ROMANTISMO NA ALEMANHA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ROMANTISMO NA ALEMANHA"

Transcrição

1 Prof. Luana lemos

2

3 ROMANTISMO Revolução Gloriosa (Inglaterra ) limitação dos poderes do Rei. Revolução Francesa ( ) poder da burguesia liberdade, igualdade e fraternidade. Revolução Industrial (XVIII XIX) mudança no estilo de vida proletariado. Independência dos Estados Unidos ( 4 de julho de 1776) direitos do homem em uma sociedade democrática 1º manifestação artística do mundo BURGUÊS

4 ROMANTISMO NA ALEMANHA Goethe assinala o início da fase romântica na Alemanha com a publicação de Os sofrimentos do jovem Werther (1774). A Literatura torna-se uma ponte para um mundo estranho, misterioso e invisível. Werther transforma-se numa espécie de paradigma de herói romântico, um jovem apaixonado que suicida-se diante de um amor não correspondido. Goethe

5 ROMANTISMO INGLÊS Na Inglaterra, Walter Scott volta ao passado medieval com Ivanhoé (1819), inaugurando o nacionalismo romântico. Ilustração de Ivanhoé Walter Scott

6 LORD BYRON O poeta inglês LORD BYRON influenciou os jovens poetas românticos com pessimismo, melancolia e mistério, lançando o byronismo, tendência romântica que popularizou-se como o mal do século ou ultra-romantismo.

7 CARACTERÍSTICAS DO ROMANTISMO Rejeição aos ideais clássicos (greco-romanos); Exaltação da natureza e da nacionalidade; Liberdade de criação, aversão à métrica e aos temas preestabelecidos; Sentimentalismo sob diversas manifestações: saudade, melancolia, imaginação, individualismo, religiosidade, nacionalismo,... Subjetividade; Individualismo, egocentrismo; Escapismo

8 CARACTERÍSTICAS DO ROMANTISMO Pessimismo Historicismo Medievalismo Tradição popular Crítica social Idealização da mulher - inspiradora

9 ROMANTISMO NO BRASIL No Brasil, o Romantismo é inaugurado com a publicação de Suspiros Poéticos e Saudades de Gonçalves de Magalhães em 1836, próximo à Proclamação da Independência (1822), num momento de afirmação da identidade nacional. Gonçalves de Magalhães

10 TENDÊNCIAS DO ROMANTISMO BRASILEIRO Indianismo e Nacionalismo valorização do índio e da natureza; Regionalismo ou Sertanismo ênfase no homem do interior; Mal do século ou Byronismo; Condoreirismo a análise política e social centrada nas questões do abolicionismo, das lutas humanitárias, sentimentos de liberdade,... A problemática urbana, surgida a partir da relação indústria-operário.

11 AS GERAÇÕES ROMÂNTICAS PRIMEIRA GERAÇÃO nacionalista, indianista e religiosa. Gonçalves Dias e Gonçalves de Magalhães. SEGUNDA GERAÇÃO marcada pelo mal do século, apresenta egocentrismo exacerbado, pessimismo, satanismo e atração pela morte. Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu, Fagundes Varela e Junqueira Freire. TERCEIRA GERAÇÃO formada pelo grupo condoreiro, desenvolve uma poesia de cunho político e social. A maior expressão deste grupo é Castro Alves.

12 NACIONALISMO INDIANISTA Canção do exílio Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá; As aves, que aqui gorjeiam, Não gorjeiam como lá. Nosso céu tem mais estrelas, Nossas várzeas têm mais flores, Nossos bosques têm mais vida, Nossa vida mais amores. Em cismar, sozinho, à noite, Mais prazer eu encontro lá; Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá. Minha terra tem primores, Que tais não encontro eu cá; Em cismar sozinho, à noite Mais prazer eu encontro lá; Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá. Não permita Deus que eu morra, Sem que eu volte para lá; Sem que disfrute os primores Que não encontro por cá; Sem qu'inda aviste as palmeiras, Onde canta o Sabiá. De Primeiros cantos (1847) Gonçalves Dias Gonçalves Dias

13 Álvares de Azevedo LEMBRANÇA DE MORRER MAL DO SÉCULO-ULTRA- No more! O never more! SHELLEY ROMANTISMO Quando em meu peito rebentar-se a fibra, Que o espírito enlaça à dor vivente, Não derramem por mim nem uma lágrima Em pálpebra demente. E nem desfolhem na matéria impura A flor do vale que adormece ao vento: Não quero que uma nota de alegria Se cale por meu triste passamento. Eu deixo a vida como deixa o tédio Do deserto o poento caminheiro... Como as horas de um longo pesadelo Que se desfaz ao dobre de um sineiro... (...)

14 A garça triste CONDOREIRISMO Eu sou como a garça triste Que mora à beira do rio, As orvalhadas da noite Me fazem tremer de frio. Me fazem tremer de frio Como os juncos da lagoa; Feliz da araponga errante Que é livre, que livre voa. Que é livre, que livre voa Para as bandas do seu ninho, E nas braúnas à tarde Canta longe do caminho. Castro Alves

15 CONDOREIRISMO Canta longe do caminho. Por onde o vaqueiro trilha, Se quer descansar as asas Tem a palmeira, a baunilha. Tem a palmeira, a baunilha, Tem o brejo, a lavadeira, Tem as campinas, as flores, Tem a relva, a trepadeira, Castro Alves Tem a relva, a trepadeira, Todas têm os seus amores, Eu não tenho mãe nem filhos, Nem irmão, nem lar, nem flores..

