Anestesia no Paciente com Demência: Quais os desafios?

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Anestesia no Paciente com Demência: Quais os desafios?"

Transcrição

1 47a Jornada Sul Brasileira de Anestesia 22a JARGS Canela 29 de abril de 2012 Anestesia no Paciente com Demência: Quais os desafios? Gustavo Ayala de Sá TSA - Co-responsável pelo CET SAMPE-HCPA

2 Demência Mais comum doença neurodegenerativa no idoso. Doença de Alzheimer é a mais comum causa (80%): 0,9% dos maiores de 65 anos. 14,7% dos maiores de 85 anos; 26,6 milhões de pessoas no mundo em milhões de pessoas no mundo em Dement 3, , 2007

3 Doença de Alzheimer Déficit cognitivo e de memória progressivo. Depósito de peptídeo amilóide β extracelular Placas senis. Proteína Tau fosforilada Bandas microfibrilares intraneuronais. Lancet 368, , 2006

4 Doença de Alzheimer 99% casos esporádicos tardios. Causa multifatorial. A Idade é o principal fator de risco. Lancet 368, , 2006

5 Ann Surg 238:170 7, 2003

6 Best Practice & Research Clinical Anaesthesiology 25: , 2011

7 Perguntas A anestesia ou a cirurgia pode interferir negativamente na evolução da demência? Quais os cuidados a serem tomados no paciente com demência ou défict cognitivo submetidos a anestesia?

8 Anestesia e Doença de Alzheimer

9 Anestesia e Doença de Alzheimer Déficit cognitivo pós-operatório. Quadro clínico demencial transitório. Alterações bioquímicas similares ao Alzheimer Critérios diagnósticos não estabelecidos. Sugestão clínica de Anestesia x Alzheimer: RC 3,22 (1,03 10,09) > 80 anos (Neurologia 24: )

10 Drogas Anestésicas e Alzheimer

11 Drogas Anestésicas e Alzheimer Anestésicos inalatórios em cobaias: Produção de beta amilóide. Formação de placas senis. Oligomerização do beta amilóide. Fosforilação e depósito da proteína Tau. Hipotermia. Frontiers in neuroscience 4: 1-7, 2011

12 Anestésicos Oligomerização do β-amilóide Ativação de Cinases Hipotermia Fosforilação da proteína Tau Plasticidade sináptica reduzida Bandas microtubulares Neurodegeneração e déficit cognitivo Frontiers in neuroscience 4: 1-7, 2011

13 Drogas Anestésicas e Alzheimer Anestésicos inalatórios X Anestésicos venosos e opióide Frontiers in neuroscience 4: 1-7, 2011

14 Evidências Clínicas Anestesia geral x Déficit cognitivo pós-operatório persistente: Sem correlação clínica demonstrável. Meta-análise pacientes (Indian J Anesthesia 55 (4): , 2011). Anestesia X Demência: Sem correlação clínica demonstrável. Revisão sistemática (J Alzheimer s Disease 24: ).

15 Evidências Clínicas Cirurgia x Déficit cognitivo pós-operatório persistente: Sem correlação clínica demonstrável. Revisão sistemática (Anesthesiology 106: ).

16 Cuidados no Paciente com Déficit Cognitivo

17 Cuidados no Paciente com Déficit Cognitivo Avaliação pré-operatória. Profundidade anestésica. Dor pós-operatória.

18 Cuidados no Paciente com Déficit Cognitivo Avaliação pré-operatória: Quantificação, causa e evolução recente. 18% > 75 anos. Grau de dependência. Registro. Consentimento.

19 Cuidados no Paciente com Déficit Cognitivo Profundidade anestésica : Anestesia profunda parece ser protetora (Acta Anaesthesiol Scand 54: 162 8, 2010). BIS Basal é menor em pacientes dementes (Anesthesia Analgesia 96(5): , 2003). Maior efeito clínico das drogas anestésicas hipnóticas (British Journal of Anaesthesia 105 (3): 342 6, 2010).

20 Cuidados no Paciente com Déficit Cognitivo Dor pós-operatória: Delirium. Déficit cognitivo pós-opratório Retarda a recuperação. Morbidade. Diculdades na avaliação da dor:

21 Cuidados no Paciente com Déficit Cognitivo Dor pós-operatória: Dificuldades na avaliação da dor: Demência leve: escala discriminatória verbal (nenhum, mínima, leve, moderada e grave) Não verbalização ou demência grave: Escalas comportamentais (PAINAID). Best Practice & Research Clinical Anaesthesiology 25 (2011)

22 PAIN AID

23 Cuidados no Paciente com Déficit Cognitivo Dor pós-operatória: Idoso demente x Idoso normal: Mesmos índices de dor. Menos tratamento. Best Practice & Research Clinical Anaesthesiology 25 (2011)

24 Cuidados no Paciente com Déficit Cognitivo Dor pós-operatória: Busca ativa de dor. Tratar sempre que houver dúvida. Dar preferência a técnicas regionais. Best Practice & Research Clinical Anaesthesiology 25 (2011)

25 Pontos Chave Anestesia tem potencial de induzir demência. Não há evidências clínicas que impliquem a anestesia ou a cirurgica no desenvolvimento de quadros demenciais.

26 Pontos Chave Não há evidências para indicar qualquer técnica anestésica em detrimento de outra para prevenir demência ou déficit cognitivo pós-operatório. A dor pós-operatória deve ser tratada agressivamente por busca ativa preferencialmente por técnicas regionais.

