ORIENTAÇÕES PARA PROJETOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORIENTAÇÕES PARA PROJETOS"

Transcrição

1 PROJETOS 1 Aprovação do Projetos pelo Depto. Técnico da Associação 2 Aprovação do Projeto e Solicitação de Alvará de Construção na Prefeitura Municipal 3 Liberação de Obra pelo Depto. Técnico da Associação OBRA 4 Solicitação de Carta de Liberação ao término da obra ao Depto. Técnico da Associação 5 Solicitação de HABITE-SE na Prefeitura Municipal 6 Apresentação do HABITE-SE ao Depto. Técnico da Associação OCUPAÇÃO DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA ANÁLISE E APROVAÇÃO DE PROJETO: 02 vias do Levantamento Planialtimétrico (escala 1:200 ou 1:100); 02 vias do Projeto Arquitetônico, contendo as plantas baixas de todos os pavimentos, planta de situação e de cobertura, cortes e fachadas; 02 vias do Memorial de Cálculo de Áreas padrão Terras Alphaville; Cópia da Escritura de venda e compra do lote, com ou sem alienação fiduciária, devidamente registrada na matrícula do imóvel, ou cópia do Contrato de Compra e Venda (Quadro Resumo onde consta a descrição do lote); 02 vias do Projeto de Remembramento ou Desmembramento de lotes, quando aplicável; Cópia da guia de RRT/ART recolhida do autor do projeto; Cópia da guia de ART/RRT recolhida do responsável técnico da obra. Após revisões, em todas as adequações e complementações exigidas, o projeto estando apto, uma das vias ficará retida na Associação sendo a outra devolvida devidamente carimbada. As vias necessárias para trâmites junto aos órgãos municipais também deverão ser carimbadas pela Associação. Para o esclarecimento de dúvidas acerca do Regulamento do Loteamento, documentação exigida pelo, padrões estabelecidos pela Associação e modelos de autorizações, entrar em contato com o departamento técnico através: Fone: (86) Arquiteta responsável: Flávia Azevedo Horário de atendimento: 8:00 14:00 (Segunda a Sexta)

2 MEMORIAL DE CÁLCULO DE ÁREAS Apresentar em anexo, separado do projeto completo, preferencialmente em formato A4 ou A3: 1) Projeção do perímetro da Área Construída de cada pavimento, dividida em figuras geométricas com indicação das cotas. Descrever o cálculo com o resultado de cada área e os totais de cada pavimento. 2) Repetir o procedimento para Área Permeável. Exemplo: A3 A A2 7.0 A2 A1 A ÁREA 100% PERMEÁVEL 20% A1 = 0,5 x 5,0 = 2,5 A2 = 6,8 x 5,0 = 34,0 A3 = 1,5 x 17,0 = 25,5 A4 = 12,0 x 3,0 = 36,0 A5 = 6,0 x 5,0 = 30,0 Área Permeável = 128 m 2 PAVIMENTO TÉRREO A1 = 10,5 x 5,0 = 52,5 A2 = 9,0 x 7,0 = 63,0 A3 = 4,5 x 5,0 = 22,5 Área Construída = 138 m 2 PAVIMENTO SUPERIOR A1 = 6,5 x 5,0 = 32,5 A2 = 9,0 x 7,0 = 63,0 A3 = 4,5 x 5,0 = 22,5 Área Construída = 118 m 2 NOTA: Áreas pavimentadas com piso intertravado ou drenante poderão ser computadas no cálculo de áreas permeáveis respeitandose a porcentagem de permeabilidade de cada material especificada pelos fabricantes.

3 ROTEIRO PARA ANÁLISE DE PROJETOS RESIDENCIAIS ITEM OK COMENTÁRIOS DOCUMENTAÇÃO ENTREGUE 02 vias do Levantamento Planialtimétrico (esc.1:200 ou 1:100) 02 vias do Projeto Arquitetônico, com planta baixa de todos os pavimentos, planta de situação e coberta, cortes (mínimo um transversal e outro longitudinal) e fachadas 02 vias do Memorial de Cálculo de Áreas Construídas e Permeáveis - Padrão Terras Alphaville. 02 vias do Projeto de Remembramento ou Desmembramento de lotes, quando aplicável. Escritura do lote ou Cópia do Contrato (Quadro Resumo, páginas 01 a 03, onde consta a descrição dos lotes). Cópia da guia de RRT/ART recolhida do autor do projeto Cópia da guia de ART/RRT recolhida do resp. técnico da obra Termo de Cobrança da Taxa de Aprovação de Projeto DOCUMENTAÇÃO AUXILIAR Autorizações para construção de Muro Comum Autorização para Manutenção de Área Pública CARIMBO Nome Completo do Proprietário Nome Completo dos Profissionais (Autor do projeto e Responsável técnico da obra) e Registros Profissionais Identificação completa do lote: Rua/Quadra/Lote Identificação do empreendimento: Loteamento Terras Alphaville Teresina Identificação do tipo de projeto: Residência Unifamiliar Escala dos desenhos e Quantidade total de pranchas Quadro de assinaturas com identificação das assinaturas (nomes ou carimbos) ÁREAS, TAXAS E ÍNDICES Área mínima do Lote m 2 (testada mínima 12m) Apresentação do Memorial de Áreas Padrão Terras Alphaville The Áreas Construídas (Pavimentos Térreo e Superior + Edícula): mínimo 120,00m² Área Edícula 25% da área construída da edificação principal. Taxa de ocupação - 50%