16 NAVIO NEGREIRO fragmento Era um sonho dantesco... o tombadilho Que das luzernas avermelha o brilho. Em sangue a se banhar. Tinir de ferros... estalar de açoite... Legiões de homens negros como a noite, Horrendos a dançar... Negras mulheres, suspendendo às tetas Magras crianças, cujas bocas pretas Rega o sangue das mães: Outras moças, mas nuas e espantadas, No turbilhão de espectros arrastadas, Em ânsia e mágoa vãs!

17 NAVIO NEGREIRO fragmento E ri-se a orquestra irônica, estridente... E da ronda fantástica a serpente Faz doudas espirais... Se o velho arqueja, se no chão resvala, Ouvem-se gritos... o chicote estala. E voam mais e mais... Presa nos elos de uma só cadeia, A multidão faminta cambaleia, E chora e dança ali! Um de raiva delira, outro enlouquece, Outro, que martírios embrutece, Cantando, geme e ri! (...) Castro Alves

18 O ROMANTISMO EM PROSA Com a Independência em 1822, os artistas e intelectuais brasileiros empenharam-se em definir uma identidade cultural ao país. A prosa, muito mais do que a poesia procurou atingir este objetivo, valorizando os espaços nacionais e o típico brasileiro, seja através do Indianismo, do romance regional ou do plano urbano. Em síntese, temos como principais características da prosa romântica: o sentimentalismo; a valorização da natureza; o impasse amoroso; a idealização da mulher e do herói; a linguagem metafórica; as personagens planas;...

19 PÉROLAS DA PROSA ROMÂNTICA

Resumo para o Enem: Poesia do Século XIX

Resumo para o Enem: Poesia do Século XIX Resumo para o Enem: Poesia do Século XIX Texto 1 Canção do exílio Kennst du das Land, wo die Citronen blühn, Im dunkeln Laub die Gold-Oragen Glühn, Kennst du es wohl? Dahin, dahin! Möcht ich ziehn.* (Goethe)

Leia mais

Matéria: literatura Assunto: 3 fases da poesia Prof. IBIRÁ

Matéria: literatura Assunto: 3 fases da poesia Prof. IBIRÁ Matéria: literatura Assunto: 3 fases da poesia Prof. IBIRÁ Literatura 3 Fases da Poesia Torna-se imprescindível que antes de aprofundarmos mais os nossos conhecimentos acerca de um determinado assunto

Leia mais

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Daniel. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Daniel. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: GOIÂNIA, / / 2016 PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: Literatura SÉRIE: 2 ano ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: - É fundamental

Leia mais

Prof.ª Kalyne Varela

Prof.ª Kalyne Varela Prof.ª Kalyne Varela O ROMANTISMO, estilo literário do século XIX, é a manifestação artística feita para um público consumidor novo: a burguesia. Brasil: 1808 chegada da família real portuguesa no Brasil;

Leia mais

PRECEDENTE HISTÓRICO. Castro Alves- Navio Negreiro. Negros vindos em navio negreiros.

PRECEDENTE HISTÓRICO. Castro Alves- Navio Negreiro. Negros vindos em navio negreiros. MOVIMENTO NEGRO PRECEDENTE HISTÓRICO Na origem das extremas desigualdades raciais observadas no Brasil está o fato óbvio de que os africanos e muitos dos seus descendentes foram incorporados à sociedade

Leia mais

Orientação de estudos

Orientação de estudos Roteiro de estudos 2º trimestre. Português O roteiro foi montado especialmente para reforçar os conceitos dados em aula. Com os exercícios você deve fixar os seus conhecimentos e encontrar dificuldades

Leia mais

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Recuperação do 4 Bimestre - disciplina Conteúdo: Texto / verbos Lista de exercícios 1. Complete adequadamente: a) Não... ontem ao cinema com vocês porque já... na

Leia mais

PRETO NO BRANCO. ATOR 2 Silva. Jogo Cênico Cômico para 04 atores.

PRETO NO BRANCO. ATOR 2 Silva. Jogo Cênico Cômico para 04 atores. Jogo Cênico Cômico para 04 atores. Silva Seleto, abdicado e respeitável público! Reunimo-nos aqui hoje, numa oportunidade singular, para debater abertamente, algumas questões basilares, sobre uma das mais

Leia mais

Romantismo Poesia 1ª e 2ª Geração

Romantismo Poesia 1ª e 2ª Geração Romantismo Poesia 1ª e 2ª Geração Minha terra Minha terra tem palmeiras Onde canta o sabiá Todos cantam sua terra, Também vou cantar a minha, Nas débeis cordas da lira Hei de fazê-la rainha; Hei de dar-lhe

Leia mais

Romantismo no Brasil 2ª e 3ª Geração

Romantismo no Brasil 2ª e 3ª Geração Texto I Meus oito anos Oh! que saudades que tenho Da aurora da minha vida, Da minha infância querida Que os anos não trazem mais! Que amor, que sonhos, que flores, Naquelas tardes fagueiras À sombra das

Leia mais

CONTEÚDOS PARA AS PROVAS FINAIS - 2º ANO EM

CONTEÚDOS PARA AS PROVAS FINAIS - 2º ANO EM CONTEÚDOS PARA AS PROVAS FINAIS - 2º ANO EM - 2016 PORTUGUÊS FÍSICA Interpretação textual/ Análise de produção textual Diferença entre análise morfológica, sintática e semântica Verbos definição, exemplos,

Leia mais

Romantismo no Brasil 2ª e 3ª Geração

Romantismo no Brasil 2ª e 3ª Geração Texto para as questões 1 e 2. Minha terra Todos cantam sua terra, Também vou cantar a minha, Nas débeis cordas da lira Hei de fazê-la rainha; Minha terra tem palmeiras Onde canta o sabiá (Gonçalves Dias)

