PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA REPONSABILIDADE CIVIL POR ERRO MÉDICO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA REPONSABILIDADE CIVIL POR ERRO MÉDICO"

Transcrição

1 REPONSABILIDADE CIVIL POR ERRO MÉDICO

2 A responsabilidade civil médica é a aplicação de pena indenizatória que obrigue o médico a reparar o dano moral e/ou patrimonial praticado contra seu paciente ou contra terceiros em razão de ato médico praticado com imprudência, negligência ou imperícia.

3 IMPRUDÊNCIA A imprudência é a prática de uma ação irrefletida, precipitada. Ex.: cirurgião que não aguarda a chegada do médico anestesista.

4 NEGLIGÊNCIA Falta de cuidado ou desatenção. Implica em omissão ou falta de observação ou dever. Não age com cuidado. Ex.: médico que esquece tesoura cirúrgica no interior do corpo do paciente.

5 IMPERÍCIA O cirurgião plástico não tem habilidade para praticar determinada cirurgia estética. Exemplo: faz uma lipoaspiração no paciente, quando não conhece essa técnica.

6 A relação jurídica estabelecida entre o médico e o paciente é regida pela Lei n /90 (Código de Defesa do Consumidor) Há médico e paciente há uma relação contratual. Atividade meio e não fim.

7 A primeira informação prática que se constata é a de que a relação médico/paciente é regida pelo Código do Consumidor. O prazo prescricional das ações indenizatórias por erro médico é de 05 (cinco) anos cuja contagem se inicia a partir do dano e de sua autoria (Ar. 27 do CDC).

8 Foro Competente para Distribuir a Ação Indenizatória por Erro Médico a)foro do Domicílio do Autor (Art. 101, I, CDC) b)foro do lugar do ato ou fato (Art. 100, V, a, CPC) c)foro do domicílio do réu (Art. 94 do CPC- Art. 46 do NCPC)

9 Polo Ativo: paciente/familiares são substitutos processuais. Polo Passivo: médico/hospital/plano de saúde (Pode-se eleger o foro, ou seja, escolher qualquer um deles, quando o autor quiser propor a ação no domicílio do réu) Em relação ao SUS: a ação pode ser ajuizada em face da Municipalidade (Vara da Fazenda Pública onde houver)

10 Tratando-se de reparação de danos materiais e morais decorrentes de prestação defeituosa de serviços médicos, não cabe denunciação da lide (Art. 88 do CDC)

11 ELEMENTOS DA RESPONSABILIDADE CIVIL 1. Conduta voluntária ação ou omissão com inobservância de um dever objetivo de cuidado. 2. Nexo causal. (Iatrogenia intercorrência médica) 3. Existência de um dano. 4. Arts. 186, 948 a 951 do CC

12 Dano moral: é o ato médico causador de qualquer dor física ou emocional ao paciente. Culpa: é a conduta voluntária contrária ao dever de cuidado oposto pelo direito, com a produção de um evento danoso involuntário, porém, previsto ou previsível.

13 Responsabilidade objetiva: não se verifica a existência de culpa do responsável, mas que o dano foi proveniente de ato ilícito. (Art. 14 do CDC) Responsabilidade subjetiva: exige-se prova da culpa (negligência, imprudência e imperícia) Art. 14, 4º, do CDC

14 Corpo da Petição Inicial eixo argumentativo a)ação ou omissão b)nexo causal c)dano

15 Dano Moral x Dano Patrimonial x Dano Estético a) Dano Emergente: aquilo que o paciente irá desembolsar b) Dano Cessante: aquilo que o paciente deixou de ganhar c) Dano Estético: cirurgia deixa cicatriz (não tem relação com cirurgia plástica)

16 Art. 948 do Código Civil: No caso de homicídio, a indenização consiste, sem excluir outras prestações: I pagamento com as despesas do tratamento da vítima, seu funeral e o luto da família; II prestação de alimentos aos familiares ou dependentes.

17 REsp 86450/MG STJ 2/3 salário-mínimo em relação à vítima maior 2/3 salário-mínimo em relação à vítima menor até completar 25 anos; após 25 anos até os 65 anos 1/3.

18 Discussão sobre o médico ser ou não empregado do hospital 4. A natureza da responsabilidade das instituições hospitalares por erros médicos deve ser examinada à luz da natureza do vínculo existente entre as referidas instituições e os profissionais a que se imputa o ato danoso. 5. Responde o hospital pelo ato culposo praticado por profissional de sua equipe médica, mesmo que sem vínculo empregatício com a instituição. A circunstância de os serviços médicos terem sido prestados gratuitamente, ou remunerados pelo SUS, não isenta o profissional e a instituição da responsabilidade civil por erro médico. RECURSO ESPECIAL Nº RJ (2005/ )

19 Pensão alimentícia correspondente a 2/3 do salário mínimo a contar da data que o autor completar 14 anos e até o momento em que completar vinte e cinco anos de idade, e após, reduzindo-se a pensão a 1/3 do salário mínimo até a data em que o autor completaria 65 anos, integrando o 13º a reparação do dano material.

20 Cálculo do Dano Moral 1. Tabela SUSEP 2. Condições financeiras do paciente antes do erro médico

21 Não se esquecer de requerer tutela antecipada nas ações de erro médico (pensão mensal, pagamento de despesas em razão do erro médico etc.) Art. 273, I, do CPC - Novo CPC: Tutela de evidência (Art. 311, II e IV)

22

23 O PRONTUÁRIO MÉDICO DEVE SER JUNTADO AOS AUTOS DO PROCESSO. COMO O PRONTUÁRIO MÉDICO PERTENCE AO PACIENTE E É SIGILOSO, REQUERER SEGREDO DE JUSTIÇA. Art. 155 do CPC Art. 188, III, do NCPC: dados protegidos pelo direito constitucional à intimidade.

