da linha de produtos Encore

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "da linha de produtos Encore"

Transcrição

1 M A N U A L D E R E L AT Ó R I O S da linha de produtos Encore

2 2009 Respironics, Inc. e suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

3 Sumário 1. Relatórios de aderência à terapêutica Tipos de relatórios de aderência à terapêutica Relatórios detalhados Relatórios resumidos Relatórios de tendências Componentes do relatório de aderência à terapêutica Horas de uso Suporte pressórico Pressão Padrões de uso Resumo de aderência à terapêutica Tendência de longo prazo Detalhes diários Tempo na pressão Resumo do aparelho Estatísticas da terapêutica do sono Estatísticas do ventilador Relatórios de aderência à terapêutica transmitida por telefone VIC de aderência à terapêutica (verificação de inspeção visual, ou visual inspection check em inglês) Relatórios de várias transferências de aderência à terapêutica Relatórios de questionário do sono Detalhes do FOSQ FOSQ Escala de sonolência de Epworth Relatório de seguimento...31

4 5. Relatórios de histórico Outras interações Relatórios multipacientes Aderência à terapêutica do paciente Substituição da máscara Tipo e idade da máscara Aderência à terapêutica pelo telefone Relatório de dados demográficos Relatório de ventilação e traçado do paciente Glossário... 37

5 1. Relatórios de aderência à terapêutica Os relatórios de aderência à terapêutica do paciente exibem as informações de uso coletadas por um aparelho terapêutico no formato de relatório detalhado, resumido ou de tendência. O conteúdo de cada relatório varia de acordo com o tipo de aparelho terapêutico e com o modo do aparelho. Os vários tipos de aparelhos são: aderência à terapêutica avançada, aderência à terapêutica básica, Servo-Ventilação Automática (SVA ou Auto SV) e aparelhos ventiladores. Observação: Consulte a ajuda on-line do Encore para obter informações sobre como gerar relatórios. 1.1 Tipos de relatórios de aderência à terapêutica Relatórios detalhado Um relatório detalhado mostra todos os componentes do relatório disponíveis em relação a um aparelho e modo específicos. O relatório detalhado conterá alguns dos seguintes componentes: Horas de uso Suporte pressórico Observação: O conteúdo Pressão dos relatórios de aderência Padrões de uso à terapêutica detalhados, Resumo de aderência à terapêutica resumidos e de tendências Tendência de longo prazo varia de acordo com o tipo do Detalhes diários aparelho e do modo usado. Tempo na pressão Resumo do aparelho Estatísticas da terapêutica do sono Estatísticas do ventilador Relatórios resumido O relatório resumido é um resumo do relatório detalhado. Esse relatório mostra alguns dos componentes que constam no relatório detalhado. O relatório resumido contém alguns destes componentes: Resumo de aderência à terapêutica Resumo do aparelho Horas de uso Resumo de eventos diários por hora Estatísticas da terapêutica do sono Estatísticas do ventilador Relatórios de tendência Relatórios de aderência à terapêutica do paciente O relatório de tendência é um relatório resumido com a adição de informações da tendência de longo prazo. Este relatório mostra alguns dos componentes enumerados acima e as informações sobre a tendência de longo prazo. 1

6 Horas de uso 1.2 Componentes do relatório de aderência à terapêutica Horas de uso O gráfico Horas de Uso mostra o número de horas que o aparelho terapêutico foi usado em um período de tempo determinado. A escala de horas de terapêutica é mostrada à esquerda. As datas das sessões terapêuticas são mostradas na parte inferior do gráfico. A linha preta horizontal mostra o período mínimo de terapêutica configurado. As linhas flex acima dos gráficos de barra mostram as configurações médias do flex e do umidificador, as últimas configurações do flex e do umidificador, e o modo do aparelho usado durante o período de tempo mostrado no gráfico. O gráfico de horas de uso está incluído nos relatórios de aderência à terapêutica detalhado, resumido e de tendência. Observação: Se o paciente receber a terapêutica por um período de tempo inferior ao período mínimo estabelecido, a coluna do tempo correspondente será exibida em vermelho. Todas as outras serão exibidas em verde. Os blocos ou colunas pretas representam somente os períodos de atividade do soprador, o que significa que o aparelho foi ligado mas o paciente não recebeu terapêutica. Os espaços maiores entre as colunas indicam os dias em que o aparelho terapêutico não foi usado. Exemplo de gráfico de horas de uso 2

7 Suporte pressórico e pressão Suporte pressórico O gráfico de suporte pressórico só aparece em relatórios de aparelhos de AutoSV avançado. Este gráfico mostra os valores médios de suporte pressórico gravados pelo aparelho terapêutico em um período de tempo determinado. O suporte pressórico é medido em centímetros de água (cm H 2 O) e apresentado em escala à esquerda. As datas das sessões terapêuticas são mostradas na parte inferior do gráfico. Observação: Datas sem colunas correspondentes indicam dias em que a terapêutica não foi usada Pressão Exemplo de um gráfico de suporte pressórico O gráfico de pressão mostra os valores da pressão gravados pelo aparelho terapêutico em um período de tempo determinado. A pressão é medida em centímetros de água (cm H 2 O) ou hectopascais (hpa) e a escala é mostrada à esquerda. As datas das sessões terapêuticas são mostradas na parte inferior do gráfico. O gráfico de pressão está incluído nos relatórios de aderência à terapêutica detalhado, resumido e de tendência. Observação: Se houver várias configurações de pressão num mesmo dia, será mostrada a última configuração do dia. As interrupções nas linhas indicam os dias em que a terapêutica não foi usada. Exemplo de gráfico de pressão produzido a partir de um aparelho BiPAP Auto 3

8 Padrões de uso Padrões de uso O gráfico de padrões de uso mostra o tempo de terapêutica e sem terapêutica de cada sessão em um período de tempo determinado. As datas da terapêutica são mostradas do lado esquerdo do gráfico. Os totais dos períodos de uso diário são mostrados do lado direito do gráfico. Na parte inferior do gráfico aparece o horário. As horas são expressas no formato de 24 horas. Ao escolher o período de tempo do relatório, é possível escolher 1 semana, 1 mês, 6 meses, exibir todos os dados de aderência à terapêutica, um período de tempo personalizado ou os melhores 30 dias de aderência à terapêutica. A opção Melhores 30 dias de aderência à terapêutica exibe o período de 30 dias consecutivos mais alto dentro dos primeiros 90 dias. Também é possível selecionar qualquer início e término para o intervalo de datas de Melhores 30 dias. Se forem encontrados vários períodos de 30 dias com a mesma pontuação de aderência à terapêutica entre as datas de início e de término, será selecionado o primeiro período de 30 dias dentro do intervalo de datas especificado. As colunas verde e vermelha mostram o uso em cada noite. Quando o paciente recebe a terapêutica por um período de tempo inferior ao período mínimo estabelecido de terapêutica (4 horas), a coluna torna-se vermelha. Quando a terapêutica é recebida por mais de 4 horas, as colunas tornam-se verdes. Colunas ou blocos em preto indicam que o soprador está ligado, mas a respiração do paciente não foi detectada. Isso pode indicar um problema com a máscara ou algum outro problema que pode afetar a aderência à terapêutica e a eficácia do tratamento. Na coluna da direita, o primeiro número (à esquerda da barra) corresponde ao período de tempo total em que o paciente esteve conectado ao aparelho. O segundo número (à direita da barra) corresponde ao período de tempo total em que o soprador esteve ligado, mesmo se o paciente tiver retirado a máscara. Datas sem barras correspondentes indicam dias em que o aparelho terapêutico não foi usado. O gráfico de padrões de uso está incluído nos relatórios de aderência à terapêutica detalhado, resumido e de tendência. 4

9 Resumo de aderência à terapêutica Resumo de aderência à terapêutica Exemplo de gráfico de padrões de uso A tabela de resumo de aderência à terapêutica está localizada no fim de todo relatório. A tabela de resumo de aderência à terapêutica está incluída nos relatórios de aderência à terapêutica detalhado, resumido e de tendência. Exemplo de tabela de resumo de aderência à terapêutica 5

10 Resumo de aderência à terapêutica As estatísticas de aderência à terapêutica estão relacionadas abaixo. Essas estatísticas são apresentadas em relação a todos os tipos de aparelho. Intervalo de datas Dias com uso do aparelho Dias sem uso do aparelho Porcentagem de dias com uso do aparelho Uso acumulado Uso máximo (1 dia) Média de uso (todos os dias) Média de uso (dias de uso) Uso mínimo (1 dia) Porcentagem de dias com uso >= 4 horas Porcentagem de dias com uso < 4 horas Tempo total com soprador Intervalo de datas dos dados do paciente transferidos Total de dias em que o paciente recebeu terapêutica do aparelho Total de dias em que o paciente não recebeu terapêutica do aparelho Total de dias em que o paciente recebeu terapêutica do aparelho dividido pelo total de dias no intervalo de datas Total de horas em que o paciente recebeu terapêutica do aparelho. Sessão mais longa de terapêutica do aparelho Total de horas em que o paciente recebeu terapêutica do aparelho dividido pelo total de dias no intervalo de datas Total de horas em que o paciente recebeu terapêutica do aparelho dividido pelo total de dias com uso do aparelho Sessão mais curta de terapêutica com aparelho Porcentagem de dias com 4 horas ou mais de terapêutica Porcentagem de dias com menos de 4 horas de terapêutica Tempo de funcionamento total da unidade de soprador do aparelho com e sem respiração detectada Observação: O resumo de aderência à terapêutica de aparelhos AutoSV avançados também apresenta os ajustes atuais do aparelho 6

11 Tendência de longo prazo do ventilador Tendência de longo prazo Os gráficos de tendência de longo prazo são gráficos de linha que mostram informações sobre a tendência de apneia, hipopneia, ronco e vazamento, além de médias calculadas em um período de tempo determinado. Nesta seção, os gráficos de tendência de longo prazo são apresentados primeiro de acordo com o tipo de aparelho terapêutico, em seguida, de acordo com as definições de cada gráfico específico dentro do componente de tendência de longo prazo. Os gráficos de tendência de longo prazo estão incluídos na maioria dos relatórios de aderência à terapêutica detalhados e de tendência. Observação: Os tipos de gráficos apresentados aqui podem variar de acordo com o aparelho terapêutico usado, pois diferentes aparelhos podem ter recursos específicos diferentes. 7

