UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Análise discursivo-argumentativa do jornal impresso: ethos e pathos na construção da identificação com o leitor na primeira página do jornal Coordenador/ Eduardo Lopes Piris Autor(es)/ Eduardo Lopes Piris Equipe/ Eduardo Lopes Piris Área de conhecimento/cnpq: Linguística, Letras e Artes Tempo de execução: 24 meses. Local de execução: UESC Ilhéus 24/05/2010

2 2 RESUMO Este projeto de pesquisa visa à análise discursivo-argumentativa das primeiras páginas das edições de abril de 1964 dos jornais Correio da Manhã e O Globo, focalizando a construção da identidade discursiva desses jornais na polêmica instaurada em torno da deposição do presidente João Goulart e da instalação do regime militar no Brasil a partir de abril de As análises voltam-se para a descrição do ethos e do pathos discursivos construídos nas primeiras páginas das edições de abril de 1964 do Correio da Manhã e d O Globo. Os procedimentos teóricometodológicos desta pesquisa definem-se pela compreensão do interdiscurso como objeto de estudo; pela análise da interrelação dos gêneros jornalísticos no hipergênero primeira página jornalística; pela consideração da relação ethos/pathos; pelo estudo das marcas enunciativas e da cenografia para análise do ethos; pelo cenário passional como noção de descrição do pathos. Espera-se, ao final, apresentar formulações teóricas sobre categorias de análise para apuração do ethos e do pathos, bem como mostrar seus resultados por meio de análise de corpus constituído a partir de arquivo. Palavras-chave: discurso jornalístico, gêneros do jornal, ethos, pathos INTRODUÇÃO Este projeto de pesquisa filia-se à perspectiva discursivo-argumentativa, que se localiza na articulação entre a análise do discurso proposta por Maingueneau (1984, 1987, 1991, 1994) e a teoria da argumentação desenvolvida por Plantin (1996, 2008) e Amossy (2006, 2007). No Brasil, esta linha de pesquisa é também representada pelo trabalho de Lineide Mosca (2007). O objeto de estudo desta pesquisa consiste na relação interdiscursiva entre duas formações discursivas constituídas de maneira diametralmente opostas, chamadas de (i) apoiadores e de (ii) opositores ao novo regime. No entanto, tal objeto só poderá ser apreendido por meio da análise de enunciados efetivamente produzidos em um dado contexto sócio-histórico. Desse modo, foram eleitas para análise as edições de abril de 1964 dos jornais Correio da Manhã e O Globo, mais especificamente suas primeiras páginas.

3 3 No que concerne às categorias de análise, concebemos o efeito de sentido de identificação como (i) estratégia de argumentação e (ii) elemento de construção da identidade discursiva do jornal. Assim, ambos os aspectos serão contemplados por meio da análise da relação ethos/pathos, a fim de compreender o modo de dizer, de ser, de sentir, de se comportar e de se colocar na esfera de atividade jornalística, para, finalmente, concluir sobre o tipo de jornalismo praticado em torno dos fatos políticos reunidos sob o historiônimo Golpe de 64. As causas e as consequências do Golpe de 64 figuram como um tema frequentemente tratado por estudiosos de várias áreas. São notáveis os trabalhos dos historiadores Thomas Elliot Skidmore (1975; 1988), René Dreifuss (1981) e Nelson Werneck Sodré (1984); dos sociólogos e cientistas políticos Florestan Fernandes (1986) e Moniz Luiz Alberto Bandeira (1997); dos analistas do discurso José Luiz Fiorin (1988) e Freda Indursky (1997); entre outros pesquisadores que deixamos de citar, mas que se dedicaram, de alguma forma, a esse tema, correlacionando-o com suas respectivas áreas de estudo e contribuindo com publicações significativas. OBJETIVOS O objetivo geral desta pesquisa é apurar o ethos e o pathos do Correio da Manhã e d O Globo, bem como os efeitos de sentido provocados por essas duas noções no discurso jornalístico, observando aí como a identidade discursiva desses jornais constituem-se a partir do diálogo com duas formações discursivas constitutivamente controversas: apoiadores e opositores ao golpe de estado de Em síntese, os objetivos específicos da pesquisa são: 1- Confirmar e ressaltar os traços da dimensão subjetiva do discurso jornalístico; 2- Formular categorias de análise para depreensão do ethos e do pathos discursivos; 3- Mostrar os efeitos do pathos no processo de construção do ethos; 4- Verificar a relação entre a dimensão subjetiva do discurso (ethos e pathos) e o posicionamento discursivo dos jornais; 5- Levantar as características do hipergênero primeira página dos jornais sob análise.

4 4 JUSTIFICATIVAS Tendo em vista os trabalhos supracitados que trataram do Golpe de 1964, esta pesquisa se pretende original no sentido de abranger aí uma questão ainda não explorada: analisar a dimensão subjetiva do discurso jornalístico sobre o golpe militar brasileiro de 1964, focalizando, especificamente, o ethos e o pathos produzidos nos discursos do Correio da Manhã e d O Globo, a fim de compreender a imagem que cada jornal oferece de si ao seu leitor e as emoções que lhes são apresentadas a fim de levá-los a se reconhecer dentro de um ou de outro posicionamento discursivo a respeito do que se entendeu sobre o golpe naquele abril de Outro aspecto que motiva nossa pesquisa remete à questão da construção da hegemonia de um discurso que, nesse caso, sustentou um regime de exceção e o manteve no poder por vinte e um anos. De modo algum podemos negar que o clima de tensão instalado pelo uso da força consiste no aspecto mais terrível e vergonhoso de toda a campanha repressiva do período ditatorial, no entanto também é preciso ter em conta que, ao lado dessa ação deliberadamente celerada, desenvolveu-se, na esteira do processo de desestabilização do governo de João Goulart, uma prática discursiva empenhada em justificar o putsch e desqualificar a resistência subsistente. É nessa perspectiva que o desenvolvimento de pesquisas em torno desse assunto no âmbito das ciências da linguagem se mostra relevante. Em suma, trata-se de reconhecer não só a importância, como também a necessidade de compreender os processos de construção do discurso de legitimação e estabelecimento de um novo regime, assim como os de sua resistência. No que tange à constituição do corpus, a escolha dos jornais O Globo e Correio da Manhã se justifica em razão de ambos pertencerem ao que se chama de grande imprensa, ou seja, têm grande tiragem e circulação nacional. Ademais, o Correio da Manhã se apresenta abertamente como um jornal combativo, ao contrário de O Globo, que se mostra mais alinhado ao establishment. E essa já é uma primeira grade que orientará nossos estudos sobre o ethos desses discursos, uma vez que poderíamos supor já de antemão que o Correio da Manhã apresentaria um ethos combativo, ao passo que os discursos de O Globo construiriam um ethos mais contemporizador. Mas, como chegar a tais conclusões? É aí que nossa pesquisa se mostra relevante, pois, ao

5 5 adotar um procedimento metodológico voltado à descrição, preocupa-se em deslindar os mecanismos linguísticos e discursivos de construção do ethos e do pathos, sempre com base em análise de corpus. Do ponto de vista teórico, embora a noção de ethos esteja ocupando espaço demasiadamente expressivo nas modernas teorias da linguagem, entendemos que há uma lacuna no que tange à discussão mais acurada sobre os problemas que acabamos de levantar. Em síntese, a raiz de tais problemas encontra-se num mesmo ponto: na articulação entre a retórica, a argumentação e o discurso. Se nos detivermos apenas aos trabalhos 1 situados na Análise do Discurso que se apropriam dessa noção originalmente retórica, notaremos equívocos dos mais variados graus na passagem do texto aristotélico aos atuais quadros de Análise do Discurso. O ethos é confundido com a imagem de personagens ou de terceiros que não o enunciador de seu próprio discurso; o ethos é confundido com a ideia de estereótipo, quando se diz o ethos professoral de x ; o ethos é confundido com a noção de estilo, quando se pronuncia a máxima ethos é estilo. É por essas razões que insistimos em aprofundar a discussão sobre essas questões, sobretudo a natureza do ethos. Quanto ao pathos (especificamente o pathos), essa noção começa a figurar entre alguns trabalhos inspirados nas teorias da argumentação (Chaïm Perelman, Christian Plantin, Michel Meyer, entre outros) e na análise do discurso encaminhada por Patrick Charaudeau. Acreditamos que podemos aproveitar, de algum modo, todas essas contribuições, para, enfim, começar a trabalhar com a noção de pathos também no seio da AD (mais especificamente no quadro teórico formulado por Maingueneau no que toca à noção de ethos), conduzindo, assim, um trabalho que se justifica em nome de uma coerência teórica. 1 Os trabalhos de Maingueneau (1997, 2001), os artigos reunidos por Ruth Amossy (2005) e publicados sob o título de Imagens de si no discurso: a construção do ethos, bem como aqueles organizados por Ana Raquel Motta & Luciana Salgado (2008) sob o título Ethos discursivo.