24 Se o cliente estiver convalescendo, requerer prioridade: Art A do CPC: Os procedimentos judiciais em que figure como parte ou interessado pessoa com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, ou portadora de doença grave, terão prioridade de tramitação em todas as instâncias. Art , inc. I, do NCPC (acrescentou também o inciso XIV, da Lei n /88 Legislação do Imposto de Renda)

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA. 1. Responsabilidade civil médica

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA. 1. Responsabilidade civil médica 1. Responsabilidade civil médica A responsabilidade civil médica é a aplicação de pena indenizatória que obrigue o médico a reparar o dano moral e/ou patrimonial praticado contra seu paciente ou contra

Leia mais

Aula 8 - Liquidação do dano.

Aula 8 - Liquidação do dano. Aula 8 - Liquidação do dano. Como regra, o juiz e as partes devem tentar liquidar o dano durante a instrução, ou seja, tornar a condenação do réu estimada economicamente. números para fins condenatórios.

Leia mais

ENCONTRO 04. Ocorrência de ato ilícito. Que este ato tenha causado dano à alguém

ENCONTRO 04. Ocorrência de ato ilícito. Que este ato tenha causado dano à alguém ENCONTRO 04 1.4. Imputabilidade - A responsabilidade decorre apenas da conduta? - A reprovabilidade depende da capacidade psíquica de entendimento do agente? (Sim. - Que significa imputar? - Há como responsabilizar

Leia mais

Dano. Perda de uma chance

Dano. Perda de uma chance DANO 1. Conceito - Há responsabilidade sem culpa? > e sem dano? - O que é o dano? Dano Patrimonial Moral Estético Novos danos Emergente Lucro cessante Perda de uma chance 2. Dano patrimonial 2.1. Dano

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA O PLANO REDACIONAL DO TEXTO JURÍDICO

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA O PLANO REDACIONAL DO TEXTO JURÍDICO O PLANO REDACIONAL DO TEXTO JURÍDICO Introdução: A introdução significa início ou começo. Declara ao leitor (juiz e réu) o assunto que será tratado no texto jurídico. Fixa as diretrizes do assunto, facilitando

Leia mais

CONFLITO DE INTERESSES

CONFLITO DE INTERESSES CONFLITO DE INTERESSES Sócia da Ometto Advogados Associados, desde 1993. Consultoria em Direito Médico e Hospitalar. Defesa de clínicas médicas. Defesa de interesses de médicos (éticas e civis). Assessora

Leia mais

Seus Direitos Relacionados A Danos Morais E Materiais

Seus Direitos Relacionados A Danos Morais E Materiais BuscaLegis.ccj.ufsc.br Seus Direitos Relacionados A Danos Morais E Materiais Adriano Martins Pinheiro Bacharelando em Direito Articulista e colaborador de diversos sites e jornais locais. Atuante em Escritório

Leia mais

O desastre ambiental de Mariana: análise sob a ótica do Direito Ambiental Brasileiro. Marcelo Leoni Schmid

O desastre ambiental de Mariana: análise sob a ótica do Direito Ambiental Brasileiro. Marcelo Leoni Schmid O desastre ambiental de Mariana: análise sob a ótica do Direito Ambiental Brasileiro Marcelo Leoni Schmid marcelo@indexflorestal.com.br Aula 02 Responsabilidade civil no Direito Ambiental Brasileiro O

Leia mais

Seguro de Responsabilidade Civil Profissional. Para Prestadores de Serviços da Área de Saúde

Seguro de Responsabilidade Civil Profissional. Para Prestadores de Serviços da Área de Saúde Seguro de Responsabilidade Civil Profissional Para Prestadores de Serviços da Área de Saúde Grupo ACE Criada em 1985 Presente em mais de 50 países 16.000 colaboradores 200 escritórios em todo o mundo Atuação

Leia mais

DIMENSÕES DOS DANOS AMBIENTAIS, JURIDICIDADE E FORMAS DE REPARAÇÃO

DIMENSÕES DOS DANOS AMBIENTAIS, JURIDICIDADE E FORMAS DE REPARAÇÃO DIMENSÕES DOS DANOS AMBIENTAIS, JURIDICIDADE E FORMAS DE REPARAÇÃO Fernanda Luiza Fontoura de Medeiros Pesquisadora do CNPq Doutora em Direito (UFSC/Coimbra) Mestre em Direito (PUCRS) Professora Adjunta

Leia mais

é a obrigação que ele tem de reparar os danos causados a terceiros em face de comportamento imputável aos seus agentes. chama-se também de

é a obrigação que ele tem de reparar os danos causados a terceiros em face de comportamento imputável aos seus agentes. chama-se também de é a obrigação que ele tem de reparar os danos causados a terceiros em face de comportamento imputável aos seus agentes. chama-se também de responsabilidade extracontratual do Estado. I irresponsabilidade

Leia mais

DIREITOS DOS FAMILIARES DE VÍTIMAS E SOBREVIVENTES DA TRAGÉDIA OCORRIDA NA BOATE KISS SANTA MARIA - RS

DIREITOS DOS FAMILIARES DE VÍTIMAS E SOBREVIVENTES DA TRAGÉDIA OCORRIDA NA BOATE KISS SANTA MARIA - RS DIREITOS DOS FAMILIARES DE VÍTIMAS E SOBREVIVENTES DA TRAGÉDIA OCORRIDA NA BOATE KISS SANTA MARIA - RS Abril - 2013 Esta cartilha é voltada para os familiares de vítimas e sobreviventes da tragédia ocorrida

Leia mais

/2013/ / (CNJ: )

/2013/ / (CNJ: ) COMARCA DE PORTO ALEGRE 17ª VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL Rua Márcio Veras Vidor (antiga Rua Celeste Gobato), 10 Processo nº: Natureza: Autor: Réu: Juiz Prolator: 001/1.11.0358466-0 (CNJ:.0447706-66.2011.8.21.0001)

Leia mais

Em várias situações a legislação consagra da junção das jurisdições civil e criminal.