4 Índice de aproveitamento - 1,2 Áreas permeáveis - mínimo 20% LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO Locar inspeção de esgoto existente Identificar poços de visita e Bocas de lobo no passeio Identificar poste de iluminação pública existente mais próximo do lote (mesma quadra ou quadra em frente). Locar árvores existentes Indicação de confrontantes (laterais e fundos) Indicação do norte Indicação de cotas totais do lote (e/ou raios) Indicação das curvas de nível Indicar cotas de nível dos pontos extremos do lote Indicação do Ponto de Referência Ver definição no Regulamento Construtivo. PLANTAS Edificação obrigatoriamente em monobloco: QA QD QG QL QO QAD QAE QAG QAJ QAM QAR QAO Indicar confrontantes (fundo / laterais). Indicar cotas de nível dos pontos extremos do lote Indicar níveis (áreas internas, calçadas de contorno, áreas permeáveis e calçada) Pavimento térreo - máx.1,00m acima ou abaixo Ponto de Referência. Escalonamento de níveis no mesmo pavimento - máx.1,50m e área de patamar mínima - 10m 2 Indicar cotas totais do lote - testada mínima - 12,00m Indicar cotas do passeio 2,50m Calçada/ Passeio Indicar desenho na planta baixa do pavimento térreo. Incluir hachura, especificação de materiais e cotas segundo Padrão fornecido pela Associação. Rebaixamento de guia para acesso veículos ( 50% da testada do lote/ Afastamentos laterais -1,00m) Cotar recuos principais: frontal: 5,00m / lateral: 1,50m / fundos: 3,00m. Entre beirais das edificação principal e edícula - 3,00m. Indicar fechamentos: muros e similares (recuo frontal mínimo 5,00m) Quando confrontante, indicar Muro Perimetral do Terras Alphaville Lotes com área verde adjacente: fechamento em gradil (0,50m mureta + 1,50m gradil), alambrado ou cerca-viva. Garagem sobre recuo lateral profundidade máx. 6,00m

5 Piscinas: indicar cotas totais e recuos (frontal: 5,00m/ lateral e fundos: 0,5m). Locar casa de bombas (ou projeção) Observar recuos permitidos. Chuveiros de apoio para piscina não deverão ser instalados nos muros de divisa Estrutura independente. Cotar projeção de todos os elementos de cobertura (beirais, marquises e pergolados) nas plantas baixas. Planta de Coberta: cotar beirais, marquises, pergolados, etc. Avanços permitidos sobre recuos lateral e fundos:0,6m e frontal:1m Planta de Coberta: Indicar caixa d água ou projeção Indicar capacidade (L) e acessos. Indicar inclinação e material de telhados/coberturas. Locar poço artesiano, quando houver: Recuos: frontal - 5,00m/ lateral e fundos - 1,5m CORTES Altura máxima da edificação principal, incluindo-se volume da caixa d água - 11,00m Altura máxima da garagem sobre faixa de recuo lateral 3,20m do piso acabado. Altura máxima da edícula - 4,00m / Pé-direito mínimo - 2,60m Número máximo de pavimentos (02 pavimentos: térreo e superior - acima do nível da rua - e 01 subsolos). Mostrar lote completo, inclusive calçadas e muros. Indicar desenho esquemático da calçada - Padrão Terras Alphaville The Indicar PNT (Perfil Natural do Terreno). Indicar níveis (áreas internas, calçadas de contorno, áreas permeáveis, piscina e calçada). Pav.térreo - máx.1,00m acima ou abaixo Ponto de Referência (Escalonamento de níveis no mesmo pav. - máx.1,50m e área de patamar mínima - 10m 2 ) Cotar altura dos forros, sem a laje. Indicar Muros/Fechamentos: Altura máxima a partir da cota natural do terreno: 2,00m / Arrimos:1,5m /Muro Perimetral do Alphaville deverá ser representado com altura > 2,40m Lotes com área verde adjacente: fechamento em gradil (0,50m mureta + 1,50m gradil), alambrado ou cerca-viva. Chuveiros de apoio para piscina não deverão ser instalados nos muros de divisa Estrutura independente. FACHADAS Especificar materiais de acabamento, inclusive muros e edícula Proceder adequações nos desenhos segundo solicitações anteriores.

6 ANOTAÇÕES OBRIGATÓRIAS NO PROJETO: 1. Será mantido o perfil natural do terreno na faixa de recuo frontal junto às divisas com os lotes vizinhos; 2. As medidas dos beirais indicados neste projeto representam a cobertura acabada, incluindo calhas e rufos; 3. Será prevista a drenagem de águas pluviais junto aos muros; 4. Os taludes terão inclinação máxima na proporção de 1,5: 1 = base : altura; 5. Possui o mínimo de 20% da área do lote como área permeável; 6. As instalações de GLP atendem as normas da ABNT; 7. Todos os muros ou muretas, quando houver, serão revestidos e pintados em ambas as faces; 8. O esgoto deverá ser lançado na rede pública existente; 9. As águas pluviais deverão ser captadas em rede independente do esgoto sanitário e deverão ser lançadas na sarjeta ou boca de lobo existente. 10. Os medidores de energia elétrica deverão ser instalados segundo padrão fornecido pela Associação Terras Alphaville Teresina. OUTROS

ORIENTAÇÕES INICIAIS PARA PROPRIETÁRIOS E ARQUITETOS

ORIENTAÇÕES INICIAIS PARA PROPRIETÁRIOS E ARQUITETOS 1. ROTEIRO PARA APROVAÇÃO E LIBERAÇÃO DE PROJETOS E OBRAS: PROJETOS A. Aprovação do Projetos pelo Depto. Técnico da Associação B. Aprovação do Projeto e Solicitação de Alvará de Construção na Prefeitura

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

CONSTRUINDO SUA CASA EM ALPHAVILLE. AlphaVille Teresina

CONSTRUINDO SUA CASA EM ALPHAVILLE. AlphaVille Teresina CONSTRUINDO SUA CASA EM ALPHAVILLE AlphaVille Teresina Como será a casa? ESTILO ARQUITETÔNICO Como será a casa? Sala de Estar Sala de Jantar Home theater Lareira Lavabo Sala de Almoço / Copa Cozinha Despensa

Leia mais

AJARGO - ASSOCIAÇÃO JARDINS DO LAGO - QUADRA 01 NORMAS DE PROCEDIMENTO

AJARGO - ASSOCIAÇÃO JARDINS DO LAGO - QUADRA 01 NORMAS DE PROCEDIMENTO Folha 1/3 Nome do Arquivo: 1. OBJETIVOS Estabelecer sistemática de aprovação de projetos para que se enquadrem nas normas estabelecidas, dentro do Regulamento Interno e Restrições Urbanísticas (Cap. VIII

Leia mais

ARQUIVO MODELO PADRÃO (pdf) e PRANCHA ÚNICA PREFEITURA

ARQUIVO MODELO PADRÃO (pdf) e PRANCHA ÚNICA PREFEITURA 1. OBJETIVO... 2 2. PROJETOS DE REMEMBRAMENTO E / OU DESMEBRAMENTO DE LOTES... 2 2.1. Documentações necessárias... 2 2.2. Modelo Prancha Única Remembramento (fig. 01)... 2 2.3. Restrições para Áreas...

