Regional Sul 1. sped.rfb.gov.br/) - Esta fiscalização é realizada pelo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regional Sul 1. sped.rfb.gov.br/) - Esta fiscalização é realizada pelo"

Transcrição

1 Encerrando o ano de 2016 e, iniciando 2017, a CNBB Regional Sul 1 em comunhão com a CNBB Nacional apresenta os procedimentos necessários para os processos de Liberação de verba, Devolução e Prestação de contas. Estes procedimentos são necessários frente a situação atual do governo federal na fiscalização das igrejas e, de suma importância para a manutenção da Imunidade Tributária das instituições sem fins lucrativos. Nos últimos anos a Receita Federal vem se aprimorando no sentido de aumentar a fiscalização digital sobre as empresas contribuintes. Isso se deve principalmente ao fato de este tipo de fiscalização ser muito mais eficiente e com menor custo do que a fiscalização física[...] (fonte: sped.rfb.gov.br/) - Esta fiscalização é realizada pelo sistema SPED - Sistema Público de Escrituração Digital que utilizando-se de recursos digitais analisa os lançamentos contábeis x os impostos devidos x recolhimentos efetuados. Contabilmente, deve-se ter o devido cuidado ao registrar qualquer despesa com aquisição de bem, prestação de serviço e de manutenção administrativa e física realizadas em nome da CNBB Regional sul1. Este cuidado, tem como prioridade registrar todas as despesas através de Nota Fiscal (NF), Cupom Fiscal ( CF ) e recibos da Instituição, bem como o devido recolhimento da guias para pagamentos do impostos INSS, IR, IPI, ICMS, ISSQN, etc.

2 A seguir, os tópicos dos procedimentos a serem seguidos a partir de 01/01/2017: Solicitação de verba Enviar o para o financeiro do Regional Sul 1 solicitando o valor da verba a ser utilizada no mês. Liberado o valor, o financeiro encaminhará com os anexos: comprovante de depósito e o recibo da CNBB Regional Sul 1 para ser impresso e assinado pelo solicitante. Anexar na prestação de contas o recibo assinado. Prestação de contas Formulário Padrão (Anexo) Preencher a planilha padrão (capa) informando a movimentação financeira da verba solicitada ( data, despesa/ devolução/ complemento, descrição, valor e saldo). Enviar por ao financeiro até o penúltimo dia útil do mês da solicitação da verba. Comprovantes e recibos originais Todos os comprovantes sejam agrupados por data de emissão. Os comprovantes menores que a folha A4 sejam colados em folha A4. Os comprovantes emitidos em papel termossensível copiar individualmente, colando na mesma folha da xerox original, antes que se apaguem com o tempo. Apenas os comprovantes de pedágio podem ser colados no máximo 4 por folha, desde que sejam na mesma data.

3 Anexar à Capa (planilha padrão) assinada, todos os documentos fiscais originais e os recibos enviados pela CNBB Regional Sul 1, da verba solicitada/complemento. Enviar a CNBB Regional Sul 1 o movimento por Sedex, ou de preferência entregar, pessoalmente. Devolução / complemento de verba Prazos Os valores da verba não utilizada e do complemento solicitado para cobrir gastos para cobrir os gastos realizados acima do valor solicitado, sejam devolvidos na conta da CNBB Regional Sul 1 dentro do mês da solicitação da verba. O solicitante deverá prestar contas do valor solicitado até o 5º dia útil do mês subsequente, considerando que dentro do mês da solicitação da verba, sejam realizadas: Todas as despesas; a devolução de valores não utilizados; a solicitação complementar para cobrir os gastos realizados acima do valor solicitado. Suspensão da liberação de verbas mensais até regularização. Despesa sem comprovação fiscal. Cupom Fiscal ou Nota Fiscal sem o CNPJ do Regional. Cupom Fiscal ou Nota Fiscal apagado ou ilegível. Despesas com Recibos. (com exceção de Instituição devidamente comprovada de isenção da emissão de nota fiscal). Notas fiscais manuais preenchidas em impressos vencidos (AIDF). Despesas com bebidas alcoólicas e outras não condizente com as atividades de evangelização. Atraso nos prazos : Devolução de verba, solicitação de complemento e entrega da prestação de contas.

4 A seguir, informações complementares para correta organização da prestação de contas: Comprovação de Despesa - Cupom Fiscal (PJ) Para toda aquisição de bens de consumo (alimentação, combustível, farmácia, etc., pequenos e médios comerciantes ) as empresas fornecedoras EMITEM CUPOM FISCAL com o CNPJ DO COMPRADOR. INFORMEM SEMPRE O CNPJ DA CNBB REGIONAL SUL1 ao realizar suas despesas, para a emitir o Cupom Fiscal. Atenção para documentos não fiscais entregues pelas empresas. Carga de celular e do Bilhete único, Pedágio e Taxi, são serviços que por enquanto não apresentam Cupom Fiscal com o CNPJ do tomador, mas, obrigatoriamente emitem recibos ou cupons não fiscais para devida comprovação da despesa.

5 Comprovação de Despesas - Empresa isenta da emissão da Nota Fiscal (PJ) Existem empresas com dispensa de emissão da NOTA FISCAL, neste caso a empresa que vendeu o bem ou prestou o serviço deve apresentar: Carta de Dispensa de Emissão de Documento Fiscal Municipal ou Estadual. Recibo próprio, em papel timbrado com o logomarca, razão social, CNPJ, endereço completo, assinado pelo responsável Comprovação de Despesas - outros documentos A CNBB Regional Sul 1, é isenta da emissão da Nota Fiscal, conforme a imunidade tributária das igrejas, no entanto não é isenta de emitir os devidos recibos que comprovem seus créditos e débitos: (RECEBEMOS): utilizados para registrar os recebimentos dos créditos lançados na conta corrente a exemplo: Devolução de Verba, Inscrições de Eventos, seminários, Assembleias, etc. (RECEBI) utilizados para registrar os pagamentos dos débitos lançados na conta corrente a exemplo: Liberação de verbas.

6 Comprovação de Despesa - Nota Fiscal (PJ) Para contratação de serviços e aquisição de bens móveis ( construção, serviços técnicos, suprimentos de escritório, veículos, etc. ) as empresas fornecedoras EMITEM NOTA FISCAL com o CNPJ DO COMPRADOR. INFORMEM SEMPRE O CNPJ DA CNBB REGIONAL SUL1 ao realizar suas despesas, para a emitir a Nota Fiscal. Toda empresa com CNPJ válido, tem a obrigação de fornecer a Nota Fiscal, seja dos bens adquiridos ou dos serviços prestados. Enviar as notas fiscais ao financeiro da CNBB Regional Sul 1 para o devido pagamento. Quando o pagamento for efetuado pelo Organismo, pastoral ou movimento, após o pagamento, enviar o mais rápido possível a Nota Fiscal para o financeiro da CNBB Regional Sul1 verificar se existe impostos a serem recolhidos pela instituição. Dúvidas e esclarecimentos pelo Telefone (11) Diácono Domingues ou Alex.