Leia mais

Aula de recuperação. Ensino Médio

Aula de recuperação. Ensino Médio Ensino Médio Comp. Curricular: LP Data: 05/03/12 1º Período Aluno(a): Nº Turma: Aula de recuperação 1. Leia, a seguir, a letra de uma canção de Chico Buarque inspirada no romance de José de Alencar, "Iracema

Leia mais

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Material de Apoio / 9º ano Professor: Me. Renato Dering Data: / / 2016. De sonhos e conquistas Aluno(a): José de Alencar (1829-1877) foi romancista, dramaturgo, jornalista,

Leia mais

AULA 09 LITERATURA ROMANTISMO

AULA 09 LITERATURA ROMANTISMO AULA 09 LITERATURA ROMANTISMO PROFª Edna Prado I - CONTEXTO HISTÓRICO O tema da aula de hoje é a Estética Romântica, é o Romantismo com letra maiúscula. E por que com letra maiúscula? Porque é importante

Leia mais

Maria Helena Morais Matos Coisas do Coração

Maria Helena Morais Matos Coisas do Coração Maria Helena Morais Matos Coisas do Coração Primeira Edição Curitiba 2012 PerSe Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) ÍN Matos, Maria Helena Morais

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA

LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA Transferência e Obtenção de Novo Título SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este Caderno de Prova contém seis questões,

Leia mais

ROMANTISMO BRASILEIRO POESIA PROF. PATI

ROMANTISMO BRASILEIRO POESIA PROF. PATI ROMANTISMO BRASILEIRO POESIA PROF. PATI OBRA MARCO NO BRASIL: SUSPIROS POÉTICOS E SAUDADES Gonçalves de Magalhães 1836 Contexto histórico - Mundo Revolução Francesa 1789 absolutismo entra em crise cedendo

Leia mais

As Fadas Verdes. Matilde Rosa Araújo. Fichas de leitura. Criação intelectual: Fátima Patronilho

As Fadas Verdes. Matilde Rosa Araújo. Fichas de leitura. Criação intelectual: Fátima Patronilho As Fadas Verdes Matilde Rosa Araújo Fichas de leitura Criação intelectual: Fátima Patronilho Fichas de leitura Ficha 1 1. Lê os poemas Que o silêncio / verde, A cor do silêncio, A sandália de setembro

Leia mais

Romantismo. Com o que ficar atento?

Romantismo. Com o que ficar atento? Romantismo O Romantismo é a primeira estética literária a reivindicar uma literatura autenticamente brasileira e inaugura a Era Nacional da literatura. Tendo como grande projeto a construção de uma identidade

Leia mais

1.º C. 1.º A Os livros

1.º C. 1.º A Os livros 1.º A Os livros Os meus olhos veem segredos Que moram dentro dos livros Nas páginas vive a sabedoria, Histórias mágicas E também poemas. Podemos descobrir palavras Com imaginação E letras coloridas Porque

Leia mais

1. Considere o poema abaixo:

1. Considere o poema abaixo: 1º EM Literatura Carolina Aval. Subs. / Opt. 19/04/12 1. Considere o poema abaixo: ISTO Dizem que finjo ou minto Tudo que escrevo. Não. Eu simplesmente sinto Com a imaginação. Não uso o coração. (Fernando

Leia mais

Gêneros Textuais e as Vozes do Texto

Gêneros Textuais e as Vozes do Texto Gêneros Textuais e as Vozes do Texto 1.(ENEM) Analisando-se as informações verbais e a imagem associada a uma cabeça humana, compreendese que a venda: a) representa a amplitude de informações que compõem

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE TANGUÁ - RJ EDITAL Nº 01/ CONCURSO PÚBLICO VESPERTINO 22/01/2017

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE TANGUÁ - RJ EDITAL Nº 01/ CONCURSO PÚBLICO VESPERTINO 22/01/2017 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE TANGUÁ - RJ EDITAL Nº 0/06 - CONCURSO PÚBLICO PROVA OBJETIVA OPÇÃO VESPERTINO /0/07 NÍVEL MÉDIO CARGO: TÉCNICO DE ENFERMAGEM Leia atentamente as INSTRUÇÕES:. Não é permitido

Leia mais

Eis que chega meu grande amigo, Augusto dos Anjos, ele com seu jeitão calado e sempre triste, me fala que não irá existir palavra alguma para

Eis que chega meu grande amigo, Augusto dos Anjos, ele com seu jeitão calado e sempre triste, me fala que não irá existir palavra alguma para Oceano em Chamas Querida, Tentei em vão, fazer um poema a você, não consegui. Me faltavam palavras para descrever-te, então pedi aos poetas do universo para me ajudarem. O primeiro com quem conversei,

Leia mais

SIMULADO DE LITERATURA I

SIMULADO DE LITERATURA I SIMULADO DE LITERATURA I Poema Brasileiro No Piauí de cada 100 crianças que nascem 78 morrem No Piauí de cada 100 crianças que nascem 78 morrem No Piauí de cada 100 crianças que nascem 78 morrem antes

Leia mais

1º ano. Emprego da fala, adequando-a ao contexto comunicativo e ao que se supõe ser o perfil do interlocutor, em função do lugar social que ele ocupa.

1º ano. Emprego da fala, adequando-a ao contexto comunicativo e ao que se supõe ser o perfil do interlocutor, em função do lugar social que ele ocupa. Emprego da fala, adequando-a ao contexto comunicativo e ao que se supõe ser o perfil do interlocutor, em função do lugar social 1º ano Respeito à fala do outro e aos seus modos de falar. texto, com foco

Leia mais

Romantismo Terceira Geração

Romantismo Terceira Geração Romantismo Terceira Geração Geração Condoreira Na Europa, o contexto histórico do Romantismo é a Revolução Francesa e a Revolução Industrial, que marcam o fim do Absolutismo. As palavras de Vitor Hugo,

Leia mais

EU SOBRE A PAISAGEM

EU SOBRE A PAISAGEM www.perse.com.br Gonzaga Filho Página 1 Gonzaga Filho Página 2 Gonzaga Filho EU, SOBRE A PAISAGEM Primeira Edição São Paulo 2015 Gonzaga Filho Página 3 Gonzaga Filho Página 4 Gonzaga Filho Página 5 Gonzaga

Leia mais

Quais as Vantagens de Ser Romantista?

