TÓRIO ÚNICO 2011 RELA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TÓRIO ÚNICO 2011 RELA"

Transcrição

1 RELATÓRIO ÚNICO 2011 ANUAL E DE SUSTENTABILIDADE

2 RELATÓRIO ÚNICO 2011

3 relatório único 2011 anual E de sustentabilidade

4 Sumário 4 Mensagem da Administração 60 Desempenho Econômico e Perspectivas 8 Identidade Votorantim 14 Quem Somos 28 Sobre o Relatório 30 Temas Materiais 34 Nossa Evolução: Desafios e Compromissos em Relação aos Temas Materiais 40 Estratégia e Gestão 70 Relacionamento com as Partes Interessadas 122 Meio Ambiente 150 Reconhecimentos e Prêmios em Declarações 158 Correlações 160 Índice GRI / Indicadores

5 Como Ler este Relatório Este é o Relatório Único da Votorantim Industrial. Compreende aspectos institucionais, de negócio, financeiros e de sustentabilidade. Aqui você encontra, entre outros conteúdos, informações sobre nossa Identidade Corporativa, nossas Estratégias, nossa Governança, nossos Negócios e nossos Relacionamentos, além de Resultados Financeiros e ações voltadas para o Meio Ambiente. Você encontra, também, nossos Temas Materiais, que definimos em 2010 e atualizamos em 2011, incluindo metas para e Contribua conosco, respondendo a pesquisa sobre o Relatório Único e os Temas Materiais VID no site: Sua participação é muito importante, para que continuemos evoluindo no campo do desenvolvimento sustentável. Legenda das marcações nas páginas Tema Material GRI indicador GRI Pacto global

6 Mensagem da Administração GRI 1.1 e 1.2

7 1 Acreditamos que, para superar os desafios que enfrentamos no dia a dia, precisamos continuar expandindo nossa base de operações e atuando com foco na sustentabilidade nos Negócios. Por isso, investimos em uma atuação responsável, no que se refere à gestão dos impactos de nossas operações, ao consumo de recursos naturais, matériasprimas e energia e ao relacionamento com os diversos públicos, principalmente as comunidades em que estamos inseridos, assumindo compromissos de longo prazo A postura ética é um fator que orienta todo o nosso posicionamento. Estimulamos, em nossos empregados, comportamentos compatíveis com nossas Crenças e nossos Valores. No aspecto econômico, nosso objetivo é obter, sempre, resultados em uma escala perene, com perspectivas de Negócios de longo prazo. Temos Negócios em setores econômicos de insumos básicos, de capital intensivo. Queremos continuar crescendo, ganhando mercado (nacional e internacional) e sendo eficientes em custos, ao mesmo tempo em que geramos valor e cada vez mais nos situamos como uma organização global. O ano de 2011 foi marcado por turbulências no cenário econômico mundial, principalmente em virtude da crise na Europa e da lenta recuperação econômica dos EUA, além da anunciada desaceleração embora suave do crescimento econômico da China. No Brasil, a preocupação do governo em controlar a pressão inflacionária oriunda da adoção de políticas monetárias, fiscais e creditícias expansionistas em 2010 fez com que fosse adotada uma gestão fiscal mais contida. Ao longo do ano, esse direcionamento, em conjunto com o contágio da crise externa, contribuiu para a desaceleração da atividade econômica no País. De fato, o crescimento do PIB brasileiro em 2011 ficou em 2,7%, aquém do desejado e do esperado e bem abaixo de 2010, quando foi de 7,5%. Esse desempenho fez com que o País tivesse o menor crescimento entre todas as nações da América do Sul em 2011, de acordo com informações fornecidas por fontes dos governos e dados das consultorias Business Monitor International e Economist Intelligence Unit. Segundo análise do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), um dos maiores responsáveis por essa queda do PIB brasileiro foi o desempenho econômico da indústria, que cresceu 1,6% em 2011, ante 10,4% em O crescimento da produção industrial foi de apenas 0,3% no período. Muitos fatores, que se complementam, são apontados como preponderantes para esse decréscimo: concorrências dos produtos importados, dificuldade de se exportar em período de crise econômica externa, câmbio valorizado (o que dificulta a exportação para outros países), carga tributária brasileira elevada, alto custo de crédito/financiamento e infraestrutura ainda deficiente no País. Como a Votorantim Industrial é uma Organização de atuação nacional e internacional, nossos resultados no ano, embora robustos, foram afetados pelos altos e baixos do mercado global e pelo crescimento mais brando da economia brasileira.

8 6 RELATÓRIO VOTORANTIM INDUSTRIAL 2011 As perspectivas para ainda são imprecisas, mas vários sinais nos dão conta de que o horizonte está mais promissor. O Brasil tem ajustado suas políticas fiscal e monetária e não há grandes pressões inflacionárias à vista. No cenário externo, os EUA vêm apresentando fundamentos econômicos mais favoráveis e estão em processo de recuperação; o Banco Central Europeu e os países do continente vêm enfrentando a crise com disposição, determinação e coragem; e a economia chinesa sinaliza que o país continuará com altas taxas de crescimento, embora em patamares menores do que vinha acontecendo. Em nossos 94 anos de existência, passamos por períodos de crises político-econômicas, no Brasil e no mundo. Temos conseguido superar os ambientes adversos, em função do portfólio balanceado e diversificado de Negócios, do nosso modelo de gestão, da nossa governança e da nossa essência corporativa representada pela Visão, Valores, Aspiração, Crenças de Gestão e Princípios de Sustentabilidade. Diante disso, temos a certeza de que passaremos pela atual crise econômica mundial ainda mais fortalecidos e com o foco ajustado para os desafios de longo prazo que nos esperam. Prezamos a transparência e buscamos atingir padrões de divulgação e de boas práticas de governança típicos de companhias de capital aberto. Acreditamos nos princípios de equidade, com respeito aos nossos stakeholders e, principalmente, aos nossos investidores, pois na busca por recursos para financiar nossos projetos é com essas companhias que competimos. Em 2011, obtivemos para a Votorantim Industrial a mesma classificação de Investment Grade concedida à Votorantim Participações por agências de rating reconhecidas mundialmente. Graças à nossa gestão financeira, mesmo em um cenário econômico mais volátil conseguimos acessar o mercado local de capitais, estrear com sucesso no seleto grupo de emissores internacionais de bônus de 30 anos e concluir uma operação sindicalizada de pré-pagamento de exportação de longo prazo. Esses fatos confirmam a confiança e a credibilidade do mercado em nossas operações e em nossa atuação. Na lista Melhores e Maiores 2011, da revista Exame, divulgada em julho/2011, a Votorantim figurou em destaque. Em 2011, inauguramos cinco novas unidades de produção de cimento, que acrescentaram 5,2 milhões de toneladas na capacidade anual de produção. Em, manteremos nossa estratégia de continuar elevando nossa capacidade de produção de cimento. Também em, temos prevista a inauguração de uma nova usina para produção de aços longos, que elevará nossa capacidade de produção na área de siderurgia. Digno de registro, também, o fato de que em dezembro de 2011 o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) aprovou a fusão entre a Citrovita (da Votorantim) e a Citrosuco (do Grupo Fischer), o que levará à criação da maior empresa de suco de laranja do mundo. Em, será realizada a integração das operações das duas empresas. Ainda

