ORIENTAÇÕES INICIAIS PARA PROPRIETÁRIOS E ARQUITETOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORIENTAÇÕES INICIAIS PARA PROPRIETÁRIOS E ARQUITETOS"

Transcrição

1 1. ROTEIRO PARA APROVAÇÃO E LIBERAÇÃO DE PROJETOS E OBRAS: PROJETOS A. Aprovação do Projetos pelo Depto. Técnico da Associação B. Aprovação do Projeto e Solicitação de Alvará de Construção na Prefeitura Municipal C. Liberação de Obra pelo Depto. Técnico da Associação OBRA D. Solicitação de Carta de Liberação ao término da obra ao Depto. Técnico da Associação E. Solicitação de HABITE-SE na Prefeitura Municipal F. Apresentação e Aceitação do HABITE-SE pelo Depto. Técnico da Associação OCUPAÇÃO 2. LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO E SONDAGEM Deverá ser realizado o Levantamento Planialtimétrico e Sondagens do lote, a cargo do proprietário, informando a situação existente ao Departamento técnico da Associação. Para a realização de tais serviços, o proprietário deverá encaminhar documento autorizando a entrada das equipes para realização de tais serviços. 3. ANÁLISE DE PROJETOS (Item A): Para a análise do projeto pelo da Associação, é necessária a entrega impressa dos seguintes itens: 02 vias do Levantamento Planialtimétrico (escala 1:200 ou 1:100); 02 vias do Projeto Arquitetônico, contendo as plantas baixas de todos os pavimentos, planta de situação e de cobertura, cortes e fachadas; 02 vias do Memorial de Cálculo de Áreas padrão Terras Alphaville Ver orientações em Anexo 01; Cópia da Escritura de venda e compra do lote, com ou sem alienação fiduciária, devidamente registrada na matrícula do imóvel;

2 Cópia da guia de RRT/ART recolhida do autor do projeto; Cópia da guia de ART/RRT recolhida do responsável técnico da obra; Cópia assinada do Aviso de Cobrança da Taxa de Aprovação de Projeto. Caso sejam pertinentes, as seguintes autorizações também deverão ser encaminhadas ao da Associação junto aos itens listados acima: Autorização para construção de Muro Comum; Termo de ciência de Execução de Faixa de Servidão; Autorização para Lote de Apoio; Autorização para Manutenção de Área Pública. Após revisões, em todas as adequações e complementações exigidas pelo revisor, o projeto estando apto, uma das vias ficará retida na Associação sendo a outra entregue devidamente carimbada ao proprietário ou autor do projeto juntamente com uma carta informando sobre a aprovação do mesmo. NOTA: As demais vias necessárias para trâmites junto aos órgãos municipais deverão ser entregues e carimbadas pela arquiteta responsável pelo Depto. Técnico da Associação mediante solicitação do proprietário e/ou responsável. 4. OBSERVAÇÕES PARA PROJETOS: Os Projetos a serem apresentados para a aprovação junto ao da Associação, além de estarem acordes com o Regulamento Construtivo do Loteamento Terras Alphaville Teresina e com as legislações municipais, estaduais, federais e normas técnicas aplicáveis, deverá contemplar e/ou conter os itens discriminados no Roteiro de Análise de Projetos, disponível como Anexo 02.

3 5. CONTATOS: Para o esclarecimento de dúvidas acerca do Regulamento Construtivo, documentação exigida pelo, padrões estabelecidos pela Associação e modelos de autorizações, favor entrar em contato com o departamento técnico através: Fone: (86) Horário de Atendimento do Depto. Técnico: 8:00 às 13:00 / sábados: 8:00 às 12:00 Coordenadora Técnica: Arquiteta Flávia Azevedo

4 ANEXO 01 MEMORIAL DE CÁLCULO DE ÁREAS Apresentar em anexo, separado do projeto completo: 1) Projeção do perímetro da Área Construída de cada pavimento, dividida em figuras geométricas com indicação das cotas. Descrever o cálculo com o resultado de cada área e os totais de cada pavimento. Caso a área ocupada projeção total for diferente do térreo, demonstrar também o seu cálculo. 2) Repetir o procedimento para Área Permeável. Exemplo: A1 A1= 6.00 x 7.00 = A A2 A2 = 5.00 x = A3 = 3.00 x = TOTAL = m²

5 ANEXO 02 ROTEIRO PARA ANÁLISE DE PROJETOS ITEM OK COMENTÁRIOS DOCUMENTAÇÃO ENTREGUE 02 vias do Levantamento Planialtimétrico (esc.1:200 ou 1:100) 02 vias do Projeto Arquitetônico, com planta baixa de todos os pavimentos, planta de situação e coberta, cortes (mínimo um transversal e outro longitudinal) e fachadas. 02 vias do Memorial de Cálculo de Áreas Construídas e Permeável - Padrão Terras Alphaville. Cópia da escritura de venda e compra do lote registrada na matrícula do imóvel. Cópia da guia de ART/RRT recolhida do autor do projeto Cópia da guia de ART/RRT recolhida do responsável técnico da obra. Cópia assinada do Aviso de Cobrança da Taxa de Aprovação de Projeto. DOCUMENTAÇÃO AUXILIAR Autorizações para construção de Muro Comum ( ) SIM ( ) NÃO Qtde.: Autorização para Faixa de Servidão ( ) SIM ( ) NÃO Autorização para Lote de Apoio ( ) SIM ( ) NÃO Autorização para Manutenção de Área Pública ( ) SIM ( ) NÃO CARIMBOS Nome Completo do Proprietário Nome Completo do Autor do Projeto e Responsável Técnico Identificação do Lote (quadra/lote/rua) Identificação do empreendimento: Loteamento Terras Alphaville Teresina Identificação do tipo de projeto: Residência Unifamiliar Escala dos desenhos e quantidade total de pranchas Quadro de assinaturas com nomes. QUADRO DE ÁREAS