6 6 REVISÃO DE LITERATURA A concepção de um modelo teórico-metodológico que articule discurso, retórica e argumentação é uma tendência relativamente recente nas Ciências da Linguagem, pois, se os estudos retóricos, as teorias da argumentação e a Análise do Discurso são disciplinas que, tradicionalmente, procuram definir bem seus limites e suas fronteiras, há trabalhos que se propõem, justamente, a estabelecer pontos de contatos entre tais disciplinas. A retórica viveu um longo período de desprestígio e somente foi recuperada na Modernidade. O Tratado da argumentação - A nova retórica de Perelman & Olbrechts- Tyteca (1996[1958]) revitalizou a abordagem de uma argumentação sobre o verossímil, ou seja, uma argumentação que busca convencer seu auditório no âmbito da negociação. Tal obra associa a retórica à argumentação. Posteriormente, Plantin (1996) distingue a argumentação em duas acepções: (i) orientação dirigida a uma conclusão, em que se analisa a propriedade semântica da frase, considerada fora de contexto; (ii) fato de discurso, associada à prática da linguagem em contexto. Nessa segunda acepção, o autor relaciona as noções de argumentação e de discurso, tal como assumidas por este projeto de pesquisa. Não obstante a essa segunda concepção de argumentação, mas inserido num quadro de análise do discurso, Maingueneau (1994, p.265) afirma que quando o analista do discurso se volta para a argumentação, não é com a intenção de estabelecer o modelo dos processos de validação, mas de relacioná-los a um gênero do discurso histórica e socialmente situado. Alinhando-se a essas colocações, Amossy (2007) adota igualmente uma perspectiva de estudo da argumentação e do discurso que relaciona a fala a um lugar social e a instâncias institucionais. No Brasil, destacam-se os trabalhos de Lineide Salvador Mosca (1990, 1997, 2007), que, ao liderar o Grupo de Estudos de Retórica e Argumentação (GERAR), conduz uma linha de pesquisa que associa retórica, argumentação e discurso, considerando o contexto sócio-histórico de emergência dos discursos examinados. Nessa esteira, desenvolvemos nossa pesquisa, procurando refletir sobre categorias de análise que viabilizem a depreensão de discursos manifestados por meio

7 7 dos mais diversos domínios sociais e gêneros discursivos, a fim de ampliar o alcance do enfoque teórico-metodológico dito discursivo-argumentativo. Assim, em nosso mestrado, defendemos o exame acurado do ethos com base em elementos linguísticos e discursivos (dêixis, modalização, discurso citado, cenografia). A pesquisa teve seus desdobramentos e, desde 2007, estamos trabalhando com as noções de ethos e de pathos em gêneros do jornal. Trata-se de duas noções herdadas da antiga retórica por diferentes disciplinas das modernas Ciências da Linguagem. Cada abordagem enfatiza um aspecto do ethos e do pathos retórico. As teorias argumentativas exploram o caráter persuasivo dessas noções, enquanto as teorias discursivas realçam as suas dimensões social, histórica e interacional. Tendo em vista que o discurso é um objeto multifacetado, porque provido de todas essas características, o ethos e o pathos se oferecem como noções apropriadas a uma orientação de trabalho voltada ao diálogo entre as disciplinas supracitadas. Este projeto desenvolve, portanto, a abordagem discursivoargumentativa, focalizando as noções de ethos e pathos no discurso jornalístico. METODOLOGIA OU MATERIAL E MÉTODOS A pesquisa será conduzida com base em fontes bibliográficas (livros, teses, artigos, etc.) e, para constituição do corpus, nas seguintes fontes documentais: O Globo e Correio da Manhã, edições de 01/04/1964 a 30/04/1964. O material foi reproduzido por meio de processo de microfilmagem dos originais pertencentes ao acervo da Biblioteca Nacional e, posteriormente, digitalizados pelo IEB-USP (Instituto de Estudos Brasileiros). No que diz respeito aos procedimentos de análise dos dados, esta pesquisa procederá à análise do ethos e do pathos no discurso jornalístico, examinando os seguintes pontos: O contexto sócio-histórico da produção discursiva dos jornais sob análise; Os discursos alheios que perpassam e constituem os discursos do jornal; Os papéis sociais dos participantes da comunicação; Os gêneros de discurso encontrados nesse jornal; O suporte, a paginação, a relação entre a materialidade verbal e visual, etc.;

8 8 Estilo de linguagem: recursos linguísticos e discursivos recorrentes; Os elementos que formam a situação de enunciação; As instâncias subjetivas do discurso: figuras que recobrem o enunciador e o co-enunciador, bem como as demais instâncias delegadas pelo enunciador; A relação identitária entre os participantes da comunicação: processos de identificação entre jornal e leitor que revelam o tipo de jornal e de leitor. VIABILIDADE Do ponto de vista financeiro, o projeto não gera custos, uma vez que as fontes bibliográficas encontram-se disponíveis em bibliotecas universitárias e o material já fora devidamente levantado e tratado. Quanto ao tempo para execução desta pesquisa, 24 (vinte e quatro) meses é tempo suficiente para a conclusão do projeto, pois já estão cumpridas as etapas de composição e tratamento do corpus, de levantamento e documentação das fontes bibliográficas, de construção de grande parte dos pressupostos teóricos, de estudo piloto, restando apenas a discussão dos dados obtidos e a comprovação da proposta teórica. Assim, o atual estágio da pesquisa permite afirmar a viabilidade da execução deste projeto. RESULTADOS ESPERADOS O contato superficial com a totalidade do corpus da pesquisa nos permite aventar a hipótese de que, ao longo do mês de abril de 1964, O Globo irá firmar sua posição favorável ao novo regime, ao passo que nesse mesmo período o Correio da Manhã irá construir gradativamente uma identificação mais forte com o discurso contrário ao novo regime. A previsão é que as análises reforcem a hipótese de dois posicionamentos discursivos distintos, ou seja, duas formações discursivas constitutivamente controversas e, assim, dois ethé localizados em pontos opostos de um mesmo continuum axiológico construído com base nas crenças e nos valores estabelecidos pela polêmica em torno do Golpe de 64. E isso tem consequências no que diz respeito à construção da identificação do jornal com o seu leitor, um dos principais argumentos do discurso jornalístico.

9 9 REFERÊNCIAS AMOSSY, Ruth (Org.). Imagens de si no discurso: a construção do ethos. Trad. Dilson Ferreira da Cruz, Fabiana Komesu e Sírio Possenti. São Paulo: Contexto, AMOSSY, Ruth. L'argumentation dans le discours. Discours politique, literature d idées, fiction. 2 e ed. Paris: Armand Colin, AMOSSY, Ruth. O lugar da argumentação na análise do discurso: abordagens e desafios contemporâneos. Trad. Adriana Zavaglia. Filologia e linguística portuguesa, SP, n.9, p , AQUINO, Maria Aparecida de. Censura, Imprensa, Estado Autoritário ( ): o exercício cotidiano da dominação e da resistência O Estado de São Paulo e Movimento. Bauru: EDUSC, ARISTÓTELES. Retórica. Trad. Manuel Alexandre Júnior, Paulo Farmhouse Alberto e Abel do Nascimento Pena. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, AUTHIER-REVUZ, Jaqueline. Heterogeneidade mostrada e heterogeneidade constitutiva: elementos para uma abordagem do outro no discurso. In: Entre a transparência e a opacidade: um estudo enunciativo do sentido. Rev.Trad.Leci Borges Barbisan et al. Porto Alegre: Edipucrs, p BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. In: Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, p BARTHES, Roland. A Retórica Antiga. In: COHEN, Jean et al. Pesquisas de Retórica. Trad. Leda Pinto Mafra Iruzun. Petrópolis: Vozes, p BONINI, Adair. Os gêneros do jornal: o que aponta a literatura da área de comunicação no Brasil? Linguagem em (dis)curso, Tubarão, SC, v. 4, n. 1, p , jul./dez

