Software Orientado ao Negócio

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Software Orientado ao Negócio"

Transcrição

1 Construção de Software Orientado ao Negócio A solução proposta pelo método iron - integração de Requisitos Orientados a Negócio Eduardo José Ribeiro de Castro, MSc Roberto Avila Paldês, MSc

2

3

4 Diferenciais do Método iron: 1) Construção coletiva Site: 2) Referencial teórico Livro: Engenharia de Requisitos Um Enfoque Prático na Construção de Software Orientado ao Negócio 3) Apoio de Ferramenta (versão Educacional) iron Explorer

5 Diferenciais do Método iron (Continuação) 4) Educação e integração com o mercado Cursos abertos a comunidade Graduação em Análise e Desenvolvimento de Software - Pós Graduação em Engenharia de Requisitos de Software 5) Integração com a Academia: Apresentação no Simposio Argentino de Ingeniería de Software (ASSE 2014) 6) Integração com Governo Citação: Minuta - Guia de Projetos de Sistemas com Praticas Métodos Ágeis e Terceirização do Desenvolvimento SISP Versão 1.0

6 1) Introdução Alguns Desafios 2) Método iron Engenharia de requisitos Princípios norteadores Estrutura do método 3) Estudo de caso Visão geral do emprego do iron 4) Debates e análise de casos

7 Analise do Negócio

8 Codificação

9

10 A segunda é que a automação aplicada a um processo ineficiente aumentará a ineficiência. (Bill Gates) Processo de Negócio "A primeira regra de qualquer tecnologia utilizada nos negócios é que a automação aplicada a um processo eficiente aumentará a eficiencia.

11 Desafio SISTEMA DE INFORMAÇÃO S.I. PROCESSO DADOS INFORMAÇÃO Automação

12 Automação Desafio SISTEMA DE INFORMAÇÃO S.I. PROCESSO DADOS Descrição do Processo INFORMAÇÃO Mapeamento do Processo Análise do Problema Proposta de Solução

13 SOLUÇÃO!!!!

14

15 1) Contextualização Alguns Desafios 2) Método iron Engenharia de requisitos Princípios norteadores Estrutura do método 3) Estudo de caso Visão geral do emprego do iron 4) Debates e análise de casos

16 Engenharia de Requisitos Processos de...aquisição, refinamento e verificação das necessidades dos usuários,...por meio do uso de técnicas sistemáticas e repetíveis para...assegurar que os requisitos do software sejam completos, consistentes, relevantes e...que atendam às necessidades do cliente (IEEE,1998)

17 Processos da Engenharia de Requisitos (iron)

18 A integração garante a RASTREABILIDADE Pontos de Automação Inicio Fim Processo de Negócio Solução INTEGRADA ao NEGÓCIO Integração de Requisitos Orientado ao Negócio Qualidade de Software iron

19 O que é um REQUISITO? Podemos conceituar requisitos como sendo uma ação a ser executada por um sistema, possuindo características e condições próprias e que devem ser atendidas conforme as necessidades de negócio do usuário. Carlos Vazquez - FATTO

20 Importância dos Requisitos Uma compreensão completa do problema e a definição dos requisitos do software e sua especificação minuciosa é fundamental para o processo de desenvolvimento obter um software com alta qualidade. Não importa quão bem projetado ou codificado está um programa, se ele for mal analisado e especificado desapontará o usuário e trará aborrecimentos ao desenvolvedor.

21 Dois tipos de DOCUMENTO de REQUISITOS Clientes Definição dos Requisitos Lista do que o Cliente espera que o sistema faça; Compreensível ao Cliente; Consenso entre Cliente e Analista; Técnicos Especificação dos Requisitos Redefine os requisitos em termos técnicos; Compreensível para o Projetista Consenso entre Analista e Desenvolvedor Envolve Modelagem

22 1) Contextualização Causas de fracasso em projetos de software 2) Método iron Engenharia de requisitos Princípios norteadores Estrutura do método 3) Estudo de caso Visão geral do emprego do iron 4) Debates e análise de casos

23 Método iron Conceito: Processo de identificação, definição, refinamento, verificação e controle de mudanças em requisitos de software que atendam as necessidades do processo de negócio do cliente

24 Resolvendo problemas: processo de análise (1) Fonte: PFLEEGER, Engenharia de Software

25 Resolvendo problemas: processo de síntese (2) Fonte: PFLEEGER, Engenharia de Software

26 Princípios: Negócio orienta o Software Software automatiza Processo Requisitos a partir de Tarefas Protótipo define e valida Requisitos Rastreabilidade para controle de Mudança Apoio a: Organização de Dados Métrica de Software Gerência de Projeto

27 O RUP Rational Unified Process é um processo iterativo e adaptativo de desenvolvimento, organizado e consistente. iron

28 Com relação as Metodologias ágeis, o iron também pode participar das etapas iniciais de levantamento de requisitos. iron

29 Modelagem de Processo As tarefas de um processo de negócio nos auxiliam a identificar e definir os requisitos do software Software automatiza as tarefas de um processos de negócio

30 Conjunto de Tarefas Processo de Negócio Análise do Negócio Define Automação Conjunto de Requisitos Software Análise de Requisitos Identificador Requisito Funcional Requisito de dados Regra de Execução RF01 O sistema deve permitir incluir usuário RD01 RE01 RF02 O sistema deve incluir autor RD02 RF03 O deve incluir RD03 RF04 O sistema deve permitir alterar usuário RD01 RF05 O sistema deve permitir excluir usuário RD04 RF06 O sistema deve permitir incluir premio RD05 RE02 RE01 RE03 RE08 LP BD

31 Vantagens Identificação prematura de problemas Aderência aos processos organizacionais Maior qualidade Menor custo Transparência do processo Respeito aos prazos Minimiza o retrabalho Documentação de apoio para fases seguintes Presente em TODO o ciclo de vida do software Integração do Desenvolvimento e da Manutenção

32 1) Contextualização Causas de fracasso em projetos de software 2) Método iron Engenharia de requisitos Princípios norteadores Estrutura do método 3) Estudo de caso Visão geral do emprego do iron 4) Debates e análise de casos

33 integração de Requisitos Orientado ao Negócio Construção de software orientado ao negócio.

34 Fases Disciplinas Elicitação Análise Documentação Validação Análise do Negócio Proposta de Solução Definição dos Requisitos Prototipação Teste Gerência de Requisitos Disciplinas de Apoio Gerência de Projeto Administração de Dados Métrica de Software

35 ZOPP Análise do Negócio Mapeamento Proposta de Solução Definição e Controle dos Requisitos Descrição do Processo Mapeamento do Processo Identificação do Problema Análise do Problema Definição dos Objetivos Produção e Gerência de Requisitos Analise do Negocio QUEM? O QUÊ? Quem é o cliente ou usuário ou beneficiário do processo? Quem executa? Quem Gerencia? Quais são as entradas e saídas do processo? Quais são os recursos ou ferramentas? Quais são os problemas? QUANDO? Quando é planejado o processo? ONDE? Onde é planejado o processo? Onde é executado? POR QUÊ? Por que ou para que este processo existe COMO Viabilidade Como é executado? Como as informações são registradas e disseminadas? Como é avaliada a satisfação do cliente? Funcionalidades e Recursos Engenharia de Requisitos

