TREINAMENTO TEÓRICO-PRÁTICO DE OPERADORES DE SISTEMAS ELÉTRICOS APOIADO POR AMBIENTE VIRTUAL, SIMULADORES E LABORATÓRIO VIRTUAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TREINAMENTO TEÓRICO-PRÁTICO DE OPERADORES DE SISTEMAS ELÉTRICOS APOIADO POR AMBIENTE VIRTUAL, SIMULADORES E LABORATÓRIO VIRTUAL"

Transcrição

1 Anais do XIX Congresso Brasileiro de Automática, CBA TREINAMENTO TEÓRICO-PRÁTICO DE OPERADORES DE SISTEMAS ELÉTRICOS APOIADO POR AMBIENTE VIRTUAL, SIMULADORES E LABORATÓRIO VIRTUAL GERSON P. FOCKING1, MARIA DE FÁTIMA Q. VIEIRA2, JOSÉ S. DA ROCHA NETO3 Laboratório de Interfaces Homem-Máquina, 3Laboratório de Instrumentação Eletrônica e Controle, Departamento de Engenharia Elétrica, Universidade Federal de Campina Grande 1,2 Av. Aprígio Veloso, 882- Caixa Postal 10105, , Campina Grande, Paraíba, BR 2 Centre for Excellence in Signal & Image Processing, Dept of Electronic & Electrical Engineering, University of Strathclyde - Scotland, UK Abstract - This paper describes a training environment that aggregates resources and activities native to virtual learning environments to a virtual environment targeted to operators training. The combined resources include: simulators, virtual labs and remote instrumentation. These resources constitute a heterogeneous e-learning environment, focused on the theoretical and practical training for operators. This article also presents a proposed model for the specification of training modules, which data are represented in the SCORM standard. As a validation of the specification model and the training environment a training module was specified and built, based on a real training situation. Keywords - operator training, e-learning, simulators, virtual labs, teaching model for training Resumo Este artigo descreve um ambiente de treinamento que agrega recursos e atividades nativas de ambientes virtuais de aprendizagem à ambientes virtuais voltados para o treinamento de operadores de sistemas elétricos. Dentre os recursos agregados destacam-se: simuladores, laboratórios virtuais e instrumentação remota. Estes recursos constituem um ambiente de e-learning heterogêneo, voltado ao treinamento teórico-prático de operadores de sistemas elétricos. Neste artigo também é apresentado um modelo proposto para a especificação de módulos de treinamento, cujos dados são representados no padrão SCORM. Como validação do modelo de especificação e do ambiente de treinamento foi especificado e construído, um módulo de treinamento, inspirando em um treinamento real. Palavras-chave treinamento de operadores, e-learning, simuladores, laboratórios virtuais, modelo pedagógico para treinamento 1 Introdução A constante evolução tecnológica dos sistemas de controle e proteção tem aumentado a segurança e confiabilidade dos sistemas de potência. Consequentemente a oferta de programas de capacitação de operadores deve ser intensificada em todos os níveis de: formação, reciclagem, certificação, aperfeiçoamento ou adaptação a mudanças nos normativos de operação. Por sua vez, avanços na disponibilidade e velocidade de acesso às redes intranet e Internet e, a oferta de plataformas computacionais com maior capacidade de processamento facilita a utilização de ambientes virtuais de aprendizagem AVA, para o treinamento corporativo. AVAs são plataformas adaptáveis que permitem a definição da aparência do ambiente assim como a seleção de componentes e recursos instrucionais de acordo com as necessidades dos usuários e os requisitos de treinamentos. Estes ambientes propiciam a adaptabilidade a diferentes tipos de usuários considerados seus pré-requisitos, habilidades, objetivos, formas e tempo de aprendizagem, acomodando ajustes personalizados no ambiente e nos formatos de treinamento. Os programas de capacitação que se beneficiam destes recursos combinam atividades presenciais, semipresenciais e à distância, apoiadas por recursos instrucionais multimídia, em um modelo de treinamento denominado blended learning (Project B-Learn, 2007) ou aprendizagem combinada. Para o caso especifico do treinamento de operadores, este trabalho propõe um arcabouço para a construção de treinamentos e a integração de recursos adequados ao aprendizado teórico e ao treinamento prático que os capacite para a operação de sistemas elétricos. Simuladores e outras tecnologias distribuídas vêm sendo propostas como ferramentas de suporte ao treinamento especializado, (Sun, 2002). No contexto de treinamento de operadores de sistemas elétricos, realizado à distância, a literatura apresenta experiências realizadas com a utilização de AVAs, simuladores e laboratórios virtuais. O simulador STPO (Sistema Simulador para Treinamento Presencial e a Distância de Operação da Proteção de Sistemas Elétricos) é a evolução de um simulador desenvolvido utilizando a linguagem Delphi, (Castro Silva et.al., 2011), e que se encontra integrado ao ambiente virtual TelEduc (www.teleduc.org.br). É relatada na literatura a experiência da Companhia Energética de São Paulo (CESP), no treinamento à distância de operadores, assim como a experiência da Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP), com o treinamento de operadores de subestações e despachantes utilizando um simulador para o treinamento na operação de sistemas elétricos, 2765

2 (Castro Silva et.al., 2011, apud Fuzeto, 2003, apud Teixeira et al., 2003). No entanto, apesar de abordar o treinamento apoiado por ferramentas de caráter tecnológico, não foram encontrados relatos na literatura que abordassem a sistemática adotada na construção dos módulos de treinamento e objetos de aprendizagem que facilitassem o seu armazenamento e reuso. Por outro lado, a equipe do Laboratório de Interfaces Homem Máquina (LIHM) da UFCG, vem desenvolvendo pesquisas visando à redução do erro humano na operação de sistemas elétricos e vem desenvolvendo ferramentas que apóiem o treinamento dos operadores destes sistemas. Dentre as iniciativas pesquisadas encontra-se a adoção de ambientes virtuais de aprendizagem para o treinamento distribuído a distancia apoiado por um arcabouço para especificação dos módulos de treinamento. Este texto está estruturado em cinco seções. Na seção 2, propõe-se e apresenta-se um arcabouço para especificação de módulos de aprendizagem no padrão SCORM. Na seção 3, apresenta-se a instanciação de um módulo de treinamento com base no arcabouço proposto. Na seção 4, apresenta-se a infraestrutura computacional de treinamento necessária à construção e utilização do modulo de treinamento e, descreve-se o processo preliminar de validação do módulo. Na seção 5, apresentam-se as considerações finais e as perspectivas de trabalhos futuros. 2 Especificação de módulos de treinamento Um treinamento é tipicamente organizado em módulos. Estes por sua vez, estão associados a um conjunto de recursos instrucionais necessários à sua execução. Este trabalho dá continuidade a uma pesquisa que objetiva desenvolver uma plataforma de treinamento adaptada a demanda de treinamentos tanto teóricos quanto práticos. Em trabalho anterior, foi realizada uma avaliação de plataformas para apoiar o aprendizado, tendo sido selecionada a plataforma moodle (www.moodle.org). Esta plataforma foi escolhida a partir do resultado de testes de usabilidade e levantamento da satisfação dos usuários, realizados com quatro AVAs (Focking et. al., 2011). Este artigo discute como a plataforma moodle, associada a outros recursos que serão descritos adiante, será utilizada enquanto infraestrutura computacional de suporte ao treinamento teórico-prático de operadores de sistemas elétricos. A composição de um treinamento, além da infraestrutura computacional demanda uma clara e completa especificação de módulos de treinamento. Estes módulos devem ser descritos de tal modo a permitir sua execução em diferentes ambientes e, seu fácil armazenamento, recuperação e reuso. Neste trabalho os módulos de treinamento serão definidos segundo o padrão Sharable Content Object Reference Model (SCORM). Este padrão define um modelo de agregação de conteúdo, um modelo de sequenciamento e um ambiente de execução de objetos de aprendizagem via web (Jimézes, 2009). Este artigo apresenta na sequência a aplicação do modelo conceitual para especificação de módulos de treinamento descritos em (Focking et al, 2011). Os módulos de treinamento são construídos segundo as estratégias apresentadas no white paper (Cisco, 2003), ilustradas na Figura 1: Figura 1: Componentes de um módulo de treinamento. (Fonte: Cisco 2003). Os módulos de treinamento são identificados com metadados o que permite serem referenciados, armazenados e recuperados em repositórios, tanto por treinandos como por instrutores. No módulo de treinamento, os grupos de atividades práticas, recursos instrucionais e avaliações, são construídos a partir de objetos de aprendizagem (OA) reutilizáveis. Estes objetos constituem textos, áudios, animações, vídeos, simuladores, Java applets, laboratórios virtuais e ferramentas de interação e comunicação síncronas e assíncronas. Estes objetos são especificados conforme os objetivos do treinamento teórico-prático seja para consolidar a aprendizagem teórica ou para melhorar o desempenho em atividades práticas. Os objetos de aprendizagem são considerados fragmentos de informação especificados, desenvolvidos, catalogados, armazenados e distribuídos em sistemas de aprendizagem. São definidos pelo Institute of Electrical and Electronics Engineers, (IEEE), como qualquer entidade, digital ou não, que pode ser utilizada para a aprendizagem, educação ou treinamento, (IEEE, 2002). Os objetos de aprendizagem constituem o bloco fundamental utilizado na construção de componentes instrucionais, ou módulos de treinamento, os quais são reutilizáveis em diferentes contextos de aprendizagem (Wiley, 2000). No entanto para que sejam reutilizados é necessário que adotem formatos customizáveis de objetos de aprendizagem. A padronização propicia o compartilhamento de módulos de treinamento por múltiplas ferramentas e repositórios. Modelos conceituais de objetos de aprendizagem fundamentam-se na adoção de padrões de descrição 2766