6 Memorial de áreas (Principal + Edícula): mínimo 120,00m² Área Edícula 25% da área construída da edificação principal. Áreas permeáveis - mínimo 25% Taxa de ocupação - 50% Índice de aproveitamento - 1,2 (área total máx. ~ 360m 2 ) Área mínima do Lote m 2 (testada mínima 12m) LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO Viela sanitária dentro do lote: ( ) SIM ( ) NÃO Inspeção de esgoto e águas pluviais Boca de lobo Poste de iluminação pública Árvores (porte e localização) ( ) SIM ( ) NÃO Indicação de confrontantes Indicação do norte Indicação de cotas do lote e/ou raios do lote Indicação das curvas de nível Indicação do Ponto de Referência Ver definição no Regulamento Construtivo. PLANTAS Edificação em monobloco: ( ) SIM ( ) NÃO Obrigatoriamente: QA QD QG QL QO QAD QAE QAG QAJ QAM QAR QAO Indicar níveis internos e externos. Pav.térreo - máx.1,00m acima ou abaixo Ponto de Referência (Escalonamento de níveis no mesmo pav. - máx.1,50m e área de patamar mínima - 10m 2 ) Indicar confrontantes (fundo / laterais) Indicar cotas de nível dos pontos extremos do lote Medidas do lote: testada mínima - 12,00m Indicar passeio - materais e desenho segundo padrão TA The e rebaixamento de guia para acesso veículos ( 50% da testada do lote/ Afastamentos laterias -1,00m) Cotar recuos: frontal: 5,00m / lateral: 1,50m / fundos: 3,00m. Entre beirais das edificação principal e edícula - 3,00m.

7 Indicar vedações: Arrimos 1,50m / Divisas 2,00m (0,50m mureta + 1,50m gradil) Lotes com área verde adjacente: fechamento em gradil, alambrado ou cerca-viva. Piscinas: verificar cotas, confrontantes e recuos: frontal: 5,00m/ lateral e fundos: 1,5m. Observar casa de bombas. Chuveiros de apoio para piscina não deverão estar apoiados no muro de divisa. Estrutura independente com altura máx.: 2,00m Caixa d água: Indicar capacidade (L) e acessos. Respeitar altura máxima edificação: 11,00 m Cotar beiral e/ ou marquises. Projeção em recuo permitida: laterais e fundos - 0,60m / frontal -1,00. Indicar inclinação e material de telhados/coberturas. Poço Artesiano: ( ) SIM ( ) NÃO Recuos: frontal - 5,00m/ lateral e fundos - 1,5m Faixa de Servidão: ( ) SIM ( ) NÃO Obs: Checar remembramento ou desmembramento de lotes. CORTES Verificar altura máxima da edificação, incluindo-se volume da caixa d água - 11,00m. Verificar altura máxima da garagem quando na faixa de recuo lateral 3,20m. Verificar altura máxima edícula - 4,00m Pé-direito edícula mínimo - 2,60m Número máximo de pavimentos (02 pavimentos: térreo e superior - acima do nível da rua - e 01 subsolos); Pav.térreo - máx.1,00m acima ou abaixo Ponto de Referência (Escalonamento de níveis no mesmo pav. - máx.1,50m e área de patamar mínima - 10m 2 ) Verificar dimensões do passeio livre e pavimentado Indicar cotas de nível nas áreas internas e externas Chuveiros de apoio para piscina não deverão estar apoiados no muro de divisa. Estrutura independente com altura máx.: 2,00m Indicar altura dos muros e vedações: Arrimos 1,50m / Divisas 2,00m (0,50m mureta + 1,50m gradil) Lotes com área verde adjacente: fechamento em gradil, alambrado ou cerca-viva. Cotar altura do forro, sem a laje.

8 Mostrar lote completo; Indicar PNT (Perfil Natural do Terreno) e Ponto de referência; Local caixa d água, capacidade (L) e acessos. Altura máx.- 11m ELEVAÇÕES (FACHADAS) Especificar materiais de acabamento, inclusive muros e edícula ANOTAÇÕES OBRIGATÓRIAS NO PROJETO: 1. Será mantido o perfil natural do terreno na faixa de recuo frontal junto às divisas com os lotes vizinhos. 2. As medidas dos beirais indicados neste projeto representam a cobertura acabada, incluindo calhas e rufos. 3. Será prevista a drenagem de águas pluviais junto aos muros. 4. Os taludes terão inclinação máxima na proporção de 1,5: 1 = base : altura. 5. Será prevista a servidão de passagem de canalização de águas pluviais dos lotes vizinhos. 6. Possui o mínimo de 25% da área do lote como área permeável. 7. As instalações de GLP atendem as normas da ABNT. 8. Todos os muros ou muretas, quando houver, serão revestidos e pintados. OUTROS

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS Este informativo foi elaborado visando a padronização para a Apresentação de Projetos junto ao da Associação, para que a análise e a aprovação de projetos transcorram de forma mais rápida e eficiente.

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS 1 1. AUTORIZAÇÕES E CADASTRAMENTO: Para entrada de profissionais e execução de serviços como LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO e SONDAGEM, será necessária a autorização

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS 1 AUTORIZAÇÕES E CADASTRAMENTO Para entrada de profissionais e execução de serviços como LEVANTAMENTO PLANIALTIMÉTRICO e SONDAGEM, será necessária a autorização por

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo de Área

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PROJETOS

ORIENTAÇÕES PARA PROJETOS PROJETOS 1 Aprovação do Projetos pelo Depto. Técnico da Associação 2 Aprovação do Projeto e Solicitação de Alvará de Construção na Prefeitura Municipal 3 Liberação de Obra pelo Depto. Técnico da Associação

Leia mais

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ

MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS NO LOTEAMENTO ALPHAVILLE MOSSORÓ Associação Alphaville Mossoró Janeiro- 2014 ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS 1. PROJETOS DE REMEMBRAMENTO E / OU DESMEBRAMENTO

Leia mais

ARQUIVO MODELO PADRÃO de APRESENTAÇÃO DE PROJETOS (PDF)

ARQUIVO MODELO PADRÃO de APRESENTAÇÃO DE PROJETOS (PDF) 1. OBJETIVO... 2 2. PROJETOS DE REMEMBRAMENTO E / OU DESMEBRAMENTO DE LOTES... 2 2.1. Documentações necessárias... 2 2.2. Modelo Prancha Única Remembramento (fig. 01)... 2 2.3. Restrições para Áreas...

