade de Ciências Médicas Prof. Orlando A. Pereira Unifenas

Pediatria do Desenvolvimento e do Comportamento. Faculdade de Ciências Médicas Prof. Orlando A. Pereira Unifenas Pediatria do Desenvolvimento e do Comportamento Faculdade de Ciências Médicas Prof. Orlando A. Pereira Unifenas Genética e Ambiente A combinação de fatores ambientais e genéticos é que determina o produto

Leia mais

Assumir a prevenção de perturbações de comunicação e linguagem e despiste no sentido da deteção precoce;

Assumir a prevenção de perturbações de comunicação e linguagem e despiste no sentido da deteção precoce; Definição de Terapeuta da Fala segundo o Comité Permanente de Ligação dos Terapeutas da Fala da União Europeia (CPLO),1994 O Terapeuta da Fala é o profissional responsável pela prevenção, avaliação, diagnóstico,

Leia mais

TEA Módulo 3 Aula 2. Processo diagnóstico do TEA

TEA Módulo 3 Aula 2. Processo diagnóstico do TEA TEA Módulo 3 Aula 2 Processo diagnóstico do TEA Nos processos diagnósticos dos Transtornos do Espectro Autista temos vários caminhos aos quais devemos trilhar em harmonia e concomitantemente para que o

Leia mais

PUCPR - O.R.T.O.D.O.N.T.I.A - GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO F I C H A C L Í N I C A Nome do/a Paciente: Número: 1.0 IDENTIFICAÇÃO DO PACIENTE 1.1 Nome: 1.2 Data de Nascimento: Sexo: F M Idade: 1.3 Peso: Kg

Leia mais

CENTRO PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO CONTINUADA CEPEC-TO ANO 2013

CENTRO PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO CONTINUADA CEPEC-TO ANO 2013 CENTRO PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO CONTINUADA CEPEC-TO ANO 2013 TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTO-TGD ANO 2013/2 O QUE SÃO TGD S? Na CID-10 (Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas

Leia mais

Reabilitação cirúrgica dos Fissurados de lábio e palato. M.Sc.Viviane Marques

Reabilitação cirúrgica dos Fissurados de lábio e palato. M.Sc.Viviane Marques Reabilitação cirúrgica dos Fissurados de lábio e palato M.Sc.Viviane Marques DIAGNÓSTICO 1º diagnóstico: Através da ultrasonografia (Entre a 12ª e 14ª semana de gestação). O diagnóstico das fissuras submucosa

Leia mais

Fonoaudiólogo 11)Em relação àperda auditiva causada por exposição a ruído é incorreto afirmar:

Fonoaudiólogo 11)Em relação àperda auditiva causada por exposição a ruído é incorreto afirmar: Fonoaudiólogo 11)Em relação àperda auditiva causada por exposição a ruído é incorreto afirmar: a) É uma perda auditiva sensorioneural, com comprometimento das células ciliadas da orelha interna; b) Quase

Leia mais

Sinonímia Alterações Herdadas e Congênitas Defeitos de Desenvolvimento da Região Maxilofacial e Oral

Sinonímia Alterações Herdadas e Congênitas Defeitos de Desenvolvimento da Região Maxilofacial e Oral Sinonímia Alterações Herdadas e Congênitas Defeitos de Desenvolvimento da Região Maxilofacial e Oral Doença Hereditária: é um desvio da normalidade transmitidos por genes e que podem estar presentes ou

Leia mais

de Santarem 1249-068 L1SBOA Em res posta as solicita<;oes apresentadas no vosso offcio de 20 de Janeiro

de Santarem 1249-068 L1SBOA Em res posta as solicita<;oes apresentadas no vosso offcio de 20 de Janeiro Santarem EDUCACAO Municipio CAMARA de Santarem MUNICIPAL r EXMO(A). SENHOR(A) Secretaria-Geral Conselheira Adelina Sa Carvalho Largo das Cortes Palacio de S. Bento 1249-068 L1SBOA ~).~~tari oq PROC. E-l/14

Leia mais

MÁ-OCLUSÃO. Ortodontista: Qualquer desvio de posição do dente em relação ao normal

MÁ-OCLUSÃO. Ortodontista: Qualquer desvio de posição do dente em relação ao normal MÁ-OCLUSÃO Ortodontista: Qualquer desvio de posição do dente em relação ao normal Sanitarista: Inconveniente estético ou funcional de grande magnitude que possa interferir no relacionamento do indivíduo