10 10 BONINI, Adair. Os gêneros do jornal. Questões de pesquisa e ensino. In: KARWOSKI, Acir Mário; GAYDECZKA, Beatriz; BRITO, Karim Siebeneicher. Gêneros textuais: reflexões e ensino. 2.ed. Rio de Janeiro: Lucerna, p BRANDÃO, Helena Hatsue Nagamine. Introdução à Análise do Discurso. 2.ed.rev. Campinas: Editora da Unicamp, CHARAUDEAU, Patrick. Une problématisation discursive de l émotion: à propos des effets de pathémisation à la television. In : PLANTIN, Christian; DOURY, Marianne; TRAVERSO, Véronique (Éds). Les émotions dans les interactions. Lyon: Presses Universitaires Lyon, CHARAUDEAU, Patrick. Pathos e discurso político. In: MACHADO, Ida Lúcia; MENEZES, William; MENDES, Emília. As emoções no discurso. Rio de Janeiro: Lucerna, p DECLERCQ, Gilles. L art d argumenter: structures rhétoriques et littéraires. Paris: Editions Universitaires, DITTRICH, Ivo José. Lingüística e Jornalismo: dos sentidos à argumentação. Cascavel: Edunioeste, DREIFUSS, René Armand. 1964: A conquista do Estado: ação política, poder e golpe de classe. 2. ed. Trad. Else Ribeiro Pires Vieira (superv.). Petrópolis, Vozes, FIORIN, José Luiz. O regime de 1964: discurso e ideologia. São Paulo: Atual, INDURSKY, Freda. A fala dos quartéis e outras vozes. Campinas: Ed.Unicamp, MACHADO, Ida Lúcia; MENEZES, William; MENDES, Emília. (orgs.). As emoções no discurso. Rio de Janeiro: Lucerna, MAINGUENEAU, Dominique. Lecture, incorporation et monde éthique. Études de Linguistique Appliquée (Éla), Paris, n.119, p , juil./sept

11 11 MAINGUENEAU, Dominique. O cenário da enunciação. In: O contexto da obra literária: enunciação, escritor, sociedade. Trad. Marina Appenzeller. São Paulo: Martins Fontes, p [Original: Le contexte de l oeuvre littéraire énonciation, écrivain, société. Paris: Dunod, 1993]. MAINGUENEAU, Dominique. Gênese dos discursos. Trad. Sírio Possenti. Curitiba: Criar, [Original: Genèses du discours. Liège: P.Mardaga, 1984]. MAINGUENEAU, Dominique. L analyse du discours. Introductions aux lectures de l archive. Paris, Hachete, MAINGUENEAU, Dominique. Argumentation et analyse du discours: réflexions à partir de la seconde Provinciale. L Année sociologique, Paris, n.44, p , MAINGUENEAU, Dominique. Novas Tendências em Análise do Discurso. Trad. Freda Indursky. 3. ed. Campinas: Pontes, [Original: Nouvelles tendances en Analyse du Discours. Paris: Hachette, 1987]. MAINGUENEAU, Dominique. Diversidade dos gêneros discursivos. In: MACHADO, Ida Lúcia & MELLO, Renato de (Orgs.). Gêneros: reflexões em Análise do Discurso. Belo Horizonte: NAD/POSLIN/FALE-UFMG, p MAINGUENEAU, Dominique. Ethos, cenografia, incorporação. In: AMOSSY, Ruth (Org.). Imagens de si no discurso: a construção do ethos. Trad. Dilson Ferreira da Cruz, Fabiana Komesu e Sírio Possenti. São Paulo: Contexto, p MAINGUENEAU, Dominique. Problemas de ethos. In: Cenas da enunciação. Orgs. Sírio Possenti & Maria Cecília Pérez de Souza-e-Silva. Curitiba: Criar, [Original: Problèmes d ethos. Pratiques, Metz, n , p.55-67, juin. 2002]. MAURO, Maria Adélia Ferreira. Argumentação e discurso. In: MOSCA, Lineide Salvador (Org.). Retóricas de ontem e de hoje. São Paulo: Humanitas, p MAURO, Maria Adélia Ferreira. Argumentação e discurso. Língua e literatura. São Paulo, n.23. p.79-96, 1997b.

12 12 MAZIÈRE, Francine. A análise do discurso: história e práticas. São Paulo: Parábola Editorial, 2007 [Original: MAZIÈRE, Francine. L analyse du discours. Paris: Presses Universitaires de France, 2005]. MEYER, Michel. Aristóteles ou a retórica das paixões. In: Retórica das paixões. Trad. do grego Isis Borges B. da Fonseca. São Paulo: Martins Fontes, p.xvii-li (prefácio).[original: Aristote. Rhétorique des passions. Postface de Michel Meyer. Paris: Éditions Rivages, 1989]. MEYER, Michel. A retórica. Rev. Téc. Lineide Salvador Mosca. São Paulo: Ática, MOSCA, Lineide Salvador. Subjetividade no editorial: uma análise retóricoargumentativa da adjetivação. São Paulo, f. Tese (Doutorado em Filologia e Língua Portuguesa) Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. MOSCA, Lineide Salvador. Velhas e novas retóricas: convergências e desdobramentos. In: Retóricas de ontem e de hoje. São Paulo: Humanitas, p MOSCA, Lineide Salvador. O espaço tensivo da controvérsia: uma abordagem discursivo-argumentativa. Filologia e lingüística portuguesa, SP, n.9, p , MOTTA, Ana Raquel & SALGADO, Luciana (Orgs.). Ethos discursivo. São Paulo: Contexto, PERELMAN, Chaïm & TYTECA, Lucie Olbrechts-. Tratado da Argumentação: a nova retórica. Trad. De Maria Ermantina Galvão G. Pereira. São Paulo: Martins Fontes, PIRIS, Eduardo Lopes. Elementos para um estudo do ethos numa polêmica parlamentar: análise dos pronunciamentos dos parlamentares que protagonizaram a sessão deliberativa de 12 de dezembro de São Paulo, f. Dissertação (Mestrado em Semiótica e Linguística Geral) Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo.

13 13 PIRIS, Eduardo Lopes. A dimensão subjetiva do discurso jornalístico: o ethos e o pathos nos editoriais do Correio da Manhã e d O Globo sobre a deposição de João Goulart. In: GARCIA, B.R.V.; CUNHA, C.L.; PIRIS, E.L.; FERRAZ, F.S.M.; GONÇALVES SEGUNDO, P.R. (Orgs.). Análises do Discurso: o diálogo entre as várias tendências na USP. São Paulo: Paulistana Editora, ISBN Disponível em: PLANTIN, Christian. L argumentation. Paris : Seuil, PLANTIN, Christian. A argumentação: história, teorias, perspectivas. Trad. Marcos Marcionilo. São Paulo: Parábola, 2008 [Original: L Argumentation Histoire, théories, perspectives. Paris: PUF, 2005]. PLEBE, Armando. Breve história da retórica antiga. Trad. Gilda Naécia Maciel de Barros. São Paulo: Editora Pedagógica Universitária, PLEBE, Armando & EMANUELE, Pietro. Manual de Retórica. Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, ROBRIEUX, Jean-Jacques. Éléments de Rhétorique et d Argumentation. Paris: Dunod, SKIDMORE, Thomas Elliot. Brasil: de Castelo a Tancredo, Rio de Janeiro: Paz e Terra, SODRÉ, Nelson Wernek. Vida e morte da ditadura: vinte anos de autoritarismo no Brasil. Petrópolis: Vozes, SODRÉ, Nelson Wernek. História da Imprensa no Brasil. 4.ed. São Paulo: Mauad, 1999.

