Segurança e Escalabilidade em WebLab no Domínio de Redes de Computadores

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Segurança e Escalabilidade em WebLab no Domínio de Redes de Computadores"

Transcrição

1 Segurança e Escalabilidade em WebLab no Domínio de Redes de Computadores Autor: Daniel Vieira de Souza 1, Orientador: Luís Fernando Faina 1 1 Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação Universidade Federal do Uberlândia (UFU) Uberlândia MG Brasil Nível: Mestrado Ano de ingresso no programa: 2008 Época esperada de conclusão: Agosto / 2010 Resumo. Este trabalho apresenta um NetLab WebLab para o domínio de Redes de Computadores. É apresentado uma arquitetura com suporte a carga de Módulos Dinâmicos (OSGi) e Serviços Web seguindo os princípios de REST, tendo como requisito uma melhor escalabilidade e disponibilidade de serviços. Os experimentos são criados na forma de módulos, e estes são disponibilizados para NetLab em tempo de execução. Para validar essa nova arquitetura um novo experimento de configuração de VLAN foi criado, este experimento permite a criação/alteração de VLANs nos hosts do NetLab. Palavras-Chave. WebLab, NetLab, REST, Web Service, VLAN, OSGi

2 1. Introdução Laboratório de acesso remoto, também conhecido como WebLab, fornece acesso aos alunos a uma infraestrutura composta por hardware e software, permitindo a execução de experimentos que manipulam equipamentos reais, através da internet. Os experimentos são disponibilizados para os alunos em interfaces gráficas, que são executadas na máquina do aluno como aplicações clientes, sendo assim, o aluno não necessita de acesso físico para executar o experimento no laboratório. O acesso ao NetLab é controlado por uma sessão de acesso, sendo necessário a autenticação do aluno, ao autenticar, o aluno poderá reservar um experimento ou, caso já tenha reservado, poderá executa-lo, uma vez que esteja no horário reservado. A autenticação, reservas e controle de acesso utiliza como modelo o projeto GigaBOT [Coelho et al. 2007]. O NetLab é um laboratório remoto para o domínio de redes de computadores que utiliza o paradigma de Arquitetura Orientada a Serviços como solução de integração entre as aplicações remotamente distribuídas [Rocha 2009]. O desafio do NetLab esta na disponibilização de experimentos que supram a necessidade do aluno de ter acesso físico ao laboratório, por isso, quanto maior o número de experimentos, menor será a necessidade de acesso físico. Em consequência de um maior número de experimentos disponibilizados remotamente, maior será o acesso ao NetLab, dessa forma a disponibilidade, então, passa a ser de fundamental importância. 2. Caracterização do Problema O WebLab apresentado por [Rocha 2009] e [Farias 2008] permite a execução de serviços web utilizando um protocolo que necessita de maior processamento, tanto no cliente quando no servidor, pois, os dados necessários para a execução do serviço são encapsulados em um envelope pela aplicação cliente, e no servidor, ao receber essa requisição a aplicação servidora para ter acesso aos dados deve abrir o envelope. A criação do envelope no cliente e a abertura do mesmo no servidor consomem recursos em ambos os lados, além de aumentar o overhead nos dados transmitidos pela rede. Ainda, esse WebLab é disponibilizado com uma aplicação Web, dessa forma sempre que uma nova versão é disponibilizada, os experimentos que estão sendo executados naquele momento podem param de funcionar, sendo este um problema de disponibilidade.

3 3. Caracterização da Contribuição Para solucionar os problemas apresentados no tópico anterior, a arquitetura do NetLab foi modificada para suporta um novo protocolo de comunicação entre a aplicação cliente e o servidor na forma de um serviço Web. Essa nova arquitetura da suporte a carga de módulos dinâmicos, com isso, não será necessário disponibilizar a aplicação Web no servidor quando houver alterações em algum experimento, pois como o suporte a módulos dinâmicos os experimentos serão disponibilizados na forma de módulos, onde esses módulos podem ser disponibilizados, removidos ou atualizados em tempo de execução, independente da aplicação Web do NetLab. Para utilizar essa nova arquitetura e disponibilizar mais experimentos para o NetLab, mais um experimentos foi definido, esse experimento permite o aluno configurar VLANs (Virtual Local Area Network) no domínio do NetLab. A configuração de VLANs permite ao aluno criar quantas redes forem necessárias (limitado ao número de máquinas que fazem parte do NetLab) para a execução do experimento. A arquitetura anterior do NetLab foi mantida para que os experimentos criados nesta continuem funcionando, dessa forma a migração será transparente a medida que novos experimentos forem criados com a nova arquitetura. 4. Estado Atual do Trabalho O trabalho encontra em fase de pesquisa e implementação da nova arquitetura, uma vez que esta já foi definida, o suporte a execuções de Serviços Web seguindo o estilo REST já foi implementado, sendo uma alternativa ao utilizado na arquitetura anterior o SOAP, sendo que para isso, toda infra-estrutura do NetLab já foi montada. 5. Trabalhos Relacionados WebLabs em sua grande maioria são voltados para área de robótica ou eletrônica, poucos são os WebLabs para redes de computadores, os trabalhos apresentados abaixo foram selecionados devido as suas características de serem orientados a serviços, o que permite a execução de seus experimentos através de chamadas de serviços web ILab MIT (Massachusetts Institute of Technology) ILab [MIT 2009] é um projeto do MIT que permite a criação de laboratórios reais acessíveis pela internet através de um navegador. Foi um dos primeiros WebLabs a utilizar serviços web

