O PLANEJAMENTO COMO ELEMENTO NORTEADOR DA QUALIDADE DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O PLANEJAMENTO COMO ELEMENTO NORTEADOR DA QUALIDADE DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA"

Transcrição

1 O PLANEJAMENTO COMO ELEMENTO NORTEADOR DA QUALIDADE DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Resumo JUNGES, Kelen dos Santos - PUCPR POVALUK, Maristela - PUCPR SANTOS, Vanderlei Siqueira dos - PUCPR Área Temática: Comunicação e Tecnologia Agência Financiadora: Não contou com financiamento É notória a expansão e consolidação da educação a distância no sistema educacional brasileiro, especialmente ao final da década de 90, bem como de suas múltiplas possibilidades e caminhos. Nessa perspectiva, esse artigo apresenta um processo de estudo realizado por um grupo de alunos mediados por uma professora pesquisadora do programa de pós-graduação stricto sensu de uma Universidade particular de grande porte do Estado do Paraná. O estudo se inseriu na Linha de Pesquisa Teoria e Prática Pedagógica na Formação de Professores, em torno da temática Educação a Distância, durante quinze encontros semanais envolvendo onze alunos/pesquisadores, provenientes da educação básica e ensino superior, com práticas de EaD. A partir de leituras, discussões e troca de experiências como encaminhamento metodológico com o grupo de estudos, percebemos que muitos dos problemas nos cursos/programas de EaD, advém da falta de consistência, ou mesmo da ausência do planejamento. O que, geralmente, resulta em descontinuidade, falta de recursos humanos e materiais, desconsideração das reais necessidades dos alunos, falta de significância dos materiais didáticos, inadequação das tecnologias e dos modelos de acompanhamento e avaliação. Esse trabalho, a partir deste contexto, objetiva refletir sobre o planejamento, enquanto elemento norteador do processo ensino e aprendizagem na modalidade de EaD a partir de quatro dimensões: a dimensão conceitual, a dimensão didático-pedagógica, a dimensão administrativa e a dimensão de autorregulação. A atenção a essas dimensões, além de possibilitar coerência teórica e metodológica ao curso e fidelidade aos princípios filosóficos institucionais, ainda esclarece aos alunos e aos profissionais envolvidos o percurso a ser percorrido e suas exigências. Consideramos que o planejamento em EaD constitui instrumento essencial para a efetivação de um processo de ensino e aprendizagem amplo, contextualizado e significativo. Palavras-chave: Educação a Distância. Planejamento. Ensino/Aprendizagem.

2 3295 Introdução De acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) 9394/96, art. 1º, a educação abrange processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais. O grupo de estudos percebe que essa visão ampla de educação, concebida como processos formativos e proporcionada por uma diversidade de lugares e instituições, pode ser elucidativa para a educação a distância (EaD). São essas possibilidades que caracterizam o surgimento da EaD no Brasil na década de 1970, seja como alternativa encontrada pelo Governo Federal para tentar diminuir o analfabetismo no país, seja pelo fato de os meios de comunicação, já naquela época, mostrarem-se favoráveis a essa modalidade de ensino. Alarcão (2001) nos lembra que o objetivo da educação é a educação para a vida e, Garcia (1999), complementa afirmando que essa educação constitui um processo que perdura a vida toda. Sendo assim, pelas diferentes possibilidades pedagógicas que oferece, mediação das tecnologias da informação e comunicação, pelas características de abertura, flexibilidade, democratização, interatividade, individualização e colaboração, a EaD apresenta potencial significativo no contexto educacional contemporâneo. Na diversidade de conceitualizações para a EaD, a identificamos como uma modalidade educativa capaz de atender alunos dispersos geograficamente por meio de tecnologias e metodologias que pretendem o ensino-aprendizagem de forma autônoma. Entendemos essa autonomia em três dimensões conforme a perspectiva de Peters (2001 apud ROESLER, 2008, p.107): A dimensão filosófica busca sua explicação no pensamento Kantiano, no qual a liberdade do ser humano é conquistada a partir da plena consciência de suas ações. Na dimensão pedagógica, a autonomia acontece quando os seres humanos não são objetos de condução no processo ensino-aprendizagem, mas sujeitos da sua própria educação. A dimensão didática acontece no reconhecimento pelos estudantes de suas necessidades de estudo, quando eles planejam e avaliam estratégias para o cumprimento dos objetivos da sua aprendizagem. Outro fator importante que aparece nesse conceito de EaD é a referência à mediação tecnológica e às metodologias com vistas à autonomia. Com a LDB 9394/96, regulamentada

3 3296 pelo decreto 5.622, de 20 de dezembro de 2005, é estabelecida uma política de garantia de qualidade no tocante aos variados aspectos ligados à EaD. A partir desse decreto, o Ministério da Educação (MEC) elabora o referencial de qualidade para a EaD (BRASIL, 2007), no qual estabelece que os programas podem apresentar diferentes desenhos e múltiplas combinações de linguagens e recursos educacionais e tecnológicos e, que é a natureza do curso, as reais condições do cotidiano e necessidades dos estudantes que irão definir a melhor tecnologia e metodologia a ser utilizada. É nessa perspectiva que se delimitou o tema deste estudo para refletir sobre o planejamento enquanto instrumento norteador para a realização e qualidade de um curso/programa de EaD. De acordo com Ferreira (1999, p.1582), o planejamento é o trabalho de preparação para a tomada de decisão, segundo roteiros e métodos determinados. Nesse sentido, em EaD o planejamento se constitui instrumento fundamental para a garantia da qualidade e do alcance dos objetivos propostos. As atividades realizadas pelo grupo de estudos como leituras, reflexões e troca de experiências, possibilitaram a eleição de quatro dimensões a serem abordadas num planejamento de EaD: a dimensão conceitual; a dimensão didático-pedagógica; a dimensão administrativa e a dimensão de autorregulação. O bom êxito dos cursos/programas de EaD depende da elaboração prévia dessas dimensões e da necessária integração. A atenção a essas dimensões, além de possibilitar coerência teórica e metodológica ao curso e fidelidade aos princípios filosóficos institucionais, ainda esclarece aos alunos e profissionais sobre o percurso a ser percorrido e suas exigências. Nesse sentido, contribui para diminuir a separação física entre professores e alunos e clarifica a forma de apropriação das tecnologias e de integração entre os agentes do processo. Planejamento em educação a distância Assim como para qualquer projeto, seja ele pessoal ou profissional, como construir uma casa, fazer uma viagem ou desenvolver uma pesquisa, o planejamento deve ser parte integrante e presente em todos os passos em direção ao objetivo a ser alcançado. É preciso definir claramente o porquê, para quê, para quem, com quem, onde, quando, como e com o quê fazer. Na EaD não é diferente, é imprescindível um minucioso planejamento de todas as ações envolvidas na concepção, produção e implementação dos cursos ou programas.