9 mensagem da administração 7 em 2011, concluímos a expansão das operações de Cajamarquilla, no Peru, que contribui para o aumento das receitas no setor de metais no ano. Além disso, pretendemos avançar, nos próximos anos, em projetos ligados a reservas de bauxita no Pará e carvão metalúrgico na Colômbia. Para os nossos profissionais, estamos nos empenhando para construir um ambiente de trabalho em que as pessoas sintam prazer em fazer parte e tenham horizontes de crescimento pessoal e profissional. Esse esforço tem sido reconhecido internamente e pelo mercado. Na Pesquisa de Clima realizada em 2011, o índice geral de favorabilidade alcançou 66%, o que representa sete pontos percentuais acima do resultado da pesquisa anterior, em 2009, e o melhor resultado desde que a pesquisa começou a ser realizada, em 2003 (a pesquisa é bianual). Externamente, em 2011 a Votorantim Cimentos e a Citrovita, empresas da Organização, ficaram entre as 150 Melhores Empresas para Você Trabalhar, na pesquisa das revistas Você S/A e Exame, com apoio da Fundação Instituto de Administração (FIA). A Votorantim foi a única empresa brasileira a ser incluída na lista, organizada pela Hay Group, das dez melhores empresas da América Latina para o desenvolvimento de lideranças. A Pesquisa Delphi RH, realizada pelo Programa de Estudos em Gestão de Pessoas, da FIA, indicou que a Votorantim está entre as três melhores empresas do Brasil no desenvolvimento de boas práticas e estratégias de gestão de pessoas. A Votorantim Industrial é signatária do Pacto Global. Temos as orientações normativas do Pacto sobre direitos humanos, meio ambiente, relações de trabalho, combate à corrupção e outros pontos como norteadoras de nossa atuação. Possuímos também uma série de certificações, nacionais e internacionais, que disciplinam a nossa atuação em diversos campos e atestam o nível de excelência que temos perseguido. Para e próximos anos, continuaremos seguindo firmes em nosso direcionamento. Estamos bem preparados, em termos de capacidade de produção, portfólio de Negócios, competitividade, atualização tecnológica e postura empresarial, para continuarmos em nossa rota de expansão e de crescimento. Além disso, contamos com profissionais dedicados e comprometidos. Queremos atingir níveis cada vez maiores de excelência operacional e caminhar para nos tornarmos, definitivamente, uma Organização global, sempre trabalhando de forma ética e com foco na sustentabilidade. José Roberto Ermírio de Moraes Presidente do Conselho de Administração VPar Queremos atingir níveis cada vez maiores de excelência e caminhar para nos tornarmos, definitivamente, uma Organização global, sempre trabalhando de forma ética e com foco na sustentabilidade. Raul Calfat Diretor-Presidente da Votorantim Industrial

10 Identidade Votorantim GRI 4.8

11 2

12 10 RELATÓRIO VOTORANTIM INDUSTRIAL 2011 Nossa identidade corporativa é formada pelo conjunto de premissas e orientações emanadas dos nossos pilares: Visão, Valores, Aspiração, Crenças de Gestão e Princípios de Sustentabilidade. Esses pilares constituem nossa essência e direcionam nosso posicionamento, nossa atuação empresarial e o relacionamento com nossos públicos. Visão Assegurar o crescimento e a perenidade como um grupo familiar de grande porte, respeitado e reconhecido na comunidade em que atua, com foco na criação de valor econômico, ambiental e social, por meio de: Valores éticos que orientam uma conduta empresarial responsável. Negócios altamente competitivos. Busca de soluções criativas e inovadoras para seu portfólio. Pessoas motivadas para o alto desempenho. Valores Nossos Valores são representados pela sigla SEREU: Solidez buscar crescimento sustentável com geração de valor. Ética atuar de forma responsável e transparente. Respeito respeito às pessoas e disposição para aprender. Empreendedorismo crescer com coragem para fazer, inovar e investir. União o todo é mais forte. Aspiração Nossa Aspiração é fundamentada em duas proposições: Crescer no longo prazo com desenvolvimento sustentável. Atingir padrões de classe mundial na operação e na gestão, comparáveis aos das melhores empresas globais.

13 a identidade votorantim 11 Crenças de Gestão Nossas Crenças de Gestão são: Cultivo de Talentos Acreditamos e confiamos nas pessoas, por isso investimos tempo e recursos cultivando nossos talentos. Meritocracia Acreditamos que as pessoas são únicas e merecem ser valorizadas de forma justa e de acordo com suas entregas. Excelência Acreditamos que podemos fazer sempre mais e melhor, superando os desafios com disciplina, humildade e simplicidade. Pragmatismo Acreditamos ser essencial dedicarmos esforços ao que é relevante, com objetividade e sem perder a visão do todo e do futuro. Diálogo Aberto Acreditamos que um ambiente de confiança propicia diálogo aberto e espaço para falar e ser ouvido, em que a diversidade de opiniões constrói melhores soluções. Aliança Acreditamos que nosso sucesso é fruto da construção conjunta, fortalecido por relações e alianças genuínas nas quais todos ganham. Senso de Dono Acreditamos naqueles que assumem responsabilidades, que trabalham com paixão e lideram pelo exemplo, comemorando as conquistas e transformando erros em aprendizados.

14 12 RELATÓRIO VOTORANTIM INDUSTRIAL 2011 Unidade industrial da Fibria, em Três Lagoas Viveiro de mudas de eucalipto na Unidade de Três Lagoas (MS), Fíbria.

15 a identidade votorantim 13 GRI 1.2 Princípios de Sustentabilidade Acreditamos no desenvolvimento sustentável enquanto caminho vital para o crescimento perene da Organização, sempre em linha com nosso jeito de ser e de agir. O mercado tem passado a olhar, cada vez mais, as empresas também sob a ótica da sustentabilidade. Temos a convicção de que é importante dirigir esforços e investimentos para o tema e explicitar essa relevância para empregados, clientes, fornecedores, comunidades e demais públicos com os quais mantemos relacionamento. Nossos Princípios de Sustentabilidade estão alinhados às diretrizes do Pacto Global das Nações Unidas, norteiam a nossa ênfase no desenvolvimento sustentável e indicam de que forma podemos atuar nesse sentido. São Nossos Princípios: 1,2 e 8 1 a Ser reconhecida pela sociedade como uma empresa social e ambientalmente responsável. 02 Ter a sustentabilidade como estratégia, orientando governança, gestão, educação, decisões e investimentos criando valor. 3 a 9 3 a 6 03 Evoluir consistentemente os resultados econômicos, sociais e ambientais, buscando eficiência e confiabilidade nas operações, de acordo com padrões de classe mundial. 04 Ser reconhecida como empresa que atrai, desenvolve e retém talentos para a geração de valor e a construção de uma sociedade justa e inclusiva. 1 a 6 1,2, 4 e 5 3,4,5,6 e Ter compromisso com o bem-estar, a saúde e a segurança de nossos empregados, clientes e parceiros. 06 Contribuir para o desenvolvimento das comunidades em que atuamos. 07 Incentivar a cooperação e a participação de todos os empregados e partes interessadas na construção de parcerias e trabalho conjunto, visando à geração de valor mútuo.

