MANUAL BI- Business Intelligence

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL BI- Business Intelligence"

Transcrição

1 1. VISÃO GERAL 1.1 SISTEMA BI Business Intelligence: Segundo Gartner Group, a maior ameaça das empresas da atualidade é o desconhecimento... O Business Intelligence se empenha em eliminar as dúvidas e a ignorância das empresas sobre suas informações, aproveitando os enormes volumes de dados coletados pelas empresas. O BI ou Inteligência Empresarial tem como principal objetivo à integração dos aplicativos e tecnologias para extrair e analisar os dados corporativos de modo simples, no formato apropriado e no tempo certo, para que a empresa possa tomar decisões melhores e mais rápidas, auxiliando os executivos em seus negócios. Essa ferramenta tem como capacidade transformar dados em informação, informação em conhecimento e propiciar a descoberta de novas percepções, entendimentos, os quais podem prover suporte à tomada de decisão. BI congrega Inteligência Competitiva, ou Competitive Intelligence (CI), Gerência de Conhecimentos, ou knowledge Management System (KMS), Internet Business Intelligence (IBI), pesquisa e análise de mercados utilizando informações, comumente guardadas em Data Warehouses e Data Marts. 1.2 OBJETIVOS: A implementação de BI é uma mudança de cultura, se não for feito o alinhamento de conceitos, ele perde credibilidade. Se o usuário encontrar problemas, tende a voltar para o antigo relatório, diz diretora de TI da Avon, Andréa Pereira. BI proporciona analisar os dados corporativos de maneira simples, no formato correto e no tempo certo, para que a empresa possa tomar as decisões melhores e mais rápidas. Essa solução tem como finalidade transformar dados em informação e informação em conhecimento. 1.3 VANTAGENS: BI proporciona uma enorme quantidade de vantagens as empresas que a utilizam, benefícios tais como: Site: / / Fone: (42)

2 Analisar com facilidade todos os dados da empresa, como fatores de risco, tendências; Não depender da geração de relatórios para a tomada de decisão; Agilidade e precisão na tomada de decisões; Consistência na avaliação de desempenho da empresa; Otimização de resultados; Agilidade e precisão na definição, acompanhamento e realinhamento estratégico; Analisar e antecipar mudanças no mercado; Analisar e descobrir novos nichos de mercado; Analisar e antecipar movimentos e ações dos competidores; Analisar e descobrir novos potenciais competidores; Aprender com os sucessos e as falhas anteriores; Avaliar o impacto de novas tecnologias, produtos ou processos; Rever suas próprias práticas de negócio; Auxiliar na implementação de novas ferramentas gerenciais; Redução de custos na compra de softwares e treinamentos; Compartilhamento de informações entre diferentes grupos de usuários; 1.4 CENÁRIO ATUAL CORPORATIVO: Desde o início da era computacional, as organizações têm usado os dados de suas bases operacionais para atender as necessidades de informações. Nesta situação, além da dificuldade de encontrá-los por utilizarem diversas fontes de dados de sistemas diversificados, diversas vezes, dados inconsistentes são utilizados como base para tomada de decisões importantes. As empresas normalmente operam. Os níveis estratégicos dos Sistemas de Informações devem oferecer apoio aos processos de tomadas de decisões e precisa das informações geradas pelo nível organizacional da organização que possui ampla complexidade gerada pelas grandes bases de dados que acumulam as informações das transações. E são pouco aproveitadas Site: / / Fone: (42)

3 pela gerência para auxiliar em decisões estratégicas da empresa não aproveitando toda a potencialidade alcançável. Reunir estas informações, interpretá-las e extrair tudo o que realmente importa para a corporação é uma tarefa complexa, e para garantir algum resultado nesta área às informações devem ser consistentes e padronizadas. 1.5 NOVA FORMA DE TRATAR DADOS- BI: Um Data Warehouse (DW) ou Armazéns de Dados é uma grande base de dados capaz de integrar dados confiáveis e diretos, utilizando as informações de interesse para a empresa que se encontram disseminadas em diversos sistemas, para auxiliar o apoio à decisão. Data Warehouse usa estruturas lógicas dimensionais, possibilitando o seu processamento analítico por ferramentas especiais tais como OLAP e Mining. Como característica o DW possui um conjunto de dados orientados por assuntos, integrados, não voláteis, variáveis em relação ao tempo sendo alimentado por outras fontes de dados, que podem trazer dados representados de formas diferentes, mas que possuem o mesmo significado, por este motivo os dados devem ser integrados e padronizados, a Figura 1 exemplifica a idéia do processo. Figura 1 Processo de padronização dos Dados. Organização lógica dos negócios da organização sobre esse modelo permite um acesso facilitado de ferramentas para análise dos negócios, e os resultados dessas análises permitem visualizar cenários passados, atuais e possíveis da organização, Site: / / Fone: (42)

4 gerando informações estratégicas que possibilitem a tomada de decisões de melhorias e evoluções. 1.6 ESTRUTURA BI: BI usa uma série de ferramentas para colher, analisar e retirar conhecimentos, que poderão ser utilizados como subsídio aos procedimentos de tomada de decisão. A Figura 2 mostra os principais elementos deste ambiente. Figura 2 Estrutura BI. Data Mining trabalha esquadrinhando dados por meio de algoritmos inteligentes e avançados, estatísticas tradicionais e gráficas sobre uma amostra procurando reconhecer padrões, para apresentar relações ocultas e encontradas no repositório de dados da organização. Um característico Sistema BI é composto pelas seguintes partes: Site: / / Fone: (42)

5 Módulo de ETL (Extract, Transform and Load): Componente dedicado à extração, carga e transformação de dados. É a parte responsável pela coleta das informações nas mais diversas fontes, desde sistemas ERP s, arquivos de texto ou planilhas eletronicas. Data Mart e ou Data Warehouse: Local onde ficam concentrados todos os dados extraídos dos sistemas operativos da organização. Data Marts significa armazém de dados e é subconjunto de dados de um Data Warehouse A vantagem de ter um repositório de dados à parte é a possibilidade de armazenar informações históricas e agregadas, dando um suporte melhor para as análises posteriores. Front-End: É a parte visível ao usuário de um projeto de BI. Pode ser em forma de relatórios padronizados, análise OLAP e outras funções, como Data Mining e projeções de cenários futuros. 1.7 TERMOS BI: Modelagem Dimensional: é uma técnica de concepção e visualização de um modelo de dados e um conjunto de medidas que descrevem aspectos comuns de negócios. O objetivo dessa modelagem é fornecer a capacidade de visualizar os dados de uma organização, de modo a permitir a análise de valores significativos para a mesma. As visões multidimensionais, igualmente conhecidas como Cubos, que são uma metáfora que ajuda a entender como se comporta uma visão multidimensional que compõem sistemas OLAP (Online Analytical Process) quebram paradigmas, saindo das atuais visões bidimensionais. Um cubo é apenas uma visão multidimensional, como um relatório, OLAP é a técnica ou ferramenta para construir cubos e Business Intelligence é o conjunto de cubos, KPIs, BSC, Data Mining, relatórios e demais ferramentas que compõe uma solução de análise gerencial e estratégica para a empresa. Os metadados do cubo são normalmente criados com base no esquema estrela ou esquema floco de neve de tabelas de bases de dados relacionais. E esse modelo é formado por três elementos básicos: os fatos as dimensões e as medidas (variáveis). Fatos: definem a importância e a motivação da modelagem dimensional representa numericamente valores que refletem temporalmente a evolução dos negócios de uma Site: / / Fone: (42)

