FEVEREIRO 2017 FEVEREIRO/2017 CONJUNTURA DO SETOR AÉREO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES, PORTOS E AVIAÇÃO CIVIL 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FEVEREIRO 2017 FEVEREIRO/2017 CONJUNTURA DO SETOR AÉREO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES, PORTOS E AVIAÇÃO CIVIL 1"

Transcrição

1 FEVEREIRO FEVEREIRO/ CONJUNTURA DO SETOR AÉREO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES, PORTOS E AVIAÇÃO CIVIL 1

2 CONJUNTURA DO SETOR AÉREO SUMÁRIO RESUMO 3 MOVIMENTAÇÃO DE PASSAGEIROS 4 MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS 7 COMPANHIAS AÉREAS 9 FATOS RELEVANTES 13

3 FEVEREIRO RESUMO MÊS DE EIRO Janeiro mantém a tendência de baixa e registra uma retração de 4,13% na movimentação de passageiros pagantes em relação ao mesmo mês do ano anterior. MOVIMENTAÇÃO DE PASSAGEIROS Quatro dos dez maiores aeroportos em movimentação de passageiros apresentaram crescimento desse índice em relação a janeiro de. TAXA DE OCUPAÇÃO A taxa de ocupação das aeronaves registrou mais um avanço, alcançando 84,24% em janeiro de. ROTAS Apenas três das dez maiores rotas registraram incremento no número de passageiros na comparação entre janeiro de e janeiro de. O ano de se inicia com crescimento no transporte de passageiros no comparativo mensal entre dezembro de e janeiro de em função do fluxo sazonal tradicionalmente observado nos períodos de final e início de ano. No Gráfico 1, é possível observar um breve descolamento, ocasionado pela sazonalidade na movimentação de passageiros (PAX) no mês de janeiro representada pela movimentação de passageiros no mercado doméstico e o índice de atividade econômica do Banco Central (IBC-Br). A queda na atividade econômica, ainda que exista uma perspectiva de melhora para o ano de, continua impactando negativamente o transporte de passageiros, reduzindo o nível da série de dados e refletindo mais uma queda de 4,13% na comparação com o mesmo período em. Milhões de passageiros PAX doméstico IBC-Br IBC-Br FEV MAR ABR JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ 131 Gráfico 1: Movimentação de passageiros em voos domésticos vs IBC-BR. Fonte: ANAC (); BCB (). Elaboração: LabTrans/UFSC () 3

4 CONJUNTURA DO SETOR AÉREO MOVIMENTAÇÃO DE PASSAGEIROS A movimentação total de passageiros nos aeroportos brasileiros apresentou queda de 4,11% em janeiro de na comparação com o mesmo período de. O ano de iniciou-se mantendo a tendência do ano de, que registrou em todos os meses movimentações um patamar abaixo das de, como mostra o Gráfico 2: Milhões de passageiros FEV/ - / FEV/ - / FEV MAR ABR JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ FEV MAR ABR JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Gráfico 2: Acima, movimentação acumulada de passageiros nos aeroportos brasileiros -. Abaixo, movimentação mensal de passageiros nos aeroportos brasileiros - Fonte: MTPA (). Elaboração: LabTrans/UFSC () 4

5 FEVEREIRO Como pode ser observado na série histórica do Gráfico 3, o mês de janeiro de apresentou a segunda queda consecutiva na movimentação de passageiros. O comparativo dos meses de janeiro de e de aponta uma continuidade do cenário de dificuldade de demanda, visto que esse mês é tradicionalmente de maior demanda para o setor. Milhões de passageiros % 25% 20% 15% 10% % 0% -5% % Movimentação mensal de passageiros Variação percentual da movimentação de passageiros Gráfico 3: Evolução e variação anual da movimentação de passageiros nos aeroportos brasileiros. Comparativo entre os meses de janeiro Fonte: MTPA (). Elaboração: LabTrans/UFSC () No mercado doméstico, a oferta de assentos (ASK) retraiu 3,15% em relação a janeiro de, enquanto a demanda (RPK), retraiu de forma menos aguda, caindo 1,79%. Bilhões de RPK e ASK RPK ASK 6 Em concordância com os dados anteriores, janeiro de registrou uma queda no número de passageiros pagantes de 4,13% com relação ao mesmo período do ano anterior. Percebese, assim, que ainda persiste o desempenho registrado ao longo do ano de. 4 2 Novembro Dezembro Janeiro Gráfico 4: Acima, RPK e ASK comparativo dos meses de janeiro de -. Abaixo, taxa de ocupação nos voos domésticos comparativo dos três últimos meses disponíveis (Brasil). Fonte: ANAC (). Elaboração: LabTrans/UFSC () 74% 76% 78% 80% 82% 84% 86% 5

6 CONJUNTURA DO SETOR AÉREO Com queda mais acentuada da oferta com relação à demanda, a taxa de ocupação das aeronaves mostrou novamente evolução na comparação entre janeiro de e, subindo de 83,08% para 84,24%. Isso demonstra continuidade da estratégia de adequação das companhias aéreas ao cenário de retração de demanda e reposicionamento das empresas Das dez maiores origens e Santos Dumont (RJ) Congonhas (SP) 2,5% destinos, três apresentaram crescimento quando comparadas com janeiro passado, como Congonhas (SP) Santos Dumont (RJ) Salvador (BA) Guarulhos (SP) Guarulhos (SP) Salvador (BA) Congonhas (SP) Brasília (DF) Recife (PE) Guarulhos (SP) -15,8% -13,3% -4,2% -11,1% 2,2% pode ser visto no Gráfico 5. Fazse um destaque para a queda registrada nas rotas com origem ou destino em Salvador (BA), que tradicionalmente atrai turistas durante o período de férias, Brasília (DF) Congonhas (SP) Guarulhos (SP) Recife (PE) Porto Alegre (RS) Guarulhos (SP) Confins (MG) Congonhas (SP) -11,5% -10,3% -13,3% 11,6% Milhares de passageiros Gráfico 5: Principais rotas nacionais comparativo dos meses de janeiro em vs. Fonte: ANAC (), elaborado por LabTrans/UFSC () entre dezembro e fevereiro. Porto Alegre/RS -4,5% Já as rotas internacionais operadas por companhias aéreas Recife/PE Salvador/BA Rio de Janeiro/RJ 0,3% -16,1% 3,2% brasileiras tiveram acréscimo no número de passageiros pagantes, Campinas/SP Confins/MG Brasília/DF 0,2% -6,4% -17,7% com 784 mil em janeiro de contra 743 mil em, ou seja, Rio de Janeiro/RJ - Galeão São Paulo/SP Guarulhos/SP -0,4% 12,8% -5,5% crescimento aproximado de 5,5% Milhares de passageiros O bom desempenho na movimentação de passageiros Gráfico 6: Dez maiores movimentações nos aeroportos brasileiros e sua variação percentual. Comparativo entre os meses de janeiro - Fonte: ANAC (), elaborado por LabTrans/UFSC () em voos internacionais se deve à vinda de estrangeiros para o Brasil para o período de verão. Além disso, a taxa de câmbio permanece favorável a turistas estrangeiros que ingressam no País, o que ajuda a aumentar a atratividade de viagens com destino ao Brasil. Cabo Frio/RJ Foz do Iguaçu/PR Maringá/PR Passo fundo/rs Araxá/MG Coari/AM Dourados/MS Petrolina/PE Altamira/PA Feira de Santana/BA Rondonópolis/MT São Gabriel da Cachoeira/AM Parnaíba/PI Rio verde/go Araguaína/TO Jaguaruna/SC Itaituba/PA Eirunepé/AM Belo Horizonte/MG Valença/BA -80% -70% -60% -50% -40% -30% -20% -10% 0% 0% 50% 100% 150% 200% Gráfico 7: Dez maiores variações em movimentação de passageiros nos aeroportos brasileiros. À esquerda, as maiores variações negativas e, à direita, as maiores variações positivas. Comparativo entre os meses de janeiro Fonte: MTPA (). Elaboração: LabTrans/UFSC () 6

