CONSTRUÇÃO DE UM CALENDÁRIO DE COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS HORTIFRUTIGRANJEIROS NO ATACADO EM GOIÁS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSTRUÇÃO DE UM CALENDÁRIO DE COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS HORTIFRUTIGRANJEIROS NO ATACADO EM GOIÁS"

Transcrição

1 CONSTRUÇÃO DE UM CALENDÁRIO DE COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS HORTIFRUTIGRANJEIROS NO ATACADO EM GOIÁS ANDRÉ GROSSI MACHADO; REGINALDO SANTANA FIGUEIREDO; ODILON JOSÉ DE OLIVEIRA NETO; UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS GOIANIA - GO - BRASIL APRESENTAÇÃO ORAL COMERCIALIZAÇÃO, MERCADOS E PREÇOS CONSTRUÇÃO DE UM CALENDÁRIO DE COMERCIALIZAÇÃO DE PRODUTOS HORTIFRUTIGRANJEIROS NO ATACADO EM GOIÁS Grupo de pesquisa: 1 - Comercialização, Mercados e Preços. Resumo O presente trabalho tem como objetivo analisar o padrão de variação sazonal dos preços de hortifrutigranjeiros comercializados no atacado em Goiás, e com isso, subsidiar o processo de construção de um calendário de comercialização para o CEASA-GO. O conhecimento da variação sazonal de preços de hortifrutigranjeiros, que são produtos caracterizados por uma grande variabilidade no comportamento de preços e quantidade ofertada ao longo do ano, pode contribuir para evitar desperdícios de alimentos e danos financeiros ao produtor e consumidor, na medida em que facilita a programação da produção e do consumo. Para a determinação do padrão de variação sazonal, utilizou-se o método da média geométrica móvel centralizada. Para 44 produtos selecionados a análise mostrou que 35 apresentam um padrão de variação sazonal no período pesquisado. Com o trabalho, conclui-se que o subsídio fornecido por métodos estatísticos de análise de variação sazonal em séries temporais, juntamente com a disponibilidade de dados de preços de todos os produtos hortifrutigranjeiros comercializados pelo CEASA-GO, pode auxiliar de modo satisfatório o processo de construção de um calendário de comercialização de produtos hortifrutigranjeiros no atacado em Goiás. Palavras-chaves: variação sazonal, preços, hortifrutigranjeiros, atacado, calendário de comercialização. 1

2 Abstract The present work has as objective analyzes the seasonal variation pattern of prices of perishable foods (mainly fruits, vegetables, roots and tubers) marketed in the wholesale in Goias, and with that, to subsidize the process of construction of a commercialization calendar for Goias state s wholesale supply center (CEASA-GO). The knowledge of the seasonal variation of perishable foods prices, characterized by a great variability in the behavior of prices and amount presented along the year, it can contribute to avoid wastes of foods and financial damages to the producer and consuming, in the measure in that it facilitates the programming of the production and of the consumption. For the determination of the seasonal variation pattern, was used the method of the geometric movable average centralized. For 44 selected products, the analysis showed that 35 present a seasonal variation pattern of prices in the researched period. With the work, it is ended that the subsidy supplied by statistical methods of seasonal variation analysis in temporary series, together with the readiness of prices data of all perishable foods marketed by CEASA-GO, it can aid in a satisfactory way the construction of a commercialization calendar of perishable foods in the wholesale in Goias. Key-words: seasonal variation, prices, perishable foods, wholesale, commercialization calendar, Goias, Brazil. 1 INTRODUÇÃO O presente trabalho tem como objetivo analisar o padrão de variação sazonal dos preços de hortifrutigranjeiros comercializados no atacado em Goiás, e com isso, subsidiar o processo de construção de um calendário de comercialização para o CEASA-GO. A importância se dá pelo fato de que os produtos hortifrutigranjeiros são alimentos de grande importância na dieta da população, possuem um grande peso em volumes comercializados no Estado, são produzidos por milhares de pequenos e médios produtores, e acima de tudo, possuem características de variabilidade de oferta e preços de grande interesse e atratividade de estudos. Quanto à representatividade da produção e comercialização, o CEASA-GO comercializou cerca de, 771 mil toneladas de produtos no ano de 2006, totalizando com isso aproximadamente R$ 787,6 milhões em transações. Desse volume total de produtos comercializados, a parcela de produção proveniente de produtores goianos, foi de aproximadamente 53% (CEASA-GO, 2008). Pela grandiosidade dos números, percebe-se a importância desse setor para Goiás, tanto pelo fornecimento de alimentos para a população, quanto pela geração de renda para seus produtores. Quanto ao consumo, de acordo com dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares - POF 2002/2003, as famílias que mais consomem hortaliças no Brasil, possuem renda acima de R$ 3.00 com 88 quilos de hortaliças por pessoa ao ano. Já as famílias com renda abaixo de R$ 40 apresentam um consumo de 27 quilos por pessoa ao ano (VIDAL e BOTEON, 2005). Logo, observa-se que quanto maior a renda maior o consumo de hortifrutigranjeiros no Brasil, e, dada a importância deste tipo de alimento para a saúde e dieta da população essa situação se mostra preocupante. Uma preocupação relevante é que independente de outros fatores causadores de um baixo consumo, as alterações de preços, comuns nesses tipos de produtos, podem ter uma 2

3 grande influência, principalmente em famílias de baixa renda que já apresentam inexpressivo consumo. Os produtos hortifrutigranjeiros se destacam pela grande sensibilidade aos mais variados efeitos. De acordo com Camargo Filho e Mazzei (2000), por serem produtos geralmente comercializados in natura e apresentarem forte resposta de produção aos preços, o mercado desses produtos pode às vezes apresentar variações na cotação dentro de apenas uma semana. Essa grande variabilidade no comportamento de preços e quantidade ofertada comparada à outros produtos agrícolas, ocorre devido à forte influência dos fatores climáticos, do curto ciclo de produção, da perecibilidade, entre outros. Além disso, contribui para a elevação dos s de perdas de alimentos, variações indesejáveis no nível de renda dos produtores e uma maior insegurança para os tomadores de decisão da produção (BRASIL, 1992). Portanto, o estudo do comportamento dos preços de produtos hortifrutigranjeiros torna-se importante na medida em que são produtos com acentuada variabilidade de oferta e preços, podendo ter efeitos adversos na renda de parte da população que os consome com regularidade, e dos milhares de produtores que, em geral, são pequenos e mais suscetíveis a efeitos adversos dessa instabilidade. Essa acentuada variabilidade pode ser resultado de um padrão comum de comportamento de preços nos mesmos meses em anos sucessivos, que no caso de produtos agrícolas, é referente a períodos de safra e entressafra. Entretanto, além desse padrão comum de comportamento, podem existir em determinados anos, movimentos irregulares ou aleatórios relativos a eventos casuais como, por exemplo, problemas climáticos atípicos prejudiciais à lavoura, incidência de pragas e doenças, etc (SPIEGEL, 1993). Logo, o estudo do comportamento de preços de produtos hortifrutigranjeiros, caracterizados pela alta variabilidade e instabilidade de oferta, pode representar um esforço importante de explicação e determinação de um comportamento específico desse grupo de alimentos. Ainda, há de se considerar a relevância do contato direto com uma fonte de dados tão significante como o CEASA-GO. Ele representa um dos principais canais de comercialização do produtor, uma das centrais de abastecimento mais importantes da Região Centro-Oeste e tem disponível uma série temporal de dados bem representativa para os objetivos e especificidades do trabalho. Entende-se, portanto, que agentes econômicos, como produtores, atacadistas, varejistas e consumidores finais podem se beneficiar desse tipo de informação, e principalmente de outras pesquisas que possam surgir seguindo o mesmo caminho e com inevitáveis aperfeiçoamentos. 2 METODOLOGIA Foram utilizados dados mensais referentes ao preço médio (R$/toneladas) de todos os produtos comercializados pelo CEASA-GO de janeiro de 1999 a dezembro de 2006 (8 anos ou 96 meses). Os dados foram disponibilizados pela Divisão Técnica do CEASA-GO e são resultados de metodologias de coleta e cálculo próprias da instituição. São ao todo 283 itens 3

4 comercializados pelo CEASA-GO, e, para a escolha dos produtos a serem analisados, foram considerados apenas os que apresentaram 100 % de presença no total de meses analisados. Para a determinação do padrão de variação estacional dos preços, utilizou-se o Método da Média Geométrica Móvel Centralizada como descrito por Hoffmann (1980). Com o método, pode-se obter o de variação estacional para preços e seus respectivos s de irregularidade. De acordo com o autor a Média Geométrica Móvel Centralizada de 12 meses para uma série de preços é calculada pela seguinte equação: (1) lng t 0,5ln Pt + + ln Pt = 12 0,5ln P 6 t+ 6, onde G t = média geométrica móvel no t; P t = preço no t; t = em que a média é centralizada (t = 7, 8, 9,...). Os s sazonais dos valores pesquisados (I t ) podem ser estimados dividindo o preço (P t ) pela respectiva média geométrica (G t ), e em seguida multiplicando por 100: Pt (2) I t = 100 Gt Para se chegar a um sazonal para cada um dos 12 meses do ano ( I i ), calcula-se a média de todos os s sazonais relativos ao em questão. Para janeiro, por exemplo, utiliza-se a seguinte fórmula: m 1 (3) ln I = ln m 1 i I ij j= 2 i = 1 ( de janeiro); j = ano; m = número de anos., onde: Para os meses de fevereiro a junho (i = 2, 3, 4, 5 e 6) utiliza-se a mesma fórmula. Para os meses restantes (i = 7, 8, 9, 10, 11 e 12) faz-se a mesma média, utilizando, entretanto, como ponto de partida e ponto final do somatório, os anos j = 1 e j = m-1 respectivamente. Os s de irregularidade são obtidos, primeiramente, através do cálculo do desvio padrão (s i ), dos valores dos s sazonais em torno de sua média. Para janeiro temos: (4) s i = m j= 2 (ln ij ln I i ), onde: m 1 2 4

