Alojamentos Cablados por Regiões

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Alojamentos Cablados por Regiões"

Transcrição

1 10 R E D E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O P O R C A B O Penetração das Redes de Distribuição por Cabo Regiões(Dec-Lei nº 244/2002) Assinantes TV em % do total de alojamentos 1 Aloj. cablados em % do total de alojamentos 1 Norte 20% 59% Centro 13% 39% Lisboa 54% 131% Alentejo 9% 29% Algarve 18% 65% RAA 41% 59% RAM 61% 90% Total 27% 70% 1 Para o indicador alojamentos, utilizaram-se os valores definitivos dos alojamentos familiares clássicos, resultantes dos Censos de 2001 do INE. Penetração das Redes de Distribuição por Cabo (Cont.) Regiões (Dec-Lei nº 244/2002) Assinantes TV em % do total de aloj. cablados Assinantes TV em % da população 2 Norte 35% 9% Centro 34% 7% Lisboa 41% 26% Alentejo 29% 5% Algarve 28% 13% RAA 70% 16% RAM 67% 23% Total 38% 13% 2 Censos de 2001 do INE para os valores da população. A L O J A M E N T O S C A B L A D O S Alojamentos Cablados por Regiões Regiões (Dec-Lei nº 244/2002) 1º Trim 2004 Crescimento (%) (milhares) Trimestre Últimos 12 meses Norte 924 1,6% 5,7% Centro 489 2,1% 4,2% Lisboa ,7% 2,7% Alentejo 123 0,4% 2,9% Algarve 179 0,6% 2,5% RAA 54 0,1% 1,9% RAM 85 0,0% 4,6% Total ,1% 3,7%

2 S u p l e m e n t o d e E s t a t í s t i c a s : : J u l h o d e : : N º Distribuição dos Alojamentos Cablados Assinantes TV Cabo por Regiões Regiões (Dec-Lei nº 244/2002) 1º Trim 2004 Crescimento (%) (milhares) Trimestre Últimos 12 meses Norte 322 2,2% 7,9% Centro 164 1,3% 4,6% Lisboa 688 1,4% 5,6% Alentejo 36 2,8% 6,4% Algarve 50 1,9% 5,5% RAA 38-0,6% 0,5% RAM 58 1,9% 9,9% Total ,6% 6,1% Distribuição dos Assinantes A S S I N A N T E S D O S E R V I Ç O D E T E L E V I S Ã O P O R D T H Assinantes DTH por Regiões Regiões (Dec-Lei nº 244/2002) 1º Trim 2004 Crescimento (%) (milhares) Trimestre Últimos 12 meses Norte 114 2% 17% Centro 115 2,3% 18,2% Lisboa 32 1,3% 13,9% Alentejo 45 0,5% 11,6% Algarve 19 0,7% 10,9% RAA 19 2,7% 13,4% RAM 4 8,7% 40,7% Total 349 2% 16%

3 12 R E D E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O P O R C A B O Distribuição dos Assinantes DTH A N E X O - R E D E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O P O R C A B O A L O J A M E N T O S C A B L A D O S Evolução do Número de Alojamentos Cablados e do Número de Assinantes Aloj. Cabl Assinantes Evolução do Número de Alojamentos Cablados e do Número de Assinantes Evolução das Taxas de Crescimento Anuais VAR. 97/96 VAR. 98/97 VAR. 99/98 VAR. 00/99 VAR. 01/00 VAR. 02/01 VAR. 03/02 1ºT 2004 / 1ºT 2003 Aloj. Cabl. 50% 25% 24% 15% 16% 11% 4% 4% Assinantes 123% 56% 28% 22% 21% 13% 6% 6% Evolução das Taxas de Crescimento Trimestrais Aloj. Cabl. 1,1% 0,7% 1,0% 0,9% 1,1% Assinantes 1,3% 1,0% 1,7% 1,6% 1,6%

4 S u p l e m e n t o d e E s t a t í s t i c a s : : J u l h o d e : : N º Evolução das Taxas de Penetração º Trim Alojamentos Fam. Clássicos - milhares População Nacional - milhares Aloj. Cablados em % de Alojamentos 21% 32% 39% 47% 54% 60% 67% 69% 70% Assinantes em % de Alojamentos 4% 8% 13% 16% 19% 22% 25% 26% 27% Assinantes em % de Aloj. Cablados 18% 26% 33% 34% 36% 37% 38% 38% 38% Assinantes em % de População 2% 4% 6% 8% 9% 11% 12% 13% 13% 1 Entre 1995 e 2000 consideraram-se as estimativas do INE. A partir de 2001, consideraram-se os mais recentes resultados e estimativas dos Censos 2001 do INE. Alojamento Familiar Clássico - Divisão ou conjunto de divisões e seus anexos que, fazendo parte de um edifício clássico, ou seja, com carácter não precário, ou sendo estruturalmente separados daquele, pela forma como foi construída, reconstruída ou reconvertida se destina à habitação permanente de uma família (...). O alojamento familiar clássico deve ainda ter entrada independente que lhe dê acesso para a rua, quer directamente, quer através de jardim, terreno, ou para uma zona comum dentro de um edifício. (Definição do INE). 2 Utilizaram-se as estimativas do INE para A L O J A M E N T O S C A B L A D O S Evolução do Número de Alojamentos Cablados por Regiões (Nuts III) Norte Minho-Lima Cávado Ave Grande Porto Tâmega Entre Douro e Vouga Douro Alto Trás-os-Montes Centro Baixo Vouga Baixo Mondego Pinhal Litoral Pinhal-Interior-Norte Pinhal-Interior-Sul Dão-Lafões Serra da Estrela Beira-Interior-Norte Beira-Interior-Sul Cova da Beira Oeste Médio Tejo Lisboa Grande Lisboa Península de Setúbal Alentejo Lezíria do Tejo Alentejo Litoral Alto Alentejo Alentejo Central Baixo Alentejo Algarve RAA RAM Total

5 14 R E D E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O P O R C A B O Evolução do Número de Assinantes por Regiões (Nuts III) Norte Minho-Lima Cávado Ave Grande Porto Tâmega Entre Douro e Vouga Douro Alto Trás-os-Montes Centro Baixo Vouga Baixo Mondego Pinhal Litoral Pinhal-Interior-Norte Pinhal-Interior-Sul Dão-Lafões Serra da Estrela Beira-Interior-Norte Beira-Interior-Sul Cova da Beira Oeste Médio Tejo Lisboa Grande Lisboa Península de Setúbal Alentejo Lezíria do Tejo Alentejo Litoral Alto Alentejo Alentejo Central Baixo Alentejo Algarve RAA RAM Total A S S I N A N T E S D T H Evolução do Número de Assinantes DTH por Regiões (Nuts II) Norte n.d. n.d Centro n.d. n.d Lisboa n.d. n.d Alentejo n.d. n.d Algarve n.d. n.d RAA n.d. n.d RAM n.d. n.d Total n.d. - não disponível