7 FEVEREIRO MOVIMENTAÇÃO DE CARGA Para o transporte de carga, o mês de janeiro de registrou crescimento de 6,56% com relação a janeiro do ano anterior, movimentando 79,5 mil toneladas, considerando o transporte doméstico e internacional. O crescimento registrado se deve à base de comparação, visto que a movimentação em janeiro de foi de 74,4 mil toneladas, enquanto em janeiro dos anos de e esse valor se situou entre 83 e 85 mil toneladas, respectivamente. Por outro lado, o resultado é um bom indicativo de um possível início de uma retomada da atividade econômica, endossado por indicadores da Confederação Nacional das Indústrias (CNI) que apontam para uma redução da capacidade ociosa da indústria em 0,2% no comparativo com janeiro de. Bilhões de RTK e ATK RTK ATK Novembro 4,5 Dezembro Janeiro 4 3,5 3,5 2,5 2,0 1,5 1,0 0,5-50% 51% 52% 53% 54% 55% 56% 57% 58% Gráfico 8: À esquerda, ATK e RTK - comparativo dos meses de janeiro -. À direita, aproveitamento geral doméstico e internacional - comparativo dos três útimos meses disponíveis Fonte: ANAC (). Elaboração: LabTrans/UFSC () Percebe-se no Gráfico 8 que, em, houve queda na oferta de tonelada por quilômetro (ATK) e na receita de tonelada por quilômetro (RTK), registrando-se quedas de 3,23% e 1,45%, respectivamente. A taxa de aproveitamento geral das aeronaves cresceu 1,83%, comparando-se janeiro de e janeiro de, alcançando a marca de 55,2%, frente aos 54,2% de ocupação anteriores. Do ponto de vista exclusivo do mercado interno, as taxas de aproveitamento se situam na casa dos 69,51%, patamar mais favorável e viável para a operação das companhias aéreas. 7

8 CONJUNTURA DO SETOR AÉREO Essa taxa de ocupação significa uma melhora na comparação dos meses de janeiro de e, com incremento de 3,52% no aproveitamento. Frankfurt (ALE) Guarulhos (SP) Miami (EUA) Guarulhos (SP) Luxemburgo (LUX) Campinas (SP) Campinas (SP) Miami (EUA) 76,5% 41,3% 31,4% 28,8% Santiago (CHI) Guarulhos (SP) -38,8% Guarulhos (SP) Miami (EUA) -23,5% Miami (EUA) Manaus (AM) Manaus (AM) Guarulhos (SP) 57,7% -3,6% Guarulhos (SP) Manaus (AM) 10,1% Miami (EUA) Campinas (SP) 26,5% Gráfico 9: Movimentação de cargas (t) por rota - vs. Fonte: ANAC (), elaborado por LabTrans/UFSC O crescimento registrado entre esses meses fica evidente na grande volatilidade no número de toneladas transportadas nas dez maiores rotas de transporte de carga doméstica e internacional, ainda que com valores negativos expressivos, registrando uma variação média de 33,8%. Janeiro/ Janeiro/ Confins/MG Salvador/BA Fortaleza/CE Recife/PE São Paulo/SP Brasília/DF Rio de Janeiro/RJ - Galeão Manaus/AM -20,8% 8,3% 0,6% -2,3% 26,8% 0,8% 8,1% 16,5% Campinas/SP 28,7% Guarulhos/SP 2,8% Gráfico 10: Movimentação de cargas (t) e variação percentual jan/ vs. jan/ Fonte: ANAC (), elaborado por LabTrans/UFSC 8

9 FEVEREIRO COMPANHIAS AÉREAS Das quatro maiores companhias do transporte aéreo brasileiro, Avianca e Azul obtiveram crescimento no transporte de passageiros pagantes no comparativo de janeiro de e, apresentando um aumento de 14,69% e 8,05%, respectivamente. Por outro lado, Gol e Latam viram esse número encolher 7,16% e 11,11%, respectivamente. Os dados do mês de janeiro refletem diretamente na variação da participação das companhias. Latam Gol Azul Avianca 25% 22% 18% 12% 31% Gol Latam Azul Avianca Outras (0%) 20% 15% 10% 5% 0% 1% 6% 39% -5% -10% -9% -15% Gráfico 11: À esquerda, participação das empresas aéreas no mercado brasileiro jan/. À direita, variação da participação jan/ vs. jan/ Fonte: ANAC (). Elaboração: LabTrans/UFSC () Ambas as companhias que apresentaram o maior crescimento, Avianca e Azul, registraram a maior variação na participação no comparativo de janeiro, enquanto a Gol, mesmo que com queda na movimentação com relação a janeiro do ano passado, também registrou um leve crescimento na participação. Por outro lado, a Latam, além de enfrentar uma queda significativa na movimentação de passageiros, registrou uma queda na participação de mercado na ordem de 9%. Como forma de acompanhar a produtividade da frota, é possível observar na Tabela 1 a taxa de aproveitamento das principais companhias, bem como a utilização média diária das aeronaves. 9

10 CONJUNTURA DO SETOR AÉREO Companhia Aproveitamento Novembro Dezembro Janeiro Utilização média diária da frota Latam 84% 84% 85% 9,48 h/d Gol 78% 79% 83% 12,38 h/d Azul 82% 81% 83% 10,40 h/d Avianca 84% 85% 88% 11,73 h/d Tabela 1: Aproveitamento das aeronaves (% ocupação mensal) e utilização média diária da frota (h/d) por companhia aérea em jan/. Fonte:ANAC (). Elaboração: LabTrans/UFSC (). De maneira geral, as companhias aéreas se em um nível adequado para a eficiência brasileiras mantêm níveis próximos de operacional: os dados do mês de janeiro foram utilização média diária da frota de forma positivos para todas as empresas, registrando a maximizar a utilidade das aeronaves. A aumentos na taxa de ocupação, o que fez com utilização média diária da frota se traduz em que as quatro principais companhias aéreas de uma estimativa de quantas horas em média transporte de passageiros no Brasil tivessem uma aeronave de determinada empresa se ocupação superior a 80%. mantém em voo, baseado nos registros de horas de voo da Agência Nacional de Aviação O consumo de combustível registrou queda de Civil (ANAC). 13,19% em janeiro de, em relação ao mesmo mês do ano anterior. O valor se dá em função da Acompanhado da utilização média da frota retração da oferta, conforme citado anteriormente, está o aproveitamento das aeronaves por e pela busca constante de maior eficiência por parte de cada empresa. Os números das parte das companhias aéreas. Se desagregarmos principais empresas brasileiras encontram- os dados por companhia, somente a Avianca registrou um crescimento Taxa de câmbio (R$/US$) Preço do galão (US$) 4,5 1,6 1,5 4 1,4 1,3 3,5 1,2 3 1,1 no consumo de combustível, por conta de estar em um processo de expansão no mercado brasileiro, evidenciado pelos dados de participação do mercado. 2,5 1 0,9 2 0,8 DEZ FEV MAR ABR JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ Taxa de câmbio (R$ x US$) Preço galão combustível da aviação (US$) Gráfico 12: Taxa de câmbio (R$ e US$) e preço do combustível da aviação (US$ por galão) Fonte: BCB (); U.S. Energy Information Administration (). Elaboração: LabTrans/UFSC () 10

