ETAPAS DE UM PROJETO ARQUITETÔNICO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ETAPAS DE UM PROJETO ARQUITETÔNICO"

Transcrição

1 PROJETO ARQUITETÔNICO PARA ENGENHARIA CIVIL ETAPAS DE UM PROJETO ARQUITETÔNICO UNIC - UNIVERSIDADE DE CUIABÁ 2016/02

2 ETAPAS DE UM PROJETO ARQUITETÔNICO O projeto de uma edificação é desenvolvido em fases, de acordo com o avanço das informações que o arquiteto e o cliente têm em relação à edificação. Por exemplo, ao decidir por construir um edifício (casa, edifício de apartamentos, loja etc.), o proprietário tem alguma ideia de como gostaria que a edificação fosse. Quando estuda com o arquiteto a topografia (relevo) do local e toma conhecimento das normas e leis no local, o projeto vai se adequando a estas restrições e evoluindo em relação ao partido arquitetônico, estrutura adequada, acabamentos e implantação.

3 ETAPAS DE UM PROJETO ARQUITETÔNICO Cada uma dessas etapas é segmentada de maneira a dar uma sequência de desenvolvimento do projeto de acordo com as informações necessárias para cada fase e o seu consequente detalhamento. Será analisado uma sugestão de desenvolvimento de projeto de arquitetura disponibilizada pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB). De acordo com esse documento, o projeto de arquitetura de uma edificação possui as seguintes fases: 1. Estudo preliminar. 2. Anteprojeto ou projeto de aprovação. 3. Projeto de execução ou executivo.

4 ETAPAS DE UM PROJETO ARQUITETÔNICO O projeto de uma edificação é composto ainda de outros projetos além do projeto arquitetônico. São os projetos complementares, conforme a seguinte relação: 1. Projeto estrutural. 2. Projeto hidrossanitário. 3. Projeto elétrico. 4. Projeto de ar-condicionado. 5. Projeto de incêndio. 6. Projeto de paisagismo. 7. Projeto de interiores.

5 ESTUDO PRELIMINAR O estudo preliminar é feito a partir do programa de necessidades do cliente, que é o marco inicial de um projeto. O cliente relaciona suas necessidades em relação a obra, ou seja, define o que é a obra, quantas pessoas vão se utilizar do edifício e como vão se relacionar com ele, por exemplo. De posse do programa de necessidades e local da obra, o arquiteto define junto com o cliente o partido arquitetônico do edifício, que é a solução arquitetônica a ser adotada para o projeto. Essa etapa deve ter a aprovação preliminar do cliente.

6 ESTUDO PRELIMINAR LEVANTAMENTOS E DOCUMENTOS NECESSÁRIOS 1) Programa de necessidades do cliente com: a) Atividade que a edificação vai abrigar. b) Finalidade da obra. c) Prazos e recursos disponíveis. d) Padrão de construção. e) Dados do proprietário, como RG, CPF e outras certidões que podem ser solicitadas pela prefeitura local.

7 ESTUDO PRELIMINAR LEVANTAMENTOS E DOCUMENTOS NECESSÁRIOS 2) Informações sobre o terreno: a) Documentação legal (escrituras). b) Levantamento topográfico. c) Levantamento do local, caso seja uma reforma ou haja outras construções no local. d) Sondagens.

8 ESTUDO PRELIMINAR LEVANTAMENTOS E DOCUMENTOS NECESSÁRIOS 3) Legislação incidente no local (municipal, estadual e federal): a) Taxas de ocupação e coeficiente de aproveitamento. b) Restrições de uso. c) Alinhamentos e recuos.

9 ESTUDO PRELIMINAR DOCUMENTOS A SEREM DESENVOLVIDOS Memorial: descrição da obra em função das necessidades do cliente relacionadas no programa de necessidades e do terreno e do partido arquitetônico. Topografia: planta do levantamento planialtimétrico para definição da locação do projeto completa com cotas, indicação de Norte e outros elementos constantes do terreno. Acessos, cercas, muros, referências de construções existentes, arruamento.

10 ESTUDO PRELIMINAR DOCUMENTOS A SEREM DESENVOLVIDOS Estudo de movimento de terra: locação da edificação no terreno e levantamento de cortes e aterros decorrentes da implantação. Planta de situação: representando a locação da obra no terreno, acessos, recuos e afastamentos, cotas de níveis, indicação de Norte, quadro de áreas e outras informações pertinentes de acordo com o porte da obra.

11 ESTUDO PRELIMINAR DOCUMENTOS A SEREM DESENVOLVIDOS Plantas e cortes gerais: representação dos compartimentos da obra em cada um dos seus pavimentos com indicação da circulação interna vertical e horizontal e o prédimensionamento dos ambientes. Fachadas: representação da área externa da obra com indicação de seus principais elementos, como esquadrias e cobertura.

12 ESTUDO PRELIMINAR DOCUMENTOS A SEREM DESENVOLVIDOS Perspectivas: representação da edificação em forma de volume em perspectiva para um completo entendimento do projeto pelo cliente. Podem ser criadas ainda perspectivas internas e externas bem como plantas humanizadas ou leiaute. Esses desenhos ficam a cargo do arquiteto, não sendo mandatórios para esta fase, mas somente para esclarecimento do projeto por parte do arquiteto. Outros documentos: estimativa de custos, estudos preliminares das disciplinas complementares e especificação preliminar dos acabamentos da edificação.

13 ESTUDO PRELIMINAR ESCALAS DESENHOS ESCALAS Planta de situação 1:100 ou 1:200 Planta e cortes gerais 1:100 ou 1:50 Fachadas e elevações 1:100 ou 1:50 Perspectivas Sem escala Topografia 1:100 ou 1:200

14 ANTEPROJETO Esta etapa é baseada na etapa anterior onde foi definido e aprovado pelo cliente o estudo preliminar com partido arquitetônico de acordo com o programa de necessidades, permitindo a configuração final da solução arquitetônica. Esta etapa também deve ser aprovada pelo cliente. Nesta etapa também se dá o Projeto de Aprovação ou Projeto Legal, que é o projeto a ser submetido aos órgãos públicos para aprovação. Com a definição final da solução arquitetônica, o projeto já tem definidas as suas principais características, como pisos, áreas, cobertura, implantação etc., e é necessária sua aprovação para início da obra.

15 ANTEPROJETO LEVANTAMENTOS NECESSÁRIOS Esta etapa é um detalhamento do Estudo Preliminar, e os levantamentos necessários são basicamente os mesmos da etapa anterior, cuja análise tem o objetivo de finalizar algumas decisões tomadas.

16 ANTEPROJETO LEVANTAMENTOS E DOCUMENTOS NECESSÁRIOS 1) Programa de necessidades do cliente com: a) Atividade a ser desenvolvida na edificação. b) Finalidade da obra. c) Prazo e recurso disponíveis. d) Definição final do padrão de construção. e) Dados do proprietário, como RG, CPF e outras certidões que podem ser solicitadas pela prefeitura local, sem os quais não há como dar entrada no projeto para aprovação.

17 ANTEPROJETO LEVANTAMENTOS E DOCUMENTOS NECESSÁRIOS 2) Informações detalhadas do terreno. a) Documentação legal (escrituras). b) Levantamento topográfico. c) Levantamento do local, caso seja uma reforma ou haja outras construções no local, d) Sondagens, caso haja dúvida sobre o solo no local.

