PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1"

Transcrição

1 PERFIL NUTRICIONAL E PREVALÊNCIA DE DOENÇAS EM PACIENTES ATENDIDOS NO LABORATÓRIO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA DA UNIFRA 1 TEIXEIRA, Giselle 2 ; BOSI, Greice 2 ; FONTOURA, Ethiene 2 ; MUSSOI, Thiago 2 ; BLASI, Tereza 2. 1 Trabalho de Pesquisa - UNIFRA 2 Curso de Nutrição do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS, Brasil RESUMO Este trabalho teve como objetivo verificar as principais doenças e o estado nutricional dos pacientes que frequentam um laboratório de nutrição clínica em uma Instituição de Ensino Superior de Santa Maria - RS. Esta pesquisa de caráter transversal descritiva retrospectiva foi realizada a partir do levantamento de dados dos prontuários de 480 pacientes que frequentaram o laboratório no período de agosto de 2011 até julho de Dos prontuários analisados, 21,5% eram homens e 78,5% mulheres, sendo a faixa etária adulta predominante (62,7%). Quanto ao estado nutricional quase metade dos pacientes apresentou obesidade (49%), eutróficos (24%), sobrepeso (23,3%) e desnutrição (3,7%). As doenças mais prevalentes foram Diabetes Melitus (14,7%), Hipertensão arterial (14,5%) e obesidade (29,3%). Os resultados apontam para a importância da avaliação antropométrica e orientação nutricional para a mudança de hábitos dessa população, diminuindo assim a ocorrência de doenças crônicas. Palavras-chave: perfil nutricional; estado nutricional; obesidade. 1. INTRODUÇÃO Os níveis de sobrepeso e obesidade da população demonstram que o excesso de peso constitui característica importante no perfil epidemiológico da população e na mudança de hábito alimentar, observando-se assim a importância da antropometria como instrumento de avaliação nutricional para ações de prevenção e intervenção (REZENDE et al, 2008). O excesso de peso é correlacionado ao desenvolvimento da hipertensão arterial, por isso a conscientização, educação e acompanhamento nutricional aos portadores de hipertensão arterial são imprescindíveis, pois na maioria das vezes não recebem orientação dietética adequada e não agregam ao tratamento clínico e farmacológico. A mudança dos hábitos alimentares e de estilo de vida tende promover a perda de peso necessária, reduzir

2 as complicações como o risco de doenças cardiovasculares, e com isso garantir e aumentar a qualidade de vida (BOAVENTURA e GUANDALINI, 2007). O atendimento nutricional no ambulatório tem um papel muito importante na qualidade de vida dos indivíduos atendidos, visto que estes melhoram seus hábitos alimentares e apresentam evolução nas medidas antropométricas melhorando assim sua qualidade de vida (MUKIM et al, 2007). A importância de programas de educação nutricional em redes básicas que promovam mudanças no estilo de vida e na alimentação da população atendida ainda não ocorre de maneira eficaz, pois sabe-se que ainda é um grande desafio para os profissionais da saúde o controle da obesidade (AYRES e BURGO, 2007). Com base nestas informações, este trabalho teve como objetivo verificar as principais doenças e o estado nutricional dos pacientes que frequentam um laboratório de nutrição clínica em uma Instituição de Ensino Superior de Santa Maria - RS. 2. METODOLOGIA O estudo foi aprovado pelo comitê de ética com o número Participaram deste, 480 indivíduos de ambos os gêneros, independentemente da idade ou raça, atendidos em um laboratório de nutrição clínica de Santa Maria - RS, no período de um ano (agosto de 2011 até julho de 2012). Esta pesquisa foi de caráter transversal descritiva retrospectiva, e realizada a partir do levantamento de dados de todos os prontuários, no período determinado. Os dados apresentados nos relatórios eram referentes ao nome, à idade, ao sexo, ao índice de massa corporal (IMC), às doenças dos pacientes atendidos e a data da consulta. A classificação do IMC para adultos foi segundo World Health Organization (WHO), já para crianças e adolescentes foi utilizado o Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (BRASIL, 2009), e para idosos Lipschitz (1994). Os dados foram tabulados e analisados no programa Microsoft Excel RESULTADOS E DISCUSSÕES Dos 480 prontuários analisados, 21,5% (n102) eram homens e 78,5% (n377) mulheres, com idade variando entre 10 meses e 84 anos, sendo que 21,7% (n104) tinham até 18 anos, 62,7% (n302) de 19 a 59 anos, 15,6% (n76) mais de 60 anos, sendo 39 anos a média de idade, segundo a figura 1.

3 anos anos 60 anos FIGURA 1: Faixa etária dos pacientes atendidos no laboratório de nutrição clínica. Quanto ao estado nutricional quase metade apresentou obesidade n235 (49%), já o número de pacientes eutróficos n112 (24%) ou com sobrepeso n115 (23,3%) praticamente se equivale, e poucos tinham desnutrição n18 (3,7%), segundo a figura Desnutrição Eutrofia Sobrepeso Obesidade FIGURA 2: Estado nutricional dos pacientes, avaliado pelo IMC. Conforme a figura 3, a seguir, dentre os pacientes que frequentaram o laboratório durante o período determinado, n103 (14,7%) apresentou Diabetes Melitus (DM), n101 (14,5%) Hipertensão arterial (HAS), n205 (29,3%) obesidade, n2 (0,3%) DM gestacional, n33 (4,7%) dislipidemia, n12 (1,7%) Paralisia Cerebral (PC), n22 (3,2%) hipotireoidismo, n1 (0,1%) hipertireoidismo, n112 (16%) outras doenças e n108 (15,5%) não apresentou nenhuma doença. Alguns pacientes relataram possuir mais de uma destas doenças.

4 3 25% 15% 5% FIGURA 3: Doenças mais frequentes relatadas pelos pacientes. Um estudo realizado (BOAVENTURA e GUADALINI, 2007) na cidade de São Carlos (SP), analisou por meio do levantamento de dados de prontuários de atendimento 303 pacientes com hipertensão arterial por mais de seis meses. Destes foram identificados 76 indivíduos portadores de HAS, o que corresponde a 25% do total de indivíduos. Também foi verificado o estado nutricional, que demonstrou a prevalência de sobrepeso e obesidade, totalizando 93,4% dos casos. REZENDE et al. (2008) avaliou 115 indivíduos atendidos em um Projeto de Extensão e verificou que 61,2% dos pacientes avaliados foram classificados como tendo sobrepeso ou obesidade e 38,8% como eutróficos. Quanto à caracterização da clientela foi visto que os indivíduos estavam predominantemente na faixa etária adulta (88,7%). Em outra pesquisa com pacientes ambulatoriais TEIXEIRA et al. (2010), constatou que sua população estudada era predominantemente de adultos (71,84%), do sexo feminino (69,9) e com idade média de 51 anos. Além disso, foi verificada a prevalência de diabetes e hipertensão nos indivíduos avaliados, 64,08% e 24,27%, respectivamente. 4. CONCLUSÃO Observou-se nesse estudo que os pacientes que frequentaram o ambulatório têm perfil nutricional equivalente com o de toda população brasileira em relação à obesidade. O excesso de peso está diretamente relacionado com várias doenças crônicas como diabetes e hipertensão verificadas com frequência nesta pesquisa.