12 Gráficos de tendência de longo prazo Gráficos de tendência de longo prazo: Aparelhos de aderência à terapêutica avançada 8

13 Gráficos de tendência de longo prazo Aparelhos SVA 9

14 Gráficos de tendência de longo prazo Aparelhos ventiladores 10

15 Definições de tendência de longo prazo Componentes de tendência de longo prazo Pressão O gráfico de pressão mostra os valores da pressão gravados pelo aparelho terapêutico em um período de tempo determinado. A pressão é medida em centímetros de água (H 2 O), escala à esquerda. As datas das sessões terapêuticas são mostradas na parte inferior do gráfico. Os relatórios de aparelhos de AutoSV avançado mostram o mesmo gráfico de pressão e suporte pressórico na seção de tendência de longo prazo que é mostrada na primeira página do relatório. Observação: Se houver várias configurações de pressão num mesmo dia, será mostrada a última configuração do dia. As interrupções nas linhas indicam os dias em que a terapêutica não foi usada. Exemplo da seção de pressão de um gráfico de tendência de longo prazo Índice de apneia/hipopneia não responsiva Este gráfico mostra a média de sinalizadores de apneia/hipopneia não-responsiva gerados quando o paciente tem apneias e/ou hipopneias que não respondem ao aumento de pressão do aparelho terapêutico. É detectado quando o paciente tem pelo menos duas apneias e/ou hipopneias, o nível de pressão do aparelho terapêutico aumenta em pelo menos três cm de H 2 O e o paciente continua a ter apneias e/ou hipopneias. Os eventos de apneia/hipopneia não-responsiva são mostrados na escala à esquerda e a data é mostrada na parte inferior do gráfico. Observação: O índice de apneia/hipopneia não-responsiva é calculado dividindo-se o número total de eventos de apneia/hipopneia não-responsiva por noite pelas horas de uso. A média do índice de apneia/hipopneia não-responsiva é calculada dividindo-se o número total de eventos pelo número de horas de terapêutica. Índice de apneia obstrutiva e índice de apneia Existe indicação de apneia quando ocorre uma redução de 80% no fluxo de ar durante 10 segundos ou mais em comparação à média de fluxo de ar em um período de vários minutos, ou quando não é detectado nenhum fluxo de ar por 10 segundos ou mais. Este gráfico mostra a média de eventos de apneia durante a noite. Os eventos de apneia são mostrados na escala à esquerda e a data é mostrada na parte inferior do gráfico. A próxima página contém um exemplo de índice de apneia obstrutiva. Observação: O índice de apneia obstrutiva é calculado pelo número total de eventos de apneia obstrutiva por noite dividido pelas horas de uso. A média do índice de apneia obstrutiva, apresentada à direita do gráfico, é calculada dividindo-se o número total de eventos pelo número de horas de terapêutica. 11

16 Definições de tendência de longo prazo Exemplo da seção de índice de apneia obstrutiva de um gráfico de tendência de longo prazo Índice de hipopneia Há indicação de hipopneia quando ocorre uma redução de aproximadamente 79% - 40% no fluxo de ar durante 10 a 60 segundos em comparação com a média de fluxo de ar durante um período de vários minutos. Após uma redução no fluxo de ar, o aparelho terapêutico deve detectar duas respirações de recuperação para que o evento seja rotulado como uma hipopneia em potencial. Este gráfico mostra a média de eventos de hipopneia durante a noite. Os eventos de hipopneia são mostrados na escala à esquerda e a data é mostrada na parte inferior do gráfico. Observação: O índice de hipopneia é calculado dividindo-se o número total de eventos de hipopneia por noite pelas horas de uso. A média do índice de hipopneia, apresentada à direita do gráfico, é calculada dividindo-se o número total de eventos pelo número de horas de terapêutica. Exemplo da seção de índice de hipopneia de um gráfico de tendência de longo prazo Índice de limitação do fluxo As mudanças na limitação do fluxo são registradas como eventos. Os valores do índice e da média podem ser usados para indicar se houve uma degradação significativa no sinal do fluxo, resultando em um aumento de pressão. Este gráfico mostra a média de eventos de limitação do fluxo durante a noite. Os eventos de limitação do fluxo são mostrados na escala à esquerda e a data é mostrada na parte inferior do gráfico. A próxima página contém um exemplo de índice de limitação do fluxo. Observação: O índice de limitação do fluxo é calculado dividindo-se o número total de eventos de limitação do fluxo por noite pelas horas de uso. A média é calculada dividindo-se o número total de eventos pelo número de dias de terapêutica. 12

17 Definições de tendência de longo prazo Exemplo da seção de índice de limitação do fluxo de um gráfico de tendência de longo prazo Índice de ronco vibratório O sinal de pressão é avaliado quanto à possibilidade de vibração das vias aéreas quando o paciente está inspirando. O índice de ronco vibratório é o número total de eventos de ronco vibratório por noite dividido pelas horas de uso. Os eventos de ronco vibratório são mostrados na escala à esquerda e a data é mostrada na parte inferior do gráfico. Observação: A média do índice de ronco vibratório, apresentada à direita do gráfico, é calculada dividindo-se o número total de eventos pelo número de horas de terapêutica. Vazamento Exemplo da seção de ronco vibratório de um gráfico de tendência de longo prazo O vazamento é medido em litros por minuto. O gráfico exibe a média do índice de vazamento por noite de uso. Se a tabela mostra vazamento no nível de vazamento grande, isso significa que o vazamento é excessivo e há comprometimento da terapêutica. Isso pode ser consequência de um encaixe deficiente da máscara. A quantidade de vazamento é mostrada do lado esquerdo do gráfico e as datas da terapêutica são mostradas na parte inferior do gráfico. Observação: A média da quantidade de vazamento, mostrada à direita do gráfico, é calculada dividindo-se a soma das médias diárias pelo número de horas de terapêutica. Exemplo da seção de vazamento de um gráfico de tendência de longo prazo 13

18 Definições de tendência de longo prazo Porcentagem da noite em respiração de Cheyne-Stokes Este gráfico mostra a porcentagem de tempo em que a respiração de Cheyne-Stokes (RCS) foi detectada. A porcentagem da noite é mostrada na escala à esquerda e a data é mostrada na parte inferior do gráfico. Exemplo da seção de porcentagem da noite em respiração de Cheyne-Stokes de um gráfico de tendência de longo prazo Índice de apneia com via aérea obstruída / Índice de apneia com via aérea desobstruída Os gráficos do índice de apneia com via aérea obstruída e do índice de apneia com via aérea desobstruída só são apresentados na seção de tendência de longo prazo de um aparelho de AutoSV avançado. Existe indicação de apneia quando ocorre uma redução de 80% no fluxo de ar durante 10 segundos em comparação à média de fluxo de ar em um período de vários minutos, ou quando não é detectado nenhum fluxo de ar por 10 segundos. Durante a apneia, o aparelho emite um ou mais pulsos de teste de pressão. O aparelho avalia a resposta do paciente ao(s) pulso(s) de teste e determina se o evento refere-se a uma apneia com via aérea desobstruída ou a uma apneia com via aérea obstruída. Determina-se que uma via aérea está desobstruída se o pulso do teste de pressão gerar uma quantidade significativa de fluxo; caso contrário, determina-se que a via aérea está obstruída. Apneias mediadas centralmente (por ex., apneias centrais clássicas) podem ser acompanhadas por uma via aérea desobstruída ou obstruída. As apneias obstrutivas são sempre acompanhadas de uma via aérea obstruída. Este gráfico mostra a média de eventos de apneia com via aérea desobstruída e com via aérea obstruída durante a noite. Os eventos de apneia são mostrados na escala à esquerda e a data é mostrada na parte inferior do gráfico. Observação: O índice de apneia é calculado dividindo-se o número total de eventos de apneia por noite pelas horas de uso. A média do índice de apneia, apresentada à direita do gráfico, é calculada dividindo-se o número total de eventos pelo número de horas de terapêutica. 14 Exemplo de um gráfico de índice de apneia com via aérea desobstruída e de índice de apneia com via aérea obstruída

19 Definições de tendência de longo prazo Índices de eventos / Índice de limitação do fluxo e índice de ronco vibratório O gráfico de índices de eventos só é apresentado na seção de tendência de longo prazo de um aparelho de AutoSV avançado. Este gráfico mostra o índice de limitação do fluxo e o índice de ronco vibratório em um mesmo gráfico. Exemplo de gráfico de índices de eventos Porcentagem da noite com vazamento grande O gráfico de porcentagem da noite com vazamento grande só é apresentado na seção de tendência de longo prazo de um aparelho de AutoSV avançado. Este gráfico mostra a porcentagem de tempo em que há presença de vazamento grande. A porcentagem da noite é mostrada na escala à esquerda e a data é mostrada na parte inferior. Respirações por minuto Exemplo de gráfico de porcentagem da noite com vazamento grande O gráfico mostra o número médio de respirações por minuto em cada noite de uso. A escala de respirações por minuto é mostrada à esquerda. As datas da terapêutica são mostradas na parte inferior do gráfico. Observação: A média, mostrada à direita do gráfico, é calculada pela soma do número médio de respirações de cada dia dividida pelo número de dias de terapêutica. Exemplo da seção de respiração por minuto de um gráfico de tendência de longo prazo 15

20 Definições de tendência de longo prazo Volume corrente VC E - A média estimada do volume corrente expirado é mostrada por noite de uso. O nível de volume corrente é mostrado na escala à esquerda (ml). As datas da terapêutica são mostradas na parte inferior do gráfico. Observação: A média, mostrada à direita do gráfico, é calculada pela soma das médias diárias dividida pelo número de dias de terapêutica. Pico de fluxo Exemplo da seção de volume corrente de um gráfico de tendência de longo prazo O gráfico mostra a média de pico de fluxo medida por noite de uso. O pico de fluxo é medido pela escala à esquerda. As datas da terapêutica são mostradas na parte inferior do gráfico. Observação: A média, mostrada à direita do gráfico, é calculada pela soma das médias diárias dividida pelo número de dias de terapêutica. Exemplo da seção de pico de fluxo de um gráfico de tendência de longo prazo Respirações iniciadas pelo paciente O gráfico mostra a porcentagem de respirações iniciadas pelo paciente por noite de uso. A porcentagem de respirações iniciadas pelo paciente é mostrada na escala à esquerda. As datas da terapêutica são mostradas na parte inferior do gráfico. Observação: A média, mostrada à direita do gráfico, é calculada pela soma das médias diárias dividida pelo número de dias de terapêutica. Exemplo da seção de respirações iniciadas pelo paciente de um gráfico de tendência de longo prazo 16