3 de seus conteúdos, constituindo metadados. Um destes padrões e, que será adotado neste trabalho é o padrão SCORM. O padrão SCORM representa uma coleção de padrões e especificações para e-learning baseado na web, que facilita a identificação dos módulos de treinamento. A estrutura granular obtida a partir de objetos de aprendizagem permite formar combinações distintas, organizadas de forma hierárquica, criando um contexto significativo para a experiência de aprendizagem. Desta forma, um mesmo objeto de aprendizagem pode ser utilizado em atividades baseadas na resolução de problemas, tutoriais, simulações e em qualquer situação que permita a aprendizagem combinada. A Figura 2 ilustra um extrato do formulário concebido para apoiar o processo de concepção de um módulo de treinamento: Formulário de Especificação de Módulos de Treinamento (Focking et. al., 2012). Na primeira parte deste formulário são descritos os metadados de identificação do módulo de aprendizagem. Na segunda parte do formulário é descrito o planejamento pedagógico. Na porção exibida na Figura 2, são ilustrados os campos correspondentes à explicitação: dos pré-requisitos, propósitos da aprendizagem, carga horária, local de aplicação, público alvo e objetivos do módulo. Figura 2: Especificação dos metadados de um módulo de treinamento Embora não estejam ilustrados na Figura 2, constam ainda da especificação do planejamento pedagógico: a organização temporal e espacial do módulo de treinamento, a definição de papéis de instrutores e treinandos, e um detalhamento do: conteúdo instrucional, aspectos metodológicos e tecnológicos, os quais são descritos a seguir: Conteúdo Instrucional: descreve os recursos instrucionais e computacionais, identificando os objetos de aprendizagem, e lista os necessários à execução do módulo; Aspectos Metodológicos: descreve as atividades, formas de interação, procedimentos de avaliação e, organização hierárquica e didática dos objetos de aprendizagem; Aspectos Tecnológicos: descreve a plataforma de suporte e recursos de comunicação necessários à execução do módulo. Objetivando validar o formulário, foi especificado um módulo de treinamento referente à realização de uma manobra em uma subestação. A Figura 3 ilustra o formulário preenchido com a especificação deste módulo de treinamento. Observa-se na Figura 3, que o treinamento foi organizado em quatro etapas, segundo a prática observada na realização de treinamentos reais de operadores: Preparação da manobra; Execução da manobra; Análise do desempenho; Discussão dos resultados. Figura 3: Especificação do planejamento pedagógico de um módulo de treinamento Ressalta-se que o formulário foi concebido para apoiar o instrutor no processo de especificação de módulos de treinamentos realizados em ambientes de e-learning. Portanto sua aplicação em treinamentos realizados fora deste ambiente exige adaptações no planejamento pedagógico da aprendizagem. Na próxima subseção é apresentado o uso da ferramenta exelearning, para apoiar a instanciação do módulo de treinamento. 2.1 Instanciação do módulo de treinamento A construção de módulos de treinamento pode ser apoiada por ferramentas, gratuitas, para a edição de conteúdos instrucionais multimídia tais como editores de imagens, vídeos, textos, animações e cenários, além de ferramentas de autoria de módulos de treinamento como aquelas listadas a seguir, as quais foram avaliadas por Battistella, em (Battistella, 2011): 1. CourseLab 2. exelearning 3. Hotpotatoes 4. Microsoft LCDS training-default.aspx 5. MyUdutu - Os AVAs oferecem os recursos e atividades nativas que podem ser utilizados na construção de módulos de treinamento, tais como: livro digital, web site, links externos, simuladores, recursos multimídia, 2767

4 atividades e tarefas em diversos formatos, chat, fórum, videoconferência, entre outros. O desenvolvedor também pode optar por ferramentas específicas para a criação de pacotes SCORM. Neste trabalho optou-se pela ferramenta de autoria exelearning, disponibilizada gratuitamente, com código aberto. Esta ferramenta auxilia desenvolvedores na criação de módulos de treinamento, compostos por diferentes formatos de recursos instrucionais (idevices). Estes módulos, no padrão SCORM, são exportáveis para diversos AVAs. A seguir é ilustrado o uso da ferramenta exelearning na construção do módulo de aprendizagem especificado na subseção anterior. A ferramenta exelearning permite agrupar, em um único módulo de aprendizagem, diferentes conteúdos instrucionais multimídia para serem executados em diferentes recursos. Ela oferece suporte ao desenvolvimento de atividades de aprendizagem colaborativas e diferentes modalidades de exercícios: com questões V ou F, múltipla escolha, quiz somativo, estudo de caso, respostas curtas, entre outros. Também possibilita a especificação dos metadados de identificação do módulo de treinamento no padrão SCORM, como ilustrado na Figura 4. Figura 4: Especificação dos metadados de um módulo de treinamento na ferramenta exelearning A Figura 5 ilustra a construção do módulo de treinamento, segundo o planejamento pedagógico definido no Formulário de Especificação, utilizando a ferramenta exelearning. Na Figura é exibida a tela na qual os recursos instrucionais multimídia são selecionados e agrupados e, as atividades de aprendizagem são implementadas e hierarquizadas, formando um pacote que será exportado para o ambiente virtual de treinamento. A tela exibida na Figura 5 ilustra a construção de uma vídeo-aula e sua inserção no módulo de treinamento em construção. Figura 5: Construção de um módulo de treinamento (Fonte vídeo: 3 Componentes do ambiente de treinamento AvaLihm A infraestrutura computacional necessária ao treinamento teórico-prático de operadores, proposta neste trabalho é ilustrada na Figura 6. Esta estrutura é composta por três componentes didáticopedagógicos: o ambiente virtual de aprendizagem, um laboratório virtual e um simulador 3D em realidade virtual. A partir destes recursos e da adoção de tecnologias da informação e comunicação (TIC`s), é possível representar, para fins de treinamento, o comportamento de: processos, sistemas, dispositivos, equipamentos e materiais encontrados nos ambientes de trabalho dos operadores de sistemas elétricos. A infraestrutura computacional que compõe o ambiente de treinamento é composta de três camadas: Camada de acesso: gerencia, via browser, o acesso, a recuperação e a execução de objetos de aprendizagem através do Ambiente Virtual de Aprendizagem do Laboratório de Interfaces Homem Máquina AvaLihm. Camada intermediária: constitui a infraestrutura de rede e os recursos de: navegação, comunicação, compartilhamento e armazenamento. Provê a comunicação entre o ambiente de aprendizagem AvaLihm, o simulador SimuLihm e o Servidor de Instrumentos Virtuais. Camada de armazenamento: constitui um conjunto de repositórios distribuídos que armazenam os objetos de aprendizagem e os módulos de treinamento, cujo acesso é gerenciado pelo módulo Repositório no AvaLihm. A infraestrutura do ambiente de treinamento encontra-se ilustrada na Figura