5 i = 1 ( de janeiro); j = ano; m = número de anos. Para os meses de fevereiro a junho (i = 2, 3, 4, 5 e 6) utiliza-se a mesma fórmula. Para os meses restantes (i = 7, 8, 9, 10, 11 e 12) calcula-se o desvio padrão utilizando como ponto de partida e ponto final do somatório, os anos j = 1 e j = m-1 respectivamente. Finalmente, os valores estimados dos s de irregularidades são obtidos através de: (5) S i = exp{ s i } Multiplicando e dividindo o sazonal pelo de irregularidade, obtêm-se os limites superior e inferior do intervalo de variação respectivamente. Para verificação da significância da estacionalidade, ou da existência de um padrão de variação estacional dos valores analisados, aplica-se a análise de variância. Essa análise compara a variância existente entre os meses com a variância aleatória, ou seja, compara as variações no valor do estacional entre meses com as variações dentro dos meses. Para tanto, calcula-se a Soma dos Quadrados dos meses e a Soma dos Quadrados do resíduo, dividi-se os dois pelos respectivos graus de liberdade e chega-se aos valores dos Quadrados Médios de ambos. O valor do Quadrado Médio dos meses deve ser maior que o valor do Quadrado Médio do resíduo, para que a variação estacional dos valores analisados seja significativa, ou seja, para que haja um padrão de variação estacional. O quociente entre o Quadrado Médio dos meses e o Quadrado Médio do resíduo (o F encontrado), vai determinar o quão a variação é significativa, aplicando-se o teste do p-valor ou valor p. A Soma dos Quadrados dos meses pode ser calculada através de: (6) S 1 2. Q. Meses = ( I ij ) ( m 1 i j 12( m 1) j i 1 I ij ) 2, onde: i = (i = 1, 2, 3,..., 12); j = ano ( j = 1, 2, 3,..., m); m = número de anos. O valor do Quadrado Médio dos meses é obtido dividindo-se a Soma dos Quadrados dos meses pelos graus de liberdade dos meses que é 11 (12 meses menos 1). A Soma dos Quadrados do resíduo pode ser calculada através de: (7) S 2. Q.Re síduo = I ij ( j i m 1 i j 1 I ij ) 2, onde: i = (i = 1, 2, 3,..., 12); j = ano ( j = 1, 2, 3,..., m); 5

6 m = número de anos. O valor do Quadrado Médio do resíduo é obtido dividindo-se a Soma dos Quadrados do resíduo pelos graus de liberdade do resíduo que é 12(m-2), onde m é o número de anos. Para organização e cálculo dos dados no trabalho, utilizou-se planilhas do programa Microsoft Office Excel 2003 e SPSS O método X11 do programa SPSS 12.0 também foi aplicado aos dados de preços como forma de validar os resultados encontrados. O cálculo dos s nesse trabalho foi feito utilizando preços correntes. De acordo com Hoffmann (1980), o efeito da inflação é captado pela média móvel e é praticamente eliminado na operação de obtenção dos s estacionais, sendo, portanto, dispensável o cálculo dos preços reais. 3 RESULTADOS E DISCUSSÃO De todos os 283 itens comercializados pelo CEASA-GO, apenas 44 aparecem em todos os meses entre janeiro de 1999 e dezembro de São eles: abacaxi pérola, abóbora goianinha, abóbora japonesa, abóbora verde comum, acelga, alface, banana maçã, banana marmelo, banana nanica, banana prata, batata comum, batata doce, berinjela, beterraba, brócolis, cará, cebola nacional, cebolinha, cenoura, chuchu, coentro, couve-flor, inhame, jiló, laranja pêra rio, limão Taiti, mamão formoso, mamão Havaí, mandioca, maracujá azedo, maxixe, melancia, melão tipo 08, milho verde, morango, ovo branco extra, pepino colonhão, pimenta de bode, pimentão, quiabo, repolho, salsa, tomate salada, e tomate santa cruz. Os preços desses produtos foram, portanto, submetidos à análise de sazonalidade e apenas parte deles apresentaram um padrão de variação sazonal. A análise de variância, que compara a variância existente entre os meses com a variância aleatória, pôde mostrar a parcela de produtos que apresentaram um padrão de variação sazonal de seus preços e a outra parcela que têm em seus preços no período, grande influência de fatores aleatórios. De acordo com os valores de F, ou os valores dos quocientes entre os quadrados médios dos meses e os quadrados médios dos resíduos encontrados (ver tabela 1), observa-se que para 27 produtos, as variações entre os meses são significativas com um valor de p ou um p-valor menor que 0,01 ou 1 % (do limão taiti à acelga). Com um p-valor situado entre 0,01 (1 %) e 0,05 (5 %) tem-se 8 produtos (do pimentão ao mamão formoso). Os restantes apresentam um valor de p acima de 0,1 ou 10 %. Logo, pode-se afirmar, que apenas o último grupo com 9 produtos não possuem variações significativas entre os meses. 6

7 Tabela 1 Resultado da análise de variância dos preços dos produtos hortifrutigranjeiros comercializados no CEASA-GO, 1999/2006. (F crítico: 1,924). Produto F valor-p limão Taiti 20, morango 15, banana maçã 13, milho verde 8, inhame 8, cará 7, batata doce 7, maxixe 7, maracujá azedo 7, tomate salada 6, abacaxi pérola 6, ovo branco extra 6, beterraba 5, alface 5, banana prata 4, coentro 4, pimenta de bode 4, salsa 4, laranja pêra rio 4, banana marmelo 3, chuchu 3, couve-flor 3, tomate santa cruz 3, berinjela 3, quiabo 2, cenoura 2, acelga 2,

8 pimentão 2,462 0,01126 pepino colonhão 2,431 0,01229 mamão Havaí 2,426 0,01247 jiló 2,233 0,02143 brócolis 2,131 0,02843 cebolinha 2,030 0,03750 melão tipo 08 1,950 0,04669 mamão formoso 1,948 0,04687 melancia 1,635 0,10715 repolho 1,498 0,15129 cebola nacional 1,250 0,27095 batata comum 0,790 0,64955 mandioca 0,691 0,74317 abóbora goianinha 0,662 0,76939 banana nanica 0,469 0,91666 abóbora verde comum 0,463 0,91967 abóbora japonesa 0,423 0,94124 Fonte: elaborado pelo autor. Os s sazonais e s de irregularidades encontrados para as séries de preços dos produtos encontram-se organizados na tabela 2. Tabela 2 Índices sazonais e s de irregularidades relativos aos preços dos produtos hortifrutigranjeiros comercializados no CEASA-GO, 1999/2006. (continua) produto/ meses jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez limão Taiti índ.sazonal 56,46 58,37 59,84 78,37 87,28 88,89 111,54 178,67 198,03 206,38 143,76 71,22 índ. irreg. 1,16 1,13 1,16 1,30 1,42 1,33 1,45 1,28 1,33 1,42 1,46 1,28 morango índ.sazonal 119,78 167,42 162,49 119,42 99,22 89,16 68,21 63,45 68,14 90,20 104,79 104,21 índ. irreg. 1,22 1,19 1,30 1,32 1,16 1,20 1,31 1,18 1,27 1,25 1,16 1,25 banana maçã índ.sazonal 120,71 102,64 80,32 79,90 81,66 85,57 102,52 100,96 109,69 110,32 116,19 123,67 índ. irreg. 1,10 1,22 1,17 1,08 1,09 1,18 1,11 1,09 1,06 1,07 1,15 1,08 milho verde índ.sazonal 99,24 88,46 87,46 89,31 89,80 102,12 117,98 112,72 107,76 107,75 101,30 101,67 índ. irreg. 1,12 1,09 1,10 1,10 1,11 1,09 1,08 1,07 1,09 1,12 1,09 1,05 inhame índ.sazonal 121,51 106,64 99,47 86,06 82,79 85,27 83,78 81,49 99,99 109,40 129,27 132,24 índ. irreg. 1,22 1,22 1,16 1,14 1,19 1,18 1,18 1,16 1,12 1,13 1,24 1,14 cará índ.sazonal 130,80 108,67 97,71 86,51 85,04 85,71 91,96 86,91 85,22 90,99 114,17 161,35 índ. irreg. 1,27 1,13 1,25 1,17 1,14 1,09 1,12 1,13 1,14 1,26 1,37 1,31 batata doce índ.sazonal 117,33 114,80 96,96 91,97 81,64 77,91 87,58 96,65 101,46 105,06 116,60 124,40 índ. irreg. 1,14 1,10 1,16 1,13 1,16 1,11 1,16 1,11 1,18 1,13 1,13 1,27 maxixe índ.sazonal 89,85 108,75 107,95 100,93 96,49 113,57 141,36 122,75 98,83 80,92 77,70 79,50 índ. irreg. 1,20 1,17 1,16 1,23 1,21 1,18 1,26 1,13 1,19 1,16 1,18 1,16 maracujá azedo índ.sazonal 90,65 85,63 107,02 88,83 84,60 84,11 82,59 112,51 160,20 155,07 110,99 74,33 índ. irreg. 1,60 1,31 1,24 1,06 1,17 1,15 1,18 1,25 1,22 1,38 1,22 1,28 tomate salada índ.sazonal 113,15 117,57 125,59 112,71 130,19 108,05 82,95 73,93 71,74 81,12 95,78 110,43 índ. irreg. 1,27 1,17 1,23 1,28 1,21 1,22 1,21 1,29 1,26 1,15 1,21 1,29 abacaxi pérola índ.sazonal 110,23 115,73 115,12 105,42 96,70 92,08 93,12 98,20 95,43 99,19 94,98 88,24 índ. irreg. 1,10 1,14 1,13 1,11 1,11 1,09 1,05 1,06 1,05 1,09 1,12 1,10 ovo branco extra índ.sazonal 95,72 105,28 113,87 107,12 97,93 102,04 101,67 102,55 95,70 91,98 90,62 97,89 índ. irreg. 1,08 1,08 1,07 1,08 1,03 1,07 1,07 1,04 1,07 1,06 1,06 1,11 beterraba índ.sazonal 116,19 126,52 131,10 132,23 108,84 99,27 94,54 96,34 71,91 69,02 75,14 106,93 8