CAPACIDADE FUNCIONAL E QUALIDADE DE VIDA DO PACIENTE COM DEMÊNCIA DE ALZHEIMER

CAPACIDADE FUNCIONAL E QUALIDADE DE VIDA DO PACIENTE COM DEMÊNCIA DE ALZHEIMER CAPACIDADE FUNCIONAL E QUALIDADE DE VIDA DO PACIENTE COM DEMÊNCIA DE ALZHEIMER Clariany Soares Cardoso 1 ; Gustavo Christofoletti 2 ; Eberson da Silva Rodrigues do Nascimento 3 1 Bolsista PBIC/UEG, graduada

Leia mais

TEMA: RIVASTIGMINA NO TRATAMENTO DA DOENÇA DE ALZHEIMER

TEMA: RIVASTIGMINA NO TRATAMENTO DA DOENÇA DE ALZHEIMER Data: 13/12/2013 NTRR 254/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Solicitante: Pedro Guimarães Pereira Juiz de Direito, 2ª Vara da Comarca de Várzea da Palma Número do processo: 0044371-71.2013.8.13.0708

Leia mais

TEMA: QUETIAPINA NO TRATAMENTO DA AGITAÇÃO PSICOMOTORA DE PACEINTE PORTADOR DE DOENÇA DE ALZHEIMER

TEMA: QUETIAPINA NO TRATAMENTO DA AGITAÇÃO PSICOMOTORA DE PACEINTE PORTADOR DE DOENÇA DE ALZHEIMER NTRR63/2013 Solicitante: Des. Alyrio Ramos Desembargador da 8ª Câm. Cível - TJMG Número do processo:1.0145.12.066387-0/001 Réu: Estado de Minas e Município de Pirapora Data: 03/05/2013 Medicamento X Material

Leia mais

ALZHEIMER BIOMARCADORES PARA MONITORAMENTO CLÍNICO

ALZHEIMER BIOMARCADORES PARA MONITORAMENTO CLÍNICO ALZHEIMER BIOMARCADORES PARA MONITORAMENTO CLÍNICO ALZHEIMER BIOMARCADORES PARA MONITORAMENTO CLÍNICO Teste Elisa para quantificação de antígenos ß-amiloide(1-42), TAU e Fosfo- TAU em fluído cérebro espinhal

Leia mais

PARECER CREMEC Nº 26/2011 01/10/2011

PARECER CREMEC Nº 26/2011 01/10/2011 PARECER CREMEC Nº 26/2011 01/10/2011 Processo-Consulta Protocolo CREMEC nº 5032/2011 Assunto: DOENÇA DE ALZHEIMER Relatora: DRA. PATRÍCIA MARIA DE CASTRO TEIXEIRA EMENTA: DOENÇA DE ALZHEIMER. PORTADOR.

Leia mais

Rivastigmina (Port.344/98 -C1)

Rivastigmina (Port.344/98 -C1) Rivastigmina (Port.344/98 -C1) Alzheimer DCB: 09456 CAS: 129101-54-8 Fórmula molecular: C 14 H 22 N 2 O 2.C 4 H 6 O 6 Nome químico: (S)-N-Ethyl-3-[(1-dimethylamino)ethyl]-N-methylphenylcarbamate hydrogen

Leia mais

CIRURGIA DO NARIZ (RINOPLASTIA)

CIRURGIA DO NARIZ (RINOPLASTIA) CIRURGIA DO NARIZ (RINOPLASTIA) Anualmente milhares de pessoas se submetem a rinoplastia. Algumas destas pessoas estão insatisfeitas com a aparência de seus narizes há muito tempo; outras não estão contentes

Leia mais

Implante de Silicone nos Seios. 8 Questões frequentes

Implante de Silicone nos Seios. 8 Questões frequentes Implante de Silicone nos Seios 8 Questões frequentes Dr. JOÃO CARLOS CORREA ESCHILETTI Médico formado pela UFRGS em 1980. Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, é mestre em Medicina

Leia mais

23ª Imagem da Semana: Tomografia computadorizada de crânio

23ª Imagem da Semana: Tomografia computadorizada de crânio 23ª Imagem da Semana: Tomografia computadorizada de crânio Enunciado Paciente do sexo feminino, 86 anos, previamente hígida, há 4 meses com queixas de problemas de memória, déficit de atenção, lentificação

Leia mais

OTOPLASTIA ESTÉTICA (CIRURGIA DE ORELHA):

OTOPLASTIA ESTÉTICA (CIRURGIA DE ORELHA): OTOPLASTIA ESTÉTICA (CIRURGIA DE ORELHA): A orelha em abano é uma deformidade que pode ser encontrada em vários membros de uma mesma família, constituindo-se em uma característica estigmatizante e que

Leia mais

DOENÇA DE ALZHEIMER: FATORES FISIOPATOLÓGICOS, BIOQUÍMICOS E GÊNICOS

DOENÇA DE ALZHEIMER: FATORES FISIOPATOLÓGICOS, BIOQUÍMICOS E GÊNICOS DOENÇA DE ALZHEIMER: FATORES FISIOPATOLÓGICOS, BIOQUÍMICOS E GÊNICOS Aracele Silva Cardoso, Jéssica Lorrayne Viana Ferreira, Larissa Godoy Del Fiaco e Rodrigo da Silva Santos Faculdade de Medicina Alfredo

Leia mais

BLEFAROPLASTIA (cirurgia plástica das pálpebras)

BLEFAROPLASTIA (cirurgia plástica das pálpebras) BLEFAROPLASTIA (cirurgia plástica das pálpebras) Fatores como: idade, textura da pele, distúrbios da acuidade visual, problemas emocionais, etc., poderão deixar como conseqüência sua marca no território

Leia mais

HISTÓRIA HISTÓRIA DIAGNÓSTICO E CLASSIFICAÇÃO DOS TRANSTORNOS MENTAIS. Paradigma da alienação mental. Paradigma das doenças mentais

HISTÓRIA HISTÓRIA DIAGNÓSTICO E CLASSIFICAÇÃO DOS TRANSTORNOS MENTAIS. Paradigma da alienação mental. Paradigma das doenças mentais DIAGNÓSTICO E CLASSIFICAÇÃO DOS TRANSTORNOS MENTAIS Prof. José Reinaldo do Amaral Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Psicologia PSICOPATOLOGIA GERAL 2013 / 2 HISTÓRIA Paradigma da