5 Figura 6: Infraestrutura computacional do ambiente de treinamento 4.1 Ambiente virtual de aprendizagem - AvaLihm O ambiente AvaLihm foi desenvolvido sobre a plataforma moodle, através de sua customização e da agregação de recursos voltados para o treinamento prático. Depois de configurado este ambiente provê aos seus usuários o acesso a: i) Recursos instrucionais multimídia, armazenados em repositórios distribuídos; ii) Serviços síncronos, tais como salas de chat, quadro branco digital, vídeo conferência; iii) Ferramentas de comunicação assíncronas: fórum, e quadro de avisos; iv) Ferramentas de especificação e desenvolvimento de módulos de treinamento; v) Atividades de avaliação formativas e somativas com Relatórios e planilhas de resultados e acompanhamento de atividades. vi) Recursos para o treinamento prático: Simulador 3D e laboratórios virtuais. A Figura 7 ilustra a interface com usuário do ambiente AvaLihm. risco, lidando tanto com situações de rotina típicas da operação diária em condições normais, quanto com situações de urgência e emergência. O simulador SimuLihm foi desenvolvido pela equipe do LIHM, e representa em um mundo virtual 3D, o ambiente de uma subestação de sistemas elétricos (Torres Filho et. al., 2011). Nele, a partir de cenários criados pelos tutores, os operadores realizam tarefas especificas e estão disponíveis recursos para monitorar e avaliar os treinamentos. O ambiente virtual tridimensional reproduz a sala de controle, na qual os operadores podem se deslocar e interagir com os painéis virtuais, através do mouse ou teclado, de modo a realizar as tarefas prescritas no cenário de treinamento. A Figura 8 ilustra a representação da sala de controle no ambiente virtual do SimuLihm. Figura 8: Ambiente virtual do SimuLihm O ambiente SimuLihm oferece um conjunto de recursos para o acompanhamento das atividades de treinamento e avaliação da aprendizagem: monitoramento em tempo real e arquivos de log contendo a descrição das ações dos treinandos gerados, além da gravação em vídeo (utilizando o aplicativo Jing ) das ações do treinando. 4.3 Laboratórios virtuais Figura 7: Interface do usuário com o ambiente AvaLihm 4.2 Simulador - SimuLihm Os simuladores são ambientes que emulam o comportamento do sistema real para fins de treinamento. Neles, os operadores podem desenvolver suas habilidades sem por o sistema em O treinamento prático de operadores pode se beneficiar de exercícios com instrumentos remotos e virtuais. Para tanto uma interface entre o ambiente AvaLihm e os instrumentos de medição remotos permite a manipulação de instrumentos virtuais possibilitando a execução de experimentos específicos no contexto da operação de sistemas elétricos. Um conjunto integrado de hardware e software compõe um Laboratório Virtual que constitui um ambiente de experimentação utilizado na realização de experimentos didáticos relacionados às atividades realizadas no ambiente real (Bauer, 2007). Os resultados alcançados são muito próximos daqueles alcançados em ambientes reais, sem incorrer em 2769

6 desperdícios materiais ou riscos à segurança, além do baixo custo se comparado à montagem de uma estrutura física (Mendes, 2001). Neste trabalho foram utilizados instrumentos virtuais criados no ambiente LabView. Estes instrumentos são incorporados em módulos de treinamento, na condição de recurso instrucional, permitindo a manipulação de variáveis e a observação dos resultados tanto em imagens dos painéis dos instrumentos, quanto em gráficos. A interface de um instrumento virtual criado com o LabView e incorporado ao ambiente de treinamento é ilustrada na Figura 9. A instrumentação remota consiste em uma estrutura composta de instrumentos reais e de um software de aquisição de dados. A manipulação destes instrumentos pode ser realizada via Internet. Figura 9: Instrumento virtual criado no LabView Neste trabalho foi incorporado o laboratório virtual implementado por Souza Neto e descrito em (Souza Neto, 2009). Este laboratório é utilizado na realização de experimentos com sensores e atuadores para o controle e manipulação de parâmetros. Na Figura 10 são ilustrados alguns componentes de hardware do laboratório virtual: desktop, instrumentos, placa com a montagem do experimento e Unidade de Controle e Aquisição de Dados (DAQ). Esta unidade realiza a interface entre os sensores e atuadores e os aplicativos LabView e o MatLab. transmitidas para o AvaLihm utilizando o pacote webcamxp. O ambiente AvaLihm gera planilhas com os resultados das atividades de avaliação da aprendizagem realizadas e, estes dados são armazenados e utilizados para mensurar o desempenho e avaliar a qualidade do módulo de treinamento. 4.4 Implantação e testes do ambiente de treinamento Segue a descrição das etapas de implantação e testes de integração da infraestrutura computacional de treinamento, realizadas nos laboratórios do Departamento de Engenharia Elétrica (DEE) da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG): Laboratório de Instrumentação e Controle (LIEC) e no Laboratório de Interfaces Homem-Máquina (LIHM). Instalação da plataforma moodle em servidor localizado no LIHM seguida da configuração do ambiente AvaLihm. Versões de teste do AvaLihm estão hospedadas em servidores nas plataformas Windows Server 2003 e Linux Ubuntu Criação de recursos e de atividades de treinamento no ambiente AvaLihm, com o objetivo de avaliar seu suporte pedagógico em relação aos requisitos do treinamento. Também foram selecionadas as ferramentas de criação e suporte aos módulos de treinamento, oferecidas no ambiente. Conexão de instrumentos remotos localizados no LIEC (osciloscópio digital, gerador de funções, fonte e multímetro) através da rede ethernet, identificados através de números IP e configurados como recursos instrucionais. Nesta etapa foi testado o acesso direto, via web, aos componentes do laboratório virtual e em seguida foi testado o acesso através do AvaLihm. O teste de conceito do Laboratório Virtual consistiu na especificação de um objeto de aprendizagem que incluía manipular os instrumentos remotamente localizados e realizar experimentos através do ambiente AvaLihm, instalado no LIHM. A Figura 11 ilustra um instrumento real (gerador de funções) acessado através do AvaLihm. Figura 10: Componentes do laboratório virtual Os experimentos realizados no laboratório virtual podem ser monitorados pelo instrutor a partir das imagens capturadas com uma webcam e, armazenadas no Servidor de instrumentos. No ambiente de treinamento, as imagens da câmera são 2770

7 Figura 11: Acesso ao instrumento Gerador de funções Integração do simulador SimuLihm ao ambiente de treinamento AvaLihm, para disponibilizá-lo como um recurso instrucional para o treinamento prático. O teste de integração consistiu na execução de um cenário, verificando o movimento do operador e a interação com os painéis no ambiente virtual. Na Figura 12, é ilustrada a tela do simulador aberta no ambiente de treinamento AvaLihm. Figura 12: Simulador integrado ao ambiente AvaLihm O módulo de treinamento especificado com base no formulário foi implementado utilizando a ferramenta exelearning, a qual gerou um pacote no padrão SCORM. Em seguida o pacote de treinamento foi enviado para o repositório do ambiente AvaLihm, onde fica disponível aos usuários. A Figura 13 ilustra um objeto de aprendizagem sendo executado no AvaLihm. Figura 13: Execução de animação no AvaLihm 5 Considerações e trabalhos futuros Os testes preliminares realizados com o ambiente de treinamento evidenciaram que do ponto de vista pedagógico embora ainda em caráter preliminar, o arcabouço para construção dos módulos de treinamento, associado à infraestrutura computacional proposta, se mostrou uma combinação adequada às situações de aprendizagem típicas de um treinamento teórico- prático. Com base nos testes realizados constatou-se que: O desenvolvimento de módulos de aprendizagem no padrão SCORM facilita a reutilização, exportação e integração de objetos de aprendizagem; A plataforma moodle é de fato flexível, podendo ser customizada para diferentes requisitos de treinamentos; O protótipo do ambiente AvaLihm, com base na plataforma moodle se presta a realização de diferentes modelos de avaliação e de autoavaliação; Os recursos multimídia e as atividades de aprendizagem em diferentes formatos podem motivar o aprendizado e enriquecer o treinamento; O acesso remoto aos laboratórios virtuais e simulador facilita a utilização de módulos de treinamento em diferentes contextos e seqüências de treinamento; Dentre as próximas etapas deste projeto estão previstas: Avaliação do desempenho da infraestrutura computacional na execução de diferentes módulos de treinamento, executados em diferentes infraestruturas de rede. Formalização do Modelo de Especificação de Módulos de Treinamento no padrão SCORM. Construção de uma taxonomia para objetos de aprendizagem, voltados ao treinamento na operação de sistemas elétricos, para facilitar o processo de construção, catalogação e recuperação dos objetos de aprendizagem; Avaliação do desempenho do conjunto: AvaLihm, simulador SimuLihm e laboratório virtual, em uma situação de treinamento real; Validação do ambiente de treinamento a partir da realização de experimentos com a participação de usuários, com perfil semelhante ao de um operador. Certamente que ainda se faz necessária uma validação rigorosa do ambiente de treinamento e do arcabouço para a construção dos módulos de treinamento, que conte com a participação de usuários com o perfil de tutores e operadores para aferir os ganhos obtidos com a solução proposta neste trabalho. No entanto, as ferramentas e recursos disponibilizados à construção do módulo de treinamento facilitaram esta tarefa, e os recursos integrados ao ambiente de treinamento possibilitarão a integração de operadores de diferentes instalações 2771

