IDADE GESTACIONAL, ESTADO NUTRICIONAL E GANHO DE PESO DURANTE A GESTAÇÃO DE PARTURIENTES DO HOSPITAL SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PELOTAS RS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IDADE GESTACIONAL, ESTADO NUTRICIONAL E GANHO DE PESO DURANTE A GESTAÇÃO DE PARTURIENTES DO HOSPITAL SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PELOTAS RS"

Transcrição

1 IDADE GESTACIONAL, ESTADO NUTRICIONAL E GANHO DE PESO DURANTE A GESTAÇÃO DE PARTURIENTES DO HOSPITAL SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PELOTAS RS Autor(es): LEIVAS, Vanessa Isquierdo; GONÇALVES, Juliana Macedo; PASTORE, Carla Alberici; MOREIRA, Ângela Nunes Apresentador: Juliana Macedo Gonçalves Orientador: Ângela Nunes Moreira Revisor 1: Samanta Winck Madruga Revisor 2: Maria de Fátima Alves Vieira Instituição: UFPel IDADE GESTACIONAL, ESTADO NUTRICIONAL E GANHO DE PESO DURANTE A GESTAÇÃO DE PARTURIENTES DO HOSPITAL SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PELOTAS RS LEIVAS, Vanessa Isquierdo; GONÇALVES, Juliana Macedo; PASTORE, Carla Alberici; MOREIRA, Ângela Nunes Curso de Nutrição Faculdade de Nutrição/UFPel Campus Universitário, s/nº Caixa Postal Pelotas, RS. 1.INTRODUÇÃO Nas últimas décadas, o Brasil tem apresentado importantes avanços na saúde materno-infantil, diminuindo as taxas de mortalidade tanto materna, quanto infantil (Lima e Sampaio, 2004). Crianças prematuras apresentam risco de mortalidade significativamente superior a crianças nascidas a termo (Kilsztajn et al., 2003). O parto prematuro ou pré-termo é aquele que ocorre quando a gestação é interrompida antes da 37ª semana completa (Kilsztajn et al., 2003; Rocha et al., 2006). Estudos têm sugerido que a idade gestacional está relacionada com o estado nutricional materno e o ganho de peso durante a gestação, ou seja, gestantes com baixo peso e/ou ganho de peso insuficiente apresentam maior risco de gerarem recém-nascidos prematuros (Rocha, 2005). Dessa forma, a avaliação do estado nutricional materno e o acompanhamento do ganho de peso durante a gestação são de grande importância. O objetivo deste trabalho foi avaliar o estado nutricional, o ganho de peso durante a gestação e a idade gestacional de parturientes do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Pelotas RS. 2. MATERIAIS E MÉTODOS

2 Foi aplicado um questionário individual a 136 parturientes atendidas no Hospital Santa Casa de Misericórdia de Pelotas-RS (HSCMP) no período de 12 de junho a 12 de julho de O estado nutricional da parturiente foi avaliado através do cálculo do IMC pré-gravídico e ao final da gestação, segundo os critérios de Atalah (1997). O ganho de peso durante a gestação foi avaliado segundo critério do Instituto de Medicina dos EUA, que recomenda um ganho de peso total na gestação de 12,5 a 18 kg para gestantes com baixo peso, de 11,5 a 16 kg para gestantes com peso adequado, de 7 a 11,5 kg para aquelas com sobrepeso e de 7 a 9,1 kg para as obesas. Os dados do recém-nascido foram retirados da carteirinha do bebê, fornecida pelo hospital no momento do parto. Recém-nascidos com idade gestacional inferior a 37 semanas foram classificados como prematuros e, aqueles com idade gestacional entre 37 a 42 semanas, foram considerados a termo. Os dados coletados foram aplicados em planilhas no formato Microsoft Excel. 3. RESULTADOS E DISCUSSÃO O estado nutricional materno é um dos fatores modificáveis mais importantes para a saúde da gestante e do seu bebê. A avaliação antropométrica é o meio mais acessível, não invasivo, rápido e recomendado para avaliar o estado nutricional durante a gestação (Vitolo, 2003). O objetivo de avaliar e acompanhar o estado nutricional e o ganho de peso durante a gestação é identificar, a partir de diagnóstico oportuno, as gestantes em risco nutricional no início da gestação, detectar as gestantes com ganho de peso baixo ou excessivo para a idade gestacional e realizar orientação adequada para cada caso, visando a promoção do estado nutricional materno, condições para o parto e peso do recém-nascido adequados (Ministério da Saúde, 2006). A idade das entrevistadas variou de 15 a 43 anos com uma média de 25,9. Quanto ao número de filhos, 55,9% das mulheres (76) tinham entre dois e quatro filhos, 40,4% (55) estavam dando a luz ao primeiro filho e 3,7% (5) tinham cinco ou mais filhos, sendo oito o número máximo de gestações. Das 27 adolescentes (19,8%), 22 (81,5%) estavam dando a luz ao primeiro filho, representando 40% das primigestas. O cuidado nutricional pré-natal tem papel importante na identificação de gestantes consideradas de risco e na possível intervenção a fim de diminuir os efeitos da má nutrição na criança. Todas as parturientes entrevistadas realizaram pré-natal, entretanto apenas 12 (8,8%) fizeram acompanhamento nutricional com nutricionista durante a gestação. O estado nutricional pré-gravídico mostrou que a maioria das gestantes (58,1%) estava com peso inicial adequado. No final da gestação, a prevalência de gestantes com peso adequado era de 36,8%, com baixo peso 25,7%, com sobrepeso 23,5% e obesas 14% (Figura 1). Dessa forma, observou-se que no início da gestação, 41,9% das entrevistadas apresentavam desvios nutricionais, passando a 63,2% ao final da gestação.

3 % de parturientes Baixo peso Adequado Sobrepeso Obesidade 0 Início Final Estado nutricional da parturiente Figura 1. Estado nutricional no início e final da gestação de parturientes do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Pelotas - RS. A média de ganho de peso durante a gestação foi de 12 kg. Três gestantes chegaram ao final da gestação com peso inferior ao seu peso pré-gravídico, chegando a perder, uma delas, até 6 Kg. Por outro lado, algumas gestantes tiveram um grande ganho de peso, sendo o maior valor registrado de 32 Kg. A maioria das gestantes (58,8%) apresentou ganho de peso inadequado durante a gestação, sendo que destas, 63,8% (51) apresentaram ganho de peso insuficiente (19,6% eram adolescentes) e 36,2% (29) ganho excessivo. Mais da metade das gestantes com baixo peso pré-gravídico (56,5%) apresentaram ganho de peso insuficiente no decorrer da gestação. Destas 30,8% eram adolescentes. Entre as obesas, 50% apresentaram ganho de peso acima do recomendado pelo Instituto de Medicina dos EUA (IOM) (Tabela 1). Tabela 1. Associação entre o ganho de peso durante a gestação e o estado nutricional pré-gravídico de parturientes do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Pelotas - RS. Ganho de peso durante a gestação Estado nutricional pré-gravídico Baixo peso Adequado Sobrepeso Obesidade Total N % N % N % N % N % Insuficiente 13 56, ,8 2 9, ,5 Adequado 10 43, , , ,2 Excessivo , , ,3 Total Entre os recém-nascidos, 51,5% eram do sexo feminino. A média de peso ao nascer foi de 3250 g. Apenas 9,6% (13) das crianças nasceram prematuras. Entre as mães destas crianças, 61,5% (8) apresentavam estado nutricional inadequado ao final da gestação. As porcentagens de filhos prematuros entre as mães que apresentavam baixo peso no final da gestação, peso adequado, sobrepeso e obesidade foram de 8,6; 10; 6,3 e 15,8% (Tabela 2). Entre os recém-nascidos prematuros, 53,8% apresentavam déficit de peso ao nascer.

