AJARGO - ASSOCIAÇÃO JARDINS DO LAGO - QUADRA 01 NORMAS DE PROCEDIMENTO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AJARGO - ASSOCIAÇÃO JARDINS DO LAGO - QUADRA 01 NORMAS DE PROCEDIMENTO"

Transcrição

1 Folha 1/3 Nome do Arquivo: 1. OBJETIVOS Estabelecer sistemática de aprovação de projetos para que se enquadrem nas normas estabelecidas, dentro do Regulamento Interno e Restrições Urbanísticas (Cap. VIII - Obras) e das determinações estabelecidas pelo conselho. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIAS Procedimentos de Analise; Regulamento Interno Cap. VIII - Obras Projeto de Arquitetura; Levantamento Planealtimetrico (Projeto Topográfico) Autorização para Aprovação de Projetos; Escritura ou Instrumento Particular de Alienação Fiduciária; Chek List para analise do projeto de Arquitetura. 3. RESPONSABILIDADES Comissão de Analise Prévia Arquiteto da AJARGO: Analisar os projetos residenciais de acordo com as normas estabelecidas pela AJARGO, observando com anotações sobre fatos relevantes, cobrando regularização para que se enquadre nas normas e deliberações. Se o fato relevante não se enquadre em normas, determinações ou padrões estabelecidos, encaminhar para deliberação da Diretoria. Representante dos Proprietários: 02 proprietários de lotes sendo um arquiteto e engenheiro civil ou profissional com conhecimentos técnicos, designados pelo Conselho Deliberativo. Aprovar, se estiver dentro das normas e emitir o Termo de Liberação de Inicio de Obras; Os termos e aprovações deverão ser assinados pela arquiteta e por pelo menos um dos representantes dos proprietários; 4. PROCEDIMENTOS Documentos para Conclusão de análise de Projetos Para primeira análise: a) Cópia do recibo de quitação da taxa de um salário mínimo vigente, pago a AJARGO á título de análise do projeto de arquitetura. b) 01(uma) via do Levantamento Planialtimétrico (Planta de Topografia); c) 01(uma) via do Projeto de Arquitetura completo; d) Autorização da VALOIS EMPREENDIMENTOS IMOBILIARIOS LTDA. para análise de projeto sendo obrigatório o cliente estar adimplente.

2 PARTE V - Folha 2/3 Nome do Arquivo: Para segunda análise: a) 01 (uma) via do projeto arquitetônico completo com as devidas correções; b) 01 (uma) via do projeto de arquitetura com as anotações da primeira análise; caso sejam necessárias outras correções e/ ou alterações, deverá ser novamente apresentada 01 (uma) via dos itens a) e b) acima, para nova análise, até que se cumpram todas as solicitações de correções e/ ou alterações. Estando o projeto concluído de acordo as normas do Regimento interno, o proprietário entregará para AJARGO, 03 (três) vias do projeto de arquitetura com as devidas assinaturas e uma cópia da escritura do lote registrada em cartório. O resultado da análise será entregue ao proprietário, autor do projeto ou preposto (As 03 vias serão devolvidas ao proprietário para aprovação junto a administração Regional do GDF e após aprovação o proprietário deverá entregar um jogo para a AJARGO, juntamente com a copia do alvará de construção para emissão do Termo de Autorização de Inicio de Obras). Mediante conclusão de análise do projeto o proprietário poderá somente construir a mureta para instalações dos medidores Obs: Agendamento de horário com a arquiteta, de segunda a sexta feira de 08:00 as 12:00 horas, exceto feriados Documentos para Liberação do Inicio de Obra a) Apresentação de ART (CREA) do autor do projeto de arquitetura, de responsabilidade técnica pela obra, do projeto de fundações, do cálculo estrutural, de instalações técnicas e de instalações especiais. b) 01(uma) cópia do Informativo de Visto e Alvará de Execução de obras fornecido pela Administração Regional Local ou outro Órgão indicado pelo GDF. c) 01(uma) cópia do projeto de arquitetura visado e aprovado pela Administração do Setor Habitacional Jardim Botânico ou outro Órgão indicado pelo GDF d) Termo de Autorização para Início de Obras emitido pela Comissão de Analise Previa de Projetos e pela administração da AJARGO. e) Recebimento da Pasta de Normas para Início de Obras, emitida pela administração do Condomínio, entrega dos blocos de Autorização de Movimentação, Liberação de Entrada e cadastro das assinaturas autorizadas a assinar pelo proprietário. O início efetivo da obra se dará somente após apresentação do Alvará emitido pela administração Regional do GDF.

3 TERMO DE AUTORIZAÇÃO PARA INÍCIO DE OBRAS Autorizamos o início da obra residencial de propriedade do Sr. na Rua. Lt., afirmamos que a análise do projeto esta devidamente concluída pela AJARGO. Data: AJARGO - ASSOCIAÇÃO JARDINS DO LAGO - QUADRA 01 COMISSÃO DE ANALISE PREVIA

4 AJARGO - ASSOCIAÇÃO JARDINS DO LAGO - QUADRO 01 Folha 1/5 - Anexo I Nome do Arquivo: 1 - CHEK-LIST DO PROCEDIMENTO PARA LIBERAÇÃO DO 1.1. LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO (escala 1:100) Cota geral / área total do terreno / raio; Curvas de nível a cada metro; Indicar níveis dos vértices do lote; Indicar nível no alinhamento do recuo frontal; Considerar soleira RN = 00 o nível do ponto médio da testada do lote fornecido pelo órgão competente ; Indicar as divisas e confrontações: lotes vizinhos, calçada projetada, rua (meio fio), área de lazer, APM, etc.; Indicar Norte (dois) perfis do lote PLANTA DE SITUAÇÃO (escala 1:500) Desenhar o terreno inserido na quadra, com medidas e raios conforme descrição do lote no Contrato ou Escritura Desenhar rua frontal ao alinhamento do lote e cotá-la. No caso de lote de extremo de quadra, indicar rua lateral Cotar o lote em relação à quadra Indicar as divisas e confrontações: número do lote e lotes vizinhos, calçada projetada, rua (meio fio), área de lazer, APM, etc.; Indicar Norte PLANTA DO PAVIMENTO TÉRREO E LOCAÇÃO, SEMI ENTERRADO E SUBSOLO (se houver), (escala 1:50) Desenhar todo o terreno com suas medidas e raios conforme planta contratual; Os níveis indicados no projeto de arquitetura deverão ser os mesmos indicados no levantamento Planialtimétrico. Considerar soleira em nível RN = 00, conforme indicado em Levantamento Planialtimétrico; Indicar níveis nos vértices do lote conforme levantamento topográfico; Desenhar faixa de passeio público, cotando-a conforme padrão (em anexo) estipulado pela AJARGO; Indicar em nota : Faixa de passeio público terá o perfil natural mantido ; Apresentar o detalhamento da calçada em planta anexa;

