CPAP/OS - ventilação com pressão contínua em vias aéreas / Ventilação com Pressão de Suporte.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CPAP/OS - ventilação com pressão contínua em vias aéreas / Ventilação com Pressão de Suporte."

Transcrição

1 SERVOVENTILADOR COLOR MS: OCP: TÜV Rheinland... DESCRITIVO Servoventilador pulmonar microprocessado eletrônico para insuficiência respiratória de paciente adulto a neonatal em UTI. Reúne ventilação de alta performance, design arrojado e completa monitorização ventilatória. Possui sistema Easy Touch, todos os controles com um único botão e monitor com função Touch Screen.... FICHA TÉCNICA Modalidades: VCV - Ventilação Controlada por Volume PCV - Ventilação com Pressão Controlada PCV/AV - Ventilação Pressão Controlada com volume assegurado SIMV/V- Ventilação Mandatória Intermitente Sincronizada com controle de Volume SIMV/P - Ventilação Mandatória Intermitente Sincronizada com controle de Pressão MMV - Ventilação com Volume Minuto Mínimo BIPV - Ventilação Espontânea em dois Níveis de Pressão CPAP/OS - ventilação com pressão contínua em vias aéreas / Ventilação com Pressão de Suporte. NIV - Ventilação Não Invasiva PSV/AV - Pressão de Suporte com volume assegurado VSV- Ventilação Servo Volumétrica com pressão de suporte

2 Características Especiais: Modalidades de reserva (backup), para o caso de apnéia; Display LCD com função Touchscreen; Tipos de curva: quadrado, desacelerado, acelerado e senoidal; Compensação automática da complacência do circuito respiratório; Pausa Inspiratória Manual para medida de pressão platô; Pausa expiratória manual para medida de auto peep; Tempo de subida Ajuste da ciclagem da pressão de suporte; Monitorização de P.01 e Índice de Tobin Recrutamento alveolar Permite 100% de O2 temporizado em 90 segundos; Parâmetros Ventilatórios: Frequência Adulto (rpm) 1 a 150 Frequência Neonato (rpm) - 1 a 180 Tempo Inspiratório (s) 0,10 a 0,70 / 0,70 a 1,00 / 1,00 a 15,00 Concentração de Oxigêncio (%) 21 a 100

3 Pressão Limitada Máxima (cmh 2O) 5 a 80 Pressão de Trabalho Máxima (cmh 2O) 5 a 100 PEEP/CPAP (cmh 2O) 0 a 50 Pressão de Suporte (cmh 2O) 0 a 80 Ciclagem de Pressão de Suporte (% do fluxo inspiratório) 5 a 80 Tempo de Subida 0,00 a 0,40 Pausa Inspiratória (s) OFF a 0,70 / 0,70 a 1,00 / 1,00 a 47,10 Volume Corrente em Adulto (ml) 150 a 1000 / 1000 a 2500 Volume Corrente em Infância (ml) 20 a 150 / 150 a 250 Fluxo Ajustado (l/min) 4 a 120 Fluxo Espontâneo (l/min) 4 a 180 Sensibilidade a Fluxo OFF, 1 a 30 Sensibilidade a Pressão (cmh 2O) OFF, -1 a -20 Suspiro (ciclo) OFF, -5 a 100 Peso do Paciente (kg) 0,3 a 5,0 / 5,0 a 20,0 / 20,0 a 200,0 Tempo Inspiratório no BIPV (s) 0,10 a 0,70 / 0,70 a 1,00 / 1,00 a 10,00 Fluxo de base (l/min) OFF, 4 a 50

4 Volume Minuto no MMV (l) 0,50 a 20,0 Silenciador de Alarme Sonoro (s) 120 Tempo de Subida no PCV (s) 0 a 0,40 Intervalo de Recrutamento (min) OFF, 15 a 120 Tempo de Recrutamento (s) OFF, 1 a 60 Pressão de Recrutamento (cmh 2O) OFF, 1 a 60 Tempo de Subida no Recrutamento (% do Tempo de Recrutamento) OFF, 1 a 100 PEEP de Retorno do Recrutamento (cmh 2O) OFF, 1 a 50 Recrutamento OFF, ON e Manual Parâmetros Medidos em ATPD: Volume Corrente Expirado Médio (ml) 100 a 2600 Volume Corrente Inspirado Médio (ml) 20 a 100 / 100 a 2600 Volume Minuto (l) 0,1 a 50

5 Frequência Respiratória Adulto (rpm) 1 a 150 Frequencia Respiratória Neonato (rpm) 1 a 180 Pressão Inspiratória Máxima (cmh 2O) a 120 Pressão Inspiratória de Platô (cmh 2O) a 120 Pressão no final da Expiração (PEEP) (cmh 2O) a 120 Pressão Inspiratória Média (cmh 2O) a 120 Complacência Pulmonar Estática (Cstat) (ml/cmh 2O) 1,00 a 100,00 Complacência Pulmonar Dinâmica (Cdyn) (ml/cmh 2O) 1,00 a 100,00 Resistência da Vias Aéreas (Raw) (cm/h 2O/min) 1,0 a 100,0 Tempo Inspiratório (s) 00,1 a 20 Relação I:E 6:1 a 1:10 FIO 2 (%) 14 a 100 EtCO 2 (opcional) (mmhg) 0 a 100 Pressão Intrínseca no Final da Expiração (ipeep) (cmh 2O) a 120 Pressão de Oclusão (PO.1) (cmh 2O) a 120 Trabalho Inspiratório (WOB) (J/l) - -10,00 a 50,00 Índice Tobin (it) 0 a 200

6 Alarmes e Ajustes Numéricos: Alarme Tempo de Apnéa (s) 5 a 80 Volume de Áudio Alarme 2 a 10 Relógios (horas) 0 a 23 Relógios (minutos) 0 a 59 Calibração da Célula com 21% de O 2 NCAL (não calibrar) / CAL (calibrar) Calibração da Célula com 100% de O 2- NCAL (não calibrar) / CAL (calibrar) Alarme de Pressão Baixa (cmh 2O) OFF, 1 a 120 Alarme Pressão Alta (cmh 2O) OFF, 1 a 120 Alarme PEEP Baixo (cmh 2O) OFF, 1 a 70 Alarme PEEP Alto (cmh 2O) OFF, 1 a 70 Alarme Volume Minuto Alto (l) - OFF, 0,1 a 99,0 Alarme Volume Minuto Baixo (l) OFF, 0,1 a 99,0 Alarme Frequência Baixa (rpm) OFF, 1 a 200 Alarme Frequência Alta (rpm) OFF, 1 a 200