Leia mais

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE DEFESA DA SAÚDE CESAU

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE DEFESA DA SAÚDE CESAU ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 01 /2014 - CESAU Objeto: Parecer. Promotoria de Justiça GESAU / Medicamento Rivastigmina para tratamento de Alzheimer REFERÊNCIA: Grupo de Atuação Especial de Defesa da Saúde - GESAU

Leia mais

EFEITOS DA PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA MENTE ATIVA NO EQUILÍBRIO E COGNIÇÃO DE PARTICIPANTE COM DOENÇA DE ALZHEIMER

EFEITOS DA PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA MENTE ATIVA NO EQUILÍBRIO E COGNIÇÃO DE PARTICIPANTE COM DOENÇA DE ALZHEIMER EFEITOS DA PARTICIPAÇÃO NO PROGRAMA MENTE ATIVA NO EQUILÍBRIO E COGNIÇÃO DE PARTICIPANTE COM DOENÇA DE ALZHEIMER EFFECTS OF PARTICIPATION IN THE PROGRAM " MENTE ATIVO" IN BALANCE AND COGNITIVE FUNCTION

Leia mais

ANESTESIA E ANALGESIA PÓS-OPERATÓRIA: PRINCÍPIOS GERAIS

ANESTESIA E ANALGESIA PÓS-OPERATÓRIA: PRINCÍPIOS GERAIS ANESTESIA E ANALGESIA PÓS-OPERATÓRIA: PRINCÍPIOS GERAIS André P. Schmidt, MD, PhD, TSA/SBA Co-responsável pelo CET do Serviço de Anestesia e Medicina Perioperatória do Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

Leia mais

DO TERMO DE CONSENTIMENTO

DO TERMO DE CONSENTIMENTO : DO TERMO DE CONSENTIMENTO AO CHECK LIST E fªl i Li Enfª Luciana Lima Hospital Procardíaco Aliança Mundial para Segurança do paciente Cirurgias seguras salvam vidas Check list baseado nas recomendações

Leia mais

Médico formado pela. Sobre o Autor. Implante de Silicone nos Seios. Dr. João Carlos Correa Eschiletti

Médico formado pela. Sobre o Autor. Implante de Silicone nos Seios. Dr. João Carlos Correa Eschiletti Sobre o Autor Médico formado pela UFRGS em 1980. Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, é mestre em Medicina pela Universidade de Porto Portugal. É médico nutrólogo pela Associação

Leia mais

PLANO DE SEDAÇÃO POR ANESTESISTAS NORMA Nº 641

PLANO DE SEDAÇÃO POR ANESTESISTAS NORMA Nº 641 Página: 1/10 1- OBJETIVO 1.1- Estabelecer as regras para a prática de sedação na instituição visando redução do risco e aumento da segurança aos pacientes do Sistema de Saúde Mãe de Deus. 1.2- Fornecer

Leia mais

CIRURGIA DE OTOPLASTIA (PLÁSTICA DE ORELHAS) Termo de ciência e consentimento livre e esclarecido

CIRURGIA DE OTOPLASTIA (PLÁSTICA DE ORELHAS) Termo de ciência e consentimento livre e esclarecido CIRURGIA DE OTOPLASTIA (PLÁSTICA DE ORELHAS) Termo de ciência e consentimento livre e esclarecido Eu, RG n solicito e autorizo o Dr. Fausto A. de Paula Jr, CRM-SP 103073, medico otorrinolaringologista,

Leia mais

Alzheimer: de Volta ao Começo 1

Alzheimer: de Volta ao Começo 1 Alzheimer: de Volta ao Começo 1 Marcelo de Paula LEMOS 2 Marcela Terra Cunha MATARIM 3 Mariana Alves MENDES 4 Celi CAMARGO 5 Universidade de Uberaba, Uberaba, MG RESUMO Alzheimer: de Volta ao Começo é

Leia mais

Urologia Pediátrica Dr. Eulálio Damazio

Urologia Pediátrica Dr. Eulálio Damazio Orientações anestésicas para cirurgias pediátricas urológicas Meu filho vai ser operado. Como será a cirurgia? E a anestesia? São seguras? Ele vai acordar logo? E o jejum? Estas questões são muito comuns

Leia mais

Indicações e Cuidados Transfusionais com o Paciente Idoso

Indicações e Cuidados Transfusionais com o Paciente Idoso Indicações e Cuidados Transfusionais com o Paciente Idoso Dra. Maria Odila Jacob de Assis Moura Centro de Hematologia de São Paulo Setembro/2006 Guidelines 1980 National Institutes of Health 1984 American

Leia mais

MASTOPLASTIA ESTÉTICA DE AUMENTO

MASTOPLASTIA ESTÉTICA DE AUMENTO MASTOPLASTIA ESTÉTICA DE AUMENTO A mama é considerada um dos grandes símbolos da feminilidade, pois além de ser uma das partes mais sensuais do corpo feminino, também está fortemente ligada a maternidade.

Leia mais

MAMOPLASTIA REDUTORA E MASTOPEXIA

MAMOPLASTIA REDUTORA E MASTOPEXIA MAMOPLASTIA REDUTORA E MASTOPEXIA A mastoplastia (mastoplastia) redutora é uma das cirurgias mais realizadas em nosso país, abrangendo uma faixa etária a mais variada possível, desde a adolescência até

Leia mais

Sistematização da Assistência de Enfermagem Perioperatória (SAEP) Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc

Sistematização da Assistência de Enfermagem Perioperatória (SAEP) Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc Sistematização da Assistência de Enfermagem Perioperatória (SAEP) Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc É a realização da prática de enfermagem de modo sistemático (organizado e planejado). Com o objetivo

Leia mais

PRINCIPAIS DIFICULDADES ENCONTRADAS NOS CUIDADOS DO MAL DE ALZHEIMER

PRINCIPAIS DIFICULDADES ENCONTRADAS NOS CUIDADOS DO MAL DE ALZHEIMER ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 PRINCIPAIS DIFICULDADES ENCONTRADAS NOS CUIDADOS DO MAL DE ALZHEIMER Larissa da Silva Wathier 1 ;

Leia mais

Workshop de Ventilação Mecânica Modos Ventilatórios Controlados

Workshop de Ventilação Mecânica Modos Ventilatórios Controlados Workshop de Ventilação Mecânica Modos Ventilatórios Controlados Luiz Fernando R. Falcão, MD, PhD, TSA Professor e Chefe do Serviço de Anestesia, EPM-UNIFESP Pós-doutorado em Bioengenharia Pulmonar, Harvard

Leia mais

Doença de Alzheimer: uma visão epidemiológica quanto ao processo de saúde-doença.