4 Tabela 2. Associação entre a idade gestacional ao nascimento e o estado nutricional materno no final da gestação de parturientes do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Pelotas - RS. Estado nutricional ao final da gestação Idade Baixo peso Adequado Sobrepeso Obesidade Total Gestacional N % N % N % N % N % < 37 semanas 3 8, ,3 3 15,8 13 9,6 37 semanas 32 91, , , ,4 Total Em relação ao tabagismo, 17,6% (24) das parturientes fumaram durante a gestação ou parte dela. Destas, 75% (18) e 45,8% (11) foram classificadas como apresentando peso adequado no início e final da gestação, respectivamente. Já o número de gestantes com déficit de peso subiu de 12,5% (3) para 33,3% (8) no final da gestação. Cinqüenta por cento das gestantes fumantes tiveram ganho de peso insuficiente neste período e a incidência de partos prematuros neste grupo foi de 8,3% (2). Tais resultados podem ser devido ao fumo diminuir o consumo alimentar materno, aumentar o metabolismo e as necessidades de nutrientes, comprometendo, dessa forma, o crescimento fetal e aumentando o risco de prematuridade, baixo peso ao nascer e mortalidade perinatal (Silva, 2005). Os dados do presente estudo sugerem que o estado nutricional e a idade materna além do hábito de fumar das parturientes do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Pelotas RS podem ter interferido na duração da gestação. 4. CONCLUSÕES No início da gestação, 41,9% das parturientes do Hospital Santa Casa de Misericórdia de Pelotas RS apresentavam desvios nutricionais, passando a 63,2% ao final da gestação. A maioria das gestantes (58,8%) apresentou ganho de peso inadequado durante a gestação, sendo que destas, 63,8% (51) apresentaram ganho de peso insuficiente (19,6% eram adolescentes) e 36,2% (29) ganho excessivo. Entre as mães que iniciaram a gestação com baixo peso, mais da metade apresentou peso insuficiente durante o período gestacional e 50% das obesas obtiveram ganho de peso excessivo. Parturientes que apresentaram obesidade ao final da gestação ou fumaram apresentaram uma maior incidência de recémnascidos prematuros. 5. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ATALAH, E.; CASTILHO, C.; CASTRO, R.; ALDEA, A. Propuesta de nuevo estándar de evaluación nutricional em embarazadas. Ver Méd Chile, v. 125, p ,1997. Development, 2006.

5 KILSZTAJN, S. et al. Assistência pré-natal, baixo peso e prematuridade no Estado de São Paulo, Rev. Saúde Pública, v. 37, n. 3, LIMA, G. S. P.; SAMPAIO, H. A. C. Influência de fatores obstétricos, socioeconômicos e nutricionais da gestante sobre o peso do recém-nascido: estudo realizado em uma maternidade em Teresina, Piauí. Rev. Bras. Saude Mater. Infant., v. 4, n. 3, Ministério da Saúde. Manual técnico de Pré-natal e Puerpério. Atenção qualificada e humanizada. Brasília, ROCHA, D. S. et al. Estado nutricional e anemia ferropriva em gestantes: relação com o peso da criança ao nascer. Rev. Nutr., v. 18, n. 4, SILVA, A. F. F. Gestação na adolescência: impacto do estado nutricional no peso do recém-nascido. Dissertação (mestrado) Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna f. VITOLO, M. R. Nutrição: da gestação a adolescência. 1ª ed. Rio de Janeiro: Reichmann & Affonso Editores, 2003.

AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL DE GESTANTES ATENDIDAS NOS ESF DO MUNICÍPIO DE SÃO LUDGERO NO ANO DE 2007

AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL DE GESTANTES ATENDIDAS NOS ESF DO MUNICÍPIO DE SÃO LUDGERO NO ANO DE 2007 AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL DE GESTANTES ATENDIDAS NOS ESF DO MUNICÍPIO DE SÃO LUDGERO NO ANO DE 2007 Morgana Prá 1 Maria Helena Marin 2 RESUMO Vários fatores influenciam no progresso e no resultado

Leia mais

ISSN ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE

Leia mais

Estado nutricional de gestantes em diferentes períodos de gestação

Estado nutricional de gestantes em diferentes períodos de gestação Estado nutricional de gestantes em diferentes períodos de gestação Juliany Piazzon Gomes 1 Cristina Simões de Carvalho Tomasetti 2 Rejane Dias Neves Souza 3 RESUMO: Acompanhou-se 33 gestantes com a finalidade

Leia mais

10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM

10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM 10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM ANALISE DAS INFORMAÇÕES E QUALIDADE DAS FICHAS DE INVESTIGAÇÃO DE ÓBITOS INFANTIS DA 15ª REGIONAL DE SAÚDE DO PARANÁ Jéssica Teixeira Lourenço 1 Vivianne Peters da

Leia mais

APLICAÇÃO DE UMA CURVA DE GANHO DE PESO PARA GESTANTES

APLICAÇÃO DE UMA CURVA DE GANHO DE PESO PARA GESTANTES APLICAÇÃO DE UMA CURVA DE GANHO DE PESO PARA GESTANTES Arnaldo Augusto Franco de Siqueira * Cyro Ciari Junior * Iara Lucia Brayner Mattos * Keiko Ogura Buralli * Malaquias Baptista Filho ** Néia Schor*

Leia mais

Características socioeconômicas e estado nutricional de gestantes atendidas na Unidade Básica de Saúde da 108 sul.

Características socioeconômicas e estado nutricional de gestantes atendidas na Unidade Básica de Saúde da 108 sul. Características socioeconômicas e estado nutricional de gestantes atendidas na Unidade Básica de Saúde da 108 sul. Lorenna Martins da Silva 1 ; José Gerley Díaz Castro 2 ; Renata Junqueira Pereira 2 1

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA REBECA VILAVERDE DUARTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA REBECA VILAVERDE DUARTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA REBECA VILAVERDE DUARTE CURITIBA, 2012 2 Estado nutricional de gestantes atendidas nas

Leia mais

GESTANTES DIABÉTICAS E HIPERTENSAS: QUAIS OS RISCOS PARA O RECÉM-NASCIDO?