Leia mais

INTERSETORIALIDADE E AUTISMO

INTERSETORIALIDADE E AUTISMO INTERSETORIALIDADE E AUTISMO Daniel de Sousa Filho Psiquiatra da Infância e Adolescência Mestre em Distúrbios do Desenvolvimento UPM Introdução Kanner, 1943 Asperger, 1944 Bleuler, 1906 Transtornos do

Leia mais

Processo Diagnóstico: CID/DSM/Diagnóstico Diferencial. Módulo 3: Aspectos Diagnósticos

Processo Diagnóstico: CID/DSM/Diagnóstico Diferencial. Módulo 3: Aspectos Diagnósticos + Processo Diagnóstico: CID/DSM/Diagnóstico Diferencial Módulo 3: Aspectos Diagnósticos + Processo Diagnóstico do TEA Suspeita dos pais/cuidadores/professores Avaliação médica e não-médica (escalas de

Leia mais

GLOSSÁRIO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL

GLOSSÁRIO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL GLOSSÁRIO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL Atendimento Educacional Especializado (AEE) O Atendimento Educacional Especializado (AEE) é um serviço da Educação Especial que organiza atividades, recursos pedagógicos

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÃO PARA FONOAUDIÓLOGOS: BALIZADOR DE TEMPO DE TRATAMENTO EM FONOAUDIOLOGIA

GUIA DE ORIENTAÇÃO PARA FONOAUDIÓLOGOS: BALIZADOR DE TEMPO DE TRATAMENTO EM FONOAUDIOLOGIA GUIA DE ORIENTAÇÃO PARA FONOAUDIÓLOGOS: BALIZADOR DE TEMPO DE TRATAMENTO EM FONOAUDIOLOGIA Primeira edição CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA ACADEMIA BRASILEIRA DE AUDIOLOGIA SOCIEDADE BRASILEIRA DE FONOAUDIOLOGIA

Leia mais

Lembramos, no entanto, que a Deficiência Física, não está contemplada na sua totalidade, existindo outros CIDs não listados e que sofrerão análise.

Lembramos, no entanto, que a Deficiência Física, não está contemplada na sua totalidade, existindo outros CIDs não listados e que sofrerão análise. Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Em função de ocorrer dúvidas em relação ao encaminhamento do benefício do passe-livre intermunicipal,

Leia mais

Deficiência Auditiva. Definição. Definição, Classificação, Características e Causas

Deficiência Auditiva. Definição. Definição, Classificação, Características e Causas Deficiência Auditiva Definição, Classificação, Características e Causas Definição Impossibilidade total ou parcial de ouvir, e possui níveis de graduação que vão do leve ao profundo. Diferença existente

Leia mais

O Setor de Fonoaudiologia funciona sob a coordenação da Fonoaudióloga Mestra Gerissa Neiva de Moura Santos Cordeiro, conforme programa apresentado a

O Setor de Fonoaudiologia funciona sob a coordenação da Fonoaudióloga Mestra Gerissa Neiva de Moura Santos Cordeiro, conforme programa apresentado a O Setor de Fonoaudiologia funciona sob a coordenação da Fonoaudióloga Mestra Gerissa Neiva de Moura Santos Cordeiro, conforme programa apresentado a seguir. COLÉGIO NOTRE DAME FONOAUDIOLOGIA PREVENTIVA

Leia mais

AUTISMO E TDAH: O DESAFIO DA INCLUSÃO. Prof. Dr. Carlo Schmidt. Prof. Adjunto da CE/UFSM Depto. Educação Especial

AUTISMO E TDAH: O DESAFIO DA INCLUSÃO. Prof. Dr. Carlo Schmidt. Prof. Adjunto da CE/UFSM Depto. Educação Especial AUTISMO E TDAH: O DESAFIO DA INCLUSÃO Prof. Dr. Carlo Schmidt Prof. Adjunto da CE/UFSM Depto. Educação Especial INTRODUÇÃO Caracterização: Do que estamos falando? TDAH Autismo O que essas condições têm

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ODONTOLOGIA NO ALEITAMENTO MATERNO

A IMPORTÂNCIA DA ODONTOLOGIA NO ALEITAMENTO MATERNO A IMPORTÂNCIA DA ODONTOLOGIA NO ALEITAMENTO MATERNO FLÁVIA PEDREIRA CIRURGIÃ DENTISTA DO HOSPITAL E MATERNIDADE PÚBLICA DONA REGINA 20 DE FEVEREIRO DE 2014 Se pretendermos que as crianças tenham uma qualidade