7 Alarme FIO 2 Baixa (%) OFF, 18 a 100 Alarme FIO 2 Alta (%) OFF, 18 a 100 Alarme EtCO 2 Baixa (opcional) (mmhg) OFF, 0 a 100 Alarme EtCO 2 Alta (opcional) (mmhg) OFF, a 100

TAKAOKA MONTEREY SMART

TAKAOKA MONTEREY SMART TAKAOKA MONTEREY SMART OPERAÇÃO NO RECÉM-NASCIDO O Monterey Smart é um respirador microprocessado desenvolvido para atender pacientes adultos, infantis e neonatais em terapia intensiva e transporte intra

Leia mais

mudanças em qualquer uma dos ajustes nas janelas do paciente ou do ventilador sejam implementadas.

mudanças em qualquer uma dos ajustes nas janelas do paciente ou do ventilador sejam implementadas. 1- DESCRIÇÃO O xlung é um simulador virtual da interação paciente-ventilador pulmonar que incorpora os principais recursos do suporte ventilatório a diferentes configurações de aspectos demográficos, de

Leia mais

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s) Item: 0001 Descrição: ventilador Quantidade: 10 Unidade de Medida: Unidade

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s) Item: 0001 Descrição: ventilador Quantidade: 10 Unidade de Medida: Unidade PROPOSTA Pregão Órgão: Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo Número: 07/2012.NH Número do Processo: 53418 Unidade de Compra: Unidade de Compra - Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo Proposta(s) Item:

Leia mais

3 Ventilador Pulmonar

3 Ventilador Pulmonar 3 Ventilador Pulmonar Neste capítulo são descritos fundamentos teóricos que ajudam a melhor entender o funcionamento dos ventiladores pulmonares (VP), também chamados de ventiladores mecânicos. Discute-se

Leia mais

Manual de. Operação MANUAL DE OPERAÇÃO SERVOVENTILADOR CARMEL

Manual de. Operação MANUAL DE OPERAÇÃO SERVOVENTILADOR CARMEL Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO SERVOVENTILADOR CARMEL Código do Equipamento: 201050035 Nº. Registro MS: 10229820091 Manual Código: 204010259_002 Data: (JUL/2006) O presente manual de Operação contém

Leia mais

Divinolândia 19 de agosto de 2013

Divinolândia 19 de agosto de 2013 Divinolândia 19 de agosto de 2013 Prezados senhores interessados Esta comissão de Julgamento de Licitação do Conderg Hospital Regional de Divinolândia, esclarece através deste, alterações feita no Edital

Leia mais

Ventilação Mecânica. Prof. Ms. Erikson Custódio Alcântara eriksonalcantara@hotmail.com

Ventilação Mecânica. Prof. Ms. Erikson Custódio Alcântara eriksonalcantara@hotmail.com Ventilação Mecânica Prof. Ms. Erikson Custódio Alcântara eriksonalcantara@hotmail.com A ventilação mecânica é uma atividade multi e interdisciplinar em que o denominador comum é o paciente e não o ventilador

Leia mais

Manual de. Operação MANUAL DE OPERAÇÃO SERVOVENTILADOR SMART

Manual de. Operação MANUAL DE OPERAÇÃO SERVOVENTILADOR SMART Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO SERVOVENTILADOR SMART Código do Equipamento: 201050037 Nº Registro MS: 10229820088 Manual Código: 204010210_004 Data: (MAR/2007) Código do manual: 204010210_003 2

Leia mais

Ventilador. Alta performance em ventilação mecânica

Ventilador. Alta performance em ventilação mecânica Ventilador Alta performance em ventilação mecânica Design moderno, leveza e praticidade Massimus possui autonomia de bateria de até 12 horas e independência de rede de gases para seu funcionamento, tornando

Leia mais

Adenda ao Manual do Operador

Adenda ao Manual do Operador Opção NeoMode Introdução Esta adenda mostra como utilizar a opção de software NeoMode no Ventilador Puritan Bennett 840. Consulte o Manual de referência técnica e do operador do sistema do ventilador Puritan

Leia mais

VS III. Ventilador a volume e pressão Para uso invasivo e não-invasivo

VS III. Ventilador a volume e pressão Para uso invasivo e não-invasivo VS III Ventilador a volume e pressão Para uso invasivo e não-invasivo Sua solução de ventilação versátil, eficiente e fácil de usar, do hospital para a residência DESTAQUES DA TECNOLOGIA Desempenho avançado

Leia mais

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº. 018 / 772836-2012 / 2014

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº. 018 / 772836-2012 / 2014 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº. 018 / 772836-2012 / 2014 A Associação de Combate ao Câncer do Brasil Central, entidade privada sem fins lucrativos da área da saúde, inscrita no CNPJ/MF sob o nº. 25.438.409/0001-15,

Leia mais

Sistemas de Alimentação de Energia Elétrica de Emergência: Monitoramento dos Hospitais - SP

Sistemas de Alimentação de Energia Elétrica de Emergência: Monitoramento dos Hospitais - SP Sistemas de Alimentação de Energia Elétrica de Emergência: Monitoramento dos Hospitais - SP Experiências do Hospital das Clinicas da FMUSP Equipamentos Médicos Eng. Francisco Benetti 28/04/2010 Hospital

Leia mais

Como você é beneficiado: Ventilação de qualidade Versatilidade da aplicação Facilidade de uso Operação silenciosa. CHEST / Dezembro de 2005

Como você é beneficiado: Ventilação de qualidade Versatilidade da aplicação Facilidade de uso Operação silenciosa. CHEST / Dezembro de 2005 O novo ventilador semi-intensivo Carina Cuidado semi-intensivo é um serviço de tratamento médico em rápido crescimento para pacientes que precisam de procedimentos diagnósticos e invasivos, mas não procedimentos