Quais as Vantagens de Ser Romantista? Quais as Vantagens de Ser Romantista? Sick-lit, a nova e polêmica literatura para adolescentes Sick-lit Sick = doença/enfermidade Lit = sigla para literatura literatura enferma De carona no fenômeno A

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1º EM Literatura Klaus Av. Trimestral 09/03/16 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos. 2. Esta prova

Leia mais

O mundo de cavaleiros destemidos, de virgens ingênuas e frágeis, e o ideal de uma vida primitiva, distante da civilização, tudo isso terminara.

O mundo de cavaleiros destemidos, de virgens ingênuas e frágeis, e o ideal de uma vida primitiva, distante da civilização, tudo isso terminara. O mundo de cavaleiros destemidos, de virgens ingênuas e frágeis, e o ideal de uma vida primitiva, distante da civilização, tudo isso terminara. A segunda metade do século XIX presencia profundas modificações

Leia mais

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Daniel. ALUNO(a):

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Daniel. ALUNO(a): GOIÂNIA, / / 2015 PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: LITERATURA SÉRIE: 2º ano ALUNO(a): NOTA: No Anhanguera você é + Enem LISTA DE EXERCÍCIOS P1 3º BIMESTRE Texto I O poema seguinte foi escrito em 1843, em

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 1ª Etapa 2013 Disciplina: Língua Portuguesa Ano: 2013 Professor (a): Felipe Amaral Turma: 2º ano FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo

Leia mais

GREGÓRIO DE MATOS BOCA DO INFERNO

GREGÓRIO DE MATOS BOCA DO INFERNO GREGÓRIO DE MATOS BOCA DO INFERNO Profª Ivandelma Gabriel Características * abusa de figuras de linguagem; * faz uso do estilo cultista e conceptista, através de jogos de palavras e raciocínios sutis;

Leia mais

MINHA TERRA TEM PALMEIRAS : Um olhar sobre Caxias através da poesia de Gonçalves Dias em meados do século XIX

MINHA TERRA TEM PALMEIRAS : Um olhar sobre Caxias através da poesia de Gonçalves Dias em meados do século XIX MINHA TERRA TEM PALMEIRAS : Um olhar sobre Caxias através da poesia de Gonçalves Dias em meados do século XIX Aldeanne Silva de Sousa Francisca Solange Pires de Sousa Introdução O presente trabalho tem

Leia mais

Questão 1 Assinale e explique, no poema, elementos em que se percebe a construção de uma identidade nacional.

Questão 1 Assinale e explique, no poema, elementos em que se percebe a construção de uma identidade nacional. Leia o poema abaixo, de Castro Alves, para responder à questão. Maria Onde vais à tardezinha, Mucama tão bonitinha, Morena flor do sertão? A grama um beijo te furta Por baixo da saia curta, Que a perna

Leia mais

AULA 2 TEXTOS LITERÁRIOS

AULA 2 TEXTOS LITERÁRIOS AULA 2 TEXTOS LITERÁRIOS POLÍCIA CIVIL de São Paulo Professor Marlus Geronasso Clarice Nasceu na Ucrânia em 1920. Contista e romancista da terceira etapa do Modernismo, pós 45. Adepta da prosa intimista.

Leia mais

Roteiro de estudos para recuperação final

Roteiro de estudos para recuperação final Roteiro de estudos para recuperação final Disciplina: Professor (a): Literatura Raquel Solange Pinto Conteúdo: Romantismo Poesia romântica: três gerações Prosa romântica. Obras Noite na taverna, Álvares

Leia mais

Amor & Sociologia Cultural - Fernando Pessoa

Amor & Sociologia Cultural - Fernando Pessoa Page 1 of 5 Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Ensino de Graduação Curso de Licenciatura Plena em Pedagogia Disciplina: Sociologia Cultural Educador: João Nascimento Borges Filho Amor & Sociologia

Leia mais

A tristeza. A tristeza

A tristeza. A tristeza E a leitura continua..."o Principezinho" - quarta-feira, 6 de Fevereiro de 2013 No capítulo V, o Principezinho demonstra muita tristeza nas suas palavras. Após a leitura, foi proposto aos alunos escreverem

Leia mais

LITERATURA PROFESSOR LUQUINHA

LITERATURA PROFESSOR LUQUINHA LITERATURA PROFESSOR LUQUINHA Romantismo e Modernismo Características; Contexto; Abordagens; Enem. LITERATURA LUQUINHA Características da Literatura Romântica A natureza como expressão do eu; A valorização

Leia mais

Edital 02/2011 - DATA DA PROVA: 22/01/2012 LEIA ESTAS INSTRUÇÕES: 1 Identifique-se na parte inferior desta capa; 2 Você dispõe de três horas para responder todas as questões e preencher o Cartão Resposta;

Leia mais

1ª fase modernista ( )

1ª fase modernista ( ) 1ª fase modernista (1922 1930) LIBERDADE DE EXPRESSÃO INCORPORAÇÃO DO COTIDIANO LINGUAGEM COLOQUIAL INOVAÇÕES TÉCNICAS O VERSO LIVRE A DESTRUIÇÃO DOS NEXOS A ENUMERAÇÃO CAÓTICA O FLUXO DE CONSCIÊNCIA A