36 a) Analise do Negócio Método iron RASTREABILIDADE b) Análise de Requisitos c) Prototipação d) Modelagem de Requisitos Rastreabilidade e) Modelagem de Dados DAN DDR Prototipo Modelagem Lógica Teste Requisito Requisitos de Regra de Especificação Caso de Problema Solução Funcional Dados Execução Formulário Caso de Uso Tabelas de Requisitos Código Teste

37 Tipos de Requisitos de Software do iron Funcionais (ações) Ex.: O sistema deve gerar extrato bancário Dados (atributos da ação) Ex.: O sistema deve gerar extrato bancário contendo nome, hora, data, saldo e movimentação Regras de Execução (condição da ação) Ex.: Quando o sistema gerar o extrato bancário o sistema deve apresentar a movimentação dos 5 último dias Não Funcionais (Norma ISO Qualidade) Ex.: Quando o sistema gerar o extrato bancário o sistema deve imprimir o extrato em até 5 segundos

38 1) Contextualização Causas de fracasso em projetos de software 2) Método iron Engenharia de requisitos Princípios norteadores Estrutura do método 3) Estudo de caso Visão geral do emprego do iron 4) Debates e análise de casos

39 Desafios e Problemas Processo Documentação Rastreabilidade Clientes Definição dos Requisitos Técnicos Especificação dos Requisitos DAN DDR Prototipo Modelagem Lógica Teste Requisito Requisitos de Regra de Especificação Caso de Problema Solucao Funcional Dados Execução Formulario Caso de Uso Tabelas de Requisitos Código Teste

40 Visão Geral do uso do método iron 1. Analise de Negócio 2. Mapeamento do processo 3. Analise de Requisitos 4. Rastreabilidade 5. Prototipação 6. Modelagem de Requisitos 7. Modelagem de Dados 8. Métrica de Software

41 A Editora ABC trabalha com diversos autores que escrevem livros para ela publicar. Alguns autores escrevem apenas um livro, enquanto outros escrevem muitos. Além disso, alguns livros são escritos por diversos autores. Mensalmente é enviado às livrarias um catálogo com o nome dos livros lançados e seus respectivos autores. Esse catálogo é organizado por assunto para facilitar a divulgação. Informações sobre a cota de compra de cada livraria são modificadas a cada três meses, de acordo com a média de compra no trimestre solicitada pela livraria. Uma carta é enviada à livraria anunciando a nova cota em cada assunto e os descontos especiais que lhe serão concedidos para comprar em quantidades maiores. Aos autores dos dez livros mais vendidos no ano, a Editora ABC oferece prêmios. A festa de premiação é anunciada com dez dias de antecedência, por meio de publicação em jornal dos dez livros mais vendidos, com seus respectivos autores.

42 Subprocesso Gerar Catálogo

43 Sub-Processo Gerar Catálogo (Requisitos Funcionais) RF01 O Sistema deve cadastrar autor (RD01) RF02 O sistema deve cadastrar livro (RD02) (RNG01) RF03 O sistema deve cadastrar as livrarias (RD03) RF15 - O sistema deve registrar publicação (RD14) RF04 O sistema deve gerar catalogo de lançamento de livros (RD04) (RNG02) (RNG03) Sub-Processo Gerar Catálogo (Requisitos de Dados) RD01 O sistema deve cadastrar autor contendo nome, endereço, telefone (RF01) RD02 O sistema deve cadastrar livro contendo o nome do livro, assunto e seu(s) respectivo(s) autor(es) (RF02) RD03 O sistema deve cadastrar livraria contendo nome da livraria, endereço, telefone e cota (RF03) RD04 O sistema deve gerar catalogo contendo nome do livro, assunto, data publicação, e autor (RF04) RD15 - O sistema deve registrar publicação contendo nome do livro, data de publicação, assunto e seu(s) respectivo(s) autor(es) (RF15) Sub-Processo Gerar Catálogo (Regra de Execução) RE01 Quando o livro for cadastrado o sistema deve permitir cadastrar um ou mais autores (RF02) RE02 Quando o catalogo de lançamento do livro for gerado o sistema deve organizar por assunto (RF03) RE03 Quando o catalogo de lançamento do livro for gerado o sistema deve verificar se o período é de 30 dias (RF03)

44

45 Rastreabilidade Bidirecional Problema DAN DDR Prototipo Modelagem Lógica Teste Solucao Requisito Funcional Requisitos de Dados Regra de Execução Formulario Caso de Uso Tabelas Especificação de Requisitos Código Caso de Teste

46 Prototipação

47 Modelagem de Requisitos Anl. O.O

48 Modelagem de Requisitos Anl. Estruturada

49 Modelagem de Requisitos Anl. Estruturada

50 Modelagem de Dados MER Conceitual Requisito Regra de Identificador Requisito Funcional Complement Negócio ar RF01 O sistema deve permitir cadastrar usuário RD01 RE01 RF02 O sistema deve cadastrar autor RD02 RF03 O sistema deve cadastrar livro RD03 RE02 RF04 O sistema deve cadastrar Livraria RD04 DER criado após a análise de alguns requisitos funcionais

51 Modelagem de Dados MER Conceitual Identificador: Requisitos Funcional RD01 O sistema deve cadastrar o usuário pelos seguintes atributos. RF01 / RFXX Nome O S E Descrição Exemplo Tipo Nome usuário x x Atributo que representa o nome completo do usuário Pedro Silva Motta. A Login x x Atributo que representa o login do usuário. Este atributo é utilizado para efetuar o login no sistema. PedroSM A Senha x x Atributo que representa a senha do usuário. Este atributo é utilizado para efetuar o login no sistema A Data de cadastramento x Atributo que representa a data do cadastramento do usuário a ser identificado pelo sistema 17/11/2002 D Status x x Atributo que representa o status do usuário. I ou A -- CPF x x Atributo que representa o número do cadastro da pessoa física do usuário N RG x Atributo que representa o número do registro geral do usuário N UF do RG x Atributo que representa a unidade da federação de expedição do RG do usuário. DF, BA, RR. C Órgão expedidor do RG x Atributo que representa o órgão que expediu o RG do usuário. SSP/DF C x Atributo que representa um do usuário. A RD02 O sistema deve cadastrar o autor pelos seguintes atributos. RF02 / RFXX Nome O S E Descrição Exemplo Nome Autor x Atributo que representa o nome completo do autor Pedro Silva Motta. Unidade Federação - UF x x Atributo que representa a unidade da federação do endereço do autor DF, BA, RJ, SP Cidade x x Atributo que representa a cidade do endereço do autor São Paulo Endereço x x Endereço do autor SQN 216 BL V APT 326 Bairro x x Bairro do endereço do autor Asa Norte Município x x Município do endereço do autor CEP x x CEP do endereço do autor Telefone residencial x Número do telefone residencial do autor (61) Telefone Celular x Número do telefone celular do autor. (61) x do autor

52 Modelagem de Dados MER Conceitual RD03 O sistema deve cadastrar o livro pelos os seguintes atributos RF03 / RFXX Nome O S E Descrição Exemplo Título livro x x Atributo que representa o título do livro do autor. Qualidade de Software Autor x x Atributo que representa o(s) autor(es) de um mesmo livro Ivan Mecenas e Viviane Oliveira Edição x x Atributo que representa a edição do livro 3ª. Editora x x Atributo que representa a editora do livro Atlas Ano x x Atributo que representa o ano da edição do livro 2010 ISBN x x Atributo que representa o código ISBN (International Standard Book Number)