Leia mais

CERTIFICADO BPF NBR ISO 9001:2008 EN ISO 13485:2003 + AC 2009. VENTILADOR PULMONAR LEISTUNG LUFT2-g R 04-04 (50) REV. 01

CERTIFICADO BPF NBR ISO 9001:2008 EN ISO 13485:2003 + AC 2009. VENTILADOR PULMONAR LEISTUNG LUFT2-g R 04-04 (50) REV. 01 CERTIFICADO BPF NBR ISO 9001:2008 EN ISO 13485:2003 + AC 2009 VENTILADOR PULMONAR LEISTUNG LUFT2-g R 04-04 (50) REV. 01 - 2 de 79 - Fabricação, Distribuição e Assistência Técnica por: LEISTUNG EQUIPAMENTOS

Leia mais

MODOS DE VENTILAÇÃO. Ventilação Mecânica Controlada. Ventilação Mecânica Controlada MODALIDADES VOLUME CORRENTE 4/16/2010 PARÂMETROS VENTILATÓRIOS

MODOS DE VENTILAÇÃO. Ventilação Mecânica Controlada. Ventilação Mecânica Controlada MODALIDADES VOLUME CORRENTE 4/16/2010 PARÂMETROS VENTILATÓRIOS MODALIDADES MODOS DE VENTILAÇÃO Ft. Jeanette Janaina Jaber Lucato A / C ( VC ou PC ) SIMV ( VC ou PC ) SIMV + PS ( VC ou PC ) PS + PEEP PARÂMETROS VENTILATÓRIOS VOLUME CORRENTE VC: 6 8 ml/kg Pinsp cmh

Leia mais

III Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica

III Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica III Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica Ventiladores mecânicos S 71 Carlos Toufen Junior, Carlos Roberto Ribeiro de Carvalho A evolução tecnológica dos ventiladores, ao mesmo tempo em que amplia

Leia mais

4 Confiabilidade Metrológica do Ventilador Pulmonar

4 Confiabilidade Metrológica do Ventilador Pulmonar 4 Confiabilidade Metrológica do Ventilador Pulmonar A metrologia avançou muito na área industrial e científica, mas, apesar de sua óbvia importância, sua aplicação ainda é incipiente na área da saúde.

Leia mais

Conceitos Básicos em VM invasiva

Conceitos Básicos em VM invasiva Conceitos Básicos em VM invasiva Marcelo Alcantara Holanda Prof Adjunto de Medicina Clínica, UFC Hospital Universitário Walter Cantídio - HUWC UTI respiratória do Hospital de Messejana, Fortaleza, CE Ventilação

Leia mais

Ventilação Mecânica para Enfermeiros HC UFTM. Prof. Ms. Pollyanna Tavares Silva Fernandes

Ventilação Mecânica para Enfermeiros HC UFTM. Prof. Ms. Pollyanna Tavares Silva Fernandes Ventilação Mecânica para Enfermeiros HC UFTM Prof. Ms. Pollyanna Tavares Silva Fernandes 1. Características anatômicas do Sistema Cardiorrespiratório do RN: LARINGE ALTA: - permite que o RN respire e degluta

Leia mais

ITEM QUANT. UNIDADE DESCRIÇÃO

ITEM QUANT. UNIDADE DESCRIÇÃO ANEXO I DO OJETO O objeto desta licitação é a Locação de Equipamentos Médicos, para utilização nos setores da UTI, Centro Cirúrgico e Berçário e outros que por ventura necessitarem dos referidos equipamentos,

Leia mais

MODELO DE PROPOSTA DE PREÇOS. Atender normas vigentes da ABNT Fabricante Garantia Marca Procedência Registro ANVISA/MS

MODELO DE PROPOSTA DE PREÇOS. Atender normas vigentes da ABNT Fabricante Garantia Marca Procedência Registro ANVISA/MS ESTADO DO PARANÁ Secretaria de Estado da Administração e da Previdência - SEAP Departamento de Administração de Material - DEAM Sistema GMS - GESTÃO DE MATERIAIS E SERVIÇOS MODELO DE PROPOSTA DE PREÇOS

Leia mais

III Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica

III Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica III Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica Ventilação mecânica: princípios, análise gráfica e modalidades ventilatórias Carlos Roberto Ribeiro de Carvalho, Carlos Toufen Junior, Suelene Aires Franca

Leia mais

Atenda às necessidades em constante mudança dos seus pacientes. Trilogy100, tecnologia avançada de ventilação

Atenda às necessidades em constante mudança dos seus pacientes. Trilogy100, tecnologia avançada de ventilação Atenda às necessidades em constante mudança dos seus pacientes. Trilogy100, tecnologia avançada de ventilação Trilogy100, características exclusivas para pacientes exclusivos Trilogy100, um versátil ventilador

Leia mais

JADE - SISTEMA INTEGRADO DE APOIO ADMINISTRATIVO PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE DIADEMA-SP PREGÃO PRESENCIAL: 124/2013 Ref. Proc. de Compra: 376/2013

JADE - SISTEMA INTEGRADO DE APOIO ADMINISTRATIVO PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE DIADEMA-SP PREGÃO PRESENCIAL: 124/2013 Ref. Proc. de Compra: 376/2013 1 MONITOR MULTIPARAMÉTRICO UN 50,00 - PRÉ-CONFIGURADO NÃO MODULARES COM NO MÍNIMO ECG SPO2 E PNI, PARA TRANSPORTE ; - MONITOR COM TELA DE CRISTAL LÍQUIDO COLORIDO NO MÍNIMO DE 10" (POLEGADA); - ALARMES

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS Estado de Goiás

PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS Estado de Goiás CONTRATO DE FORNECIMENTO Nº 1.192 /2014 Contrato de Fornecimento que, entre si, fazem, de um lado, com contratante, o Fundo Municipal de Saúde de Morrinhos, devidamente representada por seu Gestor, o Sr.