4 para execução de experimentos. O ILab conta com um Framework que separa em três módulos que são inter-conectados através de serviços, esses módulos são divididos de acordo com suas características: Lab Server, controlado pelo administrador do laboratório é responsável pelo funcionamento real do hardware; Lab Client, é executado no computador do usuário e fornece a interface para a execução do laboratório; Service Broker, responsável por intermediar a comunicação do Lab Client e o Lab Server Gigabot O projeto GigaBOT - Laboratórios de Acesso Remoto Sobre Redes Avançadas é um projeto de estudo em Aplicações Multimídia de Tempo Real em Redes Avançadas (Serviços e Aplicações Científicas) e Gerenciamento de Redes Avançadas (Protocolos e Serviços de Rede). Foi proposto pela Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) por meio da Fundação de Desenvolvimento da Unicamp (FUNCAMP) e é coordenado pelo Prof. Dr. Eleri Cardozo. [Coelho 2006] A arquitetura do GigaBOT fornece toda a estrutura para criação de WebLabs, contendo o controle de acesso, autorização, agendamento e manutenção no laboratório, já utilizando a Arquitetura Orientada a Serviço (SOA). A arquitetura utiliza serviços Web classificados em três categorias conforme apresentado por [Farias 2008]: Serviço de acesso, é responsável pelo gerenciamento de usuários, grupo permissões, recursos, experimentos, WebLab, controle de acesso e autenticação; Serviço de interação, responsável pela execução remota do experimento, oferecendo interfaces para manipulação de recursos e ferramentas necessárias para execução dos experimentos; Serviço de comunicação, suportam os diversos estilos de comunicação 1-n, tais como comunicação multimídia em tempo real, notificação assíncrona de eventos, comunicação em grupos e difusão de mensagens WebLab no Domínio de Redes de Computadores Tendo como base o WebLab GigaBOT [Rocha 2009] apresenta um WebLab para o domínio de redes de computadores, o modelo apresentado segue a Arquitetura Orientada a Serviços (SOA)

5 e utiliza toda a base do GigaBOT para disponibilizar experimentos voltados a redes de computadores. Os experimentos apresentados por [Rocha 2009] foram resultados da composição de alguns serviços já existentes que foram criados por [Farias 2008] que também tem como base GigaBOT. 6. Avaliação dos Resultados O trabalho encontra-se em andamento e ainda não é possível a avaliação dos resultados. References E. (2007). Um framework para web labs soa aplicado em um domínio de serviços diferenciados. XVIII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação - SBIE E. (2008a). Arquitetura para Experimentos DiffServ em Web Labs utilizando Web Services. III Congresso de Pesquisa e Inovação da Rede Norte Nordeste de Educação Tecnológica - CONNEPI E. (2008b). NetLab WebLab: Um Laboratório Remoto de Redes para Experimentos Diff- Serv. In Revista Hífen, volume 32. PUCRS - Uruguaiana - RS. ISSN SIMS2008. E. (2008c). Uma Proposta de Arquitetura para Experimentos DiffServ em Web Labs. XXXIV Conferência Latinoamericana de Informática. Santa Fé - Argentina. CLEI2008. Agrawal, A. and Srivastava, S. (2007). Weblab: A generic architecture for remote laboratories. In Advanced Computing and Communications, ADCOM International Conference on, pages Coelho, P., Sassi, R., Cardozo, E., Guimaraes, E., Faina, L., Lima, A., and Pinto, R. (2007). A web lab for mobile robotics education. Coelho, P. R. S. L. (2006). Uma arquitetura orientada a serviços para laboratórios de acesso remoto. Master s thesis, Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação.

6 Farias, A. F. (2008). Laboratório de experimentação remota para ensino de redes de computadores. Master s thesis, Universidade Federal de Uberlândia - UFU Faculdade de Computação. Fielding, R. T. (2000). Architectural styles and the design of network-based software architectures. PhD thesis. Chair-Taylor, Richard N. MIT (2009). Ilab. Disponível em 01/10/2009. OSGi, A. (2009). Osgi technology. Disponível em 09/09/2009. Rocha, L. A. (2009). Weblab soa no domínio de redes de computadores para experimentos diffserv. Master s thesis, Universidade Federal de Uberlândia - UFU Faculdade de Computação.