21 Definições de tendência de longo prazo Ventilação por minuto O gráfico mostra a média de ventilação por minuto (volume corrente x frequência) medida por noite de uso. Os níveis de ventilação por minuto são mostrados à esquerda. As datas da terapêutica são mostradas na parte inferior do gráfico. Observação: A média, mostrada à direita do gráfico, é calculada pela soma das médias diárias dividida pelo número de dias de terapêutica. Observação: Pode ser que nem todo o conteúdo listado aqui seja apresentado, o conteúdo depende do tipo de aparelho e do modo usado. Exemplo da seção de ventilação por minuto de um gráfico de tendência de longo prazo Contagem de apneias O gráfico mostra o número médio de apneias por noite de uso. Os eventos de apneia são mostrados na escala à esquerda. As datas da terapêutica são mostradas na parte inferior do gráfico. Observação: A média, mostrada à direita do gráfico, é calculada pela soma das médias diárias dividida pelo número de dias de terapêutica. Exemplo da seção de contagem de apneias de um gráfico de tendência de longo prazo 17

22 Gráficos de detalhes diários Detalhes diários Cada página do componente de detalhes diários de um relatório traz os dados detalhados gravados pelo aparelho terapêutico em um único dia de terapêutica. A primeira seção abaixo mostra os gráficos de detalhes diários referentes a vários tipos de aparelho. A segunda seção define cada gráfico individual do componente de detalhes diários pelo tipo de aparelho. Os gráficos de detalhes diários estão incluídos na maioria dos relatórios detalhados de aderência à terapêutica. Observação: As informações geradas aqui podem variar de acordo com o aparelho terapêutico usado, pois diferentes aparelhos podem ter recursos específicos diferentes Gráficos de detalhes diários Aparelhos de aderência à terapêutica avançada 18

23 Detalhes diários: Gráficos Aparelhos SVA 19

24 Gráficos de detalhes diários Aparelhos ventiladores 20

25 Aparelhos de aderência à terapêutica avançada Componentes do relatório de aderência à terapêutica: Definições de aderência à terapêutica avançada em detalhes diários Observação: Pode ser que nem todo o conteúdo listado aqui seja apresentado, o conteúdo depende do tipo de aparelho e do modo usado. Pressão O gráfico de pressão mostra os valores de pressão registrados pelo aparelho terapêutico e os valores da média da pressão no decorrer de uma única sessão terapêutica. A pressão é medida em centímetros de água (escala à esquerda). As horas da sessão de terapêutica são mostradas na parte inferior do gráfico. A pressão 90%, que aparece à direita do gráfico, indica que o paciente utilizou essa pressão ou pressões mais baixas durante 90% do tempo. Exemplo da seção de pressão de um gráfico de detalhes diários de aderência à terapêutica avançada Sinalizadores da terapêutica Este gráfico mostra os tipos de eventos e as horas em que tais eventos ocorreram durante a sessão terapêutica. Sinalizadores existentes:: IAH LF H MeP NR AO R RV RCS RE Índice de apneia/hipopneia Limitação do fluxo Evento de hipopneia Minutos em pressão Apneia/hipopneia não-responsiva Evento de apneia obstrutiva Evento de ronco Ronco vibratório Respiração de Cheyne-Stokes Evento de RERA (despertar relacionado ao esforço respiratório) 21

26 Definições de aderência à terapêutica avançada em detalhes diários Abaixo, um exemplo da seção de sinalizadores da terapêutica do gráfico de detalhes diários de um aparelho de aderência à terapêutica avançada. A próxima página contém um exemplo de gráfico de sinalizadores da terapêutica. Exemplo da seção de sinalizadores da terapêutica de um gráfico de detalhes diários de aderência à terapêutica avançada Vazamento total O gráfico de vazamento total exibe a quantidade total de vazamento (medido em litros por minuto) e as horas em que eles ocorreram na sessão terapêutica. A barra verde de Ajuste normal da máscara, na parte superior do gráfico, mostra que não houve vazamento grande. Se houver um vazamento grande, a barra aparecerá em preto. Os valores referentes a minutos em vazamento grande, porcentagem da noite com grande vazamento e média de vazamento são exibidos à direita do gráfico. Vazamento O gráfico de vazamento ilustra a quantidade de vazamento (medido em litros por minuto) e as horas em que eles ocorreram na sessão terapêutica. Se o gráfico mostrar vazamento no nível VG (vazamento grande), isso significa a existência de um vazamento excessivo que comprometerá a terapêutica. Vazamentos grandes podem ser consequência de um encaixe deficiente da máscara. Exemplo da seção de vazamento de um gráfico de detalhes diários de aderência à terapêutica avançada 22

27 Definições de aderência à terapêutica avançada em detalhes diários Eventos diários por hora Esta tabela apresenta o número de eventos por hora de uma noite de terapêutica. A coluna em destaque indica que o paciente passou 90% da noite nos valores indicados ou abaixo deles. Além dos sinalizadores da terapêutica (conforme definido na página anterior), também estão incluídos na tabela P (pressão) e % (porcentagem da noite). Um exemplo de tabela de eventos diários por hora é mostrado abaixo. Resumo de eventos diários por hora Exemplo de tabela de eventos diários por hora Esta tabela mostra um resumo dos dados da terapêutica exibidos na tabela de eventos diários por hora. Os valores de pressão são cumulativos. Os valores restantes são calculados com base no total de minutos tirados de cada uma das tabelas diárias. Exemplo de tabela de resumo de eventos diários por hora 23

28 Definições de SVA em detalhes diários Aparelhos SVA Os gráficos a seguir exibem as mesmas informações exibidas nos gráficos de tendência de longo prazo de SVA, mas em um formato diário: pressão, pico de fluxo, volume corrente, respirações por minuto, respirações iniciadas pelo paciente e vazamento. Sinalizadores da terapêutica do sono Os índices, apresentados à direita do gráfico, são calculados através da divisão do número total de eventos pelo número de horas de terapêutica. Se houver mais do que um valor em um determinado dia, será feita a média dos números. As medições são gravadas em intervalos de 30 segundos. H AP RCS IAH Evento de hipopneia Evento de apneia Respiração de Cheyne-Stokes Índice de apneia/hipopneia (a soma das apneias e hipopneias durante a noite dividida pelo número de horas de terapêutica.) Exemplo da seção de sinalizadores da terapêutica do sono de um gráfico de detalhes diários de SVA Além de alguns dos sinalizadores acima, o aparelho de AutoSV avançado também mostrará estes sinalizadores: RV LF AD AO Evento de ronco vibratório Evento de limitação do fluxo Apneia com via aérea desobstruída Evento de apneia com via aérea obstruída 24

29 Definições de ventilador em detalhes diários Aparelhos ventiladores Os gráficos a seguir exibem as mesmas informações exibidas nos gráficos de tendência de longo prazo de ventilador, mas em um formato diário: pressão, respirações por minuto, volume corrente, respirações iniciadas pelo paciente, pico de fluxo e ventilação por minuto. Alarmes do ventilador O gráfico mostra a quantidade de tempo em que cada alarme foi ativado. Mesmo se o alarme tiver sido desligado, a ativação ainda assim será registrada. Os tipos de alarme são mostrados na escala à esquerda. As horas da sessões de terapêutica são mostradas na parte inferior do gráfico. Alarmes: PD PA PB VMB AP SPB VCB Paciente desconectado Pressão alta Pressão baixa Ventilação por minuto baixa Apneia Suporte pressórico baixo Volume corrente baixo 25

30 Tempo na pressão e resumo do aparelho Tempo na pressão O valor acumulado das horas de uso da terapêutica é mostrado no lado esquerdo do gráfico. O tempo de uso é mostrado como porcentagem no lado direito e a quantidade de pressão da terapêutica é mostrada em escala na parte inferior do gráfico. A curva indica a quantidade (e porcentagem) de tempo que o paciente passou nos diversos níveis de pressão. O ponto onde a linha vertical intersecta a curva indica o nível de pressão mais próximo de onde o paciente obteve terapêutica ótima 90% do tempo. O gráfico de tempo na pressão está incluído na maioria dos relatórios detalhados de aderência à terapêutica Resumo do aparelho Exemplo de gráfico de tempo na pressão A tabela de resumo do aparelho mostra estatísticas relacionadas com o aparelho terapêutico. As estatísticas variam de acordo com o tipo de aparelho e podem incluir médias de pressão, vazamento, fluxo, frequência respiratória, índice de apneia/hipopneia e configurações do aparelho. Um exemplo de resumo do aparelho é mostrado abaixo. A tabela de resumo do aparelho está incluída na maioria dos relatórios detalhados de aderência à terapêutica. 26 Exemplo de tabela de resumo de aparelho

31 Estatísticas da terapêutica do sono Componentes do relatório de aderência à terapêutica: Estatísticas da terapêutica do sono e do ventilador A tabela de estatísticas da terapêutica do sono mostra a média do tempo em apneia por dia, a média do tempo em vazamento grande por dia, a média de IAH (índice de apneia/hipopneia) e a média da pressão. Um exemplo de tabela de estatísticas da terapêutica do sono produzida a partir de um aparelho BiPAP Auto M Series é mostrado abaixo. As estatísticas da terapêutica do sono estão incluídas na maioria dos relatórios de aderência à terapêutica detalhados, resumidos e de tendência Estatísticas do ventilador Estatísticas da terapêutica do sono Este relatório apresenta um resumo das informações de uso com dados de aderência à terapêutica transferidos de um ventilador. Dependendo do número de dias contidos nos dados de aderência à terapêutica transferidos, esta parte do relatório pode ser mostrada por dia, semana, mês ou ano. As estatísticas do ventilador estão incluídas na maioria dos relatórios de aderência à terapêutica detalhados, resumidos e de tendência de aparelhos ventiladores. Frequência respiratória Respirações iniciadas pelo paciente Pico do fluxo inspiratório Ventilação por minuto Volume corrente expirado Pressão EPAP obtida Pressão IPAP/CPAP obtida Número médio de respirações detectadas por minuto Porcentagem média de respirações iniciadas pelo paciente Média das medições de pico de fluxo Média do volume corrente multiplicada pela frequência VC E - Volume corrente expirado estimado Média da pressão EPAP medida Média da pressão IPAP ou CPAP medida Contagem de desconexões do paciente Contagem de pressão alta de saída Número médio de vezes que o aparelho terapêutico acionou o alarme por ter detectado uma desconexão da máscara, se isso tiver sido ativado Média da quantidade de tempo que o aparelho terapêutico detectou uma pressão suficientemente alta para acionar o alarme 27