4 3297 Entendemos que o planejamento, como elemento norteador, está diretamente vinculado à elaboração do projeto político-pedagógico do curso pretendido, ou poderíamos afirmar que o projeto político-pedagógico é o próprio planejamento, na medida em que requer uma reflexão acerca das concepções e dos objetivos do curso, para quem se destina, as condições de produção e implementação, os recursos disponíveis, etc. Neste sentido, baseando-se em autores como Corrêa (2009), Brasil (2007), Arnold (2003) e Niskier (2000), destacamos quatro dimensões a serem consideradas no desenvolvimento de um programa de EaD com qualidade e viabilidade: dimensão conceitual, dimensão didático-pedagógica, dimensão administrativa e a dimensão de autorregulação. Dimensão conceitual A dimensão conceitual do planejamento, na qual se estabelece a definição da natureza, do nível e do alcance do curso, ocorre dentro do contexto de seus objetivos, valores e filosofias de aprendizagem e de educação. Aqui, são discutidas e descritas as concepções da instituição com relação ao mundo, à sociedade, à educação, à aprendizagem, ao currículo, da pessoa (estudante) que pretende formar. Esta identificação conceitual forma as bases filosóficas e pedagógicas do planejamento. Entendemos que a dimensão conceitual, enquanto parte fundante de um curso de EaD, revela-se na compreensão da relação entre a construção da pergunta (demandas, oportunidades) e a resposta a ser dada por meio da operacionalização do curso. Pode ser esclarecida em dois níveis: nível técnico: quanto à tecnologia mediadora, material didático, tutoria; comunicação, avaliação; e nível teórico-metodológico: quanto à articulação do todo com as partes, pretensões críticas, teoria priorizada, autores selecionados, opção epistemológica e concepção de homem, educação e de realidade. Na concepção e operacionalização dos cursos de EaD, conforme salienta Arnold (2003), observamos que instituições públicas, normalmente, tendem a criar projetos que se inserem em uma política nacional de educação de médio ou longo prazo, enquanto organizações particulares se voltam (embora haja diversificação de missões institucionais), prioritariamente, para as necessidades de segmentos de mercados específicos, que exigem uma resposta mais rápida às suas demandas. Isso equivale a dizer que um curso de educação a distância pode assumir uma variedade de configurações, de acordo com o perfil de atuação

5 3298 da instituição proponente, bem como seu papel e compromisso, no contexto geral da educação do País (p.181). De acordo com Luckesi (1995), o ato de planejar baseia-se em opções filosóficas e políticas e são elas que estabelecem as finalidades de uma determinada ação. E essas finalidades ocupam lugar na sociedade. São um ato axiologicamente comprometido. Dimensão didático-pedagógica De acordo com Arnold (2003), a EaD exige estratégias de ensino/aprendizagem, desenho, linguagem, acompanhamento, recursos técnicos e tecnológicos que lhe conferem uma identidade própria e o distinguem de um curso presencial. Nessa perspectiva, a dimensão didático-pedagógica se refere e estabelece, em sincronia com a dimensão conceitual, a proposta curricular do curso/programa, a qual envolve: a especificação dos objetivos, da seleção dos conteúdos, da preparação do material didático, das mídias a serem utilizadas, do estudo do perfil dos estudantes e do processo de avaliação do estudante. A elaboração dos objetivos, feita a partir da concepção do curso, tem a função de orientar os professores e alunos quanto às metas a atingir. O que, no entanto, não constitui uma camisa de força. Entendemos que em uma visão dialética de educação, as aprendizagens construídas no processo são tão importantes quanto o alcance das metas propostas. Isso significa que na EaD, a flexibilidade e a abertura são elementos importantes para a valorização do elemento humano presente e da diversidade de linguagens e potencialidades envolvidas. O planejamento em EaD é um processo multidisciplinar e integrado de todos os atores envolvidos no processo. Por objetivar e efetuar mudanças no contexto educacional e social constitui-se, também, um ato político. Essa idéia é expressa por Arnold (2003, p.178) quando argumenta que o planejamento em EAD se constitui oportunidade para refletir sobre a prática educativa e avaliar os fundamentos sociais, políticas e econômicos presentes: É fundamental, entretanto, que o planejamento em EaD transcenda o mero desenho de um plano seqüenciado, coerente, que inclui uma série de fases ordenadas e interdependentes. Ele pode e deve constituir uma oportunidade para reflexão sobre a nossa prática educativa de forma geral e sobre a nossa co-responsabilidade no estabelecimento de prioridades político-educacionais que incluam todos os cidadãos, independente do seu estrato econômico e social, garantam sua inserção, de forma crítica e permanente, na sociedade.

6 3299 Outro componente importante previsto na dimensão didático pedagógica é a seleção de conteúdos. Ligado a uma rede de vasta oferta de informações e conhecimento é preciso atenção aos objetivos do curso para haver coerência na seleção dos conteúdos. De acordo com Sartori e Roesler (2005), na seleção dos conteúdos, além de levar em consideração as orientações legais da educação com relação à organização do currículo, dependendo do nível ao qual se dirige, deve priorizar no planejamento os conteúdos mais importantes. Dessa seleção decorre a escolha das estratégias e a preparação do material didático. Os materiais didáticos têm um papel fundamental na EaD, operando como fio condutor do processo de aprendizagem, mediando e permeando toda a interação do aluno com os conteúdos curriculares. Têm a função de facilitar e organizar os procedimentos estratégicos no processo ensino aprendizagem. Nesse sentido, na preparação de materiais didáticos para EaD, é fundamental considerar para quem são escritos, atentando para a clareza e coerência didática. Para Arnold (2003, p.194): Materiais didáticos tornam-se mais motivadores e relevantes quando levam em consideração o perfil e o universo do público destinatário, seus interesses, preocupações e aspirações. Assim, a confecção dos textos que oferece os conteúdos precisa respaldar-se em estratégias de linguagem e de organização que venham a facilitar e possibilitar a compreensão desses conteúdos por esse público. Nessa perspectiva, o material didático, assume função para além da reprodução do conhecimento. Ele cumpre a função de estimular a construção do conhecimento, de gerar indagações e interações valiosas promovendo a comunicação entre os sujeitos da aprendizagem. Para que isso se concretize, a autora ainda chama a atenção para o estabelecimento de um cronograma de execução, avaliação e aprovação do material didático. Conforme a autora, os diversos estágios de produção devem estar especificados no cronograma de execução, estipulando os prazos referentes à elaboração de conteúdos, mídias selecionadas, manuais, materiais complementares, direitos autorais, revisão, editoração, diagramação, produção de vídeos, impressão gráfica, CD-ROMS, tele e/ ou videoconferências. Essa visão complexa na construção de material didático é complementada pela seleção de mídias mediadoras, a qual pressupõe dois processos: Em primeiro lugar um processo de seleção de mídia conforme a concepção filosófica e pedagógica do curso e em segundo lugar, um processo de integração, convergência e uso qualificado dos recursos de mídia como