6 organização. É representado no modelo por uma tabela chamada tabela de Fatos formados por dados de medidas e de contexto. Dimensões: As dimensões determinam o contexto de um assunto de um fato do negócio. Possui uma ou mais hierarquias naturais, além de atributos descritivos sem relacionamento hierárquico. É representada por uma tabela que descreve uma característica de um fato. Determina como se podem filtrar informações sobre os fatos, como: por região. Medidas: Atributos numéricos que representam um fato, o desempenho de um indicador de negócios relativo às dimensões que participam do fato. OLTP - Processamento de Transações On Line (On Line Transaction Processing): Registram transações referentes às atividades operacionais (cotidianas) que movimentam a organização. Essas operações envolvem um conjunto de atividades que juntas formam uma transação. Os Sistemas de Informação com foco operacional são sistemas transacionais. Visões bidimensionais. OLAP - Processamento Analítico On Line (On Line Analytical Processing): São ferramentas que possibilitam a manipulação de muitos dados de um DW para fins de análise de determinadas variáveis para descoberta de cenários e tendências sob múltiplas perspectivas. O objetivo é dar suporte ao processo de tomada de decisões. Visões multidimensionais. Um cubo para ser conhecido como tal, deve prover as seguintes operações: Drill down: significa descer um nível hierárquico em uma dimensão. Ex: dimensão tempo, ano para o trimestre e trimestre para o mês. Drill up/ Roll up: significa subir um nível hierárquico em uma dimensão. Ex: dimensão insumo, subir o nível do insumo para categoria do insumo. Drill across: significa analisar um nível intermediário dentro de uma mesma dimensão. Ex: dimensão produto, venda dos produtos num determinado ano, avança para venda de um produto X no ano Y. Site: / / Fone: (42)

7 Drill throught: significa alternar a análise de uma dimensão para outra. Ex: produto para região ou mesmo de uma agregação (todos os pedidos de maio de 2010) para os detalhes (tabela com cada pedido no período analisado) altera de região para tempo. Drill back/ Write back: é bastante utilizado em previsões e consiste na ação de alterar os valores existentes em um cubo. Pode ser usado, por exemplo, para medir o impacto na empresa do aumento em 10% do orçamento para o ano seguinte. Drill Around: Ocorre quando a tabela de fatos que compartilha dimensões em comum não é organizada em uma ordem linear, assim é preciso fazer uma sondagem do valor. Existem diversas entidades cuidando de um paciente, compartilhando informações entre si. É possível gerar poderosos relatórios realizando consultas distintas para cada tabela fato e fazer uma junção com as configurações dos resultados do paciente. Drill Out: São o detalhamento para informações externas como fotos, som, arquivos texto, tabelas. Drill Within: É o detalhamento através dos atributos de uma dimensão. Slice: Significa analisar determinada fatia do cubo, funcionando como um filtro. Ex: analisar determinado pedido de um determinado cliente. Dice: Significa alterar a visão de um cubo, como se o cubo fosse girado, como exemplo a análise de região (no caso linha) para ano (no caso coluna) altera região como coluna e ano como linha. Sort: Tem a função de ordenar a informação, podendo ser aplicada a qualquer tipo de informação, não somente a valores numéricos. Ordenar as cidades em ordem alfabética. Ranking: Permite agrupar resultados por ordem de tamanho, baseado em valores numéricos, refletindo somente na apresentação do resultado e não no resultado em si. Ordenar a relação de filiais de acordo com os maiores volumes de vendas. Pivoting: Alternar linhas e colunas, sendo que todos os valores totalizados serão recalculados. Arrastar a dimensão sexo para dentro da coluna de tempo que compõe as linhas da tabela. Paging: Apresentação dos resultados de uma consulta em várias páginas, permitindo a navegação do usuário. Permitir um máximo de n resultados por página. Site: / / Fone: (42)

8 Filtering: Apresentação de consultas com restrições sobre atributos ou fatos. Tiling: Visualização múltipla em uma única tela. Páginas resultantes de uma consulta, diferentes metáforas visuais referentes a uma consulta, ou resultados de diferentes consultas. Alerts: Utilizados para indicar situações de destaque em elementos dos relatórios, baseados em condições envolvendo objetos e variáveis. Definir que os vendedores com vendas mensais inferiores a determinado valor devem aparecer em destaque. Break: Permite decompor o resultado de uma análise em grupos de informações, permitindo subtotalizar valores para cada grupo. Tendo a necessidade de visualizar a informação por clientes, então é solicitado um break. O relatório será automaticamente agrupado por clientes, somando os valores mensuráveis por clientes. Dashboards: fornecem uma representação ilustrada do desempenho dos negócios, também conhecido como Painel de Controle, Painel de Indicadores ou Painel de Desempenho é a apresentação visual das informações mais importantes e necessárias para alcançar um ou mais objetivos de negócio, consolidadas e ajustadas em uma tela para fácil acompanhamento do processo de negócio. ALGUMAS ABREVIATURAS E SIGLAS ERP Enterprise Resource Planning (Sistema de Gestão Integrada) CRM Customer Relationship Management (Sistema de Relacionamento com Clientes) KPI Key Performance Indicator, significa Indicador Chave de Desempenho. COCKPIT - em sistemas de inteligência de negócios são os representadores gráficos em conjunto com os KPI s e outras informações. Site: / / Fone: (42)

9 2. TEOREMA BI 2.1 O que o Teorema BI pode fazer O módulo Teorema BI possibilita a detecção de desvios no negócio, em atendimentos, nas receitas ou lucros, proporciona desvendar rapidamente aonde é possível melhorar o desempenho da organização, de onde estão ocorrendo decréscimos ou acréscimos significativos, seja em receitas, em atendimentos, em margens ou qualquer outra variável do negócio. É possível visualizar as informações em diversos ângulos, sem precisar refazer a consulta. Partindo de uma única consulta é possível percorrer as informações livremente até descobrir o que está buscando. A tecnologia de Business Intelligence até pouquíssimo tempo era disponível em softwares enormes, complexos, caros e importados. O Sistema teorema BI em sua tela inicial, Figura 3, apresenta diversos componentes que tornam seu uso prático e simples Figura 3 Tela inicial do Teorema BI. 2.2 Conhecendo as visões do Sistema O Sistema Teorema BI consiste em uma barra de Ferramentas com todas as funcionalidades organizadas em grupos, o cubo e o gráfico, conforme a indicação da Figura 4. Site: / / Fone: (42)

