CONTABILIDADE INTERNACIONAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONTABILIDADE INTERNACIONAL"

Transcrição

1 Apresentação da disciplina de CONTABILIDADE INTERNACIONAL UNIDADE IV Profa. Ms. Valquiria Pinheiro de Souza

2 MBA CONTROLADORIA E FINANÇAS CONTABILIDADE INTERNACIONAL Os principais organismos normatizadores internacionais e nacionais Profa. Ms. Valquiria Pinheiro de Souza

3 Principais organismos mundiais x internacionalização IASB International Accounting Standards Board Colegiado de Padrões Contábeis Internacionais. Sucessor do IASC ( ) criado em 1973 por ocasião do Congresso Internacional de Contadores de Órgão independente do setor privado que se destina ao estudo de padrões contábeis. O Brasil é representado pelo CFC e IBRACON. Obrigatoriedade de que todas as empresas sediadas nos países-membros da UE apresentem demonstrações contábeis consolidadas a partir de 2005 segundo IASB.

4 IASB Objetivos do IASB a) estabelecer conjunto de normas contábeis globais; b) promover seu uso e aplicação; c) promover a convergência entre as normas contábeis locais e as Normas Internacionais de Contabilidade.

5 IFAC- International Federation of Accountants Federação Internacional de Contadores Organização mundial que representa a profissão contábil com participação de 118 países membros (CFC e IBRACON são nossos representantes). Fundada em 1917 por ocasião do 11 o Congresso Mundial de Contadores.

6 Federação Internacional de Contadores Comitês do IFAC: a) Comitê de Padrões de Auditoria; b) Comitê de Educação; c) Comitê de Ética; d) Comitê do Setor Público; e) Comitê de Contadores Profissionais para o Gerenciamento de Negócios; f) Comitê de Auditores Transnacionais.

7 ISAR / Nações Unidas International Standards of Accounting and Reporting Grupo Intergovernamental de Especialistas em Padrões Internacionais de Contabilidade e Relatórios. Criado em 1976, tendo por preocupação da ONU em analisar o impacto das empresas multinacionais em países emergentes. Principal objetivo examinar práticas de financial reporting e recomendar conjunto mínimo de informações a serem evidenciadas.

8 ISAR / Nações Unidas O Isar não decolou : a) questionamento se cabe à ONU definir padrões contábeis; b) boicote dos países desenvolvidos em revelar dados de subsidiárias; c) ausência dos Estados Unidos do Grupo desde 1986.

9 IOSCO -Organisation of Securities Commissions Organização Mundial das Comissões de Valores Mobiliários. Conta com participação de mais de 115 órgãos reguladores semelhantes à nossa CVM e tem com principal objetivo promover a regulamentação do mercado de capitais em nível global,de modo a refletir um mercado justo, eficiente e sadio.

10 IOSCO Na reunião de 1995 endossou a obrigatoriedade de adoção das normas internacionais do IASB pelas companhias que transacionam no mercado de capitais. O Brasil é representado pela Superintendência de Normas Contábeis da Comissão de Valores Mobiliários.

11 O E C D -Organization for Economic Cooperation and Development Organização para Desenvolvimento e Cooperação Econômica. Criado em 1960 com adesão de 20 países membros (atualmente são 30). Possui um Grupo de Trabalho de Padrões Contábeis que atua como um fórum de debates para troca de opiniões com as Nações Unidas no que diz respeito à matéria contábil e relatórios financeiros. É mais conhecida na área de tributação que contábil.

12 União Européia Origem na década de 50, após a destruição parcial da Europa, depois de duas guerras. Tratado de Paris (1952). Tratado de Roma (1957) e. Tratado de Maastricht (1991) que estabeleceu a adoção do euro e a criação do Banco Central europeu.

13 União Européia As principais diretivas da Comunidade Européia mais importantes para a contabilidade são: 4 a Diretiva estrutura das demonstrações contábeis e reconhecimento de receita e despesa. 7 a Diretiva evidenciação, consolidação de balanços, comparabilidade das demonstrações contábeis. (influência anglo-saxônica).

14 Banco de Compensações Internacionais Semelhante ao IOSCO, atua na área bancária em termos mundiais. Só que quem manda é o G-7. Principal documento Convergência Internacional de Mensuração de Capital e Padrões de Capital (1988) conhecido como Acordo de Basiléia. Não é mandatória, mas quem não seguir, não entra no mercado dos países ricos G-7.

15 Confederação de Contadores da Ásia e Pacífico Maior organismo regional em matéria contábil, criado em 1976 com 21 países membros e tem por objetivo aperfeiçoar padrões e o seu envolvimento para harmonizar seus pronunciamentos com os editados pelo IFAC e IASB.

16 Associação Interamericana de Contabilidade Organização profissional em nível regional das Américas com 23 países membros, destacandose Cuba em Exílio com status de país membro. Realiza eventos sendo o próximo previsto para Salvador (Brasil). 4 Línguas oficiais das Américas: português, inglês, espanhol e francês.

17 FEE Federação dos Especialistas Contábeis da Europa, com sede em Bruxelas, tem por objetivo analisar e discutir divergências internacionais no âmbito contábil, de auditoria e tributação e suas propostas,quando aprovadas, são levadas à apreciação da União Européia.