Leia mais

PRESENTE DE DEUS "UM VERDADEIRO AMOR"

PRESENTE DE DEUS UM VERDADEIRO AMOR PRESENTE DE DEUS "UM VERDADEIRO AMOR" RAILDA DOS SANTOS CHAGAS CARVALHO Imagens Imagem capa Livro retirada site: ultradownloads.com.br Digitação Railda dos Santos Chagas Carvalho Respeite o Direito Autoral

Leia mais

- 1 - ANO: 2º APS ( X ) Prof.: EDNA DATA: 09/02/2017. Nome: DISCIPLINA: LITERATURA

- 1 - ANO: 2º APS ( X ) Prof.: EDNA DATA: 09/02/2017. Nome: DISCIPLINA: LITERATURA DISCIPLINA: LITERATURA ANO: 2º APS ( X ) COLÉGIO DELTA 30 ANOS APAIXONADO PELA EDUCAÇÃO Prof.: EDNA DATA: 09/02/2017 Nome: Literatura Brasileira Romantismo 1. (UFMG) Todas as afirmativas sobre o poema

Leia mais

1º Edição

1º Edição Sensações 1º Edição WWW.Perse.com.br Página 1 Codinome: Tabrao Email: Tania_morenagata@hotmail.com Nasceu no dia 09 de Agosto de 1984 Natural da cidade de Lapa - PR Reside a Rua Francisco Veloso, 282 Ponta

Leia mais

Colégio Avanço de Ensino Programado

Colégio Avanço de Ensino Programado α Colégio Avanço de Ensino Programado Trabalho Bimestral 1º Semestre - 1º Bim. /2016 Nota: Professor (a): Fernanda Disciplina: L.Portuguesa Turma: 2ª Série E. Médio Nome: Nº: Atividade deverá ser entregue

Leia mais

Litoral e Capital- Pedro Faria

Litoral e Capital- Pedro Faria Litoral e Capital- Pedro Faria giselle sato Litoral e Capital Todos os homens são filhos da puta. Somos filhos da puta mesmo. Alguns de nós mais do que o aceitável, outros menos do que deveríamos. Mas

Leia mais

Shakespeare. o gênio original

Shakespeare. o gênio original Shakespeare o gênio original Coleção ESTÉTICAS direção: Roberto Machado Kallias ou Sobre a Beleza Friedrich Schiller Ensaio sobre o Trágico Peter Szondi Nietzsche e a Polêmica sobre O Nascimento da Tragédia

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA DE RECUPERAÇÃO DE LITERATURA Aluno: Nº Série: 2º Turma: Data: Nota: Professora: Regiane Valor da Prova: 40 pontos Assinatura do responsável: Orientações

Leia mais

Pela beleza que há no amor e na pureza da inspiração que não morre, e que adormece dentro de cada um, despertada no som do silêncio.

Pela beleza que há no amor e na pureza da inspiração que não morre, e que adormece dentro de cada um, despertada no som do silêncio. Pela beleza que há no amor e na pureza da inspiração que não morre, e que adormece dentro de cada um, despertada no som do silêncio. Que esta passagem por aqui seja alicerçada na harmonia da afeição natural

Leia mais

Olá queridos leitores!

Olá queridos leitores! Poesias de amor Olá queridos leitores! Meu nome é Nagila da Silva ferreira tenho 15 anos e escrevi este livro para vocês que não sabem expressar seus sentimentos facilmente então sempre que puder leia

Leia mais

MEU JARDIM DE TROVAS

MEU JARDIM DE TROVAS ANGÉLICA DA SILVA ARANTES MEU JARDIM DE TROVAS PRIMEIRA EDIÇÃO / 2011-1 - SINOPSE: Com intensidade tem se falado sobre o tema trova, acontece que nem todas as pessoas sabem o que é tecnicamente uma trova.

Leia mais

Ivan Cupertino. Textos selecionados GRILHÕES

Ivan Cupertino. Textos selecionados GRILHÕES Textos selecionados GRILHÕES e nossa voz era um lamento, que subia aos céus evolando-se de nossa alma, e nossos olhos, também negros, reluziam a nossa fé e nosso amor. Nossos medos. e por este motivo fomos

Leia mais

Sonetos da Alma Welt recém-descobertos

Sonetos da Alma Welt recém-descobertos Sonetos da Alma Welt recém-descobertos Guilherme de Faria O Jardim do Amor Constante (de Alma Welt) Hoje vou ao encontro da Alegria. Assim o decidi, vou porque vou. Estou meio cansada da ironia Dela só

Leia mais

I CONCURSO LITERÁRIO NEABI IFSP

I CONCURSO LITERÁRIO NEABI IFSP I CONCURSO LITERÁRIO NEABI IFSP O 1º Concurso Literário do NEABI IFSP (Edital Nº 725/2016) teve como objetivo promover e estimular a leitura, produção e difusão de textos literários produzidos por alunos

Leia mais

Crisálida Vanessa Monique CRISÁLIDA. Crônicas e frases de uma metamorfose ambulante. Vanessa Monique

Crisálida Vanessa Monique CRISÁLIDA. Crônicas e frases de uma metamorfose ambulante. Vanessa Monique CRISÁLIDA Crônicas e frases de uma metamorfose ambulante Vanessa Monique 1 Dedicatória. À Deus Todo Poderoso que me presenteou com o dom de escrever à e todos que algum dia e de alguma forma me incentivaram

Leia mais

Justificativa. Centro Educacional Mundo do Saber. Palhoça, 18 de Fevereiro de Professora. Bárbara pereira. Turma. Maternal I.