7 Dados da CNBB REGIONAL SUL 1: Razão social: Conferência Nacional dos Bispos do Brasil Regional Sul 1 Endereço: Rua Conselheiro Ramalho,726 Bela Vista São Paulo SP CEP: Telefone Comercial: (11) CNPJ: / Inscrição Estadual: Isenta Instituição sem fins lucrativos. Financeiro: Diácono Domingues Alex Santos Macário Banco do Brasil 001 Agência: Conta: Exemplo da Planilha padrão (Capa) para prestação das contas mensais

1. Acesso ao Agilis Elaborar Prestação de contas Inclusão do Material Permanente Inclusão do Material de Consumo...

1. Acesso ao Agilis Elaborar Prestação de contas Inclusão do Material Permanente Inclusão do Material de Consumo... TUTORIAL PRESTAÇÃO DE CONTAS DOCENTES SUMÁRIO 1. Acesso ao Agilis...2 2. Elaborar Prestação de contas...3 3. Inclusão do Material Permanente...5 4. Inclusão do Material de Consumo...7 5. Inclusão de Serviços

Leia mais

REGRAS PARA UTILIZAÇÃO DO CARTÃO DE PAGAMENTO DO GOVERNO FEDERAL CPGF

REGRAS PARA UTILIZAÇÃO DO CARTÃO DE PAGAMENTO DO GOVERNO FEDERAL CPGF REGRAS PARA UTILIZAÇÃO DO CARTÃO DE PAGAMENTO DO GOVERNO FEDERAL CPGF 1. INTRODUÇÃO O suprimento de fundos consiste na entrega de numerário a servidor previamente designado e tem como finalidade atender

Leia mais

Tomador Versão 2.3 (06/2016)

Tomador Versão 2.3 (06/2016) Tomador Versão 2.3 (06/2016) Sumário INTRODUÇÃO... 3 APRESENTAÇÃO... 3 O QUE É GISSONLINE?... 3 FILOSOFIA DA GISSONLINE... 3 BENEFÍCIOS QUE A GISSONLINE OFERECE... 3 1º ACESSO DE EMPRESAS ESTABELECIDAS

Leia mais

Procedimentos para a prestação de contas junto ao FUMPROARTE PESSOA FÍSICA

Procedimentos para a prestação de contas junto ao FUMPROARTE PESSOA FÍSICA Procedimentos para a prestação de contas junto ao FUMPROARTE PESSOA FÍSICA 1 Instrução Normativa 004/2014 A prestação de contas de cada projeto acontecerá conforme o estabelecido na INSTRUÇÃO NORMATIVA

Leia mais

Índice O Que é ISS Digital?

Índice O Que é ISS Digital? Índice O Que é ISS Digital? 1.0 Cadastro de Empresas Contribuintes 1.1 Cadastro On-line de Prestadores 1.2 Consulta ao CEC (ConCEC) 1.3 Empresas de Fora do Município 1.4 Consulta ao CEF (ConCEF) 1.5 Tomadores:

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e)

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e) Manual de Acesso ao Sistema Pessoa Física Sistema desenvolvido por Tiplan Tecnologia em Sistema de Informação. Todos os direitos reservados. http://www.tiplan.com.br Página 2 de 23 Índice ÍNDICE... 2 1.

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e)

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e) Manual de Acesso ao Sistema Pessoa Física Todos os dados e valores apresentados neste manual são ficticios. Qualquer dúvida consulte a legislação vigente. Sistema desenvolvido por Tiplan Tecnologia em

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS

PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS PRAEVENTOS (PROGRAMA DE APOIO À PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS) EDITAL 03/2017 - SOLICITAÇÃO DE APOIO À PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS A Pró-Reitora de Assuntos Estudantis (PRAE), no uso de suas atribuições e em cumprimento

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA ABERTURA, UTILIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE SUPRIMENTOS DE FUNDOS MODALIDADE CARTÃO DE PAGAMENTO DO GOVERNO FEDERAL CPGF

PROCEDIMENTOS PARA ABERTURA, UTILIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE SUPRIMENTOS DE FUNDOS MODALIDADE CARTÃO DE PAGAMENTO DO GOVERNO FEDERAL CPGF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS Diretoria de Planejamento e Gestão PROCEDIMENTOS PARA ABERTURA, UTILIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE

Leia mais

Prestador Versão 2.3 (03/2016)

Prestador Versão 2.3 (03/2016) Prestador Versão 2.3 (03/2016) Sumário INTRODUÇÃO... 4 APRESENTAÇÃO... 4 O QUE É GISSONLINE?... 4 FILOSOFIA DA GISSONLINE... 4 BENEFÍCIOS QUE A GISSONLINE OFERECE... 4 1º ACESSO DE EMPRESAS ESTABELECIDAS

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS-SP obrigações acessórias GIA ficha apuração do ICMS- ST11

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS-SP obrigações acessórias GIA ficha apuração do ICMS- ST11 ICMS-SP obrigações acessórias GIA ficha apuração do ICMS- ST11 21/10/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Análise da Consultoria... 3 2.1. ImpostoRetidoSt... 5 (Imposto Retido por ST)...

Leia mais

Regras e orientações da prestação de contas

Regras e orientações da prestação de contas Regras e orientações da prestação de contas Veja aqui como apresentar corretamente a prestação de contas dos recursos recebidos do programa Comunidade, presente! Como utilizar os recursos recebidos A organização

Leia mais

DECRETO N 6003, de 02 de fevereiro de 2017.

DECRETO N 6003, de 02 de fevereiro de 2017. DECRETO N 6003, de 02 de fevereiro de 2017. REGULAMENTA O ARTIGO 303 DA LEI COMPLEMENTAR Nº110, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2003, QUE ESTABELECEU O CÓDIGO TRIBUTÁRIO MUNICIPAL. O Prefeito do Município de Rio

Leia mais

PORTARIA N 003/2014, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014.