5 Esses resultados demonstram a importância da avaliação antropométrica e orientação nutricional para que ocorra a escolha de alimentos e formas de preparo mais saudáveis onde a mudança de hábitos seja algo concreto na vida destas pessoas, diminuindo assim a ocorrência de doenças crônicas. REFERÊNCIAS AYRES, A. G.; BURGO, E. R. Perfil dietético das mulheres obesas atendidas em ambulatórios de nutrição no município do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, São Paulo, v.1, n.3, p.72-78, BOAVENTURA, G. A.; GUANDALINI, V. R. Prevalência de hipertensão arterial e presença de excesso de peso em pacientes atendidos em um ambulatório universitário de nutrição na cidade de São Carlos SP. Alimentos e Nutrição, São Paulo, v.18, n.4, p , Brasil, Vigilância Alimentar e Nutricional: SISVAN: Orientações básicas para a coleta, processamento, análise de dados e informações de serviços de saúde. Ministério da Saúde, LIPSCHITZ, D. A. Screening for nutritional status in the elderly. Primary Care, v.21, n.1, p.55-67, MUKIM, V.; TOSTES, F.; CAPELLI, C. et al. Impacto do tratamento nutricional na redução de peso corporal de pacientes atendidos no ambulatório de nutrição do centro presbiteriano beneficente Rio de Janeiro. Revista Augustus, Rio de Janeiro, v.24, REZENDE, A. B.; VIEIRA, I. M.; GOMES, R. M. et al. Caracterização dos níveis de obesidade e sobrepeso de indivíduos atendidos no ambulatório de nutrição clínica FARN/RN. Revista da FARN, Natal, v.7, n. 1, p , TEIXEIRA, A. M. N C.; SACHS, A.; SANTOS G. M. S. et al. Identificação de Risco Cardiovascular em Pacientes Atendidos em Ambulatório de Nutrição. Revista Brasileira de Cardiologia, v.23, n2, p , WORD HEALTH ORGANIZATION. Expert Committee. Physical status: the use and interpretation of antrophometry. Geneva, p.460. (Techinical Report Series, n.854), 1995.

PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO PRETO Secretaria da Saúde

PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO PRETO Secretaria da Saúde PREFEITURA MUNICIPAL DE RIBEIRÃO PRETO Secretaria da Saúde PAPEL DA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE NO PROGRAMA BOLSA FAMILIA A Secretaria Municipal de Saúde deverá conforme Art. 14 do Decreto n.º 5.209,

Leia mais

Correlação entre Índice de Massa Corporal e Circunferência de Cintura de Adolescentes do Município de Botucatu SP

Correlação entre Índice de Massa Corporal e Circunferência de Cintura de Adolescentes do Município de Botucatu SP Correlação entre Índice de Massa Corporal e Circunferência de Cintura de Adolescentes do Município de Botucatu SP Nadine Herreria dos Santos 2 ; Talita Poli Biason 1 ; Valéria Nóbrega da Silva 1 ; Anapaula

Leia mais

Cartilha de Alimentação Infantil para profissionais de saúde e educação

Cartilha de Alimentação Infantil para profissionais de saúde e educação Cartilha de Alimentação Infantil para profissionais de saúde e educação Cristiane Aparecida Azevedo de Assis Machado Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba Coordenação de Vigilância Nutricional II FÓRUM

Leia mais

Baixo ganho ponderal. em bebês em Aleitamento Materno Exclusivo ENAM Honorina de Almeida; Douglas Nóbrega Gomes

Baixo ganho ponderal. em bebês em Aleitamento Materno Exclusivo ENAM Honorina de Almeida; Douglas Nóbrega Gomes Baixo ganho ponderal em bebês em Aleitamento Materno Exclusivo ENAM 2010 Honorina de Almeida; Douglas Nóbrega Gomes Introdução Baixo ganho ponderal em bebês em AME causa grande angústia profissional e

Leia mais

BOLSA FAMÍLIA Tecnologia e inovação a serviço do fim da pobreza. V Seminário de Gestão de Tecnologias e Inovação em Saúde Salvador 11/10/2013

BOLSA FAMÍLIA Tecnologia e inovação a serviço do fim da pobreza. V Seminário de Gestão de Tecnologias e Inovação em Saúde Salvador 11/10/2013 BOLSA FAMÍLIA Tecnologia e inovação a serviço do fim da pobreza V Seminário de Gestão de Tecnologias e Inovação em Saúde Salvador 11/10/2013 CRESCIMENTO DA RENDA DOMICILIAR PER CAPITA POR QUINTIL (2002

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos. Projeto. Clube de Nutrição

Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos. Projeto. Clube de Nutrição Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos Projeto Clube de Nutrição julho de 2013 1. Enquadramento A Obesidade é provavelmente o maior problema, relacionado com a saúde, que a sociedade moderna apresenta.

Leia mais

Docentes da Rede Estadual do Paraná I - Perfil do profissional em sala de aula

Docentes da Rede Estadual do Paraná I - Perfil do profissional em sala de aula Docentes da Rede Estadual do Paraná I - Perfil do profissional em sala de aula Com base nos resultados do Censo Escolar da Educação Básica 2013, este informativo apresenta um perfil dos 50.798 profissionais

Leia mais

Professores: Roberto Calmon e Thiago Fernandes

Professores: Roberto Calmon e Thiago Fernandes Professores: Roberto Calmon e Thiago Fernandes Nesta aula iremos aprender sobre o conceito, as causas e as consequências da obesidade e a importância da atividade física para a prevenção e controle desta

Leia mais

A EQUIPE MULTIPROFISSIONAL DE UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA E O APOIO ÀS NECESSIDADES BÁSICAS DA FAMILIA

A EQUIPE MULTIPROFISSIONAL DE UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA E O APOIO ÀS NECESSIDADES BÁSICAS DA FAMILIA Pós-Graduação Saúde A EQUIPE MULTIPROFISSIONAL DE UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA E O APOIO ÀS NECESSIDADES BÁSICAS DA FAMILIA Gláucio Jorge de Souza glauciojsouza@ig.com.br Ana Lúcia Santana Maria Belém