32 Estatísticas do ventilador Contagem de pressão baixa de saída Ventilação por minuto baixa Contagem do alarme de apneias Contagem de suporte pressórico baixo Contagem de volume corrente baixo Contagem de apneias Média de vazamento Média da quantidade de tempo que o aparelho terapêutico detectou uma pressão suficientemente baixa para acionar o alarme Média da quantidade de tempo que o aparelho terapêutico detectou uma ventilação por minuto suficientemente baixa para acionar o alarme, se ativado Média da quantidade de tempo, detectada pelo aparelho terapêutico, durante o qual o paciente não acionou o aparelho, se ativado; as informações serão gravadas mesmo que o alarme não tenha sido ativado Média da quantidade de tempo durante o qual o aparelho terapêutico detectou o fato de o suporte pressórico estar suficientemente baixo para acionar o alarme; disponível apenas para aparelhos com a função AVAPS Média da quantidade de tempo durante o qual o aparelho terapêutico detectou um volume corrente suficientemente baixo para acionar o alarme Número médio de apneias detectadas Média do índice de vazamento 28 Exemplo de tabela de estatísticas do ventilador

33 Relatórios de aderência à terapêutica transmitida por telefone 2. Relatórios de aderência à terapêutica transmitida por telefone Alguns aparelhos terapêuticos da Respironics exibem informações de aderência à terapêutica. Os pacientes podem informar sobre os dados de aderência à terapêutica pelo telefone e o usuário pode inseri-los no registro do paciente. O relatório de aderência à terapêutica transmitida pelo telefone inclui os dados demográficos do paciente, as informações da prescrição (se uma prescrição do aparelho tiver sido criada anteriormente), a configuração do umidificador e as informações de aderência à terapêutica, incluindo o intervalo de datas, o número total de horas do soprador, o número total de horas de aderência à terapêutica e a porcentagem de dias com mais de quatro horas de aderência à terapêutica. Observação: É essencial digitar o valor correto da soma de controle. Quando um valor incorreto de soma de controle é digitado, os outros valores não podem ser verificados para determinar se estão corretos e o seguinte aviso é exibido: Importante: Não é possível confirmar a confiabilidade dos dados de aderência à terapêutica relatados. Esta observação só é apresentada quando um valor de soma de controle incorreto é digitado. Exemplo de relatório de aderência à terapêutica transmitida por telefone 2.1 VIC de aderência à terapêutica (verificação de inspeção visual, ou visual inspection check em inglês) Observação: A VIC de aderência à terapêutica só está disponível nos Estados Unidos. A VIC de aderência à terapêutica mede e relata um período de 30 dias consecutivos em que 70% dos dias houve mais de 4 horas de terapêutica, atendendo assim as diretrizes dos Centers for Medicare and Medicaid Services (CMS). 29

34 Relatório de várias transferências de aderência à terapêutica e relatórios de questionário do sono 3. Relatório de várias transferências de aderência à terapêutica Este relatório apresenta um resumo das informações de uso de cada transferência. O relatório de várias transferências de aderência à terapêutica mostra as horas de uso, pressão, gráficos de padrões de uso e a tabela de resumo de aderência à terapêutica que se encontram nos relatórios detalhados. O relatório de várias transferências de aderência à terapêutica só está incluído no EncorePro 1.8i ou versões anteriores. 4. Relatórios de questionário do sono 4.1 Detalhes do FOSQ O questionário sobre impacto funcional da qualidade do sono é um instrumento que avalia como a sonolência afeta as atividades diárias do paciente. A opção Detalhes do FOSQ mostra as respostas do paciente e as pontuações obtidas em cada teste. As respostas do paciente podem ser inseridas periodicamente para monitorar o progresso do paciente com o uso da terapêutica FOSQ 10 Exemplo de detalhes do FOSQ O FOSQ 10 é uma versão com 10 questões do questionário FOSQ mais longo, de 30 questões. A pontuação no FOSQ 10 é a mesma do FOSQ de 30 questões. 4.3 Escala de sonolência de Epworth A Escala de Sonolência de Epworth (ESE) é um instrumento que ajuda a determinar o nível de sonolência diurna do paciente. As pontuações do paciente podem ser inseridas periodicamente para monitorar o progresso do paciente com o uso da terapêutica. Este relatório apresenta as questões, as respostas do paciente e a pontuação total, como mostrado na página a seguir.

35 Relatórios de questionário do sono e relatório de histórico do paciente 4.4 Relatório de seguimento Exemplo de um questionário ESE O relatório de seguimento ajuda o médico a documentar a melhora dos sintomas do paciente durante uma avaliação de seguimento feita com o paciente. Este relatório registra o histórico do sono, os sintomas e sua duração, informações sobre o exame físico, um registro da escala de sonolência de Epworth, comentários e observações, e o estado da terapêutica do paciente. Observação: Somente um usuário clínico ou médico pode gerar um relatório de seguimento. O distribuidor de equipamento médico (DME) só pode exibir um relatório de seguimento existente. 5. Relatórios de histórico Observação: No EncorePro 1.8, este relatório é chamado de relatório de dados demográficos. Este relatório mostra um resumo das informações demográficas do paciente e fornece uma lista completa de todas as interações registradas do paciente. Os resumos de interação estão relacionados em ordem cronológica inversa. O IAH (Índice de apneia/hipopneia) está incluído em cada resumo de interação transferida. 31

36 Relatórios multipacientes 6. Outras interações Prescrição do aparelho Prescrição da máscara Prescrição do umidificador Prescrição de acessório Contato do paciente Histórico médico O relatório de prescrição do aparelho mostra informações sobre o paciente, provedor de serviços de saúde e aparelho prescrito. O relatório de prescrição da máscara mostra informações sobre o paciente, provedor de serviços de saúde e máscara. O relatório de prescrição do umidificador mostra informações sobre o paciente, provedor de serviços de saúde e umidificador. O relatório de prescrição do acessório mostra informações sobre o paciente, provedor de serviços de saúde e acessório. O relatório de contato do paciente mostra informações sobre o paciente, provedor de serviços de saúde e contato do paciente. O relatório de histórico médico mostra o histórico médico registrado do paciente. 7. Relatórios multipacientes 7.1 Aderência à terapêutica do paciente O relatório de multipacientes permite gerar um único relatório resumido sobre qualquer número de pacientes, de acordo com critérios que podem ser selecionados: consultórios, filtros de pacientes, horas de uso/porcentagem de aderência à terapêutica e intervalo de datas. Também se pode especificar parâmetros de grupo e ordenamento para o relatório. Além disso, estão incluídas informações de aderência à terapêutica. Conteúdo do relatório 32 Parâmetros do relatório Nome do paciente Identificação do paciente Total de dias Média de horas de uso Porcentagem de aderência à terapêutica Opções selecionadas de grupo, filtro, ordenação e intervalo de datas. Nome e sobrenome de cada paciente. Número de identificação de cada paciente. O número total de dias durante os quais cada paciente recebeu a terapêutica. O número total de horas durante as quais cada paciente recebeu a terapêutica dividido pelo total de dias de uso. A porcentagem de dias em que cada paciente recebeu terapêutica por um período superior ao mínimo de horas de terapêutica configurado. A configuração padrão do período mínimo de terapêutica é 4 horas.

37 Relatórios multipacientes Aderência à terapêutica Relatórios multipacientes 33

38 Relatórios multipacientes: Relatórios de máscara e de aderência à terapêutica do paciente transmitida por telefone 7.2 Substituição da máscara Este relatório lista os pacientes com máscaras vencidas ou por vencer nos próximos 30 dias. O relatório traz as informações demográficas, as informações da máscara e as informações da prescrição de cada paciente. 7.3 Tipo e idade da máscara Este relatório mostra um resumo de todos os pacientes e seus tipos de máscaras, organizados pela idade da máscara. O relatório pode ser agrupado por médico solicitante, seguradora ou tipo de máscara. Também estão incluídas as informações de aderência à terapêutica. Observação: É importante que se crie uma prescrição da máscara no EncorePro todas as vezes que o paciente receber uma nova máscara. O EncorePro acompanha o tipo e a idade da máscara a partir das informações da prescrição da máscara. Se não for criada uma prescrição da máscara para um paciente, o tipo da máscara vai constar como N/D no relatório e a idade da máscara permanecerá zero. Quando se cria a prescrição de uma máscara, é preciso mudar a data para o dia em que o paciente recebeu a máscara. O relatório multipacientes de tipo e idade das máscaras inclui o nome do paciente e seu número de telefone, a média de horas de uso, a porcentagem de aderência à terapêutica, a seguradora, o tipo de máscara, a idade da máscara e o nome do médico solicitante. O relatório mulitpacientes de tipo e idade das máscaras só está incluído no EncorePro 1.8i ou versões anteriores. 7.4 Aderência à terapêutica pelo telefone O relatório de aderência à terapêutica de multipacientes transmitida por telefone gera um único relatório resumido de dados de aderência à terapêutica transmitidos por telefone referentes a qualquer número de pacientes de acordo com critérios especificados pelo usuário: filtros/grupos, filtros de pacientes e intervalo de datas. É possível criar qualquer combinação de filtros e intervalos de datas. 7.5 Relatório de dados demográficos O relatório de dados demográficos exibe os dados demográficos de todos os pacientes da empresa. 34