7 3300 materiais impressos, televisivos, radiofônicos e de informática a partir do perfil do público atendido. Esse processo amplo e integrado coloca o aluno, bem como sua aprendizagem no centro da concepção, planejamento, produção e implementação dos cursos de EAD. Arnold (2003, p. 188), argumenta que a melhor proposta educativa não é, necessariamente, a que utiliza os recursos tecnológicos mais avançados ou uma rica combinação das mídias, mas a que leva em consideração as características do público-alvo e garante a sua participação efetiva no projeto. A avaliação se constitui outro elemento fundamental da dimensão didáticopedagógica. A esse respeito, Arnold (2003) argumenta que a natureza, freqüência e critérios de distribuição de pontos e de aprovação devem refletir a concepção do curso e os objetivos formulados. Com uma visão complexa de avaliação identificamos o pensamento de Brasil (2007), segundo o qual o objetivo principal da avaliação dos alunos deve ser o desenvolvimento de habilidades, atitudes e competências cognitivas. A avaliação, dessa forma, constitui-se instrumento de acompanhamento e promoção da aprendizagem ocorrida num processo contínuo que perdura todo o período do curso. Dimensão administrativa Esta dimensão do planejamento envolve a previsão de recursos físicos e humanos, bem como o sistema de comunicação e a gestão destes recursos. Em EaD, cada instituição planeja de acordo com as especificidades de seu curso a designação dos profissionais responsáveis para exercer cada uma das atividades necessárias, bem como dos recursos financeiros e condições físicas disponíveis para a sua execução. Um curso de EaD, normalmente conta com uma equipe multidisciplinar trabalhando de forma integrada. De acordo com Roesler (2006), Brasil (2003) e Arnold (2003) os recursos humanos principais para a implementação da EaD são: a) Equipe administrativa: inclui profissionais que atuam como responsáveis pela gestão e coordenação do processo; pelo setor financeiro (compras, contabilidade, folha de pagamento, etc.); pelo atendimento a alunos (matrícula, registro acadêmico, certificação, comunicação); pelo envio do material; b) Equipe pedagógica e de desenvolvimento: inclui coordenadores de curso (gestão docente e discente do curso); professores (que ministram as aulas, que selecionam, elaboram os conteúdos, que escrevem o material didático, que

8 3301 desenvolvem os projetos); responsáveis pela avaliação da aprendizagem e institucional; responsáveis pela formação dos profissionais envolvidos; tutores (que atuam como apoio ao aluno, na motivação, no favorecimento à compreensão dos conteúdos, etc.); c) Equipe técnica: inclui profissionais responsáveis pela operacionalização tecnológica do processo (da instalação dos equipamentos, do desenvolvimento e funcionamento do ambiente virtual, da edição das gravações, da publicação do material, etc.); pela preparação do material didático (criação de ilustrações e animações); administração da rede. Para Arnold (2003) estes profissionais devem ser altamente qualificados para as funções que irão exercer, estando cientes de seu compromisso e, acima de tudo, acreditar no projeto que estão desenvolvendo. Para tanto necessitam de uma formação continuada em sintonia com o planejamento institucional. Roesler (2006) salienta que a composição da equipe e a divisão do trabalho 1 depende muito da realidade, dos objetivos, quantidade de alunos e cursos/programas oferecidos e das condições de cada instituição. Nesse sentido, chamamos a atenção para uma prática recorrente em EaD com vistas a baixar custos: a tutoria por agente que não seja o autor do material didático. Essa prática, se não contar com necessária interação entre autor e tutor, prejudica a qualidade dos cursos, principalmente em relação ao diálogo crítico em relação aos conteúdos propostos. Tratando-se de custos, um ponto que deve ser levado em consideração ao planejar a modalidade a distância é a infraestrutura necessária para tal concretização e, por consequência, dos recursos financeiros disponíveis. A prática em EaD tem mostrado que dependendo da abrangência do curso, do público alvo e das mídias escolhidas, o custo inicial pode ser relativamente alto, mas com a demanda, pode haver redução de custos a longo prazo. O não planejamento ou a má administração de recursos financeiros pode prejudicar o processo de aprendizagem, desestruturar, finalizar de forma prematura um curso/programa de EaD ou provocar sua descontinuidade. Neste sentido, outro ponto relevante desta dimensão, e que, geralmente os autores não o consideram como parte do planejamento, é a gestão. Pois não adianta ter todo o curso nas mãos, mas não saber como administrá-lo, ou, ao menos, fazer cumprir o que foi planejado. 1 Por exemplo, um mesmo professor pode selecionar os conteúdos, preparar o material didático e ministrar a aula.

9 3302 De acordo com Rumble (2003) a gestão em EaD consiste em tomar decisões e escolher a melhor forma de operacionalizar as ações planejadas. Uma gestão eficiente e eficaz consegue atingir com sucesso os objetivos propostos e, ao mesmo tempo otimizar recursos, reduzindo custos, sem perder de vista as orientações legais e a qualidade pedagógica do curso. Além de administrar os recursos financeiros o bom gestor também gerencia os conflitos, problemas e imprevistos de forma perspicaz e com discernimento. Nesta perspectiva, Roesler (2006) afirma que o gestor deve valorizar todos os profissionais envolvidos, ao mesmo tempo apontando as melhores habilidades de cada um e a sua corresponsabilidade pelo desenvolvimento do processo, exigindo de cada um o mesmo padrão de qualidade. Ainda Rumble (2003) destaca que um grande desafio para o gestor é trabalhar com a distância entre a instituição e os alunos. Tal desafio pode ser vencido pelo bom uso das tecnologias e da relação empática e interativa entre professor/aluno, tutor/aluno, secretaria/aluno para a aproximação e diminuição desta distância. No tocante ao uso da tecnologia, Brasil (2007), apregoa que o princípio da interatividade, da cooperação e da colaboração são fundamentais para o processo de comunicação e deve ser garantido no uso de qualquer meio tecnológico a ser disponibilizado. Dimensão de autorregulação Por último, mas não menos importante, está a dimensão de autorregulação do planejamento, que implica na avaliação do curso/programa (avaliação externa) e na autoavaliação da instituição (avaliação interna). Para Giusta (2003), ao planejarmos um curso/programa a distância, conhecemos menos os alunos do que se fosse presencial. Disso decorre um nível maior de vulnerabilidade, o qual vai sendo amenizado no decorrer das aulas/atividades com o uso dos materiais e a interação com os alunos. Por isso, o planejamento da avaliação, tanto interna quanto externa, merece atenção especial. É necessário para que a instituição possa rever e modificar ações que estão obtendo resultados negativos, assim como manter e ampliar as ações que tiveram resultados positivos, tendo por finalidade um exame crítico do processo e uma retroalimentação adequada. Conforme a autora deve-se entender que a avaliação não é uma atividade puramente técnica e, por isso mesmo, não tem independência quanto às finalidades da educação, à função