10 BARRA DE FERRAMENTAS PARTE INTERNA DO CUBO GRÁFICO Figura 4 Tela principal do Sistema Teorema BI. A barra de Ferramentas é composta pelos grupos: Cadastros, Consultas, Impressão, Customização e Contatos, os mais utilizados serão tratados na sequência deste documento. A região do Cubo é a forma de relatório multidimensional para visualizar as informações sobre diversos ângulos, dinamicamente, sendo o cubo a parte principal do Sistema Teorema BI, pois em termos de análise das informações da empresa tem a função de proporcionar uma visão nítida do que esta acontecendo na organização. A área interna do Cubo mostra as informações ativas da analise em vigor, sendo composta de linhas e colunas. Na área externa do Cubo aparecem os campos disponíveis para análise, porém não utilizados na visualização apresentada no momento. Qualquer campo disponível tanto na área interna (sendo linhas e colunas) quanto na externa pode ser arrastado 1 para a outra área fazendo com que o sistema recalcule 1 Arrastar: significa clicar no campo e, sem largar o mouse, levar o mouse até a posição desejada, largando o botão. Lembre que o botão sempre é o esquerdo, para o caso de arrastar. Site: / / Fone: (42)

11 automaticamente os valores internos do cubo (medidas), podendo inclusive colocar mais de um campo na coluna ou na linha, de modo que o Cubo irá subdividir as informações. A Figura 5 mostra como o sistema indica a possibilidade de movimentação de campo, neste caso o campo CONDIÇÃO é arrastado para a parte interna do cubo como coluna e ao aparecerem às setas verdes fica indicada a validade do campo. Figura 5 Mover campo. 2.3 Ordenando A direita de cada campo existe dois triângulos. O primeiro é usado para mudar a ordenação,. Todos os campos possuem exclusiva para ordenação, clicando nela as informações serão ordenadas automaticamente em ordem crescente ou decrescente, conforme a ordenação anterior. A Figura 6 mostra a ordenação decrescente, note a mudança de posição do triangulo. Figura 6 Ordem decrescente. Site: / / Fone: (42)

12 2.4 Filtrando Informações e valores O Filtro dos campos é feito a partir da pequena seta que se encontra mais a direita dos campos, tanto dos campos externos quanto internos ao Cubo, filtros na área externa do Cubo influenciam as informações da área interna, forçando um recalculo automático no Cubo. Ao pressioná-lo é exibida uma lista com as informações disponíveis em ordem alfabética. Cada filtro influencia nos filtros posteriores, a Figura 7 demonstra como é a lista de filtros. Cada opção listada pode ser desmarcada através da caixa à esquerda. A opção Show All marca todas as opções. Figura 7 Lista de Filtros. ATENÇÃO: Caso seja esquecido um filtro as novas pesquisas mostrarão os resultados utilizando os filtros aplicados anteriormente. 2.5 Cadastros de Consulta O item Consultas permite cadastrar novas consultas SQL utilizando o botão para novas consultas, excluir consultas por meio do botão, replicar consultas através de Sistema, Figura 8. e analisar as consultas SQL armazenadas no Site: / / Fone: (42)

13 O botão Criar Padrões replica a consulta que estiver aberta na tela, este recurso é excelente quando são interessantes pequenas modificações em consultas SQL e não queremos abrir mão da consulta existente. Para navegar entre as diferentes consultas cadastradas utilizar a barra de navegação. Figura 8 Cadastro de Consultas. 2.6 Layout É possível montar visões de consultas que sejam desejáveis serem abertas regularmente, como clientes por vendedores, contas a pagar e receber, e assim por diante. Abre a tela com os cenários previamente salvos. É importante salientar que é salvo o Layout da tela, quando forem abertas as informações estas serão carregadas atualizadas. Site: / / Fone: (42)

14 2.7 Selecionar Consulta Selecionar a consulta utilizando o item. Cada consulta é confeccionada com deter minados parâmetros e trazem uma serie de possibilidades. A consulta escolhida determina a que informações o usuário terá acesso na interação com o cubo. Para utilizar clique sobre a consulta desejada e utilize o botão procedimento seleciona a consulta SQL indicada, Figura 9. este Figura 9 Lista de Consultas. 2.8 Consultar Usado para que o Sistema delimite um determinado período das informações que serão apresentadas no cubo. E a empresa que deve ser consultada. A primeira busca normalmente é a mais demorada. Quanto menor o período a busca é mais rápida, Figura 10. Site: / / Fone: (42)

15 Figura 10 Parâmetros da Consulta. 2.9 Setup Possibilita configuração de página para visualização e impressão do BI. Permitindo alteração de tamanho de papel, orientação, configuração de margens, formatação de cabeçalho e rodapé, e escala de ajuste, Figura 11. Figura 11 Tela de Configuração de Página. Site: / / Fone: (42)

16 2.10 Visualizar Abre a visualização da impressão, oferecendo diversas funcionalidades como exportar para PDF e formato.rps (Recibo Provisório de Serviços). Ajuste à página (Fit to Page), inserir título, rodapé, numeração de página, data e hora. Inserir fundo, navegação entre as páginas, diversas formas de visualização da página, Figura 12. Figura 12 Visualização de Impressão Impressão Atalho para impressão rápida da visualização que o cubo apresenta no momento. Faz a impressão da área do CUBO Customização O grupo Customização na barra de Ferramentas a exportação do cenário para diversos formatos de arquivos tais como XLS (EXCEL), HTML (Hypertext Markup Language), TXT (Text File), XML (Extensible Markup Language), Figura 13. Se for necessário alterar alguma informação ou o layout de impressão, pode se exportar para o Word ou Excel as informações do Cubo e então alterar livremente o que for preciso. Site: / / Fone: (42)

17 Figura 13 Grupo Customização. Para adicionar visões como Favoritas utilize que permite salvar o cenário corrente para futuras consultas. A visão adicionada passará a fazer parte das telas armazenadas para futura recuperação: Dessa forma, quando utilizar o sistema novamente, e clicar na linha com o nome salvo, o sistema abrirá a consulta exatamente com a estrutura salva anteriormente. A Figura 14 mostra a tela aonde é inserida a descrição do cenário a ser salvo. Caso seja marcada a caixa Favorito quando o Sistema for aberto novamente este cenário é aberto imediatamente após ser selecionada a consulta e o período. Figura 14 Cadastro de Layout Contatos O grupo Contatos traz Links para o site da Teorema Informática, o Twitter, o da teorema e o atalho para a abertura da chamadas para o Suporte Técnico, Figura 15. Figura 15 Grupo Contatos. Site: / / Fone: (42)