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura via física e via digital; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA REPRESENTAÇÕES DE DESENHO TÉCNICO E APROVAÇÃO DE PROJETOS SETOR DE ENGENHARIA

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA REPRESENTAÇÕES DE DESENHO TÉCNICO E APROVAÇÃO DE PROJETOS SETOR DE ENGENHARIA ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA REPRESENTAÇÕES DE DESENHO TÉCNICO E APROVAÇÃO DE PROJETOS SETOR DE ENGENHARIA ANEXO II DO DECRETO N 80/2011 DE 02/05/2011 PARTE 01: OBRA NOVA OU AMPLIAÇÃO 1. Planta de situação

Leia mais

ALPHAVILLE GRACIOSA RESIDENCIAL CADERNO DE PROJETOS E PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

ALPHAVILLE GRACIOSA RESIDENCIAL CADERNO DE PROJETOS E PRESERVAÇÃO AMBIENTAL Página 1 de 31 ALPHAVILLE GRACIOSA RESIDENCIAL CADERNO DE PROJETOS E PRESERVAÇÃO AMBIENTAL RATIFICADO PELA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 30 DE MAIO DE 2007 Página 2 de 31 1.0 PROJETOS...

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Heber Xavier Ferreira Coordenador do COPLAN/ALTO VALE

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Heber Xavier Ferreira Coordenador do COPLAN/ALTO VALE RESOLUÇÃO COPLAN Nº 001/2012 O Coordenador do COPLAN/ALTO VALE, no exercício de suas atribuições e, atendendo a deliberação ocorrida na reunião ordinária do dia 07/12/2011, resolve: Art. 1º Fica aprovado,

Leia mais

Condomínio Residencial Rural

Condomínio Residencial Rural Condomínio Residencial Rural CADERNO DE PROJETOS E PRESERVAÇÃO AMBIENTAL Página 1 ÍNDICE. 1.0 PROJETOS...03 1.1 Aprovação/ Reaprovação/ Substituição...03 1.1.1 Considerações Gerais...03 1.1.2 Documentos

Leia mais

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR

UniVap - FEAU CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Prof. Minoru Takatori ESTUDO PRELIMINAR 1 ESTUDO PRELIMINAR OBJETIVOS Analise e avaliação de todas as informações recebidas para seleção e recomendação do partido arquitetônico, podendo eventualmente, apresentar soluções alternativas. Tem como

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSUNTOS JURÍDICOS LEI COMPLEMENTAR Nº 292, DE 3 DE FEVEREIRO DE 2014. Dispõe sobre a criação da Zona Especial de Interesse Social ZEIS Palmas Sul, estabelece normas para a implantação de Empreendimento Habitacional de Interesse

Leia mais

REGULAMENTO DO LOTEAMENTO ALPHAVILLE EUSÉBIO

REGULAMENTO DO LOTEAMENTO ALPHAVILLE EUSÉBIO Anexo B REGULAMENTO DO LOTEAMENTO ALPHAVILLE EUSÉBIO ÍNDICE I DEFINIÇÕES Item 01... 3 II DISPOSIÇÕES GERAIS Itens 02 a 07... 7 III USOS III.1 Área Residencial... 7 III.2 Área Comercial... 8 IV APROVAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DO LOTEAMENTO ALPHAVILLE SERGIPE FASE 1

REGULAMENTO DO LOTEAMENTO ALPHAVILLE SERGIPE FASE 1 Anexo C REGULAMENTO DO LOTEAMENTO ALPHAVILLE SERGIPE FASE 1 ÍNDICE I. DEFINIÇÕES... 3 II. DISPOSIÇÕES GERAIS... 5 III. PROJETOS... 6 III.1. APROVAÇÃO DE PROJETOS E FISCALIZAÇÃO... 6 III.2. PROJETO DE REMEMBRAMENTO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA SANTA CEP 33400-000 - ESTADO DE MINAS GERAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE LAGOA SANTA CEP 33400-000 - ESTADO DE MINAS GERAIS PORTARIA Nº. 24, DE 14 DE SETEMBRO DE 2011. Regulamenta o artigo 18 da Lei nº 2.863/2008 Código de Obras e dá providências para avaliação e aprovação de Projetos de Edificações. O Secretário Municipal

Leia mais

ASSOCIAÇÃO RESIDENCIAL RESERVA BOM SUCESSO MANUAL TÉCNICO DE PROJETOS E OBRAS

ASSOCIAÇÃO RESIDENCIAL RESERVA BOM SUCESSO MANUAL TÉCNICO DE PROJETOS E OBRAS ASSOCIAÇÃO RESIDENCIAL RESERVA BOM SUCESSO MANUAL TÉCNICO DE PROJETOS E OBRAS 1 OBJETIVO Este Manual Técnico de Projetos e Obras tem por objetivo orientar e informar aos proprietários dos lotes, bem como

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA

SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E POLÍTICA URBANA ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PARCELAMENTO DO SOLO LOTEAMENTOS E DESMEMBRAMENTOS 04 vias do processo contendo na capa o número

Leia mais

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES (Consta da Ata de Constituição da Associação Residencial Morada do Engenho, registrada sob n 51.758 )

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES (Consta da Ata de Constituição da Associação Residencial Morada do Engenho, registrada sob n 51.758 ) REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES (Consta da Ata de Constituição da Associação Residencial Morada do Engenho, registrada sob n 51.758 ) Este regulamento sem prejuízo das Restrições Convencionais, tem como objetivo

Leia mais

LOTEAMENTO VILLAGGIO DI FIRENZE Av. Dr. Armando Sales de Oliveira Nº 400 Franca - SP

LOTEAMENTO VILLAGGIO DI FIRENZE Av. Dr. Armando Sales de Oliveira Nº 400 Franca - SP LOTEAMENTO VILLAGGIO DI FIRENZE Av. Dr. Armando Sales de Oliveira Nº 400 Franca - SP CARTILHA DE CONSTRUÇÃO Seguem especificações para as construções nos lotes do Loteamento Villaggio Di Firenze: A) Conforme