11 FEVEREIRO A taxa de câmbio continua trazendo um alívio para os custos das companhias (Gráfico 12), registrando queda de 21% em relação ao mesmo mês de, a qual impacta positivamente um dos principais componentes de custos das empresas: o combustível. Por outro lado, o preço do combustível registou alta de 63% com relação a janeiro de. Cabe ressaltar que a base de comparação de janeiro é sobre um valor que não se via nesse mercado desde 2004 e, portanto, o valor expressivo é um cenário atípico. Porém, a perspectiva de preços para o querosene de aviação é de mais crescimento no preço, devido aos cortes na produção de petróleo anunciados pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), ainda em. Com isso, a melhora cambial que vem ocorrendo tem seu efeito reduzido e, portanto, as empresas podem enfrentar algumas dificuldades em suas margens operacionais / / 13% 23% % Nacionais Regionais Internacionais NOV DEZ Gráfico 13: À esquerda, participação da natureza de operação registrada no HOTRAN de 31/01/. Á direita, variação da quantidade de voos autorizados por natureza de operação no HOTRAN 30/11/ a 31/01/ vs. 30/11/ a 31/01/ Fonte: ANAC (), elaborado por LabTrans/UFSC O acompanhamento do Horário de Transportes (HOTRAN), documento que registra e autoriza as concessões para a exploração de linhas aéreas pelas empresas de transporte aéreo, horários, números de voos, frequências, tipos de aeronaves e oferta de assentos, registrou aumento de 0,53% entre dezembro de e janeiro de, considerando voos vigentes comerciais de passageiros. Na comparação entre com o mesmo mês de e novembro e dezembro de com os mesmos meses de (Gráfico 13, à direita), fica visível o menor patamar encontrado no ano mais recente. Apesar disso, observa-se uma diminuição da intensidade da queda nos últimos meses de e um leve crescimento em janeiro de, podendo indicar uma inflexão da trajetória para os próximos meses. Os voos autorizados no HOTRAN, assim como os preços de combustíveis e taxa de câmbio, como também o IBC-Br e indicadores de empregabilidade, podem ser vistos como indicadores antecedentes. Tais indicadores mostram que, apesar de vista uma retração em e os dados atuais não darem sinais conjuntos de uma mudança de cenário, há perspectivas positivas para o setor aéreo em, ainda que de forma lenta, devido à expectativa de volta do crescimento econômico. 11

12 CONJUNTURA DO SETOR AÉREO Contudo, os primeiros resultados do setor quanto à empregabilidade, endossado pela queda na movimentação e na oferta (ASK), vêm demonstrando um início de ano ainda difícil para o setor. No mês de janeiro foram registradas mais demissões do que contratações nas três modalidades de transporte aéreo (transporte regular de passageiros, táxi aéreo e transporte de carga). Os três subsetores registraram um saldo negativo de 330 postos de trabalho, sendo o transporte regular de passageiros responsável por 264, táxi aéreo 61 e transporte de cargas por 5 postos de trabalho. Em comparação com janeiro de, também houve piora. No mesmo mês do ano passado o saldo negativo registrado foi de 171 postos de trabalho nas três modalidades, sendo novamente o transporte regular de passageiros responsável pelo maior montante, com menos 92 postos de trabalho, taxi aéreo registrando queda de 66 e transporte de cargas com queda de 13 postos de trabalho. Saldo de postos de trabalho Transporte regular de passageiros Táxi aéreo Transporte de carga DEZ OUT 2009 MAR 2010 AGO JUN 2011 NOV 2011 ABR 2012 SET 2012 FEV 2013 JUL 2013 DEZ 2013 OUT MAR AGO JUN NOV Número de empregos (transporte regular de passageiros) Número de empregos (táxi aéreo e transporte de carga) , , , , , , , , , , , , , SET SET SET 2013 SET 1.000,00 Transporte regular de passageiros Táxi aéreo Transporte de carga Gráfico 14: Acima, postos de trabalho por setor do transporte aéreo (saldo de 12 meses). Abaixo, número de empregos por setor do transporte aéreo. Fonte: MTE (). Elaboração: LabTrans/UFSC () 12

13 FEVEREIRO FATOS RELEVANTES * O marco relevante do mês de março é o leilão de concessão de quatro aeroportos brasileiros. Os aeroportos de Porto Alegre, Florianópolis, Salvador e Fortaleza foram concedidos à iniciativa privada no dia 16 de março, ocorrido na Bolsa de Valores de São Paulo (BM&F Bovespa) (ANAC, ). Juntos, os aeroportos arrematados são responsáveis por 12% da movimentação de passageiros nos aeroportos brasileiros. Além da importante representatividade na movimentação de passageiros, três dos quatro aeroportos concedidos Porto Alegre, Salvador e Fortaleza são vistos para o mercado como potenciais hubs nacionais e internacionais, aumentando a atratividade do investimento. Os vencedores do leilão foram grandes companhias europeias que já administram outros aeroportos pelo mundo: a alemã Fraport AG Frankfurt Airport Services arrematou os aeroportos de Porto Alegre e Fortaleza por R$290,512 milhões e R$425 milhões, respectivamente; a francesa Vinci Airports arrematou o aeroporto internacional de Salvador por R$660,9 milhões; e a suíça Zurich International Airport AG arrematou o aeroporto de Florianópolis por R$83,3 milhões. Para o governo, a arrecadação com as concessões foi de 3,7 bilhões, 23% maior que o valor inicial esperado de R$3 bilhões (VALOR ECONÔMICO, ). As concessionárias terão 30 anos para administrar os aeroportos, com exceção do aeroporto de Porto Alegre, que terá concessão de 25 anos (ANAC, ). * Contrário ao processo de elaboração da análise da conjuntura, que depende de dados temporais, divulgados com defasagem, busca-se na análise dos fatos relevantes discorrer sobre os dados mais atuais possíveis até o fechamento da edição. 13