5 Folha 2/5 - Anexo I Nome do Arquivo: CHEK-LIST DO PROCEDIMENTO PARA LIBERAÇÃO DO Indicar em nota : Meio fio conforme padrão da NOVACAP ; Indicar nome das ruas frontal e lateral (quando houver) e numeração dos lotes vizinhos; Indicar poste, grelhas, caixa de inspeção de rede esgoto sanitário existente, canaleta de águas pluviais, árvores existentes no recuo frontal, conforme levantamento planialtimétrico; Desenhar e cotar a locação do pavimento térreo no terreno, cotas internas e externas; Indicar níveis projetados internos (da construção) e externos (do terreno); Indicar projeção do beiral e perímetro da construção e cotá-los (recuo e afastamentos) PERPENDICULARMENTE em relação às divisas do lote e fazer linha auxiliar indicando afastamentos exigidos; Não é permitido pergolado no recuo; Indicar projeção do pavimento superior e/ou beiral que excede o pavimento térreo e com suas cotas, demarcando o afastamento ou recuo da projeção da construção e cobertura em relação à divisa; Indicar por onde passam os cortes e a visualização da fachada; Desenhar e cotar acessos de automóveis, pedestres e pisos externos, especificando o tipo de revestimentos destes locais (impermeável ou permeável); Indicar taludes, jardins, muretas, rampas (cotas e inclinações) e outros elementos arquitetônicos e dimensões, com indicação de altura; Espelho dágua (avançar no máximo 1,50m do recuo frontal, com profundidade máxima de 40 cm e extensão máxima de 3,0 m; Indicar e especificar altura dos muros de arrimo (quando existente) em relação ao Perfil Natural do Terreno; Indicar e especificar alturas dos muros de divisa, grades, cercas vivas ou outro fechamento específico. Caso não haja fechamento, indicar em nota: Sem fechamento ; Indicar e cotar localização de medidores de água e luz, localizado dentro do recuo frontal, junto ao alinhamento do lote (dimensões máximas: 1,40 x 0,30 x 1,65m) e casa de gás no recuo lateral (altura máxima 1m), *OBS: Orientação da prefeitura, apenas representar e anotar as medidas, não nomear Casa de Gás ; Desenhar piscina e projeção da casa de máquinas cotando seus recuos e afastamentos em relação à divisa do lote. Dimensionar casa de máquinas com profundidade máxima de 1,80m, enterrada e com acesso por alçapão. Obs: A piscina pode invadir os recuos laterais e de fundo desde que não impeça a servidão de passagem de águas pluviais e esgoto; É permitida construção de duchas nos recuos, desde que não ultrapasse a altura do muro e nem se encostem ao mesmo;

6 Folha 3/5 - Anexo I Nome do Arquivo: CHEK-LIST DO PROCEDIMENTO PARA LIBERAÇÃO DO Indicar drenagem junto aos muros para águas pluviais.; Indicar e anotar a lateral de saída de esgoto e águas pluviais, dentro do afastamento (ou recuo) lateral do lote vizinho, a 0,65m da divisa do lote; Indicar Norte; Indicar nome do pavimento e sua escala; Cotar o perímetro externo da edificação; Indicar função e cotar todos os ambientes, paredes, etc.; Obs.: o muro deverá ser construído da divisa para dentro do lote Dutos e chaminés, quando dentro do 1/3 de encostamento Permitido da divisa do lote, deverão respeitar afastamento de 1,50 m (um metro e cinqüenta centímetros) e nos demais casos permanecer os afastamentos de 2,00m e 5,00m PLANTA DO PAVIMENTO SUPERIOR (escala 1:50) Desenhar todo o terreno com suas medidas e raios; Desenhar e cotar a locação da planta do pavimento superior no terreno, com cotas internas e externas; Indicar níveis do pavimento superior; Indicar e cotar os recuos e afastamentos da projeção do beiral e da construção até a divisa do lote; Indicar por onde passam os cortes e a visualização da fachada; Indicar projeção do alçapão de acesso ao forro (máx. 0,80 x 0,80m); Indicar nome do pavimento e sua escala; Indicar função e cotar todos os ambientes, paredes, etc.; Indicar Norte; Desenhar telhados, calhas, chaminés, etc., e toda cobertura sobre o pavimento térreo PLANTA DE COBERTURA (escala 1:100) Desenhar todo o terreno com suas medidas e raios Desenhar e cotar a locação da planta de cobertura no terreno, especificando as inclinações do telhado, rufos, dutos, chaminés, calhas e outros elementos que venham fazer parte da cobertura Indicar e cotar recuo e afastamentos da projeção do beiral, avançando este no máximo 1,00m sobre qualquer recuo Locar e cotar local técnico da caixa d água Indicar Norte Indicar nome da planta e sua escala.

7 Folha 4/5 - Anexo I Nome do Arquivo: CHEK-LIST DO PROCEDIMENTO PARA LIBERAÇÃO DO CORTES LONGITUDINAIS E TRANSVERSAIS (escala 1:50) Usar como soleira o nível de referência o RN=00, conforme citado no Item 1 - Levantamento Planialtimétrico; Indicar perfil natural do terreno e cotar os aterros; Cotar pé-direito, espessura de laje entre pavimentos, altura de coberturas e altura total da edificação a partir da soleira; Indicar nome e nível de cada ambiente; Indicar a localização da caixa d água, discriminando Local técnico de caixa d água. Fica vetado qualquer tipo de ventilação e iluminação natural neste local Indicar e cotar altura de cercamentos das divisas Cotar altura da cobertura em relação a face superior da laje de cobertura Indicar e cotar a piscina em relação ao recuo e afastamentos Indicar via de passeio público e recuo frontal e posterior dos cortes É obrigatório fazer um corte transversal e um dos cortes no sentido longitudinal do lote Passar corte mostrando altura de todos os elementos de pérgulas e ou área de serviço descoberta quando estiver encostando-se à divisa, indicando seu ponto mais alto e representando o muro acabado com calha e rufo Cotar a edificação com altura máxima de 9,50m a partir da cota de soleira excluindo locais técnicos de caixa d água e casa de máquina FACHADAS (escala 1:50) Apresentar as quatro fachadas (frontal, posterior e laterais) DADOS INDISPENSÁVEIS NO O perfil natural do terreno será mantido na faixa de passeio público junto às divisas laterais do lote Quando existirem taludes, eles deverão ter inclinação máxima de 45% Área mínima permeável, conforme disposto no Regimento Interno - É obrigatória a reserva de área verde (arborizada e ajardinada) dentro dos limites do lote, correspondendo a 30% (trinta por cento) de sua área, onde será proibida a impermeabilização do solo por edificação ou pavimentação Neste projeto, as medidas dos beirais representam a cobertura acabada incluindo calhas e rufos