Leia mais

Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO

Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO - Abordagem multiprofissional e interdisciplinar - assistência prestada por

Leia mais

www.saudedireta.com.br

www.saudedireta.com.br F00-F99 CAPÍTULO V : Transtornos mentais e comportamentais F00.0*Demência na doença de Alzheimer de início precoce (G30.0+) F00.1*Demência na doença de Alzheimer de início tardio (G30.1+) F00.2*Demência

Leia mais

AVALIAÇÃO AUDIOLÓGICA

AVALIAÇÃO AUDIOLÓGICA Laboratório de Psicofísica e Percepção AVALIAÇÃO AUDIOLÓGICA Fga. Joseane dos Santos Piola Doutoranda do Programa de Pós graduação em Psicobiologia 2009 AVALIAÇÃO AUDIOLÓGICA CLÍNICA: sentimentos-k-sinto-no-coraxao.blogspot.com

Leia mais

Autismo Rede Biomédica de Informações

Autismo Rede Biomédica de Informações Autismo Rede Biomédica de Informações DSM-IV Critérios, Transtornos Invasivos do Desenvolvimento 299.00 Transtornos Autisticos A. Um total de seis ( ou mais) itens de (1), (2) e (3), com pelo menos dois

Leia mais

A Educação Especial na Perspectiva Inclusiva

A Educação Especial na Perspectiva Inclusiva A Educação Especial na Perspectiva Inclusiva Instituto Paradigma O Instituto Paradigma é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), dedicada a desenvolver e implementar projetos nas

Leia mais

O DIAGNÓSTICO DOS TRANSTORNOS DO ESPECTRO DO AUTISMO TEA

O DIAGNÓSTICO DOS TRANSTORNOS DO ESPECTRO DO AUTISMO TEA 1 MARIA ELISA GRANCHI FONSECA Psicóloga Mestre em Educação Especial UFSCAR TEACCH Practitioner pela University of North Carolina USA Coordenadora de Curso INFOCO FENAPAES UNIAPAE Coordenadora CEDAP APAE

Leia mais

A surdez é uma deficiência que fisicamente não é visível, e atinge uma pequena parte da anatomia do indivíduo.

A surdez é uma deficiência que fisicamente não é visível, e atinge uma pequena parte da anatomia do indivíduo. A surdez é uma deficiência que fisicamente não é visível, e atinge uma pequena parte da anatomia do indivíduo. Porém, traz para o surdo consequências sociais, educacionais e emocionais amplas e intangíveis.

Leia mais

PROCESSAMENTO AUDITIVO CENTRAL X DISTÚRBIO DE APRENDIZAGEM

PROCESSAMENTO AUDITIVO CENTRAL X DISTÚRBIO DE APRENDIZAGEM Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira PROCESSAMENTO AUDITIVO CENTRAL X DISTÚRBIO DE APRENDIZAGEM O que o sistema processamento auditivo

Leia mais

AVC: Acidente Vascular Cerebral AVE: Acidente Vascular Encefálico

AVC: Acidente Vascular Cerebral AVE: Acidente Vascular Encefálico AVC: Acidente Vascular Cerebral AVE: Acidente Vascular Encefálico DEFINIÇÃO Comprometimento súbito da função cerebral causada por alterações histopatológicas em um ou mais vasos sanguíneos. É o rápido

Leia mais

Disciplina de Odontologia para Pacientes Especiais. Aula do dia 27 de abril de 2012. Síndromes de interesse odontológico. Porfa Dra Marina Gallottini

Disciplina de Odontologia para Pacientes Especiais. Aula do dia 27 de abril de 2012. Síndromes de interesse odontológico. Porfa Dra Marina Gallottini Disciplina de Odontologia para Pacientes Especiais Aula do dia 27 de abril de 2012 Síndromes de interesse odontológico Porfa Dra Marina Gallottini mhcgmaga@usp.br Síndrome de Rett Encefalopatia, que afeta

Leia mais

Alexia: Perda da capacidade de leitura de letras manuscritas ou impressas.