Leia mais

Manual de. Operação MANUAL DE OPERAÇÃO APARELHO DE ANESTESIA ORIGAMI. Nº Registro MS: XXXXXXXXXXX Manual Código: 204010191_000 Data: (MAI/2006)

Manual de. Operação MANUAL DE OPERAÇÃO APARELHO DE ANESTESIA ORIGAMI. Nº Registro MS: XXXXXXXXXXX Manual Código: 204010191_000 Data: (MAI/2006) Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO APARELHO DE ANESTESIA ORIGAMI Nº Registro MS: XXXXXXXXXXX Manual Código: 204010191_000 Data: (MAI/2006) O presente manual de Operação contém as informações necessárias

Leia mais

Manual de Operação e Serviço

Manual de Operação e Serviço Manual de Operação e Serviço OXYMAG - VENTILADOR DE TRANSPORTE E EMERGÊNCIA Código: 1600185 Ver: 14 Software versão 1.n Copyright 2010 Magnamed Tecnologia Médica S/A Proibida a reprodução total ou parcial

Leia mais

Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO VENTILADOR DENVER

Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO VENTILADOR DENVER Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO VENTILADOR DENVER Código do Equipamento: 201050034 Nº Registro MS/ANVISA: 10229820085 Manual Código: 204010145_006 Data: (SET/2008) O presente manual de Operação contém

Leia mais

VENTILAÇÃO SERVO-s Simplicidade e Confiabilidade

VENTILAÇÃO SERVO-s Simplicidade e Confiabilidade VENTILAÇÃO SERVO-s Simplicidade e Confiabilidade The Gold Standard Critical Care SERVO-s 3 SERVO-s SIMPLESMENTE FAZ SENTIDO MAQUET THE GOLD STANDARD Líder em inovação: A MAQUET é um fornecedor internacional

Leia mais

RESPOSTA A PEDIDO DE ESCLARECIMENTO PROCESSO ADMINISTRATIVO DE COMPRAS N 009/2015 EMPRESA SOLICITANTE: EQUIPAMED EQUIPAMENTOS MÉDICOS LTDA.

RESPOSTA A PEDIDO DE ESCLARECIMENTO PROCESSO ADMINISTRATIVO DE COMPRAS N 009/2015 EMPRESA SOLICITANTE: EQUIPAMED EQUIPAMENTOS MÉDICOS LTDA. RESPOSTA A PEDIDO DE ESCLARECIMENTO PROCESSO ADMINISTRATIVO DE COMPRAS N 009/2015 PREGÃO ELETRÔNICO N 003/2015 OBJETO: LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTO MÉDICO EMPRESA SOLICITANTE: EQUIPAMED EQUIPAMENTOS MÉDICOS

Leia mais

Relação das Principais Formula e Tabelas para Avaliação do Paciente Internado em UTI

Relação das Principais Formula e Tabelas para Avaliação do Paciente Internado em UTI Regional - Goiás Relação das Principais Formula e Tabelas para Avaliação do Paciente Internado em UTI 1. Tabela da Escala de Glasgow Aplicação: avaliação do grau de consciência. Atividade Pontuação Resposta

Leia mais

TERMO DE HOMOLOGAÇÃO. Item 0003

TERMO DE HOMOLOGAÇÃO. Item 0003 TERMO DE HOMOLOGAÇÃO Às 10:46 horas do dia 30 de agosto de 2012, após analisados todos os atos processuais do Pregão Pregão Eletrônico 013/2012, referente ao processo 006383/2012, o Sr(a). Wainer Viana

Leia mais

Registro na ANVISA nº 80659160003

Registro na ANVISA nº 80659160003 É proibida a reprodução total ou parcial desta obra através de qualquer forma ou meio, sejam eles eletrônicos ou mecânicos, incluindo processos reprográficos, sem a expressa autorização da empresa. (Lei

Leia mais

VENTILADOR PULMONAR PR4 - g R 04-04 (44) REV. 04

VENTILADOR PULMONAR PR4 - g R 04-04 (44) REV. 04 PR4 - g R 04-04 (44) REV. 04 CERTIFICADO BPF NBR ISO 9001:2008 EN ISO 13485:2003 + AC 2009 - 2 de 51 - Fabricação, Distribuição e Assistência Técnica por: LEISTUNG EQUIPAMENTOS LTDA. Rua João Ropelatto,

Leia mais

Termo de Homologação

Termo de Homologação Termo de Homologação PREGÃO ELETRÔNICO N 001 Após análise da documentação apresentada e julgados todos os recursos referentes aos lotes do edital de PREGÃO ELETRÔNICO N 001, a autoridade competente homologa

Leia mais

Aspectos Recentes da Ventilação Mecânica: como iniciar a ventilação mecânica

Aspectos Recentes da Ventilação Mecânica: como iniciar a ventilação mecânica CAPÍTULO 102 Aspectos Recentes da Ventilação Mecânica: como iniciar a ventilação mecânica Alexandre Goulart Pustilnik* Introdução O início da ventilação mecânica deve ser orientado para a causa da insuficiência

Leia mais

inter 5 Manual de Operação Respirador Neonatal, Pediátrico e Adulto

inter 5 Manual de Operação Respirador Neonatal, Pediátrico e Adulto Manual de Operação inter 5 Respirador Neonatal, Pediátrico e Adulto Os nomes e logotipos Intermed e inter são marcas registradas da Intermed Equipamento Médico Hospitalar Ltda. São Paulo - Brasil - 2002

Leia mais

VENTILADOR DX 3010. Fabricante: TECME S.A. Distribuidor: DIXTAL BIOMÉDICA. Manual de Operação

VENTILADOR DX 3010. Fabricante: TECME S.A. Distribuidor: DIXTAL BIOMÉDICA. Manual de Operação VENTILADOR DX 3010 Manual de Operação Fabricante: TECME S.A. Distribuidor: DIXTAL BIOMÉDICA SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 04 2. SEGURANÇA 06 2.1 Classificação e Simbologia 08 2.2 Normalização 10 2.3 Precauções

Leia mais

VENTILAÇÃO MECÂNICA EM ANESTESIA

VENTILAÇÃO MECÂNICA EM ANESTESIA VENTILAÇÃO MECÂNICA EM ANESTESIA Marcelo Torres 1 Expiração espontânea P1 V 1 =P 2 V 2 Inspiração espontânea 2 3 Pressão negativa 4 Pressão positiva 5 +10 cmh 2 O cmh 2 O Insp Exp Insp Exp Insp Exp Insp

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 01/2015

TERMO DE REFERÊNCIA COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 01/2015 TERMO DE REFERÊNCIA COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 01/2015 TIPO: Menor Preço A Sociedade Divina Providencia Hospital Santa Isabel, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita no Cadastro Nacional de Pessoa