8 Folha 5/5 - Anexo I Nome do Arquivo: CHEK-LIST DO PROCEDIMENTO PARA LIBERAÇÃO DO Quando existirem caixas de passagem localizadas no passeio público, elas deverão tampas para possibilitar sua abertura e realizar eventuais inspeções e manutenção Constar lista de esquadrias das janelas e portas, com suas devidas especificações de dimensão, quantidade e tipo Constar quadro de áreas: Terreno, pavimento térreo (edificação principal, edícula e total do pavimento térreo), pavimento superior (quando houver), pavimento semi-enterrado ou subsolo (quando houver), área total construída, piscina, área e percentual de ocupação e área e percentual permeável, área e percentual de construção Nenhum aterro ultrapassará 1,00m de altura em relação ao nível natural do terreno de acordo com as normas do condomínio: 1.3. QUADRO DE ÁREAS (apresentar nas plantas baixas do projeto de arquitetura) Área do Terreno; Pavimento térreo (edificação principal, edícula, e total do pavimento térreo); Pavimento superior (quando houver); Pavimento semi-enterrado ou subsolo (quando houver) Área total construída; Percentual de ocupação; Área e percentual permeável; Aprovado em reunião da Comissão e Conselho Deliberativo em:

Procedimentos. de projetos

Procedimentos. de projetos Procedimentos para aprovação de projetos 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura via física e via digital; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS 1 AUTORIZAÇÕES E CADASTRAMENTO Para entrada de profissionais e execução de serviços como LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO e SONDAGEM, será necessária a autorização por

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura via física e via digital; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PROJETOS

ORIENTAÇÕES PARA PROJETOS PROJETOS 1 Aprovação do Projetos pelo Depto. Técnico da Associação 2 Aprovação do Projeto e Solicitação de Alvará de Construção na Prefeitura Municipal 3 Liberação de Obra pelo Depto. Técnico da Associação

Leia mais

DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO

DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Mundi - Centro de Formação Técnica Unidade Vitória da Conquista BA Professor: Philipe do Prado Santos Curso Técnico de Edificações

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo de Área

Leia mais

Representação Desenho Arquitetônico. Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia

Representação Desenho Arquitetônico. Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia Representação Desenho Arquitetônico Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia OS ELEMENTOS DO DESENHO ARQUITETÔNICO Os desenhos básicos que compõem um projeto de arquitetura, a partir de projeções ortogonais,

Leia mais

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado

Leia mais

PROJETO ARQUITETÔNICO

PROJETO ARQUITETÔNICO PROJETO ARQUITETÔNICO CEG218 Desenho arquitetônico I Prof. Márcio Carboni UFPR - DEGRAF - CEG218 DESENHO ARQUITETÔNICO I - Prof. Márcio Carboni 1 ORGANIZAÇÃO DA AULA Etapas de projeto arquitetônico Elementos

Leia mais

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado

Leia mais

DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO

DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Mundi - Centro de Formação Técnica Unidade Vitória da Conquista BA Professor: Philipe do Prado Santos Curso Técnico de Edificações

Leia mais

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado

Leia mais

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado

Leia mais

CONSTRUINDO SUA CASA EM ALPHAVILLE. AlphaVille Teresina

CONSTRUINDO SUA CASA EM ALPHAVILLE. AlphaVille Teresina CONSTRUINDO SUA CASA EM ALPHAVILLE AlphaVille Teresina Como será a casa? ESTILO ARQUITETÔNICO Como será a casa? Sala de Estar Sala de Jantar Home theater Lareira Lavabo Sala de Almoço / Copa Cozinha Despensa

Leia mais

DESENHO TÉCNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA

DESENHO TÉCNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA DESENHO TÉCNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado Santos PROJETOS ARQUITETÔNICOS

Leia mais

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado

Leia mais

DESENHO TÉCNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA

DESENHO TÉCNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA DESENHO TÉCNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado Santos PROJETOS ARQUITETÔNICOS

Leia mais

ARQUIVO MODELO PADRÃO (pdf) e PRANCHA ÚNICA PREFEITURA

ARQUIVO MODELO PADRÃO (pdf) e PRANCHA ÚNICA PREFEITURA 1. OBJETIVO... 2 2. PROJETOS DE REMEMBRAMENTO E / OU DESMEBRAMENTO DE LOTES... 2 2.1. Documentações necessárias... 2 2.2. Modelo Prancha Única Remembramento (fig. 01)... 2 2.3. Restrições para Áreas...

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ Associação Alphaville Mossoró Janeiro- 2014 ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS 1. PROJETOS DE REMEMBRAMENTO E / OU DESMEBRAMENTO

Leia mais

ETAPAS DE UM PROJETO ARQUITETÔNICO

ETAPAS DE UM PROJETO ARQUITETÔNICO PROJETO ARQUITETÔNICO PARA ENGENHARIA CIVIL ETAPAS DE UM PROJETO ARQUITETÔNICO UNIC - UNIVERSIDADE DE CUIABÁ 2016/02 ETAPAS DE UM PROJETO ARQUITETÔNICO O projeto de uma edificação é desenvolvido em fases,

Leia mais

DESENHO DE ARQUITETURA - PROJETO ARQUITETÔNICO

DESENHO DE ARQUITETURA - PROJETO ARQUITETÔNICO DESENHO DE ARQUITETURA - PROJETO ARQUITETÔNICO O projeto arquitetônico faz parte do conjunto de estudos, desenhos e especificações que definem uma edificação. Além da parte de arquitetura, a edificação