Alexia: Perda da capacidade de leitura de letras manuscritas ou impressas. Afasia: Perda da capacidade de usar ou compreender a linguagem oral. Afasia é a perda da linguagem decorrente de lesão cerebral que, na maior parte das vezes, ocorre do lado esquerdo do cérebro. Agnosia:

Leia mais

Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes

Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes Instituto Municipal Helena Antipoff Educação Especial no Município do Rio de

Leia mais

Saúde PROVA OBJETIVA. Hospital Universitário Pedro Ernesto FONOAUDIOLOGIA

Saúde PROVA OBJETIVA. Hospital Universitário Pedro Ernesto FONOAUDIOLOGIA Residência Saúde Hospital Universitário Pedro Ernesto 2006 PROVA OBJETIVA FONOAUDIOLOGIA FONOAUDIOLOGIA 1) Gisele trabalha em uma central de teleatendimento, falando de forma quase ininterrupta por seis

Leia mais

Índice. 1. Definição de Deficiência Motora...3

Índice. 1. Definição de Deficiência Motora...3 GRUPO 5.2 MÓDULO 10 Índice 1. Definição de Deficiência Motora...3 1.1. O Que é uma Deficiência Motora?... 3 1.2. F82 - Transtorno Específico do Desenvolvimento Motor... 4 2 1. DEFINIÇÃO DE DEFICIÊNCIA

Leia mais

ANA JÚLIA LENZ fonoaudióloga

ANA JÚLIA LENZ fonoaudióloga ANA JÚLIA LENZ fonoaudióloga R u a : L u c a s d e O l i v e i r a, 4 9 s a l a 601 C e n t r o N H R S - C E P : 9 3 5 1 0-110 B r a s i l e i r a, S o l t e i r a, s e m f i l h o s N a s c. : 2 5 /

Leia mais

RETARDO MENTAL (OLIGOFRENIAS)

RETARDO MENTAL (OLIGOFRENIAS) RETARDO MENTAL (OLIGOFRENIAS) XIII - TRATAMENTO I DEFINIÇÃO II INTELIGÊNCIA III FATORES ETIOLÓGICOS IV EPIDEMIOLOGIA V - DIAGNÓSTICO DO RETARDO MENTAL NA CRIANÇA VI - CLASSIFICAÇÃO VII - FORMAS ETIOLÓGICAS

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS NA PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO VITÓRIA/PR

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS NA PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO VITÓRIA/PR CADERNO DE PROVA FONOAUDIÓLOGO Nº. DE INSCRIÇÃO DO(A) CANDIDATO(A) Domingo, 20 de maio de 2012. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38

Leia mais

AUTISMO: CONVÍVIO ESCOLAR, UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO.

AUTISMO: CONVÍVIO ESCOLAR, UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO. AUTISMO: CONVÍVIO ESCOLAR, UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO. Anne Caroline Silva Aires- UEPB Marta Valéria Silva Araújo- UEPB Gabriela Amaral Do Nascimento- UEPB RESUMO Este trabalho tem como objetivo apresentar

Leia mais

Transtornos Invasivos do Desenvolvimento

Transtornos Invasivos do Desenvolvimento UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ UNOCHAPECÓ Área de Ciências Humanas e Jurídicas Curso de Psicologia, 4º Período Componente Curricular: Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem III Professora:

Leia mais

SÍNDROME DE ASPERGER

SÍNDROME DE ASPERGER Philipe Machado Diniz de Souza Lima CRM 52.84340-7 Psiquiatra Clínico Psiquiatra da Infância e Adolescência Atuação: CAPSI Maurício de Sousa Matriciador em Saúde Mental AP3.3 SÍNDROME DE ASPERGER Síndrome

Leia mais

GCD_3_Doenças_e_Perturbações_do_Ouvido,_Nariz,_Boca_e_Garganta. GCD 3 Doenças e Perturbações do Ouvido, Nariz, Boca e Garganta

GCD_3_Doenças_e_Perturbações_do_Ouvido,_Nariz,_Boca_e_Garganta. GCD 3 Doenças e Perturbações do Ouvido, Nariz, Boca e Garganta All Patient Diagnosis Related Groups (AP-DRG) v21.0 GCD 3 Doenças e Perturbações do Ouvido, Nariz, Boca e Garganta Diagnósticos que podem dar origem a esta GCD: 012.30 Laringite tuberculosa - exame bacteriológico/histológico

Leia mais

PARECER DOS RECURSOS

PARECER DOS RECURSOS 01) As definições do público alvo para a educação especial devem ser contextualizadas e não se esgotam na mera categorização e especificações atribuídas a um quadro de deficiência, transtornos, distúrbios

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DA USP. 1) Laboratório de Neuropsicolingüística Cognitiva Experimental