9 índ. irreg. 1,21 1,28 1,20 1,20 1,32 1,30 1,24 1,35 1,33 1,38 1,23 1,29 alface índ.sazonal 102,24 109,00 101,87 116,66 100,36 99,68 88,79 85,64 85,41 105,54 106,77 103,13 índ. irreg. 1,05 1,16 1,05 1,19 1,03 1,03 1,13 1,17 1,17 1,06 1,07 1,09 banana prata índ.sazonal 120,26 119,04 111,20 102,59 97,85 87,26 95,93 92,80 91,97 95,21 93,17 98,75 índ. irreg. 1,11 1,12 1,10 1,15 1,18 1,18 1,15 1,12 1,10 1,04 1,08 1,18 coentro índ.sazonal 101,63 107,26 115,00 108,50 108,02 101,92 95,24 90,34 90,87 90,97 94,46 99,41 índ. irreg. 1,10 1,08 1,10 1,10 1,10 1,07 1,15 1,12 1,11 1,11 1,11 1,12 pimenta de bode índ.sazonal 84,40 113,04 96,71 86,46 117,32 154,06 140,96 109,86 84,16 82,17 81,16 79,81 índ. irreg. 1,54 1,46 1,49 1,26 1,34 1,24 1,24 1,27 1,23 1,30 1,35 1,23 salsa índ.sazonal 104,96 108,39 112,62 112,24 106,07 102,72 96,85 91,75 89,10 89,20 92,63 97,56 índ. irreg. 1,17 1,08 1,11 1,13 1,06 1,09 1,14 1,13 1,12 1,12 1,12 1,13 laranja pêra rio índ.sazonal 94,62 103,35 123,62 113,42 104,31 95,25 93,75 91,52 90,80 98,84 102,02 93,45 índ. irreg. 1,17 1,25 1,17 1,06 1,08 1,06 1,07 1,07 1,07 1,13 1,16 1,15 banana marmelo índ.sazonal 105,44 116,27 116,38 102,86 93,02 94,15 99,00 103,17 95,95 88,10 89,66 100,50 índ. irreg. 1,21 1,16 1,07 1,14 1,09 1,08 1,08 1,12 1,08 1,12 1,14 1,19 chuchu índ.sazonal 106,49 122,44 104,03 139,28 89,72 70,29 58,00 116,72 137,84 137,89 93,29 69,92 índ. irreg. 1,62 1,19 1,39 1,32 1,29 1,49 1,32 1,63 1,59 1,73 1,83 1,29 couve-flor índ.sazonal 104,79 107,45 104,83 115,81 116,40 109,08 79,32 72,04 85,56 104,20 108,02 104,71 índ. irreg. 1,29 1,20 1,29 1,25 1,32 1,12 1,12 1,19 1,20 1,20 1,31 1,22 tomate santa cruz índ.sazonal 113,10 119,87 138,02 126,90 121,46 91,82 80,89 85,23 72,62 71,90 99,94 104,96 índ. irreg. 1,14 1,22 1,40 1,34 1,20 1,56 1,52 1,65 1,29 1,40 1,43 1,38 Tabela 2 Índices sazonais e s de irregularidades relativos aos preços dos produtos hortifrutigranjeiros comercializados no CEASA-GO, 1999/2006. (conclusão) produto/ meses jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez berinjela índ.sazonal 82,26 101,75 105,46 112,55 102,41 111,67 111,43 129,06 116,18 91,99 78,72 72,75 índ. irreg. 1,43 1,26 1,28 1,36 1,14 1,09 1,26 1,49 1,45 1,22 1,21 1,25 quiabo índ.sazonal 92,34 74,67 71,80 99,05 134,10 114,29 88,03 103,49 114,47 124,77 108,09 94,61 índ. irreg. 1,30 1,33 1,47 1,37 1,27 1,30 1,40 1,30 1,16 1,26 1,39 1,49 cenoura índ.sazonal 107,83 114,39 127,53 130,65 129,96 82,15 92,40 96,48 93,51 77,54 77,70 90,73 índ. irreg. 1,56 1,53 1,35 1,28 1,26 1,33 1,30 1,28 1,24 1,27 1,43 1,47 acelga índ.sazonal 100,79 105,60 110,51 110,24 103,49 97,17 96,20 93,75 94,55 96,77 96,30 96,50 índ. irreg. 1,12 1,10 1,13 1,13 1,11 1,11 1,09 1,08 1,08 1,05 1,05 1,12 pimentão índ.sazonal 114,82 117,52 113,27 136,42 98,49 87,40 86,45 83,50 85,70 88,41 96,01 106,09 índ. irreg. 1,45 1,18 1,20 1,16 1,37 1,22 1,09 1,33 1,48 1,43 1,32 1,24 pepino colonhão índ.sazonal 93,23 124,03 101,84 87,49 105,09 108,79 108,06 126,75 95,82 79,20 94,56 86,38 índ. irreg. 1,39 1,22 1,16 1,19 1,24 1,24 1,23 1,15 1,27 1,45 1,41 1,20 mamão Havaí índ.sazonal 111,59 102,89 129,15 103,73 102,49 89,78 101,08 111,73 84,24 79,84 93,20 99,81 índ. irreg. 1,27 1,20 1,29 1,17 1,42 1,24 1,23 1,29 1,14 1,12 1,22 1,29 jiló índ.sazonal 105,28 89,81 99,04 123,37 103,21 88,31 87,59 92,89 107,64 111,18 109,44 89,12 índ. irreg. 1,11 1,15 1,13 1,20 1,23 1,18 1,38 1,16 1,11 1,18 1,33 1,30 brócolis índ.sazonal 99,65 99,26 96,45 108,29 114,57 99,69 98,62 92,53 95,42 98,64 98,33 100,35 índ. irreg. 1,04 1,04 1,07 1,17 1,21 1,09 1,11 1,13 1,11 1,09 1,08 1,04 cebolinha índ.sazonal 99,83 105,94 108,26 102,31 101,69 101,08 94,65 94,75 98,70 98,36 97,88 97,46 índ. irreg. 1,13 1,11 1,11 1,04 1,03 1,02 1,10 1,10 1,05 1,05 1,05 1,06 melão tipo 08 índ.sazonal 90,59 88,05 106,01 120,73 101,98 111,33 104,26 106,13 102,79 84,78 95,71 93,48 índ. irreg. 1,15 1,12 1,28 1,32 1,21 1,30 1,29 1,18 1,27 1,05 1,12 1,12 mamão formoso índ.sazonal 104,16 101,22 104,35 103,97 92,45 81,45 98,70 95,76 95,61 94,35 110,76 122,95 índ. irreg. 1,16 1,29 1,11 1,24 1,31 1,24 1,18 1,15 1,26 1,30 1,09 1,11 9

10 melancia índ.sazonal 103,51 104,72 115,04 118,71 104,88 96,07 94,12 87,27 91,30 91,55 92,18 105,94 índ. Irreg. 1,08 1,10 1,19 1,16 1,21 1,22 1,41 1,18 1,31 1,31 1,24 1,10 repolho índ.sazonal 105,59 105,80 112,95 117,91 107,63 95,87 110,41 104,37 86,71 83,14 83,94 93,41 índ. irreg. 1,32 1,24 1,23 1,17 1,26 1,23 1,37 1,50 1,35 1,29 1,27 1,22 cebola nacional índ.sazonal 94,45 95,12 102,93 108,64 113,50 108,38 109,32 99,63 101,22 87,04 85,42 98,73 índ. irreg. 1,15 1,11 1,16 1,20 1,22 1,19 1,36 1,34 1,29 1,26 1,26 1,20 batata comum índ.sazonal 101,98 103,33 102,22 110,64 109,05 109,66 105,05 87,75 87,73 94,48 93,14 98,58 índ. irreg. 1,31 1,16 1,21 1,11 1,28 1,19 1,23 1,46 1,35 1,36 1,16 1,34 mandioca índ.sazonal 102,68 101,83 100,84 103,20 105,17 99,76 97,72 97,40 95,71 97,77 97,31 101,06 índ. irreg. 1,15 1,13 1,12 1,09 1,07 1,05 1,06 1,04 1,05 1,08 1,10 1,14 abóbora goianinha índ.sazonal 101,00 101,02 103,07 100,40 85,89 90,18 99,06 102,39 108,84 105,14 105,28 100,05 índ. irreg. 1,41 1,18 1,25 1,24 1,08 1,14 1,26 1,33 1,24 1,25 1,17 1,21 banana nanica índ.sazonal 103,24 105,46 101,10 100,20 97,64 97,03 97,81 98,16 96,78 98,60 101,85 102,54 índ. irreg. 1,08 1,09 1,12 1,13 1,12 1,11 1,06 1,05 1,14 1,17 1,14 1,08 abóbora verde comum índ.sazonal 101,93 106,86 108,66 103,14 112,99 101,22 95,94 93,35 93,71 88,77 90,59 106,14 índ. irreg. 1,40 1,43 1,26 1,31 1,28 1,35 1,35 1,27 1,44 1,43 1,36 1,29 abóbora japonesa índ.sazonal 98,10 105,10 102,96 113,84 99,17 91,09 93,08 109,60 103,11 102,96 89,37 94,64 índ. irreg. 1,53 1,34 1,21 1,30 1,35 1,37 1,30 1,55 1,34 1,22 1,21 1,38 Fonte: elaborado pelo autor. Multiplicando e dividindo o sazonal pelo de irregularidade, obtêm-se os limites superior e inferior do intervalo de variação, respectivamente. A variação sazonal, assim como seus limites superior e inferior, de todos os produtos pode ser vista nas figuras 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7 e 8. limão Taiti morango

11 banana maçã cará Jan. Fev. Mar. Abr. Mai. Jun. Jul. Ago. Set. Out. Nov. Dez. Jan. Fev. Mar. Abr. Mai. Jun. Jul. Ago. Set. Out. Nov. Dez. milho verde inhame Fonte: elaborado pelo autor Figura 1 Variação estacional dos preços de limão Taiti, morango, banana maçã, milho verde, inhame e cará. Índices sazonais obtidos utilizando preços no período 1999/

12 batata doce tomate salada maxixe abacaxi pérola Jan. Fev. Mar. Abr. Mai. Jun. Jul. Ago. Set. Out. Nov. Dez Jan. Fev. Mar. Abr. Mai. Jun. Jul. Ago. Set. Out. Nov. Dez. maracujá azedo ovo branco extra Fonte: elaborado pelo autor Figura 2 Variação estacional dos preços de batata doce, maxixe, maracujá azedo, tomate salada, abacaxi pérola e ovo branco extra. Índices sazonais utilizando preços no período 1999/