18 ANTEPROJETO LEVANTAMENTOS E DOCUMENTOS NECESSÁRIOS 3) Legislação incidente no local (municipal, estadual e federal). Levantamento detalhado do código de edificações do local. a) Taxas de ocupação e coeficiente de aproveitamento. b) Restrições de uso. c) Alinhamentos e recuos.

19 ANTEPROJETO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Topografia: plantas de terraplanagem com cotas de nível, cortes, aterros e taludes. O engenheiro responsável pela obra é responsável por esse serviço e projeto. Plantas de situação: define a locação da obra no terreno com dimensionamento dos acessos, recuos e afastamentos, cotas gerais e de níveis, indicação de Norte, ruas do entorno, quadro de áreas e outras informações pertinentes de acordo com o porte da obra.

20 ANTEPROJETO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Plantas baixas: representação de todos os compartimentos da obra com indicação de seus usos e dimensionamento final com cotas de nível acabados em cada um dos seus pavimentos. Indicação da circulação interna vertical e horizontal com todas as medidas e cotas. Representação da estrutura, alvenaria e tetos rebaixados revestimentos e esquadrias louças sanitárias e equipamentos fixos.

21 ANTEPROJETO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Planta de cobertura: representação de todos os elementos que compõem a cobertura: telhados, lajes, terraços, domus, calhas, caixas d água e equipamentos fixos com dimensionamento de cotas e níveis acabados. Cortes: representação dos pisos com elementos arquitetônicos, estrutura, cobertura e forros, acabamentos dos revestimentos e esquadrias com indicação da abertura com níveis acabados. Indicação das alturas dos pavimentos e outras alturas, como beirais e peitoris.

22 ANTEPROJETO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Fachadas: representação da área externa da obra com indicação de elementos da estrutura, alvenaria, tipos de revestimentos externos, esquadrias com indicação do sistema/lado de abertura, muros, gradis platibandas, telhados e outros elementos construtivos em caso de edificações comerciais que sejam construídos na fachada. Especificações: definir os materiais de acabamento de paredes, pisos, forros, esquadrias e telhado com o tipo de telha. Os materiais podem ser representados no desenho com hachuras e legendas ou ainda em forma de memorial descritivo.

23 ANTEPROJETO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Perspectivas e maquetes: podem ser criadas perspectivas mais detalhadas que na etapa anterior com a representação dos acabamentos e novos detalhes arquitetônicos. Como já foi comentado, a perspectiva ou a maquete física ou eletrônica não é parte obrigatória dos documentos do projeto, mas sempre é uma forma a mais de o projeto esclarecer ao cliente. Na obra, raramente são utilizadas perspectivas.

24 ANTEPROJETO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Outros documentos: anteprojetos complementares de instalações e interiores podem ser desenvolvidos nesta etapa que já é considerada de maior definição geral do projeto. É recomendável a definição de pontos de iluminação, tomadas, em alguns casos, pontos de ar condicionado, e para definição desses pontos é necessário o esboço de um leiaute dos equipamentos e mobiliário, o que chamamos de projeto de interiores, que poderá ser desenvolvido por outro profissional. Todos esses projetos já devem ter um orçamento estimativo de quantidades de material e mão de obra.

25 ANTEPROJETO ESCALAS DESENHO ESCALAS Planta de situação 1:100 Plantas 1:50 Cortes 1:50 Fachadas e elevações 1:50 Perspectiva Sem Escala Topografia 1:100

26 ANTEPROJETO PROJETO DE APROVAÇÃO OU LEGAL É o projeto a ser enviado aos órgãos públicos para provação e é considerado um documento da construção que, aprovado, permitirá a execução da obra que se utilizará do Projeto Executivo para a construção. Essa etapa do anteprojeto, como já define a maioria dos detalhes construtivos, dimensões e acessos, é utilizada para criação do Projeto Legal. Este projeto deve estar de total acordo com as normas da prefeitura e dos órgãos públicos e concessionárias de água e esgoto, gás entre outras do município que necessitem de aprovação para construção.

27 ANTEPROJETO PROJETO DE APROVAÇÃO OU LEGAL Um projeto, ao ser submetido a aprovação numa prefeitura, é analisado e pode ser aprovado ou não. Caso o projeto não esteja de acordo com as normas, a prefeitura gera um aviso de Comunique-se. Esse documento é uma comunicação formal de itens a serem revistos e enquadrados às normas daquela prefeitura. Nesse caso, o arquiteto/engenheiro responsável deve adequar o projeto a normas e submetê-lo novamente à aprovação.

28 ANTEPROJETO DOCUMENTOS PARA APROVAÇÃO/PROJETO LEGAL Os documentos do projeto de aprovação são variáveis e devem ser os exigidos pelos órgãos locais como a prefeitura e outras concessionarias envolvidas. Em geral, os documentos básicos de uma prefeitura são a planta e o memorial descritivo de acordo com as normas da prefeitura.

29 ANTEPROJETO DOCUMENTOS PARA APROVAÇÃO/PROJETO LEGAL Por exemplo, em geral, da planta de prefeitura devem constar: 1. Plantas de todos os pavimentos. 2. Planta de cobertura cortes, um longitudinal e outro transversal, sendo que pelo menos um deles deve passar pelas escadas. 4. Fachadas e gradis. 5. Planta de situação. 6. Quadro de áreas de aberturas para iluminação/ventilação. 7. Dados do proprietário e responsável pela obra.

30 PROJETO EXECUTIVO Com o projeto definido no anteprojeto e aprovado nos órgãos competentes no município da edificação, a obra já poderá se iniciar. Para a sua construção são necessários documentos técnicos detalhados de toda a edificação. Essa etapa é chamada de Projeto Executivo, ou seja, o projeto com todas informações e detalhes construtivos para uma perfeita construção. Essa etapa, em termos de desenho, é o detalhamento de toda a etapa anterior, com definição final de todas as pendências visando à construção. Nela, o arquiteto, junto com o proprietário, define qualquer detalhe que possa ter ficado sem definição na etapa anterior. Os documentos dessa etapa serão enviados à obra, e uma alteração na obra poderá gerar atrasos e custos extras.

31 PROJETO EXECUTIVO A cada fase do projeto de arquitetura, os projetos complementares de estrutura e instalações também têm suas fases correspondentes em igual nível de detalhamento e informações. Nesta fase do projeto executivo de arquitetura, os projetos complementares em nível executivo são necessários para dar condições para início da obra. Na obra, todos os projetos devem estar presentes, porque a execução da etapa de uma disciplina muitas vezes necessita da conclusão de uma etapa de outra disciplina. Em alguns casos etapas de disciplina diferentes são construídas simultaneamente. Por exemplo ao concretar uma laje são colocados a tubulação de agua e esgoto e os eletrodutos de energia.

32 PROJETO EXECUTIVO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Topografia: plantas de terraplanagem com cortes, aterros e outros serviços necessários para o início da locação da obra. O engenheiro responsável pela obra é responsável por esse serviço também. Plantas de situação: definição detalhada da locação da obra no terreno com dimensionamento das distâncias dos acessos, recuos e afastamentos, cotas gerais e de níveis, locação de equipamentos, quadras, piscinas e todas as outras edificações existentes no terreno.

