Uma perspetiva territorial da expansão, reabilitação e arrendamento habitacionais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Uma perspetiva territorial da expansão, reabilitação e arrendamento habitacionais"

Transcrição

1 Seminário 12 novembro 213 Iniciativa conjunta INE LNEC Uma perspetiva territorial da expansão, reabilitação e arrendamento habitacionais Instituto Nacional de Estatística Serviço de Estatísticas Territoriais Maria Manuel Pinho 1

2 O Retrato Territorial de Portugal é uma publicação bienal visa valorizar a informação estatística de base territorial produzida pelo SEN explorando temáticas com relevância territorial centradas em três domínios: Qualificação territorial, Qualidade de vida e coesão e Crescimento e competitividade Na edição de 211 as análises desenvolvidas têm por base os resultados definitivos dos Censos 211 contributo para o conhecimento das potencialidades da informação censitária aplicada a temáticas de base territorial no domínio Crescimento e competitividade, traçou-se o O diagnóstico territorial da reabilitação e do arrendamento habitacionais «Enquadramento A concentração e a expansão do parque habitacional A requalificação e a reabilitação da O arrendamento como forma de ocupação da Notas finais «2

3 Enquadramento Densidade populacional, 211 Centróide ponderado pela população e elipse padrão # 211 # 1991 ## ## Habitantes por Km 2 PT Continente ] 1 ; 3 ] ] 25 ; 1 ] ] ; 25 ] ] 5 ; ] ] ; 5 ] ## # # Frequências: Freguesias # 5 Km Enquadramento População residente nos lugares com dois mil ou mais habitantes, 211 População Frequências: Lugares Pormenor da Área Metropolitana do Porto Escalões de dimensão populacional dos lugares >= 2 1 a a a a Pormenor da Área Metropolitana de Lisboa 2 Km 5 Km 2 Km 3

4 A concentração e a expansão do parque habitacional 1981: equilíbrio habitacional (alojamentos familiares / famílias clássicas) Até 21: dinâmicas habitacionais mais significativas do que o crescimento do número de famílias 21: excedente habitacional quantitativo privilegiar um olhar qualitativo sobre o parque habitacional em detrimento de uma avaliação meramente quantitativa 211: mantém-se o excedente habitacional quantitativo? registaram-se alterações no que respeita à qualidade da? A concentração e a expansão do parque habitacional 38 edifícios por km 2 metade dos 38 municípios com densidade superior à média nacional mas ocupando menos de 3% da superfície do território nacional 25 MN com densidade superior a 2 edifícios por km 2 : 9 AML, 1 AMP Porto único município do país com mais de mil edifícios por km 2 Média nacional Distribuição dos MN por escalão de densidade de edifícios, 211 (%) R. A. R. A. Portugal Norte Centro Lisboa Alentejo Açores Madeira Mais de 1 edif./km 2, ]5; 1] ]25; 5] ]38,4; 25] ]2; 38,4] [; 2]

5 Densidade de edifícios, 211 Frequências: Freguesias Pormenor da Área Metropolitana do Porto 2 N.º/km ] 1 ; 5 87 ] ] 5 ; 1 ] ] 25 ; 5 ] ] 38.4 ; 25 ] ] 1 ; 38.4 ] PT 2 Km Pormenor da Área Metropolitana de Lisboa 5 Km 2 Km A concentração e a expansão do parque habitacional Densidade de edifícios, 211 construídos até 199 IG: 47% construídos após 199 IG: 52% Frequências Freguesias 2 N.º/km ] 1 ; 5 87 ] ] 5 ; 1 ] ] 25 ; 5 ] ] 1 ; ] ] 5 ; 1 ] ] 25 ; 5 ] ] 1 ; 25 ] ] 1 ; 25 ] ] ; 1 ] Frequências Freguesias 2 N.º/km ] ; 1 ] Km 5 Km 5

6 A concentração e a expansão do parque habitacional : crescimento do n.º de alojamentos familiares acima do crescimento do n.º de famílias clássicas em 29 I diferença mais acentuada no Interior Centro mas também na R. A. Madeira e no 211: situação de excesso de alojamentos familiares face ao número de famílias clássicas comum a todos os municípios nacionais 211: excedente de alojamentos comum aos 38 municípios; em 58 municípios (quase um quinto do total), ultrapassava 1% : o excedente de alojamentos apenas se atenuou em 25 municípios (9 da AML, 4 da AMP) A concentração e a expansão do parque habitacional Taxa de variação do número de alojamentos familiares e taxa de variação do número de famílias clássicas, por I, 21/211 Excedente de alojamentos, por município, 211 Taxa de variação do número de famílias clássicas (%) 3 PT = 16,2% 25 Penínsulade 2 Setúbal 15 PT = 1,8% 1 % ] 1 ; 197 ] 5 ] 75 ; 1 ] ] 5 ; 75 ] ] 45.1 ; 5 ] PT Pinhal ] 2 ; 45.1 ] Interior Norte s Pinhal -5 Beira Interior Norte Interior Serra da Sul Estrela R² =, Taxa de variação do número de alojamentos familiares (%) Frequências s Km 6

7 A requalificação e a reabilitação da reabilitação física do parque habitacional reforço da competitividade dos territórios e dinamização de outros processos de requalificação e revitalização dos territórios impactos diretos e indiretos sobre a atividade económica local (e.g. setor da construção) retrato territorial da qualidade da incide sobre: expressão dos alojamentos familiares não clássicos necessidades de reabilitação dos edifícios de carências internas dos alojamentos familiares em termos de infraestruturas ( arrendada vs. própria) A requalificação e a reabilitação da alojamentos familiares não clássicos: barracas, casas rudimentares de madeira, alojamentos móveis ou alojamentos improvisados em edifícios 21:,5% dos alojamentos familiares (N.º: ) 211:,1% dos alojamentos familiares (N.º: 6 612) : -76%(população residente: -79%) tendência de redução extensível às sete regiões do país 7

8 A requalificação e a reabilitação da Lisboa População residente -44 alojamentos familiares não clássicos: barracas, casas rudimentares de madeira, alojamentos móveis ou alojamentos improvisados -66 em edifícios -76 PORTUGAL 21:,5% dos alojamentos familiares (N.º: ) 211:,1% dos alojamentos familiares (N.º: ) -83 Centro : -76%(população residente: -79%) Alojamentos não clássicos: taxa de variação 21/211 Alentejo R. A. Açores tendência de redução extensível às sete regiões do país Norte Número de alojamentos : apenas dois MN (R.A.A.) sem alojamentos não clássicos 211: 33 MN sem alojamentos não clássicos (maioritariamente pertencentes às regiões autónomas e ao Interior continental Norte) 99 MN com proporção de alojamentos não clássicos acima da média nacional % -43 Proporção de alojamentos não clássicos, 211 Frequências: Freguesias AML:,14% PT:,11% AMP:,8% « Pormenor da Área Metropolitana do Porto % ] 1. ; 8.2 ] ].5 ; 1. ] ] ;.5 ] Pormenor da Área Metropolitana de Lisboa 2 Km 5 Km 2 Km «8