Leia mais

ANEXO I RELAÇÃO DOS ITENS DA LICITAÇÃO

ANEXO I RELAÇÃO DOS ITENS DA LICITAÇÃO Folha: 1/5 Especificação Marca Preço Unit. Máximo Preço Unitário Preço Total 1 1,00 Un. - Respirador composto de: ventilador ciclado a pressão e volume, totalmente microprocessado, para utilização em pacientes

Leia mais

VENTILAÇÃO MECÂNICA EM NEONATOLOGIA

VENTILAÇÃO MECÂNICA EM NEONATOLOGIA VENTILAÇÃO MECÂNICA EM NEONATOLOGIA Israel Figueiredo Junior UFF 2009 israel@vm.uff.br OBJETIVOS OXIGENAR VENTILAR MANTER ph PaO2 PaCO2 ph N HISTÓRICO 1800-1 o relato de IOT associada a VM 1887 - O Dwyer

Leia mais

Monnal T60. Um toque para respirar. www.airliquide.com.br

Monnal T60. Um toque para respirar. www.airliquide.com.br Monnal T60 Um toque para respirar. www.airliquide.com.br Junto da emergência Monnal T60 foi desenvolvido especialmente para intervenções médicas móveis em todos os ambientes de terapia intensiva, seja

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE MORRINHOS Estado de Goiás

FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE MORRINHOS Estado de Goiás CONTRATO DE LOCAÇÃO Nº 325/2015 Contrato de Locação que, entre si, fazem, de um lado, com contratante, o Fundo Municipal de Saúde de Morrinhos, devidamente representada por seu Gestor, o Sr. André Luiz

Leia mais

Manual de Operação. Ventilador Pulmonar Neonatal

Manual de Operação. Ventilador Pulmonar Neonatal Manual de Operação Ventilador Pulmonar Neonatal Os nomes e logotipos Intermed e inter são marcas registradas da Intermed Equipamento Médico Hospitalar Ltda. São Paulo - Brasil - 2002 MOP 806.00257 Manual

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - Equipamentos

TERMO DE REFERÊNCIA - Equipamentos TERMO DE REFERÊNCIA - Equipamentos DISPOSIÇÕES GERAIS A Coordenação Geral de Custos e Investimentos em Saúde (CGCIS) procederá, conforme previsto no Termo de Convênio, à análise técnica com base na descrição

Leia mais

Indicações e Uso do CPAP em Recém-Nascidos. Dr. Alexander R. Precioso Unidade de Pesquisa Experimental Departamento de Pediatria da FMUSP

Indicações e Uso do CPAP em Recém-Nascidos. Dr. Alexander R. Precioso Unidade de Pesquisa Experimental Departamento de Pediatria da FMUSP Indicações e Uso do CPAP em Recém-Nascidos Dr. Alexander R. Precioso Unidade de Pesquisa Experimental Departamento de Pediatria da FMUSP CPAP - Definição Pressão de Distensão Contínua Manutenção de uma

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE TELEINFORMÁTICA PROGRAMA DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELEINFORMÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE TELEINFORMÁTICA PROGRAMA DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELEINFORMÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE TELEINFORMÁTICA PROGRAMA DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELEINFORMÁTICA SIMULADOR VIRTUAL DE ASSISTÊNCIA VENTILATÓRIA MECÂNICA MANOEL LOPES FILHO

Leia mais

Ventiladores para adultos e pediátricos. Guia de preparação rápida. Português

Ventiladores para adultos e pediátricos. Guia de preparação rápida. Português Ventiladores para adultos e pediátricos Guia de preparação rápida Português Configuração Utilização não invasiva Cabo eléctrico CA Máscara Stellar 2 Tubagem de ar 3 4 5 1 Cabo eléctrico CA Clipe de fixação

Leia mais

Jose Roberto Fioretto

Jose Roberto Fioretto Jose Roberto Fioretto jrf@fmb.unesp.br Professor Adjunto-Livre Docente Disciplina de Medicina Intensiva Pediátrica Faculdade de Medicina de Botucatu-UNESP 1988 Para começar... Ventilação mecânica é ventilação

Leia mais

MT-1166-2005. O segredo da respiração harmoniosa BABYLOG 8000 PLUS

MT-1166-2005. O segredo da respiração harmoniosa BABYLOG 8000 PLUS 01 MT-1166-2005 O segredo da respiração harmoniosa BABYLOG 8000 PLUS 02 O produto eficaz e experiente Mais de 30 anos de experiência em ventilação neonatal e um século de perícia em tecnologia respiratória

Leia mais

VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA I. Lígia Maria Coscrato Junqueira Silva Fisioterapeuta HBP/SP

VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA I. Lígia Maria Coscrato Junqueira Silva Fisioterapeuta HBP/SP VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA I Lígia Maria Coscrato Junqueira Silva Fisioterapeuta HBP/SP INTERFACES * Máscaras Nasais * Plugs Nasais * Máscaras Faciais * Capacete * Peça Bucal VENTILADORES E MODOS USADOS NA

Leia mais

Monitorando VM na UTI. Monitorar. Pp Ppt Ve Complacencia Complacencia do circuito Resistencia das vias aereas Fluxo inspiratorio

Monitorando VM na UTI. Monitorar. Pp Ppt Ve Complacencia Complacencia do circuito Resistencia das vias aereas Fluxo inspiratorio Monitorando VM na UTI Octavio Messeder FCCP Pneumologista /Intensivista Coordenador UTI Geral do Hospital Portugues SSA-Ba Monitorar ALARMES Autopeep Hemogasometria O2sat Pressão do balonete FR Infecção

Leia mais

MT-5479-2008. Bem-vindo ao próximo nível DRÄGER PRIMUS INFINITY EMPOWERED

MT-5479-2008. Bem-vindo ao próximo nível DRÄGER PRIMUS INFINITY EMPOWERED MT-5479-2008 Bem-vindo ao próximo nível DRÄGER PRIMUS INFINITY EMPOWERED 02 DRÄGER PRIMUS INFINITY EMPOWERED 03 Mantendo você conectado Conhecendo o Primus Infinity Empowered da Dräger D-16183-2009 Estar