33 PROJETO EXECUTIVO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Plantas baixas: representação de todos os compartimentos da obra com indicação de seus usos e dimensionamento final com cotas de nível acabadas e/ou em osso em cada um dos seus pavimentos. Indicação da circulação interna vertical e horizontal com todas as medidas e cotas. Representação da estrutura, alvenaria, tetos rebaixados, revestimentos, esquadrias, louças sanitárias e equipamentos fixos com medidas e posicionamento em relação aos eixos das peças sanitárias. Informações de projetos de instalações elétricas, como pontos de luminárias, tomadas, shafts e prumadas.

34 PROJETO EXECUTIVO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Plantas baixas: Os banheiros devem ter suas plantas desenhadas em escala maior para permitir o detalhamento das informações de posicionamento de equipamentos e paginação de pisos. A planta baixa tem informações detalhadas em nível executivo. Note que ela tem muito mais informações do que a anterior, que era somente para aprovação. As plantas do projeto executivo têm as linhas de eixo de paredes, cotas dos pavimentos e todas as medidas de referência para amarrar as cotas.

35 PROJETO EXECUTIVO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Plantas baixas: Os banheiros devem ter suas plantas desenhadas em escala maior para permitir o detalhamento das informações de posicionamento de equipamentos e paginação de pisos. A planta baixa tem informações detalhadas em nível executivo. Note que ela tem muito mais informações do que a anterior, que era somente para aprovação. As plantas do projeto executivo têm as linhas de eixo de paredes, cotas dos pavimentos e todas as medidas de referência para amarrar as cotas.

36 PROJETO EXECUTIVO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Planta de cobertura: representação de todos os elementos que compõem a cobertura; telhados, lajes, terraços, domus, calhas, caixas d água e equipamentos fixos com dimensionamento de cotas e níveis acabados. Devem ser indicados os caimentos das águas em caso de telhados e lajes. No caso de telhados com estrutura de madeira ou outras estruturas mais complexas, deve constar a planta do madeiramento/estrutura do telhado e seus detalhes construtivos em outras vistas e escalas necessárias ao bom entendimento do projeto.

37 PROJETO EXECUTIVO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Plantas de forro: em alguns casos, dependendo do tipo de forro, pode ser necessário desenho de plantas de forro refletido com a respectiva paginação e especificação de seus elementos. Nessas plantas, em geral, podem ser representados os projetos complementares de luminárias embutidas em forros e sprinklers.

38 PROJETO EXECUTIVO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Plantas de piso: pode haver necessidade de criação de plantas de piso quando este for criado com vários elementos diferentes, compondo desenhos. Nesses casos, tudo deve ser detalhado em uma planta com todas as medidas necessárias para a criação do desenho do piso.

39 PROJETO EXECUTIVO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Cortes: representação dos pisos com os elementos arquitetônicos, a estrutura cobertura e forros, os acabamentos dos revestimentos e esquadrias com indicação da abertura com níveis acabados. Enchimentos e forros mais complexos devem ser detalhados nesta etapa. Indicação das alturas dos pavimentos e outras alturas, como beirais e peitoris. Os equipamentos sanitários devem ser representados em corte e em vista nesta etapa, além dos equipamentos de ar-condicionado e exaustão, se houver, shafts e prumadas de água e esgoto.

40 PROJETO EXECUTIVO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Fachadas e elevações externas: representação da área externa da obra com indicação de elementos da estrutura, alvenaria, tipos de revestimentos externos com paginação, caso necessário, esquadrias com indicação do sistema/lado de abertura e acabamento, muros, gradis, platibandas, telhados e outros elementos construtivos em caso de edificações comerciais que sejam construídos na fachada.

41 PROJETO EXECUTIVO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Elevações internas: em casos de materiais de revestimento que necessitam de detalhamento, por exemplo, uma paginação de revestimento de banheiros, cozinhas e áreas de lazer. Criar as elevações internas, e marcar nas plantas dos pavimentos correspondentes o nome e o número de cada elevação. As normas de desenho estipulam essas convenções.

42 PROJETO EXECUTIVO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Especificações: definir os materiais de acabamento de paredes, pisos, forros, esquadrias e telhado com o tipo de telha. Os materiais podem ser representados no desenho com hachuras e legendas e, ainda, em forma de memorial descritivo. Perspectivas e maquetes: podem ser criadas perspectivas mais detalhadas que na etapa anterior, com a representação dos acabamentos e novos detalhes arquitetônicos. Como já foi comentado, a perspectiva ou maquete física, ou eletrônica, não é parte obrigatória dos documentos do projeto, mas sempre entra com uma forma a mais de o projeto esclarecer ao cliente. Na obra, raramente são utilizadas perspectivas.

43 PROJETO EXECUTIVO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Detalhes construtivos: são necessários à complementação do projeto e livres de regras de acordo com suas necessidades. O arquiteto, o engenheiro e os outros projetistas envolvidos na obra podem criar livremente todo tipo de detalhe necessário à construção da edificação em escalas apropriadas ao entendimento do projeto. Todos os detalhes devem ser referenciados em planta ou em cortes conforme as convenções de desenho previstas nas normas. Alguns exemplos de detalhes são:

44 PROJETO EXECUTIVO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Detalhes construtivos Banheiros, cozinhas, saunas, áreas molhadas. Piscinas e bordas de piscinas. Quadras, campos e pistas de bicicleta e pedestres. Jardineiras, muros, bancos de jardim, fontes. Escadas e rampas / Peitoris, soleiras, rodapés. Esquadrias portas, janelas, passagens de cozinha. Telhados / Shafts e prumadas. Portões, gradis e peitoris de escadas e varandas. Outros detalhes necessários em projetos mais complexos de indústrias, armazéns, lojas, hospitais etc. Detalhes criados pelos fabricantes de equipamentos especiais, coifas, telhados, esquadrias, paredes drywall, forros etc.

45 PROJETO EXECUTIVO DOCUMENTOS DESENVOLVIDOS Outros documentos: projetos executivos completos de complementares de instalações (elétrica, hidráulica, arcondicionado e outros equipamentos) para a execução do projeto. Contratos de construção com os prestadores de serviço de empreitada, recolhimentos de taxas de órgãos do poder público, contratos de fornecimento e instalação de outros equipamentos, contrato de coordenação e fiscalização da obra que, nesse caso, poderá ser feito com terceiros ou com os próprios arquitetos e engenheiros do projeto e demais contratos necessários à construção. Destacar que é imprescindível para o início da obra a aprovação do projeto nos órgãos públicos e a ligação de energia e água no local que deve der solicitada pelo proprietário, sem as quais não é possível iniciar a obra.