9 A requalificação e a reabilitação da : redução do número de edifícios clássicos com necessidade de grandes reparações ou muito degradados em quase 4% este sentido de evolução foi comum às sete 211: 4,4%dos edifícios com necessidade de grandes reparações ou muito degradados 21: a proporção era de 8,1% melhoria no estado de conservação do parque habitacional contribuição das construções de novos edifícios 211: apenas 5municípios com uma proporção acima de 1%(Mesão Frio, Lamego, Tarouca, Alfândega da Fé e Penela) A requalificação e a reabilitação da Variação da proporção de edifícios clássicos com necessidade de grandes reparações ou muito degradados, por município, 21/211 Proporção de edifícios clássicos com necessidade de grandes reparações ou muito degradados, Portugal e, 211,8 6,8 Lisboa,5 5,2 Alentejo,4 6,3 Norte,4 6,5 p.p. Frequências s PORTUGAL,4 6,1 PT ] ; 6 ] ] -3.7 ; ] ] -5 ; -3.7 ] ] -15 ; -5 ] s R. A. Açores Centro,3,3 3,9 Construídos após 199 Construídos até 199 6,3,3 5, % 5 Km 9

10 A requalificação e a reabilitação da : redução das carências internas dos alojamentos generalizada a todo o país 211: o retrato territorial salienta os municípios da AM Lisboa, Oeste, Pinhal Litoral e Grande Porto como espaços com alojamentos mais bem equipados em termos de infraestruturas básicas (por oposição aos municípios do Tâmega) tanto em termos de infraestruturas básicas como de outras valências (disponibilidade de lugar de estacionamento, de aquecimento central e/ou de ar condicionado), as carências habitacionais eram maiores nos alojamentos arrendados do que nos alojamentos ocupados pelo proprietário em todas as regiões A requalificação e a reabilitação da Proporção de alojamentos familiares clássicos de residência habitual que dispõem de lugar de estacionamento, 211 Proporção de alojamentos familiares clássicos de residência habitual que dispõem de aquecimento central e/ou de ar condicionado, 211 Norte 38 Alentejo 1,2 Centro 37 9,5 36 Centro 6,8 R. A. Açores 33 Norte 6, PORTUGAL Lisboa 5,4 25 PORTUGAL 4,5 16,3 Alentejo 18 R. A. Açores 4,3 Lisboa 11 Arrendados Ocupados pelo proprietário 2,5 Arrendados Ocupados pelo proprietário % % 1

11 O arrendamento como forma de ocupação da dinamização do mercado de arrendamento enquanto elemento fundamental de competitividade dos territórios fraca expressão por contraponto com a aquisição de própria sistema legal, sistema financeiro e sistema fiscal sinais de alguma inversão nesta trajetória criação de oportunidades para o desenvolvimento do mercado de arrendamento 211: 2% dos alojamentos familiares de residência habitual (cerca de 8 mil) ocupados por arrendatários; 73% pelo proprietário : proporção de alojamentos arrendados diminui de 21% para 2% estabilidade também observada ao nível regional O arrendamento como forma de ocupação da : n.º de alojamentos arrendados aumenta 7,3%; aumento comum a todas as regiões, mais intenso nas R. A. Açores/Madeira e 211: proporção de alojamentos arrendados mais elevada na região de Lisboa (27%) centros metropolitanos municípios de Lisboa (42%) e do Porto (44%) outros municípios metropolitanos (Amadora, Loures e Almada; Espinho, Matosinhos e São João da Madeira) municípios do (sobretudo, Faro e Albufeira) municípios que integram cidades de dimensão média (Guimarães, Évora, Funchal, Portalegre, Covilhã, Braga, Coimbra e Aveiro) faixa entre a Península de Setúbal e o Alentejo Central 11

12 O arrendamento como forma de ocupação da Taxa de variação do número de alojamentos familiares clássicos de residência habitual arrendados ou subarrendados, 21/211 Proporção de alojamentos familiares clássicos de residência habitual arrendados ou subarrendados, 211 R. A. Açores 43,1 28,4 27,8 Centro 1,7 Lisboa 7,8 PORTUGAL 7,3 Norte 2,3 Alentejo 1, % % ] 2 ; 44 ] ] 15 ; 2 ] ] 1 ; 15 ] ] 5 ; 1 ] ] 1 ; 5 ] Frequências s Km O arrendamento como forma de ocupação da : n.º de alojamentos vagos para arrendar (não ocupados que se encontram no mercado de arrendamento) aumentou de 8 mil para 11 mil tendência generalizada a todas as regiões : estabilidade da Proporção de alojamentos familiares clássicos vagos para arrendar, 21 e 211 proporção de alojamentos vagos para 24,3 arrendar Lisboa Norte 15,9 17,4 211: quase 1/4 dos alojamentos R. A. Açores PORTUGAL 15,2 15, 14,7 vagos no ; no Alentejo, a proporção era de pouco mais de 1/1 11,7 11,3 211 Centro 21 1,8 Alentejo % 12

13 Notas finais parque habitacional territorialmente concentrado no Litoral continental e nas áreas metropolitanas manutenção do excedente de alojamentos familiares (face ao número de famílias clássicas) melhoria da qualidade da diferencial entre a qualidade dos alojamentos arrendados e dos alojamentos ocupados pelo proprietário oportunidade para a reabilitação oportunidade para a dinamização do mercado de arrendamento Seminário 12 novembro 213 Iniciativa conjunta INE LNEC 13

Censos 2011 revelam o maior excedente de alojamentos em Portugal

Censos 2011 revelam o maior excedente de alojamentos em Portugal Parque Habitacional em Portugal: Evolução na última década 2001-2011 07 de dezembro de 2012 Censos 2011 revelam o maior excedente de alojamentos em Portugal Em 2011, o número de alojamentos em Portugal

Leia mais

Habitação em Portugal: evolução e tendências.