PORTARIA N 003/2014, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014. PORTARIA N 003/2014, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014. Dispõe sobre a concessão de Suprimento de Fundos pela Fundação de Educação Tecnológica e Cultural da Paraíba FUNETEC-PB. O SUPERINTENDENTE da Fundação de

Leia mais

Guia para comprovação de investimentos FINEP Inovacred

Guia para comprovação de investimentos FINEP Inovacred Guia para comprovação de investimentos FINEP Inovacred 1 2 4 5 Introdução Acompanhamento na Fase de Análise ETAPA 1 Comprovação Financeira ETAPA 2 Comprovação Física ETAPA Comprovação Jurídica ETAPA 4

Leia mais

GESTÃO DE TÍTULOS E TAXAS NÁUTICO

GESTÃO DE TÍTULOS E TAXAS NÁUTICO 1 / 6 1. OBJETIVO Estabelecer padronização para os processos desde o cadastro de títulos até a cobrança de cheques devolvidos bem como a transferência de titularidade, a fim de que todas as etapas do processo

Leia mais

Obrigações Acessórias Hipóteses e limites. Efeitos do descumprimento.

Obrigações Acessórias Hipóteses e limites. Efeitos do descumprimento. Simples Nacional em Debate Obrigações Acessórias Hipóteses e limites. Efeitos do descumprimento. Patrícia Lenz Koinaski Porto Alegre, 1º/10/2007 INSCRIÇÃO, OPÇÃO E CADASTRO Obrigação de inscrição nos entes

Leia mais

REQUISITOS PARA TEREM DIREITO AO RECURSO DO PASSE LIVRE ESTUDANTIL:

REQUISITOS PARA TEREM DIREITO AO RECURSO DO PASSE LIVRE ESTUDANTIL: REQUISITOS PARA TEREM DIREITO AO RECURSO DO PASSE LIVRE ESTUDANTIL: - Estar matriculado em instituição de ensino; - Morar no município e estudar em outro; - Ter renda per capita de até 1,5 salários mínimos

Leia mais

Orientações para transferência de cota Contemplada com bem Bem Imóvel

Orientações para transferência de cota Contemplada com bem Bem Imóvel Orientações para transferência de cota Contemplada com bem Bem Imóvel Nesse documento você encontra todas as orientações para efetuar a transferência de titularidade de sua cota de maneira ágil e fácil.

Leia mais

.Título V Das obrigações comuns..capítulo I Das disposições preliminares

.Título V Das obrigações comuns..capítulo I Das disposições preliminares .Título V Das obrigações comuns.capítulo I Das disposições preliminares Art. 98. É obrigação de todo contribuinte exibir os livros fiscais e comerciais, comprovantes da escrita e documentos instituídos

Leia mais

DECRETO N.º DE 11 DE MAIO DE 2010.

DECRETO N.º DE 11 DE MAIO DE 2010. DECRETO N.º 32.250 DE 11 DE MAIO DE 2010. Dispõe sobre a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica- NFS-e - NOTA CARIOCA - e dá outras providências. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E DIREITOS HUMANOS NÚCLEO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E DIREITOS HUMANOS NÚCLEO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA APRESTAÇÃO DA PRESTAÇÃO DE CONTAS CONVÊNIO TODOS COM A NOTA 1. Ofício de encaminhamento da Prestação de Contas à Secretária Estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos.

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTO PARA COORDENADOR DE PROJETOS ÍNDICE

MANUAL DE PROCEDIMENTO PARA COORDENADOR DE PROJETOS ÍNDICE 1 ÍNDICE 1. ELABORAÇÃO, ANÁLISE E ENCAMINHAMENTO DE PROPOSTAS DE PROJETOS; 2. LIBERAÇÃO DE RECURSOS 2.1 FINANCIAMENTO COM RECURSOS PÚBLICOS 2.2 EMPRESAS 2.3 PROJETOS FINANCIADOS POR ORGANIZAÇÕES ESTRANGEIRAS

Leia mais

DEPARTAMENTO FINANCEIRO PROCESSO

DEPARTAMENTO FINANCEIRO PROCESSO PAGAMENTO DE EMISSAO DE CHEQUES A FORNECEDORES PR/STE 06 Contabilidade Classifica NF e Recibos para pagamento. GERENCIADOR FINANCEIRO. São alimentados no gerenciador aqueles que tem Boletos ou dados para

Leia mais

Fundação de Apoio ao Desenvolvimento Institucional, Científico e Tecnológico da Universidade Estadual de Ponta Grossa

Fundação de Apoio ao Desenvolvimento Institucional, Científico e Tecnológico da Universidade Estadual de Ponta Grossa MANUAL DE SUPRIMENTO DE FUNDOS Presidente: Milton Xavier Brollo Vice-Presidente: Carlos Alberto Volpi Conselho Deliberativo: Emigdio Enrique Orellana Jimenez Osvaldo Mitsuyuki Cintho Jesuan Henrique Rupel

Leia mais

NOTA FISCAL AVULSA ELETRÔNICA

NOTA FISCAL AVULSA ELETRÔNICA NOTA FISCAL AVULSA ELETRÔNICA MEI do Comércio e da Indústria NOTA FISCAL AVULSA ELETRÔNICA MEI do Comércio e da Indústria O Microempreendedor Individual já pode emitir a Nota Fiscal Avulsa Eletrônica-NFA-e

Leia mais

Campus Porto Alegre PORTARIA Nº. 128, DE 17 DE JUNHO DE 2011.

Campus Porto Alegre PORTARIA Nº. 128, DE 17 DE JUNHO DE 2011. PORTARIA Nº. 128, DE 17 DE JUNHO DE 2011. O Diretor-Geral do IFRS -, no uso das atribuições legais que lhe são conferidas pela Portaria nº 08/2009, R E S O L V E: Art. 1º Regulamentar a concessão de auxílio

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE ESTATÍSTICA, no uso de suas atribuições legais, expede a seguinte orientação aos CONRE:

O CONSELHO FEDERAL DE ESTATÍSTICA, no uso de suas atribuições legais, expede a seguinte orientação aos CONRE: INSTRUÇÃO CONFE Nº 23, de 26 de janeiro de 1977 ORIENTA OS CONSELHOS REGIONAIS DE ESTATÍSTICA QUANTO NOS PROCEDIMENTOS CONTÁBEIS PREVISTOS NA RESOLUÇÃO CONFE Nº 70, DE 06 DE JANEIRO DE 1977. O CONSELHO

Leia mais

ÍNDICE. Devolução no ato da entrega...2. Devolução registrada no SAC (exceto falta de mercadoria)...2. Procedimentos para coleta da devolução...

ÍNDICE. Devolução no ato da entrega...2. Devolução registrada no SAC (exceto falta de mercadoria)...2. Procedimentos para coleta da devolução... Processo de Devolução Drogacenter ÍNDICE Devolução no ato da entrega...2 Devolução registrada no SAC (exceto falta de mercadoria)...2 Procedimentos para coleta da devolução...3 Recebimento da mercadoria...3

Leia mais

Política e regras válidas a partir de 01 de Novembro de 2014.