Leia mais

Ventiladores para adultos e pediátricos. Guia de configuração rápida. Português

Ventiladores para adultos e pediátricos. Guia de configuração rápida. Português Ventiladores para adultos e pediátricos Guia de configuração rápida Português Configuração Utilização não invasiva Cabo de alimentação CA Máscara Stellar 2 Tubos de ar 3 4 5 1 Umidificador aquecido H4i

Leia mais

Introduzindo o Astral

Introduzindo o Astral Enriquecer a vida Introduzindo o Astral Introduzindo os ventiladores de suporte vital Astral 100 e Astral 150. Para a configuração inicial para o uso diário, o Astral oferece grande liberdade, cuidado

Leia mais

VENTILADOR DX 3012. Manual de Operação. Fabricante: TECME S.A. Distribuidor: DIXTAL BIOMÉDICA

VENTILADOR DX 3012. Manual de Operação. Fabricante: TECME S.A. Distribuidor: DIXTAL BIOMÉDICA VENTILADOR DX 3012 Manual de Operação Fabricante: TECME S.A. Distribuidor: DIXTAL BIOMÉDICA SOBRE ESTE MANUAL Símbolos ou definições usados neste manual AVISO: Os avisos informam sobre como evitar lesões

Leia mais

CPAP Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas

CPAP Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas 1 CPAP Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas Olívia Brito Cardozo Turma Glória I CAPS Curso de Especialização em Fisioterapia Respiratória com Ênfase em Traumato-Cirúrgico São Paulo 2004 2 Sumário

Leia mais

Manual de Instruções de Uso

Manual de Instruções de Uso SIEMENS MAQUET Critical Care AB Röntgenvägen 2, Solna Suécia SE-171 95 Anexo I I I. B Manual de Instruções de Uso Ventilador Pulmonar Servo i ESTE MANUAL DE INSTRUÇÕES DE USO FOI REDIGIDO EM CONFORMIDADE

Leia mais

Ventilação mecânica. Autor(es) Bruno do Valle Pinheiro 1 Fev-2008

Ventilação mecânica. Autor(es) Bruno do Valle Pinheiro 1 Fev-2008 1 - O que é ventilação mecânica? Ventilação mecânica Autor(es) Bruno do Valle Pinheiro 1 Fev-2008 Ventilação mecânica é o suporte oferecido ao paciente por meio de um aparelho, o ventilador, auxiliando-o

Leia mais

Cardioversor bifásico

Cardioversor bifásico Cardioversor bifásico Desfibrilador Bifásico Módulo Desfibrilador Externo Automático (DEA) Modo Prevenção de Morte Súbita (PMS) ECG (Eletrocardiograma) até 12 derivações Oximetria (SpO2) Marcapasso Não

Leia mais

RECURSO ADMINISTRATIVO REFERÊNCIA: PREGÃO PRESENCIAL Nº 022/2013 PROCESSO Nº 037/2013 I RELATÓRIO

RECURSO ADMINISTRATIVO REFERÊNCIA: PREGÃO PRESENCIAL Nº 022/2013 PROCESSO Nº 037/2013 I RELATÓRIO JULGAMENTO DE RECURSO ADMINISTRATIVO RECURSO ADMINISTRATIVO REFERÊNCIA: PREGÃO PRESENCIAL Nº 022/2013 PROCESSO Nº 037/2013 RECORRENTE: OMNIMED LTDA. Vistos e etc... I RELATÓRIO A Recorrente ingressou com

Leia mais

Abordagem de Vigilância Sanitária de Produtos para Saúde Comercializados no Brasil: Ventilador Pulmonar

Abordagem de Vigilância Sanitária de Produtos para Saúde Comercializados no Brasil: Ventilador Pulmonar Abordagem de Vigilância Sanitária de Produtos para Saúde Comercializados no Brasil: Ventilador Pulmonar Carlos Fornazier 1 Evelinda Trindade,2 Léria Rosane Holsbah,3 Denis Xavier Barbieri 4 Marco Túlio

Leia mais

total ou parcialmente a atividade ventilatória do paciente, com o objetivo de restabelecer o equilíbrio entre a oferta e demanda de oxigênio,

total ou parcialmente a atividade ventilatória do paciente, com o objetivo de restabelecer o equilíbrio entre a oferta e demanda de oxigênio, 8 1. INTRODUÇÃO O surgimento dos ventiladores mecânicos foi um marco no tratamento da insuficiência respiratória aguda. Seu uso clínico foi iniciado há cerca de sessenta anos, com os ventiladores a pressão

Leia mais

Irmandade da Santa Casa de Sertãozinho

Irmandade da Santa Casa de Sertãozinho Símbolo de Qualidade ANEXO I 1. Descrição do Equipamento Médico-Hospitalar Nº Equipamento/ Especificação Técnica Item 1 Aparelho de Anestesia: Aparelho de Anestesia para procedimento de média a alta complexidade,

Leia mais

1. As informações necessárias para que o usuário possa identificar o produto e seu conteúdo.

1. As informações necessárias para que o usuário possa identificar o produto e seu conteúdo. 1. As informações necessárias para que o usuário possa identificar o produto e seu conteúdo. a) Nome do fornecedor e seu endereço: b-) Origem do produto, nome do AIR LIQUIDE BRASIL LTDA Av das Nações Unidas,

Leia mais

USO DA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA NO TRATAMENTO DE PORTADORES DE DOENÇA OBSTRUTIVA CRÔNICA DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO

USO DA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA NO TRATAMENTO DE PORTADORES DE DOENÇA OBSTRUTIVA CRÔNICA DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO USO DA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA NO TRATAMENTO DE PORTADORES DE DOENÇA OBSTRUTIVA CRÔNICA DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO Autoria: Inácia Regina Barbosa Leal (FCM-CG) Rosa Suênia da Camara Melo (Orientadora)

Leia mais

1. Indicações de ventilação mecânica invasiva com pressão positiva

1. Indicações de ventilação mecânica invasiva com pressão positiva 1. Indicações de ventilação mecânica invasiva com pressão positiva Coordenador: SÉRGIO SALDANHA MENNA BARRETO Relator: NIVALDO FILGUEIRAS Colaboradores: AÍRTON STINGELLIN CRESPO, ANALUCE GÓES, ARTHUR VIANNA,