Leia mais

REPRESENTAÇÃO TÉCNICA BÁSICA DE PROJETO ARQUITETÔNICO

REPRESENTAÇÃO TÉCNICA BÁSICA DE PROJETO ARQUITETÔNICO REPRESENTAÇÃO TÉCNICA BÁSICA DE PROJETO ARQUITETÔNICO Reproduzir as plantas baixa, de cobertura e de localização, cortes e fachada frontal da residência apresentada abaixo. O projeto pode sofrer mudanças,

Leia mais

PROJETO ARQUITETÔNICO 1 PA1

PROJETO ARQUITETÔNICO 1 PA1 PROJETO ARQUITETÔNICO 1 PA1 AULA 1a_REVISÃO DESENHO Profa Dra Sandra Martins Prof. Esp. Fernando Guedes ESCALAS REFERÊNCIAS DE NÍVEL Adotado em plantas para informar a cota de altura de determinados pontos

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS 1 1. AUTORIZAÇÕES E CADASTRAMENTO: Para entrada de profissionais e execução de serviços como LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO e SONDAGEM, será necessária a autorização

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS Este informativo foi elaborado visando a padronização para a Apresentação de Projetos junto ao da Associação, para que a análise e a aprovação de projetos transcorram de forma mais rápida e eficiente.

Leia mais

Memorial Descritivo. Prédio Residencial: Villa Dei Fiori Rua Cândido Silveira 160

Memorial Descritivo. Prédio Residencial: Villa Dei Fiori Rua Cândido Silveira 160 Memorial Descritivo Prédio Residencial: Villa Dei Fiori Rua Cândido Silveira 160 1. Descrição do prédio O prédio a ser construído compõe-se de 16 pavimentos, incluindo um subsolo, constituído de 42 (quarenta

Leia mais

Aula 17- ARQ-011 Desenho Técnico 1: Representação de projetos de arquitetura (seg. NBR-6492: 1994) Antonio Pedro Carvalho

Aula 17- ARQ-011 Desenho Técnico 1: Representação de projetos de arquitetura (seg. NBR-6492: 1994) Antonio Pedro Carvalho Aula 17- ARQ-011 Desenho Técnico 1: Representação de projetos de arquitetura (seg. NBR-6492: 1994) Antonio Pedro Carvalho Técnicas Desenho a mão livre De maneira geral é a representação do projeto nas

Leia mais

TERMOS USADOS NOS PROJETOS DE ARQUITETURA Alinhamento: É a linha legal, traçada pelas autoridades municipais, que serve de limite entre o lote, ou

TERMOS USADOS NOS PROJETOS DE ARQUITETURA Alinhamento: É a linha legal, traçada pelas autoridades municipais, que serve de limite entre o lote, ou TERMOS USADOS NOS PROJETOS DE ARQUITETURA Alinhamento: É a linha legal, traçada pelas autoridades municipais, que serve de limite entre o lote, ou gleba, e o logradouro público. Alvará: Documento que licencia

Leia mais

SITUAÇÃO FÍSICA PARA CONCESSÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS

SITUAÇÃO FÍSICA PARA CONCESSÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS 1 ANEXO I ITUAÇÃO FÍICA PARA CONCEÃO DE EPAÇO COMERCIAI Instruções de preenchimento: Para preenchimento desta ficha sugere-se a participação das equipes Comercial, Manutenção, TI, Meio ambiente, Operações

Leia mais

Imagem meramente ilustrativa MANUAL DE NORMAS CONSTRUTIVAS

Imagem meramente ilustrativa MANUAL DE NORMAS CONSTRUTIVAS Imagem meramente ilustrativa MANUAL DE NORMAS CONSTRUTIVAS Tamboré Bauru (agosto de 2013) Introdução Este manual foi elaborado a partir do Anexo IV - INSTRUMENTO PARTICULAR DE COMPROMISSO DE VENDA E COMPRA

Leia mais

D.A.E. Divisão de Água e Esgoto Rua 07 nº 55 - Centro Itirapina SP Cep Fone: (19)

D.A.E. Divisão de Água e Esgoto Rua 07 nº 55 - Centro Itirapina SP Cep Fone: (19) D.A.E. Divisão de Água e Esgoto Rua 07 nº 55 - Centro Itirapina SP Cep 13530-000 Fone: (19) 3575-1901 PROCEDIMENTO PASSO-A-PASSO PARA A INSTALAÇÃO DA CAIXA DE PROTEÇÃO DE HIDRÔMETRO: PROCEDIMENTOS À SEREM

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS 1 AUTORIZAÇÕES E CADASTRAMENTO Para entrada de profissionais e execução de serviços como LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO e SONDAGEM, será necessária a autorização por

Leia mais

Grupo de Materiais de Construção Departamento de Construção Civil Universidade Federal do Paraná APROVAÇÃO DE PROJETOS - PREFEITURA

Grupo de Materiais de Construção Departamento de Construção Civil Universidade Federal do Paraná APROVAÇÃO DE PROJETOS - PREFEITURA APROVAÇÃO DE PROJETOS - PREFEITURA Disciplina: Construção civil I Departamento de construção civil Prof: Gabriel P. Marinho Assuntos - CONCEITOS INICIAIS - CREA PR - ETAPAS - DOCUMENTOS - TAXAS - REPRESENTAÇÃO

Leia mais

ARQUITETÔNICOS PROJETOS

ARQUITETÔNICOS PROJETOS PROJETOS ARQUITETÔNICOS Os desenhos básicos que compõem um projeto de arquitetura, a partir de projeções ortogonais, são: I Planta de localização; I Planta de situação; I Planta de cobertura; I Plantas

Leia mais

Aula 9. Prof. Regis de Castro Ferreira. Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira

Aula 9. Prof. Regis de Castro Ferreira. Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira rcastro@agro.ufg.br NOÇÕES DE DESENHO ARQUITETÔNICO 1. CONCEITO: (...) a representação de um projeto. Desenho arquitetônico consiste na representação geométrica das diferentes

Leia mais

N.º Identificação Civil. N.º Identificação Civil

N.º Identificação Civil. N.º Identificação Civil Requerimento n.º data / / Pago pela guia n.º valor EXMO. SENHOR PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE FIGUEIRÓ DOS VINHOS O Funcionário, COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRA DE EDIFICAÇÃO ALTERAÇÃO À COMUNICAÇÃO PRÉVIA