Habitação em Portugal: evolução e tendências. Habitação em Portugal: evolução e tendências João Branco Lisboa http://portugalfotografiaaerea.blogspot.pt/search/label/arcos%20de%20valdevez Sumário Introdução 1. Publicação 2. Estrutura e conteúdo da

Leia mais

PARQUE HABITACIONAL DA REGIÃO CENTRO

PARQUE HABITACIONAL DA REGIÃO CENTRO PARQUE HABITACIONAL DA REGIÃO CENTRO CENSOS 2011 CONCEITOS: Edifício Construção permanente, dotada de acesso independente, coberta e limitada por paredes exteriores ou paredes-meias que vão das fundações

Leia mais

ALMADA FICHA TÉCNICA. Título Território e População Retrato de Almada segundo os Censos 2011

ALMADA FICHA TÉCNICA. Título Território e População Retrato de Almada segundo os Censos 2011 DMPATO DPU Divisão de Estudos e Planeamento A ALMADA FICHA TÉCNICA Título Território e População Retrato de Almada segundo os Censos 2011 Serviço Divisão de Estudos e Planeamento Departamento de Planeamento

Leia mais

Número de edifícios muito degradados diminuiu 36% numa década

Número de edifícios muito degradados diminuiu 36% numa década Reabilitação do Parque Habitacional 2001-2011 15 de abril de 2013 Número de edifícios muito degradados diminuiu 36% numa década Entre 2001 e 2011 registou-se uma diminuição de 36,0% no número de edifícios

Leia mais

Sistema Urbano, Transformações Familiares, Reabilitação e Arrendamento Habitacionais: uma perspetiva territorial

Sistema Urbano, Transformações Familiares, Reabilitação e Arrendamento Habitacionais: uma perspetiva territorial Retrato Territorial de Portugal 2011 02 de julho de 2013 Sistema Urbano, Transformações Familiares, Reabilitação e Arrendamento Habitacionais: uma perspetiva territorial O processo de concentração populacional

Leia mais

residentes famílias alojamentos edifícios. Resultados Preliminares. Fernando Casimiro

residentes famílias alojamentos edifícios. Resultados Preliminares. Fernando Casimiro dos Censos - Nacional Fernando Casimiro 1 83 residentes 4 79 77 famílias 879 84 alojamentos 3 823 edifícios 1 A resposta pela internet ultrapassou as expectativas: População recenseada pela Internet- e

Leia mais

ESTIMATIVA DO PARQUE HABITACIONAL

ESTIMATIVA DO PARQUE HABITACIONAL Informação à Comunicação Social 7 de Agosto de 2000 ESTIMATIVA DO PARQUE HABITACIONAL 1991-1999 O INE apresenta os principais resultados da Estimativa do Parque Habitacional, para o período 1991-1999,

Leia mais

EM 2009, 39 MUNICÍPIOS APRESENTAVAM UM PODER DE COMPRA PER CAPITA ACIMA DA MÉDIA NACIONAL

EM 2009, 39 MUNICÍPIOS APRESENTAVAM UM PODER DE COMPRA PER CAPITA ACIMA DA MÉDIA NACIONAL EM 2009, 39 MUNICÍPIOS APRESENTAVAM UM PODER DE COMPRA PER CAPITA ACIMA DA MÉDIA NACIONAL Estudo sobre o Poder de Compra Concelhio 2009 Em 2009, dos 308 municípios portugueses, 39 apresentavam, relativamente

Leia mais

As dinâmicas territoriais da requalificação do edificado, da empregabilidade e da inovação

As dinâmicas territoriais da requalificação do edificado, da empregabilidade e da inovação Retrato Territorial de Portugal 27 16 de Junho de 29 As dinâmicas territoriais da requalificação do edificado, da empregabilidade e da inovação O INE divulga o Retrato Territorial de Portugal, sob uma

Leia mais

SEMANA DA REABILITAÇÃO URBANA DE LISBOA

SEMANA DA REABILITAÇÃO URBANA DE LISBOA SEMANA DA REABILITAÇÃO URBANA DE LISBOA O arrendamento como base de uma sociedade mais dinâmica Lisboa, 14 de Abril de 2015 2 O esforço do Orçamento do Estado de 1987 a 2011 Nos 25 anos que decorreram

Leia mais

Evolução da população

Evolução da população Site da CMLoures Link Município Estatísticas Censos de 2011 Resultados Provisórios I Censos de 2001 I Mapa Interativo Censos de 2011 Resultados Provisórios Demografia I Construção I Habitação Demografia

Leia mais

Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 2013

Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 2013 Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 213 15 de junho de 215 Em 213, de acordo com os resultados do índice sintético de desenvolvimento regional, quatro das 25 regiões NUTS III portuguesas superavam

Leia mais

População residente por grandes grupos etários, NUTS II, 2007 (em percentagem) Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve R. A. Açores

População residente por grandes grupos etários, NUTS II, 2007 (em percentagem) Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve R. A. Açores A. Pesquisa Divisões territoriais: http://sig.ine.pt/viewer.htm Indicar os tipos de divisões territoriais (administrativa, estatística, outras); Indicar os itens de cada divisão administrativa (distrito,

Leia mais

AS CIDADES EM NÚMEROS

AS CIDADES EM NÚMEROS CD-ROM As Cidades em Números 2000-2002 17 de Junho de 2004 AS CIDADES EM NÚMEROS Caracterizar e quantificar o conhecimento sobre as actuais 141 cidades portuguesas, espaços que, cada vez mais, concentram

Leia mais

1. As áreas metropolitanas no país: características e dinâmicas

1. As áreas metropolitanas no país: características e dinâmicas Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto Jorge Malheiros Nuno Marques da Costa Eduarda Marques da Costa Instituto de Geografia e Ordenamento do Território Universidade de Lisboa Associação Portuguesa de

Leia mais

Nomenclaturas Territoriais, Trajetos Educacionais, Competitividade e Internacionalização nas regiões portuguesas

Nomenclaturas Territoriais, Trajetos Educacionais, Competitividade e Internacionalização nas regiões portuguesas Retrato Territorial de Portugal 213 Nomenclaturas Territoriais, Trajetos Educacionais, Competitividade e Internacionalização nas regiões portuguesas O INE divulga, em 215, a 4ª edição do Retrato Territorial

Leia mais

Habitação, Construção e Obras Públicas. Anexo nº 2 - Sistema Conceptual completo

Habitação, Construção e Obras Públicas. Anexo nº 2 - Sistema Conceptual completo Bens e serviços imobiliários Alojamento Alojamento colectivo Alojamento de convivência Estabelecimento hoteleiro e similar Alojamento familiar Alojamento familiar clássico Alojamento sobrelotado Alojamento