6 S u p l e m e n t o d e E s t a t í s t i c a s : : J u l h o d e : : N º Evolução das Taxas de Crescimento VAR. TRIMESTRAIS VAR. TRIM VAR. 00/99 VAR. 01/00 VAR. 02/01 VAR. 03/02 82% 70% 29% 3,9% 2,8% 4,7% 5,6% 18% 2,1% Evolução das Taxas de Penetração Alojamentos Fam. Cláss.- milhares População nacional - milhares Assinantes em % de alojamentos 1,5% 2,7% 4,5% 5,8% 6,0% 6,1% 6,4% 6,8% 6,9% Assinantes em % de população 0,7% 1,3% 2,2% 2,8% 2,9% 3,0% 3,1% 3,3% 3,3% 1 Em 1998 e 1999 consideraram-se as estimativas do INE. A partir do 1º trimestre de 2001 consideraram-se os mais recentes resultados e estimativas dos Censos 2001 do INE. 2 Consideraram-se as estimativas do INE. Evolução Anual dos Assinantes DTH

Estudantes à saída do secundário em 2012/2013 taxas de participação. Escolas

Estudantes à saída do secundário em 2012/2013 taxas de participação. Escolas Estudantes à saída do secundário em 2012/2013 taxas de participação Neste processo de inquirição foram convidadas a participar todas as escolas públicas e privadas de Portugal continental (807 escolas,

Leia mais

Habitação em Portugal: evolução e tendências.

Habitação em Portugal: evolução e tendências. Habitação em Portugal: evolução e tendências João Branco Lisboa http://portugalfotografiaaerea.blogspot.pt/search/label/arcos%20de%20valdevez Sumário Introdução 1. Publicação 2. Estrutura e conteúdo da

Leia mais

Alto Alentejo Caracterização Socio-económica

Alto Alentejo Caracterização Socio-económica Research Sectorial Alto Caracterização Socio-económica Conceição Leitão Espírito Santo Research Sectorial Elvas, 15 de Abril 2010 Enquadramento. NUTS II - ALENTEJO 5 NUTS III 34% do território nacional

Leia mais

População residente por grandes grupos etários, NUTS II, 2007 (em percentagem) Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve R. A. Açores

População residente por grandes grupos etários, NUTS II, 2007 (em percentagem) Norte Centro Lisboa Alentejo Algarve R. A. Açores A. Pesquisa Divisões territoriais: http://sig.ine.pt/viewer.htm Indicar os tipos de divisões territoriais (administrativa, estatística, outras); Indicar os itens de cada divisão administrativa (distrito,

Leia mais

I NSTITUT O D A C ONST RU ÇÃ O E D O I M OB ILIÁ RI O, I.P.

I NSTITUT O D A C ONST RU ÇÃ O E D O I M OB ILIÁ RI O, I.P. I NSTITUT O D A C ONST RU ÇÃ O E D O I M OB ILIÁ RI O, I.P. D I R E Ç ÃO F I N AN C E I R A, D E E S TU D O S E D E E S TR A T É GI A FICHA TÉCNICA Título: Empresas titulares de alvará de construção -

Leia mais

Breve enquadramento no Sistema Estatístico Nacional. - O INE, Serviços disponíveis, Ligações, Contacte-nos

Breve enquadramento no Sistema Estatístico Nacional. - O INE, Serviços disponíveis, Ligações, Contacte-nos Serviço de Difusão Portal do INE CENSOS 2011 (ao abrigo do projeto RIIBES) Rede de Informação do INE em Bibliotecas do Ensino Superior dezembro 2012 Itinerário Breve enquadramento no Sistema Estatístico

Leia mais

Escola EB, 2,3, DE Aranguez Ano lectivo de 2009/2010. Disciplina de Geografia 7ºano

Escola EB, 2,3, DE Aranguez Ano lectivo de 2009/2010. Disciplina de Geografia 7ºano Escola EB, 2,3, DE Aranguez Ano lectivo de 2009/2010 Disciplina de Geografia 7ºano Portugal Continental localiza-se no extremo Sudoeste da Europa, a Oeste do continente Asiático a Norte do continente

Leia mais

Evolução dos clientes de acesso móvel à Internet activos no período de reporte

Evolução dos clientes de acesso móvel à Internet activos no período de reporte 10 S E R V I Ç O T E L E F Ó N I C O M Ó V E L Tráfego de roaming in 2008 Var. Trimestral Var. Homóloga 2º Trim. (+/-) % (+/-) % Chamadas em roaming in 32 617 8 525 35,4% 1 646 5,3% Nº de minutos em roaming

Leia mais

ÁGUA E SANEAMENTO EM PORTUGAL - O MERCADO E OS PREÇOS -

ÁGUA E SANEAMENTO EM PORTUGAL - O MERCADO E OS PREÇOS - A fim de ajudar a proteger a sua privacidade, o PowerPoint bloqueou a transferência automática desta imagem. COLÓQUIO ÁGUA E SANEAMENTO EM PORTUGAL - O MERCADO E OS PREÇOS - Porto 28 de Novembro de 2012

Leia mais

REFERENTE DE NECESSIDADES FORMATIVAS - CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS

REFERENTE DE NECESSIDADES FORMATIVAS - CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS REFERENTE DE NECESSIDADES FORMATIVAS - CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS Nível de prioridade das necessidades formativas dos Cursos de Educação e Formação de Adultos face à dinâmica de emprego,

Leia mais

Estudo comparativo do número de óbitos e causas de morte da mortalidade infantil e suas componentes ( )

Estudo comparativo do número de óbitos e causas de morte da mortalidade infantil e suas componentes ( ) Estudo comparativo do número de óbitos e causas de morte da mortalidade infantil e suas componentes (2009-2012) Versão 2 Dezembro 2013 Paulo Jorge Nogueira Andreia Jorge Costa Matilde Valente Rosa Jorge

Leia mais

Nacional. Percentagem de 1ª Consulta Hospitalar e de Cirurgia Programada realizadas dentro do Tempo Máximo de Resposta Garantido (TMRG)

