Registro na ANVISA nº

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Registro na ANVISA nº 80659160003"

Transcrição

1

2 É proibida a reprodução total ou parcial desta obra através de qualquer forma ou meio, sejam eles eletrônicos ou mecânicos, incluindo processos reprográficos, sem a expressa autorização da empresa. (Lei nº 9.610/1.998) Registro na ANVISA nº Todos os direitos reservados pela Magnamed Tecnologia Médica S/A Rua São Paulino, 221 Vila Mariana CEP: São Paulo SP Brasil Tel/Fax: +55 (11) Website: CNPJ: / Inscrição Estadual: Responsável Técnico: Tatsuo Suzuki Inscrição no CREA-SP: Responsável Legal: Tatsuo Suzuki

3 Histórico de Revisões Elaborado por: Verificado por: Aprovado por: Mauricio Sára Toru Data : Data : Data : 10/07/ /07/ /07/2014 Revisão Descrição Data 01 Revisão Inicial. 15/09/ Revisão Geral para a inclusão de todos os modelos de FlexiMag e BabyMag e para a inclusão do detalhamento dos alarmes. 02/02/ Inclusão da referência ao Representante Europeu. 15/05/ Inclusão do número do registro da ANVISA. 24/01/ Descrição mais detalhada de algumas funcionalidades, atualização das imagens do equipamento e alteração da versão do software para 2.n. 22/04/ Readequação, inclusão do modelo FlexiMag Plus e alteração do modelo BabyMag /07/2014

4 Conteúdo 1 DEFINIÇÕES E CUIDADOS INTRODUÇÃO DESCRIÇÃO USO PRETENDIDO CARACTERÍSTICAS GERAIS DESEMBALANDO O PRODUTO VERIFICAÇÕES INICIAIS RELAÇÃO DE COMPONENTES DO FLEXIMAG RELAÇÃO DE COMPONENTES DO BABYMAG IDENTIFICAÇÃO DOS COMPONENTES VISTA FRONTAL VISTA TRASEIRA PREPARAÇÃO PARA O USO MONTAGEM VENTILADOR DE UTI CONEXÃO À REDE ELÉTRICA VERIFICAÇÕES ANTES DO USO Procedimentos iniciais Tela inicial Seleção de paciente Sequência inicial Ajustes principais INSTRUÇÕES DE USO ITENS DA TELA PRINCIPAL DO VENTILADOR MENUS DISPONÍVEIS GRÁFICO... 43

5 Gráficos de ventilação Loops de ventilação MONITOR CONFIG Recursos auxiliares na ventilação Unidades de medida de pressão Idioma Mudança de paciente Calibração do sensor de oxigênio (célula de O 2 ) Zeramento do sensor IRMA CO 2 (opcional) ALARME TENDÊNCIA RECURSO P Capacidade Vital Lenta P/V Flex Pi Max Volume Aprisionado MENSAGENS DE ALARME E ALERTAS Mensagens de alarme Mensagens de alerta CONFIGURANDO A VENTILAÇÃO Compensação de tubo endotraqueal/traqueostomia (ATC) Compensação de volume do circuito respiratório Compensação de vazamento Ajuste dos modos ventilatórios... 56

6 7.4.5 Modos ventilatórios SOLUCIONANDO PROBLEMAS (TROUBLESHOOTING) ESTERILIZAÇÃO ESTERILIZAÇÃO POR AUTOCLAVE MANUTENÇÃO PREVENTIVA VERIFICAÇÕES BATERIAS INTERNAS SENSOR INTERNO DE CONCENTRAÇÃO DE O 2 - CÉLULA PEÇAS E ACESSÓRIOS OPCIONAIS SENSOR IRMA CO 2 (OPCIONAL) USO PRETENDIDO Instruções de Uso MONTAGEM DO SENSOR POSICIONAMENTO DO SENSOR PROCEDIMENTO DE ZERAMENTO DO SENSOR SISTEMA DE ALARMES INFORMAÇÕES SOBRE O LED DE STATUS PROCEDIMENTO DE LIMPEZA DOS SENSORES MANUTENÇÃO PREVENTIVA NOTAS IMPORTANTES OXÍMETRO DE PULSO (OPCIONAL) USO PRETENDIDO PRINCÍPIO DE OPERAÇÃO NOTAS IMPORTANTES SISTEMA DE ALARMES SERVIÇO TÉCNICO

7 15 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS CLASSIFICAÇÃO DO EQUIPAMENTO NORMAS APLICÁVEIS ESPECIFICAÇÕES ELÉTRICAS Alimentação elétrica e consumo Conexões Baterias internas ESPECIFICAÇÕES PNEUMÁTICAS Diagrama pneumático Conexões às fontes de gases ESPECIFICAÇÕES FÍSICAS E AMBIENTAIS ESPECIFICAÇÕES DOS MODOS VENTILATÓRIOS ESPECIFICAÇÕES DOS PARÂMETROS AJUSTÁVEIS ESPECIFICAÇÕES DOS PARÂMETROS MONITORADOS ESPECIFICAÇÕES DO SISTEMA DE ALARMES E SEGURANÇA Especificações dos alarmes ajustáveis ESPECIFICAÇÕES DE DESEMPENHO ESPECIFICAÇÕES DE MANUTENÇÃO E CALIBRAÇÃO ESPECIFICAÇÕES DE RESISTÊNCIA DO RAMO EXPIRATÓRIO COMPATIBILIDADE ELETROMAGNÉTICA Diretrizes e declaração do fabricante - Emissões eletromagnéticas Diretrizes e declaração do fabricante - Imunidade eletromagnética Imunidade irradiada Segurança elétrica ESPECIFICAÇÕES DO SENSOR IRMA CO Acessórios do sensor IRMA CO

8 16 SIMBOLOGIA ABREVIAÇÕES E TERMOS UTILIZADOS DECLARAÇÃO DE BIOCOMPATIBILIDADE GARANTIA

9 1 1 Definições e Cuidados Advertência Informa ao usuário sobre possibilidade de lesão, morte ou outra reação adversa séria associada ao uso ou mau uso do equipamento. Atenção Informa ao usuário sobre a possibilidade de ocorrer falha do equipamento associada ao uso ou mau uso, tais como mau funcionamento do equipamento, danos ao equipamento, ou danos a bens de terceiros, e indiretamente, a lesão de um paciente. Observações Informações importantes.

10 2 2 Introdução O FlexiMag e o BabyMag formam uma família de ventiladores desenvolvidos para fornecer suporte ventilatório invasivo e não invasivo a pacientes com comprometimento das funções respiratórias em terapia intensiva ou semi-intensiva e têm como principais características: Integração de todo o sistema num único módulo pneumático-eletrônico de baixo volume e peso; Sistema de controle eletrônico de fluxo para o paciente com utilização de tecnologia digital; Sistema inteligente e integrado de alarmes com todos os recursos de segurança exigidos em normas nacionais e internacionais. Sistema de backup de energia para operar com baterias por até 3 horas e meia desconectado da rede elétrica 1 ; Possibilidade de utilizar o último ajuste de parâmetros realizado antes do desligamento do equipamento. Leitura da pressão no circuito respiratório; Leitura de fluxo no circuito respiratório; Leitura de pressão de rede; Leitura da concentração de O 2 na mistura de gás administrado; Alto-falante para alarmes e alertas; LED VERMELHO de alto brilho para pronta identificação de alarmes; LED BICOLOR indicador de conexão à rede elétrica, sendo verde quando o equipamento estiver conectado e azul, quando o equipamento estiver sendo alimentado somente pelas baterias; Entrada para rede de energia elétrica VAC ~ Hz; Entrada para fonte externa 15 V / 4 A (opcional); Chave liga/desliga; Célula de O 2 galvânica e opcionalmente, paramagnética (não consumível); Sensor de fluxo distal único para todos os tipos de paciente. Opcionalmente, pode-se utilizar sensores de fluxo proximal (neonatal, infantil ou adulto); Conectividade com computador pessoal através de saída padrão RS232; Diagnóstico e assistência remota à distância Magnamed (ARM); 1. Dependendo da carga das baterias e dos ajustes dos parâmetros de ventilação. Atenção Estes equipamentos devem ser operados somente por profissionais qualificados e devidamente treinados para o seu uso.

11 3 Advertência Onde encontrar o símbolo leia o manual de instruções para maiores detalhes. Este manual deve ser lido na íntegra, atentamente, para a utilização correta e segura dos equipamentos e para proporcionar máxima segurança e melhores recursos aos pacientes. Observe todas as Advertências e Atenções contidas neste manual e na rotulagem do equipamento. Este equipamento deve ser utilizado somente para o propósito especificado em Uso Pretendido (capítulo 3.1) em conjunto com a monitorização apropriada. O equipamento deve ser operado por profissionais qualificados, que devem manter vigilância durante o seu uso. Inclusive em ventilações limitadas a volume. Risco de Explosão Estes equipamentos não são aprovados para o uso com agentes anestésicos inflamáveis. Os equipamentos podem ser adversamente afetados e sofrer interferências de certos equipamentos de transmissão, tais como telefones celulares, walkie-talkie, telefones sem fio, transmissores de pagers, equipamentos cirúrgicos de alta frequência (diatermia) desfibriladores, terapias com ondas curtas, que podem interromper o funcionamento do equipamento. Não utilize estes equipamentos de transmissão nas proximidades do ventilador. Estes equipamentos não devem ser utilizados durante uma ressonância magnética nuclear (MTR, NMR, NMI), pois poderão sofrer interferências, podendo causar efeitos adversos no paciente. As partes aplicadas são à prova de desfibrilação. Antes do primeiro uso ou após uso em cada paciente realize a limpeza do equipamento, conforme indicado no capítulo 9. Ligar o equipamento e realizar os procedimentos de verificação e ajustes básicos siga as instruções, conforme indicado no capítulo 6. Os Alarmes e Alertas devem ser prontamente atendidos a fim de manter a integridade do funcionamento do equipamento e a segurança do paciente. Não utilize mangueiras ou tubos antiestáticos ou eletricamente condutivos. Verifique se o equipamento está corretamente ajustado antes de utilizá-lo. Após o início da ventilação, verifique se os parâmetros ventilatórios indicados pelo display de monitorização estão adequados.

12 4 Utilize somente acessórios MAGNAMED listados neste manual, os quais foram testados e aprovados para o uso em conjunto com este equipamento. Caso contrário, pode-se comprometer o correto funcionamento do equipamento. Durante o uso prolongado do equipamento em pacientes com excesso de secreção ou em circuitos respiratórios com uso de umidificador aquecido deve-se verificar frequentemente a condição do sensor de fluxo. Os equipamentos possuem fonte de alimentação elétrica independente e possuem seu próprio sistema de backup (bateria). Conecte a fonte conversor AC/DC a uma tomada de três pinos NBR 14136:2002 (2P+T); Mantenha o equipamento conectado à rede elétrica mesmo estando desligado para que as baterias internas sejam permanentemente carregadas; Faça uma recarga completa das baterias, após sua utilização ou após longo período estocado; O alarme de recarga da bateria deve ser prontamente atendido. Realize a sua recarga antes da próxima utilização do equipamento, pois qualquer queda de energia elétrica poderá interromper o funcionamento do mesmo. Se no uso prolongado do aparelho em bateria, ocorrer o alarme cuja mensagem é BATERIA FRACA, providencie IMEDIATA conexão do cabo de força a uma rede elétrica, caso não seja possível DESCONECTE o aparelho do paciente e providencie meios adequados de suporte ventilatório. A ausência de obstrução é extremamente importante para o correto funcionamento da monitoração da ventilação. E por isso deve ser frequentemente verificado durante a realização da ventilação do paciente. Os componentes do circuito respiratório, após o uso DEVEM passar por processo de desinfecção de alto nível, antes de sua próxima utilização, quando estes forem reutilizáveis. Todas as partes do equipamento que tiverem contato com fluídos provenientes de pacientes ao serem descartados devem sofrer um processo de desinfecção de alto nível ou esterilização, ou descartados como lixo hospitalar potencialmente infectado. Todas as partes aplicadas dos ventiladores FlexiMag e BabyMag são feitas de material atóxico, são isentos de látex e não provocam irritações ou alergia ao paciente (biocompatibilidade). Os acessórios de uso comum, não exclusivos do FlexiMag ou BabyMag, tais como máscaras, circuitos respiratórios, nebulizadores, umidificadores aquecidos, filtros HME

13 5 dentre outros devem possuir registro na ANVISA. Jamais obstrua as tomadas de pressões. As pressões medidas nestes pontos são utilizadas pelo sistema de monitoração da ventilação do paciente. Não utilize o equipamento se um problema não puder ser resolvido. Tenha a disposição um equipamento de ventilação manual, para o caso de descarga completa da bateria, ou por falta de gases para o funcionamento do aparelho ou por falha geral do ventilador de UTI. Sempre utilize cilindros de oxigênio aprovados oficialmente e válvulas redutoras de pressão que atendam aos requisitos governamentais locais. Para uma ventilação apropriada leve em conta os espaços mortos do circuito respiratório ao efetuar o ajuste do ventilador em especial para pequenos volumes correntes. O ventilador não deve ser coberto ou posicionado de tal modo que a operação ou desempenho do ventilador seja adversamente afetado. Quando adicionado componentes do circuito respiratório ou outros componentes ou subconjuntos para o sistema respiratório do ventilador, o gradiente de pressão através do sistema respiratório do ventilador, medido em relação à porta de conexão do paciente, pode aumentar.

14 6 Atenção O Ventilador de UTI não emite ondas eletromagnéticas que interferem no funcionamento de equipamentos na sua proximidade. Realizar manutenção periódica anual ou conforme horas de uso especificado, o que vencer primeiro. Todo serviço ou manutenção no Ventilador só poderá ser realizado por técnico habilitado, treinado e devidamente autorizado pela MAGNAMED. Só utilize peças, partes, cabos, sensores, filtros, umidificadores aquecidos e circuitos respiratórios especificados pela MAGNAMED. Para aquisição informe o código apresentado no capítulo correspondente. Observações Elimine as partes removidas do equipamento de acordo com o protocolo de disposição de partes e peças de sua instituição e siga as recomendações governamentais locais, quanto à proteção ambiental, especialmente no caso de lixo eletrônico ou partes eletrônicas (por exemplo, baterias). As características técnicas dos produtos MAGNAMED estão sujeitas a alterações sem aviso prévio.

15 7 3 Descrição 3.1 Uso Pretendido Enquanto os modelos FlexiMag atendem a pacientes neonatos, pediátricos e adultos, os modelos BabyMag foram desenvolvidos exclusivamente para pacientes neonatos e pediátricos. São destinados a fornecer suporte ventilatório invasivo e não invasivo a pacientes com comprometimento das funções respiratórias em: tratamento nas unidades de terapia intensiva (UTI) pós-operatório, nas salas de recuperação pós-anestésica (RPA) transporte intra-hospitalar 3.2 Características Gerais O FlexiMag e BabyMag são ventiladores pulmonares eletrônicos microprocessados, cujo princípio de funcionamento é baseado na integração entre módulo pneumático e placas de circuito integrado. Toda a integração é realizada através de softwares desenvolvidos pela Magnamed exclusivamente para esses equipamentos. Possuem interface gráfica com tela colorida de alta resolução, sensível ao toque (touchscreen) e botão único (gira e confirma) para a entrada de dados. Tabela 1 - Modelos Tela Modelo Descrição BabyMag Ventilador Pulmonar Eletrônico Neonatal FlexiMag Ventilador Pulmonar Eletrônico Neonatal Pediátrico Adulto BabyMag Ventilador Pulmonar Eletrônico Neonatal FlexiMag Ventilador Pulmonar Eletrônico Neonatal Pediátrico Adulto FlexiMag Plus Ventilador Pulmonar Eletrônico Neonatal Pediátrico Adulto 15 Os ventiladores FlexiMag e o BabyMag disponibilizam monitorização ventilatória completa e oferecem ainda, uma completa gama de recursos para ventilação mecânica, incluindo alguns dos mais avançados modos ventilatórios.