13 beterraba coentro alface pimenta de bode banana prata salsa Fonte: elaborado pelo autor Figura 3 Variação estacional dos preços de beterraba, alface, banana prata, coentro, pimenta de bode e salsa. Índices sazonais utilizando preços no período 1999/

14 laranja pêra rio couve-flor banana marmelo tomate santa cruz chuchu berinjela Fonte: elaborado pelo autor Figura 4 Variação estacional dos preços de laranja pêra rio, banana marmelo, chuchu, couve-flor, tomate santa cruz e berinjela. Índices sazonais utilizando preços no período 1999/

15 quiabo pimentão Jan. Fev. Mar. Abr. Mai. Jun. Jul. Ago. Set. Out. Nov. Dez. Jan. Fev. Mar. Abr. Mai. Jun. Jul. Ago. Set. Out. Nov. Dez. cenoura pepino colonhão Jan. Fev. Mar. Abr. Mai. Jun. Jul. Ago. Set. Out. Nov. Dez Jan. Fev. Mar. Abr. Mai. Jun. Jul. Ago. Set. Out. Nov. Dez. acelga mamão Havaí Fonte: elaborado pelo autor Figura 5 Variação estacional dos preços de quiabo, cenoura, acelga, pimentão, pepino colonhão, e mamão Havaí. Índices sazonais utilizando preços no período 1999/

16 jiló melão tipo brócolis mamão formoso cebolinha melancia Fonte: elaborado pelo autor Figura 6 Variação estacional dos preços de jiló, brócolis, cebolinha, melão tipo 08, mamão formoso, e melancia. Índices sazonais utilizando preços no período 1999/

17 repolho mandioca cebola nacional abóbora goianinha batata comum banana nanica Fonte: elaborado pelo autor Figura 7 Variação estacional dos preços de repolho, cebola nacional, batata comum, mandioca, abóbora goianinha, e banana nanica. Índices sazonais utilizando preços no período 1999/

18 abóbora verde comum abóbora japonesa Fonte: elaborado pelo autor Figura 8 Variação estacional dos preços de abóbora verde comum e abóbora japonesa. Índices sazonais utilizando preços no período 1999/ CONCLUSÃO A análise para os preços de 44 produtos hortifrutigranjeiros selecionados mostrou que a maioria apresenta um padrão de variação sazonal no período pesquisado. Do total, 27 produtos apresentaram um p-valor menor que 0,01: limão Taiti, morango, banana maçã, milho verde, inhame, cará, batata doce, maxixe, maracujá azedo, tomate salada, abacaxi pérola, ovo branco extra, beterraba, alface, banana prata, coentro, pimenta de bode, salsa, laranja pêra rio, banana marmelo, chuchu, couve-flor, tomate santa cruz, berinjela, quiabo, cenoura, e acelga. Ainda, oito produtos apresentaram um p-valor maior que 0,01 e menor que 0,05: pimentão, pepino colonhão, mamão Havaí, jiló, brócolis, cebolinha, melão tipo 08, e mamão formoso. Verifica-se, portanto, que o clima e a época do ano talvez sejam os grandes delimitadores da sazonalidade da oferta desses produtos, e, portanto, da variação estacional de seus preços. Entretanto, apesar da verificação de um padrão de variação estacional, eventos casuais podem vir a contribuir para agravar as flutuações. Alterações climáticas em importantes áreas produtoras, descapitalização de produtores e abandono da atividade, incidência de pragas e doenças, desvalorização do real frente ao dólar, aumento dos custos de produção, entre outros, podem causar variações irregulares ou aleatórias. Pode-se afirmar que esses efeitos casuais ou aleatórios são os grandes responsáveis pela variação dos preços dos 9 produtos restantes, que apresentaram um valor de p muito alto (maior que 0,1). São eles: melancia, repolho, cebola nacional, batata comum, mandioca, abóbora goianinha, banana nanica, abóbora verde comum, e abóbora japonesa. 17

19 Com o trabalho verificou-se que, o subsídio fornecido por métodos estatísticos de análise de variação estacional em séries temporais, juntamente com a disponibilidade de dados de preços de todos os produtos hortifrutigranjeiros comercializados pelo CEASA-GO, possibilita a construção de um calendário de comercialização de produtos hortifrutigranjeiros no atacado em Goiânia de modo satisfatório. Além disso, o conhecimento do padrão de variação estacional dos preços de hortifrutigranjeiros ao longo do ano, bem como as possíveis alterações e agravamentos causados por variações irregulares, podem ajudar na tomada de decisão dos agentes econômicos ligados à, como produtores, comerciantes, consumidores e governo. Esse conhecimento pode contribuir para evitar desperdícios de alimentos e danos financeiros ao produtor e consumidor, na medida em que facilita a programação da produção e do consumo. 5 - REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BRASIL. Ministério da Agricultura e Reforma Agrária/DENACOOP/CEASA-GO. Produção programada de hortaliças e frutas. Projeto Novas Fronteiras do Cooperativismo. Goiânia, CAMARGO FILHO, W. P de.; MAZZEI, A. R. Abastecimento de legumes: tendência de preços. Informações Econômicas, São Paulo, v.30, n.10, p , Out CEASA-GO. Centrais de Abastecimento de Goiás S/A. Acompanhamento Conjuntural da Comercialização Disponível em: <http://www.ceasa.goias.gov.br/analise2006/arquivos/análise%20da%20conjuntur A%20DO%20MERCADO%20ATACADISTA%20DA%20CEASA.pdf>. Acesso em: 24 de fevereiro de HOFFMANN, Rodolfo. Estatística para economistas. São Paulo: Pioneira, SPIEGEL, M. R. Estatística. 3 ed. São Paulo: Makron Books, VIDAL, A. J.; BOTEON, M. O peso da má alimentação. Revista Hortifruti Brasil. USP/ESALQ. Piracicaba, p , jan./fev Disponível em: <http://www.cepea.esalq.usp.br/hfbrasil/edicoes/32/full.pdf>. Acesso em: 05 de novembro de

VARIAÇÃO ESTACIONAL DE PREÇOS DA MAMONA NO PARANÁ INTRODUÇÃO

VARIAÇÃO ESTACIONAL DE PREÇOS DA MAMONA NO PARANÁ INTRODUÇÃO Página 1927 VARIAÇÃO ESTACIONAL DE PREÇOS DA MAMONA NO PARANÁ Gerson Henrique da Silva 1 ; Maura Seiko Tsutsui Esperancini 2 ; Cármem Ozana de Melo 3 ; Osmar de Carvalho Bueno 4 1Unioeste Francisco Beltrão-PR,

Leia mais

Maçăs e Pêras CORES DA TERRA

Maçăs e Pêras CORES DA TERRA Maçăs e Pêras CORES DA TERRA 12 Maçă Mini Pequena Média Grande Super Extra I Super Extra II Escultural Escultural II Branca 5010 5003 5006 5009 6006 6055 31001 31026 Preta Verde 5032 5011 5031 5001 5030

Leia mais

Prezados Senhores, Atenciosamente,

Prezados Senhores, Atenciosamente, Prezados Senhores, Sabe-se que em supermercados muitos produtos geralmente custam mais caro do que em lojas especializadas. A comodidade de comprar frutas, verduras e legumes junto com as demais compras

Leia mais

Chamada Publica 001/2012 - Descrição dos produtos

Chamada Publica 001/2012 - Descrição dos produtos Chamada Publica 001/2012 - Descrição dos produtos (PREÇOS LIMITES) Verduras Descrição Quantidade Total Unidade Preço Unit Preço Total Substitutos para a chamada mantendo o preço do Acelga Acelga : fresca,

Leia mais

SEGURO RURAL BRASILEIRO

SEGURO RURAL BRASILEIRO SEGURO RURAL BRASILEIRO Gestão de Risco Rural Programa de Subvenção Econômica ao Prêmio do Seguro Rural 2011 O QUE É O SEGURO RURAL? O seguro rural é uma importante ferramenta de gestão de riscos que protege

Leia mais

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira

SEGURO RURAL BRASILEIRO. Elaine Cristina dos Santos Ferreira SEGURO RURAL BRASILEIRO Elaine Cristina dos Santos Ferreira MODALIDADES OFERTADAS DE SEGURO RURAL Agrícola Pecuário Florestas Aqüícola Penhor rural Benfeitorias e produtos agropecuários CPR Vida do Produtor

Leia mais

Variação Estacional de Preços de Cebola nos CEASAs de Minas Gerais

Variação Estacional de Preços de Cebola nos CEASAs de Minas Gerais Variação Estacional de Preços de Cebola nos CEASAs de Minas Gerais Pablo Forlan Vargas 1 ; Leila Trevizan Braz 2 ; Juliano Tadeu Vilela de Resende 3 ; André May 2 ; Elaine Maria dos Santos 3. 1 UNESP FCAV

Leia mais

SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS

SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS SEGURO RURAL AVANÇOS E PERSPECTIVAS Histórico do Seguro Agrícola no Brasil 1878 - Congresso Agrícola do Recife; Lei n 2.168, de 11 de janeiro de 1954, estabelece normas para a instituição do seguro agrário

Leia mais

Boletim DATALUTA Artigo do mês II: setembro de 2015. ISSN 2177-4463

Boletim DATALUTA Artigo do mês II: setembro de 2015. ISSN 2177-4463 MERCADOS INSTITUCIONAIS COMO ALTERNATIVA PARA O FORTALECIMENTO DOS MERCADOS LOCAIS DE ALIMENTOS: O CASO DO PROGRAMA DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS (PAA) NO MUNICÍPIO DE TUPI PAULISTA/SP Valmir José de Oliveira