18 OBRIGADA! Profa. Ms. Valquiria Pinheiro de Souza

Dissertação - Implicações da adequação da Contabilidade pública brasileira às normas internacionais de contabilidade

Dissertação - Implicações da adequação da Contabilidade pública brasileira às normas internacionais de contabilidade Acadêmica : Nara Cristina Elias Dissertação - Implicações da adequação da Contabilidade pública brasileira às normas internacionais de contabilidade A Contabilidade, na qualidade de metodologia especialmente

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE 1 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE 2 OBJETIVOS Entender as principais alterações contábeis referentes ao processo de convergência das normas brasileiras de contabilidade para as normas internacionais

Leia mais

Processo de Convergência. Prof. Msc. Giovanni Pacelli

Processo de Convergência. Prof. Msc. Giovanni Pacelli Processo de Convergência Prof. Msc. Giovanni Pacelli Discussão sobre tema em discursiva: MPU/2010 - Cespe 2 Discussão sobre tema em discursiva: MPU/2010 - Cespe Prof. M. Sc. Giovanni Pacelli 3 3 Processo

Leia mais

Contabilidade Aplicada ao Setor Público Sistema de Informação Contábil e o Plano de Contas. Profa.: Patrícia Siqueira Varela

Contabilidade Aplicada ao Setor Público Sistema de Informação Contábil e o Plano de Contas. Profa.: Patrícia Siqueira Varela Contabilidade Aplicada ao Setor Público Sistema de Informação Contábil e o Plano de Contas Profa.: Patrícia Siqueira Varela CONTABILIDADE NA LEI Nº 4.320/64 Princípio da Evidenciação Art. 83. Art. 89.

Leia mais

Apesar da sua importância, a Auditoria Independente é uma atividade pouco compreendida pela sociedade

Apesar da sua importância, a Auditoria Independente é uma atividade pouco compreendida pela sociedade O papel do auditor Apesar da sua importância, a Auditoria Independente é uma atividade pouco compreendida pela sociedade A auditoria independente tem a finalidade de aumentar o grau de confiança nas demonstrações

Leia mais

OPÇÕES DE GESTÃO E GERENCIAMENTO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS MUNICIPAIS. Aspectos Contábeis e Tributários

OPÇÕES DE GESTÃO E GERENCIAMENTO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS MUNICIPAIS. Aspectos Contábeis e Tributários OPÇÕES DE GESTÃO E GERENCIAMENTO PÚBLICO PARA OS SERVIÇOS MUNICIPAIS Aspectos Contábeis e Tributários ASPECTOS CONTÁBEIS E TRIBUTÁRIOS TÓPICOS 1. Internacionalização da Contabilidade 2. Principais Aspectos

Leia mais

Adoção das IFRS em Bancos no Brasil La adopción de las NIIF en Bancos en Brasil AGENDA

Adoção das IFRS em Bancos no Brasil La adopción de las NIIF en Bancos en Brasil AGENDA Adoção das IFRS em Bancos no Brasil La adopción de las NIIF en Bancos en Brasil Sistema Financeiro Nacional Instituições Financeiras AGENDA Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional

Leia mais

Seminário Capital Aberto. Prof. Eliseu Martins FEA/USP Fipecafi

Seminário Capital Aberto. Prof. Eliseu Martins FEA/USP Fipecafi Seminário Capital Aberto Prof. Eliseu Martins FEA/USP Fipecafi 1 * Modelos Contábeis Países de Code Law (cont.) A part da LEI Usuário Principal original O OCredor Referencial Conceitual Conservadorismo

Leia mais

SEMINÁRIO ANEFAC / IBEF IFRS PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS. PALESTRA: Situação do Brasil no Processo de Convergência e Próximos Passos

SEMINÁRIO ANEFAC / IBEF IFRS PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS. PALESTRA: Situação do Brasil no Processo de Convergência e Próximos Passos SEMINÁRIO ANEFAC / IBEF IFRS PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS PALESTRA: Situação do Brasil no Processo de Convergência e Próximos Passos Ernesto Rubens Gelbcke Representante da FIPECAFI no CPC Sócio da

Leia mais

CONSELHO CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE ANEXO I

CONSELHO CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE ANEXO I ANEXO I DETALHAMENTO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO APLICÁVEL À PROVA DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA GERAL 9º EXAME DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA 1. LEGISLAÇÃO E ÉTICA PROFISSIONAL. a) A LEGISLAÇÃO SOBRE A ÉTICA PROFISSIONAL

Leia mais

ÓRGÃOS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE

ÓRGÃOS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE ÓRGÃOS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE 1. Introdução Nos dias atuais, várias entidades trabalham internacionalmente no desenvolvimento e uniformização de normas e procedimentos para a área contábil internacional,

Leia mais

Negócios Internacionais

Negócios Internacionais Negócios Internacionais 13 de Maio de 2008 1. Perceber os principais factores que influenciam a contabilidade internacional e a harmonização mundial dos princípios contabilísticos; 2. Perceber como as

Leia mais

Adoção Inicial dos Pronunciamentos Técnicos CPC 15 a 40

Adoção Inicial dos Pronunciamentos Técnicos CPC 15 a 40 COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 43 (R1) Adoção Inicial dos Pronunciamentos Técnicos CPC 15 a 40 Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IFRS 1 Índice Item INTRODUÇÃO

Leia mais

PLANO DE AULA DISCIPLINA: CONTABILIDADE I (CÓD. ENEC60001) PERÍODO: 2º PERÍODO

PLANO DE AULA DISCIPLINA: CONTABILIDADE I (CÓD. ENEC60001) PERÍODO: 2º PERÍODO PLANO DE AULA DISCIPLINA: CONTABILIDADE I (CÓD. ENEC60001) PERÍODO: 2º PERÍODO TOTAL DE SEMANAS: 20 SEMANAS TOTAL DE ENCONTROS: 40 AULAS Aulas Conteúdos/ Matéria Tipo de aula Textos, filmes e outros materiais

Leia mais

CONTABILIDADE BÁSICA I. Profª. Msc Nirlene Aparecida Carneiro Fernandes Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete

CONTABILIDADE BÁSICA I. Profª. Msc Nirlene Aparecida Carneiro Fernandes Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete CONTABILIDADE BÁSICA I Profª. Msc Nirlene Aparecida Carneiro Fernandes Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete 2016 UNIDADE 1 PANORAMA GERAL DA CONTABILIDADE 1.1 Conceito e Objetivo; 1.2 Origem