Leia mais

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS 1 AUTORIZAÇÕES E CADASTRAMENTO Para entrada de profissionais e execução de serviços como LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO e SONDAGEM, será necessária a autorização por

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS 1 1. AUTORIZAÇÕES E CADASTRAMENTO: Para entrada de profissionais e execução de serviços como LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO e SONDAGEM, será necessária a autorização

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS Este informativo foi elaborado visando a padronização para a Apresentação de Projetos junto ao da Associação, para que a análise e a aprovação de projetos transcorram de forma mais rápida e eficiente.

Leia mais

Imagem meramente ilustrativa MANUAL DE NORMAS CONSTRUTIVAS

Imagem meramente ilustrativa MANUAL DE NORMAS CONSTRUTIVAS Imagem meramente ilustrativa MANUAL DE NORMAS CONSTRUTIVAS Tamboré Bauru (agosto de 2013) Introdução Este manual foi elaborado a partir do Anexo IV - INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPROMISSO DE VENDA E COMPRA

Leia mais

Representação Desenho Arquitetônico. Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia

Representação Desenho Arquitetônico. Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia Representação Desenho Arquitetônico Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia OS ELEMENTOS DO DESENHO ARQUITETÔNICO Os desenhos básicos que compõem um projeto de arquitetura, a partir de projeções ortogonais,

Leia mais

APROVAÇÃO E LICENÇA - RESIDENCIAL UNIFAMILIAR

APROVAÇÃO E LICENÇA - RESIDENCIAL UNIFAMILIAR APROVAÇÃO E LICENÇA - RESIDENCIAL UNIFAMILIAR 1. Formulário Padrão (fornecido pelo IMPLURB) devidamente preenchido, sendo imprescindível conter o nome do interessado, número do telefone, número do celular

Leia mais

PROJETO ARQUITETÔNICO

PROJETO ARQUITETÔNICO PROJETO ARQUITETÔNICO CEG218 Desenho arquitetônico I Prof. Márcio Carboni UFPR - DEGRAF - CEG218 DESENHO ARQUITETÔNICO I - Prof. Márcio Carboni 1 ORGANIZAÇÃO DA AULA Etapas de projeto arquitetônico Elementos

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo de Área

Leia mais

APLICANDO O CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES DO MUNICÍPIO DE SÃO CARLOS Arq. Fernando Mazzeo Grande

APLICANDO O CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES DO MUNICÍPIO DE SÃO CARLOS Arq. Fernando Mazzeo Grande APLICANDO O CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES DO MUNICÍPIO DE SÃO CARLOS Arq. Fernando Mazzeo Grande Secretaria Municipal de Habitação e Desenvolvimento Urbano 2012 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO I. PRINCIPAIS DISPOSITIVOS

Leia mais

CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE

CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES ANEXO II FATOR DE SUSTENTABILIDADE ITEM PONTOS I IMPLANTAÇÃO DO EDIFÍCIO MAX. 10 A) MOVIMENTAÇÃO DO SOLO Implantação do projeto adequada ao perfil natural do terreno, com

Leia mais

Aula 9. Prof. Regis de Castro Ferreira. Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira

Aula 9. Prof. Regis de Castro Ferreira. Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira rcastro@agro.ufg.br NOÇÕES DE DESENHO ARQUITETÔNICO 1. CONCEITO: (...) a representação de um projeto. Desenho arquitetônico consiste na representação geométrica das diferentes

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ Associação Alphaville Mossoró Janeiro- 2014 ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS 1. PROJETOS DE REMEMBRAMENTO E / OU DESMEBRAMENTO

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

ETAPAS DE UM PROJETO ARQUITETÔNICO

ETAPAS DE UM PROJETO ARQUITETÔNICO PROJETO ARQUITETÔNICO PARA ENGENHARIA CIVIL ETAPAS DE UM PROJETO ARQUITETÔNICO UNIC - UNIVERSIDADE DE CUIABÁ 2016/02 ETAPAS DE UM PROJETO ARQUITETÔNICO O projeto de uma edificação é desenvolvido em fases,

Leia mais

PURP 63 PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO ESCALA PREDOMINANTE: BUCÓLICA. AP 10 UP 8 INSTITUTO DE METEOROLOGIA (INMET), CEB e CAESB

PURP 63 PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO ESCALA PREDOMINANTE: BUCÓLICA. AP 10 UP 8 INSTITUTO DE METEOROLOGIA (INMET), CEB e CAESB AP 10 UP 8 Folha 1 / 6 AP 10 UP 8 Folha 2 / 6 DISPOSITIVOS DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO VALOR PATRIMONIAL PLANILHA DE PARÂMETROS URBANÍSTICOS E DE PRESERVAÇÃO A ATRIBUTOS DE CONFIGURAÇÃO URBANA: TECIDO (MALHA

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

ARQUIVO MODELO PADRÃO de APRESENTAÇÃO DE PROJETOS (PDF)

ARQUIVO MODELO PADRÃO de APRESENTAÇÃO DE PROJETOS (PDF) 1. OBJETIVO... 2 2. PROJETOS DE REMEMBRAMENTO E / OU DESMEBRAMENTO DE LOTES... 2 2.1. Documentações necessárias... 2 2.2. Modelo Prancha Única Remembramento (fig. 01)... 2 2.3. Restrições para Áreas...