16 8 Modos disponíveis todos os modelos: PLV 1 Ventilação com pressão limitada, ciclagem a tempo e fluxo contínuo; CPAP/PS Ventilação com pressão positiva contínua nas vias aéreas e pressão de suporte; P-SIMV Ventilação mandatória intermitente sincronizada com ciclos de pressão controlada e pressão de suporte; DualPAP Ventilação com pressão positiva contínua nas vias aéreas em dois níveis e pressão de suporte; APRV Ventilação com pressão positiva contínua e alívio de pressão nas vias aéreas; NIV 5 Ventilação não invasiva; Modos exclusivos dos modelos FlexiMag (todos) e BabyMag 15 : VCV 2 Ventilação com volume controlado (pode ser assistido); PCV 3 Ventilação com pressão controlada (pode ser assistido); V-SIMV 2 Ventilação mandatória intermitente sincronizada com ciclos de volume controlado e pressão de suporte; PRVC 2 Ventilação com pressão controlada e volume assegurado; Modos exclusivos dos modelos FlexiMag Plus e BabyMag 15 : MMV/PS 2 e 4 Ventilação espontânea com volume minuto assegurado e pressão de suporte; VS 2 e 4 Ventilação espontânea com volume total assegurado e pressão de suporte; Modo disponível apenas para pacientes neonatos. Modos disponíveis apenas para pacientes adultos e pediátricos. Modo disponível apenas para pacientes adultos e pediátricos, exceto para os modelos FlexiMag Plus e BabyMag 15, nos quais esse modo está disponível também para neonato. Modos disponíveis apenas nos modelos FlexiMag Plus e BabyMag 15. Ventilação não invasiva disponível para todos os modos ventilatórios nos modelos FlexiMag Plus e BabyMag 15. Para os demais modelos, disponibilidade restrita ao modo CPAP/PS. Outros recursos disponíveis: Recurso de desmame automático, através da detecção da sequência de esforços respiratórios do paciente, posssibilitando a suspensão da ventilação de backup e o consequente retorno ao modo espontâneo ajustado ( CPAP/PS, DualPAP, APRV, MMV/PS e VS); Nebulizador sincronizado com a inspiração do paciente e compensação de volume e FiO2; Insuflação de Gás Traqueal (Tracheal Gas Insuflation) sincronizada com a expiração do paciente; Uso do equipamento na falta de uma das redes de alimentação de gás (O 2 ou ar comprimido); Funções de rápido acesso (um toque): o Sistema automático para aspiração (100% O 2 ) o Ciclo por disparo manual o Hold Insp (pausa inspiratória ajustável) o Hold Exp (pausa expiratória ajustável)

17 9 o Congelamento dos gráficos 1 Recursos para avaliação da mecânica respiratória do paciente; Armazenamento volátil de todos os parâmetros para cada modo ventilatório, permitindo um rápido retorno aos ajustes utilizados anteriormente 1 ; Sensor de fluxo proximal (pneumotacógrafo expiratório) opcional para todos os pacientes 1 ; Equipamento totalmente ajustável tanto através da tela sensível ao toque, quanto pelo botão gira-confirma 1 ; Compensação do sistema de leitura de fluxo ajustável para BTPS, dependendo do sistema de umidificação e tipo de sensor ( proximal ou distal ) selecionados 1. Compensação ajustável da resistência dos tubos (ATC), tanto os endotraqueais como em traqueostomias 1 ; Compensação de volume/complacência conforme o circuito respiratório 1 ; Compensação automática de vazamento 1 ; Compensação automática de altitude; Gráficos de tendência, com memorização das últimas 24 ou 72 1 horas de ventilação; Possibilidade de impressão de dados de tendência, gráficos e alarmes através de um computador pessoal. Possibilidade de atualização de software para implantação de novos recursos. Salvamento dos loops de ventilação 1 ; Diferenciação entre as fases respiratórias (insp/exp) e do modo de disparo (assistido, espontâneo ou manual), através do esquema de cores dos gráficos 1 ; Monitorização completa de até 27 2 parâmetros ventilatórios; Suspiro 1 ;l Canal de medida de pressão auxiliar para possível uso de balão esofágico ou medição de pressão de carina. Fluxo de base ( Bias Flow ) Recursos disponíveis nos modelos FlexiMag Plus e Babymag 15. Recursos disponíveis somente no modelo FlexiMag Plus. Os alarmes foram projetados de forma a permitir uma rápida e fácil interação com o operador. Ao ligar o equipamento é possível realizar um diagnóstico técnico para detectar possíveis falhas, medir vazamentos, resistências e complacências do circuito respiratório para realizar as compensações necessárias. A tela inicial do equipamento define o tipo de paciente que será ventilado. A partir dessa informação, o ventilador ajusta os limites de alarme dentro de uma faixa segura para o paciente.

18 10 O operador pode ainda optar pelo ajuste automático dos alarmes. Através dos dados monitorados durante a ventilação, o equipamento extrai a média dos valores para os diversos parâmetros e então calcula os limites de alarme para valores de 10 a 30% acima (limite superior) e abaixo (limite inferior) das médias obtidas. O ventilador permite uma monitorização precisa da FiO 2, através de uma célula galvânica, ou opcionalmente, através de uma célula paramagnética (não consumível). Possui um misturador de gases interno (Blender), controlado eletronicamente, que através da monitorização da FiO2, possibilita um controle preciso da concentração de oxigênio ajustada. O software dos ventiladores desta família permite o armazenamento, em memória não volátil, das curvas de fluxo e pressão em tempo real. Esta característica permite uma análise posterior das curvas de fluxo, pressão e volume, inclusive de loops. Possui ainda, um preciso sistema de medição de fluxo inspirado (interno) e fluxo expirado (externo distal ou proximal). Além desses, há outros recursos de segurança disponíveis: Válvula antiasfixia para proteção contra falhas no fornecimento de gás; Válvula de alívio de 100 hpa, em atendimento à norma básica de ventiladores, evitando possível sobrepressão no circuito respiratório; Válvula de sobrepressão ATIVA que ao detectar obstruções, é ativada para reduzir a pressão no circuito do paciente; Os equipamentos possuem alarmes audiovisuais relacionados tanto à condição de funcionamento do equipamento (alarmes técnicos), quanto ao processo de ventilação. Também são apresentadas mensagens informativas sobre as ocorrências durante a ventilação ou relativas ao estado do equipamento, como disparos, modo de espera, modo de demonstração, etc. Todos os modelos incorporam ainda, um monitor completo de ventilação que apresenta: Monitor com gráficos completos de ventilação: o Curva de Pressão x Tempo o Curva de Fluxo x Tempo o Curva de Volume x Tempo o Loop de Pressão x Volume o Loop de Volume x Fluxo o Loop de Pressão x Fluxo 1

19 11 o Bargraph de pressão instantânea com indicador numérico da pressão de pico, platô ou instantânea; Parâmetros disponíveis: o Pressão Máxima o Pressão Média o PEEP o PEEP Intrínseco (Auto PEEP) o Pressão de Platô o Volume Corrente (Volume Expirado) o Volume Inspirado o Volume Minuto o Complacência Estática o Complacência Dinâmica o Resistência das Vias Aéreas (Inspiratória e Expiratória) o Tempo Inspiratório o Tempo Expiratório o Relação I:E o Frequência Respiratória Total o Frequência Espontânea o Volume Minuto Espontâneo o Volume Espontâneo o FiO 2 o Elastância 1 o Fluxo de Fuga (vazamento) 1 o Percentual de Fuga 1 o Constante de Tempo EXP (TC) 1 o RSB (Rapid Shallow Breathing Index) ou IRRS (Índice de Respiração Rápida Superficial) ou Índice de Tobin 1 o WOBi (Work Of Breathing) 1 o T Insp / T Total 1 o Pressão traqueal estimada (com ATC ativado) 1 Recursos ventilatórios auxiliares de diagnóstico: o P0.1 1 o Capacidade Vital Lenta 1 o P/V Flex (pontos de inflexão da curva PV) 1 o Pi Max 1 o Volume Aprisionado 1 o Medição de Pressão Auxiliar 1 1. Recursos disponíveis somente no modelo FlexiMag Plus

20 Finalmente, para maior flexibilidade, tanto o FlexiMag como o BabyMag podem ser utilizados com: 12 Prongue nasal para CPAP neonatal e respectivo circuito respiratório ambos com cadastro na ANVISA Circuito respiratório limbo de 1,8 m com resistência de no máximo de 3,69 mbar/lps (na inspiração) e 4,39 mbar/lps (na expiração), registrado na ANVISA Circuitos respiratórios com traqueias cujas resistências sejam menores que 0,3 mbar/lps registradas pela ANVISA Máscaras faciais simples, adulto, pediátrico e neonatal, registradas na ANVISA Filtro HME registrado na ANVISA Sensores descartáveis Masimo Kit para TGI Nebulizador Todos os acessórios opcionais destes equipamentos estão descritos detalhadamente no capítulo 11.

21 13 4 Desembalando o Produto 4.1 Verificações Iniciais Item Verificação Aprovado 1 Verifique se a embalagem está íntegra, observando se há amassados, furos ou outros danos. OK NOK 2 Abra a embalagem com cuidado observando as indicações na caixa OK NOK 3 Confira o conteúdo da embalagem. OK NOK Observações Se a embalagem se encontrar danificada, comunique imediatamente à transportadora responsável e à Magnamed. Não abra a embalagem.

22 Relação de Componentes do FlexiMag Os seguintes itens são partes integrantes do equipamento e são de uso exclusivo do mesmo: Tabela 2 - Componentes do FlexiMag Item Código Descrição Quant. UMI Fotografia ou Figura FLEXIMAG - VENTILADOR PULMONAR ELETRÔNICO NEONATAL PEDIÁTRICO ADULTO 10,4POL 01 PC FLEXIMAG - VENTILADOR PULMONAR ELETRÔNICO NEONATAL PEDIÁTRICO ADULTO 15POL FLEXIMAG PLUS - VENTILADOR PULMONAR ELETRÔNICO NEONATAL PEDIÁTRICO ADULTO 15POL CIRCUITO RESPIRATORIO ADULTO UTI COM COLETOR AUTOCLAVÁVEL Y RETO 01 PC

23 15 Item Código Descrição Quant. UMI Fotografia ou Figura BRAÇO ARTICULADO COM SUPORTE PARA CIRCUITOS RESPIRATÓRIOS 01 PC EXTENSÃO DE O2 DISS X2 3M 01 PC EXTENSÃO DE AR DISS X2 3M 01 PC KIT COM 5 SENSORES DE FLUXO SPIROQUANT ENVITEC 01 PC CABO SENSOR ENVITEC COM REDEL 6 PINOS (EXTERNO) - FLEXIMAG 01 PC

24 16 Item Código Descrição Quant. UMI Fotografia ou Figura DIAFRAGMA DA VÁLVULA EXPIRATÓRIA MAGNAMED 01 PC VÁLVULA EXPIRATÓRIA COM ANEL ESTABILIZADOR 01 PC Guia de montagem 1 PC Chave para montagem do ventilador Parafuso para montagem do ventilador 1 PC - 4 PC CABO DE REDE AC MONTADO 3VIAS 3,0M - NOVO PADRÃO NBR PC XXXX-NE-20-RR Manual de Operação 1 PC

25 Relação de Componentes do BabyMag Os seguintes itens são partes integrantes do equipamento e são de uso exclusivo do mesmo: Tabela 3 - Componentes do BabyMag Item Código Descrição Quant. UMI Fotografia ou Figura BABYMAG - VENTILADOR PULMONAR ELETRÔNICO NEONATAL 10,4POL 1 01 PC BABYMAG - VENTILADOR PULMONAR ELETRÔNICO NEONATAL 15POL CIRCUITO RESPIRATORIO NEONATAL UTI COM COLETOR AUTOCLAVAVEL Y PC BRAÇO ARTICULADO COM SUPORTE PARA CIRCUITOS RESPIRATÓRIOS 01 PC

26 18 Item Código Descrição Quant. UMI Fotografia ou Figura EXTENSÃO DE O2 DISS X2 3M 01 PC EXTENSÃO DE AR DISS X2 3M 01 PC KIT COM 5 SENSORES DE FLUXO SPIROQUANT ENVITEC 01 PC CABO SENSOR ENVITEC COM REDEL 6 PINOS (EXTERNO) - FLEXIMAG 01 PC DIAFRAGMA DA VÁLVULA EXPIRATÓRIA MAGNAMED 01 PC VÁLVULA EXPIRATÓRIA COM ANEL ESTABILIZADOR 01 PC

27 19 Item Código Descrição Quant. UMI Fotografia ou Figura Guia de montagem 1 PC Chave para montagem do ventilador Parafuso para montagem do ventilador 1 PC - 4 PC CABO DE REDE AC MONTADO 3VIAS 3,0M - NOVO PADRÃO NBR PC XXXX-NE-20-R R Manual de Operação 1 PC

28 20 5 Identificação dos Componentes 5.1 Vista frontal Figura 1 Vista Frontal do FlexiMag (alguns acessórios são meramente ilustrativos)

29 21 1. LUZ INDICADORA DE ALARME VERMELHO A luz indicadora de alarme pisca quando ocorre uma condição de alarme de alta prioridade. Mesmo em modo de silêncio dos alarmes, essa indicação permanece ativa. 2. DISPLAY DE CRISTAL LÍQUIDO COM TOUCHSCREEN Apresentação visual e gráfica dos parâmetros de ajuste com tela sensível ao toque, parâmetros monitorados, botões de acesso rápido (Stand By, Silêncio, Start Insp, O 2 100%, Hold Insp, Hold Exp, Freeze 1, Lock) e menus de acesso ao sistema. 3. BOTÃO GIRA E CONFIRMA E INDICADOR DE REDE DE ALIMENTAÇÃO O botão gira e confirma é utilizado para a maioria dos ajustes a serem realizados nos ventiladores FlexiMag e Babymag. Quando um parâmetro estiver selecionado, girar o botão no sentido horário ou anti-horário faz com que o valor do parâmetro seja alterado. A confirmação do novo valor ocorre ao se pressionar o botão ou ao tocar novamente a tela sobre o parâmetro selecionado. Por segurança, caso não haja uma confirmação num período de 5 segundos, o valor anteriormente ativo, será resgatado. Quando não há seleção de parâmetro, o botão gira e confirma pode ser utilizado para efetuar a navegação pelos controles na tela 1. A posição corrente do cursor é indicada pela existência de um foco sobre o controle habilitado. Esse botão ainda tem a função de indicar se o equipamento está ligado à rede de alimentação ou se está operando através das baterias: Quando o equipamento estiver ligado à rede de alimentação o botão ficará VERDE Quando o equipamento estiver funcionando sem estar ligado à rede de alimentação o botão ficará AZUL.

30 22 Observações Selecione o parâmetro a ser ajustado na tela do display tocando diretamente no botão correspondente. O botão selecionado mudará de cor permitindo, assim a alteração de valores ou ajustes. Ajuste o valor desejado girando o botão no sentido horário ou anti-horário Para confirmar pressione o botão ou toque novamente o parâmetro em ajuste. Quando o botão retornar a sua cor original, o parâmetro ajustado estará ativo. Advertência Caso não haja a confirmação do ajuste após 5 segundos, o valor do parâmetro e o botão retornarão para o estado anterior. 4. BRAÇO ARTICULADO (OPCIONAL) Suporte para circuito respiratório. 5. CONEXÕES DO SENSOR DE FLUXO PROXIMAL 1 Bicos de conexão das linhas que saem do sensor de fluxo proximal. 6. NEBULIZADOR / TGI Conexão do nebulizador ou do TGI. Na tela CONFIG, estarão disponíveis os ajustes para ativação dessas funções. 7. CONECTOR DO RAMO INSPIRATÓRIO Nesta conexão deve ser colocado o ramo inspiratório do circuito respiratório do ventilador. 8. CONEXÃO DOS SENSORES EXTERNOS Conexão de entrada dos sensores externos opcionais (capnógrafo ou oxímetro). 9. CONEXÃO DO RAMO EXPIRATÓRIO

31 Nesse local, deve ser conectado o conjunto da válvula expiratória, onde será conectado o ramo expiratório do circuito do paciente CONEXÃO DO SENSOR DE FLUXO DISTAL Conexão de saída do cabo que deve ser conectado ao sensor de fluxo distal. 11. ALÇA DE TRANSPORTE 12. PEDESTAL 13. RODÍZIOS 14. CONEXÃO PADRÃO RS232 Conexão para a impressão de dados de tendência, gráficos e alarmes, através de um computador pessoal e software específico, fornecido pela Magnamed. 1. Recursos disponíveis nos modelos FlexiMag Plus e BabyMag 15.

32 Vista Traseira Figura 2 Vista Traseira 1. CHAVE LIGA/DESLIGA Chave Liga/Desliga. Esta chave inicia o funcionamento do equipamento, contudo, quando estiver na posição desligada é importante manter o equipamento ligado à rede elétrica para que ele continue a carregar as baterias quando necessário. 2. ENTRADA DE ENERGIA ELÉTRICA Entrada para a alimentação do ventilador com rede elétrica de 100 a 240 VAC 50-60hz, através do cabo de força que acompanha o ventilador. Este cabo possui um conector de 3 pinos para ser acoplado a uma rede elétrica devidamente aterrada. Atenção Certifique-se de que o cabo esteja seguro pela sua presilha. 3. PORTA FUSÍVEL Este compartimento abriga dois fusíveis (de vidro 20mm 1A/250V) para proteção se houver sobrecorrente advinda da rede elétrica. Possui um sistema tipo baioneta com a expulsão total do fusível facilitando a troca e evitando assim choques elétricos.

33 25 4. ENTRADA DE AR COMPRIMIDO Conecta o ar comprimido medicinal. A pressão de entrada deve estar na faixa de 36 a 150 psi (250 a 1034 kpa). Conexão padrão DISS (ABNT NBR-11906:1992). 5. ENTRADA DE OXIGÊNIO Conecta o gás oxigênio. A pressão de entrada deve estar na faixa de 36 a 150 psi (250 a 1034 kpa). Conexão padrão DISS (ABNT NBR-11906:1992). 6. COLETORES DE ÁGUA COM FILTRO COALESCENTE PARA GÁS SOB ALTA PRESSÃO Para retirada da água acumulada, basta pressionar o pino encontrado na parte inferior do coletor. Para realizar a troca do filtro siga a sequência a seguir: 1. Retire o coletor com o o'ring 2. Desrosqueie o filtro 3. Troque o filtro e rosqueie o novo filtro ao equipamento 4. Troque o filtro e rosqueie o novo filtro ao equipamento Atenção Não expor o recipiente do filtro a materiais não compatíveis com policarbonato. Troque o filtro quando este estiver obstruído para que este não diminua o fluxo de entrada do equipamento. 7. ENTRADA PARA FONTE EXTERNA DE ENERGIA (OPCIONAL) Entrada 15V / 4A.