Leia mais

IV Mostra Interna de Trabalhos de Iniciação Científica do Cesumar 20 a 24 de outubro de 2008

IV Mostra Interna de Trabalhos de Iniciação Científica do Cesumar 20 a 24 de outubro de 2008 20 a 24 de outubro de 2008 PREVALÊNCIA DE HIPERTENSÃO ARTERIAL E SUA RELAÇÃO COM FATORES DE RISCO CARDIOVASCULARES EM CUIDADORES DE PACIENTES DE CLÍNICAS DE REABILITAÇÃO DA CIDADE DE MARINGÁ Juliana Barbosa

Leia mais

PERCEPÇÃO DE APOIO SOCIAL PARA A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA EM INDIVÍDUOS OBESOS

PERCEPÇÃO DE APOIO SOCIAL PARA A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA EM INDIVÍDUOS OBESOS 110. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA PERCEPÇÃO DE APOIO SOCIAL PARA A PRÁTICA DE ATIVIDADE

Leia mais

Caderneta da Gestante

Caderneta da Gestante MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS COORDENAÇÃO GERAL DE SAÚDE DAS MULHERES Caderneta da Gestante * A assistência pré-natal se constitui em

Leia mais

Título: RASTREAMENTO DO PÉ DIABÉTICO PARA PREVENÇÃO DE ÚLCERAS E AMPUTAÇÃO.

Título: RASTREAMENTO DO PÉ DIABÉTICO PARA PREVENÇÃO DE ÚLCERAS E AMPUTAÇÃO. Título: RASTREAMENTO DO PÉ DIABÉTICO PARA PREVENÇÃO DE ÚLCERAS E AMPUTAÇÃO. Autor: Dompieri,Nilce Botto Serviço de Saúde: Núcleo Integrado de Saúde (NIS) Palavras Chave: Pé diabético, fatores de risco

Leia mais

REGISTO BIOGRÁFICO CLÍNICO - PROJETOS SAÚDE EM DIA

REGISTO BIOGRÁFICO CLÍNICO - PROJETOS SAÚDE EM DIA REGISTO BIOGRÁFICO CLÍNICO - PROJETOS SAÚDE EM DIA Projeto: Data da : Professor Responsável: Enfermeiras Técnicos: Ana Cardoso; Daniela Santos Data da : 15-04-2014 Data da : 15-04-2014 IMC /m2 IMC /m2

Leia mais

Palavras-Chave: Obesidade; Educação Nutricional; Avaliação Nutricional

Palavras-Chave: Obesidade; Educação Nutricional; Avaliação Nutricional PERFIL NUTRICIONAL DE ADULTOS ATENDIDOS EM UMA AÇÃO EDUCATIVA, EM BELÉM, PARÁ. Rosiane Angelim da Silva 1 Marília de Souza Araújo, Liliane Maria Messias Machado, Irland Barroncas Gonzaga Martens Vanessa

Leia mais

LEITURA DE RÓTULOS DE ALIMENTOS RELACIONADA COM A ESCOLARIDADE E ESTADO NUTRICIONAL DE MULHERES NO PERÍODO DO CLIMATÉRIO 1

LEITURA DE RÓTULOS DE ALIMENTOS RELACIONADA COM A ESCOLARIDADE E ESTADO NUTRICIONAL DE MULHERES NO PERÍODO DO CLIMATÉRIO 1 LEITURA DE RÓTULOS DE ALIMENTOS RELACIONADA COM A ESCOLARIDADE E ESTADO NUTRICIONAL DE MULHERES NO PERÍODO DO CLIMATÉRIO 1 Vanessa Huber Idalencio 2, Ligia Beatriz Bento Franz 3, Franciéli Aline Conte

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA TELEDIAGNÓSTICO (TELE-ECG)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA TELEDIAGNÓSTICO (TELE-ECG) TERMO DE REFERÊNCIA PARA TELEDIAGNÓSTICO (TELE-ECG) 1. Objeto Aquisição de unidades de eletrocardiógrafo digital, em especial os requisitos abaixo. 2. Justificativa Os equipamentos sugeridos serão utilizados

Leia mais

Currículo Disciplina Carga Horária. Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco

Currículo Disciplina Carga Horária. Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco Currículo Disciplina Carga Horária Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco Assistência de Enfermagem a Criança a ao Adolescente Grave ou de Risco Estágio

Leia mais

Recomendações do NUCDEM para diagnóstico e acompanhamento do diabetes mellitus

Recomendações do NUCDEM para diagnóstico e acompanhamento do diabetes mellitus Recomendações do NUCDEM para diagnóstico e acompanhamento do diabetes mellitus Há um desafio imposto a nós cooperados, de mantermos a anamnese e o exame físico como os pilares da avaliação médica, evitando

Leia mais

Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde

Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN Orientações para a coleta

Leia mais

ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DOS PREÇOS DA CESTA BÁSICA DE PANAMBI, RS 1

ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DOS PREÇOS DA CESTA BÁSICA DE PANAMBI, RS 1 ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DOS PREÇOS DA CESTA BÁSICA DE PANAMBI, RS 1 Eduarda Luana Tomczak 2, Bárbara Naiara Nestler 3, Lais De Oliveira Lourega 4, Martin Ledermann 5, Jose Valdemir Muenchen 6, Nelson Jose

Leia mais

ALTERAÇÕES NA SATISFAÇÃO DA IMAGEM CORPORAL A PARTIR DA INTERVENÇÃO COGNITIVO-COMPORTAMENTAL EM UM PROGRAMA DE REEDUCAÇÃO ALIMENTAR MULTIDISCIPLINAR.

ALTERAÇÕES NA SATISFAÇÃO DA IMAGEM CORPORAL A PARTIR DA INTERVENÇÃO COGNITIVO-COMPORTAMENTAL EM UM PROGRAMA DE REEDUCAÇÃO ALIMENTAR MULTIDISCIPLINAR. ALTERAÇÕES NA SATISFAÇÃO DA IMAGEM CORPORAL A PARTIR DA INTERVENÇÃO COGNITIVO-COMPORTAMENTAL EM UM PROGRAMA DE REEDUCAÇÃO ALIMENTAR MULTIDISCIPLINAR. Gabriela Salim Xavier, André Luiz Moreno da Silva,

Leia mais

MATEMÁTICA. Professor Diego Viug

MATEMÁTICA. Professor Diego Viug MATEMÁTICA Professor Diego Viug PORCENTAGEM QUESTÃO 1 Os dados do gráfico foram coletados por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. Supondo-se que, no Sudeste, 14900 estudantes foram entrevistados