Doença de Alzheimer: uma visão epidemiológica quanto ao processo de saúde-doença. Doença de Alzheimer: uma visão epidemiológica quanto ao processo de saúde-doença. Bruno Araújo da Silva Dantas¹ bruno_asd90@hotmail.com Luciane Alves Lopes² lucianesevla.l@gmail.com ¹ ²Acadêmico(a) do

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA NO CUIDAR DA DOENÇA DE ALZHEIMER

A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA NO CUIDAR DA DOENÇA DE ALZHEIMER A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA NO CUIDAR DA DOENÇA DE ALZHEIMER Resumo Fábio Oliveira D Esquivel Gregório Neto Batista de Sousa Kassio Sousa Dos Santos Marcos Tadeu Franco Nunes Silvo Marcos Ramos Costa No presente

Leia mais

TEMA: Cloridrato de Memantina para tratamento de Alzheimer

TEMA: Cloridrato de Memantina para tratamento de Alzheimer NTRR 80/2013 Solicitante: Juiz de Direito: Alexsander Antenor Penna Silva Número do processo: 0091428-11.2013.8.13.0183 Data: 30/04/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Impetrato: Estado

Leia mais

Envelhecimento da população realidade portuguesa. Unidade de Neurologia Vânia Almeida

Envelhecimento da população realidade portuguesa. Unidade de Neurologia Vânia Almeida Envelhecimento da população realidade portuguesa Unidade de Neurologia Vânia Almeida 21 de Setembro de 2015 Sumário Definição de Demência Incidência Global de Demência Prevalência Global de Demência Realidade

Leia mais

Gastos com medicamentos para tratamento da Doença de Alzheimer pelo Ministério da Saúde, 2007-2011

Gastos com medicamentos para tratamento da Doença de Alzheimer pelo Ministério da Saúde, 2007-2011 Gastos com medicamentos para tratamento da Doença de Alzheimer pelo Ministério da Saúde, 2007-2011 Marina Guimarães Lima, Cristiane Olinda Coradi Departamento de Farmácia Social da Faculdade de Farmácia

Leia mais

DEMÊNCIAS. Medicina Abril 2007. Francisco Vale Grupo de Neurologia Comportamental HCFMRP-USP

DEMÊNCIAS. Medicina Abril 2007. Francisco Vale Grupo de Neurologia Comportamental HCFMRP-USP DEMÊNCIAS Medicina Abril 2007 Francisco Vale Grupo de Neurologia Comportamental HCFMRP-USP Queixa de memória, autocrítica excessiva depressão, ansiedade efeito de doença sistêmica ou medicação envelhecimento

Leia mais

Serviço de Psicologia do Instituto de Neurologia e Cardiologia de Curitiba:

Serviço de Psicologia do Instituto de Neurologia e Cardiologia de Curitiba: Serviço de Psicologia do Instituto de Neurologia e Cardiologia de Curitiba: Tem por objetivo prestar atendimento aos pacientes internados ou de forma ambulatorial no Hospital, bem como aos seus familiares,

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE DEPRESSÃO E DEMÊNCIA: UM ENFOQUE NA DOENÇA DE ALZHEIMER

RELAÇÃO ENTRE DEPRESSÃO E DEMÊNCIA: UM ENFOQUE NA DOENÇA DE ALZHEIMER DOI: http://dx.doi.org/10.14295/idonline.v6i18.209 96 Pesquisa RELAÇÃO ENTRE DEPRESSÃO E DEMÊNCIA: UM ENFOQUE NA DOENÇA DE ALZHEIMER Rose Heidy Costa Silva (1) Luane Bitu Leal Alencar (2) Emanuel Tavares

Leia mais

CIRURGIA DE RINOSSEPTOPLASTIA. Termo de ciência e consentimento livre e esclarecido

CIRURGIA DE RINOSSEPTOPLASTIA. Termo de ciência e consentimento livre e esclarecido CIRURGIA DE RINOSSEPTOPLASTIA Termo de ciência e consentimento livre e esclarecido O conhecimento e o entendimento das informações abaixo mencionadas são muito importantes antes da realização de qualquer

Leia mais

Demências na Terceira idade. Enfª Mda Josiane Steil Siewert

Demências na Terceira idade. Enfª Mda Josiane Steil Siewert Demências na Terceira idade Enfª Mda Josiane Steil Siewert Grandes síndromes neuropsiquiatricas na terceira idade: Delirium Demencias Depressão Doenças Orgânicas do Cérebro Quando uma pessoa idosa de repente

Leia mais

AS CONSEQUÊNCIAS DA DOENÇA DE ALZHEIMER NA SAÚDE DO IDOSO

AS CONSEQUÊNCIAS DA DOENÇA DE ALZHEIMER NA SAÚDE DO IDOSO AS CONSEQUÊNCIAS DA DOENÇA DE ALZHEIMER NA SAÚDE DO IDOSO OLIVEIRA, Fernanda Caroline Discente do curso de Enfermagem da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva CONTENÇAS, Thaís Santos Docente

Leia mais

Introdução. Classificação Qualis/CAPES. Introdução. Religiosidade. Journal of Rehabilitation Medicine 2011; 43: 316 322. Papel protetor na saúde:

Introdução. Classificação Qualis/CAPES. Introdução. Religiosidade. Journal of Rehabilitation Medicine 2011; 43: 316 322. Papel protetor na saúde: Associação Médico-Espírita do Estado do Espírito Santo Departamento Acadêmico Estudo de Artigo Científico Afeta Saúde Mental, Dor e Qualidade de Vida em Pessoas Idosas em Ambulatório de Reabilitação Luiz