14 14 CRONOGRAMA DE ATIVIDADES (discriminar por ano) ANO 1 ATIVIDADES Revisão da transcrição dos dados Investigação teórica sobre o hipergênero e descrição da primeira página jornalística Análise de corpus: edições de 2 a 4 de abril de 1964 Apresentação dos resultados parciais em eventos acadêmicos Análise de corpus: edições de 5 a 7 de abril de 1964 Análise de corpus: edições de 8 e 9 de abril de 1964 ANO 2 ATIVIDADES Análise de corpus: edições de 10 a 15 de abril de 1964 Análise de corpus: edições de 16 a 22 de abril de 1964 Análise de corpus: edições de 23 a 30 de abril de 1964 Verificação das hipóteses e reavaliação das formulações teóricas Apresentação dos resultados parciais em eventos acadêmicos Redação do relatório de pesquisa Conclusão e entrega do relatório de pesquisa

15 OBS.: O orçamento do projeto deve ser elaborado trimestralmente para cada ano. Não incluir bolsistas de iniciação científica ORÇAMENTO RESUMIDO RECURSOS FINANCEIROS POR TRIMESTRE PROGRAMAÇÃO FÍSICA a11) Caracterização da Despesa 1º T 2º T 3º T 4º T Total 00 DESPESA DE CUSTEIO 14 Diárias 30 Material de Consumo 33 Passagens e Locomoção 35 Serviços de Consultoria 36 Serviços de Terceiros P. Física 39 Serviços de Terceiros P. Jurídica DESPESA DE CAPITAL 42 Obras (Construção) 52 Aquisição de Livros 52 Aquisição Equipamentos e Outros TOTAL DA PROPOSTA a12) Nome (s) Entidade (s) a12-1) Participação a12-2) Fonte a12-3) Em R$ Financiadora (s): a12-i) UESC Proponente a12-ii) Concedente Total RESUMO DA PROPOSTA FINANCEIRA Total Em R$ Total da Despesa

16 16 ORÇAMENTO DETALHADO RECURSOS FINANCEIROS POR TRIMESTRE PROGRAMAÇÃO FÍSICA CARACTERIZAÇÃO DA DESPESA Rubrica Diárias - Servidores da UESC Unidade Quant R$ Unit Total Diária Diária Diária SUB-TOTAL Rubrica =Material de Consumo - Finalidade: Unidade Quant R$ Unit Total SUB-TOTAL Rubrica =Passagens - Finalidade: Terrestre (Roteiro): Unidade Quant R$ Unit Total Aérea (Roteiro): SUB-TOTAL Rubrica =Serv.Terceiros P.Física - Finalidade: Unidade Quant R$ Unit Total SUB-TOTAL Rubrica =Serv.Terceiros P.Jurídica - Finalidade: Unidade Quant R$ Unit Total SUB-TOTAL Rubrica Equip. e Mat.Permanente - Unidade Quant R$ Unit Total

17 17 Finalidade: SUB-TOTAL TOTAL DA DESPESA Unidade Unidade Unidade Unidade

18 EQUIPE: Nome Titulação Departamento Dedicação ao projeto h/semana Eduardo Lopes Piris Mestre DLA 6 PLANO DE ATIVIDADE DE CADA COMPONENTE DA EQUIPE Reportar-se ao cronograma de atividades. Data 24/05/2010 Nome do Coordenador do Projeto Eduardo Lopes Piris Ass. Nome do Diretor do Departamento Samuel Leandro Oliveira de Mattos Ass.

Programa de Iniciação Científica da UESC PROIC/UESC 2011-2012. Projeto de Pesquisa do Orientador

Programa de Iniciação Científica da UESC PROIC/UESC 2011-2012. Projeto de Pesquisa do Orientador Programa de Iniciação Científica da UESC PROIC/UESC 2011-2012 Projeto de Pesquisa do Orientador Informações gerais do projeto Orientador: Eduardo Lopes Piris Título do Projeto: Análise do Discurso e Argumentação:

Leia mais

A REDAÇÃO DO VESTIBULAR E A CONSTRUÇÃO DE UM ETHOS DISCURSIVO APOIADO NO HIPERENUNCIADOR JORNALISTA

A REDAÇÃO DO VESTIBULAR E A CONSTRUÇÃO DE UM ETHOS DISCURSIVO APOIADO NO HIPERENUNCIADOR JORNALISTA A REDAÇÃO DO VESTIBULAR E A CONSTRUÇÃO DE UM ETHOS DISCURSIVO APOIADO NO HIPERENUNCIADOR JORNALISTA Gislane Kátia TESSAROLO AUTORA - MESTRANDA DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM LETRAS E LINGUÍSTICA UFG

Leia mais

Carlos Fabiano de Souza IFF UFF carlosfabiano.teacher@gmail.com

Carlos Fabiano de Souza IFF UFF carlosfabiano.teacher@gmail.com VIII Jornada de Estudos do Discurso NARRANDO A VIDA SOCIAL A FALA DO PROFESSOR DE INGLÊS SOBRE A SUA ATIVIDADE DOCENTE EM CURSOS DE IDIOMAS: POR UM ITINERÁRIO INVESTIGATIVO NA INTERFACE TRABALHO & LINGUAGEM

Leia mais

EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA E POLÍTICAS PÚBLICAS SOCIAIS

EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA E POLÍTICAS PÚBLICAS SOCIAIS EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA E POLÍTICAS PÚBLICAS SOCIAIS Flávio Pereira DINIZ (FCS UFG / diniz.fp@gmail.com) 1 Dijaci David de OLIVEIRA (FCS UFG / dijaci@gmail.com) 2 Palavras-chave: extensão universitária;

Leia mais

A INSTITUCIONALIZAÇÃO DA AD NOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DA PUC/RS E DA UFRGS

A INSTITUCIONALIZAÇÃO DA AD NOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DA PUC/RS E DA UFRGS A INSTITUCIONALIZAÇÃO DA AD NOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DA PUC/RS E DA UFRGS Taís da Silva MARTINS Universidade Federal de Santa Maria taissmartins@superig.com.br Em nossa pesquisa, buscamos entender

Leia mais

Nome do candidato TÍTULO DO PROJETO

Nome do candidato TÍTULO DO PROJETO Nome do candidato TÍTULO DO PROJETO Projeto de Pesquisa apresentado ao Programa de Pós- Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria como requisito parcial para a seleção de ingresso

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA INICIAÇÃO CIENTÍFICA FONTES DO JORNALISMO IMPRESSO EM CAMPO GRANDE

PROJETO DE PESQUISA INICIAÇÃO CIENTÍFICA FONTES DO JORNALISMO IMPRESSO EM CAMPO GRANDE Gerson Luiz Martins PROJETO DE PESQUISA INICIAÇÃO CIENTÍFICA FONTES DO JORNALISMO IMPRESSO EM CAMPO GRANDE A contribuição da Reportagem, Assessorias e Agências para a formação do jornal diário. Equipe

Leia mais

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica)

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) GRUPO PAIDÉIA FE/UNICAMP Linha: Episteduc Coordenador: Prof. Dr. Silvio Sánchez Gamboa Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) Os projetos de pesquisa se caracterizam

Leia mais

PICCARDI, T. O sujeito da AD: um conceito em transformação. Revista Intercâmbio, volume XV. São Paulo: LAEL/PUC-SP, ISSN 1806-275X, 2006.

PICCARDI, T. O sujeito da AD: um conceito em transformação. Revista Intercâmbio, volume XV. São Paulo: LAEL/PUC-SP, ISSN 1806-275X, 2006. O SUJEITO DA AD: UM CONCEITO EM TRANSFORMAÇÃO Tatiana PICCARDI (Universidade de São Paulo) ABSTRACT: the concept Subject in discourse analysis, specially in French discourse analysis, is changing. In fact,

Leia mais

OPERADORES ARGUMENTATIVOS: AS MARCAS DE ARGUMENTAÇÃO NO GÊNERO NOTÍCIA ONLINE

OPERADORES ARGUMENTATIVOS: AS MARCAS DE ARGUMENTAÇÃO NO GÊNERO NOTÍCIA ONLINE 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 OPERADORES ARGUMENTATIVOS: AS MARCAS DE ARGUMENTAÇÃO NO GÊNERO NOTÍCIA ONLINE André William Alves de Assis 1 RESUMO: Como participantes do processo comunicativo,

Leia mais

Profª Drª Maria Aparecida Baccega

Profª Drª Maria Aparecida Baccega Profª Drª Maria Aparecida Baccega http://lattes.cnpq.br/8872152033316612 Elizabeth Moraes Gonçalves - UMESP Alguns dados de currículo Livre Docente em Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO PERÍODO LETIVO/ANO 2010 Programa: Pós-Graduação stricto sensu em Educação/PPGE Área de Concentração: Sociedade,

Leia mais

WALDILÉIA DO SOCORRO CARDOSO PEREIRA

WALDILÉIA DO SOCORRO CARDOSO PEREIRA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO E ENSINO DE CIÊNCIAS NO AMAZONAS MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO DE CIÊNCIAS NO AMAZONAS WALDILÉIA DO SOCORRO CARDOSO PEREIRA PROPOSTAS

Leia mais

(IM)PACTOS DA/COM A LEITURA LITERÁRIA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES ALFABETIZADORES Fernanda de Araújo Frambach UFRJ

(IM)PACTOS DA/COM A LEITURA LITERÁRIA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES ALFABETIZADORES Fernanda de Araújo Frambach UFRJ (IM)PACTOS DA/COM A LEITURA LITERÁRIA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES ALFABETIZADORES Fernanda de Araújo Frambach UFRJ Resumo O presente trabalho objetiva apresentar uma pesquisa em andamento que