Em várias situações a legislação consagra da junção das jurisdições civil e criminal. Ação civil ex delicto Objetivo: Propiciar a reparação do dano causado pelo delito. Sentença penal condenatória e reparação do dano Art. 91, I, CP: Obrigação de indenizar o dano Art. 63, CPP e 475-N, II,

Leia mais

IUS RESUMOS. Da Ação Civil Ex Delicto. Organizado por: Max Danizio Santos Cavalcante

IUS RESUMOS. Da Ação Civil Ex Delicto. Organizado por: Max Danizio Santos Cavalcante Da Ação Civil Ex Delicto Organizado por: Max Danizio Santos Cavalcante SUMÁRIO I DA AÇÃO CIVIL EX DELICTO... 3 1. Noções introdutórias... 3 1.1 Modalidades de ação civil ex delicto... 4 2. Legitimidade...

Leia mais

A Repercussão Previdenciária e Tributária dos Acidentes de Trabalho

A Repercussão Previdenciária e Tributária dos Acidentes de Trabalho A Repercussão Previdenciária e Tributária dos Acidentes de Trabalho Orion Sávio Santos de Oliveira Analista Técnico de Políticas Sociais ATPS DPSSO/SPPS/MF orion.oliveira@previdencia.gov.br Roteiro da

Leia mais

ELEMENTOS DA RESPONSABILIDADE CIVIL PRESSUPOSTOS DA OBRIGAÇÃO DE INDENIZAR CC

ELEMENTOS DA RESPONSABILIDADE CIVIL PRESSUPOSTOS DA OBRIGAÇÃO DE INDENIZAR CC ELEMENTOS DA RESPONSABILIDADE CIVIL PRESSUPOSTOS DA OBRIGAÇÃO DE INDENIZAR CC Art. 186. Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda

Leia mais

1 - Conceito de Crime

1 - Conceito de Crime 1 - Conceito de Crime A doutrina do Direito Penal tem procurado definir o ilícito penal sob três aspectos diversos. Atendendo-se ao Aspecto Externo, puramente nominal do fato, obtém-se um Conceito Formal;

Leia mais

TUTELA PROCESSUAL DO MEIO AMBIENTE

TUTELA PROCESSUAL DO MEIO AMBIENTE GESTÃO AMBIENTAL Prof. Francisco José Carvalho TUTELA PROCESSUAL DO MEIO AMBIENTE COMPETÊNCIA NA AÇÃO CIVIL PÚBLICA Conceito de Ação Civil Pública (ACP) É um instrumento processual, que visa proteger direitos

Leia mais

RESPONSABILIDADE DO EMPREGADOR NOS ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO

RESPONSABILIDADE DO EMPREGADOR NOS ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO RESPONSABILIDADE DO EMPREGADOR NOS ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO INTRODUÇÃO REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NOVOS MEIOS DE PRODUÇÃO ACIDENTES DO TRABALHO DOENÇAS RELACIONADAS AO TRABALHO AÇÕES TRABALHISTAS RESPONDABILIDADE

Leia mais

5.6 Ações Trabalhistas Advindas da Relação de Emprego

5.6 Ações Trabalhistas Advindas da Relação de Emprego Dano moral individual o Competência Súmula nº 392 do TST - DANO MORAL. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO (conversão da Orientação Jurisprudencial nº 327 da SBDI-1) - Res. 129/2005, DJ 20, 22 e 25.04.2005

Leia mais

* Exame Unificado IV. Espelho de correção oficial:

* Exame Unificado IV. Espelho de correção oficial: * Exame Unificado IV João Augusto estava participando de uma partida de futebol quando fraturou uma costela, vindo a necessitar de intervenção cirúrgica, realizada em hospital público federal localizado

Leia mais

INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES DISPOSIÇÕES GERAIS

INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES DISPOSIÇÕES GERAIS INADIMPLEMENTO DAS OBRIGAÇÕES DISPOSIÇÕES GERAIS Fundamentação: Art. 389 a 393. Do Código Civil 1 Motivos do Inadimplemento: a) Inadimplemento Decorrente de Ato de Culposo do Devedor: Neste caso, a palavra

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: DIREITO CIVIL V Código da Disciplina: JUR 224 Curso: Direito Semestre de Oferta da Disciplina: 6º Faculdade Responsável: DIREITO Programa em vigência a partir de: 2015

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL E CRIMINAL DOS FABRICANTES E DISTRIBUIDORES DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL E COLETIVA DECORRENTE DE ACIDENTE DE

RESPONSABILIDADE CIVIL E CRIMINAL DOS FABRICANTES E DISTRIBUIDORES DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL E COLETIVA DECORRENTE DE ACIDENTE DE RESPONSABILIDADE CIVIL E CRIMINAL DOS FABRICANTES E DISTRIBUIDORES DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL E COLETIVA DECORRENTE DE ACIDENTE DE TRABALHO DEFINIÇÕES DE RESPONSABILIDADE A responsabilidade

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 22ª CÂMARA DE DIREITO PRIVADO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 22ª CÂMARA DE DIREITO PRIVADO fls. 2 Registro: 2015.0000452217 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0127798-86.2010.8.26.0100, da Comarca de São Paulo, em que é apelante BANCO SANTANDER BRASIL S/A, é apelado

Leia mais

Exercício da Medicina e Direito Penal

Exercício da Medicina e Direito Penal Exercício da Medicina e Direito Penal Prof. Dr. Alexandre Wunderlich Disciplina de Bioética, Medicina e Direito/PPGCM-UFRGS HCPA, 10 de agosto de 2016. Direito Penal Clássico Direito Penal na Sociedade

Leia mais

Direitos humanos na cadeia de fornecedores

Direitos humanos na cadeia de fornecedores Direitos humanos na cadeia de fornecedores Juliana Gomes Ramalho Monteiro 09/11/2015 Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos Responsabilidade das Empresas de Respeitar os Direitos Humanos

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica A RESPONSABILIDADE DO COMERCIANTE POR ACIDENTES DE CONSUMO. Letícia Mariz de Oliveira Advogada

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica A RESPONSABILIDADE DO COMERCIANTE POR ACIDENTES DE CONSUMO. Letícia Mariz de Oliveira Advogada TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica A RESPONSABILIDADE DO COMERCIANTE POR ACIDENTES DE CONSUMO Letícia Mariz de Oliveira Advogada A Seção II (Da Responsabilidade pelo Fato do Produto e do Serviço), do