Política e regras válidas a partir de 01 de Novembro de 2014. Informações Gerais Qual política a seguir Adiantamento de Valor para Sempre seguir a Política da Compasso, a menos que o cliente/projeto em que o profissional esteja trabalhando possua uma política específica;

Leia mais

SPED Sistema Público de Escrituração de Documentos

SPED Sistema Público de Escrituração de Documentos SPED SPED Sistema Público de Escrituração de Documentos A Escrituração Fiscal Digital EFD é um arquivo digital, que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras informações

Leia mais

EDITAL Nº 163/2016 AUXÍLIO FINANCEIRO, AOS ESTUDANTES DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE, PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTO CULTURAL

EDITAL Nº 163/2016 AUXÍLIO FINANCEIRO, AOS ESTUDANTES DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE, PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTO CULTURAL EDITAL Nº 163/2016 AUXÍLIO FINANCEIRO, AOS ESTUDANTES DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE, PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTO CULTURAL O Reitor Substituto do, Prof. Robert Lenoch, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Processo de Viagem GENS Manual do Colaborador Versão 1.5

Processo de Viagem GENS Manual do Colaborador Versão 1.5 - 1 - Processo de Viagem GENS Manual do Colaborador Versão 1.5 - 2 - SUMÁRIO 1. Apresentação - 3-1.1 Objetivos - 3-1.1.1 Objetivo da definição do Processo de Viagem - 3-1.1.2 Objetivo deste Manual - 3-2.

Leia mais

Construção Civil Versão 2.3 (04/2016)

Construção Civil Versão 2.3 (04/2016) Construção Civil Versão 2.3 (04/2016) Sumário INTRODUÇÃO... 3 APRESENTAÇÃO... 3 O QUE É GISSONLINE?... 3 FILOSOFIA DA GISSONLINE... 3 BENEFÍCIOS QUE A GISSONLINE OFERECE... 3 1º ACESSO DE EMPRESAS ESTABELECIDAS

Leia mais

Cópia autenticada do Certificado de Registro do Veículo (CRV) devidamente preenchido, assinado e com firma reconhecida da assinatura do cliente X

Cópia autenticada do Certificado de Registro do Veículo (CRV) devidamente preenchido, assinado e com firma reconhecida da assinatura do cliente X CESSÃO DE DIREITOS E OBRIGAÇÕES PESSOA FÍSICA E JURÍDICA NOME: CONTRATO: DN: ORIENTAÇÕES IMPORTANTES: Informamos que para ceder e transferir a terceiros os direitos e as obrigações do contrato será necessária

Leia mais

MANUAL DO ISS ONLINE

MANUAL DO ISS ONLINE MANUAL DO ISS ONLINE Contadores Índice 1 - Regularização Cadastral... 3 2 - Login... 5 3 - Acessos ao Sistema... 7 4 - Carteiras de Clientes...... 10 5 - Solicitações de AIDF e AIDF-e... 11 5 - Emissão

Leia mais

DECRETO Nº 3.615, DE 16 DE OUTUBRO DE 2013

DECRETO Nº 3.615, DE 16 DE OUTUBRO DE 2013 DECRETO Nº 3.615, DE 16 DE OUTUBRO DE 2013 Institui a nota fiscal de serviços eletrônica, o sistema eletrônico de escrituração fiscal, e dá outras providências. O SENHOR PREFEITO MUNICIPAL DA ESTÂNCIA

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e Considera-se Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e), o documento emitido e armazenado eletronicamente em sistema próprio da Prefeitura do Município de São Paulo,

Leia mais

PROCEDIMENTOS FISCAIS E CONTÁBEIS PARA INSTITUIÇÕES ESPÍRITAS

PROCEDIMENTOS FISCAIS E CONTÁBEIS PARA INSTITUIÇÕES ESPÍRITAS PROCEDIMENTOS FISCAIS E CONTÁBEIS PARA INSTITUIÇÕES ESPÍRITAS As instituições espíritas para se tornarem personalidades jurídicas, tem que ter os seguintes documentos e registros: DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

Leia mais

PROCEDIMENTO SOBRE ENTREGA MENSAL DA DOCUMENTAÇÃO TRABALHISTA E PROCESSO DE LIBERAÇÃO DE ACESSO

PROCEDIMENTO SOBRE ENTREGA MENSAL DA DOCUMENTAÇÃO TRABALHISTA E PROCESSO DE LIBERAÇÃO DE ACESSO PROCEDIMENTO SOBRE ENTREGA MENSAL DA DOCUMENTAÇÃO TRABALHISTA E PROCESSO DE LIBERAÇÃO DE ACESSO Aos prestadores de serviço da VOITH PAPER MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS LTDA. Este procedimento tem por objetivo

Leia mais

MANUAL DO CLIENTE PROCEDIMENTO NA ÁREA ADMINISTRATIVA

MANUAL DO CLIENTE PROCEDIMENTO NA ÁREA ADMINISTRATIVA MANUAL DO CLIENTE PROCEDIMENTO NA ÁREA ADMINISTRATIVA 1. Após a constituição da empresa, deverá ser mantido em local visível seu quadro de avisos para análise da fiscalização os seguintes documentos: C.N.P.J

Leia mais

Fontes OPERAÇÃO CONCORRÊNCIA LEAL 2 REGISTRA IRREGULARIDADES EM 45 MIL EMPRESAS DO SIMPLE

Fontes OPERAÇÃO CONCORRÊNCIA LEAL 2 REGISTRA IRREGULARIDADES EM 45 MIL EMPRESAS DO SIMPLE A Secretaria de Estado da Fazenda reuniu na última terça-feira, 20/05, entidades representativas das micro e pequenas empresas e da classe contábil para apresentar os procedimentos e dados relativos à

Leia mais

Tempo de Guarda para Documentos Fiscais, Contábeis e Trabalhistas

Tempo de Guarda para Documentos Fiscais, Contábeis e Trabalhistas Tempo de Guarda para Documentos Fiscais, Contábeis e Trabalhistas A presente tabela contém os principais documentos fiscais, contábeis e trabalhistas das empresas com o tempo que deve ser mantido em arquivo

Leia mais

EDITAL 01/2016 CMDCA/FUNCRIANÇA Cartilha de orientações para a aplicação dos recursos e prestação de contas

EDITAL 01/2016 CMDCA/FUNCRIANÇA Cartilha de orientações para a aplicação dos recursos e prestação de contas EDITAL 01/2016 CMDCA/FUNCRIANÇA Cartilha de orientações para a aplicação dos recursos e prestação de contas Esta cartilha traz orientações para a aplicação dos recursos relativos Edital 01/2016 do CMDCA/FUNCRIANÇA,