Leia mais

Projeto arquitetônico Professora Valéria Peixoto Borges

Projeto arquitetônico Professora Valéria Peixoto Borges Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar Projeto arquitetônico Professora Valéria Peixoto Borges INTRODUÇÃO O projeto arquitetônico é conjunto de passos normativos,

Leia mais

Projeto Arquitetônico Conceitos e elementos. Curso técnico em Eletroeletrônica

Projeto Arquitetônico Conceitos e elementos. Curso técnico em Eletroeletrônica Projeto Arquitetônico Conceitos e elementos Curso técnico em Eletroeletrônica PROJETO LEGAL PROJETO LEGAL É aquele dirigido à aprovação junto aos órgãos competentes: Projeto arquitetônico na Prefeitura

Leia mais

REVISÃO DATA DISCRIMINAÇÃO

REVISÃO DATA DISCRIMINAÇÃO TÍTULO PROJETO DE RQUITETUR ÓRGÃO DIRETORI DE ENGENHRI PLVRS-CHVE Instrução. Projeto. rquitetura. INSTRUÇÃO DE PROJETO ago/2005 1 de 11 PROVÇÃO PROCESSO PR 007476/18/DE/2006 DOCUMENTOS DE REFERÊNCI OBSERVÇÕES

Leia mais

Aula 3 : Desenho Arquitetônico

Aula 3 : Desenho Arquitetônico Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS IADB79 - Desenho Técnico Aplicado à Engenharia Civil Prof. Dennis Coelho Cruz Aula 3 : Desenho Arquitetônico Introdução:

Leia mais

QUADRO 1 GLOSSÁRIO. ATERRO: Colocação de terra ou entulho para nivelar uma superfície irregular.

QUADRO 1 GLOSSÁRIO. ATERRO: Colocação de terra ou entulho para nivelar uma superfície irregular. QUADRO 1 GLOSSÁRIO ABRIGO: Área coberta, porém sem fechamentos laterais, o que proporciona proteção contra ações do tempo, porém com livre ventilação; ACABAMENTO: Arremate final da obra, podendo utilizar

Leia mais

FLEX. 1.2 INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS Será implantado canteiro de obras dimensionado de acordo com o porte e as necessidades da obra.

FLEX. 1.2 INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS Será implantado canteiro de obras dimensionado de acordo com o porte e as necessidades da obra. MEMORIAL DESCRITIVO 1 HABITAÇÃO 1 EQUIPAMENTO COMUNITÁRIO IDENTIFICAÇÃO: Proponente : Favoritto Incorporações SPE LTDA. Construtora : Magis Incorporações e Participações Ltda. Empreendimento : Residencial

Leia mais

ORIENTAÇÕES INICIAIS PARA PROPRIETÁRIOS E ARQUITETOS

ORIENTAÇÕES INICIAIS PARA PROPRIETÁRIOS E ARQUITETOS 1. ROTEIRO PARA APROVAÇÃO E LIBERAÇÃO DE PROJETOS E OBRAS: PROJETOS A. Aprovação do Projetos pelo Depto. Técnico da Associação B. Aprovação do Projeto e Solicitação de Alvará de Construção na Prefeitura

Leia mais

3 Medidas, Proporções e Cortes

3 Medidas, Proporções e Cortes 3 Medidas, Proporções e Cortes 3.1 Garagens A Figura 3.1 apresenta algumas dimensões que podem ser usadas para projetos de garagens. Em geral, para projetos residenciais, podem-se usar as dimensões de

Leia mais

COMUNICAÇÃO PRÉVIA OBRAS DE EDIFICAÇÃO

COMUNICAÇÃO PRÉVIA OBRAS DE EDIFICAÇÃO OBJETIVO Definir o modo de instrução da declaração de comunicação prévia de obras de edificação (obras de construção, reconstrução, alteração ou ampliação), nos termos das alíneas a), c), d), e), f) do

Leia mais

Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS CET Desenho Arquitetônico Prof. Dennis Coelho Cruz

Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS CET Desenho Arquitetônico Prof. Dennis Coelho Cruz Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS CET0043 - Desenho Arquitetônico Prof. Dennis Coelho Cruz Aula 4 : Planta Baixa Planta Baixa: A planta baixa é a

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 001 DE 29 DE FEVEREIRO DE 2016

INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 001 DE 29 DE FEVEREIRO DE 2016 Página 1 de 6 INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 001 DE 29 DE FEVEREIRO DE 2016 Institui normas acerca dos procedimentos para novas ligações em condomínios verticais e/ou horizontais. O PRESIDENTE DO SERVIÇO AUTÔNOMO

Leia mais

Projetos na construção civil. Projetos na construção civil. Projeto Arquitetônico. Projeto Arquitetônico Planta Baixa. Projeto Arquitetônico

Projetos na construção civil. Projetos na construção civil. Projeto Arquitetônico. Projeto Arquitetônico Planta Baixa. Projeto Arquitetônico Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Tecnologia da Construção Civil I Elementos constitutivos de um projeto interpretação, exame e análise Projeto

Leia mais

Rua Colombia nº 50 Boqueirão Santos / S.P. MEMORIAL DESCRITIVO

Rua Colombia nº 50 Boqueirão Santos / S.P. MEMORIAL DESCRITIVO Rua Colombia nº 50 Boqueirão Santos / S.P. MEMORIAL DESCRITIVO 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS 1.1 Projeto Será um edifício residencial contendo subsolo, térreo, mezanino, 13 pavimentos tipo com 04 (quatro) apartamentos

Leia mais

AULA 3. (Continuação) Parte II EDI 64 ARQUITETURA E U. Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille

AULA 3. (Continuação) Parte II EDI 64 ARQUITETURA E U. Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille AULA 3 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA URBANISMO_ 2015 EDI 64 ARQUITETURA E U (Continuação) Parte II Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille ESQUADRIAS/ABERTURAS PORTAS Representar a(s) folha(s) da esquadria procurando

Leia mais

Os projetos de comunicação visual deverão atender às seguintes Normas e Práticas Complementares:

Os projetos de comunicação visual deverão atender às seguintes Normas e Práticas Complementares: INSTRUÇÃO TÉCNICA 09 ARQUITETURA Revisão 00 jan/2014 1 OBJETIVO 1.1 Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam os procedimentos, critérios e padrões a serem adotados para elaboração dos Projetos

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA CARGO 45

PROVA ESPECÍFICA CARGO 45 8 PROVA ESPECÍFICA CARGO 45 QUESTÃO 21 O apartamento semi-duplex merece uma explicação adicional. Os gráficos [...] [abaixo] poderão melhor mostrar seu funcionamento. Na figura prejudicada por um X, temos