Leia mais

A (SUB)URBANIZAÇÃO QUALIFICADA AUMENTOU NOS TERRITÓRIOS METROPOLITANOS DE LISBOA E PORTO

A (SUB)URBANIZAÇÃO QUALIFICADA AUMENTOU NOS TERRITÓRIOS METROPOLITANOS DE LISBOA E PORTO Tipologia Socioeconómica das Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto 211 24 de julho de 214 A (SUB)URBANIZAÇÃO QUALIFICADA AUMENTOU NOS TERRITÓRIOS METROPOLITANOS DE LISBOA E PORTO A tipologia socioeconómica

Leia mais

Em 2011, dos 308 municípios portugueses, 36 apresentavam, relativamente ao indicador do poder de compra per

Em 2011, dos 308 municípios portugueses, 36 apresentavam, relativamente ao indicador do poder de compra per Estudo sobre o Poder de Compra Concelhio 2011 08 de novembro de 2013 36 municípios com um poder de compra per capita acima da média nacional e mais de metade do poder de compra do país concentrado nas

Leia mais

Conferência Reabilitação Urbana Competitividade e dinâmica das cidades

Conferência Reabilitação Urbana Competitividade e dinâmica das cidades Conferência Reabilitação Urbana Competitividade e dinâmica das cidades Reabilitação, arrendamento e sustentabilidade social Helena Roseta Assembleia da República Grupo Parlamentar do PSD 19.12.2011 A globalização

Leia mais

ESTATÍSTICAS DA CONSTRUÇÃO E DA HABITAÇÃO. Caraterização da Habitação Social

ESTATÍSTICAS DA CONSTRUÇÃO E DA HABITAÇÃO. Caraterização da Habitação Social ESTATÍSTICAS DA CONSTRUÇÃO E DA HABITAÇÃO DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Caraterização da Habitação Social Série Retrospetiva 2009-2015 Direção Regional de Estatística da Madeira Uma porta aberta para um

Leia mais

Forte expansão do parque habitacional

Forte expansão do parque habitacional A Evolução do parque habitacional português: Reflexões para o futuro Duarte Rodrigues Serviço de Estudos Direcção Regional de Lisboa e Vale do Tejo Instituto Nacional de Estatística Forte expansão do parque

Leia mais

POPULAÇÃO. Resultados Provisórios dos Censos 2011 Gabinete de Sistemas de Informação Geográfica GSIG Câmara Municipal de Oeiras

POPULAÇÃO. Resultados Provisórios dos Censos 2011 Gabinete de Sistemas de Informação Geográfica GSIG Câmara Municipal de Oeiras POPULAÇÃO XV Recenseamento Geral da População e V Recenseamento Geral da Habitação (Censos 2011) Resultados Provisórios Última atualização destes dados: 07 de dezembro de 2011 População residente (N.º)

Leia mais

Estudo sobre o Poder de Compra Concelhio 2007

Estudo sobre o Poder de Compra Concelhio 2007 Estudo sobre o Poder de Compra Concelhio 27 27 de Novembro de 29 Em 27, 39 municípios superavam o poder de compra per capita médio nacional Em 27, dos 38 municípios portugueses, 39 superavam o poder de

Leia mais

Em 2013, dos 308 municípios portugueses, 32 apresentavam, relativamente ao indicador do poder de compra per

Em 2013, dos 308 municípios portugueses, 32 apresentavam, relativamente ao indicador do poder de compra per Estudo sobre o Poder de Compra Concelhio 2013 09 de novembro de 2015 32 municípios com um poder de compra per capita acima da média nacional e mais de metade do poder de compra do país concentrado nas

Leia mais

Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 2014

Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 2014 Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 2014 15 de junho de 2016 Em 2014, de acordo com os resultados do índice sintético de desenvolvimento regional, quatro das 25 regiões NUTS III portuguesas superavam

Leia mais

Alojamentos Cablados por Regiões

Alojamentos Cablados por Regiões 10 R E D E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O P O R C A B O Penetração das Redes de Distribuição por Cabo Regiões(Dec-Lei nº 244/2002) Assinantes TV em % do total de alojamentos 1 Aloj. cablados em % do total

Leia mais

Taxa de variação da população residente ( ) (%) por Local de residência

Taxa de variação da população residente ( ) (%) por Local de residência Taxa de variação da população residente (1991-2001) (%) Taxa de variação da população residente (1991-2001) (%) por Local de residência [(População residente 2001 - População residente 1991)/ População

Leia mais

i. construção de uma hierarquia de funções de acordo com a raridade das mesmas;

i. construção de uma hierarquia de funções de acordo com a raridade das mesmas; Sistema urbano: áreas de influência e marginalidade funcional 14 de Abril de 2004 COMPLEXIDADE DOS SISTEMAS URBANOS METROPOLITANOS OPÕE-SE AO RESTO DO PAÍS COM LÓGICAS DE ORGANIZAÇÃO TERRITORIAL MAIS SIMPLES,

Leia mais

Mercado residencial Breves notas: Algarve. Localização ímpar, segunda habitação elevada expressão. e-newsletter Nº 4 # Julho 2014

Mercado residencial Breves notas: Algarve. Localização ímpar, segunda habitação elevada expressão. e-newsletter Nº 4 # Julho 2014 e-newsletter Nº 4 # Julho 2014 ( ) Localização ímpar, segunda habitação elevada expressão Mercado residencial Breves notas: Algarve A IV Newsletter coloca o seu enfoque no mercado imobiliário do Algarve,

Leia mais

Aumento do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação

Aumento do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Janeiro de 2010 26 de Fevereiro de 2010 Aumento do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação Em Janeiro de 2010, o valor médio de avaliação bancária 1 de

Leia mais

[DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO]

[DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO] [DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO] A APLICAÇÃO DA TIPOLOGIA DE ÁREAS URBANAS À REGIÃO CENTRO Em 2009, o Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou uma nova versão da Tipologia de Área Urbanas

Leia mais

[DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO]

[DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO] [DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO] O PIB REGIONAL UMA ANÁLISE APLICADA À REGIÃO CENTRO O Produto Interno Bruto (PIB) é um indicador habitualmente utilizado para aferir e comparar o grau de desenvolvimento

Leia mais

1 Imóveis Indústria. Terrenos - Armazéns Montijo (UL /83) Rua José Mundet, Montijo

1 Imóveis Indústria. Terrenos - Armazéns Montijo (UL /83) Rua José Mundet, Montijo Imóvel constituído por duas parcelas de terreno urbano, com vários Armazéns e Edifícios de apoio para demolição localizado na Rua José Mundet, próximo do cruzamento com a Rua José Joaquim Marques, perto