Leia mais

Contabilidade. Ambiente para Fraude. Dúvida FRAUDE. Desenvolvimento histórico da Contabilidade

Contabilidade. Ambiente para Fraude. Dúvida FRAUDE. Desenvolvimento histórico da Contabilidade Contabilidade FRAUDE Desenvolvimento histórico da Contabilidade Ambiente para Fraude Oportunidade Dúvida Empresas pequenas ou grandes sofrem número maior de fraudes? O que fazer com o funcionário pego

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA PARA O TCC I. Nome do Projeto Aprovado no Colegiado de Curso ao qual o TCC estará vinculado: Contabilidade

APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA PARA O TCC I. Nome do Projeto Aprovado no Colegiado de Curso ao qual o TCC estará vinculado: Contabilidade APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA PARA O TCC I Nome(s) do(s) aluno(s): Bianca Zeh e Bruna Sara da Cruz Nome do Projeto Aprovado no Colegiado de Curso ao qual o TCC estará vinculado: Contabilidade ( X ) Pesquisa

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 43 (R1) Adoção Inicial dos Pronunciamentos Técnicos CPC 15 a 41

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 43 (R1) Adoção Inicial dos Pronunciamentos Técnicos CPC 15 a 41 COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 43 (R1) Adoção Inicial dos Pronunciamentos Técnicos CPC 15 a 41 Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IFRS 1 Índice Item INTRODUÇÃO

Leia mais

Auditoria Operacional e Contábil Prof. André Corrêa

Auditoria Operacional e Contábil Prof. André Corrêa Diretoria de Educação Continuada MBA - GESTÃO FINANCEIRA Auditoria Operacional e Contábil Prof. André Corrêa PRINCIPAIS OBJETIVOS DESTA AULA: 1. Estudar as normas de auditoria, sendo elas: profissionais,

Leia mais

RELATÓRIO DA AUDIÊNCIA PÚBLICA

RELATÓRIO DA AUDIÊNCIA PÚBLICA PRONUNCIAMENTO CONCEITUAL BÁSICO ESTRUTURA CONCEITUAL PARA A ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS RELATÓRIO DA AUDIÊNCIA PÚBLICA 1. A minuta do Pronunciamento Conceitual Básico Estrutura

Leia mais

CADERNO DE ANOTAÇÕES CONTÁBEIS

CADERNO DE ANOTAÇÕES CONTÁBEIS CADERNO DE ANOTAÇÕES CONTÁBEIS APLICAÇÃO N 3 As novas práticas contábeis instituídas a partir da Lei 11.638/2007 complementadas pela Lei 11.941/2009 e normatização formulada através da edição dos pronunciamentos

Leia mais

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO. 7º semestre Professor:

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO. 7º semestre Professor: FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Internacional Carga Horária: (horas/semestre) 50 aulas Semestre Letivo: 7º semestre Professor: Período: (semestre/ano)

Leia mais

Os impactos da convergência contábil (IFRS) no setor elétrico. Leonardo George de Magalhães Superintendente de Controladoria

Os impactos da convergência contábil (IFRS) no setor elétrico. Leonardo George de Magalhães Superintendente de Controladoria Os impactos da convergência contábil (IFRS) no setor elétrico Leonardo George de Magalhães Superintendente de Controladoria Convergência brasileira para o IFRS uma tsunami Até 2006 O IFRS era utilizado

Leia mais

O profissional de contabilidade e a normalização contabilística mundial

O profissional de contabilidade e a normalização contabilística mundial O profissional de contabilidade e a normalização contabilística mundial Luís Lima Santos Associação Portuguesa de Peritos Contabilistas evolução da regulamentação utilidade e volatilidade da informação

Leia mais

As opiniões e conclusões externadas nesta apresentação são de minha inteira responsabilidade, não refletindo, necessariamente, o entendimento da

As opiniões e conclusões externadas nesta apresentação são de minha inteira responsabilidade, não refletindo, necessariamente, o entendimento da 5 ANOS DE IFRS NO BRASIL: UMA REFLEXÃO SOBRE O PROCESO DE CONVERGÊNCIA Paulo Roberto Gonçalves Ferreira GNC DECLARAÇÃO As opiniões e conclusões externadas nesta apresentação são de minha inteira responsabilidade,

Leia mais

Informações Financeiras Pro Forma Exercício findo em 31 de dezembro de 2015

Informações Financeiras Pro Forma Exercício findo em 31 de dezembro de 2015 Informações Financeiras Pro Forma Exercício findo em 31 de dezembro de 2015 KPDS 144575 Conteudo Relatório de asseguração sobre a compilação de informações financeiras pro forma para atendimento à instrução

Leia mais

O PROCESSO DE CONVERGÊNCIA ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE. Fabio dos Anjos

O PROCESSO DE CONVERGÊNCIA ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE. Fabio dos Anjos O PROCESSO DE CONVERGÊNCIA ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO IPSAS Fabio dos Anjos Em que perspectiva encontra-se a contabilidade brasileira? No setor público vive uma

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO CEARÁ FACULDADE CEARENSE CURSO BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO CEARÁ FACULDADE CEARENSE CURSO BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO CEARÁ FACULDADE CEARENSE CURSO BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS AS PERSPECTIVAS DOS PROFISSIONAIS DE CONTABILIDADE NO ESTADO DO CEARÁ NO QUE TANGE AS NORMAS INTERNACIONAIS

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO E AS IPSAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO E AS IPSAS

NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO E AS IPSAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO E AS IPSAS Livro lançado neste Seminário CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público sob a Ótica das IPSAS: Um Estudo Comparativo Alexandre Costa Quintana Comissão

Leia mais

Sumário. Apresentação, xvii Nota sobre os Autores, xix

Sumário. Apresentação, xvii Nota sobre os Autores, xix Sumário Apresentação, xvii Nota sobre os Autores, xix 1 Contabilidade Geral Rodrigo de Souza Gonçalves e Fernanda Fernandes Rodrigues, 1 Objetivos, 1 Introdução, 1 1 Plano de contas elaboração e utilização,

Leia mais

CONTABILIDADE GOVERNAMENTAL I

CONTABILIDADE GOVERNAMENTAL I CONTABILIDADE GOVERNAMENTAL I MATERIAL DIDÁTICO Edna de Araújo Andrade UNIDADE I- PROCESSO DE CONVERGÊNCIA DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADA AO SETOR PÚBLICO A ciência contábil no Brasil

Leia mais

Tais procedimentos permitem, também, que a sociedade possa verificar se os recursos públicos estão sendo bem administrados.