8 reduzindo os custos operacionais dos treinamentos e possibilitando um aprendizado tanto individualizado quanto em equipe. Referências bibliográficas Battistella, P. E., von Wangenheim, A., (2011). Avaliação de Ferramentas de Autoria Gratuitas para produção de Objetos de Aprendizagem no padrão SCORM. Revista Brasileira de Informática na Educação, Volume 19, Nº3. Bauer P., Fedák, V. (2007). Implementation of e- Learning platform for distance Practical education in electrical engineering. 5th Conference on Emerging e-learning Technologies and Applications. Slovakia. Castro Silva, C.H., Sampaio, R.F., Leão, R.P.S., Barroso, G.C. & Soares, J.M., (2011). Desenvolvimento de um Laboratório Virtual para Capacitação Tecnológica à Distância em Proteção de Sistemas Elétricos.DEE/UFC. Novas Tecnologias na Educação. CINTED- UFRGS. Souza Neto, J. M. R. de, Cavalcanti, T. C. M., Rocha Neto, J. S. da. (2009). Desenvolvimento de uma Plataforma de Experimentos para Auxilio Didático da Disciplina Instrumentação Eletrônica do Curso de Engenharia Elétrica. In: XXXVII Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia, 2009, Recife. XXXVII Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia. Sun Microsystems. (2002). e-learning Application Infrastructure. White Paper. Palo Alto. USA. Torres Filho F., Da Costa R. C., & Vieira M. F.Q., (2011). Ambiente para o Treinamento de Operadores em Paineis e Supervisório Apoiado por um Módulo Tutor. Simpósio Brasileiro de Automação Inteligente - SBAI. São João Del- Rei. Minas Gerais. Brasil. Wiley D., (2000). Connecting learning objects to instructional design theory: A definition, a metaphor, and a taxonomy The Instructional Use of Learning Objects: Online Version. Disponível em: <http://reusability.org/read/chapters/wiley.doc>. Cisco Systems, (2003) - White Paper. Reusable Learning Object Authoring Guidelines: How to Build Modules, Lessons, and Topics. Focking, G. P., Vieira, M. F. Q. & da Rocha Neto, J. S. (2012). Modelo conceitual e Ambiente virtual para treinamento na operação de sistemas elétricos. IV Simpósio Brasileiro de Sistemas Elétricos. SBSE. Goiânia. GO. Brasil. IEEE Institute of Electrical and electronic engineers. IEEE : Draft Standard for Learning Object Metadata Disponível em Acesso em: 13 nov Jiménez, A.A., Rodríguez, J.R & Alfaro, Z.M., (2009). SCORM Compliant-Architecture for Including Simulations in E-learning Systems. Mexican International Conference on Computer Science. IEEE. Mendes, M. (2001). Ferramentas Virtuais na Educação Tecnológica a Distância: o caso dos Laboratórios virtuais e softwares de simulação, Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina. (Disponível em: em 18/06/2007). Project B-Learn, (2007) - Blended Learning: Research reports & examples of best practices. Assisting teachers of traditional universities in designing blended learning. University of Tartu, Estonia. 2772

Autor(es) BRUNO TEODOSIO GONÇALVES. Orientador(es) CECÍLIA SOSA ARIAS PEIXOTO, FLÁVIA LINHALIS. Apoio Financeiro FAPIC/UNIMEP. 1.

Autor(es) BRUNO TEODOSIO GONÇALVES. Orientador(es) CECÍLIA SOSA ARIAS PEIXOTO, FLÁVIA LINHALIS. Apoio Financeiro FAPIC/UNIMEP. 1. 19 Congresso de Iniciação Científica ESTUDO EXPLORATÓRIO SOBRE PADRÕES DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM PARA AMBIENTES COLABORATIVOS DE APRENDIZADO ELETRÔNICO Autor(es) BRUNO TEODOSIO GONÇALVES Orientador(es)

Leia mais

Consultoria para desenvolvimento de estratégias de treinamento on-line

Consultoria para desenvolvimento de estratégias de treinamento on-line 1 2 A HIPOCAMPUS é uma empresa de consultoria em comunicação e ensino digital com foco nos profissionais de saúde. Estamos prontos a auxiliar empresas dos diferentes segmentos da área de saúde a estabelecer

Leia mais

Elaboração de videoaulas seguindo padrões de objetos de aprendizagem para disponibilização no serviço de educação a distância (EDAD) da RNP

Elaboração de videoaulas seguindo padrões de objetos de aprendizagem para disponibilização no serviço de educação a distância (EDAD) da RNP Elaboração de videoaulas seguindo padrões de objetos de aprendizagem para disponibilização no serviço de educação a distância (EDAD) da RNP Eduardo Barrére Liamara Scortegagna Atualizando o título: Elaboração

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO

UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO BRASIL & BAHIA (2013) UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO D.T. RODRIGUES 1, M. ROCHA 1, D.M. BRITO 1 e G.P. PINTO 1,2. 1

Leia mais

AVALIAÇÃO DE UM PROCESSO E SOFTWARE PARA A PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DE ENSINO

AVALIAÇÃO DE UM PROCESSO E SOFTWARE PARA A PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DE ENSINO 1 AVALIAÇÃO DE UM PROCESSO E SOFTWARE PARA A PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS DE ENSINO Rio Branco AC 05/2010 Luciete Basto de Andrade Albuquerque Universidade Federal do Acre luciete@brturbo.com.br Luiz Augusto

Leia mais

NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação.

NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação. NanowareCyber: Nosso negócio é sua formação. PLATAFORMA AcademiaWeb Sistema de gerenciamento de escola virtual com gestão de conteúdo, transmissão de web-aula ao vivo e interação online com os participantes.

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM LABORATÓRIO VIRTUAL PARA CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA A DISTÂNCIA EM PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS

DESENVOLVIMENTO DE UM LABORATÓRIO VIRTUAL PARA CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA A DISTÂNCIA EM PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS DESENVOLVIMENTO DE UM LABORATÓRIO VIRTUAL PARA CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA A DISTÂNCIA EM PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS Carlos Henrique de Castro Silva carloshenriquecs@gmail.com Universidade Federal do Ceará,

Leia mais

Sistemas de gestão de conteúdo para objetos de aprendizagem: características desejáveis e soluções existentes. Liane Tarouco CINTED/UFRGS

Sistemas de gestão de conteúdo para objetos de aprendizagem: características desejáveis e soluções existentes. Liane Tarouco CINTED/UFRGS Sistemas de gestão de conteúdo para objetos de aprendizagem: características desejáveis e soluções existentes Liane Tarouco CINTED/UFRGS 1 Gestão de conteúdo Alternativas metodológicas e tecnológicas para

Leia mais

9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA

9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA 9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA Autor(es) MICHELE CRISTIANI BARION FREITAS Orientador(es) CECÍLIA SOSA ARIAS PEIXOTO 1. Introdução A partir de ferramentas

Leia mais

O Varal de Roupas - Objeto de Aprendizagem de Vetores em Linguagem C

O Varal de Roupas - Objeto de Aprendizagem de Vetores em Linguagem C O Varal de Roupas - Objeto de Aprendizagem de Vetores em Linguagem C Adriana ARIATI Beatriz Terezinha BORSOI Renato Silva BELAZI RESUMO É comum que os alunos apresentem elevado grau de dificuldade no aprendizado