Leia mais

Obras concluídas e licenciamento decrescem mais do que em 2005

Obras concluídas e licenciamento decrescem mais do que em 2005 Estatísticas da Construção e Habitação 2006 31 de Julho 2007 Obras concluídas e licenciamento decrescem mais do que em 2005 Com base nos dados das Estatísticas da Construção e Habitação 2006, a partir

Leia mais

Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 2009

Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 2009 Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 2009 10 de abril de 2012 Os resultados do índice global de desenvolvimento regional para 2009 evidenciam que quatro sub-regiões se situavam acima da média nacional:

Leia mais

Censos Resultados Preliminares. Região de Lisboa e Vale do Tejo POPULAÇÃO RESIDENTE. Informação à Comunicação Social 26 de Junho de 2001

Censos Resultados Preliminares. Região de Lisboa e Vale do Tejo POPULAÇÃO RESIDENTE. Informação à Comunicação Social 26 de Junho de 2001 Informação à Comunicação Social 26 de Junho de 2001 Censos 2001 Resultados Preliminares Região de Lisboa e Vale do Tejo POPULAÇÃO RESIDENTE A População Residente da Região de Lisboa e Vale do Tejo, cerca

Leia mais

Esperança de vida mais elevada à nascença no Centro e aos 65 anos no Algarve

Esperança de vida mais elevada à nascença no Centro e aos 65 anos no Algarve Tábuas de Mortalidade 2013-2015 30 de setembro de 2016 Esperança de vida mais elevada à nascença no Centro e aos 65 anos no Algarve A esperança de vida à nascença foi estimada em 80,41 anos para o total

Leia mais

enquadramento territorial e divisão administrativa

enquadramento territorial e divisão administrativa O município de Coimbra, com uma área de 319,41 Km 2 repartida por 31 freguesias e uma população residente e presente (em 2001) de 148.443 e 157.510 pessoas, respectivamente, localiza-se na Região Centro

Leia mais

Atlas das Cidades Portuguesas

Atlas das Cidades Portuguesas Informação à Comunicação Social 7 de Junho de 2002 Atlas das Cidades Portuguesas Pela primeira vez o INE edita um Atlas das Cidades de Portugal, publicação que reúne um conjunto de indicadores sobre as

Leia mais

Valor médio de Avaliação Bancária de Habitação com ligeira diminuição

Valor médio de Avaliação Bancária de Habitação com ligeira diminuição Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Fevereiro de 2010 26 de Março 2010 Valor médio de Avaliação Bancária de Habitação com ligeira diminuição O valor médio de avaliação bancária 1 de habitação no

Leia mais

Em Portugal existem 159 cidades, nas quais residiam 4,5 milhões de indivíduos

Em Portugal existem 159 cidades, nas quais residiam 4,5 milhões de indivíduos Em Portugal existem 159 cidades, nas quais residiam 4,5 milhões de indivíduos Nas 159 cidades portuguesas residiam 4,5 milhões de indivíduos, o que correspondia a 42% da população residente em Portugal

Leia mais

Em 2014 o crescimento nas regiões NUTS II oscilou entre 0,4% e 1%

Em 2014 o crescimento nas regiões NUTS II oscilou entre 0,4% e 1% Contas Regionais nova geografia territorial 2012 2014Pe 17 de dezembro de 2015 Em 2014 o crescimento nas regiões NUTS II oscilou entre 0,4 e 1 O Instituto Nacional de Estatística inicia a divulgação da

Leia mais

Onde e como se vive em Portugal 2011

Onde e como se vive em Portugal 2011 Onde e como se vive em Portugal 2011 25 de junho de 2013 Onde e como se vive em Portugal 2011 De acordo com os resultados definitivos dos Censos 2011 na região de Lisboa regista-se a maior densidade populacional,

Leia mais

ATENUA-SE TENDÊNCIA DECRESCENTE DO NÚMERO DE EDIFÍCIOS LICENCIADOS

ATENUA-SE TENDÊNCIA DECRESCENTE DO NÚMERO DE EDIFÍCIOS LICENCIADOS Licenciamento de Obras Dezembro de 2005 1 09 de Fevereiro de 2006 ATENUA-SE TENDÊNCIA DECRESCENTE DO NÚMERO DE EDIFÍCIOS LICENCIADOS Em Dezembro de 2005, atenuou-se a tendência decrescente da variação

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ ACES/ CONCELHO. Administração Regional de Saúde do Norte, I.P.

IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ ACES/ CONCELHO. Administração Regional de Saúde do Norte, I.P. IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ ACES/ CONCELHO Administração Regional de Saúde do Norte, I.P. Entre Douro e Vouga II Aveiro Norte Oliveira de Azeméis 4 Porto I St Tirso/ Trofa Trofa 1

Leia mais

Desafios da Reabilitação Urbana Sustentável: o caso do Centro Histórico do Porto. Álvaro Santos Presidente Executivo do Conselho de Administração

Desafios da Reabilitação Urbana Sustentável: o caso do Centro Histórico do Porto. Álvaro Santos Presidente Executivo do Conselho de Administração Desafios da Reabilitação Urbana Sustentável: o caso do Centro Histórico do Porto Álvaro Santos Presidente Executivo do Conselho de Administração Funchal, 22 de maio de 2015 Cidade do Porto, Diagnóstico

Leia mais

OECD Territorial Review of Portugal. Mario Pezzini Soo-Jin Kim

OECD Territorial Review of Portugal. Mario Pezzini Soo-Jin Kim OECD Territorial Review of Portugal Mario Pezzini Soo-Jin Kim GDP per capita in OECD countries Luxembourg United States Norway Ireland Switzerland Iceland Austria Denmark United Kingdom Canada Australia

Leia mais

Evolução dos edifícios por ilha e município nos Açores

Evolução dos edifícios por ilha e município nos Açores Evolução dos edifícios por ilha e município nos Açores análise aos dados do Recenseamento Geral da Habitação 1981, 1991, 2001 & 2011 Vasco Silva Lisboa, 1 Dezembro 2014 1 RESUMO Com base nos dados recolhidos

Leia mais

AS CRIANÇAS EM PORTUGAL - ALGUNS DADOS ESTATÍSTICOS

AS CRIANÇAS EM PORTUGAL - ALGUNS DADOS ESTATÍSTICOS Dia Mundial da Criança 1 de Junho 30 de Maio de 2005 AS CRIANÇAS EM PORTUGAL - ALGUNS DADOS ESTATÍSTICOS O conteúdo do presente Destaque está alterado na página 2, relativamente ao divulgado em 30-05-2005.