Leia mais

1.1 Região Administrativa de São Sebastião RA XIV Residenciais Morada de Deus

1.1 Região Administrativa de São Sebastião RA XIV Residenciais Morada de Deus PROCESS: 030.000.466/1997 DECISÕES: DATAS: DECRETOS: DATAS: PUBLICAÇÃO: DODF de 1 LOCALIZAÇÃO 1.1 Região Administrativa de São Sebastião RA XIV Residenciais Morada de Deus Rua Alecrim, Rua Candeia, Avenida

Leia mais

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES (Consta da Ata de Constituição da Associação Residencial Morada do Engenho, registrada sob n 51.758 )

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES (Consta da Ata de Constituição da Associação Residencial Morada do Engenho, registrada sob n 51.758 ) REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES (Consta da Ata de Constituição da Associação Residencial Morada do Engenho, registrada sob n 51.758 ) Este regulamento sem prejuízo das Restrições Convencionais, tem como objetivo

Leia mais

REGULAMENTO PARA CONSTRUÇÃO E REFORMA CONDOMÍNIO COSTA VERDE TABATINGA SETOR B (Revisão setembro/2016)

REGULAMENTO PARA CONSTRUÇÃO E REFORMA CONDOMÍNIO COSTA VERDE TABATINGA SETOR B (Revisão setembro/2016) REGULAMENTO PARA CONSTRUÇÃO E REFORMA CONDOMÍNIO COSTA VERDE TABATINGA SETOR B (Revisão setembro/2016) 01 GENERALIDADES 01.01. Estas limitações são supletivas e prevalecem após o cumprimento das legislações

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS HABITACIONAIS SECRETARIA DE ESTADO DA HABITAÇÃO

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS HABITACIONAIS SECRETARIA DE ESTADO DA HABITAÇÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS HABITACIONAIS SECRETARIA DE ESTADO DA HABITAÇÃO 1 1. APROPRIAÇÃO FÍSICA DE GLEBAS URBANAS: 1.1. PARCELAMENTO DO SOLO (Lei Federal nº 6.766/79, alterada pela

Leia mais

DECRETO Nº 20.604 DE 20 DE AGOSTO DE 2004

DECRETO Nº 20.604 DE 20 DE AGOSTO DE 2004 Publicado no DOM de 2108/2004 DECRETO Nº 20.604 DE 20 DE AGOSTO DE 2004 EMENTA: Regulamenta a Lei nº. 16.890, de 11 de agosto de 2003, que altera a seção IV do capítulo II, título IV da Lei 16.292, de

Leia mais

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: JULHO / 2013 OBRA:

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: JULHO / 2013 OBRA: RELATÓRIO FOTOGRÁFICO MÊS: JULHO / 2013 OBRA: Informações da Obra: Att. Aos clientes do Reserva da Lagoa. A Iguatemi Construções Ltda. tem a satisfação em informar aos nossos clientes o andamento dos serviços

Leia mais

REGIMENTO INTERNO JARDINS BARCELONA CAPÍTULO I DO OBJETO

REGIMENTO INTERNO JARDINS BARCELONA CAPÍTULO I DO OBJETO REGIMENTO INTERNO JARDINS BARCELONA CAPÍTULO I DO OBJETO Artigo 1º - O presente Regimento Interno tem por objetivo estabelecer normas urbanísticas e normas de convivência, no intuito de assegurar o bom

Leia mais

DESENHO ARQUITETÔNICO I. O Projeto Arquitetônico

DESENHO ARQUITETÔNICO I. O Projeto Arquitetônico DESENHO ARQUITETÔNICO I O Projeto Arquitetônico O que é um projeto arquitetônico? É uma representação em um plano das projeções de uma edificação. Possui três fases: 1. Fase preliminar - Estudo da viabilidade

Leia mais

Passo a Passo. Procedimentos para. Aprovação de Projetos e Alvará de Construções na. Prefeitura Municipal. Salomão Junior. Procedimentos para

Passo a Passo. Procedimentos para. Aprovação de Projetos e Alvará de Construções na. Prefeitura Municipal. Salomão Junior. Procedimentos para Salomão Junior Passo a Passo Procedimentos para Procedimentos para Aprovação de Projetos e Alvará de Licença para Construções pela Prefeitura Municipal Aprovação de Projetos e Alvará de Construções na

Leia mais

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO 9ª MEDIÇÃO

RELATÓRIO FOTOGRÁFICO 9ª MEDIÇÃO RELATÓRIO FOTOGRÁFICO 9ª MEDIÇÃO OBRA: Execução de obras complementares à construção do Fórum Trabalhista de Londrina CONTRATADA: RAC ENGENHARIA E COMERCIO LTDA Vistorias realizadas entre os dias 10 de

Leia mais

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO RECANTO TRANQUILO DE ATIBAIA "AMART"

ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO RECANTO TRANQUILO DE ATIBAIA AMART ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO RECANTO TRANQUILO DE ATIBAIA "AMART" PROJETO DE REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - OBJETO Art. 1º. Este Regimento tem por objeto disciplinar o funcionamento da Associação dos Amigos do

Leia mais

RESTRIÇÕES IMPOSTAS AO LOTE

RESTRIÇÕES IMPOSTAS AO LOTE RESTRIÇÕES IMPOSTAS AO LOTE 1. DA CONSTRUÇÃO 1.1. Construir-se-á apenas uma residência por lote transacionado, destinada à habitação do tipo unifamiliar. 1.2. Nenhuma habitação poderá ter mais de dois

Leia mais

PROJETO ARQUITETÔNICO - LEI DE ZONEAMENTO E PARÂMETROS CONSTRUTIVOS-

PROJETO ARQUITETÔNICO - LEI DE ZONEAMENTO E PARÂMETROS CONSTRUTIVOS- PROJETO ARQUITETÔNICO - LEI DE ZONEAMENTO E PARÂMETROS CONSTRUTIVOS- UFPR - DEGRAF - CEG218 Desenho Arquitetônico I - Prof. Márcio Carboni 1 IMAGINEM POR ALGUNS INSTANTES SE TODOS RESOLVESSEM CONSTRUIR