Tais procedimentos permitem, também, que a sociedade possa verificar se os recursos públicos estão sendo bem administrados. As entidades do Setor Público, da mesma forma que as empresas e demais organizações privadas, possuem um patrimônio que é movimentado diariamente, demandando registro e controle para que os administradores

Leia mais

Normas Internacionais de Contabilidade IFRS

Normas Internacionais de Contabilidade IFRS 8 Gestão, Elaboração e Divulgação de Relatórios de Análise Econômica e Financeira e Demonstrações Financeiras Consolidadas da Organização Bradesco, ao Mercado e aos Órgãos Reguladores Introdução As Normas

Leia mais

Harmonização das práticas contábeis utilizadas no mundo. Gestores: Vamos Aproveitar o Momento!

Harmonização das práticas contábeis utilizadas no mundo. Gestores: Vamos Aproveitar o Momento! Harmonização das práticas contábeis utilizadas no mundo Gestores: Vamos Aproveitar o Momento! Prof. Ricardo Suñer Romera Neto rsromera@hotmail.com 1 OS FATOS... CONTAM QUE TUDO MUDOU! O MUNDO MUDOU! E

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS. Prof. Eliseu Martins

NOTAS EXPLICATIVAS. Prof. Eliseu Martins NOTAS EXPLICATIVAS Prof. Eliseu Martins Tema em debate no mundo todo EFRAG European Financial Reporting Advisory Group - 2012 : Towards a Disclosure Framework for the Notes ASAF Accounting Standards Advisory

Leia mais

CONSELHO CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE ANEXO I

CONSELHO CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE ANEXO I ANEXO I DETALHAMENTO DO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA A PROVA DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA GERAL 7º EXAME DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA 1. LEGISLAÇÃO E ÉTICA PROFISSIONAL a) A LEGISLAÇÃO SOBRE A ÉTICA PROFISSIONAL RESOLUÇÃO

Leia mais

Governança Corporativa e Prevenção a Fraudes. Anthero de Moraes Meirelles Diretor de Fiscalização Banco Central do Brasil

Governança Corporativa e Prevenção a Fraudes. Anthero de Moraes Meirelles Diretor de Fiscalização Banco Central do Brasil Governança Corporativa e Prevenção a Fraudes Anthero de Moraes Meirelles Diretor de Fiscalização Banco Central do Brasil Agenda 1. A Supervisão do SFN e a importância da Governança Corporativa 2. Prevenção

Leia mais

NCIA O NOVO PROFISSIONAL CONTÁBIL

NCIA O NOVO PROFISSIONAL CONTÁBIL 12ª SEMANA DE CONTABILIDADE DO BANCO CENTRAL PAINEL 6: O PROCESSO DE CONVERGÊNCIA NCIA O NOVO PROFISSIONAL CONTÁBIL PROF. DR. JORGE KATSUMI NIYAMA, UnB Maio/2007 O QUE É CONTABILIDADE INTERNACIONAL? 1.

Leia mais

ADOÇÃO DAS NORMAS INTERNACIONAIS PELA PRIMEIRA VEZ

ADOÇÃO DAS NORMAS INTERNACIONAIS PELA PRIMEIRA VEZ ADOÇÃO DAS NORMAS INTERNACIONAIS PELA PRIMEIRA VEZ 2 ANDRÉ CARVALHO 7149162 MARCELO DIAS JUNIOR 8599692 3 OBJETIVO Compreender como adotar e implementar pela primeira vez as normas internacionais de contabilidade

Leia mais

4 NORMAS DE AUDITORIA

4 NORMAS DE AUDITORIA 4.10 Quadro de normas de contabilidade/auditoria/perícia e profissional A relação abaixo foi extraída do livro eletrônico publicado pelo CFC cujo título é: Princípios Fundamentais e Normas Brasileiras

Leia mais

A Informação Contábil no Contexto da Transparência Pública e da Responsabilidade Social. Maria Clara Cavalcante Bugarim

A Informação Contábil no Contexto da Transparência Pública e da Responsabilidade Social. Maria Clara Cavalcante Bugarim A Informação Contábil no Contexto da Transparência Pública e da Responsabilidade Social Maria Clara Cavalcante Bugarim CORRUPÇÃO O MAIOR PROBLEMA DO PAÍS Corrupção (34%) Saúde (16%) Desemprego (10%) Educação

Leia mais

ENSAIO SOBRE CULTURA E DIVERSIDADE CONTÁBIL

ENSAIO SOBRE CULTURA E DIVERSIDADE CONTÁBIL Conselho Regional de Contabilidade do Pará Curso de Contabilidade Internacional Profa.: Regina Vilanova Prof.: Nadson Alves ENSAIO SOBRE CULTURA E DIVERSIDADE CONTÁBIL 1 Eliseu Martins O desafio da convergência

Leia mais

Não é possível exibir esta imagem no momento. Consolidação das Informações Contábeis para Sociedades de Grande Porte