GESTANTES DIABÉTICAS E HIPERTENSAS: QUAIS OS RISCOS PARA O RECÉM-NASCIDO? GESTANTES DIABÉTICAS E HIPERTENSAS: QUAIS OS RISCOS PARA O RECÉM-NASCIDO? MEDEIROS, Paola de Oliveira¹; GALHO, Aline Ribeiro¹; BARRETO, Daniela Hormain¹; MARTINS, Mariana dos Santos¹; VIEIRA, Pâmela Cabral¹;

Leia mais

ISSN ÁREA TEMÁTICA:

ISSN ÁREA TEMÁTICA: 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA DURAÇÃO DO ALEITAMENTO MATERNO EXCLUSIVO

Leia mais

por apresentarem contração paradoxal do AP no primeiro atendimento fisioterapêutico; duas gestantes, por parto prematuro; duas, pela ocorrência

por apresentarem contração paradoxal do AP no primeiro atendimento fisioterapêutico; duas gestantes, por parto prematuro; duas, pela ocorrência 41 A série inicial de pacientes foi composta de 70 gestantes. Excluíramse 10 mulheres que participaram do estudo-piloto, sendo que nove mulheres, por apresentarem contração paradoxal do AP no primeiro

Leia mais

Compilado pela profa. Flora Maria B. da Silva

Compilado pela profa. Flora Maria B. da Silva AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL (EN) E DO GANHO DE PESO GESTACIONAL Compilado pela profa. Flora Maria B. da Silva Objetivo: avaliar e acompanhar o estado nutricional da gestante e o ganho de peso durante

Leia mais

CARATERIZAÇÃO DAS GESTANTES DE UMA UNIDADE DE SAÚDE DE PONTA GROSSA PR

CARATERIZAÇÃO DAS GESTANTES DE UMA UNIDADE DE SAÚDE DE PONTA GROSSA PR 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA CARATERIZAÇÃO

Leia mais

FATORES DE RISCO PARA TRABALHO DE PARTO PREMATURO EM PALMAS-TO

FATORES DE RISCO PARA TRABALHO DE PARTO PREMATURO EM PALMAS-TO FATORES DE RISCO PARA TRABALHO DE PARTO PREMATURO EM PALMAS-TO Anna Paula Soares Carvalho¹, Monielle Guerra Justino², Danielle Rosa Evangelista³, Tiago Barreto de Castro e Silva4 ¹Aluna do Curso de Enfermagem;

Leia mais

Perfil dos nascidos vivos de mães residentes na área programática 2.2 no Município do Rio de Janeiro

Perfil dos nascidos vivos de mães residentes na área programática 2.2 no Município do Rio de Janeiro Perfil dos nascidos vivos de mães residentes na área programática 2.2 no Município do Rio de Janeiro Ana Lucia A. de Toledo Carla R. Fernandes 1 Ana Claudia S. Amaral -NESC/UFRJ-SMS/RJ) Vania da S. Cardoso

Leia mais

Avaliação Nutricional

Avaliação Nutricional Avaliação Nutricional Prof a Renato Marques 5 o período de Enfermagem Importância e conceitos da Avaliação Nutricional ESTADO NUTRICIONAL Definição Condição de saúde de um indivíduo, influenciada pelo

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Morte Fetal. Indicadores de Saúde. Assistência Perinatal. Epidemiologia.

PALAVRAS-CHAVE Morte Fetal. Indicadores de Saúde. Assistência Perinatal. Epidemiologia. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA CONCEPÇÃO DO USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS ENTRE ALUNOS DE ESCOLA PÚBLICA EM NATAL/RN

A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA CONCEPÇÃO DO USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS ENTRE ALUNOS DE ESCOLA PÚBLICA EM NATAL/RN A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA CONCEPÇÃO DO USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS ENTRE ALUNOS DE ESCOLA PÚBLICA EM NATAL/RN Victor Henrique dos Santos Silva 1 ; Adriana Moura de Lima 2 Resumo: Perante a abordagem da

Leia mais

O QUE REPRESENTA O ACOMPANHAMENTO DAS CONDICIONALIDADES DE SAÚDE DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA PARA O SUS?

O QUE REPRESENTA O ACOMPANHAMENTO DAS CONDICIONALIDADES DE SAÚDE DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA PARA O SUS? O QUE REPRESENTA O ACOMPANHAMENTO DAS CONDICIONALIDADES DE SAÚDE DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA PARA O SUS? Coordenação-Geral de Saúde das Mulheres CONDICIONALIDADES DE SAÚDE Mulheres entre 14 e 44 anos: Pré-natal

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL DE GESTANTES QUE FREQUENTAM A CASA DA GESTANTE NA CIDADE DE APUCARANA-PR

PERFIL NUTRICIONAL DE GESTANTES QUE FREQUENTAM A CASA DA GESTANTE NA CIDADE DE APUCARANA-PR PERFIL NUTRICIONAL DE GESTANTES QUE FREQUENTAM A CASA DA GESTANTE NA CIDADE DE APUCARANA-PR BUENO, M.J; PUPPIO, A.A.N. Resumo: A gestação inicia-se com a fecundação do óvulo com o espermatozoide é constituída

Leia mais

COMPARAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO MOTOR DE BEBÊS PRÉ-TERMO E A TERMO BRASILEIROS DE ACORDO COM PADRÕES NORMATIVOS CANADENSES

COMPARAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO MOTOR DE BEBÊS PRÉ-TERMO E A TERMO BRASILEIROS DE ACORDO COM PADRÕES NORMATIVOS CANADENSES COMPARAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO MOTOR DE BEBÊS PRÉ-TERMO E A TERMO BRASILEIROS DE ACORDO COM PADRÕES NORMATIVOS CANADENSES Josy Paula Souza Vieira 1,4 ; Martina Estevam Brom Vieira 2,4 ; Patrícia D Angelles

Leia mais

5.1 CONDIÇÕES SOCIOECONÔMICAS E DEMOGRÁFICAS MATERNAS

5.1 CONDIÇÕES SOCIOECONÔMICAS E DEMOGRÁFICAS MATERNAS 5 RESULTADOS Os resultados serão apresentados primeiramente através da caracterização do perfil da população estudada, mostrando a importância dos diversos fatores que interferem nas condições de nascimento

Leia mais

PREVALÊNCIA DE ANEMIA EM GESTANTES ATENDIDAS NAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE CABEDELO-PB

PREVALÊNCIA DE ANEMIA EM GESTANTES ATENDIDAS NAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE CABEDELO-PB PREVALÊNCIA DE ANEMIA EM GESTANTES ATENDIDAS NAS UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE CABEDELO-PB PREVALENCE OF ANEMIA IN PREGNANT WOMEN ANSWERED IN BASIC HEALTH UNITS OF THE MUNICIPALITY OF CABEDELO-PB

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1

PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 TEIXEIRA, Giselle 2 ; BOSI, Greice 2 ; FONTOURA, Ethiene 2 ; MUSSOI, Thiago 2 ; BLASI,

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO SÍFILIS

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO SÍFILIS 27 de julho de 2016 Página 1/8 DEFINIÇÃO DE CASO Sífilis em gestante Caso suspeito: gestante que durante o pré-natal apresente evidencia clínica de sífilis, ou teste não treponêmico reagente com qualquer