Leia mais

REGULAMENTO DO LOTEAMENTO ALPHAVILLE GRAVATAÍ

REGULAMENTO DO LOTEAMENTO ALPHAVILLE GRAVATAÍ Anexo B REGULAMENTO DO LOTEAMENTO ALPHAVILLE GRAVATAÍ ÍNDICE I. DEFINIÇÕES...4 II. DISPOSIÇÕES GERAIS...7 III. III.1. III.2. III.2.1 PROJETOS...8 APROVAÇÃO DE PROJETOS E FISCALIZAÇÃO...8 PROJETO DE REMEMBRAMENTO

Leia mais

SANTA BÁRBARA RESORT RESIDENCE REGULAMENTO PARA CONSTRUÇÕES E ALTERAÇÕES DE CONSTRUÇÕES

SANTA BÁRBARA RESORT RESIDENCE REGULAMENTO PARA CONSTRUÇÕES E ALTERAÇÕES DE CONSTRUÇÕES SANTA BÁRBARA RESORT RESIDENCE REGULAMENTO PARA CONSTRUÇÕES E ALTERAÇÕES DE CONSTRUÇÕES 1. Considerações Gerais 1.1. O presente Regulamento estabelece regras gerais para as construções e alterações que

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano 2014 CONCEITOS GERAIS DOS SERVIÇOS E Lei nº 3401/06 ( Plano Diretor), Lei nº 3420/07 (Código

Leia mais

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES

REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES REGULAMENTO DE EDIFICAÇÕES Este regulamento sem prejuízo das Restrições Convencionais, tem como objetivo normatizar o direito de utilização e aproveitamento dos lotes, sendo que tais limitações são supletivas

Leia mais

UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS E AMBIENTAIS CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS E AMBIENTAIS CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ ÁREA DE CIÊNCIAS EXATAS E AMBIENTAIS CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Projeto Arquitetônico I 2015/01 Representação de projetos de arquitetura - NBR 6492 Arquitetura

Leia mais

CHEK LIST DE DOCUMENTAÇÕES PARA ABERTURA DE PROCESSOS COORDENADORIA DE URBANISMO ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO - UNIFAMILIAR

CHEK LIST DE DOCUMENTAÇÕES PARA ABERTURA DE PROCESSOS COORDENADORIA DE URBANISMO ALVARÁ DE CONSTRUÇÃO - UNIFAMILIAR ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE MUNICÍPIO DE PARNAMIRIM SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE E DO DESENVOLVIMENTO URBANO CHEK LIST DE DOCUMENTAÇÕES PARA ABERTURA DE PROCESSOS COORDENADORIA DE URBANISMO

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA

ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA Associação Alphaville Salvador Residencial 1 PROCEDIMENTOS PARA INÍCIO DE OBRA 1. Entregar uma cópia do jogo de Plantas Aprovadas pela Prefeitura Municipal de Salvador e

Leia mais

REGULAMENTO DE OBRAS E REFORMAS ASSOCIAÇÃO JARDINS LISBOA

REGULAMENTO DE OBRAS E REFORMAS ASSOCIAÇÃO JARDINS LISBOA REGULAMENTO DE OBRAS E REFORMAS ASSOCIAÇÃO JARDINS LISBOA Os adquirentes de lotes obrigar-se-ão a contribuir para a manutenção do alto nível deste loteamento. O cumprimento desta obrigação, como de todas

Leia mais

LEI 1620 DE 23.10.1997 Define disposições relativas à aprovação de edificações residenciais unifamiliares

LEI 1620 DE 23.10.1997 Define disposições relativas à aprovação de edificações residenciais unifamiliares LEI 1620 DE 23.10.1997 Define disposições relativas à aprovação de edificações residenciais unifamiliares Lei 1620/1997 - Secretaria de Urbanismo e Controle Urbano - www.urbanismo.niteroi.rj.gov.br 0 Lei

Leia mais

REGULARIZAÇÃO POSTO DE ABASTECIMENTO E SERVIÇOS DE VEÍCULOS

REGULARIZAÇÃO POSTO DE ABASTECIMENTO E SERVIÇOS DE VEÍCULOS POSTO DE ABASTECIMENTO E SERVIÇOS DE VEÍCULOS I- Requerimento (modelo fornecido pela EMURB), assinado pelo proprietário ou procurador legalmente constituído. II- Número da inscrição cadastral do imóvel

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DA OBRA 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; Autorização para Construção emitida pela Associação Jardins Ibiza. 2. IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 2.1 Fechamento do canteiro

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via;

Leia mais

PROJETO URBANÍSTICO Normas Construtivas

PROJETO URBANÍSTICO Normas Construtivas PROJETO URBANÍSTICO Normas Construtivas Tão bom quanto um Damha. só outro Damha. Bem-vindo ao Residencial Damha II O Residencial Damha II Brasília seguirá o mesmo padrão e a mesma infraestrutura de sucesso

Leia mais

NORMAS APLICÁVEIS A PROJETO DE EDIFICAÇÃO MULTIRESIDENCIAL 2ª Versão 22/11/2005 (Por tipo de planta)

NORMAS APLICÁVEIS A PROJETO DE EDIFICAÇÃO MULTIRESIDENCIAL 2ª Versão 22/11/2005 (Por tipo de planta) 1/7 COORDENADORIA DE CONTROLE URBANO DEPARTAMENTO DE LICENCIAMENTO DIVISÃO DE LICENCIAMENTO MULTIRESIDENCIAL NORMAS APLICÁVEIS A PROJETO DE EDIFICAÇÃO MULTIRESIDENCIAL 2ª Versão 22/11/2005 (Por tipo de

Leia mais

II Desenho na escala de 1:100 (uma para cem); III Cotas necessárias à perfeita compreensão do projeto; 1º - O projeto simplificado deverá apresentar:

II Desenho na escala de 1:100 (uma para cem); III Cotas necessárias à perfeita compreensão do projeto; 1º - O projeto simplificado deverá apresentar: Institui Projeto Simplificado e dispõe sobre a forma de apresentação de projetos de construção de edificações residenciais unifamiliares, e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE GUARATINGUETÁ