Nacional. Percentagem de 1ª Consulta Hospitalar e de Cirurgia Programada realizadas dentro do Tempo Máximo de Resposta Garantido (TMRG) Nacional Percentagem de e de realizadas dentro do Tempo Máximo de Resposta Garantido (TMRG) ARS Norte 70% 93% ARS Centro 76% 90% ARS Lisboa e Vale do Tejo 75% 86% ARS Alentejo 72% 89% ARS Algarve 67% 65%

Leia mais

ATENUA-SE TENDÊNCIA DECRESCENTE DO NÚMERO DE EDIFÍCIOS LICENCIADOS

ATENUA-SE TENDÊNCIA DECRESCENTE DO NÚMERO DE EDIFÍCIOS LICENCIADOS Licenciamento de Obras Dezembro de 2005 1 09 de Fevereiro de 2006 ATENUA-SE TENDÊNCIA DECRESCENTE DO NÚMERO DE EDIFÍCIOS LICENCIADOS Em Dezembro de 2005, atenuou-se a tendência decrescente da variação

Leia mais

As dinâmicas territoriais da requalificação do edificado, da empregabilidade e da inovação

As dinâmicas territoriais da requalificação do edificado, da empregabilidade e da inovação Retrato Territorial de Portugal 27 16 de Junho de 29 As dinâmicas territoriais da requalificação do edificado, da empregabilidade e da inovação O INE divulga o Retrato Territorial de Portugal, sob uma

Leia mais

Esperança de vida mais elevada à nascença no Centro e aos 65 anos no Algarve

Esperança de vida mais elevada à nascença no Centro e aos 65 anos no Algarve Tábuas de Mortalidade 2013-2015 30 de setembro de 2016 Esperança de vida mais elevada à nascença no Centro e aos 65 anos no Algarve A esperança de vida à nascença foi estimada em 80,41 anos para o total

Leia mais

Nacional. Percentagem de 1ª Consulta Hospitalar e de Cirurgia Programada realizadas dentro do Tempo Máximo de Resposta Garantido (TMRG)

Nacional. Percentagem de 1ª Consulta Hospitalar e de Cirurgia Programada realizadas dentro do Tempo Máximo de Resposta Garantido (TMRG) Nacional Percentagem de e de realizadas dentro do Tempo Máximo de Resposta Garantido (TMRG) ARS Norte 70% % ARS Centro 76% 89% ARS Lisboa e Vale do Tejo 74% 86% ARS Alentejo 72% 88% ARS Algarve 66% 67%

Leia mais

Em 2014 o crescimento nas regiões NUTS II oscilou entre 0,4% e 1%

Em 2014 o crescimento nas regiões NUTS II oscilou entre 0,4% e 1% Contas Regionais nova geografia territorial 2012 2014Pe 17 de dezembro de 2015 Em 2014 o crescimento nas regiões NUTS II oscilou entre 0,4 e 1 O Instituto Nacional de Estatística inicia a divulgação da

Leia mais

Contas Nacionais Regionais aspetos metodológicos

Contas Nacionais Regionais aspetos metodológicos Contas Nacionais Regionais aspetos metodológicos Secção Permanente de Estatísticas de Base Territorial Secção Permanente de Estatísticas Económicas Departamento de Contas Nacionais 10 julho 2015 Contas

Leia mais

SERVIÇO DE TELEVISÃO POR SUBSCRIÇÃO INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA 4º TRIMESTRE DE 2010

SERVIÇO DE TELEVISÃO POR SUBSCRIÇÃO INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA 4º TRIMESTRE DE 2010 SERVIÇO DE TELEVISÃO POR SUBSCRIÇÃO INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA 4º TRIMESTRE DE 2010 Serviço de Televisão por subscrição 4º trimestre 2010 1/22 Índice 1. Introdução... 4 2. Serviços de televisão por cabo...

Leia mais

MERCADO NACIONAL VINHOS TRANQUILOS

MERCADO NACIONAL VINHOS TRANQUILOS MERCADO NACIONAL VINHOS TRANQUILOS Janeiro a Junho/2015 DADOS PRELIMINARES Análise baseada em dados Nielsen 26 de Agosto de 2015 Elaborado por: DEAI Departamento de Estudos e Apoio à Internacionalização

Leia mais

Ficha técnica para os perfis regionais de cuidados paliativos. Observatório Português dos Cuidados Paliativos

Ficha técnica para os perfis regionais de cuidados paliativos. Observatório Português dos Cuidados Paliativos Ficha técnica para os perfis regionais de cuidados paliativos Observatório Português dos Cuidados Paliativos Acerca do Observatório Português dos Cuidados Paliativos O OPCP foi criado dia 1 de Dezembro

Leia mais

Valor médio de Avaliação Bancária de Habitação com ligeira diminuição

Valor médio de Avaliação Bancária de Habitação com ligeira diminuição Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Fevereiro de 2010 26 de Março 2010 Valor médio de Avaliação Bancária de Habitação com ligeira diminuição O valor médio de avaliação bancária 1 de habitação no

Leia mais

ZA6649. Flash Eurobarometer 427 (Public Opinion in the EU Regions) Country Questionnaire Portugal

ZA6649. Flash Eurobarometer 427 (Public Opinion in the EU Regions) Country Questionnaire Portugal ZA669 Flash Eurobarometer 7 (Public Opinion in the EU Regions) Country Questionnaire Portugal FL7 - FLASH SURVEY IN NUTS I AND NUTS II REGIONS - nd wave PT D Poderia dizer-me a sua idade? (ESCREVER - SE

Leia mais

MERCADO NACIONAL VINHOS TRANQUILOS

MERCADO NACIONAL VINHOS TRANQUILOS MERCADO NACIONAL VINHOS TRANQUILOS Janeiro a Março/2015 DADOS PRELIMINARES Análise baseada em dados Nielsen 30 de Abril de 2015 Elaborado por: DEAI Departamento de Estudos e Apoio à Internacionalização

Leia mais

[DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO]

[DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO] [DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO] O PIB REGIONAL UMA ANÁLISE APLICADA À REGIÃO CENTRO O Produto Interno Bruto (PIB) é um indicador habitualmente utilizado para aferir e comparar o grau de desenvolvimento

Leia mais

III Indicadores da construção e da habitação por município, 2008 III Construction and housing indicators by municipality, 2008