Leia mais

Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes. Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí. Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado

Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes. Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí. Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado Sistema Tutor Inteligente baseado em Agentes na Plataforma MOODLE para Apoio às Atividades Pedagógicas da Universidade Aberta do Piauí Prof. Dr. Vinicius Ponte Machado Parnaíba, 14 de Novembro de 2012

Leia mais

UM LABORATÓRIO WEB PARA ENSINO ORIENTADO A AUTOMAÇÃO E CONTROLE

UM LABORATÓRIO WEB PARA ENSINO ORIENTADO A AUTOMAÇÃO E CONTROLE UM LABORATÓRIO WEB PARA ENSINO ORIENTADO A AUTOMAÇÃO E CONTROLE Cleonilson Protásio de Souza 1 e José Tarcísio Costa Filho 2 Universidade Federal do Maranhão 1 Departamento de Engenharia de Eletricidade

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros

Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros Panorama da educação a distância na formação dos magistrados brasileiros 7 e 8 de maio de 2015 Encontro de integração das Escolas da Magistratura Tema: Potencialidades e Desafios do Moodle um ambiente

Leia mais

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem

UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem UNIDADE II Conhecendo o Ambiente Virtual de Aprendizagem 2.1 Introdução Caro Pós-Graduando, Nesta unidade, abordaremos o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) que será utilizado no curso: o Moodle. Serão

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Curso de Formação Continuada em Videoconferência. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO Curso de Formação Continuada em Videoconferência. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Catálogo de Cursos. Knowledge for excellence management

Catálogo de Cursos. Knowledge for excellence management Knowledge for excellence management Atenção: as informações deste catálogo estão sujeitas à alteração sem prévio aviso. Assegure-se de consultar sempre a revisão vigente deste documento. www.softexpert.com.br

Leia mais

SIMULADOR DE SISTEMAS DE PROTEÇÃO, CONTROLE E SUPERVISÃO: UMA FERRAMENTA PARA CAPACITAÇÃO DA OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO.

SIMULADOR DE SISTEMAS DE PROTEÇÃO, CONTROLE E SUPERVISÃO: UMA FERRAMENTA PARA CAPACITAÇÃO DA OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO. SIMULADOR DE SISTEMAS DE PROTEÇÃO, CONTROLE E SUPERVISÃO: UMA FERRAMENTA PARA CAPACITAÇÃO DA OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO. J. A. P. MOUTINHO Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A ELETRONORTE Brasil RESUMO

Leia mais

2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA

2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA 2 ALGUMAS PLATAFORMAS DE ENSINO A DISTÂNCIA Neste capítulo faremos uma breve descrição de algumas plataformas para ensino a distância e as vantagens e desvantagens de cada uma. No final do capítulo apresentamos

Leia mais

Construção de Objetos Educacionais Numéricos utilizando padrão SCORM no ambiente Moodle. Setembro/2007

Construção de Objetos Educacionais Numéricos utilizando padrão SCORM no ambiente Moodle. Setembro/2007 1 Construção de Objetos Educacionais Numéricos utilizando padrão SCORM no ambiente Moodle Setembro/2007 Carmem Lúcia Graboski da Gama Pós-Graduação em Métodos Numéricos em Engenharia, Universidade Federal

Leia mais

Caracterização da Modelagem de Ambientes de Aprendizagem a distância

Caracterização da Modelagem de Ambientes de Aprendizagem a distância Caracterização da Modelagem de Ambientes de Aprendizagem a distância Adja F. de Andrade adja@inf.pucrs.br 1 Beatriz Franciosi bea@inf.pucrs.br Adriana Beiler 2 adrianab@inf.pucrs.br Paulo R. Wagner prwagner@inf.pucrs.br

Leia mais

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS

A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS A atuação do TecSaúde e da Fundação do Desenvolvimento Administrativo para a formação em EAD de trabalhadores do SUS São Paulo SP Maio 2012 Setor Educacional Educação Corporativa Classificação das Áreas

Leia mais

Objetos de Aprendizagem para Educação a Distância Robson Santos da Silva

Objetos de Aprendizagem para Educação a Distância Robson Santos da Silva Objetos de Aprendizagem para Educação a Distância Robson Santos da Silva Novatec Copyright 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida

Leia mais

FERRAMENTA DE SUPORTE AO ENSINO EM PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS DE POTÊNCIA.

FERRAMENTA DE SUPORTE AO ENSINO EM PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS DE POTÊNCIA. FERRAMENTA DE SUPORTE AO ENSINO EM PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS DE POTÊNCIA. Anderson Tadeu Soares de Paiva andersonnpaiva@hotmail.com Universidade Federal do Ceará, Departamento de Engenharia Elétrica

Leia mais

Desenvolvimento de Sistema de Treinamento em Proteção de Sistemas Elétricos em Ambiente Virtual de Aprendizagem

Desenvolvimento de Sistema de Treinamento em Proteção de Sistemas Elétricos em Ambiente Virtual de Aprendizagem 1 Desenvolvimento de Sistema de Treinamento em Proteção de Sistemas Elétricos em Ambiente Virtual de Aprendizagem G. C. Barroso, UFC, R. F. Sampaio, Coelce, J. M. Soares, CEFET-Ce, H. Bezerra, UFC, R.

Leia mais

Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet

Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet 57 Capítulo 3 Gerenciadores de EaD baseada na Internet Hoje em dia ter a Internet como aliada é um recurso indispensável para qualquer educador ou responsável por treinamento corporativo que atue em qualquer

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Reestrutura as unidades vinculadas à Secretaria de Tecnologia da Informação SETIN do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia mais

OBJETOS DE APRENDIZAGEM

OBJETOS DE APRENDIZAGEM MEDs e METADADOS OBJETOS DE APRENDIZAGEM O que é um objeto de aprendizagem? Segundo Wiley, D.A.,2000 Qualquer entidade DIGITAL que pode ser usada, reusada ou referenciada durante um processo de aprendizagem

Leia mais

UMA INTRODUÇÃO A EVOLUÇÃO DOS SISTEMAS DE AUTORIA E DE GERENCIADORES DE APRENDIZAGEM

UMA INTRODUÇÃO A EVOLUÇÃO DOS SISTEMAS DE AUTORIA E DE GERENCIADORES DE APRENDIZAGEM UMA INTRODUÇÃO A EVOLUÇÃO DOS SISTEMAS DE AUTORIA E DE GERENCIADORES DE APRENDIZAGEM Dante Alves Medeiros Filho Universidade Estadual de Maringá - UEM Departamento de Informática - DIN dantefilho@gmail.com

Leia mais

A OPINIÃO DOS DISCENTES EM RELAÇÃO AOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR PRESENCIAL. São Paulo, 04/05/2009

A OPINIÃO DOS DISCENTES EM RELAÇÃO AOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR PRESENCIAL. São Paulo, 04/05/2009 1 A OPINIÃO DOS DISCENTES EM RELAÇÃO AOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO APOIO AO ENSINO SUPERIOR PRESENCIAL São Paulo, 04/05/2009 Silvio Carvalho Neto Universidade de São Paulo / Uni-FACEF Centro

Leia mais

Christiane dos Santos PEREIRA*, Samuel Pereira DIAS, Gabriel da SILVA Centro Federal de Educação Tecnológica de Bambuí-MG

Christiane dos Santos PEREIRA*, Samuel Pereira DIAS, Gabriel da SILVA Centro Federal de Educação Tecnológica de Bambuí-MG A UTILIZAÇÃO DE AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COMO FERRAMENTA DE APOIO AO ENSINO PRESENCIAL: estudos preliminares e proposta de uma metodologia de implantação no CEFET-Bambuí Christiane dos Santos

Leia mais

Sistemas de gerenciamento de aprendizagem: uma metodologia de avaliação

Sistemas de gerenciamento de aprendizagem: uma metodologia de avaliação Sistemas de gerenciamento de aprendizagem: uma metodologia de avaliação Mário Vasconcelos Andrade Universidade Tiradentes, Brasil mario_andrade@yahoo.com Francisco Vilar Brasileiro Universidade Federal