18 2.14 Analisando as Informações A utilização é simples, conforme a seleção da consulta SQL são apresentadas diversas variáveis no cubo externo para que sejam empregadas na área interna do cubo, a área de posicionamento das variáveis de manipulação está em destaque da Figura 16. Figura 16 Área para inclusão das variáveis. Ao montar os cenários são colocadas variáveis nas colunas, linhas e a terceira dimensão a qual chamamos de cubo, esta associação configura as visões que podem ser alcançadas por meio da utilização do BI. As variáveis que o usuário deseja que sejam posicionadas na coluna podem ser arrastadas e soltas em Família como item da Coluna no Cubo.. A Figura 17 mostra a indicação da variável Site: / / Fone: (42)

19 Figura 17 Coluna com a variável Família. Aquelas variáveis que o usuário deseja visualizar como linhas devem ser arrastadas até linhas.. A Figura 18 possui a indicação da variável Vendedor para as Figura 18 Linha com a variável Vendedor. A variável chave e que faz toda a diferença no conjunto de itens associados é a variável apontada no cubo. Está variável deve ser arrastada em. A Figura 19 mostra toda a associação alcançada pelas variáveis inseridas no Cubo. Site: / / Fone: (42)

20 A localização das variáveis no cubo não modifica o resultado dos cálculos somente altera a visualização das informações. Figura 19 Cubo para Custo Real Gráficos No Sistema Teorema BI toda consulta realizada gera automaticamente uma representação em gráfico, Figura 20. Figura 20 Gráfico. O Sistema apresenta a possibilidade de alteração do tipo de Gráfico. Column Diagram é a opção padrão do Sistema por ser o tipo de Gráfico mais utilizado, entretanto Site: / / Fone: (42)

21 ao clicar sobre esta opção é aberta uma listas com outras opções de tipos de Graficos tais como: Bar Diagram, Line Diagram, Area Diagram, Pie Diagram, Figura 21. Figura 21 Lista de Tipos de Gráficos. Observações: Em Customize Chart as variáveis que são mostradas no gráfico podem ser filtradas. Os campos Fonte de Dados e Fonte de Categorias também servem para manipulações de gráfico, Figura 22. Figura 22 Manipulação de Gráficos. Caso tenha dúvidas, por favor, entre em contato com seu Agente. Tenha um excelente uso do sistema e obrigado pela confiança! Teorema Informática (42) Site: / / Fone: (42)

Manual Business Intelligence - BI

Manual Business Intelligence - BI Manual Business Intelligence - DESENVOLVENDO SOLUÇÕES Autora: Laila Maria Doc. Vrs. 03 Revisão: LM - 10/06/15 Aprovado em: Abril de 2013. Nota de copyright Copyright 2015 Teorema Informática, Guarapuava.

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Esp. Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com Sistemas de informação Disciplina: Introdução a SI Noções de sistemas de informação Turma: 01º semestre Prof. Esp. Marcos Morais

Leia mais

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE Engenharia de Computação Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto OLPT x OLAP Roteiro OLTP Datawarehouse OLAP Operações OLAP Exemplo com Mondrian e Jpivot

Leia mais

Auto Treinamento. Versão 10.05.13

Auto Treinamento. Versão 10.05.13 Auto Treinamento Versão 10.05.13 Sumário 1. OBJETIVO... 3 2. CONCEITO DE BUSINESS INTELLIGENCE... 3 3. REALIZANDO CONSULTAS NO BI-PUBLIC... 4 3.2. Abrindo uma aplicação... 4 3.3. Seleções... 6 3.4. Combinando

Leia mais

Tópicos Avançados Business Intelligence. Banco de Dados Prof. Otacílio José Pereira. Unidade 10 Tópicos Avançados Business Inteligence.

Tópicos Avançados Business Intelligence. Banco de Dados Prof. Otacílio José Pereira. Unidade 10 Tópicos Avançados Business Inteligence. Tópicos Avançados Business Intelligence Banco de Dados Prof. Otacílio José Pereira Unidade 10 Tópicos Avançados Business Inteligence Roteiro Introdução Níveis organizacionais na empresa Visão Geral das

Leia mais

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Livro: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados e Cenários, Tabelas e Gráficos Dinâmicos, Macros e Programação VBA - Através de Exemplos

Leia mais

DATA WAREHOUSE. Introdução

DATA WAREHOUSE. Introdução DATA WAREHOUSE Introdução O grande crescimento do ambiente de negócios, médias e grandes empresas armazenam também um alto volume de informações, onde que juntamente com a tecnologia da informação, a correta

Leia mais

Adriano Maranhão BUSINESS INTELLIGENCE (BI),

Adriano Maranhão BUSINESS INTELLIGENCE (BI), Adriano Maranhão BUSINESS INTELLIGENCE (BI), BUSINESS INTELLIGENCE (BI) O termo Business Intelligence (BI), popularizado por Howard Dresner do Gartner Group, é utilizado para definir sistemas orientados

Leia mais

Business Intelligence e ferramentas de suporte

Business Intelligence e ferramentas de suporte O modelo apresentado na figura procura enfatizar dois aspectos: o primeiro é sobre os aplicativos que cobrem os sistemas que são executados baseados no conhecimento do negócio; sendo assim, o SCM faz o

Leia mais

Data Warehouses Uma Introdução

Data Warehouses Uma Introdução Data Warehouses Uma Introdução Alex dos Santos Vieira, Renaldy Pereira Sousa, Ronaldo Ribeiro Goldschmidt 1. Motivação e Conceitos Básicos Com o advento da globalização, a competitividade entre as empresas

Leia mais

DATA WAREHOUSE. Rafael Ervin Hass Raphael Laércio Zago

DATA WAREHOUSE. Rafael Ervin Hass Raphael Laércio Zago DATA WAREHOUSE Rafael Ervin Hass Raphael Laércio Zago Roteiro Introdução Aplicações Arquitetura Características Desenvolvimento Estudo de Caso Conclusão Introdução O conceito de "data warehousing" data

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.1 Armazenamento... 5 4.2 Modelagem... 6 4.3 Metadado... 6 4.4

Leia mais

Resumo dos principais conceitos. Resumo dos principais conceitos. Business Intelligence. Business Intelligence

Resumo dos principais conceitos. Resumo dos principais conceitos. Business Intelligence. Business Intelligence É um conjunto de conceitos e metodologias que, fazem uso de acontecimentos e sistemas e apoiam a tomada de decisões. Utilização de várias fontes de informação para se definir estratégias de competividade

Leia mais

Introdução. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL

Introdução. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL Introdução Neste Módulo aprendemos o importante recurso de Tabelas Dinâmicas e Gráficos Dinâmicos. Aprendemos a criar tabelas dinâmicas, a aplicar filtros e a fazer análise

Leia mais

Uma estrutura (framework) para o Business Intelligence (BI)

Uma estrutura (framework) para o Business Intelligence (BI) Uma estrutura conceitural para suporteà decisão que combina arquitetura, bancos de dados (ou data warehouse), ferramentas analíticas e aplicações Principais objetivos: Permitir o acesso interativo aos

Leia mais

Aplicação A. Aplicação B. Aplicação C. Aplicação D. Aplicação E. Aplicação F. Aplicação A REL 1 REL 2. Aplicação B REL 3.