III Indicadores da construção e da habitação por município, 2008 III Construction and housing indicators by municipality, 2008 26 de Novembro 29 Anuários Estatísticos Regionais 28 Anuários Estatísticos Regionais Informação estatística à escala regional e municipal Os Anuários Estatísticos Regionais constituem a publicação de referência

Leia mais

2. Dados de adesão efectiva

2. Dados de adesão efectiva 2. Dados de adesão efectiva 2.1 Evolução do número de aderentes O programa e.iniciativas registava no final de Novembro de 2008 um total de 534.285 adesões, valor que representa cerca de 5% da população

Leia mais

PERFIL DO ALUNO 2008/2009

PERFIL DO ALUNO 2008/2009 PERFIL DO ALUNO 2008/2009 FICHA TÉCNICA Título Perfil do Aluno 2008/2009 Autoria Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação (GEPE) Direcção de Serviços de Estatística Edição Gabinete de Estatística

Leia mais

Literacia Estatística ao serviço da Cidadania. Portal do INE e Projeto ALEA Uma primeira abordagem

Literacia Estatística ao serviço da Cidadania. Portal do INE e Projeto ALEA Uma primeira abordagem Serviço de Difusão Literacia Estatística ao serviço da Cidadania Portal do INE e Projeto ALEA Uma primeira abordagem Rede de Bibliotecas Escolares Formação para Professores fevereiro - maio.2012 Itinerário

Leia mais

PT2020 Pagamentos Efetuados (M )

PT2020 Pagamentos Efetuados (M ) Incentivos às empresas Plano 100 aplicado, meta 450 atingida e 617 M pagos até agora Recordes de procura do PT2020 de investimento privado Acelerador de investimento implementado com sucesso Crescimento

Leia mais

PT2020 Pagamentos Efetuados (M )

PT2020 Pagamentos Efetuados (M ) Incentivos às empresas Plano 100 aplicado, meta 450 atingida e 617 M pagos até agora Recordes de procura do PT2020 de investimento privado Acelerador de investimento implementado com sucesso Crescimento

Leia mais

Ponto de Acesso INE Biblioteca IPB Formação de utilizadores. Beja, Outubro de 2009 ESEB

Ponto de Acesso INE Biblioteca IPB Formação de utilizadores. Beja, Outubro de 2009 ESEB Ponto de Acesso INE Biblioteca IPB Formação de utilizadores Organização I Parte Informação sobre o Ponto de Acesso do INE no Instituto Politécnico de Beja II Parte Pesquisa de informação estatística Como

Leia mais

Ponto de Situação Incentivos às Empresas Portugal 2020

Ponto de Situação Incentivos às Empresas Portugal 2020 N.º 11 Ponto de Situação Incentivos às Empresas Portugal 2020 Dados reportados a 31 de maio de 2016 Ponto de Situação Sistemas de Incentivos às Empresas Portugal 2020 Dados reportados a 31 de maio de 2016

Leia mais

PARQUE HABITACIONAL DA REGIÃO CENTRO

PARQUE HABITACIONAL DA REGIÃO CENTRO PARQUE HABITACIONAL DA REGIÃO CENTRO CENSOS 2011 CONCEITOS: Edifício Construção permanente, dotada de acesso independente, coberta e limitada por paredes exteriores ou paredes-meias que vão das fundações

Leia mais

Nova série de Contas Regionais para o período 2000 a 2013

Nova série de Contas Regionais para o período 2000 a 2013 Contas Regionais Base 2011 2000-2013 18 de dezembro de 2014 Nova série de Contas Regionais para o período 2000 a 2013 O Instituto Nacional de Estatística procede à divulgação da nova série de Contas Regionais

Leia mais

[DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO]

[DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO] [DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO] A APLICAÇÃO DA TIPOLOGIA DE ÁREAS URBANAS À REGIÃO CENTRO Em 2009, o Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou uma nova versão da Tipologia de Área Urbanas

Leia mais

Produtividade e Rendimento no Minho Lima: uma breve análise

Produtividade e Rendimento no Minho Lima: uma breve análise Viana do Castelo Produtividade e Rendimento no Minho Lima: uma breve análise FICHA TÉCNICA TÍTULO PRODUTIVIDADE E RENDIMENTO NO MINHO LIMA: UMA BREVE ANÁLISE AUTOR HÉLDER PENA NÚCLEO DISTRITAL DE VIANA

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DAS REDES E SERVIÇOS DE ALTA VELOCIDADE EM LOCAL FIXO 1 3.º TRIMESTRE DE 2015

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DAS REDES E SERVIÇOS DE ALTA VELOCIDADE EM LOCAL FIXO 1 3.º TRIMESTRE DE 2015 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DAS REDES E SERVIÇOS DE ALTA VELOCIDADE EM LOCAL FIXO 1 3.º TRIMESTRE DE 2015 1 Inclui as tecnologias FTTH/B e EuroDOCSIS 3.0 Redes e Serviços Alta Velocidade 3º Trimestre de 2015

Leia mais

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM A Formação Específica

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM A Formação Específica IMUNOHEMOTERAPIA Centro Hospitalar de Lisboa Norte (Santa Maria, E.P.E. e Pulido Valente, E.P.E.) Normal 1 IMUNOHEMOTERAPIA Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio, E.P.E. Hospital Prof. Dr. Fernando

Leia mais

Uma perspetiva territorial da expansão, reabilitação e arrendamento habitacionais

Uma perspetiva territorial da expansão, reabilitação e arrendamento habitacionais Seminário 12 novembro 213 Iniciativa conjunta INE LNEC Uma perspetiva territorial da expansão, reabilitação e arrendamento habitacionais Instituto Nacional de Estatística Serviço de Estatísticas Territoriais

Leia mais

INQUÉRITO NACIONAL EM MEIO ESCOLAR, 2011 SECUNDÁRIO CONSUMO DE DROGAS E OUTRAS SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS: UMA ABORDAGEM INTEGRADA Síntese de resultados

INQUÉRITO NACIONAL EM MEIO ESCOLAR, 2011 SECUNDÁRIO CONSUMO DE DROGAS E OUTRAS SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS: UMA ABORDAGEM INTEGRADA Síntese de resultados INQUÉRITO NACIONAL EM MEIO ESCOLAR, 11 SECUNDÁRIO CONSUMO DE DROGAS E OUTRAS SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS: UMA ABORDAGEM INTEGRADA Síntese de resultados Fernanda Feijão Serviço de Intervenção nos Comportamentos