34 26 6 Preparação para o Uso 6.1 Montagem Ventilador de UTI OK Item Sequência de Montagem Ilustração 1 Utilizar os quatro parafusos e chave que acompanham o equipamento para parafusar a base com rodízio ao ventilador. - Instale um diafragma e uma válvula expiratória em condições adequadas ao uso conforme apresentado na figura. Advertência Posicione corretamente o diafragma e a válvula expiratória para evitar obstrução do ramo expiratório. 2

35 27 OK Item Sequência de Montagem Ilustração Conecte o sensor de fluxo adequadamente siga os passos das figuras ao lado. Advertência Todas as conexões devem ser montadas FIRMEMENTE para evitar vazamentos. 3

36 28 OK Item Sequência de Montagem Ilustração Prepare o circuito respiratório do paciente, conectando firmemente o ramo inspiratório à fonte de fluxo de mistura de gases. 4 Atenção Utilize o circuito respiratório adequado ao paciente. O ramo expiratório do circuito deve ser conectado firmemente à válvula expiratória. 5

37 29 OK Item Sequência de Montagem Ilustração Caso use o sensor de CO 2 (item opcional), realize a montagem logo após o sensor de fluxo conforme mostrado na sequência de figuras ao lado. Conecte o adaptador de vias aéreas ao sensor de CO 2 e depois realize a firme conexão do conjunto ao sensor de fluxo. 6 Se for utilizar o circuito respiratório com o sensor de CO 2 e com o filtro HME (Heat and Moisture Exchange) faça a montagem conforme sequência apresentada na figura. 7 Atenção Utilize FILTROS HME especificados pela MAGNAMED.

38 30 Se for utilizar o circuito respiratório para VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA (VNI ou NIV Noninvasive Ventilation) com uso de máscara, além do filtro e sensor de CO 2, siga a sequência da figura ao lado. 8 Atenção Utilize MÁSCARAS especificadas pela MAGNAMED. Utilize MÁSCARA adequada para o tipo de paciente. Se for utilizar o circuito respiratório para VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA (VNI ou NIV Non Invasive Ventilation) com uso da máscara e sem o filtro faça a montagem ao lado. 9

39 31 Se for utilizar o circuito respiratório para VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA (VNI ou NIV Non Invasive Ventilation) sem filtro. 10 Se for utilizar o circuito respiratório para VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA (VNI ou NIV Non Invasive Ventilation) com máscara e filtro HME, então faça a montagem ao lado. 11

40 32 Se for utilizar o sensor de capnografia (CO 2 ) conecte o cabo no painel lateral direito conforme indicado na figura. Atenção 12 O conector do CAPNÓGRAFO tem indicação em AZUL. Utilize CAPNÓGRAFO adquirido da MAGNAMED. equipamento. Conecte o cabo de alimentação ao 13

41 33 Conexão do equipamento à rede de gases: Conecte a mangueira de Ar na conexão indicada conforme figura ao lado Conecte a mangueira de O 2 na conexão indicada conforme figura ao lado Atenção 14 Pressões superiores a 150 psi (1034 kpa) podem danificar o equipamento. Pressões inferiores a 36 psi (250 kpa) podem ser insuficientes para o correto funcionamento do equipamento. A redes de gases conectada ao equipamento deve atender aos requisitos da norma ABNT NBR Conexão à Rede Elétrica O equipamento deve ser conectado a uma tomada elétrica aterrada de três pinos que atenda à norma ABNT NBR Instalações elétricas em estabelecimentos assistenciais de saúde Requisitos de segurança. As baterias internas do equipamento devem estar sempre carregadas e prontas para o uso numa eventual falha da rede elétrica ou para uso em operações externas. Para tanto, deve-se manter a sua fonte de alimentação conectada à rede elétrica para realizar a carga das baterias, mesmo que o equipamento permaneça desligado.

42 Após uso prolongado do equipamento somente com a energia da bateria interna é necessário fazer uma recarga completa da mesma, preparando o equipamento para uma próxima utilização. 34 Se o equipamento permanecer desconectado da rede elétrica por um período superior a um mês, deve-se fazer uma recarga completa das baterias. Advertência Se no uso prolongado do ventilador em bateria, ocorrer um alarme cuja mensagem é BATERIA FRACA, providencie IMEDIATA conexão da fonte de alimentação à rede elétrica. Caso não for possível, DESCONECTE o equipamento do paciente e providencie meios adequados de suporte ventilatório. 6.3 Verificações Antes do Uso A finalidade desta rotina de inspeção é orientar o usuário na realização de um procedimento simples e rápido de teste do equipamento antes de cada utilização ou, no mínimo, ao início de cada período de trabalho, garantindo assim uma maior confiabilidade. Advertência Realize esta verificação antes de cada procedimento. Caso haja falha na verificação NÃO UTILIZE O APARELHO. Faça a correção ou providencie assistência técnica Procedimentos iniciais OK Item Verificações Verifique se o equipamento está desligado. Realize uma inspeção visual do equipamento e seus componentes procurando identificar total integridade dos mesmos. Verifique se todos os componentes do equipamento estão corretamente conectados e inseridos. Verifique a firme conexão da válvula expiratória. É importante verificar a presença do diafragma.

43 35 OK Item Verificações 5 Verifique a firme conexão do sensor de fluxo externo à válvula expiratória 6 Verifique se o circuito respiratório está firmemente conectado e é adequado ao paciente. 7 Verifique a firme conexão das mangueiras de gás oxigênio e ar comprimido. 8 Verifique se a pressão de rede está entre 36 e 150 psi (250 e 1034 kpa). Verifique a firme conexão do cabo de alimentação, quando aplicável. O Ventilador pode ser utilizado em operação por bateria até 210 minutos continuamente sob condições normais de ventilação do paciente. Advertência 9 Se no uso prolongado do ventilador em bateria, ocorrer um alarme cuja mensagem é BATERIA FRACA, providencie IMEDIATA conexão da fonte de alimentação à rede elétrica. Caso não seja possível, DESCONECTE o equipamento do paciente e providencie meios adequados de suporte ventilatório. 10 Selecione tipo de paciente. 11 Se todos os itens foram marcados com OK então o equipamento está pronto para utilização.

44 Tela inicial Ao ligar o equipamento será apresentada a tela inicial, com as opções de pacientes disponíveis, diagnóstico do equipamento e calibração. Para os modelos FlexiMag Plus e BabyMag 15 estará disponível ainda a opção de acesso ao menu de configurações do ventilador Seleção de paciente Ao selecionar uma opção, o ventilador definirá o tipo de paciente e iniciará os parâmetros da ventilação considerando a seguinte tabela: Tabela 4 - Pacientes Paciente Modo Inicial Peso Ideal (kg) NEONATO PLV 3,0 PEDIÁTRICO PCV 19,8 ADULTO VCV 49,5 O BabyMag iniciará seguindo a configuração da 1ª linha da tabela anterior Sequência inicial Sequência Procedimento Ligue o ventilador através da chave liga/desliga na parte traseira do equipamento. Selecione o tipo de paciente (adulto, pediátrico ou neonato) que utilizará o equipamento, tocando sobre o botão correspondente. Início Existe ainda a possibilidade de se optar pelos últimos ajustes configurados, antes do equipamento ser desligado. Aparecerá então a tela principal de ventilação e o alarme sonoro estará silenciado no primeiro minuto. O equipamento inicia sempre em modo de espera (STAND BY). Tocando sobre o botão que indica o modo ventilatório ativo, é possível configurar as modos disponíveis por paciente. Ajuste de Modo Conforme cada modo é selecionado, os parâmetros ajustáveis disponíveis para este modo são apresentados na área central da tela. Para sair dessa tela, confirme a seleção do modo e suas respectivas configurações, pressionando o botão CONFIRMAR, ou descarte todas as alterações pressionando o botão CANCELAR.

45 Ajustes principais Ajuste Ajuste de parâmetros ventilatórios Procedimento Para o ajuste dos parâmetros ventilatórios, toque sobre o botão correspondente ao parâmetro a ser ajustado e este ficará selecionado (a cor será modificada), permitindo a alteração do seu valor utilizando o botão gira e confirma. Para os modelos FlexiMag Plus e BabyMag 15, é possível ainda alterar o valor do parâmetro através do slider (barra de ajuste), correndo o dedo por esse controle. Para confirmar o valor ajustado, pressione novamente o botão correspondente ao parâmetro ou pressione o botão gira e confirma (ENTER). Para ter acesso à tela de ajustes de alarmes, toque sobre a aba ALARME. Caso o capnógrafo ou o oxímetro esteja conectado ao equipamento, os alarmes relacionados a esse dispositivo serão exibidos. Ajuste de alarmes Para o ajuste dos alarmes, toque sobre o botão correspondente ao alarme a ser ajustado e este ficará selecionado (a cor será modificada), permitindo a alteração do seu valor utilizando o botão gira e confirma. Para os modelos FlexiMag Plus e BabyMag 15, é possível ainda alterar o valor do alarme através do slider (barra de ajuste), correndo o dedo por esse controle. Para confirmar o valor ajustado, pressione novamente o botão correspondente ao alarme ou pressione o botão gira e confirma (ENTER).

46 38 7 Instruções de Uso 7.1 Itens da Tela Principal do Ventilador ALARMES ALERTAS Figura 3 Tela Principal 7

47 39 1. ÁREA DE STATUS A área de status contempla os seguintes indicadores: Ciclagem Ícone representativo de um pulmão que indica se o equipamento está ciclando, ou seja, realizando sequencialmente as fases inspiratória e expiratória. Paciente O paciente selecionado determina os ajustes iniciais do ventilador, os modos disponíveis, o modo padrão selecionado, os valores padrão dos parâmetros e alarmes, bem como suas faixas de ajuste e recursos disponíveis. Bateria Status da bateria que pode variar entre os seguintes estados: Ícone Descrição Bateria carregada e equipamento conectado à rede elétrica. Bateria em carregamento com equipamento conectado à rede elétrica. Bateria carregada e em uso. Equipamento desconectado da rede elétrica ou rede elétrica inoperante. Bateria com cargas parciais e em uso. Equipamento desconectado da rede elétrica ou rede elétrica inoperante. Bateria com carga mínima e em uso. Equipamento desconectado da rede elétrica ou rede elétrica inoperante. Alarme de bateria fraca poderá ser acionado. 2. ÁREA DE EXIBIÇÃO DAS MENSAGENS DE ALARME Nessa área são exibidas as mensagens dos alarmes eventualmente ativos. Alarmes de alta prioridade são exibidos em um quadro vermelho (perigo), enquanto os de média prioridade são exibidos num quadro amarelo (atenção). 3. ÁREA DE EXIBIÇÃO DAS MENSAGENS DE ALERTA Nessa área são exibidas as mensagens dos alertas eventualmente ativos.

48 40 4. INDICADOR / BOTÃO DE ALARME SONORO DESATIVADO minutos). Esse indicador será exibido durante o tempo em que o alarme sonoro estiver silenciado (no máximo 2 5. ÁREA DE EXIBIÇÃO E SELEÇÃO DO MODO VENTILATÓRIO O modo ventilatório corrente é exibido nessa área. Além disso, basta tocar esse botão para ter acesso à tela com a configuração completa dos modos ventilatórios e seus respectivos parâmetros. 6. ÁREA DE GRÁFICOS E MENUS Nessa área são exibidos os gráficos ou algum dos menus disponíveis no equipamento. Para alternar entre as opções de gráficos, basta tocar a tela sobre essa área, quando a aba GRÁFICO estiver ativa. Já para alterar o modo da pressão exibida (pico, platô ou instantânea) acima da bargraph, toque sobre o próprio valor da pressão. 7. ÁREA DE EXIBIÇÃO DO MONITOR PERMANENTE Nessa área são exibidos até seis parâmetros monitorados por vez, os quais estarão sempre visíveis, independentemente da tela que esteja selecionada. Para alterar a seleção desses parâmetros, basta tocar a tela sobre essa área. Nesse caso, ocorrerá a mudança de página, com a exibição de outros seis parâmetros monitorados. São três páginas de monitorização disponíveis, exceto para o modelo FlexiMag Plus, que disponibiliza quatro páginas para visualização. No monitor permanente, ainda é possível verificar o valor dos limites de alarmes ajustados, para parâmetros cujos valores estejam relacionados a esses alarmes (volume, volume minuto, pressão máxima, frequência, PEEP e FiO 2 ): LIMITES DO ALARME Figura 4 Parâmetro Monitorado

49 41 8. ÁREA DE FUNÇÕES DE ACESSO RÁPIDO (ONE TOUCH) Nesta área são exibidos os botões que ativam as funções de acesso rápido: Função STAND BY O 2 100% CICLO MANUAL (START INSP) PAUSA INSPIRATÓRIA (HOLD INSP) PAUSA EXPIRATÓRIA (HOLD EXP) Descrição Ativa ou desativa o modo de espera. Em modo de espera, os alarmes são interrompidos e a ventilação é pausada. Por uma questão de segurança, para ativar/desativar o modo de espera, é necessário pressionar o respectivo botão por 1 segundo. Mantém a concentração de oxigênio em 100% durante 90 ou 120 segundos após pressionado. Este recurso pode ser utilizado para procedimentos de pré e pós-aspiração da secreção nas vias aéreas. Dispara manualmente um ciclo inspiratório, conforme o modo ventilatório selecionado. Permite a realização de manobras de suspensão de inspiração, muito utilizado em caso de raios-x de tórax. Pressionando e soltando imediatamente este botão a inspiração será prolongada por um período mínimo que é ajustável. Mantendo-o pressionado a expiração será prolongada por até 30s. Após este período será exibido na primeira posição da área de parâmetros monitorados o valor da complacência estática que ficará visível por 5 segundos. Após este período a área superior da área de monitoração voltará ao parâmetro exibido anteriormente. Permite manobras de extensão do tempo de expiração (prolongar o tempo de expiração). Pressionando e soltando imediatamente este botão a expiração será prolongada por um período mínimo que é ajustável. Mantendo-o pressionado a expiração será prolongada por até 30s. Após este período será exibido na primeira posição da área de parâmetros monitorados o parâmetro valor da PEEP intrínseca que ficará visível por 5 segundos. Após este período a área superior da área de monitoração voltará ao parâmetro exibido anteriormente. CONGELAMENTO DE GRÁFICOS (FREEZE) TRAVAMENTO DO TECLADO (LOCK) Congela o traçado dos gráficos para permitir a análise das curvas. Quando houver loops na tela, essa função ainda disponibiliza um cursor para navegação através dos pontos traçados (disponível nos modelos FlexiMag Plus e BabyMag 15 ). Sistema de proteção contra mudança acidental. Trava ou destrava a tela sensível ao toque. Quando os comandos no display estiverem travados, pressione esta tecla para liberá-los IMEDIATAMENTE. Para travar novamente simplesmente pressione uma vez esta tecla ou aguarde 2 minutos sem tocar a tela.

50 42 Observações Só serão travadas as funções de ajuste do ventilador. Estarão liberadas a navegação no equipamento, a visualização de parâmetros e a alternância entre ventilação e modo de espera. Algumas funções podem estar estar temporariamente desabilitadas, dependendo do estado do equipamento (quando em modo de espera, por exemplo). 9. ÁREA DE SELEÇÃO DOS MENUS Nesta área são exibidas as opções de menus presentes no equipamento: o o o o o o GRÁFICO MONITOR CONFIG ALARME TENDÊNCIA RECURSO (apenas no modelo FlexiMag Plus) 10. ÁREA DE PARÂMETROS AJUSTÁVEIS Nessa área são exibidos os parâmetros ajustáveis, conforme o modo ventilatório ativo. São exibidos seis parâmetros por página. Para exibir os demais parâmetros, basta girar o botão gira e confirma, sem nenhuma seleção ativa, e então os parâmetros ocultos serão exibidos. Para alterar um parâmetro, basta tocar sobre o botão do parâmetro desejado. Assim que o botão mudar de cor, indicando a sua seleção, a alteração dos valores poderá ser realizada. Para tanto, basta girar o botão gira e confirma no sentido horário para incrementar o valor e anti-horário para decrementá-lo.

51 Menus Disponíveis As funcionalidades presentes nos ventiladores FlexiMag e BabyMag estão organizadas por menus, de forma a facilitar a operação. Nessa seção, cada um desses menus estarão descritos, juntamente com as suas respectivas funcionalidades: GRÁFICO Permite o acesso àquela que é considerada a principal tela do ventilador, pois permite visualizar o andamento do processo de ventilação, através dos gráficos, bargraph de pressão e parâmetros monitorados. Sempre que o equipamento permanecer por mais de 2 minutos sem interação com o operador, automaticamente, o ventilador retornará à tela de gráficos, exceto se a tela ativa for a de monitorização (menu MONITOR) Gráficos de ventilação Os gráficos de ventilação disponíveis no equipamento são: o Curva de Pressão x Tempo o Curva de Fluxo x Tempo o Curva de Volume x Tempo o Loop de Pressão x Volume o Loop de Volume x Fluxo o Loop de Pressão x Fluxo 1 o Curva de CO 2 x Tempo 2 o Curva de SpO 2 x Tempo 2 o Bargraph de pressão instantânea com indicador numérico da pressão de pico, platô ou instantânea; Recursos disponíveis somente no modelo FlexiMag Plus e BabyMag 15. Essa opção de gráfico só estará disponível quando um dos sensores (oxímetro ou capnógrafo) estiver conectado Para alternar entre as opções de gráficos, basta tocar a tela sobre essa área, quando o menu GRÁFICO estiver ativo. Já para alterar o modo da pressão exibida (pico, platô ou instantânea) acima da bargraph, toque sobre o próprio valor da pressão.