Não é possível exibir esta imagem no momento. Consolidação das Informações Contábeis para Sociedades de Grande Porte Consolidação das Informações Contábeis para Sociedades de Grande Porte 0 10 de Setembro de 2012 Obrigatoriedade de apresentação de demonstrações financeiras consolidadas CPC 36 (R2) Demonstrações Consolidadas

Leia mais

CIESP CAMPINAS IFRS PARA PEQUENAS E MEDIAS EMPRESAS

CIESP CAMPINAS IFRS PARA PEQUENAS E MEDIAS EMPRESAS CIESP CAMPINAS IFRS PARA PEQUENAS E MEDIAS EMPRESAS Artemio Bertholini Ernesto Rubens Gelbcke Campinas SP 14 de setembro de 2010 COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS CPC ORIGEM O CPC foi criado visando

Leia mais

Imersão em CPC / IFRS e os seus Impactos Tributários

Imersão em CPC / IFRS e os seus Impactos Tributários Imersão em CPC / IFRS e os seus Impactos Tributários (Lei n 12.973/14) Este curso de 2 dias dará ao participante 16 horas de créditos para fins de EPC: Código CFC: SP07969 QTG: 16 CMN: 16 SUSEP: 16 23

Leia mais

Coordenação Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação STN/CCONF

Coordenação Geral de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação STN/CCONF Contabilidade Aplicada ao Setor Público e o Processo de Converge ncia internacional: Oportunidades, Desafios e Impactos na Sociedade. O Papel da STN na Converge ncia Internacional no Setor Público Coordenação

Leia mais

SEMINÁRIO APIMEC / CRC. SEMINÁRIO APIMEC / CRC Painel 2: IFRS na Visão dos Profissionais 14/11/2012

SEMINÁRIO APIMEC / CRC. SEMINÁRIO APIMEC / CRC Painel 2: IFRS na Visão dos Profissionais 14/11/2012 SEMINÁRIO APIMEC / CRC SEMINÁRIO APIMEC / CRC Painel 2: IFRS na Visão dos Profissionais 14/11/2012 1 Agenda Contextualização Banco Bradesco S.A. Bases Normativas Bacen GAAP e IFRS Principais Desafios e

Leia mais

A CONTABILIDADE INTERNACIONAL E A CONVERGÊNCIA ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE DO IASB 1

A CONTABILIDADE INTERNACIONAL E A CONVERGÊNCIA ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE DO IASB 1 A CONTABILIDADE INTERNACIONAL E A CONVERGÊNCIA ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE DO IASB 1 Orleans Silva Martins (mestrando em contabilidade UnB/UFPB/UFRN) Antônio Marcos Soares Brasil (mestrando

Leia mais

Aplicação, mudanças e tendências das normas contábeis - IFRS

Aplicação, mudanças e tendências das normas contábeis - IFRS www.pwc.com.br Aplicação, mudanças e tendências das normas contábeis - IFRS Setembro de 2012 Leandro Ardito Agenda Práticas contábeis adotadas no Brasil (CPC): visão geral e convergência com IFRS IFRS

Leia mais

CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES SOBRE O FLUXO DE CAIXA

CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES SOBRE O FLUXO DE CAIXA ANÁLISE DE BALANÇOS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES SOBRE O FLUXO DE CAIXA O fluxo de caixa constitui-se no instrumento prático, por excelência, do administrador financeiro, e pode ser comparado a outras denominações

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO IBRACON Nº 02/2016

COMUNICADO TÉCNICO IBRACON Nº 02/2016 COMUNICADO TÉCNICO IBRACON Nº 02/2016 Orientação aos auditores independentes em relação à emissão de relatório de auditoria sobre as demonstrações contábeis regulatórias (DCRs), elaboradas de acordo com

Leia mais

Concessionária da Rodovia Sul- Matogrossense S.A.

Concessionária da Rodovia Sul- Matogrossense S.A. Concessionária da Rodovia Sul- Matogrossense S.A. Demonstrações Financeiras Intermediárias Referentes ao Semestre Findo em 30 de Junho de 2017 KPDS 197466 KPMG Auditores Independentes Rua Arquiteto Olavo

Leia mais

Essência e Forma em Contabilidade e Direito

Essência e Forma em Contabilidade e Direito Essência e Forma em Contabilidade e Direito Natanael Martins São Paulo, 20 de junho de 2013 INTRODUÇÃO Lei 6.404/76 A Velha Contabilidade DL 1.598/77 Lei 11.638/07 IFRS A Nova Contabilidade LEI 11.941/09

Leia mais

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO

FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Contabilidade Internacional Carga Horária: (horas/semestre) 45 horas Semestre Letivo / Turno: 7º semestre/noturno Professor: Rodrigo

Leia mais

Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE Resolução CFC nº 1.018/05 Aprova a NBC P 5 Norma sobre o Exame de Qualificação Técnica para Registro no

Leia mais

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Financeiras Exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Financeiras Exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011 Demonstrações Financeiras Exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011 RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Aos Administradores e Acionistas da Inepar Telecomunicações

Leia mais

A CONTABILIDADE NORTE-AMERICANA

A CONTABILIDADE NORTE-AMERICANA A CONTABILIDADE NORTE-AMERICANA O QUE SÃO USGAAP (United States Generally Accepted Accounting Principles USGAAP Principíos Contábeis Geralmente Aceitos) Os USGAAP referem-se à mensuração da atividade econômica,

Leia mais

CSA 1209 Contabilidade Avançada Professor: Esp. Geovane Camilo dos Santos

CSA 1209 Contabilidade Avançada Professor: Esp. Geovane Camilo dos Santos CSA 1209 Contabilidade Avançada Professor: Esp. Geovane Camilo dos Santos Amanda Oliveira dos Santos Flávia de Lima Neves Francisco Martins Junior Gabriela Keity da Silva Pereira Janaina Nunes Farias Juliana

Leia mais

O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Resolução CFC n.º 1.109/07 Dispõe sobre a NBC P 5 Norma sobre o Exame de Qualificação Técnica para Registro no Cadastro Nacional de Auditores Independentes (CNAI) do Conselho Federal de Contabilidade (CFC).