Leia mais

Instituto das Perdas e Danos

Instituto das Perdas e Danos Isabela Di Maio Barbosa 1 Instituto das Perdas e Danos 2008 Conceito e aspectos do instituto de perdas e danos Entende-se na expressão perdas e danos um instituto de direito civil assinalado como uma forma

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO. AÇÕES INDENIZATÓRIAS INDIVIDUAIS

ACIDENTE DE TRABALHO. AÇÕES INDENIZATÓRIAS INDIVIDUAIS CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO PGT/CCR N 235/2006 INTERESSADOS: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ E GUILHERME EMER ASSUNTO: ACIDENTE DE TRABALHO E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO RELATÓRIO EMENTA: ACIDENTE

Leia mais

SEGUNDA CÂMARA CÍVEL RECURSO DE APELAÇÃO CÍVEL Nº 8785/2004 CLASSE II COMARCA DE SINOP APELANTE: BRASIL TELECOM S. A.

SEGUNDA CÂMARA CÍVEL RECURSO DE APELAÇÃO CÍVEL Nº 8785/2004 CLASSE II COMARCA DE SINOP APELANTE: BRASIL TELECOM S. A. APELANTE: BRASIL TELECOM S. A. APELADO: STELA MARIS SCHUTZ Número do Protocolo : 8785/2004 Data de Julgamento : 29-6-2004 EMENTA APELAÇÃO CÍVEL DECLARATÓRIA DE INEXISTÊNCIA DE DÉBITO TELEFÔNICO COMBINADA

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROFESSOR EDUARDO FRANCISCO

DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROFESSOR EDUARDO FRANCISCO DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROFESSOR EDUARDO FRANCISCO 1 Nomeação à autoria arts. 62 a 69, CPC. Intervenção de terceiros Mecanismo de correção do polo passivo Dever do réu, vide art. 69, CPC. 1.1 - A nomeação

Leia mais

Colégio Brasileiro de Odontologia Hospital e Intensiva- CBROHI

Colégio Brasileiro de Odontologia Hospital e Intensiva- CBROHI PROPOSTA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS JURÍDICOS, GESTÃO JURÍDICA DO RISCO ODONTOLOGICO E SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL Colégio Brasileiro de Odontologia Hospital e Intensiva- CBROHI Brasília/DF Apresentação

Leia mais

1 - PROCESSO COLETIVO E SUAS PECULIARIDADES

1 - PROCESSO COLETIVO E SUAS PECULIARIDADES RESUMO DE EMENTAS 1 - PROCESSO COLETIVO E SUAS PECULIARIDADES 1. Análise das principais ações coletivas e sua aplicabilidade no cotidiano Forense. 2. As ações coletivas e a sua legitimidade. 3. As ações

Leia mais

Responsabilidade Civil. Prof. Antonio Carlos Morato

Responsabilidade Civil. Prof. Antonio Carlos Morato Responsabilidade Civil Prof. Antonio Carlos Morato Dano Estético Dano à imagem / Dano Estético (art. 5o, V e X da CF) Imagem-retrato e Imagem-Atributo V - é assegurado o direito de resposta, proporcional

Leia mais

RELATÓRIO VOTO. Conhecimento. Presentes os pressupostos de admissibilidade, conheço do recurso. Fundamentação

RELATÓRIO VOTO. Conhecimento. Presentes os pressupostos de admissibilidade, conheço do recurso. Fundamentação PROCESSO TRT/SP Nº0007100-96.2009.5.02.0361 10ª TURMA Fls. 1 RECURSO ORDINÁRIO RECORRENTE: RECORRIDOS: ORIGEM: MARIA HELENA BARBOSA FERRAZ SCHIMIT IND COM IMP E EXPORTAÇÃO LTDA. E OUTRO 1ª Vara do Trabalho

Leia mais

Ação civil ex delicto

Ação civil ex delicto Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Ação civil ex delicto Gustavo Badaró aula de 02.08.2016 1. Noções Gerais PLANO DA AULA 2. Formas de satisfação do dano causado pelo crime 3. Sistemas de

Leia mais

Dano moral Projeção processual Prof. Denis Donoso Denis Donoso

Dano moral Projeção processual Prof. Denis Donoso Denis Donoso Dano moral Projeção processual Prof. Denis Donoso Denis Donoso Parte I Dano moral Âmbito material (brevíssima revisão) Responsabilidade civil Elementos geradores da responsabilidade civil. Dano e suas

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARIACICA ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CARIACICA ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ESPELHO DE CORREÇÃO PROVA DISCURSIVA PROCURADOR MUNICIPAL DE CARIACICA 01) PEÇA JUDICIAL Nota 0,00 a 10,00 pontos. O enunciado exigia do candidato apresentação de uma contestação à ação proposta. O candidato

Leia mais

SUMÁRIO. Direito do Trabalho Direito Processual Civil Direito Processual do Trabalho

SUMÁRIO. Direito do Trabalho Direito Processual Civil Direito Processual do Trabalho SUMÁRIO Direito do Trabalho... 05 Direito Processual Civil... 139 Direito Processual do Trabalho... 195 DIREITO DO TRABALHO ÍNDICE CAPÍTULO 01... 7 Fontes e Princípios de Direito do Trabalho... 7 Surgimento

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 77, DE 2016

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 77, DE 2016 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 77, DE 2016 Dispõe sobre a substituição processual pelo sindicato da categoria profissional. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º O sindicato da categoria profissional,

Leia mais

SENTENÇA. Juiz(a) de Direito: Dr(a). Hertha Helena Rollemberg Padilha de Oliveira

SENTENÇA. Juiz(a) de Direito: Dr(a). Hertha Helena Rollemberg Padilha de Oliveira fls. 107 SENTENÇA Processo Digital nº: 1007533-31.2016.8.26.0002 Classe - Assunto Procedimento Comum - Responsabilidade do Fornecedor Requerente: Requerido: Clinica de Cirurgia Plastica S/s Ltda e outro