Leia mais

DESENHO ARQUITETÔNICO I. O Projeto Arquitetônico

DESENHO ARQUITETÔNICO I. O Projeto Arquitetônico DESENHO ARQUITETÔNICO I O Projeto Arquitetônico O que é um projeto arquitetônico? É uma representação em um plano das projeções de uma edificação. Possui três fases: 1. Fase preliminar - Estudo da viabilidade

Leia mais

ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS PARA LICENCIAMENTO DE LOTEAMENTOS LICENÇA PREVIA

ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS PARA LICENCIAMENTO DE LOTEAMENTOS LICENÇA PREVIA ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS PARA LICENCIAMENTO DE LOTEAMENTOS LICENÇA PREVIA 1. Requerimento a SUDEMA, solicitando o licenciamento; 2. Cadastro devidamente preenchido; 3. Guia de Recolhimento

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS GUIA RÁPIDO - PRINCIPAIS PENDÊNCIAS DE EXAME INTRODUÇÃO O presente instrumento reuniu as principais pendências identificadas nos exames de projetos de edificações,

Leia mais

PROTEJA O HIDRÔMETRO DO SEU IMÓVEL

PROTEJA O HIDRÔMETRO DO SEU IMÓVEL PROTEJA O HIDRÔMETRO DO SEU IMÓVEL A partir de agora, de acordo com o novo regulamento de serviços de água e esgoto, publicado em 04/07/08, todas as novas instalações de água deverão contar com proteção

Leia mais

Lei Municipal N.º 1412

Lei Municipal N.º 1412 Lei Municipal N.º 1412 Art. 7º -- Para cada uma das zonas em que se divide a área urbana, a presente Lei, estabelece, as tabelas de 1 a 7 e no gráfico anexos: I -- os usos adequados, tolerados e inadequados;

Leia mais

RESOLUÇÃO SEINFRAde 07/06/2005

RESOLUÇÃO SEINFRAde 07/06/2005 RESOLUÇÃO SEINFRAde 07/06/2005 ASSUNTO: APROVAÇÃO DE PROJETOS PARA CONSTRUÇÃO E/OU REFORMA A SECRETARIA MUNICIPAL DE INFRA-ESTRUTURA da Cidade de Dourados-MS., objetivando a economia dos procedimentos

Leia mais

Instruções para Uso dos Guias e Especificações Técnicas

Instruções para Uso dos Guias e Especificações Técnicas Instruções para Uso dos Guias e Especificações Técnicas 1. Introdução As orientações aqui contidas têm o objetivo de auxiliar a FRANQUEADA na instalação da AGF. Seguindo todas as orientações e tirando

Leia mais

Rua Colombia nº 50 Boqueirão Santos / S.P. MEMORIAL DESCRITIVO

Rua Colombia nº 50 Boqueirão Santos / S.P. MEMORIAL DESCRITIVO Rua Colombia nº 50 Boqueirão Santos / S.P. MEMORIAL DESCRITIVO 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS 1.1 Projeto Será um edifício residencial contendo subsolo, térreo, mezanino, 13 pavimentos tipo com 04 (quatro) apartamentos

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS ALPHAVILLE SALVADOR 2

ORIENTAÇÕES PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS ALPHAVILLE SALVADOR 2 Os documentos exigidos pela Associação Alphaville Salvador 02 para novas construções do tipo residencial Unifamiliar são: 1. Carta de quitação de débitos condominiais, emitida pelo setor financeiro da

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura via física e via digital; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO CONDIÇÕES ESPECÍFICAS PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO CONDIÇÕES ESPECÍFICAS PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.05.021 PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA - SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO...

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUAÇU ESTADO DE GOIÁS PODER EXECUTIVO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO CNPJ /

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUAÇU ESTADO DE GOIÁS PODER EXECUTIVO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO CNPJ / Lei nº 1.589/2010 Regulamenta a implantação de CONDOMÍNIO RESIDENCIAL HORIZONTAL e CONDOMÍNIO RESIDENCIAL VERTICAL e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE URUAÇU, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

Sede Administrativa: Rua Cel. Cardoso de Siqueira, 3232 Residencial Real Park Fone: (11) / Fax: (11)

Sede Administrativa: Rua Cel. Cardoso de Siqueira, 3232 Residencial Real Park Fone: (11) / Fax: (11) 1 NORMAS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRA 1 Aprovação do Projeto Para o desenvolvimento dos projetos deverão ser considerados os itens abaixo relacionados: Todos os projetos para a CONSTRUÇÃO,

Leia mais

REGULAMENTO DO LOTEAMENTO ALPHAVILLE CAMPO GRANDE

REGULAMENTO DO LOTEAMENTO ALPHAVILLE CAMPO GRANDE Anexo B REGULAMENTO DO LOTEAMENTO ALPHAVILLE CAMPO GRANDE ÍNDICE I. DEFINIÇÕES...3 II. DISPOSIÇÕES GERAIS...6 III. PROJETOS...6 III.1. III.2. III.2.1 APROVAÇÃO DE PROJETOS E FISCALIZAÇÃO...6 PROJETO DE

Leia mais

FOLHA DE CAPA CONTROLE DE REVISÃO DAS FOLHAS

FOLHA DE CAPA CONTROLE DE REVISÃO DAS FOLHAS FOLHA DE CAPA TÍTULO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA APLICAÇÃO DE ABRIGOS METÁLICOS E ABRIGOS EM ALVENARIA NÚMERO ORIGINAL NÚMERO COMPAGAS FOLHA CONTROLE DE REVISÃO DAS FOLHAS ET-65-940-CPG-035 1 / 6 ESTA FOLHA

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia ANEXO VIII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS 1. Os projetos de instalações hidrossanitárias deverão atender às recomendações e especificações

Leia mais

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE CGEST. Coordenação Geral de Infraestrutura Educacional CODIN

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE CGEST. Coordenação Geral de Infraestrutura Educacional CODIN Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE CGEST Coordenação Geral de Infraestrutura Educacional CODIN Coordenação de Desenvolvimento de Infraestrutura Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

Leia mais

Projeto arquitetônico Professora Valéria Peixoto Borges

Projeto arquitetônico Professora Valéria Peixoto Borges Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar Projeto arquitetônico Professora Valéria Peixoto Borges INTRODUÇÃO O projeto arquitetônico é conjunto de passos normativos,

Leia mais

AVISO DE PROCURA DE IMÓVEL

AVISO DE PROCURA DE IMÓVEL AVISO DE PROCURA DE IMÓVEL A União, por intermédio do Delegado da Receita Federal do Brasil em Feira de Santana/BA, torna público que necessita locar imóvel, pelo prazo de 60 (sessenta) meses, para instalar

Leia mais

Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS CET Desenho Arquitetônico Prof. Dennis Coelho Cruz

Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS CET Desenho Arquitetônico Prof. Dennis Coelho Cruz Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS CET0043 - Desenho Arquitetônico Prof. Dennis Coelho Cruz Aula 4 : Planta Baixa Planta Baixa: A planta baixa é a

Leia mais

2.1 Os Lotes situados em Alphaville Residencial 11, destinam-se exclusivamente a construções de Uso Residencial Unifamiliar.