46 PROJETO EXECUTIVO ESCALAS DESENHOS Topografia 1:200 ou 1:100 Planta de Situação 1:100 Planta pavimentos 1:50 Planta cobertura 1:50 Planta de forro 1:50 Planta de piso 1:50 Cortes 1:50 Fachadas e elevações externas 1:50 Perspectivas Detalhes construtivos Sem escala ESCALAS 1:20, 1:25, 1:10 ou outra adequada ao entendimento

Aula 17- ARQ-011 Desenho Técnico 1: Representação de projetos de arquitetura (seg. NBR-6492: 1994) Antonio Pedro Carvalho

Aula 17- ARQ-011 Desenho Técnico 1: Representação de projetos de arquitetura (seg. NBR-6492: 1994) Antonio Pedro Carvalho Aula 17- ARQ-011 Desenho Técnico 1: Representação de projetos de arquitetura (seg. NBR-6492: 1994) Antonio Pedro Carvalho Técnicas Desenho a mão livre De maneira geral é a representação do projeto nas

Leia mais

PROJETO ARQUITETÔNICO

PROJETO ARQUITETÔNICO PROJETO ARQUITETÔNICO CEG218 Desenho arquitetônico I Prof. Márcio Carboni UFPR - DEGRAF - CEG218 DESENHO ARQUITETÔNICO I - Prof. Márcio Carboni 1 ORGANIZAÇÃO DA AULA Etapas de projeto arquitetônico Elementos

Leia mais

DESENHO TÉCNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA

DESENHO TÉCNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA DESENHO TÉCNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado Santos PROJETOS ARQUITETÔNICOS

Leia mais

DESENHO DE ARQUITETURA - PROJETO ARQUITETÔNICO

DESENHO DE ARQUITETURA - PROJETO ARQUITETÔNICO DESENHO DE ARQUITETURA - PROJETO ARQUITETÔNICO O projeto arquitetônico faz parte do conjunto de estudos, desenhos e especificações que definem uma edificação. Além da parte de arquitetura, a edificação

Leia mais

Código da Disciplina CCE0047 AULA 3.

Código da Disciplina CCE0047 AULA 3. Código da Disciplina CCE0047 AULA 3 http://cleliamonasterio.blogspot.com/ Representação de projetos de arquitetura NBR- 6492: INFORMAÇÕES NA PRANCHA: Nome dos ambientes: Em todo e qualquer projeto arquitetônico,

Leia mais

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado

Leia mais

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE AGRONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE AGRONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE AGRONOMIA PROJETO FINAL CURRAL DE MANOBRAS 1000 ANIMAIS Trabalho apresentado como parte dos requisitos

Leia mais

Projeto arquitetônico Professora Valéria Peixoto Borges

Projeto arquitetônico Professora Valéria Peixoto Borges Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar Projeto arquitetônico Professora Valéria Peixoto Borges INTRODUÇÃO O projeto arquitetônico é conjunto de passos normativos,

Leia mais

Procedimentos. de projetos

Procedimentos. de projetos Procedimentos para aprovação de projetos 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo

Leia mais

Representação Desenho Arquitetônico. Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia

Representação Desenho Arquitetônico. Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia Representação Desenho Arquitetônico Prof. Dr Rossano Silva CEG012 - Agronomia OS ELEMENTOS DO DESENHO ARQUITETÔNICO Os desenhos básicos que compõem um projeto de arquitetura, a partir de projeções ortogonais,

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

3 Medidas, Proporções e Cortes

3 Medidas, Proporções e Cortes 3 Medidas, Proporções e Cortes 3.1 Garagens A Figura 3.1 apresenta algumas dimensões que podem ser usadas para projetos de garagens. Em geral, para projetos residenciais, podem-se usar as dimensões de

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

Aula 3 : Desenho Arquitetônico

Aula 3 : Desenho Arquitetônico Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS IADB79 - Desenho Técnico Aplicado à Engenharia Civil Prof. Dennis Coelho Cruz Aula 3 : Desenho Arquitetônico Introdução:

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO

DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Mundi - Centro de Formação Técnica Unidade Vitória da Conquista BA Professor: Philipe do Prado Santos Curso Técnico de Edificações

Leia mais

CONSTRUINDO SUA CASA EM ALPHAVILLE. AlphaVille Teresina

CONSTRUINDO SUA CASA EM ALPHAVILLE. AlphaVille Teresina CONSTRUINDO SUA CASA EM ALPHAVILLE AlphaVille Teresina Como será a casa? ESTILO ARQUITETÔNICO Como será a casa? Sala de Estar Sala de Jantar Home theater Lareira Lavabo Sala de Almoço / Copa Cozinha Despensa

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura via física e via digital; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e

Leia mais

DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO

DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado Santos

Leia mais

ANÁLISE E AVALIAÇÃO DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS

ANÁLISE E AVALIAÇÃO DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS ANÁLISE E AVALIAÇÃO DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS Antonio Pedro Alves de Carvalho Imagem: omnistudio.com.br Qualidades de uma solução arquitetônica: Funcionalidade Economia Beleza Flexibilidade Expansibilidade

Leia mais

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE I - Teoria)

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE I - Teoria) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE I - Teoria) Projeto Arquitetônico Projeto Estrutural TC_042 - CONSTRUÇÃO CIVIL IV PROFESSORA: ELAINE SOUZA

Leia mais

AJARGO - ASSOCIAÇÃO JARDINS DO LAGO - QUADRA 01 NORMAS DE PROCEDIMENTO

AJARGO - ASSOCIAÇÃO JARDINS DO LAGO - QUADRA 01 NORMAS DE PROCEDIMENTO Folha 1/3 Nome do Arquivo: 1. OBJETIVOS Estabelecer sistemática de aprovação de projetos para que se enquadrem nas normas estabelecidas, dentro do Regulamento Interno e Restrições Urbanísticas (Cap. VIII

Leia mais

Aula 9. Prof. Regis de Castro Ferreira. Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira

Aula 9. Prof. Regis de Castro Ferreira. Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira Prof. Dr. Regis de Castro Ferreira rcastro@agro.ufg.br NOÇÕES DE DESENHO ARQUITETÔNICO 1. CONCEITO: (...) a representação de um projeto. Desenho arquitetônico consiste na representação geométrica das diferentes

Leia mais

Anexo IV - ESCOPO DO PROJETO COMPLETO DE EDIFICAÇÕES

Anexo IV - ESCOPO DO PROJETO COMPLETO DE EDIFICAÇÕES 1 Prefeitura do Município de São Paulo - PMSP Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano - SMDU TERRITÓRIOS CEU PLANILHA DE ESCOPO PROJETO EDIFICAÇÕES Produto 1 Plano de Trabalho e Relatório de Viabilidade

Leia mais

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado

Leia mais

DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO

DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO DESENHO TÉCNICO E ARQUITETÔNICO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Mundi - Centro de Formação Técnica Unidade Vitória da Conquista BA Professor: Philipe do Prado Santos Curso Técnico de Edificações

Leia mais

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado

Leia mais

Instruções para Uso dos Guias e Especificações Técnicas

Instruções para Uso dos Guias e Especificações Técnicas Instruções para Uso dos Guias e Especificações Técnicas 1. Introdução As orientações aqui contidas têm o objetivo de auxiliar a FRANQUEADA na instalação da AGF. Seguindo todas as orientações e tirando

Leia mais

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO

ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO ELEMENTOS DE ARQUITETURA E URBANISMO REPRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado

Leia mais

Os projetos de comunicação visual deverão atender às seguintes Normas e Práticas Complementares:

Os projetos de comunicação visual deverão atender às seguintes Normas e Práticas Complementares: INSTRUÇÃO TÉCNICA 09 ARQUITETURA Revisão 00 jan/2014 1 OBJETIVO 1.1 Estas Instruções Normativas de Projeto apresentam os procedimentos, critérios e padrões a serem adotados para elaboração dos Projetos