53 Modelagem de Dados MER Conceitual DER atualizado após a análise dos Requisitos de dados

54 Modelagem de Dados MER Conceitual Identificação da regra de execução RE01 RE08 Descrição da regra de execução Quando o livro for cadastrado o sistema deve permitir cadastrar um ou mais autores Quando cadastrar o premio o sistema deve permitir relacionar prêmio ao autor Regras de execução consideradas

55 Modelagem de Dados MER Conceitual DER atualizado após a análise das regras de execução

56 Métrica de Software Análise de Ponto de Função O iron sugere a utilização da APF e da NESMA para mensuração do tamanho do software no processo de produção de requisitos. Outras métricas de tamanho podem ser utilizadas, pois o método iron possibilita a identificação de todos os dados necessários para a mensuração inicial e final. Após a elaboração do DAN pode-se realizar a contagem estimada (Nesma), e após a elaboração da DDR realizar-se-ia a contagem detalhada (IFPUG). Para realizar a contagem estimada do estudo de caso da Editora ABC, analisa-se o modelo de dados e os requisitos funcionais que facilitam a identificação dosalis e AIES.

57 Métrica de Software Análise de Ponto de Função Identificação dos ALI, Dados de código e Dados de referência do modelo de dados da Editora ABC

58 Métrica de Software Análise de Ponto de Função Pela Contagem Estimada tem-se o valor de 7 PF x 5 ALIS computando o total de 35 PF e 7 PF para o dado de referência. Ao todo são 42 PF correspondentes as funções de dados. Não existem AIES nesse estudo de caso.

59 Parte dos requisitos funcionais da Editora ABC Métrica de Software Análise de Ponto de Função Com relação as funções transacionais, o quadro apresenta parte dos requisitos funcionais. Essa tabela permite identificar inicialmente as EE, SE e CE. Seriam inicialmente 6 EE. Na contagem estimativa cada EE recebe 4 PF. Assim teríamos 6 EE x 4 PF = 24 PF. A contagem estimada até o momento é de 42 PF + 24 PF = 66 PF. Identificador Requisito Funcional Requisito de Dado RF01 O sistema deve incluir usuário RD01 RE01 RF02 O sistema deve incluir autor RD02 Regra Execução RF03 O sistema deve incluir livro RD03 RE02 RF04 O sistema deve permitir alterar usuário RD01 RE01 RF05 O sistema deve permitir excluir usuário RD04 RE03 RF06 O sistema deve permitir incluir premio RD05 RE08 de

60

61 1) Contextualização Causas de fracasso em projetos de software 2) Método iron Engenharia de requisitos Princípios norteadores Estrutura do método 3) Estudo de caso Visão geral do emprego do iron 4) Debates e análise de casos

62 Ferramenta iron Explorer

63 Objetivo geral, objetivos específicos e funcionalidades

64 Tela principal da Ferramenta iron Explorer PROBLEMA OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS DOCUMENTO DE ANÁLISE DO NEGÓCIO (DAN) FUNCIONALIDADES REQUISITOS DE DADOS REQUISITOS FUNCIONAIS MENSAGENS REGRAS DE EXECUÇÃO DOCUMENTO DE DEFINIÇÃO DE REQUISITOS (DDR)

65 Tela principal do iron Explorer

66 Geração das Matrizes de Rastreabilidade

67 Artefatos: Documento de Análise de Negócio DAN Descrição e mapeamento do processo Definição do problema e proposta de solução Documento de Definição de Requisitos DDR Requisitos de software Rastreabilidade Prototipação Documento de Modelagem de Requisitos DMR Documento de Modelagem de Dados - DMD Documento de Especificação de Requisitos DER Documento de Teste de Software DTS Documento de Métrica de Software - DMS Plano de Gerencia de Requisitos PGR

68 Perguntas e sugestões

Construção de. Software Orientado ao Negócio A solução proposta pelo método iron integração de Requisitos Orientados a Negócio

Construção de. Software Orientado ao Negócio A solução proposta pelo método iron integração de Requisitos Orientados a Negócio Construção de Software Orientado ao Negócio A solução proposta pelo método iron integração de Requisitos Orientados a Negócio O que é um REQUISITO? Podemos conceituar requisitos como sendo uma ação a ser

Leia mais

integração de Requisitos Orientados ao Negócio iron: Apresentação de Método e Ferramenta

integração de Requisitos Orientados ao Negócio iron: Apresentação de Método e Ferramenta integração de Requisitos Orientados ao Negócio iron: Apresentação de Método e Ferramenta integração de Requisitos Orientados ao Negócio iron: Apresentação de Método e Ferramenta Eduardo José Ribeiro de

Leia mais

Software Orientado ao Negócio. A solução proposta pelo método iron integração de Requisitos Orientados a Negócio

Software Orientado ao Negócio. A solução proposta pelo método iron integração de Requisitos Orientados a Negócio Construção de Software Orientado ao Negócio A solução proposta pelo método iron integração de Requisitos Orientados a Negócio Eduardo José Ribeiro de Castro, MSc Agenda 1) Contextualização Causas de fracasso

Leia mais

A contextualização e a interdisciplinaridade aplicadas no Curso de Pós Graduação em Engenharia de Requisitos um estudo de caso

A contextualização e a interdisciplinaridade aplicadas no Curso de Pós Graduação em Engenharia de Requisitos um estudo de caso A contextualização e a interdisciplinaridade aplicadas no Curso de Pós Graduação em Engenharia de Requisitos um estudo de caso Angélica Toffano Seidel Calazans, Dra. angelica.calazans@uniceub.br Transformar

Leia mais

Chave alternativa. Angélica Toffano Seidel Calazans Abordagem Relacional

Chave alternativa. Angélica Toffano Seidel Calazans   Abordagem Relacional Chave alternativa Quando mais de uma coluna ou combinação podem servir para distinguir uma linha das demais Codempreg ado Nome CodDepto CPF E5 Ana D1 2224441995 E4 Eva D1 4445666777 E1 Pedro D2 4456879908

Leia mais

Termo de Abertura do Projeto

Termo de Abertura do Projeto [Inovar Recargas] 2016 Termo de Abertura do Projeto Baseado na 5ª edição do Guia PMBOK Modelo de documento de uso livre, desde que seja citada a fonte. Não se esqueça de sempre consultar o Guia PMBOK 5ª

Leia mais

Requisitos Funcionais e seus níveis de granularidade

Requisitos Funcionais e seus níveis de granularidade Requisitos Funcionais e seus níveis de granularidade Guilherme Siqueira Simões 21/02/2017 1 ORIENTAÇÕES INICIAIS Dê preferência ao uso de uma conexão de banda larga Feche qualquer outro programa que possa

Leia mais

JAPSYS-Sistema de Gerenciamento Restaurante Japonês Delivery

JAPSYS-Sistema de Gerenciamento Restaurante Japonês Delivery Curso Técnico Integrado de Informática 2 Ano Projeto Integrador Formação Profissional JAPSYS-Sistema de Gerenciamento Restaurante Japonês Delivery Isabela Cristina - 1560379 Monique Cabral - 1560247 Dezembro