39 8. Relatório de ventilação e traçado do paciente Relatório de ventilação e traçado do paciente Os dados de traçado de um modem com fio serão carregados (upload) durante a primeira chamada do modem e, a partir de então, a cada 7 dias. Quando um paciente executa uma chamada manual pelo aparelho, nenhum fluxo será transferido a menos que tenham se passado 7 dias desde o último carregamento de traçado. A primeira página do relatório de traçado mostra as informações do paciente e a legenda da tabela. A legenda mostra todas as linhas e marcadores que podem aparecer no gráfico de traçado, definidos assim: Fluxo CPAP IPAP EPAP PP - Pressão do pulso AD - Apneia com via aérea desobstruída AO - Apneia de via aérea obstruída H - Hipopneia LF - Limitação do fluxo RE - RERA RV - Ronco vibratório VG - Vazamento grande RCS - Respiração de Cheyne-Stokes traçado de fluxo gerado pelo paciente. pressão CPAP. pressão IPAP. pressão EPAP. um ou mais pulsos de teste emitidos pelo aparelho durante uma apneia para determinar se o evento é uma apneia com via aérea desobstruída ou uma apneia de via aérea obstruída. a via aérea é considerada desobstruída se o pulso de teste de pressão gerar uma quantidade significativa de fluxo. a via aérea é considerada obstruída se o pulso de teste de pressão não gerar uma quantidade significativa de fluxo. há indicação de hipopneia quando ocorre uma redução de aproximadamente 79% - 40% no fluxo de ar durante 10 a 60 segundos em comparação com a média de fluxo de ar durante um período de vários minutos. indica se houve uma degradação significativa no sinal de fluxo. despertar relacionado com esforço respiratório. o sinal de pressão é avaliado quanto à possibilidade de vibração das vias aéreas quando o paciente está inspirando. mostra um período de tempo em que ocorreu um vazamento grande. indica um evento de respiração de Cheyne-Stokes durante o período de tempo em destaque. No relatório de traçado, cada página mostra 1 hora de dados de traçado e cada linha na página mostra os dados coletados durante intervalos de 6 minutos. A hora do dia é exibida à esquerda dos gráficos do traçado. O tempo em minutos é exibido no eixo x. O índice de fluxo volumétrico é exibido no eixo y esquerdo, em litros por minuto (l/min), e a pressão é exibida no eixo y direito em centímetros de água (cmh 2 O). A página a seguir contém um exemplo de página do relatório de traçado. 35

40 Relatório de ventilação e traçado do paciente 36

41 Glossário Glossário Aderência à terapêutica pelo telefone AOS APAP (Auto CPAP) Bi-Flex BiPAP/Nível duplo Cartão SD C-Flex DEM EPAP ESE Refere-se às estatísticas básicas de aderência à terapêutica exibidas no aparelho que o paciente transmite para o provedor de cuidados domiciliares ou distribuidor de equipamento médico através do telefone. Em geral, aparelhos mais simples que não têm compatibilidade com SmartCard ou cartão SD usam dados de aderência à terapêutica transmitidos por telefone para relatar a aderência à terapêutica do paciente para fins de reembolso. Apneia obstrutiva do sono Um algoritmo que aumenta e reduz a quantidade de pressão automaticamente, com base nos requisitos variáveis do paciente Alívio pressórico durante a fase final da inspiração e durante a expiração ativa A pressão se alterna entre pressão inspiratória e pressão expiratória durante a respiração espontânea. Armazena e transfere dados de um aparelho para um computador com um leitor de cartões SD Ajusta a pressão CPAP na expiração para aumentar o conforto do paciente Distribuidor de equipamento médico Pressão expiratória positiva nas vias respiratórias (Expiratory Positive Airway Pressure) A Escala de Sonolência de Epworth é um instrumento que ajuda a determinar o nível de sonolência diurna do paciente 37

42 Glossário FOSQ IAH IPAP Noite dividida MAP Rampa RERA SmartCard SVA Tempo de rampa Questionário sobre impacto funcional da qualidade do sono, um instrumento para avaliar como a sonolência afeta as atividades diárias Índice de apneia/hipopneia Pressão inspiratória positiva nas vias respiratórias (Inspiratory Positive Airway Pressure) Um modo que possibilita retardar o algoritmo de CPAP durante um intervalo de tempo pré-selecionável. Médico de assistência primária Um aumento linear da pressão durante um período fixo de tempo, de um valor inicial baixo até o valor da prescrição O despertar relacionado ao esforço respiratório significa um despertar do sono que ocorre após uma sequência de 10 segundos ou mais de respirações caracterizadas por um aumento do esforço respiratório que não atende os critérios de apneia ou hipopneia. O ronco, embora normalmente associado com esta condição, pode não estar presente. O algoritmo do RERA monitora uma sequência de respirações que demonstram tanto uma redução sutil no fluxo de ar quanto uma limitação progressiva no fluxo. Se essa sequência de respirações for interrompida por um aumento súbito no fluxo de ar juntamente com a ausência de limitação de fluxo, e se o evento não atender as condições de hipopneia ou apneia, haverá indicação de RERA. Armazena e transfere dados de um aparelho para um computador com um leitor de SmartCard Servo-Ventilação Automática (ou Auto SV) O período de tempo em que a pressão aumenta do valor inicial baixo até o valor da prescrição. 38

43 EUA Alemanha GK 8/5/09 Português -BR

Atenda às necessidades em constante mudança dos seus pacientes. Trilogy100, tecnologia avançada de ventilação

Atenda às necessidades em constante mudança dos seus pacientes. Trilogy100, tecnologia avançada de ventilação Atenda às necessidades em constante mudança dos seus pacientes. Trilogy100, tecnologia avançada de ventilação Trilogy100, características exclusivas para pacientes exclusivos Trilogy100, um versátil ventilador

Leia mais

A solução inteligente

A solução inteligente A solução inteligente O sistema de terapia do sono da Philips Respironics utiliza inteligência avançada para assegurar os cuidados ideais ao mesmo tempo que simplifica a gestão do paciente Uma nova plataforma

Leia mais

VPAP Auto 25, VPAP ST e VPAP S Dispositivo de Pressão Positiva das Vias Respiratórias Guia de Gerenciamento de Dados Português

VPAP Auto 25, VPAP ST e VPAP S Dispositivo de Pressão Positiva das Vias Respiratórias Guia de Gerenciamento de Dados Português VA Auto 25, VA ST e VA S Dispositivo de ressão ositiva das Vias Respiratórias Guia de Gerenciamento de Dados ortuguês A tabela a seguir mostra onde os dados dos geradores de fluxo VA podem ser visualizados.

Leia mais

VS III. Ventilador a volume e pressão Para uso invasivo e não-invasivo

VS III. Ventilador a volume e pressão Para uso invasivo e não-invasivo VS III Ventilador a volume e pressão Para uso invasivo e não-invasivo Sua solução de ventilação versátil, eficiente e fácil de usar, do hospital para a residência DESTAQUES DA TECNOLOGIA Desempenho avançado

Leia mais

Série S9 VPAP Adapt / VPAP Auto / VPAP S / VPAP ST / VPAP Adapt (ASV) / VPAP ST-A (ivaps)

Série S9 VPAP Adapt / VPAP Auto / VPAP S / VPAP ST / VPAP Adapt (ASV) / VPAP ST-A (ivaps) Série S9 VA Adapt / VA Auto / VA S / VA ST / VA Adapt (ASV) / VA ST-A (ivas) Guia de Gerenciamento de Dados ortuguês A tabela a seguir mostra onde os dados dos dispositivos da Série S9 podem ser visualizados.

Leia mais

Apenas natural Alguns pacientes precisam de uma terapia do sono mais próxima da respiração natural

Apenas natural Alguns pacientes precisam de uma terapia do sono mais próxima da respiração natural Apenas natural Alguns pacientes precisam de uma terapia do sono mais próxima da respiração natural Apresentando os sistemas de sono REMstar M Series Os sistemas de sono REMstar M Series com C-Flex fazem

Leia mais

Mini-guia para o EncorePro

Mini-guia para o EncorePro System One REMstar Auto with A-Flex 1 17 18 19 1 3 1 3 Mini-guia para o EncorePro rt to create and select Save, View or Print. Trend Detailed Include/Exclude 1 3 Dados de conformidade Tendência de longo

Leia mais

Terapia do sono I Ventilação I Interface paciente. Terapia do sono. Soluções terapêuticas individuais para o sono

Terapia do sono I Ventilação I Interface paciente. Terapia do sono. Soluções terapêuticas individuais para o sono Terapia do sono Soluções terapêuticas individuais para o sono Terapia do sono Soluções terapêuticas individuais para o sono Para cada paciente, a melhor terapia É cada vez maior o número de áreas médicas

Leia mais

mudanças em qualquer uma dos ajustes nas janelas do paciente ou do ventilador sejam implementadas.

mudanças em qualquer uma dos ajustes nas janelas do paciente ou do ventilador sejam implementadas. 1- DESCRIÇÃO O xlung é um simulador virtual da interação paciente-ventilador pulmonar que incorpora os principais recursos do suporte ventilatório a diferentes configurações de aspectos demográficos, de

Leia mais

TAKAOKA MONTEREY SMART

TAKAOKA MONTEREY SMART TAKAOKA MONTEREY SMART OPERAÇÃO NO RECÉM-NASCIDO O Monterey Smart é um respirador microprocessado desenvolvido para atender pacientes adultos, infantis e neonatais em terapia intensiva e transporte intra

Leia mais

BiPAP Auto Bi-Flex. Manual do usuário

BiPAP Auto Bi-Flex. Manual do usuário BiPAP Auto Bi-Flex Manual do usuário 2010 Koninklijke Philips Electronics N.V. Todos os direitos reservados. Sumário Indicação de uso...2 Importante...2 Advertências...2 Precauções...3 Contraindicações...3

Leia mais

Ventiladores para adultos e pediátricos. Guia de configuração rápida. Português

Ventiladores para adultos e pediátricos. Guia de configuração rápida. Português Ventiladores para adultos e pediátricos Guia de configuração rápida Português Configuração Utilização não invasiva Cabo de alimentação CA Máscara Stellar 2 Tubos de ar 3 4 5 1 Umidificador aquecido H4i

Leia mais

4 Confiabilidade Metrológica do Ventilador Pulmonar

4 Confiabilidade Metrológica do Ventilador Pulmonar 4 Confiabilidade Metrológica do Ventilador Pulmonar A metrologia avançou muito na área industrial e científica, mas, apesar de sua óbvia importância, sua aplicação ainda é incipiente na área da saúde.