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E HABITAÇÃO - SEMURH

PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E HABITAÇÃO - SEMURH Documentos pessoais do requerente; Certidão Negativa do IPTU; Documento de responsabilidade técnica emitido pelo CREA ou CAU; Declaração do engenheiro ou arquiteto responsável pela obra; Aprovação do projeto

Leia mais

TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS

TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO CIVIL E CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS 1 - PROJETO - ESTUDOS PRELIMINARES APÓS ESTUDAR ESTE CAPÍTULO; VOCÊ DEVERÁ SER CAPAZ DE: Elaborar um bom projeto arquitetónico; Utilizando métodos

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRAS ÍNDICE. Assunto Itens Página

TERMO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRAS ÍNDICE. Assunto Itens Página TERMO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRAS ÍNDICE Assunto Itens Página I Principios Gerais 01 a 05 02 II Restrições da Construção e do Uso do Lote 06 a 24 03 III Inicio das Edificações,

Leia mais

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES -

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES - ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES - 1. LEGISLAÇÃO SANITÁRIA ESPECÍFICA - Lei Federal 6.360/76 e Decreto Estadual (DE) 23.430 de 24/10/1974 (http://www.al.rs.gov.br/legis/);

Leia mais

MONT BLANC RÉSIDENCE

MONT BLANC RÉSIDENCE LOTEAMENTO MONT BLANC RÉSIDENCE REGULAMENTO DE RESTRIÇÕES URBANÍSTICAS E DE CONSTRUÇÃO, 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS 1.1 As restrições e limitações constantes deste Regulamento constituem normas convencionais

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA ÍNDICE ORIENTAÇÕES PRELIMINARES IMPORTANTES pág. 02 NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA pág. 03 NORMAS PARA EXECUÇÃO DE OBRAS pág. 08

Leia mais

SUPERINTENDENCIA ADMINISTRATIVA DE CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E OBRAS SACFO. Município de Sumaré MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL

SUPERINTENDENCIA ADMINISTRATIVA DE CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E OBRAS SACFO. Município de Sumaré MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL SUPERINTENDENCIA ADMINISTRATIVA DE CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E OBRAS SACFO. Município de Sumaré MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL 1 APROVAÇÃO DE PROJETOS TRANSCRIÇÃO DE TRECHOS LEGISLAÇÃO PERTINENTE CÓDIGO

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DE ORIENTAÇÕES PARA PROJETOS E OBRAS 2015

MANUAL TÉCNICO DE ORIENTAÇÕES PARA PROJETOS E OBRAS 2015 I. OBRAS I.1. I.1.1 1.1. ORIENTAÇÃO PARA INÍCIO DAS OBRAS Documentos necessários Para o início da obra será necessária a apresentação ao, dos seguintes documentos que devem permanecer na obra durante sua

Leia mais

Procedimentos. de projetos

Procedimentos. de projetos Procedimentos para aprovação de projetos 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo

Leia mais

C.O.R CÓDIGO DE OBRAS DO RESIDENCIAL

C.O.R CÓDIGO DE OBRAS DO RESIDENCIAL C.O.R CÓDIGO DE OBRAS DO RESIDENCIAL ANÁLISE DE PROJETOS APROVAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DE OBRAS SETEMBRO DE 2011 ÍNDICE 1 OBJETIVO 3 2 - INFORMAÇÕES GERAIS 3 3 - SOBRE AS RESPONSABILIDADES E ISENÇÕES DE RESPONSABILIDADES

Leia mais

Sociedade loteamento MONT BLANC PROCEDIMENTO PARA INÍCIO DE OBRA

Sociedade loteamento MONT BLANC PROCEDIMENTO PARA INÍCIO DE OBRA PROCEDIMENTO PARA INÍCIO DE OBRA 1. Apresentar cópia de Planta Aprovada pela Prefeitura Municipal de Campinas, cópia do Alvará de Execução para liberação de obra e cópia da ART recolhida do responsável

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS Para implantação de empresas em áreas e Distritos Industriais da CODEMIG

NORMAS TÉCNICAS Para implantação de empresas em áreas e Distritos Industriais da CODEMIG NORMAS TÉCNICAS Para implantação de empresas em áreas e Distritos Industriais da CODEMIG 1 S U M Á R I O CAPÍTULO APRESENTAÇÃO PÁGINA I Disposições Preliminares 02 II Uso e Ocupação do Solo 03 III Projetos

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIDADE DIFERENCIADA

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIDADE DIFERENCIADA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIDADE DIFERENCIADA LOTEAMENTO PRAIA DE JURERÊ VI ETAPA- A JURERÊ INTERNACIONAL, FLORIANÓPOLIS/SC O presente programa contempla o conjunto de normas, diretrizes e condicionantes

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIDADE DIFERENCIADA

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIDADE DIFERENCIADA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE QUALIDADE DIFERENCIADA LOTEAMENTO PRAIA DE JURERÊ VI ETAPA - B (AMORAEVILLE FASE 2) JURERÊ INTERNACIONAL, FLORIANÓPOLIS/SC O presente programa contempla o conjunto de normas,

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

ANEXO I REGULAMENTO DO LOTEAMENTO ÁGUAS CLARAS SÃO JORGE D OESTE - PR

ANEXO I REGULAMENTO DO LOTEAMENTO ÁGUAS CLARAS SÃO JORGE D OESTE - PR ANEXO I REGULAMENTO DO LOTEAMENTO ÁGUAS CLARAS SÃO JORGE D OESTE - PR Página 1 de 20 ÍNDICE I DEFINIÇÕES... 3 II DISPOSIÇÕES GERAIS... 5 III USOS... 6 IV APROVAÇÃO DE PROJETOS E FISCALIZAÇÃO... 7 V UNIFICAÇÃO

Leia mais

1 - PROJETO - ESTUDOS PRELIMINARES

1 - PROJETO - ESTUDOS PRELIMINARES 1 - PROJETO - ESTUDOS PRELIMINARES APÓS ESTUDAR ESTE CAPÍTULO; VOCÊ DEVERÁ SER CAPAZ DE: Elaborar um bom projeto arquitetônico; Utilizando métodos simples, definir a planimetria e a altimetria de um terreno;