Leia mais

ASSISTÊNCIA VENTILATÓRIA DO RECÉM-NASCIDO

ASSISTÊNCIA VENTILATÓRIA DO RECÉM-NASCIDO ASSISTÊNCIA VENTILATÓRIA DO RECÉM-NASCIDO Rotinas Assistenciais da Maternidade Escola da Universidade Federal do Rio de Janeiro ENFERMAGEM A assistência ventilatória é caracterizada pela otimização das

Leia mais

Oxigenoterapia, ventilação assistida e apnéia do sono

Oxigenoterapia, ventilação assistida e apnéia do sono Homehealth provider Oxigenoterapia, ventilação assistida e apnéia do sono www.airliquide.com.br Detentora da maior rede mundial de tratamento domiciliar em oxigenoterapia, ventilação assistida invasiva

Leia mais

da linha de produtos Encore

da linha de produtos Encore M A N U A L D E R E L AT Ó R I O S da linha de produtos Encore 2009 Respironics, Inc. e suas afiliadas. Todos os direitos reservados. Sumário 1. Relatórios de aderência à terapêutica...1 1.1 Tipos de relatórios

Leia mais

Workshop de Ventilação Mecânica Modos Ventilatórios Controlados

Workshop de Ventilação Mecânica Modos Ventilatórios Controlados Workshop de Ventilação Mecânica Modos Ventilatórios Controlados Luiz Fernando R. Falcão, MD, PhD, TSA Professor e Chefe do Serviço de Anestesia, EPM-UNIFESP Pós-doutorado em Bioengenharia Pulmonar, Harvard

Leia mais

Sua estação de trabalho de anestesia personalizada DRÄGER FABIUS GS PREMIUM

Sua estação de trabalho de anestesia personalizada DRÄGER FABIUS GS PREMIUM 01 Sua estação de trabalho de anestesia personalizada DRÄGER FABIUS GS PREMIUM 02 DRÄGER Fabius gs premium Um dos mais desafiadores lugares na Terra O ambiente hospitalar moderno é um desafio. Como profissionais

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Divinolândia, 19 de Fevereiro de 2015 Prezados senhores interessados Esta comissão de Julgamento de Licitação do Conderg Hospital Regional de Divinolândia, esclarece através deste, alterações feita no

Leia mais

Tempo é vida. Life 400plus, praticidade e confiabilidade na hora de salvar PORTABILIDADE, MOBILIDADE E SEGURANÇA

Tempo é vida. Life 400plus, praticidade e confiabilidade na hora de salvar PORTABILIDADE, MOBILIDADE E SEGURANÇA Tempo é vida. Life 400plus, praticidade e confiabilidade na hora de salvar PORTABILIDADE, MOBILIDADE E SEGURANÇA TECNOLOGIA E EFICÊNCIA QUE SALVA VIDAS PÁS EXTERNAS INTERCAMBIÁVEIS Adulto/Infantil LEVE

Leia mais

Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO VENTILADOR DENVER

Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO VENTILADOR DENVER Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO VENTILADOR DENVER Código do Equipamento: 201050034 Nº Registro MS: 10229820085 Manual Código: 204010145_005 Data: (SET/2006) Código do manual: 204010145_005 2 O presente

Leia mais

Recomendações brasileiras de ventilação mecânica 2013. Parte I

Recomendações brasileiras de ventilação mecânica 2013. Parte I ARTIGO ESPECIAL Carmen Sílvia Valente Barbas, Alexandre Marini Ísola, Augusto Manoel de Carvalho Farias, Alexandre Biasi Cavalcanti, Ana Maria Casati Gama, Antonio Carlos Magalhães Duarte, Arthur Vianna,

Leia mais

VPAP Auto 25, VPAP ST e VPAP S Dispositivo de Pressão Positiva das Vias Respiratórias Guia de Gerenciamento de Dados Português

VPAP Auto 25, VPAP ST e VPAP S Dispositivo de Pressão Positiva das Vias Respiratórias Guia de Gerenciamento de Dados Português VA Auto 25, VA ST e VA S Dispositivo de ressão ositiva das Vias Respiratórias Guia de Gerenciamento de Dados ortuguês A tabela a seguir mostra onde os dados dos geradores de fluxo VA podem ser visualizados.

Leia mais

ASSISTÊNCIA VENTILATÓRIA EM U.T.I.

ASSISTÊNCIA VENTILATÓRIA EM U.T.I. ASSISTÊNCIA VENTILATÓRIA EM U.T.I. Segundo o II Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica (não revisado - 2011) I VENTILAÇÃO MECÂNICA - Objetivos da Ventilação Mecânica - Conclusões do II Consenso Brasileiro

Leia mais

A U T O R I Z A Ç Ã O

A U T O R I Z A Ç Ã O A U T O R I Z A Ç Ã O Na qualidade de ordenador de despesas, autorizo a presente abertura do processo licitatório na modalidade Pregão Presencial, no Termo de Referencia, instauro o presente processo administrativo

Leia mais

Indicações e ajustes iniciais da ventilação mecânica

Indicações e ajustes iniciais da ventilação mecânica Indicações e ajustes iniciais da ventilação mecânica Marcelo Alcantara Holanda Prof Terapia Intensiva/Pneumologia Faculdade de Medicina Universidade Federal do Ceará UTI respiratória Hospital Carlos Alberto

Leia mais

1 LEI N. 2.135, DE 10 DE JULHO 2013

1 LEI N. 2.135, DE 10 DE JULHO 2013 Executivo 1 LEI N. 2.135, DE 10 DE JULHO 2013 Altera a Lei n. 2076/2012 (PPA exercício 2010/2013), a Lei n. 2077/2012 (LDO exercício de 2013), abre Crédito Especial na Lei n. 2078/2012 (Lei Orçamentária

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE MEDICINA CLÍNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM CIÊNCIAS MÉDICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE MEDICINA CLÍNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM CIÊNCIAS MÉDICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE MEDICINA CLÍNICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM CIÊNCIAS MÉDICAS RENATA DOS SANTOS VASCONCELOS INFLUÊNCIA DA MECÂNICA RESPIRATÓRIA

Leia mais

02/05/2016. Diretrizes Brasileiras de Ventilação Mecânica. Metodologia. Revisão MEDLINE e na Cochrane 2003 a 2013