Leia mais

PREVENÇÃO DE INFECÇÃO EM SÍTIO CIRÚRGICO (ISC)

PREVENÇÃO DE INFECÇÃO EM SÍTIO CIRÚRGICO (ISC) PREVENÇÃO DE INFECÇÃO EM SÍTIO CIRÚRGICO (ISC) Enf.ª Cláudia Cristina Castro de Andrade SEC/SCIH devidos créditos! Plágio é Crime! UM POUCO DE HISTÓRIA... Até a metade do século XIX ISC= óbito Joseph Lister,

Leia mais

RESOLUÇÃO CREMEC nº 44/2012 01/10/2012

RESOLUÇÃO CREMEC nº 44/2012 01/10/2012 RESOLUÇÃO CREMEC nº 44/2012 01/10/2012 Define e regulamenta as atividades da sala de recuperação pós-anestésica (SRPA) O Conselho Regional de Medicina do Estado do Ceará, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

Metas Internacionais de Segurança do paciente

Metas Internacionais de Segurança do paciente Metas Internacionais de Segurança do paciente 2011 Missão Defender a saúde da comunidade e contribuir para o aprimoramento do Sistema Único de Saúde Visão Ser reconhecido nacionalmente pela excelência

Leia mais

Título: Achados Clínicos da deglutição e do comportamento alimentar de idosos com demência avançada

Título: Achados Clínicos da deglutição e do comportamento alimentar de idosos com demência avançada Título: Achados Clínicos da deglutição e do comportamento alimentar de idosos com demência avançada Descritores: demência, alimentação, deglutição Introdução: As demências são caracterizadas pela presença

Leia mais

Doença de Alzheimer. Pedro Schestatsky MD, PhD. Prof. Faculdade de Medicina - UFRGS

Doença de Alzheimer. Pedro Schestatsky MD, PhD. Prof. Faculdade de Medicina - UFRGS Doença de Alzheimer Pedro Schestatsky MD, PhD Prof. Faculdade de Medicina - UFRGS DEFINIÇÃO Piora adquirida e persistente da função intelectual com comprometimento de pelo menos três das seguintes esferas:

Leia mais

INTRODUÇÃO (WHO, 2007)

INTRODUÇÃO (WHO, 2007) INTRODUÇÃO No Brasil e no mundo estamos vivenciando transições demográfica e epidemiológica, com o crescente aumento da população idosa, resultando na elevação de morbidade e mortalidade por doenças crônicas.

Leia mais

Nefrolitotripsia Percutânea

Nefrolitotripsia Percutânea Nefrolitotripsia Percutânea A cirurgia renal percutânea é a forma menos agressiva de tratamento para cálculos renais grandes e que não podem ser tratados adequadamente pela fragmentação com os aparelhos

Leia mais

DEMÊNCIAS. MEMÓRIA ORGANICA Memória Hábito, comum a todos os seres vivos.

DEMÊNCIAS. MEMÓRIA ORGANICA Memória Hábito, comum a todos os seres vivos. DEMÊNCIAS I) DEFINIÇÃO Demência pode ser considerada como um prejuízo global da inteligência, memória e personalidade, adquirido na vida adulta. O nível de consciência é claro. É vista mais freqüentemente

Leia mais

Novos Critérios Diagnósticos para Doença de Alzheimer e Comprometimento Cognitivo Leve

Novos Critérios Diagnósticos para Doença de Alzheimer e Comprometimento Cognitivo Leve Novos Critérios Diagnósticos para Doença de Alzheimer e Comprometimento Cognitivo Leve O impacto para a prática de consultório Ivan Hideyo Okamoto Instituto da Memória-NUDEC -UNIFESP Coordenador Dep. Cientifico

Leia mais

Autor: NADINE PEPPE BONAVITA Curso de Psicologia Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde

Autor: NADINE PEPPE BONAVITA Curso de Psicologia Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde 7.00.00.00-0 - CIÊNCIAS HUMANAS 7.07.00.00-1 PSICOLOGIA PARTICIPAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE NO PROCESSO DE REVELAÇÃO DIAGNÓSTICA - INFORMAÇÕES E ORIENTAÇÕES FORNECIDAS ÀS FAMÍLIAS E SUA INFLUÊNCIA

Leia mais

Aspectos Neuropsiquiátricos em Geriatria. Dr. José Eduardo Martinelli Faculdade de Medicina de Jundiaí

Aspectos Neuropsiquiátricos em Geriatria. Dr. José Eduardo Martinelli Faculdade de Medicina de Jundiaí Aspectos Neuropsiquiátricos em Geriatria Dr. José Eduardo Martinelli Faculdade de Medicina de Jundiaí Psiquiatria: Especialidade médica que se dedica ao estudo, diagnóstico, tratamento e à prevenção de

Leia mais

www.drmoksha8.com.br Material de orientação para o cuidador do paciente com doença de Alzheimer Vol. I www.drmoksha8.com.br

www.drmoksha8.com.br Material de orientação para o cuidador do paciente com doença de Alzheimer Vol. I www.drmoksha8.com.br www.drmoksha8.com.br Material destinado exclusivamente à classe médica. Para devolução ou solicitação de informações adicionais, entre em contato com: moksha8 Brasil Distribuidora e Representação de Medicamentos

Leia mais

RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NA DOENÇA DE ALZHEIMER

RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NA DOENÇA DE ALZHEIMER RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NA DOENÇA DE ALZHEIMER ANDREIA GOMES DA SILVA Discente do Curso de Tecnologia em Radiologia das Faculdades Integradas de MARY HELLEN PEREIRA NUNES Discente do Curso de Tecnologia

Leia mais

Alzheimer: o paciente e o cuidador do ponto de vista da Psicologia. Mário Amore Cecchini mario.cecchini@crinorte.org.br