Leia mais

Resultados definitivos. Anabela Delgado INE, Gabinete dos Censos 20 de novembro 2012

Resultados definitivos. Anabela Delgado INE, Gabinete dos Censos 20 de novembro 2012 Resultados definitivos Anabela Delgado INE, Gabinete dos Censos 20 de novembro 2012 Temas em Análise População Família Parque Habitacional 1 População 2 População Residente À data do momento censitário

Leia mais

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa Workshop O Sistema Nacional de Investigação e Inovação - Desafios, forças e fraquezas rumo a 2020 Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa Eduardo Brito Henriques, PhD Presidente

Leia mais

A Direcção Regional do Centro do Instituto Nacional de Estatística (INE) apresenta os Resultados Preliminares dos Censos 2001.

A Direcção Regional do Centro do Instituto Nacional de Estatística (INE) apresenta os Resultados Preliminares dos Censos 2001. Informação à Comunicação Social 25 de Junho de 2001 Censos 2001 Resultados Preliminares Região Centro A Direcção Regional do Centro do Instituto Nacional de Estatística (INE) apresenta os Resultados Preliminares

Leia mais

Atlas das Cidades Portuguesas

Atlas das Cidades Portuguesas Atlas das Cidades Portuguesas Pela primeira vez o INE edita um Atlas das Cidades de Portugal, publicação que reúne um conjunto de indicadores sobre as actuais 134 cidades do país e as áreas metropolitanas

Leia mais

SEIXAL À LUPA DIAGNÓSTICO SOCIAL DO SEIXAL CAPÍTULO 2 ESTRUTURA E DINÂMICA DA POPULAÇÃO E DAS FAMÍLIAS DO CONCELHO DO SEIXAL

SEIXAL À LUPA DIAGNÓSTICO SOCIAL DO SEIXAL CAPÍTULO 2 ESTRUTURA E DINÂMICA DA POPULAÇÃO E DAS FAMÍLIAS DO CONCELHO DO SEIXAL SEIXAL À LUPA DIAGNÓSTICO SOCIAL DO SEIXAL CAPÍTULO 2 ESTRUTURA E DINÂMICA DA POPULAÇÃO E DAS FAMÍLIAS DO CONCELHO DO SEIXAL 1ª REVISÃO ÍNDICE Índice de Figuras... 1 Ficha Técnica da 1ª Revisão do Diagnóstico

Leia mais

Portugal. Turismo Interno. Mercados em Números. Rodapé

Portugal. Turismo Interno. Mercados em Números. Rodapé Turismo Interno Mercados em Números 1 Rodapé Designação oficial: República Portuguesa Capital: Lisboa Localização: Sudoeste da Europa Fronteiras terrestres: Espanha (1.241 km) Fronteiras marítimas: Madeira(1076,6

Leia mais

Protocolos firmados no âmbito das Autarquias: Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens

Protocolos firmados no âmbito das Autarquias: Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens 1 Abrantes Santarém 2 Águeda Aveiro 3 Albufeira Faro 4 Alcanena Santarém 5 Alcobaça Leiria 6 Alcoutim Faro 7 Alenquer Lisboa 8 Alfândega da Fé Bragança 9 Aljustrel Beja 10 Almada Setúbal 11 Almodôvar Beja

Leia mais

ÁREAS URBANAS. dinâmicas internas

ÁREAS URBANAS. dinâmicas internas ÁREAS URBANAS. dinâmicas internas O que é uma cidade? Que ideia temos de uma cidade? Será algo parecido com Ou isto Ou isto Cidade do Porto Ou isto Ou isto Cidade de Coimbra Ou isto Cidade de Aveiro

Leia mais

Projecções da População Residente,NUTSIII

Projecções da População Residente,NUTSIII População e Sociedade Bema PORTUGAL ISS 1645-7633 Projecções da População Residente,UTSIII 2000-2050 Ano de edição 2005 PROJECÇÕES DE POPULAÇÃO RESIDETE, PORTUGAL E I, 2000-2050 I. METODOLOGIA E AÁLISE...

Leia mais

OS INSTRUMENTOS DE GESTÃO TERRITORIAL EM PORTUGAL: uma perspectiva histórica

OS INSTRUMENTOS DE GESTÃO TERRITORIAL EM PORTUGAL: uma perspectiva histórica OS INSTRUMENTOS DE GESTÃO TERRITORIAL EM PORTUGAL: uma perspectiva histórica II Os instrumentos de Ordenamento do Território José Manuel Simões Os Instrumentos de OT em Portugal segundo a LBOTU - Lei de

Leia mais

Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 2011

Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 2011 Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 20 de abril de 204 Em 20, o índice sintético de desenvolvimento regional de seis das 0 sub-regiões NUTS III situava-se acima da média nacional: a rande Lisboa,

Leia mais

Portugal. Turismo Interno. Mercado em Números. Rodapé

Portugal. Turismo Interno. Mercado em Números. Rodapé Turismo Interno Mercado em Números 1 Rodapé Designação oficial: República Portuguesa Capital: Lisboa Localização: Sudoeste da Europa Fronteiras terrestres: Espanha (1.241 km) Fronteiras marítimas: Madeira(1076,6

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ ACES/ CONCELHO,

IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ ACES/ CONCELHO, IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ / CONCELHO, para efeitos de ordenação, por ordem, decrescente das preferências dos candidatos abrangidos pelo Decreto-Lei n.º 29/2001, ou seja, com incapacidade

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária acentua diminuição

Valor médio de avaliação bancária acentua diminuição 25 de novembro de 2014 Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Outubro de 2014 Valor médio de avaliação bancária acentua diminuição O valor médio de avaliação bancária 1 do total do País diminuiu 1,5%

Leia mais

Estudo comparativo do número de óbitos e causas de morte da mortalidade infantil e suas componentes ( )

Estudo comparativo do número de óbitos e causas de morte da mortalidade infantil e suas componentes ( ) Estudo comparativo do número de óbitos e causas de morte da mortalidade infantil e suas componentes (2009-2012) Versão 2 Dezembro 2013 Paulo Jorge Nogueira Andreia Jorge Costa Matilde Valente Rosa Jorge

Leia mais

Caracterização das empresas do setor agrícola com base na informação estatística do Banco de Portugal

Caracterização das empresas do setor agrícola com base na informação estatística do Banco de Portugal Caracterização das empresas do setor agrícola com base na informação estatística do Banco de Portugal João Cadete de Matos Diretor Departamento de Estatística junho de 2016 I. Estrutura e dinâmica II.

Leia mais

População residente. Distribuição da população por freguesias

População residente. Distribuição da população por freguesias População e Território População residente Local de Residência População residente (211) 155 2185 17653 1227 Sarilhos Pequenos 115 9864 Total 6629 Distribuição da população por freguesias 15% Sarilhos

Leia mais

ONDE NASCE O NOVO EMPREGO?