Leia mais

PERFIL ANTROPOMÉTRICO DOS USUÁRIOS DE CENTROS DE CONVIVÊNCIA PARA IDOSOS NO MUNICÍPIO DE NATAL- RN

PERFIL ANTROPOMÉTRICO DOS USUÁRIOS DE CENTROS DE CONVIVÊNCIA PARA IDOSOS NO MUNICÍPIO DE NATAL- RN PERFIL ANTROPOMÉTRICO DOS USUÁRIOS DE CENTROS DE CONVIVÊNCIA PARA IDOSOS NO MUNICÍPIO DE NATAL- RN Ana Paula Araujo de Souza 1 ; Luciana Karla Miranda Lins 2 1 Secretaria Municipal do Trabalho e Assistência

Leia mais

Anais Eletrônico IX EPCC Encontro Internacional de Produção Científica UniCesumar Nov. 2015, n. 9, p. 4-8 ISBN

Anais Eletrônico IX EPCC Encontro Internacional de Produção Científica UniCesumar Nov. 2015, n. 9, p. 4-8 ISBN IMPLICAÇÕES DOS DESVIOS NUTRICIONAIS GESTACIONAIS SOBRE O PESO AO NASCER DE RECÉM- NASCIDOS ATENDIDOS PELA REDE PÚBLICA DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE PALMAS TOCANTINS Dayse Kellen Santos de Sousa 1, Natália

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PROGRAMA DE PUERICULTURA NA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE CENTRO SOCIAL URBANO, PELOTAS, RS

AVALIAÇÃO DO PROGRAMA DE PUERICULTURA NA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE CENTRO SOCIAL URBANO, PELOTAS, RS AVALIAÇÃO DO PROGRAMA DE PUERICULTURA NA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE CENTRO SOCIAL URBANO, PELOTAS, RS Autor(es): Apresentador: Orientador: Revisor 1: Revisor 2: Instituição: FRANCO, Tiago Rangel; SPHOR, Silvia

Leia mais

Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento ISSN versão eletrônica ISSN 1981- versão eletrônica 123 AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL E DO GANHO DE PESO DE GESTANTES ATENDIDAS EM UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE DE PELOTAS-RS Letícia Rodrigues da Cunha 1, Alessandra Doumid Borges

Leia mais

Ganho de peso durante a gestação de adolescentes e baixo peso ao nascer

Ganho de peso durante a gestação de adolescentes e baixo peso ao nascer doi: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrv.2013.111.176184 Ganho de peso durante a gestação de adolescentes e baixo peso ao nascer Caroline Ronchini FERREIRA 1 Daniela Cristina Megda MACIEL 2 Natália Melissa

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina EFG361 Enfermagem Materna

Programa Analítico de Disciplina EFG361 Enfermagem Materna 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Medicina e Enfermagem - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Número de créditos: 7 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária semanal

Leia mais

Avaliação e Classificação do Estado Nutricional

Avaliação e Classificação do Estado Nutricional Avaliação e Classificação do Estado Nutricional Disciplina: Políticas Públicas em Alimentação e Nutrição. Curso de Nutrição e Metabolismo FMRP/USP Luciana Cisoto Ribeiro O que é estado nutricional? É o

Leia mais

ASPECTOS PSICOSSOCIAIS QUE ACOMPANHARAM UMA SÉRIE DE PARTOS PREMATUROS ACONTECIDOS NO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DE TERESÓPOLIS CONSTANTINO OTTAVIANO

ASPECTOS PSICOSSOCIAIS QUE ACOMPANHARAM UMA SÉRIE DE PARTOS PREMATUROS ACONTECIDOS NO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DE TERESÓPOLIS CONSTANTINO OTTAVIANO ASPECTOS PSICOSSOCIAIS QUE ACOMPANHARAM UMA SÉRIE DE PARTOS PREMATUROS ACONTECIDOS NO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DE TERESÓPOLIS CONSTANTINO OTTAVIANO VASCONCELLOS, Marcus José do Amaral. Docente do Curso de

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina NUR320 Nutrição Materno-Infantil

Programa Analítico de Disciplina NUR320 Nutrição Materno-Infantil 0 Programa Analítico de Disciplina Campus Rio Paranaíba - Campus Rio Paranaíba Número de créditos: 4 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária semanal 3 1 4 Períodos - oferecimento:

Leia mais

Objetivo da Pesquisa CONDICIONALIDADES DO PBF. AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA 2ª RODADA (AIBF II) Dados da Saúde

Objetivo da Pesquisa CONDICIONALIDADES DO PBF. AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA 2ª RODADA (AIBF II) Dados da Saúde AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA 2ª RODADA (AIBF II) Dados da Saúde Daniel Ximenes Diretor do Departamento de Condicionalidades/MDS Julho de 2012 Objetivo da Pesquisa A Avaliação de Impacto

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Obstetrícia. Educação em saúde. Consulta de enfermagem.

PALAVRAS-CHAVE Obstetrícia. Educação em saúde. Consulta de enfermagem. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

AVALIAÇÃO IMC E DE CONSUMO DE ALIMENTOS FONTE DE PROTEÍNA, VITAMINA C E MAGNÉSIO POR ESCOLARES

AVALIAÇÃO IMC E DE CONSUMO DE ALIMENTOS FONTE DE PROTEÍNA, VITAMINA C E MAGNÉSIO POR ESCOLARES AVALIAÇÃO IMC E DE CONSUMO DE ALIMENTOS FONTE DE PROTEÍNA, VITAMINA C E MAGNÉSIO POR ESCOLARES RODRIGUES, Fernanda Nunes (UNITRI) nanda-nutricao@hotmail.com ARAÚJO, Ana Cristina Tomaz (UNITRI) anacrisnutricao@yahoo.com.br

Leia mais

Os escolares das Escolas Municipais de Ensino Fundamental

Os escolares das Escolas Municipais de Ensino Fundamental 16 Estado nutricional das crianças de 7 a 10 anos de idade do Município de Vinhedo (SP) em 2005 e 2008, segundo os critérios da Organização Mundial da Saúde (2007) Estela Marina Alves Boccaletto Doutoranda

Leia mais

ANÁLISE DA MORTALIDADE DE NEONATOS EM UMA UTI NEONATAL DE UM HOSPITAL DO VALE DO PARAÍBA

ANÁLISE DA MORTALIDADE DE NEONATOS EM UMA UTI NEONATAL DE UM HOSPITAL DO VALE DO PARAÍBA ANÁLISE DA MORTALIDADE DE NEONATOS EM UMA UTI NEONATAL DE UM HOSPITAL DO VALE DO PARAÍBA SOUZA, Luciana Santana de¹; CARVALHO, Maria das Neves de Oliveira¹; MARTINS, Selma de Oliveira¹; LANCIA, Maria da

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Enfermagem. Educação em Saúde. Período Pós-Parto

PALAVRAS-CHAVE Enfermagem. Educação em Saúde. Período Pós-Parto 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA PROJETO CONSULTA