Laboratório Remoto de Redes de Computadores para experimentos DiffServ

Laboratório Remoto de Redes de Computadores para experimentos DiffServ Laboratório Remoto de Redes de Computadores para experimentos DiffServ Autor: Lucio Agostinho Rocha 1, Orientador: Luís Fernando Faina 1 1 Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação Universidade

Leia mais

Padrões Arquiteturais e de Integração - Parte 1

Padrões Arquiteturais e de Integração - Parte 1 1 / 58 - Parte 1 Erick Nilsen Pereira de Souza T017 - Arquitetura e Design de Aplicações Análise e Desenvolvimento de Sistemas Universidade de Fortaleza - UNIFOR 11 de fevereiro de 2015 2 / 58 Agenda Tópicos

Leia mais

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina X-015 - MONITORAMENTO VIA INTERNET DE UMA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO SANITÁRIO TIPO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de

Leia mais

Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor

Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor Introdução ao Modelos de Duas Camadas Cliente Servidor Desenvolvimento de Sistemas Cliente Servidor Prof. Esp. MBA Heuber G. F. Lima Aula 1 Ciclo de Vida Clássico Aonde estamos? Page 2 Análise O que fizemos

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS

SISTEMAS DISTRIBUÍDOS SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Cluster, Grid e computação em nuvem Slide 8 Nielsen C. Damasceno Introdução Inicialmente, os ambientes distribuídos eram formados através de um cluster. Com o avanço das tecnologias

Leia mais

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com. Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.br 08/2014 Agenda Introdução Conceitos Web Service Por que utilizar

Leia mais

Luís Fernando Faina. Nome. Nome em citações bibliográficas. Sexo. Endereço profissional

Luís Fernando Faina. Nome. Nome em citações bibliográficas. Sexo. Endereço profissional Luís Fernando Faina possui graduação em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Uberlândia (1987), mestrado em Engenharia Eletrônica e Computação pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (1990)

Leia mais

Uma Arquitetura com Suporte a Módulos Dinâmicos para WebLab no Domínio de Redes de Computadores

Uma Arquitetura com Suporte a Módulos Dinâmicos para WebLab no Domínio de Redes de Computadores Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação Uma Arquitetura com Suporte a Módulos Dinâmicos para WebLab no Domínio de Redes de Computadores Autor: Daniel Vieira de Souza Orientador: Prof.

Leia mais

1 http://www.google.com

1 http://www.google.com 1 Introdução A computação em grade se caracteriza pelo uso de recursos computacionais distribuídos em várias redes. Os diversos nós contribuem com capacidade de processamento, armazenamento de dados ou

Leia mais

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Resumo. Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Autor: Danilo Humberto Dias Santos Orientador: Walteno Martins Parreira Júnior Bacharelado em Engenharia da Computação

Leia mais

Engenharia de Requisitos

Engenharia de Requisitos 1 Engenharia de Requisitos Gerenciamento de Requisitos Prof Ms Vinícius Costa de Souza www.inf.unisinos.br/~vinicius 2 Agenda Introdução Requisitos voláteis x estáveis Identificação Armazenamento Gerenciamento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

Arquitetura de Sistemas Distribuídos. Introdução a Sistemas Distribuídos

Arquitetura de Sistemas Distribuídos. Introdução a Sistemas Distribuídos Introdução a Sistemas Distribuídos Definição: "Um sistema distribuído é uma coleção de computadores autônomos conectados por uma rede e equipados com um sistema de software distribuído." "Um sistema distribuído

Leia mais

CoNaIISI 2014 2º Congresso Nacional de Engenharia Informática / Sistemas de Informação

CoNaIISI 2014 2º Congresso Nacional de Engenharia Informática / Sistemas de Informação CoNaIISI 2014 2º Congresso Nacional de Engenharia Informática / Sistemas de Informação San Luis, 13 y 14 de Novembro de 2014 CHAMADA PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS O CoNaIISI é organizado pela rede de

Leia mais

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE

CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE CAPITULO 4 A ARQUITETURA LÓGICA PARA O AMBIENTE A proposta para o ambiente apresentada neste trabalho é baseada no conjunto de requisitos levantados no capítulo anterior. Este levantamento, sugere uma

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Modelo Cliente-Servidor: Introdução aos tipos de servidores e clientes Prof. MSc. Hugo Souza Iniciando o módulo 03 da primeira unidade, iremos abordar sobre o Modelo Cliente-Servidor

Leia mais

Web Services. (Introdução)

Web Services. (Introdução) Web Services (Introdução) Agenda Introdução SOA (Service Oriented Architecture) Web Services Arquitetura XML SOAP WSDL UDDI Conclusão Introdução Comunicação distribuída Estratégias que permitem a comunicação

Leia mais

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless)

Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless) Política de Utilização da Rede Sem Fio (Wireless) UNISC Setor de Informática/Redes Atualizado em 22/07/2008 1. Definição Uma rede sem fio (Wireless) significa que é possível uma transmissão de dados via

Leia mais

Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008

Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008 Quarta-feira, 09 de janeiro de 2008 ÍNDICE 3 4 RECOMENDAÇÕES DE HARDWARE PARA O TRACEGP TRACEMONITOR - ATUALIZAÇÃO E VALIDAÇÃO DE LICENÇAS 2 1. Recomendações de Hardware para Instalação do TraceGP Este