16 Quem Somos

17 3

18 16 RELATÓRIO VOTORANTIM INDUSTRIAL 2011 GRI 2.1 A Votorantim Industrial, segmento industrial da Votorantim, tem uma atuação diversificada, em constante expansão e globalizada. Buscamos a perenidade de nossos Negócios, com resultados adequados e duradouros, em linha com as premissas do desenvolvimento sustentável. GRI 3.6 e 3.8 GRI 2.3 Visão geral O presente Relatório aborda as estratégias, iniciativas, produtos e projetos da Votorantim Industrial (VID), braço industrial da Votorantim. A Votorantim é um dos maiores conglomerados empresariais brasileiros segundo a publicação Melhores e Maiores 2011, da revista Exame, divulgada em julho/2011, a Votorantim aparece como a 13ª colocada no ranking das maiores organizações empresariais do Brasil, atuando em diversos setores da economia. Os negócios da Votorantim (constituída sob o nome de Votorantim Participações ou VPar) estão estruturados em três segmentos: Industrial, Finanças e Novos Negócios. A atuação da Organização é marcada pela diversificação do portfólio de produtos e serviços e pelo modelo de gestão unificado. Ao longo do tempo, temos expandido continuamente nossas atividades e buscamos criar valor (por meio de iniciativas, atitudes, processos e projetos) para todos os públicos com os quais nos relacionamos: clientes, empregados, fornecedores, parceiros, comunidades, governo, sociedade e outros. As operações industriais (Votorantim Industrial) concentram-se em setores de base da economia, que demandam capital intensivo, alta escala de produção e tecnologia de ponta. No setor financeiro, atuamos por meio da Votorantim Finanças, abrangendo: Banco Votorantim (banco de negócios e de investimento), BV Financeira (financiamento e crédito ao consumidor), Votorantim Asset Management (gestão de recursos), BV Leasing (operações de leasing) e Votorantim CTVM (corretora de títulos e valores mobiliários).

19 quem somos 17 GRI 3.7 Em Novos Negócios, a Organização investe em empresas em estágio inicial de desenvolvimento e com alto potencial de crescimento e também em empreendimentos mais maduros, em que a geração de valor decorre da renovação do modelo operacional ou de negócio. Não são retratadas, neste Relatório, informações sobre a Votorantim Finanças e a Votorantim Novos Negócios. Como reconhecimento pelo modelo de gestão, governança, transparência e práticas empresariais, a Votorantim Participações é classificada como Grau de Investimento (Investment Grade) por três agências de classificação de risco reconhecidas no mundo: Standard & Poor s (BBB), Moody s (Baa3) e Fitch Ratings (BBB-). A Votorantim Industrial também obteve em 2011, nas mencionadas agências de risco, os mesmos ratings de avaliação: BBB, Baa3 e BBB-. Em março de, a Fitch Ratings elevou os ratings globais da Votorantim Participações e da Votorantim Industrial para BBB. As operações industriais (Votorantim Industrial) concentram-se em setores de base da economia, que demandam capital intensivo, alta escala de produção e tecnologia de ponta. Fábrica de cimento Cimesa, em Laranjeiras (SE).

20 Pomares 18 RELATÓRIO VOTORANTIM INDUSTRIAL 2011 Suco de Laranja Citrovita Celulose Fibria Florestas Plantadas Aços longos VS Minerações Votorantim Metais VM Fábricas Votorantim Cimento VC

21 quem somos Comunidade 19 Eletricidade VE Áreas protegidas Emissões Outras energias para processo (renovável e não renovável) Funcionários próprios e terceiros Resíduos sólidos/efluentes Central de Sucata NEGÓCIOS, E INTERAÇÃO COM O MEIO

22 20 RELATÓRIO VOTORANTIM INDUSTRIAL 2011 GRI 2.2 e 2.6 A Votorantim Industrial (VID) é uma Organização de capital fechado, 100% nacional, cujas operações concentram-se em setores de base da economia, com os seguintes produtos e empresas: Cimentos, Concreto, Agregados e Produtos Complementares Votorantim Cimentos Mineração e Metalurgia: alumínio, zinco e níquel na Votorantim Metais; zinco, cobre e prata na Mineradora Milpo (com sede e operações no Peru) Aços Longos Votorantim Siderurgia Celulose Fibria 9 GRI 2.8 Trabalham, em nossas operações, 38,7 mil empregados (inclui empregados próprios, safristas, estagiários e aprendizes) e 36,7 mil terceirizados (base dezembro/2011). Buscamos sempre as melhores práticas em nossas operações e em nossos projetos e iniciativas, a fim de alcançarmos índices de desempenho e resultados consistentes e duradouros. Como acreditamos que o caminho da manutenção e do crescimento dos negócios só é possível pela via do desenvolvimento sustentável, trabalhamos pela contínua mitigação dos impactos socioambientais de nossas operações e pelo desenvolvimento das localidades onde estamos presentes. Autogeração de Energia Votorantim Energia Suco Concentrado de Laranja Citrovita * CADE aprova fusão de Citrovita e Citrosuco * A Citrovita está societariamente ligada à VPar, porém é gerenciada pela VID. GRI 2.4 e 2.5 GRI 2.3 e 2.9 A Votorantim Industrial tem sede no Brasil e opera em mais 15 países (vide mapa a seguir). Houve uma reconcentração de atividades em 2011, daí a diferença do número de países em que a VID atuava em 2010 e em Em termos de Unidades, contamos com 56 fábricas, 44 minas, 111 usinas de concreto e 52 centros de distribuição, no Brasil e no exterior, além de 35 usinas hidrelétricas no Brasil (22 próprias, sendo 20 em operação e 2 em construção, e 13 consorciadas). Em 2011, vendemos a Companhia Nitro Química (SP) e a fábrica de papel de Piracicaba (SP), com o objetivo de ajustar o nosso portfólio de Negócios. Vendemos, também, a nossa participação no bloco de ações de controle da Usiminas. Em dezembro de 2011, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) aprovou a fusão dos negócios de suco de laranja das empresas Citrovita (da Votorantim) e Citrosuco (da Fischer), nos termos do contrato de associação firmado entre as empresas em maio de O CADE condicionou sua aprovação ao compromisso das partes de assumir certas obrigações relacionadas à transparência de informações e à manutenção de seus pomares. A aprovação do CADE permitirá a completa integração das operações das empresas, levando à criação de uma empresa líder do setor de suco de laranja (em linha com a estratégia da Votorantim Industrial para o setor), com exportações para diversos países, gerando importantes divisas para o Brasil. As empresas, em comunicado conjunto, afirmaram que mantêm seu firme compromisso com o desenvolvimento da citricultura brasileira e buscarão o fortalecimento do setor no desenvolvimento de suas atividades, agora integradas em uma nova companhia. A nova empresa passou a ter 30 fazendas, cinco fábricas e sete terminais portuários (dois no Brasil e cinco no exterior).

23 quem somos 21 GRI 2.5 e 2.7 Presença internacional Somos uma Organização de atuação global. A partir de nossa sede, no Brasil, operamos em mais 15 países, como segue: Unidades fabris Argentina, Bolívia, Canadá, Chile, China, Colômbia, Estados Unidos, Paraguai, Peru e Portugal. Unidades comerciais e de logística Austrália, Áustria, Bélgica, Hungria e Suíça. Cajamarquilla, em franco crescimento O município de Cajamarquilla está localizado no Peru, a 25 Km da capital, Lima. Com 167 hectares de extensão (é uma das maiores cidades do Peru), possui um dos maiores sítios arqueológicos do país. Detém também uma das refinarias mais importantes do Peru. Desde 2004, a refinaria de Cajamarquilla passou a ser administrada pela Votorantim Metais. Em 2011, após a conclusão de obras de expansão, a capacidade de produção dobrou, passando para 320 mil toneladas de zinco por ano. Além de zinco, em serão produzidas 12 mil toneladas de índio metálico. Fábrica de cimento em Bowmanville (Canadá).