2.1 Os Lotes situados em Alphaville Residencial 11, destinam-se exclusivamente a construções de Uso Residencial Unifamiliar. CÓDIGO DE EDIFICAÇÃO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO ALPHAVILLE RESIDENCIAL 11 (NORMAS PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS E CONSTRUÇÃO DE OBRAS) 1. GENERALIDADES 1.1 Este Código foi elaborado em conformidade com as Leis

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO

MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO OBRA: CONSTRUÇÃO-BLOCO DIREITO PROPRIETÁRIO: FUNDAÇAO INTEGRADA MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR DE MINEIROS (FIMES) ENDEREÇO OBRA:RUA 22 ESQ.

Leia mais

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) REGULARIZAÇÃO

ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) REGULARIZAÇÃO ANÁLISE DOCUMENTAL (CHECK LIST) REGULARIZAÇÃO Regularização de Licença de Instalação (Empreendimento ou Atividade sem qualquer Licenciamento Ambiental) LICENÇA DE INSTALAÇÃO (Regularização) - Exigida nos

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA - 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; - Autorização para construção emitida pela ASSOCIAÇÃO DO CONDOMINIO HORIZONTAL PARAÍSO. 2. IMPLANTAÇÃO

Leia mais

- A sinalização com piso tátil não seguia o Projeto de Padronização de Calçadas da Prefeitura de Belo Horizonte, o que deve ser regularizado;

- A sinalização com piso tátil não seguia o Projeto de Padronização de Calçadas da Prefeitura de Belo Horizonte, o que deve ser regularizado; LAUDO DE 3 DE JULHO DE 2013 1. CALÇADAS Não havia sinalização com piso tátil de alerta junto às entradas de alguns dos estacionamentos, em desacordo com a NBR 9050, bem como não havia sinalização sonora

Leia mais

Alinhamento - Linha divisória legal entre o lote e logradouro público.

Alinhamento - Linha divisória legal entre o lote e logradouro público. ANEXO VI DEFINIÇÕES GLOSSÁRIO Ampliação - Alteração no sentido de tornar maior a construção. Alinhamento - Linha divisória legal entre o lote e logradouro público. Alpendre - Área coberta, saliente da

Leia mais

Anexo IV - ESCOPO DO PROJETO COMPLETO DE EDIFICAÇÕES

Anexo IV - ESCOPO DO PROJETO COMPLETO DE EDIFICAÇÕES 1 Prefeitura do Município de São Paulo - PMSP Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano - SMDU TERRITÓRIOS CEU PLANILHA DE ESCOPO PROJETO EDIFICAÇÕES Produto 1 Plano de Trabalho e Relatório de Viabilidade

Leia mais

Secretaria Municipal de Serviços Urbanos - Secretaria Municipal Adjunta de Regulação Urbana PORTARIA SMARU Nº 002/12

Secretaria Municipal de Serviços Urbanos - Secretaria Municipal Adjunta de Regulação Urbana PORTARIA SMARU Nº 002/12 Secretaria Municipal de Serviços Urbanos - Secretaria Municipal Adjunta de Regulação Urbana PORTARIA SMARU Nº 002/12 Estabelece o padrão de representação gráfica dos projetos arquitetônicos para licenciamento

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA REPRESENTAÇÕES DE DESENHO TÉCNICO E APROVAÇÃO DE PROJETOS SETOR DE ENGENHARIA

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA REPRESENTAÇÕES DE DESENHO TÉCNICO E APROVAÇÃO DE PROJETOS SETOR DE ENGENHARIA ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA REPRESENTAÇÕES DE DESENHO TÉCNICO E APROVAÇÃO DE PROJETOS SETOR DE ENGENHARIA ANEXO II DO DECRETO N 80/2011 DE 02/05/2011 PARTE 01: OBRA NOVA OU AMPLIAÇÃO 1. Planta de situação

Leia mais

TABELA DE HONORÁRIOS MÍNIMOS PROFISSIONAIS ÁREA ENGENHARIA CORRIGIDA ANUALMENTE PELO ÍNDICE IPC FIPE

TABELA DE HONORÁRIOS MÍNIMOS PROFISSIONAIS ÁREA ENGENHARIA CORRIGIDA ANUALMENTE PELO ÍNDICE IPC FIPE TABELA DE HONORÁRIOS MÍNIMOS PROFISSIONAIS ÁREA ENGENHARIA CORRIGIDA ANUALMENTE PELO ÍNDICE IPC FIPE I - GLOSSÁRIO - CLASSIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS TÉCNICOS CONSIDERAÇÕES INICIAIS: O Projeto de Prefeitura

Leia mais

NORMAS DE RESTRIÇÃO, USO, APROVEITAMENTO E CONSTRUÇÃO

NORMAS DE RESTRIÇÃO, USO, APROVEITAMENTO E CONSTRUÇÃO NORMAS DE RESTRIÇÃO, USO, APROVEITAMENTO E CONSTRUÇÃO EMPREENDIMENTO GOLF 1 As Normas de Restrição, Uso, Aproveitamento e Construção tem como objetivo regular o direito de utilização e aproveitamento dos

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 0017, DE 03 DE OUTUBRO DE 1.995

LEI COMPLEMENTAR Nº 0017, DE 03 DE OUTUBRO DE 1.995 ALTERA, ACRESCENTA E SUPRIME DISPOSITIVOS À LEI COMPLEMENTAR Nº 008, DE 23 DE DEZEMBRO DE 1.994, QUE DISPÕE SOBRE O CÓDIGO DE OBRAS E EDIFICAÇÕES DO MUNICÍPIO DE CATANDUVA. O Dr. CARLOS EDUARDO DE OLIVEIRA

Leia mais

Manual de Instalação da Caixa de Proteção Padrão das Ligações de Água

Manual de Instalação da Caixa de Proteção Padrão das Ligações de Água Manual de Instalação da Caixa de Proteção Padrão das Ligações de Água Manual de Instalação da Caixa de Proteção Padrão das Ligações de Água Como é novo Padrão de Ligações de Água 1. Não existe mais registro

Leia mais

Atender às necessidades de sustentabilidade e moradia, possibilitando qualidade de vida para os futuros moradores do Condomínio Villagio da Serra.