10 3303 das instituições educativas, a uma concepção do processo ensino/aprendizagem e do sujeito aprendiz [...]. (p. 35) Portanto, exige-se que a avaliação abranja todas as dimensões já citadas neste artigo, que estão incluídas no curso/programa, que vai desde uma avaliação dos impactos da EaD na realidade social em que está inserida, avaliação do desempenho do aluno, professores, do material didático até à administração e ao aluno egresso, de forma sistemática e contínua. Esta dimensão também constitui um referencial para a tomada de decisão quanto ao futuro e conseqüente preparação da EaD. Sabemos que a globalização, as inovações tecnológicas e a produção do conhecimento crescem a cada dia, numa velocidade cada vez maior. Há dez anos não poderíamos imaginar que teríamos o número de alunos que temos hoje nesta modalidade. Portanto, é importante pensar no papel que a EaD poderá desempenhar e de sua projeção para daqui mais alguns anos. Conclusão Percebe-se, diante do exposto e dos estudos realizados, que o planejamento permeia todos os momentos de um curso/programa na modalidade a distância, desde sua concepção a sua avaliação, incluindo sua gestão e operacionalização. As dimensões destacadas pelo grupo de estudos neste processo de investigação, se bem atendidas, garantem coerência teórica e metodológica, antes, durante e após a realização do curso, mantendo fidelidade aos princípios e objetivos propostos pela instituição. Sendo assim, consideramos que o planejamento em EaD constitui instrumento fundamental para a efetivação de uma educação ampla, contextualizada e significativa, possibilitando à instituição (professores, alunos e os profissionais envolvidos no projeto), clareza sobre o caminho percorrido, os recursos disponíveis e o horizonte a ser perseguido, assegurando a corresponsabilidade de cada um na realização da EaD. Ou seja, é um elemento norteador para a qualidade da EaD. Por isso, a improvisação, a falta de um planejamento consistente por parte de diversas instituições que oferecem a EaD, como pudemos notar por meio da análise da literatura, das discussões e reflexões do grupo de estudos, é que, muitas vezes, faz com que ainda existam muitas pessoas/profissionais que não acreditem nesta modalidade. É urgente reconhecer sua importância e buscar a sua qualidade, não somente por uma exigência legal, mas por uma questão moral e de responsabilidade, como professores e educadores que somos.

11 3304 REFERÊNCIAS ALARCÃO, Isabel. Escola Reflexiva e nova racionalidade. Porto Alegre: Artmed, ARNOLD, Stela Beatris Tôrres. Planejamento em educação a distância. In: GIUSTA, A. da S.; FRANCO, I. M. (Org.) Educação a distância: uma articulação entre teoria e prática. Belo Horizonte: PUC Minas Virtual, P BRASIL, Referenciais de Qualidade para o Ensino Superior a Distância, Brasília: SEED: MEC, CORRÊA, Juliane. Planejar e avaliar em programas de educação a distância. Disponível em: < Acesso em: 29 abr FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, GARCIA, Carlos Marcelo. Formação de professores: para uma mudança educativa. Lisboa: Porto Editora, GIUSTA, Angela da Silva. Educação a distância: contexto histórico e situação atual. In: ; FRANCO, Iara Melo. (Org.) Educação a distância: uma articulação entre teoria e prática. Belo Horizonte: PUC Minas Virtual, P LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. São Paulo: Cortez, NISKIER, Arnaldo. Educação à distância: a tecnologia da esperança. 2.ed. São Paulo: Edições Loyola, SARTORI, Ademilde; ROESLER, Jucimara. Redação de textos para EAD: do impresso ao on-line. In:. Educação Superior a distância: gestão da aprendizagem e da produção de materiais didáticos impressos e on-line. Tubarão: Unisul, ROESLER, Jucimara. (Org.) A gestão de programas de EaD. In:. Administração e planejamento em EaD: curso de extensão na modalidade a distância. Palhoça: Unisul, P Características, mídias e gestão da educação a distância. Revista Cenário Rural, Brasília: SENAR, RUMBLE, Greville. Introdução. In:. A gestão dos sistemas de ensino a distância. Brasília: Editora da Universidade de Brasília: Unesco, P

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO PARA TUTORES - PCAT

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO PARA TUTORES - PCAT 1 RESOLUÇÃO CONSU 2015 04 de 14/04/2015 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO PARA TUTORES - PCAT Campus Virtual 2 A. JUSTIFICATIVA A vida universitária tem correspondido a um período cada vez mais

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância - Dresead Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE FORMAÇÃO À DISTÂNCIA

ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE FORMAÇÃO À DISTÂNCIA ESTRATÉGIAS DE IMPLEMENTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE FORMAÇÃO À DISTÂNCIA Mônica Mota Tassigny Professora doutora da Universidade de Fortaleza, UNIFOR, Brasil 1. INTRODUÇÃO Numa sociedade mundial, na qual

Leia mais

AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO

AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO AS RELAÇÕES DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O TRABALHO DO TUTOR COMO MEDIADOR DO CONHECIMENTO SOEK, Ana Maria (asoek@bol.com.br) Universidade Federal do Paraná (UFPR) - Brasil HARACEMIV,

Leia mais

CONSELHO UNIVERSITÁRIO

CONSELHO UNIVERSITÁRIO P R O P O S T A D E P A R E C E R CONSELHO UNIVERSITÁRIO PROCESS0 Nº: 007/2014 ASSUNTO: Proposta de texto Construção de Políticas e Práticas de Educação a Distância a ser incluído no Plano de Desenvolvimento

Leia mais

ASPECTOS QUALITATIVOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: O CASO DO CURSO DE PEDAGOGIA EaD DA UFSM

ASPECTOS QUALITATIVOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: O CASO DO CURSO DE PEDAGOGIA EaD DA UFSM ASPECTOS QUALITATIVOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: O CASO DO CURSO DE PEDAGOGIA EaD DA UFSM AVINIO, Carina de S.¹; ENDERLE, Mariana G.²; VISENTINI, Lucas³. 1 Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE Diretoria de Estudos e Acompanhamento das Vulnerabilidades Educacionais Avaliação da Rede de Educação para a Diversidade

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA.