24 22 RELATÓRIO VOTORANTIM INDUSTRIAL 2011 Além da sede e das operações no Brasil, estamos presentes em mais 15 países. GRI 2.5 e 2.7 Unidades fabris Argentina, Bolívia, Canadá, Chile, China, Colômbia, Estados Unidos, Paraguai, Peru e Portugal. Unidades comerciais e de logística Austrália, Áustria, Bélgica, Hungria e Suíça. Sede, administração, operações gerais, unidades fabris, vendas e logística Brasil

25 quem somos 23 VENDAS PRINCIPAIS 2011 Unidade Milhões de Ton 67,1 71, VM (alumínio, zinco, níquel) 1,2 1,2 VS (aço) 1,6 1,8 Citrovita (suco concentrado) 0,3 0,2 VC (cimento) 26,3 27,2 VC (agregados) 24,7 27,1 VC (concreto) 8,2 8,6 Fibria (celulose) 4,9 5,1 Total Produtos 67,1 71,2 GRI 2.2, 2.8 e EN26 8 Produtos e serviços Atuamos com foco permanente em novas tecnologias, inovação e melhores soluções para os clientes, sempre em linha com o desenvolvimento sustentável. Por isso, em cada Negócio desenvolvemos estudos, buscamos tecnologias e práticas reconhecidas mundialmente, analisamos desempenhos e avaliamos a relação custo X benefício para chegar aos produtos e serviços adequados a cada segmento de clientes. Ao mesmo tempo, procuramos ter um uso racional de recursos e reduzir impactos socioambientais em nossos processos produtivos (mais informações a respeito disso no capítulo Temas Materiais deste Relatório). Sabemos que o uso sustentável de produtos é um grande desafio, e queremos evoluir permanentemente nessa área. Todos os produtos da VID contam com procedimentos de rotulagem em conformidade com a legislação em vigor e com parâmetros e normas de órgãos nacionais e internacionais reconhecidos. As políticas e/ou procedimentos de rotulagem ou de informação sobre os produtos cobrem 100% dos produtos rotuláveis da Organização.

26 24 RELATÓRIO VOTORANTIM INDUSTRIAL 2011 GRI PR3 Informações sobre produtos e procedimentos de rotulagem Período Percentual de produtos cobertos por procedimentos de rotulagem (%) 100% 100% 100% 100% 8 e 9 Cabe destacar ainda: Na Votorantim Siderurgia, as especificações dos produtos fabricados estão de acordo com os requisitos da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e da American Society for Testing and Materials (ASTM). Na VS, a ecoeficiência é intrínseca ao desenvolvimento dos produtos. A VS entrega o aço já cortado e dobrado para o cliente, o que elimina custos e perdas e aumenta a qualidade nos canteiros de obras. Além disso, em média 80% do material utilizado na produção do aço, nas Unidades de Barra Mansa (RJ), Resende (RJ) e AcerBrag, são de origem reciclada. Em 2011, as Unidades de Resende e Barra Mansa, no Rio de Janeiro, tiveram seus produtos certificados com o Selo Ecológico do Instituto Falcão Bauer de Qualidade (IFBQ). O Selo Ecológico IFBQ é uma certificação de produtos de caráter voluntário e incentiva a melhoria contínua do produto sob o ponto de vista da qualidade, do impacto ambiental e da responsabilidade socioempresarial. Em outras palavras, trata-se de um modelo de avaliação do desempenho ambiental de produtos sustentáveis. O IFBQ avaliou o ciclo de vida do aço produzido pela VS, verificando, entre outros indicadores, o consumo de energia e de água, a geração de resíduos sólidos e líquidos, as emissões atmosféricas e a matéria-prima utilizada. Além disso, ao certificar a Empresa, o Instituto também avaliou o Sistema de Gestão da VS, que é certificado nas Normas ISO 9001 (gestão de qualidade) e ISO (gestão ambiental). Com essa certificação, todos os clientes que adquirem nossos produtos os recebem com o Selo Falcão Bauer de Qualidade. Grandes construtoras, novos empreendimentos e compradores solicitam o Selo IFBQ como garantia da presença de produtos sustentáveis em suas obras. Para, temos como objetivo a manutenção desta certificação. Também para, efetuaremos a prospecção de novos rótulos ambientais no mercado siderúrgico. Nosso objetivo principal é a obtenção do Rótulo Ambiental da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) para o setor siderúrgico. É uma certificação voluntária que é concedida para produtos e/ou serviços que apresentam menor impacto ambiental em relação a produtos similares disponíveis no mercado. 9

27 quem somos 25 Ajudante Votomassa 1.0 Como novidade, a Votorantim Cimentos lançou em 2011 o Ajudante Votomassa 1.0, aplicativo para smartphones e tablets com tela touchscreen (sensível ao toque), semelhante ao ipad, destinado a engenheiros, arquitetos e projetistas, para que esses profissionais possam auxiliar o consumidor na escolha do produto mais adequado para a sua reforma ou construção. A ferramenta serve para cálculo de rendimento dos principais produtos Votomassa, da VC. Esse serviço foi apresentado na Expo Revestir 2011, evento de tendências de revestimentos e design de interiores. Na Votorantim Metais, encontra-se em andamento a elaboração de análise do ciclo de vida (ACV) dos produtos. Em 2011, foram realizados os treinamentos das equipes envolvidas e, em, o objetivo é iniciar a construção de inventários para os ciclos de vida dos principais produtos da VM, a saber: folhas de alumínio, zinco e níquel primários. Na Citrovita, em 2011, a produção de suco obteve a Certificação Rainforest Alliance, para produtos agrícolas. Trata-se de uma certificação socioambiental, que comprova que os produtores respeitam a biodiversidade e os trabalhadores rurais envolvidos no processo. Essa certificação tem grande aceitação na Europa e nos EUA, e no Brasil é auditada pelo Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora). Para, buscamos expandir essa Certificação. Na Fibria, é realizada periodicamente a análise de ciclo de vida da celulose, bem como a medição da ecoeficiência do produto. Esse processo vem sendo gradativamente aperfeiçoado, com apoio de uma rede de pesquisas com a Academia de Excelência Votorantim (universidade corporativa). Na Votorantim Cimentos, as soluções em argamassa e concreto buscam ser sustentáveis e contribuir para eliminar desperdícios em obras. Exemplo disso é a linha Votomassa, que tem a Certificação Greenguard. A Certificação Greenguard garante que os produtos certificados não emitem substâncias tóxicas que afetam a qualidade do ar interior e a saúde das pessoas, de acordo com as diretrizes do Programa Nacional de Toxicologia dos Estados Unidos da América, entre outros. O concreto é o segundo material mais utilizado no mundo, após a água, sendo um material de construção ecoeficiente e que pode contribuir significativamente com a sustentabilidade das construções, por meio de suas propriedades físicas. Reforçando a ecoeficiência desse material, atingimos a meta de produzir 85% de cimentos compostos e 15% de cimentos sem adições antes do prazo previsto, que era. Cimentos compostos são aqueles com adições de materiais reciclados que, além de diminuir o custo de produção, auxiliam na redução da emissão de carbono e também reduzem o consumo de materiais provenientes de minas. Esse percentual de produção de 85% de cimentos compostos contribuiu para alcançarmos uma redução de 25% na emissão de carbono desse processo produtivo. Uma parceria entre a Votorantim Cimentos e a Votorantim Metais, firmada em 2011 e aproveitando sinergias entre as operações, viabilizou a produção e a venda do Zincal 200, calcário agrícola produzido na Unidade de Morro Agudo (em Paracatu, MG) da VM. Com presença de zinco, o produto é indicado como corretivo agrícola (utilizado, dessa forma, para contribuir para a melhoria da produtividade das culturas).