Leia mais

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA PROJETO SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO ALUNO RICARDO CARDOSO TERZELLA

Leia mais

O que é Grid Computing

O que é Grid Computing Grid Computing Agenda O que é Grid Computing Grid vs Cluster Benefícios Tipos de Grid Aplicações Ferramentas e padrões Exemplos no mundo Exemplos no Brasil Grid no mundo dos negócios Futuro O que é Grid

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Service Oriented Architecture (SOA)

Service Oriented Architecture (SOA) São Paulo, 2011 Universidade Paulista (UNIP) Service Oriented Architecture (SOA) Prof. MSc. Vladimir Camelo vladimir.professor@gmail.com 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com 1 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com

Leia mais

Manual de Usuário. Gestion Libre de Parc Informatique (Gestão Livre de Parque de Informática) Versão 1.1 NRC

Manual de Usuário. Gestion Libre de Parc Informatique (Gestão Livre de Parque de Informática) Versão 1.1 NRC Manual de Usuário Gestion Libre de Parc Informatique (Gestão Livre de Parque de Informática) Versão 1.1 NRC Manual do Usuário GLPI 1. Introdução 3 2. Acessando o GLPI 4 3. Entendendo o processo de atendimento

Leia mais

OpenFlow: abrindo portas para inovações nas redes de nossos campi

OpenFlow: abrindo portas para inovações nas redes de nossos campi 1 OpenFlow: abrindo portas para inovações nas redes de nossos campi Leandro Haruo Aoyagi Universidade Federal de São Carlos, Campus Sorocaba Sorocaba, São Paulo Email: aoyagi.haruo@gmail.com Resumo A comunidade

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade PROJETO NOVAS FRONTEIRAS PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE QUALITY MANAGEMENT PLAN Preparado por Mara Lúcia Menezes Membro do Time Versão 3 Aprovado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do Projeto 15/11/2010

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA em Gestão da Tecnologia da Informação

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA em Gestão da Tecnologia da Informação FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA em Gestão da Tecnologia da Informação 1 Ruironaldi dos Santos Cruz ARTIGO ARQUITETURA ORIENTADA A SERVIÇO SOA SERVICE

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Marco T. A. Rodrigues*, Paulo E. M. de Almeida* *Departamento de Recursos em Informática Centro Federal de Educação Tecnológica de

Leia mais

MÓDULOS DE REGISTRO DE PARA ÓRGÃOS PÚBLICOS

MÓDULOS DE REGISTRO DE PARA ÓRGÃOS PÚBLICOS MÓDULOS DE REGISTRO DE ABASTECIMENTO DE VEÍCULOS INTEGRADOS PARA ÓRGÃOS PÚBLICOS Gabriel Vieira Orientador: Prof. Jacques Robert Heckmann Roteiro de apresentação 1. Introdução e objetivos 2. Fundamentação

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Aula 2 Msc. Daniele Carvalho Oliveira Doutoranda em Ciência da Computação - UFU Mestre em Ciência da Computação UFU Bacharel em Ciência da Computação - UFJF Por que definir uma arquitetura?

Leia mais

AMBIENTE VIRTUAL DE APOIO AO ALUNO Pesquisa em andamento: resultados preliminares

AMBIENTE VIRTUAL DE APOIO AO ALUNO Pesquisa em andamento: resultados preliminares AMBIENTE VIRTUAL DE APOIO AO ALUNO Pesquisa em andamento: resultados preliminares Denis Lacerda Paes 1 ; Angelo Augusto Frozza 2 RESUMO O trabalho apresentado visa desenvolver uma aplicação baseada em

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário

SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário SISTEMA DE ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS DE INFORMÁTICA GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário Setor de Tecnologia da Informação 2012 AUTORES Aurélio Ricardo Batú Maicá Laura

Leia mais

Índice. Para encerrar um atendimento (suporte)... 17. Conversa... 17. Adicionar Pessoa (na mesma conversa)... 20

Índice. Para encerrar um atendimento (suporte)... 17. Conversa... 17. Adicionar Pessoa (na mesma conversa)... 20 Guia de utilização Índice Introdução... 3 O que é o sistema BlueTalk... 3 Quem vai utilizar?... 3 A utilização do BlueTalk pelo estagiário do Programa Acessa Escola... 5 A arquitetura do sistema BlueTalk...

Leia mais

Controle de robôs industriais via Labview

Controle de robôs industriais via Labview Leonel Lopes Lima Neto Instituto Tecnológico de Aeronáutica Rua H20B, casa, nº 114, Campus do CTA São José dos Campos São Paulo 12.228-460 Bolsista PIBIC-CNPq leonel@aluno.ita.br Emilia Villani Instituto

Leia mais

SISTEMA PARA ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário

SISTEMA PARA ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário SISTEMA PARA ABERTURA DE CHAMADOS TÉCNICOS GLPI ( GESTÃO LIVRE DE PARQUE DE INFORMÁTICA ) Manual do Usuário 1 Apresentação... 3 1- Introdução... 4 2- Acessando GLPI:... 5 3- Abrindo chamado:... 6 3.1-

Leia mais

Projeto: Sistema de Gestão S.G.