Justificativa. Centro Educacional Mundo do Saber. Palhoça, 18 de Fevereiro de Professora. Bárbara pereira. Turma. Maternal I. Centro Educacional Mundo do Saber Palhoça, 18 de Fevereiro de 2013 Professora Bárbara pereira Turma Maternal I Projeto anual Justificativa O Projeto tem a importância essencial para a aprendizagem das

Leia mais

Apresento a todos, o início de um trabalho feito. Com muito carinho. São poemas e alguns contos.

Apresento a todos, o início de um trabalho feito. Com muito carinho. São poemas e alguns contos. APRESENTAÇÃO Apresento a todos, o início de um trabalho feito Com muito carinho. São poemas e alguns contos. Para Vocês: VIRTUALMENTE EU USO A MINHA LUZ INTERIOR PARA FALAR AOS CÉUS E A CADA ESTRELA QUE

Leia mais

INSTITUTO GEREMÁRIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: LÍNGUA PORTUGUESA EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO FINAL

INSTITUTO GEREMÁRIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: LÍNGUA PORTUGUESA EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO FINAL INSTITUTO GEREMÁRIO DANTAS Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Fone: (21) 21087900 Rio de Janeiro RJ www.igd.com.br Aluno(a): 1º Ano: C11 Nº Professora: Luciana Arleu Data: / /2016 COMPONENTE

Leia mais

Cancioneiro Nota Preliminar

Cancioneiro Nota Preliminar Cancioneiro Fernando Pessoa Nota Preliminar 1. Em todo o momento de atividade mental acontece em nós um duplo fenômeno depercepção: ao mesmo tempo que tempos consciência dum estado de alma, temos diante

Leia mais

AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE VEM DE DOM! AMA, AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE VEM DE DOM!

AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE VEM DE DOM! AMA, AMA QUE É BOM! AMA, AMA QUE VEM DE DOM! AMA QUE É BOM! Lugar: Itacaré (BA) Data: 10/12/2009. Estilo: Fado baiano Tom: Fá sustenido menor (F#m) Estúdio: 18/12/11 QUE É BOM! QUE VEM DE DOM! QUE É BOM! QUE VEM DE DOM! UM POUCO MAIS QUEM AMA NA

Leia mais

EXERCÍCIOS ON LINE 2º Bimestre DISCIPLINA: LITERATURA PROFESSOR(A): MARLLON Curso: E.M. TURMA: 2101 DATA:

EXERCÍCIOS ON LINE 2º Bimestre DISCIPLINA: LITERATURA PROFESSOR(A): MARLLON Curso: E.M. TURMA: 2101 DATA: EXERCÍCIOS ON LINE 2º Bimestre DISCIPLINA: LITERATURA PROFESSOR(A): MARLLON Curso: E.M. TURMA: 2101 DATA: NOME: Nº.: EXERCÍCIO ON LINE 2101-2ºBIMESTRE 1. Assinale a alternativa em que a obra indicada se

Leia mais

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Daniel. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações:

GOIÂNIA, / / PROFESSOR: Daniel. Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: GOIÂNIA, / / 2016 PROFESSOR: Daniel DISCIPLINA: Literatura SÉRIE: 1 ano ALUNO(a): No Anhanguera você é + Enem Antes de iniciar a lista de exercícios leia atentamente as seguintes orientações: - É fundamental

Leia mais

Mulher lendo Renoir, c. 1895, óleo sobre tela, 32 x 28 cm. Coleção particular.

Mulher lendo Renoir, c. 1895, óleo sobre tela, 32 x 28 cm. Coleção particular. Mulher lendo Renoir, c. 1895, óleo sobre tela, 32 x 28 cm. Coleção particular. Poesia Miguel Reale Eterna juventude Quando em meus olhos os teus olhos pousas vejo-te jovem como via outrora: luz interior

Leia mais

Confira esta aula em: Professor Danilo Borges

Confira esta aula em:  Professor Danilo Borges Aula anterior... Os Movimentos Sociais Confira esta aula em: http://www.joseferreira.com.br/blogs/sociologia/ Professor Danilo Borges PARTICIPAÇÃO DO JOVENS NOS MOVIMENTOS SOCIAIS BRASILEIROS SÉCULO XIX

Leia mais

NOÇÃO DE TEXTO E ELEMENTOS TEXTUAIS. Professor Marlos Pires Gonçalves

NOÇÃO DE TEXTO E ELEMENTOS TEXTUAIS. Professor Marlos Pires Gonçalves NOÇÃO DE TEXTO E ELEMENTOS TEXTUAIS Professor Marlos Pires Gonçalves 1 TEORIA DA COMUNICAÇÃO Toda mensagem tem uma finalidade: ela pode servir para transmitir um conteúdo intelectual, exprimir (ou ocultar)

Leia mais

Meu bem querer. Ao Único. 02 ME Bené Carlos Gomes

Meu bem querer. Ao Único. 02 ME Bené Carlos Gomes 01 Meu bem querer ME-7036219-8 - Marcos Góes Que bom é Ter você comigo Deitar no Teu colo e receber carinho Lá fora o mundo tenta me tragar Estando Contigo eu posso crer e descansar Tu És meu bem amado,

Leia mais

6a Parte. O livro da Academia

6a Parte. O livro da Academia 6a Parte O livro da Academia árvore do tempo a ponte e o rio me ligam à vida vida que se liga na solidão rio que não se enche no vinho da alegria no rosto do triste o vento recolhe o resto dessa dor no

Leia mais

Material Educativo: Disse o Dicionário

Material Educativo: Disse o Dicionário Material Educativo: Disse o Dicionário Atividade que pensa os sentidos literais e simbólicos de palavras utilizadas em dicionários e poemas escolhidos, para que os participantes criem significados particulares

Leia mais

Copyright 2013, Igor José Leão dos Santos. Capa: autor. 1ª edição (2013)