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. Profa. Elizabeth Rodrigues Felix 1 I- INTRODUÇÃO Com dezoito anos de existência, o

Leia mais

Orientações para o Projeto Político Pedagógico PPP

Orientações para o Projeto Político Pedagógico PPP Orientações para o Projeto Político Pedagógico PPP Pensar e construir o Projeto Político-Pedagógico é refletir, numa primeira instância, sobre questões fundamentais que assegurem uma visão de totalidade

Leia mais

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Introdução A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional afirma que cabe aos estabelecimentos de ensino definir

Leia mais

O PEDAGOGO ENQUANTO GESTOR ESCOLAR: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE AS ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS

O PEDAGOGO ENQUANTO GESTOR ESCOLAR: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE AS ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS O PEDAGOGO ENQUANTO GESTOR ESCOLAR: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO SOBRE AS ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS Kely-Anee de Oliveira Nascimento Graduanda em Pedagogia - UFPI Patrícia Sara Lopes Melo Mestre em Educação

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico

Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico Padrões de Competências para o Cargo de Coordenador Pedagógico O Coordenador Pedagógico é o profissional que, na Escola, possui o importante papel de desenvolver e articular ações pedagógicas que viabilizem

Leia mais

SOFTWARE PARA PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE MATERIAIS DIDÁTICOS PARA EAD

SOFTWARE PARA PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE MATERIAIS DIDÁTICOS PARA EAD 1 SOFTWARE PARA PROCESSO DE GERENCIAMENTO DE MATERIAIS DIDÁTICOS PARA EAD Pelotas, maio/2010 Luis Otoni Meireles Ribeiro Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense IFSul luis.otoni@gmail.com

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família

Curso de Especialização em Saúde da Família MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 03 DOCÊNCIA E TUTORIA NA EAD Prof. Msc Rômulo Martins 2.1 Introdução A Educação a Distância, por meio dos inúmeros recursos didáticos e tecnológicos,

Leia mais

SOLUÇÕES PERSONALIZADAS DE E-LEARNING: CURSOS DE LARGA ESCALA

SOLUÇÕES PERSONALIZADAS DE E-LEARNING: CURSOS DE LARGA ESCALA SOLUÇÕES PERSONALIZADAS DE E-LEARNING: CURSOS DE LARGA ESCALA ARTIGO ACEITO PARA O IADIS EUROPEAN CONFERENCE 2012 LISBOA (PORTUGAL) Categoria mini artigo com no máximo 2500 palavras RESUMO Este artigo

Leia mais

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA Quando focalizamos o termo a distância, a característica da não presencialidade dos sujeitos, num mesmo espaço físico e ao mesmo tempo, coloca se como um

Leia mais

Dalriliane Schultz Josilda Silva Juliana Turibio Maria Nhyara Fernanda K. Halila Cecilia Hauresko

Dalriliane Schultz Josilda Silva Juliana Turibio Maria Nhyara Fernanda K. Halila Cecilia Hauresko O PROJETO POLITICO PEDAGÓGICO NA ESCOLA: ANALISE DOS PPP DO COLÉGIO ESTADUAL PADRE CHAGAS E COLÉGIO ESTADUAL DO CAMPO DA PALMEIRINHA, PELO PIBID- GEOGRAFIA 1 Resumo: Dalriliane Schultz Josilda Silva Juliana

Leia mais

Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão Objetivo do curso:

Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão Objetivo do curso: Com carga horária de 720 horas o curso Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros

Leia mais

Proposta Didático-Pedagógica para Desenvolvimento de Disciplinas de Cursos de Graduação e Pós- Graduação na Modalidade a Distância

Proposta Didático-Pedagógica para Desenvolvimento de Disciplinas de Cursos de Graduação e Pós- Graduação na Modalidade a Distância Proposta Didático-Pedagógica para Desenvolvimento de Disciplinas de Cursos de Graduação e Pós- Graduação na Modalidade a Distância Maio 2007 na Lúcia Tinoco - UNICSUL ana.cabral@unicsul.br Carlos Fernando

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior. ASSUNTO: Instrumentos de avaliação para credenciamento

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC 1 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC O PPC, Projeto Pedagógico de Curso, é o instrumento de concepção de ensino e aprendizagem de um curso e apresenta características de um projeto, no qual devem ser definidos

Leia mais

A GESTÃO NO SISTEMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

A GESTÃO NO SISTEMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA A GESTÃO NO SISTEMA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Gleyva Maria Simões de Oliveira O tema Gestão tem estado muito em voga nas pesquisas educacionais e seu estudo está atribuído tanto à necessidade de se garantir

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA DE FARROUPILHA Mantido pela Campanha Nacional de Escolas da Comunidade

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA DE FARROUPILHA Mantido pela Campanha Nacional de Escolas da Comunidade MANUAL DE ESTÁGIO Curso de PEDAGOGIA S U M Á R I O 1. Apresentação... 03 2. Proposta de Estágio... 03 3. Aspectos legais... 04 4. Objetivo Geral... 04 5. Campo de Estágio... 05 6. Modalidades de Estágio...

Leia mais

UMA ANÁLISE DO FORMATO DO ESTÁGIO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN. Natal/RN, 05/2009.

UMA ANÁLISE DO FORMATO DO ESTÁGIO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN. Natal/RN, 05/2009. 1 UMA ANÁLISE DO FORMATO DO ESTÁGIO NAS LICENCIATURAS A DISTÂNCIA DA UFRN Natal/RN, 05/2009. Auta Stella de Medeiros Germano - SEDIS-UFRN - autastella@yahoo.com.br Categoria (Gerenciamento e Logística)

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Recife PE - Abril 2010 Ivanda Maria Martins Silva - UFRPE martins.ivanda@gmail.com Categoria (Conteúdos e Habilidades) Setor Educacional (Educação

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG)

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) MONTES CLAROS FEVEREIRO/2014 1 COORDENAÇÃO DE PESQUISA PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM EM CURSOS

Leia mais

A GESTÃO ESCOLAR E O PROCESSO DE DEMOCRATIZAÇÃO DA ESCOLA PÚBLICA

A GESTÃO ESCOLAR E O PROCESSO DE DEMOCRATIZAÇÃO DA ESCOLA PÚBLICA A GESTÃO ESCOLAR E O PROCESSO DE DEMOCRATIZAÇÃO DA ESCOLA PÚBLICA Shirlei de Souza Correa - UNIVALI 1 Resumo: No contexto educacional pode-se considerar a gestão escolar como recente, advinda das necessidades

Leia mais

O USO DE PROTÓTIPOS PEDAGÓGICOS PARA IMPLANTAÇÃO DAS DISCIPLINAS ONLINE EM CURSOS DE GRADUAÇÃO

O USO DE PROTÓTIPOS PEDAGÓGICOS PARA IMPLANTAÇÃO DAS DISCIPLINAS ONLINE EM CURSOS DE GRADUAÇÃO 1 O USO DE PROTÓTIPOS PEDAGÓGICOS PARA IMPLANTAÇÃO DAS DISCIPLINAS ONLINE EM CURSOS DE GRADUAÇÃO São Paulo, 05/2009 CABRAL, Ana Lúcia Tinoco Universidade Cruzeiro do Sul altinoco@terra.com.br TARCIA, Rita

Leia mais

RESOLUÇÃO N 262, de 03 de outubro de 2001.