A EXPERIÊNCIA DA USP. 1) Laboratório de Neuropsicolingüística Cognitiva Experimental O Uso do Computador por Pessoas com Deficiência Sensorial (Surdez Congênita), Distúrbios Motores (Paralisia Cerebral, Esclerose Múltipla e Lateral Amiotrófica, Tetraplegia), e Distúrbios de Processamento

Leia mais

AUTISMO. 3º Encontro Formativo para Profissionais da Educação. Atendimento aos Estudantes com Deficiência na Rede Municipal de Contagem

AUTISMO. 3º Encontro Formativo para Profissionais da Educação. Atendimento aos Estudantes com Deficiência na Rede Municipal de Contagem AUTISMO 3º Encontro Formativo para Profissionais da Educação Atendimento aos Estudantes com Deficiência na Rede Municipal de Contagem Quem somos? Professoras das SRMF / AAE - Contagem Raquel Shirley Stella

Leia mais

Fonodialogando. Sucção Digital UM OLHAR DA FONOAUDIOLOGIA. Um hábito que poderá trazer consequências no desenvolvimento da criança

Fonodialogando. Sucção Digital UM OLHAR DA FONOAUDIOLOGIA. Um hábito que poderá trazer consequências no desenvolvimento da criança Fonodialogando Sucção Digital Um hábito que poderá trazer consequências no desenvolvimento da criança UM OLHAR DA FONOAUDIOLOGIA O que é Sucção? Asucção é um reflexo próprio da espécie adquirido na o n

Leia mais

A INTEGRAÇÃO SENSORIAL COMO ABORDAGEM DE TRATAMENTO DE UM ADOLESCENTE NO ESPECTRO AUTISTA

A INTEGRAÇÃO SENSORIAL COMO ABORDAGEM DE TRATAMENTO DE UM ADOLESCENTE NO ESPECTRO AUTISTA A INTEGRAÇÃO SENSORIAL COMO ABORDAGEM DE TRATAMENTO DE UM ADOLESCENTE NO ESPECTRO AUTISTA MATIAS, Rayane CLASSE, Jéssica P. D. CAVALCANTI, Flavia R. R. SILVA, Angela C. D. RESUMO O presente trabalho se

Leia mais

DISTÚRBIOS, TRANSTORNOS, DIFICULDADES E PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM Os termos distúrbios, transtornos, dificuldades e problemas de aprendizagem tem

DISTÚRBIOS, TRANSTORNOS, DIFICULDADES E PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM Os termos distúrbios, transtornos, dificuldades e problemas de aprendizagem tem DISTÚRBIOS, TRANSTORNOS, DIFICULDADES E PROBLEMAS DE APRENDIZAGEM Os termos distúrbios, transtornos, dificuldades e problemas de aprendizagem tem sido utilizados de forma aleatória, tanto na literatura

Leia mais

3. Quando ele diz que seus ideais são feitos também de papel, quer mostrar como são:

3. Quando ele diz que seus ideais são feitos também de papel, quer mostrar como são: BARCOS DE PAPEL Quando a chuva cessava e um vento fino franzia a tarde tímida e lavada, eu saía a brincar pela calçada, nos meus tempos felizes de menino. Fazia de papel toda uma armada e, estendendo meu

Leia mais

Crianças com deformidades na face. Avaliação da via aérea difícil. Valéria B. Melhado Hosp. Beneficência Portuguesa de Santos

Crianças com deformidades na face. Avaliação da via aérea difícil. Valéria B. Melhado Hosp. Beneficência Portuguesa de Santos Crianças com deformidades na face Avaliação da via aérea difícil Valéria B. Melhado Hosp. Beneficência Portuguesa de Santos anomalias anatômicas cavidade oral espaço mandibular anterior maxila articulação

Leia mais

Conhecendo o Aluno com TGD

Conhecendo o Aluno com TGD I - [FICHA DE AVALIAÇÃO SOBRE O ALUNO COM TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTO] Usar letra de forma Os alunos com Transtornos Globais do Desenvolvimento (TGD) são aqueles que apresentam alterações qualitativas

Leia mais

De acordo com estudos recentes o autismo é mais freqüente em pessoas do sexo masculino.