Aplicação A. Aplicação B. Aplicação C. Aplicação D. Aplicação E. Aplicação F. Aplicação A REL 1 REL 2. Aplicação B REL 3. Sumário Data Warehouse Modelagem Multidimensional. Data Mining BI - Business Inteligence. 1 2 Introdução Aplicações do negócio: constituem as aplicações que dão suporte ao dia a dia do negócio da empresa,

Leia mais

Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado

Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado DW OLAP BI Ilka Kawashita Material preparado :Prof. Marcio Vitorino Sumário OLAP Data Warehouse (DW/ETL) Modelagem Multidimensional Data Mining BI - Business

Leia mais

Módulo 5. Implementando Cubos OLAP

Módulo 5. Implementando Cubos OLAP Módulo 5. Implementando Cubos OLAP Objetivos Compreender a importância da manipulação correta da segurança nos dados. Conhecer as operações que podem ser realizadas na consulta de um cubo. Entender o uso

Leia mais

INTELIGÊNCIA COMPETITIVA. Transformando dados em decisões estratégicas

INTELIGÊNCIA COMPETITIVA. Transformando dados em decisões estratégicas INTELIGÊNCIA COMPETITIVA Transformando dados em decisões estratégicas Primeiramente, qual a diferença? DADOS INFORMAÇÃO CONHECIMENTO CONHECIMENTO Conjunto de informações analisadas INFORMAÇÃO Conjunto

Leia mais

Business Intelligence. BI CEOsoftware Partner YellowFin

Business Intelligence. BI CEOsoftware Partner YellowFin Business Intelligence BI CEOsoftware Partner YellowFin O que é Business Intelligence Business Intelligence (BI) é a utilização de uma série de ferramentas para coletar, analisar e extrair informações,

Leia mais

Interatividade aliada a Análise de Negócios

Interatividade aliada a Análise de Negócios Interatividade aliada a Análise de Negócios Na era digital, a quase totalidade das organizações necessita da análise de seus negócios de forma ágil e segura - relatórios interativos, análise de gráficos,

Leia mais

Módulo 2. Definindo Soluções OLAP

Módulo 2. Definindo Soluções OLAP Módulo 2. Definindo Soluções OLAP Objetivos Ao finalizar este módulo o participante: Recordará os conceitos básicos de um sistema OLTP com seus exemplos. Compreenderá as características de um Data Warehouse

Leia mais

A importância da. nas Organizações de Saúde

A importância da. nas Organizações de Saúde A importância da Gestão por Informações nas Organizações de Saúde Jorge Antônio Pinheiro Machado Filho Consultor de Negócios www.bmpro.com.br jorge@bmpro.com.br 1. Situação nas Empresas 2. A Importância

Leia mais

e-business A IBM definiu e-business como: GLOSSÁRIO

e-business A IBM definiu e-business como: GLOSSÁRIO Através do estudo dos sistemas do tipo ERP, foi possível verificar a natureza integradora, abrangente e operacional desta modalidade de sistema. Contudo, faz-se necessário compreender que estas soluções

Leia mais

Data Warehouse. Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda

Data Warehouse. Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda Agenda Introdução Contexto corporativo Agenda Introdução Contexto corporativo Introdução O conceito de Data Warehouse surgiu da necessidade de integrar dados corporativos

Leia mais

Plataforma de Business Intelligence

Plataforma de Business Intelligence Plataforma de Business Intelligence ASTEN TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO A Asten é uma empresa do ramo da tecnologia da informação (TI) que tem seu foco na busca por soluções inovadoras. Nosso slogan criando

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING http://www.uniriotec.br/~tanaka/tin0036 tanaka@uniriotec.br Introdução a Data Warehousing e OLAP Introdução a Data Warehouse e Modelagem Dimensional Visão

Leia mais

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento.

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento. BUSINESS INTELLIGENCE Agenda BI Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento Segurança da Objetivo Áreas Conceito O conceito de Business Intelligencenão é recente: Fenícios, persas, egípcios

Leia mais

Volpe Enterprise Resource Planning

Volpe Enterprise Resource Planning Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado, reproduzido, traduzido ou reduzido a qualquer mídia eletrônica ou máquina de leitura, sem a expressa

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani BI Business Intelligence A inteligência Empresarial, ou Business Intelligence, é um termo do Gartner Group. O conceito surgiu na década de 80 e descreve

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 4.2 2 1 BI BUSINESS INTELLIGENCE BI CARLOS BARBIERI

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios-

BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios- UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS, HUMANAS E SOCIAIS BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios- Curso: Administração Hab. Sistemas de Informações Disciplina: Gestão de Tecnologia

Leia mais

Business Intelligence Um enfoque gerencial para a Inteligência do Negócio.Efrain Turban e outros.tradução. Bookman, 2009.

Business Intelligence Um enfoque gerencial para a Inteligência do Negócio.Efrain Turban e outros.tradução. Bookman, 2009. REFERÊNCIAS o o Business Intelligence Um enfoque gerencial para a Inteligência do Negócio.Efrain Turban e outros.tradução. Bookman, 2009. Competição Analítica - Vencendo Através da Nova Ciência Davenport,

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Data Warehouse - Conceitos Hoje em dia uma organização precisa utilizar toda informação disponível para criar e manter vantagem competitiva. Sai na

Leia mais

Business Intelligence

Business Intelligence 1/ 24 Business Intelligence Felipe Ferreira 1 Nossa empresa Jornal O Globo Jornais Populares Parcerias Grupo Folha Grupo Estado 2 1 Fundada em 1925 3100 funcionários 2 Parques Gráficos e SP Globo: 220

Leia mais

Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e de bancos de dados

Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e de bancos de dados Fundamentos da inteligência de negócios: gestão da informação e de bancos de dados slide 1 1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Objetivos de estudo Como um banco de dados