14 A análise da conjuntura do setor aéreo brasileiro é um produto mensal de acompanhamento do mercado de aviação. O documento é dividido em: movimentação de passageiros, movimentação de cargas, companhias aéreas, indicadores antecedentes para o mercado e fatos relevantes para o setor. A elaboração e análise são de autoria da equipe do Laboratório de Transportes e Logística da Universidade Federal de Santa Catarina (LabTrans/UFSC), em parceria com a Secretaria Nacional de Aviação Civil do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil (SAC/MTPA). As interpretações dos dados e análises são de inteira responsabilidade do leitor. Mais informações sobre as fontes e análises dos dados se encontram nas notas metodológicas deste documento. REFERÊNCIAS AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL (ANAC). Base de Dados Estatísticos do Transporte Aéreo.. Disponível em: <www.anac.gov.br/assuntos/setor-regulado/ empresas/envio-de-informacoes/base-de-dados-estatisticos-do-transporte-aereo/>. Acesso em: 6 mar.. MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO (MTE). Cadastro Geral de Empregados e Desempregados.. Disponível em: <mte.gov.br>. Acesso em: 15 mar.. MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES, PORTOS E AVIAÇÃO CIVIL (MTPA). Secretaria de Aviação Civil (SAC). Laboratório de Transportes e Logística da Universidade Federal de Santa Catarina (LabTrans/UFSC). Sistema Hórus. [S.l]: SAC/LabTrans.. ANAC aprova edital dos aeroportos e leilão será realizado no dia 16 de março de : Outorga mínima dos quatro terminais será de R$ 3,01 bilhões Última atualização: 21 mar.. Disponível em: <horus.labtrans.ufsc.br>. Acesso em: 10 mar.. e os investimentos são estimados em R$ 6,613 bilhões; leilão ocorrerá na Bolsa de Valores de São Paulo.. Disponível em: <http://www.aviacao.gov.br/ noticias//11/anac-aprova-edital-dos-aeroportos-e-leilao-sera-realizado-nodia-16-de-marco-de->. Acesso em: 20 fev. U.S. ENERGY INFORMATION ADMINISTRATION. U.S. Gulf Coast Kerosene-Type Jet Fuel Spot Price FOB (Dollars per Gallon).. Disponível em: <https://www.eia.gov/ dnav/pet/hist/leafhandler.ashx?n=pet&s=eer_epjk_pf4_rgc_dpg&f=d>. Acesso em: 13 fev. BANCO CENTRAL DO BRASIL (BCB). Sistema Gerenciador de Séries Temporais.. Disponível em: <www.bcb.gov.br/sgspub/localizarseries/localizarseries. do?method=preparartelalocalizarseries>. Acesso em: 10 mar.. VALOR ECONÔMICO. Aeroportos são leiloados com ágio de 93,6%.. Disponível em: <http://www.valor.com.br/empresas/ /aeroportos-sao-leiloados-comagio-de-936>. Acesso em: 17 mar.. CONFEDERAÇÃO NACIONAL DAS INDÚSTRIAS (CNI). Indicadores Industriais: Indústria sem sinais claros de recuperação.. Disponível em: <http://www. portaldaindustria.com.br/publicacoes/>. Acesso em: 2 mar..

15 FEVEREIRO CONJUNTURA DO SETOR AÉREO FEVEREIRO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES, PORTOS E AVIAÇÃO CIVIL 15

Apresentação de resultados 3T15 - IMPRENSA 12 de novembro de 2015

Apresentação de resultados 3T15 - IMPRENSA 12 de novembro de 2015 Apresentação de resultados 3T15 - IMPRENSA 12 de novembro de 2015 Destaques do 3T15 12 de novembro de 2015 Paulo Kakinoff CEO Atual conjuntura econômica tem impactos diretos sobre o setor de aviação Desvalorização

Leia mais

MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA São Paulo 211 Conteúdo INTRODUÇÃO... 3 1. MOVIMENTAÇÃO NACIONAL DO EMPREGO NO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA

Leia mais

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA CANCELAMENTOS E ATRASOS DE VOOS

SECRETARIA DA JUSTIÇA E DA DEFESA DA CIDADANIA CANCELAMENTOS E ATRASOS DE VOOS CANCELAMENTOS E ATRASOS DE VOOS A ANAC - Agência Nacional de Regulação Civil publicou em 06 de março de 2012 a Resolução nº 218 que estabelece procedimentos para a divulgação de percentuais de atrasos

Leia mais

INDX apresenta alta de 2,67% em março

INDX apresenta alta de 2,67% em março INDX apresenta alta de 2,67% em março Dados de Março/11 Número 51 São Paulo O Índice do Setor Industrial (INDX), composto pelas ações mais representativas do segmento, encerrou o mês de março de 2010,

Leia mais

RELATÓRIO TRIMESTRAL VARIG SETEMBRO DE 2000

RELATÓRIO TRIMESTRAL VARIG SETEMBRO DE 2000 RELATÓRIO TRIMESTRAL VARIG SETEMBRO DE 2000 Relatório Trimestral 30 de Setembro de 2000 Clique no botão para ver os destaques: Senhores Acionistas: Apresentamos o Balanço Patrimonial e a Demonstração de

Leia mais

2 O Sistema Aeroportuário Brasileiro

2 O Sistema Aeroportuário Brasileiro 18 2 O Sistema Aeroportuário Brasileiro O Sistema Aeroportuário Brasileiro é disciplinado pela Lei nº 7.565/86, que dispõe sobre o Código Brasileiro de Aeronáutica (CBDA) e traz a seguinte definição: Aeroportos:

Leia mais

Sondagem Industrial do RN: Indústrias Extrativas e de Transformação

Sondagem Industrial do RN: Indústrias Extrativas e de Transformação Atividade industrial potiguar volta a crescer em maio RESUMO E COMENTÁRIOS A Sondagem das indústrias Extrativas e de do Rio Grande do Norte, elaborada pela FIERN, mostra que, em maio, o nível de produção

Leia mais

Mudanças no Setor Aéreo: Novas Concessões e Resoluções

Mudanças no Setor Aéreo: Novas Concessões e Resoluções Mudanças no Setor Aéreo: Novas Concessões e Resoluções Infraero: Reestruturação Societária Workshop de Logística e Transportes da Fiesp 24 de Maio de 2016 Agenda 1. Institucional 2. Efeitos das concessões

Leia mais

Mercado de trabalho enfrentou cenário difícil durante todo o ano de 2015

Mercado de trabalho enfrentou cenário difícil durante todo o ano de 2015 Mercado de trabalho enfrentou cenário difícil durante todo o ano de 2015 Neste edição especial do boletim Mercado de trabalho do CEPER-FUNDACE, serão comparados dados do Cadastro Geral de Empregados e

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS FEVEREIRO/2016 Resumo de desempenho Fevereiro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No bimestre mês

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P A G O S T O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S Poupança SBPE Captação Líquida: - R$ 3,5 bilhões Saldo: R$ 495,4 bilhões Financiamentos

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS JANEIRO/2016 Resumo de desempenho Janeiro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês/Ano mês anterior

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS MARÇO/2015 O que mudamos? No mercado interno: A revisão concluída pelo DCEE, que acompanhou as recentes alterações metodológicas

Leia mais

Nova queda do PIB não surpreende mercado

Nova queda do PIB não surpreende mercado Nova queda do PIB não surpreende mercado Os dados do Produto Interno Bruto (PIB) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE) nesta primeira semana de março mostram a tendência

Leia mais

A GRU Airport anuncia EBITDA ajustado de R$ 218,2 milhões com margem de 55,3% no 2T16.