28 26 RELATÓRIO VOTORANTIM INDUSTRIAL 2011 Ao lado, Certificação Rainforest Alliance para a produção de suco da Citrovita; abaixo, Certificação do Instituto Falcão Bauer de Qualidade para a Votorantim Siderurgia.

29 quem somos Cartel do Cimento Em novembro de 2011, a Secretaria de Direito Econômico (SDE) do Ministério da Justiça encaminhou, para julgamento pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), seu parecer sobre a investigação, iniciada em 2006, sobre um suposto cartel do setor de cimento. Em seu parecer, a SDE acusa as empresas Holcim do Brasil S.A., Votorantim Cimentos S.A., Camargo Corrêa Cimentos S.A., Cimpor Cimentos do Brasil Ltda., Itabira Agro Industrial S.A., Companhia de Cimento Itambé, Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Concretagem (ABESC), Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC), e ainda seis executivos do setor, de terem praticado atos em violação de leis concorrenciais. A Votorantim sempre atuou em conformidade com a legislação e não aprova qualquer prática anticoncorrencial. No decorrer do processo administrativo, a Empresa apresentará sua defesa, conforme procedimento aplicável. Certificações A Votorantim Industrial possui as seguintes Certificações: Certificações Norma Descrição Unidades certificadas ISO 9001 Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade. 50 ISO Gestão Ambiental. 22 ISO Gestão Energética. 1 OHSAS Certificação da Gestão da Segurança e da Saúde do Trabalho. 6 ISO Certificação de Requisitos Gerais para a Competência dos Laboratórios de Calibração. 1 Halal Certificação de Produtos Preparados de Acordo com as Regras Islâmicas. 5 IBD Certificação de Produtos Orgânicos e Biodinâmicos. 1 Kosher Certificação de Produtos Preparados de Acordo com as Leis Alimentares do Judaísmo. 5 GRI FP05 PDV Certificação de Segurança dos Alimentos. 3 SAS 70 Certificação Statement on Audit Standards nº 70 Tipo II, padrão internacional de auditoria criado pelo American Institute of Certified Public Accountants (AICPA), que atesta a qualidade de serviços prestados em Tecnologia da Informação (TI). 1 Rainforest Alliance Certified Certificação socioambiental, que comprova que os produtores respeitam a biodiversidade e os trabalhadores rurais envolvidos no processo. No Brasil, é auditada pelo Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora). 1 GRI EN26 Selo Falcão Bauer (ou Selo Ecológico) Modelo de certificação, concedido pelo Instituto Falcão Bauer de Qualidade, que reconhece a gestão de empresas que estejam comprometidas em melhorar o desempenho socioambiental em todo o processo industrial. 2 Greenguard Garante que os produtos certificados não emitem substâncias tóxicas que afetam a qualidade do ar interior e a saúde das pessoas. 1

Votorantim Industrial Relatório de Sustentabilidade. Versão para público externo

Votorantim Industrial Relatório de Sustentabilidade. Versão para público externo Votorantim Industrial Relatório de Sustentabilidade Versão para público externo Mensagem da alta administração Em 93 anos de história da Votorantim, temos mantido a consistência na geração de valor, pautando

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

PROGRAMA COMPLIANCE VC

PROGRAMA COMPLIANCE VC Seguir as leis e regulamentos é ótimo para você e para todos. Caro Colega, É com satisfação que compartilho esta cartilha do Programa Compliance VC. Elaborado com base no nosso Código de Conduta, Valores

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE 1. OBJETIVO E ABRANGÊNCIA Esta Política tem como objetivos: Apresentar de forma transparente os princípios e as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e direcionam

Leia mais

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL APRESENTAÇÃO A White Martins representa na América do Sul a Praxair, uma das maiores companhias de gases industriais e medicinais do mundo, com operações em

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS

CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS do conteúdo dos Indicadores Ethos com outras iniciativas Com a evolução do movimento de responsabilidade social e sustentabilidade, muitas foram as iniciativas desenvolvidas

Leia mais

Preâmbulo. resultado econômico, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com as quais interage.

Preâmbulo. resultado econômico, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com as quais interage. Preâmbulo Para a elaboração da Política de Sustentabilidade do Sicredi, foi utilizado o conceito de Sustentabilidade proposto pela abordagem triple bottom line (TBL), expressão que reúne simultaneamente

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

Levantamento do Perfil de Responsabilidade Socioambiental nas Organizações

Levantamento do Perfil de Responsabilidade Socioambiental nas Organizações Levantamento do Perfil de Responsabilidade Socioambiental nas Organizações Brasília, 19 de abril de 2011 BLOCOS TEMÁTICOS COMPROMISSO PLANEJAMENTO E GESTÃO DESEMPENHO SUSTENTÁVEL CONTRIBUIÇÃO COM O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Setembro de 2010 Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente

Leia mais

Plano de Sustentabilidade da Unilever

Plano de Sustentabilidade da Unilever Unilever Plano de Sustentabilidade da Unilever Eixo temático Governança Principal objetivo da prática Para a Unilever, o crescimento sustentável e lucrativo requer os mais altos padrões de comportamento

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática A Abiquim e suas ações de mitigação das mudanças climáticas As empresas químicas associadas à Abiquim, que representam cerca

Leia mais

O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia.

O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia. O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia. Rio Grande do Sul Brasil PESSOAS E EQUIPES Equipes que

Leia mais

metas 2012 Social Econômico ambiental quais temas? Crescimento com responsabilidade oportunidade governança Olhar interno Olhar externo

metas 2012 Social Econômico ambiental quais temas? Crescimento com responsabilidade oportunidade governança Olhar interno Olhar externo Crescimento com responsabilidade Social Econômico ambiental governança metas 2012 quais temas? Olhar interno Redução de Riscos Olhar externo reputação e credibilidade Comunidades fornecedores Funcionários

Leia mais

40.000 empregados Em mais de 250 municípios Brasileiros Presença em mais de 20 países

40.000 empregados Em mais de 250 municípios Brasileiros Presença em mais de 20 países 42º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ACIARIA 42º STEELMAKING SEMINAR - INTERNATIONAL NOVOS PROJETOS SIDERÚRGICOS Iran Oliveira de Medeiros GRUPO VOTORANTIM 1918 2010 Canadá Estados Unidos México Bahamas Colômbia

Leia mais

CAMINHO PARA O CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL

CAMINHO PARA O CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL CAMINHO PARA O CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL QUEM SOMOS PERFIL UMA DAS MAIORES EMPRESAS DE MINERAÇÃO DO BRASIL ENTRE OS MAIS COMPETITIVOS PRODUTORES DE ALUMÍNIO, NÍQUEL E ZINCO QUEM SOMOS NOSSA ENERGIA 33

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Síntese O Compromisso ALIANSCE para a Sustentabilidade demonstra o nosso pacto com a ética nos negócios, o desenvolvimento das comunidades do entorno de nossos empreendimentos,