Atender às necessidades de sustentabilidade e moradia, possibilitando qualidade de vida para os futuros moradores do Condomínio Villagio da Serra. O Empreendimento está caracterizado como Condomínio Residencial implantado em um lote com área de 1130m², sendo 7 (sete) casas do lado direito e 6 (seis) casas do lado esquerdo do lote. Cada casa contempla

Leia mais

Metragem Até 100 m² De 101 a 120 m² De 121 a 150 m² De 151 a 200 m² Valor R$ 199,48 219,42 259,33 299,23

Metragem Até 100 m² De 101 a 120 m² De 121 a 150 m² De 151 a 200 m² Valor R$ 199,48 219,42 259,33 299,23 ANEXO II - TABELA III PAUTA FISCAL DOS PREÇOS DE MÃO-DE-OBRA PRATICADOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL PARA A COMPOSIÇÃO DA BASE DE CÁLCULO DO ISSQN - 2013 (INCLUSIVE PARA REFORMAS E DEMOLIÇÕES) I IMÓVEIS DE USO

Leia mais

Os projetos de comunicação visual deverão atender às seguintes Normas e Práticas Complementares:

Os projetos de comunicação visual deverão atender às seguintes Normas e Práticas Complementares: INSTRUÇÃO TÉCNICA 09 ARQUITETURA Revisão 00 jan/2014 1 OBJETIVO 1.1 Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam os procedimentos, critérios e padrões a serem adotados para elaboração dos Projetos

Leia mais

ELEVADORES VERSATILIDADE, TECNOLOGIA E BELEZA PARA PERCURSOS DE ATÉ 12 METROS

ELEVADORES VERSATILIDADE, TECNOLOGIA E BELEZA PARA PERCURSOS DE ATÉ 12 METROS ELEVADORES VERSATILIDADE, TECNOLOGIA E BELEZA PARA PERCURSOS DE ATÉ 12 METROS EL2000 Disponível para aplicação residencial unifamiliar ou exclusivo para acessibilidade em locais públicos Capacidade: 3

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 46

COMUNICADO TÉCNICO Nº 46 Página 1 de 11 COMUNICADO TÉCNICO Nº 46 LIGAÇÕES ESPECIAIS NA VIA PÚBLICA COM MEDIÇÃO Diretoria de Planejamento e Planejamento Gerência de Engenharia Página 2 de 11 ÍNDICE OBJETIVO...3 1. APLICAÇÃO...4

Leia mais

Instalações Hidráulicas/Sanitárias Água Pluvial

Instalações Hidráulicas/Sanitárias Água Pluvial Instalações Hidráulicas/Sanitárias Água Pluvial INTRODUÇÃO A água da chuva causa danos: à durabilidade das construções; à boa aparência das construções. A água de chuva deve ser coletada e transportada

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS - TO SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL R E Q U E R I M E N T O

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS - TO SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL R E Q U E R I M E N T O PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS - TO SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL R E Q U E R I M E N T O Interessado: Endereço: Fone: Profissional: Email: Fone: Certidão de Uso do Solo Análise e Aprovação

Leia mais

Projetos na construção civil. Projetos na construção civil. Projeto Arquitetônico. Projeto Arquitetônico Planta Baixa. Projeto Arquitetônico

Projetos na construção civil. Projetos na construção civil. Projeto Arquitetônico. Projeto Arquitetônico Planta Baixa. Projeto Arquitetônico Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Tecnologia da Construção Civil I Elementos constitutivos de um projeto interpretação, exame e análise Projeto

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DA OBRA 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; Autorização para Construção emitida pela 2. IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 2.1 Fechamento do canteiro de obra com placas

Leia mais

RIVIERA DE STA. CRISTINA XIII REGULAMENTO PARA CONSTRUÇÃO OU ALTERAÇÃO DE OBRA

RIVIERA DE STA. CRISTINA XIII REGULAMENTO PARA CONSTRUÇÃO OU ALTERAÇÃO DE OBRA RIVIERA DE STA. CRISTINA XIII REGULAMENTO PARA CONSTRUÇÃO OU ALTERAÇÃO DE OBRA 1. Considerações Gerais 1.1. O presente Regulamento estabelece as regras para as construções e alterações de construções no

Leia mais

Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Estruturas de Lazer e Recreação - Licença Prévia (LP) ou Licença Simplificada Prévia (LSP) -

Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Estruturas de Lazer e Recreação - Licença Prévia (LP) ou Licença Simplificada Prévia (LSP) - Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Estruturas de Lazer e Recreação - Licença Prévia

Leia mais

AEROPORTO INTERNACIONAL DE CAMPO GRANDE COORDENAÇÃO DE MANUTENÇÃO SITUAÇÃO FÍSICA PARA CONCESSÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS

AEROPORTO INTERNACIONAL DE CAMPO GRANDE COORDENAÇÃO DE MANUTENÇÃO SITUAÇÃO FÍSICA PARA CONCESSÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS Instruções de preenchimento: AEROPORTO INTERNACIONAL DE CAMPO GRANDE Para preenchimento desta ficha, sugere-se a participação das equipes Comercial, de Manutenção, de TI, de Meio ambiente, de Operações

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA PARAÍBA SUDEMA Superintendência de Administração do Meio Ambiente

GOVERNO DO ESTADO DA PARAÍBA SUDEMA Superintendência de Administração do Meio Ambiente RELAÇAO DE DOCUMENTOS PARA PEQUENAS INDÚSTRIAS MICROS, MÉDIAS EMPRESAS E ILARES. LICENÇA PRÉVIA 01 - Requerimento de Licença; 02 - Cadastro devidamente preenchido; 03 - Guia do Recolhimento devidamente

Leia mais

MEMORIAL REFERENTE AO PROJETO AO SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO NA PROMOTORIA DO ESTADO - MT EM PRIMAVERA DO LESTE.