Leia mais

AULA 12: DIREITO DO CONSUMIDOR II

AULA 12: DIREITO DO CONSUMIDOR II AULA 12: DIREITO DO CONSUMIDOR II Prof. Thiago Gomes Nas aulas anteriores... Evolução Histórica do Direito do Consumidor Conceitos de Consumidor, Fornecedor, Produto e Serviço Direitos do Consumidor I

Leia mais

A GESTÃO DE RISCOS DA RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E DA INVIOLABILIDADE DE DADOS SIGILOSOS

A GESTÃO DE RISCOS DA RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E DA INVIOLABILIDADE DE DADOS SIGILOSOS A GESTÃO DE RISCOS DA RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL E DA INVIOLABILIDADE DE DADOS SIGILOSOS POR QUE DIVULGAR ESTE TIPO DE INFORMAÇÃO PARA EMPRESÁRIOS DA CONTABILIDADE? PREVENÇÃO CONTRA PERDAS MATERIAIS,

Leia mais

GABARITO SIMULADO WEB 1

GABARITO SIMULADO WEB 1 GABARITO SIMULADO WEB 1 PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL CADU, brasileiro, casado, engenheiro, domiciliado em Pindamonhangaba/SP, adquiriu, em 05 de janeiro de 2015, uma motocicleta de fabricação

Leia mais

Bom dia, hoje trago um modelo de petição de auxílio reclusão previdenciário com pedido de tutela antecipada em face do INSS perante a Justiça Federal.

Bom dia, hoje trago um modelo de petição de auxílio reclusão previdenciário com pedido de tutela antecipada em face do INSS perante a Justiça Federal. Bom dia, hoje trago um modelo de petição de auxílio reclusão previdenciário com pedido de tutela antecipada em face do INSS perante a Justiça Federal. Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da Vara

Leia mais

DUCTOR ONLINE DIREITO PENAL

DUCTOR ONLINE DIREITO PENAL ONLINE CONCURSO PARA CARTÓRIOS EXTRAJUDICIAIS DIREITO PENAL DO (CP, artigos 13 a 25) O QUE É? Conceito analítico ANTIJURÍDICO ou ILÍCITO CULPÁVEL TIPICIDADE ANTIJURIDICIDADE ou ILICITUDE CULPABILIDADE

Leia mais

SENTENÇA. Juiz(a) de Direito: Dr(a). Gustavo Pisarewski Moisés. Vistos.

SENTENÇA. Juiz(a) de Direito: Dr(a). Gustavo Pisarewski Moisés. Vistos. fls. 1 SENTENÇA Processo nº: 4022580-51.2013.8.26.0114 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Indenização por Dano Moral Requerente: Pedro José Ribeiro Porto e outro Requerido: HOSPITAL VERA CRUZ SA

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Federal da Vara Cível do Juizado Especial Federal da Subseção Judiciária de (nome da cidade).

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Federal da Vara Cível do Juizado Especial Federal da Subseção Judiciária de (nome da cidade). Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Federal da Vara Cível do Juizado Especial Federal da Subseção Judiciária de (nome da cidade). (Nome do autor), brasileiro, casado, engenheiro de minas, carteira de identidade

Leia mais

DIREITO CIVIL IV PROF. LUCIANA BERLINI

DIREITO CIVIL IV PROF. LUCIANA BERLINI DIREITO CIVIL IV PROF. LUCIANA BERLINI luciana@berlini.com.br 19/10/2012 Bibliografia Rui Stocco Pablo Stolze Sérgio Cavalieri Avaliações 1ª prova 30-11-2012 40 pontos Prova final 14-12-2012 30 pontos

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA Alta Floresta do Oeste Av. Mato Grosso 4281, Centro,

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA Alta Floresta do Oeste Av. Mato Grosso 4281, Centro, CONCLUSÃO Aos 22 dias do mês de Fevereiro de 2016, faço estes autos conclusos ao Juiz de Direito Alencar das Neves Brilhante. Eu, Mirilandes Corrêa da Paz - Escrivã(o) Judicial, escrevi conclusos. Vara:

Leia mais

ACIDENTE DE TRABALHO - INDENIZAÇÂO. Competência:

ACIDENTE DE TRABALHO - INDENIZAÇÂO. Competência: ACIDENTE DE TRABALHO - INDENIZAÇÂO Competência: Com a edição da Emenda Constitucional nº 45, surgiu grande cizânia jurisprudencial acerca da competência da Justiça do Trabalho para julgar pedido de indenização

Leia mais

DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA

DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA A responsabilidade civil tem como objetivo a reparação do dano causado ao paciente que

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Registro: ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Registro: ACÓRDÃO ACÓRDÃO Registro: 2017.0000000482 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 1013875-84.2015.8.26.0037, da Comarca de Araraquara, em que são apelados FABIANO FERNANDO DA SILVA (JUSTIÇA GRATUITA)

Leia mais

AULA 19. Ilícito praticado por ação, a responsabilidade é individual.

AULA 19. Ilícito praticado por ação, a responsabilidade é individual. Turma e Ano: Regular/2015 Matéria / Aula: Direito Empresarial Professor: Leandro Antunes Monitor: André Manso AULA 19 Da responsabilidade Qualquer ato praticado pelo administrador que venha a prejudicar

Leia mais

Responsabilidade civil médicohospitalar na jurisprudência do STJ

Responsabilidade civil médicohospitalar na jurisprudência do STJ Responsabilidade civil médicohospitalar na jurisprudência do STJ 4º Congresso Brasileiro de Aspectos Legais para Gestores e Advogados de Saúde São Paulo, 24 de maio de 2013 Ricardo Villas Bôas Cueva Ministro

Leia mais

Responsabilidade Civil. Prof. Antonio Carlos Morato

Responsabilidade Civil. Prof. Antonio Carlos Morato Responsabilidade Civil Prof. Antonio Carlos Morato Dano Estético Dano à imagem / Dano Estético (art. 5o, V e X da CF) Imagem-retrato e Imagem-Atributo V - é assegurado o direito de resposta, proporcional