Leia mais

Quinta-feira, 31 de Março de 2016 Edição N 913 Caderno I

Quinta-feira, 31 de Março de 2016 Edição N 913 Caderno I DECRETO N. 016 DE 16 DE MARÇO DE 2016. Institui e regulamenta o uso da Nota Fiscal de Serviços Eletrônica NFS-e e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE PARATINGA, no uso das suas atribuições

Leia mais

Slide 1 O CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES FISCAIS ATRAVÉS DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS. Slide 2. Slide 3 DADOS DISPONÍVEIS AO FISCO

Slide 1 O CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES FISCAIS ATRAVÉS DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS. Slide 2. Slide 3 DADOS DISPONÍVEIS AO FISCO Slide 1 O CRUZAMENTO DE INFORMAÇÕES FISCAIS ATRAVÉS DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS Nilson José Goedert Contador 2016 Slide 2 Obrigações Federais para Pessoas Jurídicas em Geral: 1. SPED Sistema Público de Escrituração

Leia mais

O Prefeito Municipal de Águas Formosas, Estado de Minas Gerais, no uso e gozo de suas atribuições legais,

O Prefeito Municipal de Águas Formosas, Estado de Minas Gerais, no uso e gozo de suas atribuições legais, DECRETO N.º 024, de 01 de abril de 2016. REGULAMENTA A LEI N 1.492, DE 19 DE MAIO DE 2015, DISPÕE SOBRE A NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA, RECIBO PROVISÓRIO DE SERVIÇO, A DECLARAÇÃO ELETRÔNICA DE SERVIÇOS

Leia mais

PESQUISA FUNDEPES CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 003/2015

PESQUISA FUNDEPES CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 003/2015 FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA DE DESENVOLVIMENTO DE EXTENSÃO E PESQUISA FUNDEPES CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 003/2015 DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE SUPRIMENTO DE FUNDOS PELA FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

FUNDAÇÃO VERDE HERBERT DANIEL MANUAL OPERACIONAL DE EXECUÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS

FUNDAÇÃO VERDE HERBERT DANIEL MANUAL OPERACIONAL DE EXECUÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS FUNDAÇÃO VERDE HERBERT DANIEL MANUAL OPERACIONAL DE EXECUÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS APRESENTAÇÃO Neste manual estão às orientações sobre como proceder, desenvolver, executar a prestação de contas referente

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE SOLICITAÇÃO, CONCESSÃO, UTILIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS DE AUXÍLIO FINANCEIRO PARA OBMEP

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE SOLICITAÇÃO, CONCESSÃO, UTILIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS DE AUXÍLIO FINANCEIRO PARA OBMEP MANUAL DE ORIENTAÇÃO DE SOLICITAÇÃO, CONCESSÃO, UTILIZAÇÃO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS DE AUXÍLIO FINANCEIRO PARA OBMEP 1. FINALIDADE Definir e disciplinar os procedimentos para solicitação, concessão,

Leia mais

SUMÁRIO. 1. Conhecendo o sistema Certidões Negativas Cadastros das certidões... 6

SUMÁRIO. 1. Conhecendo o sistema Certidões Negativas Cadastros das certidões... 6 SUMÁRIO 1. Conhecendo o sistema... 3 2. Certidões Negativas... 5 2.1 Cadastros das certidões... 6 2.2 Exclusões de Negativas cadastradas com erro... 7 3. Geração de Anexo de Nota Fiscal... 8 3.1. Como

Leia mais

Fonte: Diário Oficial da União, Seção 1, Edição 17, p. 108, Instrução Normativa RFB nº 1.324, de DOU 1 de

Fonte: Diário Oficial da União, Seção 1, Edição 17, p. 108, Instrução Normativa RFB nº 1.324, de DOU 1 de Fonte: Diário Oficial da União, Seção 1, Edição 17, p. 108, 24.02.2013 Instrução Normativa RFB nº 1.324, de 23.01.2013 - DOU 1 de 24.01.2013 Estabelece os procedimentos pertinentes aos Depósitos Judiciais

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA COMPRAS E SOLICITAÇÕES DE SERVIÇO NO CCHSA/UFPB

ORIENTAÇÕES PARA COMPRAS E SOLICITAÇÕES DE SERVIÇO NO CCHSA/UFPB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA COLÉGIO AGRÍCOLA VIDAL DE NEGREIROS ORIENTAÇÕES PARA COMPRAS E SOLICITAÇÕES DE SERVIÇO NO CCHSA/UFPB As compras de bens materiais, animais, serviços

Leia mais

EMPRESAS OBRIGADAS AO USO DO EMISSOR DO CUPOM FISCAL (ECF)

EMPRESAS OBRIGADAS AO USO DO EMISSOR DO CUPOM FISCAL (ECF) EMPRESAS OBRIGADAS AO USO DO EMISSOR DO CUPOM FISCAL (ECF) Prezado Cliente, Para vosso conhecimento, segue uma breve explanação sobre o uso do ECF: OBRIGATORIEDADE DO USO: Estão obrigadas a utilizar o

Leia mais

Programa de Estímulo à Cidadania Fiscal do Estado de São Paulo Projeto Nota Fiscal Paulista

Programa de Estímulo à Cidadania Fiscal do Estado de São Paulo Projeto Nota Fiscal Paulista Programa de Estímulo à Cidadania Fiscal do Estado de São Paulo Projeto Nota Fiscal Paulista 14/08/07 OBJETIVO Incentivar os adquirentes de mercadorias, bens e serviços de transporte interestadual e intermunicipal

Leia mais

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL

EMPREENDEDOR INDIVIDUAL EMPREENDEDOR INDIVIDUAL 1 Oportunidade de regularização para os empreendedores individuais, desde a vendedora de cosméticos, da carrocinha de cachorro-quente ao pipoqueiro. 2 Receita Bruta de até R$ 36

Leia mais

ISSQN MANUAL DO USUÁRIO

ISSQN MANUAL DO USUÁRIO ISSQN MANUAL DO USUÁRIO Roteiro Prestador de Serviços 2013 Índice: 1. Geração da Senha na Prefeitura... 3 2. Acesso ao Sistema... 3 3. Declaração Eletrônica de Serviços Tomados... 4 4. Encerrando a apuração

Leia mais

FUNDO MATO-GROSSENSE DE APOIO À CULTURA DA SEMENTE MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

FUNDO MATO-GROSSENSE DE APOIO À CULTURA DA SEMENTE MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS FUNDO MATO-GROSSENSE DE APOIO À CULTURA DA SEMENTE MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS Cuiabá/MT, 10/04/2013 1 MANUAL DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 1. INTRODUÇÃO 1.1 - Recomenda-se a leitura deste manual antes de utilizar

Leia mais

Keysystems Informática

Keysystems Informática 1 O que é NF-e? NF-e nada mais é do que a sigla para Nota Fiscal Eletrônica. Esse documento funciona de maneira semelhante a uma nota fiscal impressa, porém é emitido e armazenado eletronicamente, isto