A GRU Airport anuncia EBITDA ajustado de R$ 218,2 milhões com margem de 55,3% no 2T16. A GRU Airport anuncia EBITDA ajustado de R$ 218,2 milhões com margem de 55,3% no 2T16. São Paulo, 10 de agosto de 2016 As informações trimestrais (2TR) e as demonstrações financeiras padronizadas (DFP)

Leia mais

EMPREGO E RENDA 2003 UM ANO DE DESEMPREGO E DE QUEDA ACENTUADA DO RENDIMENTO NOS GRANDES CENTROS URBANOS

EMPREGO E RENDA 2003 UM ANO DE DESEMPREGO E DE QUEDA ACENTUADA DO RENDIMENTO NOS GRANDES CENTROS URBANOS EMPREGO E RENDA 2003 UM ANO DE DESEMPREGO E DE QUEDA ACENTUADA DO RENDIMENTO NOS GRANDES CENTROS URBANOS Em dezembro, a pesquisa de emprego do IBGE registrou uma taxa de desocupação de 10,9%. Como é normal

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P M A I O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S São Paulo, 28 de junho de 2016 Em maio, crédito imobiliário somou R$ 3,9 bilhões Poupança

Leia mais

Informativo Mensal de Emprego CAGED. nº 10, outubro de 2012

Informativo Mensal de Emprego CAGED. nº 10, outubro de 2012 SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO SST DIRETORIA DE TRABALHO E EMPREGO SETOR DE INFORMAÇÃO E ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO Informativo Mensal de Emprego CAGED nº 10, outubro

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS JULHO/2015 Resumo de desempenho ho 2015 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre mês mês do ano ano Mês No ano

Leia mais

CRÉDITO INDUSTRIAL, TAXA DE JUROS E SPREAD BANCÁRIO O PRIMEIRO SEMESTRE DE 2002

CRÉDITO INDUSTRIAL, TAXA DE JUROS E SPREAD BANCÁRIO O PRIMEIRO SEMESTRE DE 2002 CRÉDITO INDUSTRIAL, TAXA DE JUROS E SPREAD BANCÁRIO O PRIMEIRO SEMESTRE DE 22 Os últimos dados sobre a evolução do crédito no Brasil mostram que o crédito no país continua caro, escasso e de prazo reduzido.

Leia mais

Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella

Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella Cenário Setor Aéreo Brasileiro Ministro Maurício Quintella A associação foi criada em 2012 2 Princípios ABEAR Padrões Internacionais Estado Eficiente Liberdade Tarifária 3 + 2002 2015 4 Fontes: OACI, ANAC,

Leia mais

Criação de emprego - Brasil. Acumulado julho- 12 a junho-13

Criação de emprego - Brasil. Acumulado julho- 12 a junho-13 Primeiro semestre 2014 tem o pior saldo criação novos postos trabalho s 2009. Efeito Copa não amenizou os resultados negativos sobre o emprego De acordo com os dados do Cadastro Geral Empregados e Desempregados

Leia mais

Apresentação de resultados do terceiro trimestre de de novembro de 2015

Apresentação de resultados do terceiro trimestre de de novembro de 2015 Apresentação de resultados do terceiro trimestre de 2015 12 de novembro de 2015 Destaques do 3T15 12 de novembro de 2015 Paulo Kakinoff CEO Atual conjuntura econômica tem impactos diretos sobre o setor

Leia mais

Análise de Mercado. Transporte Aéreo Internacional BRASIL ESTADOS UNIDOS

Análise de Mercado. Transporte Aéreo Internacional BRASIL ESTADOS UNIDOS Análise de Mercado Transporte Aéreo Internacional BRASIL ESTADOS UNIDOS SRI - Superintendência de Relações Internacionais GAMI Gerência de Análise de Mercados Internacionais Última atualização: 10 de dezembro

Leia mais

Press Release 28 de Março de 2008

Press Release 28 de Março de 2008 GOL Atualiza Projeções para Investidores São Paulo, 28 de março de 2008 A GOL Linhas Aéreas Inteligentes S.A. (Bovespa: GOLL4 e NYSE: GOL), controladora das companhias aéreas brasileiras GOL Transportes

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P D E Z E M B R O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S Poupança SBPE Captação Líquida: R$ 9,0 bilhões Saldo: R$ 516,0 bilhões Financiamentos

Leia mais

@aviacaocivil

@aviacaocivil www.aviacaocivil.gov.br faleconosco@aviacaocivil.gov.br /AviacaoGovBr @aviacaogovbr @AviacaoGovBr @aviacaocivil Arranjo Institucional Março PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Formular, coordenar e supervisionar

Leia mais

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Diretoria Adjunta de Análise e Disseminação de Informações Gerência de Indicadores Econômicos Em fevereiro de 2016, no acumulado de 12 meses,

Leia mais

Mercado de Aviação Brasileiro Momento Atual

Mercado de Aviação Brasileiro Momento Atual Mercado de Aviação Brasileiro Momento Atual Momento Atual da Indústria Nacional 1 2 3 4 O setor de aviação nacional que hoje transporta mais passageiros do que ônibus atravessa um momento desfavorável

Leia mais

O desempenho dos principais indicadores da economia brasileira em 2008

O desempenho dos principais indicadores da economia brasileira em 2008 NIVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA O desempenho dos principais indicadores da economia brasileira em 2008 Guilherme R. S. Souza e Silva * RESUMO - O presente artigo tem o objetivo de apresentar

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS OUTUBRO/2014 Consumo aparente mensal R$ bilhões constantes* Mês corrente / Mês anterior = 5,3% Mês ano corrente / Mês do ano anterior

Leia mais

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO FEVEREIRO DE Eego industrial FEVEREIRO DE 2013

EMPREGO INDUSTRIAL SUMÁRIO EXECUTIVO EMPREGO FEVEREIRO DE Eego industrial FEVEREIRO DE 2013 EMPREGO INDUSTRIAL FEVEREIRO DE 2013 FEVEREIRO DE 2013 Eego industrial SUMÁRIO EXECUTIVO O número de assalariados com carteira assinada da indústria de transformação catarinense cresceu 1,50% em fevereiro

Leia mais

Mensagem da Administração

Mensagem da Administração Mensagem da Administração A atual conjuntura econômica do país, com avanço da inflação, restrição ao crédito, e sobretudo a forte desvalorização do real, tem impactos diretos sobre o setor de aviação comercial

Leia mais

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA A evolução dos principais indicadores econômicos do Brasil em 2007

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA A evolução dos principais indicadores econômicos do Brasil em 2007 NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA A evolução dos principais indicadores econômicos do Brasil em 2007 Guilherme R. S. Souza e Silva * Introdução Este artigo pretende apresentar e discutir

Leia mais

TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS

TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS MAIO DE 2016 1 PRODUTOS 2 O objetivo do transporte aéreo é fornecer o serviço de transporte de cargas e passageiros.