Leia mais

BiPAP Synchrony. Guia de montagem

BiPAP Synchrony. Guia de montagem BiPAP Synchrony Guia de montagem Vazamento Integrated integrado Leak Interface Patient do Interface paciente Tubulação Circuit do Tubing circuito Filtro bacteriano Bacteria (opcional) Filter (Optional)

Leia mais

Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb

Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Dezembro/2012 2 Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Sumário de Informações do Documento Título do Documento: Resumo:

Leia mais

Treinamento Sistema Condominium Módulo II

Treinamento Sistema Condominium Módulo II CONDOMINIUM - Módulo II GERAÇÃO DE EMISSÕES RATEIO Neste módulo o aprendizado será a emissão dos boletos bancários. O sistema disponibiliza algumas maneiras para facilitar o seu dia-a-dia: Sequencia para

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO SOFTWARE

MANUAL DE INSTRUÇÕES DO SOFTWARE Quality makes the Difference MANUAL DE INSTRUÇÕES DO SOFTWARE Inicialização com a Versão 1.1.23 Conteúdo Índice Avisos Importantes...6 Primeiros passos...7 Requisitos do sistema...7 Software de Instalação...9

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina CAPÍTULO 6 GRÁFICOS NO EXCEL.

Universidade Federal de Santa Catarina CAPÍTULO 6 GRÁFICOS NO EXCEL. CAPÍTULO 6 GRÁFICOS NO EXCEL. Um gráfico no Excel é uma representação gráfica dos números de sua planilha - números transformados em imagens. O Excel examina um grupo de células que tenham sido selecionadas.

Leia mais

s em Me d iç d l KlimaLogg Pro SOFTWARE

s em Me d iç d l KlimaLogg Pro SOFTWARE KlimaLogg Pro Ma n In s tr Soluç u çõ s em Me es ão d iç õe d l a u e SOFTWARE Software KlimaLogg Pro Registrador de umidade e temperatura Índice Visão geral...03 Guia Rápido...03 Configuração do dispositivo

Leia mais

CPAP/OS - ventilação com pressão contínua em vias aéreas / Ventilação com Pressão de Suporte.

CPAP/OS - ventilação com pressão contínua em vias aéreas / Ventilação com Pressão de Suporte. SERVOVENTILADOR COLOR MS: 10229820103 OCP: TÜV Rheinland... DESCRITIVO Servoventilador pulmonar microprocessado eletrônico para insuficiência respiratória de paciente adulto a neonatal em UTI. Reúne ventilação

Leia mais

1) Antes de Começar. 2) Características Gerais

1) Antes de Começar. 2) Características Gerais Índice: 1 - Antes de Começar... 01 2 - Características Gerais... 01 3 - Instalação... 02 3 -... 04 4.1 - Cadastro dos Números Telefônicos... 05 4.2 - Testando os Números Telefônicos... 09 5 - Alteração

Leia mais

Manual AGENDA DE BACKUP

Manual AGENDA DE BACKUP Gemelo Backup Online DESKTOP Manual AGENDA DE BACKUP Realiza seus backups de maneira automática. Você só programa os dias e horas em que serão efetuados. A única coisa que você deve fazer é manter seu

Leia mais

Guia do Wattbike Expert Software para Iniciantes

Guia do Wattbike Expert Software para Iniciantes Guia do Wattbike Expert Software para Iniciantes 1 Índice Introdução............................................... 3 Conexão do software ao Computador de Desempenho Wattbike tela padrão Polar e edição

Leia mais

Guia de bolso. System One REMstar Pro e REMstar Auto

Guia de bolso. System One REMstar Pro e REMstar Auto Guia de bolso System One REMstar Pro e REMstar Auto Este guia de bolso não substitui o manual completo. Pode consultar informações adicionais importantes nos manuais dos respectivos dispositivos. Controlos

Leia mais

Noções Básicas de Excel página 1 de 19

Noções Básicas de Excel página 1 de 19 Noções Básicas de Excel página 1 de 19 Conhecendo a tela do Excel. A BARRA DE FÓRMULAS exibe o conteúdo de cada célula (local) da planilha. Nela podemos inserir e alterar nomes, datas, fórmulas, funções.

Leia mais

Manual do Usuário ZKPatrol1.0

Manual do Usuário ZKPatrol1.0 Manual do Usuário ZKPatrol1.0 SOFTWARE Sumário 1 Introdução de Funções... 3 1.2 Operação Básica... 4 1.3 Seleção de idioma... 4 2 Gerenciamento do Sistema... 5 2.1 Entrar no sistema... 5 2.2 Sair do Sistema...

Leia mais

Manual do Módulo SAC

Manual do Módulo SAC 1 Manual do Módulo SAC Índice ÍNDICE 1 OBJETIVO 4 INICIO 4 SAC 7 ASSOCIADO 9 COBRANÇA 10 CUSTO MÉDICO 10 ATENDIMENTOS 11 GUIAS 12 CREDENCIADO 13 LIVRETO 14 BUSCA POR RECURSO 15 CORPO CLÍNICO 16 MENU ARQUIVO

Leia mais

Lidar com números e estatísticas não é fácil. Reunir esses números numa apresentação pode ser ainda mais complicado.

Lidar com números e estatísticas não é fácil. Reunir esses números numa apresentação pode ser ainda mais complicado. , ()! $ Lidar com números e estatísticas não é fácil. Reunir esses números numa apresentação pode ser ainda mais complicado. Uma estratégia muito utilizada para organizar visualmente informações numéricas

Leia mais

Manual AGENDA DE BACKUP

Manual AGENDA DE BACKUP Gemelo Backup Online DESKTOP Manual AGENDA DE BACKUP Realiza seus backups de maneira automática. Você só programa os dias e horas em que serão efetuados. A única coisa que você deve fazer é manter seu

Leia mais

Ventiladores para adultos e pediátricos. Guia de preparação rápida. Português

Ventiladores para adultos e pediátricos. Guia de preparação rápida. Português Ventiladores para adultos e pediátricos Guia de preparação rápida Português Configuração Utilização não invasiva Cabo eléctrico CA Máscara Stellar 2 Tubagem de ar 3 4 5 1 Cabo eléctrico CA Clipe de fixação

Leia mais

SISCOF - Manual do Usuário

SISCOF - Manual do Usuário SISCOF - Manual do Usuário SERPRO / SUPDE / DECTA / DE901 SISTEMA DE CONTROLE DE FREQUÊNCIA Versão 1.2 Sumário SISCOF Sistema de Controle de Frequência 1. Login e Senha... 2 1.1 Como Efetuar Login No Sistema...

Leia mais

II Torneio de Programação em LabVIEW

II Torneio de Programação em LabVIEW Desenvolvimento da Aplicação II Torneio de Programação em LabVIEW Seção I: Requisitos Gerais A aplicação submetida deverá atender, pelo menos, às exigências de funcionamento descritas na Seção II deste

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Ferramenta de Fidelização Eletrônica ÁGUA DOCE SABORES DO BRASIL. Interface de OPERAÇÃO (no caixa)

MANUAL DO USUÁRIO. Ferramenta de Fidelização Eletrônica ÁGUA DOCE SABORES DO BRASIL. Interface de OPERAÇÃO (no caixa) MANUAL DO USUÁRIO Ferramenta de Fidelização Eletrônica ÁGUA DOCE SABORES DO BRASIL Interface de OPERAÇÃO (no caixa) http://abf.e-deploy.com.br/operacao/ Versão 1.0 Conteúdo Sobre o programa fidelidade

Leia mais

GUIA DO PACIENTE COUGH ASSIST

GUIA DO PACIENTE COUGH ASSIST GUIA DO PACIENTE COUGH ASSIST Envisioning tomorrow. Improving today. SM POR QUE TOSSIMOS? Tossir é uma ocorrência comum que muitas pessoas realizam normalmente. A capacidade de tossir é essencial à vida.

Leia mais

Novidades da Versão 3.0.0.30

Novidades da Versão 3.0.0.30 Novidades da Versão 3.0.0.30 Alteração Equipamento Unidade Instalação Inserida informação Telemetria na Tela de Alteração de Equipamento Unidade de Instalação (326). A informação Roaming Internacional

Leia mais

SIGA Saúde. Sistema Integrado de Gestão da Assistência à Saúde. Manual operacional. Módulo Agenda Agendamento Local

SIGA Saúde. Sistema Integrado de Gestão da Assistência à Saúde. Manual operacional. Módulo Agenda Agendamento Local SIGA Saúde Sistema Integrado de Gestão da Assistência à Saúde Manual operacional Módulo Agenda Agendamento Local Sumário Introdução... 3 Agendamento... 4 Pesquisa de vagas... 5 Perfil de Agenda... 6 Dados

Leia mais

Painel de Controle. SISGEM - Gestão de Empreendimentos

Painel de Controle. SISGEM - Gestão de Empreendimentos Painel de Controle SISGEM - Gestão de Empreendimentos Painel de Controle: Conceito O Painel de Controle é um painel gráfico que exibe as informações gerenciais consolidadas dos empreendimentos controlados

Leia mais

Manual do Portal do Usuário 4.8

Manual do Portal do Usuário 4.8 Manual do Portal do Usuário 4.8 Este Manual MobiDM descreve as operações básicas do portal ao nível de acesso do usuário Versão: x.x Manual do Usuário MOBIDM Página 1 Índice Introdução 2 Arquivos de ajuda

Leia mais

Tutorial Administrativo (Backoffice)

Tutorial Administrativo (Backoffice) Manual - Software ENTRANDO NO SISTEMA BACKOFFICE Para entrar no sitema Backoffice, digite no seu navegador de internet o seguinte endereço: http://pesquisa.webbyapp.com/ Entre com o login e senha. Caso

Leia mais

BlackBerry Mobile Voice System Versão: 5.0 Service pack: 1. Visão geral técnica e dos recursos

BlackBerry Mobile Voice System Versão: 5.0 Service pack: 1. Visão geral técnica e dos recursos BlackBerry Mobile Voice System Versão: 5.0 Service pack: 1 Visão geral técnica e dos recursos SWD-1031491-1025120324-012 Conteúdo 1 Visão geral... 3 2 Recursos... 4 Recursos para gerenciar contas de usuário

Leia mais

Treinamento GVcollege Módulo Acadêmico - Pedagógico

Treinamento GVcollege Módulo Acadêmico - Pedagógico Treinamento GVcollege Módulo Acadêmico - Pedagógico 2015 GVDASA Sistemas Pedagógico 2 AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações

Leia mais

Gerenciador de Psicotropicos

Gerenciador de Psicotropicos Gerenciador de Psicotropicos Gerenciador de Psicotrópicos Introdução Este manual orientará na utilização da ferramenta disponibilizada pelo sistema VSM na geração e envio dos arquivos e controle dos livros

Leia mais

Manual do Software da terapia da apneia do sono - Versão para o médico

Manual do Software da terapia da apneia do sono - Versão para o médico Manual do Software da terapia da apneia do sono - Versão para o médico Página ii Manual do Software da terapia da apneia do sono - Versão para o médico Avisos Revisado Aviso Marcas comerciais Copyright

Leia mais

Sistema CPAP RemStar Plus

Sistema CPAP RemStar Plus Sistema CPAP RemStar Plus Pressionar a tecla (on/off), onde irá ativar o aparelho. Retirar o cabo da parte posterior do aparelho. Pressionar a tecla e de redução temporária de pressão juntas; manter pressionada

Leia mais

Adenda ao Manual do Operador

Adenda ao Manual do Operador Opção NeoMode Introdução Esta adenda mostra como utilizar a opção de software NeoMode no Ventilador Puritan Bennett 840. Consulte o Manual de referência técnica e do operador do sistema do ventilador Puritan

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. 1. Descrição Geral Este manual descreve as operações disponíveis no módulo VTWEB Client, cuja finalidade é gerenciar cadastros de funcionários, realização de pedidos e controle financeiro dos pedidos.