RESOLUÇÃO N 262, de 03 de outubro de 2001. RESOLUÇÃO N 262, de 03 de outubro de 2001. Estabelece normas para a organização e funcionamento de cursos de Educação a Distância no Sistema Estadual de Ensino do Estado do Rio Grande do Sul. O Conselho

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI ABRIL, 2005 Introdução A Universidade Federal da Bahia ao elaborar o seu Plano de Desenvolvimento Institucional PDI (2004-2008), incluiu

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

ATORES HUMANOS NA EAD: UMA PESQUISA A PARTIR DAS METODOLOGIAS E EXPERIÊNCIAS EXITOSAS NA REDE E-TEC BRASIL

ATORES HUMANOS NA EAD: UMA PESQUISA A PARTIR DAS METODOLOGIAS E EXPERIÊNCIAS EXITOSAS NA REDE E-TEC BRASIL 1 ATORES HUMANOS NA EAD: UMA PESQUISA A PARTIR DAS METODOLOGIAS E EXPERIÊNCIAS EXITOSAS NA REDE E-TEC BRASIL Florianópolis - SC - abril/2015 Júlio César da Costa Ribas IFSC julio@ifsc.edu.br Andreza Regina

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE A GESTÃO ADOTADA NA ESCOLA E A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

A RELAÇÃO ENTRE A GESTÃO ADOTADA NA ESCOLA E A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO A RELAÇÃO ENTRE A GESTÃO ADOTADA NA ESCOLA E A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO Maribel Manfrim Rohden PUCPR Ana Maria Eyng PUCPR Este trabalho apresenta a reflexão desenvolvida num projeto de

Leia mais

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF

SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF 1 SEMI-PRESENCIALIDADE NO ENSINO SUPERIOR: ALGUNS RESULTADOS DESSA MODALIDADE NA FGF Fortaleza CE Junho/2009 Karla Angélica Silva do Nascimento - Faculdade Integrada da Grande Fortaleza karla@fgf.edu.br

Leia mais

Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos:

Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos: Referência atual: Decreto 5.773, 9 de maio de 2006. Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos: I-missão, objetivos e metas da instituição, em sua

Leia mais

A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR

A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR GLEICE PEREIRA (UFES). Resumo Com o objetivo de apresentar considerações sobre a formação do bibliotecário escolar, esta pesquisa analisa o perfil dos alunos do Curso

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL A DISTÂNCIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

EDUCAÇÃO ESPECIAL A DISTÂNCIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA EDUCAÇÃO ESPECIAL A DISTÂNCIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Andréa Tonini José Luiz Padilha Damilano Vera Lucia Marostega Universidade Federal de Santa Maria RS RESUMO A UFSM vem ofertando Cursos de Formação

Leia mais

* As disciplinas por ocasião do curso, serão ofertadas aos alunos em uma sequência didática.

* As disciplinas por ocasião do curso, serão ofertadas aos alunos em uma sequência didática. MATRIZ CURRICULAR* Disciplina CH Integração 20 Planejamento e Gestão em Educação a Distância 40 Cultura Virtual, Pensamento e Construção do Conhecimento na Educação a Distância 40 Noções de Gestão de Projetos

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA

DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DIRETRIZES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA INTRODUÇÃO O Estágio Curricular foi criado pela Lei 6.494, de 7 de dezembro de 1977 e regulamentado pelo Decreto 87.497, de 18 de agosto

Leia mais

GESTÃO EDUCACIONAL: REFLEXÃO SOBRE O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

GESTÃO EDUCACIONAL: REFLEXÃO SOBRE O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO GESTÃO EDUCACIONAL: REFLEXÃO SOBRE O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO Ana Paula Martins Costa Graduanda de Pedagogia- UEPB Aline Carla da Silva Costa - Graduanda de Pedagogia- UEPB

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 07/2010, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 07/2010, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 07/2010, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2010 Normatiza a oferta de cursos a distância, em nível de graduação, sequenciais, tecnólogos, pós-graduação e extensão universitária ofertados pela Universidade

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1

Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1 Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1 É comum hoje entre os educadores o desejo de, através da ação docente, contribuir para a construção

Leia mais

Educação a Distância: Opção Estratégica para Expansão do Ensino Superior Anaci Bispo Paim

Educação a Distância: Opção Estratégica para Expansão do Ensino Superior Anaci Bispo Paim Educação a Distância: Opção Estratégica para Expansão do Ensino Superior Anaci Bispo Paim Conselheira do Conselho Nacional de Educação Câmara de Educação Superior EAD NO BRASIL 1ª Fase: Década de 60 Ensino

Leia mais

FÓRUM: MEIO DE INTERAÇÃO NA EAD

FÓRUM: MEIO DE INTERAÇÃO NA EAD 1 FÓRUM: MEIO DE INTERAÇÃO NA EAD Elisangela Lunas Soares UNICESUMAR Centro Universitário Cesumar elisangela.soares@unicesumar.edu.br Alvaro Martins Fernandes Junior UNICESUMAR Centro Universitário Cesumar

Leia mais

PLANO DE TRABALHO ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFAM (2014-2018)

PLANO DE TRABALHO ELABORAÇÃO DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DO IFAM (2014-2018) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PLANO DE TRABALHO

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

Prof.ª Dr.ª do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Prof.ª Dr.ª do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (TICs) NO CONTEXTO DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL (UAB) E O CURSO DE PEDAGOGIA A DISTÂNCIA (EAD) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA (UFSM) AVINIO, Carina

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Planejamento e Avaliação da Educação Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 6º 1 - Ementa (sumário resumo) Aspectos históricos

Leia mais

TUTOR EM EAD. Quem é? - Tutor/Educador. Educação à Distância - Profissional que acompanha o aluno nas aulas virtuais.