Leia mais

Política Ambiental das Empresas Eletrobras

Política Ambiental das Empresas Eletrobras Política Ambiental das Empresas Eletrobras Versão 2.0 16/05/2013 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Princípios... 3 3 Diretrizes... 3 3.1 Diretrizes Gerais... 3 3.1.1 Articulação Interna... 3 3.1.2 Articulação

Leia mais

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Atuação da Organização 1. Qual(is) o(s) setor(es) de atuação da empresa? (Múltipla

Leia mais

e Gestão de Riscos Alicerces firmes para o crescimento sustentável Compromissos internacionais assumidos Sustentabilidade Ambiental

e Gestão de Riscos Alicerces firmes para o crescimento sustentável Compromissos internacionais assumidos Sustentabilidade Ambiental 8 Sustentabilidade resultado 31 e Gestão de Riscos A Companhia reconhece que suas atividades influenciam as comunidades nas quais opera e se compromete a atuar de forma proativa para monitorar e mitigar

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Publicado em: 27/02/2015 Válido até: 26/02/2020 Política de Responsabilidade Socioambiental 1. SUMÁRIO 2 2. OBJETIVO 2 3. ABRANGÊNCIA 2 4. IMPLEMENTAÇÃO 2 5. DETALHAMENTO 2 5.1. Definições 3 5.2. Envolvimento

Leia mais

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Introdução A consulta a seguir é um novo passo em direção às melhores práticas

Leia mais

PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE

PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO 2014 GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE O modelo de Gestão da Sustentabilidade do GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE é focado no desenvolvimento de

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

Norma Permanente 4.1. GOVERNANÇA E GESTÃO 4.2. PRINCÍPIOS 4.3. INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO E INCENTIVADO

Norma Permanente 4.1. GOVERNANÇA E GESTÃO 4.2. PRINCÍPIOS 4.3. INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO E INCENTIVADO Resumo: Reafirma o comportamento socialmente responsável da Duratex. Índice 1. OBJETIVO 2. ABRANGÊNCIA 3. DEFINIÇÕES 3.1. PARTE INTERESSADA 3.2. ENGAJAMENTO DE PARTES INTERESSADAS 3.3. IMPACTO 3.4. TEMAS

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas.

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas. 1. OBJETIVOS Estabelecer diretrizes que norteiem as ações das Empresas Eletrobras quanto à promoção do desenvolvimento sustentável, buscando equilibrar oportunidades de negócio com responsabilidade social,

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA 2015

CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA 2015 ATENÇÃO: ANTES DE ASSINAR ESTA CARTA, LEIA O CONTEÚDO ATÉ O FINAL E CLIQUE NO LINK. FÓRUM DE AÇÃO EMPRESARIAL PELO CLIMA CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA 2015 O desafio da mudança do clima

Leia mais

MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM

MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM COLETIVA DE IMPRENSA Participantes: Relatores: Geraldo Soares IBRI; Haroldo Reginaldo Levy Neto

Leia mais

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade

ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade ENCONTRO DE MINISTROS DA AGRICULTURA DAS AMÉRICAS 2011 Semeando inovação para colher prosperidade DECLARAÇÃO DOS MINISTROS DA AGRICULTURA, SÃO JOSÉ 2011 1. Nós, os Ministros e os Secretários de Agricultura

Leia mais

Associação sem fins lucrativos, fundada em 1998, por um grupo de 11 empresários; 1475 associados: empresas de diferentes setores e portes.

Associação sem fins lucrativos, fundada em 1998, por um grupo de 11 empresários; 1475 associados: empresas de diferentes setores e portes. Instituto Ethos Associação sem fins lucrativos, fundada em 1998, por um grupo de 11 empresários; 1475 associados: empresas de diferentes setores e portes. MISSÃO: Mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Conteúdo

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Conteúdo Conteúdo O Instituto Ethos Organização sem fins lucrativos fundada em 1998 por um grupo de empresários, que tem a missão de mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas a gerir seus negócios de forma socialmente

Leia mais

Diretrizes G4 da GRI: Quais os seus efeitos nos relatórios corporativos de sustentabilidade?

Diretrizes G4 da GRI: Quais os seus efeitos nos relatórios corporativos de sustentabilidade? Meio acadêmico Sustentabilidade Diretrizes G4 da GRI: Quais os seus efeitos nos relatórios corporativos de sustentabilidade? Além do maior foco na cadeia de valor e na materialidade, a quarta geração (G4)

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS Os Indicadores Ethos são uma ferramenta de gestão, de uso gratuito, que visa apoiar

Leia mais

Crescimento global da consciência socioambiental

Crescimento global da consciência socioambiental Programa de Sustentabilidade Bunge 1. Contextualização Crescimento global da consciência socioambiental Sociedade Importância do tema Estruturação e articulação das entidades civis Pressões comerciais

Leia mais

Relatos de Sustentabilidade

Relatos de Sustentabilidade Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Relatos de Sustentabilidade Descreva até 3 projetos/programas/iniciativas/práticas relacionadas a sustentabilidade Instruções 2015 Esse espaço é reservado

Leia mais

Código de Fornecimento Responsável

Código de Fornecimento Responsável Código de Fornecimento Responsável Breve descrição A ArcelorMittal requer de seus fornecedores o cumprimento de padrões mínimos relacionados a saúde e segurança, direitos humanos, ética e meio ambiente.

Leia mais

Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios

Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios Em 2013, a Duratex lançou sua Plataforma 2016, marco zero do planejamento estratégico de sustentabilidade da Companhia. A estratégia baseia-se em três

Leia mais

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da - 1 - Prêmio CNSeg 2012 Empresa: Grupo Segurador BBMAPFRE Case: Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE Introdução A Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE foi concebida em 2009 para disseminar o conceito

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE ADESÃO CICLO 2015

INFORMAÇÕES SOBRE ADESÃO CICLO 2015 INFORMAÇÕES SOBRE ADESÃO CICLO 2015 Conteúdo Sobre o GVces Sobre o Programa Brasileiro GHG Protocol e o Registro Público de Emissões Política de qualificação dos inventários (Novo critério para o selo

Leia mais

Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo

Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo INTRODUÇÃO O Balanced Scorecard (BSC) é uma metodologia desenvolvida para traduzir, em termos operacionais, a Visão e a Estratégia das organizações

Leia mais

RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO

RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO RELATÓRIO DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COE INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA E GESTÃO DE CARBONO CO2 ZERO DECLARAÇÃO DE APOIO CONTÍNUO DO DIRETOR PRESIDENTE Brasília-DF, 29 de outubro de 2015 Para as partes

Leia mais

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII)

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII) PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO Secretaria-Executiva Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Plano de Integridade Institucional (PII) 2012-2015 Apresentação Como

Leia mais

Instituto Ethos. de Empresas e Responsabilidade Social. Emilio Martos Gerente Executivo de Relacionamento Empresarial

Instituto Ethos. de Empresas e Responsabilidade Social. Emilio Martos Gerente Executivo de Relacionamento Empresarial Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social Emilio Martos Gerente Executivo de Relacionamento Empresarial Missão do Instituto Ethos Mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas a gerir seus negócios

Leia mais

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013 SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX Agosto 2013 ESTRATÉGIA EM SUSTENTABILIDADE Visão Uma estratégia de sustentabilidade eficiente deve estar alinhada com o core business da empresa