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DAS REDES E SERVIÇOS DE ALTA VELOCIDADE EM LOCAL FIXO 1 4.º TRIMESTRE DE 2015

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DAS REDES E SERVIÇOS DE ALTA VELOCIDADE EM LOCAL FIXO 1 4.º TRIMESTRE DE 2015 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DAS REDES E SERVIÇOS DE ALTA VELOCIDADE EM LOCAL FIXO 1 4.º TRIMESTRE DE 2015 1 Inclui as tecnologias FTTH/B e EuroDOCSIS 3.0 Redes e Serviços Alta Velocidade 4º Trimestre de 2015

Leia mais

CAPÍTULO 3 AS NUTS III DE FRONTEIRA DE PORTUGAL CONTINENTAL

CAPÍTULO 3 AS NUTS III DE FRONTEIRA DE PORTUGAL CONTINENTAL CAPÍTULO 3 AS NUTS III DE FRONTEIRA DE PORTUGAL CONTINENTAL 3.1 - Uma área em declínio demográfico e económico Conforme refere Orlando Ribeiro (2001) a fronteira portuguesa, fixada nas linhas gerais quando

Leia mais

Nomenclaturas Territoriais, Trajetos Educacionais, Competitividade e Internacionalização nas regiões portuguesas

Nomenclaturas Territoriais, Trajetos Educacionais, Competitividade e Internacionalização nas regiões portuguesas Retrato Territorial de Portugal 213 Nomenclaturas Territoriais, Trajetos Educacionais, Competitividade e Internacionalização nas regiões portuguesas O INE divulga, em 215, a 4ª edição do Retrato Territorial

Leia mais

ESTATÍSTICAS DO EMPREGO Região Norte (NUTS III)

ESTATÍSTICAS DO EMPREGO Região Norte (NUTS III) Informação à Comunicação Social 16 de Outubro de 2 ESTATÍSTICAS DO EMPREGO Região Norte (NUTS III) 2º Trimestre de 2 No segundo trimestre de 2, a taxa de desemprego na região Norte cifrou-se em 4,1%, registando

Leia mais

VALOR MÉDIO DA AVALIAÇÃO BANCÁRIA DE HABITAÇÃO DIMINUI

VALOR MÉDIO DA AVALIAÇÃO BANCÁRIA DE HABITAÇÃO DIMINUI Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação 1º Trimestre de 2006 28 de Abril de 2006 VALOR MÉDIO DA AVALIAÇÃO BANCÁRIA DE HABITAÇÃO DIMINUI No 1º trimestre de 2006, o valor médio de avaliação bancária

Leia mais

Pela primeira vez na história demográfica recente, Portugal registou em 2007 um saldo natural negativo

Pela primeira vez na história demográfica recente, Portugal registou em 2007 um saldo natural negativo Pela primeira vez na história demográfica recente, Portugal registou em 2007 um saldo natural negativo De acordo com os indicadores demográficos disponíveis relativos a 2007, a população residente em Portugal

Leia mais

ALENTEJO Linhas Orientadoras para uma Estratégia de Desenvolvimento

ALENTEJO Linhas Orientadoras para uma Estratégia de Desenvolvimento ALENTEJO 2015 Linhas Orientadoras para uma Estratégia de Desenvolvimento Augusto Mateus Évora, 28 de Março de 2006 Instituto Superior de Economia e Gestão Universidade Técnica de Lisboa A situação de partida

Leia mais

EM 2009, 39 MUNICÍPIOS APRESENTAVAM UM PODER DE COMPRA PER CAPITA ACIMA DA MÉDIA NACIONAL

EM 2009, 39 MUNICÍPIOS APRESENTAVAM UM PODER DE COMPRA PER CAPITA ACIMA DA MÉDIA NACIONAL EM 2009, 39 MUNICÍPIOS APRESENTAVAM UM PODER DE COMPRA PER CAPITA ACIMA DA MÉDIA NACIONAL Estudo sobre o Poder de Compra Concelhio 2009 Em 2009, dos 308 municípios portugueses, 39 apresentavam, relativamente

Leia mais

1. COMPETITIVIDADE E COESÃO NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA: UMA PERSPECTIVA DE SÍNTESE

1. COMPETITIVIDADE E COESÃO NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA: UMA PERSPECTIVA DE SÍNTESE 1. COMPETITIVIDADE E COESÃO NA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA: UMA PERSPECTIVA DE SÍNTESE 1.1. ENQUADRAMENTO METODOLÓGICO A avaliação do desempenho das regiões portuguesas é entendida, no contexto dos vectores

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA URBANA: O PAPEL DAS NUT III NOS INDICADORES DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. D. A. A. M. Gomes e M. A. P. Dinis

QUALIDADE DE VIDA URBANA: O PAPEL DAS NUT III NOS INDICADORES DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. D. A. A. M. Gomes e M. A. P. Dinis QUALIDADE DE VIDA URBANA: O PAPEL DAS NUT III NOS INDICADORES DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL D. A. A. M. Gomes e M. A. P. Dinis RESUMO Actualmente, a dimensão urbana é reconhecida como fundamental para

Leia mais

Disponibilidade geográfica da banda larga em Portugal

Disponibilidade geográfica da banda larga em Portugal Data de publicação 22.9.2008 Disponibilidade geográfica da banda larga em Portugal A disponibilidade das ofertas de banda larga depende da existência de centrais da rede telefónica pública comutada nas

Leia mais

Portugal e a Política de Coesão 2007-2013

Portugal e a Política de Coesão 2007-2013 MINISTÉRIO DO AMBIENTE, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL Portugal e a Política de Coesão 2007-2013 2013 Rui Nuno Baleiras Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional Centro

Leia mais

Ponto de Situação Incentivos às Empresas Portugal 2020

Ponto de Situação Incentivos às Empresas Portugal 2020 N.º 14 Ponto de Situação Incentivos às Empresas Portugal 2020 Dados reportados a 31 de agosto de 2016 Ponto de Situação Sistemas de Incentivos às Empresas Portugal 2020 Dados reportados a 31 de agosto

Leia mais

Taxa de desemprego de 17,7%

Taxa de desemprego de 17,7% 9 de maio de 2013 Estatísticas do Emprego 1º trimestre de 2013 Taxa de desemprego de 17,7% A taxa de desemprego estimada para o 1º trimestre de 2013 foi de 17,7%. Este valor é superior em 2,8 pontos percentuais