Leia mais

Data Warehouse Processos e Arquitetura

Data Warehouse Processos e Arquitetura Data Warehouse - definições: Coleção de dados orientada a assunto, integrada, não volátil e variável em relação ao tempo, que tem por objetivo dar apoio aos processos de tomada de decisão (Inmon, 1997)

Leia mais

Curso Data warehouse e Business Intelligence

Curso Data warehouse e Business Intelligence Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Apresentação Os projetos de Data Warehouse e Business Intelligence são dos mais interessantes e complexos de desenvolver

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI)

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Business Intelligence Inteligência Competitiva tem por fornecer conhecimento

Leia mais

SAD orientado a DADOS

SAD orientado a DADOS Universidade do Contestado Campus Concórdia Curso de Sistemas de Informação Prof.: Maico Petry SAD orientado a DADOS DISCIPLINA: Sistemas de Apoio a Decisão SAD orientado a dados Utilizam grandes repositórios

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Lembrando... Aula 4 1 Lembrando... Aula 4 Sistemas de apoio

Leia mais

Banco de Dados - Senado

Banco de Dados - Senado Banco de Dados - Senado Exercícios OLAP - CESPE Material preparado: Prof. Marcio Vitorino OLAP Material preparado: Prof. Marcio Vitorino Soluções MOLAP promovem maior independência de fornecedores de SGBDs

Leia mais

Chapter 3. Análise de Negócios e Visualização de Dados

Chapter 3. Análise de Negócios e Visualização de Dados Chapter 3 Análise de Negócios e Visualização de Dados Objetivos de Aprendizado Descrever a análise de negócios (BA) e sua importância par as organizações Listar e descrever brevemente os principais métodos

Leia mais

Bloco Administrativo

Bloco Administrativo Bloco Administrativo BI Business Intelligence Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Business Intelligence, que se encontra no Bloco Administrativo. Todas informações aqui

Leia mais

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br Data Warehousing Leonardo da Silva Leandro Agenda Conceito Elementos básicos de um DW Arquitetura do DW Top-Down Bottom-Up Distribuído Modelo de Dados Estrela Snowflake Aplicação Conceito Em português:

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE IV: Fundamentos da Inteligência de Negócios: Gestão da Informação e de Banco de Dados Um banco de dados é um conjunto de arquivos relacionados

Leia mais

TÉCNICAS DE INFORMÁTICA WILLIAN FERREIRA DOS SANTOS

TÉCNICAS DE INFORMÁTICA WILLIAN FERREIRA DOS SANTOS TÉCNICAS DE INFORMÁTICA WILLIAN FERREIRA DOS SANTOS Vimos em nossas aulas anteriores: COMPUTADOR Tipos de computadores Hardware Hardware Processadores (CPU) Memória e armazenamento Dispositivos de E/S

Leia mais

Business Intelligence para Computação TítuloForense. Tiago Schettini Batista

Business Intelligence para Computação TítuloForense. Tiago Schettini Batista Business Intelligence para Computação TítuloForense Tiago Schettini Batista Agenda Empresa; Crescimento de Dados; Business Intelligence; Exemplos (CGU, B2T) A empresa Empresa fundada em 2003 especializada

Leia mais

1º No módulo de Gestão Contábil é possível acessar o relatório através do menu Relatórios Razão.

1º No módulo de Gestão Contábil é possível acessar o relatório através do menu Relatórios Razão. Impairment Produto : TOTVS Gestão Contábil 12.1.1 Processo : Relatórios Subprocesso : Razão Data publicação da : 12/11/2014 O relatório razão tem a finalidade de demonstrar a movimentação analítica das

Leia mais

srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo

srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo CBSI Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação BI Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Tópicos Especiais em Sistemas de Informação Faculdade de Computação Instituto

Leia mais

Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura

Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Apresentação Os projetos de Data Warehouse e Business Intelligence são dos mais interessantes e complexos de desenvolver

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES.

BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES. Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 88 BUSINESS INTELLIGENCE, O ELEMENTO CHAVE PARA O SUCESSO DAS ORGANIZAÇÕES. Andrios Robert Silva Pereira, Renato Zanutto

Leia mais

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Sistema Tipos de sistemas de informação Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Um sistema pode ser definido como um complexo de elementos em interação (Ludwig Von Bertalanffy) sistema é um conjunto

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - TI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - TI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - TI Elaborado e adaptado por: Prof.Mestra Rosimeire Ayres Aula 6 Fazendo BI NO EXCEL USANDO TABELA DINÂMICA EXCEL PARA TOMADA DE DECISÕES A ferramenta é nada, o talento é tudo.

Leia mais

Data Warehouse. Diogo Matos da Silva 1. Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, MG, Brasil. Banco de Dados II

Data Warehouse. Diogo Matos da Silva 1. Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, MG, Brasil. Banco de Dados II Data Warehouse Diogo Matos da Silva 1 1 Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, MG, Brasil Banco de Dados II Diogo Matos (DECOM - UFOP) Banco de Dados II Jun 2013 1 /

Leia mais

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Processos de Compras Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar 1 Centro Cascavel PR www.tecinco.com.br Sumário Controle de Compras... 4 Parametrização... 4 Funcionamento... 4 Processo de Controle...

Leia mais

Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence

Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence. Business Intelligence Juntamente com o desenvolvimento desses aplicativos surgiram os problemas: & Data Warehouse July Any Rizzo Oswaldo Filho Década de 70: alguns produtos de BI Intensa e exaustiva programação Informação em

Leia mais

Sistemas de Informações

Sistemas de Informações Sistemas de Informações Prof. Marco Pozam- mpozam@gmail.com A U L A 0 3 Ementa da disciplina Sistemas de Informações Gerenciais: Conceitos e Operacionalização. Suporte ao processo decisório. ERP Sistemas

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

Alinhamento Prático Ferramenta ARIS Operação Básica

Alinhamento Prático Ferramenta ARIS Operação Básica Alinhamento Prático Ferramenta ARIS Operação Básica AGENDA Ferramenta ARIS Operação do módulo básico ARIS Explorer Estruturação dos componentes Login na base de dados Manipulação de grupos Objetos Conexões

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO ÍNDICE Relatórios Dinâmicos... 3 Requisitos de Sistema... 4 Estrutura de Dados... 5 Operadores... 6 Tabelas... 7 Tabelas x Campos... 9 Temas... 13 Hierarquia Relacionamento...