Leia mais

ENSINET/NAV: UMA FERRAMENTA PARA ESTRUTURAÇÃO DE CURSOS BASEADOS EM OBJETOS DE APRENDIZAGEM *

ENSINET/NAV: UMA FERRAMENTA PARA ESTRUTURAÇÃO DE CURSOS BASEADOS EM OBJETOS DE APRENDIZAGEM * ENSINET/NAV: UMA FERRAMENTA PARA ESTRUTURAÇÃO DE CURSOS BASEADOS EM OBJETOS DE APRENDIZAGEM * Diego Lemos de Souza ** Graçaliz Pereira Dimuro *** Antônio Carlos da Rocha Costa **** Raquel Mello de Miranda

Leia mais

OBJETOS DE APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA TECNOLÓGICA PARA FACILITAR A REUTILIZAÇÃO, ORGANIZAÇÃO E COMPARTILHAMENTO. Maio de 2007

OBJETOS DE APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA TECNOLÓGICA PARA FACILITAR A REUTILIZAÇÃO, ORGANIZAÇÃO E COMPARTILHAMENTO. Maio de 2007 1 OBJETOS DE APRENDIZAGEM: UMA PROPOSTA TECNOLÓGICA PARA FACILITAR A REUTILIZAÇÃO, ORGANIZAÇÃO E COMPARTILHAMENTO Maio de 2007 Érico Galdino Almeida Senac São Paulo erico.galmeida@sp.senac.br Leandro Cassa

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO AMBIENTE EUREKA

INTEGRAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO AMBIENTE EUREKA INTEGRAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO AMBIENTE EUREKA MARTINS, Silvio Antonio Rodrigues Junior - PUCPR silvio.martinsjr@uol.com.br BORTOLOZZI, Flávio - PUCPR fborto@ppgia.pucpr.br ELEUTÉRIO, Marco Antonio

Leia mais

REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL

REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL Andreya Prestes da Silva 1, Rejane de Barros Araújo 1, Rosana Paula Soares Oliveira 1 e Luiz Affonso Guedes 1 Universidade Federal do ParáB 1 Laboratório de Controle

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

PROPOSTA DE UMA FERRAMENTA DE AUTORIA PARA A GERAÇÃO DE CONTEÚDOS ON-LINE. Maio/2005 023-TC-C5

PROPOSTA DE UMA FERRAMENTA DE AUTORIA PARA A GERAÇÃO DE CONTEÚDOS ON-LINE. Maio/2005 023-TC-C5 1 PROPOSTA DE UMA FERRAMENTA DE AUTORIA PARA A GERAÇÃO DE CONTEÚDOS ON-LINE Maio/2005 023-TC-C5 Viviane Guimarães Ribeiro Universidade de Mogi das Cruzes vivianegr@yahoo.com.br Saulo Faria Almeida Barretto

Leia mais

DOMUS MOBILE: PLATAFORMA DE SUPORTE AO MOBILE-LEARNING

DOMUS MOBILE: PLATAFORMA DE SUPORTE AO MOBILE-LEARNING Conferência IADIS Ibero-Americana WWW/Internet 2005 DOMUS MOBILE: PLATAFORMA DE SUPORTE AO MOBILE-LEARNING Paulo Alves e José Adriano Escola Superior de Tecnologia e de Gestão de Bragança Campus de S.

Leia mais

ALUNO COMO ATIVO E NÃO ATIVO EM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM RECIFE PE MAIO 2011

ALUNO COMO ATIVO E NÃO ATIVO EM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM RECIFE PE MAIO 2011 1 ALUNO COMO ATIVO E NÃO ATIVO EM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM RECIFE PE MAIO 2011 Otacilio Antunes Santana Universidade Federal de Pernambuco otacilio.santana@ufpe.br José Imaña Encinas - Universidade

Leia mais

Manual do sistema. My e-learning objects. Laboratório de Engenharia de Software e Tecnologias de Informação e Comunicação

Manual do sistema. My e-learning objects. Laboratório de Engenharia de Software e Tecnologias de Informação e Comunicação Manual do sistema My e-learning objects Laboratório de Engenharia de Software e Tecnologias de Informação e Comunicação Manual do sistema - Meelo Autor: Alexandre Yukio Yamashita Laboratório de Engenharia

Leia mais

MOODLE é o acrónimo de "Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment. Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem;

MOODLE é o acrónimo de Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment. Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem; MOODLE é o acrónimo de "Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment Software livre, de apoio à aprendizagem; Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem; A expressão designa ainda

Leia mais

INCLUSÃO TECNOLÓGICA PARA O ENSINO PROFISSIONALIZANTE: UM ESTUDO DE CASO NO PROEJA

INCLUSÃO TECNOLÓGICA PARA O ENSINO PROFISSIONALIZANTE: UM ESTUDO DE CASO NO PROEJA Pró-Reitoria de Pesquisa Pós-Graduação e Inovação Coordenação Geral de Pesquisa e Pós-Graduação prppgi@iffarroupilha.edu.br Projeto de Pesquisa ( X ) TECNOLÓGICO ou ( ) CIENTÍFICO INCLUSÃO TECNOLÓGICA

Leia mais

Automação de Bancada Pneumática

Automação de Bancada Pneumática Instituto Federal Sul-rio-grandense Campus Pelotas - Curso de Engenharia Elétrica Automação de Bancada Pneumática Disciplina: Projeto Integrador III Professor: Renato Allemand Equipe: Vinicius Obadowski,

Leia mais

O MUNDO MUDOU. #fato

O MUNDO MUDOU. #fato DO GIZ AO BYTE O MUNDO MUDOU #fato Sociedade da Informação Informação como recurso estratégico Uso intensivo das TIC Interação digital Diversas formas de fazer as mesmas, ou novas coisas Qual é a sua?

Leia mais

Experiência: Gerenciamento da Rede de Supervisão da Eletronorte GerenteSAGE

Experiência: Gerenciamento da Rede de Supervisão da Eletronorte GerenteSAGE Experiência: Gerenciamento da Rede de Supervisão da Eletronorte GerenteSAGE Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A. - Eletronorte Responsável: Uriel de Almeida Papa Equipe: Sérgio de Souza Cruz, Willams

Leia mais

AMBIENTE DE APRENDIZAGEM COLABORATIVO: DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM PARA CURSOS DE COMPUTAÇÃO

AMBIENTE DE APRENDIZAGEM COLABORATIVO: DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM PARA CURSOS DE COMPUTAÇÃO AMBIENTE DE APRENDIZAGEM COLABORATIVO: DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM PARA CURSOS DE COMPUTAÇÃO Danilo Abreu SANTOS, Wannyemberg K. da S. DANTAS, Adriano Araújo DOS SANTOS Departamento de Computação,

Leia mais

BLACKBOARD LEARNING SYSTEM ML

BLACKBOARD LEARNING SYSTEM ML BLACKBOARD LEARNING SYSTEM ML DA INFORMAÇÃO À EDUCAÇÃO Facilidade de uso e facilidade de integração têm sido as características de nossa implantação do Blackboard. Com 75.000 usuários e aproximadamente

Leia mais

NOVAS APRENDIZAGENS ABRIL/2004. Maria da Graça Moreira da Silva SENAC São Paulo maria.gmsilva@sp.senac.br

NOVAS APRENDIZAGENS ABRIL/2004. Maria da Graça Moreira da Silva SENAC São Paulo maria.gmsilva@sp.senac.br 1 NOVAS APRENDIZAGENS ABRIL/2004 Maria da Graça Moreira da Silva SENAC São Paulo maria.gmsilva@sp.senac.br Educação a Distância nos Sistemas Educacionais.; Educação Universitária Este artigo pretende levantar

Leia mais

Ambiente de Ensino e Aprendizagem via Internet A Plataforma Moodle

Ambiente de Ensino e Aprendizagem via Internet A Plataforma Moodle Ambiente de Ensino e Aprendizagem via Internet A Plataforma Moodle Dr. Renato M.E. Sabbatini Introdução O Moodle é uma plataforma de aprendizagem a distância baseada em software livre. É um acrônimo de

Leia mais

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur

Unidade I TECNOLOGIA. Material Instrucional. Profª Christiane Mazur Unidade I TECNOLOGIA EDUCACIONAL EM EAD Material Instrucional Profª Christiane Mazur Ensinar Ensinar é, também, a arte de estimular o desejo de saber. EAD - Brasil 1904: Correspondência impressos; 1923:

Leia mais

CURSO: DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM

CURSO: DESENVOLVIMENTO DE OBJETOS VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM Unidade 3: Processo de construção de AO Coordenação: Juliana Cristina Braga Autoria: Roberta Kelly Amorim de França Na unidade anterior apresentamos os diferentes tipos de OA, como: vídeos, imagens, softwares,