Projeto: Sistema de Gestão S.G. Projeto: Sistema de Gestão S.G. Universidade Federal de Uberlândia 1/11 Histórico de revisão Versão 1.0 Data Ve rsão Descrição Autores 012 09/07/2 1.0 Descrição do Projeto de desenvolvimento do Sistema

Leia mais

EXIN Cloud Computing Fundamentos

EXIN Cloud Computing Fundamentos Exame Simulado EXIN Cloud Computing Fundamentos Edição Maio 2013 Copyright 2013 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

7 Utilização do Mobile Social Gateway

7 Utilização do Mobile Social Gateway 7 Utilização do Mobile Social Gateway Existem três atores envolvidos na arquitetura do Mobile Social Gateway: desenvolvedor do framework MoSoGw: é o responsável pelo desenvolvimento de novas features,

Leia mais

VIRNA. Virtualizador Nacional

VIRNA. Virtualizador Nacional 1 VIRNA Virtualizador Nacional 2 Sumário Introdução Histórico Contextualização Visão Geral Metáfora do Videogame Termos e Conceitos Funcionamento Visão Geral do Emprego Evolução Benefícios e Necessidades

Leia mais

Cloud Computing. Andrêza Leite. andreza.lba@gmail.com

Cloud Computing. Andrêza Leite. andreza.lba@gmail.com Cloud Computing Andrêza Leite andreza.lba@gmail.com Roteiro O que é cloud computing? Classificação O que está 'por traz' da cloud? Exemplos Como montar a sua? O que é cloud computing? Cloud Computing O

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE UM AMBIENTE DE ALTA DISPONIBILIDADE DE REDE E MONITORAÇÃO DINÂMICA DE INFRAESTRUTURA EM SERVIDORES WEB.

IMPLANTAÇÃO DE UM AMBIENTE DE ALTA DISPONIBILIDADE DE REDE E MONITORAÇÃO DINÂMICA DE INFRAESTRUTURA EM SERVIDORES WEB. IMPLANTAÇÃO DE UM AMBIENTE DE ALTA DISPONIBILIDADE DE REDE E MONITORAÇÃO DINÂMICA DE INFRAESTRUTURA EM SERVIDORES WEB. Marllus de Melo Lustosa (bolsista do PIBIC/UFPI), Luiz Cláudio Demes da Mata Sousa

Leia mais

Rede de Laboratórios de Produtividade de Software

Rede de Laboratórios de Produtividade de Software Rede de Laboratórios de Produtividade de Software Testes em aplicações WEB Uma Visão Geral Programa de Capacitação em Testes de Software Desktop system WEB system Ambiente de aplicativo da Web Rede de

Leia mais

Sistemas Operacionais II. Prof. Gleison Batista de Sousa

Sistemas Operacionais II. Prof. Gleison Batista de Sousa Sistemas Operacionais II Prof. Gleison Batista de Sousa Objetivos de aprendizagem Conhecer o funcionamento dos sistemas operacionais para redes de computadores. Aprender como é feito o gerenciamento do

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: ETEC PROF MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional: Habilitação Profissional

Leia mais

CORPVS SEGURANÇA SETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

CORPVS SEGURANÇA SETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CORPVS SEGURANÇA SETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ACESSO GLPI ABERTURA E ACOMPANHAMENTO DE CHAMADOS NO SERVICE DESK DATA: 1 0 /0 9 /201 5 VERSÃO: 1.0 AUTOR: Italo Rocha APROVADOR: Raphael Dantas Introdução

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALFENAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Estágio Curricular Tiago Silveira Sumário Identificação... 3 Estagiário... 3 Estágio... 3 Objeto de Estudo...

Leia mais

AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0

AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0 AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0 SUMÁRIO 1 Conceitos Básicos... 3 1.1 O que é Software?... 3 1.2 Situações Críticas no desenvolvimento

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMA OPERACIONAL DE REDE (AULA 1)

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMA OPERACIONAL DE REDE (AULA 1) Prof. Breno Leonardo Gomes de Menezes Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMA OPERACIONAL DE REDE (AULA 1) Administração A palavra administração vem do latim

Leia mais

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais.

Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Desenvolvimento de um CMS 1 para a criação e publicação de web sites acessíveis por deficientes visuais. Tales Henrique José MOREIRA 1 ; Gabriel da SILVA 2 ; 1 Estudante de Tecnologia em Sistemas para

Leia mais

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC

Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação. Comissão de Curso e NDE do BCC Projeto Pedagógico do Bacharelado em Ciência da Computação Comissão de Curso e NDE do BCC Fevereiro de 2015 Situação Legal do Curso Criação: Resolução CONSU no. 43, de 04/07/2007. Autorização: Portaria

Leia mais

CONCEITOS E APLICAÇÕES DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM

CONCEITOS E APLICAÇÕES DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM CONCEITOS E APLICAÇÕES DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM Rogério Schueroff Vandresen¹, Willian Barbosa Magalhães¹ ¹Universidade Paranaense(UNIPAR) Paranavaí-PR-Brasil rogeriovandresen@gmail.com, wmagalhaes@unipar.br

Leia mais

Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página

Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento. Associação dos Instrutores NetAcademy - Julho de 2007 - Página Capítulo 9 - Conjunto de Protocolos TCP/IP e Endereçamento IP 1 História e Futuro do TCP/IP O modelo de referência TCP/IP foi desenvolvido pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD). O DoD exigia

Leia mais

SOA Introdução. SOA Visão Departamental das Organizações

SOA Introdução. SOA Visão Departamental das Organizações 1 Introdução A Organização é a forma pela qual nós coordenamos nossos recursos de todos os tipos para realizar o trabalho que nos propusemos a fazer. A estrutura de nossas organizações manteve-se basicamente

Leia mais

Desenvolvimento de um Web Lab SOA no Domínio de Redes de Computadores

Desenvolvimento de um Web Lab SOA no Domínio de Redes de Computadores Universidade Federal de Uberlândia - UFU Faculdade de Computação - FACOM Desenvolvimento de um Web Lab SOA no Domínio de Redes de Computadores Autor: Adriano Fiad Farias Orientador: Prof. Dr. Luís Fernando

Leia mais

MODELO CLIENTE SERVIDOR

MODELO CLIENTE SERVIDOR SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Modelo Cliente Servidor Modelo que estrutura um S.O. como um grupo de processos cooperantes, chamados servidores, que oferecem serviços a processos usuários, denominados clientes;

Leia mais

Grécia Um Framework para gerenciamento de eventos científicos acadêmicos utilizando componentes

Grécia Um Framework para gerenciamento de eventos científicos acadêmicos utilizando componentes Grécia Um Framework para gerenciamento de eventos científicos acadêmicos utilizando componentes Resumo Este trabalho apresenta uma infra-estrutura para gerenciamento de eventos científicos acadêmicos na

Leia mais

Aranda INVENTORY. Benefícios Estratégicos para sua Organização. (Standard & Plus Edition) Beneficios. Características V.2.0907

Aranda INVENTORY. Benefícios Estratégicos para sua Organização. (Standard & Plus Edition) Beneficios. Características V.2.0907 Uma ferramenta de inventario que automatiza o cadastro de ativos informáticos em detalhe e reporta qualquer troca de hardware ou software mediante a geração de alarmes. Beneficios Informação atualizada

Leia mais

FileMaker Pro 12. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o

FileMaker Pro 12. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 12 Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 12 2007 2012 FileMaker Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara,

Leia mais

Uma Proposta de Sistema de Informação para o Gerenciamento de Serviços de Telessaúde

Uma Proposta de Sistema de Informação para o Gerenciamento de Serviços de Telessaúde Uma Proposta de Sistema de Informação para o Gerenciamento de Serviços de Telessaúde Autores: Fabrício da Costa Dias, Eduardo Ribas Pinto, Alexandre José Henrique de Oliveira Luna, Marcello Ramalho de

Leia mais

Índice. Mamut Gravador Telefônico Digital MGC Manual de Instalação Procedimento de Instalação do Gravador Digital Mamut. V 1.0

Índice. Mamut Gravador Telefônico Digital MGC Manual de Instalação Procedimento de Instalação do Gravador Digital Mamut. V 1.0 Procedimento de Instalação do Gravador Digital Mamut. V 1.0 Índice 1- Preparação da CPU para o funcionamento do Gravador Digital Mamut 1.1 - Preparação da CPU 1.2 - Instalação do Firebird 2 - Instalação

Leia mais

Satélite. Manual de instalação e configuração. CENPECT Informática www.cenpect.com.br cenpect@cenpect.com.br

Satélite. Manual de instalação e configuração. CENPECT Informática www.cenpect.com.br cenpect@cenpect.com.br Satélite Manual de instalação e configuração CENPECT Informática www.cenpect.com.br cenpect@cenpect.com.br Índice Índice 1.Informações gerais 1.1.Sobre este manual 1.2.Visão geral do sistema 1.3.História

Leia mais

Service Oriented Architecture SOA

Service Oriented Architecture SOA Service Oriented Architecture SOA Arquitetura orientada aos serviços Definição: Arquitetura de sistemas distribuídos em que a funcionalidade é disponibilizada sob a forma de serviços (bem definidos e independentes)

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Sistemas Distribuídos Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Processos- Clientes, Servidores, Migração Capítulo 3 Agenda Clientes Interfaces de usuário em rede Sistema X Window Software do lado cliente para

Leia mais

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Uma poderosa ferramenta de monitoramento Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Abril de 2008 O que é? Características Requisitos Componentes Visual O que é?