Copyright 2013, Igor José Leão dos Santos. Capa: autor. 1ª edição (2013) 1 2 Copyright 2013, Igor José Leão dos Santos. Capa: autor 1ª edição (2013) Todas as imagens e fotos contidas nesse livro são do arquivo pessoal do autor, não podendo ser utilizadas ou reproduzidas sem

Leia mais

Dossiê: processo histórico/investigativo

Dossiê: processo histórico/investigativo Dossiê: processo histórico/investigativo 1 SUMÁRIO 1.Sumário 2 2.História 3 3.Processo de trabalho 4 4.Formação da Banda 5 5.Resultados 8 6.Atuações 9 7.Ficha técnica 10 8.Clipping 11 2 2.História No teatro

Leia mais

Vídeo Áudio Tema Comentário imperdível (interno ao material)

Vídeo Áudio Tema Comentário imperdível (interno ao material) Número da fita: 0067 Título: Performance de Jongo Délcio Bernardo, José Adriano, Geraldo Romão, Olga Romão, Manoel Moraes e Rosau Bernardo. Mídia: Mini DV Time Code in out 00:00 01:13 S. José Adriano bota

Leia mais

GUAMARÉ, RETALHOS POÉTICOS

GUAMARÉ, RETALHOS POÉTICOS 1 2 GUAMARÉ, RETALHOS POÉTICOS Gonzaga Filho 2011 3 4 Dedico este livro A todos que me fazem feliz ou infeliz, Pois cada um ao seu modo, Faz-me crescer espiritualmente. Fotografia da capa: Sanderson Miranda

Leia mais

EMENTÁRIO HISTÓRIA LICENCIATURA EAD

EMENTÁRIO HISTÓRIA LICENCIATURA EAD EMENTÁRIO HISTÓRIA LICENCIATURA EAD CANOAS, JULHO DE 2015 DISCIPLINA PRÉ-HISTÓRIA Código: 103500 EMENTA: Estudo da trajetória e do comportamento do Homem desde a sua origem até o surgimento do Estado.

Leia mais

ESSÊNCIAS DE POESIAS. Cristina Goulart

ESSÊNCIAS DE POESIAS. Cristina Goulart ESSÊNCIAS DE POESIAS Cristina Goulart 1ª EDIÇÃO LONDRINA- PARANÁ 2013 1 TUDO SE MOVE EM TORNO DAS PALAVRAS. SUA VIDA, SEU MOMENTO E SUA CRIATIVIDADE. TUDO SE TRANSFORMA ATRAVÉS DE DEUS, SEU BEM MAIOR.

Leia mais

O PROCESSO DE EXPRESSÃO DO EROTISMO DOS CORPOS NA POESIA DE CRUZ E SOUSA E LUIZ GAMA

O PROCESSO DE EXPRESSÃO DO EROTISMO DOS CORPOS NA POESIA DE CRUZ E SOUSA E LUIZ GAMA IV Encontro Internacional de Literaturas, Histórias e Culturas Afro-brasileiras e Africanas Universidade Estadual do Piauí UESPI ISBN: 978-85-8320-162-5 O PROCESSO DE EXPRESSÃO DO EROTISMO DOS CORPOS NA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PIRAÚBA ESTADO DE MINAS GERAIS EDITAL Nº 001/ CONCURSO PÚBLICO MATUTINO 15/01/2017

PREFEITURA MUNICIPAL DE PIRAÚBA ESTADO DE MINAS GERAIS EDITAL Nº 001/ CONCURSO PÚBLICO MATUTINO 15/01/2017 PREFEITURA MUNICIPAL DE PIRAÚBA ESTADO DE MINAS GERAIS EDITAL Nº 001/2016 - CONCURSO PÚBLICO PROVA OBJETIVA MATUTINO 15/01/2017 NÍVEL FUNDAMENTAL COMPLETO CARGO: AGENTE ADMINISTRATIVO - AUXILIAR DE SAÚDE

Leia mais

Todos os Direitos Reservados Luiz Carlos Rodrigues dos Santos

Todos os Direitos Reservados Luiz Carlos Rodrigues dos Santos 1 Edição e Capa - Luiz Carlos Rodrigues dos Santos Poemas de - Luiz Carlos Rodrigues dos Santos Proibido a cópia desta obra nem fazer uso comercial Sem a devida permissão do autor. Todos os Direitos Reservados

Leia mais

O rouxinol e a sua namorada. Sidónio Muralha. Fichas de leitura. Criação intelectual: Fátima Patronilho

O rouxinol e a sua namorada. Sidónio Muralha. Fichas de leitura. Criação intelectual: Fátima Patronilho O rouxinol e a sua namorada Sidónio Muralha Fichas de leitura Criação intelectual: Fátima Patronilho Fichas de leitura I Ficha 1 1. Lê os poemas O rouxinol, O melro, O gavião, As gaivotas, e Catatua. No

Leia mais

POÉTICAS DO SÉCULO XIX

POÉTICAS DO SÉCULO XIX POÉTICAS DO SÉCULO XIX (3) Origens Precursor Edgar Allan Poe (1809-1849) Origens Charles Baudelaire (1821-1867) B RINDE Nada, esta espuma, virgem verso A não designar mais que a copa; Ao longe se afoga

Leia mais

Deixo meus olhos Falar

Deixo meus olhos Falar Tânia Abrão Deixo meus olhos Falar 1º Edição Maio de 2013 WWW.perse.com.br 1 Tânia Abrão Biografia Tânia Abrão Mendes da Silva Email: Tania_morenagata@hotmail.com Filha de Benedito Abrão e Ivanir Abrão

Leia mais

MÍDIA KIT OUTUBRO 2014

MÍDIA KIT OUTUBRO 2014 MÍDIA KIT OUTUBRO 2014 SOBRE O SALADA O Salada de Cinema busca informar, de maneira leve, sobre as novidades do cinema brasileiro e internacional por meio de notícias diárias, críticas dos lançamentos

Leia mais

AS GERAÇÕES ROMÂNTICAS

AS GERAÇÕES ROMÂNTICAS AS GERAÇÕES ROMÂNTICAS 1ªGERAÇÃO ROMÂNTICA: os indianistas, ou nacionalistas. No período regencial, houve rebeliões de grande participação popular em oposição declarada aos antigos colonizadores. O povo

Leia mais

Maritz Rugendas. Jogar Capoeira, ou Dança da Guerra, 1835, litografia aquarelada.