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 03/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 101312/2014-81 VIGÊNCIA: 01/04/2015 a 31/03/2016 A.L.M. CORTEZ - HORTIFRUTIGRANJEIROS - ME CNPJ: 08.453.366/0001-28 ITEM ESPECIFICAÇÃO QUANT.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ Secretaria Municipal de Educação, Desporto e Lazer Coordenadoria de Política Nutricional - CPN EMPRESAS HABILITADAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ Secretaria Municipal de Educação, Desporto e Lazer Coordenadoria de Política Nutricional - CPN EMPRESAS HABILITADAS PREGÃO 50/06 PRODUTOS HOTIFRUTIGRANJEIROS Cuiabá, 07 de novembro de 2006 EMPRESAS HABILITADAS 1.PRODUTO: ABACAXI.CLAUDINEY A. LIMA.COORIMBATÁ. PERROT E PAGANINI 2.PRODUTO: ABOBORA PAULISTA I.D LEITE 3.PRODUTO:

Leia mais

Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana

Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana Matinal Papinha de mamão Papinha de pêra Papinha de banana Papinha de manga Papinha de maçã Papinha de carne moída com, beterraba e couve Papinha de batata

Leia mais

1,99-11,99 3,00 1,89 1,49 1,99 1,59 6,99-3,49 3,99 1,69 0,99 4,99 - - 1,49 2,59-3,29

1,99-11,99 3,00 1,89 1,49 1,99 1,59 6,99-3,49 3,99 1,69 0,99 4,99 - - 1,49 2,59-3,29 PESQUISA DE PREÇO DE SACOLÃO REALIZADA EM BELO HORIZONTE NOS DIAS 12 E 13 DE JANEIRO DE 2015 LEGUMES Estabelecimentos / KG Abóbora Moranga Abobrinha Italiana Alho c/ casca Alho sem casca (bandeja) Batata

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS PROJETO DE PESQUISA Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA Período: Janeiro a Dezembro de 2012 Vitória, dezembro de 2012 Cesta Básica

Leia mais

Comércio de hortaliças entre Brasil e Argentina.

Comércio de hortaliças entre Brasil e Argentina. 1 Comércio de hortaliças entre Brasil e Argentina. Waldemar Pires de Camargo Filho 1 ;Humberto S. Alves 2 ;Antonio Roger Mazzei 1. Instituto de Economia Agrícola, da Agência Paulista de Tecnologia dos

Leia mais

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12

Sugestão de Cardápio para o Jejum de 21 dias do MIESF12 ALMOÇO 1 Dia 2 Dia 3 Dia de ervas -Pão torrado -Mamão - fruta (melão) ou água de côco -Salada de folhas temperadas c/ azeite e orégano. -1 prato de sobremesa de legumes cozidos ou purê de batatas. - Arroz

Leia mais

MUNICIPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DIVISÃO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR SEÇÃO DE SUPERVISÃO E ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

MUNICIPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DIVISÃO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR SEÇÃO DE SUPERVISÃO E ALIMENTAÇÃO ESCOLAR 1ª SEMANA - 03/08/2015 À 07/08/2015 2ª 03/ago BISNAGUINHA ARROZ/FEIJÃO SOPA DE LENTILHA, COM REQUEIJÃO KIBE DE PEIXE FRUTA CARNE MOÍDA E LEGUMES BEBIDA LACTEA CENOURA REFOGADA (BATATA/CENOURA/ CHUCHU)

Leia mais

Plano Abras Maior Apresentação maio/2013

Plano Abras Maior Apresentação maio/2013 Plano Abras Maior Apresentação maio/2013 Gestão Abras PLATAFORMA ABRAS 2013-2014 - 2014 SETOR HOJE PLATAFORMA ABRAS 2013-2014 Setor faturou R$ 242,9 bilhões em 2012 Supermercados respondem por 83,7% do

Leia mais

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO - ECA NÚCLEO DE PESQUISAS ECONÔMICO-SOCIAIS NUPES

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO - ECA NÚCLEO DE PESQUISAS ECONÔMICO-SOCIAIS NUPES UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO - ECA NÚCLEO DE PESQUISAS ECONÔMICO-SOCIAIS NUPES 1. CESTA BÁSICA FAMILIAR No mês de dezembro 2014,

Leia mais

CARDÁPIO SEMANAL - 7 a 14 anos 02 a 06 de NOVEMBRO. Lanche da Manhã Biscoito de aveia e mel Tostex (queijo e peito de peru) Pão de forma com margarina

CARDÁPIO SEMANAL - 7 a 14 anos 02 a 06 de NOVEMBRO. Lanche da Manhã Biscoito de aveia e mel Tostex (queijo e peito de peru) Pão de forma com margarina CARDÁPIO SEMANAL - 7 a 14 anos 02 a 06 de NOVEMBRO 02/11/2015 03/11/2015 04/11/2015 05/11/2015 06/11/2015 Biscoito de aveia e mel Tostex (queijo e peito de peru) Pão de forma com margarina Cereal Matinal

Leia mais

DICAS PARA UMA VIDA SUSTENTÁVEL

DICAS PARA UMA VIDA SUSTENTÁVEL DICAS PARA UMA VIDA SUSTENTÁVEL DICAS PARA UMA VIDA SUSTENTÁVEL 03 Rua Campo Grande, 443 Vila Hamburguesa São Paulo SP CEP 05302-051 55 (11) 3647-9293 contato@iniciativaverde.org.br iniciativaverde.org.br

Leia mais

Análise da Oportunidade Indústria de produção de caixas plásticas (bins)

Análise da Oportunidade Indústria de produção de caixas plásticas (bins) Análise da Oportunidade Indústria de produção de caixas plásticas (bins) 1.1 Sobre o Projeto Contratante: ABPM- Associação Brasileira de Produtores de Maçãs Objetivo: Desenvolvimento de um projeto de Análise

Leia mais

Cardápio 04.05 até 08.05.2015

Cardápio 04.05 até 08.05.2015 Cardápio 04.05 até 08.05.2015 COLAÇÃO Pera Suco de acerola Goiaba Suco de uva Manga pepino/carne moída com proteína de soja/ Berinjela cozida/ /inhame cozido/arroz/feijão Salada de tomate e repolho/frango

Leia mais

Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil

Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil Projeções da demanda por fertilizantes no Brasil índice 3 4 5 6 8 9 o mercado Números e importância do setor projeções de longo prazo planos/produtos metodologia condições, prazo e investimento formulário

Leia mais

(EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) Alface. Inhame cozido Frango acebolado

(EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) (EM CASA) Alface. Inhame cozido Frango acebolado CARDÁPIO EDUCAÇÃO INFANTIL (maiores de 2 anos) JUNHO/2015 Observações: A utilizada será sem lactose. Oferecer água durante todo dia. Não oferecer bebida durante o almoço ou jantar somente depois de no

Leia mais

Cardápio de OUTUBRO 2015 PRÉ I e II - BARRA

Cardápio de OUTUBRO 2015 PRÉ I e II - BARRA 01/out 02/out Biscoito passatempo / Banana Alface lisa Vagem com champignon Berinjela com cebola e orégano Caldo verde Bife de panela Suco de goiaba Biscoito sal integral Maçã / Manga Maionese de legumes

Leia mais

Seguro Rural. Desafios para a sua Operacionalização

Seguro Rural. Desafios para a sua Operacionalização Seguro Rural Desafios para a sua Operacionalização GESTÃO DE RISCO RURAL Riscos Rurais: - Climatológicos; Incêndio; Vida animal; Propriedades; Equipamentos; Armazenagem; Transporte; e, Preço. Seguro Rural

Leia mais

ANEXO MODELO DE PROPOSTA COMERCIALCOM VALORES

ANEXO MODELO DE PROPOSTA COMERCIALCOM VALORES ANEXO MODELO DE PROPOSTA COMERCIALCOM VALORES Itens Unid. QTD. Especificação detalhada dos Gêneros Alimentícios VALOR VALOR UNIT TOTAL ABACATE: Procedente de planta sadia, destinado ao consumo 4,18 6.311,80

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL. Quarta-feira 03/06. Suco: laranja com beterraba Pão francês com queijo

EDUCAÇÃO INFANTIL. Quarta-feira 03/06. Suco: laranja com beterraba Pão francês com queijo CARDÁPIO JUNHO/05 Elaborado e aprovado por: Luiza Crozariol Campos Nutricionista CRN3 4488 Semana 0/06 0/06 03/06 04/06 05/06 Pão francês com Biscoito de leite com geleia com bolo de banana Bisnaguinha

Leia mais

Cardápio 06.07 até 10.07.2015

Cardápio 06.07 até 10.07.2015 Cardápio 06.07 até 10.07.2015 COLAÇÃO Banana Suco de acerola Melão Suco de goiaba Maçã pepino/carne ao molho/ Abóbora cozida/ /batata e repolho/frango no molho/ cenoura cozida/ farofa de couve e ovos/arroz/feijão

Leia mais

Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012

Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012 Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente Câmara Setorial de Palma de Óleo 21 de Setembro de 2012 Culturas com Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI) Desenvolvimento de novas moléculas Registro

Leia mais

Cardápio de Novembro 2015

Cardápio de Novembro 2015 03/nov 04/nov 05/nov 06/nov Biscoito passatempo sem recheio Maçã / thompson Suco de caju Biscoito de polvilho Suco de goiaba Biscoito leite e mel Maçã / Suco de tangerina Biscoito mini gergelim Banana

Leia mais

especial SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA - Biscoito polvilho (sem leite e sem glúten) -Frutadaépoca -Bebidadesoja

especial SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA - Biscoito polvilho (sem leite e sem glúten) -Frutadaépoca -Bebidadesoja 1 09 a 13 03 04 a 08/05 29 06 a 03 07 24/08 a 28/08 19/10 a 23/10 14 12 a 18 12 - Suco de maracujá -Sucodeacerola - Suco de abacaxi - Alface crespa Cenoura - Ovos de codorna -Brócolis -Alfacelisa - Alface

Leia mais

SETEMBRO 2015 - BERÇÁRIO

SETEMBRO 2015 - BERÇÁRIO Semana 1 01/09 02/09 03/09 04/09 Rosquinha Bolacha de água e sal; Bolacha maisena FERIADO MUNICIPAL Aniversário de Mogi das Cruzes 455 anos Manga; Pera; Maçã; desfiado cará, cenoura e ou Lima; abobrinha,

Leia mais

Obs: O achocolatado em pó já contém açúcar, não é necessário adicionar mais açúcar no preparo do leite.