52 Loops de ventilação Exclusivamente para os modelos FlexiMag Plus e BabyMag 15 existe a opção de congelamento e salvamento dos loops de ventilação. Para congelar instantaneamente os loops (exceto loop PxF), basta tocar sobre o botão de acesso rápido FREEZE. Após o congelamento dos loops, será possível observar um cursor na tela que possibilitará navegar através dos pontos dos loops, utilizando-se o botão gira e confirma. Para alternar entre os loops, basta tocar a tela sobre o loop desejado. Para salvar um loop na memória, basta tocar sobre o botão SAVE LOOP. Assim que houver ao menos um loop salvo na memória, o botão LOAD LOOP estará habilitado. Para resgatar um dos loops salvos na tela, toque sobre o botão LOAD LOOP e então selecionar um loop salvo (há espaço para a gravação de até três loops). Para cessar o traçado do loop salvo, basta acessar novamente o quadro de loops salvos e deselecionar o loop que está sendo traçado MONITOR Permite a visualização dos parâmetros monitorados, além daqueles já exibidos na área de monitor permanente (área à esquerda da tela). Diferentemente do monitor permanente, que mostra apenas seis parâmetros por vez, no menu monitor é possível visualizar até 27 parâmetros na tela no caso do modelo FlexiMag Plus e até 18 parâmetros para os demais modelos. Nesse menu, ainda é possível selecionar a página que estará visível no monitor permanente. Para tanto, basta tocar sobre uma das três colunas de parâmetros monitorados disponíveis CONFIG Nesse menu, estão disponíveis informações sobre o equipamento, ajuste de configurações, além da definição do tipo, altura e peso do paciente Recursos auxiliares na ventilação Conforme o modelo, alguns recursos auxiliares na ventilação, também podem ser ativados através da tela CONFIG:

53 45 Nebulizador sincronizado com a inspiração e compensação de volume e FiO2; Insuflação de gás traqueal (TGI - Tracheal Gas Insuflation) sincronizado com a expiração; Compensação de tubo endotraqueal (ATC - Automatic Tube Compensation); Compensação de volume do circuito respiratório; Compensação de vazamento; Unidades de medida de pressão O operador pode optar por visualizar os valores de pressão em mbar, hpa ou cmh 2 O, sendo: 1 mbar (milibar) = 1 hpa (hectopascal) = 1,016 cmh 2 O (centímetro de água) Como na prática, essas unidades são equivalentes, será adotado: 1 mbar = 1 hpa = 1 cmh 2 O Para alterar a unidade de pressão, basta tocar sobre o botão correspondente na tela CONFIG. É possível ajustar também as unidades de pressão alta, utilizadas para a medição da pressão dos gases na entrada do equipamento Idioma A interface dos ventiladores pode ser configurada para operar em três idiomas distintos: PORTUGUÊS, INGLÊS OU ESPANHOL. Opcionalmente, ainda pode ser configurado um novo idioma alternativo, conforme a necessidade do cliente. Para alterar o idioma, basta tocar sobre o botão correspondente na tela CONFIG Mudança de paciente seguinte: A seleção do paciente definirá uma configuração prévia da ventilação conforme a tabela Tabela 5 - Pacientes Paciente Modo Inicial Peso Ideal (kg) NEONATO PLV 3,0 PEDIÁTRICO PCV 19,8 ADULTO VCV 49,5

54 46 Observações Para alterar o tipo de paciente é necessário colocar o equipamento em modo de espera A definição do paciente determina os limites de ajuste da sua altura, valor que é utilizado para o cálculo do seu peso ideal. Para tanto, estima-se o peso ideal considerando um Índice de Massa Corpórea (IMC) de 22 para pacientes adultos e de 15 para pacientes pediátricos e neonatais. Tabela 6 - Altura x Peso Ideal Tipo de Paciente Altura [m] Min Max Peso Ideal P [kg] NEONATO P < 6.0 PEDIÁTRICO < P <= 21.6 ADULTO P >= 32.2 Definido o paciente, o operador pode ajustar a altura e o volume por peso nos botões correspondentes. O peso ideal do paciente é utilizado para o cálculo de alguns parâmetros de ventilação, visando prover a maior aproximação com os valores adequados para ventilar o paciente. Os parâmetros calculados em função do peso ideal são : Volume Frequência Relação I:E Fluxo Inspiratório - calculado em função do T INS obtido Os parâmetros seguintes terão o valor padrão de: Pressão Máxima 15 cmh 2 O PEEP 5 cmh 2 O Pressão de Platô 30 % de T INS Fluxo Quadrado A tabela seguinte apresenta os modos ventilatórios disponíveis para cada tipo de paciente:

55 47 Tabela 7 - Modos Ventilatórios por Paciente Tipo de Paciente Sensor de Fluxo 1 Modos Disponíveis NEONATO PEDIÁTRICO ADULTO NEO PED ADU PLV, PCV 2, P-SIMV, CPAP/PS, DualPAP/APRV VCV, PCV, V-SIMV, P-SIMV, CPAP/PS, PRVC, DualPAP, APRV, MMV/PS 2 e VS 2 VCV, PCV, V-SIMV, P-SIMV, CPAP/PS, PRVC, DualPAP, APRV, MMV/PS 2 e VS Sensor de fluxo proximal opcional, disponível para os modelos FlexiMag Plus e e BabyMag 15. O sensor de fluxo padrão (distal) é único para todos os pacientes. Modos disponíveis para os modelos FlexiMag Plus e BabyMag Calibração do sensor de oxigênio (célula de O 2 ) Ainda na no menu CONFIG é possível efetuar a calibração do sensor de oxigênio (célula). Para tanto, basta tocar sobre o botão CALIBRAR e aguardar o início do processo Zeramento do sensor IRMA CO 2 (opcional) Também é possível efetuar o zeramento do sensor de CO 2 (capnógrafo). Para tanto, basta tocar sobre o botão ZERAR e aguardar o início do processo. Observações O equipamento deve estar em modo de espera (STAND BY) para efetuar a calibração do sensor de oxigênio e o zeramento do capnógrafo ALARME Para cada um dos alarmes relacionados diretamente ao processo de ventilação, existem dois limites (valor alto e valor baixo) para serem ajustados. Esses limites são configurados diretamente no menu ALARME. Para proceder esses ajustes, toque sobre o botão correspondente ao alarme a ser ajustado e este ficará selecionado (a cor será modificada), permitindo a alteração do seu valor utilizando o botão gira e confirma. Para os modelos FlexiMag Plus e BabyMag 15, é possível ainda alterar o valor dos limites de alarme através do slider (barra de ajuste), correndo o dedo por esse controle.

56 Para confirmar o valor ajustado, pressione novamente o botão correspondente ao alarme ou pressione o botão gira e confirma (ENTER). 48 Nesse menu também é possível ajustar o tempo máximo permitido de apneia do paciente, o que determinará a entrada da ventilação de backup. Há ainda a opção do ajuste automático dos alarmes, para habilitá-lo é necessário que o ventilador não esteja em STAND BY (modo de espera) e preferencialmente, a ventilação esteja estabilizada, visando maior segurança do paciente Advertência Quando for reiniciado o ventilador ou for trocado o tipo de paciente, os limites de alarme assumirão valores padrão, conforme o tipo de paciente. Os valores adotados estão disponíveis na seção Especificação Técnica desse manual. O alarme de tempo de apneia pode ser desligado. Nessa condição, NUNCA SERÁ ATIVADA A VENTILAÇÃO DE BACKUP. Portanto, o operador deve estar certo de que esse ajuste é realmente necessário e ciente das implicações clínicas envolvidas. O Ajuste automático dos limites de alarmes ajusta os alarmes para uma porcentagem calculada sobre o valor monitorado durante a ventilação, desta forma, só poderá ser ajustado quando o ventilador NÃO estiver no modo de espera (STAND BY) e preferencialmente, com um quadro ventilatório estabilizado TENDÊNCIA O equipamento grava todos os eventos ocorridos nas últimas 24 horas de ventilação, tais como os parâmetros ventilatórios ajustados, bem como os valores monitorados e todas as condições de alarmes durante esse período e não podem ser alterados pelo operador. Para os modelos FlexiMag Plus e BabyMag 15, o período disponível de gravação é de 72 horas. Advertência Se o equipamento for desligado ou perder a alimentação da bateria (descarga da bateria) não haverá registros dos eventos de ventilação, ou seja, parâmetros ajustados, parâmetros monitorados e alarmes ocorridos.

57 49 É possível visualizar simultaneamente até 3 parâmetros ventilatórios em diferentes intervalos. O menu TENDÊNCIA permite selecionar esses parâmetros e determinar o intervalo a ser consultado. Esse intervalo pode variar de 15 minutos a 24 horas ou 72 horas, com a opção de outros intervalos dentro desse período. Após a seleção desejada, basta tocar sobre o botão confirmar. Enquanto o equipamento recupera os dados solicitados, uma ampulheta será exibida e simultaneamente o gráfico é atualizado com os dados atuais dos parâmetros selecionados do seu lado direito: Após todos os dados solicitados serem exibidos no gráfico de tendência, a ampulheta deixará de ser exibida e a partir deste momento será exibido um cursor que permite o deslocamento no gráfico de tendência Figura 5 Tendência 1. Painel de Eventos - Indica modo de espera, modo de demonstração, evento de alarmes ou ajustes realizados. 2. Cursor - desliza sobre o gráfico permitindo analisar os seus pontos 3. Indica o intervalo selecionado na configuração do gráfico de tendência 4. Data e horário do ponto onde o cursor está posicionado 5. Valores medidos dos parâmetros selecionados na configuração do gráfico de tendência. São referentes ao ponto onde se encontra o cursor.

58 50 6. Modo ventilatório configurado na posição temporal do cursor. 7. Tipo de paciente configurado na indicação temporal do cursor. 8. Valores dos parâmetros ajustados na indicação temporal do cursor. 9. Alarmes que ocorreram na indicação temporal do cursor. Observações Para movimentar o cursor sobre o gráfico de tendência, basta tocar a tela na posição desejada ou o rotacionar o botão gira e confirma RECURSO Exclusivamente para o modelo FlexiMag Plus, está disponível um menu de recursos adicionais de ventilação. Basicamente, esse menu disponibiliza alguns procedimentos para a obtenção de dados relativos à mecânica respiratória do paciente: P0.1 Por definição, o índice P0.1 pode ser considerado como a queda de pressão gerada pelo esforço inspiratório do paciente nos primeiros 100ms do processo inspiratório, ou seja, assim que for estabelecida uma determinada queda de pressão abaixo da pressão basal. Na primeira fase desse procedimento, o equipamento analisa alguns ciclos respiratórios, para identificação das fases inspiratória e expiratória. Terminada essa fase, ocorre a oclusão do ramo inspiratório, para que após uma determinada queda de pressão, seja iniciada a contagem dos primeiros 100 ms, durante os quais será obtida a P Capacidade Vital Lenta Considera-se capacidade vital lenta, a capacidade de expiração após uma inspiração máxima por parte do paciente e serve como parâmetro para a avaliação da sua reserva ventilatória. Para obtenção desse parâmetro, é necessário que o paciente esteja consciente, uma vez que sua colaboração é primordial. Para a realização da manobra, o ventilador entrará em modo CPAP puro, sem suporte de pressão (delta PS = 0).

59 O paciente deve realizar sucessivas respirações, estendendo ao máximo a fase inspiratória para então expirar lentamente, com a máxima extensão possível P/V Flex Os pontos de inflexão da curva PV (pressão x volume) podem ser utilizados para a obtenção dos valores de ajustes mais adequados para a PEEP e para a pressão de platô. Através desse recurso, são obtidos os pontos de inflexão inferior e superior, sendo o primeiro, base para para a determinação do nível ótimo de PEEP, enquanto o segundo, serve como parâmetro para o nível de pressão máxima e volume adequados, antes de uma possível hiperdistensão pulmonar. Para este procedimento, o paciente deve estar intubado, sem exercer esforços respiratórios. O equipamento fornecerá um fluxo constante conhecido e passará monitorar o comportamento da curva PV, sobretudo a sua inclinação, para a detecção de possíveis mudanças que possam então, determinar os pontos de inflexão Pi Max O Pi Max serve para a avaliação da força muscular inspiratória durante o processo de desmame da ventilação mecânica. Para esse procedimento, o valor da PEEP será temporariamente ajustado em zero e após a análise de alguns ciclos respiratórios, ocorrerá a oclusão do ramo inspiratório por um período determinado. Durante esse período, serão lidos sucessivos valores de pressão negativa, relativos aos esforços inspiratórios do paciente. Para a obtenção do Pi Max será considerado o valor da maior queda de pressão medida durante o procedimento Volume Aprisionado Um volume de ar indesejado pode eventualmente ficar aprisionado nos pulmões em casos de hiperinsuflação pulmonar ou quando o intervalo entre respirações não for suficiente para a expiração completa do paciente, de forma a reestabelecer o equilíbrio do sistema respiratório. Mais notadamente, quando é detectada a presença de PEEP intrínseca. Para a realização desse procedimento, o ideal é que o paciente não exerça esforços respiratórios. Portanto, é recomendável que o operador oriente o paciente caso este esteja consciente.

60 Para obter o valor do volume aprisionado, basta efetuar uma pausa expiratória por um tempo que permita uma completa expiração, ou seja, até que não haja mais nenhum fluxo expiratório. 52

61 Mensagens de Alarme e Alertas Assim que qualquer informação de alarmes ou alertas relativos ao status do equipamento ou à ventilação for recebida, as mensagens descritas abaixo poderão ser exibidas, conforme sua prioridade Mensagens de alarme Tabela 8 - Alarmes de Alta Prioridade Mensagens Alarme de Alta Prioridade BATERIA BAIXA APNEIA PRESSÃO DE O 2 BAIXA PRESSÃO DE O 2 ALTA PRESSÃO DE AR BAIXA PRESSÃO DE AR ALTA OBSTRUÇÃO DESCONEXÃO PRESSÃO MÁXIMA ALTA PRESSÃO MÁXIMA BAIXA INOPERANTE BATERIA INOPERANTE Descrição Quando a bateria interna estiver com a carga no final. Deve-se providenciar meios adequados de suporte ventilatório do paciente. Significa que o tempo decorrido desde a última inspiração é superior ao valor de alarme ajustado como tempo máximo de apneia. A pressão da rede de oxigênio está abaixo do especificado. Esse alarme não será acionado se o parâmetro O 2 % estiver em 21% (ar) e a rede de ar estiver funcionando dentro das especificações exigidas. Significa que a pressão da rede de oxigênio está acima do especificado. A pressão da rede de ar está abaixo do especificado. Esse alarme não será acionado se o parâmetro O 2 % estiver em 100% e a rede de Oxigênio estiver funcionando dentro das especificações exigidas. Significa que a pressão da rede de ar está acima do especificado. Há alguma obstrução no circuito respiratório que impede a completa ou adequada expiração do paciente. Houve desconexão do circuito respiratório ou das linhas de sensor de fluxo (quando houver), o que impede a ventilação adequada do paciente. A pressão atingida superou o valor de alarme ajustado como limite superior de pressão. A pressão não atingiu o valor de alarme ajustado como limite inferior de pressão. Indica que houve uma falha técnica do equipamento e necessita ser substituído. Indica que há uma falha na bateria. Deve-se providenciar meios adequados de suporte ventilatório do paciente. Tabela 9 - Alarmes de Média Prioridade - Mensagens Alarme de Média Prioridade Descrição

62 54 Alarme de Média Prioridade PRESSÃO LIMITADA SENSOR FLUXO DESCONECTADO PEEP ALTA PEEP BAIXA VOLUME CORRENTE ALTO VOLUME CORRENTE BAIXO VOLUME MINUTO ALTO VOLUME MINUTO BAIXO FREQUÊNCIA ALTA FREQUÊNCIA BAIXA VAZAMENTO ALTO SEM REDE ELÉTRICA FIO 2 ALTA FIO 2 BAIXA Descrição Quando a pressão monitorada atinge a pressão máxima ajustada. Neste caso o volume entregue pelo módulo ventilador não atinge o volume ajustado, devido à limitação da pressão. Indica que o sensor de fluxo está desconectado. Nestas condições toda a monitoração que depende deste sensor (VT, MV, Frequência, Vins, Tinsp, I:E, T exp, Cest, Cdin, Res,, it, Volume Vazamento, Gráfico VxTempo) NÃO será apresentada. Nos modos ventilatórios controlados à volume, os volumes entregues do equipamento terão uma variação de até ±10%. A pressão positiva ao final da expiração (PEEP) superou o valor de alarme ajustado como seu limite superior. A pressão positiva ao final da expiração (PEEP) não atingiu o valor de alarme ajustado como seu limite inferior. O volume corrente entregue ao paciente superou o valor do alarme ajustado como limite superior de volume total. O volume corrente entregue ao paciente está abaixo do valor de alarme ajustado como limite inferior de volume total. O volume minuto entregue ao paciente superou o valor do alarme ajustado como seu limite superior. O volume minuto entregue ao paciente está abaixo do valor de alarme ajustado como seu limite inferior. A frequência respiratória do paciente superou o valor de alarme ajustado como seu limite superior. A frequência respiratória do paciente não atingiu o valor de alarme ajustado como seu limite inferior. O fluxo medido de vazamento ultrapassou o limite máximo de compensação. Significa que não há energia elétrica proveniente da rede de alimentação. A fração inspirada de O 2 superou o valor de alarme ajustado como seu limite superior. A fração inspirada de O 2 não atingiu o valor de alarme ajustado como seu limite inferior. Atenção Para silenciar o alarme sonoro, pressione o botão de acesso rápido de SILÊNCIO. Os alarmes sonoros ficarão desativados pelo período ajustado ou até que um nova condição

63 55 de alarme ocorra. Pode haver perigo se forem utilizadas pré-configurações de alarme diferentes para o mesmo equipamento ou para equipamentos similares em uma mesma área, como, por exemplo, uma unidade de tratamento intensivo ou uma sala de cirurgia cardíaca. Advertência Ao receber informação de alarme, providencie pronto atendimento para resolver o problema. Assim que for cessada a situação que necessitou do silêncio total do alarme sonoro, deve-se reativá-lo para segurança do paciente Mensagens de alerta Tabela 10 - Mensagens de Alerta Mensagem de Alerta ASSIST. TRIGGER DE FLUXO ASSIST. TRIGGER DE PRESSÃO ASSIST. TRIGGER MANUAL ESPONT. TRIGGER DE FLUXO ESPONT. TRIGGER DE PRESSÃO ESPONT. TRIGGER MANUAL Descrição Indica a ocorrência de um disparo assistido, gerado pelo aumento do fluxo inspiratório. Indica a ocorrência de um disparo assistido, gerado por uma queda de pressão. Indica a ocorrência de um disparo assistido, gerado manualmente pelo operador. Indica a ocorrência de um disparo espontâneo, gerado pelo aumento do fluxo inspiratório. Indica a ocorrência de um disparo espontâneo, gerado por uma queda de pressão. Indica a ocorrência de um disparo espontâneo, gerado manualmente pelo operador.

64 Configurando a Ventilação Compensação de tubo endotraqueal/traqueostomia (ATC) Disponível no menu CONFIG Compensação de volume do circuito respiratório Disponível no menu CONFIG Compensação de vazamento Disponível no menu CONFIG Ajuste dos modos ventilatórios Para alterar ou reconfigurar um modo ventilatório, basta tocar sobre o botão que indica o modo ativo, no canto superior direito da tela. Este botão mudará de cor e então, a tela de ajuste de modos ventilatórios estará disponível. Observações Os modos ventilatórios disponíveis serão determinados conforme o paciente selecionado. Para selecionar um modo ventilatório, basta tocar sobre a aba com a sigla do modo desejado. Na sequência, serão exibidos todos os parâmetros ajustáveis necessários para este modo ventilatório, inclusive os da ventilação de backup (quando houver essa opção). Após o ajuste dos parâmetros, para que estes sejam ativados, é necessário pressionar o botão CONFIRMAR. Para cancelar os ajustes realizados e permanecer com os ajustes anteriores, inclusive o modo ventilatório, basta pressionar o botão CANCELAR. Desta forma o ventilador ignorará os ajustes realizados nesta tela e retornará para à tela principal.

65 Modos ventilatórios VCV Ventilação de Volume Controlado Descrição: Neste modo o ventilador controla o fluxo e cicla a volume, ou seja, a cada ciclo inspiratório o ventilador entrega um volume exato ao paciente, desde que a pressão não seja limitada. A forma de onda do fluxo pode assumir, as formas quadrada, descendente, senoidal e ascendente. Observações Modo ventilatório indisponível para BabyMag 10. Parâmetros Ajustados: VOLUME; FREQUÊNCIA; FLUXO; PEEP; CONCENTRAÇÃO O 2 PRESSÃO LIMITE; PAUSA INSP (%); DISPARO POR PRESSÃO; DISPARO POR FLUXO; FORMA DE ONDA DO FLUXO; Modo ventilatório indisponível para pacientes NEONATOS. Figura 6 Curvas VCV Assim que todos os parâmetros de ventilação forem recebidos pelo ventilador, este calcula o T INS, T EXP, T PAUSA e Relação I:E, em função do Fluxo, Pausa, Onda e Frequência ajustados, obtendo desta maneira, todos os tempos de controle da ventilação.

66 58 1. Ventilação sem Pausa Inspiratória, após o T INS o ventilador cicla para a expiração. A pressão inspiratória atingida é consequência do volume entregue e da resistência e complacência do circuito respiratório do paciente. 2. Ventilação com Pausa Inspiratória, após a entrega do volume ajustado o ventilador mantém a expiração interrompida até completar T INS, após o qual o ventilador cicla para a expiração, a característica é a formação de platô de pressão (o desnível entre o pico e o platô depende da resistência das vias aéreas). 3. Se o disparo por pressão ou fluxo estiver ativado, então o ventilador procura sincronizar o início da próxima inspiração com o esforço do paciente, conforme os níveis estabelecidos. A informação de que tipo de disparo foi o que ativou o ciclo inspiratório é informado na área de status e mensagens. A detecção do esforço inspiratório do paciente, para sincronização ocorre em qualquer momento do tempo expiratório. Observações Se o paciente realizar esforços inspiratórios e as sensibilidades estiverem adequadamente ajustadas, o modo ventilatório passa a ser assistido-controlado. Nessa situação, a frequência respiratória monitorada pode ser significativamente maior que a ajustada. 4. Forma de onda ASCENDENTE (ou acelerada) de fluxo. 5. Forma de onda DESCENDENTE (ou desacelerada) de fluxo. 6. Forma de onda SENOIDAL de fluxo. 7. Representação da Limitação por Pressão. Nesta situação o ventilador limita a pressão no valor ajustado e como consequência de fatores como complacência pulmonar do paciente e limite de pressão imposto, o volume ajustado NÃO É ENTREGUE e esta condição é informada na área de alarmes da tela (mensagem PRESSÃO LIMITADA). Advertência Ao atingir o limite de pressão definido no ajuste de Pressão Máxima ( alarme PRESSÃO LIMITADA) o Volume Ajustado NÃO É ENTREGUE. Os valores default são somente referência inicial. Reajuste os parâmetros da ventilação conforme a necessidade do paciente.

67 59 PCV Ventilação de Pressão Controlada Descrição: Neste modo o ventilador controla a pressão e cicla a tempo, ou seja, a cada ciclo inspiratório o ventilador atinge a pressão ajustada e permanece neste patamar até que tenha decorrido o tempo inspiratório ajustado, o volume é consequência, portanto, da fisiologia do pulmão do paciente (complacência e resistência). Normalmente ao observar a curva de fluxo vê-se um pico de fluxo que vai decrescendo à medida que o tempo passa. Parâmetros Ajustados: PRESSÃO INSPIRATÓRIA; FREQUÊNCIA; TEMPO INSPIRATÓRIO; PEEP; CONCENTRAÇÃO O 2 TEMPO DE SUBIDA (RISE TIME); DISPARO POR PRESSÃO; DISPARO POR FLUXO; Observações Modo ventilatório indisponível para BabyMag 10. Modo ventilatório disponível para pacientes NEONATOS somente nos modelos FlexiMag Plus e BabyMag 15. Figura 7 Curvas PCV

68 60 Assim que todos os parâmetros de ventilação forem ajustados no ventilador, este calcula o período, T EXP e a Relação I:E em função de T INS e Frequência, obtendo desta maneira, todos os tempos de controle da ventilação. 1. Ventilação por Pressão Controlada - O ventilador procura atingir a pressão inspiratória ajustada no menor tempo possível, e isto é realizado controlando-se o fluxo inspiratório. 2. O Volume entregue ao paciente é consequência da resistência e complacência de seu circuito respiratório. O ventilador permanece no nível de pressão inspiratória ajustada durante T INS após o qual cicla para a expiração, mantendo a pressão de PEEP ajustada. 3. Se o disparo por pressão ou fluxo estiver ativado, então o ventilador procura sincronizar o início da próxima inspiração com o esforço do paciente, conforme os níveis estabelecidos. A informação de que tipo de disparo foi o que ativou o ciclo inspiratório é informado na área de status e mensagens da tela. A detecção do esforço inspiratório do paciente, para sincronização ocorre em qualquer momento do tempo expiratório. Observações Se o paciente realizar esforços inspiratórios e as sensibilidades estiverem adequadamente ajustadas, o modo ventilatório passa a ser assistido-controlado. Nessa situação, a frequência respiratória monitorada pode ser significativamente maior que a ajustada. 4. O tempo de subida da pressão pode ser ajustado por T SUBIDA (RISE TIME), o pico de fluxo inicial, em geral, é menor do que aquele em que o T SUBIDA = 0 (depende da resistência e complacência do circuito respiratório do paciente). Advertência Os valores default são somente referência inicial. Reajuste os parâmetros da ventilação conforme a necessidade do paciente.

69 61 PLV Ventilação de Pressão Limitada Descrição: Modo de fluxo contínuo, ciclado a tempo, limitado à pressão, ou seja, a cada ciclo inspiratório o ventilador atinge a pressão ajustada e permanece neste patamar até que tenha decorrido o tempo inspiratório ajustado, o volume é consequência, portanto, da fisiologia do pulmão do paciente (complacência e resistência). Normalmente ao observar a curva de fluxo vê-se um pico de fluxo que vai decrescendo à medida que o tempo passa. Parâmetros Ajustados: PRESSÃO INSPIRATÓRIA; FREQUÊNCIA; TEMPO INSPIRATÓRIO; PEEP; CONCENTRAÇÃO O 2 FLUXO ( ); DISPARO POR PRESSÃO; DISPARO POR FLUXO; Observações Modo ventilatório disponível somente para pacientes NEONATOS. Figura 8 Curvas PLV Assim que todos os parâmetros de ventilação forem ajustados no ventilador, este calcula T EXP em função de Frequência e o T INS, obtendo desta maneira, todos os tempos de controle da ventilação.

70 62 1. Ventilação por Pressão Limitada - O ventilador procura atingir a pressão inspiratória ajustada, e isto é realizado através da oclusão da válvula expiratória. É importante notar que o tempo de subida da pressão é dependente do fluxo contínuo ajustado. 2. O Volume entregue ao paciente é consequência da resistência e complacência de seu circuito respiratório. O ventilador permanece no nível de pressão inspiratória ajustada durante T INS após o qual cicla para a expiração, mantendo a pressão de PEEP ajustada. 3. Se o disparo por pressão ou fluxo estiver ativado, então o ventilador procura sincronizar o início da próxima inspiração com o esforço do paciente, conforme os níveis estabelecidos. A informação de que tipo de disparo foi o que ativou o ciclo inspiratório é informado na área de mensagem e status da tela. A detecção do esforço inspiratório do paciente, para sincronização, ocorre em qualquer momento durante o tempo expiratório. Observações Se o paciente realizar esforços inspiratórios e as sensibilidades estiverem adequadamente ajustadas, o modo ventilatório passa a ser assistido-controlado. Nessa situação, a frequência respiratória monitorada pode ser significativamente maior que a ajustada. Advertência Os valores default são somente referência inicial. Reajuste os parâmetros da ventilação conforme a necessidade do paciente.

71 63 PRVC Ventilação por Volume com Pressão Controlada Descrição: Neste modo o ventilador controla a pressão e cicla a tempo, ou seja, a cada ciclo inspiratório o ventilador atinge a pressão calculada e permanece neste patamar até que tenha decorrido o tempo inspiratório ajustado, o objetivo deste modo ventilatório é alcançar o volume ajustado. Essa pressão calculada depende da fisiologia do pulmão do paciente (complacência e resistência) e é calculada nos três ciclos em VCV realizados no início da ventilação deste modo ventilatório. Parâmetros Ajustados: VOLUME PRESSÃO LIMITE; FREQUÊNCIA; TEMPO INSPIRATÓRIO PEEP; CONCENTRAÇÃO O 2 TEMPO DE SUBIDA (RISE TIME); DISPARO POR PRESSÃO; DISPARO POR FLUXO; Observações Modo ventilatório indisponível para BabyMag 10. Modo ventilatório indisponível para pacientes NEONATOS. Figura 9 Curvas PRVC Assim que todos os parâmetros de ventilação forem ajustados no ventilador, este calcula o T EXP em função de Frequência e T INSP, obtendo desta maneira, todos os tempos de controle da ventilação.

72 64 1,2,3. Fase de avaliação da complacência do pulmão. Após obter o valor da complacência o ventilador automaticamente ajusta um valor de pressão para alcançar 60 % do volume ajustado, e então o ventilador ajusta a pressão automaticamente a cada três ciclos de PCV. 4,5. Início do controle automático da pressão para alcançar o volume definido. 6. Se a sensibilidade de pressão a sensibilidade de fluxo estiverem ativas, então o ventilador busca sincronizar o início do próximo inspiração ao esforço do paciente, de acordo sensibilidade configurada. A detecção da janela de esforço do paciente para a sincronização inicia-se no último quarto do período da ventilação controlada. 7. Volume atingido. Observações Se o paciente realizar esforços inspiratórios e as sensibilidades estiverem adequadamente ajustadas, o modo ventilatório passa a ser assistido-controlado. Nessa situação, a frequência respiratória monitorada pode ser significativamente maior que a ajustada. O controle automático de pressão ocorre com PEEP+5cmH 2 O e P Limite Advertência Ao atingir o limite de pressão definido no ajuste de Pressão Máxima ( alarme PRESSÃO LIMITADA) o Volume Ajustado NÃO É ENTREGUE. Os valores default são somente referência inicial. Reajuste os parâmetros da ventilação conforme a necessidade do paciente.

73 65 V-SIMV Ventilação Sincronizada Mandatória Intermitente - Ciclo Volume Controlado Descrição: Neste modo o paciente pode respirar espontaneamente entre os ciclos controlados, com ou sem auxílio da pressão de suporte. Os ciclos controlados são de VCV (Volume Controlado). Para se obter o IMV neste modo, basta desativar a pressão de suporte configurando a pressão de suporte igual à zero (ΔPS=0) ou as sensibilidades de fluxo e de pressão iguais a zero. Observações Modo ventilatório indisponível para BabyMag 10. Parâmetros Ajustados: VOLUME; FREQUÊNCIA; FLUXO; PEEP; CONCENTRAÇÃO O 2 FORMA DE ONDA DO FLUXO; PAUSA (%); DISPARO POR PRESSÃO; DISPARO POR FLUXO; ΔPS (Pressão de Suporte PEEP); TEMPO DE SUBIDA (RISE TIME); CICLAGEM POR FLUXO (% FLUXO); PRESSAO LIMITE; Modo ventilatório indisponível para pacientes NEONATOS. Figura 10 Curvas V-SIMV

74 66 Assim que todos os parâmetros de ventilação forem ajustados no ventilador, este calcula o T INSP e T EXP em função do Fluxo, Pausa, Onda e Frequência, obtendo desta maneira, todos os tempos de controle da ventilação. 1. Representa um ciclo de VCV (volume controlado) com pausa inspiratória; 2. Representa um ciclo de respiração espontânea do paciente SEM PRESSÃO DE SUPORTE; 3. Representa um ciclo de VCV (volume controlado) decorrido o Período do SIMV; 4. Representa ciclo de respiração espontânea do paciente COM PRESSÃO DE SUPORTE, cuja ciclagem ocorre por fluxo, quando este atinge um valor entre 25% e 75% do valor de pico lido. 5. A porcentagem do fluxo de pico no qual ocorre a ciclagem da fase inspiratória para a fase expiratória é programável. O tempo de subida (T SUBIDA ou RISE TIME) também se aplica à pressão de suporte (vide PCV). 6. Se o paciente realiza esforço inspiratório, ao final do período do SIMV (T SIMV ) há uma janela para o sincronismo do ciclo controlado de ventilação, que é aberto a partir de 0,75 x T SIMV, ou seja, no último quarto do Período do SIMV abre-se uma janela de sincronismo do ciclo mandatório de ventilação. A informação de que tipo de disparo foi o que ativou o ciclo inspiratório é informado na área de mensagem e status da tela. Observações A frequência respiratória monitorada pode se apresentar maior que a frequência respiratória ajustada, pois o paciente pode respirar espontaneamente durante os ciclos de ventilação mandatórios; Advertência A pressão de suporte ajustada (ΔPS) é um valor acima da PEEP. Portanto, a pressão inspiratória de suporte será a soma da PEEP com ΔPS. Os valores default são somente referência inicial. Reajuste os parâmetros da ventilação conforme a necessidade do paciente.

75 67 P-SIMV Ventilação Mandatória Sincronizada Intermitente - Ciclo de Pressão Controlada Descrição: Neste modo o paciente pode respirar espontaneamente entre os ciclos controlados, com ou sem auxílio da pressão de suporte. Os ciclos controlados serão de PCV (Pressão Controlada). Para se obter o IMV neste modo basta desativar a pressão de suporte configurando a pressão de suporte igual à zero (ΔPS=0) ou sensibilidade de fluxo e de pressão iguais a zero. Parâmetros Ajustados: PRESSÃO INSPIRATÓRIA; FREQUENCIA; TEMPO INSPIRATÓRIO; PEEP; CONCENTRAÇÃO O 2 TEMPO DE SUBIDA (RISE TIME); ΔPS (Pressão de Suporte PEEP); CICLAGEM POR FLUXO (% FLUXO); DISPARO POR PRESSÃO; DISPARO POR FLUXO; FLUXO ( - NEONATAL); Figura 11 Curvas P-SIMV

76 Assim que todos os parâmetros de ventilação forem ajustados no ventilador, este calcula o T EXP em função do TINS e Frequência, obtendo desta maneira, todos os tempos de controle da ventilação Representa um ciclo de PCV (pressão controlada) durante T INS 2. Representa um ciclo de respiração espontânea do paciente SEM PRESSÃO DE SUPORTE; 3. Representa um ciclo de PCV (pressão controlada) decorrido o Período do SIMV; 4. Representa ciclo de respiração espontânea do paciente COM PRESSÃO DE SUPORTE, cuja ciclagem ocorre por fluxo, quando este atinge um valor entre 25% e 75% do valor de pico lido. 5. A porcentagem do fluxo de pico no qual ocorre a ciclagem da fase inspiratória para a fase expiratória é programável. O tempo de subida (T SUBIDA ou RISE TIME) também se aplica à pressão de suporte (vide PCV). 6. Se o paciente realiza esforço inspiratório, ao final do período do SIMV (T SIMV ) há uma janela para o sincronismo do ciclo controlado de ventilação, que é aberto a partir de 0,75 x T SIMV, ou seja, no último quarto do Período do SIMV abre-se uma janela de sincronismo do ciclo mandatório de ventilação. A informação de que tipo de disparo foi o que ativou o ciclo inspiratório é informado na área de mensagem e status da tela. Observações A frequência respiratória monitorada pode se apresentar maior que a frequência respiratória ajustada, pois o paciente pode respirar espontaneamente durante os ciclos de ventilação mandatórios. Advertência A pressão de suporte ajustada (ΔPS) é um valor acima da PEEP. Portanto, a pressão inspiratória de suporte será a soma da PEEP com ΔPS. Os valores default são somente referência inicial. Reajuste os parâmetros da ventilação conforme a necessidade do paciente.

77 69 DualPAP Ventilação em Dois Níveis de Pressão Positiva Contínua Descrição: Neste modo o paciente respira espontaneamente sobre duas pressões positivas contínuas e pode ser auxiliado na respiração por uma Pressão de Suporte (ΔPS). Normalmente ao observar a curva de fluxo vê-se um pico de fluxo que vai decrescendo à medida que o tempo passa. A ciclagem ocorre por fluxo, ajustável entre 25% e 75% do pico de fluxo inspiratório medido. Dependendo dos ajustes realizados, pode-se obter o APRV Airway Pressure Release Ventilation Parâmetros Ajustados: P. SUPERIOR; T. SUPERIOR; P. INFERIOR; T. INFERIOR; CONCENTRAÇÃO O 2; ΔPS (Pressão de Suporte PEEP); PRESSÃO LIMITE CICLAGEM POR FLUXO (% FLUXO); DISPARO POR PRESSÃO; DISPARO POR FLUXO; TEMPO DE SUBIDA (RISE TIME) FLUXO( - NEONATAL); BACKUP: o o Back-Up VCV, VOLUME FREQUENCIA FLUXO PRESSÃO LIMITE Back-Up PCV, PRESSÃO INSP FREQUENC0IA TEMPO INSPIRATÓRIO TEMPO DE SUBIDA o o Back-Up PLV-NEONATAL PRESSÃO INSP FREQUENCIA TEMPO INSPIRATÓRIO FLUXO SEM Back-Up Figura 12 Curvas DualPAP

78 Assim que todos os parâmetros de ventilação forem ajustados no ventilador, o paciente respira espontaneamente determinando os tempos de controle da ventilação Representa um ciclo espontâneo sem pressão de suporte na P INFERIOR (Pressão Inferior Contínua nas Vias Aéreas); 2. Representa um ciclo de respiração com auxílio da Pressão de Suporte (acima da P INFERIOR ); 3 para 4. Representa uma transição sincronizada para a P SUPERIOR (Pressão Superior Contínua nas Vias Aéreas); 4. Durante a P SUPERIOR pode-se respirar espontaneamente, tanto com pressão de suporte como sem. 5. Representa uma transição da P SUPERIOR para a P INFERIOR sincronizada; As transições de níveis P INFERIOR P SUPERIOR ou P SUPERIOR P INFERIOR ocorrem no quarto final de T INFERIOR e T SUPERIOR respectivamente, através da sincronização com o esforço do paciente. A informação de que tipo de disparo foi o que ativou o ciclo inspiratório é informado na área de mensagens da tela. Observações A frequência respiratória monitorada é resultado da respiração espontânea do paciente As mudanças de níveis de pressão são sincronizadas. Advertência A pressão de suporte (ΔPS) é um valor acima da Pressão Superior ou da Pressão Inferior. Portanto, a pressão máxima de suporte será a soma da dessa pressão de referência com ΔPS. Os valores default são somente referência inicial. Reajuste os parâmetros da ventilação conforme a necessidade do paciente.

79 71 APRV Ventilação com pressão positiva contínua e alívio de pressão nas vias aéreas Descrição: Este modo permite ciclos espontâneos em 2 níveis de pressão basal e pode ser obtido através de ajustes adequados em modo DualPAP; De acordo com ajustes efetuados realiza-se um alívio de pressão nas vias aéreas obtendo-se o APRV Airway Pressure Release Ventilation Parâmetros Ajustados: P. SUPERIOR; T. SUPERIOR; P. INFERIOR; T. INFERIOR; CONCENTRAÇÃO O 2 ; ΔPS (Pressão de Suporte PEEP); PRESSÃO LIMITE; CICLAGEM POR FLUXO (% FLUXO); DISPARO POR PRESSÃO; DISPARO POR FLUXO; TEMPO DE SUBIDA (RISE TIME); FLUXO(NEONATAL); BACK-UP : o o Back-Up VCV, VOLUME FREQUENCIA FLUXO PRESSÃO LIMITE Back-Up PCV, PRESSÃO INSP FREQUENCIA TEMPO INSPIRATÓRIO TEMPO DE SUBIDA o o Back-Up PLV-NEONATAL PRESSÃO INSP FREQUENCIA TEMPO INSPIRATÓRIO FLUXO SEM Back-Up Figura 13 Curvas APRV

80 Assim que todos os parâmetros de ventilação forem ajustados no ventilador, o paciente respira espontaneamente determinando os tempos de controle da ventilação e 2. Representam ciclos espontâneos sem pressão de suporte na P SUPERIOR (Pressão Superior Contínua nas Vias Aéreas); 3. Representa a transição da P SUPERIOR para P INFERIOR (Pressão Inferior Contínua nas Vias Aéreas) de forma sincronizada; 3 para 4. Representa o tempo T INFERIOR no qual é realizado o alívio de pressão nas vias aéreas; 4. Representa a transição de P INFERIOR para P SUPERIOR de forma sincronizada. As transições de níveis P SUPERIOR P INFERIOR ou P INFERIOR P SUPERIOR ocorrem no quarto final de T SUPERIOR e T INFERIOR respectivamente através da sincronização com o esforço do paciente. A informação de que tipo de disparo foi o que ativou o ciclo inspiratório é informado na área de mensagem e status da tela. Observações A frequência respiratória monitorada é resultado da respiração espontânea do paciente As mudanças de níveis de pressão são sincronizadas. Advertência A pressão de suporte (ΔPS) é um valor acima da Pressão Superior ou da Pressão Inferior. Portanto, a pressão máxima de suporte será a soma da dessa pressão de referência com ΔPS. Os valores default são somente referência inicial. Reajuste os parâmetros da ventilação conforme a necessidade do paciente.

81 73 CPAP/PS - Ventilação Espontânea com Pressão de Suporte Descrição: Neste modo o paciente respira espontaneamente sobre uma pressão positiva contínua e é auxiliado na respiração por uma Pressão de Suporte (ΔPS). Normalmente ao observar a curva de fluxo vê-se um pico de fluxo que vai decrescendo à medida que o tempo passa. A ciclagem ocorre por fluxo, ajustável entre 25% e 75% do pico de fluxo inspiratório medido. O valor da Pressão de Suporte (ΔPS) não pode estar ajustado em 0 (ZERO) e ao menos um dos meios de disparo do ciclo (pressão ou fluxo) deve estar ativo. Caso contrário, será uma ventilação com CPAP puro. Parâmetros Ajustados: o o PEEP; CONCENTRAÇÃO O 2 ΔPS (Pressão de Suporte PEEP); CICLAGEM POR FLUXO (% FLUXO); TEMPO DE SUBIDA (RISE TIME) DISPARO POR PRESSÃO; DISPARO POR FLUXO; FLUXO (NEONATAL) BACK-UP : Back-Up VCV, VOLUME FREQUENCIA FLUXO PRESSÃO LIMITE Back-Up PCV, PRESSÃO INSP FREQUENCIA TEMPO INSPIRATÓRIO TEMPO DE SUBIDA o o Back-Up PLV-NEONATAL PRESSÃO INSP FREQUENCIA TEMPO INSPIRATÓRIO FLUXO SEM Back-Up Figura 14 Curvas CPAP/PS ( com ΔPS ) 1 e 2. Representam ciclos espontâneos com a pressão de suporte em ZERO.

82 74 3, 4 e 5. Representam ciclos de respiração espontânea do paciente com pressão de suporte diferente de zero. O T SUBIDA (Rise Time) da pressão de suporte pode ser ajustado para que o fluxo inicial seja suavizado. A ciclagem por fluxo pode ser ajustada para um valor entre 25% a 75% do fluxo de pico. 6. Se o paciente entrar em apneia, após T APNEIA (s) o ventilador apresentará esta condição através de alarme em sua área de mensagem e alarmes na tela e iniciará a ventilação de retaguarda ( back-up ) selecionada, conforme configurações e parâmetros programados. Advertência A pressão de suporte ajustada (ΔPS) é um valor acima da PEEP. Portanto, a pressão inspiratória de suporte será a soma da PEEP com ΔPS. O alarme de tempo de apneia pode ser desligado. Nessa condição, NUNCA SERÁ ATIVADA A VENTILAÇÃO DE BACKUP. Se a ventilação de backup for desligada, o operador deve estar certo de que esse ajuste é realmente necessário e ciente das implicações clínicas envolvidas. Os valores default são somente referência inicial. Reajuste os parâmetros da ventilação conforme a necessidade do paciente 1 e 2. Representam ciclos espontâneos. Figura 15 Curvas CPAP/PS Sem Backup 3. Se o paciente não respirar após o tempo para apneia, o ventilador apresenta esta condição no display e com um alarme audível.

TAKAOKA MONTEREY SMART

TAKAOKA MONTEREY SMART TAKAOKA MONTEREY SMART OPERAÇÃO NO RECÉM-NASCIDO O Monterey Smart é um respirador microprocessado desenvolvido para atender pacientes adultos, infantis e neonatais em terapia intensiva e transporte intra

Leia mais

Manual de Operação e Serviço

Manual de Operação e Serviço Manual de Operação e Serviço OXYMAG - VENTILADOR DE TRANSPORTE E EMERGÊNCIA Código: 1600185 Ver: 14 Software versão 1.n Copyright 2010 Magnamed Tecnologia Médica S/A Proibida a reprodução total ou parcial

Leia mais

CPAP/OS - ventilação com pressão contínua em vias aéreas / Ventilação com Pressão de Suporte.

CPAP/OS - ventilação com pressão contínua em vias aéreas / Ventilação com Pressão de Suporte. SERVOVENTILADOR COLOR MS: 10229820103 OCP: TÜV Rheinland... DESCRITIVO Servoventilador pulmonar microprocessado eletrônico para insuficiência respiratória de paciente adulto a neonatal em UTI. Reúne ventilação

Leia mais

Adenda ao Manual do Operador

Adenda ao Manual do Operador Opção NeoMode Introdução Esta adenda mostra como utilizar a opção de software NeoMode no Ventilador Puritan Bennett 840. Consulte o Manual de referência técnica e do operador do sistema do ventilador Puritan

Leia mais

mudanças em qualquer uma dos ajustes nas janelas do paciente ou do ventilador sejam implementadas.

mudanças em qualquer uma dos ajustes nas janelas do paciente ou do ventilador sejam implementadas. 1- DESCRIÇÃO O xlung é um simulador virtual da interação paciente-ventilador pulmonar que incorpora os principais recursos do suporte ventilatório a diferentes configurações de aspectos demográficos, de

Leia mais

Manual de instalação e operação

Manual de instalação e operação Manual de instalação e operação Central de alarme de incêndio endereçável INC 2000 Central de alarme de incêndio INC 2000 Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Engesul.

Leia mais

Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO VENTILADOR DENVER

Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO VENTILADOR DENVER Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO VENTILADOR DENVER Código do Equipamento: 201050034 Nº Registro MS: 10229820085 Manual Código: 204010145_005 Data: (SET/2006) Código do manual: 204010145_005 2 O presente

Leia mais

Divinolândia 19 de agosto de 2013

Divinolândia 19 de agosto de 2013 Divinolândia 19 de agosto de 2013 Prezados senhores interessados Esta comissão de Julgamento de Licitação do Conderg Hospital Regional de Divinolândia, esclarece através deste, alterações feita no Edital

Leia mais

Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO VENTILADOR DENVER

Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO VENTILADOR DENVER Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO VENTILADOR DENVER Código do Equipamento: 201050034 Nº Registro MS/ANVISA: 10229820085 Manual Código: 204010145_006 Data: (SET/2008) O presente manual de Operação contém

Leia mais

SOLUTION. Painel Convencional de Alarme de Incêndio. SOLUTION - Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio. Revisão 1.1 Maio de 2006

SOLUTION. Painel Convencional de Alarme de Incêndio. SOLUTION - Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio. Revisão 1.1 Maio de 2006 SOLUTION Painel Convencional de Alarme de Incêndio TABELA DE CONTEÚDO Capitulo 1: Descrição do Produto... 2 1.1: Características...2 1.2: Especificações...2 Capitulo 2: Lógica de Detecção e Alarme de Incêndios...

Leia mais

Manual de. Operação MANUAL DE OPERAÇÃO SERVOVENTILADOR CARMEL

Manual de. Operação MANUAL DE OPERAÇÃO SERVOVENTILADOR CARMEL Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO SERVOVENTILADOR CARMEL Código do Equipamento: 201050035 Nº. Registro MS: 10229820091 Manual Código: 204010259_002 Data: (JUL/2006) O presente manual de Operação contém

Leia mais

4 Confiabilidade Metrológica do Ventilador Pulmonar

4 Confiabilidade Metrológica do Ventilador Pulmonar 4 Confiabilidade Metrológica do Ventilador Pulmonar A metrologia avançou muito na área industrial e científica, mas, apesar de sua óbvia importância, sua aplicação ainda é incipiente na área da saúde.

Leia mais

Manual de Operação. Os nomes e logotipos Intermed e Inter são marcas registradas da Intermed Equipamento Médico Hospitalar Ltda.

Manual de Operação. Os nomes e logotipos Intermed e Inter são marcas registradas da Intermed Equipamento Médico Hospitalar Ltda. Os nomes e logotipos e Inter são marcas registradas da Equipamento Médico Hospitalar Ltda. São Paulo Brasil 2011 O ventilador deve ser manuseado e operado apenas por profissionais devidamente capacitados.

Leia mais

CERTIFICADO BPF NBR ISO 9001:2008 EN ISO 13485:2003 + AC 2009. VENTILADOR PULMONAR LEISTUNG LUFT2-g R 04-04 (50) REV. 01

CERTIFICADO BPF NBR ISO 9001:2008 EN ISO 13485:2003 + AC 2009. VENTILADOR PULMONAR LEISTUNG LUFT2-g R 04-04 (50) REV. 01 CERTIFICADO BPF NBR ISO 9001:2008 EN ISO 13485:2003 + AC 2009 VENTILADOR PULMONAR LEISTUNG LUFT2-g R 04-04 (50) REV. 01 - 2 de 79 - Fabricação, Distribuição e Assistência Técnica por: LEISTUNG EQUIPAMENTOS

Leia mais

Manual do usuário. Central de alarme de incêndio Slim

Manual do usuário. Central de alarme de incêndio Slim Manual do usuário Central de alarme de incêndio Slim Central de alarme de incêndio Slim Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Engesul. Este manual é válido apenas para

Leia mais

MODELO DE PROPOSTA DE PREÇOS. Atender normas vigentes da ABNT Fabricante Garantia Marca Procedência Registro ANVISA/MS

MODELO DE PROPOSTA DE PREÇOS. Atender normas vigentes da ABNT Fabricante Garantia Marca Procedência Registro ANVISA/MS ESTADO DO PARANÁ Secretaria de Estado da Administração e da Previdência - SEAP Departamento de Administração de Material - DEAM Sistema GMS - GESTÃO DE MATERIAIS E SERVIÇOS MODELO DE PROPOSTA DE PREÇOS

Leia mais

Ventiladores para adultos e pediátricos. Guia de configuração rápida. Português

Ventiladores para adultos e pediátricos. Guia de configuração rápida. Português Ventiladores para adultos e pediátricos Guia de configuração rápida Português Configuração Utilização não invasiva Cabo de alimentação CA Máscara Stellar 2 Tubos de ar 3 4 5 1 Umidificador aquecido H4i

Leia mais

ITEM QUANT. UNIDADE DESCRIÇÃO

ITEM QUANT. UNIDADE DESCRIÇÃO ANEXO I DO OJETO O objeto desta licitação é a Locação de Equipamentos Médicos, para utilização nos setores da UTI, Centro Cirúrgico e Berçário e outros que por ventura necessitarem dos referidos equipamentos,

Leia mais

Guia de Referência Rápida de Operação

Guia de Referência Rápida de Operação Guia de Referência Rápida de Operação Projetor Proinfo GIPM.04/2U Guia de Referência Rápida de Operação LS-5580 Projetor Proinfo 69.000.70207-1 Guia de Referência Rápida de Operação Projetor Proinfo 1-2

Leia mais

A empresa se reserva no direito de fazer alterações sem prévio aviso. Produto produzido por Eletroppar - CNPJ. 02.748.434/0001-08

A empresa se reserva no direito de fazer alterações sem prévio aviso. Produto produzido por Eletroppar - CNPJ. 02.748.434/0001-08 As imagens deste manual são meramente ilustrativas. A empresa se reserva no direito de fazer alterações sem prévio aviso. Produto produzido por Eletroppar - CNPJ. 02.748.434/0001-08 P27130 - Rev. 1 1 Índice

Leia mais

VENTILAÇÃO SERVO-s Simplicidade e Confiabilidade

VENTILAÇÃO SERVO-s Simplicidade e Confiabilidade VENTILAÇÃO SERVO-s Simplicidade e Confiabilidade The Gold Standard Critical Care SERVO-s 3 SERVO-s SIMPLESMENTE FAZ SENTIDO MAQUET THE GOLD STANDARD Líder em inovação: A MAQUET é um fornecedor internacional

Leia mais

1. StickerCenter... 3. 2. Menu Broadcast Stickers... 4. 3. Menu MyStickers... 9

1. StickerCenter... 3. 2. Menu Broadcast Stickers... 4. 3. Menu MyStickers... 9 1. StickerCenter... 3 1.1. O que é?... 3 1.2. O que são Stickers?... 3 1.3. Como acessar o StickerCenter?... 3 1.4. Como atualizar o StickerCenter?... 3 2. Menu Broadcast Stickers... 4 2.1. O que é?...

Leia mais

RESPOSTA A PEDIDO DE ESCLARECIMENTO PROCESSO ADMINISTRATIVO DE COMPRAS N 009/2015 EMPRESA SOLICITANTE: EQUIPAMED EQUIPAMENTOS MÉDICOS LTDA.

RESPOSTA A PEDIDO DE ESCLARECIMENTO PROCESSO ADMINISTRATIVO DE COMPRAS N 009/2015 EMPRESA SOLICITANTE: EQUIPAMED EQUIPAMENTOS MÉDICOS LTDA. RESPOSTA A PEDIDO DE ESCLARECIMENTO PROCESSO ADMINISTRATIVO DE COMPRAS N 009/2015 PREGÃO ELETRÔNICO N 003/2015 OBJETO: LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTO MÉDICO EMPRESA SOLICITANTE: EQUIPAMED EQUIPAMENTOS MÉDICOS

Leia mais

Manual do usuário Vídeo Porteiro Sem Fio VPV-800

Manual do usuário Vídeo Porteiro Sem Fio VPV-800 Manual do usuário Vídeo Porteiro Sem Fio VPV-800 Atenção: Antes de operar o equipamento, leia o manual do usuário, qualquer dano causado decorrente de utilização errônea do mesmo implicará na perda imediata

Leia mais

Manual do Usuário. TVA Digital

Manual do Usuário. TVA Digital Manual do Usuário TVA Digital AF_Manual_TV_SD_8.indd 1 AF_Manual_TV_SD_8.indd 2 Parabéns por escolher a TVA Digital! Além de optar por uma excelente programação, você terá uma série de recursos e interatividade.

Leia mais

Manual de Operação REV 2.2 MMD1 Virtual Sistema Inteligente (VSI) VERSÃO 2.7 OPERAÇÃO

Manual de Operação REV 2.2 MMD1 Virtual Sistema Inteligente (VSI) VERSÃO 2.7 OPERAÇÃO Manual de Operação REV 2.2 MMD1 Virtual Sistema Inteligente (VSI) VERSÃO 2.7 OPERAÇÃO Parabéns! Você acaba de adquirir um produto de alta confiabilidade, projetado e construído dentro dos mais rígidos

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO TERMÔMETRO DIGITAL MODELO TD-890

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO TERMÔMETRO DIGITAL MODELO TD-890 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO TERMÔMETRO DIGITAL MODELO TD-890 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... - 1-2. REGRAS DE SEGURANÇA...

Leia mais

Decibelímetro Modelo SL130

Decibelímetro Modelo SL130 Manual do Usuário Decibelímetro Modelo SL130 Introdução Parabéns pela sua compra do Decibelímetro SL130 Extech. Desenhado para montagem em parede, mesa, ou montagem em tripé, este medidor está de acordo

Leia mais

BABÁ ELETRÔNICA MANUAL DE INSTRUÇÕES MONITOR DE ÁUDIO DIGITAL FPV - 700 IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA

BABÁ ELETRÔNICA MANUAL DE INSTRUÇÕES MONITOR DE ÁUDIO DIGITAL FPV - 700 IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA FPV - 700 BABÁ ELETRÔNICA MANUAL DE INSTRUÇÕES IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA MONITOR DE ÁUDIO DIGITAL ÍNDICE VISÃO GERAL DO EQUIPAMENTO... 04 PREPARANDO SUA BABÁ ELETRÔNICA... 05 CARREGANDO A BATERIA DO

Leia mais

Manual; Módulo de Alarme com Sirene Piezo Elétrica Dedicada; Dois Transmissores com Bateria; Chicote de Potência.

Manual; Módulo de Alarme com Sirene Piezo Elétrica Dedicada; Dois Transmissores com Bateria; Chicote de Potência. COMPOSIÇÃO DO SISTEMA DE ALARME Manual; Módulo de Alarme com Sirene Piezo Elétrica Dedicada; Dois Transmissores com Bateria; Chicote de Potência. INFORMAÇÕES AO PROPRIETÁRIO 1. OPERAÇÕES BÁSICAS DO ALARME

Leia mais

Controles e funções. Painel frontal. Painel traseiro. Capítulo 2 >> Controles e funções. Botão OK Confirma a seleção.

Controles e funções. Painel frontal. Painel traseiro. Capítulo 2 >> Controles e funções. Botão OK Confirma a seleção. HDPV-C20CV Capítulo 2 >> Controles e funções Controles e funções Painel frontal 1 2 1 2 3 3 4 5 Botão Power ( ) Liga/desliga seu receptor. Botão MENU Exibe o menu. Sai do menu atual ou vai para o menu

Leia mais

Guia do Usuário. Modelo 380260 Testador de Isolamento / Megômetro

Guia do Usuário. Modelo 380260 Testador de Isolamento / Megômetro Guia do Usuário Modelo 380260 Testador de Isolamento / Megômetro Introdução Parabéns pela sua compra do Testador de Isolamento/Megômetro da Extech. O Modelo 380260 fornece três faixas de teste mais continuidade

Leia mais

TECNOLOGIA EM SEGURANÇA SOLUÇÕES EM ELETRÔNICA

TECNOLOGIA EM SEGURANÇA SOLUÇÕES EM ELETRÔNICA TECNOLOGIA EM SEGURANÇA SOLUÇÕES EM ELETRÔNICA 3. CARACTERÍSTICAS 3.1 Central de alarme microprocessada com 4 setores expansível para 8 ou 12 setores; 3.2 Acompanha dois transmissores (mod. TSN); 3.3 Acionamento

Leia mais

Ventilador. Alta performance em ventilação mecânica

Ventilador. Alta performance em ventilação mecânica Ventilador Alta performance em ventilação mecânica Design moderno, leveza e praticidade Massimus possui autonomia de bateria de até 12 horas e independência de rede de gases para seu funcionamento, tornando

Leia mais

P á g i n a 2. Avisos Importantes

P á g i n a 2. Avisos Importantes P á g i n a 1 P á g i n a 2 Avisos Importantes Todas as instruções contidas neste manual devem ser seguidas, caso contrário o produto perderá a garantia. Faça primeiro as conexões dos cabos de alimentação

Leia mais

Manual do Usuário. Telefone Sem Fio LS3 MANUAL DO USUÁRIO

Manual do Usuário. Telefone Sem Fio LS3 MANUAL DO USUÁRIO Telefone Sem Fio LS3 MANUAL DO USUÁRIO Introdução 3 1. Indicações de segurança 4 2 Instrução ao teclado e aos ícones 6 2.1 Teclado 6 2.2 Ícones 7 3 Instalação 7 3.1 Instalação do sim card 7 3.2 Carregando

Leia mais

Como você é beneficiado: Ventilação de qualidade Versatilidade da aplicação Facilidade de uso Operação silenciosa. CHEST / Dezembro de 2005

Como você é beneficiado: Ventilação de qualidade Versatilidade da aplicação Facilidade de uso Operação silenciosa. CHEST / Dezembro de 2005 O novo ventilador semi-intensivo Carina Cuidado semi-intensivo é um serviço de tratamento médico em rápido crescimento para pacientes que precisam de procedimentos diagnósticos e invasivos, mas não procedimentos

Leia mais

3 Ventilador Pulmonar

3 Ventilador Pulmonar 3 Ventilador Pulmonar Neste capítulo são descritos fundamentos teóricos que ajudam a melhor entender o funcionamento dos ventiladores pulmonares (VP), também chamados de ventiladores mecânicos. Discute-se

Leia mais

Manual de Operação. Ventilador Pulmonar Neonatal

Manual de Operação. Ventilador Pulmonar Neonatal Manual de Operação Ventilador Pulmonar Neonatal Os nomes e logotipos Intermed e inter são marcas registradas da Intermed Equipamento Médico Hospitalar Ltda. São Paulo - Brasil - 2002 MOP 806.00257 Manual

Leia mais

Guia do Usuário. Higrotermômetro e Registrador de Dados. Modelo 42280

Guia do Usuário. Higrotermômetro e Registrador de Dados. Modelo 42280 Guia do Usuário Higrotermômetro e Registrador de Dados Modelo 42280 Introdução Parabéns pela sua compra do Registrador de dados de Temperatura e Umidade Relativa Extech 42280. O 42280 é um monitor da qualidade

Leia mais

VS III. Ventilador a volume e pressão Para uso invasivo e não-invasivo

VS III. Ventilador a volume e pressão Para uso invasivo e não-invasivo VS III Ventilador a volume e pressão Para uso invasivo e não-invasivo Sua solução de ventilação versátil, eficiente e fácil de usar, do hospital para a residência DESTAQUES DA TECNOLOGIA Desempenho avançado

Leia mais

inter 5 Manual de Operação Respirador Neonatal, Pediátrico e Adulto

inter 5 Manual de Operação Respirador Neonatal, Pediátrico e Adulto Manual de Operação inter 5 Respirador Neonatal, Pediátrico e Adulto Os nomes e logotipos Intermed e inter são marcas registradas da Intermed Equipamento Médico Hospitalar Ltda. São Paulo - Brasil - 2002

Leia mais

1.3 Conectando a rede de alimentação das válvulas solenóides

1.3 Conectando a rede de alimentação das válvulas solenóides 1.3 Conectando a rede de alimentação das válvulas solenóides CONTROLE DE FLUSHING AUTOMÁTICO LCF 12 Modo Periódico e Horário www.lubing.com.br (19) 3583-6929 DESCALVADO SP 1. Instalação O equipamento deve

Leia mais

Relógio Pontto MD40 LCD

Relógio Pontto MD40 LCD Relógio Pontto MD40 LCD Manual de Instruções Relógio Pontto - MP04102-01 Rev 05 17/05/2011 PG - 1 - Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 APRESENTAÇÃO... 4 2.1 APARÊNCIA EXTERNA...4 2.2 INFORMAÇÕES APRESENTADAS NO

Leia mais

Manual de. Operação MANUAL DE OPERAÇÃO SERVOVENTILADOR SMART

Manual de. Operação MANUAL DE OPERAÇÃO SERVOVENTILADOR SMART Manual de Operação MANUAL DE OPERAÇÃO SERVOVENTILADOR SMART Código do Equipamento: 201050037 Nº Registro MS: 10229820088 Manual Código: 204010210_004 Data: (MAR/2007) Código do manual: 204010210_003 2

Leia mais

3.1.2 CONTROLE REMOTO * Alimentação: 12V - 1 pilha A23. * Alcance: 15 metros sem obstáculos.

3.1.2 CONTROLE REMOTO * Alimentação: 12V - 1 pilha A23. * Alcance: 15 metros sem obstáculos. 1. CARACTERÍSTICAS CONTROLADOR DE TEMPERATURA PARA AQUECIMENTO SOLAR E AUTOMAÇÃO DE PISCINA MTZ621R - 90~240VCA - P551 MANUAL DE INSTRUÇÕES VERSÃO 1.2 - JAN/2014 2.2 CONTROLE REMOTO 3.3 SENSOR DE TEMPERATURA

Leia mais

VS III Manual do Paciente

VS III Manual do Paciente VS III Manual do Paciente Português Soluções em Cuidados Respiratórios Tornando a qualidade de cuidados fácil Soluções em Cuidados Respiratórios Tornando a qualidade de cuidados fácil Sumário 1 Introdução........................................

Leia mais

Controle de acesso FINGER

Controle de acesso FINGER Controle de acesso FINGER MANUAL DE INSTRUÇÕES Sobre esse Guia Esse guia fornece somente instruções de instalação. Para obter informações sobre instruções de uso, favor ler o Manual do usuário.. ÍNDICE

Leia mais

Registrador de dados G-Force com 3 eixos

Registrador de dados G-Force com 3 eixos Manual do Usuário Registrador de dados G-Force com 3 eixos Modelo VB300 Introdução Parabenizamos-lhe pela aquisição do registrador de dados G-Force VB300. O modelo VB300 consegue medir e gravar leituras

Leia mais

Manual de início rápido

Manual de início rápido Manual de início rápido VDV Commander TM VDV501-097 PORTUGUÊS Testa cabos Mede comprimento de cabos com TDR Detecta falhas Detecta e mede PoE Localiza e identifica cabos Testa rede ativa Salva e imprime

Leia mais

Visão geral do painel de controle

Visão geral do painel de controle Visão geral do painel de controle DCP-8112DN, DCP-8152DN e DCP-8157DN possuem as mesmas teclas. A ilustração é baseada no DCP-8157DN. 1 2 3 4 Contraste:- + Qualid. :Auto Ampl/Red :100% Bandeja :MU>B1 Sleep

Leia mais

Características. São Paulo: (11) 4063-5544 Campinas: (19) 4062-9211 Campo Grande: (67) 4062-7122 Cuiabá: (65) 4052-9722. MPEBrasil

Características. São Paulo: (11) 4063-5544 Campinas: (19) 4062-9211 Campo Grande: (67) 4062-7122 Cuiabá: (65) 4052-9722. MPEBrasil Características - Único com este conceito no mercado e com preços atraentes; Iluminação frontal, com chave liga/desliga, em quatro opções de cores (azul, verde, vermelho e amarelo); - Possui sistema de

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO DECIBELÍMETRO MODELO DL-4100

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO DECIBELÍMETRO MODELO DL-4100 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO DECIBELÍMETRO MODELO DL-4100 revisão novembro de 2008 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...1 2. REGRAS

Leia mais

BLOCKGAS. Sistema de Monitoração e Alarme de vazamento de gás SB330. Este módulo é parte integrante do sistema de detecção de gás SB330.

BLOCKGAS. Sistema de Monitoração e Alarme de vazamento de gás SB330. Este módulo é parte integrante do sistema de detecção de gás SB330. Este módulo é parte integrante do sistema de detecção de gás. É composto por um circuito inteligente (microcontrolado) que recebe o sinal gerado por um sensor eletrônico de gás, processa sua calibração

Leia mais

Manual de Instalação e Operação

Manual de Instalação e Operação Manual de Instalação e Operação ATCP Engenharia Física Rua Lêda Vassimon, n 735-A - Ribeirão Preto - SP / Brasil CEP 14026-567 Telefone: +55 (16) 3289-9481 www.atcp.com.br Manual de Instalação e Operação

Leia mais

CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E

CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E SIGMA Sistema Integrado de Combate a Incêndio CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E CABO BLINDADO (SHIELD) 4 VIAS 2X2,50 MM + 2X0,75 MM IHM Possibilidade de até 95 loops. LOOP LOOP LOOP CABO

Leia mais

HUMITECH 1. DESCRIÇÃO

HUMITECH 1. DESCRIÇÃO PARA RESFRIAMENTO EVAPORATIVO TEMPER UMIDADE 1. DESCRIÇÃO Controlador microprocessado de alta performance, o Humitech aplica-se em conjunto a sistemas de resfriamento evaporativo para conforto térmico

Leia mais

Ventiladores para adultos e pediátricos. Guia de preparação rápida. Português

Ventiladores para adultos e pediátricos. Guia de preparação rápida. Português Ventiladores para adultos e pediátricos Guia de preparação rápida Português Configuração Utilização não invasiva Cabo eléctrico CA Máscara Stellar 2 Tubagem de ar 3 4 5 1 Cabo eléctrico CA Clipe de fixação

Leia mais

Atenda às necessidades em constante mudança dos seus pacientes. Trilogy100, tecnologia avançada de ventilação

Atenda às necessidades em constante mudança dos seus pacientes. Trilogy100, tecnologia avançada de ventilação Atenda às necessidades em constante mudança dos seus pacientes. Trilogy100, tecnologia avançada de ventilação Trilogy100, características exclusivas para pacientes exclusivos Trilogy100, um versátil ventilador

Leia mais

400W. Guia de instalação. Por favor, leia esta guia antes de utilizar o produto. 1 Desembale o projetor. Controle remoto e pilhas Cabo de computador

400W. Guia de instalação. Por favor, leia esta guia antes de utilizar o produto. 1 Desembale o projetor. Controle remoto e pilhas Cabo de computador PowerLite 400W Guia de instalação Por favor, leia esta guia antes de utilizar o produto. 1 Desembale o projetor O seu projetor vem acompanhado destes itens: Projetor e tampa da lente Cabo de eletricidade

Leia mais

Manômetros de Pressão Diferencial

Manômetros de Pressão Diferencial GUIA DO USUÁRIO Manômetros de Pressão Diferencial Modelo PS101, PS106 e PS115 Introdução Parabéns pela compra do Manômetro de Pressão Diferencial Extech SO Série 100. Estes manômetros medem a pressão aferida

Leia mais

Sistema irá modular até 32 câmeras: Você pode conectar de 1 até 32 câmeras.

Sistema irá modular até 32 câmeras: Você pode conectar de 1 até 32 câmeras. MANUAL DO SISTEMA Introdução Apresentação Requisitos mínimos Instalação do programa Acessando o Secullum DVR Tela Principal Indicador de espaço em disco Disposição de telas Status de Gravação Usuário atual

Leia mais

Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto Estado de São Paulo Secretaria da Administração. Edital de Retificação e Prorrogação

Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto Estado de São Paulo Secretaria da Administração. Edital de Retificação e Prorrogação Edital de Retificação e Prorrogação Pregão Eletrônico nº 021/2013 Processo nº 118/2013 Objeto: Registro de preços para aquisição de equipamentos hospitalares conforme descrito no Edital e seus anexos,

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Temporizador Automático / Relógio Programador de Horário Para Acionamento Automático de Sirenes e Outros Equipamentos Código: AFKITPROG 2 O REGISTRADOR ELETRÔNICO DE PONTO REP O Relógio Acionador Automático

Leia mais

Introdução. Nokia N73-5. 9252572, Edição 2 PT-BR

Introdução. Nokia N73-5. 9252572, Edição 2 PT-BR Introdução Nokia N73-5 9252572, Edição 2 PT-BR Teclas e partes (frente e lateral) Número do modelo: Nokia N73-5. No presente denominado Nokia N73. 1 Sensor de luz 1 2 2 Câmera secundária de baixa resolução

Leia mais

Dock Station para ipad, iphone, ipod

Dock Station para ipad, iphone, ipod Dock Station para ipad, iphone, ipod MODELO Nº HF-IPS-250ET (ipad não incluso) - MANUAL DO PROPRIETÁRIO - INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA IMPORTANTES Quando usado da maneira indicada, esta unidade foi projetada

Leia mais

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 (opcional);

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 (opcional); Características Fabricada em aço-carbono, com pintura em epóxi preto; Tratamento anticorrosivo; Acabamento em aço inox; Fechadura para acesso aos componentes eletrônicos; Iluminação frontal, com chave

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MEDIDOR DE OXIGÊNIO DISSOLVIDO MODELO OD-4000

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MEDIDOR DE OXIGÊNIO DISSOLVIDO MODELO OD-4000 MANUAL DE INSTRUÇÕES DO MEDIDOR DE OXIGÊNIO DISSOLVIDO MODELO OD-4000 Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o uso do instrumento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... - 1-2. ESPECIFICAÇÕES...

Leia mais

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº. 018 / 772836-2012 / 2014

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº. 018 / 772836-2012 / 2014 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº. 018 / 772836-2012 / 2014 A Associação de Combate ao Câncer do Brasil Central, entidade privada sem fins lucrativos da área da saúde, inscrita no CNPJ/MF sob o nº. 25.438.409/0001-15,

Leia mais

Módulo de Acesso com Teclado 1. Manual do Usuário. Apresentação Instalação Codificação dos Receptores Programações Operações

Módulo de Acesso com Teclado 1. Manual do Usuário. Apresentação Instalação Codificação dos Receptores Programações Operações Módulo de Acesso com Teclado 1 Manual do Usuário Apresentação Instalação Codificação dos Receptores Programações Operações 2 Manual do Usuário Módulo de Acesso com Teclado 3 ÍNDICE CAPÍTULO I - APRESENTAÇÃO...07

Leia mais

Controlador de Garra Pneumática MTS Fundamental

Controlador de Garra Pneumática MTS Fundamental Controlador de Garra Pneumática MTS Fundamental Manual Title Manual Additional do Information Produto be certain. 100-238-337 A Informações sobre Direitos Autorais Informações sobre Marca Registrada 2011

Leia mais

LINEAR-HCS RUA SÃO JORGE, 269 - TELEFONE: 2823-8800 SÃO CAETANO DO SUL - SP - CEP: 09530-250 Atualizado em 13/11/06

LINEAR-HCS RUA SÃO JORGE, 269 - TELEFONE: 2823-8800 SÃO CAETANO DO SUL - SP - CEP: 09530-250 Atualizado em 13/11/06 LINEAR-HCS RUA SÃO JORGE, 269 - TELEFONE: 2823-8800 SÃO CAETANO DO SUL - SP - CEP: 09530-250 Atualizado em 13/11/06 MANUAL DE PROGRAMAÇÃO DO MÓDULO GUARITA HCS 2005 - Versão 4.04 Bem vindo ao guia rápido

Leia mais

IMAGE MIRAGE IMAGE. porta retrato digital manual do usuário

IMAGE MIRAGE IMAGE. porta retrato digital manual do usuário MIRAGE IMAGE porta retrato digital manual do usuário Índice IMAGE 1. Introdução 2 2. Precauções importantes de segurança 3 3. Visão Geral do Aparelho 5 4. Opção de Cartão de Memória 7 5. Reproduzir Arquivo

Leia mais

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais opcional);

Duas capacidades de armazenamento de digitais. Opção para 1.900 digitais (padrão) ou 9.500 digitais opcional); Características Possui estrutura com design moderno e LEDs que indicam a confirmação de registros; Exclusivo sistema de hibernação quando o equipamento encontra-se sem energia vinda da rede elétrica, o

Leia mais

Soluções Globais em Sistemas de Pesagem. Indicador de pesagem WT1000-LED. Manual Técnico. Versão A12-03

Soluções Globais em Sistemas de Pesagem. Indicador de pesagem WT1000-LED. Manual Técnico. Versão A12-03 Soluções Globais em Sistemas de Pesagem Indicador de pesagem WT1000-LED Manual Técnico Versão A12-03 Obrigado por escolher a WEIGHTECH! Agora, além de adquirir um equipamento de excelente qualidade, você

Leia mais

Bem-vindo ao melhor do entretenimento.

Bem-vindo ao melhor do entretenimento. Manual do usuário Bem-vindo ao melhor do entretenimento. Agora, com a Vivo TV, você tem alta qualidade de som e imagem para assistir a uma programação completa com canais infantis, seriados, programas

Leia mais

Manual do Usuário SPI- 720 SPI- 720 Sistema de som sem fio para Iphone/Ipod ou computador

Manual do Usuário SPI- 720 SPI- 720 Sistema de som sem fio para Iphone/Ipod ou computador SPI- 720 Sistema de som sem fio para Iphone/Ipod ou computador Ler este manual completamente antes de utilizar o produto e guardá- lo para futuras referências. 1. Características do Produto O SPI- 720

Leia mais

VENTILADOR DX 3012. Manual de Operação. Fabricante: TECME S.A. Distribuidor: DIXTAL BIOMÉDICA

VENTILADOR DX 3012. Manual de Operação. Fabricante: TECME S.A. Distribuidor: DIXTAL BIOMÉDICA VENTILADOR DX 3012 Manual de Operação Fabricante: TECME S.A. Distribuidor: DIXTAL BIOMÉDICA SOBRE ESTE MANUAL Símbolos ou definições usados neste manual AVISO: Os avisos informam sobre como evitar lesões

Leia mais

BV-4000X. Manual Simplificado

BV-4000X. Manual Simplificado BV-4000X Manual Simplificado Este Manual Simplificado têm o intuito de expor as principais funções de seu Planet tab BV-4000X. Pode ser encontrado na memória interna de seu Planet tab ou no site da Bravva,

Leia mais

Como Iniciar. Nokia N76

Como Iniciar. Nokia N76 Como Iniciar Nokia N76 Nokia N76 Introdução Teclas e componentes (frente e parte interna) Neste manual denominado Nokia N76. 1 Tecla externa direita 2 Tecla central 3 Tecla externa esquerda 4 Câmera secundária

Leia mais

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda.

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. Manual do equipamento Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. +55 41 3661-0100 Rua Rio Piquiri, 400 - Jardim Weissópolis - Pinhais/PR - Brasil CEP: 83322-010 CNPJ: 01.245.055/0001-24 Inscrição

Leia mais

*Only illustrative image. Imagen meramente ilustrativa. Imagem meramente ilustrativa. INSTRUCTIONS MANUAL

*Only illustrative image. Imagen meramente ilustrativa. Imagem meramente ilustrativa. INSTRUCTIONS MANUAL DIGITAL THERMOMETER Termómetro Digital Termômetro Digital MT-450 / MT-455 *Only illustrative image. Imagen meramente ilustrativa. Imagem meramente ilustrativa. INSTRUCTIONS MANUAL Manual de Instrucciones

Leia mais

Linha de Módulos de Comando

Linha de Módulos de Comando RKM SISTEMAS DE AUTOMAÇÃO E CONTROLE LTDA. Rua Catão Coelho, 215 PORTO ALEGRE RS Fone: (51) 3029-3250 www.rkmautomacao.com.br Linha de Módulos de Comando RKM Aurora MANUAL DE CONFIGURAÇÃO Rev. 1.0 Abril

Leia mais

Índice. 1. Características técnicas

Índice. 1. Características técnicas Termo de garantia A ELETROPPAR - Indústria Eletrônica Ltda., localizada na rua Carlos Ferrari nº 2651, Distrito Industrial, Garça/SP, CEP 17400-000, CNPJ 02.748.434/0001-08, IE 315.026.341.111 garante

Leia mais

Global Security Network GSN Brasil. 1

Global Security Network GSN Brasil. 1 Global Security Network GSN Brasil. 1 Operação Básica O teclado Spectra 1689 e o Teclado 1641 (cristal liquido) funcionam da mesma maneira, Mas não oferecem a mesma visualização. Nesta seção veremos suas

Leia mais

Não utilize o sistema se algum dos acessórios estiver rasgado, quebrado ou torcido ou se o gabinete do dispositivo ApneaLink Air estiver quebrado.

Não utilize o sistema se algum dos acessórios estiver rasgado, quebrado ou torcido ou se o gabinete do dispositivo ApneaLink Air estiver quebrado. Instruções para o paciente Português Introdução ApneaLinkAir ApneaLink Plus Você recebeu do seu médico ou prestador de cuidados médicos um dispositivo ApneaLink Air para avaliar se tem distúrbios respiratórios

Leia mais

LS-3 Plus. Centrífuga Manual de Operação. CELM Companhia Equipadora de Laboratórios Modernos

LS-3 Plus. Centrífuga Manual de Operação. CELM Companhia Equipadora de Laboratórios Modernos LS-3 Plus Centrífuga Manual de Operação Marca de Fabricação: CELM Produto Brasileiro CELM Companhia Equipadora de Laboratórios Modernos AV. Guido Aliberti, 5129-Bairro Mauá -São Caetano do Sul - SP CEP:

Leia mais

Medidor Magnético AC/DC Modelo SDL900 GUIA DO USUÁRIO

Medidor Magnético AC/DC Modelo SDL900 GUIA DO USUÁRIO Medidor Magnético AC/DC Modelo SDL900 GUIA DO USUÁRIO Introdução Obrigado por escolher o Modelo SDL900 da Extech Instruments. Esse medidor é fornecido totalmente testado e calibrado e, com o uso adequado,

Leia mais

Guia do Usuário para Kit Veicular Sem Fio (CK-1W)

Guia do Usuário para Kit Veicular Sem Fio (CK-1W) Guia do Usuário para Kit Veicular Sem Fio (CK-1W) 9230404 Edição 2 INFORMAÇÕES LEGAIS Copyright 2004 Nokia. Todos os direitos reservados. É proibido reproduzir, transferir, distribuir ou armazenar parte

Leia mais

A L A R M E S P A R A S U A S E G U R A N Ç A MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO CENTRAL DE ALARME PARTICIONADA AP2/AP2D

A L A R M E S P A R A S U A S E G U R A N Ç A MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO CENTRAL DE ALARME PARTICIONADA AP2/AP2D COMPATEC A L A R M E S P A R A S U A S E G U R A N Ç A MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO CENTRAL DE ALARME PARTICIONADA AP2/AP2D ÍNDICE Apresentação...3 Conheçendo a central...3 Características Gerais...4

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...9

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...9 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas...9 2 APRESENTAÇÃO: O SS100 Moto é um rastreador exclusivo para Motos desenvolvido com os mais rígidos

Leia mais

LINHA DE ALARMES. MANUAL DE INSTALAÇÃO E USO Alarme Microcontrolado. Olimpus AUTOMOTIVE

LINHA DE ALARMES. MANUAL DE INSTALAÇÃO E USO Alarme Microcontrolado. Olimpus AUTOMOTIVE LINHA DE ALARMES MANUAL DE INSTALAÇÃO E USO Alarme Microcontrolado Olimpus AUTOMOTIVE 1 2 Índice 1. Funcionamento...03 1.1 Controle remoto e guia rápido 1.2 Ciclo de disparo do alarme Padlock. 1.3 Função

Leia mais

Instruções do Reanimador Manual de Silicone MD

Instruções do Reanimador Manual de Silicone MD REANIMADOR MANUAL DE SILICONE MD Balão de Silicone Autoclavável Adulto Balão de Silicone Autoclavável Pediátrico Balão de Silicone Autoclavável Neonatal Obrigado por investir no Reanimador Manual de Silicone

Leia mais

Seu manual do usuário HP SCANJET 4370 PHOTO SCANNER http://pt.yourpdfguides.com/dref/921250

Seu manual do usuário HP SCANJET 4370 PHOTO SCANNER http://pt.yourpdfguides.com/dref/921250 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para HP SCANJET 4370 PHOTO SCANNER. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre

Leia mais

UMIDIFICADOR FISHER & PAYKEL MR850

UMIDIFICADOR FISHER & PAYKEL MR850 UMIDIFICADOR FISHER & PAYKEL MR850 O umidificador F&P servo controlado modelo MR850 é utilizado para uso em unidades de tratamento intensivo adulto, pediatrico e neonatal sendo utilizado para umidificar

Leia mais

Instalando e configurando appliances de análise Rialto

Instalando e configurando appliances de análise Rialto Instalando e configurando appliances de análise Rialto Informações de segurança importantes Este manual fornece informações de instalação e operação, bem como precauções para o uso desta câmera. A instalação

Leia mais

Seu manual do usuário HP SCANJET 3800 PHOTO SCANNER http://pt.yourpdfguides.com/dref/921220

Seu manual do usuário HP SCANJET 3800 PHOTO SCANNER http://pt.yourpdfguides.com/dref/921220 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para HP SCANJET 3800 PHOTO SCANNER. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre

Leia mais

PA-500 Hardware Reference Guide. 8/31/11 Esboço de Revisão Final - Palo Alto Networks CONFIDENCIAL DA EMPRESA

PA-500 Hardware Reference Guide. 8/31/11 Esboço de Revisão Final - Palo Alto Networks CONFIDENCIAL DA EMPRESA PA-500 Hardware Reference Guide 8/31/11 Esboço de Revisão Final - Palo Alto Networks CONFIDENCIAL DA EMPRESA Palo Alto Networks, Inc. www.paloaltonetworks.com Copyright 2011 Palo Alto Networks. Todos os

Leia mais

MANUAL DE PROGRAMAÇÃO E INSTALAÇÃO DO KIT KCO0081

MANUAL DE PROGRAMAÇÃO E INSTALAÇÃO DO KIT KCO0081 BT RVT 46 i Setembro / 214 Página 1/8 TÍTULO: INFORMATIVO DO MANUAL DE PROGRAMAÇÃO E INSTALAÇÃO DO KIT KCO81 PARA A FAMÍLIA SPLITÃO SÉRIE EiV (INVERTER) ESTE BOLETIM TÉCNICO CANCELA E SUBSTITUI O BT RVT

Leia mais