De acordo com estudos recentes o autismo é mais freqüente em pessoas do sexo masculino. 1 AUTISMO Autismo é um distúrbio do desenvolvimento que se caracteriza por alterações presentes desde idade muito precoce, com impacto múltiplo e variável em áreas nobres do desenvolvimento humano como

Leia mais

Eugênio Cunha eugenio@eugeniocunha.com www.eugeniocunha.com

Eugênio Cunha eugenio@eugeniocunha.com www.eugeniocunha.com Autismo: um olhar pedagógico Eugênio Cunha eugenio@eugeniocunha.com www.eugeniocunha.com Algumas reflexões iniciais: Primeiramente, é importante dizer que não há respostas prontas para todas as questões

Leia mais

1.1 - a inscrição de participantes a este programa se dará através de:

1.1 - a inscrição de participantes a este programa se dará através de: PROPOSTA DE REGULAMENTO VISANDO A IMPLANTAÇÃO DOS BENEFÍCIOS CONTIDOS NO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO CELEBRADO EM DEZEMBRO DE 2011, QUE TRATA DO PROGRAMA DE APOIO AO PORTADOR DE DEFICIÊNCIA I - O Programa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE PSICOLOGIA DISCIPLINA DE PSICOMETRIA TURMA B 2010.1 PROF. FÚLVIO ROCHA ATIVIDADE II

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE PSICOLOGIA DISCIPLINA DE PSICOMETRIA TURMA B 2010.1 PROF. FÚLVIO ROCHA ATIVIDADE II UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL UFC CURSO DE PSICOLOGIA DISCIPLINA DE PSICOMETRIA TURMA B 2010.1 PROF. FÚLVIO ROCHA ATIVIDADE II 1- Esta atividade corresponderá à 2ª avaliação da disciplina

Leia mais

Outras Demências. Hidrocefalia de Pressão Normal Hematoma Sub-Dural Crônico Degeneração Fronto-Temporal Demências Reversíveis

Outras Demências. Hidrocefalia de Pressão Normal Hematoma Sub-Dural Crônico Degeneração Fronto-Temporal Demências Reversíveis Outras Demências Hidrocefalia de Pressão Normal Hematoma Sub-Dural Crônico Degeneração Fronto-Temporal Demências Reversíveis Características Clínicas da Hidrocefalia de Pressão Normal Inicialmente instala-se

Leia mais

GLOSSÁRIO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL

GLOSSÁRIO DA EDUCAÇÃO ESPECIAL GOVERNO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE GESTÃO DE ENSINO SUPERINTENDÊNCIA PEDAGÓGICA DIRETORIA DE INTEGRAÇÃO EDUCACIONAL COORDENAÇÃO DE INCLUSÃO EDUCACIONAL GLOSSÁRIO

Leia mais

Isenção de impostos para Portadores de Necessidades Especiais. Informativo Ford Zevel.

Isenção de impostos para Portadores de Necessidades Especiais. Informativo Ford Zevel. Isenção de impostos para Portadores de Necessidades Especiais. Informativo Ford Zevel. Isenção de IPI As pessoas portadoras de deficiência física, visual, mental severa ou profunda, ou autistas, ainda

Leia mais

MUNICIPIODE MODELO CNPJ 83.021.832/0001-11

MUNICIPIODE MODELO CNPJ 83.021.832/0001-11 LEI MUNICIPAL Nº 2167/2014 DE 06 DE NOVEMBRO DE 2014. DISPÕE SOBRE A APROVAÇÃO DAS NORMAS PARA A EDUCAÇÃO ESPECIAL DO SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO DE MODELO SC, CONFORME ESPECIFICA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

Perguntas mais freqüentes sobre a deficiência auditiva e dúvidas mais comuns relacionadas à surdez

Perguntas mais freqüentes sobre a deficiência auditiva e dúvidas mais comuns relacionadas à surdez Texto de apoio ao Curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Perguntas mais freqüentes sobre a deficiência auditiva e dúvidas mais comuns relacionadas à surdez

Leia mais

SURDEZ NO IDOSO. Dr. Décio Gomes de Souza Prof. da Fac. de Med. da PUC

SURDEZ NO IDOSO. Dr. Décio Gomes de Souza Prof. da Fac. de Med. da PUC SURDEZ NO IDOSO www.sorocaba.pucsp.br/atn/apostilas/otorrino/index.htm www.dgsotorrinolaringologia.med.br Imagens particulares e de livros e artigos de vários autores. Dr. Décio Gomes de Souza Prof. da

Leia mais

ALUNOS COM AUTISMO NA ESCOLA: PROBLEMATIZANDO AS POLÍTICAS PÚBLICAS

ALUNOS COM AUTISMO NA ESCOLA: PROBLEMATIZANDO AS POLÍTICAS PÚBLICAS ALUNOS COM AUTISMO NA ESCOLA: PROBLEMATIZANDO AS POLÍTICAS PÚBLICAS Resumo A temática da inclusão de alunos com autismo tem merecido maior atenção, após a promulgação da Política Nacional de Educação Especial