Leia mais

PROCESSO Nº 1313/14 PROTOCOLO Nº PARECER CEE/CES Nº 11/15 APROVADO EM 26/03/15

PROCESSO Nº 1313/14 PROTOCOLO Nº PARECER CEE/CES Nº 11/15 APROVADO EM 26/03/15 PROTOCOLO Nº 13.401.067-3 PARECER CEE/CES Nº 11/15 APROVADO EM 26/03/15 CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR INTERESSADA:.UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO MUNICÍPIO: GUARAPUAVA ASSUNTO: Pedido

Leia mais

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09

Escrito por Administrator Seg, 22 de Novembro de :55 - Última atualização Seg, 22 de Novembro de :09 MISSÃO O Serviço Social tem como missão dar suporte psico-social e emocional ao colaborador e sua família. Neste sentido, realiza o estudo de casos, orientando e encaminhando aos recursos sociais da comunidade,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE NUTRIÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO: Bacharelado em Nutrição DEPARTAMENTO: Nutrição em Saúde

Leia mais

C.10 Taxa de mortalidade específica por neoplasias malignas

C.10 Taxa de mortalidade específica por neoplasias malignas C.1 Taxa de mortalidade específica por neoplasias malignas O indicador estima o risco de morte por neoplasias malignas e dimensiona a sua magnitude como problema de saúde pública. Corresponde ao número

Leia mais

Plano de ensino. 2) Objetivos Promover a leitura e interpretação de artigos científicos com rigor acadêmico.

Plano de ensino. 2) Objetivos Promover a leitura e interpretação de artigos científicos com rigor acadêmico. Plano de ensino 1) Identificação Curso Nutrição Disciplina Leitura e Interpretação de Artigos Científicos na Área da Saúde Carga horária 34h Semestre letivo 01/2012 Professor Franceliane Jobim Benedetti

Leia mais

SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS

SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS Seminário Motivações para o Início e o Fim do Consumo de Drogas: uma análise das comunidades virtuais relacionadas ao tema SAÚDE MENTAL, PESQUISAS E PROGRAMAS Arthur Guerra de Andrade Coordenação da Área

Leia mais

Mudança da concepção da Vigilância Epidemiológica (VE) do HIV/Aids

Mudança da concepção da Vigilância Epidemiológica (VE) do HIV/Aids Mudança da concepção da Vigilância Epidemiológica (VE) do HIV/Aids História da vigilância do HIV e Aids Pré 2004 Múltiplas definições de caso de AIDS (1984-98). A notificação de HIV não era uma recomendação

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura Municipal de Carapebus Secretaria Municipal de Saúde

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura Municipal de Carapebus Secretaria Municipal de Saúde Unidades & Serviços Estado do Rio de Janeiro Prefeitura Municipal de Carapebus Secretaria Municipal de Saúde Atenção Especializada Atenção Especializada Centro de Especialidades Médicas: O Centro de Especialidades

Leia mais

NTRODUÇÃO MATERIAL E MÉTODOS

NTRODUÇÃO MATERIAL E MÉTODOS Características socioeconômicas, demográficas, nutricionais, controle glicêmico e atividade física de adolescentes portadores de diabetes melito tipo 1 Izabela Zibetti de ALBUQUERQUE 1 ; Maria Raquel Hidalgo

Leia mais

Considerando as informações apresentadas acima, redija um texto dissertativo acerca do seguinte tema. RESERVAS BRASILEIRAS: SOLIDEZ OU FRAGILIDADE

Considerando as informações apresentadas acima, redija um texto dissertativo acerca do seguinte tema. RESERVAS BRASILEIRAS: SOLIDEZ OU FRAGILIDADE Questão Ao final de 0, as reservas cambiais brasileiras situavam-se em torno de US$ 0 bilhões, volume em geral considerado como uma sólida garantia da economia do Brasil. Se, entretanto,

Leia mais

7. CARACTERIZAÇÃO DOS SERVIÇOS OFERTADOS NESTE CREAS

7. CARACTERIZAÇÃO DOS SERVIÇOS OFERTADOS NESTE CREAS CENTRO DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Coordenador: Cristiane picine os santos milles Fundação: 05 de Junho de 2010 Endereço: Rua Dom Pedro I nº 43 Bairro: Maruípe Telefone: 3235-2880/

Leia mais

CAF Estrutura Comum de Avaliação para a Qualidade Total das Administrações da União Europeia

CAF Estrutura Comum de Avaliação para a Qualidade Total das Administrações da União Europeia QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO Pais/Encarregados de Educação CAF Estrutura Comum de Avaliação para a Qualidade Total das Administrações da União Europeia Agrupamento de Escolas de Arganil 2º/3º CEB e Secundário

Leia mais

PROINFÂNCIA. Fundo Nacional. da Educação SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA. de Desenvolvimento

PROINFÂNCIA. Fundo Nacional. da Educação SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA. de Desenvolvimento Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DADOS DO PROGRAMA : Criado por meio da resolução N 06/2007 do FNDE; Busca prestar APOIO financeiro aos municípios na reestruturação

Leia mais

Hipertensão Diabetes Dislipidemias

Hipertensão Diabetes Dislipidemias Hipertensão Diabetes Dislipidemias Hipertensão A pressão alta atinge 24,3% da população adulta brasileira e é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, como

Leia mais

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (PA).

A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (PA). A hipertensão arterial sistêmica (HAS) é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial (PA). Associa-se frequentemente a alterações funcionais e/ou

Leia mais

A PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM 1 MOLAR DE CRIANÇAS DE 6 A 12 ANOS: uma abordagem no Novo Jockey, Campos dos Goytacazes, RJ

A PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM 1 MOLAR DE CRIANÇAS DE 6 A 12 ANOS: uma abordagem no Novo Jockey, Campos dos Goytacazes, RJ 1 A PREVALÊNCIA DE CÁRIE DENTÁRIA EM 1 MOLAR DE CRIANÇAS DE 6 A 12 ANOS: uma abordagem no Novo Jockey, Campos dos Goytacazes, RJ Luciano Bárbara dos Santos 1 1 Cirurgião-dentista, aluno do curso de pós-graduação

Leia mais

HÁBITOS ALIMENTARES E ESTADO NUTRICIONAL DE ADOLESCENTES

HÁBITOS ALIMENTARES E ESTADO NUTRICIONAL DE ADOLESCENTES 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 HÁBITOS ALIMENTARES E ESTADO NUTRICIONAL DE ADOLESCENTES Larissa Paula da Silva de Souza 1, Sara Leal de Lima 2, Angela Andréia França Gravena 3 RESUMO:

Leia mais

Plano de ensino. 1) Identificação Curso

Plano de ensino. 1) Identificação Curso Plano de ensino 1) Identificação Curso Nutrição Disciplina Fisiopatologia e Dietoterapia II Carga horária 136h Semestre letivo 1 /2012 Professores Cristina M. Bragança de Moraes (Anne y Castro) e Thiago