Leia mais

Avaliação Ambiental Estratégica em Instituições Financeiras Multilaterais

Avaliação Ambiental Estratégica em Instituições Financeiras Multilaterais Avaliação Ambiental Estratégica em Instituições Financeiras Multilaterais Garo Batmanian Banco Mundial Seminário Latino Americano de Avaliação Ambiental Estratégica Brasília, 28 de agosto de 2006 Estratégia

Leia mais

Plataforma Ambiental para o Brasil

Plataforma Ambiental para o Brasil Plataforma Ambiental para o Brasil A Plataforma Ambiental para o Brasil é uma iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica e traz os princípios básicos e alguns dos temas que deverão ser enfrentados na próxima

Leia mais

Política de Responsabilidade So cio Ambiental

Política de Responsabilidade So cio Ambiental Política de Responsabilidade So cio Ambiental Sumário 1. FINALIDADE:... 4 2. ABRANGÊNCIA:... 4 3. DIVULAGAÇÃO... 4 4. IMPLEMENTAÇÃO... 4 5. SUSTENTABILIDADE EM NOSSAS ATIVIDADES... 4 6. REVISÃO DA POLÍTICA...

Leia mais

Os sistemas de despoeiramento, presentes em todas as usinas do Grupo Gerdau, captam e filtram gases e partículas sólidas gerados na produção

Os sistemas de despoeiramento, presentes em todas as usinas do Grupo Gerdau, captam e filtram gases e partículas sólidas gerados na produção Os sistemas de despoeiramento, presentes em todas as usinas do Grupo Gerdau, captam e filtram gases e partículas sólidas gerados na produção siderúrgica. Ontário Canadá GESTÃO AMBIENTAL Sistema de gestão

Leia mais

Performance com Propósito. A promessa da PepsiCo

Performance com Propósito. A promessa da PepsiCo Performance com Propósito A promessa da PepsiCo Performance com Propósito A promessa da PepsiCo Na PepsiCo, Performance com Propósito significa gerar crescimento sustentável através do investimento em

Leia mais

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide A Nova América na vida das pessoas 8 Cultural Empresarial Missão Do valor do campo ao campo de valor

Leia mais

PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN

PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN Resumo das diretrizes e critérios da COSERN/ Grupo Neoenergia para patrocínios a projetos socioculturais e ambientais. Guia Básico do Proponente 1 Índice Introdução 2 1.

Leia mais

Francisco Cardoso SCBC08

Francisco Cardoso SCBC08 Formando profissionais para a sustentabilidade Prof. Francisco CARDOSO Escola Politécnica da USP Francisco Cardoso SCBC08 1 Estrutura da apresentação Objetivo Metodologia Resultados investigação Conclusão:

Leia mais

Empresas e as mudanças climáticas

Empresas e as mudanças climáticas Empresas e as mudanças climáticas O setor empresarial brasileiro, por meio de empresas inovadoras, vem se movimentando rumo à economia de baixo carbono, avaliando seus riscos e oportunidades e discutindo

Leia mais

DIMENSÃO MUDANÇAS CLIMÁTICAS

DIMENSÃO MUDANÇAS CLIMÁTICAS DIMENSÃO MUDANÇAS CLIMÁTICAS CONTEÚDO CRITÉRIO I - POLÍTICA... 2 INDICADOR 1: COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO... 2 CRITÉRIO II GESTÃO... 3 INDICADOR 2: RESPONSABILIDADES... 3 INDICADOR 3: PLANEJAMENTO/GESTÃO

Leia mais

PADRÕES DE CERTIFICAÇÃO LIFE. Versão 3.0 Brasil Português. LIFE-BR-CS-3.0-Português (NOVEMBRO/2014)

PADRÕES DE CERTIFICAÇÃO LIFE. Versão 3.0 Brasil Português. LIFE-BR-CS-3.0-Português (NOVEMBRO/2014) LIFE-BR-CS-3.0-Português Versão 3.0 Brasil Português (NOVEMBRO/2014) Próxima revisão planejada para: 2017 2 OBJETIVO A partir das Premissas LIFE, definir os Princípios, critérios e respectivos indicadores

Leia mais

O Mercado de Energias Renováveis e o Aumento da Geração de Energia Eólica no Brasil. Mario Lima Maio 2015

O Mercado de Energias Renováveis e o Aumento da Geração de Energia Eólica no Brasil. Mario Lima Maio 2015 O Mercado de Energias Renováveis e o Aumento da Geração de Energia Eólica no Brasil Mario Lima Maio 2015 1 A Matriz Energética no Brasil A base da matriz energética brasileira foi formada por recursos

Leia mais

Nossas soluções para o setor sucroenergético

Nossas soluções para o setor sucroenergético www.pwc.com.br Nossas soluções para o setor sucroenergético Centro PwC de Serviços em Agribusiness Outubro de 2013 Agrícola Gestão de fornecedores de cana Revisão da estrutura de relacionamento entre usina

Leia mais

Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente

Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente Política Global Novartis 1 de março de 2014 Versão HSE 001.V1.PT 1. Introdução Na Novartis, nossa meta é ser líder em Saúde, Segurança e Meio Ambiente (HSE).

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 Líderes : Autores do Futuro Ser líder de um movimento de transformação organizacional é um projeto pessoal. Cada um de nós pode escolher ser... Espectador,

Leia mais

Estratégias para o desenvolvimento humano

Estratégias para o desenvolvimento humano ofício Estratégias para o desenvolvimento humano A Olhar Cidadão é uma empresa de planejamento estratégico, gestão e inovação, na qual se desenvolvem soluções integradas, projetos e ideias que contribuam

Leia mais

PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP - COMUNICADO DE PROGRESSO 2015. AX0003/00-Q5-RL-1001-15 Rev. 0 < MAIO 2015> ELABO.: SBMo VERIF.: CF APROV.

PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP - COMUNICADO DE PROGRESSO 2015. AX0003/00-Q5-RL-1001-15 Rev. 0 < MAIO 2015> ELABO.: SBMo VERIF.: CF APROV. PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP - COMUNICADO DE PROGRESSO 2015 AX0003/00-Q5-RL-1001-15 Rev. 0 < MAIO 2015> ELABO.: SBMo VERIF.: CF APROV.: CK AX0003/00-Q5-RL-1001-15 2 ÍNDICE PÁG. 1 - INTRODUÇÃO...