Leia mais

CONCEITO E APLICAÇÃO DA AUDITORIA CONTÁBIL

CONCEITO E APLICAÇÃO DA AUDITORIA CONTÁBIL CONCEITO E APLICAÇÃO DA AUDITORIA CONTÁBIL Introdução: Conforme William Attie (p:25): A auditoria é uma especialização contábil voltada a testar a eficiência e eficácia do controle patrimonial implantado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO SÓCIO-ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO SÓCIO-ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO SÓCIO-ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS SIMULAÇÃO DOS IMPACTOS NA CONTABILIDADE DAS PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS BRASILEIRAS COM A ADOÇÃO DAS NORMAS

Leia mais

Disciplina Auditoria Concurso para Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil

Disciplina Auditoria Concurso para Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil Disciplina Auditoria Concurso para Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil Estimados amigos concurseiros! É sabido que foi publicado o Edital ESAF n. 24, de 06 de julho de 2012 para o concurso para

Leia mais

(Texto relevante para efeitos do EEE)

(Texto relevante para efeitos do EEE) 14.6.2014 L 175/9 REGULAMENTO (UE) N. o 634/2014 DA COMISSÃO de 13 de junho de 2014 que altera o Regulamento (CE) n. o 1126/2008, que adota certas normas internacionais de contabilidade nos termos do Regulamento

Leia mais

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS FABIANA AMBONI MORONA

UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS FABIANA AMBONI MORONA UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS FABIANA AMBONI MORONA CONVERGÊNCIA DAS NORMAS BRASILEIRAS AO NOVO PADRÃO INTERNACIONAL: UM ESTUDO SOBRE OS PROCEDIMENTOS NA ADOÇÃO

Leia mais

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Financeiras Exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e 2009

Inepar Telecomunicações S.A. Demonstrações Financeiras Exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e 2009 Demonstrações Financeiras Exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e 2009 RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Aos Administradores e Acionistas da Inepar Telecomunicações

Leia mais

Noções de Direito Aula assistida? Questões Feitas? Revisão

Noções de Direito Aula assistida? Questões Feitas? Revisão Noções de Direito Aula assistida? Questões Feitas? Revisão 1. Direito Constitucional 1.1. A Constituição Federal de 1988 1.1.1. Dos Princípios Fundamentais 1.1.2. Dos Direitos e Garantias Fundamentais

Leia mais

Petrobras Logística de Exploração e Produção S.A. (Subsidiária integral da Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras)

Petrobras Logística de Exploração e Produção S.A. (Subsidiária integral da Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras) Petrobras Logística de Exploração e Produção S.A. (Subsidiária integral da Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras) Relatório da Administração em 31 de Dezembro de 2014 Petrobras Logística de Exploração e

Leia mais

Resolução CFC nº 1.109/07. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

Resolução CFC nº 1.109/07. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, NOTA - A Resolução CFC n.º 1.329/11 alterou a sigla e a numeração desta Norma de NBC P 5 para NBC PA 13. Resolução CFC nº 1.109/07 Dispõe sobre a NBC PA 13 Norma sobre o Exame de Qualificação Técnica para

Leia mais

ASSOCIAÇÃO RENOVAR SAÚDE CRIANÇA - PETRÓPOLIS

ASSOCIAÇÃO RENOVAR SAÚDE CRIANÇA - PETRÓPOLIS ASSOCIAÇÃO RENOVAR SAÚDE CRIANÇA - PETRÓPOLIS DEMOSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 ASSOCIAÇÃO RENOVAR SAÚDE CRIANÇA PETRÓPOLIS Demonstrações Financeiras Em 31 de dezembro de 2012 e

Leia mais

I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO

I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO I SIMPÓSIO MINEIRO DE CONTABILIDADE APLICADA NO SETOR PÚBLICO A CONVERGÊNCIA DAS NORMAS INTERNACIONAIS AO SETOR PÚBLICO MARIA DA CONCEIÇAO BARROS DE REZENDE SITUAÇAO DA CONTABILIDADE PÚBLICA NO BRASIL

Leia mais

SELEÇÃO PARA ESTAGIÁRIOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 1º SEMESTRE / 2016

SELEÇÃO PARA ESTAGIÁRIOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 1º SEMESTRE / 2016 SELEÇÃO PARA ESTAGIÁRIOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 1º SEMESTRE / 2016 Nome: Período: Data: Nota: OBSERVAÇÕES: A prova deverá ser feita com caneta esferográfica preta ou azul. A prova terá a duração de 01 (uma)

Leia mais

Bem-vindo ao tópico sobre relatórios financeiros

Bem-vindo ao tópico sobre relatórios financeiros Bem-vindo ao tópico sobre relatórios financeiros. 5-1-1 Exploraremos o efeito dos processos standard do SAP Business One em Relatórios financeiros, tais como o Balanço, o Balancete e a Demonstração de

Leia mais

CONTABILIDADE AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE: UM ESTUDO DA EVOLUÇÃO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE

CONTABILIDADE AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE: UM ESTUDO DA EVOLUÇÃO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE CONTABILIDADE AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE: UM ESTUDO DA EVOLUÇÃO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE Josmar Almeida Flores 1 ; Cíntia Rosina Flores² RESUMO - O termo sustentabilidade é empregado para

Leia mais

CPC 27 nos ativos da sua empresa Nosso apoio para adequar seus controles ao padrão contábil global

CPC 27 nos ativos da sua empresa Nosso apoio para adequar seus controles ao padrão contábil global CPC 27 nos ativos da sua empresa Nosso apoio para adequar seus controles ao padrão contábil global Impactos para empresas de capital intensivo As normas do CPC 27 afetam uma série de empresas, em especial,

Leia mais

Colaboradoras: Cátia Beatriz Amaral da Silva e Fabiana Lucas de Almeida*

Colaboradoras: Cátia Beatriz Amaral da Silva e Fabiana Lucas de Almeida* 4º Lugar ] Colaboradoras: Cátia Beatriz Amaral da Silva e Fabiana Lucas de Almeida* ] Harmonização de Normas Contábeis: um Estudo sobre as Divergências entre Normas Contábeis Internacionais e seus Reflexos

Leia mais

FG Holding International S.A.