Leia mais

Índice de massa corporal e prevalência de doenças crônicas não transmissíveis em idosos institucionalizados

Índice de massa corporal e prevalência de doenças crônicas não transmissíveis em idosos institucionalizados Índice de massa corporal e prevalência de doenças crônicas não transmissíveis em idosos institucionalizados Cadimiel Gomes¹; Raíla Dornelas Toledo²; Rosimar Regina da Silva Araujo³ ¹ Acadêmico do Curso

Leia mais

Prevalência de sedentarismo e fatores associados em adolescentes. Juliano Peixoto Bastos Cora Luiza Araújo Pedro Curi Hallal

Prevalência de sedentarismo e fatores associados em adolescentes. Juliano Peixoto Bastos Cora Luiza Araújo Pedro Curi Hallal Prevalência de sedentarismo e fatores associados em adolescentes Juliano Peixoto Bastos Cora Luiza Araújo Pedro Curi Hallal Introdução O sedentarismo está associado com um risco aumentado de várias doenças

Leia mais

Título: Resultados perinatais de nascidos vivos de mães adolescentes e adultas: uma análise exploratória do município de Belo Horizonte

Título: Resultados perinatais de nascidos vivos de mães adolescentes e adultas: uma análise exploratória do município de Belo Horizonte Título: Resultados perinatais de nascidos vivos de mães adolescentes e adultas: uma análise exploratória do município de Belo Horizonte Autores: Júlio A. R. Romero Andréa Branco Simão Luiza de Marilac

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS MENORES DE DOIS ANOS ATENDIDAS NA USF VIVER BEM DO MUNICIPIO DE JOÃO PESSOA-PB

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS MENORES DE DOIS ANOS ATENDIDAS NA USF VIVER BEM DO MUNICIPIO DE JOÃO PESSOA-PB AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS MENORES DE DOIS ANOS ATENDIDAS NA USF VIVER BEM DO MUNICIPIO DE JOÃO PESSOA-PB Tainá Gomes Diniz; Caroline Severo de Assis; Suzy Souto de Oliveira Faculdade de Ciências

Leia mais

ESTADO NUTRICIONAL E FATORES ASSOCIADOS AO BAIXO PESO AO NASCER EM CRIANÇAS*

ESTADO NUTRICIONAL E FATORES ASSOCIADOS AO BAIXO PESO AO NASCER EM CRIANÇAS* ESTADO NUTRICIONAL E FATORES ASSOCIADOS AO BAIXO PESO AO NASCER EM CRIANÇAS* ALYNE PEREIRA MACEDO, MARIA GROSSI MACHADO Resumo: o objetivo foi diagnosticar o estado nutricional e verificar a associação

Leia mais

ALEITAMENTO MATERNO DO PREMATURO EM UMA UNIDADE NEONATAL DA REGIÃO NORDESTE

ALEITAMENTO MATERNO DO PREMATURO EM UMA UNIDADE NEONATAL DA REGIÃO NORDESTE ALEITAMENTO MATERNO DO PREMATURO EM UMA UNIDADE NEONATAL DA REGIÃO NORDESTE Tatiane Patrícia da Silva 1 ; Maria Gorete Lucena de Vasconcelos 2 1 Estudante do Curso de Enfermagem- CCS UFPE; E-mail: tatianne_ps@hotmail.com,

Leia mais

REDE BRASILEIRA DE PESQUISAS NEONATAIS

REDE BRASILEIRA DE PESQUISAS NEONATAIS REDE BRASILEIRA DE PESQUISAS NEONATAIS RELATÓRIO ANUAL 2011 2 RELATÓRIO ANUAL 2011... 1 INTRODUÇÃO... 3 Informações Referentes ao Pré-Natal... 4 Quadro 1 Dados maternos... 4 Quadro 2 - Corticóide Antenatal...

Leia mais

Características da gestante adolescente em estudo prospectivo de 4 anos: realidade em Teresópolis

Características da gestante adolescente em estudo prospectivo de 4 anos: realidade em Teresópolis Características da gestante adolescente em estudo prospectivo de 4 anos: realidade em Teresópolis VASCONCELOS, Marcos. Docente do curso de graduação em Medicina. SOUZA, Nathalia Vital. Discente do curso

Leia mais

Período de Realização. De 3 de julho à 15 de setembro de População em geral. Sujeitos da Ação

Período de Realização. De 3 de julho à 15 de setembro de População em geral. Sujeitos da Ação Objetivos: Pesquisa Nacional sobre Saúde e Nutrição PNSN (1989) O objetivo central desta pesquisa foi apurar os indicadores da situação nutricional da população brasileira. Procurou-se observar quem eram

Leia mais

Transtornos Alimentares na Gestação

Transtornos Alimentares na Gestação Transtornos Alimentares na Gestação Comportamentos Alimentares Inadequados Durante a Gestação: prevalência e fatores associados em amostra de serviços públicos de saúde no sul do Brasil. Nutr. Rafael Marques

Leia mais

Avaliação do Índice de Massa Corporal em crianças de escola municipal de Barbacena MG, 2016.

Avaliação do Índice de Massa Corporal em crianças de escola municipal de Barbacena MG, 2016. Avaliação do Índice de Massa Corporal em crianças de escola municipal de Barbacena MG, 2016. Cristiane Aparecida Rosa 1, Tissiane Narai de Oliveira Ferreira 1, Nayane Aparecida Araújo Dias 2, Renata de

Leia mais

COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ESCOLARES DA REDE DE ENSINO PÚBLICA E PRIVADA EM UMA CIDADE DA REGIÃO NORTE RESUMO

COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ESCOLARES DA REDE DE ENSINO PÚBLICA E PRIVADA EM UMA CIDADE DA REGIÃO NORTE RESUMO COMPOSIÇÃO CORPORAL DE ESCOLARES DA REDE DE ENSINO PÚBLICA E PRIVADA EM UMA CIDADE DA REGIÃO NORTE PEDROSA, Olakson Pinto. Professor do Curso de Educação Física da ULBRA * NETO, Wilson Nonato Rabelo. Graduado

Leia mais

Passo 5 O questionário foi criado com 27 questões sendo 35 lacunas para serem preenchidas, utilizando-se uma linha temporal desde o diagnóstico da

Passo 5 O questionário foi criado com 27 questões sendo 35 lacunas para serem preenchidas, utilizando-se uma linha temporal desde o diagnóstico da 3 Método Este estudo realizou uma pesquisa do tipo descritivo tendo uma abordagem de pesquisa pré-planejada e estruturada. (MALHOTRA, 2006). A pesquisa buscou o conhecimento adquirido pela gestante analfabeta

Leia mais

Mortalidade Infantil: Afecções do Período Perinatal

Mortalidade Infantil: Afecções do Período Perinatal Mortalidade Infantil: Afecções do Período Perinatal Samuel Kilsztajn, Dorivaldo Francisco da Silva, André da Cunha Michelin, Aissa Rendall de Carvalho, Ivan Lopes Bezerra Ferraz Marcelo Bozzini da Camara