Leia mais

NORMA PARA PAGAMENTO DE AUXÍLIO FINANCEIRO A BOLSISTA PNPD PARA PARTICIPAÇÃO E/OU PUBLICAÇÃO EM EVENTOS E TRABALHO DE CAMPO

NORMA PARA PAGAMENTO DE AUXÍLIO FINANCEIRO A BOLSISTA PNPD PARA PARTICIPAÇÃO E/OU PUBLICAÇÃO EM EVENTOS E TRABALHO DE CAMPO NORMA PARA PAGAMENTO DE AUXÍLIO FINANCEIRO A BOLSISTA PNPD PARA PARTICIPAÇÃO E/OU PUBLICAÇÃO EM EVENTOS E TRABALHO DE CAMPO Art. 1º - Esta norma estabelece os critérios para o pagamento de auxílio a bolsistas

Leia mais

Microempreendedor Individual MEI: Constituição e Tributação

Microempreendedor Individual MEI: Constituição e Tributação Microempreendedor Individual MEI: Constituição e Tributação Quem é o Microempreendedor Individual? É a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. Para ser um microempreendedor

Leia mais

NORMA INTERNA 01/2015 PROPESPG AUXILIO FINANCEIRO A PESQUISADOR PROAP/CAPES

NORMA INTERNA 01/2015 PROPESPG AUXILIO FINANCEIRO A PESQUISADOR PROAP/CAPES NORMA INTERNA 01/2015 PROPESPG Regula a utilização do recurso PROAP CAPES Auxilio financeiro a pesquisador no âmbito da Universidade Federal do Amapá AUXILIO FINANCEIRO A PESQUISADOR PROAP/CAPES 1. CONSIDERAÇÕES

Leia mais

ORIENTAÇÕES AO PESQUISADOR MANUAL PARA USO DOS RECURSOS FINANCEIROS

ORIENTAÇÕES AO PESQUISADOR MANUAL PARA USO DOS RECURSOS FINANCEIROS ORIENTAÇÕES AO PESQUISADOR MANUAL PARA USO DOS RECURSOS FINANCEIROS 1 AUXÍLIO FINANCEIRO AO PESQUISADOR Este guia tem como objetivo orientar os coordenadores dos projetos de pesquisa sobre os requisitos

Leia mais

POLÍTICA DE REEMBOLSO SUMÁRIO

POLÍTICA DE REEMBOLSO SUMÁRIO POLÍTICA DE REEMBOLSO SUMÁRIO 01. OBJETIVO... 2 02. AMPLITUDE... 2 03. DIRETRIZES... 2 04. ADIANTAMENTOS... 2 05. PRESTAÇÃO DE CONTAS... 3 06. REFEIÇÕES... 4 07. DESPESAS INTERNACIONAIS... 6 08. CORREIOS

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA MATRÍCULA EM DISCIPLINA DE PÓS- GRADUAÇÃO COMO ALUNO ESPECIAL

INSTRUÇÕES PARA MATRÍCULA EM DISCIPLINA DE PÓS- GRADUAÇÃO COMO ALUNO ESPECIAL INSTRUÇÕES PARA MATRÍCULA EM DISCIPLINA DE PÓS- GRADUAÇÃO COMO ALUNO ESPECIAL A Resolução do PPG Ensino de Física que trata sobre a matrícula especial de alunos não regulares do curso em determinadas disciplinas

Leia mais

PROCEDIMENTO DE CONTRATOS

PROCEDIMENTO DE CONTRATOS PAG.: 1 de 7 1. OBJETIVO: Estabelecer procedimentos para elaboração, análise, validação e controle dos contratos firmados pela Portobello para a aquisição de bens e serviços. 2. RESPONSABILIDADES: Este

Leia mais

ENCAMINHAMENTO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS IDENTIFICAÇÃO DO BENEFICIÁRIO. MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA Nº C/C Saldo Anterior - A -

ENCAMINHAMENTO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS IDENTIFICAÇÃO DO BENEFICIÁRIO. MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA Nº C/C Saldo Anterior - A - Proponente: Endereço completo ENCAMINHAMENTO DE PRESTAÇÃO DE CONTAS IDENTIFICAÇÃO DO BENEFICIÁRIO CPF: Telefone CEP Cidade UF E-MAIL FAX Tema do Projeto N.º Termo de Concessão Período de utilização dos

Leia mais

MANUAL DO ISS ONLINE

MANUAL DO ISS ONLINE MANUAL DO ISS ONLINE Cartórios Índice 1 - Regularização Cadastral... 3 2 - Login... 5 3 - Acessos ao Sistema... 7 4 - Solicitações de AIDF e AIDF-e... 10 5 - Emissão de Notas Fiscais Eletrônicas (NFS-e)...

Leia mais

DECRETO N.º 110/2011. MARCELO CAPELINI, Prefeito Municipal de Artur Nogueira, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, CAPÍTULO I

DECRETO N.º 110/2011. MARCELO CAPELINI, Prefeito Municipal de Artur Nogueira, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, CAPÍTULO I DECRETO N.º 110/2011 Institui a Nota Fiscal Eletrônica Avulsa (NF-eA) e a Nota Fiscal Eletrônica (NFe), Regulamenta o Sistema de Retenção do ISSQN e dá outras providências. MARCELO CAPELINI, Prefeito Municipal

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ CONSELHOS SUPERIORES

Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ CONSELHOS SUPERIORES NORMA PARA PAGAMENTO DE AUXÍLIO FINANCEIRO A BOLSISTAS DO PNPD (CAPES) E DOCENTES PESQUISADORES PARA PARTICIPAÇÃO EM ATIVIDADES ACADÊMICAS OU CIENTÍFICAS Art. 1º - Esta norma estabelece os critérios para

Leia mais

INFORMAÇÕES, RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA COMPROVAÇÃO DE BOLSA E FICHA DE INSCRIÇÃO NA INSTITUIÇÃO FEAD

INFORMAÇÕES, RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA COMPROVAÇÃO DE BOLSA E FICHA DE INSCRIÇÃO NA INSTITUIÇÃO FEAD INFORMAÇÕES, RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA COMPROVAÇÃO DE BOLSA E FICHA DE INSCRIÇÃO NA INSTITUIÇÃO FEAD FEAD Faculdade de Estudos Administrativos de MG FEAD Faculdade de Estudos Superiores de MG CANDIDATOS

Leia mais

Emenda Constitucional nº. 42 (19/03/2003)

Emenda Constitucional nº. 42 (19/03/2003) EVOLUÇÃO Emenda Constitucional nº. 42 (19/03/2003) Art. 37 da Constituição Federal... XXII as administrações tributárias da União dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios,... e autuarão de forma