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSÃO EDUCACIONAL TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTO

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSÃO EDUCACIONAL TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSÃO EDUCACIONAL TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTO DEFINIÇÃO Os alunos da área dos Transtornos Globais do Desenvolvimento apresentam

Leia mais

3ª Reunião com coordenadores locais/2014. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. 28 de julho de 2014

3ª Reunião com coordenadores locais/2014. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. 28 de julho de 2014 3ª Reunião com coordenadores locais/2014 Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa 28 de julho de 2014! O USO DO JOGO NO PROCESSO DE INCLUSÃO DA CRIANÇA NA PERSPECTIVA DO PACTO Profa. Valéria Barbosa

Leia mais

PREFEITURA DE MAFRA ESTADO DE SANTA CATARINA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO N. 002/2013

PREFEITURA DE MAFRA ESTADO DE SANTA CATARINA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO N. 002/2013 PREFEITURA DE MAFRA ESTADO DE SANTA CATARINA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO N. 002/2013 PROVA: CONHECIMENTOS GERAIS E ESPECÍFICOS FORMAÇÃO EM NÍVEL DE ENSINO SUPERIOR CARGO FONOAUDIÓLOGO LEIA ATENTAMENTE

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº014/08 - SUED/SEED

INSTRUÇÃO Nº014/08 - SUED/SEED INSTRUÇÃO Nº014/08 - SUED/SEED Estabelece critérios para o funcionamento da Classe Especial nas séries iniciais do Ensino Fundamental, na área dos Transtornos Globais do Desenvolvimento. A Superintendente

Leia mais

ANEXO III CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

ANEXO III CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANEXO III CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO COMUM PARA TODAS AS CATEGORIAS PROFISSIONAIS SAÚDE PÚBLICA E SAÚDE COLETIVA SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS 1. História do sistema de saúde no Brasil; 2. A saúde na

Leia mais

Telencéfalo e Núcleos da Base Funções corticais superiores

Telencéfalo e Núcleos da Base Funções corticais superiores Telencéfalo e Núcleos da Base Funções corticais superiores Funções básicas que sustentam a vida são mediadas pela medula, tronco encefálico e diencéfalo No TELENCÉFALO ocorrem os processos psicológicos

Leia mais

ANEXO XI (Retificado no DOU de 18/07/2013, Seção 1, pág 25)

ANEXO XI (Retificado no DOU de 18/07/2013, Seção 1, pág 25) ANEXO XI (Retificado no DOU de 18/07/2013, Seção 1, pág 25) MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL LAUDO DE AVALIAÇÃO AUTISMO (Transtorno Autista e Autismo Atípico) Serviço Médico/Unidade

Leia mais

CARGO: FONOAUDIÓLOGO

CARGO: FONOAUDIÓLOGO MUNICÍPIO DE MARINGÁ EDITAL Nº 010/2016 DATA DA PROVA: 15/05/2016 CARGO: FONOAUDIÓLOGO (NÍVEL SUPERIOR) Língua Portuguesa: Questões 01 a 05; Matemática: Questões 06 a 10; Informática: Questões 11 a 15;

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE FISSURAS

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE FISSURAS PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE FISSURAS Perguntas respondidas pelo Dr. Diógenes L. Rocha, cirurgião plástico, professor da Universidade de São Paulo e voluntário da Operação Sorriso. 1-O que é lábio leporino?

Leia mais

Evelise Saia Rodolpho Aluna do 10º Termo de Psicologia Prof. Mestre. Luis Santo Schicotti Ana Lígia Pini Guerreiro Psicóloga Escolar Janaína Fernanda

Evelise Saia Rodolpho Aluna do 10º Termo de Psicologia Prof. Mestre. Luis Santo Schicotti Ana Lígia Pini Guerreiro Psicóloga Escolar Janaína Fernanda Evelise Saia Rodolpho Aluna do 10º Termo de Psicologia Prof. Mestre. Luis Santo Schicotti Ana Lígia Pini Guerreiro Psicóloga Escolar Janaína Fernanda Allmeida Marques Profª da Sala de Recursos Os Transtornos

Leia mais

Autismo e Aprendizagem

Autismo e Aprendizagem Autismo e Aprendizagem O termo autismo origina-se do grego autós, que significa de si mesmo. Foi empregado pela primeira vez pelo psiquiatra suíço Bleuler, em 1911, que buscava descrever a fuga da realidade

Leia mais

Transtornos Mentais diagnosticados na infância ou na adolescência

Transtornos Mentais diagnosticados na infância ou na adolescência Pediatria do Desenvolvimento e do Comportamento Transtornos Mentais diagnosticados na infância ou na adolescência Faculdade de Ciências Médicas Prof. Orlando A. Pereira Unifenas Transtorno de Deficiência

Leia mais

Palavras-chave: criança de rua; distúrbios da comunicação; voz profissional.