Leia mais

Direito Civil IV Aula 22. Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2

Direito Civil IV Aula 22. Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2 Direito Civil IV Aula 22 Foed Saliba Smaka Jr. Curso de Direito ISEPE Guaratuba 2015/2 Aula 22 07/10/2015 Início 2º Bimestre. Atributos do Contrato: Existência, Validade e Eficácia complexidade nem todo

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA AÇÃO ESTIMATÓRIA OU QUANTI MINORIS COM MODELO DE PETIÇÃO INICIAL E A TEORIA DA COMUNICAÇÃO JURÍDICA

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA AÇÃO ESTIMATÓRIA OU QUANTI MINORIS COM MODELO DE PETIÇÃO INICIAL E A TEORIA DA COMUNICAÇÃO JURÍDICA AÇÃO ESTIMATÓRIA OU QUANTI MINORIS COM MODELO DE PETIÇÃO INICIAL E A TEORIA DA COMUNICAÇÃO JURÍDICA Sabemos que o vício redibitório é o defeito oculto da coisa que pode torná-la imprópria para o fim a

Leia mais

Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico. Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP

Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico. Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP Conflitos entre o Processo Penal E o Processo Administrativo sob O ponto de vista do médico Dr. Eduardo Luiz Bin Conselheiro do CREMESP PRÁTICA MÉDICA A prática médica se baseia na relação médicopaciente,

Leia mais

Turmas Especiais 2015 Programa da disciplina.

Turmas Especiais 2015 Programa da disciplina. Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo FDSBC Curso de Prática Jurídica Civil Prof. Titular Pedro Marini Neto Prof. Substituto Estevan Lo Ré Pousada Turmas Especiais 2015 Calendário de atividades

Leia mais

A)Dolo direto ou determinado: quando o agente visa certo e determinado resultado.

A)Dolo direto ou determinado: quando o agente visa certo e determinado resultado. CRIME DOLOSO Conceito: considera-se doloso o crime quando o agente quis o resultado ou assumiu o risco de produzi-lo. Na primeira hipótese temos, o dolo direto e, na segunda, o dolo eventual. No dolo direto,

Leia mais

PARTE I. Auto Viação Gaivota Ltda., concessionária de transporte urbano do município de Belo

PARTE I. Auto Viação Gaivota Ltda., concessionária de transporte urbano do município de Belo PROVA DISCURSIVA P 3 Nas partes I (peça judicial) e II (questões) desta prova que valem dez pontos cada uma, faça o que se pede, usando as páginas correspondentes do presente caderno para rascunho. Em

Leia mais

: MIN. DIAS TOFFOLI :MARINA PERPETUA MARTINS KRIEGER TENGAN :PROCURADOR-GERAL DO DISTRITO FEDERAL

: MIN. DIAS TOFFOLI :MARINA PERPETUA MARTINS KRIEGER TENGAN :PROCURADOR-GERAL DO DISTRITO FEDERAL RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 937.635 DISTRITO FEDERAL RELATOR RECTE.(S) : MIN. DIAS TOFFOLI :MARINA PERPETUA MARTINS KRIEGER TENGAN PROC.(A/S)(ES) :DEFENSOR PÚBLICO-GERAL DO DISTRITO RECDO.(A/S) PROC.(A/S)(ES)

Leia mais

EXECUÇÃO DE ALIMENTOS. Arts. 732 a L. 5478/68

EXECUÇÃO DE ALIMENTOS. Arts. 732 a L. 5478/68 EXECUÇÃO DE ALIMENTOS Arts. 732 a 735 + L. 5478/68 1. Considerações iniciais Alimentos: valores devidos para a subsistência e necessidades básicas de alguém que não tem condições, por si próprio, de garanti-las:

Leia mais

Marcelo Alexandre da Silva OAB/MS 6.389

Marcelo Alexandre da Silva OAB/MS 6.389 A PRESCRIÇÃO FARMACÊUTICA E SUAS CONSEQUÊNCIAS ADMINISTRATIVAS, CIVIS E CRIMINAIS Marcelo Alexandre da Silva OAB/MS 6.389 Procurador Jurídico do CRF/MS Pontos de Discussão - Competência do CFF para expedir

Leia mais

1) RESPONSABILIDADE CIVIL - INTRODUÇÃO:

1) RESPONSABILIDADE CIVIL - INTRODUÇÃO: 1 PONTO 1: Responsabilidade Civil introdução PONTO 2: Pressupostos da responsabilidade civil 1) RESPONSABILIDADE CIVIL - INTRODUÇÃO: A expressão responsabilidade significa arcar com as consequências, significa

Leia mais

Processo do Trabalho I

Processo do Trabalho I Processo do Trabalho I»Aula 5 Jurisdição e Competência Parte 1 Introdução Jurisdição Competência Em razão da Matéria Competência Funcional Jurisdição e competência da Justiça a do Trabalho I Introdução

Leia mais

www.opiceblum.com.br O Marco Civil da Internet, Novas Aplicações, Riscos Legais e Oportunidades para o Setor Bancário Rubia Ferrão FONTES DE DIREITO CF LEIS CP, CC,CPC, CLT, CTN, CDC etc. Demais Atos Decretos,

Leia mais

Curso de Direito nas Ciências Econômicas. Profa. Silvia Mara Novaes Sousa Bertani

Curso de Direito nas Ciências Econômicas. Profa. Silvia Mara Novaes Sousa Bertani Curso de Direito nas Ciências Econômicas Profa. Silvia Mara Novaes Sousa Bertani 2014 1. O Direito 2 Direito é um conjunto de regras que disciplina as diversas dimensões de nossas vidas. Todos nós, na

Leia mais

A DIFERENCIAÇÃO ENTRE DOLO EVENTUAL E CULPA CONSCIENTE.