MEMORIAL REFERENTE AO PROJETO AO SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO NA PROMOTORIA DO ESTADO - MT EM PRIMAVERA DO LESTE. MEMORIAL REFERENTE AO PROJETO AO SISTEMA DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO NA PROMOTORIA DO ESTADO - MT EM PRIMAVERA DO LESTE. PRIMAVERA DO LESTE-MT ABRIL DE 2014. 1 SUMÁRIO 1. IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDIMENTO...

Leia mais

SECRETARIA ESTADUAL DA SAÚDE - RS NVES/DVS/CEVS ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES -

SECRETARIA ESTADUAL DA SAÚDE - RS NVES/DVS/CEVS ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES - ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES - 1. LEGISLAÇÃO SANITÁRIA ESPECÍFICA - Lei Federal 6.360/76 e Decreto Estadual (DE) 23.430 de 24/10/1974; - Regulamento

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE. Professor: João Carmo INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Professor: João Carmo INTRODUÇÃO PLANEJAMENTO URBANO é um campo do conhecimento auxiliado por várias disciplinas como: Geografia,

Leia mais

Fundação 4~ Instituto de Pesquisa Q e Planejamento. J II I rj para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville =`"""' -"'":42

Fundação 4~ Instituto de Pesquisa Q e Planejamento. J II I rj para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville =`' -':42 Fundação 4~ Instituto de Pesquisa Q e Planejamento J II I rj para o Desenvolvimento Sustentável de =`"""' -"'":42 Parecer Técnico Conclusivo n 359/2016., 04 de outubro de 2016. Requerente: Insbruck Participações

Leia mais

- Custas verificar pessoalmente no cartório mediante a apresentação da documentação

- Custas verificar pessoalmente no cartório mediante a apresentação da documentação DOCUMENTOS PARA AVERBAÇÕES, INCORPORAÇÕES E REGISTROS Averbação de Construção: * Certificado de conclusão de obra (original ou autenticado pela Prefeitura) * ART do CREA (certidão do engenheiro), original

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA N 01/2016/Departamento de Engenharia PROJETO DE URBANISMO DA ÁREA DO PARQUE DO PRESIDENTES

TERMO DE REFERÊNCIA N 01/2016/Departamento de Engenharia PROJETO DE URBANISMO DA ÁREA DO PARQUE DO PRESIDENTES TERMO DE REFERÊNCIA N 01/2016/Departamento de Engenharia PROJETO DE URBANISMO DA ÁREA DO PARQUE DO PRESIDENTES 1. OBJETIVO O presente Termo de Referência tem como objetivo a Contratação de pessoa jurídica

Leia mais

Endereço: Rua Euclides de Andrade, 29. Área do Terreno: 1.696,40. Número de torres: Número de pavimentos: Unidades por andar: Total de unidades:

Endereço: Rua Euclides de Andrade, 29. Área do Terreno: 1.696,40. Número de torres: Número de pavimentos: Unidades por andar: Total de unidades: Endereço: Rua Euclides de Andrade, 29 Área do Terreno: 1.696,40 Número de torres: Número de pavimentos: 1 torre 3º pavimento garden + 16 pavimentos tipo + 20º pavimento 3º pavimento 4 UH /pavimento Unidades

Leia mais

ALPHAVILLE GRACIOSA RESIDENCIAL CADERNO DE PROJETOS E PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

ALPHAVILLE GRACIOSA RESIDENCIAL CADERNO DE PROJETOS E PRESERVAÇÃO AMBIENTAL Página 1 de 31 ALPHAVILLE GRACIOSA RESIDENCIAL CADERNO DE PROJETOS E PRESERVAÇÃO AMBIENTAL RATIFICADO PELA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 30 DE MAIO DE 2007 Página 2 de 31 1.0 PROJETOS...

Leia mais

PROC IBR EDIF 049/2015 Análise de projeto de Instalações Prediais de Água Pluvial e Drenagem

PROC IBR EDIF 049/2015 Análise de projeto de Instalações Prediais de Água Pluvial e Drenagem INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC IBR EDIF 049/2015 Análise de projeto de Instalações Prediais de Água Pluvial e Drenagem

Leia mais

CADERNO DE LANÇAMENTO

CADERNO DE LANÇAMENTO CADERNO DE LANÇAMENTO 21.07.2014 HELBOR TREND SP - Ficha do produto ORIGEM: H093-FTP3-R02-140114 DATA: 21/07/2014 FICHA TÉCNICA DE LANÇAMENTO - HELBOR TREND SP (HESA 93) IDENTIFICAÇÃO DO EMPREENDIMENTO

Leia mais

MANUAL MINHA CASA MINHA VIDA

MANUAL MINHA CASA MINHA VIDA MANUAL PARA LICENCIAMENTO DE PROJETOS DE CONSTRUÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA Este manual se destina a orientação dos profissionais que pretendem aprovar projetos incluídos no Programa MCMV, visando

Leia mais

DADOS QUANTITATIVOS ÁREA TOTAL A LOTEAR - oitenta e nove mil cento e dezanove metros quadrados (89119 m²); NÚMERO DE LOTES - 30 numerados de 1 a 40;

DADOS QUANTITATIVOS ÁREA TOTAL A LOTEAR - oitenta e nove mil cento e dezanove metros quadrados (89119 m²); NÚMERO DE LOTES - 30 numerados de 1 a 40; ALTERAÇÃO AO LOTEAMENTO URBANO DA ÁREA DA CERÂMICA DE MORTÁGUA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA A proposta de alteração ao Loteamento que se apresenta surge na sequência da modificação das condições

Leia mais

PLANEJAMENTO E CONTROLE DE OBRAS NBR :2006

PLANEJAMENTO E CONTROLE DE OBRAS NBR :2006 PLANEJAMENTO E CONTROLE DE OBRAS NBR 12.721:2006 Professora: Eng. Civil Mayara Custódio, Msc. NBR 12.721:2006 NBR 12.721: 2006 - Avaliação de custos unitários de construção para incorporação imobiliária