Palavras-chave: criança de rua; distúrbios da comunicação; voz profissional. Distúrbios da comunicação e audição entre escolares com queixas vocais, com e sem história de situação de rua, em Aracaju, Brasil. Autor: Neuza Josina Sales, Ricardo Queiroz Gurgel. Instituição: Universidade

Leia mais

Distúrbios Miofuncionais Orofaciais na Infância

Distúrbios Miofuncionais Orofaciais na Infância Marchesan IQ. Distúrbios Miofuncionais Orofaciais na Infância. In: Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia, Tratado de Otorrinolaringologia. São Paulo: Roca; 2003. V.3 cap. 54 p.520-33. Distúrbios

Leia mais

Educação Especial. 5. O que é a Sala de Recursos Multifuncionais?

Educação Especial. 5. O que é a Sala de Recursos Multifuncionais? Educação Especial 1. Qual a definição de pessoa com deficiência? De acordo com a ONU, pessoa com deficiência é aquela que tem impedimentos de natureza física, intelectual ou sensorial, os quais, em interação

Leia mais

A importância da audição e da linguagem

A importância da audição e da linguagem A importância da audição e da linguagem A linguagem não é apenas uma função entre muitas[...] mas uma característica muito difusa do indivíduo, a tal ponto que ele se torna um organismo verbal.(joseph

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS EFETIVOS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAPIRAMA/PR

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS EFETIVOS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAPIRAMA/PR CADERNO DE PROVA Nº. DE INSCRIÇÃO DO(A) CANDIDATO(A) Domingo, 25 de março de 2012. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 ANTES DE

Leia mais

Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiência

Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiência Dicas de relacionamento com as pessoas com deficiência Respeito à Diversidade Devemos respeitar as pessoas exatamente como elas são. O respeito à diversidade humana é o primeiro passo para construirmos

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA RESOLUÇÃO CFFa nº 320, de 17 de fevereiro de 2006 Dispõe sobre as especialidades reconhecidas pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia, e dá outras providências. O Conselho Federal de Fonoaudiologia - CFFa,

Leia mais

Dificuldades de aprendizagem

Dificuldades de aprendizagem Dificuldades de aprendizagem Dificuldades versus distúrbios Dificuldades escolares ou de aprendizagem Origem externa: no ambiente e no outro. Distúrbios/transtornos Origem interna: disfunção do Sistema

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE TOMAZINA FONOAUDIÓLOGO

CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE TOMAZINA FONOAUDIÓLOGO CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE TOMAZINA FONOAUDIÓLOGO Candidato: inscrição - nome do candidato Curso: código - nome / turno - cidade Língua Estrangeira: nome da língua Cotista: Cotista Local

Leia mais

MELHORA NO PADRÃO DE TONICIDADE MUSCULAR DE PACIENTES COM SÍNDROME DE DOWN ESTIMULADOS PRECOCEMENTE

MELHORA NO PADRÃO DE TONICIDADE MUSCULAR DE PACIENTES COM SÍNDROME DE DOWN ESTIMULADOS PRECOCEMENTE MELHORA NO PADRÃO DE TONICIDADE MUSCULAR DE PACIENTES COM SÍNDROME DE DOWN ESTIMULADOS PRECOCEMENTE Karla Larissa Vas Estero 1, Lizzie Ramos Moretti 1, Luciana Manzotti de Marchi 2, Maria Paula Jacobucci

Leia mais

ELEMENTOS ESSENCIAIS DIAGNÓSTICO. Prof. Hélio Almeida de Moraes.

ELEMENTOS ESSENCIAIS DIAGNÓSTICO. Prof. Hélio Almeida de Moraes. ELEMENTOS ESSENCIAIS DE DIAGNÓSTICO Prof. Hélio Almeida de Moraes. ÍNDICE INTRODUÇÃO 1 Documentação do Paciente: 2 1- Ficha Clínica:- 2 A- Identificação: 2 B- Anamnese: 3 História da Família 3 História

Leia mais