Alzheimer: o paciente e o cuidador do ponto de vista da Psicologia. Mário Amore Cecchini mario.cecchini@crinorte.org.br Alzheimer: o paciente e o cuidador do ponto de vista da Psicologia Alzheimer Doença progressiva Alterações cognitivas e comportamentais Três estágios: leve, moderado e grave Gradativa perda de autonomia

Leia mais

O que é Alzheimer? Perguntas frequentes. Sinônimos: mal de alzheimer, doença de alzheimer

O que é Alzheimer? Perguntas frequentes. Sinônimos: mal de alzheimer, doença de alzheimer O que é Alzheimer? Sinônimos: mal de alzheimer, doença de alzheimer No Brasil, existem cerca de 15 milhões de pessoas com mais de 60 anos de idade. Seis por cento delas sofrem do Mal de Alzheimer, segundo

Leia mais

Dra Tatiana Caloi Cirurgiã Plástica CREMESP 91347 TERMO DE CONSENTIMENTO INFORMADO

Dra Tatiana Caloi Cirurgiã Plástica CREMESP 91347 TERMO DE CONSENTIMENTO INFORMADO . TERMO DE CONSENTIMENTO INFORMADO 1- EU,, portador (a) do CPF nº, por determinação explícita de minha vontade, reconheço DRA TATIANA MARTINS CALOI, médica inscrita no CREMESP sob o nº 91347, como profissional

Leia mais

Índice Bispestral Bis

Índice Bispestral Bis CAPÍTULO 32 Leonardo Teixeira Domingues Duarte, TSA/SBA* Introdução Desde a descrição dos estágios da anestesia com éter por John Snow, em 1847, permance o interesse em medir a profundidade da anestesia.

Leia mais

Tratamento Fisioterápico para as Doenças Alzheimer e Parkinson

Tratamento Fisioterápico para as Doenças Alzheimer e Parkinson Tratamento Fisioterápico para as Doenças Alzheimer e Parkinson Gustavo Nunes Pereira Fisioterapeuta Graduado PUCRS Coordenador Grupo de Interesse em Fisioterapia SBGG-RS Doutorando em Gerontologia Biomédica

Leia mais

Neurotoxicidade dos Fármacos Anestésicos: Evidências Atuais. Luiz Alfredo Jung Porto Alegre, RS

Neurotoxicidade dos Fármacos Anestésicos: Evidências Atuais. Luiz Alfredo Jung Porto Alegre, RS Neurotoxicidade dos Fármacos Anestésicos: Evidências Atuais Luiz Alfredo Jung Porto Alegre, RS 1 Neurotoxicidade dos fármacos anestésicos: Evidências atuais Luiz Alfredo Jung, Porto Alegre 2 Ikonomidou

Leia mais

Sala Bem. Não se pode avaliar o desempenho de uma Sala. A Sala de Recuperação Pós-Anestésica é uma delicada

Sala Bem. Não se pode avaliar o desempenho de uma Sala. A Sala de Recuperação Pós-Anestésica é uma delicada Gestão Foto: dreamstime.com Sala Bem do A Sala de Recuperação Pós-Anestésica é uma delicada engrenagem de um complexo sistema. Uma falha, e o esforço que envolveu o trabalho de dezenas de profissionais

Leia mais

Alzheimer, a dor do esquecimento

Alzheimer, a dor do esquecimento Tipo de mídia: Internet Site: Época Online Duração da matéria: 12 57 Alzheimer, a dor do esquecimento A rotina e os desafios de pacientes e cuidadores NATHALIA TAVOLIERI 16/01/2014 Após perder a mulher,

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 33

PROVA ESPECÍFICA Cargo 33 27 PROVA ESPECÍFICA Cargo 33 QUESTÃO 41 Kendler e colaboradores (1983), segundo Paulo Dalgalarrondo, propuseram uma série de dimensões da atividade delirante, que seriam indicadoras da gravidade do delírio.

Leia mais

www.drmoksha8.com.br

www.drmoksha8.com.br www.drmoksha8.com.br Material destinado exclusivamente à classe médica. Para devolução ou solicitação de informações adicionais, entre em contato com: moksha8 Brasil Distribuidora e Representação de Medicamentos

Leia mais

Maisa Kairalla e Valmari Aranha Presidentes da comissão científica do Gerp.13 PROGRAMAÇÃO PRELIMINAR

Maisa Kairalla e Valmari Aranha Presidentes da comissão científica do Gerp.13 PROGRAMAÇÃO PRELIMINAR Gerp.13: Educação, Ciência e Inovação Neste encontro, primaremos pelo conhecimento e atualização, assim, teremos exposições em formato de highlights, updates e a inovação de grandes temas em forma de cartas

Leia mais

Um estudo da Universidade Stanford reforça o papel da finasterida, comumente usada contra a calvície, na prevenção ao câncer de próstata

Um estudo da Universidade Stanford reforça o papel da finasterida, comumente usada contra a calvície, na prevenção ao câncer de próstata Um estudo da Universidade Stanford reforça o papel da finasterida, comumente usada contra a calvície, na prevenção ao câncer de próstata Naiara Magalhães Ricardo Benichio MAIS SEGURANÇA Depois de cinco

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar SNC baixo grau

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar SNC baixo grau Diretrizes Assistenciais Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar SNC baixo grau Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Protocolo de Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos:

Leia mais

Deficiência Mental O QUE É A DEMÊNCIA?

Deficiência Mental O QUE É A DEMÊNCIA? Deficiência Mental Nesta publicação trataremos de um tema de grande importância para toda a comunidade que é o Estudo das Demências. Graças à melhora das condições sanitárias e de cuidados com a saúde,

Leia mais

Ajudando a melhorar a qualidade dos cuidados com o paciente. Agora é a hora. Este é o lugar.