Maritz Rugendas. Jogar Capoeira, ou Dança da Guerra, 1835, litografia aquarelada. QUESTÃO 1 Andy Warhol. 25 Marilyns coloridas, c.1962, serigrafia sobre tela, 208 cm 144 cm, Tate Galery, Londres. Maritz Rugendas. Jogar Capoeira, ou Dança da Guerra, 1835, litografia aquarelada. Pablo

Leia mais

MEU BENZINHO. MEU BICHITO,MEU BICHITO MEU CARINHO É BOM. MEU BICHITO,MEU BICHITO MEU CARINHO É BOM. (Preparação)

MEU BENZINHO. MEU BICHITO,MEU BICHITO MEU CARINHO É BOM. MEU BICHITO,MEU BICHITO MEU CARINHO É BOM. (Preparação) MEU BENZINHO Lugar:Uruçuca (BA). Data:01/01/1970. Estúdio:06/08/2012 Estilo: Forró arrastapé Tom: D (Ré maior) MEU BICHITO,MEU BICHITO MEU CARINHO É BOM. MEU BICHITO,MEU BICHITO MEU CARINHO É BOM. (Preparação)

Leia mais

Personagens: Protagonistas:

Personagens: Protagonistas: Personagens: Protagonistas: Ricardo Henrique Amaral (18 anos): é o protagonista da história. Bonito, desperta a paixão em qualquer menina que o ver. Doce, amoroso, romântico ele se apaixona por Maria Camilla,

Leia mais

As cançõezinhas da Tila. Matilde Rosa Araújo. Fichas de leitura. Criação intelectual: Fátima Patronilho

As cançõezinhas da Tila. Matilde Rosa Araújo. Fichas de leitura. Criação intelectual: Fátima Patronilho As cançõezinhas da Tila Matilde Rosa Araújo Fichas de leitura Criação intelectual: Fátima Patronilho 31 Fichas de leitura Ficha 1 1. Lê os seguintes poemas: Dança da rosa e Dança do raminho de laranjeira.

Leia mais

SUGESTÕES DE OBRAS PARA RECENSÃO CRÍTICA

SUGESTÕES DE OBRAS PARA RECENSÃO CRÍTICA A fim de motivar os leitores a colaborarem na Gaudium Sciendi, incluímos neste número algumas sugestões de obras para recensão. Tal, porém, não significa que não continuemos a ter muito gosto em aceitar

Leia mais

Filosofia Portuguesa e Universalidade da Filosofia

Filosofia Portuguesa e Universalidade da Filosofia Obras de José Marinho LISBOA 2007 Volume VIII Filosofia Portuguesa e Universalidade da Filosofia e outros textos Edição de Jorge Croce Rivera SUB Hamburg A/472203 IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA Apresentação

Leia mais

Departamento da Educação Pré-Escolar. Perfil de Aprendizagens Específicas, no final dos 3 Anos

Departamento da Educação Pré-Escolar. Perfil de Aprendizagens Específicas, no final dos 3 Anos DGEstE Direção de Serviços da Região Norte Agrupamento de Escolas LEONARDO COIMBRA FILHO, PORTO Código 152213 Departamento da Educação Pré-Escolar Ano Letivo 2016/2017 Perfil de Aprendizagens Específicas,

Leia mais

A Semana de Arte Moderna, também conhecida como Semana de 1922, aconteceu no Teatro Municipal de São Paulo, de 11 a 18 de fevereiro de 1922.

A Semana de Arte Moderna, também conhecida como Semana de 1922, aconteceu no Teatro Municipal de São Paulo, de 11 a 18 de fevereiro de 1922. A Semana de Arte Moderna, também conhecida como Semana de 1922, aconteceu no Teatro Municipal de São Paulo, de 11 a 18 de fevereiro de 1922. Foi um encontro de novas ideias estéticas, que mudaram a arte

Leia mais

11h00 Inauguração da Maqueta O Barreiro de 1840 feito pelas tuas mãos ; AE Álvaro Velho "O 31 Janeiro" Jogo sobre República (BE's)

11h00 Inauguração da Maqueta O Barreiro de 1840 feito pelas tuas mãos ; AE Álvaro Velho O 31 Janeiro Jogo sobre República (BE's) QUARTA FEIRA, 26 DE MAIO 09h30 Yoga (relva) 10h00 Abertura Oficial da Feira Batukeiros Álvaro Velho 10h30 Cantinho Alegre da Infância O Mundo é das Crianças 11h00 Cercimb Rancho Folclórico 11h30 Externato

Leia mais

CONTOS DA VOVÓZINHA. Deborah Zaniolli

CONTOS DA VOVÓZINHA. Deborah Zaniolli CONTOS DA VOVÓZINHA Deborah Zaniolli Contos da vovózinha Título da obra: CONTOS DA VOVÓZINHA Gênero literário da obra: Contos Copyright 2012 por Deborah Zaniolli Todos os direitos reservados. Nenhuma parte

Leia mais