Leia mais

TERMOS USADOS NOS PROJETOS DE ARQUITETURA Alinhamento: É a linha legal, traçada pelas autoridades municipais, que serve de limite entre o lote, ou

TERMOS USADOS NOS PROJETOS DE ARQUITETURA Alinhamento: É a linha legal, traçada pelas autoridades municipais, que serve de limite entre o lote, ou TERMOS USADOS NOS PROJETOS DE ARQUITETURA Alinhamento: É a linha legal, traçada pelas autoridades municipais, que serve de limite entre o lote, ou gleba, e o logradouro público. Alvará: Documento que licencia

Leia mais

Projetos na construção civil. Projetos na construção civil. Projeto Arquitetônico. Projeto Arquitetônico Planta Baixa. Projeto Arquitetônico

Projetos na construção civil. Projetos na construção civil. Projeto Arquitetônico. Projeto Arquitetônico Planta Baixa. Projeto Arquitetônico Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Engenharia Civil Tecnologia da Construção Civil I Elementos constitutivos de um projeto interpretação, exame e análise Projeto

Leia mais

Posição solar Posição solar Posição solar DESCRIÇÃO AMBIENTE ESPECIFICAÇÃO Alvenaria Geral Alvenarias com dimensões conforme projeto Cobertura Lajes de forro Laje impermeabilizada ou telhado

Leia mais

DESENHO DE ESTRUTURAS AULA 1. Profª. Angela A. de Souza

DESENHO DE ESTRUTURAS AULA 1. Profª. Angela A. de Souza AULA 1 A CONCEPÇÃO ESTRUTURAL DE EDIFICIOS Etapas de um Projeto de Edificação A idealização de um projeto parte do princípio que devemos procurar ajuda de um profissional especializado, que irá nos ajudar

Leia mais

PROC-IBR-EDIF 01/2015 Análise de Projeto de Arquitetura

PROC-IBR-EDIF 01/2015 Análise de Projeto de Arquitetura INSTITUTO BRASILEIRO DE AUDITORIA DE OBRAS PÚBLICAS IBRAOP INSTITUTO RUI BARBOSA IRB / COMITÊ OBRAS PÚBLICAS PROC-IBR-EDIF 01/2015 Análise de Projeto de Arquitetura Primeira edição válida a partir de:

Leia mais

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ACÚSTICA. Marco Antônio Vecci

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ACÚSTICA. Marco Antônio Vecci GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS ACÚSTICA Marco Antônio Vecci Local: EXPOMINAS BH Data: 08/08/2016 FASE A CONCEPÇÃO DO PRODUTO ESTUDO PRELIMINAR Consultoria e Ensaios Consultoria: Análise preliminar entre

Leia mais

ETAPAS DE UMA OBRA. Professora: Mayara Custódio Fonte:

ETAPAS DE UMA OBRA. Professora: Mayara Custódio Fonte: ETAPAS DE UMA OBRA Professora: Mayara Custódio Fonte: www.obraviva.com.br Site desenvolvido por uma família de Conselheiro Lafaiete (MG), com o intuito de explicar detalhadamente as etapas da construção

Leia mais

Residencial. Mona Lisa CRECI 17429J

Residencial. Mona Lisa CRECI 17429J APARTAMENTO TIPO Planta Apartamento TIPO 1 Dormitórios 45,52 m² área útil privativa + vaga Planta Apartamentos com 2 Dormitórios (2º dormitório reversível) por conta do comprador Schultzer de Camargo Valter

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PREFEITURA UNIVERSITÁRIA SOLICITAÇÃO DE PROJETOS Projeto de Arquitetura e Engenharia

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PREFEITURA UNIVERSITÁRIA SOLICITAÇÃO DE PROJETOS Projeto de Arquitetura e Engenharia UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PREFEITURA UNIVERSITÁRIA SOLICITAÇÃO DE PROJETOS Projeto de Arquitetura e Engenharia COMO SOLICITAR UM PROJETO? Para solicitações de projetos de arquitetura e engenharia,

Leia mais

Proposta de Orçamento para Projeto Arquitetônico de Reforma de Layout para CONDOMÍNIO RESIDENCIAL SPAZIO SAN LEONARD.

Proposta de Orçamento para Projeto Arquitetônico de Reforma de Layout para CONDOMÍNIO RESIDENCIAL SPAZIO SAN LEONARD. São Paulo, 04 de fevereiro de 2014. Proposta Ref. 13/08/2013 Revisão 01-04/02/2014 Ao Condomínio Residencial Spazio San Leonard. Proposta de Orçamento para Projeto Arquitetônico de Reforma de Layout para

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE GOIÁS MEMORIAL DESCRITIVO. REFORMA DA SEDE MARISTA Goiânia, Goiás

CONSELHO REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DE GOIÁS MEMORIAL DESCRITIVO. REFORMA DA SEDE MARISTA Goiânia, Goiás MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA DA SEDE MARISTA Goiânia, Goiás 1) OBJETIVO Execução de obra de reforma da sede do Conselho Regional de Administração de Goiás CRA/GO, de acordo com o escopo de serviços detalhados

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO Procuradoria Geral Departamento de Administração Coordenação de Arquitetura e Engenharia ANEXO VIII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES HIDROSSANITÁRIAS 1. Os projetos de instalações hidrossanitárias deverão atender às recomendações e especificações

Leia mais

Código da Disciplina CCE0047 AULA 2.

Código da Disciplina CCE0047 AULA 2. Código da Disciplina CCE0047 AULA 2 http://cleliamonasterio.blogspot.com/ CURIOSIDADES DA GEOMETRIA: Subdivisão do retângulo ÁUREO em quadrados e em outros retângulos áureos: Subdivisão do retângulo HARMÔNICO

Leia mais

2 Representação Gráfica na Arquitetura

2 Representação Gráfica na Arquitetura 2 Representação Gráfica na Arquitetura 2.1 Traços Os traços de um desenho normatizado devem ser regulares, legíveis (visíveis) e devem possuir contraste umas com as outras. Linha auxiliar Linha fina Linha

Leia mais

Representando Edificações

Representando Edificações Código da Disciplina CCE0985 Aula 7 Representando Edificações e-mail:clelia.monasterio@estacio.br http://cleliamonasterio.blogspot.com/ Escalas: NBR - 8196 Escala Numérica: é a relação que existe entre

Leia mais

PASSOS. Combinando as regras Levantando as necessidades Projetando: como trabalha o arquiteto

PASSOS. Combinando as regras Levantando as necessidades Projetando: como trabalha o arquiteto 12 PASSOS O QUE VOCÊ DEVE SABER QUANDO CONTRATAR OS SERVIÇOS DE UM ARQUITETO VOLUME I - EDIFICAÇÕES Combinando as regras Levantando as necessidades Projetando: como trabalha o arquiteto Capítulo 1 COMBINANDO

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PROJETOS

ORIENTAÇÕES PARA PROJETOS PROJETOS 1 Aprovação do Projetos pelo Depto. Técnico da Associação 2 Aprovação do Projeto e Solicitação de Alvará de Construção na Prefeitura Municipal 3 Liberação de Obra pelo Depto. Técnico da Associação

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE ACABAMENTOS EDIFÍCIO FELICITÁ STUDIOS