Leia mais

OS MECANISMOS DE COESÃO EM CAMPANHAS DE SAÚDE

OS MECANISMOS DE COESÃO EM CAMPANHAS DE SAÚDE OS MECANISMOS DE COESÃO EM CAMPANHAS DE SAÚDE Kleiton Cassemiro do Nascimento¹ DLLEM / UFRN Kleitoncass@gmail.com RESUMO Este trabalho tem como objetivo fazer uma análise dos mecanismos de coesão adotados

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DE IMAGEM DO PROFESSOR DE LÍNGUA PORTUGUESA

A CONSTRUÇÃO DE IMAGEM DO PROFESSOR DE LÍNGUA PORTUGUESA A CONSTRUÇÃO DE IMAGEM DO PROFESSOR DE LÍNGUA PORTUGUESA Carlos Alexandre Nascimento Aragão (UNIT) 1 1. UMA BREVE ABORDAGEM SOBRE A ANÁLISE DO DISCURSO O discurso é concebido por Pêcheux (1988) como um

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL IV SEAD - SEMINÁRIO DE ESTUDOS EM ANÁLISE DO DISCURSO 1969-2009: Memória e história na/da Análise do Discurso Porto Alegre, de 10 a 13 de novembro de 2009 A MATERIALIZAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO Disciplina: LINGUAGEM, DISCURSO E INSTITUIÇÕES DO SISTEMA Regente: Profa. Dra. Mônica da Silva Cruz Carga horária: 60h Número de créditos: 04 Semestre letivo: 2013.1 Datas: terças-feiras, das 14h30min

Leia mais

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS DO GEPHE - GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM CAMPINA GRANDE PARAIBA

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS DO GEPHE - GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM CAMPINA GRANDE PARAIBA GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS DO GEPHE - GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM CAMPINA GRANDE PARAIBA Autora: Regina Coelli Gomes Nascimento - Professora do curso de História

Leia mais

Aula8 HETEROGENEIDADE DISCURSIVA: OS MODOS DE REPRESENTAÇÃO DO OUTRO NO DISCURSO. Eugênio Pacelli Jerônimo Santos Flávia Ferreira da Silva

Aula8 HETEROGENEIDADE DISCURSIVA: OS MODOS DE REPRESENTAÇÃO DO OUTRO NO DISCURSO. Eugênio Pacelli Jerônimo Santos Flávia Ferreira da Silva Aula8 HETEROGENEIDADE DISCURSIVA: OS MODOS DE REPRESENTAÇÃO DO OUTRO NO DISCURSO META Discutir a heterogeneidade discursiva como constitutiva da linguagem. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá:

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO ANÁLISE DO DISCURSO DA PROPAGANDA MARLBORO SOROCABA 2014 1 Introdução O presente trabalho

Leia mais

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA 1. Escolha do tema 2. Formulação do problema 3. Justificativa 4. Determinação dos objetivos 5. Referencial teórico 6. Referências 1 Escolha do Tema 1. Escolha do Tema Nesta

Leia mais

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária

A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades de Extensão Universitária Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 A Construção de Categorias e Indicadores para Avaliação Institucional de Cursos, Projetos e Atividades

Leia mais

Linha de Pesquisa 1: ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS

Linha de Pesquisa 1: ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS Linha de Pesquisa 1: ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS Tem como objetivo o estudo dos processos de ensino e aprendizagem de línguas materna e estrangeiras e, em especial, do papel da linguagem no desenvolvimento

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: PNLD, livro didático, língua estrangeira, gênero.

PALAVRAS-CHAVE: PNLD, livro didático, língua estrangeira, gênero. PNLD 2011: ANÁLISE DE UMA COLEÇÃO DE LIVRO DIDÁTICO DE INGLÊS Universidade Federal de Goiás Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística Mestranda: Maria Letícia Martins Campos FERREIRA mleticiaf@hotmail.com

Leia mais

LENDO IMAGENS A PARTIR DE PROPOSTAS DE AÇÃO EDUCATIVA EM EVENTOS DE ARTE CONTEMPORÂNEA EM GOIÁS.

LENDO IMAGENS A PARTIR DE PROPOSTAS DE AÇÃO EDUCATIVA EM EVENTOS DE ARTE CONTEMPORÂNEA EM GOIÁS. LENDO IMAGENS A PARTIR DE PROPOSTAS DE AÇÃO EDUCATIVA EM EVENTOS DE ARTE CONTEMPORÂNEA EM GOIÁS. ARAÚJO, Haroldo de 1; Prof.Dr. Costa, Luis Edegar de Oliveira 2;. Palavras chaves: Arte contemporânea; curadoria;

Leia mais

2. TRABALHOS ACADÊMICOS, DISSERTAÇÕES E TESES

2. TRABALHOS ACADÊMICOS, DISSERTAÇÕES E TESES 1. PROJETO DE PESQUISA O projeto de pesquisa surge como proposta da solução de um problema, ou seja, da identificação de uma necessidade a ser satisfeita. É o resultado do planejamento para a solução do

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE COMO DEVE SER FEITO O TCC DENTRO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

ORIENTAÇÃO SOBRE COMO DEVE SER FEITO O TCC DENTRO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ORIENTAÇÃO SOBRE COMO DEVE SER FEITO O TCC DENTRO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Ministrantes: Anita Maria da Rocha Fernandes César Albenes Zeferino Maria Cristina Kumm Pontes Rafael Luiz Cancian Itajaí,

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edson Crisostomo dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES edsoncrisostomo@yahoo.es

Leia mais

principalmente na UFES (três), na UFSCar (dois) e a UERJ (dois). Em 2005 a produção tem ápice com doze estudos em diferentes universidades.

principalmente na UFES (três), na UFSCar (dois) e a UERJ (dois). Em 2005 a produção tem ápice com doze estudos em diferentes universidades. A PRODUÇÃO CIENTÍFICA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL/INCLUSÃO ESCOLAR NA PERSPECTIVA DA PESQUISA-AÇÃO: REFLEXÕES A PARTIR DE SEUS CONTEXTOS Mariangela Lima de Almeida UFES Agência Financiadora: FAPES Num contexto

Leia mais

PRIMEIRO SEMESTRE. Fundamentos Teóricometodológicos SUB-TOTAL 360 TOTAL 360

PRIMEIRO SEMESTRE. Fundamentos Teóricometodológicos SUB-TOTAL 360 TOTAL 360 PRIMEIRO SEMESTRE Teórica Fundamentos da Comunicação e do Jornalismo Comunicação em Língua Portuguesa I Teoria da Comunicação Sociologia da Comunicação Introdução à Economia Fundamentos Epistemológicos

Leia mais

Metodologia do Trabalho Científico

Metodologia do Trabalho Científico Metodologia do Trabalho Científico Diretrizes para elaboração de projetos de pesquisa, monografias, dissertações, teses Cassandra Ribeiro O. Silva, Dr.Eng. METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA Porque escrever

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO 2011-1 DISCIPLINA: Ensinar e aprender História - JP0038 PROFESSORA: Dra. Hilda Jaqueline de Fraga I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Carga Horária 75h II EMENTA Concepções e temas recorrentes no

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio. Etec. Etec: Professor Massuyuki Kawano

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio. Etec. Etec: Professor Massuyuki Kawano Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio Etec Etec: Professor Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã Área de conhecimento: Ciências Humanas e Suas Tecnologias Componente Curricular:

Leia mais

(30h/a 02 créditos) Dissertação III (90h/a 06 Leituras preparatórias para a

(30h/a 02 créditos) Dissertação III (90h/a 06 Leituras preparatórias para a GRADE CURRICULAR DO MESTRADO EM LETRAS: LINGUAGEM E SOCIEDADE DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS 34 CRÉDITOS Teorias da Linguagem (60h/a 04 Teorias Sociológicas (60h/a 04 Metodologia da Pesquisa em Linguagem (30h/a

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PROGRAMA DE APOIO AO ENSINO E GRADUAÇÃO - PAEG

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PROGRAMA DE APOIO AO ENSINO E GRADUAÇÃO - PAEG UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PROGRAMA DE APOIO AO ENSINO E GRADUAÇÃO - PAEG PROJETO DE ENSINO PORTUGUÊS COMO SEGUNDA LÍNGUA: PRÁTICAS DOCENTES E MATERIAIS DIDÁTICOS IDENTIFICAÇÃO DA AÇÃO: COORDENADOR

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO TEMA: ELABORAÇÃO DE PROJETOS COM FOCO NA FAMÍLIA Março/2010 ELABORAÇÃO DE PROJETOS ELABOR-AÇÃO: palavra-latim-elabore preparar, formar,ordenar AÇÃO: atuação, ato PRO-JETOS: palavra-latim-projetus

Leia mais

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR RESENHA Neste capítulo, vamos falar acerca do gênero textual denominado resenha. Talvez você já tenha lido ou elaborado resenhas de diferentes tipos de textos, nas mais diversas situações de produção.