Leia mais

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa ACESSE Informações corporativas a partir de qualquer ponto de Internet baseado na configuração

Leia mais

Congresso CONSAD de Gestão Pública

Congresso CONSAD de Gestão Pública Congresso CONSAD de Gestão Pública Brasília DF, 26 a 28 de maio de 2008 Múltiplas Mídias na Formação e Desenvolvimento dos Servidores Públicos do diagnóstico ao modelo de capacitação: a experiência da

Leia mais

Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013)

Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013) Utilização do Ambiente virtual de aprendizagem TelEduc para a aprendizagem de línguas estrangeiras Girlene Medeiros (2013) Questionamentos que devem ser enfrentados 1. Como você descreveria esse ambiente

Leia mais

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Marco T. A. Rodrigues*, Paulo E. M. de Almeida* *Departamento de Recursos em Informática Centro Federal de Educação Tecnológica de

Leia mais

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES

FACULDADE ZACARIAS DE GÓES FACULDADE ZACARIAS DE GÓES DIEGO DE JESUS BONFIM EDUCAÇÃO ONLINE Valença Bahia Dezembro 2011 DIEGO DE JESUS BONFIM EDUCAÇÃO ONLINE Resenha a ser apresentada como avaliação da disciplina EAD em Ambiente

Leia mais

Documento de Requisitos

Documento de Requisitos Documento de Requisitos Agentes Micromundo e Análise do Desenvolvimento no Uso de Instrumentos MultiMídia (AMADeUs-MM) Cliente: CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Versão

Leia mais

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4

EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 1 EDUCAÇÃO EXECUTIVA PARA O MERCADO FINANCEIRO MAIO / 2005 108-TC-B4 NADINE WASSMER TREINA E-LEARNING treina@treina.com.br ROSANA GOMES CONTEÚDOS E HABILIDADES EDUCAÇÃO CORPORATIVA DESCRIÇÃO DE PROJETO

Leia mais

Convergência tecnológica em sistemas de informação

Convergência tecnológica em sistemas de informação OUT. NOV. DEZ. l 2006 l ANO XII, Nº 47 l 333-338 INTEGRAÇÃO 333 Convergência tecnológica em sistemas de informação ANA PAULA GONÇALVES SERRA* Resumo l Atualmente vivemos em uma sociedade na qual o foco

Leia mais

Software Tutorial sobre Sistema Solar

Software Tutorial sobre Sistema Solar Software Tutorial sobre Sistema Solar Alan Correa, Antônio Rocir, Sandro Niederauer Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de maio, 141 95520-000 Osório RS Brasil {sandroniederauer, alan.sms}@hotmail.com,

Leia mais

USO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM COMO FORMA DE POPULARIZAR O CONHECIMENTO CIENTÍFICO

USO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM COMO FORMA DE POPULARIZAR O CONHECIMENTO CIENTÍFICO USO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM COMO FORMA DE POPULARIZAR O CONHECIMENTO CIENTÍFICO Autor e Orientador Eduardo Lima Leite 1 (Universidade Federal de Campina Grande, eduardo@cstr.ufcg.edu.br) Resumo: O trabalho

Leia mais

O PROCESSO PRODUTIVO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NUMA UNIDADE DO RIVED/ FÁBRICA VIRTUAL: PROBLEMAS E SOLUÇÕES

O PROCESSO PRODUTIVO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NUMA UNIDADE DO RIVED/ FÁBRICA VIRTUAL: PROBLEMAS E SOLUÇÕES O PROCESSO PRODUTIVO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NUMA UNIDADE DO RIVED/ FÁBRICA VIRTUAL: PROBLEMAS E SOLUÇÕES Nubia dos Santos Rosa Santana dos Santos (UENF) nubrosa@gmail.com Clevi Elena Rapkiewicz (UENF)

Leia mais

DEFINIÇÃO DE METADADOS PARA O REPOSITÓRIO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM DA EAD - UFSC

DEFINIÇÃO DE METADADOS PARA O REPOSITÓRIO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM DA EAD - UFSC DEFINIÇÃO DE METADADOS PARA O REPOSITÓRIO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM DA EAD - UFSC Projeto desenvolvido junto ao Departamento de EAD/UFSC 2007-2008. Equipe: Profª. Edna Lucia da Silva e Profª. Ligia Café

Leia mais

UMA PLATAFORMA BASEADA NA WEB PARA ENSINO ORIENTADO A EXPERIMENTOS

UMA PLATAFORMA BASEADA NA WEB PARA ENSINO ORIENTADO A EXPERIMENTOS UMA PLATAFORMA BASEADA NA WEB PARA ENSINO ORIENTADO A EXPERIMENTOS SOUZA, C. P., COSTA FILHO, J. T. Departamento de Engenharia Eléctrica Universidade Federal do Maranhão Avenida dos Portugueses, Campus

Leia mais

SOLUÇÕES EM EDUCAÇÃO 3.0

SOLUÇÕES EM EDUCAÇÃO 3.0 SOLUÇÕES EM EDUCAÇÃO 3.0 www.cisco.com.br/educação 2011 Cisco and/or its affiliates. All rights reserved. 1 Educação 1.0 Educação 2.0 Educação 3.0 Tecnológica Rural Tradicional 2011 Cisco and/or its affiliates.

Leia mais

PROGRAMAÇÃO METODOLÓGICA DO DO CURSO

PROGRAMAÇÃO METODOLÓGICA DO DO CURSO PROGRAMAÇÃO METODOLÓGICA DO DO CURSO DESIGNAÇÃO DO CURSO E-Tutor: especialização pedagógica em e-learning DURAÇÃO DO CURSO 60 HORAS LOCAL E DATAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO DE FORMAÇÃO 1. VIRTUAL LEARNING CENTER

Leia mais

APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA DE ACESSO REMOTO NO ENSINO À DISTÂNCIA

APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA DE ACESSO REMOTO NO ENSINO À DISTÂNCIA APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA DE ACESSO REMOTO NO ENSINO À DISTÂNCIA Daniel da Silva Carla E. de Castro Franco Diogo Florenzano Avelino daniel.silva1@ext.mpsa.com carla.franco@mpsa.com diogo@inf.aedb.br Associação

Leia mais

Implantação do Moodle no Centro Universitário São Camilo

Implantação do Moodle no Centro Universitário São Camilo RELATO DE EXPERIÊNCIA Implantação do Moodle no Centro Universitário São Camilo Welson Tavares da Silva Novembro 2013 Resumo O presente relato de experiência relata como a Equipe de Educação a Distância

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

Projeto de Design Instrucional

Projeto de Design Instrucional Projeto de Design Instrucional Curso: Educação Financeira Modalidade: EaD on-line o que é Design Instrucional? A ação institucional e sistemática de ensino, que envolve o planejamento, o desenvolvimento

Leia mais

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS 769 SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS Mateus Neves de Matos 1 ; João Carlos Nunes Bittencourt 2 ; DelmarBroglio Carvalho 3 1. Bolsista PIBIC FAPESB-UEFS, Graduando em Engenharia de

Leia mais

DESAFIO ETAPA 1 Passo 1

DESAFIO ETAPA 1 Passo 1 DESAFIO Um dos maiores avanços percebidos pela área de qualidade de software foi comprovar que a qualidade de um produto final (software) é uma consequência do processo pelo qual esse software foi desenvolvido.

Leia mais

A que se propõe? Histórico e Evolução. Funcionalidades. Aplicações Comerciais. Tecnologias Envolvidas. Áreas Afetadas. Bibliografia. A que se propõe?