MEMORIAL DESCRITIVO DE ACABAMENTOS EDIFÍCIO FELICITÁ STUDIOS MEMORIAL DESCRITIVO DE ACABAMENTOS EDIFÍCIO FELICITÁ STUDIOS RUA NUNES MACHADO 69 1. ÁREAS DE USO COMUM 1.1. HALL DE ENTRADA DO EDIFÍCIO: Paredes: acabamento em pintura, conforme detalhamento de Esquadrias

Leia mais

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS Sistemas Prediais: (Instalações Elétricas e Hidrossanitárias)

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS Sistemas Prediais: (Instalações Elétricas e Hidrossanitárias) GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS Sistemas Prediais: (Instalações Elétricas e Hidrossanitárias) AGENDA 1 2 3 Apresentação Palestrante Informações necessárias no projeto Sistemas Prediais: Especialidades 4

Leia mais

Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS CET Desenho Arquitetônico Prof. Dennis Coelho Cruz

Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS CET Desenho Arquitetônico Prof. Dennis Coelho Cruz Universidade Federal do Oeste da Bahia UFOB CENTRO DAS CIÊNCIAS EXATAS E DAS TECNOLOGIAS CET0043 - Desenho Arquitetônico Prof. Dennis Coelho Cruz Aula 4 : Planta Baixa Planta Baixa: A planta baixa é a

Leia mais

Alvenaria estrutural

Alvenaria estrutural Estudo exploratório rio sobre a elaboração de projetos arquitetônicos Alvenaria desenvolvidos estrutural para o sistema de alvenaria estrutural Projeto de alvenaria O que é ALVENARIA ESTRUTURAL? Conceito:

Leia mais

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS_ESTRUTUR A

GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS_ESTRUTUR A GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS_ESTRUTUR A Eng.Leonardo Braga Passos, Msc Sócio/Diretor PI-Engenharia e Consultoria Diretor Regional BH-ABECE (2015/2016) INTRODUÇÃO / OBJETIVO O Manual para Contratação

Leia mais

UNISALESIANO Curso de Engenharia Civil Desenho Arquitetônico

UNISALESIANO Curso de Engenharia Civil Desenho Arquitetônico UNISALESIANO Curso de Engenharia Civil Desenho Arquitetônico Prof. Dr. André L. Gamino Araçatuba Agosto - 2016 1 Projeto de Arquitetura: Introdução 1.1 Introdução O início da concepção do projeto arquitetônico

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE DESEMPENHO EM EMPREENDIMENTOS DE HIS

ESPECIFICAÇÕES DE DESEMPENHO EM EMPREENDIMENTOS DE HIS ESPECIFICAÇÕES DE DESEMPENHO EM EMPREENDIMENTOS DE HIS 2.1 Diretrizes gerais de projeto para atender aos requisitos de desempenho 2.1.1 Segurança no uso e operação 2.1.2 Segurança contra

Leia mais

Instalações Hidráulicas e o Projeto de Arquitetura 9ª edição

Instalações Hidráulicas e o Projeto de Arquitetura 9ª edição Instalações Hidráulicas e o Projeto de Arquitetura 9ª edição PARTE I INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS 1 ÁGUA FRIA Entrada e fornecimento de água fria Compartimento que abriga o cavalete Medição de água

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBRA/LOCAL/IDENTIFICAÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBRA/LOCAL/IDENTIFICAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO 1. OBRA/LOCAL/IDENTIFICAÇÃO Obra: Construção de um Prédio Residencial Multifamiliar Local: Avenida Maria José Pinheiro Machado x Jorge Calixto nº 570 Planta aprovada nº 174/16 expedida

Leia mais

[ 1 ] ARQUITETO SUSTENTÁVEL Passo a passo para criar projetos de casas sustentáveis em Steel Frame e Container

[ 1 ] ARQUITETO SUSTENTÁVEL Passo a passo para criar projetos de casas sustentáveis em Steel Frame e Container [ 1 ] [ 2 ] Este e-book tem como objetivo explicar de forma direta e dinâmica com uma linguagem simples o passo a passo de como elaborar projetos de casas sustentáveis utilizando como forma construtiva

Leia mais

2 3 E QUARTOS De 65 m2 a 135 m2; Lazer completo; Segurança 24 horas; Sustentabilidade. P ers pec ti va i lu str ati v a. COM SUÍTE

2 3 E QUARTOS De 65 m2 a 135 m2; Lazer completo; Segurança 24 horas; Sustentabilidade. P ers pec ti va i lu str ati v a. COM SUÍTE 2 3 E QUARTOS De 65 m2 a 135 m2; Lazer completo; Segurança 24 horas; Sustentabilidade. P ers pec ti va i lu str ati v a. COM SUÍTE Shopping Center MASTERPLAN PUC Metrô COM O LAZER NA COBERTURA, SUA FELICIDADE

Leia mais

Coordenação Modular. Jean Marie Désir

Coordenação Modular. Jean Marie Désir Coordenação Modular Jean Marie Désir http://chasqueweb.ufrgs.br/~jeanmarie/eng01208/eng01208.html Função Coordenação modular Modulação Horizontal Malha modular Cantos e amarrações Ajustes Modulação Vertical

Leia mais

TUTORIAL MINHA CASA MINHA VIDA. Fone: FEVEREIRO

TUTORIAL MINHA CASA MINHA VIDA. Fone: FEVEREIRO TUTORIAL MINHA CASA MINHA VIDA O Template MCMV O Template MCMV Minha Casa Minha Vida tem como objetivo fornecer um arquivo BIM (Building Information Modeling) com Famílias e Famílias de Sistemas adaptados

Leia mais

RESIDENCIAL NOVO CAMPECHE

RESIDENCIAL NOVO CAMPECHE RESIDENCIAL NOVO CAMPECHE MEMÓRIA DESCRITIVA RESIDÊNCIA NOVO CAMPECHE 3 Residência unifamiliar, com 158,88 m2 de área construída, 2 pisos, arquitetura contemporânea de alto padrão, implantada em terreno

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO

MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO MEMORIAL DESCRITIVO DA 2ª ETAPA DA CONSTRUÇÃO DO BLOCO DE DIREITO OBRA: CONSTRUÇÃO-BLOCO DIREITO PROPRIETÁRIO: FUNDAÇAO INTEGRADA MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR DE MINEIROS (FIMES) ENDEREÇO OBRA:RUA 22 ESQ.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Índice Serviços Gerais...Pag Preparação do terreno...pag Fundações...Pag Estrutura...Pag.

MEMORIAL DESCRITIVO. Índice Serviços Gerais...Pag Preparação do terreno...pag Fundações...Pag Estrutura...Pag. DUE FRATELLI - COMERCIAL Rua Marcos Rovaris Centro - Criciúma/SC. MEMORIAL DESCRITIVO Índice 01 - Serviços Gerais...Pag. 02 02 - Preparação do terreno...pag. 02 03 - Fundações...Pag. 02 04 - Estrutura...Pag.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE MATERIAS VERANO

MEMORIAL DESCRITIVO DE MATERIAS VERANO MEMORIAL DESCRITIVO DE MATERIAS VERANO 1. ÁREA INTERNA DOS APARTAMENTOS 1.1 LIVING g) Instalações: Pontos de luz no teto, tomadas de corrente, ponto de telefone, ponto para antena TV/Internet. 1.2 VARANDA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE REFORMA DA USF CORNÉLIA DA CONCEIÇÃO BOM SUCESSO

MEMORIAL DESCRITIVO DE REFORMA DA USF CORNÉLIA DA CONCEIÇÃO BOM SUCESSO ANEXO X MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA DO USF CORNÉLIA DA CONCEIÇÃO - BOMSUCESSO 1. Histórico A unidade de Saúde Familiar Cornélia da Conceição do Bairro Bom Sucesso atende cerca de 70 usuários por dia, abrangendo

Leia mais

Sumário DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO Arquitetura - Urbanismo

Sumário DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO Arquitetura - Urbanismo http://www.bancodobrasil.com.br 1 DOCUMENTO 2 DO ANEXO 1 - PARTE I - ANEXO 15.1.6 Arquitetura - Urbanismo Sumário 1. OBJETIVO... 2 2. CONDIÇÕES GERAIS... 2 3. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS... 2 3.1 Lado Terra...