TUTOR EM EAD. Quem é? - Tutor/Educador. Educação à Distância - Profissional que acompanha o aluno nas aulas virtuais. TUTOR EM EAD Quem é? - Tutor/Educador - Competência em Educação à Distância - Profissional que acompanha o aluno nas aulas virtuais. SURGIMENTO Com a implantação da EAD surgiu a necessidade de um educador/tutor

Leia mais

Escola Virtual ENAP: Relato de Experiência

Escola Virtual ENAP: Relato de Experiência 1 Escola Virtual ENAP: Relato de Experiência Maio/2005 190-TC-A5 Tarcilena Polisseni Cotta Nascimento Escola Nacional de Administração Pública ENAP Tarcilena.Nascimento@enap.gov.br Maria Fernanda Borges-Ferreira

Leia mais

O DESAFIO DA AVALIAÇÃO EM CURSOS SUPERIORES A DISTÂNCIA

O DESAFIO DA AVALIAÇÃO EM CURSOS SUPERIORES A DISTÂNCIA O DESAFIO DA AVALIAÇÃO EM CURSOS SUPERIORES A DISTÂNCIA Maio de 2008 Marina Caprio Faculdade Interativa COC marinacaprio@coc.com.br Karen Bortoloti Faculdade Interativa COC bortoloti@coc.com.br Categoria

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Prática: 15 h/a Carga Horária: 60 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL 2.5 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Para que a Educação Infantil no município de Piraquara cumpra as orientações desta Proposta Curricular a avaliação do aprendizado e do desenvolvimento da criança, como

Leia mais

RESUMO DO PPC Curso Superior de Tecnologia em Logística Emitente: Adriano Araújo Data: 21/10/2015

RESUMO DO PPC Curso Superior de Tecnologia em Logística Emitente: Adriano Araújo Data: 21/10/2015 1. PERFIL DO CURSO O Curso de da Unijorge (UJ), instalado no Comércio, está fundamentado em mecanismos efetivos de interdisciplinaridade e flexibilização curricular que permitem a formação de profissionais

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE I... 4 02 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 4 03 PROFISSIONALIDADE DOCENTE... 4 04 RESPONSABILIDADE

Leia mais

Metodologias Utilizadas na Educação a Distância no Brasil

Metodologias Utilizadas na Educação a Distância no Brasil Metodologias Utilizadas na Educação a Distância no Brasil Resumo Autores: Bruno Antônio de Oliveira Yuri Cravo Fernandes Rodrigues de Oliveira O recente avanço das tecnologias de informação e comunicação

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá GABINETE DA REITORIA

Universidade Estadual de Maringá GABINETE DA REITORIA R E S O L U Ç Ã O N o 119/2005-CEP CERTIDÃO Certifico que a presente Resolução foi afixada em local de costume, nesta Reitoria, no dia 1º/9/2005. Esmeralda Alves Moro, Secretária. Aprova normas para organização

Leia mais

A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL

A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL A AVALIAÇÃO EM CONTEXTO DIFERENCIADO PARA EDUCAÇÃO INFANTIL JOSÉ MATEUS DO NASCIMENTO zenmateus@gmail.com POLIANI SANTOS DA SILVA poliany_mme@hotmail.com MARIA AUXILIADORA DOS SANTOS MARINHO Campus IV(CCAE)

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

METODOLOGIA PARA CONSTRUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS NA EAD: DO PLANO DE ENSINO AO ROTEIRO DE TUTORIA.

METODOLOGIA PARA CONSTRUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS NA EAD: DO PLANO DE ENSINO AO ROTEIRO DE TUTORIA. 1 METODOLOGIA PARA CONSTRUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS NA EAD: DO PLANO DE ENSINO AO ROTEIRO DE TUTORIA. Maio/2008 Mara Yáskara Nogueira Paiva Cardoso Uniararas, marayaskara@uniararas.br Ana Carolina Castelli

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Formação de professor/pedagogo. Didática. Mediação. Práxis. Introdução

PALAVRAS-CHAVE Formação de professor/pedagogo. Didática. Mediação. Práxis. Introdução 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL Pelotas RS Maio 2010 Letícia Marques Vargas IFSul le.mvargas@gmail.com Gabriela

Leia mais

A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA RESUMO. Matemática, Educação a distância, Pós-Graduação Lato Sensu

A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA RESUMO. Matemática, Educação a distância, Pós-Graduação Lato Sensu A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA João José Saraiva da Fonseca Faculdade Integrada da Grande Fortaleza joao@fgf.edu.br RESUMO O Curso de Pós Graduação Lato

Leia mais

X Encontro Nacional de Escolas de Governo

X Encontro Nacional de Escolas de Governo X Encontro Nacional de Escolas de Governo Painel Cursos de pós-graduação nas escolas de governo A experiência da Enap na oferta de cursos de pós-graduação lato sensu Carmen Izabel Gatto e Maria Stela Reis

Leia mais

PROFESSORES DO CURSO DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA: CONHECENDO A CONSTITUIÇÃO DE SEUS SABERES DOCENTES SILVA

PROFESSORES DO CURSO DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA: CONHECENDO A CONSTITUIÇÃO DE SEUS SABERES DOCENTES SILVA PROFESSORES DO CURSO DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA: CONHECENDO A CONSTITUIÇÃO DE SEUS SABERES DOCENTES SILVA, Daniela C. F. Barbieri Programa de Pós-Graduação em Educação Núcleo: Formação de professores UNIMEP

Leia mais

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso AUTO-AVALIAÇAO INSTITUCIONAL DO CURSO DE PEDAGOGIA FACED-UFAM / Professores Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso Objetivos do Curso 01 - Tenho conhecimento do Projeto Pedagógico do Curso.

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. ASPECTOS METODOLÓGICOS... 7. 3. RESULTADOS DA AVALIAÇÃO UNISEB - Análise dos Resultados Integrados...

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. ASPECTOS METODOLÓGICOS... 7. 3. RESULTADOS DA AVALIAÇÃO UNISEB - Análise dos Resultados Integrados... RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO 2012 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. ASPECTOS METODOLÓGICOS... 7 3. RESULTADOS DA AVALIAÇÃO UNISEB - Análise dos Resultados Integrados... 9 3.1. Dimensão 1: Missão

Leia mais

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - PRÁTICAS PEDAGÓGICAS

PPC. Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC - PRÁTICAS PEDAGÓGICAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ENSINO CENTRO DE REFERÊNCIA EM FORMAÇÃO E

Leia mais

RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão. Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus

RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão. Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus RENOVAR PARA INOVAR! Plano de Gestão Proposta de plano de gestão do candidato Érico S. Costa ao cargo de Diretor do Campus 2013-2016 0 1 Sumário Apresentação... 2 Análise Situacional... 2 Programas Estruturantes...

Leia mais

A AVALIAÇÃO NA EAD: CONTEXTUALIZANDO UMA EXPERIÊNCIA NA GRADUAÇÃO. Rio de Janeiro- RJ- maio 2012

A AVALIAÇÃO NA EAD: CONTEXTUALIZANDO UMA EXPERIÊNCIA NA GRADUAÇÃO. Rio de Janeiro- RJ- maio 2012 1 A AVALIAÇÃO NA EAD: CONTEXTUALIZANDO UMA EXPERIÊNCIA NA GRADUAÇÃO Rio de Janeiro- RJ- maio 2012 - Categoria: C Setor educacional: 3 Classificação das Áreas de Pesquisa em EAD Macro: 4/ Meso:4/ Micro:1

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Curso de Formação Continuada em Videoconferência. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Curso de Formação Continuada em Videoconferência. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Assim, a avaliação da aprendizagem possibilita ao professor consciência sobre o curso dos processos e dos resultados educativos.