Leia mais

BEHAVIORISMO NO PARANÁ EM TEMPOS DE DITADURA MILITAR: O CASO DA UEL

BEHAVIORISMO NO PARANÁ EM TEMPOS DE DITADURA MILITAR: O CASO DA UEL BEHAVIORISMO NO PARANÁ EM TEMPOS DE DITADURA MILITAR: O CASO DA UEL Marcelo Mazzotti Bono Belascusa (PIBIC/CNPq/FA/UEM), Carlos Lopes Eduardo (Orientador), e-mail: caedlopes@gmail.com, Carolina Laurenti

Leia mais

Utilize o roteiro abaixo como mapa para elaboração do projeto. Organizado o conjunto, amplie as partes que requerem detalhamento.

Utilize o roteiro abaixo como mapa para elaboração do projeto. Organizado o conjunto, amplie as partes que requerem detalhamento. Utilize o roteiro abaixo como mapa para elaboração do projeto. Organizado o conjunto, amplie as partes que requerem detalhamento. ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA Título provisório (uma expressão

Leia mais

PLANO DE DISCIPLINA. Faculdade Internacional do Delta Curso: Serviço Social. Período: 1º/2014 1. UNIDADE TEMÁTICA:

PLANO DE DISCIPLINA. Faculdade Internacional do Delta Curso: Serviço Social. Período: 1º/2014 1. UNIDADE TEMÁTICA: PLANO DE DISCIPLINA Faculdade Internacional do Delta Curso: Serviço Social Coordenação: Naiara Magalhães Professor (a): Adriana Barros Disciplina: Pesquisa Social I Carga horária: 60h Período: 1º/2014

Leia mais

Currículo nº2 DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

Currículo nº2 DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Turno: INTEGRAL Currículo nº2 Reconhecido pelo Decreto Federal n 82.413, de 16.10.78, D.O.U. nº198 de 17.10.78. Renovação de Reconhecimento Decreto Est. nº. 1064, de 13.04.11 DOE

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO UNIDADE ACADÊMICA: CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS

UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO UNIDADE ACADÊMICA: CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO UNIDADE ACADÊMICA: CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS CURSO LETRAS DISCIPLINA ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ÍNGUA PORTUGUESA II PROFESSOR: ANO LETIVO: RONALDO

Leia mais

A constituição do sujeito em Michel Foucault: práticas de sujeição e práticas de subjetivação

A constituição do sujeito em Michel Foucault: práticas de sujeição e práticas de subjetivação A constituição do sujeito em Michel Foucault: práticas de sujeição e práticas de subjetivação Marcela Alves de Araújo França CASTANHEIRA Adriano CORREIA Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Filosofia

Leia mais

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Turno: INTEGRAL Currículo nº Reconhecido pelo Decreto Federal n 8.1, de 16.10.78, D.O.U. nº198 de 17.10.78. Renovação de Reconhecimento Decreto Est. nº. 106, de 1.0.11 DOE nº 85

Leia mais

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance

Fundação Carmelitana Mário Palmério - FUCAMP Faculdade de Ciências Humanas e Sociais - FACIHUS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO DE LETRAS PORTUGUÊS/ESPANHOL O ensino da língua espanhola no contexto da escola pública INTRODUÇÃO Este plano procura articular-se de forma integrada com o plano de trabalho institucional, que

Leia mais

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA O PAPEL DA

Leia mais

Mudanças didáticas e pedagógicas no ensino de Língua Portuguesa

Mudanças didáticas e pedagógicas no ensino de Língua Portuguesa Mudanças didáticas e pedagógicas no ensino de Língua Portuguesa Silvio Profirio da Silva¹ Durante décadas, o ensino de Língua Portuguesa desenvolvido em nossas escolas limitou - se à análise e à classificação

Leia mais

Preparação do Trabalho de Pesquisa

Preparação do Trabalho de Pesquisa Preparação do Trabalho de Pesquisa Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Pesquisa Bibliográfica Etapas do Trabalho de Pesquisa

Leia mais

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino fundamental Resumo O projeto de iniciação científica está vinculado à pesquisa Uso do jornal em sala de aula e compreensão

Leia mais

COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA

COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA Maria Eliane Gomes Morais (PPGFP-UEPB) Linduarte Pereira Rodrigues (DLA/PPGFP-UEPB) Resumo: Os textos publicitários

Leia mais

O TRABALHO DE MONOGRAFIA

O TRABALHO DE MONOGRAFIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Módulo VI-a 27 a 29 de janeiro de 2011 O TRABALHO DE MONOGRAFIA PRINCÍPIO PARA O CONHECIMENTO E A FORMAÇÃO PROFISSIONAL Prof. Ms. Adriana Fernandes

Leia mais

Autorizado pela Portaria nº 276, de 30/05/15 DOU de 31/03/15

Autorizado pela Portaria nº 276, de 30/05/15 DOU de 31/03/15 C U R S O D E E N G E N H A R I A C I V I L Autorizado pela Portaria nº 276, de 30/05/15 DOU de 31/03/15 Componente Curricular: PORTUGUÊS INSTRUMENTAL Código: ENG. 000 Pré-requisito: ----- Período Letivo:

Leia mais

DOCUMENTOS OFICIAIS DO GOVERNO - SUBSÍDIOS PARA A PRÁTICA DOCENTE DO PROFESSOR DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

DOCUMENTOS OFICIAIS DO GOVERNO - SUBSÍDIOS PARA A PRÁTICA DOCENTE DO PROFESSOR DE LÍNGUA ESTRANGEIRA DOCUMENTOS OFICIAIS DO GOVERNO - SUBSÍDIOS PARA A PRÁTICA DOCENTE DO PROFESSOR DE LÍNGUA ESTRANGEIRA Alciene Ribeiro Feitoza da SILVA 1 Módulo Centro Universitário Ao atuar na formação de professores de

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO PLANO DE ENSINO. Modalidade de Ensino: Componente Curricular: Comunicação e Linguagem

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO PLANO DE ENSINO. Modalidade de Ensino: Componente Curricular: Comunicação e Linguagem 1 IDENTIFICAÇÃO Curso: INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO Licenciatura em Química Componente Curricular: Comunicação e Linguagem PLANO DE ENSINO Modalidade de Ensino: Superior

Leia mais

Alfabetizar e promover o ensino da linguagem oral e escrita por meio de textos.

Alfabetizar e promover o ensino da linguagem oral e escrita por meio de textos. Alfabetizar e promover o ensino da linguagem oral e escrita por meio de textos. Daiane Pacheco-USC pedagogia - daiaspacheco@gmail.com; Carla Viviana-USC pedagogia- vivianamaximino@hotmail.com; Kelly Rios-USC

Leia mais

ANÁLISE DOS TERMOS DE DESIGNAÇÃO PARA INCLUSÃO EDUCACIONAL NO WEBJORNALISMO

ANÁLISE DOS TERMOS DE DESIGNAÇÃO PARA INCLUSÃO EDUCACIONAL NO WEBJORNALISMO ANÁLISE DOS TERMOS DE DESIGNAÇÃO PARA INCLUSÃO EDUCACIONAL NO WEBJORNALISMO PALAVRAS-CHAVE: Análise, Educação, Inclusão. Lucas Lameira Martins RESUMO Este artigo tem como objetivo apresentar um trabalho

Leia mais

SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO

SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO MESTRADO SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO Justificativa A equipe do mestrado em Direito do UniCEUB articula-se com a graduação, notadamente, no âmbito dos cursos de

Leia mais

LEITURAS DO MEDO: As notícias sobre violência e sua relação com o aumento do sentimento de insegurança.