Leia mais

AEROPORTO INTERNACIONAL DE CAMPO GRANDE COORDENAÇÃO DE MANUTENÇÃO SITUAÇÃO FÍSICA PARA CONCESSÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS

AEROPORTO INTERNACIONAL DE CAMPO GRANDE COORDENAÇÃO DE MANUTENÇÃO SITUAÇÃO FÍSICA PARA CONCESSÃO DE ESPAÇOS COMERCIAIS Instruções de preenchimento: AEROPORTO INTERNACIONAL DE CAMPO GRANDE Para preenchimento desta ficha, sugere-se a participação das equipes Comercial, de Manutenção, de TI, de Meio ambiente, de Operações

Leia mais

DESENHO ARQUITETÔNICO I. O Projeto Arquitetônico

DESENHO ARQUITETÔNICO I. O Projeto Arquitetônico DESENHO ARQUITETÔNICO I O Projeto Arquitetônico O que é um projeto arquitetônico? É uma representação em um plano das projeções de uma edificação. Possui três fases: 1. Fase preliminar - Estudo da viabilidade

Leia mais

Construa a casa dos seus sonhos com a Yellowbrick Houses

Construa a casa dos seus sonhos com a Yellowbrick Houses Construa a casa dos seus sonhos com a Yellowbrick Houses 1 Quem é a Yellowbrick Houses Somos uma incorporadora atuando no mercado de casas residenciais em Alphaville/Tamboré desde 2009 Nossos diferenciais:

Leia mais

ANEXO I (ao Edital de Convite nº 004/2001) CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS E NORMAS GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ANEXO I (ao Edital de Convite nº 004/2001) CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS E NORMAS GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ANEXO I (ao Edital de Convite nº 004/2001) CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS E NORMAS GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE ARQUITETURA, ESTRUTURA E INSTALAÇÕES DAS UNIDADES OPERACIONAIS

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS DE EDIFICAÇÃO

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS DE EDIFICAÇÃO 1 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS DE EDIFICAÇÃO 2 ÍNDICE Lista de Abreviaturas 03 Introdução 04 Parte I 05 Instruções Gerais 05 Modelo de Selo Padrão 07 Parte II Instruções Específicas

Leia mais

PRINCIPAIS ETAPAS PARA A ELABORAÇÃO DE UM PROJETO LUMINOTÉCNICO.

PRINCIPAIS ETAPAS PARA A ELABORAÇÃO DE UM PROJETO LUMINOTÉCNICO. PRINCIPAIS ETAPAS PARA A ELABORAÇÃO DE UM PROJETO LUMINOTÉCNICO. 1. Levantamento de Informações 1.1.Projeto de arquitetura A escolha do projeto residencial 1.2. Lay out ocupação e uso do espaço Informações

Leia mais

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE CGEST. Coordenação Geral de Infraestrutura Educacional CODIN

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE CGEST. Coordenação Geral de Infraestrutura Educacional CODIN Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE CGEST Coordenação Geral de Infraestrutura Educacional CODIN Coordenação de Desenvolvimento de Infraestrutura Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

Leia mais

execução Caixote de massa em madeira A madeira absorve a água da argamassa o que diminui a trabalhabilidade da argamassa.

execução Caixote de massa em madeira A madeira absorve a água da argamassa o que diminui a trabalhabilidade da argamassa. execução Caixote de massa em madeira A madeira absorve a água da argamassa o que diminui a trabalhabilidade da argamassa. Para melhorar a fluidez da argamassa o pedreiro adiciona água, o que modifica todas

Leia mais

EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS

EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS incorporadora EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS construtora Manual do Proprietário Prezado Cliente, O Manual do Proprietário é elaborado com a finalidade de transmitir orientações

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Índice Serviços Gerais...Pág Preparação do terreno...pág Fundações...Pág Estrutura...Pág.

MEMORIAL DESCRITIVO. Índice Serviços Gerais...Pág Preparação do terreno...pág Fundações...Pág Estrutura...Pág. RESIDENCIAL STUDIO GLORENZA Rua Tenente Ari Rauen Centro - Criciúma/SC. MEMORIAL DESCRITIVO Índice 01 - Serviços Gerais...Pág. 02 02 - Preparação do terreno...pág. 02 03 - Fundações...Pág. 02 04 - Estrutura...Pág.

Leia mais

RESIDÊNCIA NOVO CAMPECHE

RESIDÊNCIA NOVO CAMPECHE RESIDÊNCIA NOVO CAMPECHE MEMÓRIAL DESCRITIVO RESIDÊNCIA NOVO CAMPECHE Residência unifamiliar, com 150 m2 de área construída, 2 pisos, arquitetura contemporânea de alto padrão, implantada em terreno com

Leia mais

Código da Disciplina CCE0985. Aula 2 DESENHO TECNICO 1 - EXERCÍCIO 1.

Código da Disciplina CCE0985. Aula 2 DESENHO TECNICO 1 - EXERCÍCIO 1. DESENHO TECNICO 1 - EXERCÍCIO 1 Código da Disciplina CCE0985 Aula 2 e-mail:clelia.monasterio@estacio.br http://cleliamonasterio.blogspot.com/ 5.00.70 1.00 1.00 1.00 1.00 1.00 1.50 LEGENDA DA DISCIPLINA:

Leia mais

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE IV - Teoria)

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE IV - Teoria) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE IV - Teoria) Projeto Prevenção de Incêndio TC_042 - CONSTRUÇÃO CIVIL IV PROFESSORA: ELAINE SOUZA MARINHO CONCEITOS

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO Obra: Residencial Ana Beatriz Local: Rua Adolfo Cattani, 775 - São Carlos-SP 1 CONSTITUÍDO: - O terreno com 1.746,58 m² tem acesso ao pavimento térreo pela Rua Adolfo

Leia mais

Requerimento. sujeitas a licenciamento

Requerimento. sujeitas a licenciamento Requerimento Comunicação Prévia para alterações ao projecto Licenciado ou com Admissão de Comunicação Prévia durante a execução da obra Alterações que se fossem obra nova estariam sujeitas a licenciamento

Leia mais

Cobertura. Figura 15 - Alvenaria, verga e contraverga. Fonte: Acervo do autor.