Leia mais

Onde e como se vive em Portugal 2011

Onde e como se vive em Portugal 2011 Onde e como se vive em Portugal 2011 25 de junho de 2013 Onde e como se vive em Portugal 2011 De acordo com os resultados definitivos dos Censos 2011 na região de Lisboa regista-se a maior densidade populacional,

Leia mais

Índice. Ficha Técnica NEWS. Apresentação LETTER Nº 9. Junho 2011

Índice. Ficha Técnica NEWS. Apresentação LETTER Nº 9. Junho 2011 Junho 2011 Índice Novidades Tema em Destaque Resultados Preliminares dos Censos 2011 Principais Resultados A População e as Famílias A Habitação Pág.2 Pág.3 Pág.4 Pág.9 Apresentação A Newsletter dos Censos

Leia mais

A FRUTICULTURA NO PRODER. Alguns Indicadores

A FRUTICULTURA NO PRODER. Alguns Indicadores A FRUTICULTURA NO PRODER Alguns Indicadores NOTA DE ABERTURA Este documento tem como objetivo a divulgação de um conjunto de indicadores relativos ao setor da fruticultura no âmbito do Programa de Desenvolvimento

Leia mais

1.1 Municípios por NUTS III, distrito/ra e CCR/RA (2001, Municípios por ordenação alfabética)

1.1 Municípios por NUTS III, distrito/ra e CCR/RA (2001, Municípios por ordenação alfabética) 1.1 Municípios por NUTS III, distrito/ra e CCR/RA ABRANTES Médio Tejo Santarém Lisboa e Vale do Tejo Continente ÁGUEDA Baixo Vouga Aveiro Centro Continente AGUIAR DA BEIRA Dão-Lafões Guarda Centro Continente

Leia mais

REABILITAÇÃO SÍSMICA DOS EDIFÍCIOS. Seminário - 03 de Junho de Ordem dos Engenheiros - Lisboa

REABILITAÇÃO SÍSMICA DOS EDIFÍCIOS. Seminário - 03 de Junho de Ordem dos Engenheiros - Lisboa REABILITAÇÃO SÍSMICA DOS EDIFÍCIOS Seminário - 03 de Junho de 2011 - Ordem dos Engenheiros - Lisboa Risco sísmico na região de Lisboa e Vale do Tejo Diagnóstico da vulnerabilidade dos edifícios existentes

Leia mais

sobre o Número de Utentes Inscritos nos de Saúde Primários

sobre o Número de Utentes Inscritos nos de Saúde Primários Título da Apresentação Publicação Periódica Dados Editoriais sobre o Número de Utentes Inscritos nos Dados Editoriais Dados Cuidados Editoriais de Saúde Primários 16 de fevereiro de 2015 Nota introdutória

Leia mais

Mapa de Vagas para ingresso em área de especialização - Concurso IM 2015

Mapa de Vagas para ingresso em área de especialização - Concurso IM 2015 23.11.2015 Mapa de Vagas para ingresso em área de especialização - Concurso IM 2015 Anatomia Patológica Centro Hospitalar de São João, EPE 2 Instituto Português de Oncologia do Porto Francisco Gentil,

Leia mais

INQUÉRITO NACIONAL EM MEIO ESCOLAR, º CICLO CONSUMO DE DROGAS E OUTRAS SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS: UMA ABORDAGEM INTEGRADA Síntese de resultados

INQUÉRITO NACIONAL EM MEIO ESCOLAR, º CICLO CONSUMO DE DROGAS E OUTRAS SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS: UMA ABORDAGEM INTEGRADA Síntese de resultados INQUÉRITO NACIONAL EM MEIO ESCOLAR, 11 3.º CICLO CONSUMO DE DROGAS E OUTRAS SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS: UMA ABORDAGEM INTEGRADA Síntese de resultados Fernanda Feijão Serviço de Intervenção nos Comportamentos

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária acentuou tendência crescente

Valor médio de avaliação bancária acentuou tendência crescente Dez-14 Jan-15 Fev-15 Mar-15 Abr-15 Mai-15 Jun-15 Jul-15 Ago-15 Set-15 Out-15 Nov-15 Dez-15 Inquérito à Avaliação Bancária na Dezembro de 2015 25 de janeiro de 2016 Valor médio de avaliação bancária acentuou

Leia mais

Apoios ao Investimento em Portugal

Apoios ao Investimento em Portugal Apoios ao Investimento em Portugal AICEP Abril 2015 FINANÇAS Índice Investimento Produtivo Auxílios Estatais Máximos Incentivos Financeiros Incentivos Fiscais Investimento em I&D Empresarial Incentivos

Leia mais

[DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO]

[DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO] [DINÂMICAS REGIONAIS NA REGIÃO CENTRO] COMÉRCIO INTRA-COMUNITÁRIO DE BENS DA REGIÃO CENTRO Um confronto entre a região da sede do operador e a região de origem ou destino das mercadorias As relações comerciais

Leia mais

U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E

U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E U N I V E R S I D A D E C A N D I D O M E N D E S P Ó S G R A D U A Ç Ã O L A T O S E N S U I N S T I T U T O A V E Z D O M E S T R E E S T U D O D O S P R O B L E M A S D A E C O N O M I A B R A S I L

Leia mais

Fatores Determinantes para o Crescimento do Emprego de Jovens CREJOV

Fatores Determinantes para o Crescimento do Emprego de Jovens CREJOV Fatores Determinantes para o Crescimento do Emprego de Jovens CREJOV THINK TANK 30 de abril de 2013 POAT/FSE: Gerir, Conhecer e Intervir Situação População 15-24 anos- Taxas Dezembro2012 NEETs 18,6 Abando.E.P

Leia mais

A taxa de desemprego estimada para o 2º trimestre de 2014 foi 13,9%

A taxa de desemprego estimada para o 2º trimestre de 2014 foi 13,9% 05 de agosto de 2014 Estatísticas do Emprego 2º trimestre de 2014 A taxa de desemprego estimada para o 2º trimestre de 2014 foi 13,9 A taxa de desemprego estimada para o 2º trimestre de 2014 foi 13,9.