Leia mais

Impactos Macroeconômicos da Indústria de Petróleo Prof.: Marcelo Colomer

Impactos Macroeconômicos da Indústria de Petróleo Prof.: Marcelo Colomer Impactos Macroeconômicos da Indústria de Petróleo Prof.: Marcelo Colomer GEE - UFRJ Milhões de Reais Importância do Setor de Petróleo na Economia Brasileira (I) Desde de 2006 os investimentos na indústria

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS OUTUBRO/2016 Resumo de desempenho Outubro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No ano mês anterior

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS AGOSTO/2016 Resumo de desempenho Agosto 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No ano mês anterior

Leia mais

Maior desaceleração e alerta para inadimplência

Maior desaceleração e alerta para inadimplência jan/11 jul/11 jan/11 jul/11 Maior desaceleração e alerta para inadimplência O crescimento do crédito total do SFN em 12 meses desacelerou 0,7 p.p. em abril, fechando em 10,, totalizando R$ 3,1 trilhões,

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P J U N H O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S Poupança SBPE Captação Líquida: - R$ 2,79 bilhões Saldo: R$ 493,3 bilhões Financiamentos

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P N O V E M B R O, 2 0 1 6 D E S T A Q U E S D O M Ê S Poupança SBPE Captação Líquida: R$ 2,6 bilhões Saldo: R$ 503,8 bilhões Financiamentos

Leia mais

MAIO DE Deteriora-se a situação do mercado de trabalho da RMPA

MAIO DE Deteriora-se a situação do mercado de trabalho da RMPA MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE Ano 18 - Número 05 MAIO DE 2009 1 Deteriora-se a situação do mercado de trabalho da RMPA As informações captadas pela Pesquisa de Emprego e Desemprego

Leia mais

O Setor de Aviação no Brasil. Nicolas Souza Nicole Sampaio Victor Hugo Menezes Organização Industrial 2015/2

O Setor de Aviação no Brasil. Nicolas Souza Nicole Sampaio Victor Hugo Menezes Organização Industrial 2015/2 O Setor de Aviação no Brasil Nicolas Souza Nicole Sampaio Victor Hugo Menezes Definição do Mercado Objeto de estudo: mercado de transporte aéreo comercial em âmbito nacional Produto ofertado: passagem

Leia mais

ÍNDICE DESEMPREGO COM VIDA LONGA? EMPREGO FORMAL... 03

ÍNDICE DESEMPREGO COM VIDA LONGA? EMPREGO FORMAL... 03 CONSTRUÇÃO CIVIL EM ANÁLISE Nº 07 JULHO 2016 1 ÍNDICE DESEMPREGO COM VIDA LONGA?... 02 1 EMPREGO FORMAL... 03 1.1 SALDO MENSAL DE EMPREGO NA CONSTRUÇÃO CIVIL DO ESTADO DO PARÁ... 04 1.2 SALDO ANUAL DE

Leia mais

Santa Catarina gera novos empregos formais em setembro

Santa Catarina gera novos empregos formais em setembro 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 SINE/SC - SISTEMA NACIONAL DE EMPREGO Informativo Caged nº 10/2011 18/10/2011 Santa Catarina gera 10.297 novos empregos formais

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T14. Relações com Investidores 15 de Maio de 2014

Teleconferência de Resultados 1T14. Relações com Investidores 15 de Maio de 2014 Teleconferência de Resultados Relações com Investidores 15 de Maio de 2014 1 Destaques do 2 Destaques Receita Líquida no trimestre foi de R$2,5 bilhões, 20% ou R$411 milhões maior na comparação anual;

Leia mais

TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS

TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE AÉREO DE PASSAGEIROS DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações

Leia mais

Inflação, nível de atividade e setor externo: o desempenho dos principais indicadores da economia brasileira

Inflação, nível de atividade e setor externo: o desempenho dos principais indicadores da economia brasileira NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Inflação, nível de atividade e setor externo: o desempenho dos principais indicadores da economia brasileira Guilherme R. S. Souza e Silva * RESUMO - O

Leia mais

186/15 02/12/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

186/15 02/12/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados 186/15 02/12/2015 Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Novembro de 2015 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Outubro

Leia mais

PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NO DISTRITO FEDERAL JANEIRO DE 2007

PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NO DISTRITO FEDERAL JANEIRO DE 2007 PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NO DISTRITO FEDERAL JANEIRO DE 2007 Taxa de desemprego registra variação negativa, devido a saída de pessoas do mercado de trabalho. As informações captadas pela Pesquisa

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T12 e 2012 Março 2013

Teleconferência de Resultados 4T12 e 2012 Março 2013 Teleconferência de Resultados 4T12 e 2012 Março 2013 Agenda 1. Destaques 2012 2. Indústria Aérea Nacional 3. Estratégia GOL 4. Serviços 5. Smiles 6. Resultado Financeiro 7. Projeções Financeiras 2013 8.

Leia mais

PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho.

PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho. PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho. Segundo apuração da PME (Pesquisa Mensal do Emprego), realizada pelo IBGE,

Leia mais

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - JULHO/2015

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - JULHO/2015 ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - JULHO/2015 O COMÉRCIO VAREJISTA NO BRASIL CONTINUA EM QUEDA A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Leia mais

Carta de Conjuntura do Setor de Seguros

Carta de Conjuntura do Setor de Seguros Carta de Conjuntura do Setor de Seguros Número 11, Fevereiro/2015 www.ratingdeseguros.com.br 1 Objetivo: O objetivo desta é ser uma avaliação mensal desse segmento e seus setores relacionados (resseguro,

Leia mais

CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do segmento econômico da Arquitetura e Engenharia Consultiva

CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do segmento econômico da Arquitetura e Engenharia Consultiva CAGED Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do segmento econômico da Arquitetura e Engenharia Consultiva São Paulo 2009 CONTEÚDO 1.MOVIMENTAÇÃO DO EMPREGO DO SEGMENTO DA ARQUITETURA E ENGENHARIA

Leia mais

Relatório Conjuntura Econômica Brasileira 4º trimestre de 2013

Relatório Conjuntura Econômica Brasileira 4º trimestre de 2013 Relatório Conjuntura Econômica Brasileira 4º trimestre de 2013 Elaboração: Vice-Presidência de Finanças VIFIN Diretoria Executiva de Finanças e Mercado de Capitais - DEFIN Superintendência Nacional de

Leia mais

SINCOR-SP 2017 FEVEREIRO 2017 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2017 FEVEREIRO 2017 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS FEVEREIRO 2017 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 Sumário Palavra do presidente... 4 Objetivo... 5 1. Carta de Conjuntura... 6 2. Estatísticas dos Corretores de SP... 7 3. Análise macroeconômica...