Leia mais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Os novos horizontes da responsabilidade socioambiental

Sustentabilidade nas instituições financeiras Os novos horizontes da responsabilidade socioambiental Sustentabilidade nas instituições financeiras Os novos horizontes da responsabilidade socioambiental O momento certo para incorporar as mudanças A resolução 4.327 do Banco Central dispõe que as instituições

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

ABCE REVITALIZADA PLANEJAMENTO 2011-2015

ABCE REVITALIZADA PLANEJAMENTO 2011-2015 ABCE REVITALIZADA PLANEJAMENTO 2011-2015 1 Destaques do levantamento de referências de associações internacionais Além dos membros associados, cujos interesses são defendidos pelas associações, há outras

Leia mais

Questionário para Instituidoras

Questionário para Instituidoras Parte 1 - Identificação da Instituidora Base: Quando não houver orientação em contrário, a data-base é 31 de Dezembro, 2007. Dados Gerais Nome da instituidora: CNPJ: Endereço da sede: Cidade: Estado: Site:

Leia mais

DECLARAÇÃO DE VERIFIÇÃO INDEPENDENTE BUREAU VERITAS CERTIFICATION

DECLARAÇÃO DE VERIFIÇÃO INDEPENDENTE BUREAU VERITAS CERTIFICATION DECLARAÇÃO DE VERIFIÇÃO INDEPENDENTE BUREAU VERITAS CERTIFICATION INTRODUÇÃO O Bureau Veritas Certification Brasil (Bureau Veritas) foi contratado pela Companhia Energética de Minas Gerais S.A (Cemig),

Leia mais

Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça), fundada em 1947 (normatização de 140 países)

Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça), fundada em 1947 (normatização de 140 países) A SÉRIE ISO 14.000 A ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DE NORMALIZAÇÃO (ISO) ISO => Internacional Organization for Standardization Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça),

Leia mais

Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015

Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015 Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015 As 15 Melhores Práticas em Gestão de Pessoas no Pará VIII Edição 1 Pesquisa Prazer em Trabalhar Ano VI Parceria Gestor Consultoria e Caderno Negócios Diário do Pará A

Leia mais

S O C I O A M B I E N TA L

S O C I O A M B I E N TA L Apresentação Todas as ações desenvolvidas pelo Banrisul estão comprometidas em preservar o meio ambiente, seja no momento de realizar um contrato de financiamento agrícola, investimento em projeto, seja

Leia mais

Papel com Reflorestamento. e Reciclagem

Papel com Reflorestamento. e Reciclagem Papel com Reflorestamento e Reciclagem 49 O setor brasileiro de celulose e papel prima pela utilização de madeiras florestais plantadas exclusivamente para fins industriais. O emprego de técnicas de manejo

Leia mais

PRÊMIO TALENTO EM SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO 2015

PRÊMIO TALENTO EM SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO 2015 PRÊMIO TALENTO EM SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO 2015 1. O PRÊMIO O Prêmio Talento em Sustentabilidade foi criado para reconhecer o trabalho de empregados, estagiários e terceiros do Grupo Votorantim que

Leia mais

AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa. Informações gerais

AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa. Informações gerais AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa Informações gerais Produzido por BSD Brasil. Pode ser reproduzido desde que citada a fonte. Introdução Lançada em novembro de 1999, em versão

Leia mais

Briefing Ciclo do Concreto

Briefing Ciclo do Concreto Briefing Ciclo do Concreto Disclaimer Este documento foi elaborado para orientar os participantes do Desafio do Concreto Camargo Corrêa. Os conteúdos apresentados visam realizar um alinhamento entre os

Leia mais

O Setor Elétrico Brasileiro e a Sustentabilidade no Século 21 Oportunidades e Desafios

O Setor Elétrico Brasileiro e a Sustentabilidade no Século 21 Oportunidades e Desafios O Setor Elétrico Brasileiro e a Sustentabilidade no Século 21 Oportunidades e Desafios Português Resumo Executivo Esta é a segunda edição revista e ampliada da publicação: O Setor Elétrico Brasileiro e

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental PRSA

Política de Responsabilidade Socioambiental PRSA 1. OBJETIVO Em atendimento à Resolução do Banco Central do Brasil nº 4.327 de 25 de abril de 2014, que dispõe sobre as diretrizes que devem ser observadas no estabelecimento e na implementação da Política

Leia mais

Private Equity ADVISORY

Private Equity ADVISORY Private Equity ADVISORY Private Equity Excelentes profissionais que trabalham em equipe, transformando conhecimento em valor, em benefício de nossos clientes. Private Equity 1 Qualidade e integridade são

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

SUSTENTABILIDADE 2014

SUSTENTABILIDADE 2014 SUSTENTABILIDADE 2014 Rutivo de no CONSTRUIR, PLANTAR E TRANSFORMAR Nosso objetivo vai além de ser responsável pelo processo construtivo de nossas obras, procuramos estimular e disseminar o conceito de

Leia mais

Criando Oportunidades

Criando Oportunidades Criando Oportunidades Clima, Energia & Recursos Naturais Agricultura & Desenvolvimento Rural Mercados de Trabalho & Sector Privado e Desenvolvimento Sistemas Financeiros Comércio & Integração Regional

Leia mais

Building, Construction & Real Estate

Building, Construction & Real Estate KPMG no Brasil Building, Construction & Real Estate FINANCIAL SERVICES kpmg.com/br Quem somos Constituída na Suíça e com sede em Amsterdã, a KPMG International Cooperative (KPMG International) é uma rede

Leia mais

Catarina Bronstein Ponto Focal GRI Brasil. BM&FBOVESPA, São Paulo, fev/2013

Catarina Bronstein Ponto Focal GRI Brasil. BM&FBOVESPA, São Paulo, fev/2013 Global Reporting Initiative Glaucia Terreo Catarina Bronstein Ponto Focal GRI Brasil Oficina Introdutória GRI BM&FBOVESPA, São Paulo, fev/2013 AQUECIMENTO!!!!!!! 1 Escreva sua missão de vida: 2 Quais

Leia mais

Nossa História. Ajudando o mundo a produzir os alimentos de que precisa

Nossa História. Ajudando o mundo a produzir os alimentos de que precisa Nossa História Ajudando o mundo a produzir os alimentos de que precisa O desafio é imenso: acabar com a fome, dobrar a produção de alimentos até 2050 e ajudar a reduzir o impacto ambiental da agricultura

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

A Aon Global Risk Consulting (AGRC), líder mundial em consultoria de gestão de riscos, está presente em mais de 120 países. São mais de 2.

A Aon Global Risk Consulting (AGRC), líder mundial em consultoria de gestão de riscos, está presente em mais de 120 países. São mais de 2. A Aon Global Risk Consulting (AGRC), líder mundial em consultoria de gestão de riscos, está presente em mais de 120 países. São mais de 2.000 consultores que se dedicam de forma integral à gestão de riscos

Leia mais

Por que escolher a Formação de Gestor de Cadeia de Custódia do IMAFLORA? Programa de Formação de Gestor de Cadeia de Custódia FSC

Por que escolher a Formação de Gestor de Cadeia de Custódia do IMAFLORA? Programa de Formação de Gestor de Cadeia de Custódia FSC Programa de Formação de Gestor de Cadeia de Custódia FSC Por que escolher a Formação de Gestor de Cadeia de Custódia do IMAFLORA? A Formação de Gestor de Cadeia de Custódia FSC aborda os principais tópicos

Leia mais

Canais de diálogo com públicos impactados e mediação para resolução de conflitos. Junho, 2013

Canais de diálogo com públicos impactados e mediação para resolução de conflitos. Junho, 2013 Canais de diálogo com públicos impactados e mediação para resolução de conflitos Junho, 2013 1 Contexto Concentração espacial, econômica e técnica; Indústria é de capital intensivo e business to business

Leia mais

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO 30.1. O comércio e a indústria, inclusive as empresas transnacionais,

Leia mais

MMX - Controladas e Coligadas

MMX - Controladas e Coligadas POLITICA CORPORATIVA PC. 1.16.01 Política de Meio Ambiente Emissão: 02/10/06 1 Objetivo: Estabelecer diretrizes visando proteger os recursos naturais e o meio ambiente em todas das unidades operacionais.

Leia mais

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 INOVAR É FAZER Manifesto da MEI ao Fortalecimento da Inovação no Brasil Para nós empresários Inovar é Fazer diferente, Inovar

Leia mais