Leia mais

MANUAL DE DETALHAMENTO DE PROCESSOS

MANUAL DE DETALHAMENTO DE PROCESSOS MAIO/10 Rev. 01 MANUAL DE DETALHAMENTO DE PROCESSOS Manual de Detalhamento de Processos Elaboração: Marcelo Adriano dos Santos Camargo Aprovação: José Luiz F. Velho MAPA DE PROCESSOS D MAIS ENTRADAS ESTRATÉGICAS

Leia mais

LOCAL DE ENTREGA-ENDEREÇO CÓDIGO LOCAL DE ENTREGA ENDEREÇO CEP CIDADE ESTADO INFORMAÇÕES/EXIGÊNCIAS COMPLEMENTARES

LOCAL DE ENTREGA-ENDEREÇO CÓDIGO LOCAL DE ENTREGA ENDEREÇO CEP CIDADE ESTADO INFORMAÇÕES/EXIGÊNCIAS COMPLEMENTARES 31.10.2011 PAGINA 1 LISTA DE COMPRAS-SIMPLIFICADA Dispensa de Licitação :11/20038 Objeto: ADM CENTRAL - AQUISIÇÃO DE SUPORTE METÁLICO PARA PASTA SUSPENSA. CONDIÇÕES GERAIS DA LICITAÇÃO Validade da Proposta:

Leia mais

A Importância da Integração Fiscal para os Municípios. CAIO MEGALE Vice Presidente da ABRASF Secretário Municipal da Fazenda de SP

A Importância da Integração Fiscal para os Municípios. CAIO MEGALE Vice Presidente da ABRASF Secretário Municipal da Fazenda de SP A Importância da Integração Fiscal para os Municípios CAIO MEGALE Vice Presidente da ABRASF Secretário Municipal da Fazenda de SP Quais os benefícios para quem emite NFS-e? Redução de custos de impressão

Leia mais

DELIBERAÇÃO CEIVAP Nº 206/2013 DE 28 DE AGOSTO DE 2013.

DELIBERAÇÃO CEIVAP Nº 206/2013 DE 28 DE AGOSTO DE 2013. DELIBERAÇÃO CEIVAP Nº 206/2013 DE 28 DE AGOSTO DE 2013. Dispõe sobre a revisão dos valores de ajuda de custo pagos aos membros do Comitê que venham a representálo oficialmente em outros Fóruns, e aos membros

Leia mais

SERGIO RIBEIRO SILVA, Prefeito do Município de Carapicuíba, Estado de São Paulo, usando de suas atribuições legais, D E C R E T A:

SERGIO RIBEIRO SILVA, Prefeito do Município de Carapicuíba, Estado de São Paulo, usando de suas atribuições legais, D E C R E T A: DECRETO Nº 4.015, DE 19 DE OUTUBRO DE 2.010. Institui a Nota Fiscal Eletrônica de Serviço NFS-e, e dá outras providências SERGIO RIBEIRO SILVA, Prefeito do Município de Carapicuíba, Estado de São Paulo,

Leia mais

Janeiro/ Minas Gerais. Rio Grande do Sul. Santa Catarina São Paulo. Federal Santa Catarina. Minas Gerais MG - DAPI 1; ICMS-MG

Janeiro/ Minas Gerais. Rio Grande do Sul. Santa Catarina São Paulo. Federal Santa Catarina. Minas Gerais MG - DAPI 1; ICMS-MG Janeiro/ 2014 02 03 ICMS-MG GIA/SN Gia de Informação e Apuração do ICMS Simples Nacional; GIA/ Serviço Aeroviário Regular; ICMS/ Débito Próprio Refinarias de Petróleo; ICMS/ Débito Próprio Cimento; ICMS/Débito

Leia mais

Agosto/ Minas Gerais ICMS-MG. Santa Catarina ARQUIVO ELETRÔNICO SCANC. Rio Grande do Sul Santa Catarina Minas Gerais

Agosto/ Minas Gerais ICMS-MG. Santa Catarina ARQUIVO ELETRÔNICO SCANC. Rio Grande do Sul Santa Catarina Minas Gerais Agosto/ 2015 02 ICMS-MG 03 04 05 06 07 GIA/Água Natural MG - DAPI 1; ICMS-MG Fumo; ICMS-MG IRRF; IOF; APRENDIZAGEM - NÚMERO DE MATRÍCULAS NOVAS. ICMS/ Débito Próprio -Distribuidora de Combustíveis; ICMS/

Leia mais

Manual de Usuário. Módulo Acerto Viagens

Manual de Usuário. Módulo Acerto Viagens Manual de Usuário Módulo Acerto Viagens MÓDULO DOS ACERTOS DE VIAGENS DOS MOTORISTAS. Este módulo permite registrar, acompanhar e calcular os valores envolvidos nas viagens dos motoristas ou agregados

Leia mais

GUIA DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL. Tudo o que você precisa saber para formalizar o seu negócio.

GUIA DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL. Tudo o que você precisa saber para formalizar o seu negócio. GUIA DO MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL Tudo o que você precisa saber para formalizar o seu negócio. 2 Apresentação Milhões de brasileiros já estão aproveitando os benefícios de ser um Microempreendedor Individual.

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital. Sistema Público de Escrituração Digital

Escrituração Fiscal Digital. Sistema Público de Escrituração Digital Escrituração Fiscal Digital Evolução 2003 2004 2005 2006 2007 Emenda Constitucional nº 42 19/12/03 Art. 37 da Constituição Federal... XXII - as administrações tributárias da União, dos Estados, do Distrito

Leia mais

Controle de Caixa. Financeiro - Tesouraria

Controle de Caixa. Financeiro - Tesouraria Financeiro - Tesouraria Sumário Sumário... 2 1 Conceitos Básicos... 3 1.1 Objetivos Instrucionais... 3 1.2 Fluxo de Processo do Controle de Caixinha... 3 1.3 Controle de Caixinha... 3 1.4 Controle de Caixinha

Leia mais

INEXIGIBILIDADE E DISPENSA DE LICITAÇÃO

INEXIGIBILIDADE E DISPENSA DE LICITAÇÃO MANUAL SINTÉTICO DE PROCEDIMENTOS DE AQUISIÇÃO INEXIGIBILIDADE E DISPENSA DE LICITAÇÃO Via Universitária, s/n. Pitanguinha. Simões Filho - BA CEP: 43.700 000 Tel.: (071) 3396-8400 CNPJ: 10.764.307/0006-27