ONDE NASCE O NOVO EMPREGO? www.informadb.pt ONDE NASCE O NOVO EMPREGO? 2ª EDIÇÃO DO ESTUDO ONDE NASCE O NOVO EMPREGO EM PORTUGAL 63% do novo emprego é criado pelas PEQUENAS EMPRESAS 46% do novo emprego criado vem das EMPRESAS JOVENS

Leia mais

Ligeira diminuição do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação

Ligeira diminuição do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Maio de 2010 29 de Junho de 2010 Ligeira diminuição do valor médio de Avaliação Bancária de Habitação O valor médio de avaliação bancária 1 de habitação no total

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária acentuou tendência crescente

Valor médio de avaliação bancária acentuou tendência crescente Dez-14 Jan-15 Fev-15 Mar-15 Abr-15 Mai-15 Jun-15 Jul-15 Ago-15 Set-15 Out-15 Nov-15 Dez-15 Inquérito à Avaliação Bancária na Dezembro de 2015 25 de janeiro de 2016 Valor médio de avaliação bancária acentuou

Leia mais

LISTA DE LOCAIS DE ADMINISTRAÇÃO DA VACINA PARA A HEPATITE A ATUALIZADA A 15 DE SETEMBRO DE 2017

LISTA DE LOCAIS DE ADMINISTRAÇÃO DA VACINA PARA A HEPATITE A ATUALIZADA A 15 DE SETEMBRO DE 2017 LISTA DE LOCAIS DE ADMINISTRAÇÃO DA VACINA PARA A HEPATITE A ATUALIZADA A 15 DE SETEMBRO DE 2017 No sentido de operacionalizar a Norma n.º 16/2017 de 14/08/2017, estabelecem-se os seguintes locais de vacinação,

Leia mais

O Território Português

O Território Português Atualmente, o país é composto por três unidades territoriais distintas: Portugal continental; Arquipélagos dos Açores e da Madeira (regiões autónomas, dotadas de estatutos político-administrativos próprios).

Leia mais

Estudo Prospetivo do Mercado de Reabilitação Urbana e Guia de Boas Práticas

Estudo Prospetivo do Mercado de Reabilitação Urbana e Guia de Boas Práticas Estudo Prospetivo do Mercado de Reabilitação Urbana e Guia de Boas Práticas Isabel Breda Vázquez Paulo Conceição Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Porto 4.07.14 Estudo Prospetivo do Mercado

Leia mais

Comunidade Brasileira é a maior comunidade estrangeira em Portugal

Comunidade Brasileira é a maior comunidade estrangeira em Portugal Dia da Comunidade Luso-Brasileira (22 de Abril) Censos 11 19 de abril de 13 Comunidade Brasileira é a maior comunidade estrangeira em Portugal De acordo com os Censos 11, na última década a comunidade

Leia mais

Notas sobre a população níveis de povoamento e envelhecimento: contrastes entre os concelhos do continente

Notas sobre a população níveis de povoamento e envelhecimento: contrastes entre os concelhos do continente Maria João Valente Rosa* AnáliseSocial,vol.xxxiii (148),1998 (4. ), 855-860 Notas sobre a população níveis de povoamento e envelhecimento: contrastes entre os concelhos do continente Uma viagem pelo continente

Leia mais

Fevereiro Homens Mulheres Total. Número de beneficiários de subsídio de desemprego por sexo. Âmbito geográfico

Fevereiro Homens Mulheres Total. Número de beneficiários de subsídio de desemprego por sexo. Âmbito geográfico Fevereiro 2016 O presente documento pretende fazer de forma sintética uma análise das principais caraterísticas do Distrito de Viseu no que à área social diz respeito. Pretendemos que sirva como elemento

Leia mais

estatísticos, da Madeiraa

estatísticos, da Madeiraa 29 de agosto de 2014 ESTATÍSTICAS DA CONSTRUÇÃO E HABITAÇÃO DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2013 1. Sistema de Indicadores das Operações Urbanísticas (SIOU) O Sistema de Indicadores das Operações Urbanísticas

Leia mais

PIB da Região Centro. Processos de convergência e divergência

PIB da Região Centro. Processos de convergência e divergência maio 2016 Sumário Executivo Sumário Executivo 1. O Produto Interno Bruto (PIB) é um indicador utilizado para aferir e comparar o grau de desenvolvimento dos países ou regiões, bem como o nível de bem-estar

Leia mais

Nova Rede de Urgências

Nova Rede de Urgências Nova Rede de Urgências Objectivos Reunião da Comissão Técnica com a Comunicação Social O processo de definição da Rede de Urgências A Comissão Técnica de Apoio ao Processo de Requalificação das Urgências

Leia mais

ESTUDO SOBRE O PODER DE COMPRA CONCELHIO Análise Sumária dos Resultados para a Região Norte

ESTUDO SOBRE O PODER DE COMPRA CONCELHIO Análise Sumária dos Resultados para a Região Norte ESTUDO SOBRE O PODER DE COMPRA CONCELHIO Análise Sumária dos Resultados para a Região Norte ANTÓNIO EDUARDO PEREIRA* Sendo a terceira região do país com maior nível de poder de compra per capita, o Norte

Leia mais

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO CRITÉRIOS DE INSERÇÃO DE PROJECTOS NO PÓLO DE COMPETITIVIDADE E TECNOLOGIA TURISMO 2015 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTO ELEGÍVEIS 1. No âmbito dos

Leia mais

Edifícios licenciados alteram tendência decrescente dos últimos anos

Edifícios licenciados alteram tendência decrescente dos últimos anos Estatísticas da Construção e Habitação 2016 17 de julho de 2017 Figura 7 retificada (pág. 5) às 17h00 de 17-07-2017 Edifícios licenciados alteram tendência decrescente dos últimos anos Em 2016 o número

Leia mais

Edifícios licenciados aumentaram 7,4% e edifícios concluídos cresceram 12,2%

Edifícios licenciados aumentaram 7,4% e edifícios concluídos cresceram 12,2% Construção: Obras licenciadas e concluídas 2º Trimestre de 2017 - Dados preliminares 13 de setembro de 2017 Edifícios licenciados aumentaram 7,4% e edifícios concluídos cresceram 12,2% No 2º trimestre

Leia mais

Mapa de Vagas IM-2009 B

Mapa de Vagas IM-2009 B Mapa de IM-2009 B colocação Centro Hospitalar do Porto, EPE colocação Hospital de São João, EPE - Porto colocação Anatomia Patológica Anestesiologia Cardiologia Hospitais da Universidade de Coimbra, EPE