Leia mais

MODELAGEM DE SISTEMAS Unidade 1 Conceitos Básicos de Modelagem. Luiz Leão

MODELAGEM DE SISTEMAS Unidade 1 Conceitos Básicos de Modelagem. Luiz Leão Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático A Importância da Modelagem Princípios de Modelagem Atividades de Análise e Projeto Análise e Projeto Orientados a Objeto Procura

Leia mais

Análise de Ponto de Função APF. Aula 05

Análise de Ponto de Função APF. Aula 05 Análise de Ponto de Função APF Aula 05 Agenda Parte 01 Introdução a Métricas de Software Parte 02 A Técnica de APF Saída Externa (SE) Definição Regras de Contagem Complexidade Funcional Consulta Externa

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação Processo Demoiselle para Modelagem de Negócio Palestrantes: Alisson Wilker alisson-wilker.silva@serpro.gov.br http://www.frameworkdemoiselle.gov.br/projetos/process 00/00/0000 Agenda

Leia mais

CASOS DE TESTE PALESTRANTE: MARCIA SILVA MARCIA.SILVA@DATASUS.GOV.BR WWW.EMERSONRIOS.ETI.BR

CASOS DE TESTE PALESTRANTE: MARCIA SILVA MARCIA.SILVA@DATASUS.GOV.BR WWW.EMERSONRIOS.ETI.BR CASOS DE TESTE PALESTRANTE: MARCIA SILVA MARCIA.SILVA@DATASUS.GOV.BR WWW.EMERSONRIOS.ETI.BR CONCEITOS BÁSICOS - TESTES O que é Teste de Software? Teste é o processo de executar um programa com o objetivo

Leia mais

Guia do Processo de Teste Metodologia Celepar

Guia do Processo de Teste Metodologia Celepar Guia do Processo de Teste Metodologia Celepar Agosto de 2009 Sumário de Informações do Documento Documento: guiaprocessoteste.odt Número de páginas: 11 Versão Data Mudanças Autor 1.0 26/12/07 Criação.

Leia mais

Princípios da Engenharia de Software aula 03

Princípios da Engenharia de Software aula 03 Princípios da Engenharia de Software aula 03 Prof.: José Honorato Ferreira Nunes Material cedido por: Prof.: Franklin M. Correia Na aula anterior... Modelos de processos de software: Evolucionário Tipos

Leia mais

Engenharia de Software. Processos. Desenvolvimento de Software Tradicionais 2014/2. Prof. Luís Fernando Garcia

Engenharia de Software. Processos. Desenvolvimento de Software Tradicionais 2014/2. Prof. Luís Fernando Garcia Engenharia de Software Processos Desenvolvimento de Software Tradicionais 2014/2 Prof. Luís Fernando Garcia LUIS@GARCIA.PRO.BR Processos Um conjunto estruturado de atividades necessárias para o desenvolvimento

Leia mais

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Questão 1 Para Sommerville a arquitetura de sistemas descreve o sistema em termos de um conjunto de unidades

Leia mais

Normas ISO:

Normas ISO: Universidade Católica de Pelotas Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina de Qualidade de Software Normas ISO: 12207 15504 Prof. Luthiano Venecian 1 ISO 12207 Conceito Processos Fundamentais

Leia mais

RUP RATIONAL UNIFIED PROCESS PRÁTICAS RECOMENDADAS. Prof. Fabiano Papaiz IFRN

RUP RATIONAL UNIFIED PROCESS PRÁTICAS RECOMENDADAS. Prof. Fabiano Papaiz IFRN RUP RATIONAL UNIFIED PROCESS PRÁTICAS RECOMENDADAS Prof. Fabiano Papaiz IFRN O RUP recomenda as seguintes práticas que devem ser utilizadas no desenvolvimento de um software: 1. Desenvolver de forma iterativa

Leia mais

Plano de Gerenciamento de Configuração

Plano de Gerenciamento de Configuração Plano de Gerenciamento de Configuração Controle de Versões Versão Data Autor Notas da Revisão 0.1 29/11/2016 Deborah Araujo Denis Ferreira Ezio Mendonça - Plano de gerenciamento de Configuração Página

Leia mais

SISTEMA SGPS GESTÃO DE PLANO DE SAÚDE

SISTEMA SGPS GESTÃO DE PLANO DE SAÚDE SISTEMA SGPS GESTÃO DE PLANO DE SAÚDE FORTALEZA CE JANEIRO / 2015 SGPS - Sistema Gestão Plano de Saúde Especificação de Caso de Uso Manter Conveniado UC02 Versão 1.0 HISTÓRICO DA REVISÃO Data Versão Descrição

Leia mais

CADASTRO DE CLIENTES

CADASTRO DE CLIENTES CADASTRO DE CLIENTES 1. INTRODUÇÃO No Softpharma há o Cadastro de Convênio, nele estão vinculados os clientes que fazem parte do convênio e podem usufruir dos descontos e demais benefícios negociados entre

Leia mais

Requisitos de Software e UML Básico. Janaína Horácio

Requisitos de Software e UML Básico. Janaína Horácio Requisitos de Software e UML Básico Janaína Horácio janaina@les.inf.puc-rio.br Agenda Requisitos O que é? Objetivos? Atividades?... UML O que é? Modelos... Casos de Uso O que é? Componentes 2 Requisitos

Leia mais

Implantando Pontos de Função com PSM

Implantando Pontos de Função com PSM Implantando Pontos de Função com PSM Diana Baklizky & Cecília Techy diana@metricas.com.br cecilia@metricas.com.br ti MÉTRICAS R. Domingos de Morais, 2243/36 São Paulo, SP Brasil www.metricas.com.br 1 Agenda

Leia mais

Guia Rápido E-PONTO. Guia Rápido e-ponto Versão 1.0. ClearTech LTDA. São Paulo SP Brasil 28/02/2011 Especificação. Sistema e-ponto - Página:1 de 69

Guia Rápido E-PONTO. Guia Rápido e-ponto Versão 1.0. ClearTech LTDA. São Paulo SP Brasil 28/02/2011 Especificação. Sistema e-ponto - Página:1 de 69 São Paulo SP Brasil 28/02/2011 Especificação Não é permitida a reprodução total ou parcial desta publicação por qualquer meio, seja mecânico ou eletrônico, incluindo esta proibição a tradução, uso de ilustrações

Leia mais

Pregão Eletrônico nº 18/2014

Pregão Eletrônico nº 18/2014 Pregão Eletrônico nº 18/2014 Ferramenta de Apoio ao Núcleo de Métricas de Software PoC Prova de Conceito Ferramenta: APFBR 1 CRITÉRIOS EDITALÍCIOS PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA DE CONCEITO (CÓPIA DO TERMO

Leia mais

Componentes de SIs. Pessoas Organiz. Tecnologia

Componentes de SIs. Pessoas Organiz. Tecnologia Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 03 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Especificação de Caso de Uso

Especificação de Caso de Uso Especificação de Caso de Uso UCCITES014 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 14/10/2008 0.1 Criação do documento. Helane Nunes 27/10/2008 0.2 Revisão do documento e versionamento do documento

Leia mais

Coordenação Geral de Tecnologia da Informação - CGTI. SOLICITA SISTEMA DE SOLICITAÇÃO DE ACESSO Manual de Usuário. Versão 1.0