Ajudando a melhorar a qualidade dos cuidados com o paciente. Agora é a hora. Este é o lugar. Ajudando a melhorar a qualidade dos cuidados com o paciente Agora é a hora. Este é o lugar. A tecnologia BIS TM lhe respalda com a monitorização cerebral comprovada. Dada a complexidade das decisões com

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1892 30.03.2010

RESOLUÇÃO Nº 1892 30.03.2010 RESOLUÇÃO Nº 1892 30.03.2010 Dispõe sobre recomendações dos procedimentos de contracepção em cães e gatos em mutirões de esterilização cirúrgica com a finalidade de controle da reprodução. O Conselho Regional

Leia mais

ARTIGO DE REVISÃO ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA NA DOENÇA DE ALZHEIMER. Maria Gabriela Santos Venezian 1

ARTIGO DE REVISÃO ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA NA DOENÇA DE ALZHEIMER. Maria Gabriela Santos Venezian 1 ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA NA DOENÇA DE ALZHEIMER Maria Gabriela Santos Venezian 1 RESUMO Atualmente devido ao envelhecimento populacional existe um aumento do número de pessoas portadoras da Doença de

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 63

PROVA ESPECÍFICA Cargo 63 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 63 QUESTÃO 26 São alterações cardiovasculares associadas ao envelhecimento, EXCETO: a) Dilatação miocárdica. b) Hipertrofia miocárdica. c) Comprometimento da função endotelial.

Leia mais

Diagnóstico de endometriose

Diagnóstico de endometriose Diagnóstico de endometriose Endometriose se caracteriza pelo achado de glândulas e/ou estroma endometrial em locais anormais. Acomete aproximadamente 15% das mulheres em idade fértil tornando-se uma doença

Leia mais

Radioterapia para Metástases em Coluna Eduardo Weltman Hospital Israelita Albert Einstein Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Radioterapia para Metástases em Coluna Aspectos Clínicos Indicações

Leia mais

Protocolo de Atendimento de Reação Adversa a Medicações

Protocolo de Atendimento de Reação Adversa a Medicações Protocolo de Atendimento de Reação Adversa a Medicações Unidade de Anestesia Versão eletrônica atualizada em Março 2009 Protocolo de Atendimento de Reação Adversa a Medicações Definições OMS Uma resposta

Leia mais

Síndrome Dolorosa Pós-laminectomia. Dra. Joana Rovani Médica Fisiatra

Síndrome Dolorosa Pós-laminectomia. Dra. Joana Rovani Médica Fisiatra Síndrome Dolorosa Pós-laminectomia Dra. Joana Rovani Médica Fisiatra IASP Failed Back Surgery Syndrome (FBSS) Dor espinal lombar de origem desconhecida que persiste na mesma localização da dor original

Leia mais

Envelhecimento Cerebral e Demências

Envelhecimento Cerebral e Demências Envelhecimento Cerebral e Demências Thiago Monaco thiagomonaco@ yahoo.com Envelhecimento Cerebral e Demências Envelhecimento Cerebral D. Comuns D. Menos Comuns D. potencialmente tratáveis Envelhecimento

Leia mais

Comissão Examinadora do Título Superior em Anestesiologia

Comissão Examinadora do Título Superior em Anestesiologia Rua Professor Alfredo Gomes, 36 - Botafogo - Rio de Janeiro/RJ - CEP 22251-080 Tel: (21) 2537-8100 Fax: (21) 2537-8188 Portal: http://www.sba.com.br E-Mail: sba2000@openlink.com.br Departamento de Anestesiologia

Leia mais

OBTENHA UM RAIO X DOS SEUS KOL

OBTENHA UM RAIO X DOS SEUS KOL OBTENHA UM RAIO X DOS SEUS KOL RAIO X DE UM KOL Classe Terapêutica Dr.: Clínica Médica SP: Especialidade Cancerologia - Oncologia Bela Vista - São Paulo A FAVOR MEDICAMENTOS LABORATÓRIOS TERAPIAS Morfina

Leia mais

DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO

DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO E- BOOK GRATUITO Olá amigo (a), A depressão é um tema bem complexo, mas que vêm sendo melhor esclarecido à cada dia sobre seu tratamento e alívio. Quase todos os dias novas

Leia mais

ESTUDO RETROSPECTIVO DE CIRURGIAS DESCOMPRESSIVAS DA COLUNA TORACOLOMBAR REALIZADAS APÓS RESSONÂNCIA MAGNÉTICA

ESTUDO RETROSPECTIVO DE CIRURGIAS DESCOMPRESSIVAS DA COLUNA TORACOLOMBAR REALIZADAS APÓS RESSONÂNCIA MAGNÉTICA ESTUDO RETROSPECTIVO DE CIRURGIAS DESCOMPRESSIVAS DA COLUNA TORACOLOMBAR REALIZADAS APÓS RESSONÂNCIA MAGNÉTICA JULIANY G. QUITZAN¹, NATÁLIA LEONEL FERREIRA¹, EMERSON GONÇALVES MARTINS SIQUEIRA¹, ISADORA

Leia mais

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS.

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Laura S. W ard CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Nódulos da Tiróide e o Carcinoma Medular Nódulos da tiróide são um

Leia mais

TEMA: Trazodona e Cloridrato de Memantina no tratamento de Demência Vascular com sintomas neuropsiquiátricos SUMÁRIO 1. RESUMO EXECUTIVO...

TEMA: Trazodona e Cloridrato de Memantina no tratamento de Demência Vascular com sintomas neuropsiquiátricos SUMÁRIO 1. RESUMO EXECUTIVO... NT 102/2013 Solicitante: Dr Alyrio Ramos Desembargador da 8ª Câm. Cível - TJMG Data: 21/06/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Nº do processo: 1.0433.13.014383-0/001 TEMA: Trazodona e Cloridrato

Leia mais

Prof. André Silva Carissimi Faculdade de Veterinária - UFRGS. Anestesia: É o ato anestésico reversível que produz:

Prof. André Silva Carissimi Faculdade de Veterinária - UFRGS. Anestesia: É o ato anestésico reversível que produz: Prof. André Silva Carissimi Faculdade de Veterinária - UFRGS Conceitos Básicos Anestesia: É o ato anestésico reversível que produz: - perda da consciência (narcose), - supressão da percepção dolorosa (analgesia)