Leia mais

EDITAL IFPR Nº 22/2016 RETIFICAÇÃO DO EDITAL IFPR Nº 019/2016

EDITAL IFPR Nº 22/2016 RETIFICAÇÃO DO EDITAL IFPR Nº 019/2016 EDITAL IFPR Nº 22/2016 RETIFICAÇÃO DO EDITAL IFPR Nº 019/2016 O Reitor em exercício do INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ IFPR, no uso da competência que lhe confere a Portaria nº 976 de 26 de julho de 2016,

Leia mais

Bancos. Versão 2.3 (05/2016)

Bancos. Versão 2.3 (05/2016) Bancos Versão 2.3 (05/2016) Sumário INTRODUÇÃO... 3 APRESENTAÇÃO... 3 O QUE É GISSONLINE?... 3 FILOSOFIA DA GISSONLINE... 3 BENEFÍCIOS QUE A GISSONLINE OFERECE... 3 ACESSO AO SISTEMA... 4 BANCOS... 5 ESCRITURAÇÃO

Leia mais

Orientações por natureza das despesas: 2.1. Pagamento de pessoal e encargos:

Orientações por natureza das despesas: 2.1. Pagamento de pessoal e encargos: Cartilha de orientações para a aplicação e prestação de contas dos recursos relativos aos convênios da SMGL com entidades não governamentais, oriundos do FUNCRIANÇA. Esta cartilha traz orientações para

Leia mais

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MUTUO

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MUTUO COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MUTUO UO DOS EMPREGADOS DO SISTEMA FIERGS- CRESUL Travessa Francisco de Leonardo Truda, 40 sala 143 14 andar Porto Alegre-RS CEP 90010-050 Fone (0**51) 3224-3280 Fax:

Leia mais

ORIENTAÇÃO QUANTO AOS DIVERSOS PROCEDIMENTOS PARA EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA REGIME NORMAL

ORIENTAÇÃO QUANTO AOS DIVERSOS PROCEDIMENTOS PARA EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA REGIME NORMAL ORIENTAÇÃO QUANTO AOS DIVERSOS PROCEDIMENTOS PARA EMISSÃO DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA REGIME NORMAL Segue abaixo apenas orientações, e não regras, nossa legislação é muito complexa, portanto consulte seu

Leia mais

FORMULÁRIOS MANUAL DO EXPOSITOR

FORMULÁRIOS MANUAL DO EXPOSITOR FORMULÁRIOS MANUAL DO EXPOSITOR Formulário Prazo Status 1. Apresentação da Montadora 2. Credenciamento da Montadora 3. Responsabilidade da Montadora 4. Elétrica 17/10 Obrigatório 5. Credenciamento Expositor

Leia mais

ANO XXVII ª SEMANA DE JUNHO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 26/2016

ANO XXVII ª SEMANA DE JUNHO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 26/2016 ANO XXVII - 2016-4ª SEMANA DE JUNHO DE 2016 BOLETIM INFORMARE Nº 26/2016 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA DECLARAÇÃO SOBRE A OPÇÃO DE TRIBUTAÇÃO DE PLANOS PREVIDENCIÁRIOS DPREV 2016 INFORMAÇÕES GERAIS...

Leia mais

Recurso financeiro arrecadado via matrícula de aluno especial no PPgSI. Regras para uso (Versão de 13/09/2017)

Recurso financeiro arrecadado via matrícula de aluno especial no PPgSI. Regras para uso (Versão de 13/09/2017) Recurso financeiro arrecadado via matrícula de aluno especial no PPgSI Regras para uso (Versão de 13/09/2017) 1. Essas regras substituem a versão de 07/06/2017 e valem até que uma nova versão seja aprovada

Leia mais

Orientações Consultoria de Segmentos Modelo da NFA-e - Nota Fiscal Avulsa Eletrônica para escrituração na EFD - ICMS-IPI

Orientações Consultoria de Segmentos Modelo da NFA-e - Nota Fiscal Avulsa Eletrônica para escrituração na EFD - ICMS-IPI Modelo da NFA-e - Nota Fiscal Avulsa Eletrônica para escrituração na EFD - ICMS-IPI 24/10/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise

Leia mais

CONVÊNIO ICMS 142/02

CONVÊNIO ICMS 142/02 CONVÊNIO ICMS 142/02 Altera o Convênio ICMS 57/95, de 28.06.95, que dispõe sobre a emissão de documentos fiscais e a escrituração de livros fiscais por contribuinte usuário de sistema eletrônico de processamento

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA PARÓQUIA SANTO EXPEDITO CAIXA ÚNICO PAROQUIAL

GESTÃO FINANCEIRA PARÓQUIA SANTO EXPEDITO CAIXA ÚNICO PAROQUIAL CAIXA ÚNICO PAROQUIAL CAIXA ÚNICO Compreendendo o Caixa Único - O projeto de um Caixa Único na vida da paróquia visa ser um novo jeito de organizar os recursos financeiros utilizados para a manutenção

Leia mais

Prefeitura do Município de Lages Secretaria Municipal da Fazenda Diretoria de Fiscalização

Prefeitura do Município de Lages Secretaria Municipal da Fazenda Diretoria de Fiscalização INSTRUÇÃO NORMATIVA 007/2014 DISPÕE SOBRE O MANUAL DE PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS DA DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO DA SECRETARIA DA FAZENDA DO MUNICÍPIO DE LAGES Considerando a necessidade de promover agilidade

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CAMPUS RIO GRANDE

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CAMPUS RIO GRANDE EDITAL 018/2016 - RG IFRS PROGRAMA DE APOIO À APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS EM EVENTOS CIENTÍFICOS NO ÂMBITO DA PESQUISA E INOVAÇÃO 2ª CHAMADA- SERVIDORES EFETIVOS O Diretor Geral do Instituto Federal de Eduação,

Leia mais

Guia do. Contemplado. Pessoa jurídica

Guia do. Contemplado. Pessoa jurídica Guia do Contemplado Pessoa jurídica 1 Prezado Consorciado, Você foi contemplado! Agora, o próximo passo para a conquista do seu veículo novo é a aprovação do seu crédito. Para ajudá-lo com essa etapa,

Leia mais

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA REGISTRO DE PESSOA JURÍDICA

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA REGISTRO DE PESSOA JURÍDICA DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA REGISTRO DE PESSOA JURÍDICA De acordo com a Lei Federal 6.839/1980, é obrigatório o registro das entidades prestadoras de serviços nos órgãos competentes para a fiscalização.

Leia mais

Instrução Normativa Proppi Nº 02 de 04 de abril de 2017.

Instrução Normativa Proppi Nº 02 de 04 de abril de 2017. Instrução Normativa Proppi Nº 02 de 04 de abril de 2017. Regulamenta o Programa de Auxílio à Apresentação de Trabalhos em Eventos Científicos e de Inovação, no país e no exterior, por DISCENTES do Instituto

Leia mais