Coordenação Geral de Tecnologia da Informação - CGTI. SOLICITA SISTEMA DE SOLICITAÇÃO DE ACESSO Manual de Usuário. Versão 1.0 SOLICITA SISTEMA DE SOLICITAÇÃO DE ACESSO Manual de Usuário Versão 1.0 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 05/08/2016 1.0 Criação do Artefato Eliene Carvalho MAPA/SE/SPOA/CGTI. Página 2 de

Leia mais

Escolhendo um Modelo de Ciclo de Vida

Escolhendo um Modelo de Ciclo de Vida Escolhendo um Modelo de Ciclo de Vida Ciclos de Vida 1 Ciclo de Vida de um Produto Qualquer desenvolvimento de produto inicia com uma idéia e termina com o produto pretendido. O ciclo de vida de um produto

Leia mais

Requisitos de Sistemas

Requisitos de Sistemas Requisitos de Sistemas Unidade I - Engenharia de Requisitos Definição de Requisitos (Continuação) Processos de Engenharia de Requisitos (Cont.) - Análise - Registro - Validação - Gerência 1 Processo de

Leia mais

Análise de Ponto de Função APF. Aula 02

Análise de Ponto de Função APF. Aula 02 Análise de Ponto de Função APF Aula 02 Agenda Parte 01 Introdução a Métricas de Software Parte 02 A Técnica de APF O que é APF? Objetivos Benefícios Conceitos Básicos Visão Geral dos Procedimentos de Contagem

Leia mais

Manual Pessoa Jurídica DATAPROM DATAPROM. Sistema de Bilhetagem Eletrônica. Revisão 01 / Março Manual de Pessoa Jurídica. Pág.

Manual Pessoa Jurídica DATAPROM DATAPROM. Sistema de Bilhetagem Eletrônica. Revisão 01 / Março Manual de Pessoa Jurídica. Pág. Manual de Pessoa Jurídica Sistema de Bilhetagem Eletrônica DATAPROM Manual Pessoa Jurídica DATAPROM Revisão 01 / Março 2015 www.dataprom.com Pág. 1 Índice Introdução... 3 1. Login, Senha e Cadastro...

Leia mais

MANUAL PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE TRABALHO DE CONCLUSAO DE CURSO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

MANUAL PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE TRABALHO DE CONCLUSAO DE CURSO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MANUAL PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE TRABALHO DE CONCLUSAO DE CURSO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Sumário PREFÁCIO...3 MODELO DA DOCUMENTAÇÃO...3 1. INTRODUÇÃO AO DOCUMENTO...3 1.1. Tema...3 2. DESCRIÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ - UFPR BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ - UFPR BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CI 221 DISCIPLINA: Engenharia de Software AULA NÚMERO: 3 DATA: / / PROFESSOR: Andrey APRESENTAÇÃO O objetivo desta aula é apresentar e discutir conceitos básicos como processo, projeto, produto, por que

Leia mais

Universidade Estadual Vale do Acaraú Disciplina: Análise e Projeto Orientado a Objetos Professora: Raquel Silveira DESCRIÇÃO DO TRABALHO PARA 3ª AP

Universidade Estadual Vale do Acaraú Disciplina: Análise e Projeto Orientado a Objetos Professora: Raquel Silveira DESCRIÇÃO DO TRABALHO PARA 3ª AP Universidade Estadual Vale do Acaraú Disciplina: Análise e Projeto Orientado a Objetos Professora: Raquel Silveira DESCRIÇÃO DO TRABALHO PARA 3ª AP Objetivo: O objetivo do trabalho é desenvolver uma análise

Leia mais

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Métricas e Estimativas do Projeto

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Métricas e Estimativas do Projeto Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE Métricas e Estimativas do Projeto Prof. Claudinei Dias email: prof.claudinei.dias@gmail.com Roteiro Introdução Métricas APF Análise de Pontos de Função Estimativas

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 26 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 26-21/07/2006 1 Ementa Processos de desenvolvimento de software Estratégias e técnicas de teste de software Métricas para software

Leia mais

Conferência Municipal / Intermunicipal

Conferência Municipal / Intermunicipal Conferência Municipal / Intermunicipal Sistema de Conferência - Eventos - 1 - 1. Sumário 1. Sumário... 3 2. Configurações Recomendadas... 4 3. Objetivos... 5 4. Solicitar Acesso... 6 5. Menu de Acesso...

Leia mais

Processos de Engenharia de Requisitos

Processos de Engenharia de Requisitos Processos de Engenharia de Requisitos Engenharia de Software (SCE-5764) 1º Sem. 2012- Prof. Paulo C. Masiero Introdução Objetivo: criar e manter um documento de requisitos. Quatro subprocessos: Avaliação

Leia mais

PROJETO INTEGRADO I OFICINA MECÂNICA

PROJETO INTEGRADO I OFICINA MECÂNICA PROJETO INTEGRADO I OFICINA MECÂNICA Carolina Pedrosa Santos 1380168 Rafaela Mendes Pereira 1380079 ESCOPO O Sistema de gerenciamento da oficina (SGO) tem por objetivo facilitar o atendimento ao cliente

Leia mais

Medidas de Esforço de Desenvolvimento de Software

Medidas de Esforço de Desenvolvimento de Software Medidas de Esforço de Desenvolvimento de Software Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Questão 1 Em um gráfico de prazo (no eixo vertical) e número de total de PF (no eixo horizontal) verificou-se

Leia mais

Políticas Organizacionais

Políticas Organizacionais Políticas Organizacionais Versão 1.4 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 11/10/2012 1.0 Revisão das políticas EPG 26/11/2012 1.1 Revisão do Item de customização EPG 24/10/2013 1.2 Revisão

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Prof. M.Sc. Ronaldo C. de Oliveira ronaldooliveira@facom.ufu.br FACOM - 2011 Requisitos do Sistema Introdução O que são requisitos de um software? Serviços (funcionalidades) de um software e restrições

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO ESSENCIAL: UM ENFOQUE NA DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA MANUTENÇÃO DE SOFTWARE

DOCUMENTAÇÃO ESSENCIAL: UM ENFOQUE NA DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA MANUTENÇÃO DE SOFTWARE DOCUMENTAÇÃO ESSENCIAL: UM ENFOQUE NA DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA MANUTENÇÃO DE SOFTWARE Sérgio Cozzetti B. de Souza Nicolas Anquetil Káthia M. de Oliveira {anquetil,kathia}@ucb.br UCB - Universidade

Leia mais

Ferramenta WEB de Apoio ao planejamento e controle de teste de software. Bruna Tatiane Bonecher Orientadora: Fabiane Barreto Vavassori Benitti

Ferramenta WEB de Apoio ao planejamento e controle de teste de software. Bruna Tatiane Bonecher Orientadora: Fabiane Barreto Vavassori Benitti Ferramenta WEB de Apoio ao planejamento e controle de teste de software Bruna Tatiane Bonecher Orientadora: Fabiane Barreto Vavassori Benitti Roteiro de Apresentação Introdução Objetivo do trabalho Fundamentação

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Visão Geral Profa.Paulo C. Masiero masiero@icmc.usp.br ICMC/USP Algumas Dúvidas... Como são desenvolvidos os softwares? Estamos sendo bem sucedidos nos softwares que construímos?