Leia mais

5 Estudo de Caso. 5.1. Material selecionado para o estudo de caso

5 Estudo de Caso. 5.1. Material selecionado para o estudo de caso 5 Estudo de Caso De modo a ilustrar a estruturação e representação de conteúdos educacionais segundo a proposta apresentada nesta tese, neste capítulo apresentamos um estudo de caso que apresenta, para

Leia mais

MATERIAL DIDÁTICO: APLICAÇÕES EMPRESARIAIS SISTEMA DE APOIO À DECISÃO (SAD)

MATERIAL DIDÁTICO: APLICAÇÕES EMPRESARIAIS SISTEMA DE APOIO À DECISÃO (SAD) AULA 07 MATERIAL DIDÁTICO: APLICAÇÕES EMPRESARIAIS SISTEMA DE APOIO À DECISÃO (SAD) JAMES A. O BRIEN MÓDULO 01 Páginas 286 à 294 1 AULA 07 SISTEMAS DE APOIO ÀS DECISÕES 2 Sistemas de Apoio à Decisão (SAD)

Leia mais

AULAS 11 e 12 BUSINESS INTELLIGENCE INTELIGÊNCIA NOS NEGÓCIOS

AULAS 11 e 12 BUSINESS INTELLIGENCE INTELIGÊNCIA NOS NEGÓCIOS AULAS 11 e 12 BUSINESS INTELLIGENCE INTELIGÊNCIA NOS NEGÓCIOS CONCEITO Business (negócio): Quer dizer a intermediação de uma atividade comercial com fins lucrativos. Intelligence (inteligência): Faculdade

Leia mais

Complemento I - Noções Introdutórias em Data Warehouses

Complemento I - Noções Introdutórias em Data Warehouses Complemento I - Noções Introdutórias em Data Warehouses Esse documento é parte integrante do material fornecido pela WEB para a 2ª edição do livro Data Mining: Conceitos, técnicas, algoritmos, orientações

Leia mais

Data Warehouses. Alunos: Diego Antônio Cotta Silveira Filipe Augusto Rodrigues Nepomuceno Marcos Bastos Silva Roger Rezende Ribeiro Santos

Data Warehouses. Alunos: Diego Antônio Cotta Silveira Filipe Augusto Rodrigues Nepomuceno Marcos Bastos Silva Roger Rezende Ribeiro Santos Data Warehouses Alunos: Diego Antônio Cotta Silveira Filipe Augusto Rodrigues Nepomuceno Marcos Bastos Silva Roger Rezende Ribeiro Santos Conceitos Básicos Data Warehouse(DW) Banco de Dados voltado para

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE PLUG-INS KETTLE PARA GERAÇÃO DE MONDRIAN SCHEMA A PARTIR DE BASES RELACIONAIS, UTILIZANDO A METODOLOGIA AGILE ROLAP.

DESENVOLVIMENTO DE PLUG-INS KETTLE PARA GERAÇÃO DE MONDRIAN SCHEMA A PARTIR DE BASES RELACIONAIS, UTILIZANDO A METODOLOGIA AGILE ROLAP. DESENVOLVIMENTO DE PLUG-INS KETTLE PARA GERAÇÃO DE MONDRIAN SCHEMA A PARTIR DE BASES RELACIONAIS, UTILIZANDO A METODOLOGIA AGILE ROLAP. Eduardo Cristovo de Freitas Aguiar (PIBIC/CNPq), André Luís Andrade

Leia mais

Business Intelligence

Business Intelligence e-book Senior Business Intelligence 1 Índice 03 05 08 14 17 20 22 Introdução Agilize a tomada de decisão e saia à frente da concorrência Capítulo 1 O que é Business Intelligence? Capítulo 2 Quatro grandes

Leia mais

Novidades Versão 11.08a

Novidades Versão 11.08a 1. VISÃO GERAL 1.1 MODIFICAÇÕES E ATUALIZAÇÕES: Foram adicionadas diversas funcionalidades nos Módulos Doc-e, Produção, CRM, no Sistema de Gestão Administrativa e no Módulo de Vendas que permitem melhorias

Leia mais

Criação e uso da Inteligência e Governança do BI

Criação e uso da Inteligência e Governança do BI Criação e uso da Inteligência e Governança do BI Criação e uso da Inteligência e Governança do BI Governança do BI O processo geral de criação de inteligência começa pela identificação e priorização de

Leia mais

Processo Decisório, OLAP e Relatórios Corporativos OLAP E RELATÓRIOS CORPORATIVOS

Processo Decisório, OLAP e Relatórios Corporativos OLAP E RELATÓRIOS CORPORATIVOS Processo Decisório, OLAP e Relatórios Corporativos OLAP E RELATÓRIOS CORPORATIVOS Sumário Conceitos/Autores chave... 3 1. Introdução... 5 2. OLAP... 6 3. Operações em OLAP... 8 4. Arquiteturas em OLAP...

Leia mais

Aline França a de Abreu, Ph.D

Aline França a de Abreu, Ph.D Aline França a de Abreu, Ph.D igti.eps.ufsc.br 07 / 10/ 04 Núcleo de estudos Criado em 1997 - UFSC/EPS Equipe multidisciplinar, com aproximadamente 20 integrantes OBJETIVO Gerar uma competência e uma base

Leia mais

Data Warehouse. Djenane Cristina Silveira dos Santos¹, Felipe Gomes do Prado¹, José Justino Neto¹, Márcia Taliene Alves de Paiva¹

Data Warehouse. Djenane Cristina Silveira dos Santos¹, Felipe Gomes do Prado¹, José Justino Neto¹, Márcia Taliene Alves de Paiva¹ Data Warehouse. Djenane Cristina Silveira dos Santos¹, Felipe Gomes do Prado¹, José Justino Neto¹, Márcia Taliene Alves de Paiva¹ ¹Ciência da Computação Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) MG Brasil

Leia mais

Capítulo 13: Tecnologia da Informação. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 13: Tecnologia da Informação. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 13: Tecnologia da Informação Prof.: Roberto Franciscatto Introdução Uma informação é um arranjo de dados (nomes, palavras, números, sons, imagens) capazes de dar forma ou sentido a algo do interesse

Leia mais

Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica

Manual do Sistema Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Editorial Brazil Informatica Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica I Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Conteúdo Part I Introdução

Leia mais

Tecnologia para resultados Mais ERP

Tecnologia para resultados Mais ERP Tecnologia para resultados Mais ERP Cada vez mais as pequenas empresas, precisam e procuram a melhor tecnologia que traga resultados concretos na gestão de seus negócios. Porém a falta de recursos sempre

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

Índice. Business Intelligence Pentaho

Índice. Business Intelligence Pentaho Manual de Sistema Índice Introdução:... 3 Conceito:... 3 1 - Acessando o Sistema... 4 1.1 - Tela inicial... 5 2 - Analisando um Cubo... 6 2.1 Acessando o Cubo... 6 2.2 - Montando Uma Visão... 7 3 - Navegando

Leia mais

RELATÓRIOS GERENCIAIS

RELATÓRIOS GERENCIAIS RELATÓRIOS GERENCIAIS Com base na estrutura organizacional de uma entidade, a parte gerencial é o processo administrativo, onde se traça toda a estrutura fundamental para elaboração do planejamento da

Leia mais

Prova INSS RJ - 2007 cargo: Fiscal de Rendas

Prova INSS RJ - 2007 cargo: Fiscal de Rendas Prova INSS RJ - 2007 cargo: Fiscal de Rendas Material de Apoio de Informática - Prof(a) Ana Lucia 53. Uma rede de microcomputadores acessa os recursos da Internet e utiliza o endereço IP 138.159.0.0/16,

Leia mais

MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS

MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS 1 Conteúdo Apresentação... 3 1 Página Principal do Sistema... 4 2 Telas de busca... 8 3 Teclas de Navegação... 11 4 Tela de Menu de Relatório... 12 5 Telas de

Leia mais

Sobre o que falaremos nesta aula?