Leia mais

APROVAÇÃO E LICENÇA - RESIDENCIAL UNIFAMILIAR

APROVAÇÃO E LICENÇA - RESIDENCIAL UNIFAMILIAR APROVAÇÃO E LICENÇA - RESIDENCIAL UNIFAMILIAR 1. Formulário Padrão (fornecido pelo IMPLURB) devidamente preenchido, sendo imprescindível conter o nome do interessado, número do telefone, número do celular

Leia mais

O Prefeito Municipal de Joinville, no exercício de suas atribuições, e com fundamento no inciso IX, do art. 68, da Lei Orgânica do Município,

O Prefeito Municipal de Joinville, no exercício de suas atribuições, e com fundamento no inciso IX, do art. 68, da Lei Orgânica do Município, DECRETO Nº 18.250, de 15 de setembro de 2011. Regulamenta o processo administrativo de aprovação de projetos, alvará para construção, reforma, ampliação, demolição, e vistoria final de edificações, uniformizando

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO LUIS SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E HABITAÇÃO SEMURH

PREFEITURA DE SÃO LUIS SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E HABITAÇÃO SEMURH Projeto de Lei nº, de de de Institui o primeiro plano municipal de incentivo à construção civil, e dá outras providências. O PREFEITO DE SÃO LUÍS, Capital do Estado do Maranhão Faço saber a todos os seus

Leia mais

REGULAMENTO DE NORMAS CONSTRUTIVAS E URBANÍSTICAS FLORAIS DA MATA

REGULAMENTO DE NORMAS CONSTRUTIVAS E URBANÍSTICAS FLORAIS DA MATA REGULAMENTO DE NORMAS CONSTRUTIVAS E URBANÍSTICAS FLORAIS DA MATA É condição essencial ao Contrato de Venda e Compra de Bem Imóvel, Com Pacto Adjeto de Financiamento Com Alienação Fiduciária a observância

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO

PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETO 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

CAPITULO XII. DA EDIFICAÇAO DE RESIDÊNCIAS PELOS CONDÔMINOS. Seção 1. Disposições Preliminares.

CAPITULO XII. DA EDIFICAÇAO DE RESIDÊNCIAS PELOS CONDÔMINOS. Seção 1. Disposições Preliminares. CAPITULO XII. DA EDIFICAÇAO DE RESIDÊNCIAS PELOS CONDÔMINOS. Seção 1. Disposições Preliminares. Artigo 47º. O CONDOMÍNIO, uma vez instituído na conformidade das disposições constantes do respectivo Memorial

Leia mais

Manual da Construção. Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Econômico

Manual da Construção. Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Econômico Manual da Construção Secretaria Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Econômico APRESENTAÇÃO A presente cartilha é uma contribuição da Prefeitura Municipal de Viana, através da Secretaria de Planejamento

Leia mais

Disciplina: Construção Civil I Procedimentos para Início da Obra

Disciplina: Construção Civil I Procedimentos para Início da Obra UniSALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil Disciplina: Construção Civil I Procedimentos para Início da Obra André Luís Gamino Professor Área de Construção Civil

Leia mais

DESENHO ARQUITETÔNICO CEPREVI 2012

DESENHO ARQUITETÔNICO CEPREVI 2012 DESENHO ARQUITETÔNICO CEPREVI 2012 OBJETIVO: Tornar o aluno apto a interpretação do desenho técnico e das simbologias utilizadas em projetos de segurança contra incêndio e pânico; Identificar e compreender

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROJETOS E OBRAS PARTICULARES JUNDIAÍ cartilha_obras_pmj.indd 1 09/10/09 20:03 cartilha_obras_pmj.indd 2 09/10/09 20:03 ÍNDICE APRESENTAÇÃO [pag. 1] SERVIÇOS PRESTADOS PELA DIRETORIA

Leia mais

Art. 1 - O presente regulamento estabelece regras e restrições com a finalidade de disciplinar o uso e ocupação do solo, a

Art. 1 - O presente regulamento estabelece regras e restrições com a finalidade de disciplinar o uso e ocupação do solo, a REGULAMENTO DE NORMAS CONSTRUTIVAS E URBANÍSTICAS VILLA JARDIM É condição essencial ao Contrato de Venda e Compra de Bem Imóvel, Com Pacto Adjeto de Financiamento Com Alienação Fiduciária a observância

Leia mais

PLANTA BAIXA AULA 09. O que é um Projeto Arquitetônico?

PLANTA BAIXA AULA 09. O que é um Projeto Arquitetônico? PLANTA BAIXA AULA 09 Projetos de Arquitetura: Conceitos e Representações 1 O que é um Projeto Arquitetônico? conjunto de passos normativos, voltados para o planejamento formal de um edifício qualquer,

Leia mais

REVISÃO REGULAMENTO INTERNO ABRIL/2015

REVISÃO REGULAMENTO INTERNO ABRIL/2015 REVISÃO REGULAMENTO INTERNO ABRIL/2015 ITENS REVISADOS: ARTIGO 14, alínea c c) Todos os recuos mencionados na alínea b deverão ser totalmente livres, sendo que a projeção de beirais com largura de até

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL BRASIL PREFEITURA DE ESTRELA Rua Julio de Castilhos, 380 Centro Estrela/RS Fone: 39811000

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL BRASIL PREFEITURA DE ESTRELA Rua Julio de Castilhos, 380 Centro Estrela/RS Fone: 39811000 PROJETO DE LEI Nº 044-02/2014 Acrescenta dispositivos à Lei Municipal nº 1.621, de 28 de dezembro de 1979, que dispõe sobre os loteamentos e dá outras providências. Art. 1º Além dos dispositivos constantes

Leia mais

NORMAS PARA CONSTRUÇÕES DE ACESSOS ÀS RODOVIAS ESTADUAIS

NORMAS PARA CONSTRUÇÕES DE ACESSOS ÀS RODOVIAS ESTADUAIS NORMAS PARA CONSTRUÇÕES DE ACESSOS ÀS RODOVIAS ESTADUAIS 1.0 As presentes instruções aplicam-se aos acessos de quaisquer propriedades às rodovias estaduais. 1.1 O acesso depende de autorização do DER/SC.