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE. Princípios de Engenharia de Software

QUALIDADE DE SOFTWARE. Princípios de Engenharia de Software QUALIDADE DE SOFTWARE Princípios de Engenharia de Software Afinal o que é Software? Segundo o dicionário de Informática: Suporte lógico, suporte de programação. Conjunto de programas, métodos e procedimentos,

Leia mais

MANUAL DE ACESSO PORTAL DO CLIENTE EMPRESA Saiba como acessar essa importante ferramenta.

MANUAL DE ACESSO PORTAL DO CLIENTE EMPRESA Saiba como acessar essa importante ferramenta. No seu navegador de internet, acesse 1 2 http://www.vs.unimed.coop.br, na página inicial, clique no espaço PORTAL DO CLIENTE. 1º Acesso Empresa : Na tela seguinte, clique em Seu primeiro acesso? 3 A partir

Leia mais

CES-30 Técnicas de Banco de Dados - BD e CE-240 Projeto de Sistema de BD. Introdução e Orientações Gerais

CES-30 Técnicas de Banco de Dados - BD e CE-240 Projeto de Sistema de BD. Introdução e Orientações Gerais CURSO DE GRADUAÇÃO e DE PÓS-GRADUAÇÃO DO ITA 1º SEMESTRE 2002 CES-30 Técnicas de Banco de Dados - BD e CE-240 Projeto de Sistema de BD Prof. Dr. Adilson Marques da Cunha Introdução e Orientações Gerais

Leia mais

- Prototipação Iterativa - Observação Direta

- Prototipação Iterativa - Observação Direta - Prototipação Iterativa - Observação Direta Júnia Coutinho Anacleto Silva Maio/2004 Prototipação Iterativa A interface com o usuário é a porta de entrada da aplicação, e desempenha um papel fundamental

Leia mais

Protocolo Eletrônico. Sistema Eletrônico de Informações. Ministério da Justiça e Cidadania

Protocolo Eletrônico. Sistema Eletrônico de Informações. Ministério da Justiça e Cidadania Protocolo Eletrônico Sistema Eletrônico de Informações Ministério da Justiça e Cidadania Sumário 1. Processo Eletrônico Nacional 2. Protocolo Eletrônico do Ministério da Justiça 3. Cadastro de Pessoa Física

Leia mais

TESTES DE SOFTWARE Unidade 1 Importância do Teste de Software. Luiz Leão

TESTES DE SOFTWARE Unidade 1 Importância do Teste de Software. Luiz Leão Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático 1.1 - O teste nas fases de vida e de desenvolvimento de um software. 1.2 - O teste na engenharia de sistemas e na engenharia de

Leia mais

Análise de Ponto de Função APF. Aula 03

Análise de Ponto de Função APF. Aula 03 Análise de Ponto de Função APF Aula 03 Parte 01 Introdução a Métricas de Software Parte 02 A Técnica de APF Identificação das Funções de Dados Diretrizes Gerais Tipos de Entidades Arquivos Lógicos Tipo

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 4 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 4-03/05/2006 1 Modelos Prescritivos de Processo Modelo em cascata Modelos incrementais Modelo incremental Modelo RAD Modelos

Leia mais

Project Builder: Apoio a Gestão de Projetos do Nível G ao C do MPS.BR

Project Builder: Apoio a Gestão de Projetos do Nível G ao C do MPS.BR Project Builder: Apoio a Gestão de Projetos do Nível G ao C do MPS.BR Bernardo Grassano 1, Analia Irigoyen Ferreiro Ferreira 2, Mariano Montoni 3 1 Project Builder Av. Rio Branco 123, grupo 612, Centro

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE PROJETO AUTOR(ES) : João

ESPECIFICAÇÃO DE PROJETO AUTOR(ES) : João AUTOR(ES) : João AUTOR(ES) : João NÚMERO DO DOCUMENTO : VERSÃO : 1.1 ORIGEM STATUS : c:\projetos : Acesso Livre DATA DO DOCUMENTO : 22 novembro 2007 NÚMERO DE PÁGINAS : 13 ALTERADO POR : Manoel INICIAIS:

Leia mais

GUIA DE UTILIZAÇÃO SOFTWARE GESTÃO ESCOLAR WEB

GUIA DE UTILIZAÇÃO SOFTWARE GESTÃO ESCOLAR WEB GUIA DE UTILIZAÇÃO SOFTWARE GESTÃO ESCOLAR WEB 1. Apresentação... 1 2. Login no Sistema... 1 3. Tela Principal... 2 4. Dados de Alunos... 2 4.1. Cadastro de alunos... 3 4.2. Cursos Contratados... 3 5.

Leia mais

Manual do Módulo Processo Seletivo

Manual do Módulo Processo Seletivo Manual do Módulo Processo Seletivo Este manual tem como objetivo Processo Seletivo a. Acesso ao Módulo Processo Seletivo a. Clique no ícone > Educacional > Processo Seletivo; b. Clique na aba Cadastro

Leia mais

O Fluxo de Requisitos

O Fluxo de Requisitos O Fluxo de 1 Finalidade do fluxo de requisitos A finalidade deste fluxo é: Chegar a um acordo com o cliente e o usuário sobre o que o sistema deve fazer. Oferecer ao desenvolvedor um melhor entendimento

Leia mais

Engenheiros de software (algumas vezes conhecidos no mundo da TI como engenheiros de sistemas ou analistas ) e outros interessados no projeto

Engenheiros de software (algumas vezes conhecidos no mundo da TI como engenheiros de sistemas ou analistas ) e outros interessados no projeto ... definem tarefas que levam a um entendimento de qual ser ao impacto do software sobre o negócio, o que o cliente quer e como os usuários finais irão interagir com o software. (Pressman, 2011) Prof.

Leia mais

GUIA DE ACESSO RÁPIDO ABELHINHA CUSTOM

GUIA DE ACESSO RÁPIDO ABELHINHA CUSTOM Para maiores informações acesse: www.komeia.com GUIA DE ACESSO RÁPIDO ABELHINHA CUSTOM Nome do Menu Nome do Sub Menu Funcionalidade Filtros de busca Empresa Permite que o Administrador configure o nome

Leia mais

SGC Sistema para Gerenciamento de Lojas de Cosméticos

SGC Sistema para Gerenciamento de Lojas de Cosméticos Curso Técnico Integrado de Informática 2 Ano Projeto Integrador Formação Profissional SGC Sistema para Gerenciamento de Lojas de Cosméticos Beatriz Lima Francisco - 1560263 Isabelle Cardoso Ribeiro - 156014X

Leia mais

A marca que mais respeita você. Primeiro ACESSO

A marca que mais respeita você. Primeiro ACESSO A marca que mais respeita você. Primeiro ACESSO Bem-vindo à VR Benefícios Entendemos a importância deste benefício aos seus funcionários e por isso queremos estar com você neste momento. Utilize este guia

Leia mais

Análise e Projeto Orientados a Objetos Aula III Concepção Visão Geral do Sistema. Prof. Bruno E. G. Gomes IFRN

Análise e Projeto Orientados a Objetos Aula III Concepção Visão Geral do Sistema. Prof. Bruno E. G. Gomes IFRN Análise e Projeto Orientados a Objetos Aula III Concepção Visão Geral do Sistema Prof. Bruno E. G. Gomes IFRN 1 Introdução Fase de concepção do UP Analista vai em busca das primeiras informações sobre