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Auxiliar de Enfermagem

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico. Qualificação: Auxiliar de Enfermagem Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS. Janaína V. dos S. Motta

XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS. Janaína V. dos S. Motta XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS Janaína V. dos S. Motta EPIDEMIOLOGIA NUTRICIONAL Relatório Mundial de Saúde 1) Água contaminada e falta de saneamento; 2) Uso de combustíveis

Leia mais

EXCESSO DE PESO E FATORES ASSOCIADOS EM IDOSOS ASSISTIDOS PELO NASF DO MUNICÍPIO DE PATOS-PB

EXCESSO DE PESO E FATORES ASSOCIADOS EM IDOSOS ASSISTIDOS PELO NASF DO MUNICÍPIO DE PATOS-PB EXCESSO DE PESO E FATORES ASSOCIADOS EM IDOSOS ASSISTIDOS PELO NASF DO MUNICÍPIO DE PATOS-PB Maria Rozimar Dias dos Santos Nóbrega José Maurício de Figueiredo Júnior Faculdades Integradas de Patos FIP

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição Nota Técnica elaborada em 28.08.07 pela CGPAN/DAB/SAS. Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição Acompanhamento

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO GERAL DA POLÍTICA DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO GERAL DA POLÍTICA DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO GERAL DA POLÍTICA DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO SEPN 511- Bloco C Edifício Bittar IV 4º andar - Brasília/DF CEP:775.543

Leia mais

Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde

Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN Orientações para a coleta

Leia mais

Autor(es) GABRIELA KRAFT FLORENCIO. Co-Autor(es)

Autor(es) GABRIELA KRAFT FLORENCIO. Co-Autor(es) 8º Simposio de Ensino de Graduação ANÁLISE DOS DADOS DO SISVAN-WEB, ANO DE 2009 - PERFIL NUTRICIONAL DE GESTANTES AVALIADAS EM UNIDADES DE SAÚDE DA ATENÇÃO BÁSICA NO MUNICÍPIO DE PIRACICABA SP. Autor(es)

Leia mais

Introdução Descrição da condição

Introdução Descrição da condição Introdução Descrição da condição Diabetes mellitus: desordem metabólica resultante de defeito na secreção e\ou ação do hormônio insulina. Consequência primária: hiperglicemia. Crônica: diagnóstico de diabetes.

Leia mais

INSATISFAÇÃO CORPORAL E COMPORTAMENTO ALIMENTAR EM PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA

INSATISFAÇÃO CORPORAL E COMPORTAMENTO ALIMENTAR EM PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 INSATISFAÇÃO CORPORAL E COMPORTAMENTO ALIMENTAR EM PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA Juciane Tonon Chinarelli 1 ; Renata Cristina Casale Veronezzi 2 ; Angela

Leia mais

Justiça obriga ANS a definir regras mais efetivas para reduzir o número de cesáreas

Justiça obriga ANS a definir regras mais efetivas para reduzir o número de cesáreas Justiça obriga ANS a definir regras mais efetivas para reduzir o número de cesáreas Por Fabiana Alves de Lima Ribeiro 22/12/2015 A Justiça Federal deu até o fim de janeiro de 2016 para a Agência Nacional

Leia mais

PNS Pesquisa Nacional de Saúde 2013 Ciclos de vida, Brasil e grandes regiões Volume 3

PNS Pesquisa Nacional de Saúde 2013 Ciclos de vida, Brasil e grandes regiões Volume 3 PNS Pesquisa Nacional de Saúde 2013 Ciclos de vida, Brasil e grandes regiões Volume 3 ABRANGÊNCIA A Pesquisa Nacional de Saúde 2013 foi planejada para a estimação de vários indicadores com a precisão desejada

Leia mais

Método Mãe Canguru: avaliação do ganho de peso dos recém-nascidos prematuros e ou de baixo peso nas unidades que prestam assistência ao neonato

Método Mãe Canguru: avaliação do ganho de peso dos recém-nascidos prematuros e ou de baixo peso nas unidades que prestam assistência ao neonato Método Mãe Canguru: avaliação do ganho de peso dos recém-nascidos prematuros e ou de baixo peso nas unidades que prestam assistência ao neonato EDILAINE APARECIDA FREITAS(UNINGÁ) 1 HILTON VIZI MARTINEZ(UNINGÁ)

Leia mais

PERFIL MOTOR DE ESCOLARES SOBREPESOS E OBESOS DE AMBOS OS SEXOS NA FAIXA ETÁRIA DE 9 E 10 ANOS

PERFIL MOTOR DE ESCOLARES SOBREPESOS E OBESOS DE AMBOS OS SEXOS NA FAIXA ETÁRIA DE 9 E 10 ANOS PERFIL MOTOR DE ESCOLARES SOBREPESOS E OBESOS DE AMBOS OS SEXOS NA FAIXA ETÁRIA DE 9 E 10 ANOS Liene Mílcia Ap. Josué Orientadora: Prof. Adj. Tamara Goldberg Co-orientador: Prof. Dr. Milton V. do Prado

Leia mais

ISSN ÁREA TEMÁTICA:

ISSN ÁREA TEMÁTICA: 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA

Leia mais

OS FATORES DE RISCOS PARA NÃO REALIZAÇÃO DO PARTO NORMAL

OS FATORES DE RISCOS PARA NÃO REALIZAÇÃO DO PARTO NORMAL OS FATORES DE RISCOS PARA NÃO REALIZAÇÃO DO PARTO NORMAL Amanda Florêncio da Silva* Rosemeire do Carmo Martelo** JUSTIFICATIVA No Brasil vem aumentando o número de partos cesarianos, sem base científica

Leia mais

62 nascimentos que aconteceram no período. A obtenção desse índice de cobertura e desse reduzido número de perdas, deveu-se à ajuda de dois entrevista

62 nascimentos que aconteceram no período. A obtenção desse índice de cobertura e desse reduzido número de perdas, deveu-se à ajuda de dois entrevista 6 DISCUSSÃO Estudos como os de Nascimento e Gotlieb (2001) atualmente traduzem a realidade de algumas regiões quanto às condições de nascimento abordando principalmente características como peso ao nascer

Leia mais

I ENCONTRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA. VAGNER VIEIRA DA SILVA 2, Ma. MARLENE GUIMARÃES SANTOS 3 INTRODUÇÃO

I ENCONTRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA. VAGNER VIEIRA DA SILVA 2, Ma. MARLENE GUIMARÃES SANTOS 3 INTRODUÇÃO I ENCONTRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA PERFIL DAS ADOLESCENTES GRÁVIDAS E OS FATORES DE RISCOS ATENDIDAS EM UMA MATERNIDADE DE UM HOSPITAL PUBLICO DE PORTO VELHO 1 VAGNER VIEIRA DA SILVA 2, Ma. MARLENE GUIMARÃES

Leia mais

TABELA 1. Médias e desvios padrão da média (x±dp) das variáveis clínicas e laboratoriais das mulheres com diabetes gestacional

TABELA 1. Médias e desvios padrão da média (x±dp) das variáveis clínicas e laboratoriais das mulheres com diabetes gestacional FATORES DE RISCO EM MULHERES COM DIABETES GESTACIONAL ASSISTIDAS NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA 1. INTRODUÇÃO As mulheres cujas gestações são complicadas por Diabetes Gestacional

Leia mais

QUAL O IMC DOS ALUNOS CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS AO ENSINO MÉDIO NO IFTM CAMPUS UBERLÂNDIA?