A DIFERENCIAÇÃO ENTRE DOLO EVENTUAL E CULPA CONSCIENTE. A DIFERENCIAÇÃO ENTRE DOLO EVENTUAL E CULPA CONSCIENTE. Marcelo Augusto de Freitas Graduando em Direito / UNILAGO Luiz Fernando Volpe Pós Graduação em Direito Público e Mestrando em Direito Teoria Geral

Leia mais

Direito Civil Direito Civil

Direito Civil Direito Civil DIREITO CIVIL PEÇA PROFISSIONAL Ercília, ao parar diante de faixa de pedestre, na cidade de Patos de Minas MG, teve seu veículo abalroado pelo automóvel conduzido por Otávio e, em razão do acidente, teve

Leia mais

Direito do Consumidor: Responsabilidade Civil e o Dever de Indenizar

Direito do Consumidor: Responsabilidade Civil e o Dever de Indenizar Direito do Consumidor: Responsabilidade Civil e o Dever de Indenizar Formação de Servidores do PROCON RJ - 2012 AULA 01 03/07/2012 Turma RC01 Professor e Advogado. Especialista em Relações de Consumo pela

Leia mais

DA CONVERSÃO DA AÇÃO INDIVIDUAL EM AÇÃO COLETIVA NO NOVO CPC. Por Carlos Eduardo Rios do Amaral

DA CONVERSÃO DA AÇÃO INDIVIDUAL EM AÇÃO COLETIVA NO NOVO CPC. Por Carlos Eduardo Rios do Amaral DA CONVERSÃO DA AÇÃO INDIVIDUAL EM AÇÃO COLETIVA NO NOVO CPC Por Carlos Eduardo Rios do Amaral A desejada molecularização das lides em detrimento de ações individuais repetitivas que guardam o mesmo objeto

Leia mais

PROCESSO CIVIL II. Formação do Processo. UNIC Universidade de Cuiabá. Prof. Eduardo Ramsay de Lacerda

PROCESSO CIVIL II. Formação do Processo. UNIC Universidade de Cuiabá. Prof. Eduardo Ramsay de Lacerda PROCESSO CIVIL II Formação do Processo UNIC Universidade de Cuiabá Prof. Eduardo Ramsay de Lacerda O PROCESSO O processo é uma relação jurídica, que apresenta dois aspectos: a) material, consistente no

Leia mais

1.5 Abrigo em entidade...162 1.6 Abrigo temporário...164 2. Competência para aplicação das medidas de proteção...165

1.5 Abrigo em entidade...162 1.6 Abrigo temporário...164 2. Competência para aplicação das medidas de proteção...165 SUMÁRIO DOUTRINA CAPÍTULO I INTRODUÇÃO... 3 1. Breve evolução histórica dos direitos dos idosos no Brasil... 3 2. Perfil Constitucional dos direitos dos idosos... 5 3. Princípios norteadores dos direitos

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 1 Registro: 2013.0000702220 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0050412-72.2012.8.26.0564, da Comarca de São Bernardo do Campo, em que é apelante/apelado ANA MARIA DE

Leia mais

Estágio Supervisionado I

Estágio Supervisionado I Estágio Supervisionado I 5ª etapa TRABALHO Nº 01 Ativ. Acomp. e Obs. em Órgãos Públicos Ministério Público Estadual ou Federal TRABALHO Nº 02 Ativ. Acomp. e Obs. em Órgãos Públicos Advocacia Geral da União

Leia mais

Direito das Obrigações

Direito das Obrigações Direito das Obrigações Kauísa Carneiro ZANFOLIN RESUMO: Trata-se de obrigações das quais acarretam consequências jurídicas, são tratadas pela parte especial do Código Civil. Corresponde a uma relação de

Leia mais

Novo CPC Petição Inicial Modelo

Novo CPC Petição Inicial Modelo Novo CPC Petição Inicial Modelo Novo CPC Petição Inicial Modelo Novo CPC Petição Inicial Modelo EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA (Ex. CIVIL, ou DE FAMÍLIA, ETC) DA COMARCA.. / UF (Conforme

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DO ENFERMEIRO NA GESTÃO ASSISTENCIAL

RESPONSABILIDADE CIVIL DO ENFERMEIRO NA GESTÃO ASSISTENCIAL RESPONSABILIDADE CIVIL DO ENFERMEIRO NA GESTÃO ASSISTENCIAL DEFININDO RESPONSABILIDADE CIVIL A responsabilidade civil consiste na obrigação (vínculo obrigacional) que impende sobre aquele que causa um

Leia mais

Ações judiciais na locação de imóveis urbanos

Ações judiciais na locação de imóveis urbanos Ações judiciais na locação de imóveis urbanos Ação revisional de aluguel Ação de consignação de aluguel e acessórios da locação Prof. Denis Donoso Denis Donoso blogspot.denisdonoso.com.br Apresentação

Leia mais

I CONCEITOS PROCESSUAIS BÁSICOS

I CONCEITOS PROCESSUAIS BÁSICOS I CONCEITOS PROCESSUAIS BÁSICOS 1) Pretensão: A pretensão é o desejo de uma pessoa de submeter ao seu o interesse de terceiro, de obter certo benefício, como o recebimento de alguma importância ou a imposição

Leia mais

SUMÁRIO LIVRO I IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. Parte 1 Direito Material Rafael Carvalho Rezende Oliveira

SUMÁRIO LIVRO I IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. Parte 1 Direito Material Rafael Carvalho Rezende Oliveira SUMÁRIO LIVRO I IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA Parte 1 Direito Material Rafael Carvalho Rezende Oliveira 1. INTRODUÇÃO 1.1. A importância do combate à corrupção 1.2. Conceito de improbidade administrativa

Leia mais

Controle Social e Controle do Estado

Controle Social e Controle do Estado Controle Social e Controle do Estado A regulação do Estado surge quando se torna insuficiente a regulação social Regulação do Estado: - Normas Administrativas - Normas Legais Normas Administrativas Normas

Leia mais

RESENHAS REVIEWS RESPONSABILIDADE CIVIL DA ATIVIDADE MÉDICA NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR

RESENHAS REVIEWS RESPONSABILIDADE CIVIL DA ATIVIDADE MÉDICA NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR 248 RESENHAS REVIEWS RESPONSABILIDADE CIVIL DA ATIVIDADE MÉDICA NO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR Octávio Luiz Motta Ferraz Elsevier, Rio de Janeiro, 2009 Estela Waksberg Guerrini ( * ) Não é preciso explicar

Leia mais

MARIA REJANE MONTAGNA ajuizou ação de indenização contra HOSPITAL LUTERANO DA ULBRA (COMUNIDADE EVANGÉLICA LUTERANA SÃO PAULO CELSP).