Leia mais

REDE DE PONTOS DE CULTURA DE GOVERNADOR VALADARES - MG

REDE DE PONTOS DE CULTURA DE GOVERNADOR VALADARES - MG TÍTULO DO PROJETO Área Predominante: (Marque um x nas áreas que seu projeto mais se identifica) CULTURAS POPULARES ( ) Tradição Oral ( ) Artesanato ( ) Manifestações culturais ( ) Contador de Histórias

Leia mais

Gastos com medicamentos para tratamento da asma pelo Ministério da Saúde, 2007-2011

Gastos com medicamentos para tratamento da asma pelo Ministério da Saúde, 2007-2011 Gastos com medicamentos para tratamento da asma pelo Ministério da Saúde, 2007-2011 Cristiane Olinda Coradi, Marina Guimarães Lima Departamento de Farmácia Social da Faculdade de Farmácia da Universidade

Leia mais

Ana Paula Aires², Ariane de Oliveira Botega², Flaviana Pedron², Gabriela Pinto², Naiani Ramos², Priscila Pereira² e Ana Lúcia de Freitas Saccol³

Ana Paula Aires², Ariane de Oliveira Botega², Flaviana Pedron², Gabriela Pinto², Naiani Ramos², Priscila Pereira² e Ana Lúcia de Freitas Saccol³ Disciplinarum Scientia. Série: Ciências da Saúde, Santa Maria, v. 10, n. 1, p. 77-86, 2009. ISSN 1982-2111 PERFIL NUTRICIONAL DE ALUNOS EM ESCOLA PÚBLICA¹ PROFILE NUTRITIONAL OF STUDENTS IN SCHOOL PUBLIC

Leia mais

Boletim Semanal da Dengue

Boletim Semanal da Dengue Prefeitura de Nova Lima Secretaria Municipal de Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Vigilância em Saúde Boletim Semanal da Dengue Semana Epidemiológica 09 Este boletim tem por objetivo apresentar

Leia mais

O ESTILO DE VIDA E A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA DOS FUNCIONÁRIOS DA REITORIA / UFAL PARTICIPANTES DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL

O ESTILO DE VIDA E A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA DOS FUNCIONÁRIOS DA REITORIA / UFAL PARTICIPANTES DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL O ESTILO DE VIDA E A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA DOS FUNCIONÁRIOS DA REITORIA / UFAL PARTICIPANTES DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL ANDRÉA BENTO DOS SANTOS¹ CASSIO HARTMANN² (1)GRADUADA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

Leia mais

Palavras-chave: bolsa atleta; futebol feminino; financiamento público.

Palavras-chave: bolsa atleta; futebol feminino; financiamento público. PROGRAMA FEDERAL BOLSA ATLETA E FUTEBOL FEMININO: UMA ANÁLISE NO NÚMERO DE CONCESSÕES E INVESTIMENTOS DE 2005 A 2015 SZEREMETA, Thaynara do Prado (Educação Física/UFPR) LUZ, Wallinson Ramos Sant ana da

Leia mais

ATO NORMATIVO CRN-3 N.º 18/2008

ATO NORMATIVO CRN-3 N.º 18/2008 ATO NORMATIVO CRN-3 N.º 18/2008 Serviços de Alimentação Autogestão Concessionárias de Alimentação A Presidente do Conselho Regional de Nutricionistas 3ª Região, no uso de suas atribuições legais que lhe

Leia mais

Relatório da atividade: Igualdade de oportunidade e não discriminação nas relações de trabalho DIEESE, OIT e INSPIR 01 e 02 de outubro de 2009

Relatório da atividade: Igualdade de oportunidade e não discriminação nas relações de trabalho DIEESE, OIT e INSPIR 01 e 02 de outubro de 2009 Relatório da atividade: Igualdade de oportunidade e não discriminação nas relações de trabalho DIEESE, OIT e INSPIR 01 e 02 de outubro de 2009 Acordo DIEESE/ OIT Apresentação A atividade teve como objetivos

Leia mais

Índice. 1. Metodologia e objetivo. 2. Praticantes de skate: penetração nos lares. 3. Perfil da amostra

Índice. 1. Metodologia e objetivo. 2. Praticantes de skate: penetração nos lares. 3. Perfil da amostra 1 Índice 2 1. Metodologia e objetivo 2. Praticantes de skate: penetração nos lares 3. Perfil da amostra Objetivo 3 A pesquisa tem como objetivo medir a penetração e conhecer o perfil de praticantes de

Leia mais

SEMINÁRIO NACIONAL UNIMED DE MEDICINA PREVENTIVA: Gestão da Saúde Corporativa. Cases. Dr. Roberto Assumpção Diretoria de Promoção à Saúde

SEMINÁRIO NACIONAL UNIMED DE MEDICINA PREVENTIVA: Gestão da Saúde Corporativa. Cases. Dr. Roberto Assumpção Diretoria de Promoção à Saúde SEMINÁRIO NACIONAL UNIMED DE MEDICINA PREVENTIVA: Gestão da Saúde Corporativa Cases Dr. Roberto Assumpção Diretoria de Promoção à Saúde Telefônica em Números: 20. 000 empregados Nº de clientes Fixa: 11

Leia mais

A intervenção da ergonomia na prevenção das LMERT

A intervenção da ergonomia na prevenção das LMERT A intervenção da ergonomia na prevenção das LMERT, Lda Fevereiro 2008 Estrutura da Apresentação Apresentação da Empresa Âmbito e Objectivos Análise Ergonómica dos Postos de Trabalho Resultados da Análise

Leia mais

Análise comparativa de referências para a classificação do estado nutricional de crianças e adolescentes em tratamento oncológico

Análise comparativa de referências para a classificação do estado nutricional de crianças e adolescentes em tratamento oncológico Análise comparativa de referências para a classificação do estado nutricional de crianças e adolescentes em tratamento oncológico Nathália Silva de PAULA 1, nathsilva.paula@gmail.com; Bethânia Estevam

Leia mais

PROCESSO DE CANCELAMENTO

PROCESSO DE CANCELAMENTO PROCESSO DE CANCELAMENTO 1. Processo de Cancelamento do Pedido 1 1.1 Conferindo o Cancelamento da Nota Fiscal do Pedido 4 1.2 Ativação de Conta Corrente Residual 5 1.3 Como consultar um Pedido Cancelado?