Leia mais

WebLab SOA no Domínio de Redes de Computadores para Experimentos DiffServ

WebLab SOA no Domínio de Redes de Computadores para Experimentos DiffServ Universidade Federal de Uberlândia- UFU Faculdade de Computação- FACOM WebLab SOA no Domínio de Redes de Computadores para Experimentos DiffServ Autor: Lucio Agostinho Rocha Orientador: Prof. Dr. Luís

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Pesquisa sobre Ensino de IHC 2010-2012. Clodis Milene Raquel Sílvia Simone

Pesquisa sobre Ensino de IHC 2010-2012. Clodis Milene Raquel Sílvia Simone Pesquisa sobre Ensino de IHC 2010-2012 Clodis Milene Raquel Sílvia Simone 1 abril a junho de 2013 75 respondentes válidos cursos: graduação pós-graduação stricto sensu pós-graduação lato sensu avulsos

Leia mais

Proposta para Grupo de Trabalho. GT TV Grupo de Trabalho de TV Digital

Proposta para Grupo de Trabalho. GT TV Grupo de Trabalho de TV Digital Proposta para Grupo de Trabalho GT TV Grupo de Trabalho de TV Digital Guido Lemos de Souza Filho 10/09/2005 1. Título GT TV Grupo de Trabalho de TV Digital 2. Coordenador Guido Lemos de Souza Filho guido@lavid.ufpb.br

Leia mais

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 60 h 1º Evolução histórica dos computadores. Aspectos de hardware: conceitos básicos de CPU, memórias,

Leia mais

Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo

Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo Equivalências: Curso Sistemas de Informação (21806) Observação: A está CONTIDA em B B é SUBSTITUTA de A A é EQUIVALENTE de B 1º PERÍODO Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Conclusão

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) SISTEMAS PARA INTERNET INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo

Leia mais

TCM Informática Rua Senador Ivo D'Aquino, 121 Bairro: Lagoa da Conceição 88062-050 Florianópolis, SC Brasil Fone +55 48 3334-8877 Fax +55 48

TCM Informática Rua Senador Ivo D'Aquino, 121 Bairro: Lagoa da Conceição 88062-050 Florianópolis, SC Brasil Fone +55 48 3334-8877 Fax +55 48 1 Controle de licenças: As licenças de acesso ao Sistema Esmeralda Visual são controladas por acesso simultâneo dos usuários, não estando vinculadas ao computador. Pode-se acessar o Sistema Esmeralda Visual

Leia mais

GT-ATER: Aceleração do Transporte de Dados com o Emprego de Redes de Circuitos Dinâmicos. RP1 - Relatório de detalhamento das atividades

GT-ATER: Aceleração do Transporte de Dados com o Emprego de Redes de Circuitos Dinâmicos. RP1 - Relatório de detalhamento das atividades GT-ATER: Aceleração do Transporte de Dados com o Emprego de Redes de Circuitos Dinâmicos RP1 - Relatório de detalhamento das atividades Marcelo Akira Inuzuka Mário Augusto da Cruz Micael Oliveira Massula

Leia mais

Integrade V0.2: Mudanças na Arquitetura e Adaptação de Bibliotecas para Computação Paralela no Integrade

Integrade V0.2: Mudanças na Arquitetura e Adaptação de Bibliotecas para Computação Paralela no Integrade Integrade V0.2: Mudanças na Arquitetura e Adaptação de Bibliotecas para Computação Paralela no Integrade Marcelo de Castro Caredoso Bolsista DTI-H e Mestrando Agenda Integrade V0.2 Mudanças na Arquitetura

Leia mais

Projeto Arquitetural do IEmbedded

Projeto Arquitetural do IEmbedded Universidade Federal de Campina Grande Centro de Engenharia Elétrica e Informática Departamento de Sistemas e Computação Disciplina: Projeto I Professora: Francilene Garcia Equipe: Carolina Nogueira de

Leia mais

gladiador INTERNET CONTROLADA

gladiador INTERNET CONTROLADA gladiador INTERNET CONTROLADA funcionalidades do sistema gladiador sistema Gerenciamento de usuários, gerenciamento de discos, data e hora do sistema, backup gladiador. Estações de Trabalho Mapeamento

Leia mais

Arquitetura Orientada a Serviço

Arquitetura Orientada a Serviço Arquitetura Orientada a Fabio Perez Marzullo IEEE Body of Knowledge on Services Computing Sponsored by Technical Committee on Services Computing, IEEE Computer Society 1 SOA e Web Services SOA é um modelo

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008.