Assim, a avaliação da aprendizagem possibilita ao professor consciência sobre o curso dos processos e dos resultados educativos. SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO III- A PORTARIA E/SAPP Nº 48/2004: ASPECTOS CENTRAIS Uma concepção de avaliação Os artigos 1º e 2º da Portaria E/SAPP 48/04 destacam a concepção de avaliação que fundamenta

Leia mais

PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DA GESTÃO DE CURSOS EM EaD

PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DA GESTÃO DE CURSOS EM EaD PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DA GESTÃO DE CURSOS EM EaD Maringá PR Maio 2012 Camilla Barreto Rodrigues Cochia CESUMAR camilla.cochia@ead.cesumar.br José Renato de Paula Lamberti

Leia mais

A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA: LIMITES E POSSIBILIDADES DE INSERÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO E ASCENSÃO PROFISSIONAL

A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA: LIMITES E POSSIBILIDADES DE INSERÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO E ASCENSÃO PROFISSIONAL A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA: LIMITES E POSSIBILIDADES DE INSERÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO E ASCENSÃO PROFISSIONAL OLIVEIRA, Silvana Aparecida Guietti de (UEM) COSTA, Maria Luisa

Leia mais

FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO NA EaD

FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO NA EaD FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA ATUAÇÃO NA EaD PROFª Mª MARIA DA GRAÇA GONÇALVES VINHOLI- GT-EAD E SENACmgvinholi@yahoo.com.br mariadagraca@ms.senac.br QUEM É O TUTOR? Mantendo a essência do termo e, transpondo

Leia mais

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor Juliana Graciano Parise 1 Eliane de Lourdes Felden 2 Resumo: O trabalho apresenta uma experiência de ensino articulado à pesquisa

Leia mais

Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas

Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas Metodologia Científica 60 horas História da Educação 60 horas Sociologia da Educação I 60 horas Filosofia

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

A FORMAÇÃO INCLUSIVA DE PROFESSORES NO CURSO DE LETRAS A DISTÂNCIA

A FORMAÇÃO INCLUSIVA DE PROFESSORES NO CURSO DE LETRAS A DISTÂNCIA A FORMAÇÃO INCLUSIVA DE PROFESSORES NO CURSO DE LETRAS A DISTÂNCIA Autor - Juliana ALVES - IFTM 1 Coautor - Andriza ASSUNÇÃO IFTM 2 Coautor - Aparecida Maria VALLE IFTM 3 Coautor - Carla Alessandra NASCIMENTO

Leia mais

2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação

2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação 2.2.4. Questionário a ser Respondido Pelos Estudantes de Pós Graduação Este questionário é um instrumento de coleta de informações para a realização da auto avaliação da UFG que tem como objetivo conhecer

Leia mais

USO DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA REDE PÚBLICA: A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS.

USO DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA REDE PÚBLICA: A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS. USO DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA REDE PÚBLICA: A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS. Elaine Jesus Alves UFT elainealves@uft.edu.br Introdução

Leia mais

SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA ENSINO MÉDIO COM INTERMEDIAÇÃO TECNOLÓGICA (EMITEC): POSSIBILIDADES EFETIVAS NA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO

SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA ENSINO MÉDIO COM INTERMEDIAÇÃO TECNOLÓGICA (EMITEC): POSSIBILIDADES EFETIVAS NA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO 1 SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA ENSINO MÉDIO COM INTERMEDIAÇÃO TECNOLÓGICA (EMITEC): POSSIBILIDADES EFETIVAS NA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO Salvador BA Maio de 2012 Letícia Machado dos Santos Secretaria

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

DOCÊNCIA ONLINE: UM ESTUDO NA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

DOCÊNCIA ONLINE: UM ESTUDO NA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA 1 DOCÊNCIA ONLINE: UM ESTUDO NA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Brasília - DF setembro 2014 Omitido para avaliação Instituição email Classe Investigação Científica Setor Educacional Educação Superior Classificação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO ELABORAÇÃO DO PPC INTRODUÇÃO O Projeto Pedagógico de Curso (PPC) deve orientar a ação educativa, filosófica e epistemológica do mesmo, explicitando fundamentos políticos,

Leia mais

INTERDISCIPLINARIDADE NO CONTEXTO EDUCACIONAL

INTERDISCIPLINARIDADE NO CONTEXTO EDUCACIONAL INTERDISCIPLINARIDADE NO CONTEXTO EDUCACIONAL Jair Bevenute Gardas Isabel Corrêa da Mota Silva RESUMO A presente pesquisa objetiva um conhecimento amplo sobre a temática interdisciplinaridade, idealizando

Leia mais

Resumo do Projeto de Elaboração de Indicadores de Integração de TICs na Educação para os países da região Iberoamericana

Resumo do Projeto de Elaboração de Indicadores de Integração de TICs na Educação para os países da região Iberoamericana Resumo do Projeto de Elaboração de Indicadores de Integração de TICs na Educação para os países da região Iberoamericana O IDIE - Instituto para o Desenvolvimento e Inovação Educativa, especializado em

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

Mídia, linguagem e educação

Mídia, linguagem e educação 21 3 22 Mídia, Linguagem e Conhecimento Segundo a UNESCO (1984) Das finalidades maiores da educação: Formar a criança capaz de refletir, criar e se expressar em todas as linguagens e usando todos os meios

Leia mais

ANÁLISE DOS ASPECTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS DO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO

ANÁLISE DOS ASPECTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS DO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO ANÁLISE DOS ASPECTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS DO CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO Andrelisa Goulart de Mello Universidade Federal de Santa Maria andrelaizes@gmail.com Ticiane

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 20/1/2005 (*) Portaria/MEC nº 174, publicada no Diário Oficial da União de 20/1/2005 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

e-mail: simoneperes2@yahoo.com.br 1 CONCEPÇÕES DE CURRÍCULO e-mail: simoneperes2@yahoo.com.br 2 CONVERSANDO SOBRE CURRÍCULO Diferentes concepções Conteúdos e competências Sobre aprendizagens Projetos alternativos

Leia mais

GESTÃO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E SEUS DESAFIOS

GESTÃO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E SEUS DESAFIOS GESTÃO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E SEUS DESAFIOS ADRIANA DOS SANTOS 1 1 Curso de Pós-Graduação Metodologias e Gestão para EAD Polo de Passo Fundo, RS RESUMO A educação a distância (EAD) não é uma modalidade

Leia mais

Programa de Pós-graduação lato sensu em Educação e Tecnologias

Programa de Pós-graduação lato sensu em Educação e Tecnologias Universidade do Sul de Santa Catarina Curso de especialização na modalidade a distância Programa de Pós-graduação lato sensu em Educação e Tecnologias Manual do Curso Créditos Universidade do Sul de Santa

Leia mais