FG Holding International S.A. 31 de dezembro de 2011 Balanços patrimoniais 31.12.11 31.12.11 ATIVO PASSIVO CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa (Nota 4) 5.000 TOTAL DO CIRCULANTE 5.000 TOTAL DO CIRCULANTE NÃO CIRCULANTE

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N 1.056/05 Aprova a NBC P 2.1 Competência Profissional O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO que as Normas Brasileiras de

Leia mais

Impactos Contábeis do IFRS 3, 9, 15 e 16

Impactos Contábeis do IFRS 3, 9, 15 e 16 Impactos Contábeis do IFRS 3, 9, 15 e 16 40 pontos PEPC CFC Datas: 28 e 29 de novembro de 2017 13 e 14 de dezembro de 2017 Local: Av. Prudente de Morais, 444 - Cidade Jardim - Belo Horizonte-MG Programa

Leia mais

CONTABILIDADE INTERNACIONAL

CONTABILIDADE INTERNACIONAL CONTABILIDADE INTERNACIONAL Contabilidade - A contabilidade internacional e a convergência às normas internacionais de contabilidade do IASB Orleans Silva Martins / Antônio Marcos Soares Brasil 1. CONSIDERAÇÕES

Leia mais

Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) 1. A Busca da Convergência da Contabilidade aos Padrões Internacionais

Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC) 1. A Busca da Convergência da Contabilidade aos Padrões Internacionais Comitê de Pronunciamentos Contábeis () 1 A Busca da Convergência da Contabilidade aos Padrões Internacionais Programa de trabalho 2008 a 2010* * Atualizado em função da edição da Lei n.º 11.638/07 (a)

Leia mais

Internacionalização Contábil: Uma introdução

Internacionalização Contábil: Uma introdução Internacionalização Contábil: Uma introdução Milton da Silva Pereira Internacionalização Contábil Introdução e breve apresentação International Financial Reporting Standards 1973 2001 2002 2005 2007 2010

Leia mais

(Texto relevante para efeitos do EEE)

(Texto relevante para efeitos do EEE) 23.12.2015 L 336/49 REGULAMENTO (UE) 2015/2441 DA COMISSÃO de 18 de dezembro de 2015 que altera o Regulamento (CE) n. o 1126/2008, que adota determinadas normas internacionais de contabilidade nos termos

Leia mais

A LEI /2007 E A HARMONIZAÇÃO DAS NORMAS CONTÁBEIS BRASILEIRAS ÀS NORMAS INTERNACIONAIS

A LEI /2007 E A HARMONIZAÇÃO DAS NORMAS CONTÁBEIS BRASILEIRAS ÀS NORMAS INTERNACIONAIS A LEI 11.638/2007 E A HARMONIZAÇÃO DAS NORMAS CONTÁBEIS BRASILEIRAS ÀS NORMAS INTERNACIONAIS Ozéias Oliveira da Silva 1 Patricia Ferreira Santiago 2 Maria Giclaudes Oliveira Braga 3 Silvana Duarte 4 Resumo

Leia mais

OS PRINCÍPIOS CONTÁBEIS EM VIGOR NO BRASIL

OS PRINCÍPIOS CONTÁBEIS EM VIGOR NO BRASIL OS PRINCÍPIOS CONTÁBEIS EM VIGOR NO BRASIL Pronunciamento Técnico CPC OO Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação do Relatório Contábil Financeiro Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação

Leia mais

1T15 RELEASE TRIMESTRAL. Destaques. Grandes Números. Resultados. Grupo Copobras

1T15 RELEASE TRIMESTRAL. Destaques. Grandes Números. Resultados. Grupo Copobras Grupo Copobras São Ludgero, 17 de abril de 2015 O Grupo Copobras, apresenta seus resultados não auditados do primeiro trimestre de 2015. O Grupo Copobras compreende as empresas abaixo: - Copobras S/A Indústria

Leia mais

CURSO DE CONTABILIDADE PÚBLICA PARA CFC. Prof. Msc. Giovanni Pacelli

CURSO DE CONTABILIDADE PÚBLICA PARA CFC. Prof. Msc. Giovanni Pacelli CURSO DE CONTABILIDADE PÚBLICA PARA CFC Prof. Msc. Giovanni Pacelli Prof. Msc. Giovanni Pacelli Doutorando (em andamento) e Mestre em Contabilidade - 2011 (UnB). Especialista em Operações Militares - 2008

Leia mais

2T14 RELEASE TRIMESTRAL. Destaques. Grandes Números. Resultados. Grupo Copobras. Grupo Copobras

2T14 RELEASE TRIMESTRAL. Destaques. Grandes Números. Resultados. Grupo Copobras. Grupo Copobras Destaques Grupo Copobras Grupo Copobras São Ludgero, 23 de julho de 2014 O Grupo Copobras, apresenta seus resultados não auditados do segundo trimestre de 2014. O Grupo Copobras compreende as empresas

Leia mais

O COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS CPC E A HARMONIZAÇAO DAS NORMAS CONTÁBEIS BRASILEIRAS ÀS NORMAS INTERNACIONAIS

O COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS CPC E A HARMONIZAÇAO DAS NORMAS CONTÁBEIS BRASILEIRAS ÀS NORMAS INTERNACIONAIS O COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS CPC E A HARMONIZAÇAO DAS NORMAS CONTÁBEIS BRASILEIRAS ÀS NORMAS INTERNACIONAIS Maria Saleti Carvalho Brcko 1 Josiane de Oliveira Martins 2 Silvana Duarte 3 Resumo

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIR. CAMPUS DE CACOAL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. LUCICLEIA LOPES GONÇALVES

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIR. CAMPUS DE CACOAL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. LUCICLEIA LOPES GONÇALVES FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIR. CAMPUS DE CACOAL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. LUCICLEIA LOPES GONÇALVES A CONTABILIDADE INTERNACIONAL E O DESAFIO DA HARMONIZAÇÃO CONTÁBIL Trabalho

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.136/08 Aprova a NBC T 16.9 Depreciação, Amortização e Exaustão. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO a internacionalização

Leia mais

2T15 RELEASE TRIMESTRAL. Destaques. Grandes Números Copobras. Resultados. Grupo Copobras

2T15 RELEASE TRIMESTRAL. Destaques. Grandes Números Copobras. Resultados. Grupo Copobras Grupo Copobras São Ludgero, 15 de julho de 2015 O Grupo Copobras, apresenta seus resultados não auditados do segundo trimestre de 2015. O Grupo Copobras compreende as empresas abaixo: - Copobras S/A Indústria

Leia mais

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei

ESTUDO DE CASO. Os Novos Ajustes da Lei ESTUDO DE CASO Os Novos Ajustes da Lei 11.638 Os Novos Ajustes da Lei 11.638 As demonstrações financeiras foram elaboradas com base nas práticas contábeis adotadas no Brasil e normas da Comissão de Valores

Leia mais

4T14 RELEASE TRIMESTRAL. Destaques. Grandes Números. Resultados. Grupo Copobras

4T14 RELEASE TRIMESTRAL. Destaques. Grandes Números. Resultados. Grupo Copobras Grupo Copobras São Ludgero, 16 de janeiro de 2015 O Grupo Copobras, apresenta seus resultados não auditados do quarto trimestre de 2014. O Grupo Copobras compreende as empresas abaixo: - Copobras S/A Indústria

Leia mais

ANÁLISE DA HARMONIZAÇÃO CONTÁBIL: UMA COMPARAÇÃO ENTRE INDICADORES CONTÁBEIS CALCULADOS PELO BR GAAP E US GAAP. DOS BANCOS COM ADR LISTADOS NA NYSE

ANÁLISE DA HARMONIZAÇÃO CONTÁBIL: UMA COMPARAÇÃO ENTRE INDICADORES CONTÁBEIS CALCULADOS PELO BR GAAP E US GAAP. DOS BANCOS COM ADR LISTADOS NA NYSE 0 ANÁLISE DA HARMONIZAÇÃO CONTÁBIL: UMA COMPARAÇÃO ENTRE INDICADORES CONTÁBEIS CALCULADOS PELO BR GAAP E US GAAP. DOS BANCOS COM ADR LISTADOS NA NYSE Autores: RITA DE CASSIA MELLO (UNIVERSIDADE DE SÃO

Leia mais

INTRODUÇÃO. Simone Wanke Vasques 1 Érico Eleutério da Luz 2

INTRODUÇÃO. Simone Wanke Vasques 1 Érico Eleutério da Luz 2 UMA ANÁLISE NA ESTRUTURA CONCEITUAL DA CONTABILIDADE BRASILEIRA APÓS A CONVERGÊNCIA ÀS NORMAS INTERNACIONAIS DE CONTABILIDADE, COM ÊNFASE NA TRANSPARÊNCIA E QUALIDADE DAS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS

Leia mais

Controle de Qualidade da Auditoria de Demonstrações. Contábeis

Controle de Qualidade da Auditoria de Demonstrações. Contábeis Controle de Qualidade da Auditoria de Demonstrações Contábeis ABORDAGEM DO TEMA Contexto Documentação Objetivo Controle de Qualidade Elementos do CQ Definição Prática Exigências CONTEXTO Contexto Documentação

Leia mais

Relatório da Administração 31 de Dezembro de 2015

Relatório da Administração 31 de Dezembro de 2015 Petrobras Logística de Exploração e Produção S.A. (Subsidiária integral da Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras) Relatório da Administração 31 de Dezembro de 2015 Relatório da Administração À acionista:

Leia mais

CONTADOR CONFIRA AQUI SE VOCÊ PRECISA CUMPRIR A NORMA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CONTINUADA

CONTADOR CONFIRA AQUI SE VOCÊ PRECISA CUMPRIR A NORMA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CONTINUADA CONTADOR CONFIRA AQUI SE VOCÊ PRECISA CUMPRIR A NORMA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CONTINUADA A Educação Profissional Continuada (EPC) é um programa de excelência do Conselho Federal de Contabilidade, que

Leia mais

NORMA REGULAMENTAR N.º 10/2016-R, DE 15 DE SETEMBRO PLANO DE CONTAS PARA AS EMPRESAS DE SEGUROS

NORMA REGULAMENTAR N.º 10/2016-R, DE 15 DE SETEMBRO PLANO DE CONTAS PARA AS EMPRESAS DE SEGUROS Não dispensa a consulta da Norma Regulamentar publicada em Diário da República NORMA REGULAMENTAR N.º 10/2016-R, DE 15 DE SETEMBRO PLANO DE CONTAS PARA AS EMPRESAS DE SEGUROS A Norma Regulamentar n.º 4/2007-R,

Leia mais

Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais

Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais Restoque Comércio e Confecções de Roupas S.A. Balanço Patrimonial Consolidado em 31 de dezembro de 2014 Em milhares de reais Ativo Passivo e Patrimônio Líquido Circulante R$ Circulante R$ Caixa e equivalentes

Leia mais