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. Título: Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Turno: Noturno

Leia mais

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE INTRODUÇÃO (KUROSE) A Camada de Rede é uma peça central da arquitetura de rede em camadas A sua função é a de fornecer serviços de comunicação diretamente aos processos

Leia mais

ADAPTAÇÃO: Diogo Victor Gonçalves Mancini Robert Bonifácio da Rocha

ADAPTAÇÃO: Diogo Victor Gonçalves Mancini Robert Bonifácio da Rocha ADAPTAÇÃO: Diogo Victor Gonçalves Mancini Robert Bonifácio da Rocha 1 SUMÁRIO: Apresentação...3 Introdução...5 Acessando GLPI...6 Abrindo chamado...8 Anexando arquivo a um chamado...9 Acompanhamento de

Leia mais

FileMaker Pro 13. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 13

FileMaker Pro 13. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 13 FileMaker Pro 13 Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 13 2007-2013 FileMaker Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara,

Leia mais

Kassius Vargas Prestes

Kassius Vargas Prestes Kassius Vargas Prestes Agenda 1. Introdução Web Services 2. XML, SOAP 3. Apache Tomcat 4. Axis 5. Instalação Tomcat e Axis 6. Criação de um Web Service 7. Criação de um cliente Baixar http://www.inf.ufrgs.br/~kvprestes/webservices/

Leia mais

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS

PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS Aulas : Terças e Quintas Horário: AB Noite [18:30 20:20hs] PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE INTRANETS 1 Conteúdo O que Rede? Conceito; Como Surgiu? Objetivo; Evolução Tipos de

Leia mais

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Segurança Internet Fernando Albuquerque fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Tópicos Introdução Autenticação Controle da configuração Registro dos acessos Firewalls Backups

Leia mais

The Eucalyptus Open- source Cloud-computing System. Janaina Siqueira Lara Wilpert Marcelo Scheidt Renata Silva

The Eucalyptus Open- source Cloud-computing System. Janaina Siqueira Lara Wilpert Marcelo Scheidt Renata Silva The Eucalyptus Open- source Cloud-computing System Janaina Siqueira Lara Wilpert Marcelo Scheidt Renata Silva Sumário Introdução Trabalhos Correlatos Eucalyptus Design Conclusões Visão Geral Introdução:

Leia mais

Documento de Análise e Projeto VideoSystem

Documento de Análise e Projeto VideoSystem Documento de Análise e Projeto VideoSystem Versão Data Versão Descrição Autor 20/10/2009 1.0 21/10/2009 1.0 05/11/2009 1.1 Definição inicial do documento de análise e projeto Revisão do documento

Leia mais

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO E ESCRITÓRIO MULTIMÍDIA DO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO - UNIR - CACOAL

REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO E ESCRITÓRIO MULTIMÍDIA DO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO - UNIR - CACOAL REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DIDÁTICO DE PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO E ESCRITÓRIO MULTIMÍDIA DO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ADMINISTRAÇÃO - UNIR - CACOAL TÍTULO I - DO LABORATÓRIO DIDÁTICO CAPÍTULO I - DA ORGANIZAÇÃO

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E ANALISTA (EXCETO PARA O CARGO 4 e 8) GABARITO 1. (CESPE/2013/MPU/Conhecimentos Básicos para os cargos 34 e 35) Com a cloud computing,

Leia mais

PLANAGER Um Jogo para Apoiar o Ensino de Gerência de Projetos de Software

PLANAGER Um Jogo para Apoiar o Ensino de Gerência de Projetos de Software PLANAGER Um Jogo para Apoiar o Ensino de Gerência de Projetos de Software Ricardo Rosa Eric Kieling Prof. Rafael Prikladnicki Contato:ricardo.zr@gmail.com Agenda Por que um jogo? Apresentação da Ferramenta

Leia mais

Manual de Utilização do GLPI

Manual de Utilização do GLPI Manual de Utilização do GLPI Perfil Usuário Versão 1.0 NTI Campus Muzambinho 1 Introdução Prezado servidor, o GLPI é um sistema de Service Desk composto por um conjunto de serviços para a administração

Leia mais

Introdução. O que é Serviços de Terminal

Introdução. O que é Serviços de Terminal Introdução Microsoft Terminal Services e Citrix MetaFrame tornaram-se a indústria padrões para fornecer acesso de cliente thin para rede de área local (LAN), com base aplicações. Com o lançamento do MAS

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Curso: Sistemas de Informação Arquitetura de Software Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 4 Estilos Arquitetônicos Estilos Arquiteturais Dataflow

Leia mais

Serviços Prestados Infovia Brasília

Serviços Prestados Infovia Brasília Serviços Prestados Infovia Brasília Vanildo Pereira de Figueiredo Brasília, outubro de 2009 Agenda I. INFOVIA Serviços de Voz Softphone e Asterisk INFOVIA MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO INFOVIA MINISTÉRIO

Leia mais

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes

Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes EN-3610 Gerenciamento e Interoperabilidade de Redes Computação em Nuvem Introdução Centralização do processamento Surgimento da Teleinformática Década de 60 Execução de programas localmente Computadores

Leia mais

O Conversor Serial Ethernet MUX-10

O Conversor Serial Ethernet MUX-10 O Conversor Serial Ethernet MUX-10 M. B. Pereira, E. Araujo, ENAUTEC e F. Santana, COELBA Resumo - O Conversor Serial Ethernet MUX-10 é um protótipo destinado a interconectar equipamentos baseados em porta

Leia mais

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Disciplina - Sistemas Distribuídos Prof. Andrey Halysson Lima Barbosa Aula 12 Computação em Nuvem Sumário Introdução Arquitetura Provedores

Leia mais