Cobertura. Figura 15 - Alvenaria, verga e contraverga. Fonte: Acervo do autor. 23 Figura 15 - Alvenaria, verga e contraverga. Fonte: Acervo do autor. 4.1.10. Cobertura Após a cura da laje, foi executada a torre da caixa d água e a cobertura. A madeira utilizada para a estrutura da

Leia mais

DESENHO TÉCNICO ESCALA

DESENHO TÉCNICO ESCALA DESENHO TÉCNICO ESCALA Faculdade de Tecnologia e Ciências - FTC Unidade Vitória da Conquista BA Colegiado de Engenharia Civil Prof. Philipe do Prado Santos ESCALA ABNT - NBR 8196 Desenho Técnico - Emprego

Leia mais

RELATÓRIO 1ª MEDIÇÃO

RELATÓRIO 1ª MEDIÇÃO RELATÓRIO 1ª MEDIÇÃO OBRA: EXECUÇÃO DE REFORMA DO FÓRUM TRABALHISTA DE SÃO JOSÉ DOS PINHAIS INSTALAÇÃO DA 5ª VARA DO TRABALHO. CONTRATADA: MANU COMÉRCIO E MONTAGEM INDUSTRIAL LTDA ME Considerando a instituição

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Pavimentos tipo: a edificação possui 4 pavimentos tipo, composto por 4 (quatro) unidades habitacionais cada, escada e circulação;

MEMORIAL DESCRITIVO. Pavimentos tipo: a edificação possui 4 pavimentos tipo, composto por 4 (quatro) unidades habitacionais cada, escada e circulação; MEMORIAL DESCRITIVO O presente memorial trata de um edifício de apartamentos de uso exclusivamente residencial, denominado Residencial Jardim Esperança, localizado na Quadra 2960, lote 29, do Loteamento

Leia mais

TIPOS DE DESENHOS E PAPÉIS

TIPOS DE DESENHOS E PAPÉIS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE TIPOS DE DESENHOS E PAPÉIS Professor: João Carmo Quando se pretende construir uma escola, um hospital ou uma casa, surge a necessidade

Leia mais

ANEXO V DESCRIÇÃO DO PADRÃO DAS EDIFICAÇÕES Padrão Baixo

ANEXO V DESCRIÇÃO DO PADRÃO DAS EDIFICAÇÕES Padrão Baixo ANEXO V DESCRIÇÃO DO PADRÃO DAS EDIFICAÇÕES Padrão Baixo Edificações térreas ou assobradadas, podendo ser geminadas, inclusive em ambos os lados, satisfazendo a projeto arquitetônico simples, geralmente

Leia mais

Città Toscana ESCOLHAS. Lauro de Freitas VALORIZE SUAS

Città Toscana ESCOLHAS. Lauro de Freitas VALORIZE SUAS Città Toscana Lauro de Freitas VALORIZE SUAS ESCOLHAS O empreendimento certo na melhor região de Lauro de Freitas. Com a PDG você pode escolher o melhor. O Città Toscana traz 7 tipos diferentes de plantas

Leia mais

DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS

DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Departamento de Estruturas e Construção Civil ECC 1008 Estruturas de Concreto DESENHOS DAS FORMAS ESTRUTURAIS LEVANTAMENTO DAS AÇÕES VERTICAIS Aulas 13-16 Gerson Moacyr

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, NOS TERMOS DO COMUNICADO CEETEPS N 1/2009, E SUAS ALTERAÇÕES.

PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, NOS TERMOS DO COMUNICADO CEETEPS N 1/2009, E SUAS ALTERAÇÕES. ETEC ADOLPHO BEREZIN MONGAGUÁ PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, NOS TERMOS DO COMUNICADO CEETEPS N 1/2009, E SUAS ALTERAÇÕES. AVISO N 107/03/2015 de 13/04/2015. Processo n 2965/2015 AVISO DE DEFERIMENTO E

Leia mais

AULA 3. (Continuação) Parte II EDI 64 ARQUITETURA E U. Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille

AULA 3. (Continuação) Parte II EDI 64 ARQUITETURA E U. Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille AULA 3 REPRESENTAÇÃO GRÁFICA URBANISMO_ 2015 EDI 64 ARQUITETURA E U (Continuação) Parte II Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille ESQUADRIAS/ABERTURAS PORTAS Representar a(s) folha(s) da esquadria procurando

Leia mais

Ficha Técnica. Imagens meramente ilustrativas, sujeita a alterações.

Ficha Técnica. Imagens meramente ilustrativas, sujeita a alterações. Ficha Técnica Nome: Ed. Nápoles Residencial Tipo: Residencial com lojas térreas Número de quartos: 2 e 3 quartos Suíte: 1 suíte Número de pavimentos tipo: 15 andares Número de torres: 2 Número de unidades:

Leia mais

MANUAL DE OBRAS DE SANEAMENTO MOS 3ª EDIÇÃO

MANUAL DE OBRAS DE SANEAMENTO MOS 3ª EDIÇÃO 3ª EDIÇÃO ÍNDICE GERAL P/ 1/5 0 DISPOSIÇÕES GERAIS DEFINIÇÃO, ORÇAMENTO... 2/39 CONTRATO, SUBCONTRATAÇÃO... 6/39 PRAZO DE EXECUÇÃO, GARANTIA DE SERVIÇO... 7/39 INST. DA OBRA, PESSOAL DA CONTRATADA... 8/39

Leia mais

LE FONTAINEBLEAU 191m². RIGEL 150m² VERTICE 182m². ATLANTIS 165 m²

LE FONTAINEBLEAU 191m². RIGEL 150m² VERTICE 182m². ATLANTIS 165 m² LOCALIZAÇÃO LE FONTAINEBLEAU 191m² RIGEL 150m² VERTICE 182m² ATLANTIS 165 m² FICHA TÉCNICA DO PRODUTO Endereço Rua João Ribeiro, 332 Campestre Santo André/SP Características do produto 4.885 m² de terreno

Leia mais

Memorial Descritivo. Rua Onze de Junho, São Vicente - SP

Memorial Descritivo. Rua Onze de Junho, São Vicente - SP Memorial Descritivo Rua Onze de Junho, 316 - São Vicente - SP GENERALIDADES Edifício Residencial de 11 pavimentos, sendo: Subsolo, Térreo, Mezanino 1, Mezanino 2, Mezanino 3, 1 Tipo, Tipo x 9, Inferior

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ANEXO I ESCOPO

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ANEXO I ESCOPO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATO: RM 1415 - ELE/15 OBRA: OSASCO LOTE 01 SERVIÇO: PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ANEXO I ESCOPO 1. ESCOPO DOS SERVIÇOS Encontra-se relacionado a seguir o escopo

Leia mais

CONJUNTO HABITACIONAL NO GUARÁ II

CONJUNTO HABITACIONAL NO GUARÁ II CONJUNTO HABITACIONAL NO GUARÁ II 1 INTRODUÇÃO 2 Por que um conjunto habitacional no Guará II? Cidade onde moro Otimizar a infraestrutura urbana existente Atender as necessidades por moradias compactas

Leia mais

REVISÃO DATA DISCRIMINAÇÃO

REVISÃO DATA DISCRIMINAÇÃO TÍTULO PROJETO DE RQUITETUR ÓRGÃO DIRETORI DE ENGENHRI PLVRS-CHVE Instrução. Projeto. rquitetura. INSTRUÇÃO DE PROJETO ago/2005 1 de 11 PROVÇÃO PROCESSO PR 007476/18/DE/2006 DOCUMENTOS DE REFERÊNCI OBSERVÇÕES

Leia mais