QUAL O IMC DOS ALUNOS CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS AO ENSINO MÉDIO NO IFTM CAMPUS UBERLÂNDIA? QUAL O IMC DOS ALUNOS CURSOS TÉCNICOS INTEGRADOS AO ENSINO MÉDIO NO IFTM CAMPUS UBERLÂNDIA? Bianca Silva Santos 1 ; Henrique Flausino de Souza 2 ; Maria Eduarda Guedes Coutinho 3 ; Maria Julia Rocha Ferreira

Leia mais

Comitê de Gestão de Indicadores de Fatores de Risco e Proteção

Comitê de Gestão de Indicadores de Fatores de Risco e Proteção Comitê de Gestão de Indicadores de Fatores de Risco e Proteção Comitê de Gestão de Indicadores de Fatores de Risco e Proteção Coordenação: Deborah Carvalho Malta Coordenação de Doenças e Agravos Não Transmissíveis

Leia mais

situado à 187 km da cidade do Recife. O município dispõe de 8 Escolas Municipais,

situado à 187 km da cidade do Recife. O município dispõe de 8 Escolas Municipais, TÍTULO: PERFIL DAS ADOLESCENTES NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE BELO JARDIM, RECIFE/ PE AUTORES: Amélia Silva Rocha de Lima, Ana Maria Soares da Silva, Ivanildo Mangueira da Silva, Joselito Silva Medeiros ÁREA

Leia mais

ESTADO NUTRICIONAL DE COLABORADORES DE REDE HOTELEIRA

ESTADO NUTRICIONAL DE COLABORADORES DE REDE HOTELEIRA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ESTADO NUTRICIONAL DE COLABORADORES DE REDE HOTELEIRA Larissa Paula da Silva de Souza 1, Jordana Lara de Miranda Camargo 2, Isabelle Zanquetta Carvalho

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS

CADERNO DE EXERCÍCIOS CADERNO DE EXERCÍCIOS MEDIDAS E AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA Prof. Ms.C. Ana Beatriz Monteiro http://avaliacaoemeducacaofisica.webnode.com Nome: Introdução Crescimento é a atividade biológica dominante

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL DE GESTANTES ACOMPANHADAS EM UMA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA

PERFIL NUTRICIONAL DE GESTANTES ACOMPANHADAS EM UMA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA PERFIL NUTRICIONAL DE GESTANTES ACOMPANHADAS EM UMA UNIDADE DE SAÚDE DA FAMÍLIA NUTRITIONAL PROFILE OF PREGNANT WOMEN MONITORED BY A FAMILY HEALTH UNIT Michelle Araújo Moreira Enfermeira. Doutora em Enfermagem/UFBA,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA PUERICULTURA NA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE VILA MUNICIPAL MUNICIPAL 1. INTRODUÇÃO

AVALIAÇÃO DA PUERICULTURA NA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE VILA MUNICIPAL MUNICIPAL 1. INTRODUÇÃO AVALIAÇÃO DA PUERICULTURA NA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE VILA MUNICIPAL Autor(es): Apresentador: Orientador: Revisor 1: Revisor 2: Instituição: SECCO, Alan Bello; MASSUCATO, Carlos Alberto; PIVA, Caroline;

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO (ID) [ ] ( ) Questionário [ ] ( ) Entrevistador (bolsista)

Leia mais

PERFIL GESTACIONAL DAS MULHERES ATENDIDAS NO PROJETO CEPP EM 2013

PERFIL GESTACIONAL DAS MULHERES ATENDIDAS NO PROJETO CEPP EM 2013 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA PERFIL GESTACIONAL

Leia mais

PROJETO CONSULTA DE ENFERMAGEM NO PRÉ-NATAL : UMA AÇÃO EXTENSIONISTA (2012) 1

PROJETO CONSULTA DE ENFERMAGEM NO PRÉ-NATAL : UMA AÇÃO EXTENSIONISTA (2012) 1 PROJETO CONSULTA DE ENFERMAGEM NO PRÉ-NATAL : UMA AÇÃO EXTENSIONISTA (2012) 1 ALMEIDA, Jéssica de Cassia Marques de 2 ; SILVEIRA, Nara Beatriz 3 ; MARQUES, Letícia Amico 3 ; MATTOS, Luísa dos Santos de

Leia mais

A Importância do Apoio do Pai do. adequado na Gravidez de Adolescentes

A Importância do Apoio do Pai do. adequado na Gravidez de Adolescentes A Importância do Apoio do Pai do Recém-nascido na Realização de um Pré-natal adequado na Gravidez de Adolescentes Vania Cristina Costa Chuva Silvana Granado Nogueira da Gama Ana Glória Godói Vasconcelos

Leia mais

FATORES DE RISCO PARA DOENÇAS CRONICAS NÃO TRANSMISSIVEIS E SUA RELAÇÃO COM O ESTILO DE VIDA DE PESSOAS DA CIDADE DE PELOTAS-RS

FATORES DE RISCO PARA DOENÇAS CRONICAS NÃO TRANSMISSIVEIS E SUA RELAÇÃO COM O ESTILO DE VIDA DE PESSOAS DA CIDADE DE PELOTAS-RS FATORES DE RISCO PARA DOENÇAS CRONICAS NÃO TRANSMISSIVEIS E SUA RELAÇÃO COM O ESTILO DE VIDA DE PESSOAS DA CIDADE DE PELOTAS-RS NATAN FETER¹ ALLISON CAVALCANTE MULLER¹ CHAIANE CALONEGO¹ ALLANA CAVANHI¹

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS DADOS ANTROPOMÉTRICOS DE MULHERES NO PERÍODO GESTACIONAL. EVALUATION OF ANTHROPOMETRIC DATA OF WOMEN IN THE GESTATIONAL PERIOD.

AVALIAÇÃO DOS DADOS ANTROPOMÉTRICOS DE MULHERES NO PERÍODO GESTACIONAL. EVALUATION OF ANTHROPOMETRIC DATA OF WOMEN IN THE GESTATIONAL PERIOD. AVALIAÇÃO DOS DADOS ANTROPOMÉTRICOS DE MULHERES NO PERÍODO GESTACIONAL. EVALUATION OF ANTHROPOMETRIC DATA OF WOMEN IN THE GESTATIONAL PERIOD. Lígia Laura de Sousa Castro 1 Lydia Vieira Freitas dos Santos

Leia mais

(*)Portaria n.º 569/GM, de 1 de junho de 2000

(*)Portaria n.º 569/GM, de 1 de junho de 2000 (*)Portaria n.º 569/GM, de 1 de junho de 2000 Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando que o acesso das gestantes e recém-nascidos a atendimento digno e de qualidade

Leia mais

Palavras-chave: mortalidade perinatal, risco atribuível, peso e evitabilidade.