Obs: O achocolatado em pó já contém açúcar, não é necessário adicionar mais açúcar no preparo do leite. CARDÁPIO PARA CAFÉ DA MANHÃ NAS CRECHES Obs: O achocolatado em pó já contém açúcar, não é necessário adicionar mais açúcar no preparo do leite. CARDÁPIO PARA ALMOÇO DA PRIMEIRA SEMANA NAS CRECHES Salada

Leia mais

Cardápio de OUTUBRO 2015 Berçário e Maternal - BARRA

Cardápio de OUTUBRO 2015 Berçário e Maternal - BARRA 01/out 02/out Biscoito passatempo / Alface lisa Vagem com champignon Berinjela com cebola e orégano Caldo verde Bife de panela Suco de goiaba Biscoito sal integral Maçã / Manga Maionese de legumes com

Leia mais

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s)

PROPOSTA. Pregão. Proposta(s) PROPOSTA Pregão Órgão: Prefeitura Municipal de Palmas Número: 159/2012 Número do Processo: 2011041988 Unidade de Compra: Secretaria de Desenvolvimento Social Proposta(s) Item: 0001 Descrição: LOTE 01 -

Leia mais

Apesar de menor, deflação continua

Apesar de menor, deflação continua 1 São Paulo, 06 de julho de 2006. NOTA À IMPRENSA Apesar de menor, deflação continua Pelo terceiro mês consecutivo, o Índice do Custo de Vida (ICV) calculado pelo DIEESE - Departamento Intersindical de

Leia mais

CARDÁPIO SEMANAL ALMOÇO MATER DEI OUTUBRO 2015 WEEKLY LUNCH MENU MATER DEI OCTOBER 2015

CARDÁPIO SEMANAL ALMOÇO MATER DEI OUTUBRO 2015 WEEKLY LUNCH MENU MATER DEI OCTOBER 2015 Segunda Terça Quarta Quinta 01 Sexta 02 Alface/couve Folhas Mistas abobrinha ralada tomate macarrão tricolor Grão de Bico Branco/ integral Branco/ integral carioca carioca Escalopinho ao molho madeira

Leia mais

Carbo- Fibra Número do Umidade Energia Proteína Lipídeos Colesterol idrato Alimentar Cinzas Cálcio Magnésio Alimento Descrição do Alimento (%) (kcal)

Carbo- Fibra Número do Umidade Energia Proteína Lipídeos Colesterol idrato Alimentar Cinzas Cálcio Magnésio Alimento Descrição do Alimento (%) (kcal) Carbo- Fibra Número do Umidade Energia Proteína Lipídeos Colesterol idrato Alimentar Cinzas Cálcio Magnésio Alimento Descrição do Alimento (%) (kcal) (kj) (g) (g) (mg) (g) (g) (g) (mg) (mg) &HUHDLVÃHÃGHULYDGRVÃ

Leia mais

Programa RAMA RASTREAMENTO E MONITORAMENTO DE AGROTÓXICOS

Programa RAMA RASTREAMENTO E MONITORAMENTO DE AGROTÓXICOS RAMA 1 O QUE É O RAMA? Página 3 Sumário 2 PARA QUE SERVE O RAMA? 3 Página 4 COMO FUNCIONA O RAMA? Página 5 4 POR QUE PARTICIPAR Página 9 DO RAMA? 5 COMO PARTICIPAR DO RAMA? Página 9 6 QUAIS OS BENEFÍCIOS

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DE PROGRAMA DE SUBVENÇÃO PARA O SEGURO RURAL. www.brasileirarural.com.br

A IMPORTÂNCIA DE PROGRAMA DE SUBVENÇÃO PARA O SEGURO RURAL. www.brasileirarural.com.br A IMPORTÂNCIA DE PROGRAMA DE SUBVENÇÃO PARA O SEGURO RURAL INSTRUMENTOS DE Minimização de Riscos I Proagro Mais II Seguro Privado. Coberturas: - Variações Climáticas - Preços - Índices III Cobertura Complementar

Leia mais

MANUAL ORIENTATIVO PRODUTOS ORGÂNICOS

MANUAL ORIENTATIVO PRODUTOS ORGÂNICOS MANUAL ORIENTATIVO PRODUTOS ORGÂNICOS SUMÁRIO: Introdução... 01 Considerações... 02 Lista de produtos... 07 Ficha técnica dos produtos... 08 INTRODUÇÃO Definição Produtos Orgânicos: São produtos gerados

Leia mais

No Brasil, as frutas e

No Brasil, as frutas e FRUTAS E HORTALIÇAS: FONTE DE PRAZER E SAÚDE No Brasil, as frutas e hortaliças frescas são produzidas, em diferentes épocas do ano, por milhares de pequenos produtores, distribuídos por todo o país. A

Leia mais

Fresh Connections:Brazil Carlos Alexandre Oliveira Gomes

Fresh Connections:Brazil Carlos Alexandre Oliveira Gomes Fresh Connections:Brazil Carlos Alexandre Oliveira Gomes #freshconnections BR 21 de Agosto de 2014 PRODUCE MARKETING ASSOCIATION Agência Nacional de Vigilância Sanitária Gerência-Geral de Toxicologia Segurança

Leia mais

AGRICULTURA FAMILIAR NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

AGRICULTURA FAMILIAR NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR AGRICULTURA FAMILIAR NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR P N A E 250 mil famílias poderão ser beneficiadas (estimativa) Cerca de R$1 bilhão 47 milhões de alunos da educação básica da rede pública GRANDE DESAFIO: AS

Leia mais

Receitas de Sucos. Sucos com Frutas. Suco de abacaxi e gengibre. Suco de laranja, amora e grapefruit. Batida de papaya e laranja

Receitas de Sucos. Sucos com Frutas. Suco de abacaxi e gengibre. Suco de laranja, amora e grapefruit. Batida de papaya e laranja Receitas de Sucos Sucos com Frutas Suco de abacaxi e gengibre 1 abacaxi médio bem maduro 1 colher de sopa de gengibre fresco picado 4 copos de água Lavar bem o abacaxi usando uma escova. Descascar com

Leia mais

Anita de Souza Dias Gutierrez Engenheira agrônoma Centro de Qualidade em Horticultura hortiescolha@ceagesp.gov.br 11 36433890/ 27

Anita de Souza Dias Gutierrez Engenheira agrônoma Centro de Qualidade em Horticultura hortiescolha@ceagesp.gov.br 11 36433890/ 27 Anita de Souza Dias Gutierrez Engenheira agrônoma Centro de Qualidade em Horticultura hortiescolha@ceagesp.gov.br 11 36433890/ 27 Centro de Qualidade em Horticultura CEAGESP Construção e adoção de ferramentas

Leia mais

Em Santo Antônio do Pinhal, Merenda Escolar não é despesa. É investimento!

Em Santo Antônio do Pinhal, Merenda Escolar não é despesa. É investimento! 1º Semana- Outubro/2014 29/09/2014 30/09/2014 01/10/2014 02/10/2014 03/10/2014 Suco Suco Suco de Abacaxí Arroz, Feijão Farofa de Ovo e Cenoura e Salada de Beterraba Arroz, Feijão, Frango com Batata e Salada

Leia mais

CARDÁPIO JUNHO 2015. Sopa: Caldo verde ( alho, fubá, carne, óleo de soja, cebola, couve manteiga, tomate molho e ervas naturais)

CARDÁPIO JUNHO 2015. Sopa: Caldo verde ( alho, fubá, carne, óleo de soja, cebola, couve manteiga, tomate molho e ervas naturais) EXTERNATO SANTO ANTÔNIO 1ª SEMANA 01/06 (segunda-feira) 02/06 (terça-feira) 03/06 (quarta-feira) 04/06 (quinta-feira) 05/06 (sexta-feira) Leite com achocolatado Leite fermentado Iogurte CARDÁPIO JUNHO

Leia mais

Programa RAMA RASTREAMENTO E MONITORAMENTO DE AGROTÓXICOS

Programa RAMA RASTREAMENTO E MONITORAMENTO DE AGROTÓXICOS RAMA 1 O QUE É O RAMA? Página 3 Sumário 2 PARA QUE SERVE O RAMA? 3 Página 4 COMO FUNCIONA O RAMA? Página 5 4 POR QUE PARTICIPAR Página 9 DO RAMA? 5 COMO PARTICIPAR DO RAMA? Página 10 6 QUAIS OS BENEFÍCIOS

Leia mais

RESUMO EXECUTIVO COMPOSIÇÃO NUTRICIONAL DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO BRASIL: UMA ANÁLISE A PARTIR DE UMA AMOSTRA DE CARDÁPIOS - 2011

RESUMO EXECUTIVO COMPOSIÇÃO NUTRICIONAL DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO BRASIL: UMA ANÁLISE A PARTIR DE UMA AMOSTRA DE CARDÁPIOS - 2011 RESUMO EXECUTIVO COMPOSIÇÃO NUTRICIONAL DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR NO BRASIL: UMA ANÁLISE A PARTIR DE UMA AMOSTRA DE CARDÁPIOS - 2011 1 Objetivo e Metodologia O presente relatório apresenta os resultados da

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO Governador Antonio Augusto Junho Anastasia Secretária de Educação de Estado de Educação Ana Lucia Almeida Gazzola Secretária Adjunta de

Leia mais

Cardápio. Cardápio. 26 janeiro. 27 janeiro. 28 janeiro. 29 janeiro LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira.

Cardápio. Cardápio. 26 janeiro. 27 janeiro. 28 janeiro. 29 janeiro LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira. agosto Cardápio 2014 jan/fev 2015 26 janeiro 27 janeiro 28 janeiro 29 janeiro Bisnaga com patê de atum. Ameixa. Suco. Pão francês integral com manteiga. Banana com aveia. Leite com chocolate. Pão de mandioquinha

Leia mais

A FORÇA DO COMPRADOR NA ADOÇÃO DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS. Setembro de 2014

A FORÇA DO COMPRADOR NA ADOÇÃO DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS. Setembro de 2014 ANEXO V A FORÇA DO COMPRADOR NA ADOÇÃO DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS Setembro de 2014 Algumas considerações Agricultura e abastecimento O desenvolvimento da agricultura é responsável pela evolução da humanidade.