Leia mais

A taxa de desemprego estimada foi de 15,6%

A taxa de desemprego estimada foi de 15,6% 7 de novembro de 2013 Estatísticas do Emprego 3º trimestre de 2013 A taxa de desemprego estimada foi de 15,6% A taxa de desemprego estimada para o 3º trimestre de 2013 foi de 15,6%. Este valor é inferior

Leia mais

Estatísticas do Emprego 4º trimestre de A taxa de desemprego do 4º trimestre de 2008 foi de 7,8% 17 de Fevereiro de 2009

Estatísticas do Emprego 4º trimestre de A taxa de desemprego do 4º trimestre de 2008 foi de 7,8% 17 de Fevereiro de 2009 Estatísticas do Emprego 4º trimestre de 2008 17 de Fevereiro de 2009 A taxa de desemprego do 4º trimestre de 2008 foi de 7,8% A taxa de desemprego estimada para o 4º trimestre de 2008 foi de 7,8%. Este

Leia mais

Pressão Construtiva

Pressão Construtiva Pressão Construtiva 2001-2010 Edição 2012 Pressão Construtiva 2001-2010 Edição 2012 2 FICHA TÉCNICA Título Pressão Construtiva 2001-2010 Editor Instituto Nacional de Estatística, I.P. Av. António José

Leia mais

perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino

perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino Conceição Rego Maria Filomena Mendes José Rebelo Graça Magalhães Resumo: Palavras-chave Códigos JEL Abstract: Keywords JEL Codes

Leia mais

M a n h ã... p r e s e n t e! L u g a r... p r e s e n t e! Q u e m... p r e s e n t e! N e n h u m... p r e s e n t e! C u í c a... p r e s e n t e!

M a n h ã... p r e s e n t e! L u g a r... p r e s e n t e! Q u e m... p r e s e n t e! N e n h u m... p r e s e n t e! C u í c a... p r e s e n t e! C a r o l i n a M a n h ã......................................................................... p r e s e n t e! L u g a r.......................................................................... p

Leia mais

A taxa de desemprego estimada para o 2º trimestre de 2014 foi 13,9%

A taxa de desemprego estimada para o 2º trimestre de 2014 foi 13,9% 5 de agosto de 2014 Estatísticas do Emprego (corrigido às 16:40) 2º trimestre de 2014 (substituição do gráfico 1, na página 2, e do gráfico 3, na página 3, por existir um erro nos eixos das ordenadas)

Leia mais

ALMADA FICHA TÉCNICA. Título Território e População Retrato de Almada segundo os Censos 2011

ALMADA FICHA TÉCNICA. Título Território e População Retrato de Almada segundo os Censos 2011 DMPATO DPU Divisão de Estudos e Planeamento A ALMADA FICHA TÉCNICA Título Território e População Retrato de Almada segundo os Censos 2011 Serviço Divisão de Estudos e Planeamento Departamento de Planeamento

Leia mais

movimentos migratórios regionais do interior português: quem saiu e quem entrou?

movimentos migratórios regionais do interior português: quem saiu e quem entrou? movimentos migratórios regionais do interior português: quem saiu e quem entrou? Ana Rita Jacinto Pedro Nogueira Ramos Resumo: Palavras-chave população Códigos JEL Abstract: Keywords JEL Codes 71 estudos

Leia mais

AUTORIZAÇÕES DE UNIDADES, BANCOS E SERVIÇOS RESPONSÁVEIS PELA APLICAÇÃO / TRANSPLANTAÇÃO - SETOR PÚBLICO ÓRGÃOS

AUTORIZAÇÕES DE UNIDADES, BANCOS E SERVIÇOS RESPONSÁVEIS PELA APLICAÇÃO / TRANSPLANTAÇÃO - SETOR PÚBLICO ÓRGÃOS ÓRGÃOS Centro Hospitalar de Tondela - Viseu, E.P.E. Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, E.P.E. Centro Hospitalar do Baixo Vouga, E.P.E. Centro Hospitalar Trás os Montes e Alto Douro, E.P.E.

Leia mais

Encontro Nacional do Turismo no Espaço o Rural

Encontro Nacional do Turismo no Espaço o Rural Encontro Nacional do Turismo no Espaço o Rural Convento de Refoios Ponte de Lima 21 de Junho de 2003 Distribuição Espacial do TER (SIR) Unid: Euros Distritos Nº Projectos Investimento Total Incentivo Aveiro

Leia mais

Anuário da Comunicação 2006-2007

Anuário da Comunicação 2006-2007 Anuário da Comunicação 2006-2007 ISSN 2183-3478 Anuário da Comunicação 2006/2007 Este sétimo volume do Anuário da Comunicação congrega de forma centralizada um conjunto considerável de dados estatísticos

Leia mais

A taxa de desemprego estimada para o 1º trimestre de 2014 foi 15,1%

A taxa de desemprego estimada para o 1º trimestre de 2014 foi 15,1% 09 de maio de 2014 Estatísticas do Emprego 1º trimestre de 2014 A taxa de desemprego estimada para o 1º trimestre de 2014 foi 15,1 A taxa de desemprego estimada para o 1º trimestre de 2014 foi 15,1. Este

Leia mais

Seminário sobre Clusters

Seminário sobre Clusters Seminário sobre Clusters 1.A COMPETITIVIDADE DAS CIDADES VETORES FUNDAMENTAIS PARA A COMPETITIVIDADE DE UMA CIDADE Os bens e serviços que o território tem para oferecer ao exterior outras regiões do País

Leia mais

A taxa de desemprego estimada foi de 16,4%

A taxa de desemprego estimada foi de 16,4% 7 de agosto de 2013 Estatísticas do Emprego 2º trimestre de 2013 A taxa de desemprego estimada foi de 16,4% A taxa de desemprego estimada para o 2º trimestre de 2013 foi de 16,4%. Este valor é superior

Leia mais

SISTEMA DE INDICADORES DE PREÇOS NA CONSTRUÇÃO E HABITAÇÃO - Novas Estatísticas Oficiais 1º Semestre de 2001

SISTEMA DE INDICADORES DE PREÇOS NA CONSTRUÇÃO E HABITAÇÃO - Novas Estatísticas Oficiais 1º Semestre de 2001 Informação à Comunicação Social 28 de Dezembro de 2001 SISTEMA DE INDICADORES DE PREÇOS NA CONSTRUÇÃO E HABITAÇÃO - Novas Estatísticas Oficiais 1º Semestre de 2001 O INE dá início à difusão de estatísticas

Leia mais

EVOLUÇÃO DA TN EM PORTUGAL DESDE MEADOS DO SÉCULO XX

EVOLUÇÃO DA TN EM PORTUGAL DESDE MEADOS DO SÉCULO XX EVOLUÇÃO DA TN EM PORTUGAL DESDE MEADOS DO SÉCULO XX A tendência do número de nascimentos em Portugal neste período é de um decréscimo. O período de 1975 a 1977 contraria esta evolução devido a fatores