02/05/2016. Diretrizes Brasileiras de Ventilação Mecânica. Metodologia. Revisão MEDLINE e na Cochrane 2003 a 2013 Diretrizes Brasileiras de Ventilação Mecânica Marco Antônio Soares Reis Hospital Madre Teresa - Belo Horizonte Professor FCMMG Jornal Brasileiro de Pneumologia Revista Brasileira de Terapia Intensiva Agosto

Leia mais

Protocolo de Ventilação Mecânica

Protocolo de Ventilação Mecânica 1 de 6 RESULTADO ESPERADO: Sistematizar a assistência ventilatória e o processo de desmame objetivando na redução do tempo de ventilação mecânica e as complicações associadas. 1554 PROCESSOS RELACIONADOS:

Leia mais

CUIDADOS FISIOTERAPÊUTICOS NO PÓS OPERATÓRIO DE. Lígia Maria Coscrato Junqueira Silva Fisioterapeuta RBAPB Hospital São Joaquim

CUIDADOS FISIOTERAPÊUTICOS NO PÓS OPERATÓRIO DE. Lígia Maria Coscrato Junqueira Silva Fisioterapeuta RBAPB Hospital São Joaquim CUIDADOS FISIOTERAPÊUTICOS NO PÓS OPERATÓRIO DE ANEURISMAS CEREBRAIS Lígia Maria Coscrato Junqueira Silva Fisioterapeuta RBAPB Hospital São Joaquim AVALIAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA Nível de consciência Pupilas

Leia mais

Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO VENTILADOR MICROTAK 920 RESGATE

Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO VENTILADOR MICROTAK 920 RESGATE Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO VENTILADOR MICROTAK 920 RESGATE Código do Equipamento: 201050011 Nº Registro MS: 10229820078 Manual Código: 204010103_003 Data: (SET/2006) Código do manual: 204010103_003

Leia mais

UMIDIFICADOR FISHER & PAYKEL MR850

UMIDIFICADOR FISHER & PAYKEL MR850 UMIDIFICADOR FISHER & PAYKEL MR850 O umidificador F&P servo controlado modelo MR850 é utilizado para uso em unidades de tratamento intensivo adulto, pediatrico e neonatal sendo utilizado para umidificar

Leia mais

CONFIABILIDADE METROLÓGICA DE VENTILADORES PULMONARES PARA CUIDADOS CRÍTICOS

CONFIABILIDADE METROLÓGICA DE VENTILADORES PULMONARES PARA CUIDADOS CRÍTICOS UnB - UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FGA - FACULDADE DO GAMA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA BIOMÉDICA CONFIABILIDADE METROLÓGICA DE VENTILADORES PULMONARES PARA CUIDADOS CRÍTICOS CRISTINA AKEMI SHIMODA

Leia mais

SISTEMA DE EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA A DISTÂNCIA PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO EM MEDICINA INTENSIVA

SISTEMA DE EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA A DISTÂNCIA PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO EM MEDICINA INTENSIVA 3 SISTEMA DE EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA A DISTÂNCIA PROAMI PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO EM MEDICINA INTENSIVA ORGANIZADO PELA ASSOCIAÇÃO DE MEDICINA INTENSIVA BRASILEIRA Diretores acadêmicos Cleovaldo T. S.

Leia mais

GERMANO FORTI JUNIOR. Compensação automática do tubo ATC : uma comparação com a ventilação com pressão de suporte em simulador do sistema respiratório

GERMANO FORTI JUNIOR. Compensação automática do tubo ATC : uma comparação com a ventilação com pressão de suporte em simulador do sistema respiratório GERMANO FORTI JUNIOR Compensação automática do tubo ATC : uma comparação com a ventilação com pressão de suporte em simulador do sistema respiratório Dissertação apresentada à Faculdade de Medicina da

Leia mais

1 de 6. Lote Item Quant Unid Descrição Marca/ Modelo Valor unit. Valor item Empresa vencedora

1 de 6. Lote Item Quant Unid Descrição Marca/ Modelo Valor unit. Valor item Empresa vencedora Lote Item Quant Unid Descrição Marca/ Modelo Valor unit. Valor item Empresa vencedora 1 1 12 UN 2 2 1 UN ASPIRADOR CIRÚRGICO DE SECREÇÃO COM CAPACIDADE PARA 5 LITROS.- PRODUZIDO SOBRE MÓVEL DE ESTRUTURA

Leia mais

CURSO DE HABILIDADES PRÁTICAS EM MEDICINA INTENSIVA 8 e 9 de agosto de 2014 03 e 04 de outubro de 2014

CURSO DE HABILIDADES PRÁTICAS EM MEDICINA INTENSIVA 8 e 9 de agosto de 2014 03 e 04 de outubro de 2014 CURSO DE HABILIDADES PRÁTICAS EM MEDICINA INTENSIVA 8 e 9 de agosto de 2014 03 e 04 de outubro de 2014 Coordenação Dr. Luciano Cesar Pontes Azevedo Doutor em medicina pela Universidade de São Paulo - USP

Leia mais

P R O C E S S O L I C I T A T Ó R I O N º 0 0 6 / 2 0 1 0. MODALIDADE: Consulta de Preço

P R O C E S S O L I C I T A T Ó R I O N º 0 0 6 / 2 0 1 0. MODALIDADE: Consulta de Preço P R O C E S S O L I C I T A T Ó R I O N º 0 0 6 / 2 0 1 0 MODALIDADE: Consulta de Preço A, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, de Fins Filantrópicos, reconhecida com de Utilidade Pública

Leia mais

Focado no essencial DRÄGER SAVINA 300

Focado no essencial DRÄGER SAVINA 300 D-46451-2012 Focado no essencial DRÄGER SAVINA 300 2 Como um ventilador pode ajudar a facilitar seu trabalho diário? D-46454-2012 D-11112-2010 Prestar o melhor cuidado possível ao paciente é o seu objetivo

Leia mais

Suplemento On-line. Grupo de trabalho AMIB e SBPT

Suplemento On-line. Grupo de trabalho AMIB e SBPT Suplemento On-line Recomendações brasileiras de ventilação mecânica 2013. Parte I Brazilian recommendations of mechanical ventilation 2013. Part I Grupo de trabalho AMIB e SBPT Quadro 1 - Ventiladores

Leia mais