Leia mais

ÍNDICE A ECONOMIA BRASILEIRA VOLTOU A CRESCER? EMPREGO FORMAL... 03

ÍNDICE A ECONOMIA BRASILEIRA VOLTOU A CRESCER? EMPREGO FORMAL... 03 CONSTRUÇÃO CIVIL EM ANÁLISE Nº 02 FEVEREIRO 2017 1 ÍNDICE A ECONOMIA BRASILEIRA VOLTOU A CRESCER?... 02 1 EMPREGO FORMAL... 03 1.1 SALDO MENSAL DE EMPREGO NA CONSTRUÇÃO CIVIL DO ESTADO DO PARÁ... 04 1.2

Leia mais

Queda no salário médio de admissão do brasileiro já é maior de que na crise de 2009

Queda no salário médio de admissão do brasileiro já é maior de que na crise de 2009 Queda no salário médio de admissão do brasileiro já é maior de que na crise de 2009 Novos profissionais estão sendo contratados por um salário 10,7% menor se comparado àqueles que deixaram seus empregos

Leia mais

Informativo Mensal de Emprego CAGED. Nº 1, janeiro de 2013 Mês de referência: dezembro de 2012

Informativo Mensal de Emprego CAGED. Nº 1, janeiro de 2013 Mês de referência: dezembro de 2012 SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA SOCIAL, TRABALHO E HABITAÇÃO SST DIRETORIA DE TRABALHO E EMPREGO SETOR DE INFORMAÇÃO E ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO Informativo Mensal de Emprego CAGED Nº 1, janeiro

Leia mais

Resultados do 1T17 1

Resultados do 1T17 1 Resultados do 1T17 1 Disclaimer O conteúdo desta apresentação de resultados pode incluir expectativas sobre eventos e resultados futuros estimados pela Administração. Entretanto, tais projeções não são

Leia mais

ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins

ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins ANAC divulga minuta de edital de concessão de Galeão e Confins A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) aprovou, nesta quarta-feira (29/05), a minuta do Edital de Leilão e do Contrato

Leia mais

SANTA CATARINA REGISTRA O SEGUNDO MENOR SALDO DE EMPREGOS PARA O MÊS DE JUNHO DESDE 2002

SANTA CATARINA REGISTRA O SEGUNDO MENOR SALDO DE EMPREGOS PARA O MÊS DE JUNHO DESDE 2002 Informação e Análise do Mercado de Trabalho Informativo Mensal de Emprego CAGED nº 07/2012 1 23/07/2012 SANTA CATARINA REGISTRA O SEGUNDO MENOR SALDO DE EMPREGOS PARA O MÊS DE JUNHO DESDE 2002 Os dados

Leia mais

INDICADORES DE COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA

INDICADORES DE COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA Indicadores CNI INDICADORES DE COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA Indústria brasileira perde participação na economia mundial A indústria brasileira continua a apresentar desempenho negativo no mercado mundial,

Leia mais

Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de º. PLENAFUP

Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de º. PLENAFUP Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de 2015 5º. PLENAFUP Economia Brasileira I.54 - Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) Período Índice

Leia mais

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança

Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança D A T A A B E C I P J U L H O, 2 0 1 7 D E S T A Q U E S D O M Ê S Poupança SBPE Captação Líquida: R$ 4,9 bilhões Saldo: R$ 525,4 bilhões Financiamentos

Leia mais

RELATÓRIO DA POLÍTICA DE PREÇOS DE GASOLINA E DIESEL 1 o TRIMESTRE DE 2017 HISTÓRICO

RELATÓRIO DA POLÍTICA DE PREÇOS DE GASOLINA E DIESEL 1 o TRIMESTRE DE 2017 HISTÓRICO HISTÓRICO A nova política de preços de gasolina e diesel foi anunciada pela Petrobras em fato relevante publicado em 14/10/2016, tendo dentre os seus princípios a prática de preços nunca abaixo da paridade

Leia mais

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Dezembro de 2014 Sumário 1. Perspectivas do Cenário Econômico em 2015... 3 2. Balança Comercial no Ano de 2014... 4 3.

Leia mais

A economia do Rio de Janeiro Estado e Capital

A economia do Rio de Janeiro Estado e Capital A economia do Rio de Janeiro Estado e Capital William Figueiredo Divisão de Estudo Econômicos do Rio de Janeiro (DIERJ) Gerência de Estudos Econômicos (GEE) Rio de Janeiro, 27 de junho de 2017 Estado do

Leia mais

Apresentação de resultados do quarto trimestre e do ano de Imprensa. 30 de março de 2016

Apresentação de resultados do quarto trimestre e do ano de Imprensa. 30 de março de 2016 Apresentação de resultados do quarto trimestre e do ano de 2015 - Imprensa 30 de março de 2016 Destaques Paulo Kakinoff CEO Destaques Macro Ambiente Cenário ainda mais adverso da economia brasileira com

Leia mais

ÍNDICE BRASILEIROS ENFRENTAM SEGUNDO ANO DE CRISE EMPREGO FORMAL... 03

ÍNDICE BRASILEIROS ENFRENTAM SEGUNDO ANO DE CRISE EMPREGO FORMAL... 03 CONSTRUÇÃO CIVIL EM ANÁLISE Nº 11 NOVEMBRO 2016 1 ÍNDICE BRASILEIROS ENFRENTAM SEGUNDO ANO DE CRISE... 02 1 EMPREGO FORMAL... 03 1.1 SALDO MENSAL DE EMPREGO NA CONSTRUÇÃO CIVIL DO ESTADO DO PARÁ... 04

Leia mais

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO 2013 ABIH-RJ FECOMÉRCIO-RJ ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Pesquisa mensal da ABIH-RJ que visa acompanhar a taxa de ocupação nas unidades de hospedagem da

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Pecuária de Leite

Balanço 2016 Perspectivas Pecuária de Leite Pecuária de Leite 121 122 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 TENDÊNCIA MUNDIAL É DE QUEDA NA PRODUÇÃO, MAS BRASIL PODE SER EXCEÇÃO NESTE CENÁRIO A baixa demanda de importantes países importadores

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS ABRIL/2015 Resumo DCEE Departamento de Competitividade, Economia e Estatística 2 Consumo aparente mensal R$ bilhões constantes*

Leia mais

IAPC VALE DO PARANHANA

IAPC VALE DO PARANHANA IAPC VALE DO PARANHANA SÍNTESE DOS INDICADORES DA PESQUISA Indicador Variação de Fevereiro de 2013 em relação a Janeiro 2013 (%) Variação da produção de Fevereiro de 2013 em relação a Fevereiro de 2012

Leia mais

As perspectivas continuam positivas para as vendas externas

As perspectivas continuam positivas para as vendas externas FEVEREIRO/2016 As perspectivas continuam positivas para as vendas externas A Sondagem Industrial, pesquisa realizada junto a 167 indústrias catarinenses no mês de ereiro, mostrou que a indústria projeta

Leia mais

Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Julho de 2015

Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Julho de 2015 Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Julho de 2015 Setembro/2015 BRASIL A produtividade física do trabalho da Indústria de Transformação cresceu 0,9% em julho de 2015, na comparação

Leia mais

Setembro Divulgado em 15 de outubro de 2015.

Setembro Divulgado em 15 de outubro de 2015. Setembro - 2015 Divulgado em 15 de outubro de 2015. ICVA APONTA RETRAÇÃO DE 3,4% PARA O VAREJO EM SETEMBRO Indicador considera a receita de vendas do varejo deflacionada pelo IPCA em comparação com setembro

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Junho de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Junho de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Junho de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Junho de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

SINCOR-SP 2016 SETEMBRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2016 SETEMBRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS SETEMBRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Estatísticas dos Corretores de SP... 6 3. Análise macroeconômica...