Leia mais

REMstar Auto A-Flex MANUAL DO USUÁRIO

REMstar Auto A-Flex MANUAL DO USUÁRIO REMstar Auto A-Flex MANUAL DO USUÁRIO 2010 Koninklijke Philips Electronics N.V. Todos os direitos reservados. Sumário Indicação de uso...2 Importante...2 Advertências...2 Precauções...3 Contraindicações...3

Leia mais

INDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONFIGURAÇÃO MÍNIMA... 4 3. INSTALAÇÃO... 4 4. INTERLIGAÇÃO DO SISTEMA... 5 5. ALGUNS RECURSOS... 6 6. SERVIDOR BAM...

INDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONFIGURAÇÃO MÍNIMA... 4 3. INSTALAÇÃO... 4 4. INTERLIGAÇÃO DO SISTEMA... 5 5. ALGUNS RECURSOS... 6 6. SERVIDOR BAM... 1 de 30 INDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONFIGURAÇÃO MÍNIMA... 4 3. INSTALAÇÃO... 4 3.1. ONDE SE DEVE INSTALAR O SERVIDOR BAM?... 4 3.2. ONDE SE DEVE INSTALAR O PROGRAMADOR REMOTO BAM?... 4 3.3. COMO FAZER

Leia mais

Monnal T60. Um toque para respirar. www.airliquide.com.br

Monnal T60. Um toque para respirar. www.airliquide.com.br Monnal T60 Um toque para respirar. www.airliquide.com.br Junto da emergência Monnal T60 foi desenvolvido especialmente para intervenções médicas móveis em todos os ambientes de terapia intensiva, seja

Leia mais

Android Como configurar Rede sem fio Univates-Professores

Android Como configurar Rede sem fio Univates-Professores 1/7 Android Como configurar Rede sem fio Univates-Professores Instruções: Este procedimento deverá ser executado em seu Tablet ou Smartphone pessoal que utiliza a rede wireless Univates-Professores. Como

Leia mais

Frontur Consolidação Portal / Manual versão 2.0

Frontur Consolidação Portal / Manual versão 2.0 Frontur Consolidação Portal / Manual versão 2.0 Manual Avançado Portal Agências Sumário 1 Portal Frontur Consolidação... 3 2 Reconhecendo o Portal... 03/04/2014 3 3 Navegando e utilizando o Portal... 5

Leia mais

Associação Educacional Dom Bosco Curso de Engenharia 1º ano

Associação Educacional Dom Bosco Curso de Engenharia 1º ano Formatação condicional utilizando o valor da célula O que é? Algumas vezes é preciso destacar os valores, ou seja, como colocar em vermelho ou entre parênteses, os negativos, e de outra cor os positivos,

Leia mais

ST 160 ST 160 0 # Manual de Referência e Instalação

ST 160 ST 160 0 # Manual de Referência e Instalação ST 160 ST 160 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 # Manual de Referência e Instalação Descrições 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0 # 3 2 Número Descrição 1 Indicador de modo 2 Antena 3 Matriz do Teclado 4 Parafuso Especificações

Leia mais

Guia de Início Rápido

Guia de Início Rápido Guia de Início Rápido Microsoft PowerPoint 2013 apresenta uma aparência diferente das versões anteriores; desse modo, criamos este guia para ajudá-lo a minimizar a curva de aprendizado. Encontre o que

Leia mais

2.1. Guia de adaptação rápida - Início. Preparação dos aparelhos auditivos

2.1. Guia de adaptação rápida - Início. Preparação dos aparelhos auditivos Guia de adaptação rápida - Início Este guia fornece instruções detalhadas para adaptação de aparelhos auditivos com o Phonak Target. Veja também [Novidades] na tela inicial do Phonak Target. Os dados do

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais

Z13 Color Jetprinter Z23 Color Jetprinter Z33 Color Jetprinter

Z13 Color Jetprinter Z23 Color Jetprinter Z33 Color Jetprinter Z13 Color Jetprinter Z23 Color Jetprinter Z33 Color Jetprinter Da instalação até a impressão Da instalação até a impressão para Windows 98, Windows Me, Windows 2000, Mac OS 8.6 à 9.1 e Mac OS X Abril 2001

Leia mais

Office 365 Manual Outlook 365 Web Application

Office 365 Manual Outlook 365 Web Application Office 365 Manual Outlook 365 Web Application Requisitos para usar o Office 365: Ter instalado pelo menos a versão 7 do Internet Explorer, Mozilla Firefox 15, Google Chrome 21 ou Safari no Mac. O que é

Leia mais

Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7

Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7 Aula 12 Lista de verificação de segurança para o Windows 7 Use esta lista de verificação para ter certeza de que você está aproveitando todas as formas oferecidas pelo Windows para ajudar a manter o seu

Leia mais

CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO 2. SOFTWARE DE CONFIGURAÇÃO 3. COMUNICAÇÃO

CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO 2. SOFTWARE DE CONFIGURAÇÃO 3. COMUNICAÇÃO CDE4000 MANUAL 1. INTRODUÇÃO O controlador CDE4000 é um equipamento para controle de demanda e fator de potência. Este controle é feito em sincronismo com a medição da concessionária, através dos dados

Leia mais

Manual de Instalação... 2 RECURSOS DESTE RELÓGIO... 3 1 - REGISTRANDO O ACESSO... 4 1.1 Acesso através de cartão de código de barras:...

Manual de Instalação... 2 RECURSOS DESTE RELÓGIO... 3 1 - REGISTRANDO O ACESSO... 4 1.1 Acesso através de cartão de código de barras:... 0 Conteúdo Manual de Instalação... 2 RECURSOS DESTE RELÓGIO... 3 1 - REGISTRANDO O ACESSO... 4 1.1 Acesso através de cartão de código de barras:... 4 1.2 Acesso através do teclado (digitando a matrícula):...

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. Conteúdo 1. Descrição geral 2 2. Resumo das funcionalidades 3 3. Efetuar cadastro no sistema 4 4. Acessar o sistema 6 5. Funcionalidades do menu 7 5.1 Dados cadastrais 7 5.2 Grupos de usuários 7 5.3 Funcionários

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA

ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA SIMPÓSIO APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO EM CRIANÇAS Itapeva São Paulo Brasil ASSOCIAÇÃO CULTURAL EDUCACIONAL DE

Leia mais

Conceitos Básicos em VM invasiva

Conceitos Básicos em VM invasiva Conceitos Básicos em VM invasiva Marcelo Alcantara Holanda Prof Adjunto de Medicina Clínica, UFC Hospital Universitário Walter Cantídio - HUWC UTI respiratória do Hospital de Messejana, Fortaleza, CE Ventilação

Leia mais

4 Arquitetura básica de um analisador de elementos de redes

4 Arquitetura básica de um analisador de elementos de redes 4 Arquitetura básica de um analisador de elementos de redes Neste capítulo é apresentado o desenvolvimento de um dispositivo analisador de redes e de elementos de redes, utilizando tecnologia FPGA. Conforme

Leia mais

Phonak Target. Este guia fornece instruções detalhadas para adaptação de aparelhos auditivos com o Phonak Target.

Phonak Target. Este guia fornece instruções detalhadas para adaptação de aparelhos auditivos com o Phonak Target. Phonak Target 3.0 Guia de adaptação rápida Início Este guia fornece instruções detalhadas para adaptação de aparelhos auditivos com o Phonak Target. Veja também [Novidades] na tela inicial do Phonak Target.

Leia mais

Tema: CPAP NA SÍNDROME DA APNÉIA E HIPOPNÉIA OBSTRUTIVAS DO SONO

Tema: CPAP NA SÍNDROME DA APNÉIA E HIPOPNÉIA OBSTRUTIVAS DO SONO Data: 01/11/2012 Nota Técnica 12 /2012 Solicitante: Dra. Elisandra Alice dos Santos Juíza de Ibiraci-MG Medicamento Material Procedimento Cobertura x Tema: CPAP NA SÍNDROME DA APNÉIA E HIPOPNÉIA OBSTRUTIVAS

Leia mais

ESET CYBER SECURITY PRO para Mac Guia de Inicialização Rápida. Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento

ESET CYBER SECURITY PRO para Mac Guia de Inicialização Rápida. Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento ESET CYBER SECURITY PRO para Mac Guia de Inicialização Rápida Clique aqui para fazer o download da versão mais recente deste documento ESET Cyber Security Pro fornece proteção de última geração para seu

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II. Primeiro Trabalho

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II. Primeiro Trabalho UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II Primeiro Trabalho Descrição do trabalho: Escrever um Documento de Visão. Projeto: Automatização do sistema que

Leia mais

Prof. Msc Elvis Pontes. Unidade IV TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Prof. Msc Elvis Pontes. Unidade IV TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Prof. Msc Elvis Pontes Unidade IV TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Formatação de planilhas Configuração de páginas; Layout da página; Margens Formatação de planilhas Definir todas as margens, com medidas personalizadas;

Leia mais

Guia de Início Rápido

Guia de Início Rápido Guia de Início Rápido O Microsoft PowerPoint 2013 parece diferente das versões anteriores, por isso criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Encontre o que você precisa Clique

Leia mais

TopPendrive Manual de Instruções TopPendrive - MP07301-01 Rev 06-03/05/2010 PG - 1 -

TopPendrive Manual de Instruções TopPendrive - MP07301-01 Rev 06-03/05/2010 PG - 1 - TopPendrive Manual de Instruções TopPendrive - MP07301-01 Rev 06-03/05/2010 PG - 1 - Índice Manual de Instruções TopPendrive - MP07301-01 Rev 06-03/05/2010 PG - 2 - ÍNDICE 1 APRESENTAÇÃO... 3 1.1 ACESSÓRIOS

Leia mais

Aqui, FLOWww te dá a opção de gerar relatórios por dia, onde serão apresentados os resultados de cada dia no período pesquisado.