Leia mais

EXCESSO DE PESO E OBESIDADE EM ESCOLARES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DA CIDADE DE MARINGÁ-PR

EXCESSO DE PESO E OBESIDADE EM ESCOLARES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DA CIDADE DE MARINGÁ-PR EXCESSO DE PESO E OBESIDADE EM ESCOLARES DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DA CIDADE DE MARINGÁ-PR Camila Ferreira da Silva 1 ; Rose Mari Bennemann 2 RESUMO: O objetivo do presente estudo foi avaliar a prevalência

Leia mais

Doenças respiratórias e fatores associados: Inquérito de Saúde no Município de São Paulo ISA-CAPITAL 2008

Doenças respiratórias e fatores associados: Inquérito de Saúde no Município de São Paulo ISA-CAPITAL 2008 Doenças respiratórias e fatores associados: Inquérito de Saúde no Município de São Paulo ISA-CAPITAL 2008 CLÓVIS ARLINDO DE SOUSA FACULDADE DE SAÚDE PÚBLICA DA USP DEPARTAMENTO DE EPIDEMIOLOGIA DEZEMBRO/2011

Leia mais

PERFIL DA CATARATA EM IDOSOS DA REGIÃO DA BORBOREMA

PERFIL DA CATARATA EM IDOSOS DA REGIÃO DA BORBOREMA PERFIL DA CATARATA EM IDOSOS DA REGIÃO DA BORBOREMA Yggo Ramos de Farias Aires Graduando do curso de Fisioterapia - UEPB (yggo.ramos@gmail.com) Camilla Ribeiro Lima de Farias - Mestranda em Saúde Pública

Leia mais

10 ANOS DE LIGA DA MAMA: AÇÃO DE EXTENSÃO VOLTADA PARA PREVENÇÃO E COMBATE DAS DOENÇAS MAMÁRIAS

10 ANOS DE LIGA DA MAMA: AÇÃO DE EXTENSÃO VOLTADA PARA PREVENÇÃO E COMBATE DAS DOENÇAS MAMÁRIAS 10 ANOS DE LIGA DA MAMA: AÇÃO DE EXTENSÃO VOLTADA PARA PREVENÇÃO E COMBATE DAS DOENÇAS MAMÁRIAS SOUZA-NETO, José Augusto; FREITAS-JUNIOR, Ruffo; CABERO, Flávia Vidal; FREITAS, Thaís Castanheira; TERRA,

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE ACADÊMICOS DO CURSO DE NUTRIÇÃO PARA AS ATIVIDADES DA CLÍNICA ESCOLA DE NUTRIÇÃO DA FACULDADE CIÊNCIAS DA VIDA 01/2016

EDITAL DE SELEÇÃO DE ACADÊMICOS DO CURSO DE NUTRIÇÃO PARA AS ATIVIDADES DA CLÍNICA ESCOLA DE NUTRIÇÃO DA FACULDADE CIÊNCIAS DA VIDA 01/2016 EDITAL DE SELEÇÃO DE ACADÊMICOS DO CURSO DE NUTRIÇÃO PARA AS ATIVIDADES DA CLÍNICA ESCOLA DE NUTRIÇÃO DA FACULDADE CIÊNCIAS DA VIDA 01/2016 A Faculdade Ciências da Vida (FCV), no uso de suas atribuições,

Leia mais

Curso de extensão: Advocacy e Controle Social em Políticas Públicas de Saúde edição 2016

Curso de extensão: Advocacy e Controle Social em Políticas Públicas de Saúde edição 2016 Curso de extensão: Advocacy e Controle Social em Políticas Públicas de Saúde edição 2016 O curso Advocacy e Controle Social em Políticas Públicas de Saúde tem por finalidade capacitar Organizações de apoio

Leia mais

MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE RELATO DE EXPERIÊNCIA

MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE RELATO DE EXPERIÊNCIA MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE RELATO DE EXPERIÊNCIA Gisele Cristina Tertuliano RESUMO Este artigo é um relato de experiência sobre o processo de aprendizagem de aprendizagem para

Leia mais

05/05/2014 NOTA TÉCNICA

05/05/2014 NOTA TÉCNICA Data: 05/05/2014 NOTA TÉCNICA 82/2014 Medicamento Material Solicitante Juiz Renato Luís Dresch Procedimento 4ª Vara da Fazenda Pública Municipal Cobertura Processo número: 0847203-25.2014 TEMA: Cirurgia

Leia mais

Linha de Cuidado da Obesidade. Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas

Linha de Cuidado da Obesidade. Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas Linha de Cuidado da Obesidade Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas Evolução do excesso de peso e obesidade em adultos 0,8% (1.550.993) da população apresenta obesidade grave 1,14% das

Leia mais

(LAING, COUGLEY, KLENERMAN, % 50% ; BIRKE

(LAING, COUGLEY, KLENERMAN, % 50% ; BIRKE 1 - INTRODUÇÃO 2 As alterações de sensibilidade no paciente portador de diabetes mellitus são responsáveis diretas pela considerável morbidade relacionada com as úlceras plantares e suas conseqüências.

Leia mais

Mostra de Projetos Criando Identidade com Pontal do Paraná. Protegendo a Maternidade. Alimentando Vidas. Qualidade de Vida - Mulheres Coletoras

Mostra de Projetos Criando Identidade com Pontal do Paraná. Protegendo a Maternidade. Alimentando Vidas. Qualidade de Vida - Mulheres Coletoras Mostra de Projetos 2011 Criando Identidade com Pontal do Paraná Protegendo a Maternidade Alimentando Vidas Qualidade de Vida - Mulheres Coletoras Mostra Local de: Pontal do Paraná. Categoria do projeto:

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA Prefeitura do Município de Taboão da Serra Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia Departamento de Educação PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA (PSE) O Programa Saúde na Escola Política intersetorial dos Ministérios

Leia mais

15 minutos de... BAIXA ESTATURA

15 minutos de... BAIXA ESTATURA 15 minutos de... BAIXA ESTATURA Definição de baixa estatura = conceito gráfico Avaliação do crescimento depende de outros fatores... Dois irmãos adolescentes procuram o pediatra para saber porque a altura

Leia mais

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento BRA 03/015

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento BRA 03/015 ANEXO III CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1. INTRODUÇÃO Este Anexo contém a descrição dos procedimentos e critérios a serem adotados para avaliação, julgamento e classificação das propostas das licitantes concorrentes.