LEITURAS DO MEDO: As notícias sobre violência e sua relação com o aumento do sentimento de insegurança. LEITURAS DO MEDO: As notícias sobre violência e sua relação com o aumento do sentimento de insegurança. Jaquelaine SOUSA 1 Dalva Borges de SOUZA 2 Programa de Pós-Graduação em Sociologia/Faculdade de Ciências

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DESCRIÇÃO E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO SINTÁTICO E SEMÂNTICO DOS ADVÉRBIOS EM - MENTE Coordenador/E-mail: Gessilene Silveira Kanthack/

Leia mais

EDITAL 2012 PARA APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO - CULTURAIS NA UFSCar - CCult

EDITAL 2012 PARA APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO - CULTURAIS NA UFSCar - CCult EDITAL 2012 PARA APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO - CULTURAIS NA UFSCar - CCult JUSTIFICATIVA O estatuto da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) no Capítulo 1, artigo 3º. define como finalidade

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS APRESENTAÇÃO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS Breve histórico da instituição seguido de diagnóstico e indicadores sobre a temática abrangida pelo projeto, especialmente dados que permitam análise da

Leia mais

PROPOSTA DE CENTRO DE PESQUISA

PROPOSTA DE CENTRO DE PESQUISA PROPOSTA DE CENTRO DE PESQUISA Nome: FESTA - Fórmulas e estereótipos: teoria e análise Coordenador: Sírio Possenti Vice-coordenador: Tânia Maria Alkmim 1. CARACTERIZAÇÃO E JUSTIFICATIVA Convivemos com

Leia mais

Com solicitação de bolsas e/ou recursos (Em continuidade) Identificação. http://lattes.cnpq.br/2431034310174335

Com solicitação de bolsas e/ou recursos (Em continuidade) Identificação. http://lattes.cnpq.br/2431034310174335 PROEX - Projeto de Extensão Universitária Página 1 Modalidade: Trâmite Atual: Com solicitação de bolsas e/ou recursos (Em continuidade) Identificação Ano Base: 2016 Título: Reinventando espaços:a construção

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UESC - PROIC 2012/2013. Projeto de Pesquisa do Orientador e Plano de Trabalho do Discente. Projeto de Pesquisa

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UESC - PROIC 2012/2013. Projeto de Pesquisa do Orientador e Plano de Trabalho do Discente. Projeto de Pesquisa PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UESC - PROIC 2012/2013 Projeto de Pesquisa do Orientador e Plano de Trabalho do Discente Projeto de Pesquisa INFORMAÇÕES GERAIS DO PROJETO Título do Projeto: Análise

Leia mais

25/07 ESBOÇO DE ANÁLISE DE UM TEXTO MIDIÁTICO IMAGÉTICO SOB OS PRESSUPOSTOS DA ANÁLISE DO DISCURSO. Maricília Lopes da Silva (PG-UNIFRAN)

25/07 ESBOÇO DE ANÁLISE DE UM TEXTO MIDIÁTICO IMAGÉTICO SOB OS PRESSUPOSTOS DA ANÁLISE DO DISCURSO. Maricília Lopes da Silva (PG-UNIFRAN) 25/07 ESBOÇO DE ANÁLISE DE UM TEXTO MIDIÁTICO IMAGÉTICO SOB OS PRESSUPOSTOS DA ANÁLISE DO DISCURSO. Maricília Lopes da Silva (PG-UNIFRAN) Introdução Nesta pesquisa, desenvolve-se um trabalho pautado nos

Leia mais

ANÁLISE DE VÍDEOS DOCUMENTAIS: PERSPECTIVAS PARA DISCUSSÕES ACERCA DO PROGRAMA ETNOMATEMÁTICA NEVES

ANÁLISE DE VÍDEOS DOCUMENTAIS: PERSPECTIVAS PARA DISCUSSÕES ACERCA DO PROGRAMA ETNOMATEMÁTICA NEVES ANÁLISE DE VÍDEOS DOCUMENTAIS: PERSPECTIVAS PARA DISCUSSÕES ACERCA DO PROGRAMA ETNOMATEMÁTICA Rouseleyne Mendonça de Souza NEVES Mestrado em Educação em Ciências e Matemática - UFG Órgão financiador: CAPES

Leia mais

CONGRESSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA SESC 2015 VERTENTES PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO FÍSICA

CONGRESSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA SESC 2015 VERTENTES PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO FÍSICA CONGRESSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA SESC 2015 VERTENTES PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO FÍSICA EDITAL O Sesc Unidade Barra Mansa, torna público o Edital referente ao Congresso de Educação Física Sesc 2015,

Leia mais

(Re)buscando Pêcheux: algumas reflexões in-certas 1

(Re)buscando Pêcheux: algumas reflexões in-certas 1 (Re)buscando Pêcheux: algumas reflexões in-certas 1 Beatriz Maria ECKERT-HOFF 2 Doutoranda em Lingüística Aplicada/UNICAMP Este texto se insere no painel 04, intitulado Mises au point et perspectives à

Leia mais

O BOM PROFESSOR DA PÓS-GRADUAÇÃO E SUA PRÁTICA. PALAVRAS-CHAVE: docência universitária, formação docente, representações, perspectivas paradigmáticas

O BOM PROFESSOR DA PÓS-GRADUAÇÃO E SUA PRÁTICA. PALAVRAS-CHAVE: docência universitária, formação docente, representações, perspectivas paradigmáticas O BOM PROFESSOR DA PÓS-GRADUAÇÃO E SUA PRÁTICA Núbia Vieira TEIXEIRA; Solange Martins Oliveira MAGALHÃES Mestrado - Programa de Pós - Graduação em Educação - FE/UFG vitenubia@yahoo.com.br;solufg@hotmail.com

Leia mais

CULTURA ESCOLAR DICIONÁRIO

CULTURA ESCOLAR DICIONÁRIO CULTURA ESCOLAR Forma como são representados e articulados pelos sujeitos escolares os modos e as categorias escolares de classificação sociais, as dimensões espaço-temporais do fenômeno educativo escolar,

Leia mais

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Brincar é fonte de lazer, mas é, simultaneamente, fonte de conhecimento; é esta dupla natureza que nos leva a considerar o brincar

Leia mais

UNIVERSIDADE IGUAÇU FACUDADE DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

UNIVERSIDADE IGUAÇU FACUDADE DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS UNIVERSIDADE IGUAÇU FACUDADE DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE MONOGRAFIA FILOMENA MARIA RATES SOARES VITOR TENÓRIO NOVA

Leia mais

Orientações para Elaboração de Projetos

Orientações para Elaboração de Projetos Orientações para Elaboração de Projetos CORPO ADMINISTRATIVO Washington de Jesus Sant Anna da Franca-Rocha Assessor Especial de Relações Institucionais Raquel de Matos Cardoso do Vale Assessora Técnica

Leia mais

OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: 184 Parábola Editorial, 2010.

OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: 184 Parábola Editorial, 2010. Resenha OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: 184 Parábola Editorial, 2010. Leticia Macedo Kaeser * leletrasufjf@gmail.com * Aluna

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO Faculdade de Educação PROJETO DE PESQUISA

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO Faculdade de Educação PROJETO DE PESQUISA PROJETO DE PESQUISA INSTITUIÇÕES E INTELECTUAIS DA EDUCAÇÃO NO BRASIL: HISTÓRIA, IDEIAS E TRAJETÓRIAS Responsável: Prof. Dr. Mauro Castilho Gonçalves O projeto investiga a história de instituições educativas

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

UMA ANÁLISE DO TRATAMENTO DADO À TRIGONOMETRIA EM LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO MÉDIO PUBLICADOS NO BRASIL DO INÍCIO DO SÉCULO XX AOS DIAS ATUAIS

UMA ANÁLISE DO TRATAMENTO DADO À TRIGONOMETRIA EM LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO MÉDIO PUBLICADOS NO BRASIL DO INÍCIO DO SÉCULO XX AOS DIAS ATUAIS ISSN 2316-7785 UMA ANÁLISE DO TRATAMENTO DADO À TRIGONOMETRIA EM LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO MÉDIO PUBLICADOS NO BRASIL DO INÍCIO DO SÉCULO XX AOS DIAS ATUAIS Resumo Adriano Torri Souza UFSM adriano.torrisouza@gmail.com

Leia mais

SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Susana Lazzaretti Padilha Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) Campus Cascavel susana.lap@hotmail.com

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO 1 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) Consuni nº. 63/14, 2011 de 10 de dezembro de 2014. 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 3 01 INTRODUÇÃO AO CONHECIMENTO TECNOLÓGICO...