Leia mais

Sobre a Dor e a Gestão da Dor. Encontre mais informações no site www.palliativecare.org.au. Department of Health and Ageing

Sobre a Dor e a Gestão da Dor. Encontre mais informações no site www.palliativecare.org.au. Department of Health and Ageing Sobre a Dor e a Gestão da Dor Encontre mais informações no site www.palliativecare.org.au Portuguese - Pain Management Department of Health and Ageing Financiado pelo Governo Australiano, através do Programa

Leia mais

AUTOR(ES): CAMILA QUINTELLA GONÇALVES, RAFAEL MONTEIRO BORGES, VANESSA FURTADO REIS

AUTOR(ES): CAMILA QUINTELLA GONÇALVES, RAFAEL MONTEIRO BORGES, VANESSA FURTADO REIS TÍTULO: QUALIDADE DE VIDA DE CUIDADORES DE IDOSOS COM DEMÊNCIA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PSICOLOGIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU AUTOR(ES): CAMILA QUINTELLA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG PRÓ-REITORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS - PROGEP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG PRÓ-REITORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS - PROGEP SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG PRÓ-REITORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS - PROGEP PROGRAMA Parte 1: Anatomia e Fisiologia 1.1- Órgãos

Leia mais

A Evolução da Assistência de Enfermagem em RPA para atender o perfil dos pacientes deste milênio

A Evolução da Assistência de Enfermagem em RPA para atender o perfil dos pacientes deste milênio A Evolução da Assistência de Enfermagem em RPA para atender o perfil dos pacientes deste milênio Maria Virginia Godoy da Silva Professora Adjunto Departamento Enfermagem Médico Cirúrgica Faculdade Enfermagem

Leia mais

TEMAS LIVRES PÔSTERS APROVADOS DO XII CONGRESSO SERGIPANO DE CARDIOLOGIA. Observação:

TEMAS LIVRES PÔSTERS APROVADOS DO XII CONGRESSO SERGIPANO DE CARDIOLOGIA. Observação: TEMAS LIVRES PÔSTERS APROVADOS DO XII CONGRESSO SERGIPANO DE CARDIOLOGIA Observação: Exposição dos temas livres TL 01 a TL 21 sexta de 08h as 12h, com apresentação 09:45h Exposição dos temas livres TL

Leia mais

Recebimento de pacientes na SRPA

Recebimento de pacientes na SRPA CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E Recebimento de pacientes na SRPA O circulante do CC conduz o paciente para a SRPA; 1.Após a chegada do paciente

Leia mais

Cuidados continuados dirigidos a pessoas idosas em situação de dependência

Cuidados continuados dirigidos a pessoas idosas em situação de dependência Cuidados continuados dirigidos a pessoas idosas em situação de dependência Angela Valença médica Neurologista Este tema é muito actual. A situação de dependência não é exclusiva de pessoas idosas mas o

Leia mais

Seminário Nacional Envelhecimento e Subjetividade Saúde e Envelhecimento: Prevenção e Promoção CRP Novembro 2008. Instituto de Psiquiatria FMUSP

Seminário Nacional Envelhecimento e Subjetividade Saúde e Envelhecimento: Prevenção e Promoção CRP Novembro 2008. Instituto de Psiquiatria FMUSP Seminário Nacional Envelhecimento e Subjetividade Saúde e Envelhecimento: Prevenção e Promoção CRP Novembro 2008 Mônica Yassuda Mônica Sanches Yassuda Gerontologia EACH USP EACH USP Ambulatório de Psicogeriatria

Leia mais

A Estética da Mama CLÍNICA FERNANDO BASTO

A Estética da Mama CLÍNICA FERNANDO BASTO A Estética da Mama A estética da mama responde a costumes étnicos, sociais e culturais. Há não muitos anos, no Brasil as mulheres solicitavam a diminuição do volume do seio, quando a aspiração do inconsciente

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec: PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: AMBIENTE E SAÚDE Habilitação Profissional: Qualificação Técnica de Nível Médio de

Leia mais

Critérios para Admissão em Longo e Curto Internamento e Unidade de Dia

Critérios para Admissão em Longo e Curto Internamento e Unidade de Dia Critérios para Admissão em Longo e Curto Internamento e Unidade de Dia Critérios de Admissão em Longo Internamento O Centro Psicogeriátrico Nossa Senhora de Fátima (CPNSF), oferece serviços especializados

Leia mais

RESULTADO PRELIMINAR DA PROVA PRÁTICA MÉDICOS OFTALMOLOGISTAS

RESULTADO PRELIMINAR DA PROVA PRÁTICA MÉDICOS OFTALMOLOGISTAS MÉDICOS OFTALMOLOGISTAS CARGO: 06 Médico Oftalmologista Catarata Congênita - Ambulatório de Oftalmologia 20h 0000905876 SARELENA VANDERLEI ALVES 10,00 20,00 40,00 20,00 10,00 100,00 Regular.1 Avaliação

Leia mais

A esposa refere que o paciente ronca!!

A esposa refere que o paciente ronca!! CASO CLÍNICO Paciente do sexo masculino, ASA I, 27 a, peso 75 kg, altura 1,72 m, boa abertura de boca, sem limitações a flexão da cabeça/tronco, mallampati II, cirurgia proposta: Septoplastia e cauterização

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar SNC alto grau

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar SNC alto grau Diretrizes Assistenciais Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar SNC alto grau Versão eletrônica atualizada em Julho 2012 Protocolo de Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos:

Leia mais

I Jornada de Saúde Mental do Vale do Taquari: Crack e outras drogas: perspectivas na abordagem psicossocial

I Jornada de Saúde Mental do Vale do Taquari: Crack e outras drogas: perspectivas na abordagem psicossocial I Jornada de Saúde Mental do Vale do Taquari: Crack e outras drogas: perspectivas na abordagem psicossocial 14 de junho de 2014 FATORES DE RISCO E COMORBIDADES PSIQUIÁTRICAS ASSOCIADOS AOS TRANSTORNOS

Leia mais