Leia mais

UERJ 2015 (Questões 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10)

UERJ 2015 (Questões 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10) (Questões 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10) 1. (Questão 1) Nos vegetais, uma parede celular envolve a membrana plasmática. Cite o principal tipo de carboidrato que compõe a parede celular dos vegetais, bem

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Olho D'Água das Flores, AL 14/01/2014 - Pág 1 de 14 Report a map error Caracterização do território Área 183,96 km² IDHM 2010 0,565 Faixa do IDHM Baixo (IDHM entre 0,5 e 0,599) (Censo

Leia mais

de laboratório em pesquisas Segurança dos animais Segurança do experimentador

de laboratório em pesquisas Segurança dos animais Segurança do experimentador Segurança no uso de animais de laboratório em pesquisas Segurança dos animais Ética no uso dos animais Segurança do experimentador Como em qualquer laboratório, pratique Boas Praticas Laboratoriais no

Leia mais

Introdução à pesquisa clínica. FACIMED Investigação científica II 5º período Professora Gracian Li Pereira

Introdução à pesquisa clínica. FACIMED Investigação científica II 5º período Professora Gracian Li Pereira Introdução à pesquisa clínica FACIMED 2012.1 Investigação científica II 5º período Professora Gracian Li Pereira Questão de pesquisa x relevância Questão PICO FINER Literatura existente Como fazer? Delineamento

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA CHECKLIST DE BOAS PRÁTICAS NO LOCAL DE TRABALHO. Nº trabalhadores. Morada. Código Postal. Pessoa de contacto. Tel.

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA CHECKLIST DE BOAS PRÁTICAS NO LOCAL DE TRABALHO. Nº trabalhadores. Morada. Código Postal. Pessoa de contacto. Tel. FORMULÁRIO DE CANDIDATURA CHECKLIST DE BOAS PRÁTICAS NO LOCAL DE TRABALHO Empresa. Inserir texto Morada. Nº trabalhadores. Inserir texto Código Postal. Inserir texto E-mail. Inserir texto Pessoa de contacto.

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA

SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA NOSSA CASA A importância do Trabalho em Equipe Multidisciplinar Assistente Social Enfermeira Técnicos de enfermagem Fisioterapeuta Nutricionista Médico Psicólogo

Leia mais

1. RESUMO EXECUTIVO. Data: 19/03/2014 NOTA TÉCNICA 48/2014. Medicamento Material Procedimento Cobertura

1. RESUMO EXECUTIVO. Data: 19/03/2014 NOTA TÉCNICA 48/2014. Medicamento Material Procedimento Cobertura NOTA TÉCNICA 48/2014 Solicitante Des. Vanessa Verdolim Hudson Andrade Processo número: 1.0421.14.000078-5/001 TEMA: Cirurgia bariátrica em paciente com obesidade mórbida Data: 19/03/2014 Medicamento Material

Leia mais

pnaish E PATERNIDADE E CUIDADO Brasília, JUlHO 2016 Michelle leite da silva

pnaish E PATERNIDADE E CUIDADO Brasília, JUlHO 2016 Michelle leite da silva pnaish E PATERNIDADE E CUIDADO Brasília, JUlHO 2016 Michelle leite da silva POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM PNAISH PORTARIA Nº 1.944, DE 27 DE AGOSTO DE 2009 Diretriz Promover ações

Leia mais

Medidas de frequência: Estudo dirigido. Lucia Pellanda Departamento de Saúde Coletiva UFCSPA

Medidas de frequência: Estudo dirigido. Lucia Pellanda Departamento de Saúde Coletiva UFCSPA Medidas de frequência: Estudo dirigido Lucia Pellanda Departamento de Saúde Coletiva UFCSPA Uma freqüência é uma contagem de dados, número absoluto de observações em cada categoria Você pode pensar em

Leia mais

PARECER Nº, DE RELATOR: Senador WILSON MATOS

PARECER Nº, DE RELATOR: Senador WILSON MATOS PARECER Nº, DE 2007 Da COMISSÃO DE EDUCAÇÃO, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado (PLS) nº 277, de 2007, que acrescenta parágrafo único ao art. 4º da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro

Leia mais

Terminologias e conceitos básicos em alimentação e Nutrição. Profª Patrícia Ceolin

Terminologias e conceitos básicos em alimentação e Nutrição. Profª Patrícia Ceolin Terminologias e conceitos básicos em alimentação e Nutrição. Profª Patrícia Ceolin NUTRIÇÃO??? A nutrição é a ciência que estuda a composição dos alimentos e as necessidades nutricionais do indivíduo,

Leia mais

PROVA BRASIL: LEITURA E INTERPRETAÇÃO

PROVA BRASIL: LEITURA E INTERPRETAÇÃO PROVA BRASIL: LEITURA E INTERPRETAÇÃO Pamella Soares Rosa Resumo:A Prova Brasil é realizada no quinto ano e na oitava série do Ensino Fundamental e tem como objetivo medir o Índice de Desenvolvimento da

Leia mais

ANÁLISE DA APLICAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE CONCESSÃO DO PROAP

ANÁLISE DA APLICAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE CONCESSÃO DO PROAP 1 ANÁLISE DA APLICAÇÃO DOS CRITÉRIOS DE CONCESSÃO DO PROAP João Batista Carvalho Nunes (UECE/Forpred) Com a divulgação dos novos critérios para a concessão de recursos para custeio via PROAP e PROEX, resolvi

Leia mais

PROMOÇÃO DE HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS EM UM NÚCLEO INTEGRADO DE SAÚDE DA CIDADE DE MARINGÁ-PR

PROMOÇÃO DE HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS EM UM NÚCLEO INTEGRADO DE SAÚDE DA CIDADE DE MARINGÁ-PR ISBN 978-85-61091-05-7 VI EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 PROMOÇÃO DE HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS EM UM NÚCLEO INTEGRADO DE SAÚDE DA CIDADE DE MARINGÁ-PR

Leia mais

INFORMÁTICA EM SAÚDE

INFORMÁTICA EM SAÚDE INFORMÁTICA EM SAÚDE MED99004 - Atividade de Integração Básico-Clínica IV Prof. Paul Douglas Fisher Departamento de Medicina Social paul.fisher@ufrgs.br http://chasqueweb.ufgs.br/~paul.fisher/aulas/sis_info/

Leia mais

Diretrizes Clínicas Protocolos Clínicos

Diretrizes Clínicas Protocolos Clínicos Diretrizes Clínicas Protocolos Clínicos 038 Avaliação Nutricional Neonatal Última revisão: 12/08/2013 Estabelecido em: 30/12/2008 Responsáveis / Unidade Iaura Mônica Cunha da Silva Esteves - Nutricionista

Leia mais

Geração e organização de informações de culturas bioenergéticas: impacto de mudanças climáticas e avaliação espaço-temporal

Geração e organização de informações de culturas bioenergéticas: impacto de mudanças climáticas e avaliação espaço-temporal Geração e organização de informações de culturas bioenergéticas: impacto de mudanças climáticas e avaliação espaço-temporal Dorothee Luisa Polzer¹ Giampaolo Queiroz Pellegrino² O Painel Intergovernamental