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPI JOÃO CÂMARA RATIONAL UNIFIED PROCESS - RUP

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPI JOÃO CÂMARA RATIONAL UNIFIED PROCESS - RUP 1 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPI JOÃO CÂMARA RATIONAL UNIFIED PROCESS - RUP Nickerson Fonseca Ferreira nickerson.ferreira@ifrn.edu.br Introdução 2 Modelo

Leia mais

CORPORATIVO. Manual do Usuário. Sistema Wiss. Gestor: ADS-TI-SCL/CSF 1/8 versão 1.0

CORPORATIVO. Manual do Usuário. Sistema Wiss. Gestor: ADS-TI-SCL/CSF 1/8 versão 1.0 Manual do Usuário Sistema Wiss Gestor: ADS-TI-SCL/CSF 1/8 versão 1.0 Sumário 1. Introdução 3 2. Login 3 3. Solicitar acesso externo ao Sistema 3 4. Emitir Recibo da Retenção de ISS 4 5. Trocar senha 7

Leia mais

UNLOCK SISTEMAS Há 26 anos desenvolvendo soluções criativas.

UNLOCK SISTEMAS Há 26 anos desenvolvendo soluções criativas. UNLOCK SISTEMAS Há 26 anos desenvolvendo soluções criativas. GESTOR COMERCIAL Objetivos do Sistema O Gestor Comercial é a ferramenta de administração e controle de seu comercio. Registra todas as vendas

Leia mais

SCPO. Sistema de Comunicação Prévia de Obras

SCPO. Sistema de Comunicação Prévia de Obras Ministério do Trabalho Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho Coordenação Geral de Normatização e Programas SCPO Sistema de Comunicação Prévia de Obras Manual

Leia mais

Fase de Concepção. Levantamento e Organização de Requisitos

Fase de Concepção. Levantamento e Organização de Requisitos Fase de Concepção Levantamento e Organização de Requisitos Objetivos buscar as primeiras informações sobre o sistema a ser desenvolvido descobrir se vale a pena fazer a descobrir se vale a pena fazer a

Leia mais

Introdução à Gestão de Processos de Negócios

Introdução à Gestão de Processos de Negócios Introdução à Gestão de Processos de Negócios Profa. Dra. Elisa Yumi Nakagawa 2. Semestre de 2016 SSC0531 - Gestão de Sistemas de Informação Slides inicialmente preparados por Roberto Rocha e Prof. João

Leia mais

Modelagem de Processos

Modelagem de Processos Modelagem de Processos Prof.: Fernando Ascani 2 Diagramas de casos de uso Análise de requisitos A análise de requisitos consiste em determinar os serviços que o usuário espera do sistema e as condições

Leia mais

Sistema Mobi-Lar Engenharia de Software

Sistema Mobi-Lar Engenharia de Software INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA - CAMPUS DE PRESIDENTE EPITÁCIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MÓDULO V Sistema Mobi-Lar Engenharia de Software

Leia mais

TESTES DE SOFTWARE 1. Fundamentos sobre testes de software

TESTES DE SOFTWARE 1. Fundamentos sobre testes de software ENG SOFT - TESTES TESTES DE SOFTWARE 1. Fundamentos sobre testes de software A atividade de teste de software sempre foi considerada como um gasto de tempo desnecessário, uma atividade de segunda classe,

Leia mais

PLATIN INFORMÁTICA. SIAD SNGPC Sistema Integrado de Automação de Drogarias Módulo Gestão de Medicamentos Controlado e Antimicrobianos

PLATIN INFORMÁTICA. SIAD SNGPC Sistema Integrado de Automação de Drogarias Módulo Gestão de Medicamentos Controlado e Antimicrobianos PLATIN INFORMÁTICA SIAD SNGPC Sistema Integrado de Automação de Drogarias Módulo Gestão de Medicamentos Controlado e Antimicrobianos Manual do Usuário Procedimentos para Inventário Inicial Versão 1.0.3.97

Leia mais

MODERIZAÇÃO PÚBLICA S I S T E M A D E A L M O X A R I F A D O M A N U A L D E I N S T R U Ç Õ E S

MODERIZAÇÃO PÚBLICA S I S T E M A D E A L M O X A R I F A D O M A N U A L D E I N S T R U Ç Õ E S MODERIZAÇÃO PÚBLICA S I S T E M A D E A L M O X A R I F A D O M A N U A L D E I N S T R U Ç Õ E S SISTEMA DE ALMOXARIFADO Guia do usuário Obs.: Informamos que por conta de ajustes e aperfeiçoamentos realizados

Leia mais

MANUAL DO SGTC. Ver. 1.3

MANUAL DO SGTC. Ver. 1.3 1 MANUAL DO SGTC Ver. 1.3 INGRID ESPINDOLA SILVIO TINOCO 5061321397 GERÊNCIA DE TI / SYS 11/12/2012 Página 1 de 11 2 Conteúdo MANUAL DO SGTC... 1 Acesso ao sistema... 3 Acesso web... 3 Opções do sistema...

Leia mais

PORTAL DE COMPRAS PÚBLICAS

PORTAL DE COMPRAS PÚBLICAS PORTAL DE COMPRAS PÚBLICAS GUIA DO ADMINISTRADOR JANEIRO DE 2017 Versão 6.0 Dezembro/2016_Janeiro/2017 S U M Á R I O 1 APRESENTAÇÃO 3 2 OBSERVAÇÕES IMPORTANTES 4 3 SISTEMA 5 3.1 TELA INICIAL DO ADMINISTRADOR

Leia mais

ISO/IEC Processo de ciclo de vida

ISO/IEC Processo de ciclo de vida ISO/IEC 12207 Processo de ciclo de vida O que é...? ISO/IEC 12207 (introdução) - O que é ISO/IEC 12207? - Qual a finalidade da ISO/IEC 12207? Diferença entre ISO/IEC 12207 e CMMI 2 Emendas ISO/IEC 12207

Leia mais

As 10 Áreas da Engenharia de Software, Conforme o SWEBOK Prof. Elias Ferreira

As 10 Áreas da Engenharia de Software, Conforme o SWEBOK Prof. Elias Ferreira As 10 Áreas da Engenharia de Software, Conforme o SWEBOK Prof. Elias Ferreira Educação de iniciação profissional validada e legitimada pela sociedade Registro da adequação à prática através de certificação

Leia mais

QUESTÕES TESTES. Questão 1. O modelo de ciclo de vida em cascata:

QUESTÕES TESTES. Questão 1. O modelo de ciclo de vida em cascata: QUESTÕES 1. 0 que é domínio da aplicação (ou do problema)? 2. Qual a importância da engenharia de software e como se justificam os custos a ela associados? 3. O que é processo de desenvolvimento de software

Leia mais

TUTORIAL PARA CRIAÇÃO DE UM CURRÍCULO NA PLATAFORMA LATTES

TUTORIAL PARA CRIAÇÃO DE UM CURRÍCULO NA PLATAFORMA LATTES TUTORIAL PARA CRIAÇÃO DE UM CURRÍCULO NA PLATAFORMA LATTES 1º PASSO: Abra o seu navegador (Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome...) e acesse o endereço http://lattes.cnpq.br/. Ao acessar o