Leia mais

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense

MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense MEMO Nº 022/ENG/IFC/2010 Blumenau, 15 de julho de 2010. Ao: Pró Reitor de Desenvolvimento Institucional ANTÔNIO A. RAITANI JÚNIOR Do: Departamento de Engenharia do Instituto Federal Catarinense Assunto:

Leia mais

CONVÊNIO Nº 002/87 1.0 - GENERALIDADES.

CONVÊNIO Nº 002/87 1.0 - GENERALIDADES. 1 CONVÊNIO Nº 002/87 TERMO DE CONVÊNIO QUE ENTRE SI CELEBRAM DE UM LADO A PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE BARUERI E, DE OUTRO, A SOCIEDADE ALDEIA DA SERRA RESIDENCIAL MORADA DOS PÁSSAROS, PARA A APLICAÇÃO DE

Leia mais

PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRA

PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRA TERMO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRA Aprovado em Assembleia Extraordinária de / / Í N D I C E ASSUNTO ITENS PÁGINA I. Princípios Gerais... 01 a 05... 02 II. Restrições da Construção

Leia mais

ASSOCIAÇÃO ALPHAVILLE RESIDENCIAL 12 Av. Yojiro Takaoka, 6715 Santana de Parnaíba-SP. Fone/fax: 4153.2292. e-mail: sar12@sar12.org.

ASSOCIAÇÃO ALPHAVILLE RESIDENCIAL 12 Av. Yojiro Takaoka, 6715 Santana de Parnaíba-SP. Fone/fax: 4153.2292. e-mail: sar12@sar12.org. Código de Edificação Interno da Associação Alphaville Residencial 12 (Normas para aprovação de projetos e construção de Obras) TÍTULO PÁGINA 1.0 Generalidades 03 2.0 Restrições de Uso dos Lotes 03 3.0

Leia mais

196,6 referente à habitação unifamiliar isolada e habitação multifamiliar única e isolada R$ 196,60.

196,6 referente à habitação unifamiliar isolada e habitação multifamiliar única e isolada R$ 196,60. ANEXO XII LICENÇA PARA EXECUÇÃO DE OBRAS OU SERVIÇOS DE ENGENHARIA 1.0 TERRENO R$ 1.0.1 Análise de terreno referente a desmembramento, remembramento e demarcação, com 163,89 área até 5.000m². 1.0.2 Análise

Leia mais

MANUAL PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS

MANUAL PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS MANUAL PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS ORIENTAÇÕES SOBRE OS PROCEDIMENTOS REALIZADOS E OS SERVIÇOS PRESTADOS PELA SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVILVIMENTO URBANO SMDU, PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS NO MUNICÍPIO

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura 1 via; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e Memorial de Cálculo

Leia mais

REGULAMENTO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO E DE EXECUÇÃO DE OBRAS NO BAIRRO ÁGUAS DE SERRA MORENA ZONA RESIDENCIAL UNIFAMILIAR

REGULAMENTO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO E DE EXECUÇÃO DE OBRAS NO BAIRRO ÁGUAS DE SERRA MORENA ZONA RESIDENCIAL UNIFAMILIAR REGULAMENTO DE USO E OCUPAÇÃO DO SOLO E DE EXECUÇÃO DE OBRAS NO BAIRRO ÁGUAS DE SERRA MORENA ZONA RESIDENCIAL UNIFAMILIAR 1. DEFINIÇÕES E PROPÓSITOS 1.1. As regras e disposições limitativas do uso e ocupação

Leia mais

PROGRAMA HABITACIONAL NOVO PRODUTO

PROGRAMA HABITACIONAL NOVO PRODUTO PROGRAMA HABITACIONAL NOVO PRODUTO Produto Aquisição de empreendimentos habitacionais na planta Sem custos de comercialização para o construtor Recursos do Fundo do Novo Programa Habitacional Público Alvo:

Leia mais

Prefeitura INEPAC IPHAN Resumo. 0,5-0,5 0,5 3 pavim. Altura máxima de 13m. 8,5m 15% - - 15% Das Disposições Gerais (IPHAN)

Prefeitura INEPAC IPHAN Resumo. 0,5-0,5 0,5 3 pavim. Altura máxima de 13m. 8,5m 15% - - 15% Das Disposições Gerais (IPHAN) Logradouro: Rua Francisco Manoel, 10 1ª Categoria Terreno: 1400m² Observações: PMP: SIP3 INEPAC: Conjunto XI / 3 IPHAN: 1ª categoria, tipo V Prefeitura INEPAC IPHAN Resumo Taxa de ocupação 30% - 30% 30%

Leia mais

CONTRATO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS E EXECUÇÃO DE OBRAS

CONTRATO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS E EXECUÇÃO DE OBRAS CONTRATO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS E EXECUÇÃO DE OBRAS Que entre si celebram, de um lado, a SOCIEDADE ALPHAVILLE RESIDENCIAL 5, inscrita no C.G.C./MF, sob o n.º 51.244.861/0001-56, isenta

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DCU - SIMPLES

MANUAL DE INSTRUÇÕES DCU - SIMPLES PROCEDIMENTOS PARA APROVAÇÃO DE PROJETOS E EMISSÃO DE ALVARÁ DE OBRA MANUAL DE INSTRUÇÕES DCU - SIMPLES 2002 P DEPARTAMENTO DE CONTROLE URBANÍSTICO 1 A edição do Manual de Instruções e Procedimentos para

Leia mais

Resolução SMU nº 728 de 10 de julho de 2007

Resolução SMU nº 728 de 10 de julho de 2007 Resolução SMU nº 728 de 10 de julho de 2007 Altera a Resolução SMU n.º 703 de 29/12/2006 que consolida, organiza e atualiza as normas, os procedimentos e a padronização para a elaboração e aprovação dos

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE LOTEAMENTO URBANO

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE LOTEAMENTO URBANO SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO GUANHÃES MG INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE LOTEAMENTO URBANO SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO

Leia mais

Roccato. Um guia para construir oque é necessário antes de começar a obra. Documentos obrigatórios Licenças, ART s, Projetos e Profissionais