Sobre o que falaremos nesta aula? Business Intelligence - BI Inteligência de Negócios Prof. Ricardo José Pfitscher Elaborado com base no material de: José Luiz Mendes Gerson Volney Lagmman Introdução Sobre o que falaremos nesta aula? Ferramentas

Leia mais

Versão 07/2012. Gerador de Relatórios

Versão 07/2012. Gerador de Relatórios Gerador de Relatórios 1 ÍNDICE 1 CRIAR UM NOVO RELATÓRIO... 4 1.1 Elementos Básicos... 6 1.2 Criar um relatório simples... 11 1.2.1 Ferramentas... 12 1.2.3 Alterar o Título dos Campos... 13 1.2.4 Alterar

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 4.1 2 1 Material usado na montagem dos Slides BARBIERI,

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA ACADEMIA

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA ACADEMIA Página: 1/16 CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DA ACADEMIA Módulo CBDS (Central de Banco de Dados Senior) A quem se destina: Todos que tiverem a necessidade de administrar os dados da base de dados da Senior Sistemas

Leia mais

Palavras-chave: On-line Analytical Processing, Data Warehouse, Web mining.

Palavras-chave: On-line Analytical Processing, Data Warehouse, Web mining. BUSINESS INTELLIGENCE COM DADOS EXTRAÍDOS DO FACEBOOK UTILIZANDO A SUÍTE PENTAHO Francy H. Silva de Almeida 1 ; Maycon Henrique Trindade 2 ; Everton Castelão Tetila 3 UFGD/FACET Caixa Postal 364, 79.804-970

Leia mais

GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0. Conteúdo

GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0. Conteúdo GERADOR DE RELATÓRIOS WINREPORT VERSÃO 2.0 Este manual foi desenvolvido com o objetivo de documentar as principais funcionalidades do Gerador de Relatórios WinReport versão 2.0. Conteúdo 1. Tela Principal...

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. ERP, CRM, BI, Data mining, Data warehouse, ETL Gerenciamento de Dados e Conhecimento

Estratégias em Tecnologia da Informação. ERP, CRM, BI, Data mining, Data warehouse, ETL Gerenciamento de Dados e Conhecimento Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 ERP, CRM, BI, Data mining, Data warehouse, ETL Gerenciamento de Dados e Conhecimento Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para

Leia mais

Uma Ferramenta Web para BI focada no Gestor de Informação

Uma Ferramenta Web para BI focada no Gestor de Informação Uma Ferramenta Web para BI focada no Gestor de Informação Mikael de Souza Fernandes 1, Gustavo Zanini Kantorski 12 mikael@cpd.ufsm.br, gustavoz@cpd.ufsm.br 1 Curso de Sistemas de Informação, Universidade

Leia mais

Sistemas de Apoio à Inteligência do Negócio

Sistemas de Apoio à Inteligência do Negócio Sistemas de Apoio à Inteligência do Negócio http://www.uniriotec.br/~tanaka/sain tanaka@uniriotec.br Visão Geral de Business Intelligence Evolução dos Sistemas de Informação (computadorizados) 1950 s:

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO DW NA ANVISA

IMPLANTAÇÃO DO DW NA ANVISA IMPLANTAÇÃO DO DW NA ANVISA Bruno Nascimento de Ávila 1 Rodrigo Vitorino Moravia 2 Maria Renata Furtado 3 Viviane Rodrigues Silva 4 RESUMO A tecnologia de Business Intelligenge (BI) ou Inteligência de

Leia mais

Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados

Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Ferramentaspara Tomadade Decisão Prof.: Fernando Hadad Zaidan Unidade 1.2 1 Conceitos Iniciais Tomada de Decisão, Modelagem

Leia mais

G-Bar. Módulo Básico Versão 4.0

G-Bar. Módulo Básico Versão 4.0 G-Bar Software para Gerenciamento de Centrais de Corte e Dobra de Aço Módulo Básico Versão 4.0 Pedidos de Vendas Manual do Usuário 1 As informações contidas neste documento, incluindo links, telas e funcionamento

Leia mais

Módulo 1. Introdução ao Business Intelligence

Módulo 1. Introdução ao Business Intelligence Módulo 1. Introdução ao Business Intelligence Objetivos Fornecer uma visão sobre a finalidade de um sistema de suporte para tomada de decisões: Conhecer quais sistemas informatizados atuam em cada componente

Leia mais

MANUAL GERADOR DE RELATÓRIOS. Índice

MANUAL GERADOR DE RELATÓRIOS. Índice Índice Sobre o Gerador de Relatórios... 3 1 CRIAR UM NOVO RELATÓRIO... 4 1.1 Elementos Básicos... 5 1.2 Criar um relatório simples... 10 1.2.1 Ferramentas... 11 1.2.3 Alterar o Título dos Campos... 12

Leia mais

MVREP- Manual do Gerador de Relatórios. ÍNDICE

MVREP- Manual do Gerador de Relatórios. ÍNDICE ÍNDICE ÍNDICE... 1 CAPÍTULO 01 PREPARAÇÃO DO AMBIENTE... 2 1.1 IMPORTAÇÃO DO DICIONÁRIO DE DADOS... 2 CAPÍTULO 02 CADASTRO E CONFIGURAÇÃO DE RELATÓRIOS... 4 2.1 CADASTRO DE RELATÓRIOS... 4 2.2 SELEÇÃO

Leia mais

Planejamento e Orçamento

Planejamento e Orçamento Planejamento e Orçamento O SIPLAG Sistema Integrado de Planejamento, Orçamento e Gestão, é um sistema voltado à gestão governamental, permitindo a elaboração do Plano Plurianual, da Lei Orçamentária Anual,

Leia mais

WebAnalytics. presença digital

WebAnalytics. presença digital WebAnalytics presença digital 1. WebAnalytics O que é WA Monitoramento e reporte sobre o uso das mídias digitais para que se possa ter melhor entendimento entre as interações dos visitantes e as ações

Leia mais