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T13 Maio 2013

Teleconferência de Resultados 1T13 Maio 2013 Teleconferência de Resultados 1T13 Maio 2013 1. Destaques 1T13 Agenda 2. Indústria Aérea Nacional 3. Estratégia GOL 4. Smiles 5. Resultado Financeiro 6. Mensagem Final 2 2 1. Destaques 1T13 3 Destaques

Leia mais

ANO 17. #02. FEV 2016

ANO 17. #02. FEV 2016 ANO 17. #02. FEV 2016 SONDAGEM INDUSTRIAL - MG ATIVIDADE MOSTRA MELHORA EM RELAÇÃO A 2015 Em fevereiro os indicadores de atividade industrial mostraram melhora em relação ao mês anterior e alguns indicadores

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO 2017:

CENÁRIO ECONÔMICO 2017: CENÁRIO ECONÔMICO 2017: Lenta recuperação após um longo período de recessão Dezembro 2016 AVALIAÇÃO CORRENTE DA ATIVIDADE ECONÔMICA A RECUPERAÇÃO DA CONFIANÇA DO EMPRESARIADO E DO CONSUMIDOR MOSTRAM ACOMODAÇÃO

Leia mais

5. NÍVEL DE ATIVIDADE ECONÔMICA. Álvaro Alves de Moura Jr.

5. NÍVEL DE ATIVIDADE ECONÔMICA. Álvaro Alves de Moura Jr. 98 5. NÍVEL DE ATIVIDADE ECONÔMICA Álvaro Alves de Moura Jr. O principal destaque na análise do nível de atividade econômica se refere à mudança na metodologia do cálculo do PIB, que passou a incluir informações

Leia mais

PAINEL DO MERCADO DE TRABALHO

PAINEL DO MERCADO DE TRABALHO PAINEL DO MERCADO DE TRABALHO JANEIRO DE 212 - CAGED Emprego Formal na Economia Emprego no mês de Janeiro 213 - Ocorreu um saldo positivo de 28.9 postos de emprego e no comparativo dos meses de janeiro,

Leia mais

Indústria espera que as exportações cresçam no primeiro semestre de 2016

Indústria espera que as exportações cresçam no primeiro semestre de 2016 JANEIRO/2016 Indústria espera que as exportações cresçam no primeiro semestre de 2016 A Sondagem Industrial, pesquisa realizada junto a 176 indústrias catarinenses no mês de janeiro, mostrou que o nível

Leia mais

Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Fevereiro de 2015

Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Fevereiro de 2015 Produtividade Física do Trabalho na Indústria de Transformação em Fevereiro de 2015 Abril/2015 BRASIL A produtividade física do trabalho da Indústria de Transformação apresentou uma queda de 0,8% em Fevereiro

Leia mais

Em junho foram criados empregos formais em Santa Catarina

Em junho foram criados empregos formais em Santa Catarina Informativo Caged nº 07/2009 16/07/2009 Em junho foram criados 1.121 empregos formais em Santa Catarina No 1º semestre foram abertas 11,7 mil vagas e foi o pior resultado para o acumulado no primeiro semestre

Leia mais

ano XVI, n 6, junho de 2012

ano XVI, n 6, junho de 2012 ,, junho de 2012 EM FOCO O índice de preços das exportações apresentou alta de 0,3% em maio na comparação com abril, causada pela evolução positiva em produtos básicos e manufaturados (0,4%). Contudo,

Leia mais

Açúcar e tomate encarecem a Cesta Básica

Açúcar e tomate encarecem a Cesta Básica 1 São Paulo, 06 de outubro de 2009. NOTA À IMPRENSA Açúcar e tomate encarecem a Cesta Básica Das 17 capitais onde o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos realiza

Leia mais

SONDAGEM INDUSTRIAL DE SC Agosto de 2015

SONDAGEM INDUSTRIAL DE SC Agosto de 2015 SONDAGEM INDUSTRIAL DE SC Agosto de 2015 Perspectivas continuam em baixa A Sondagem industrial, realizada junto a 169 indústrias catarinenses no mês de agosto, mostrou que as expectativas da indústria

Leia mais

Indústria da construção mostra pequenos sinais de melhora

Indústria da construção mostra pequenos sinais de melhora SONDAGEM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO Informativo da Confederação Nacional da Indústria Ano 3 Número 9 setembro de 2012 www.cni.org.br Destaques ANÁLISE ECONÔMICA Desempenho menos negativo ainda não aponta

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2015 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Março de 2015 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

SINCOR-SP 2016 JULHO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2016 JULHO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JULHO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 Sumário Palavra do presidente... 4 Objetivo... 5 1. Carta de Conjuntura... 6 2. Estatísticas dos Corretores de SP... 7 3. Análise macroeconômica...

Leia mais

TURISMO DO RJ JÁ PERDEU R$ 320 MILHÕES COM AUMENTO DA VIOLÊNCIA EM 2017

TURISMO DO RJ JÁ PERDEU R$ 320 MILHÕES COM AUMENTO DA VIOLÊNCIA EM 2017 TURISMO DO RJ JÁ PERDEU R$ 320 MILHÕES COM AUMENTO DA VIOLÊNCIA EM 2017 Avanço da criminalidade no Estado somado ao contexto econômico ainda desfavorável provocou queda de 7,9% na receita bruta do setor.

Leia mais

ABIH-RJ FECOMÉRCIO-RJ

ABIH-RJ FECOMÉRCIO-RJ 2015 ABIH-RJ FECOMÉRCIO-RJ ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Pesquisa mensal da ABIH-RJ que visa acompanhar a taxa de ocupação nas unidades de hospedagem da

Leia mais

DESEMPENHO da ECONOMIA de CAXIAS DO SUL

DESEMPENHO da ECONOMIA de CAXIAS DO SUL DESEMPENHO da ECONOMIA de CAXIAS DO SUL Setembro/2010 CÂMARA DE INDÚSTRIA, COMÉRCIO E SERVIÇOS DE CAXIAS DO SUL Presidente Milton Corlatti Departamento de Economia, Finanças e Estatística Alexander Messias

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Abril de 2016

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL. ICPN Abril de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2016 ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL ICPN Abril de 2016 Sumário Executivo Indicadores de confiança são indicadores

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Cana-de-açúcar

Balanço 2016 Perspectivas Cana-de-açúcar Cana-de-açúcar 85 86 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 DÉFICIT NA PRODUÇÃO MUNDIAL DE AÇÚCAR, AUMENTO DA DEMANDA E QUEDA NOS ESTOQUES MANTERÃO TENDÊNCIA DE PREÇOS ALTOS A perspectiva é de

Leia mais

Indústria e Comércio comprometem o desempenho da RARP em setembro de 2015

Indústria e Comércio comprometem o desempenho da RARP em setembro de 2015 Brasil, RARP e município de Ribeirão Preto fecham vagas em todos os setores Os dados do mês de setembro de 2015 do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) reforçam o cenário de pouco otimismo,

Leia mais