Roccato. Um guia para construir oque é necessário antes de começar a obra. Documentos obrigatórios Licenças, ART s, Projetos e Profissionais Um guia para construir oque é necessário antes de começar a obra Documentos obrigatórios Licenças, ART s, Projetos e Profissionais Aprovações necessárias Copel, Sanepar, Prefeitura, Bombeiros Descubra

Leia mais

REGULAMENTO DE NORMAS CONSTRUTIVAS E URBANÍSTICAS DO CONDOMÍNIO FLORAIS CUIABÁ

REGULAMENTO DE NORMAS CONSTRUTIVAS E URBANÍSTICAS DO CONDOMÍNIO FLORAIS CUIABÁ Srs. Condôminos, Arquitetos e Engenheiros. Assunto: Alterações no Regulamento de Normas Construtivas. Prezados senhores! Desde a entrada em vigor do REGULAMENTO DE NORMAS CONSTRUTIVAS E URBANÍSTICAS em

Leia mais

Os Levantamentos somente serão liberados pelos técnicos se estiverem assinados e acompanhados das respectivas ARTs ou RRTs.

Os Levantamentos somente serão liberados pelos técnicos se estiverem assinados e acompanhados das respectivas ARTs ou RRTs. INSTRUÇÃO TÉCNICA 11 COMUNICAÇÃO VISUAL E SINALIZAÇÃO Revisão 00 jan/2014 1 OBJETIVO Esta Instrução Técnica apresenta os procedimentos, critérios e padrões que deverão ser adotados na execução de serviço

Leia mais

RESIDENCIAL GRAN ROYALLE LAGOA SANTA CAPÍTULO II DAS NORMAS DE CONSTRUÇÃO I - NORMAS GERAIS

RESIDENCIAL GRAN ROYALLE LAGOA SANTA CAPÍTULO II DAS NORMAS DE CONSTRUÇÃO I - NORMAS GERAIS RESIDENCIAL GRAN ROYALLE LAGOA SANTA CAPÍTULO II DAS NORMAS DE CONSTRUÇÃO I - NORMAS GERAIS 1) Em cada unidade autônoma somente será permitida a construção de uma casa de moradia e obras complementares,

Leia mais

Professor: Dr. Gilberto Fernandes ESCOLA DE MINAS - UFOP

Professor: Dr. Gilberto Fernandes ESCOLA DE MINAS - UFOP Professor: Dr. Gilberto Fernandes ESCOLA DE MINAS - UFOP Obra de uma residência no bairro Bauxita Ouro Preto Características da edificação: Área do terreno: 360m²; Área a ser construída: 150m²; Obra de

Leia mais

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação 1 Informações iniciais Indentificação do empreendedor Responsável pelo empreendimento: Responsável pelo RAS ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DO RAS - Obras de Telecomunicação Razão Social CNPJ Telefone Nome CPF

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA

PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE ARQUITETURA 1. PROCEDIMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE Para primeira análise: I. Levantamento Planialtimétrico; II. Projeto de Arquitetura via física e via digital; III. Memorial de Cálculo de Área Construída e

Leia mais

www.camposdeminasof.com.br

www.camposdeminasof.com.br REGULAMENTO DE RESTRIÇÕES URBANISTICAS E DE CONSTRUÇÃO, PROTEÇÃO E DE USO DO LOTEAMENTO RESIDENCIAL CAMPOS DE MINAS 1- Considerações Iniciais 1.1- As restrições e as limitações constantes deste regulamento

Leia mais

UBATUBA COUNTRY CLUBE

UBATUBA COUNTRY CLUBE CÓDIGO DE OBRAS INTRODUÇÃO Esta codificação pretende estabelecer regras de convivência para os proprietários e freqüentadores do Ubatuba Country Clube (UCC), bem como harmonizar com a paisagem os elementos

Leia mais

Í N D I C E. Página 1 de 19

Í N D I C E. Página 1 de 19 TERMO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRA Aprovado em Assembleia Extraordinária de 14/04/2014 Í N D I C E ASSUNTO ITENS PÁGINA I. Princípios Gerais... 01 a 05... 02 II. Restrições

Leia mais

INFRAESTRUTURA CIVIL - CÂMARAS TRANSFORMADORAS FASCÍCULO. Infraestrutura Civil - Câmaras Transformadoras

INFRAESTRUTURA CIVIL - CÂMARAS TRANSFORMADORAS FASCÍCULO. Infraestrutura Civil - Câmaras Transformadoras FASCÍCULO Infraestrutura Civil - Câmaras Transformadoras 1. OBJETIVO Estabelecer critérios para elaboração de Projeto Civil de entradas consumidoras que envolvam a implantação de obras civis subterrâneas

Leia mais

EMPRESA MUNICIPAL DE OBRAS E URBANIZAÇÃO COORDENADORIA DE CONTROLE URBANO ANUÊNCIA PRÉVIA PARA CONSTRUÇÃO INICIAL DE EDIFICAÇÃO NÃO RESIDENCIAL

EMPRESA MUNICIPAL DE OBRAS E URBANIZAÇÃO COORDENADORIA DE CONTROLE URBANO ANUÊNCIA PRÉVIA PARA CONSTRUÇÃO INICIAL DE EDIFICAÇÃO NÃO RESIDENCIAL ANUÊNCIA PRÉVIA PARA CONSTRUÇÃO INICIAL DE EDIFICAÇÃO NÃO RESIDENCIAL 1. Requerimento assinado pelo proprietário ou procurador legalmente constituído. 2. Nº da inscrição cadastral do imóvel para prova

Leia mais

GLOSSÁRIO PLANO DIRETOR DE MANAUS

GLOSSÁRIO PLANO DIRETOR DE MANAUS GLOSSÁRIO PLANO DIRETOR DE MANAUS Aceitação: documento expedido por órgão público competente que reconhece a execução de obra ou serviço e autoriza o uso ou a ocupação de edificação ou de instalações de

Leia mais

CRITÉRIOS DE EDIFICAÇÃO

CRITÉRIOS DE EDIFICAÇÃO CRITÉRIOS DE EDIFICAÇÃO São os seguintes os Critérios de Edificação para o Condomínio Quintas do Sol, aprovados na Assembléia Geral Extraordinária realizada em 08.12.2002 e complementados na AGE de 17.10.2004.

Leia mais