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE

ENGENHARIA DE SOFTWARE EMENTA ENGENHARIA DE SOFTWARE DISCIPLINA: Estrutura e Fluxo de Informação EMENTA: A disciplina Estrutura e Fluxo de Informação se propõe a capacitar o aluno sobre os fundamentos da Gestão da Informação

Leia mais

Eng. de Requisitos: Atividades. Engenharia de Requisitos. Eng. de Requisitos: Processo. O Documento de Requisitos. Stakeholders. Estudo de Viabilidade

Eng. de Requisitos: Atividades. Engenharia de Requisitos. Eng. de Requisitos: Processo. O Documento de Requisitos. Stakeholders. Estudo de Viabilidade DCC / ICEx / UFMG Eng. de Requisitos: Atividades Engenharia de Requisitos Eduardo Figueiredo Inclui quatro fases principais Estudo de viabilidade Elicitação (ou análise) de Especificação de Validação dos

Leia mais

Projeto de POO. onde N1N2N3 representa os nomes dos integrantes. Exemplo: prjgrpchristinaviniciuscarlos

Projeto de POO. onde N1N2N3 representa os nomes dos integrantes. Exemplo: prjgrpchristinaviniciuscarlos Projeto de POO Data de Entrega: 14/06/2011 (ADS-Diurno) 16/06/2011 (ADS-Noturno) 18/06/2011 (Alunos Dispensados de Freqüência) Natureza do Trabalho: - em grupo (3 alunos) para os alunos presenciais - em

Leia mais

PORTAL DA INTIMAÇÃO ELETRÔNICA MANUAL DO USUÁRIO

PORTAL DA INTIMAÇÃO ELETRÔNICA MANUAL DO USUÁRIO PORTAL DA INTIMAÇÃO ELETRÔNICA MANUAL DO USUÁRIO Cadastro de entes públicos para uso do Portal de Intimação Para acessar o Portal de Intimação do STJ, é necessário que o ente público seja cadastrado na

Leia mais

Paradigmas de Software

Paradigmas de Software Paradigmas de Software Objetivos Introdução aos paradigmas de software. Descrição de modelos genéricos e sua aplicabilidade. Descrição dos processos de requisitos, desenvolvimento, teste e evolução. Modelo

Leia mais

Requisitos. Silvério Sirotheau

Requisitos. Silvério Sirotheau Requisitos Silvério Sirotheau Requisitos O levantamento e análise de requisitos compõem uma parte decisiva da fase de concepção dentro UP. O analista pode e deve utilizar todas as informações disponíveis

Leia mais

Renovação Corporate Processo de Renovação Prévia para os produtos Corporate e Kit Médias Empresas Web

Renovação Corporate Processo de Renovação Prévia para os produtos Corporate e Kit Médias Empresas Web Renovação Corporate Processo de Renovação Prévia para os produtos Corporate e Kit Médias Empresas Web. Manual do Usuário Este manual destina-se a tirar as duvidas básicas de utilização do sistema. Duvidas?

Leia mais

Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software

Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software Prof. Elias Ferreira Elaborador por: Prof. Edison A. M. Morais Objetivo (1/1) Conceituar PROCESSO E CICLO DE VIDA, identificar e conceituar

Leia mais

Conteúdo. Disciplina: INF Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos

Conteúdo. Disciplina: INF Engenharia de Software. Monalessa Perini Barcellos Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Disciplina: INF 09289 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 1. Introdução 3. Especificação e Análise de Requisitos

Leia mais

CONTEÚDO Acesso ao sistema...2 Controle de Aplicação Tela de Autenticação...3 MENU DE OPÇÕES DO SISTEMA Cadastro do Colaborador...

CONTEÚDO Acesso ao sistema...2 Controle de Aplicação Tela de Autenticação...3 MENU DE OPÇÕES DO SISTEMA Cadastro do Colaborador... FREQUENCI CONTEÚDO Acesso ao sistema...2 Controle de Aplicação Tela de Autenticação...3 MENU DE OPÇÕES DO SISTEMA Cadastro do Colaborador...4 COORDENADOR ESTADUAL Alocar Coordenador de Polo...5 COORDENADOR

Leia mais

Análise e Projeto de Sistemas

Análise e Projeto de Sistemas Análise e Projeto de Sistemas Prof. M.Sc. Ronaldo C. de Oliveira ronaldooliveira@facom.ufu.br FACOM - 2012 Paradigmas e Processo de Software Engenharia de Software: Abrangência Engenharia de Software possui

Leia mais

Digitação de notas pelo sistema web

Digitação de notas pelo sistema web Digitação de notas pelo sistema web Trata-se de rotina on-line, via internet, para o auxilio a digitação de notas. Para a utilização, acesse www.sistemaweb.net/cliente/??? onde??? identifica a sigla da

Leia mais

Ayuda Sua ONG na mão

Ayuda Sua ONG na mão Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ANÁLISE E PROJETO DE SISTEMAS Ayuda Sua ONG na mão Escopo do Projeto Professor: Augusto Sampaio Equipe: Bruno

Leia mais

Capítulo 5 Gerenciamento do Escopo do projeto. Introdução. Antes de iniciarmos vamos pensar um pouco.

Capítulo 5 Gerenciamento do Escopo do projeto. Introdução. Antes de iniciarmos vamos pensar um pouco. Capítulo 5 Gerenciamento do Escopo do projeto 1 Introdução Antes de iniciarmos vamos pensar um pouco. 2 Introdução 3 Introdução 4 Introdução 5 Introdução O projeto se inicia com a definição de quais objetivos

Leia mais

Requisitos de Sistemas

Requisitos de Sistemas Requisitos de Sistemas Unidade II - Processos de Negócio Identificação Conceitos Modelagem - BPM - UML Processos x Requisitos 1 Processo de negócio CONCEITO Um processo de negócio, processo organizacional

Leia mais

Manual para Geração de lote de NIS

Manual para Geração de lote de NIS Manual para Geração de lote de NIS DESENVOLVENDO SOLUÇÕES Autor: Leandro e Laila Maria Doc. Vrs. 01 Revisão: Laila Maria e Leandro Aprovado em: Julho de 2015. Nota de copyright Copyright 2015 Teorema Informática,

Leia mais

Modelos. Banco de dados. Professor: Jarbas Araújo CENTRO EDUCACIONAL RADIER.

Modelos. Banco de dados. Professor: Jarbas Araújo CENTRO EDUCACIONAL RADIER. Modelos Banco de dados Professor: Jarbas Araújo professorjarbasaraujo@gmail.com CENTRO EDUCACIONAL RADIER Projeto de banco de dados Todo bom sistema de banco de dados deve apresentar um projeto, que visa

Leia mais

Promoção Faça com Primor FAQ

Promoção Faça com Primor FAQ Promoção Faça com Primor FAQ 01. Quem pode participar da Promoção? Resposta: Podem participar desta Promoção todos os consumidores pessoas físicas, maiores de 18 anos, residentes e domiciliados no território

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE

QUALIDADE DE SOFTWARE QUALIDADE DE SOFTWARE SSC-546 Avaliação de Sistemas Computacionais Profa. Rosana Braga (material profas Rosely Sanches e Ellen F. Barbosa) Agenda Visão Geral de Qualidade Qualidade Aplicada ao Software

Leia mais