Leia mais

[RELATÓRIO] GABINETE DE ESTRATÉGIA E PLANEAMENTO

[RELATÓRIO] GABINETE DE ESTRATÉGIA E PLANEAMENTO 25-211 GABINETE DE ESTRATÉGIA E PLANEAMENTO Equipa de Estudos e Políticas de Segurança Social [RELATÓRIO] Sistema de Proteção Social de Cidadania Subsistema de Solidariedade Eventualidades: Insuficiência

Leia mais

ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS MATRICULADAS EM DUAS ESCOLAS MUNICIPAIS DA CIDADE DE MARIALVA PR

ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS MATRICULADAS EM DUAS ESCOLAS MUNICIPAIS DA CIDADE DE MARIALVA PR 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ESTADO NUTRICIONAL DE CRIANÇAS MATRICULADAS EM DUAS ESCOLAS MUNICIPAIS DA CIDADE DE MARIALVA PR Sabrina Dalmazo Vieira 1 ; Rose Mari Bennemann 2 RESUMO:

Leia mais

Utilização de diretrizes clínicas e resultados na atenção básica b

Utilização de diretrizes clínicas e resultados na atenção básica b Utilização de diretrizes clínicas e resultados na atenção básica b à hipertensão arterial Construindo Estratégias e Avaliando a Implementação de Diretrizes Clínicas no SUS Edital 37/2004 CNPq ENSP/FIOCRUZ

Leia mais

Título do projeto Avaliação do estado de saúde de idosos cadastrados em uma estratégia de saúde da família no município de Anápolis - GO

Título do projeto Avaliação do estado de saúde de idosos cadastrados em uma estratégia de saúde da família no município de Anápolis - GO PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA, EXTENSÃO E AÇÃO COMUNITÁRIA. COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA OFÍCIO 169 2010 CEP Número de Protocolo: 2896/2010 Anápolis, 2 de setembro de 2010. Título do projeto Avaliação

Leia mais

Profa. Raquel Simões. Índice de massa corpórea (IMC) = peso (kg)/altura (m) 2

Profa. Raquel Simões. Índice de massa corpórea (IMC) = peso (kg)/altura (m) 2 IMC/Idade Profa. Raquel Simões O que é IMC? Índice de massa corpórea (IMC) = peso (kg)/altura (m) 2 IMC é efetivo como ferramenta de triagem e não de diagnóstico (identificar indivíduos com baixo o excesso

Leia mais

O Programa Municipal de Nutrição, implantado em 07/04/2006, tem como. objetivo principal investir em ações de educação nutricional, promovendo

O Programa Municipal de Nutrição, implantado em 07/04/2006, tem como. objetivo principal investir em ações de educação nutricional, promovendo Secretaria Municipal de Saúde de São José dos Campos - SP Departamento de Políticas de Saúde Programa Municipal de Nutrição Atividades desenvolvidas em 2006 e 2007 O Programa Municipal de Nutrição, implantado

Leia mais

PARECER SETOR FISCAL Nº 35/2015. Assunto: Parecer Técnico sobre coleta de sangue arterial para fim de realização de gasometria arterial.

PARECER SETOR FISCAL Nº 35/2015. Assunto: Parecer Técnico sobre coleta de sangue arterial para fim de realização de gasometria arterial. PARECER SETOR FISCAL Nº 35/2015 Assunto: Parecer Técnico sobre coleta de sangue arterial para fim de realização de gasometria arterial. 1-Do Fato: Venho por meio deste solicitar um parecer do Coren/CE

Leia mais

Estudo sobre a dependência espacial da dengue em Salvador no ano de 2002: Uma aplicação do Índice de Moran

Estudo sobre a dependência espacial da dengue em Salvador no ano de 2002: Uma aplicação do Índice de Moran Estudo sobre a dependência espacial da dengue em Salvador no ano de 2002: Uma aplicação do Índice de Moran Camila Gomes de Souza Andrade 1 Denise Nunes Viola 2 Alexandro Teles de Oliveira 2 Florisneide

Leia mais

FACULDADE LUCIANO FEIJÃO COMISSÃO DE ÉTICA EM USO DE ANIMAIS CEUA PROTOCOLO PARA PROJETO DE PESQUISA COM ANIMAIS IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO

FACULDADE LUCIANO FEIJÃO COMISSÃO DE ÉTICA EM USO DE ANIMAIS CEUA PROTOCOLO PARA PROJETO DE PESQUISA COM ANIMAIS IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO página 1 N o CEUA FACULDADE LUCIANO FEIJÃO CEUA... PROTOCOLO PARA PROJETO DE PESQUISA COM ANIMAIS Título do projeto: IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Título em inglês (caso haja necessidade de certificado também

Leia mais

Estruturação dos Serviços de Medicina Preventiva de acordo com diretrizes da ANS

Estruturação dos Serviços de Medicina Preventiva de acordo com diretrizes da ANS Estruturação dos Serviços de Medicina Preventiva de acordo com diretrizes da ANS A região da Serra Gaúcha está localizada no nordeste do estado do Rio Grande do Sul, região sul do Brasil. Área de abrangência

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO E O PORTE DAS COOPERATIVAS MÉDICAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS

A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO E O PORTE DAS COOPERATIVAS MÉDICAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS XXVIENANGRAD A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO E O PORTE DAS COOPERATIVAS MÉDICAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS Marco Aurélio Ramos Jussara Fernanda Costa Cristiana Fernandes DeMuyldër Lousanne

Leia mais

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas Modelo de Atenção às Condições Crônicas Seminário II Laboratório de Atenção às Condições Crônicas A experiência das oficinas de reeducação alimentar na APS da SMS de Curitiba Angela C. Lucas de Oliveira

Leia mais

FORMULÁRIO: RELATÓRIO DE PROJETO DE EXTENSÃO RELATÓRIO FINAL - PROJETOS DE EXTENSÃO

FORMULÁRIO: RELATÓRIO DE PROJETO DE EXTENSÃO RELATÓRIO FINAL - PROJETOS DE EXTENSÃO RELATÓRIO FINAL - PROJETOS DE (01) Câmpus: Boa Vista Centro Orientador do Projeto: Ananias Noronha Filho Nome do Curso ou Projeto: Automedicação na terceira idade: perfil dos idosos da Rede Cidadania Melhor

Leia mais

O presente estudo remete-nos para as causas de extração e perda dentária na dentição permanente, durante um período de 12 meses. Neste estudo foram incluídos todos os pacientes atendidos na clínica de

Leia mais

Universidade Federal do Acre Pró-Reitoria de Extensão e Cultura

Universidade Federal do Acre Pró-Reitoria de Extensão e Cultura Universidade Federal do Acre Pró-Reitoria de Extensão e Cultura Critérios para submissão e análise de trabalhos a serem apresentados no III Seminário Internacional de Extensão Universitária e DISPOSIÇÕES

Leia mais