Aqui, FLOWww te dá a opção de gerar relatórios por dia, onde serão apresentados os resultados de cada dia no período pesquisado. Estatísticas As estatísticas de FLOWww oferecem um maravilhoso panorama da evolução do seu negócio e do comportamento dos seus clientes para que você saiba tomar as melhores decisões no momento adequado,

Leia mais

Será que o número de linhas e o número de atendentes do meu serviço de atendimento está adequado?

Será que o número de linhas e o número de atendentes do meu serviço de atendimento está adequado? Alguma vez você você já deve ter se perguntado... Será que o número de linhas e o número de atendentes do meu serviço de atendimento está adequado? Quantos clientes minha empresa atende, por dia, por hora,

Leia mais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais PRERELEASE 03/07/2011 Avisos legais Avisos legais Para consultar avisos legais, acesse o site http://help.adobe.com/pt_br/legalnotices/index.html.

Leia mais

Attack 1.35. Software de controle e Monitoração de amplificadores

Attack 1.35. Software de controle e Monitoração de amplificadores Attack 1.35 Software de controle e Monitoração de amplificadores 1 Índice 1 Hardware necessário:... 3 1.1 Requisitos do computador:... 3 1.2 Cabos e conectores:... 3 1.3 Adaptadores RS-232 USB:... 4 1.4

Leia mais

Manual de Relação de Pontos por Indicação

Manual de Relação de Pontos por Indicação Manual de Relação de Pontos por Indicação Sumário 1. Verificando se o parâmetro das funções está ativo... 3 2. Efetuando o cadastro da faixa de indicação... 5 2.1. Cadastro de faixas com intervalos...

Leia mais

4.2. Guia de adaptação rápida. Conteúdo. Agosto 2015

4.2. Guia de adaptação rápida. Conteúdo. Agosto 2015 4.2 Agosto 2015 Guia de adaptação rápida Este guia fornece instruções detalhadas para adaptação de aparelhos auditivos com o Phonak Target. www.phonakpro.com/target_guide Veja também [Novidades] na tela

Leia mais

Procedimentos para Utilização do SAVI

Procedimentos para Utilização do SAVI Procedimentos para Utilização do SAVI 1. Acessando o sistema Para acessar o sistema é necessário ter instalado em seu sistema o navegador Firefox. Uma vez que ele esteja disponível acesse o link: HTTP://

Leia mais

IBM Cúram Social Program Management Versão 6.0.5. Guia do Cúram Deductions

IBM Cúram Social Program Management Versão 6.0.5. Guia do Cúram Deductions IBM Cúram Social Program Management Versão 6.0.5 Guia do Cúram Deductions Nota Antes de usar essas informações e o produto suportado por elas, leia as informações em Avisos na página 21 Revisado: Março

Leia mais

Como você é beneficiado: Ventilação de qualidade Versatilidade da aplicação Facilidade de uso Operação silenciosa. CHEST / Dezembro de 2005

Como você é beneficiado: Ventilação de qualidade Versatilidade da aplicação Facilidade de uso Operação silenciosa. CHEST / Dezembro de 2005 O novo ventilador semi-intensivo Carina Cuidado semi-intensivo é um serviço de tratamento médico em rápido crescimento para pacientes que precisam de procedimentos diagnósticos e invasivos, mas não procedimentos

Leia mais

Monitores CommandCenter Geração 4

Monitores CommandCenter Geração 4 Observações Importantes: Ao instalar essa versão do software SO 8.11.2456-13 Geração 4, a atualização pode levar até 25 minutos para atingir o mesmo nível porcentual (cerca de 82%) na etapa Instalação

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

Aula 02 Excel 2010. Operações Básicas

Aula 02 Excel 2010. Operações Básicas Aula 02 Excel 2010 Professor: Bruno Gomes Disciplina: Informática Básica Curso: Gestão de Turismo Sumário da aula: 1. Operações básicas; 2. Utilizando Funções; 3. Funções Lógicas; 4. Gráficos no Excel;

Leia mais

ori Portaria á su R al Time e U o dlauna M

ori Portaria á su R al Time e U o dlauna M M a nua ld o Usu á roi Portaria Re al Time Sumário Introdução... Especificações... 3 3 Ilustrações Portaria RT sem descarga de coletor... Portaria RT com descarga de coletor... Portaria RT TCP/IP... Portaria

Leia mais

DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO OBJETIVOS CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DOS DISTÚRBIOS DO SONO AASM 2006 CARLOS A A VIEGAS UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO OBJETIVOS CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DOS DISTÚRBIOS DO SONO AASM 2006 CARLOS A A VIEGAS UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA DISTÚRBIOS RESPIRATÓRIOS DO SONO CARLOS A A VIEGAS UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA OBJETIVOS Classificação dos distúrbios do sono Classificação dos distúrbios respiratórios do sono Definições: ronco, ravas (rera),

Leia mais

Manual Operacional SIGA

Manual Operacional SIGA SMS - ATTI Julho -2012 Conteúdo Sumário... 2... 3 Consultar Registros... 4 Realizar Atendimento... 9 Adicionar Procedimento... 11 Não Atendimento... 15 Novo Atendimento... 16 Relatórios Dados Estatísticos...

Leia mais

Manual de Configuração e Utilização TabFisc Versão Mobile 09/2013 Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE

Manual de Configuração e Utilização TabFisc Versão Mobile 09/2013 Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE Pag. 2 INTRODUÇÃO Esse documento contém as instruções básicas para a utilização do TabFisc Versão Mobile (que permite ao fiscal a realização do seu trabalho

Leia mais

Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG

Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG 2015 Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG Cliente Institucional e Atualizado em: 11 de setembro de 2015 Sumário 1. Conceito do software... 1 2. Abertura de

Leia mais

Correção Voluntária Urgente de Campo do Dispositivo Médico dos Ventiladores Puritan Bennett 840 Perguntas e Respostas. Número da Peça do Software

Correção Voluntária Urgente de Campo do Dispositivo Médico dos Ventiladores Puritan Bennett 840 Perguntas e Respostas. Número da Peça do Software Correção Voluntária Urgente de Campo do Dispositivo Médico dos Ventiladores Puritan Bennett 840 Perguntas e Respostas P1: Por que esta ação corretiva de campo foi iniciada? R1: A Covidien está conduzindo

Leia mais

Controladores Lógicos Programáveis CLP (parte-3)

Controladores Lógicos Programáveis CLP (parte-3) Controladores Lógicos Programáveis CLP (parte-3) Mapeamento de memória Na CPU (Unidade Central de Processamento) de um CLP, todas a informações do processo são armazenadas na memória. Essas informações

Leia mais

BI Gerenciamento e Monitoramento de Informações Processuais

BI Gerenciamento e Monitoramento de Informações Processuais Tribunal de Justiça de Pernambuco Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação BI Gerenciamento e Monitoramento de Informações Processuais Manual do Usuário Recife - 2014 Histórico de Alterações

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP

MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP Pouso Alegre MG 2013 SUMÁRIO 1. Introdução.... 6 2. Efetuar Entrada de Material.... 8 2.1. Entrada de Material por Compra.... 8 2.1.1. Cadastro de Empenho...

Leia mais

Divinolândia 19 de agosto de 2013

Divinolândia 19 de agosto de 2013 Divinolândia 19 de agosto de 2013 Prezados senhores interessados Esta comissão de Julgamento de Licitação do Conderg Hospital Regional de Divinolândia, esclarece através deste, alterações feita no Edital

Leia mais

iconnect 3.3 Atualizações Pesquisa Dinâmica

iconnect 3.3 Atualizações Pesquisa Dinâmica iconnect 3.3 Atualizações Pesquisa Dinâmica Conteúdo iconnect 3.3 Atualizações Pesquisa Dinâmica... 3 1. Feedback do Cliente...3 1.1 Feedback do Cliente no Email da Pesquisa Dinâmica... 3 1.2 Página de

Leia mais

Acessando a Plataforma de Rastreamento

Acessando a Plataforma de Rastreamento Acessando a Plataforma de Rastreamento Para acessar a plataforma digite no seu navegador preferido o endereço: xxxxxxxx.mloc.com.br onde xxxxxxxx é o nome da sua empresa de rastreamento. Ex: rastreadora.mloc.com.br

Leia mais

Projeto P&D. Alerta Raios. Monitoramento de Tempestades MANUAL DO SITE. Coelce Companhia Energética do Ceará. USP Universidade de São Paulo

Projeto P&D. Alerta Raios. Monitoramento de Tempestades MANUAL DO SITE. Coelce Companhia Energética do Ceará. USP Universidade de São Paulo Projeto P&D Alerta Raios Monitoramento de Tempestades MANUAL DO SITE Coelce Companhia Energética do Ceará USP Universidade de São Paulo 1. Página inicial A página inicial apresenta um cabeçalho contendo

Leia mais

TRBOnet Standard. Manual de Operação

TRBOnet Standard. Manual de Operação TRBOnet Standard Manual de Operação Versão 1.8 NEOCOM Ltd ÍNDICE 1. TELA DE RÁDIO 3 1.1 COMANDOS AVANÇADOS 4 1.2 BARRA DE FERRAMENTAS 5 2. TELA DE LOCALIZAÇÃO GPS 6 2.1 MAPLIB 6 2.2 GOOGLE EARTH 7 2.3

Leia mais

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Compra Direta - Guia do Fornecedor PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Página As informações contidas neste documento, incluindo quaisquer URLs e outras possíveis referências a web sites, estão sujeitas

Leia mais