Leia mais

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE IBIASSUCÊ GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE IBIASSUCÊ GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 38 DE 18 DE DEZEMBRO DE 2012. Dispõe sobre a aprovação do loteamento denominado Jardim Anália Franco, localizado na propriedade Pedrinhas, em perímetro urbano do Município de Ibiassucê BA. O

Leia mais

do Manual Técnico de Edificações - versão 2

do Manual Técnico de Edificações - versão 2 Atualização do Manual Técnico de Edificações - versão 2 Aplicação da restrição altimétrica do Ministério da Defesa 1. Pág. 319 - O presente documento substitui o item 5.3, à página 319 do Manual Técnico

Leia mais

Regularização Fundiária em São Mateus

Regularização Fundiária em São Mateus Regularização Fundiária em São Mateus Legislações Pertinente: Lei 6.015/73 Lei 6.766/79 Lei 9.785/99 Lei 10.257/01 Lei 11.977/09 Lei 12.424/11 Legislações Municipais Regularização Fundiária Conceito -

Leia mais

Decreto que regulamenta o artigo 115 do Código de Obras de Guarulhos

Decreto que regulamenta o artigo 115 do Código de Obras de Guarulhos 1 Art. 115. As águas pluviais que escoam nos limites das propriedades não poderão aumentar as vazões do sistema de drenagem acima das condições naturais e as intervenções por edificações não poderão introduzir

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO OBJETIVO DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO Definir critérios para elaboração de Simulação Hidráulica para Sistemas de Abastecimento de Água de Pequeno Porte (até 12.500 ligações), Médio Porte (até 62.500 ligações)

Leia mais

Procedimento para ligações provisórias

Procedimento para ligações provisórias Procedimento para ligações provisórias Da Resolução Art. 44. É de responsabilidade exclusiva do interessado o custeio das obras realizadas a seu pedido nos seguintes casos: I extensão de rede de reserva;

Leia mais

Condomínio Residencial Rural

Condomínio Residencial Rural Condomínio Residencial Rural CADERNO DE PROJETOS E PRESERVAÇÃO AMBIENTAL Página 1 ÍNDICE. 1.0 PROJETOS...03 1.1 Aprovação/ Reaprovação/ Substituição...03 1.1.1 Considerações Gerais...03 1.1.2 Documentos

Leia mais

Prefeitura Municipal de Lagoa Santa CEP ESTADO DE MINAS GERAIS

Prefeitura Municipal de Lagoa Santa CEP ESTADO DE MINAS GERAIS LEI Nº 2.856, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2008. DISPÕE SOBRE ANISTIA DE CONSTRUÇÕES CLANDESTINAS OU IRREGULARES. O Povo do Município de Lagoa Santa, por seus representantes legais na Câmara Municipal, aprovou,

Leia mais

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES Caixa Postal 192 Cep 18150-970 Ibina SP. São Paulo (11) 3101-1428 REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES CONTEÚDO PÁGINA I. Introdução 02 II. Roteiro para aprovação do projeto 02 A. Contedo do Projeto 02 B. Memorial

Leia mais

Fotografia 1 Vista frontal da escola de Aparecida, detalhe da fachada em desnível em relação a rua principal.

Fotografia 1 Vista frontal da escola de Aparecida, detalhe da fachada em desnível em relação a rua principal. RELATÓRIO TÉCNICO Nº 006-DINFRA/PRODIN/IFAM/2016 DA: A (O): PRODIN Manaus/AM, 05 de abril de 2015 I - DAS INFORMAÇÕES 1. OBJETO: Obra de reforma e ampliação do prédio anexo do Instituto Federal do Amazonas

Leia mais

Sumário DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO Arquitetura - Urbanismo

Sumário DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO Arquitetura - Urbanismo http://www.bancodobrasil.com.br 1 DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO 15.1.6 Arquitetura - Urbanismo Sumário 1. OBJETIVO... 2 2. CONDIÇÕES GERAIS... 2 3. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS... 2 3.1 Lado Terra...

Leia mais

Book Comercial. Construindo e transformando sonhos em realidade

Book Comercial. Construindo e transformando sonhos em realidade Book Comercial Construindo e transformando sonhos em realidade Aquisição de Terreno e Construção Produto Conceito A HOME INCORP, visando atender às necessidades e à satisfação do cliente no quesito habitação,

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 169/91, DE 25 DE JULHO DE 1991.

LEI MUNICIPAL Nº 169/91, DE 25 DE JULHO DE 1991. LEI MUNICIPAL Nº 169/91, DE 25 DE JULHO DE 1991. Dispõe sobre o parcelamento do solo urbano e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Taquaruçu do Sul, Estado do Rio Grande do Sul, usando as atribuições

Leia mais

REVISÃO DATA DISCRIMINAÇÃO

REVISÃO DATA DISCRIMINAÇÃO TÍTULO PROJETO DE RQUITETUR ÓRGÃO DIRETORI DE ENGENHRI PLVRS-CHVE Instrução. Projeto. rquitetura. INSTRUÇÃO DE PROJETO ago/2005 1 de 11 PROVÇÃO PROCESSO PR 007476/18/DE/2006 DOCUMENTOS DE REFERÊNCI OBSERVÇÕES

Leia mais

Unidade: Instalações prediais de coleta e condução de águas. Unidade I: pluviais

Unidade: Instalações prediais de coleta e condução de águas. Unidade I: pluviais Unidade: Instalações prediais de coleta e condução de águas Unidade I: pluviais 0 Unidade: Instalações prediais de coleta e condução de águas pluviais 1.1 Terminologia Área de contribuição: é a área somada

Leia mais

PROCEDIMENTOS NO SETOR DE APROVAÇÃO DE PROJETOS - IPURB

PROCEDIMENTOS NO SETOR DE APROVAÇÃO DE PROJETOS - IPURB PROCEDIMENTOS NO SETOR DE APROVAÇÃO DE PROJETOS - IPURB 01. Diretriz Municipal Urbanistica (DM) Vivan, Arq. Roberto Souza (Esse documento informa a zona em que o lote se situa e suas diretrizes urbanísticas

Leia mais