Leia mais

CONCEPÇÕES DE PROFESSORES SOBRE GÊNEROS TEXTUAIS/DISCURSIVOS NA ESCOLA. Fernanda Cargnin Gonçalves goncalves.fernandac@gmail.com

CONCEPÇÕES DE PROFESSORES SOBRE GÊNEROS TEXTUAIS/DISCURSIVOS NA ESCOLA. Fernanda Cargnin Gonçalves goncalves.fernandac@gmail.com CONCEPÇÕES DE PROFESSORES SOBRE GÊNEROS TEXTUAIS/DISCURSIVOS NA ESCOLA Fernanda Cargnin Gonçalves goncalves.fernandac@gmail.com O que faremos? Recorte de uma pesquisa realizada no ano de 2010 com 84 professores

Leia mais

Uma perspectiva para compreender os gêneros discursivos: a Escola Norte-Americana

Uma perspectiva para compreender os gêneros discursivos: a Escola Norte-Americana Uma perspectiva para compreender os gêneros discursivos: a Escola Norte-Americana Lucas Piter Alves Costa 1 Por que estudar gêneros? Como estudá-los? Qual a importância que o domínio de seus estudos pode

Leia mais

EXPERIÊNCIAS COLETIVAS POPULARES: PRÁTICAS SOCIAIS NASCIDAS NAS PERIFERIAS

EXPERIÊNCIAS COLETIVAS POPULARES: PRÁTICAS SOCIAIS NASCIDAS NAS PERIFERIAS Círculo de Cultura: Eixo 1 - A educação que emancipa frente às injustiças, desigualdades e vulnerabilidades. EXPERIÊNCIAS COLETIVAS POPULARES: PRÁTICAS SOCIAIS NASCIDAS NAS PERIFERIAS Cezar Luiz De Mari

Leia mais

tido, articula a Cartografia, entendida como linguagem, com outra linguagem, a literatura infantil, que, sem dúvida, auxiliará as crianças a lerem e

tido, articula a Cartografia, entendida como linguagem, com outra linguagem, a literatura infantil, que, sem dúvida, auxiliará as crianças a lerem e Apresentação Este livro tem o objetivo de oferecer aos leitores de diversas áreas do conhecimento escolar, principalmente aos professores de educação infantil, uma leitura que ajudará a compreender o papel

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA. Trabalho de Conclusão de Curso

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA. Trabalho de Conclusão de Curso UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA Trabalho de Conclusão de Curso Brasília 1º semestre de 2015 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA REITOR Prof. Dr. Gilberto Gonçalves Garcia PRÓ-REITOR

Leia mais

TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS

TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS TAMANHO DAS FOLHAS - DEMONSTRATIVOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS IFAM CAMPUS HUMAITÁ CURSO DE... NOME DO(A) DISCENTE TÍTULO DA PESQUISA HUMAITÁ AM ANO EM QUE O TRABALHO

Leia mais

PROPOSTA DE PAINEL TEMÁTICO: Proprietas: Políticas públicas e historicidade

PROPOSTA DE PAINEL TEMÁTICO: Proprietas: Políticas públicas e historicidade PROPOSTA DE PAINEL TEMÁTICO: Proprietas: Políticas públicas e historicidade Proponente: Leandro José Luz Riodades de Mendonça (PPED/UFRJ - Pós- Graduação em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento

Leia mais

A TEORIA DO PODER SIMBÓLICO NA COMPREENSÃO DAS RELAÇÕES SOCIAIS CONTEMPORÂNEA

A TEORIA DO PODER SIMBÓLICO NA COMPREENSÃO DAS RELAÇÕES SOCIAIS CONTEMPORÂNEA CONGRESSO INTERNACIONAL INTERDISCIPLINAR EM SOCIAIS E HUMANIDADES Niterói RJ: ANINTER-SH/ PPGSD-UFF, 03 a 06 de Setembro de 2012, ISSN 2316-266X A TEORIA DO PODER SIMBÓLICO NA COMPREENSÃO DAS RELAÇÕES

Leia mais

ANÁLISE DE COMPREENSÃO DE TEXTO ESCRITO EM LÍNGUA INGLESA COM BASE EM GÊNEROS (BIOGRAFIA).

ANÁLISE DE COMPREENSÃO DE TEXTO ESCRITO EM LÍNGUA INGLESA COM BASE EM GÊNEROS (BIOGRAFIA). ANÁLISE DE COMPREENSÃO DE TEXTO ESCRITO EM LÍNGUA INGLESA COM BASE EM GÊNEROS (BIOGRAFIA). Alinne da Silva Rios Universidade do Sagrado Coração, Bauru/SP e-mail: alinnerios@hotmail.com Profa. Ms. Leila

Leia mais

Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015

Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015 Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015 Apresentação: O presente plano de trabalho incorpora, na totalidade, o debate e indicativo do coletivo docente e discente do Centro de Educação e

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO 2011-1 DISCIPLINA: Arte e Educação - JP0029 PROFESSOR: Ms. Clóvis Da Rolt I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Carga Horária Teórica: 60h Carga Horária Prática: 15h II EMENTA A disciplina de Arte e

Leia mais

Aline de Souza Santiago (Bolsista PIBIC-UFPI), Denis Barros de Carvalho (Orientador, Departamento de Fundamentos da Educação/UFPI).

Aline de Souza Santiago (Bolsista PIBIC-UFPI), Denis Barros de Carvalho (Orientador, Departamento de Fundamentos da Educação/UFPI). A Produção de pesquisas sobre Educação dos Programas de Pós-graduação (Mestrados e Doutorados) cadastrados na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações BDTD. Aline de Souza Santiago (Bolsista PIBIC-UFPI),

Leia mais

Golpe Militar: A Psicologia e o Movimento Estudantil do Rio Grande do Sul

Golpe Militar: A Psicologia e o Movimento Estudantil do Rio Grande do Sul 1919 X Salão de Iniciação Científica PUCRS Golpe Militar: A Psicologia e o Movimento Estudantil do Rio Grande do Sul Pâmela de Freitas Machado 1, Helena B.K.Scarparo 1 (orientadora) 1 Faculdade Psicologia,

Leia mais

A HISTÓRIA DA MATEMÁTICA COMO MEDIADOR DIDÁTICO CONCEITUAL NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA DOS ANOS INICIAIS

A HISTÓRIA DA MATEMÁTICA COMO MEDIADOR DIDÁTICO CONCEITUAL NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA DOS ANOS INICIAIS 1 A HISTÓRIA DA MATEMÁTICA COMO MEDIADOR DIDÁTICO CONCEITUAL NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA DOS ANOS INICIAIS Lúcia Helena Bezerra Ferreira Universidade Federal do Piauí luchbf@gmail.com RESUMO

Leia mais

O ETHOS FEMININO EM PROPAGANDAS DE CERVEJA

O ETHOS FEMININO EM PROPAGANDAS DE CERVEJA O ETHOS FEMININO EM PROPAGANDAS DE CERVEJA Palmira Heine (UEFS/GEPEAD) 1 1. BREVE HISTÓRICO SOBRE A NOÇÃO DE ETHOS A noção de ethos remonta à Antiguidade Clássica, sendo gestada inicialmente como uma das

Leia mais

Projeto O COLUNIsta. PROJETO DE PESQUISA PIBIC/CNPq. Orientador: Vanessa Lacerda da Silva Rangel

Projeto O COLUNIsta. PROJETO DE PESQUISA PIBIC/CNPq. Orientador: Vanessa Lacerda da Silva Rangel PROJETO DE PESQUISA PIBIC/CNPq Projeto O COLUNIsta Orientador: Vanessa Lacerda da Silva Rangel Bolsista: Cleiton Paulo Venâncio Ferreira Matrícula: 002205/06 Bolsista: Camila Rodrigues dos Santos Matrícula:

Leia mais

Formação de Professores: um diálogo com Rousseau e Foucault

Formação de Professores: um diálogo com Rousseau e Foucault Formação de Professores: um diálogo com Rousseau e Foucault Eixo temático 2: Formação de Professores e Cultura Digital Vicentina Oliveira Santos Lima 1 A grande importância do pensamento de Rousseau na

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DO SUJEITO PESQUISADOR NAS AULAS DE LEITURA: CONSTRUÇÃO DE SENTIDOS ATRAVÉS DAS IMAGENS

AS CONTRIBUIÇÕES DO SUJEITO PESQUISADOR NAS AULAS DE LEITURA: CONSTRUÇÃO DE SENTIDOS ATRAVÉS DAS IMAGENS AS CONTRIBUIÇÕES DO SUJEITO PESQUISADOR NAS AULAS DE LEITURA: CONSTRUÇÃO DE SENTIDOS ATRAVÉS DAS IMAGENS INTRODUÇÃO Ângela Mª Leite Aires (UEPB) (angelamaryleite@gmail.com) Luciana Fernandes Nery (UEPB)

Leia mais

Deve ser claro, conciso e conter de forma resumida o assunto a ser pesquisado.

Deve ser claro, conciso e conter de forma resumida o assunto a ser pesquisado. MODELODEPROJETODEPESQUISA (Form_pesq_01) TÍTULO DO PROJETO Deve ser claro, conciso e conter de forma resumida o assunto a ser pesquisado. AUTORES Relacionar todos os autores participantes do projeto: coordenador,

Leia mais