MARIA REJANE MONTAGNA ajuizou ação de indenização contra HOSPITAL LUTERANO DA ULBRA (COMUNIDADE EVANGÉLICA LUTERANA SÃO PAULO CELSP). COMARCA DE CANOAS 3ª VARA CÍVEL Rua Lenine Nequete, 60 Nº de Ordem: Processo nº: 008/1.08.0004639-9 Natureza: Indenizatória Autor: Maria Rejane Montagna Réu: Hospital Luterano da Ulbra Juiz Prolator: Juiz

Leia mais

Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro 23ª CÂMARA CÍVEL

Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro 23ª CÂMARA CÍVEL AGRAVO DE INSTRUMENTO n º 0009034-09.2014.8.19.0000 AGRAVANTE: UNIMED PAULISTANA SOCIEDADE COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO AGRAVADO: JOÃO PAULO GOMES RODRIGUES RELATOR: DES. MARCELO CASTRO ANÁTOCLES DA

Leia mais

Prof. Me. Edson Guedes. Unidade II INSTITUIÇÕES DE DIREITO

Prof. Me. Edson Guedes. Unidade II INSTITUIÇÕES DE DIREITO Prof. Me. Edson Guedes Unidade II INSTITUIÇÕES DE DIREITO 5. Direito Civil Unidade II 5.1 Da validade dos negócios jurídicos; 5.2 Responsabilidade civil e ato ilícito; 5. Direito Civil 5.1 Da validade

Leia mais

SEXTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº BENEDICTO ABICAIR APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DECLARATÓRIA. REFORMA PARCIAL DA SENTENÇA.

SEXTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº BENEDICTO ABICAIR APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DECLARATÓRIA. REFORMA PARCIAL DA SENTENÇA. SEXTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº 0058525-60.2006.8.19.0001 APELANTE 1: SUL AMÉRICA CAPITALIZAÇÃO S/A SULACAP APELANTE 2: SUL AMÉRICA S/A APELADO1: OS MESMOS APELADO 2: RILDO APARECIDO FERREIRA RELATOR:

Leia mais

https://youtu.be/tjdwx0oqbrg Novo CPC Contestação Modelo

https://youtu.be/tjdwx0oqbrg Novo CPC Contestação Modelo Novo CPC Contestação Modelo https://youtu.be/tjdwx0oqbrg Novo CPC Contestação Modelo EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DA COMARCA.. / UF Pular 3 linhas Processo nº Pular 10 linhas (NOME

Leia mais

ILICITUDE PROFESSOR: LEONARDO DE MORAES

ILICITUDE PROFESSOR: LEONARDO DE MORAES ILICITUDE PROFESSOR: LEONARDO DE MORAES 1 Ilicitude ou antijuridicidade? Conceito. Há doutrina ensinando que os termos são sinônimos. Ocorre que o CP apenas fala em ilicitude. Isto se dá, pois o FT é um

Leia mais

RESPONSABILIDADES TÉCNICA, CIVIL E PENAL DOS PROFISSIONAIS DO CREA

RESPONSABILIDADES TÉCNICA, CIVIL E PENAL DOS PROFISSIONAIS DO CREA RESPONSABILIDADES TÉCNICA, CIVIL E PENAL DOS PROFISSIONAIS DO CREA Claude Pasteur de Andrade Faria Procurador Chefe do Crea-SC OAB/SC 27.253 Crea/SC 08.958-4 PARTE I RESPONSABILIDADE TÉCNICA RESPONSABILIDADE

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PORTARIA Nº 1250-D.M

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PORTARIA Nº 1250-D.M TRIBUNAL DE JUSTIÇA PORTARIA Nº 1250-D.M O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei e tendo em vista o contido no protocolado sob nº

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA COESÃO SEQUENCIAL

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA COESÃO SEQUENCIAL COESÃO SEQUENCIAL As informações contidas no texto jurídico devem progredir em cada parágrafo, fazendo com que o texto caminhe para frente. 1. Conceito de coesão sequencial A coesão sequencial são elementos

Leia mais

Petição Inicial - Conceito

Petição Inicial - Conceito Petição Inicial - Conceito A Petição Inicial é um documento escrito (ou digital) elaborado pelo advogado para defender e reivindicar os direitos de um cidadão ou instituição perante o Poder Judiciário,

Leia mais

MEDIDAS CAUTELARES EM ARBITRAGEM MARÍTIMA. Iwam Jaeger RIO DE JANEIRO

MEDIDAS CAUTELARES EM ARBITRAGEM MARÍTIMA. Iwam Jaeger RIO DE JANEIRO Iwam Jaeger iwam@kincaid.com.br RIO DE JANEIRO FONE: (55 21) 2276 6200 FAX: (55 21) 2253 4259 AV. RIO BRANCO, 25-1º andar 20090-003 - RIO DE JANEIRO RJ MEDIDAS CAUTELARES NO DIREITO MARÍTIMO O PODER GERAL

Leia mais

Objetivos: 1. Definir Infrações Penais, apresentando as diferenças entre o Crime e Contravenção. Distinguir o Crime Doloso do Culposo.

Objetivos: 1. Definir Infrações Penais, apresentando as diferenças entre o Crime e Contravenção. Distinguir o Crime Doloso do Culposo. Assunto: Infrações Penais Objetivos: 1. Definir Infrações Penais, apresentando as diferenças entre o Crime e Contravenção. Distinguir o Crime Doloso do Culposo. Sumário: 1. Introdução 2. Desenvolvimento

Leia mais

Apelação n , de Santa Rosa do Sul Relator: Desembargador Domingos Paludo

Apelação n , de Santa Rosa do Sul Relator: Desembargador Domingos Paludo Apelação n. 0001563-21.2011.8.24.0189, de Santa Rosa do Sul Relator: Desembargador Domingos Paludo APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MATERIAIS MORAIS. MÓVEL (ARMÁRIO) ADQUIRIDO E MONTADO DE

Leia mais