Palavras-chave: mortalidade perinatal, risco atribuível, peso e evitabilidade. Mortalidade perinatal e evitabilidade risco atribuível aos óbitos com peso acima de 2,5kg na Cidade do Rio de Janeiro, segundo áreas de planejamento, 1995 a 2014. Palavras-chave: mortalidade perinatal,

Leia mais

AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL E DO RISCO CARDIOVASCULAR DA CORPORAÇÃO DE BOMBEIROS DE MARINGÁ/PR

AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL E DO RISCO CARDIOVASCULAR DA CORPORAÇÃO DE BOMBEIROS DE MARINGÁ/PR 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 AVALIAÇÃO DO ESTADO NUTRICIONAL E DO RISCO CARDIOVASCULAR DA CORPORAÇÃO DE BOMBEIROS DE MARINGÁ/PR Juciane Tonon Chinarelli 1 ; Renata Cristina Casale

Leia mais

PROJETO DE EXTENSÃO CEPP: INDICE CONTRASTIVO ENTRE PARTO CESÁREA E PARTO NORMAL

PROJETO DE EXTENSÃO CEPP: INDICE CONTRASTIVO ENTRE PARTO CESÁREA E PARTO NORMAL PROJETO DE EXTENSÃO CEPP: INDICE CONTRASTIVO ENTRE Área temática: Saúde PARTO CESÁREA E PARTO NORMAL Camila Batista Woicizack¹; Cláudia Felczak 2 ; Larissa do Col Dalazoana Bayer 3 ; Ana Paula Xavier Ravelli

Leia mais

QUEM É A PACIENTE COM PRÉ-ECLAMPSIA? DADOS DE 5 ANOS DE PESQUISA.

QUEM É A PACIENTE COM PRÉ-ECLAMPSIA? DADOS DE 5 ANOS DE PESQUISA. QUEM É A PACIENTE COM PRÉ-ECLAMPSIA? DADOS DE 5 ANOS DE PESQUISA. VASCONCELLOS, Marcus Jose do Amaral. Docente do Curso de Graduação em Medicina UNIFESO. CAVALCANTE, Mário Nilo Paulain. Discente do Curso

Leia mais

Incorporação das novas curvas de crescimento da Organização Mundial da Saúde na Vigilância Nutricional

Incorporação das novas curvas de crescimento da Organização Mundial da Saúde na Vigilância Nutricional Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição Incorporação das novas curvas de crescimento da Organização Mundial

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO CUIDADO DE ENFERMAGEM FRENTE AO PARTO PREMATURO: SENTIMENTOS VIVENCIADOS PELA MÃE 1

A IMPORTÂNCIA DO CUIDADO DE ENFERMAGEM FRENTE AO PARTO PREMATURO: SENTIMENTOS VIVENCIADOS PELA MÃE 1 A IMPORTÂNCIA DO CUIDADO DE ENFERMAGEM FRENTE AO PARTO PREMATURO: SENTIMENTOS VIVENCIADOS PELA MÃE 1 DIAZ, Claudia Maria Gabert 2 ; FREITAS, Hilda M. 2 ; CAUDURO, Adriane 3 ; FILIPINI, Cibele 4 ; ROSA,

Leia mais

LISTA COMPLETA DOS TRABALHOS APROVADOS

LISTA COMPLETA DOS TRABALHOS APROVADOS LISTA COMPLETA DOS TRABALHOS APROVADOS DATA DAS APRESENTAÇÕES: 21/05/2010 (MANHÃ)/ (TARDE) Trabalho Relator Forma de Apresentação 2.ACOMPANHAMENTO DE UM PACIENTE HANSÊNICO EM UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE

Leia mais

Perfil socioeconômico e nutricional das crianças inscritas no programa de suplementação alimentar do Centro Municipal de Saúde Manoel José Ferreira

Perfil socioeconômico e nutricional das crianças inscritas no programa de suplementação alimentar do Centro Municipal de Saúde Manoel José Ferreira Perfil socioeconômico e nutricional das crianças inscritas no programa de suplementação alimentar do Centro Municipal de Saúde Manoel José Ferreira Juliana Mayo Helena Recht Pombo 1 Sandra M. M. Rodrigues

Leia mais

c) Relacione as orientações a serem fornecidas à paciente, no momento de sua alta, considerando que sua contagem de neutrófilos era de células/m

c) Relacione as orientações a serem fornecidas à paciente, no momento de sua alta, considerando que sua contagem de neutrófilos era de células/m 01 Concurso Mulher de 38 anos, 1,73m de altura e peso de 73 kg, portadora de linfoma de Hodgkin, foi internada no setor de hematologia para o transplante autólogo de células tronco hematopoiéticas. No

Leia mais

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO SÍFILIS ano I nº 01

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO SÍFILIS ano I nº 01 B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO SÍFILIS 2 012 ano I nº 01 2012. Ministério da Saúde É permitida a reprodução parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte. Expediente Boletim Epidemiológico - Sífilis

Leia mais

16. pesquisa sobre o serviço de recepção do acompanhamento de pré-natal

16. pesquisa sobre o serviço de recepção do acompanhamento de pré-natal 16. pesquisa sobre o serviço de recepção do acompanhamento de pré-natal Perfil das Gestantes/ Puérperas da Rede de Proteção à Mãe Paulistana RELATÓRIO À MARÇO DE 2015 45 17. pesquisa sobre o serviço de

Leia mais

FATORES DE RISCO DA GESTAÇÃO ASSOCIADOS COM PESO AO NASCER, NA MATERNIDADE DE DOURADOS - MS

FATORES DE RISCO DA GESTAÇÃO ASSOCIADOS COM PESO AO NASCER, NA MATERNIDADE DE DOURADOS - MS 39 FATORES DE RISCO DA GESTAÇÃO ASSOCIADOS COM PESO AO NASCER, NA MATERNIDADE DE DOURADOS - MS RISK FACTORS FOR PREGNANCY ASSOCIATED WITH BIRTH WEIGHT, MATERNITY IN DOURADOS-MS AGUIAR, Gedni Corrêa 1 ;

Leia mais

Importância dos micronutrientes para a saúde da criança. Márcia Regina Vitolo

Importância dos micronutrientes para a saúde da criança. Márcia Regina Vitolo Importância dos micronutrientes para a saúde da criança Márcia Regina Vitolo Importância dos micronutrientes i t A maioria das deficiências de micronutrientes não se manifestam com sintomas antes de serem

Leia mais

TÍTULO: SEXAGEM FETAL:DIAGNÓTICO DO SEXO DO FETO POR REAÇÃO EM CADEIA DE POLIMERASE (PCR)

TÍTULO: SEXAGEM FETAL:DIAGNÓTICO DO SEXO DO FETO POR REAÇÃO EM CADEIA DE POLIMERASE (PCR) TÍTULO: SEXAGEM FETAL:DIAGNÓTICO DO SEXO DO FETO POR REAÇÃO EM CADEIA DE POLIMERASE (PCR) CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais