mudanças em qualquer uma dos ajustes nas janelas do paciente ou do ventilador sejam implementadas.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "mudanças em qualquer uma dos ajustes nas janelas do paciente ou do ventilador sejam implementadas."

Transcrição

1 1- DESCRIÇÃO O xlung é um simulador virtual da interação paciente-ventilador pulmonar que incorpora os principais recursos do suporte ventilatório a diferentes configurações de aspectos demográficos, de mecânica respiratória e de troca gasosa pulmonar de pacientes. Sua principal função é auxiliar o processo de ensino-aprendizagem em ventilação mecânica (VM). Assim pode ser usado no treinamento e na formação de estudantes e profissionais de saúde interessados ou envolvidos no suporte ventilatório mecânico de pacientes adultos. Outros usuários potenciais são profissionais de engenharia clínica e da indústria e comércio de ventiladores pulmonares mecânicos e escolas de medicina, enfermagem, fisioterapia e outras áreas afins. Tem como principal vantagem possibilitar o ensino de aspectos complexos da ventilação mecânica com risco zero de acidentes ou erros, o que não ocorre quando se simula cenários em modelos mecânicos e principalmente quando se ensina sobre o tema no manejo de pacientes reais em insuficiência respiratória. Uma grande utilidade do xlung é permitir a modelagem de diversas características do paciente e dos modos ventilatórios, o que possibilita ao usuário compreender as repercussões dos ajustes do ventilador sobre a troca gasosa e a mecânica respiratória em tempo real, de modo interativo e dinâmico. Figura 1. Funcionalidades do simulador xlung. Quatro janelas fundamentais são apresentadas: 1- Ventilador pulmonar com os modos ventilatórios; 2-Paciente, 3- Curvas de mecânica pulmonar e 4-Monitorização, gasometria e animação. No centro e topo da tela o botão confirmar deve ser clicado para assegurar que as

2 mudanças em qualquer uma dos ajustes nas janelas do paciente ou do ventilador sejam implementadas. 2- AJUSTES DO PACIENTE Mecânica Pulmonar e Troca gasosa Esta funcionalidade permite que o perfil clínico de um paciente seja configurado para simulação. Este perfil pode ser pré-definido pelo simulador ou modificado de acordo com o desejado pelo usuário, permitindo a configuração de diversos tipos de mecânica pulmonar e de troca gasosa Condição Clínica Este ícone seleciona alguns perfis de mecânica pulmonar já pré-configurados pelo xlung. Ex.: Ao clicar no perfil DPOC e em seguida confirmar, automaticamente o xlung definirá as características do paciente simulado Resistência na via aérea Independente da condição clínica selecionada, este ícone permite a alteração da resistência na via aérea de acordo com o desejado pelo usuário, variando entre valores de 1 a 60 cmh 2 O/l/s Complacência Pulmonar

3 Independente da condição clínica selecionada, este ícone permite a alteração da complacência pulmonar variando entre valores de 5 a 200 ml/cmh 2 O Espaço Morto (VD/VT) Configura o valor da razão entre o espaço morto (VD) e o volume corrente (VT) e varia entre valores de 0,21 a 0,8. O espaço morto pode ser definido como o ar presente na árvore respiratória que não participa das trocas gasosas. A relação VD/VT é um importante índice fisiológico indicativo da adequação da relação ventilação perfusão Shunt Configura a porcentagem do shunt pulmonar e varia entre valores de 2 a 80%. O shunt pode ser definido como a quantidade de sangue que passa do lado venoso para o lado arterial da circulação pulmonar, sem passar pelas áreas ventiladas do pulmão. Ou seja, trata-se do percentual de sangue da circulação pulmonar que não participa da troca gasosa. 2.2 Dados Demográficos Permite a configuração de alguns dados demográficos do paciente a ser simulado. Ao serem ajustas características como sexo, idade, altura e peso, automaticamente o xlung define logo abaixo o peso ideal do paciente configurado pelo usuário. 2.3 Esforço Muscular Respiratório Permite os ajustes da pressão muscular respiratória, sua intensidade, frequência e duração do paciente simulado Pmus Configura o valor da pressão negativa gerada pela musculatura inspiratória do paciente, ou seja, o esforço muscular inspiratório do mesmo, variando entre valores de zero (paciente sem drive respiratório) a 50 cmh f (rpm) Configura a frequência respiratória espontânea do paciente que apresenta esforço muscular.

4 2.3.3 Duração Define a duração do esforço muscular inspiratório em segundos (tempo inspiratório neural). 2.4 Leaks (fuga) Permite simular situações de fuga ou escape aéreo durante a ventilação. A graduação da fuga varia entre valores de zero (sem fuga) até 48 l/min. Todos os dados do paciente podem ser minimizados no canto superior direito do quadro permitindo que na tela permaneçam apenas os dados desejados pelo usuário. Para que os dados retornem a tela é necessário clicar no ícone de configurações do paciente que se localiza no canto superior direito da mesma. Para que seja alterado qualquer dado é necessário clicar no ícone confirmar que aparecerá em vermelho no canto superior esquerdo da tela 3.0 AJUSTES DO VENTILADOR Permite configurar ajustes inerentes ao ventilador pulmonar mecânico, como o modo ventilatório e seus respectivos parâmetros. 3.1 Modos Ventilatórios Dois tipos fundamentais de ciclos respiratórios podem ser definidos na ventilação mecânica. Ciclo controlado: Em que o ventilador controla toda a fase inspiratória, ou seja, substitui totalmente o esforço muscular respiratório e o controle neural do paciente. Ciclo assistido: Em que o ventilador apenas auxilia ou assiste a musculatura inspiratória do paciente que se encontra ativa. Obs.: Alguns autores utilizam o termo ciclo espontâneo para definir o ciclo que ocorre durante a oferta da pressão de suporte (PS) ou de pressão inspiratória

5 (IPAP). Em vez disso, o termo assistido será aqui usado para designar também este último tipo de ciclo, mantendo-se uma coerência com a definição acima apresentada e com o emprego da terminologia de ciclo espontâneo apenas para a respiração fisiológica como se verá adiante. Com base nos tipos de ciclos respiratórios que são ofertados ao paciente, 3 modos ventilatórios considerados básicos podem ser reconhecidos, são eles o Assistido/Controlado (A/C, do inglês assist/control), a ventilação com pressão de suporte (PSV) e a ventilação mandatória intermitente sincronizada com PS, modo híbrido entre os dois primeiros (SIMV, do inglês Synchronized Intermitent Mandatory Ventilation). Os modos A/C e SIMV por sua vez apresentam duas variantes: A/C-VCV (Assistido/controlado ciclado a volume), A/C-PCV (Assistido/controlado ciclado a tempo com pressão constante ou controlada) e os modos SIMV-VCV (com ciclagem a volume nos ciclos programados na frequência respiratória do ventilador) e SIMV-PCV (com ciclagem tempo e pressão controlada nos ciclos programados no ventilador) Modos A/C O modo A/C (assistido controlado) se caracteriza por ofertar ciclos controlados e/ou assistidos a depender dos ajustes de frequência respiratória mínima programada e da frequência do paciente. Como dito anteriormente há dois tipos: o A/C-VCV e o A/C-PCV MODO A/C VCV Neste modo os ciclos são ofertados com volume controlado ou ciclagem volume, nos quais o volume corrente (volume alcançado ao final da inspiração)

6 juntamente com o fluxo programado determina o tempo de inspiração. A frequência de operação do ventilador determina o tempo total do ciclo respiratório. O tempo de expiração é determinado pela diferença entre o tempo de inspiração programado e o tempo total do ciclo. A partir destes dados se obtêm o tempo de expiração e a relação inspiração expiração (I:E). A frequência respiratória total será determinada pela ausência ou não de esforços musculares respiratórios do paciente capazes de disparar ciclos respiratórios adicionais aos programados no ajuste de frequência. No segundo caso a presença de ciclos adicionais disparados pelo paciente modifica o tempo total do ciclo respiratório, o tempo expiratório e portanto a relação I:E. Ao ser selecionado este modo ventilatório, o xlung permite que seja ajustado pelo usuário os seguintes parâmetros: De ventilação: Volume corrente e frequência respiratória De sincronização: Fluxo e seu tipo de onda (quadrada ou descendente ou rampa), sensibilidade (sendo permitidos ajustes a pressão ou a fluxo), pausa inspiratória e pausa expiratória (nos casos de cálculos da mecânica respiratória). De oxigenação: FIO 2 e PEEP A/C PCV Seleciona o modo de ventilação mandatória contínua com pressão controlada. Funciona de maneira semelhante ao modo A/C-VCV com a diferença que a pressão nas vias aéreas é mantida constante e igual ao delta de pressão programado mais o valor da PEEP. A ciclagem ocorre a tempo, sendo o tempo inspiratório determinado pelo operador. Ao ser selecionado este modo

7 ventilatório, o simulador permite que seja ajustado pelo usuário os seguintes parâmetros: De ventilação: Pressão (delta acima da PEEP e frequência respiratória) De sincronização: Tempo inspiratório, tempo de subida ou de pressurização, sensibilidade (fluxo ou pressão), pausa inspiratória e pausa expiratória De oxigenação: FIO 2 e PEEP SIMV/VCV Seleciona a modalidade de ventilação mandatória intermitente sincronizada. Neste modo são computados ciclos mandatórios a uma frequência determinada, assim como nos outros modos de ventilação, porém toda vez que o paciente exerce um esforço respiratório que ultrapasse o nível de sensibilidade programado um novo ciclo respiratório se inicia, mas a janela de tempo determinada pela frequência de operação do ventilador não é zerada. Assim como na ventilação mandatória contínua, o SIMV pode possuir ciclos com volume controlado ou com pressão controlada, desta forma, o modo SIMV/VCV mescla ciclos controlados e assistidos (ciclados a volume) com ciclos espontâneos (gerados pelo paciente assistidos por uma pressão de suporte). Ao ser selecionado este modo ventilatório, o simulador permite que seja ajustado pelo usuário os seguintes parâmetros: De ventilação: Volume corrente e frequência respiratória. De sincronização: Fluxo e seu tipo de onda, tempo de subida, fim do ciclo, pressão de suporte, sensibilidade (fluxo ou pressão), pausa inspiratória e pausa expiratória. De oxigenação: FiO 2 e PEEP.

8 3.1.4 SIMV/PCV Seleciona a modalidade de ventilação mandatória intermitente sincronizada, neste caso com os ciclos controlados e assistidos (ciclados a pressão) e os ciclos espontâneos (gerados pelo paciente assistidos por uma pressão de suporte). Ao ser selecionado este modo ventilatório, o simulador permite que seja ajustado pelo usuário os seguintes parâmetros: De ventilação: Pressão e frequência respiratória. De sincronização: Tempo inspiratório, tempo de subida, pressão de suporte, fim do ciclo, sensibilidade (fluxo ou pressão), pausa inspiratória e pausa expiratória. De oxigenação: FiO 2 e PEEP CPAP/PSV

9 Na ventilação espontânea com pressão de suporte somente há a existência de ciclos espontâneos onde o paciente é responsável pó iniciar e concluir o ciclo respiratório. Neste modo ventilatório pode-se configurar a pressão de suporte (PSV) que pode ser definida como uma pressão na fase inspiratória gerada pelo ventilador e mantida até que se atinja um percentual, pré-determinado, do pico de fluxo inspiratório (ciclagem a fluxo), o tempo de subida, que indica o tempo necessário para a pressão na via aérea atingir o valor da pressão de suporte configurada e o fim do ciclo, que determina quando o ciclo respiratório será encerrado com base no valor percentual do pico de fluxo atingido na inspiração. Também, pode-se configurar a pressão de suporte zero, ou seja, todo o trabalho respiratório fica a cargo do paciente e o ventilador fica responsável somente por manter uma pressão positiva durante todo o ciclo respiratório (CPAP). Ao ser selecionado este modo ventilatório, o simulador permite que seja ajustado pelo usuário os seguintes parâmetros: De sincronização: Pressão de suporte, tempo de subida e fim do ciclo. De oxigenação: FiO 2 e PEEP Respiração Espontânea

10 Ao ser selecionado este ícone, será simulado um paciente em respiração espontânea sem nenhum suporte de pressão positiva. Apenas os parâmetros sensibilidade (de sincronização) e FiO 2 (de oxigenação) são ajustados. Para que haja ventilação nesta modalidade, é necessário que seja ajustada uma pmus maior do que zero na configuração do esforço muscular do paciente. Para que seja alterado qualquer dado é necessário clicar no ícone confirmar que aparecerá em vermelho no canto superior esquerdo da tela Todos os dados do ventilador mecânico podem ser minimizados no canto superior direito do quadro permitindo que na tela permaneçam apenas os dados desejados pelo usuário. Para que os dados retornem a tela é necessário clicar no ícone dos modos ventilatórios que se localiza no canto superior direito da mesma. 3.2 Alarmes

11 Permite a configuração dos alarmes do ventilador mecânico, sendo ajustáveis os seguintes alarmes: volume corrente (mínimo e máximo), pressão na via aérea (mínima e máxima) e frequência respiratória (mínima e máxima). Desta forma, que o volume corrente, a pressão na via aérea e a frequência respiratória cair abaixo do nível programado no alarme mínimo ou subir acima do programado no alarme máximo o xlung emitirá um sinal sonoro e o parâmetro que desencadeou o alarme começa a piscar no quadro de monitorização. 4.0 GASOMETRIA A gasometria arterial é um exame complementar fundamental para que seja avaliado as trocas gasosas. Desta forma, o xlung permite a monitorização em tempo real de alguns dados gasométricos para melhor avaliação da distribuição dos gases de acordo com a ventilação fornecida, são eles: PH, PaCO 2, PaO 2, SaO 2 e o índice de oxigenação (relação PaO 2 /FiO 2 ). De acordo com a configuração do paciente e do ventilador mecânico e seus respectivos parâmetros, os dados gasométricos se alteram e mudam de cor. O vermelho indica distúrbio gasométrico grave, o laranja indica distúrbio gasométrico moderado e o verde indica uma gasometria dentro dos parâmetros de normalidade MONITOR

12 A monitorização contínua durante a assistência ventilatória se torna imprescindível para que haja um processo de ventilação de qualidade segura. Embora existam as mais diversas variáveis, cada uma com um objetivo específico, somente uma gama delas se torna indispensável para uma boa avaliação da interação paciente-ventilador. Desta forma, o xlung permite a monitorização em tempo real de dados ventilatórios do paciente como: frequência respiratória (f), pressão de pico (P. pico), tempo inspiratório (T. insp), tempo expiratório (T. exp), relação I:E, volume corrente exalado (VCe) e volume minuto (VE). Os dados são gerados de acordo com a configuração do perfil do paciente e do ajuste do modo e parâmetros ventilatórios. 6.0 ANIMAÇÃO É uma ilustração animada de pulmões que se insuflam durante a inspiração e desinsuflam durante a expiração de acordo com o ocorrido durante a simulação em tempo real.

13 Abaixo dos quadros de gasometria, monitor e animação há o ícone exibir que ao ser clicado permite com que os quadros sejam visualizados na tela ou desapareçam. 7.0 MONITORIZAÇÃO DAS CURVAS Permite a visualização em tempo real das curvas de volume corrente, fluxo e pressão na via aérea durante a ventilação de acordo com a configuração do perfil do paciente e dos ajustes do modo e parâmetros ventilatórios. Há ainda a opção de visualização da curva da Pmus (caso o paciente configurado apresente esforço muscular) e da Pressão Alveolar, ao serem selecionados os ícones Pmus e P. Alveolar. As curvas da ventilação podem ser congeladas a qualquer momento da simulação ao ser selecionado o ícone de pausa. Na barra de rolagem ao lado é permitido voltar a simulação e visualizar de forma estática qualquer momento da mesma.

14 7.1 Escala Permite que sejam alteradas as escalas de visualização das curvas. Ao clicar no ícone escala, aparecerá um quadro na tela com os limites mínimos e máximos das escalas das curvas de volume, fluxo, pressão e da largura da janela. Após ajustado, é necessário clicar em ok para que seja alterado e em seguida minimizar ou fechar o quadro no seu canto superior direito.

15 8.0 CONFIGURAÇÃO 8.1 Idioma No canto superior direito da tela é possível selecionar o idioma entre a versão em português ou inglês do xlung. 8.2 Capturar Foto Na opção ferramentas ou no canto superior direito da tela, o ícone capturara foto permite que durante a simulação seja possível que uma imagem da simulação seja capturada e salva em qualquer pasta do seu computador. 8.3 Salvar Simulação Na opção ferramentas ou no canto superior direito da tela, esta opção permite que toda sua simulação seja salva como vídeo em alguma pasta do seu computador. 8.4 Carregar Simulação Esta funcionalidade permite que o usuário possa salvar os dados da sua simulação em um arquivo texto numa pasta local do seu computador e recuperálos em outro momento para continuar sua simulação do ponto em que parou. 8.5 Ajuda No ícone ajuda o usuário tem como guia o manual para o operador e um guia de ventilação mecânica.

16

CPAP/OS - ventilação com pressão contínua em vias aéreas / Ventilação com Pressão de Suporte.

CPAP/OS - ventilação com pressão contínua em vias aéreas / Ventilação com Pressão de Suporte. SERVOVENTILADOR COLOR MS: 10229820103 OCP: TÜV Rheinland... DESCRITIVO Servoventilador pulmonar microprocessado eletrônico para insuficiência respiratória de paciente adulto a neonatal em UTI. Reúne ventilação

Leia mais

Ventilação Mecânica. Prof. Ms. Erikson Custódio Alcântara eriksonalcantara@hotmail.com

Ventilação Mecânica. Prof. Ms. Erikson Custódio Alcântara eriksonalcantara@hotmail.com Ventilação Mecânica Prof. Ms. Erikson Custódio Alcântara eriksonalcantara@hotmail.com A ventilação mecânica é uma atividade multi e interdisciplinar em que o denominador comum é o paciente e não o ventilador

Leia mais

Conceitos Básicos em VM invasiva

Conceitos Básicos em VM invasiva Conceitos Básicos em VM invasiva Marcelo Alcantara Holanda Prof Adjunto de Medicina Clínica, UFC Hospital Universitário Walter Cantídio - HUWC UTI respiratória do Hospital de Messejana, Fortaleza, CE Ventilação

Leia mais

TAKAOKA MONTEREY SMART

TAKAOKA MONTEREY SMART TAKAOKA MONTEREY SMART OPERAÇÃO NO RECÉM-NASCIDO O Monterey Smart é um respirador microprocessado desenvolvido para atender pacientes adultos, infantis e neonatais em terapia intensiva e transporte intra

Leia mais

MODOS DE VENTILAÇÃO. Ventilação Mecânica Controlada. Ventilação Mecânica Controlada MODALIDADES VOLUME CORRENTE 4/16/2010 PARÂMETROS VENTILATÓRIOS

MODOS DE VENTILAÇÃO. Ventilação Mecânica Controlada. Ventilação Mecânica Controlada MODALIDADES VOLUME CORRENTE 4/16/2010 PARÂMETROS VENTILATÓRIOS MODALIDADES MODOS DE VENTILAÇÃO Ft. Jeanette Janaina Jaber Lucato A / C ( VC ou PC ) SIMV ( VC ou PC ) SIMV + PS ( VC ou PC ) PS + PEEP PARÂMETROS VENTILATÓRIOS VOLUME CORRENTE VC: 6 8 ml/kg Pinsp cmh

Leia mais

VS III. Ventilador a volume e pressão Para uso invasivo e não-invasivo

VS III. Ventilador a volume e pressão Para uso invasivo e não-invasivo VS III Ventilador a volume e pressão Para uso invasivo e não-invasivo Sua solução de ventilação versátil, eficiente e fácil de usar, do hospital para a residência DESTAQUES DA TECNOLOGIA Desempenho avançado

Leia mais

Adenda ao Manual do Operador

Adenda ao Manual do Operador Opção NeoMode Introdução Esta adenda mostra como utilizar a opção de software NeoMode no Ventilador Puritan Bennett 840. Consulte o Manual de referência técnica e do operador do sistema do ventilador Puritan

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE TELEINFORMÁTICA PROGRAMA DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELEINFORMÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE TELEINFORMÁTICA PROGRAMA DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELEINFORMÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE TELEINFORMÁTICA PROGRAMA DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE TELEINFORMÁTICA SIMULADOR VIRTUAL DE ASSISTÊNCIA VENTILATÓRIA MECÂNICA MANOEL LOPES FILHO

Leia mais

Ventilação mecânica. Autor(es) Bruno do Valle Pinheiro 1 Fev-2008

Ventilação mecânica. Autor(es) Bruno do Valle Pinheiro 1 Fev-2008 1 - O que é ventilação mecânica? Ventilação mecânica Autor(es) Bruno do Valle Pinheiro 1 Fev-2008 Ventilação mecânica é o suporte oferecido ao paciente por meio de um aparelho, o ventilador, auxiliando-o

Leia mais

3 Ventilador Pulmonar

3 Ventilador Pulmonar 3 Ventilador Pulmonar Neste capítulo são descritos fundamentos teóricos que ajudam a melhor entender o funcionamento dos ventiladores pulmonares (VP), também chamados de ventiladores mecânicos. Discute-se

Leia mais

III Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica

III Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica III Consenso Brasileiro de Ventilação Mecânica Ventilação mecânica: princípios, análise gráfica e modalidades ventilatórias Carlos Roberto Ribeiro de Carvalho, Carlos Toufen Junior, Suelene Aires Franca

Leia mais

Aspectos Recentes da Ventilação Mecânica: como iniciar a ventilação mecânica

Aspectos Recentes da Ventilação Mecânica: como iniciar a ventilação mecânica CAPÍTULO 102 Aspectos Recentes da Ventilação Mecânica: como iniciar a ventilação mecânica Alexandre Goulart Pustilnik* Introdução O início da ventilação mecânica deve ser orientado para a causa da insuficiência

Leia mais

4 Confiabilidade Metrológica do Ventilador Pulmonar

4 Confiabilidade Metrológica do Ventilador Pulmonar 4 Confiabilidade Metrológica do Ventilador Pulmonar A metrologia avançou muito na área industrial e científica, mas, apesar de sua óbvia importância, sua aplicação ainda é incipiente na área da saúde.

Leia mais

Jose Roberto Fioretto

Jose Roberto Fioretto Jose Roberto Fioretto jrf@fmb.unesp.br Professor Adjunto-Livre Docente Disciplina de Medicina Intensiva Pediátrica Faculdade de Medicina de Botucatu-UNESP 1988 Para começar... Ventilação mecânica é ventilação

Leia mais

Divinolândia 19 de agosto de 2013

Divinolândia 19 de agosto de 2013 Divinolândia 19 de agosto de 2013 Prezados senhores interessados Esta comissão de Julgamento de Licitação do Conderg Hospital Regional de Divinolândia, esclarece através deste, alterações feita no Edital

Leia mais

VPAP Auto 25, VPAP ST e VPAP S Dispositivo de Pressão Positiva das Vias Respiratórias Guia de Gerenciamento de Dados Português

VPAP Auto 25, VPAP ST e VPAP S Dispositivo de Pressão Positiva das Vias Respiratórias Guia de Gerenciamento de Dados Português VA Auto 25, VA ST e VA S Dispositivo de ressão ositiva das Vias Respiratórias Guia de Gerenciamento de Dados ortuguês A tabela a seguir mostra onde os dados dos geradores de fluxo VA podem ser visualizados.

Leia mais

Ventiladores para adultos e pediátricos. Guia de configuração rápida. Português

Ventiladores para adultos e pediátricos. Guia de configuração rápida. Português Ventiladores para adultos e pediátricos Guia de configuração rápida Português Configuração Utilização não invasiva Cabo de alimentação CA Máscara Stellar 2 Tubos de ar 3 4 5 1 Umidificador aquecido H4i

Leia mais

USO DA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA NO TRATAMENTO DE PORTADORES DE DOENÇA OBSTRUTIVA CRÔNICA DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO

USO DA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA NO TRATAMENTO DE PORTADORES DE DOENÇA OBSTRUTIVA CRÔNICA DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO USO DA VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA NO TRATAMENTO DE PORTADORES DE DOENÇA OBSTRUTIVA CRÔNICA DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO Autoria: Inácia Regina Barbosa Leal (FCM-CG) Rosa Suênia da Camara Melo (Orientadora)

Leia mais

Relação das Principais Formula e Tabelas para Avaliação do Paciente Internado em UTI

Relação das Principais Formula e Tabelas para Avaliação do Paciente Internado em UTI Regional - Goiás Relação das Principais Formula e Tabelas para Avaliação do Paciente Internado em UTI 1. Tabela da Escala de Glasgow Aplicação: avaliação do grau de consciência. Atividade Pontuação Resposta

Leia mais

VENTILAÇÃO MECÂNICA EM ANESTESIA

VENTILAÇÃO MECÂNICA EM ANESTESIA VENTILAÇÃO MECÂNICA EM ANESTESIA Marcelo Torres 1 Expiração espontânea P1 V 1 =P 2 V 2 Inspiração espontânea 2 3 Pressão negativa 4 Pressão positiva 5 +10 cmh 2 O cmh 2 O Insp Exp Insp Exp Insp Exp Insp

Leia mais

Ventiladores para adultos e pediátricos. Guia de preparação rápida. Português

Ventiladores para adultos e pediátricos. Guia de preparação rápida. Português Ventiladores para adultos e pediátricos Guia de preparação rápida Português Configuração Utilização não invasiva Cabo eléctrico CA Máscara Stellar 2 Tubagem de ar 3 4 5 1 Cabo eléctrico CA Clipe de fixação

Leia mais

Indicações e ajustes iniciais da ventilação mecânica

Indicações e ajustes iniciais da ventilação mecânica Indicações e ajustes iniciais da ventilação mecânica Marcelo Alcantara Holanda Prof Terapia Intensiva/Pneumologia Faculdade de Medicina Universidade Federal do Ceará UTI respiratória Hospital Carlos Alberto

Leia mais

CERTIFICADO BPF NBR ISO 9001:2008 EN ISO 13485:2003 + AC 2009. VENTILADOR PULMONAR LEISTUNG LUFT2-g R 04-04 (50) REV. 01

CERTIFICADO BPF NBR ISO 9001:2008 EN ISO 13485:2003 + AC 2009. VENTILADOR PULMONAR LEISTUNG LUFT2-g R 04-04 (50) REV. 01 CERTIFICADO BPF NBR ISO 9001:2008 EN ISO 13485:2003 + AC 2009 VENTILADOR PULMONAR LEISTUNG LUFT2-g R 04-04 (50) REV. 01 - 2 de 79 - Fabricação, Distribuição e Assistência Técnica por: LEISTUNG EQUIPAMENTOS

Leia mais

Workshop de Ventilação Mecânica Modos Ventilatórios Controlados

Workshop de Ventilação Mecânica Modos Ventilatórios Controlados Workshop de Ventilação Mecânica Modos Ventilatórios Controlados Luiz Fernando R. Falcão, MD, PhD, TSA Professor e Chefe do Serviço de Anestesia, EPM-UNIFESP Pós-doutorado em Bioengenharia Pulmonar, Harvard

Leia mais

APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo)

APOSTILA DE EXEMPLO. (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) APOSTILA DE EXEMPLO (Esta é só uma reprodução parcial do conteúdo) 1 Índice Aula 1 - Área de trabalho e personalizando o sistema... 3 A área de trabalho... 3 Partes da área de trabalho.... 4 O Menu Iniciar:...

Leia mais

A Criança com Insuficiência Respiratória. Dr. José Luiz Cardoso

A Criança com Insuficiência Respiratória. Dr. José Luiz Cardoso Dr. José Luiz Cardoso CARACTERÍSTICAS DA CRIANÇA A CRIANÇA NÃO É UM ADULTO EM MINIATURA O nariz é responsável por 50 % da resistência das vias aéreas Obstrução nasal conduz a insuficiência respiratória

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração do Primeiro Backup Versão LITE

Manual de Instalação e Configuração do Primeiro Backup Versão LITE Manual de Instalação e Configuração do Primeiro Backup Versão LITE Instalação do gbackup Lite Para instalar o gbackup Lite em seu computador ou servidor, basta seguir as seguintes etapas: Após baixar a

Leia mais

Tutorial Administrativo (Backoffice)

Tutorial Administrativo (Backoffice) Manual - Software ENTRANDO NO SISTEMA BACKOFFICE Para entrar no sitema Backoffice, digite no seu navegador de internet o seguinte endereço: http://pesquisa.webbyapp.com/ Entre com o login e senha. Caso

Leia mais

CPAP Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas

CPAP Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas 1 CPAP Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas Olívia Brito Cardozo Turma Glória I CAPS Curso de Especialização em Fisioterapia Respiratória com Ênfase em Traumato-Cirúrgico São Paulo 2004 2 Sumário

Leia mais

VENTILAÇÃO MECÂNICA EM NEONATOLOGIA

VENTILAÇÃO MECÂNICA EM NEONATOLOGIA VENTILAÇÃO MECÂNICA EM NEONATOLOGIA Israel Figueiredo Junior UFF 2009 israel@vm.uff.br OBJETIVOS OXIGENAR VENTILAR MANTER ph PaO2 PaCO2 ph N HISTÓRICO 1800-1 o relato de IOT associada a VM 1887 - O Dwyer

Leia mais

VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA I. Lígia Maria Coscrato Junqueira Silva Fisioterapeuta HBP/SP

VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA I. Lígia Maria Coscrato Junqueira Silva Fisioterapeuta HBP/SP VENTILAÇÃO NÃO INVASIVA I Lígia Maria Coscrato Junqueira Silva Fisioterapeuta HBP/SP INTERFACES * Máscaras Nasais * Plugs Nasais * Máscaras Faciais * Capacete * Peça Bucal VENTILADORES E MODOS USADOS NA

Leia mais

Aula 03 PowerPoint 2007

Aula 03 PowerPoint 2007 Aula 03 PowerPoint 2007 Professor: Bruno Gomes Disciplina: Informática Básica Curso: Gestão de Turismo Sumário da aula: 1. Abrindo o PowerPoint; 2. Conhecendo a Tela do PowerPoint; 3. Criando uma Nova

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD TUTORIAL MOODLE VERSÃO ALUNO Machado/MG 2013 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. EDITANDO O PERFIL... 5 2.1 Como editar o perfil?... 5 2.2 Como mudar a senha?... 5 2.3

Leia mais

Ventilador. Alta performance em ventilação mecânica

Ventilador. Alta performance em ventilação mecânica Ventilador Alta performance em ventilação mecânica Design moderno, leveza e praticidade Massimus possui autonomia de bateria de até 12 horas e independência de rede de gases para seu funcionamento, tornando

Leia mais

CUIDADOS FISIOTERAPÊUTICOS NO PÓS OPERATÓRIO DE. Lígia Maria Coscrato Junqueira Silva Fisioterapeuta RBAPB Hospital São Joaquim

CUIDADOS FISIOTERAPÊUTICOS NO PÓS OPERATÓRIO DE. Lígia Maria Coscrato Junqueira Silva Fisioterapeuta RBAPB Hospital São Joaquim CUIDADOS FISIOTERAPÊUTICOS NO PÓS OPERATÓRIO DE ANEURISMAS CEREBRAIS Lígia Maria Coscrato Junqueira Silva Fisioterapeuta RBAPB Hospital São Joaquim AVALIAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA Nível de consciência Pupilas

Leia mais

Como você é beneficiado: Ventilação de qualidade Versatilidade da aplicação Facilidade de uso Operação silenciosa. CHEST / Dezembro de 2005

Como você é beneficiado: Ventilação de qualidade Versatilidade da aplicação Facilidade de uso Operação silenciosa. CHEST / Dezembro de 2005 O novo ventilador semi-intensivo Carina Cuidado semi-intensivo é um serviço de tratamento médico em rápido crescimento para pacientes que precisam de procedimentos diagnósticos e invasivos, mas não procedimentos

Leia mais

SISTEMA DE EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA A DISTÂNCIA PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO EM MEDICINA INTENSIVA

SISTEMA DE EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA A DISTÂNCIA PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO EM MEDICINA INTENSIVA 3 SISTEMA DE EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA A DISTÂNCIA PROAMI PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO EM MEDICINA INTENSIVA ORGANIZADO PELA ASSOCIAÇÃO DE MEDICINA INTENSIVA BRASILEIRA Diretores acadêmicos Cleovaldo T. S.

Leia mais

Ventilação Mecânica para Enfermeiros HC UFTM. Prof. Ms. Pollyanna Tavares Silva Fernandes

Ventilação Mecânica para Enfermeiros HC UFTM. Prof. Ms. Pollyanna Tavares Silva Fernandes Ventilação Mecânica para Enfermeiros HC UFTM Prof. Ms. Pollyanna Tavares Silva Fernandes 1. Características anatômicas do Sistema Cardiorrespiratório do RN: LARINGE ALTA: - permite que o RN respire e degluta

Leia mais

USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL

USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL ATENÇÃO! Para utilizar este tutorial não se esqueça: Onde estiver escrito seusite.com.br substitua pelo ENDEREÇO do seu site (domínio). Ex.: Se o endereço do seu site é casadecarnessilva.net

Leia mais

Focado no essencial DRÄGER SAVINA 300

Focado no essencial DRÄGER SAVINA 300 D-46451-2012 Focado no essencial DRÄGER SAVINA 300 2 Como um ventilador pode ajudar a facilitar seu trabalho diário? D-46454-2012 D-11112-2010 Prestar o melhor cuidado possível ao paciente é o seu objetivo

Leia mais

Tutorial: Como fazer o backup (cópia) e a restauração de conteúdos no Moodle?

Tutorial: Como fazer o backup (cópia) e a restauração de conteúdos no Moodle? Tutorial: Como fazer o backup (cópia) e a restauração de conteúdos no Moodle? Olá, professor(a), Este tutorial tem o objetivo de lhe auxiliar na realização de backup do conteúdo de uma disciplina já oferecida,

Leia mais

COMO INSTALAR O CATÁLOGO

COMO INSTALAR O CATÁLOGO Este guia tem por finalidade detalhar as etapas de instalação do catálogo e assume que o arquivo de instalação já foi baixado de nosso site. Caso não tenho sido feita a etapa anterior favor consultar o

Leia mais

Atenda às necessidades em constante mudança dos seus pacientes. Trilogy100, tecnologia avançada de ventilação

Atenda às necessidades em constante mudança dos seus pacientes. Trilogy100, tecnologia avançada de ventilação Atenda às necessidades em constante mudança dos seus pacientes. Trilogy100, tecnologia avançada de ventilação Trilogy100, características exclusivas para pacientes exclusivos Trilogy100, um versátil ventilador

Leia mais

Projeto ECA na Escola - Plataforma de Educação à Distância

Projeto ECA na Escola - Plataforma de Educação à Distância Página1 Apresentação Projeto ECA na Escola - Plataforma de Educação à Distância Olá Participante do Projeto ECA na Escola, Este tutorial pretende auxiliá-lo na navegação na Plataforma de Educação à Distância

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração do Primeiro Backup Versão PRO

Manual de Instalação e Configuração do Primeiro Backup Versão PRO Manual de Instalação e Configuração do Primeiro Backup Versão PRO Instalação do gbackup Pro Para instalar o gbackup Pro em seu computador ou servidor, basta seguir as seguintes etapas: Após baixar a instalação

Leia mais

A U T O R I Z O R R I GUIA DE INSTALAÇÃO W E B. Versão: 1.02 Agosto/2006 Versão: AW 4.004.006

A U T O R I Z O R R I GUIA DE INSTALAÇÃO W E B. Versão: 1.02 Agosto/2006 Versão: AW 4.004.006 A U T O R I Z A D O R W E B B I O M E T R I A GUIA DE INSTALAÇÃO Versão: 1.02 Agosto/2006 Versão: AW 4.004.006 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 UTILIZANDO A BIOMETRIA... 4 INSTALAÇÃO... 5 CADASTRO DA DIGITAL...15

Leia mais

Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4.

Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4. 1 Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4. Interface do sistema... 4 1.4.1. Janela Principal... 4 1.5.

Leia mais

VENTILADOR PULMONAR PR4 - g R 04-04 (44) REV. 04

VENTILADOR PULMONAR PR4 - g R 04-04 (44) REV. 04 PR4 - g R 04-04 (44) REV. 04 CERTIFICADO BPF NBR ISO 9001:2008 EN ISO 13485:2003 + AC 2009 - 2 de 51 - Fabricação, Distribuição e Assistência Técnica por: LEISTUNG EQUIPAMENTOS LTDA. Rua João Ropelatto,

Leia mais

TRANSMISSOR ECF. Sistema de transmissão de arquivos Nota Fiscal Paulista. Manual de Utilização

TRANSMISSOR ECF. Sistema de transmissão de arquivos Nota Fiscal Paulista. Manual de Utilização TRANSMISSOR ECF Sistema de transmissão de arquivos Nota Fiscal Paulista Manual de Utilização 1. Histórico de alterações Data Versão Alteração 04/12/2012 1 Criação do documento 28/02/2013 2 Revisão 2. Proposta

Leia mais

Indicações e Uso do CPAP em Recém-Nascidos. Dr. Alexander R. Precioso Unidade de Pesquisa Experimental Departamento de Pediatria da FMUSP

Indicações e Uso do CPAP em Recém-Nascidos. Dr. Alexander R. Precioso Unidade de Pesquisa Experimental Departamento de Pediatria da FMUSP Indicações e Uso do CPAP em Recém-Nascidos Dr. Alexander R. Precioso Unidade de Pesquisa Experimental Departamento de Pediatria da FMUSP CPAP - Definição Pressão de Distensão Contínua Manutenção de uma

Leia mais

C D. C) Coleções: é usada para organizar o conteúdo de áudio, vídeo e imagens em pastas, buscando facilitar a montagem do storyboard.

C D. C) Coleções: é usada para organizar o conteúdo de áudio, vídeo e imagens em pastas, buscando facilitar a montagem do storyboard. 1 Windows Movie Maker XP O Windows Movie Maker é um software de edição de vídeos que permite criar e editar filmes caseiros, inserindo efeitos, músicas, legendas e transições. O vídeo pode ser criado a

Leia mais

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan

Microsoft Excel 2000. Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br. http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Excel 2000 Alan Cleber Borim - alan.borim@poli.usp.br http://www.pcs.usp.br/~alan Microsoft Índice 1.0 Microsoft Excel 2000 3 1.1 Acessando o Excel 3 1.2 Como sair do Excel 3 1.3 Elementos da

Leia mais

Manual Do Usuário ClinicaBR

Manual Do Usuário ClinicaBR Manual Do Usuário ClinicaBR SUMÁRIO 1 Introdução... 01 2 ClinicaBR... 01 3 Como se cadastrar... 01 4 Versão experimental... 02 5 Requisitos mínimos p/ utilização... 03 6 Perfis de acesso... 03 6.1 Usuário

Leia mais

Monitorando VM na UTI. Monitorar. Pp Ppt Ve Complacencia Complacencia do circuito Resistencia das vias aereas Fluxo inspiratorio

Monitorando VM na UTI. Monitorar. Pp Ppt Ve Complacencia Complacencia do circuito Resistencia das vias aereas Fluxo inspiratorio Monitorando VM na UTI Octavio Messeder FCCP Pneumologista /Intensivista Coordenador UTI Geral do Hospital Portugues SSA-Ba Monitorar ALARMES Autopeep Hemogasometria O2sat Pressão do balonete FR Infecção

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS 1 - A TELA AGENDA 1.1 - TIPOS DE AGENDA 1.1.1 AGENDA NORMAL 1.1.2 AGENDA ENCAIXE 2 - AGENDANDO CONSULTAS 2.1 - AGENDANDO UMA CONSULTA NA

Leia mais

16 - SCARTA. 1. Abrir o SCARTA clicando no ícone que se encontra na área de trabalho (Fig.1). Fig.1- Ícone do SCARTA

16 - SCARTA. 1. Abrir o SCARTA clicando no ícone que se encontra na área de trabalho (Fig.1). Fig.1- Ícone do SCARTA 16 - SCARTA Módulo do SPRING que permite editar uma carta e gerar arquivo para impressão, permitindo a apresentação na forma de um documento cartográfico. 1. Abrir o SCARTA clicando no ícone que se encontra

Leia mais

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário

Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0. Ajuda ao Usuário Versão 2.2.0 PIMACO AUTOADESIVOS LTDA. Assistente Pimaco + 2.2.0 Ajuda ao Usuário A S S I S T E N T E P I M A C O + 2.2.0 Ajuda ao usuário Índice 1. BÁSICO 1 1. INICIANDO O APLICATIVO 2 2. O AMBIENTE DE

Leia mais

Gerenciador USB do Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro. Versão 3.6

Gerenciador USB do Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro. Versão 3.6 Gerenciador USB do Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro Versão 3.6 O Gerenciador é um Software para ambiente Windows que trabalha em conjunto com o Monitor de Rede Elétrica Som Maior Pro, através de

Leia mais

Manual de Utilização COPAMAIL Criando e configurando a assinatura de e-mail. Zimbra Versão 8.0.2

Manual de Utilização COPAMAIL Criando e configurando a assinatura de e-mail. Zimbra Versão 8.0.2 Manual de Utilização COPAMAIL Criando e configurando a assinatura de e-mail Zimbra Versão 8.0.2 Sumário Convertendo a assinatura de e-mail a partir do Microsoft Outlook... 1 Para usuários do Microsoft

Leia mais

02/05/2016. Diretrizes Brasileiras de Ventilação Mecânica. Metodologia. Revisão MEDLINE e na Cochrane 2003 a 2013

02/05/2016. Diretrizes Brasileiras de Ventilação Mecânica. Metodologia. Revisão MEDLINE e na Cochrane 2003 a 2013 Diretrizes Brasileiras de Ventilação Mecânica Marco Antônio Soares Reis Hospital Madre Teresa - Belo Horizonte Professor FCMMG Jornal Brasileiro de Pneumologia Revista Brasileira de Terapia Intensiva Agosto

Leia mais

Série S9 VPAP Adapt / VPAP Auto / VPAP S / VPAP ST / VPAP Adapt (ASV) / VPAP ST-A (ivaps)

Série S9 VPAP Adapt / VPAP Auto / VPAP S / VPAP ST / VPAP Adapt (ASV) / VPAP ST-A (ivaps) Série S9 VA Adapt / VA Auto / VA S / VA ST / VA Adapt (ASV) / VA ST-A (ivas) Guia de Gerenciamento de Dados ortuguês A tabela a seguir mostra onde os dados dos dispositivos da Série S9 podem ser visualizados.

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Oxycon Mobile O Oxycon Mobile é um analisador de gases portátil que faz medições de importantes parâmetros ergoespirométricos como a ventilação (VE), o consumo de oxigênio (VO 2 ), a produção de dióxido

Leia mais

Insuficiência respiratória aguda. Prof. Claudia Witzel

Insuficiência respiratória aguda. Prof. Claudia Witzel Insuficiência respiratória aguda O que é!!!!! IR aguda Incapacidade do sistema respiratório de desempenhar suas duas principais funções: - Captação de oxigênio para o sangue arterial - Remoção de gás carbônico

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS 1 - A TELA AGENDA 1.1 - TIPOS DE AGENDA 1.1.1 AGENDA NORMAL 1.1.2 AGENDA ENCAIXE 2 - AGENDANDO CONSULTAS 2.1 - AGENDANDO UMA CONSULTA NA AGENDA

Leia mais

total ou parcialmente a atividade ventilatória do paciente, com o objetivo de restabelecer o equilíbrio entre a oferta e demanda de oxigênio,

total ou parcialmente a atividade ventilatória do paciente, com o objetivo de restabelecer o equilíbrio entre a oferta e demanda de oxigênio, 8 1. INTRODUÇÃO O surgimento dos ventiladores mecânicos foi um marco no tratamento da insuficiência respiratória aguda. Seu uso clínico foi iniciado há cerca de sessenta anos, com os ventiladores a pressão

Leia mais

Manual (Office 365) Para acesso ao sistema de e-mails, os passos iniciais continuam os mesmos.

Manual (Office 365) Para acesso ao sistema de e-mails, os passos iniciais continuam os mesmos. Histórico de Alterações Versão Data Autor Função Descrição 1 14/09/2012 Roberto Gouveia Analista de Help Desk Criação inicial 2 19/11/2013 Roberto Gouveia Analista de Help Desk Atualização A partir de

Leia mais

Manual Simulador de Loja

Manual Simulador de Loja Manual Simulador de Loja Índice Início Menu Loja Modelo Loja Modelo Menu Criar Minha Loja Criar Minha Loja Abrir Projeto Salvo Teste Seu Conhecimento 0 04 05 08 09 8 9 0 Início 5 4 Figura 00. Tela inicial.

Leia mais

Manual de Utilização. Versão 1.0.1

Manual de Utilização. Versão 1.0.1 Manual de Utilização Versão 1.0.1 Conteúdo 1 Funções do Conhecimento... 3 1.1 Restaurar... 3 1.2 Localiza Certificado... 4 1.3 Exibir Mensagem Vencimento Certificado... 4 1.4 Execução Server... 5 1.5 Configurações

Leia mais

VENTILADOR DX 3010. Fabricante: TECME S.A. Distribuidor: DIXTAL BIOMÉDICA. Manual de Operação

VENTILADOR DX 3010. Fabricante: TECME S.A. Distribuidor: DIXTAL BIOMÉDICA. Manual de Operação VENTILADOR DX 3010 Manual de Operação Fabricante: TECME S.A. Distribuidor: DIXTAL BIOMÉDICA SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 04 2. SEGURANÇA 06 2.1 Classificação e Simbologia 08 2.2 Normalização 10 2.3 Precauções

Leia mais

W o r d p r e s s 1- TELA DE LOGIN

W o r d p r e s s 1- TELA DE LOGIN S U M Á R I O 1Tela de Login...2 2 Painel......3 3 Post...4 4 Ferramentas de Post...10 5 Páginas...14 6 Ferramentas de páginas...21 7 Mídias...25 8 Links......30 1 1- TELA DE LOGIN Para ter acesso ao wordpress

Leia mais

Manual do Usúario Backup Online. Manual do Usuário. Backup Online. Versão 1.0.2. Copyright GVT 2014. https://backuponlinegvt.com.

Manual do Usúario Backup Online. Manual do Usuário. Backup Online. Versão 1.0.2. Copyright GVT 2014. https://backuponlinegvt.com. Manual do Usuário Backup Online Versão 1.0.2 Copyright GVT 2014 https://backuponlinegvt.com.br 1 Backup Online... Erro! Indicador não definido. 2 Instalação do Backup Online... 4 3 Configurações... 7 3.1

Leia mais

Curso Online A Escola no Combate ao Trabalho Infantil Plataforma de Educação à Distância

Curso Online A Escola no Combate ao Trabalho Infantil Plataforma de Educação à Distância Página1 Apresentação Curso Online A Escola no Combate ao Trabalho Infantil Plataforma de Educação à Distância Olá Participante do Curso A Escola no Combate ao Trabalho Infantil (ECTI), Este tutorial pretende

Leia mais

ÍNDICE 1 CADASTRO DO PRODUTO... 4 2 INCLUIR E CONFIGURAR VITRINE... 5 3 CONFIGURANDO A VITRINE DE PRODUTOS... 7

ÍNDICE 1 CADASTRO DO PRODUTO... 4 2 INCLUIR E CONFIGURAR VITRINE... 5 3 CONFIGURANDO A VITRINE DE PRODUTOS... 7 1 ÍNDICE 1 CADASTRO DO PRODUTO... 4 2 INCLUIR E CONFIGURAR VITRINE.... 5 3 CONFIGURANDO A VITRINE DE PRODUTOS... 7 4 - INFORMANDO UMA CLASSIFICAÇÃO NA VITRINE DE PRODUTOS... 8 5 INCLUINDO PRODUTOS EM UMA

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura Ministério da Cultura MANUAL DO PROPONENTE: PRORROGAÇÃO DO PERÍODO DE CAPTAÇÃO VERSÃO 1.0 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 26/03/2013 1.0 Criação do documento Aline Oliveira - MINC 3 ÍNDICE

Leia mais

Manual do Usuário Nextel Cloud. Manual do Usuário. Versão 1.0.1. Copyright Nextel 2014. http://nextelcloud.nextel.com.br

Manual do Usuário Nextel Cloud. Manual do Usuário. Versão 1.0.1. Copyright Nextel 2014. http://nextelcloud.nextel.com.br Manual do Usuário Versão 1.0.1 Copyright Nextel 2014 http://nextelcloud.nextel.com.br 1 Nextel Cloud... 3 2 Instalação do Nextel Cloud... 4 3 Configurações... 7 3.1 Geral... 9 3.2 Fotos... 11 3.2.1 UpLoad:...

Leia mais

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s) Item: 0001 Descrição: ventilador Quantidade: 10 Unidade de Medida: Unidade

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s) Item: 0001 Descrição: ventilador Quantidade: 10 Unidade de Medida: Unidade PROPOSTA Pregão Órgão: Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo Número: 07/2012.NH Número do Processo: 53418 Unidade de Compra: Unidade de Compra - Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo Proposta(s) Item:

Leia mais

GASOMETRIA ARTERIAL GASOMETRIA. Indicações 11/09/2015. Gasometria Arterial

GASOMETRIA ARTERIAL GASOMETRIA. Indicações 11/09/2015. Gasometria Arterial GASOMETRIA ARTERIAL Processo pelo qual é feita a medição das pressões parciais dos gases sangüíneos, a partir do qual é possível o cálculo do PH sangüíneo, o que reflete o equilíbrio Ácido-Básico 2 GASOMETRIA

Leia mais

Visão Geral sobre o tutorial de Utilização de

Visão Geral sobre o tutorial de Utilização de Tutorial de Utilização de Impressoras Não Fiscais no NFC-e Visão Geral sobre o tutorial de Utilização de Impressoras Não Fiscais no NFC-e O intuito deste tutorial é descrever com detalhes técnicos como

Leia mais

Índice. Para encerrar um atendimento (suporte)... 17. Conversa... 17. Adicionar Pessoa (na mesma conversa)... 20

Índice. Para encerrar um atendimento (suporte)... 17. Conversa... 17. Adicionar Pessoa (na mesma conversa)... 20 Guia de utilização Índice Introdução... 3 O que é o sistema BlueTalk... 3 Quem vai utilizar?... 3 A utilização do BlueTalk pelo estagiário do Programa Acessa Escola... 5 A arquitetura do sistema BlueTalk...

Leia mais

Continuação. 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART

Continuação. 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART Continuação 32. Inserir uma imagem da GALERIA CLIP-ART a) Vá para o primeiro slide da apresentação salva no item 31. b) Na guia PÁGINA INICIAL, clique no botão LAYOUT e selecione (clique) na opção TÍTULO

Leia mais

Instalação: permite baixar o pacote de instalação do agente de coleta do sistema.

Instalação: permite baixar o pacote de instalação do agente de coleta do sistema. O que é o projeto O PROINFODATA - programa de coleta de dados do projeto ProInfo/MEC de inclusão digital nas escolas públicas brasileiras tem como objetivo acompanhar o estado de funcionamento dos laboratórios

Leia mais

Manual Operacional SIGA

Manual Operacional SIGA SMS - ATTI Julho -2012 Conteúdo Sumário... 2... 3 Consultar Registros... 4 Realizar Atendimento... 9 Adicionar Procedimento... 11 Não Atendimento... 15 Novo Atendimento... 16 Relatórios Dados Estatísticos...

Leia mais

Manual Backup Online. Manual do Usuário. Versão 1.0.1. Copyright Backup Online 2014. https://backuponlinegvt.com.br

Manual Backup Online. Manual do Usuário. Versão 1.0.1. Copyright Backup Online 2014. https://backuponlinegvt.com.br Manual Backup Online Manual do Usuário Versão 1.0.1 Copyright Backup Online 2014 https://backuponlinegvt.com.br 1 Manual Backup Online 1 Índice 1 Índice... 2 2 Backup Online...Erro! Indicador não definido.

Leia mais

FISIOLOGIA RESPIRATÓRIA

FISIOLOGIA RESPIRATÓRIA FISIOLOGIA RESPIRATÓRIA Respiração A função da respiração é essencial à vida e pode ser definida, de um modo simplificado, como a troca de gases (O 2 e CO 2 ) entre as células do organismo e a atmosfera.

Leia mais

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR 1 Índice: 01- Acesso ao WEBMAIL 02- Enviar uma mensagem 03- Anexar um arquivo em uma mensagem 04- Ler/Abrir uma mensagem 05- Responder uma mensagem

Leia mais

Manual de Utilização COPAMAIL. Zimbra Versão 8.0.2

Manual de Utilização COPAMAIL. Zimbra Versão 8.0.2 Manual de Utilização COPAMAIL Zimbra Versão 8.0.2 Sumário ACESSANDO O EMAIL... 1 ESCREVENDO MENSAGENS E ANEXANDO ARQUIVOS... 1 ADICIONANDO CONTATOS... 4 ADICIONANDO GRUPOS DE CONTATOS... 6 ADICIONANDO

Leia mais

ANEXO TÉCNICO PROCEDIMENTOS PARA CONFIGURAR UMA CONEXÃO VPN COM A BEMATECH

ANEXO TÉCNICO PROCEDIMENTOS PARA CONFIGURAR UMA CONEXÃO VPN COM A BEMATECH ANEXO TÉCNICO PROCEDIMENTOS PARA CONFIGURAR UMA CONEXÃO VPN COM A BEMATECH Introdução Procedimentos para configurar uma conexão VPN com a Bematech, para possibilitar Acesso Remoto para Suporte do ambiente

Leia mais

Apostilas OBJETIVA Escrevente Técnico Judiciário TJ Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo - Concurso Público 2015. Caderno 1.

Apostilas OBJETIVA Escrevente Técnico Judiciário TJ Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo - Concurso Público 2015. Caderno 1. Caderno 1 Índice MS-Windows 7: conceito de pastas, diretórios, arquivos e atalhos, área de trabalho, área de transferência, manipulação de arquivos e pastas, uso dos menus, programas e aplicativos, interação

Leia mais

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº. 018 / 772836-2012 / 2014

COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº. 018 / 772836-2012 / 2014 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº. 018 / 772836-2012 / 2014 A Associação de Combate ao Câncer do Brasil Central, entidade privada sem fins lucrativos da área da saúde, inscrita no CNPJ/MF sob o nº. 25.438.409/0001-15,

Leia mais

ROTEIRO DE INSTALAÇÃO

ROTEIRO DE INSTALAÇÃO ROTEIRO DE INSTALAÇÃO O objetivo deste roteiro é descrever os passos para a instalação do sistema UNICO, afim, de auxiliar os técnicos e evitar possíveis dúvidas e erros de instalação. Instalador O instalador

Leia mais

Tutorial WEB CONTENT MANAGEMENT [WCM] Obtenha benefícios a partir das aplicações customizadas da ADMT.

Tutorial WEB CONTENT MANAGEMENT [WCM] Obtenha benefícios a partir das aplicações customizadas da ADMT. Tutorial WEB CONTENT MANAGEMENT [WCM] Obtenha benefícios a partir das aplicações customizadas da ADMT. PÁGINA: 2 de 21 Nenhuma parte deste documento pode ser utilizado ou reproduzido, em qualquer meio

Leia mais

Protocolo de Ventilação Mecânica

Protocolo de Ventilação Mecânica 1 de 6 RESULTADO ESPERADO: Sistematizar a assistência ventilatória e o processo de desmame objetivando na redução do tempo de ventilação mecânica e as complicações associadas. 1554 PROCESSOS RELACIONADOS:

Leia mais

Ajuda do Software para PC do Vivo 50/60 (português) versão: 3.0. 1. Introdução. 7. Visualizar dados do ano. 3. Caixas de Diálogo. 8.

Ajuda do Software para PC do Vivo 50/60 (português) versão: 3.0. 1. Introdução. 7. Visualizar dados do ano. 3. Caixas de Diálogo. 8. 1. Introdução 3. Caixas de Diálogo 1.1 Guia rápido 3.1 Perfil de paciente novo 1.2 Software 3.2 Abril/Importar perfil do paciente 1.3 Ajuda do software 3.3 Copiar para/exportar perfil do paciente 1.4 Processamento

Leia mais

VENTILAÇÃO MECÂNICA. Instituto da Criança - FMUSP Marta Mataloun

VENTILAÇÃO MECÂNICA. Instituto da Criança - FMUSP Marta Mataloun VENTILAÇÃO MECÂNICA Instituto da Criança - FMUSP Marta Mataloun OBJETIVOS PaO2/ SaO2 PaCO2 / ventilação alveolar Trabalho resp e prevenir fadiga musc recrutar alvéolos colapsados/ atelectasiados COMPLICAÇÕES

Leia mais

Passo a Passo. Sistema integrado de gerenciamento de obras SIGOB Reanálise Visita Técnica

Passo a Passo. Sistema integrado de gerenciamento de obras SIGOB Reanálise Visita Técnica 1 1/39 1 1/39 SUMÁRIO 1. ACESSO AO SIGOB... 2 2. REANÁLISE DA VISITA TÉCNICA (MSD)... 3 3. REANÁLISE DA VISITA TÉCNICA (ÁGUA/ESGOTO)... 7 4. INFORMAÇÕES GERAIS... 14 1 2/39 1. ACESSO AO SIGOB Para acessar

Leia mais

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR 1 Índice: 01- Acesso ao WEBMAIL 02- Enviar uma mensagem 03- Anexar um arquivo em uma mensagem 04- Ler/Abrir uma mensagem 05- Responder uma mensagem

Leia mais

Sistemas de Alimentação de Energia Elétrica de Emergência: Monitoramento dos Hospitais - SP

Sistemas de Alimentação de Energia Elétrica de Emergência: Monitoramento dos Hospitais - SP Sistemas de Alimentação de Energia Elétrica de Emergência: Monitoramento dos Hospitais - SP Experiências do Hospital das Clinicas da FMUSP Equipamentos Médicos Eng. Francisco Benetti 28/04/2010 Hospital

Leia mais