Leia mais

1. COMPETITIVIDADE E COESÃO NA REGIÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO: UMA PERSPECTIVA DE SÍNTESE

1. COMPETITIVIDADE E COESÃO NA REGIÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO: UMA PERSPECTIVA DE SÍNTESE COMPETITIVIDADE TERRITORIAL E A COESÃO ECONÓMICA E SOCIAL REGIÃO LISBOA E VALE DO TEJO 1. COMPETITIVIDADE E COESÃO NA REGIÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO: UMA PERSPECTIVA DE SÍNTESE 1.1. ENQUADRAMENTO METODOLÓGICO

Leia mais

INFORMAÇÃO DE MERCADO

INFORMAÇÃO DE MERCADO 03.FEV.2011 INFORMAÇÃO DE MERCADO CAMPANHA 2010/2011 Assunto: TRÂNSITOS DE UVAS NAS REGIÕES VITIVINÍCOLAS Campanha 2010/2011 Concluído o prazo de entrega da Declarações de Colheita e Produção (DCP) da

Leia mais

T A B E L A D E P R E Ç O S A B R I L

T A B E L A D E P R E Ç O S A B R I L T A B E L A D E S A B R I L 1 7 P U L S E 1 4 9, 9 9 1 2 1, 9 4 8 U M P A R D E P U L S E - L E D ( 1 X P U L S E M A S T E R + 1 X P U L S E S A T E L L I T E ) C O M 6 0 0 L Ú M E N, 2 7 0 0 K ( B R

Leia mais

A C T A N. º I V /

A C T A N. º I V / 1 A C T A N. º I V / 2 0 0 9 - - - - - - A o s d e z a s s e t e d i a s d o m ê s d e F e v e r e i r o d o a n o d e d o i s m i l e n o v e, n e s t a V i l a d e M o n c h i q u e, n o e d i f í c

Leia mais

A taxa de desemprego estimada foi 13,1%

A taxa de desemprego estimada foi 13,1% 5 de novembro de 2014 Estatísticas do Emprego 3º trimestre de 2014 A taxa de desemprego estimada foi 13,1 A taxa de desemprego estimada para o 3º trimestre de 2014 foi de 13,1. Este valor é inferior em

Leia mais

A taxa de desemprego estimada foi 13,5%

A taxa de desemprego estimada foi 13,5% 4 de fevereiro de 2015 Estatísticas do Emprego 4º trimestre de 2014 A taxa de desemprego estimada foi 13,5 A taxa de desemprego estimada para o 4º trimestre de 2014 foi 13,5. Este valor é superior em 0,4

Leia mais

S e s s ã o e x t r a o r d i n á r i a 1 3 d e m a r ç o d e A T A N º 1 /

S e s s ã o e x t r a o r d i n á r i a 1 3 d e m a r ç o d e A T A N º 1 / A T A N º 1 / 2 0 1 4 A o s t r e z e d i a s d o m ê s d e m a r ç o d o a n o d e d o i s m i l e c a t o r z e, p e l a s v i n t e e u m a h o r a s e d e z m i n u t o s r e u n i u e m s e s s ã

Leia mais

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO CRITÉRIOS DE INSERÇÃO DE PROJECTOS NO PÓLO DE COMPETITIVIDADE E TECNOLOGIA TURISMO 2015 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTO ELEGÍVEIS 1. No âmbito dos

Leia mais

Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 2011

Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 2011 Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 20 de abril de 204 Em 20, o índice sintético de desenvolvimento regional de seis das 0 sub-regiões NUTS III situava-se acima da média nacional: a rande Lisboa,

Leia mais

Análise Descritiva dos Estabelecimentos de Comércio e Serviços do cluster da Saúde e de Bem-estar. Versão de 08 Outubro de 2011

Análise Descritiva dos Estabelecimentos de Comércio e Serviços do cluster da Saúde e de Bem-estar. Versão de 08 Outubro de 2011 Análise Descritiva dos Estabelecimentos de Comércio e s do cluster da Saúde e de Bem-estar Versão de 08 Outubro de 2011 Versão: Junho 2012 Análise Descritiva dos Estabelecimentos de Comércio e s do cluster

Leia mais

As alterações ao mapa de vagas do Concurso IM 2016, divulgado no site da ACSS e em Diário da República, em 18 de maio, são as seguintes:

As alterações ao mapa de vagas do Concurso IM 2016, divulgado no site da ACSS e em Diário da República, em 18 de maio, são as seguintes: As alterações ao mapa de vagas do Concurso IM 2016, divulgado no site da ACSS e em Diário da República, em 18 de maio, são as seguintes: VAGAS DE MEDICINA FÍSICA E REABILITAÇÃO Hospital da Misericórdia

Leia mais

Objetivos Evolução e diversidade nas famílias monoparentais

Objetivos Evolução e diversidade nas famílias monoparentais 1 Objetivos Evolução e diversidade nas famílias monoparentais Quais as mudanças e as continuidades ocorridas nestas famílias entre 1991-2011? Qual o impacto das mudanças na conjugalidade e na parentalidade,

Leia mais

Pediatria Médica ORDEM DOS MÉDICOS SECÇÃO REGIONAL DO NORTE

Pediatria Médica ORDEM DOS MÉDICOS SECÇÃO REGIONAL DO NORTE Pediatria Médica ORDEM DOS MÉDICOS SECÇÃO REGIONAL DO NORTE Idoneidade e de Serviços, para os Estágios do Internato Complementar de Pediatria no ano 2017, atribuídas pela Direcção do Colégio de Especialidade

Leia mais

Anuários Estatísticos Regionais Informação estatística à escala regional e municipal

Anuários Estatísticos Regionais Informação estatística à escala regional e municipal Anuários Estatísticos Regionais 2015 20 de dezembro de 2016 Anuários Estatísticos Regionais Informação estatística à escala regional e municipal O INE divulga os Anuários Estatísticos Regionais, que constituem

Leia mais

AS CRIANÇAS EM PORTUGAL - ALGUNS DADOS ESTATÍSTICOS

AS CRIANÇAS EM PORTUGAL - ALGUNS DADOS ESTATÍSTICOS Dia Mundial da Criança 1 de Junho 30 de Maio de 2005 AS CRIANÇAS EM PORTUGAL - ALGUNS DADOS ESTATÍSTICOS O conteúdo do presente Destaque está alterado na página 2, relativamente ao divulgado em 30-05-2005.

Leia mais