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE O MANUAL DO PROPRIETÁRIO

CONSIDERAÇÕES SOBRE O MANUAL DO PROPRIETÁRIO CONSIDERAÇÕES SOBRE O MANUAL DO PROPRIETÁRIO Exigências dos CÓDIGOS CIVIL E CÓDIGO C DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR, no que diz respeito às relações de consumo, dividindo responsabilidades entre construtores

Leia mais

Memorial Descritivo Escola Municipal Professor Ismael Silva

Memorial Descritivo Escola Municipal Professor Ismael Silva PREFEITURA MUNICIPAL DE ILICÍNEA Estado de Minas Gerais CNPJ: 18.239.608/0001-39 Praça. Padre João Lourenço Leite, 53 Centro Ilicínea Tel (fax).: (35) 3854 1319 CEP: 37175-000 Memorial Descritivo Escola

Leia mais

NBR 13103:2011. Instalação de aparelhos a gás para uso residencial - Requisitos. Eng Luiz Felipe Amorim

NBR 13103:2011. Instalação de aparelhos a gás para uso residencial - Requisitos. Eng Luiz Felipe Amorim NBR 13103:2011 Instalação de aparelhos a gás para uso residencial - Requisitos Eng Luiz Felipe Amorim Concentração de CO x tempo de aspiração Objetivos da Norma Aplicação da Norma Projetista x Norma Condições

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DE ORIENTAÇÕES PARA PROJETOS E OBRAS 2017

MANUAL TÉCNICO DE ORIENTAÇÕES PARA PROJETOS E OBRAS 2017 I. OBRAS I.1. 1.1. ORIENTAÇÃO PARA INÍCIO DAS OBRAS Regulamento do Loteamento. (Anexo B). Disponível para download no site: /projetos I.1.1 Documentos necessários - Cópia da Planta Aprovada pela Prefeitura

Leia mais

PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO URBANA MEMORIAL DESCRITIVO

PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO URBANA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO URBANA MEMORIAL DESCRITIVO Obra: PROJETO DE PAVIMENTAÇÃO RUA HUGO HARTMANN TRECHO II Local: MUNICIPIO DE CAPITAO/RS O presente memorial tem por finalidade estabelecer os materiais

Leia mais

Memorial descritivo J80-R02-1 -

Memorial descritivo J80-R02-1 - Av. Jandira, 79 Memorial descritivo J80-R02-1 - Condomínio Le Quartier Moema Av. Jandira, 79 MEMORIAL DESCRITIVO O Condomínio Le Quartier Moema, projetado pelo arquiteto Itamar Berezin, apresenta uma concepção

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS COMPLETOS PARA EDIFICAÇÕES 1

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS COMPLETOS PARA EDIFICAÇÕES 1 DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS COMPLETOS PARA EDIFICAÇÕES 1 1 Trata-se de um documento geral referencial que deverá ser adaptado a cada caso Ver relação de revisões no final do documento 1 SUMÁRIO

Leia mais

CIRURGIA DE CASAS CASA DA ALOÍSA - VILA DO SOL

CIRURGIA DE CASAS CASA DA ALOÍSA - VILA DO SOL CIRURGIA DE CASAS CASA DA ALOÍSA - VILA DO SOL DÉBORA ANDRADE E GABRIEL JOTA dezembro de 2010 LOCALIZAÇÃO Vila do Sol Nova Lima Pilar Vila do Sol LOCALIZAÇÃO Vila do Sol Nova Lima BR 040 LOCALIZAÇÃO Vila

Leia mais

LAUDO DE AVALIAÇÃO COMPLEXO INDUSTRIAL / PRÉDIO COMERCIAL. Otaviano Alves de Lima, nº Jardim das Graças SÃO PAULO SP

LAUDO DE AVALIAÇÃO COMPLEXO INDUSTRIAL / PRÉDIO COMERCIAL. Otaviano Alves de Lima, nº Jardim das Graças SÃO PAULO SP fls. 374 LAUDO DE AVALIAÇÃO COMPLEXO INDUSTRIAL / PRÉDIO COMERCIAL Otaviano Alves de Lima, nº. 2.724 Jardim das Graças SÃO PAULO SP fls. 375 Sumário 1. PRELIMINARES 4 2. DIAGNÓSTICO DE MERCADO 4 3. RESUMO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO VILLAGE TRINDADE Registrada sob nº 412, pg. 74, livro A-2, no Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Trindade GO.

ASSOCIAÇÃO VILLAGE TRINDADE Registrada sob nº 412, pg. 74, livro A-2, no Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas de Trindade GO. Anexo 1 REGULAMENTO INTERNO DE OBRAS E REFORMAS CAPITULO I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Estas limitações são supletivas e prevalecem após o cumprimento das legislações federais, estaduais e municipais,

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS ALPHAVILLE SALVADOR 2

ORIENTAÇÕES PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS ALPHAVILLE SALVADOR 2 Os documentos exigidos pela Associação Alphaville Salvador 02 para novas construções do tipo residencial Unifamiliar são: 1. Carta de quitação de débitos condominiais, emitida pelo setor financeiro da

Leia mais

AULA 5 DESENHANDO ESCADAS E RAMPAS. Livro Didático - DA2 Pag 71 a 77

AULA 5 DESENHANDO ESCADAS E RAMPAS. Livro Didático - DA2 Pag 71 a 77 AULA 5 DESENHANDO ESCADAS E RAMPAS Livro Didático - DA2 Pag 71 a 77 ESCADA Referência desenho: Material didático - aula escada. Autor desconhecido. Representação de projetos de arquitetura NBR- 6492: REPRESENTAÇÃO

Leia mais

Padrões para. instalação de. quadro de água. Residências Multifamiliares. Manual para Construção de NICHOS

Padrões para. instalação de. quadro de água. Residências Multifamiliares. Manual para Construção de NICHOS Padrões para instalação de quadro de água Residências Multifamiliares Manual para Construção de NICHOS 2010 2 COMUSA Departamento de Projetos e Obras Equipe: Téc. Des. Cristine Berger Téc. Des.Paola Caroline

Leia mais

Residencial. Mona Lisa CRECI 17429J

Residencial. Mona Lisa CRECI 17429J APARTAMENTO TIPO Planta Apartamento TIPO 1 Dormitórios 45,52 m² área útil privativa + vaga Planta Apartamentos com 2 Dormitórios (2º dormitório reversível) por conta do comprador Schultzer de Camargo Valter

Leia mais

AI Pequeno Glossário e Parâmetros Urbanísticos

AI Pequeno Glossário e Parâmetros Urbanísticos AI-1 2017-1 Pequeno Glossário e Parâmetros Urbanísticos Um pedaço da cidade Um pedaço da cidade, antes de ser cidade Projeto de loteamento PAL - Projeto Aprovado de Loteamento ALINHAMENTO: linha limítrofe

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente SISTEMA DE INFORMAÇÃO E DIAGNÓSTICO É expressamente proibido qualquer tipo de intervenção em Área de Preservação Permanente. Deverá ser observada rigorosamente a formatação deste formulário, não sendo

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO

MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO OBRA: CONSTRUÇÃO-BLOCO DIREITO PROPRIETÁRIO: FUNDAÇAO INTEGRADA MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR DE MINEIROS (FIMES) ENDEREÇO OBRA:RUA 22 ESQ.