A que se propõe? Histórico e Evolução. Funcionalidades. Aplicações Comerciais. Tecnologias Envolvidas. Áreas Afetadas. Bibliografia. A que se propõe? O que é? Educação à Distância: [...]a modalidade de educação em que as atividades de ensino-aprendizagem são desenvolvidas majoritariamente (e em bom número de casos exclusivamente) sem que alunos e professores

Leia mais

PLANO DA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM CURSOS TÉCNICOS. Walter André de Almeida Pires. Silveira

PLANO DA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM CURSOS TÉCNICOS. Walter André de Almeida Pires. Silveira PLANO DA SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM CURSOS TÉCNICOS 1. Identificação Curso Técnico em Informática Unidade São José Coordenador da S.A Walter André de Almeida Pires Unidade(s) Curricular(es) Envolvida(s)

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS

ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS RESUMO Este artigo apresenta a especificação de um sistema gerenciador de workflow, o ExPSEE, de acordo com a abordagem de desenvolvimento baseado

Leia mais

SocialNetLab Uma Proposta de Site de Rede Social para Educação

SocialNetLab Uma Proposta de Site de Rede Social para Educação II ENINED - Encontro Nacional de Informática e Educação ISSN:2175-5876 SocialNetLab Uma Proposta de Site de Rede Social para Educação Sandra Costa Pinto Hoentsch, Admilson de Ribamar Lima Ribeiro, Joanna

Leia mais

1. Apresentação. 2. Objetivos

1. Apresentação. 2. Objetivos 1. Apresentação Os cursos de atualização/capacitação de docentes do SENAI têm como função principal preparar profissionais para o exercício da docência na educação profissional e tecnológica, prevendo

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras MBA Gestão em TI Tópicos Especiais Informática Educativa no Brasil Professor: Fernando Zaidan 1 Referências: SANTINELLO, J. Informática educativa no Brasil e ambientes

Leia mais

Ferramenta Web para Gerenciamento da Produção de Objetos de Aprendizagem

Ferramenta Web para Gerenciamento da Produção de Objetos de Aprendizagem Ferramenta Web para Gerenciamento da Produção de Objetos de Aprendizagem Adilson Vahldick 1, 2, José Carlos Knaul 2 1 Departamento de Sistemas de Informação Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E OS AMBIENTES VIRTUAIS DE APREDIZAGEM

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E OS AMBIENTES VIRTUAIS DE APREDIZAGEM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E OS AMBIENTES VIRTUAIS DE APREDIZAGEM Edivan Claudino Soares da Silva RESUMO O presente trabalho é fruto de uma adaptação do seminário de uma disciplina do Mestrado em Educação Brasileira

Leia mais

Programa de Capacitação em Gestão de Projetos e Empreendimentos Criativos Regulamento Etapa 2

Programa de Capacitação em Gestão de Projetos e Empreendimentos Criativos Regulamento Etapa 2 Programa de Capacitação em Gestão de Projetos e Empreendimentos Criativos Etapa 2 1. Apresentação 1.1 O Programa de Capacitação em Projetos e Empreendimentos Criativos é uma iniciativa do Ministério da

Leia mais

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE*

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* 1 O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* Resumo Este trabalho se propõe a analisar o curso de extensão universitária CESB (Curso de Espanhol Básico) para

Leia mais

JOSÉ ERIGLEIDSON DA SILVA Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região

JOSÉ ERIGLEIDSON DA SILVA Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região JOSÉ ERIGLEIDSON DA SILVA Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região Objetivo geral Elaborar um projeto básico de curso on-line Objetivos específicos 1.Aplicar conceitos e fundamentos do DI na concepção

Leia mais

SISTEMA DE MONITORAMENTO VISUAL EM TEMPO REAL PARA OPERAÇÃO REMOTA DE SUBESTAÇÕES DE ENERGIA DA CTEEP

SISTEMA DE MONITORAMENTO VISUAL EM TEMPO REAL PARA OPERAÇÃO REMOTA DE SUBESTAÇÕES DE ENERGIA DA CTEEP SISTEMA DE MONITORAMENTO VISUAL EM TEMPO REAL PARA OPERAÇÃO REMOTA DE SUBESTAÇÕES DE ENERGIA DA CTEEP Autor: Mário Roberto Bastos Cargo: Engenheiro Sênior de Supervisão e Controle Empresa: CTEEP Companhia

Leia mais

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11

Índice. Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4. Primeiros passos com o e-best Learning 6. Actividades e Recursos 11 Índice Parte 1 - Introdução 2 Enquadramento do curso 3 Estrutura Programática 4 Parte 2 Desenvolvimento 5 Primeiros passos com o e-best Learning 6 Como aceder à plataforma e-best Learning?... 6 Depois

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle

Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle No INSEP, o ambiente virtual de aprendizagem oferecido ao acadêmico é o MOODLE. A utilização dessa ferramenta é fundamental para o sucesso das atividades em EAD,

Leia mais

ATA - Exercícios Informática Carlos Viana. 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

ATA - Exercícios Informática Carlos Viana. 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA - Exercícios Informática Carlos Viana 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ATA EXERCÍCIOS CARLOS VIANA 22 - ( ESAF - 2004 - MPU - Técnico Administrativo ) O

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES

DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES DESCRITIVO TÉCNICO INSTALAÇÃO E MANUTENÇÃO DE REDES 39 A, por resolução do seu Comitê Técnico, em acordo com o Estatuto e as Regras da Competição, adotou as exigências mínimas que seguem no tocante a esta

Leia mais

UMA ABORDAGEM PARA GESTÃO DE CONTEÚDOS EDUCACIONAIS

UMA ABORDAGEM PARA GESTÃO DE CONTEÚDOS EDUCACIONAIS UMA ABORDAGEM PARA GESTÃO DE CONTEÚDOS EDUCACIONAIS RESUMO: - PALAVRAS-CHAVES: ABSTRACT: The use of the Web as a platform for distance education (e-learning) has been one of the great alternatives for

Leia mais

Curso de Moodle Recursos Básicos

Curso de Moodle Recursos Básicos Curso de Moodle Recursos Básicos Anderson Ricardo Yanzer Cabral 1, Carlos Mário Dal Col Zeve 2, Christiano Cadoná 3 Curso de Ciência da Computação ULBRA Canoas anderson.yanzer@ulbra.br 1, cadona@ulbra.br

Leia mais

Desenvolvimento de um Framework de Jogos 3D para Celulares

Desenvolvimento de um Framework de Jogos 3D para Celulares Desenvolvimento de um Framework de Jogos 3D para Celulares Fabrício Brasiliense Departamento de Informática e Estatística(INE) Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Campus Universitário Trindade-

Leia mais

Multimídia. Conceitos Básicos (Parte II)

Multimídia. Conceitos Básicos (Parte II) Universidade do Estado de Minas Gerais Campus de Frutal Sistemas de Informação 7º Período Multimídia Conceitos Básicos (Parte II) Prof. Sérgio Carlos Portari Jr profsergio@frutalhost.com.br Carga Horária:

Leia mais

Arquitetura para Adaptação de Cursos na Modalidade de Educação a Distância empregando Objetos de Aprendizagem

Arquitetura para Adaptação de Cursos na Modalidade de Educação a Distância empregando Objetos de Aprendizagem 266 - Encontro Anual de Tecnologia da Informação Arquitetura para Adaptação de Cursos na Modalidade de Educação a Distância empregando Objetos de Aprendizagem Naidú Gasparetto de Souza1, Sidnei Renato

Leia mais

Engenharia de Sistemas Computacionais

Engenharia de Sistemas Computacionais Engenharia de Sistemas Detalhes no planejamento UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Curso de Ciência da Computação Engenharia de Software I Prof. Rômulo Nunes de Oliveira Introdução Na aplicação de um sistema

Leia mais

ADAPTANDO UMA APLICAÇÃO PARA CLOUD: UMA ANÁLISE ENTRE OS ESFORÇOS UTILIZADOS

ADAPTANDO UMA APLICAÇÃO PARA CLOUD: UMA ANÁLISE ENTRE OS ESFORÇOS UTILIZADOS ADAPTANDO UMA APLICAÇÃO PARA CLOUD: UMA ANÁLISE ENTRE OS ESFORÇOS UTILIZADOS Cleverson Nascimento de Mello¹, Claudete Werner¹, Gabriel Costa Silva² ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA EDUCAÇÃO ONLINE NA UNIVERSIDADE GUARULHOS (UNG)

IMPLANTAÇÃO DA EDUCAÇÃO ONLINE NA UNIVERSIDADE GUARULHOS (UNG) IMPLANTAÇÃO DA EDUCAÇÃO ONLINE NA UNIVERSIDADE GUARULHOS (UNG) Maio/2007 Arnaldo Turuo Ono Universidade Guarulhos - aono@ung.br Fabio Henrique Bei Universidade Guarulhos - fbei@prof.ung.br Maurício Garcia

Leia mais

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para:

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: Técnico em Informática na Formação de Instrutores Carga Horária: 1000 horas Estágio Curricular:

Leia mais