Leia mais

(Luiz Jorge da Gama Wanderley Junior e Dr. Paulo César Tavares de Melo)

(Luiz Jorge da Gama Wanderley Junior e Dr. Paulo César Tavares de Melo) PRODUÇÃO DE SEMENTES DE HORTALIÇAS EM CONDIÇÕES SEMI-ÁRIDAS NORDESTE DO BRASIL (Luiz Jorge da Gama Wanderley Junior e Dr. Paulo César Tavares de Melo) 1- CONSIDERAÇÕES INICIAIS A atividade de produção

Leia mais

ITEC.Net - Informações Técnico-Econômicas Boletim informativo diario de precos CEASA CAMPINAS. Preços em R$

ITEC.Net - Informações Técnico-Econômicas Boletim informativo diario de precos CEASA CAMPINAS. Preços em R$ HORTALICAS-FOLHA,FLOR E HASTE HORTALICAS-FRUTO ACELGA KG EXTRA 8-9 UN ME 1.30 1.40 1.50 ESP 10-12 UN ME 0.90 1.00 1.10 AGRIAO KG ME 5,00 6,00 8,00 ALCACHOFRA KG ME 8,00 9,00 10,00 ALECRIM KG ME 15,00 18,00

Leia mais

CARDÁPIO DA MERENDA ESCOLAR Lactose - JULHO/ 2015

CARDÁPIO DA MERENDA ESCOLAR Lactose - JULHO/ 2015 CARDÁPIO DA MERENDA ESCOLAR Lactose - JULHO/ 2015 DESJEJUM COLAÇÃO ALMOÇO LANCHE DA TARDE 01/07/2015 Mamão / Massinha c/molho Tomate / Feijão / Frango Desfiado com Cenoura e Salsa / Salada de Alface Gelatina

Leia mais

APROVEITAMENTO INTEGRAL

APROVEITAMENTO INTEGRAL APROVEITAMENTO INTEGRAL DOS ALIMENTOS Fabiana Peres Nutricionista CRN2 6095 Especialista em Nutrição Humana Atualmente no Brasil, ainda existe grande desperdício de alimentos. Por isso, incentivar o aproveitamento

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO 6 7 GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO Governador Antonio Augusto Junho Anastasia Secretária de Educação de Estado de Educação Ana Lucia Almeida Gazzola Secretária Adjunta

Leia mais

Pão com queijo branco Salada de fruta + Biscoito de polvilho Bisnaguinha com geléia de morango + Maçã Pão de leite com margarina

Pão com queijo branco Salada de fruta + Biscoito de polvilho Bisnaguinha com geléia de morango + Maçã Pão de leite com margarina CARDAPIO SEMANAL - 2 a 6 anos 05 a 09 de OUTUBRO 05/10/2015 06/10/2015 07/10/2015 08/10/2015 Lanche da Manhã Bisnaguinha com queijo cremoso Cereal Matinal (Flocos de milho) Pão francês com margarina Pão

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

CARDÁPIO URSINHO PIMPÃO NOVEMBRO/ 2015 BII

CARDÁPIO URSINHO PIMPÃO NOVEMBRO/ 2015 BII CARDÁPIO URSINHO PIMPÃO NOVEMBRO/ 2015 BII 1ª SEMANA 2ª FEIRA 02/11 03/11 04/11 05/11 6ª FEIRA 06/11 Feriado Banana Maçã Chá, bolo de coco Suco, pão fatiado com margarina Quibebe Salada de acelga Peixe

Leia mais

O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS

O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS O SEGURO RURAL NO BRASIL: SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS Organização das Cooperativas Brasileiras OCB Gerência de Apoio ao Desenvolvimento em Mercados GEMERC 1. INTRODUÇÃO O agronegócio brasileiro representa

Leia mais

UNIVERSAL KIDS. Quarta 03/06

UNIVERSAL KIDS. Quarta 03/06 Semana 1 01/06 02/06 03/06 04/06 05/06 Bolacha de Maisena; Biscoito de água e sal; Banana; Mamão; Manga; Maça; Sopa de Frango com Batata Cenoura (quando Sopa de Mandioquinha com iscas de fígado Sopa de

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO Governador Antonio Augusto Junho Anastasia Secretária de Educação de Estado de Educação Ana Lucia Almeida Gazzola Secretária Adjunta de

Leia mais

DERAL - Departamento de Economia Rural. Olericultura - Análise da Conjuntura Agropecuária

DERAL - Departamento de Economia Rural. Olericultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Olericultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Dezembro de 0 INTRODUÇÃO Para Filgueira, Fernando Reis, Olericultura é um termo técnico-científico, muito preciso, utilizado no meio agronômico. Derivado

Leia mais

CARDAPIO DE 1 A 5 ANOS SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA 01 DE SETEMBRO 02 DE SETEMBRO 03 DE SETEMBRO 04 DE SETEMBRO

CARDAPIO DE 1 A 5 ANOS SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA 01 DE SETEMBRO 02 DE SETEMBRO 03 DE SETEMBRO 04 DE SETEMBRO SETEMBRO DE 2015 01 DE SETEMBRO 02 DE SETEMBRO 03 DE SETEMBRO 04 DE SETEMBRO SUCO DE LARANJA SUCO DE ABACAXI C/ SUCO DE MELÃO SUCO DE UVA BISCOITO INTEGRAL HORTELÃ BISCOITO DE POLVILHO BISCOITO DE MAISENA

Leia mais

Arroz/Feijão Arroz integral Filé de frango ao molho champignon. Bife de Caçarola

Arroz/Feijão Arroz integral Filé de frango ao molho champignon. Bife de Caçarola Prato principal 1 01/06 02/06 03/06 04/06 05/06 Filé de coxa assada com batatas Filé de frango ao molho champignon Iscas de frango aceboladas FERIADO AULAS SUSPENSAS Prato principal 2 Strogonoff de carne

Leia mais

SALADA Mix de alface Almeirão com tomate em cubos Acelga com beterraba cozida Alface americana com tomate

SALADA Mix de alface Almeirão com tomate em cubos Acelga com beterraba cozida Alface americana com tomate CARDÁPIO SEMANAL - 7 a 14 anos 30 de NOVEMBRO a 04 de DEZEMBRO 30/11/2015 01/12/2015 02/12/2015 03/12/2015 Lanche da Manhã Pão frances com queijo cremoso Pão de leite com presunto Cereal matinal (Flocos

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ANÁLISE DA CONJUNTURA AGROPECUÁRIA SAFRA 2009/10

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ANÁLISE DA CONJUNTURA AGROPECUÁRIA SAFRA 2009/10 1 ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL ANÁLISE DA CONJUNTURA AGROPECUÁRIA SAFRA 2009/10 OLERICULTURA Economista Marcelo Garrido Moreira Outubro de

Leia mais

LISTA DE SUBSTITUIÇÃO DOS ALIMENTOS

LISTA DE SUBSTITUIÇÃO DOS ALIMENTOS LISTA DE SUBSTITUIÇÃO DOS ALIMENTOS VEGETAIS FOLHOSOS CONSUMO À VONTADE Acelga, agrião, aipo, alface, alcachofra, almeirão, broto de bambu, cogumelo, couve, couve-de-bruxelas, escarola, mostarda, palmito,

Leia mais

Centro de Saúde Escola do Butantã/FMUSP. Saúde da Criança. Receitas para as primeiras papinhas do seu bebê

Centro de Saúde Escola do Butantã/FMUSP. Saúde da Criança. Receitas para as primeiras papinhas do seu bebê Centro de Saúde Escola do Butantã/FMUSP Saúde da Criança Receitas para as primeiras papinhas do seu bebê Receita básica para PAPA SALGADA Não podem faltar estes alimentos no preparo do papa para a criança

Leia mais

CARDÁPIO ESCOLAR 2015

CARDÁPIO ESCOLAR 2015 JULHO DE 30/07/2015 A 31/07/2015 2º Feira 3º Feira 4º Feira 5º Feira 30/07/2015 31/07/2015 Lanche da manhã Maçã Banana Arroz, Feijão Preto, Espaguete, carne coxinha da asa moída, molho de Almoço assada,

Leia mais

Cardápio de JUNHO 2016 Berçário e Maternal - LEBLON

Cardápio de JUNHO 2016 Berçário e Maternal - LEBLON 01/jun 02/jun 03/jun Ssuco de manga Alface-americana; Alface Salpicão de festa Pepino com gergilim Couve-flor com cenoura Rúcula com tomate seco e nozes Sopa de legumes Caldo verde Ervilha Quiche de queijo

Leia mais

FRUTAS E HORTALIÇAS FONTE DE PRAZER E SAÚDE

FRUTAS E HORTALIÇAS FONTE DE PRAZER E SAÚDE FRUTAS E HORTALIÇAS FONTE DE PRAZER E SAÚDE O que são frutas e hortaliças? Consumimos diferentes partes da planta. Chamamos de fruta a maioria dos frutos maduros e de sabor doce, e de hortaliça as diferentes

Leia mais

PESQUISA DE PREÇO DE SACOLÃO REALIZADA EM BELO HORIZONTE NOS DIAS 11 E 14 DE AGOSTO DE 2014 LEGUMES. Estabelecimentos / KG

PESQUISA DE PREÇO DE SACOLÃO REALIZADA EM BELO HORIZONTE NOS DIAS 11 E 14 DE AGOSTO DE 2014 LEGUMES. Estabelecimentos / KG PESQUISA DE PREÇO DE SACOLÃO REALIZADA EM BELO HORIZONTE NOS DIAS 11 E 14 DE AGOSTO DE 2014 Legendas S ES S S IS IS IS S IS ES S IS FS ES ES ES FS IS ES ES VERDURAS LEGUMES Abóbora Moranga Abobrinha Italiana

Leia mais

CARDÁPIO FASE 1 - DEZEMBRO

CARDÁPIO FASE 1 - DEZEMBRO CARDÁPIO FASE 1 - DEZEMBRO PRIMEIRA SEMANA DIAS 30 1 2 3 4 COLAÇÃO suco de laranja lima suco de mamão suco de melão suco de maçã suco de melancia frango músculo frango músculo gema de ovo ALMOÇO inhame,

Leia mais

Variabilidade da produção, volatilidade de preços e o comportamento do faturamento do mercado de soja no Paraná

Variabilidade da produção, volatilidade de preços e o comportamento do faturamento do mercado de soja no Paraná Variabilidade da produção, volatilidade de preços e o comportamento do faturamento do mercado de soja no Paraná Andreia Cristina de Oliveira Adami Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada e-mail:

Leia mais

Cadeia da Olericultura

Cadeia da Olericultura Cadeia da Olericultura Olericultura A olericultura é a área da horticultura que abrange a exploração de hortaliças e que engloba culturas folhosas, raízes, bulbos, tubérculos, frutos diversos e partes

Leia mais

CARDÁPIO EDUCAÇÃO INFANTIL INTEGRAL

CARDÁPIO EDUCAÇÃO INFANTIL INTEGRAL ABÓBORA Abóbora pertence ao grupo das hortaliças, que é composto pelas verduras e. Em sua composição nutricional você encontra carboidratos, proteína, pouquíssima gordura, cálcio, sódio, potássio, fósforo,

Leia mais

Tapioca. Delícia. sem gluten. Mais saude com. 5kg em 1 mês. Ideal para evitar o inchaço. Receitas nutritivas. Melhor do que pão? recheios.