Leia mais

Unidade Lec*va 3 População e território

Unidade Lec*va 3 População e território Unidade Lec*va 3 População e território As divisões geográficas de Orlando Ribeiro (1945): Norte Atlântico Noroeste Atlântico Beira Litoral Cordilheira Central Norte Transmontano Sul Mediterrâneo Estremadura

Leia mais

Programa Reabilitar para Arrendar

Programa Reabilitar para Arrendar Programa Reabilitar para Arrendar Lisboa, 11 de novembro de 2016 A evolução da situação da construção, da reabilitação urbana e da habitação em Portugal em seis grandes dimensões 2 3 Desde 1970, o número

Leia mais

Índice. Indicadores Demográficos

Índice. Indicadores Demográficos NUT III Península de Índice Densidade Populacional... 3 Esperança de Vida à Nascença... 3 Estrutura Etária da População dos 0 aos 14 anos... 4 Estrutura Etária da População dos 15 aos 24 anos... 4 Estrutura

Leia mais

Algarve é a Região do país com a maior taxa de crescimento populacional

Algarve é a Região do país com a maior taxa de crescimento populacional Algarve é a Região do país com a maior taxa de crescimento populacional (Primeiros comentários da CCDR Algarve aos Resultados Preliminares dos Censos 2011, divulgados em 30/06/2011) A recente divulgação

Leia mais

41 Municípios registaram preços de venda de alojamentos superiores ao valor nacional

41 Municípios registaram preços de venda de alojamentos superiores ao valor nacional Estatísticas de Preços da Habitação ao nível local 2º Trimestre de 2017 31 de outubro de 2017 41 s registaram preços de venda de alojamentos superiores ao valor nacional No período anual compreendido entre

Leia mais

Anexo 1. Objectivo Central, Objectivos Estratégicos (OE) e Linhas de Orientação do PEGC OBJECTIVO CENTRAL

Anexo 1. Objectivo Central, Objectivos Estratégicos (OE) e Linhas de Orientação do PEGC OBJECTIVO CENTRAL ANEXOS Anexo 1. Objectivo Central, Objectivos Estratégicos (OE) e Linhas de Orientação do PEGC OBJECTIVO CENTRAL Desenvolver e criar um espaço dinâmico a nível económico, social e cultural, actuando ao

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DAS REDES E SERVIÇOS DE ALTA VELOCIDADE EM LOCAL FIXO - FTTH/B E DOCSIS º TRIMESTRE DE 2017

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DAS REDES E SERVIÇOS DE ALTA VELOCIDADE EM LOCAL FIXO - FTTH/B E DOCSIS º TRIMESTRE DE 2017 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DAS REDES E SERVIÇOS DE ALTA VELOCIDADE EM LOCAL FIXO - FTTH/B E DOCSIS 3.0 1.º TRIMESTRE DE 2017 Redes e Serviços Alta Velocidade 1.º Trimestre de 2017 Versão 2 01/06/2017 Índice

Leia mais

Demografia e Estrutura Urbana António Lacerda e Josefina Gomes

Demografia e Estrutura Urbana António Lacerda e Josefina Gomes Demografia e Estrutura Urbana António Lacerda e Josefina Gomes 2 a sessão NORTE & TERRITÓRIO 30 setembro Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro www.ccdr-n.pt/norte-territorio Sumário 1. Breve caracterização

Leia mais

Alojamentos familiares clássicos

Alojamentos familiares clássicos Programa Reabilitar para Arrendar Arcos de Valdevez, 19 de janeiro de 2017 2 A evolução da situação da construção, da reabilitação urbana e da habitação em Portugal em seis grandes dimensões 3 Desde 1970,

Leia mais

AS FAVELAS DA GRANDE ARACAJU

AS FAVELAS DA GRANDE ARACAJU AS FAVELAS DA GRANDE ARACAJU Ricardo Lacerda 1 O IBGE publicou na semana passada o relatório Censo Demográfico 2010- Aglomerados Subnormais- Informações Territoriais. Trata-se de um amplo estudo sobre

Leia mais

Breve enquadramento no Sistema Estatístico Nacional. - O INE, Serviços disponíveis, Ligações, Contacte-nos

Breve enquadramento no Sistema Estatístico Nacional. - O INE, Serviços disponíveis, Ligações, Contacte-nos Serviço de Difusão Portal do INE CENSOS 2011 (ao abrigo do projeto RIIBES) Rede de Informação do INE em Bibliotecas do Ensino Superior dezembro 2012 Itinerário Breve enquadramento no Sistema Estatístico

Leia mais

Comunicação das Iniciativas Preço fixo do livro. Data de comunicação à IGAC. Iniciativa (se aplicável) Braga Parque Braga 2. CC Colombo Lisboa 2

Comunicação das Iniciativas Preço fixo do livro. Data de comunicação à IGAC. Iniciativa (se aplicável) Braga Parque Braga 2. CC Colombo Lisboa 2 FNAC Comunicação das s Preço fixo do livro de www.fnac.pt Global Braga Parque Braga CC Colombo CC Norte Shopping Matosinhos CC Chiado Cascais Shopping Cascais Fórum Almada Almada Gaia Shopping Vª Nª Gaia

Leia mais

MELHOR HOTELARIA Maria João Martins Gestora de Projetos & Research

MELHOR HOTELARIA Maria João Martins Gestora de Projetos & Research MELHOR HOTELARIA 2020 Maria João Martins Gestora de Projetos & Research Évora 21 de março de 2016 AGENDA 1. Desempenho do Sector Turístico Nacional 2. Balanço 2015 3. Evolução da Oferta Hoteleira 4. Programa

Leia mais

INATEL TURISMO PARA TODOS 267 A PREÇOS ECONÓMICOS

INATEL TURISMO PARA TODOS 267 A PREÇOS ECONÓMICOS www.inatel.pt FUNDAÇÃO INATEL TURISMO PARA TODOS PORTUGAL 2013 Desde 267 INCLUI: TRANSPORTE TERRESTRE + 5 NOITES ALOJAMENTO, REFEIÇÕES, PASSEIOS, ANIMAÇÃO E SEGURO. Descubra o que Portugal tem de melhor

Leia mais

A desaceleração no ritmo de crescimento da população residente na Região Norte,

A desaceleração no ritmo de crescimento da população residente na Região Norte, Alteração das Acessibilidades e Dinâmicas Territoriais na Região Norte: expectativas, intervenções e resultantes 4.1 POPULAÇÃO E QUALIDADE DE VIDA 4.1.1 Estabilização e envelhecimento (196 a 1997) A desaceleração

Leia mais