Leia mais

CRITÉRIOS DE EDIFICAÇÃO

CRITÉRIOS DE EDIFICAÇÃO CRITÉRIOS DE EDIFICAÇÃO São os seguintes os Critérios de Edificação para o Condomínio Quintas do Sol, aprovados na Assembléia Geral Extraordinária realizada em 08.12.2002 e complementados na AGE de 17.10.2004.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS TOPOGRÁFICOS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS TOPOGRÁFICOS TERMO DE REFERÊNCIA PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS TOPOGRÁFICOS 1. Escopo 1.1. Levantamento Planialtimétrico Cadastral Execução de levantamento planialtimétrico cadastral conforme serviços abaixo especificados,

Leia mais

RELATÓRIO 1ª MEDIÇÃO

RELATÓRIO 1ª MEDIÇÃO RELATÓRIO 1ª MEDIÇÃO OBRA: EXECUÇÃO DE REFORMA DO FÓRUM TRABALHISTA DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS INSTALAÇÃO DA 5ª VARA DO TRABALHO. CONTRATADA: MANU COMÉRCIO E MONTAGEM INDUSTRIAL LTDA ME Considerando a instituição

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Meio Ambiente RAP - RELATÓRIO AMBIENTAL PRELIMINAR

Prefeitura Municipal de Vila Velha Estado do Espírito Santo Secretaria de Meio Ambiente RAP - RELATÓRIO AMBIENTAL PRELIMINAR RAP - RELATÓRIO AMBIENTAL PRELIMINAR (OBS.: ESTE FORMATO NÃO PODERÁ SER ALTERADO, DEVENDO SER PREENCHIDO À MÃO, COM LETRA LEGÍVEL) 1.1. Representante legal 1. INFORMAÇÕES GERAIS Nome:... Telefone para

Leia mais

DADOS QUANTITATIVOS ÁREA TOTAL A LOTEAR - oitenta e nove mil cento e dezanove metros quadrados (89119 m²); NÚMERO DE LOTES - 30 numerados de 1 a 40;

DADOS QUANTITATIVOS ÁREA TOTAL A LOTEAR - oitenta e nove mil cento e dezanove metros quadrados (89119 m²); NÚMERO DE LOTES - 30 numerados de 1 a 40; ALTERAÇÃO AO LOTEAMENTO URBANO DA ÁREA DA CERÂMICA DE MORTÁGUA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA A proposta de alteração ao Loteamento que se apresenta surge na sequência da modificação das condições

Leia mais

Código da Disciplina CCE0047 AULA 3.

Código da Disciplina CCE0047 AULA 3. Código da Disciplina CCE0047 AULA 3 http://cleliamonasterio.blogspot.com/ Representação de projetos de arquitetura NBR- 6492: INFORMAÇÕES NA PRANCHA: Nome dos ambientes: Em todo e qualquer projeto arquitetônico,

Leia mais

SEDE SESC-DF. CADERNO DE ENCARGOSE ESPECIFICAÇÕES GERAIS Graficação em Auto-Cad 2013 e Confecção de Imagens em 3D

SEDE SESC-DF. CADERNO DE ENCARGOSE ESPECIFICAÇÕES GERAIS Graficação em Auto-Cad 2013 e Confecção de Imagens em 3D SEDE SESC-DF CADERNO DE ENCARGOSE ESPECIFICAÇÕES GERAIS Graficação em Auto-Cad 2013 e Confecção de Imagens em 3D SUMÁRIO 1. OBJETIVO...03 2. DESCRIÇÃO TÉCNICA: GRAFICAÇÃO EM AUTO-CAD 2013...03 3. OBSERVAÇÕES

Leia mais

CONJUNTO HABITACIONAL NO GUARÁ II

CONJUNTO HABITACIONAL NO GUARÁ II CONJUNTO HABITACIONAL NO GUARÁ II 1 INTRODUÇÃO 2 Por que um conjunto habitacional no Guará II? Cidade onde moro Otimizar a infraestrutura urbana existente Atender as necessidades por moradias compactas

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM EM MURO DE SOLO REFORÇADO NO PARQUE INDUSTRIAL ANHANGUERA OSASCO SP

UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM EM MURO DE SOLO REFORÇADO NO PARQUE INDUSTRIAL ANHANGUERA OSASCO SP UTILIZAÇÃO DE GEOTÊXTIL BIDIM EM MURO DE SOLO REFORÇADO NO PARQUE INDUSTRIAL ANHANGUERA OSASCO SP Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Distribuidor: Ramalho Comercial Ltda. PERÍODO 2005 Revisado

Leia mais

LOCAÇÃO DE SERVIÇOS. SERVIÇOS PRELIMINARES Remoção de pintura - Caixa d água Remoção de pintura látex. Página 1 de 6

LOCAÇÃO DE SERVIÇOS. SERVIÇOS PRELIMINARES Remoção de pintura - Caixa d água Remoção de pintura látex. Página 1 de 6 ANEXO IV LOCAÇÃO DE SERVIÇOS SERVIÇOS PRELIMINARES Remoção de pintura - Caixa d água Remoção de pintura látex - toda área interna - área externa fundos lado externo e interno todo, todos rodapés externos.

Leia mais

LOTEAMENTO FECHADO LAGO DA PRATA DAS REGRAS E POSTURAS URBANAS

LOTEAMENTO FECHADO LAGO DA PRATA DAS REGRAS E POSTURAS URBANAS LOTEAMENTO FECHADO LAGO DA PRATA DAS REGRAS E POSTURAS URBANAS Os proprietários dos lotes do Loteamento Fechado Lago da Prata, considerando que a paisagem do vale do Rio da Prata e da Serra da Mantiqueira,

Leia mais