Tapioca. Delícia. sem gluten. Mais saude com. 5kg em 1 mês. Ideal para evitar o inchaço. Receitas nutritivas. Melhor do que pão? recheios. Mais saude com consultoria de Tapioca R$ Queime 5kg em 1 mês incluindo tapioca no cardápio Todas as matérias com especialistas Mais Saúde com Tapioca Ano 1, nº 1-2015 4,99 Receitas nutritivas Sucos, cereais

Leia mais

Panorama geral da produção de abacaxi e comportamento sazonal dos preços do Abacaxi Pérola comercializados em Goiás

Panorama geral da produção de abacaxi e comportamento sazonal dos preços do Abacaxi Pérola comercializados em Goiás PANORAMA GERAL DA PRODUÇÃO DE ABACAXI NO BRASIL E COMPORTAMENTO SAZONAL DOS PREÇOS DO ABACAXI PÉROLA COMERCIALIZADOS EM GOIÁS JOEL ORLANDO BEVILAQUA MARIN; SIMONE PEREIRA DE CARVALHO; LÍCIUS DE ALBUQUERQUE

Leia mais

Boletim Mensal Estatísticas dos Produtos Agrícolas Comercializados na CEASA/SC Julho/2008 CEASA/SC

Boletim Mensal Estatísticas dos Produtos Agrícolas Comercializados na CEASA/SC Julho/2008 CEASA/SC Boletim Mensal Estatísticas dos Produtos Agrícolas Comercializados na CEASA/SC Julho/2008 CEASA/SC Governador do Estado Luiz Henrique da Silveira Vice-Governador Leonel Pavan Secretário de Estado da Agricultura

Leia mais

BOLETIM MENSAL Ano 27 No 09 Setembro 2011

BOLETIM MENSAL Ano 27 No 09 Setembro 2011 BOLETIM MENSAL Ano 27 N o 09 Setembro 2011 Apoio: UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE ECONOMIA ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DE VIÇOSA (IPC-VIÇOSA)

Leia mais

Diminui ritmo de reajustes dos preços dos alimentos

Diminui ritmo de reajustes dos preços dos alimentos 1 São Paulo, 06 de junho de 2014. NOTA À IMPRENSA Diminui ritmo de reajustes dos preços dos alimentos Em maio, o custo de vida no município de São Paulo aumentou 0,14%, segundo cálculo do DIEESE Departamento

Leia mais

DATA DESJEJUM COLAÇÃO ALMOÇO LANCHE

DATA DESJEJUM COLAÇÃO ALMOÇO LANCHE DATA DESJEJUM COLAÇÃO ALMOÇO LANCHE 04/05/2015 Segunda- Feira Leite com Enriquecido de Morango / Rosquinha de Chocolate CARDÁPIO DA MERENDA ESCOLAR Amazonas / Mato Grosso / Maria Carraro - Maio /2015 Suco

Leia mais

RELAÇÃO DE FATORES DE CORREÇÃO E ÍNDICE DE CONVERSÃO (COCÇÃO) DE ALIMENTOS

RELAÇÃO DE FATORES DE CORREÇÃO E ÍNDICE DE CONVERSÃO (COCÇÃO) DE ALIMENTOS RELAÇÃO DE FATORES DE CORREÇÃO E ÍNDICE DE CONVERSÃO (COCÇÃO) DE ALIMENTOS Elaboração: Profª. Mônica de Caldas Rosa dos Anjos Nutrição UFPR 1 Abacate 1,14 1,34 1,33 1,68 1,46* Abacaxi 1,41 1,50 1,89 1,93*

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO Governador Antonio Augusto Junho Anastasia Secretária de Educação de Estado de Educação Ana Lúcia Almeida Gazzola Secretária Adjunta de

Leia mais

SEGUNDA 04/5 TERÇA 5/5 QUARTA 6/5 QUINTA 7/5 SEXTA 8/5 Pão de milho com geleia e creme de leite Café com leite

SEGUNDA 04/5 TERÇA 5/5 QUARTA 6/5 QUINTA 7/5 SEXTA 8/5 Pão de milho com geleia e creme de leite Café com leite CARDÁPIO ENSINO FUNDAMENTAL e PRÉ ESCOLA= MAIO DE 2015 SEGUNDA 04/5 TERÇA 5/5 QUARTA 6/5 QUINTA 7/5 SEXTA 8/5 Pão de milho com geleia e creme de leite com ao molho pomodoro* Salada de alface Bebida láctea

Leia mais

Terraço Comercio de Alimentos ago/15 DATA SERVIÇO PRATO PROTEICO OPÇÃO VEGETARIANA GUARNIÇÃO SALADA SOBREMESA SUCO

Terraço Comercio de Alimentos ago/15 DATA SERVIÇO PRATO PROTEICO OPÇÃO VEGETARIANA GUARNIÇÃO SALADA SOBREMESA SUCO SEGUNDA 03/08 Bife grelhado acebolado PTS de frango Batata doce na Mix de folhas (acelga, almeirão e escarola) Salada especial (pepino e beterraba) TERÇA 04/08 Iscas de frango Lasanha de abobrinha com

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS PROJETO DE PESQUISA Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA Período: Janeiro a Dezembro de 2015 Vitória, dezembro de 2015 Cesta Básica

Leia mais

Cardápio. Cardápio. 3 de agosto. 4 de agosto. 5 de agosto. 6 de agosto LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira.

Cardápio. Cardápio. 3 de agosto. 4 de agosto. 5 de agosto. 6 de agosto LANCHE MANHÃ ALMOÇO LANCHE TARDE. segunda-feira. terça-feira. agosto Cardápio 2014 agosto Cardápio sujeito a 2015 alterações 3 de agosto Pão sírio com queijo branco e tomate. Creme de abacate. Iscas largas de carne grelhada ao molho roti. Picadinho de frango. Arroz

Leia mais

Merendeira. Benefícios de uma alimentação saudável o Critério das Cores Diversas dos Alimentos Ajuda na prevenção da obesidade Bullying

Merendeira. Benefícios de uma alimentação saudável o Critério das Cores Diversas dos Alimentos Ajuda na prevenção da obesidade Bullying Merendeira 1) Objetivos Gerais Através do trabalho da merendeira, aprofundar os conhecimentos sobre a preparação de uma refeição saudável com o uso dos utensílios e eletrodomésticos presentes na cozinha.

Leia mais

CARDÁPIO INFANTIL KIDS -AGOSTO 2015

CARDÁPIO INFANTIL KIDS -AGOSTO 2015 1 a SEMANA: CARDÁPIO INFANTIL KIDS -AGOSTO 2015 2 a 03/08/2015 Mini francês com margarina Banana picado Frango em Cubos com Legumes Abobrinha refogada Cenoura salteada no alho e manteiga Farofa Brasileira

Leia mais

CARDÁPIO DA SEMANA. 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) LANCHES (PERÍODOS MATUTINO E VESPERTINO)

CARDÁPIO DA SEMANA. 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) LANCHES (PERÍODOS MATUTINO E VESPERTINO) 2ª Feira (29/09) 3ª Feira (30/09) 4ª Feira (01/10) 5ª Feira (02/10) 6ª Feira (03/10) Feriado Feriado Barquinha de minipão francês integral com mussarela e orégano Suco de manga Mamão com granola Soft roll

Leia mais

Mamão Hawai uma análise de preços e comercialização no Estado do Ceará.

Mamão Hawai uma análise de preços e comercialização no Estado do Ceará. Mamão Hawai uma análise de preços e comercialização no Estado do Ceará. Débora Gaspar Feitosa Freitas 1 José Nilo de Oliveira Júnior 2 RESUMO O Brasil é o principal produtor mundial de mamão e tem grande

Leia mais

CARDÁPIO 1A - BERÇÁRIO (8 A 12 MESES) SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA Creme de. Papinha de abacate. Suco de

CARDÁPIO 1A - BERÇÁRIO (8 A 12 MESES) SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA Creme de. Papinha de abacate. Suco de CARDÁPIO 1A - BERÇÁRIO (8 A 12 MESES) Creme de abacate Biscoitos maisena Fanta caseira,, chuchu, salsinha, arroz maçã com batata, mandioquinha, couve-flor e, maxixe, batata inglesa, beterraba, e caldo

Leia mais

ANEXO II TABELA DE REFERÊNCIA DE PREÇOS

ANEXO II TABELA DE REFERÊNCIA DE PREÇOS Item: 368043 - ALFACE COM FOLHAS BRILHANTES, MACIAS E SEM ÁREAS ESCURAS, FRESCAS, COM COLORAÇÃO E APARÊNCIA E QUALIDADE, LIVRE DE RESÍDUOS DE FERTILIZANTES. 21 FEIRA DE DOMINGO 2,50 3.025,00 22 FEIRA DE

Leia mais

I Encontro Nacional sobre Registro de Agrotóxicos para CSFI. Roberson Marczak Innovation Manager

I Encontro Nacional sobre Registro de Agrotóxicos para CSFI. Roberson Marczak Innovation Manager I Encontro Nacional sobre Registro de Agrotóxicos para CSFI Brasilia- 26 / 10 / 2011 Roberson Marczak Innovation Manager Portfolio MILENIA para CSFI Fungicidas Inseticidas arcadia supra SC Herbicidas 2

Leia mais